Número 13 - FUGA D'INFORMAÇÃO

fuga.ccems.pt

Número 13 - FUGA D'INFORMAÇÃO

F

U

G

A

Desporto na escola!

Fernando Pessoa na ESJLB

D’

I

N

F

O

R

Dia Mundial da Música

M

Combate à pobreza!

Na PANIDOR

Visita à

Junta de Freguesia

A

Ç

Ã

O

NUMERO 13

DEZEMBRO 2010


P Á G I N A 2

J

O

A

N

A

F

E

R

N

A

N

D

A

C

I

N

T

I

A

Em poucas palavras fala um pouco de ti…

Prof. Joana Oliveira: Exigente comigo mesma e com os

que me rodeiam, alegre, teimosa, amiga do meu amigo.

Nelson: Sou conhecido por “Tito”, ando no 8º C. Sou

simpático, preguiçoso e brincalhão.

Cíntia: Sou aluna do 10ºB, gosto muito de rir e às vezes

tenho pouca paciência.

D.Fernanda: Sou rezingona mas prestável. Pareço triste.

Gostava de mudar mas não consigo.

Prof. Miguel Bastos: Inteligente, sensível e criativo e

esteticamente perfeito.

Prof.Rosália: Sou professora de Educação Musical, não

gosto de indisciplina e adoro ensinar Educação Musical.

Nos meus tempos livres não deixo de…

Prof.Joana Oliveira: Estar com os meus amigos, ouvir

música e ler.

Nelson: Brincar com os meus colegas, jogar computador

e ver a série “Naruto”

Cíntia: Ver televisão, ouvir música e de estar no computador.

D.Fernanda: De dar um passeio a pé.

Prof. Miguel Bastos: Apanhar sol, pintar e ouvir música.

Prof.Rosália: Ver um filme que tenha uma lição de vida

e puxe ao sentimento, de engomar, cozinhar, ensaiar

com o grupo de teatro de expressões da SEP.

Um dia feliz da tua vida…

Prof.Joana: O dia em que encontrei a minha cadela.

Nelson: O dia em que entrei para o sétimo ano, pois

conheci a minha turma.

Cíntia: O dia de nascimento do meu irmão.

D.Fernanda: O dia de nascimento da minha filha.

Prof. Miguel: O nascimento das minhas filhas.

Prof.Rosália: Todos os dias em que estou em família

sem pressas e horários para cumprir (com a casa arrumada

e roupa engomada e “barriguinhas” cheias.

Filme ou livro que mais adorei

Prof. Joana: O Fabuloso destino de Amélie.

Nelson: American Pie

Cíntia: Voando sobre um ninho de cucos.

D. Fernanda: Passáros perdidos e Amor de

perdição.

Prof. Miguel: Os 101 Dálmatas.

Prof.Rosália: “Filhos de um Deus menor”,

pela intensidade e qualidade interpretativa do

filme. O Livro “O deus das pequenas coisas” foi

maravilhoso.

O que mais aprecias na vida.

Prof.Joana: Todos os momentos que passo

com as pessoas que mais gosto.

Nelson: As emoções que ela me proporciona.

Cíntia: A liberdade.

D.Fernanda: Ver a minha filha a crescer.

Prof. Miguel: O mar, o sol, o campo e o resto

da natureza.

Prof.Rosália: É dar de mim e sentir que recebo

de volta.

A melhor recordação que tenho ou

tive da escola.

Prof.Joana: A Vida universitária

Nelson: A visita de estudo de moral do 7º ano.

Cíntia: Foi onde conheci a maior parte dos

meus amigos.

D.Fernanda: Os dias em que eram afixados os

resultados e estes eram bons.

Prof. Miguel: O primeiro ano em Vieira de

Leiria, acabado de chegar de Coimbra.

Prof.Rosália: O Meu primeiro ano de trabalho

(há 16 anos) na EB 2,3 de Febres e o espírito

de camaradagem da altura.

M

I

G

U

E

L

R

O

S

Á

L

I

A

N

E

L

S

O

N

Uma pessoa que admiro muito…

Prof.Joana: A minha mãe.

Nelson: O João Pedrosa.

Cíntia: A minha avó.

D.Fernanda: Marcelo Rebelo de Sousa.

Prof. Miguel: A minha mãe.

Prof.Rosália: Não existe ou existiu uma só, mas várias,

desde que defendessem e lutassem por um ideal que foi

aproveitado de forma saudável

EDITORIAL

O copo

As palavras mais utilizadas nos

meios de comunicação social e nas conversas

comuns, invariavelmente, têm

sido: crise, sacrifícios, depressão,

desemprego, cortes, carestia, e outras

que mais não são sinónimo destas.

Pedir que as substituamos por: motivação,

oportunidade, crescimento, solidariedade,

esperança, coragem, ou destas

sinónimas, se calhar é pedir demais…

ou talvez não!

Para uns, o copo está meio cheio,

para outros, meio vazio. As palavras

têm um impacto tão significativo na

nossa disposição, na forma como encaramos

o dia-a-dia, que vale a pena o

esforço para encontrar para cada uma

negativa o seu oposto.

O Fuga d’Inf dá o seu contributo e

traz-vos palavras de energia, dá-vos

conta do que por aqui se vai fazendo

para continuar a “encher o copo” que

agora erguemos e convosco brindamos

ao 2011 que se aproxima!

Se ganhasse o Euromilhões...

Prof.Joana: Viajava e ajudava que precisasse.

Nelson: Dividia o dinheiro com os meus colegas

de turma.

Cíntia: Guardava-o, nunca se sabe o que o

futuro nos reserva.

D.Fernanda: Comprava o que preciso e que

não tenho dinheiro para comprar.

Prof. Miguel: Comprava um veleiro e a respectiva

tripulação.

Prof.Rosália: Pagava o empréstimo da minha

casa e contratava um motorista para me transportar

para a Escola Padre Franklin para trabalhar.

Que mensagem queres deixar…

Prof.Joana: Aproveitem a vida ao máximo.

Nelson: Podem contar comigo para o que for preciso.

Cíntia: Não deixem de lutar por aquilo que querem.

D.Fernanda: Paz para o mundo.

Prof. Miguel: A vida é curta, por isso devemos gozar

o dia a dia a rir.

Prof.Rosália: Não passem pela vida por acaso, ela é

demasiado importante para não a valorizarmos em

cada dia. Sempre que acontece algo de bom reajam e

fiquem gratos por isso.

Professor Carlos Lourenço

Ficha técnica:

Coordenadoras: Dulce Veríssimo e Paula Vicente

Revisora de texto: Dilma Engenheiro

Colaboração: Toda a comunidade

e-mail: fugadinf@gmail.com

Impressão: Offsetarte, Figueira da Foz

Escola sede do Agrupamento:

Escola Secundária José Loureiro Botas

Site: agvieiraleiria.ccems.pt

e-mail: info@esec-jose-loureiro-botas.pt


P Á G I N A 3

MAGUSTO

No dia 11 de Novembro comemora-se o Dia de S.

Martinho e na nossa escola fizemos um Magusto.

Nesta festa participaram todos os alunos da nossa

escola e os meninos da Pré e do Jardim dos Pequeninos.

Nós fomos os reis e as rainhas do Magusto porque

fizemos umas coroas muito giras com folhas de

castanheiro e castanhas.

Divertimo-nos muito e comemos muitas

castanhas!

No dia de São Martinho

Um magusto vou fazer

E muitas castanhinhas

Eu vou comer.

No dia de São Martinho

O meu avô vou visitar

Ele chama-se Agostinho

E gosta muito de cantar.

Um passeio à Ruivaqueira

São boas as castanhas

São boas para comer

Assadas ou cozidas

A barriga vou encher.

Castanhas quentinhas

No lume a estalar

São muito grandinhas

Vou comê-las até me fartar.

Carina Dinis Brito

Turma 3c

E.B. António Vitorino

O Dia de S. Martinho

Em Área de Projecto, os alunos do 5º A,

organizaram a comemoração do dia de S.

Martinho. Fizemos várias pesquisas e

ensaiámos as adivinhas, as canções, os

provérbios.

Chegou o dia 11

de Novembro e estávamos

muito entusiasmados

para

comemorar o dia de

S. Martinho.

No primeiro intervalo da manhã, distribuímos

as castanhas assadas, dentro dos cartuchos

todos catitas, pintados por nós.

A seguir preparámos, com o apoio das

professoras Lúcia Lopes e Rosália Gomes

uma exposição com bonecos feitos com

castanhas e muita arte, e com muitas informações

como as características do castanheiro,

a sua origem e localização geográfica,

utilidades e curiosidades, receitas com

castanhas. A exposição ficou muito interessante

e com um ar de Outuno.

A seguir ao almoço foi feita a inauguração

da nossa exposição com a apresentação

da lenda de S. Martinho contada pela Ana

Claudia, adivinhas pela Maria, provérbios

apregoados pela meninas Beatriz Santos,

Eliana, Filipa e Carolina Elias e um grupo de

alunos da nossa turma, formaram um coro,

tocaram flauta e viola e cantaram várias

músicas relacionadas com o Magusto.

Gostámos muito de dinamizar este dia.

Foi uma experiência muito trabalhosa mas

no final estava tudo bem organizado e

todas as pessoas gostaram muito. Aprendemos

que se trabalharmos em grupo conseguimos

fazer e preparar dias diferentes e

divertidos na nossa escola.

Os alunos do 5º A

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

No dia 12 de Outubro de 2010, as turmas do 4º ano - 3H e 3I, foram à Ruivaqueira.

Passámos por Boco, Carvide, Monte Real e pela Estrada Nacional para então

entrarmos na Ruivaqueira. O autocarro não nos pode levar até à porta do Centro

Equestre e os restantes metros foram a pé. Curioso foi ver uma casa que tinha o

número 2200.

Enquanto o Sr. Joaquim preparava o pónei Rubi, nós esperámos numa eira de

onde podíamos ver o pónei a ser escovado e preparado. Nessa eira estava uma carroça

muito antiga que pudemos observar bem de pertinho. Chegou a Professora

Ana, que era a professora de equitação. Ela explicou-nos as regras da actividade

para podermos montar o Rubi em segurança. No caminho até ao Parque de Merendas

da Lagoa, um grupo de meninos já foi montando no Rubi. Passámos por cavalos

a pastar numa cerca. Já no parque de merendas, a professora Sara fez os grupos

para andarmos no pónei, para estar tudo organizado. Começaram os alunos mais

baixos. Enquanto cada grupo andava no pónei pelos vários percursos, os outros

alunos brincavam no parque. Havia bastantes actividades: escorrega, cordas, rede,

campo de jogos, barras, baloiços, paralelas, espaldares, percursos em tábuas, etc.

O parque era muito bonito. Tinha muitas árvores e animais. Também existiam tanques grandes com água, mas estava muito

suja. E havia também um ribeiro e pontes para passarmos de um lado para o outro. Aqui perto passa o comboio, porque o

ouvimos a apitar.

Durante os percursos de pónei, os grupos viram coisas diferentes: uma escola de condução para os alunos puderem visitar,

cercas com cavalos e éguas, pinhais, etc. O penúltimo grupo a andar no pónei, já veio a fazer o caminho até à Escola de

Equitação. O último grupo andou nele, já dentro do picadeiro. Durante todos os percursos de pónei a professora Ana respondeu

às perguntas sobre cavalos e póneis que os alunos foram fazendo. A professora Patrícia ajudou os meninos a subir e descer

do pónei.

No fim de todos andarem, a professora Ana pediu ao Sr. Joaquim para ir buscar o Valente, que era outro pónei e soltaram

os dois no picadeiro. Correram um atrás do outro, rebolaram-se no chão e levantavam as patas. Foi engraçado ver os dois a

brincar. Depois disto, fomos visitar as cavalariças e os cavalos que lá estavam. Vimos também os cãezinhos da cadela Fofa

que mora lá na Escola de equitação. Regressámos ao Parque de Merendas e fizemos um piquenique. Entretanto chegou o

autocarro para nos trazer de volta à escola. Gostamos muito desta visita e queremos repetir.

A Turma 3H


P Á G I N A 4

Descobre o sorriso do relógio!

Alguma vez reparaste como são fotografados os relógios

Quando folheamos uma revista dos mais variados assuntos, como sejam de

moda, sociais, venda de carros, para homens, para mulheres, etc… é muito

comum aparecer numa qualquer página dessas revistas uma publicidade a

uma marca de relógios com a respectiva fotografia do mesmo, aparecendo

mesmo no pulso de um modelo que está a fazer publicidade a uma roupa.

Apesar de haver inúmeras marcas de relógios e modelos diferentes existe

uma regra comum para os fotografar. E essa regra é fotografar o relógio

sempre com a mesma hora marcada no mostrador. Obviamente que esta

regra aplica-se apenas aos relógios de ponteiros, para os digitais isso não se

verifica. A hora por regra para fotografar qualquer relógio deverá ser as 10

horas e 10 minutos.

E agora poderá se fazer a pergunta, mas porquê

Porque apesar de o consumidor não se aperceber desse pormenor, quando

os ponteiros do relógio estão nessa posição é como se o relógio estivesse a

sorrir, tornando-se mais apelativo para quem o observa, ainda que maioritariamente de uma forma

inconsciente.

Por isso lanço-te um desafio, presta atenção às revistas que tens em casa e procura observar a hora que

marcam os relógios fotografados, descobre o sorriso do relógio!

São os pormenores do nosso mundo, pormenores que por vezes passam por nós e não os vemos.

Professor de Fotografia: Nuno Ferreira

Concurso de Fotografia Habitatz

“Biodiversidade sem limites”

Este concurso foi criado para que os alunos percebam

que a biodiversidade está em todo o lado. Ao fotografar a

Natureza das Escolas de Portugal, os alunos puderam

contemplar uma variedade extraordinária de espécies. Ao

conhecer melhor as espécies que constituem a vida no

planeta Terra, poderão mais facilmente agir para as conservar.

Todos os nossos alunos do Curso Profissional de Técnico

de Fotografia profissional participaram neste concurso,

tendo cada participante seleccionado um objecto pessoal,

que o identificasse em todas as suas fotografias.

Podes ver as fotografias em:

www.biodiversidadesemlimites.com.

Foto de Rute Vale - 11º C

Foto de Sónia Botas - 11º C

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

"Porque a Música penetra mais fundo na alma humana." PLATÃO

2 Milhões de história humana desenvolveram olhos com pálpebras, mas ouvidos sempre abertos.

É o primeiro dos sentidos que desenvolvemos, pois ao 3.º mês de concepção já o bebé tem o

seu aparelho auditivo acabado. É pelos ouvidos que tomamos o primeiro contacto com o mundo

exterior, e é pelos ouvidos que se conhecem pai e mãe com as vozes que inundam o caldo do

ventre materno. A poesia dos sons embala-nos desde o berço, amniótico ou de palhinha, seja

por caixas de música electrónicas, ou pela voz emocionada de mães e avós.

Não importa procurar definir o que é, porque para cada um de nós a Música é sempre alguma coisa. Diferente

dum esquimó para um filarmónico português, é certo, mas permitindo a comunicação entre cristão e muçulmanos,

africanos e americanos, profissionais e amadores, crianças e avós. Mesmo em povos para os quais não existe

a palavra Música, e são muitos, tal é o lugar indissociável que tem nas funções que lhes dão o nome, estrutura

muitos dos rituais comunitários e atravessa todo o sistema educativo. Porquê educar pela e com a Música Platão,

muito antes de qualquer técnica de marketing ou investigação musicoterapeutica, responde de forma simples:

Porque a Música penetra mais fundo na alma humana.

Porque muito antes de os homens organizarem os sons, os sons organizaram os homens.

E assim fundamentamos o acto de darmos ênfase à comemoração do Dia Mundial da Música na EB2.

DIA MUNDIAL da MÚSICA

No dia um de Outubro, assinala-se o Dia Mundial da Música. Para o comemorar e iniciar a actividade da Área de

Projecto, a turma A do 5º ano da EB 2 Padre Franklin resolveu em conjunto com as professoras Lúcia Lopes e Rosália

Costa, conceber crachás para oferecer na comunidade escolar. segundo as reflexões da turma, foi um dia muito

bom, tendo as pessoas adorado a iniciativa e deste modo lembrar que existe um dia especialmente dedicado à

MÚSICA. Eliana e Daniela G. , 5ºA


P Á G I N A 5

autarcas. O

senhor presidente

lembrou-nos que era necessário preservar os

lugares da freguesia pois por vezes são os mais jovens

que com pequenos actos irreflectidos causam danos em

propriedade que é de todos. Para o registo das respostas

alguns alunos utilizámos o computador “Magalhães”

e outros o caderno diário. No final da visita recebemos

um folheto sobre a freguesia e ainda um “docinho”.

Obrigado ao Presidente e à Vice Presidente da

Junta de Freguesia de Vieira de Leiria

Alunos do 3º ano – Turma 3F

“A Junta de Freguesia

de Vieira de Leiria”

No dia 22 de Setembro de 2010, realizámos uma visita de estudo

à Junta de Freguesia de Vieira de Leiria onde fomos recebidos pelo

senhor presidente Joaquim Vidal Tomé e pela vice-presidente Maria

de Jesus da Cruz Vitorino. Após uma visita guiada a todos os espaços

do edifício onde fomos satisfazendo a nossa curiosidade através de

pequenos diálogos, realizámos na sala onde se reúne a Assembleia de

Freguesia uma sessão de perguntas ao senhor presidente. Através

dessas perguntas

e das suas

respostas ficámos

a conhecer

melhor a Freguesia

e os seus

CENTIMFE

No âmbito do trabalho com as novas tecnologias,

as professoras da disciplina de Educação

Tecnológica trouxeram à escola, no dia

8 de Novembro de 2010, na perspectiva do

projecto “Pense Indústria”, o Centimfe

(Centro Tecnológico da Indústria de Moldes,

Ferramentas Especiais e Plásticos), para

transmitir informação e fazer uma demonstração

do trabalho executado com máquinas

CNC (Controle Numérico Computadorizado)

associando assim as novas tecnologias às

novas Industrias, motivando os alunos para

esta àrea.

Feito um balanço final da actividade,

podemos classificá-la como bastante positiva,

pois verificou-se uma grande participação

e entusiasmo por parte dos alunos, perspectivando-se

a sua futura integração no projecto

que se irá realizar nas instalações do Centimfe

ao longo deste ano lectivo.

Ida à Bienal

Os nossos alunos visitaram

a 1ª feira Internacional de Arte

Contemporânea e Design

Industrial, patente no Parque

Municipal de Exposições da

Marinha Grande. A exposição

apresentou as obras de arte do

concurso da Bienal Internacional

de artes Plásticas e Design

Industrial, para além de obras

de arte dos artistas do movimento

"Figuração Narrativa".

Também estiveram patentes

uma instalação multimédia do

Artista Miguel Chevalier e as

homenagens aos Mestre Vidreiro

Diamantino dos Santos e ao

artista Artur de Cruzeiro Seixas,

nome maior do Surrealismo Português.

No dia 29 de Outubro a nossa turma e a turma 3I fomos

visitar a Bienal de Artes Plásticas, na Marinha Grande.

Estavam lá muitas coisas giras: obras de arte, quadros, esculturas

de artistas diferentes.

Alguns dos nomes das figuras que estavam lá eram: O peso da

crise, easy Money, Teatro dos mentirosos,

o último ferro, cematery 1,

transformação, mulheres, Eunuco,

Century silver, planeta terra, Estratos,

O pórtico, cars and girls, oxygen

cylinder, pressure e muitos,

muitos outros.

Foi importante irmos à Bienal

por ser uma oportunidade única de

ver tantas coisas giras e diferentes.

1º prémio atribuído na Bienal –

O Labirinto

Turma 3H

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O


P Á G I N A 6

Concurso de Poesia

Inter-Escolas do 1º CEB

A Biblioteca Olímpia Thomé Feteira, sita na EB1 António

Vitorino, está a desenvolver um projecto que tem por

base a temática da Poesia para todas as idades. O Projecto,

intitulado Lápis na mão, foi divulgado e apresentado

nas três escolas do 1.º Ciclo do Agrupamento (EB1 António

Vitorino, EB1 da Passagem e EB1 da Praia) pelas organizadoras

do projecto, a Coordenadora Antonieta Índio e a

Animadora da Biblioteca, Educadora Vânia Oliveira, no

início do mês de Novembro.

É um concurso destinado aos 2 os , 3 os e 4 os anos de

escolaridade. O poema deverá conter entre 2 a 4 quadras

e ser entregue impresso e com uma ilustração alusiva ao

tema elaborada pelo autor.

No dia 17 de Dezembro, decorrerá na Biblioteca Olímpia

Thomé Feteira, com a participação das três escolas

envolvidas, uma cerimónia de entrega dos prémios aos

vencedores e diplomas a todos os participantes.

Porque não há limites para a imaginação, desejamos

a todos muito boa sorte.

A sopa da Avozinha

Tudo começou quando a professora nos desafiou

para alterarmos a história da Carochinha para a história

da sopa da avozinha. Construímos o texto,

sempre pensando em várias alternativas. Tivemos de

investigar coisas sobre os legumes e vegetais e seus

benefícios na nossa saúde.

No dia 15 de Outubro fomos fazer o teatro ao

Jardim de Infância da Fonte Santa.

O nosso jornal

Fizemos um jornal

de parede. Escolhemos

o título do jornal. Quem

quis deu ideias e depois

fomos a votos e o

nome que ganhou foi:

“O jornal da turma 3H”.

Com o logotipo foi a

mesma coisa. Foi feito

em grande para ficar

bem vistoso na parede.

O jornal de parede tem 7 divisões: “As saborosas notícias”,

“Bora lá divertir-nos!”, “Vamos viajar com matemática,

economia e comércio”, “O meu mundo do desporto”, “A

vida dos animais”, “Vamos cozinhar” e “Já descobrimos”.

Durante 15 dias trabalhamos no mesmo grupo de três

alunos. Temos de fazer sempre artigos novos para a área

do grupo. Depois de corrigido, passamos à mão ou no computador,

seleccionamos imagens ou tiramos fotografias e

colocamos na área certa. Ao fim desse tempo, quando trocam

os grupos, tiramos essa edição da parede e guardamos

no nosso dossier de arquivo do jornal.

Tem sido muito divertido!

Turma 3I, 4º ano

O nosso colega Ricardo foi fazer de Avozinha, o

Tomás foi fazer de Narrador, o Miguel era o Bob, a

Catarina era um vizinho que espreitava, o Rúben era

o Pedro, o Afonso era o Joaquim, a Julienne era a

Maria e a Beatriz S. era a Albertina .

No início a professora esteve a entreter os meninos

com os legumes que desenhamos e pintamos

perguntando os seus nomes. Enquanto isso, a avozinha

vestia-se e pintava-se.

A peça correu bem. No final recebemos um lápis com

uma fruta desenhada e uma gelatina, para comemorarmos

o Dia Mundial da Alimentação.

Na semana seguinte também fomos representar a

mesma peça ao Jardim de Infância dos Outeiros e

também fomos muito elogiados.

Turma 3I, 4º ano

“A Árvore da Turma”

A turma 3I do 4ºano, da Escola Básica do 1ºCiclo

António Vitorino, tem na sala uma árvore especial.

É a nossa prima que se chama Vera. Faz parte do

nosso projecto “Aprender é divertido”. Ao longo do

ano decoramos a nossa amiga árvore de acordo

com as estações do ano.

Aqui está uma fotografia da Vera decorada com

motivos do

Outono e

cheia de

amiguinhos.

Todos os

dias, de

m a n h ã ,

vemos se

algum habitante

da

árvore fugiu.

Damos-lhes

os bons dias

e vamos

estudar.

Turma 3I

4ºano


F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

CANTINHO da FILOSOFIA

SAPERE AUDI

A filosofia tem uma importância fundamental

nos nossos dias. Tal como Sócrates

disse, «uma vida não examinada não

merece ser vivida» eu reafirmo a sua posição,

pois devemos enriquecer a nossa vida

mais do que nunca pela reflexão filosófica.

Sustentando a minha perspectiva estão

dois acontecimentos importantíssimos e

coniventes surgidos no mês de Novembro:

o dia Internacional da Filosofia e a obrigatoriedade

imposta pelo Ministério da Educação

do exame de filosofia no 12ºano.

No passado dia 18 de Novembro foi

celebrado o Dia Internacional da Filosofia.

Este foi proclamado pela UNESCO com o

objectivo que seja assentada a exigência

filosófica no centro do projecto das sociedades

do conhecimento.

No dia 19 de Novembro o Ministério da

Educação deu à Sociedade Portuguesa de

Filosofia a boa nova que esta disciplina

deverá voltar a integrar o plano de estudos,

já no próximo ano lectivo, e que fará

parte das disciplinas com exame obrigatório

para a conclusão do ensino secundário.

Infelizmente o último exame de Filosofia

realizou-se em 2007. A disciplina de

Filosofia deixou também de ser obrigatória

no 12.º ano dos cursos científicohumanístico.

Portanto deixou também de

figurar entre as provas de acesso pedidas

pelas Instituições do Ensino Superior.

No 10.º e 11.º continua a ser obrigatória,

mas, por ter sido retirada do 12ºano,

verificou-se uma desvalorização da disciplina.

A reiteração da importância da disciplina

será bem acolhida pelos estudantes,

pois o ensino antes era muito centrado na

história da Filosofia, o que já não se verifica

na actualidade pois o ensino é mais

focado em problemas que os adolescentes

sentem e que os perturbam e a Filosofia

dá-lhes respostas diferentes para estes

problemas. A filosofia ensina a pensar com

clareza e autonomia e a fundamentar esse

pensamento.

Estes dois acontecimentos vieram reafirmar

perante a sociedade a importância

da filosofia na actualidade. Entre outras

razões foram constatados os benefícios

que a disciplina oferece aos alunos pois

desenvolve o seu pensamento individual

não se limitando a ser apenas uma esponja

de costumes e ideias dos outros.

A(s) Crise(s)

Nos tempos que atravessamos, toda a gente ouve falar em

temas como austeridade, défice, crise, orçamento… Apesar disto,

na maioria dos casos, a relação entre estes conceitos não é suficientemente

clara, muito por culpa dos meios de comunicação

social, e, por isso, convém fazer uma abordagem mais simples.

Neste momento, Portugal atravessa, então, dois tipos de

crise. A primeira, a económica, significa que o país não está a

aumentar a quantidade de bens e serviços que produz, o que se

traduz na diminuição ou estagnação do crescimento económico, ou

seja, da riqueza. Apesar de muitos dizerem que Portugal vive uma

crise económica há dez anos, ela piorou de há dois anos para cá,

por causa de uma outra crise vinda dos Estados Unidos, que consistiu

na falência de alguns bancos importantes. Como esses bancos

tinham negócios na Europa, outros bancos europeus acabaram

também por diminuir o crédito, que é a sua função principal. Sem

crédito, muitas empresas, que tiveram dificuldade em manter a

sua produção, diminuíram os seus lucros e deixaram de poder

pagar a funcionários. Desta forma, aumentou o desemprego, diminuiu

o consumo e a produção continuou a cair, gerando uma conjuntura

negativa na economia.

Como uma crise económica é algo de negativo, tem de se

tomar medidas para que a economia volte a gerar riqueza, podendo

e devendo estas medidas ser tomadas pelo Estado. Este organismo,

o Estado, pode apoiar a economia de várias formas:

apoiando as empresas através de subsídios ou benefícios fiscais,

aumentando o subsídio de desemprego, apostando nas obras

públicas para gerar emprego… Deve também dizer-se que a crise

económica é má para o Estado porque este vê, por um lado, diminuir

as suas receitas, os impostos (quando mais riqueza houver

mais receitas o Estado pode cobrar), por outro tem que gastar

mais, para apoiar a economia. Foi isto que se passou com o Estado

Português: para apoiar a economia, o Estado teve que gastar mais

dinheiro, mas, por outro lado, viu as suas receitas diminuir, o que

gerou o tão falado défice (diferença entre as receitas que o Estado

consegue angariar e as despesas que tem)

Como teve que gastar mais dinheiro, o Estado, tal como

uma família, viu – se obrigado a pedir mais dinheiro a terceiros,

que se compromete a pagar a prazo. O facto de alguém nos

emprestar dinheiro depende da confiança que tem em que iremos

honrar os nossos compromissos. Por sua vez, quanto mais dermos

provas de que não iremos cumprir e que não temos dinheiro para

pagar, maior será o juro. Para diminuir aquilo que paga de juros, o

Estado tem que equilibrar o défice, ou seja, provar que é capaz de

diminuir a despesa e aumentar a receita, diminuindo assim a sua

dependência do crédito.

As medidas de austeridade, inscritas no Orçamento, têm o

objectivo de cortar a despesa do Estado e aumentar as suas receitas

e são bastante variadas, indo desde a diminuição de salários

dos trabalhadores do Estado ao corte de prestações sociais. Neste

momento, os juros que Portugal paga para se endividar a dez anos

são de 7%, duvidando quem nos empresta dinheiro que consigamos

continuar a pagar os nossos compromissos. Para se ter uma

ideia da gravidade da situação, estima-se que por cada 10 euros

que o país produz, 9 euros já estão destinados para pagar as dívidas

que o Estado contraiu.

No meio de tudo isto, fala-se cada vez mais que o país não

sobreviverá sem ajuda externa, nomeadamente da União Europeia,

que nos emprestará dinheiro a juros mais baixos, e o Fundo

Monetário Internacional (FMI), um organismo internacional, que

ajuda os países em dificuldades financeiras, fornecendo-lhes aconselhamento

técnico e obrigando-os a impor medidas mais apertadas

no controlo das suas contas. As medidas que nos poderão

impor são mais duras que as actuais, o país será visto nos próximos

anos como um “mau” país, incapaz de cumprir com os seus

compromissos sem ajuda externa, e os portugueses perderão provavelmente

direitos que durante anos julgaram estar garantidos.

Apesar disto, haver uma intervenção externa não equivale ao apocalipse.

Resta-nos, então, meter as mãos ao trabalho e fazer a

nossa parte, enquanto cidadãos lúcidos e conscientes…

Ricardo Neves, 12º C


7º A

7º B

7ºC

7º E

7º D


9ºA

9ºC

9ºD

10ºA

9º B

10ºB


P Á G I N A 1 0

Levas uma vida saudável

Educação Pré – Escolar:

Crianças e Alimentação

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

O grupo de Área de Projecto do 12º B, que aborda a

temática “Nutrição e Deporto”, tem como objectivo

desenvolver um espírito saudável em toda a comunidade

escolar. Hoje em dia uma boa nutrição é mais

importante que nunca, pois as causas de morte mais

comuns no nosso país estão directamente relacionadas

com aquilo que comemos. Os pilares da boa

nutrição são o equilíbrio, a variedade e a moderação.

Mas uma vida saudável depende também do exercício

físico realizado no dia-a-dia. Como diria Hipócrates

- Deixe o alimento ser a sua medicina e a medicina

ser o seu alimento e é por isso que temos em vista

realizar workshops de desporto no final do 2º

período escolar.

A nossa primeira actividade na escola foi na

semana de 18 a 22 de Outubro, em que assinala a

Semana da Alimentação. Nessa semana distribuiu-se

fruta pelo maior número de alunos e professores e

apresentaram-se no refeitório propostas de ementas

saudáveis. É de relembrar que esperamos uma colaboração

activa por parte da comunidade escolar, e

deste modo deverão deixar a fruta que não comem

nas refeições servidas, nos cestos deixados para o

efeito no refeitório para que essa fruta depois possa

ser disponibilizada nos intervalos.

Para mais informação ou questões pertinentes,

entre em contacto connosco: olaola02@sapo.pt ou

www.correrparaumavidasaudavel.blogspot.com

O Grupo de Área de Projecto:

André Pires, Carolina Mira, Diogo Morgado,

Hugo Pires e Lais Ferreira, 12ºB

No tempo dos castelos…

Os alunos do 4.º ano, da Turma 3G,

da Escola Básica António Vitorino construíram

castelos com a colaboração dos familiares.

Este projecto foi desenvolvido no âmbito da

História de Portugal, que estiveram a dar

durante este período. De salientar que todas as

construções foram feitas a partir de materiais

reciclados.

Para que estes trabalhos tivessem maior

impacto, os castelos estiveram expostos na

escola que frequentam, durante o mês de

Novembro.

Os alunos revelaram bastante entusiasmo e

empenho na realização desta actividade.

Parabéns!!!!!

Já dizia o poeta «mudam-se os tempos, mudam-se as

vontades». Pura verdade!

A rotina diária mudou, a oferta de alimentos e, por

conseguinte, os apetites também. É importante consciencializar

os pais e incutir às crianças a importância e

os cuidados a ter com a alimentação necessária para

uma vida saudável.

Tendo em conta a pertinência do tema e o facto de

as crianças trazerem para os lanches alimentos pouco

saudáveis e ao almoço mostrarem dificuldades na ingestão

de legumes e fruta, este ano o nosso tema é: A ALI-

MENTAÇÃO. O objectivo do nosso Plano Anual de Actividades,

integrado no Projecto Educativo “Crescer Saudável”,

visa iniciar um processo de mudança de hábitos e

consciência alimentar.

Assim, no dia 21 de Outubro as Educadoras promoveram

um encontro com a nutricionista Dr.ª Raquel

Godinho e com o patrocínio da Farmácia A. Guerra

Pedrosa representada pela Dr.ª Isabel Branco, este foi

aberto a toda a comunidade educativa.

Além de todos os conselhos e dúvidas que foram

esclarecidas, irá ser distribuído, mensalmente, aos pais

das crianças que frequentam os Jardins de Infância do

Agrupamento, uma ementa composta com sopa, prato

principal e sobremesa como sugestão de confecção e

apresentação dos alimentos. Também foi disponibilizada

a orientação da nutricionista para supervisionar as

ementas do Agrupamento.

Por toda a disponibilidade agradecemos á Farmácia

A. Guerra Pedrosa, Dr.ª Isabel Branco e á Dr.ª Raquel

Godinho.

Educadora: Cristina Silva


P Á G I N A 1 1

Para que os alunos adoptem hábitos alimentares mais saudáveis, decidiu o nosso Agrupamento

de Escolas, a partir deste ano lectivo, adoptar várias medidas, e como tal, decidiu por

exemplo encerrar o bar durante a hora de almoço (das 13h às 14h) para assim levar os alunos

a tomarem uma refeição quente e saudável em vez de optarem por sandes e bolos à

hora do almoço.

Para além desta medida, que apesar de bastante contestada é para o bem de todos, o

bar passou a oferecer ainda alimentos mais saudáveis, como por exemplo umas tacinhas

com fruta da época (salada de fruta), queijo fresco, pão com sementes, etc. Também se eliminaram

alguns alimentos, como por exemplo os chocolates, as bolachas e as bebidas açucaradas

e reduziu-se ainda a quantidade de bolos disponibilizados aos alunos. Para além destas

medidas o bar oferece ainda as “promoções”, oferecendo a um preço muito baixo uma

peça de fruta.

Quanto às máquinas que se encontram na escola e que ainda “oferecem” alimentos pouco

saudáveis, como os chocolates e os doces, a partir de Janeiro, também estas irão disponibilizar

alimentos mais naturais e saudáveis.

É com estas medidas que se promove o consumo de alimentos mais saudáveis na nossa

escola, prevenindo assim doenças, como por exemplo a obesidade, que cada mais afecta a

nossa sociedade e os nossos jovens em particular.

Será que em sua casa também tem a mesma preocupação Se não, está na hora de colaborar

e mudar os hábitos alimentares da sua família.

No dia 16 de Outubro assinala-se o dia Internacional da

Alimentação. O objectivo é assinalar e sensibilizar os alunos

para a necessidade de se preocuparem com a sua alimentação.

A turma 3B, do 1º ano, da Escola EB 1 António Vitorino comemorou

o Dia da Alimentação, confeccionando uma salada de

frutas. Cada um dos alunos trouxe uma peça de fruta, a seu

gosto. Na sala de aula, os alunos descascaram e cortaram a fruta

em pedaços pequenos.

A salada de frutas ficou pronta rapidamente e depois cada um

teve oportunidade de a provar.

Estava uma delícia!

As nossas alfaces

No dia 12 de Outubro as turmas 3H e 3I combinaram plantar umas

alfaces depois de chegarmos da actividade de equitação. Juntámo-nos

todos em cima da relva no pátio da escola.

A professora explicou-nos como plantavam alfaces e também nos

falou da importância de comermos alfaces e vegetais. A dona Amélia

viu-nos e começou a ajudar-nos a dar os vasos aos meninos. A professora

colocava a terra nos vasos, dava as alfaces e a dona Amélia regava-as.

Cada um fez o buraco no seu vaso e colocou lá dentro uma alface.

Depois mexemos na terra para a alface ficar bem segura. Trouxemos as alfaces para uma mesa na sala

de aula e fomos regando todos os dias. Cada um levou a sua para casa para continuar a cuidar dela. Foi desta

forma que trabalhámos coisas importantes para o dia da Alimentação.

NA PANIDOR

No dia 15 de Outubro, na Escola EB 2 Padre Franklin, os alunos

do 6º ano realizaram actividades para comemorar o Dia

Mundial da Alimentação e sensibilizar toda a comunidade escolar

para a importância da prática de hábitos alimentares correctos.

Grupos de alunos foram às várias turmas da nossa Escola,

distribuir uma peça de fruta e falar sobre a importância da prática

de uma alimentação saudável. Para além disso, pudemos

provar e deliciar-nos com algumas compotas preparadas pelos

pais dos alunos do 6ºano. Distribuímos “crachás” com mensagens

alusivas a hábitos alimentares correctos.

No bar decorreu uma exposição de trabalhos, onde podíamos

observar cartazes, pirâmides alimentares em 3D, provérbios,

adivinhas, entre outros. Para a decoração do espaço envolvente,

os alunos fizeram cartazes com carimbos de alimentos e exploração

das suas texturas, na aula de EVT.

Inserido na temática da Alimentação, os alunos do 6º ano realizaram ainda uma visita à Panidor, nos dias 19 e

26 de Outubro, no sentido de conhecerem os processos de fabrico e de conservação de alguns alimentos.

Os alunos de 6ºAno


P Á G I N A 1 2

Fernando Pessoa na ESJLB

No dia 30 de

Novembro, relembrámos

os 75 anos da

morte de Fernando Pessoa,

grande poeta português.

Assim, nós,

alunas do 12ºD, no

âmbito da disciplina de

Português, realizámos

uma exposição que se

estendeu por todo o

Bloco de Aulas e contou

com a “presença” inesperada

do escritor.

N e s t e s e n t i d o ,

vários versos seleccionados

foram afixados e

foi feita também uma representação do poeta.

Com esta iniciativa, procurámos manter viva a memória de

um Poeta, cujos pensamentos continuam vivos e actuais.

Conheces o autor

dos seguintes pensamentos

“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”

"Existem momentos inesquecíveis,

coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis!"

“Somos do tamanho dos nossos sonhos”

“Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas …

“Pedras no caminho

Guardo todas, um dia vou construir um castelo”

" O perfeito é desumano,

porque o humano é imperfeito."

“O poeta é um fingidor”

Grupo Antyvirus contra os perigos da Internet!

No dia 18 de

Novembro, os alunos

da turma 8ºD

realizaram uma

acção de sensibilização

para os

todos os Encarregados

de Educação

da nossa escola

sobre os perigos

que nos pode trazer

a Internet.

Apresentaram

também o projecto

“Seguranet” em

que todas as turmas

do 8ºano estão a participar e todos os pais que estiveram na

acção se puderam inscrever.

A acção decorreu com uma apresentação em PowerPoint que

alertava para as tendências dos jovens dos dias de hoje: Evitar o

controlo total dos pais; Estabelecer relações com pessoas alheias

ao círculo Familiar; Interessar-se e sentir curiosidade por temas

sexuais.

O PowerPoint também apresentava os sinais de alerta do comportamento

dos filhos tais como: dedicam muito tempo ao uso da

Internet, especialmente de noite. recebem chamadas telefónicas de

pessoas desconhecidas, ou fazem chamadas, às vezes de longa

distância, para números de telefone que os pais desconhecem.

recebem cartas, presentes, objectos ou encomendas de pessoas

que os pais não conhecem.

Entre outras coisas, apresentou-se também um pequeno vídeo

sobre os perigos da internet - os procedimentos que os Pais deverão

ter com os seus filhos no intuito de os proteger e um trailler de

um pequeno filme que a turma está a desenvolver.

Por fim, os alunos ajudaram os pais, a navegar nas mesmas

páginas que a maioria dos jovens frequenta, como o

www.youtube.com, www.facebook.com, e outros. Estes deram os

parabéns ao grupo pelo trabalho desenvolvido e até propuseram

novas sugestões para mais projectos.

Acções como esta na nossa escola são muito importantes nos

dias que correm, é pena os Pais não aderirem em bloco para poderem

estar devidamente informados.

Alunos e Prof. Área de Projecto do 8ºD

A Alfabetização

Teve lugar no dia 14 de

Novembro uma exposição na Biblioteca

do nosso Agrupamento sobre a

alfabetização, pois o mesmo é

comemorado neste dia “O dia Nacional

da Alfabetização”. Foi criada em 1966

com o objetivo de refletir sobre a

situação da alfabetização no nosso

país. O dia nacional da alfabetização

propõe que as crianças devem

desenvolver-se e aproximar o mundo da

escola, com actividades complementares

fora dela. Escola é um lugar também

de brincar.

É necessário investir cada vez mais

na Educação Infantil e no Ensino Básico,

garantindo assim a evasão e a

repetência, prevenindo o analfabetismo

com o acesso e permanência dos alunos

na escola.

A escola deve promover a

democratização do saber, socializando e

garantindo aos alunos o acesso e a

construção de conhecimentos e valores

universais, sem, no entanto, deixar de

considerar a realidade do aluno, pois, só

assim o conhecimento constituído

durante a vida escolar se transformará

em algo significativo para a realidade

vivida pelos jovens e adultos BE/CRE


P Á G I N A 1 3

No dia 16 de

Outubro de 2010,

alguns alunos do

6ºB da Escola

Padre Franklin,

estiveram na Foz

do Rio Liz,

para ,com especialistas

internacionais,

no âmbito do

III Encontro Internacional

de Observadores

de Aves,

observarem as

aves da nossa terra.

Tudo começou

pelas 8h30 da

manhã. Equipados

com roupa prática os nossos binóculos, saímos das nossas casas e metemo-nos a caminho. Quando chegámos

à Foz do rio Liz, as nossas professoras de Área de Projecto, Lúcia Lopes e Cristina Natário, já estavam

à nossa espera. Começámos por observar uma Garça Cinzenta que se encontrava na Baía do Rio Liz.

Depois fomos para o outro lado do rio e a caminho observámos os periquitos e os corvos.

Ainda mais curiosos, fomos para a praia onde estivemos um bom bocado a observar centenas de

aves pois eram muitas e cada uma mais bonita que a outra. Brincámos, conversámos com os especialistas

e depois tivemos que dizer adeus. Foi muito divertido e todos os alunos chegaram à conclusão que nunca

se tinham apercebido das aves que existem no local onde vivem e das centenas de aves que voam sobre a

Praia da Vieira, na sua rota de migração.

Mafalda Esperança, nº14, 6º B

NO BANCO DA ESCOLA

No dia 13 de Outubro de 2010, a nossa sala de aula

na escola Escola António Vitorino transformou-se

como que por magia numa linda agência do banco

“BES”. Nessa agência, através de divertidos

momentos proporcionados pelo actor, aprendemos o

nome de algumas operações bancárias, realizámos

alguns cálculos e verificámos como é importante no

dia-a-dia conhecer as operações matemáticas que

aprendemos na escola.

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

“No Banco da Escola”, é uma iniciativa promovida

pelo Banco Espírito Santo, em parceria com a Sociedade

Portuguesa de Matemática (SPM) e tem como

principal objectivo formar jovens cada vez mais informados,

explicando alguns conceitos fundamentais da

sua relação com o dinheiro, bem como a importância

e aplicação da matemática no dia-a-dia.

O Eduardo adorou fazer de pai do “Pró BES” que

era a personagem. Colocou uma gravata e levava

uma pasta onde tinha o número da conta do seu

filho. A Dona Beatriz, que tinha uns óculos escuros,

uma placa com o nome e um lindo colar, era a funcionária

do Banco que atendia com muita simpatia o

“Pró BES” e o seu pai.

No final da sessão ainda recebemos alguns presentes

do “Pró BES”. Nós adorámos este dia!

Alunos do 3º ano – Turma 3F


A Matemática (portuguesa)

como esforço contínuo de

reflexão e melhoramento da

humanidade…

P Á G I N A 1 4

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

A Ana tirou um biscoito e a décima parte dos

que sobravam.

A Matilde tirou dois biscoitos e a décima parte

dos restantes.

O Miguel tirou três e a décima parte dos que

sobejavam.

E assim sucessivamente até chegar a minha

vez, ficando eu com os que ainda estavam no

saco. Curiosamente, acabámos por comer todos

a mesma quantidade de biscoitos. Quantas pessoas

tinha o grupo e quantos biscoitos comeu

cada um

Desafio 2:

Desafio 1:

Fomos fazer uma caminhada

pela serra de Aire e

Candeeiros. Depois de atravessarmos

o importante

registo fóssil do período

Jurássico, sentámo-nos a

recuperar forças e abrimos

um pacote de biscoitos que

tínhamos levado.

A Ana quer colocar uma cerca à volta de cada

uma das quatro pegadas de dinossáurios saurópodes

indicadas na figura. Sabendo que o perímetro

da pegada A é 60 metros, o da B é 64

metros e o da C é 56 metros, de quantos

metros precisa a Ana para contornar a pegada

D

A História da Matemática

desempenha um papel fundamental

na transmissão aos alunos

da ideia que, em todas as

civilizações e em todos os tempos,

a Matemática tem tido

uma contribuição importante e

indispensável no quotidiano e

nos mais variados acontecimentos

da evolução da humanidade. Um breve olhar sobre os

momentos mais significativos da última década do século XV e

do século XVI, poderá dar uma visão global sobre como eram

Portugal e o mundo no tempo de Pedro Nunes.

Em 1494, o Tratado de Tordesilhas era assinado, quatro anos

depois Vasco da Gama aportava à Índia e Cabral chegava ao

Brasil dois anos antes de Pedro Nunes nascer. Nasceu em Alcácer

do Sal, em 1502 e em 1521 foi para Salamanca. Desenvolveu

um gosto especial pela Astronomia e dedicou-se ao estudo

da Matemática como forma de desenvolver o conhecimento da

ciência dos céus. Nas obras que publicou revelou-se um talentoso

cosmógrafo, cosmólogo, físico, geómetra e algebrista, tendo

contribuído, não só com traduções anotadas mas também com

obras originais.

Foi uma personalidade verdadeiramente integrada no cenário

social, económico, político e cultural do país, bem como um

homem de Estado, que deteve vários cargos e cujo mérito foi

amplamente reconhecido. Quando tinha apenas vinte e sete anos

de idade foi nomeado cosmógrafo do reino do rei D. João III. A

partir de 1544, ensinou Matemática na Universidade de Coimbra

e em 1572 mudou-se para Lisboa, para a corte de D. Sebastião,

local esse onde foi regente de uma cadeira de Matemática destinada

à instrução de pilotos e dos mestres na arte de marear.

No ano em que D. Sebastião desapareceu na Batalha de Alcácer

Quibir, 1578, morreu Pedro Nunes, não tendo assistido à perda

da independência do país.

Durante a maior parte da vida desta personalidade, Portugal

viveu o mais brilhante período da sua história, os descobrimentos.

Os problemas astronómicos e matemáticos relacionados com

a navegação faziam parte da vida diária dos homens do mar e

as suas preocupações originaram um novo espaço na ciência.

No âmbito específico da cosmografia e da cosmologia, Pedro

Nunes escreveu o Tratado da Sphera (1537) livro que além de

traduções anotadas incluía textos originais e que foi durante

séculos o único livro adoptado nas escolas. Nestes escritos, são

apresentados, entre outros, o princípio das curvas loxodrómicas,

o regimento da altura relativamente à estrela polar, o processo

de utilização do instrumento de sombras para o cálculo da declinação

magnética e o processo de determinação de alturas extrameridianas.

Em 1542, surge a obra que terá dado a Pedro Nunes maior

relevo a nível internacional, quer pela originalidade, quer pela

profundidade do tema, De Crepusculis Liber Unus. Este trabalho,

onde é feita a descrição da ideia de nónio, chegou a merecer

referências por parte do famoso astrónomo Tycho- Brahe.

Por tudo quanto foi referido, é inquestionável a correlação

entre as grandes viagens portuguesas e os significativos avanços

na Matemática, aplicada à cartografia, técnica de construção de

barcos ou cosmografia, que em larga medida, se deveu a este

grande matemático português.

A Matemática é uma ciência viva, em constante evolução,

sempre a procurar superar obstáculos, e ao serviço de todos.

Que as mentes matemáticas, particularmente as portuguesas,

continuem a contribuir no dia-a-dia e nos mais variados acontecimentos

da evolução da humanidade.

DIAS, Isabel Cristina e SOUSA, Helena Isabel (2008).

A Astronomia de Pedro Nunes na aula de Matemática. Lisboa,

APM.

Nélia Mendes


Torneio “A Turma + Desportiva”

Este ano lectivo o Clube do Desporto Escolar apresenta

mais uma novidade, o Torneio “A Turma + Desportiva”.

Este Torneio é um projecto de dinamização de actividades

físicas e desportivas, no âmbito do Desporto Escolar,

desenvolvida pelo grupo de Educação Física. A competição

é composta por várias actividades desportivas, disputadas

ao longo do ano lectivo, pelas diversas turmas da Escola.

No quadro podes consultar as provas para a selecção

da “Turma+Desportiva”.

A classificação final resulta do somatório dos pontos

atribuídos às Turmas/equipas, em cada uma das provas

em que participam. Vence a turma que obtiver maior

número de pontos.

O regulamento do torneio, assim como toda a informação

do Desporto Escolar, está disponível na página da

Internet da nossa escola, no sítio Desporto Escolar ou em

http://desportoescolarvieira.blogspot.com/

Prof. Anabela Vieito

As minhas aulas de natação

P Á G I N A 1 5

Todas as terças-feiras, faço aulas de natação com

a dona Rosário e a minha professora Anabela Vieito,

onde pratico muitos exercícios divertidos que visam

melhorar a minha motricidade.

Os exercícios que pratico passam por nadar, fazer

halterofilismo, mergulhar para apanhar arcos no fundo

da piscina e treinar a marcha.

Todas as minhas aulas começam com um exercício

de aquecimento que consiste em atravessar a

piscina a nado com a ajuda de um “chouriço”. Este

mesmo exercício é também como encerro cada aula.

O halterofilismo, que é um dos exercícios que

mais gosto de fazer, consiste em elevar o corpo

usando a força dos braços. Desta forma, desenvolvo

a massa muscular dos membros superiores, o que

me permitirá melhorar a minha autonomia.

Um outro exercício que adoro fazer é apanhar

arcos debaixo de água. A professora ajuda-me a

mergulhar até eu alcançar os arcos com as mãos e

os agarrar, trazendo-os posteriormente até à superfície.

Exercícios como sentar no fundo da piscina são

também frequentes nas minhas aulas.

Como não podia deixar de ser, sempre treino a

marcha dentro de água. Eu coloco-me na posição

vertical, a professora segura-me nas mãos e puxame

ligeiramente, orientando o meu passo.

Em suma, adoro as aulas de natação!

Sofia Alexandre Vicente, nº15, 7º A.

MegaKm –

Fase Escola

Na tarde do dia 17 de

Novembro, decorreu na pista

de atletismo da nossa Escola

mais uma edição do MegaKm.

Participaram 63 alunos com o

objectivo de apurar os primeiros

e segundos alunos mais

rápidos a percorrer 1000

metro, de cada escalão/sexo.

Estes alunos irão representar

o nosso Agrupamento, na fase

EAE de Leiria.

A classificação ficou assim ordenada:

FEMININO:

Infantil A: 1ª Maria Ruivaco, 5ºA e 2ª Eliana Carriço, 5ºA

Infantil B: 1ª Carina Costa, 7ºA e 2ª Beatriz Botas Lopes, 6ºA

Iniciado: 1ª Bárbara Coelho, 8ºB e 2ª Nicole Sena, 8ºA

Juvenil: 1ª Alexandra Ferreira, 8ºB e 2ª Joana Filipa Almeida, 11ºA

Júnior: 1ª Maria Marques, 12ºA e 2ª Luciana Pereira, 12ºA

MASCULINO:

Infantil A: 1º Gabriel Santos, 5ºA e 2º João Germano, 5ºB

Infantil B: 1º Hugo Alexandre, 6ºD e 2º Rafael Santos, 6ºA

Iniciado: 1º Shane Pedrosa, 8ºD e 2º Samuel Neto, 8ºC

Juvenilo: 1º Gabriel Brito, 10ºA e 2º Luís Costa, 11ºA

No 2º período realizar-se-ão as provas de apuramento dos alunos que

irão participar no Mega Sprint e Mega Salto.

Prof. Anabela Vieito

Dinamizado pelo Grupo de Educação

Física, realizou-se no dia 15 de Dezembro

de 2010, pelas 10 horas, mais uma edição

do Corta-Mato. Esta actividade surge

no âmbito do Desporto Escolar e diz respeito

à fase escola, da qual irão ser apurados

para o Corta-Mato Regional os 6

primeiros classificados de cada escalão/

sexo.


2010 é o ano europeu do combate à pobreza e à exclusão

social. Apesar da União Europeia ser uma das regiões mais ricas do

mundo, 17% da sua população não tem os meios necessários para

satisfazer as suas necessidades mais básicas.

Esta iniciativa conta com a ajuda de muitas das celebridades

mais importantes, tanto a nível nacional como mundial. alguns

exemplos destas celebridades são, a nível nacional: Sónia Araújo,

Boss AC e Ricardo Pereira. A nível mundial temos Wayne

Hemingway e June Burrough. Alguns dos objectivos desta iniciativa

são realizar alguns eventos culturais para sensibilizar

para estes problemas e realizar várias iniciativas nas escolas

para sensibilizar os mais jovens para estas causas. Por isso

Escola Secundária José Loureiro Botas Contra a Pobreza e a Exclusão

Social! 9ºB

SOLIDARIEDADE NA ESCOLA

"Este gesto pode parecer pouco significativo para os alunos, mas

para os mais necessitados faz toda a diferença". Foi com estas palavras

que as representantes da CAFAP e do Centro Social Paroquial de

Vieira de Leiria agradeceram o envolvimento do Agrupamento nesta

acção de combate à pobreza e à exclusão social.

A CAFAP conta com o apoio do Banco Alimentar para apoiar as

famílias mais carenciadas da freguesia. Os interessados em doar bens

alimentares ou roupas poderão fazê-lo junto da igreja e em especial

às quartas e sextas-feiras a partir das 16h30.

Foi no dia 6 de Outubro, pelas 11 horas, que se realizou um Flash

Mob na ESJLB. Os alunos dos vários ciclos mostraram grande entusiasmo,

recolheram alimentos e participaram com cartazes, balões, T-

shirts nesta acção, apelando ao combate à pobreza.

Para finalizar em grande, os alunos juntaram-se às alunas dos

Soulvibes e em coro cantaram "We are the World", contagiando toda

a audiência.

COASTWATCH

Decorreu no dia 26 de

Novembro mais uma saída

de campo no âmbito da 21ª

Campanha Coastwatch –

2010-2011, subordinada ao

tema “Maravilhas e Riscos do

Litoral”. Na sequência da

colaboração que tem havido

nos últimos anos, mais uma

vez quisemos dar o nosso

contributo para esta campanha

que visa melhorar o

conhecimento da situação

ambiental do litoral português,

através designadamente

da sua caracterização

anual, e sensibilizar as populações

para os problemas

resultantes dos impactos da

actividade humana na faixa litoral, colaborando na preservação dos sistemas litorais e na promoção da Educação

Ambiental e de práticas de cidadania activa na comunidade escolar.

Participaram nesta saída os alunos da turma A do oitavo ano, orientados pelas professoras de Ciências Naturais

deste ano lectivo. Da saída de campo

resultou a contribuição da escola, que acreditamos

válida, para a referida campanha. A

impressão geral que fica da saída dá-nos conta

de uma situação preocupante no que diz respeito

à quantidade de resíduos sólidos encontrados

nas praias de Vieira de Leiria (a zona

monitorizada), que em relação ao ano passado

parece ter sofrido um agravamento. Para além

desta observação, não podemos deixar de sublinhar

como foi gratificante termos participado

e dado o nosso contributo para a defesa do

nosso litoral.

F

U

G

A

D’

I

N

F

O

R

M

A

Ç

Ã

O

More magazines by this user
Similar magazines