Views
3 years ago

Normas Consolidadas para a Inspeção Empresas de Bebidas

Normas Consolidadas para a Inspeção Empresas de Bebidas

• Quantidade de pesticida usado no local da aplicação • Dia e hora da aplicação • Assinatura do aplicador Requisitos Menores 4.7.2.1 A empresa mantém um registro de dados adicionais incluindo o número do lote do produto usado e o número do certificado ou registro do aplicador, quando exigido pelas leis locais. 4.8 Controle dos Pesticidas Os pesticidas são gerenciados como parte do Programa de Controle de Produtos Químicos. Requisitos Críticos 4.8.1.1 Os pesticidas estão armazenados em uma área trancada e com acesso restrito. As áreas de estocagem são adequadas quanto ao tamanho e à construção e são devidamente ventiladas. 4.8.1.2 Os pesticidas são armazenados de acordo com as instruções do rótulo. 4.8.1.3 Os recipientes e os equipamentos de aplicação dos pesticidas são rotulados para identificar o seu conteúdo. Um mesmo equipamento de aplicação não é usado para múltiplos pesticidas. 4.8.1.4 Os recipientes dos pesticidas são descartados de acordo com as instruções do rótulo e os requisitos da lei. 4.8.1.5 Sinais de alerta estão colocados na entrada de cada área de estocagem de pesticidas. 4.8.1.6 A empresa mantém uma lista completa dos pesticidas em estoque. 4.8.1.7 Materiais e procedimentos para controle de vazamentos estão disponíveis. 4.9 Análises de Tendências A documentação da evidência e da atividade de pragas é revisada e usada para identifi car e eliminar as áreas onde a atividade de pragas é observada e para documentar as Ações Corretivas tomadas. Requisitos Críticos 4.9.1.1 Os registros dos serviços são precisos e completos e descrevem os níveis atuais da atividade de pragas e incluem recomendações para Ações Corretivas adicionais. 4.9.1.2 O formulário de observação de pragas fornece informações sobre a resposta dada pelo pessoal do manejo de pragas. 4.9.1.3 Todos os registros relacionados às atividades de manejo de pragas estão disponíveis para revisão em papel ou arquivos eletrônicos, quando solicitados. 4.9.1.4 O formulário de observação de pragas está em um local pré-definido. 4.9.1.5 O formulário de observação de pragas inclui: • Data • Hora • Tipo de praga observada • Ações tomadas • Nome da pessoa que preencheu o formulário 4.9.1.6 As pessoas do manejo de pragas (prestadores de serviço ou funcionários próprios da empresa) revisam este formulário a cada trimestre para identificar tendências na atividade de pragas. Um relatório das observações é enviado ao funcionário responsável na empresa. 4.9.1.7 Ações Corretivas estão documentadas para os problemas identificados. 4.10 Documentação dos Dispositivos de Monitoramento A documentação dos dispositivos de monitoramento é mantida para garantir que os dispositivos estão colocados nos lugares corretos e que são inspecionados apropriadamente e para permitir a análise das tendências observadas nas atividades das pragas. Requisitos Críticos 4.10.1.1 Um estudo detalhado de toda a empresa é conduzido e os resultados estão documentados e são usados para determinar a localização dos dispositivos de monitoramento. Manejo Integrado de Pragas—27

4.10.1.2 Um mapa do local, atualizado e preciso, que indica a localização de todos os dispositivos de monitoramento de pragas utilizados para o controle de roedores e insetos está disponível. 4.10.1.3 A colocação temporária de qualquer dispositivo de monitoramento de pragas para o monitoramento a curto prazo está mapeado separadamente. As observações estão documentadas de acordo com a frequência definida no Programa MIP. 4.10.1.4 A empresa registra todos os serviços que foram realizados em todos os dispositivos de monitoramento de pragas. 4.10.1.5 Os serviços realizados nos dispositivos de monitoramento são documentados usando mecanismos de registro tais como cartões perfurados, código de barras ou registro manual e podem estar guardados em papel ou em formato eletrônico. 4.10.1.6 Os serviços registrados nos dispositivos de monitoramento são consistentes com a documentação arquivada na empresa. 4.11 Dispositivos de Monitoramento Externo para Roedores O gerenciamento dos dispositivos de monitoramento externo para os roedores impede os mesmos de entrarem na empresa. Requisitos Críticos 4.11.1.1 Baseado no estudo detalhado da empresa, os dispositivos de monitoramento externo são colocados ao longo das bases das paredes na parte externa dos edifícios. 4.11.1.2 Todos os dispositivos de monitoramento externo são inspecionados no mínimo uma vez por mês. Estes dispositivos são checados com maior frequência quando a atividade de pragas aumenta. 4.11.1.3 Os portas-isca externos que usam rodenticidas são chaveados com lacres de plástico descartáveis, cadeados ou itens fornecidos pelo fabricante, como as chaves próprias para estes portas-isca. 4.11.1.4 Os portas-isca externos são resistentes à sabotagem e estão corretamente posicionados, fixos ao local, chaveados e rotulados. 4.11.1.5 Somente são usadas, nos portas-isca externos, iscas aprovadas pelo órgão regulatório autorizado para questões de MIP (por exemplo, o EPA nos Estados Unidos) ou as que o rótulo autorize seu uso nas indústrias de alimentos. 4.11.1.6 As iscas estão presas dentro dos portas-isca, estão em boas condições e são substituídas quando necessário baseado nas instruções do rótulo ou na recomendação do fabricante para evitar a deterioração. Requisitos Menores 4.11.2.1 Os dispositivos de monitoramento estão colocados em intervalos de 15 a 30 metros (50 a 100 pés). As áreas com altos índices de atividade de roedores têm uma concentração maior de dispositivos. 4.12 Dispositivos de Monitoramento Interno para Roedores Os dispositivos de monitoramento interno para roedores identificam e capturam os roedores que conseguem chegar à empresa. Requisitos Críticos 4.12.1.1 Iscas tóxicas e não tóxicas não são usadas para monitoramento interno. 4.12.1.2 Baseado no estudo detalhado da empresa, os dispositivos de monitoramento interno são colocados em áreas sensíveis específicas a cada espécie de roedor e em outras áreas de atividade de pragas, incluindo: • Armazéns de materiais no momento do recebimento ou áreas principais de armazenamento de matériasprimas • Áreas de manutenção com acesso ao exterior • Áreas intermediárias/temporárias onde os materiais são colocados depois de entregues pelo armazém/ depósito • Áreas de armazenamento de produtos acabados • Áreas que tem o potencial para o acesso dos roedores devido aos padrões de tráfego ou às atividades que ocorrem no local • Áreas elevadas onde a atividade de ratos de telhado é evidente ou provável • Áreas de tráfego intenso • Ambos os lados das portas da fábrica que abrem para o exterior 28—Normas Consolidadas para Inspeção

Normas Consolidadas para a Inspeção Programas de Pré ...
Os controles nas indústrias de alimentos e bebidas - SBCC
aquisição de alimentos e bebidas estocáveis, para o consumo nas ...
realidade das empresa e normas internacionais - Masterdirect
Apresentação das Normas ECSS - CRN
CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMAS (ICS) - IPQ
Documento com as alterações que acompanham as Normas ...
Normas de procedimento para a higiene de equipamentos - ESAC
Uma Introdução às Normas da Série ISO 9000 - AllChemy
A IMPORTÂNCIA DA HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS ...
novas normas para a aviação agrícola - Siagri
armazenagem e movimentação de materiais em uma empresa
Emendas ao anexo à Convenção Internacional sobre Normas de ...
O que a normalização representa para a empresa - IPQ
Normas de Ética e Conduta Empresarial - Bristol-Myers Squibb
Patrocinadores do Pan e a ética nas empresas - Ibase
Normas Técnicas Específicas para a Produção Integrada de Maçã
QUEM É A ANVER É uma associação de empresas e empresários ...
Implantação do Sistema Empresa Fabricante de ... - Unimep
A Superior Essex é uma empresa mundial líder na con
Código de Defesa do Consumidor obriga empresas obedecer às ...
Da logística empresarial à logística reversa - Empresa Responsável