D_Mag_01

apuddisco

Magazine da APUDD - Associação Portuguesa de Ultimate e Desportos de Disco
Janeiro 2015
Trimestral
Nº1 Ano I
Distribuição gratuita

DMagazine da APUDD

Associação

Portuguesa

de Ultimate e

Desportos de Disco

D 1

3

trimestral

janeiro 2015

número 1

ano I

distribuição gratuita

WCBU 2015

Portugal

a caminho

do Dubai!

páginas 11 e 12

APUDD Atividades, calendário

e contas para a época de 2015 páginas 05 a 09

Liga

de Praia

2014

Algarve

campeão

pelo terceiro

ano seguido!

página 16

Opinião

A mensagem da

presidente Sara

Marques página 05

O futuro do

Ultimate, por

Patrick van der Valk

página 12

O projeto de

formação em Leiria,

por José Amoroso

página 13

Ultimate para lá

dos discos, por

Bruno Gravato

página 24


David Pimenta foi o jogador

do ano na Liga de Ultimate de

Praia e campeão pelos Beach

Ultimate Frisbee Algarve.

Relembramos o título dos

algarvios e outras conquistas,

cá e lá fora

páginas 16 e 17


Índice

D 3

A presidente da APUDD, Sara

Marques, dá as boas vindas e

apresenta as atividades previstas

pela associação para 2015. Fica

também a saber como estão as

finanças da APUDD

páginas 06, 07, 08 e 09

O que vai acontecer em 2015 no

ultimate e desportos de disco

em Portugal E no estrangeiro

Destaques do calendário nacional

e internacional para este ano

páginas 08 e 09

Portugal está a caminho do World

Championship Beach Ultimate,

no Dubai. Ficamos a conhecer os

15 jogadores que vão representar

a seleção portuguesa no mundial,

em março de 2015

páginas 10 e 11

Patrick van der Valk escreve

sobre os desafios futuros do

ultimate: olimpismo, ligas

profissionais e os mundiais

página 12

Leiria está a desenvolver um projeto

de vanguarda na formação de novas

gerações para o ultimate. José

Amoroso fala do que estão a fazer

os Leiria Flying Objets

página 13

O ano de 2014 foi recheado de

emoções fortes. Recordamos

algumas, com imagens da Liga de

Praia e do Campeonato de Relva

páginas 18, 19, 20 e 21

O que é o ultimate E onde se joga

em Portugal Aqui está um pequeno

“guia de sobrevivência” para quem

não conhece o jogo e a comunidade.

E também apresentamos outros

desportos de disco

páginas 22 e 23

Bruno Gravato, de Aveiro, partilha

a sua experiência como voluntário

em eventos de top de ultimate na

Europa. E propõe um mini-quiz

sobre regras de ultimate

páginas 24 e 25

APUDD

Magazine da APUDD

Associação Portuguesa de Ultimate

e Desportos de Disco

Colaboram neste número:

Bruno Gravato, João Lagoa,

José Amoroso, Manuel Leiria,

Patrick van der Valk,

Pedro Vargas, Sara Marques

www.portugal-ultimate.org

info@portugal-ultimate.org


Mensagem

D 4

Caros

ultimaters

Precisamos

de vocês!

Sara Marques

é presidente

da APUDD -

Associação

Portuguesa

de Ultimate e

Desportos de

Disco desde junho

de 2014

Olá e bem vindos à primeira edição

da D!

Quero dar as boas vindas a todos

os membros e futuros membros da

APUDD, uma associação que existe

acima de tudo para promover este

desporto em Portugal, unindo todos

aqueles que o praticam e criando

condições para o desenvolvimento

do mesmo!

Um dos valores da APUDD consiste

numa comunicação clara e transparente,

sem desvalorização nem

desprezo pelos nossos associados. A

nosso ver, uma associação consiste

num grupo de pessoas que trabalham

em conjunto para alcançar

objectivos comuns a todos e a direcção

apenas existe para direccionar e

orientar todo o processo, de modo

a facilitar o trabalho de todos.

Estou muito feliz por poder ajudar a

colocar a APUDD no caminho certo

nacional e internacionalmente e espero

conseguir fazê-lo com a ajuda

de todos vós. “Presidente” não tem

grande significado para mim quando

todos trabalhamos em conjunto.

Diria que as palavras de ordem

deste novo ano são união e divulgação.

Queremos uma APUDD

activa na promoção do desporto,

na angariação de novos jogadores,

na formação de professores.

Queremos uma APUDD dedicada

aos actuais jogadores, a quebrar

barreiras, estereótipos e preconceitos.

A fazer um nome lá fora com

a Selecção Nacional e um nome cá

dentro, com todos vós. Queremos

o Disc Golf, o Freestyle, o Disc Dog,

os Field Events e o Ultimate. Queremos

Ligas de Praia, Campeonatos

Queremos uma APUDD activa

na promoção do desporto,

na angariação de novos jogadores,

na formação de professores.

Queremos ganhar

e perder, rir e chorar, jogar e

divertirmo-nos convosco

de Relva e Indoor, Torneios, ECPs e

Ligas Ibéricas. Pretendemos pôr os

amigos, os tios, os vizinhos, a comunicação

social e o mundo a falar

de nós! Queremos ganhar e perder,

rir e chorar, jogar e divertirmo-nos

convosco.

Mas precisamos de vocês. Precisamos

da vossa paixão, da vossa

dedicação, do vosso esforço. Por

isso peço a todos que façam aquilo

que mais gostam, que se dediquem

de corpo, alma e coração e que se

unam a nós, nesta nova Direcção,

para que possamos crescer em

conjunto.

Estamos abertos a qualquer tipo de

sugestão, crítica, comentário ou desabafo.

A APUDD é de todos e para

todos! Um óptimo 2015!


Plano

2015

D 5

O que queremos fazer este ano

Angariação

de Jogadores

Keep’em

Happy

Selecção

Nacional

Comunicação & Marketing

• Formação de professores

• Acções de Promoção em

Escolas Secundárias

• Acções de Promoção em

Universidades

• Everyone Can Play Road

Show (“tournée” de demonstração

de ultimate

de norte a sul do país)

• Mostrar os desportos de

disco em feiras de desporto

• Melhoramento e Incentivos

para a Liga de Praia

(fins de semana mais

completos com eventos

adicionais)

• Realizar anualmente os

campeonatos de relva e

indoor

• Variedades de torneios

e eventos realizados em

Portugal (praia, relva,

torneios internacionais de

equipas e “hats”, disc golf,

freestyle, etc)

• Planear a organização de

uma Liga Ibérica

• Apoios financeiros para

a Selecção e Candidatura

a Fundos Europeus

• Patrocínios

• Definir plano para o futuro

da Selecção Nacional

“pós-Dubai”

• Criação de Visibilidade

através dos Meios de Comunicação

nacionais

• Criação de Magazine/

Newsletter (conseguimos!)

• Melhoramento do Site

da APUDD e mais actividade

no Facebook

• Criação de documento

de Promoção do Ultimate

e desportos de disco

• Melhoramento do “kit”

de sócio


Contas

2014

D 6

Na APUDD queremos primar pela

transparência, por isso, para quem

não esteve presente na última Assembleia

Geral, aqui fica o resumo

(provisório) das despesas e receitas

em 2014 (o relatório de contas oficial

apenas estará pronto em Março,

mas deverá estar muito próximo

destes valores), assim como o orçamento

para 2015.

Em 2014, apesar de alguns desvios

em alguns itens, conseguimos

cumprir o orçamento, inclusivé

reduzindo nas despesas e terminando

o ano com um saldo positivo de

cerca de 760 €. Através de inúmeras

iniciativas foi possível juntar um

“mealheiro” de mais de 1500 € para

apoio à selecção que representará

Portugal no Dubai.

Resumo provisório de despesas e receitas de 2014

Receitas Previsto Real Diferença Despesas Previsto Real Diferença

Quotas associados 3.453,00€ 3.240,50€ 212,50€ Seguro 1.300,00€ 1.155,22€ 144,78€

Liga de Praia 450,00€ 275,00€ 175,00€ Contabilista 738,00€ 738,00€ 0,00€

Campeonato

200,00€ 300,00€ 100,00€ Despesas

55,00€ 34,11€ 20,89€

de relva

bancárias

Campeonato indoor 300,00€ 228,00€ 72,00€ Correio 45,00€ 15,50€ 29,50€

Campeonato disc golf 100,00€ - € 100,00€ Material

50,00€ - € 50,00€

escritório

Field Events 125,00€ 81,00€ 44,00€ Material eventos 50,00€ - € 50,00€

Pack de apoio

450,00€ 851,48€ 401,48€ Website 50,00€ - € 50,00€

a torneios

WCBU 2015 (fundo) - € 1.586,05€ 1.586,05€ WFDF 230,00€ 215,65€ 14,35€

Troféus 100,00€ 154,30€ 54,30€

Torneios PEP 60,00€ - € 60,00€

Equipamentos 150,00€ 122,29€ 27,71€

PEP

Torneios seleção 300,00€ - € 300,00€

Workshops

300,00€ 396,71€ 96,71€

seleção/

equipas

Workshops

500,00€ - € 500,00€

escolas

Discos para

300,00€ - € 300,00€

escolas

Promoção

800,00€ 713,62€ 86,38€

(vídeo, publicidade)

Previsto Real Diferença Despesas legais 50,00€ - € 50,00€

Total Receitas 5.078,00€ 6.562,03€ 1.484,03€ WCBU 2015

- € 520,00€ 520,00€

(team fee)

Total Despesas 5.078,00€ 4.209,50€ 868,50€ WCBU 2015

144,10€ 144,10€

(taxas banco)

Saldo final - € 2.352,53 2.352,53€

Total (sem fundo

WCBU)

766,48€


Orçamento

2015

D 7

Contas e finanças

da Associação Portuguesa

de Ultimate e Desportos de Disco

Orçamento 2015

Aqui não temos espaço para explicar

todos os itens individualmente,

da mesma forma que o tesoureiro

da APUDD, Bruno Gravato, o fez na

Assembleia Geral, mas ficam algumas

notas breves:

- o orçamento anual é, em grande

parte, baseado nas receitas e despesas

do ano anterior;

- o “pack de apoio a torneios”

refere-se a serviços fornecidos pela

APUDD, como apoio a torneios

(MOW, BdP, Harvest, etc.), tais como

seguros desportivos ou cedência de

equipamentos;

- para 2015 conseguimos negociar

novos contratos com um contabilista

e uma seguradora diferentes,

reduzindo essas despesas.

Podem consultar também o valor

das quotas, na tabela em baixo.

Receitas Previsto Despesas Previsto

Quotas associados 3.200,00€ Seguro 900,00€

Liga de Praia 250,00€ Contabilista 480,00€

Campeonato

300,00€ Despesas

40,00€

de relva

bancárias

Campeonato indoor 200,00€ Correio 15,00€

Pack de apoio

a torneios

600,00€ Website/

50,00€

Domínio

WFDF 220,00€

Troféus 150,00€

Player’s pack 500,00€

para sócios

Roadshow 300,00€

Workshops

300,00€

seleção/

equipas

Workshops

300,00€

escolas

Previsto

Discos para

escolas

400,00€

Total Receitas 4.550,00€ Promoção 500,00€

Total Despesas 4.550,00€ WCBU 2015 350,00€

Saldo final - € Outras despesas 45,00€

Ligação:

Para esclarecimento de qualquer

dúvida, enviar e-mail para tesoureiro@

portugal-ultimate.org

Quotas

2015

Idade 0-18 19-25 26+

Nascido em 1996+ 1989-1995 até 1988

Antes de 13,50€ 27€ 36€

31 janeiro

2015 (-10%)

Depois de 15€ 30€ 40€

1 fevereiro

2015

Depois de 1

julho 2015

10€ 20€ 25€


Calendário

2015

D 8

Dia 25 *

1ª jornada da

Liga de Praia

Figueirinha

(Setúbal)

Dia 26 *

Campeonato

Disc Golf

Palmela

Dias 30 e 31

Campeonato

Nacional

de Relva

Leiria

Dia 27 *

Demonstração

disc dog, ECP ou

workshop

S. Pedro Moel

Dia 28 *

3ª jornada da

Liga de Praia

S. Pedro Moel

(Leiria)

Dias 18 a 21

Torneio

Bar do Peixe

Praia do Meco

(Setúbal)

Dias 14 e 15

Lisbon MOW

Praia da

Figueirinha

(Setúbal)

Dias 8 a 13

WCBU 2015

Dubai (Emiratos

Árabes Unidos)

Dia 10 *

Campeonato

Field Events

Praia da Rocha

(Portimão)

Dia 9 *

2ª jornada da

Liga de Praia

Praia da Rocha

(Portimão)

Dias 1, 2 e 3

1º Canisport Disc

Cup (Disc Dog)

Leiria

Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho


D 9

Dias 18 a 25

World Overall

Championshop

Norrkoping

(Suécia)

Dia 18 *

4ª jornada da

Liga de Praia

Costa Nova

(Aveiro)

Dia 19 *

ECP ou

workshop

Costa Nova

(Aveiro)

Dias 12 e 13

Silver Coast Hat

Praia do Areão

(Aveiro)

Dia 11 *

5ª jornada da

Liga de Praia

Praia de

Carcavelos

A confirmar

Campeonato

Nacional Indoor

Vários dias

Torneio 3x3

Praias da região

de Leiria

Dias 6 e 7

The Ultimate

Harvest

Praia da

Figueirinha

Dia 10 *

Demonstração

de freestyle

Praia de

Carcavelos

Dia 10 *

ECP ou

workshop

Praia de

Carcavelos

* Datas provisórias

Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro


Seleção

D 10

Seleção Nacional

Rumo ao Dubai com ambição

Os atletas selecionados para a equipa

mista que vai representar Portugal

no WCBU 2015 têm intensificado o

ritmo nas últimas semanas, à procura

do pico de forma para o Dubai. As primeiras

indicações foram muito boas

para a equipa nacional. Portugal participou

no torneio de Monte Gordo e

venceu a competição, derrotando a

seleção da Alemanha na final.

No Dubai, Portugal aponta aos quartos

de final e, “depois disso tudo pode

acontecer”, sublinha o selecionadorjogador

Pedro Vargas. “Vamos jogar

na divisão mista, na qual chegámos às

meias-finais nos últimos mundiais e

nas duas últimas edições dos Europeus”

Refira-se que representarão Portugal

duas estrangeiras, Summer Brines, da

Nova Zelândia, e Angela Ullman, da

Suíça, ao abrigo do regulamento da

World Flying Disc Federation (WFDF),

que permite a utilização de dois atletas

de outras nacionalidades desde

que inscritos em equipas nacionais.

A WFDF considera ainda cidadãos

nacionais indivíduos que residam há

mais de quatro anos num país - caso

de Dani Bodor - e admite a chamada

de três estrangeiros que vivam há

pelo menos dois anos no país.

WCBU 2015

Desde a primeira edição do

WCBU em 2004, na Figueira

da Foz, em Portugal, que o

ultimate de praia evoluiu muito.

Deixou de ser uma “brincadeira”

de fim-de-semana

e muitas seleções, cada vez

mais, fazem uma preparação

intensa ao longo de meses.

Das 7 divisões (Open, Feminina,

Mista, Masters Open, Masters

Mista, Masters Feminino

e Grand Masters), é a mista

a mais representada (18 países),

num total de 70 equipas,

oriundas de 25 países. Com

direito a transmissão televisiva

de alguns jogos, espera-se um

mundial muito competitivo, em

Março, no Dubai.


Quem vai representar Portugal no Dubai

D 11

3

Sebastien

Lacroix

O luso-francês de

Aveiro é forte no

handling. ‘Seb’ é o

treinador dos Gambozinos,

onde joga

há quatro anos

5

Angela

Ullmann

Da Suiça vem a

polivalente handler

para dar consistência

ao jogo português.

Joga nos Vira’o’Disco

e FAB, da Suiça

6

Ana Pires

De Serpa vem esta

mid disposta a

colaborar dentro e

fora de campo para

animar Portugal.

Joga com Jetset, da

Bélgica

7

Inês Bringel

Com 22 anos, é

a mais jovem da

seleção, mas não

lhe falta experiência.

Joga há cinco

anos nos UFA a

mid/deep.

9

Charlotte Matos

Das mais jovens na

equipa, esta mid

luso-descendente é

famosa pelos seus

chocolates suiços.

Joga nos UFA e Wizards,

da Suiça

10

João Sousa

Lopes

É o rookie da equipa.

‘Jay’ joga há

um ano em Leiria,

nos LFO e a sua

velocidade é a sua

principal arma

12

Rui Ferreira

Jogador de equipa

experiente, promete

trabalhar para

manter o espírito

no máximo. Joga

em Palmela, nos

Vira’o’Disco

13

Pedro

Vargas

O polivalente treinador

e capitão quer

levar a seleção a

bom rumo. Joga nos

UFA, Ka-Pow e Bear

Cavalry

20

André Carvalho

De Lisboa, ‘Puto’

tem já dez anos de

experiência em equipas

como Monkey,

Woodies, Monaco

Mix, Wolpertinger,

ou Big Bang

21

David Lemos

Natural de Setúbal.

Promete trazer

para dentro de

campo os seus dez

anos de experiência

ao serviço dos

Vira’o’Disco

22

Dani Bodor

Natural da Holanda,

vive em Portugal

há mais de

cinco anos e é o

mais recente reforço

da Seleção. Joga

com LUC

24

David

Pimenta

Vem do Algarve e

promete dominar

nas alturas e fazer

muitos layouts. Joga

há nove anos, atualmente

nos UFA

30

Filipa

Vargas

De Portimão, joga

há dez anos e é

uma das mid/deep

cutters mais experientes

em Portugal.

Joga com UFA

25

Summer Brines

Da Nova Zelândia

chega esta experiente

mid. ‘Foxxy’

é rápida a atacar

o disco. Joga nos

Vira’o’Disco e

Thundering Herd

73

Ricardo

Patrão

Único esquerdino

da equipa e atual

treinador/jogador

de LUC. Irá também

auxiliar no comando

da equipa


Opinião

D 12

Patrick van der Valk

é fundador e expresidente

da APUDD.

É presidente da BULA

Beach Ultimate e

membro da direção da

WFDF - World Flying

Disc Federation. Em

Portugal joga no Lisboa

Ultimate Club

Ultimate

Uma visão global

É fácil fazer uma análise a nível

local, ou mesmo nacional, dos

desportos de disco. Mas se nos

distanciarmos e tentarmos ter uma

visão global do que está a acontecer,

conseguimos ver melhor o

rumo das coisas e o que o futuro

nos poderá reservar.

Ultimate e os Jogos Olímpicos -

Ainda não é certo que um dia o

Ultimate fará parte dos Jogos Olímpicos,

mas o consenso geral é que

o caminho para a inclusão é muito

mais abrangente e facilitado do que

era décadas atrás. Há um interesse

maior em desportos e audiências

mais ‘jovens’, além de que a própria

estrutura dos Jogos Olimpicos está

a mudar. A WFDF está activamente

a fazer esforços para que o Ultimate

seja incluído. O reconhecimento

como uma federeção desportiva oficial,

o ano passado, foi um grande

passo.

Ligas profissionais de Ultimate - Já

existe Disc Golf profissional, por

isso, porque não Ultimate profis-

sional Já a caminho da 3ª época,

parece que veio para ficar. Embora

ainda nenhum jogador esteja a

ganhar dinheiro “de verdade”: $25/

jogo e talvez as viagens pagas. Tem

futuro, mas e o Espírito-de-Jogo

Isto é algo em que a WFDF irá aplicar

alguns recursos em 2015, pois

uma das suas directivas estratégicas

é demonstrar que o Espírito-de-Jogo

é um elemento essencial em todos

os desportos de disco, incluindo as

ligas profissionais.

Campeonatos Mundiais no Dubai

- Com a estreia de países como

Quénia, Uganda e Catar e os Quatro

Grandes (EUA, Canadá, Grã-Bretanha

e Alemanhã) representados em

O próximo

campeonato mundial

será em 2017

e Portugal seria

um óptimo “palco”... :)

todas as 7 divisões, este poderá ser

um ponto de viragem para o Ultimate

de Praia. E Portugal poderá ter

também uma palavra a dizer. Quartos

classificados quer nos últimos

Campeonatos Europeu e Mundial

da BULA/WFDF, assim como um

sólido plano de treinos, faz de

Portugal uma equipa pela qual vale

a pena torcer em www.wcbu2015.

org. O próximo Campeonato Mundial

será em 2017 e Portugal seria

um óptimo “palco”.

Por isso, existe espaço para um

grande crescimento no futuro.

Em Portugal estamos ainda no início

da aventura. Eu acredito que, com

a ajuda dos meios de comunicação

social e algumas pessoas empenhadas

em fazer as coisas acontecer,

será possível o Ultimate Português

estar presente nos Jogos Olímpicos

um dia. Mas é verdade que primeiro

temos que crescer localmente. Todas

as grandes aventuras começam

com pequenos passos.


Opinião

D 13

José Amoroso

é professor

no Instituto

Politécnico de

Leiria e presidente

dos Leiria Flying

Objects

Ultimate nas escolas

O Projeto Escolas LFO Lubrigaz/Skoda

Foram 14 anos de crescimento até

chegarmos ao ponto em que estamos

hoje. Dezenas de formações

foram aferidas ao longo dos anos,

de norte a sul do País.

Mesmo após um número razoável

de formações dadas, não verificávamos

diferenças significativas,

referente ao número de praticantes

/ jogadores.

Em 2011 com a realização da tese

de mestrado intitulada “Ultimate

Frisbee como fator promotor de

fair play nas escolas” pretendeu-se

perceber o porquê da modalidade

não crescer. Com uma amostra de

225 professores (que já tinham tido

formação), percebemos que o 1º

fator para os professores não lecionarem

a modalidade prendia-se

pela ausência de discos nas escolas.

O segundo fator tinha a ver com a

falta de “confiança” para lecionar

uma modalidade “nova”.

Perante tais resultados fomos à procura

de colmatar estes problemas.

Analisámos marcas que se identificassem

com o Projeto, com a modalidade,

com o fair play. A Lubrigaz e

A APUDD/LFO/ESECS

têm uma ação de

formação acreditada

pelo Conselho

Científico-Pedagógico

de Formação Contínua

de Braga

a Skoda através da dra. Isabel Faria

garantiram os discos nas escolas,

através da oferta de discos personalizados

pela marca (indispensável

e o nosso agradecimento.) Os LFO

– Leiria Flying Objects garantem um

acompanhamento mensal feito aos

professores coordenadores responsáveis

pelo projeto na escola.

Em Maio de 2015, será efetuado

o 1º Encontro entre Escolas, com

o apoio do Desporto Escolar, onde

participarão: Colégio Conciliar

Maria Imaculada (Professor Jorge

Coimbra);

Agrupamento de Escolas Correia

Mateus (Professor Carlos Palheira);

Escola Secundária Guilherme Stephens

– Marinha Grande – (Professor

Delfim Silva); Escola Secundária

Domingos Sequeira – Leiria - (Professora

Nídia Prata); Escola EB 2,3

José Saraiva – Leiria – (Professora

Paula Virgolino) e possivelmente

mais.

O Projeto Escolas tornou-se oficial

no decorrer do corrente ano. Após

um teste piloto realizado no dia 18

de Maio de 2014 ficámos a perceber

a importância do envolvimento

dos Professores para a proliferação

da modalidade.

Um bom exemplo é o excelente trabalho

efetuado pelo Professor Nuno

Caçador na Ilha da Madeira, onde

nesta fase, já não consegue satisfazer

todos os pedidos. Prova que

um professor dedicado e com gosto

pela modalidade tem a capacidade

de levar a modalidade a muitos

jovens.

Esperamos que Leiria seja o ponto

de arranque para a proliferação da

modalidade pelo País e do Fair Play

junto dos nossos alunos e que estes

se tornem, mais ecléticos, multilaterais,

através de um desporto espetacularmente

inclusivo!


Fotografia de João Lagoa

na etapa da Liga de Praia de

ultimate, disputada na Praia

da Rocha, em Portimão,

no Algarve. Tudo sobre o

campeonato nas

páginas 16 e 17

D 14


Competições

e títulos

D 16

Liga de Praia

Beach Ultimate Frisbee

Algarve tricampeões

só com vitórias

Campeonato

Indoor

Lisboa entra

a ganhar

A equipa de Portimão assumiu a

liderança na classificação desde

início, conquistando mais um título

nacional, sem surpresas e sem derrotas.

Mais renhida foi a luta pelo

segundo lugar, com Gambozinos,

Lisboa Ultimate Club e Vira’o’Disco

numa luta muito equilibrada, que

apenas se decidiu na última jornada,

com a equipa lisboeta a levar

a melhor. De salientar ainda o facto

de os Leiria Flying Objects terem

apresentado duas equipas, embora

uma fosse de formação apenas, não

contando os seus resultados para a

classificação. O troféu de Espírito-de-

Jogo foi para os Gambozinos, que

obtiveram uma pontuação média de

“Espírito” de 12,3 pontos por jogo.

Todas as equipas terminaram com

média superior a 10, o que evidencia

o bom Espírito-de-Jogo existente em

Portugal. Os tricampeões algarvios

David Pimenta e Inês Bringel foram

os melhores jogadores masculino

e feminino, respetivamente. David

marcou 23 pontos, 17 assistências e

10 defesas, enquanto Inês somou 11

pontos, 12 assistências e 2 defesas.

Classificação

1 BUFA 2 Vira’o’disco 3

Lisboa Ultimate Club 4

Gambozinos 5 LFO 1 6

LFO 2 SOTG Gambozinos

Disputado em Palmela, contou com

a presença de 5 equipas, das quais

duas eram do Lisboa Ultimate Club

e esteve ausente a equipa do Algarve.

A equipa Lisboa Ultimate Club II

bateu a equipa anfitriã Vira’o’Disco

na final e conquistou o primeiro

título nacional de 2014.

O prémio de Espírito-de-Jogo foi

para os Gambozinos, de Aveiro.

Classificação

1 Lisboa Ultimate Club II

2 Vira’o’Disco 3 Gambozinos

4 Lisboa Ultimate

Club I 5 LFO SOTG Gambozinos

Torneios internacionais em Portugal

Em 2014 realizaram-se 4 torneios

internacionais de equipas de ultimate

de praia em Portugal, todos com

triunfos lusos. A 1ª edição do Lisbon

MOW teve lugar na praia de Carcavelos,

no início de março, e contou

com a participação de 6 equipas. A

vitória foi para os Codfish’s Vineyard,

compostos por jogadores portugueses

e alguns convidados estrangeiros,

que conquistou também o troféu de

Espírito-de-Jogo. A equipa anfitriã,

Lisboa Ultimate Club, terminou na 4ª

posição. Em abril, realizou-se o 2º torneio

Monte Gordo, com a vitória dos

Beach Ultimate Frisbee Algarve. O 3º

lugar, assim como o troféu de Espíritode-Jogo,

foram para a equipa PEP -

Portuguese Experience Project. A 1ª

edição do Ultimate Harvest, organizado

pelos Vira’o’Disco, teve lugar em

Palmela, no primeiro fim de semana

de setembro, coincidindo com a Festa

das Vindimas da vila palmelense. Das

6 equipas participantes, foram as

portuguesas - Vira’o’Disco e Gambozinos

- que chegaram à final, com a

equipa anfitriã a vencer em universe

point. O troféu de Espírito-de-Jogo

foi para os holandeses Rusty Bikes.

Em novembro, realizou-se o Monte

Gordo Special Edition, torneio de

preparação para o mundial no Dubai.

A Seleção Nacional venceu a Seleção

Alemã na final. A equipa PEP - Portuguese

Experience Project não

conseguiu melhor que a 6ª (e última)

posição, mas conquistou o troféu de

Espírito-de-Jogo.


D 17

Campeonato

de Relva

Gambozinos

reis em Leiria

Disputado em Leiria, contou com 4

equipas portuguesas e 2 espanholas

convidadas. Na final, os Gambozinos

bateram o Lisboa Ultimate Club,

conquistando o primeiro título na história

do clube. Vira’o’Disco, mesmo

sem o número mínimo de jogadores

para entrar em prova, quis participar

na mesma. Esforço recompensado

com o prémio de Espírito-de-Jogo.

Campeonato

Disc Golf

Supremacia

palmelã

Palmela tem o único percurso de

Disc Golf em Portugal. Por isso, foi

mais uma vez o palco desta competição

nacional.

Os jogadores “da casa” dominaram

a prova, com José “Zeca” Novas a

revalidar o título de campeão masculino

e Leonor Biu a vencer o título

feminino.

Field Events

Angela e

Sebastien dominam

A helvética Angela Ullmann e o

luso-francês Sebastien Marques

Lacroix destacaram-se nos Campeonatos

de Portugal de Field Events

de frisbee, disputados na Praia da

Amoreira, no Algarve, dias 30 e 31

de agosto. Entre si conquistaram

ambos cinco dos oito títulos atribuídos

no campeonato.

Classificação

1 Gambozinos 2 Lisboa

Ultimate Club 3 Frisbillanas

4 Quimera 5

LFO 6 Vira’o’Disco SOTG

Vira’o’Disco

Outros torneios internacionais

Várias equipas nacionais participaram

em torneios e ligas “lá fora”.

As PEPitas (primeira equipa feminina

portuguesa de sempre) estrearam-se

no Cremas Beach Challenge

(Espanha), com um 7º lugar (em

9) e o troféu de Espírito-de-Jogo.

A equipa PEP venceu (entre 16

equipas) o torneio Calafell Arena

(Espanha). Já os Beach Ultimate

Frisbee Algarve ganharam (entre

14) o torneio Dr. Sand e Mr. Grass

(Espanha) e foram finalistas (entre

Classificações

masculinos 1 Zeca

(Vira’o’Disco) 2 Gonçalo

(Vira’o’Disco) 3 João Coelho

(Vira’o’Disco)

femininos 1 Leonor Biu

(Vira’o’Disco) 2 Carmen (Lisboa)

24) no CFC (Espanha). Os Codfish’s

Vineyard terminaram no 12º posto

(em 24) no CFC (Espanha) e 17º

(em 30) no Windmill (Holanda). Os

Gambozinos ficaram em 6º lugar

(em 10) na Liga Central (Espanha) e

conquistaram o Espírito-de-Jogo.

Nota: PEP - Portuguese Experience

Project - é um projeto da APUDD,

cujo objetivo é dar oportunidade a

jogadores portugueses de jogarem

em torneios internacionais

Classificações

MTA (Mais Tempo no Ar)

masculinos 1 Sebastien Lacroix 2

Pedro Vargas 3 João Lopes

femininos 1 Angela Ullmann 2

Pauline Rigollier 3 Eva Vasquez

TRC (Lançar, correr receber)

masculinos 1 Ricardo Patrão 2

Sebastien Lacroix 3 Rafael

Pifre

femininos 1 Filipa Vargas 2 Angela

Ullmann e Eva Vasquez

Accuracy (Precisão)

masculinos 1 Sebastien Lacroix 2

Dani Bodor 3 João Lopes

femininos 1 Angela Ullmann 2

Pauline Rigollier 3 Filipa Vargas

Distância

masculinos 1 Ricardo Marquez

2 Sebastien Lacroix 3 Patrick

van der Valk

femininos 1 Angela Ullmann 2

Eva Vasquez 3 Pauline Rigollier


Liga

de Praia

D 18


D 19


Campeonato

de Relva

D 20


D 21


Desportos

de disco

D 22

Ultimate e os desportos de disco

Há inúmeras modalidades que se podem praticar com um disco.

Vamos aqui falar das mais populares, com especial destaque

para aquela que é a modalidade rainha: o Ultimate!

Ultimate

O Ultimate é um desporto de equipas

(que podem ser masculinas,

femininas, ou mistas), de não-contacto,

que se joga com um disco de

175g. O campo de jogo é rectangular

e está dividido em duas zonas de

marcação (“endzone”) e uma zona

central (ver figura).

Pode-se jogar em pavilhão, relva ou

praia, sendo esta última a vertente

mais popular em Portugal, embora

o ultimate em relva esteja, actualmente,

a ganhar uma maior expressão.

As regras são as mesmas, apenas

mudam as dimensões do campo

e o número de jogadores: 5 contra 5

na praia, 7 contra 7 em relva.

Além de se jogar com um disco,

outra das principais características

que tornam este desporto único,

prende-se com o facto de ser autoarbitrado,

isto é, são os próprios

jogadores que chamam as faltas e

infracções, não havendo árbitros.

Isto torna-se possível graças ao

“Espírito de Jogo”, uma espécie de

código de ética, que é levado muito

a sério por todos os jogadores,

mesmo nos campeonatos mundiais,

onde o nível competitivo é muito

elevado! Neste aspecto, o Ultimate

é um óptimo exemplo da forma

como qualquer desporto deveria ser

praticado e, em casos raros (como

este), ainda é!

endzone

brick mark

Regras básicas do Ultimate:

• Cada ponto começa com as 2

equipas em lados opostos do campo

(dentro das zonas de marcação) e

a equipa que defende lança o disco

para a outra equipa

• A equipa que ataca apanha o

disco e tenta passá-lo entre os seus

jogadores, dentro do campo, em

qualquer direcção, sem que este

caia no chão

• O jogador na posse do disco

(lançador) não pode correr e tem 10

segundos para passar o disco

• O objectivo é tentar que um companheiro

apanhe o disco dentro da

zona de marcação contrária àquela

em que a sua equipa começou o

ponto, se o conseguir o ponto termina

e a equipa soma um ponto ao

resultado do jogo

• Se o disco cair no chão, for interceptado

por um defesa, ou apanhado

fora do campo, a posse do disco

passa para a outra equipa (“turnover”)

e os papeis invertem-se: a

equipa que defendia agora ataca e

vice-versa

• Apenas um jogador pode defender

o lançador, fazendo a contagem

dos 10 segundos e não pode tocar

no disco enquanto este estiver na

mão do seu adversário

• Não deverá haver contacto físico

entre os jogadores e caso tal aconteça

deverá ser marcada uma falta

ao jogador responsável por provocar

o contacto

• Em situação alguma as regras de

jogo poderão ser infringidas voluntariamente

(“Espírito de Jogo”) e

esta é a regra mais importante, sendo

levada muito a sério por todos

os praticantes deste desporto.

brick mark

endzone


Onde

jogar

D 23

Freestyle

A solo ou com parceiro(s), no Freestyle,

disco e praticante unem-se

numa “dança” fluida e elegante.

Embora também existam competições

(os juízes avaliam a fluidez e

qualidade técnica dos movimentos),

em Portugal, pratica-se apenas por

recreação.

Field Events

Modalidade composta por diversas

disciplinas individuais, em que se

avalia a perícia do praticante em

acertar com discos num alvo, ou

a distância máxima que consegue

lançar o disco, etc.

Disc Golf

Semelhante ao golfe tradicional,

tacos e bolas são substituídos por

discos. O objectivo é atingir um

“cesto” metálico, no menor número

possível de lançamentos. Em Portugal

existe apenas um percurso

permanente, situado em Palmela.

Disc Dog

Combinando elementos do Freestyle

e Field Events, esta modalidade é

praticada a dois, entre um humano

e o seu “melhor amigo”.

Gambozinos • Aveiro

www.aveiroultimate.com

Treinos: de setembro a

junho, segundas e quartas,

20h, Universidade de

Aveiro (relvado da pista de

atletismo); alguns sábados

à tarde, jogo “pick-up” na

Praia da Costa Nova; julho

e agosto, treinos apenas na

praia

Leiria Flying

Objects

www.lfo.pt.vu

Treinos: terças e

quintas. 21h, GRAP

Pousos (relvado

sintético); dois fins

de semana por mês

numa praia da região

(ver Facebook)

Lisbon

Ultimate Club

www.portugalultimate.org/LUC

Treinos: terças e

quintas, 21h, Praia de

Carcavelos; quintas,

jogo aberto, 19h,

Cidade Universitária

Vira’o’Disco • Palmela

www.portugal-ultimate.org/VOD

Treinos: aos fins de semana,

Praia da Figueirinha, Setúbal

(confirmar eventos no Facebook

da equipa)

Lisboa

Palmela

Portimão

Leiria

Aveiro

Ultimate Frisbee

Algarve • Portimão

www.portugal-ultimate.org/UFA

Treinos: variáveis (informações

através de filipa_bringel@

yahoo.com.br e do Facebook

da equipa)


Opinião

D 24

Nem só de

discos vive o

ultimate

Bruno Gravato

é tesoureiro da

APUDD e joga nos

Gambozinos, de

Aveiro

Tudo começou em 2013, quando

me inscrevi como voluntário para

o campeonato europeu de praia

(ECBU), que se realizou em Calafell,

Espanha. Sem saber muito bem

ao que ia, acabei por ter um papel

“especial”, em virtude das minhas

competências profissionais (neste

caso, na área da informática). Foi uma

experiência única, num evento que

envolveu cerca de 60 voluntários e

mil jogadores de mais de 20 países

europeus. Experiência essa que abriu

portas para um convite dos organizadores

dos campeonatos mundiais (em

relva) de juniores (WJUC) e de clubes

(WUCC), que se disputaram em Lecco,

Itália, no verão de 2014. Foi com

grandes expectativas que aceitei este

convite, mas também com grandes

responsabilidades… Naquele que foi

um dos maiores eventos de ultimate

até à data, contando com a participação

de mais de 6000 atletas, oriundos

dos quatro cantos do mundo.

Em Lecco aconteceram muitos imprevistos

(incluindo o maior dilúvio

na região de que há memória, entre

muitos outros contratempos...), o que

obrigou a muitas alterações, muita

improvisação e uma grande dedicação

e espírito de sacrifício dos mais

de 300 voluntários presentes. Juntos

conseguiram superar todos os obstáculos

que foram surgindo.

Foi mais uma experiência única, talvez

o maior desafio que tive até à data,

mas valeu a pena! Durante quatro

semanas senti que fazia parte de

uma nova “família” (com “irmãos” e

“primos” de Itália, Estados Unidos,

Espanha, Grécia e Eslovénia, entre

outros). Vi ao vivo grandes jogos e

muitos dos melhores jogadores do

mundo! Consegui resolver problemas

inesperados que iam aparecendo,

numa luta constante contra o tempo.

No final, regressei a Portugal com

uma mala cheia de bons momentos,

novas amizades e a sensação de

dever cumprido! Cresci como pessoa

e como profissional e foi com grande

orgulho que aceitei um novo convite:

fazer parte da organização do mundial

de praia (WCBU) no Dubai, em 2015.

Estas experiências mostraram-me que

não é preciso ser um grande atleta

para participar em campeonatos

mundiais, pois no ultimate há lugar

para todos, dentro e fora do campo!

Qualquer um pode fazer a diferença,

contribuindo com aquilo que sabe

fazer melhor, seja com ou sem disco

na mão… Basta ter o “Espírito” do Ultimate

dentro de nós! A quem nunca

viveu a experiência de ser voluntário

num grande evento de Ultimate,

recomendo vivamente que o faça,

quando tiver a oportunidade. Tenho a

certeza que vos ficará na memória!

Bruno Gravato prepara-se

para fazer parte da

organização do World

Championships of Beach

Ultimate como voluntário.

Mais uma presença

portuguesa confirmada no

mundial de praia de 2015


Regras

D 25

Sobre as regras do ultimate

e a acreditação da WFDF

O teste consiste em 10 perguntas

de escolha múltipla e pode (e deve)

ser feito com consulta das regras. É

necessário efectuar login/registo em

http://rules.wfdf.org/ para poder

efectuar o teste.

O Ultimate é um desporto auto-arbitrado,

isso significa que é indispensável

os jogadores conhecerem bem

as regras de jogo.

Desde 2013 que a WFDF tem um

sistema online de acreditação, que

é já obrigatório em algumas competições

como, por exemplo, no Mundial

de Praia que este ano se disputa

no Dubai.

Para fazerem a acreditação deverão

ir a http://rules.wfdf.org/accreditation

Há dois tipos de acreditação: Standard

e Avançado, existindo para

ambos traduções para português.

Embora a acreditação não seja

ainda obrigatória nas competições

em Portugal, poderá vir a ser num

futuro próximo. Mesmo não sendo

obrigatório, a APUDD recomenda

vivamente que todos os jogadores façam

a acreditação standard. E deverá

haver, em cada equipa, pelo menos,

duas ou três pessoas que tenham a

acreditação avançada.

Alguns exemplos de pergunta-resposta

‘Stall-out’

Segundo as regras oficiais da WFDF,

o jogador na posse do disco (o ‘lançador’)

tem 10 segundos para passar o

disco a um colega de equipa. Caso tal

não aconteça, ocorre uma violação

das regras, que deverá ser chamada

pelo defesa, dizendo ’stall-out’.

Pergunta: O “Stall-out” ocorre se o

lançador ainda tiver o disco nas suas

mãos no momento em que o seu

defesa:

a) começa a dizer o ‘D’ de ‘Dez’

b) termina de dizer completamente a

palavra ‘Dez’

c) começa a dizer o ’S’ de ’Stall-out’

d) termina de dizer completamente

‘Stall-out’

Resposta correcta: a) começa a dizer

o ‘D’ de ‘Dez’ (Nota: ver regra 13.1.7)

Pergunta: Para que a violação seja

considerada, o defesa tem de conseguir

dizer ‘Stall-out’ antes do lançador

passar o disco

a) verdadeiro

b) falso

Resposta correcta: b) falso

Nota: tal como foi dito acima a violação

ocorre no momento em que o

defesa começa a dizer ‘Dez’. O defesa

deverá chamar a violação imediatamente

a seguir ao ‘Dez’, mas é irrelevante

se o lançador ainda tem o disco

na mão, ou não, quando o defesa diz

‘Stall-out’.

Pergunta: Em vez de dizer ‘Nove...

Dez! Stall-out!’, o defesa poderá

abreviar e dizer logo ‘Nove... Stallout!’

a) verdadeiro

b) falso

Resposta correcta: b) falso

Nota: É sempre obrigatório dizer a

palavra ‘Dez’ antes de chamar o ‘Stallout’

e não deverá ser omitida em

nenhuma circunstância. Caso o defesa

diga ‘Nove… Stall-out’, o lançador poderá

chamar ‘Fast-count’ (contagem

rápida) ou contestar a chamada de

‘Stall-out’.

Contagem 7:

Na Liga Nacional de Praia usamos

uma contagem de 7 segundos (em

vez de 10). Neste caso particular, tudo

o que foi dito acima continua a ser válido,

desde que se substitua a palavra

‘Dez’ por ‘Sete’ (e ‘Nove’ por ‘Seis’).

Ligação:

Regras completas (disponíveis em várias

línguas, incluindo português) e outros documentos

úteis podem ser descarregados

em http://rules.wfdf.org/downloads


D

Beach Ultimate Frisbee Algarve

Vencedor da Liga de Praia 2014

3 Paulo Arsénio

4 Mariana Costa

7 Inês Bringel [melhor jogadora da Liga]

10 Tomás Arsénio

11 Cristiano Joaquim

12 Charlotte Matos

17 Pedro Vargas

24 David Pimenta [melhor jogador da Liga]

26 Luís Dias

30 Filipa Bringel Vargas

99 Ricardo Marquez Ravelo

APUDD

More magazines by this user
Similar magazines