Views
3 years ago

Karen Amaral Tavares Pinheiro - Universidade Católica de Pelotas

Karen Amaral Tavares Pinheiro - Universidade Católica de Pelotas

6 A ciência, seja qual

6 A ciência, seja qual for, necessita de imaginação. Então, frequentemente essa imaginação é alimentada pelo nosso imaginário, não podemos separar. Não existe uma ciência fria e pura, unicamente lógica. A ciência inclui as paixões, as emoções e também o imaginário. Edgar Morin

7 ÍNDICE INTRODUÇÃO GERAL ........................................................................................ 09 PARTE I – PROJETO I. IDENTIFICAÇÃO ................................................................................... 11 1.1 TÍTULO ....................................................................................... 11 1.2 DOUTORANDA ......................................................................... 11 1.3 ORIENTADOR ........................................................................... 11 1.4 CO-ORIENTADOR .................................................................... 11 1.5 INSTITUIÇÃO ............................................................................ 11 1.6 LINHA DE PESQUISA .............................................................. 11 1.7 DATA .......................................................................................... 11 II. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA ...................................................... 12 2.1 INTRODUÇÃO ........................................................................... 12 2.2 OBJETIVOS ................................................................................ 13 2.3 HIPÓTESES ................................................................................ 14 III. REVISÃO DE LITERATURA ............................................................ 16 3.1 ESTRATÉGIAS DE BUSCA ...................................................... 20 IV. MÉTODOS ............................................................................................ 21 4.1DELINEAMENTO ....................................................................... 21 4.2 AMOSTRA .................................................................................. 21 4.3 INSTRUMENTOS ...................................................................... 22 4.4 DEFINIÇÃO DAS VARIÁVEIS ................................................ 25 4.5 PESSOAL ENVOLVIDO ........................................................... 27 4.6 ESTUDO PILOTO ...................................................................... 27 4.7 LOGÍSTICA ................................................................................ 27 4.8 CONTROLE DE QUALIDADE ................................................. 29 4.9 PROCESSAMENTO E ANÁLISE DE DADOS ........................ 29 4.10 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS ..................................... 30 4.11 CONSIDERAÇÕES ÉTICAS ................................................... 30 4.12 CRONOGRAMA ...................................................................... 31 4.13 ORÇAMENTO .......................................................................... 31 V. REFERÊNCIAS ...................................................................................... 32 VI. ANEXOS ................................................................................................ 37 6.1 MINI INTERNATIONAL NEUROPSYCHIATRIC INTERVIEW (MINI) ................................................................................................ 38 6.2 EDINBURGH POSTNATAL DEPRESSION SCALE (EPDS) . 66 6.3 ALBERTA INFANT MOTOR SCALE (AIMS) ........................ 69 6.4 QUESTIONÁRIO DE CAPTAÇÃO ........................................... 76 6.5 QUESTIONÁRIO MÃE PÓS-PARTO ....................................... 78 6.6 QUESTIONÁRIO COLETA DE SANGUE ............................... 92 6.7 QUESTIONÁRIO SOBRE BEBÊ (12 MESES) ......................... 95

ATLAS DE HISTOLOGIA2 - Universidade Católica de Pelotas
horários - Universidade Católica de Pelotas
VESTIBULANDO - Universidade Católica de Pelotas
Avaliação dos Egressos - Universidade Católica de Pelotas
auto-avaliação - Universidade Católica de Pelotas
PDI 2008-2012 - Universidade Católica de Pelotas
Ata de 29 de Março - Universidade Católica de Pelotas
Ata de 12 de julho - Universidade Católica de Pelotas
Ata de 31 de Maio - Universidade Católica de Pelotas
Ata de 31 de outubro - Universidade Católica de Pelotas
Selecionados 2° Fase - Mestrado - Universidade Católica de Pelotas
Currículo - Universidade Católica de Pelotas
FORMATURA - Universidade Católica de Pelotas
Edital Versão 2011 - Universidade Católica de Pelotas
artigo dary Alessandra - Universidade Católica de Pelotas
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS
marineti - Universidade Católica de Pelotas
apenados - Universidade Católica de Pelotas
Currículo - Universidade Católica de Pelotas
FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS
Currículo - Universidade Católica de Pelotas
Matemática - Universidade Católica de Pelotas
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS
Março/Abril 2007 - Universidade Católica de Pelotas
lei mais - Universidade Católica de Pelotas