FAZENDO MODA

pasqualucci

FAZENDO MODA

PANORAMA DA MODA E SUA

IMPORTÂNCIA NA SOCIEDADE

C O N T E Ú D O E X T R A


2

Todo o conteúdo desse Report foi desenvolvido

pela Descola em parceria com a Jussara Romão

FAZENDO MODA


1

OLÁ ALUNO,

Você já viu ou provavelmente está vendo o curso Fazendo Moda - Panorama da moda e sua importância

na sociedade. Esperamos que você tenha gostado do conteúdo e aprendido mais sobre a

importância da moda na vida das pessoas e toda sua história durante os últimos séculos.

Agora é hora de se aprofundar nos conceitos abordados nas vídeo-aulas e continuar aprendendo.

Por isso, montamos com todo o carinho esse report com informações complementares. Você poderá

ver em detalhes sobre as mudanças na moda de cada época e ter mais explicações sobre temas que

abordamos no vídeo. Também elaboramos um compilado com curiosidades, filmes e livros sobre o

universo da moda.

Aproveite!

Abraços,

Equipe Descola

APRENDA MAIS, APRENDA DIFERENTE, APRENDA AGORA!

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


2

ÍNDICE

Quem é

Jussara Romão

...............................

Pg.04

A moda no

Séc XIX ........................................

Pg.06

Evolução

da moda

........................................

Pg.09

Personalidades

de cada época ...............................

Pg.18

Curiosidades

da moda ........................................

Pg.29

FAZENDO MODA


3

Calça: a roupa

proibida .........................................

Pg.36

Filmes de

moda

........................................

Pg.41

Livros de

moda ...........................................

Pg.54

Links de

moda ...........................................

Pg.61

Entrevista

Jussara Romão

................................

Pg.64

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


Quem ministra

o curso de

moda?

ARQUIVO

URBANO

JUSSARA

4

100 anos de

fotografia e moda

no Brasil

ROMÃO

Formada em Artes Plásticas com especialização em Estilismo e Artes Gráficas, foi Diretora de Moda

na Revista Elle-Brasil, da Editora Abril, por 11 anos. Além de ter sido editora convidada em revistas e

campanhas.

Durante sua carreira, ganhou 2 prêmios Abril sendo um deles pela melhor cobertura online do SPFW.

Foi uma das pioneiras no Brasil na cobertura online dos desfiles

internacionais.

Ministrou palestras na Couro Moda, Arezzo, Rosset Textil, Senac

e organizou as palestras do primeiro São Paulo Prêt-à-Porter.

Atuou como professora nos cursos “Moda em Revista”-

Senac e IED/Brasil; e no curso “Moda na Fotografia”.

Montou os cursos de treinamento in-company das

empresas Via Marte, Banco do Brasil, Lojas

Renner e Levi’s.

É diretora criativa em sua agência

www.jussararomao.com.br e especializada

em produzir revistas customizadas,

catálogos, imagens de moda e

conteúdos on e offline.

FAZENDO MODA


5

“Tudo o que acontece na sociedade se reflete

na forma de vestir.”, comenta a autora.

A partir deste tema, veio a ideia de

resgatar fotos de álbuns de família, instituições

e acervos particulares, acompanhadas

por um texto que traça uma análise

social e histórica da sociedade brasileira,

revelando fatos e acontecimentos que influenciaram

fortemente o país.

Ao longo de 232 páginas, Jussara relata

comportamentos difundidos por fontes

como cinema, rádio, jornais, revistas e televisão,

desvendando o país antes e depois

do advento da indústria da moda, sem estabelecer

uma cronologia rígida.

Com o processo de criação do livro, Jussara

destaca a noção de que a entrega de

nossas fotos de família às instituições que

preservam acervos fotográficos permitirá

que a história de uma cidade, de um Estado,

de um país seja contada. “Terá valido

a pena ter registrado cada momento. Por

isso minha gratidão a todas as famílias e

pessoas que me ajudaram a contar como

através da moda é possível conhecer e entender

uma época.”

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


6

A MODA SÉCULO XIX

O século XIX trouxe um novo modo de pensar

e de viver, marcado pelo dinamismo. Época das

indústrias, do comércio, dos bancos e do dinheiro

da burguesia, classe social que movimentou os

negócios trazendo a rapidez dos acontecimentos

e a agitação da vida moderna. É neste período

que o vestuário também passa por transformações

importantes que delinearam o caminho

da moda contemporânea. Foi o momento que

a moda iniciou sua democratização, em que todos

poderiam se vestir igualmente. As mudanças

ocorridas no mundo, neste século, deram o tom

ao início do promissor com o anúncio de um novo

estilo de vida. O começo de uma nova era trazia

muitos desafios e transformações às artes, às

ciências, às relações internacionais, à política, ao

comércio e à moda.

Na primeira década do século XIX, a moda ganha

mais sofisticação com materiais e modelos diversificados

e torna o processo de confecção mais

elaborado. As alterações previam uma mudança

cultural que iria refletir diretamente na moda. Já

no final deste século, era possível enxergar vários

movimentos artísticos que floresciam na Europa.

Eles adentraram o século XX e acabaram como

responsáveis em estabelecer novos pensamentos

estéticos, atingindo os setores da arquitetura e

do design, assim como na moda.

FAZENDO MODA


7

1800 1812

1866

Aos poucos, a evolução no vestuário foi acontecendo. No século 19, a moda passa então a atender `as

necessidades de afirmação pessoal, do indivíduo como membro de um grupo, e também a expressar

ideias e sentimentos. Antes, não havia distinção entre os tecidos usados por homens e os usados por

mulheres; é no século 19 que o vestuário desses dois grupos se afasta cada vez mais.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


8

1895 1909

1940

O século XIX pode ser resumido em uma palavra: mudança. A transformação que altera radicalmente

o modo de ser e de pensar da sociedade. Paris fervilha sob a luz da companhia de dança Ballet Russes,

que influencia a moda com a introdução de roupas orientais.

FAZENDO MODA


A EVOLUÇÃO DA MODA

9

No início do século XX, ocorreram mudanças significativas

na moda feminina, como a exclusão

dos espartilhos, o orientalismo e as revoluções

estéticas de Madeleine Vionet, Paul Poiret e

Coco Chanel. Com a Primeira Guerra Mundial, os

homens no front de batalha e as mulheres entrando

no mercado de trabalho, as roupas passaram

a ser práticas, simples, de tecidos baratos e duradouros.

Roupas extravagantes não ficavam bem

em épocas de guerra. A Guerra abafou a moda

e não aconteceu nenhuma mudança durante os

anos que seguiram (1914-1918).

Entretanto, a grande responsável pela mudança

é mesmo a Primeira Guerra Mundial, quando a

mulher assume novos papéis, na batalha do diaa-dia

e começa a usar roupas mais práticas. Com

o fim da guerra, os tempos ficam mais leves, e o

entretenimento dará o tom da década seguinte.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


10

Nos anos 20, a moda tornou-se acessível a todos pela primeira vez. Como eram roupas fáceis de

fazer, muitas mulheres aprenderam a costurar, fazendo suas próprias roupas em casa, sem contar que

o custo era baixo.

FAZENDO MODA


Mas, na década de 30 há o reflexo da crise mundial da queda da bolsa de valores de Nova York, em 1929. Muitas

pessoas ficaram pobres, empresas faliram e o desemprego imperava. Historicamente, em épocas de crise, a

moda torna-se menos ousada. A guerra viria transformar a forma de se vestir e o comportamento de uma época.

11

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


12

A Segunda Guerra Mundial (1939-1945) foi um catalisador das mudanças na moda, pois foram exigidos

novos posicionamentos da mulher e as roupas ficaram mais simples e austeras.

FAZENDO MODA


Os anos 50 foram também marcados por aspectos como o luxo, a sofisticação e o glamour, que

caracterizam os anos dourados e a moda no seu esplendor. Ao final desta década, Paris tornava-se

novamente o centro de alta-costura, recupera o status que ainda hoje mantém de Capital da Moda.

13

No entanto, é também por volta desta época que a capital francesa começou a sofrer com a concorrência

da Inglaterra e dos Estados Unidos, que possuíam agora as suas próprias indústrias e que

pretendiam evidenciar-se neste ramo, criando um estilo próprio e muito inovador.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


14

Nos anos 60, nos Estados Unidos, surgiu um movimento de rebeldia, contestação e rejeição por parte dos

jovens. Esses ficaram conhecidos como hippies, que eram contra toda a divisão de classes e utilizam a moda

como um instrumento em sua revolta, para conscientização da futilidade dos atos e convicções da sociedade.

Os anos 70 iniciaram-se com as características trazidas

da segunda metade dos anos 60, da moda hippie. Foi

o início de despontamento com uma diferenciação

marcante, uma busca por imagens mais individuais.

No final da década, surgiu uma nova proposta que

diferenciava as pessoas pelo que elas vestiam e assim

surgiu mais um novo conceito, o da moda acessível

para todas as pessoas e grupos sociais.

FAZENDO MODA


Nos anos 80, o verdadeiro destaque estava nos contrastes, os opostos passaram a ser a grande

característica da época, que perdura como sendo a marca do século XXI. Não havia mais uma única

verdade de moda. As áreas de antropologia e de sociologia criaram o conceito de “tribos de moda”,

marcando-se uma grande característica dessa época devido aos diferentes grupos que tinham as suas

próprias identidades, criando e mantendo-se fiel ao próprio estilo.

15

A moda ganhou status no mundo; a aparência passou a ser importante. Nos anos 80 as mulheres

redescobrem seus poderes: decididas, executivas, determinadas e fortes em todos os sentidos. Nessa

década, a tecnologia do tecido apoiada pela pesquisa têxtil, contribuiu ainda mais para a evolução

da moda.

Neste período, os japoneses estabeleceram-se em Paris, criando uma moda cheia de intelectualidade

e limpeza do visual, uma filosofia zen, o “minimalismo”, pois tinha como características poucos cortes,

acabamentos e poucas cores passando a cor preta a dominar esta técnica e máxima era “Less is

More” (“Menos é mais”).

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


16

Os anos 90 surgiram fragmentados e as múltiplas ideias de moda foram pulverizadas. Havia uma

mistura de tendências com estilo retrô, que trouxe de volta elementos característicos de outros momentos,

mas ao mesmo tempo surgiam estilos bastante vanguardistas. Foi nesta fase que o processo

parece ter começado a se inverter: as modas começavam a sair das ruas para as passarelas. Mas se

por um lado a moda das ruas ditava as regras, por outro, reinavam as luxury brands (marcas de bens

de luxo). Também o confronto entre os sexos diminuiu e o homem começou a se permitir ser vaidoso

como a mulher.

Com a ascensão do individualismo, a hegemonia e a ditadura da moda é que saíram “de moda”.

Mundialmente há um novo culto à individualidade, o que pode estar redefinindo os novos contornos

da moda. Entra em voga a palavra customização (do inglês custom made), o que é feito sob medida.

Segundo Treptow (2007), a moda é um fenômeno social e cultural, de caráter mais ou menos contido,

que consiste na mudança periódica de estilo, e cuja vitalidade provém da necessidade de conquistar

ou manter uma determinada posição social.

FAZENDO MODA


17

A MELHOR DE TODAS

AS MAQUIAGENS É

A PAIXÃO

Yves Saint Laurent

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


18

PERSONALIDADES

DE CADA ÉPOCA

ANOS 50

Enquanto Christian Dior deu à luz a moda dos anos 50 com seu

New Look, outros designers influenciaram a década.

Clare McCardell, uma americana, tinha introduzido um casual look

country-girl para roupas na década de 40, usando jeans e riscado.

Ela continuou a desenhar roupas ao longo dos anos 50.

Cristobal Balenciaga, estilista espanhol, nos deu a manga 3/4 de

comprimento. Seus desenhos ofereceu um estilo mais solto que

liberou as mulheres de roupas sob medida rigidamente estruturados.

Combinando um casaco solto com uma saia-lápis, ele criou uma

nova aparência única. Seu vestido “1957” sem uma cintura evoluiu

para o vestido estilo “shift-dress” que se tornou tão popular.

FAZENDO MODA


19

Hubert de Givenchy era famoso por criar roupas

para sua musa favorita Audrey Hepburn.

Ela era alta e magra, na sequência de uma

época em que o ideal feminino era cheio de

curvas e robusto.

Seus sapatos baixos e postura de dançarina, ela

criou um novo olhar jovem sem ornamentação

que contou com uma graça natural, como retratado

em seus filmes Sabrina e Bonequinha

de Luxo.

Coco Chanel restabeleceu-se como um designer

após a Segunda Guerra Mundial, com

roupas usáveis. Em 1955, ela apresentou sua

clássica bolsa estilo maleta com alça de corrente

dourada que ainda é popular.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


20

ANOS 60

O designer Emilio Pucci introduziu as icônicas calças Capri,

leves, que eram perfeitas para viagens. Na foto ao lado,

vemos Brigitte Bardot com um par de capris.

Sua camisa de seda livre de rugas feitas em cores fortes

e combinações de cores vibrantes criaram um novo estilo

casual com um apelo jovem.

Twiggy, a modelo e musa para a estilista

Mary Quant se tornou uma figura

extremamente famosa no início e

meados da década de 60.

FAZENDO MODA

Magra a ponto de parecer doente, oseu

apelo andrógino tornou-se o retrato

“cool” de uma menina moderna. Seu

cabelo curto e olho de exagerada

maquiagem deu-lhe um olhar original

reconhecível até hoje.


21

Jackie Kennedy

A jovem primeira-dama

tinha um estilo natural, mas

sofisticada de uma maneira

que era clássica e simples.

Misturando costura parisiense

e um estilo americano atlético,

Jackie Kennedy favorecia

calças e vestidos sem mangas.

Seu traje formal perdeu o

olhar exigente do passado,

inclinando-se para linhas

limpas e cores brilhantes.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


22

ANOS 70

John Bates, influenciado pela Pop Art e Op Art criou

roupas com listras e formas geométricas utilizando

jersey elástico.

Os projetos de Ossie Clark foram usados para shows,

presentes nos palcos dos Beatles, Mick Jagger, e

Liza Minnelli.

Bill Gibb introduziu a roupa romântica baseada

em looks históricos de estilos renascentistas.

Ele usou também padrões em camadas de

xadrez e florais criando um olhar revigorante e

eclético que reapareceu desde então.

Laura Ashley, com seus vestidos de algodão

estampas florais com mangas compridas,

decotes altos aparadas com rendas foram

sucesso em todo o mundo.

FAZENDO MODA


23

A designer Zandra Rhodes olhou para

estilos de rua de Londres e para a moda

étnica para criar versões de alta costura com

temas ciganos e do Leste Europeu.

No final da década de 1970, suas adaptações

de Punk caíram no gosto da própria elite

que o movimento rechaçava. Com decotes

altos, seus vestidos foram sucesso em todo

o mundo.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


24

ANOS 80

Lady Diana, a Princesa do Povo, foi sem dúvida o mais

influente ícone de estilo da década de 80.

Fiel à sua imagem real, ela garantiu a evolução do

seu look dia após dia. Na década de 80, ela teve

seu cabelo escovado com franjas e make-up mínimo,

acompanhado de vestidos sóbrios.

Mais tarde, a princesa de Gales percebeu que as

roupas tiveram um papel importante na elaboração

de sua imagem para ser amada pelo povo.

Até o final dos anos 80, a Nike tinha

crescido como uma das empresas de

vestuário mais rentáveis do mundo.

Como Coca versus Pepsi, Reebok vs.

Nike foi a batalha da moda da década.

Com a ajuda de Michael Jordan, Nike

ganhou a guerra. Em 1988, todos os

jovens tinham que ter um par de Air

Jordans e um boné do Chicago Bulls.

FAZENDO MODA


25

Madonna também foi um verdadeiro ícone da

evolução do estilo ao longo da década. Ela

ostentava luvas de dedo, calças ¾, leggings

pretas e saias rah-rah. Definitivamente, a

cantora deixou sua marca registrada no início

dos anos 80.

Seja com look punk, andrógino, hip-hop,

gueixa ou militar, Madonna tentou tudo,

transformando-se sempre.

Ela sempre definiu tendências da moda muito

antes da hora. Com a sua colaboração como

desenhista, ela também é conhecida por ter

impulsionado a carreira de muitos futuros

criadores seja Gaultier, Dolce & Gabbana ou

Olivier Theyskens.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


26

ANOS 90

Kate Moss & Calvin Klein

No início dos anos 90, essa então menina franzina

de Londres mudou o mundo da moda para sempre.

A antítese das supermodelos que marcavam o

início da década, a modelo adolescente misturava

androginia e corpo incrivelmente fino.

Uma das primeiras campanhas de Moss foi para

Calvin Klein, outro ícone da década com seu estilo

básico e urbano, sendo versátil para o público se

vestir como quiser.

Tommy Hilfiger ainda é, naturalmente, uma

grande marca. Mas era apenas o começo de sua

popularização nos anos 90, quando virou um

grande ícone fashion. Desde a já citada Kate Moss

até o rapper Snoop Dogg, todos usavam suas

vestes urbanas e esportivas.

FAZENDO MODA


27

Marc Jacobs. O estilista, até então trabalhava

para a marca Perry Ellis, apresentou uma

coleção grunge em 1992.

Em um momento de definição da sua carreira,

Jacobs mostrou uma coleção de inspiração

grunge tão ousada que acabou demitido.

As flanelas em camadas, cashmere, gorros e

Doc Martens que ele levou à passarela foram os

hits de sua geração e todos eles ainda ressoam

hoje.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


28

A MODA É A ÚLTIMA

PELE DA CIVILIZAÇÃO

Pablo Picasso

FAZENDO MODA


CURIOSIDADES SOBRE A MODA

29

Yves Saint Laurent, Coco Chanel e Mary Quant são nomes que cravaram sua importância na história da

moda com criações que revolucionaram a forma de vestir. E se você pode sair na rua usando calças ou

minissaias tranquilamente, agradeça a eles. Entre tantas fases, a evolução da indumentária teve seus

momentos de glória e, por isso, reunimos abaixo as principais revoluções fashion de todos os tempos.

#1

Bikini

Ele foi a primeira peça de roupa feminina confeccionada com menos de um metro de tecido e

seu lançamento foi tão explosivo quanto a bomba atômica testada pelos Estados Unidos no Atol

de Bikini em 1946, o que acabou dando nome ao traje de banho. Alguns dias após o episódio, o

francês Jacques Heim elaborou o “atome”, apresentado-o como “o menor maiô do mundo”. Mas

ele bobeou e se esqueceu de registrar a invenção – abrindo espaço para que outro francês, Louis

Réard, surgisse com o “bikini, menor que o menor maiô do mundo” e levasse toda a fama de criador

do famoso biquíni.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


30

O costureiro francês garantiu que, ao criar o nome, pensou apenas no lado romântico do famoso atol

no Oceano Pacífico. Verdade é que praticamente coincidiu com o controvertido teste nuclear naquela

região, que havia acontecido pouco antes. A opinião pública ainda estava aturdida com o poder de

destruição da bomba, quando Réard chocou com seus minúsculos triângulos de pano. O biquíni foi um

sucesso, especialmente entre os homens.

Louis Réard não conseguia encontrar

uma modelo que se atrevesse

a usar o design que havia criado.

Ele acabou contratando Micheline

Bernardini, então com 19 anos e

dançarina erótica do Casino de

Paris, como sua modelo, que recebeu

mais de 50 mil cartas de fãs

da invenção.

Este biquíni com um fio dental de algodão, com estampa reproduzindo

um jornal, foi “oficialmente” apresentado em um evento de moda

no Piscine Molitor, uma piscina pública popular em Paris

FAZENDO MODA


#2

Minissaia

31

Nem precisava, mas a estilista Mary Quant deu mais um toque de revolução aos anos 60 quando passou

a mão na tesoura e criou a ousada minissaia. O pedaço de pano de 30cm lançado em meio ao

“Terremoto Jovem” causou reboliço entre os conservadores, mas se multiplicou pelos armários

das meninas. O sucesso foi tanto que a butique de Mary em Londres, a Bazaar, ganhou mais de 100

filiais e se transformou em símbolo de vanguarda.

Depois de todas as revoluções, a

minissaia começou a ser adotada

pelas “alas” mais conservadoras da

sociedade e permanece como uma

peça essencial do vestuário. Por

tudo isto, a história da moda não

pode ser contada sem essa homenagem

à icônica estilista britânica.

Na década de 70, Quant continuou

a saga com coleções inovadoras,

lançamentos de lingerie e também

com linhas de produtos cosméticos.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


32

#3

Smoking feminino

Supra-sumo da carreira de Yves Saint Laurent, o famoso terninho – ou “Le Smoking”, como foi chamado

o primeiro modelo – foi criado pelo estilista francês em 1966 e transgrediu a forma como as mulheres se

vestiam à época. Sinal de liberdade e novos conceitos sobre os gêneros masculino e feminino, o smoking

para mulheres foi apresentado pela primeira vez com uma blusa transparente e calça masculina.

“Le Smoking”, sinalizava uma mudança na forma como as

mulheres se vestiriam dali por diante. A liberdade dada por

Chanel agora ganhava mais poder com o novo traje e tudo o

que ele representava - uma nova atitude feminina.

Para a inglesa Suzy Menkes, editora do “International Herald

Tribune”, o smoking foi transformador: “Hoje as mulheres

andam normalmente de terno e calça comprida. Isso parece

normal, cotidiano, mas na época a mulher era proibida de

entrar num restaurante ou num hotel. O smoking, usado até

hoje, foi uma provocação sexual, dirigido à mulher que queria

ter um outro papel.

FAZENDO MODA


#4

Calças para mulheres

33

Se Yves Saint Laurent era do clube da

igualdade dos sexos, Coco Chanel

foi quem o fundou. Na década de 20,

com sua conhecida busca pela praticidade,

a estilista desenhou o primeiro

par de calças femininas e deu

um “chega pra lá” nos longos vestidos

e corpetes que dominavam os

armários naquele tempo. Inspirado

no visual dos marinheiros, o primeiro

modelo era largo e ideal para as

moças acompanharem seus maridos

em dias de cavalgada ou iatismo.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


34

#5

New Look

No pós-guerra, Christian Dior fez o caminho inverso ao de

Chanel e devolveu a feminilidade às mulheres. “Nós saímos

de uma época de guerra, de uniformes, de mulheres-soldados,

de ombros quadrados e estruturas de boxeador. Eu

desenho femmes-fleurs, de ombros doces, bustos suaves

e cinturas marcadas (...)”, disse o estilista. Nascia então,

em 1947, o New Look, um visual delicado de cintura

marcada e saias amplas até o tornozelo. O New Look se

estabeleceu como o padrão de glamour dos anos 50 e deu

um banho de elegância nas moçoilas.

Ao lado, vemos Eva Perón, então primeira-dama da Argentina,

trajando um vestido Dior em 1950.

FAZENDO MODA


35

A MODA É COMO A

GENTE SE APRESENTA

PARA O MUNDO

Zuzu Angel

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


36

CALÇAS: ROUPA PROIBIDA

O DECRETO DE LEI

Em 1799, o chefe da polícia de Paris decretou: qualquer mulher que desejasse usar calças deveria

buscar uma autorização especial da polícia. Se uma mulher quisesse “vestir-se como um homem”,

ela tinha que obter a referida aprovação - muitas vezes necessitando de uma justificativa médica

para expor suas pernas.

A lei tinha suas raízes na mesma causa de tantas leis francesas

daquela época: a Revolução. Calças não só significavam o padrão

de masculinidade; como o uniforme do homem comum. As calças

simbolizavam também a ascensão da classe operária contra a burguesia.

(A aristocracia usava regularmente as calças “blousing”

com comprimento até os joelhos conhecidas como “culottes”,

dando aos rebeldes da Revolução Francesa um dos apelidos

mais conhecidos da história: os sem-culotes).

FAZENDO MODA


AS MULHERES REBELDES

37

Na época, as mulheres rebeldes queriam o direito de vestir calças ao lado de seus colegas homens.

O jornal “Le Parisien” explica: proibindo as mulheres de vestir calças foi uma forma eficaz de mantê-las,

basicamente, no lugar que ocupavam. Assim, o decreto “sem calças em Paris” foi um produto

de uma circunstância histórica particular. O que é surpreendente, porém, é que ele continuou válido

- muito mais do que a própria Revolução. Para além do século 20. Em 1892, e novamente em 1909,

legisladores franceses tiveram tempo para alterar a lei “sem calças”, aparentemente para torná-la mais

adequada para a época.

Com a popularização das bicicletas

como meio de transporte,

usar saias ficava mais complicado.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


38

GIRL POWER

Depois das atualizações, uma mulher podia

legalmente vestir um tipo de calças, as “pantalonas”,

em situações restritas, como “segurando

o guidão de uma bicicleta ou as em situações

restritas rédeas de um cavalo.”

A lei persistiu mesmo depois de 1946, quando

um artigo foi incluído na Constituição francesa

especificando que “a lei garante às mulheres direitos

iguais aos dos homens em todas as áreas.”

Época em que a lei “sem calças” se tornou motivo

de chacotas.

Até que, recentemente, isso deixou de ser engraçado.

Em 2010, um grupo de parlamentares

do Partido Verde apresentou um projeto na Assembleia

Nacional para derrubar a lei. A Prefeitura

de Paris, que havia promulgado o decreto

em primeiro lugar, respondeu que a lei já estava

tão fora de uso que não valia a pena o esforço

para removê-la dos livros.

Mulheres nos anos 50 em Paris. De calças, desrespeitando

a antiquada lei.

FAZENDO MODA


A MINISTRA DOS DIREITOS DA MULHER

39

As coisas poderiam ter terminado ali - com

milhões de mulheres vestindo calças capri ou

jeans violando a antiquada lei - se não fosse por

Najat Vallaud-Belkacem, ministra dos Direitos

das Mulheres na França.

A ministra argumentou que a lei anti-calças

era um símbolo de repressão e se o decreto

não fosse revogado, poderia “ferir nossas

sensibilidades modernas.” Ela elaborou um

comunicado, divulgado em fevereiro de 2013,

chamando a lei “incompatível com os princípios

da igualdade entre homens e mulheres que são

escritos na Constituição e em compromissos

europeus da França.”

Então é isso: mais de 200 anos depois que foi

inicialmente elaborada, a lei foi revogada. Por

uma senhora. Quem pode ou não ter feito isso

vestindo calças.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


40

ELEGÂNCIA É

QUANDO O INTERIOR

É TÃO BELO QUANTO

O EXTERIOR

Coco Chanel

FAZENDO MODA


FILMES E SÉRIES DE MODA

41

Para alguns, a indústria da moda pode parecer terreno fútil onde os fashionistas são pessoas obcecadas

por roupas de grifes, falando apenas sobre suas marcas favoritas. Mas, podemos dizer que

não é bem assim. Graças a alguns recentes (e não tão recentes) filmes, a comunidade de moda tem

levado ao cinema grandes referências de moda dando profundidade ao tema. De documentários a

filmes inspirados na vida real, aqui estão 12 exemplos extraordinários do que acontece por trás das

passarelas, bem como algumas comédias que são boas demais para deixar de fora.

O DIABO VESTE PRADA

Andrea Sachs (Anne Hathaway) é uma jovem que conseguiu

um emprego na Runaway Magazine, a mais importante

revista de moda de Nova York. Ela passa a

trabalhar como assistente de Miranda Priestly (Meryl

Streep), principal executiva da revista. Apesar da chance

que muitos sonhariam em conseguir, logo Andrea nota

que trabalhar com Miranda não é tão simples assim.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/o-diabo-veste-pradadvd-1800803.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


42

COCO ANTES DE CHANEL

Quando criança Gabrielle Chanel (Audrey Tautou) é

deixada, junto com a irmã Adrienne (Marie Gillain),

em um orfanato. Ao crescer, ela divide seu tempo

como cantora de cabaré e costureira, fazendo bainha

nos fundos da alfaiataria de uma pequena cidade.

Até que ela recebe o apoio de Étienne Balsan (Benoît

Poelvoorde), que passa a ser seu protetor.

Recusando-se a ser a esposa de alguém, até mesmo

de seu amado Arthur Capel (Alessandro Nivola), ela

revoluciona a moda ao passar a se vestir costumeiramente

com roupas de homem, abolindo espartilhos e

adereços exagerados típicos da época

Onde comprar: www.saraiva.com.br/coco-antes-dechanel-dvd-2870007.html

FAZENDO MODA


CINDERELA EM PARIS

43

Um famoso fotógrafo de moda, Dick Avery (Fred Astaire),

trabalha para a Quality Magazine, uma conceituada revista

feminina. Dick cumpre as determinações da editora da

revista, Maggie Prescott (Kay Thompson), que não está

satisfeita com os últimos resultados e tenta encontrar

um “novo rosto”. Dick o acha em Jo Stockton (Audrey

Hepburn), uma balconista de uma livraria no Greenwich

Village onde um ensaio fotográfico ocorrera recentemente.

Após certa resistência, Maggie aceita Jo como a modelo

que irá à Paris para fotografar e ser o símbolo da Quality.

Jo só concorda pois lá poderá conhecer Emile Flostre

(Michel Auclair), um intelectual cujas idéias ela idolatra.

Entretanto, ao chegarem em Paris as coisas não correm

como o planejado.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/cinderela-em-paris-dvd-2881758.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


44

DIOR E EU

O backstage dos manequins da primeira coleção de alta

costura do estilista Raf Simon para a marca Dior. Com pleno

acesso ao dia a dia da equipe, concedido pelo estilista

em seu primeiro ano como diretor de arte da marca, as

camêras puderam retratar as pressões e agitações de uma

das maiores marcas do mundo da moda.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/christian-dior-yyo-1993248.html

FAZENDO MODA


THE SEPTEMBER ISSUE

45

The September Issue é um documentário sobre a Vogue,

mostrando o “behind-the-scenes” da edição da revista de

setembro de 2007, e segue de perto a editora-chefe Anna

Wintour e sua equipe de produção.

Dispondo de grandes estilistas e modelos, este é um doc

de moda inspirador e educacional. Qualquer um que

esteja interessado no mundo da moda deve conferir!

Onde comprar: www.amazon.com/The-September-Issue-Anna-Wintour/dp/B002QQ8HAG

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


46

SEX AND THE CITY

Sex and the City (O Sexo e a Cidade, em Portugal e Sexo

e a Cidade, no canal TBS do Brasil) é uma premiada série

de televisão americana baseada num livro com o mesmo

nome de Candace Bushnell, Scott B. Smith e Michael

Crichton. Foi originalmente transmitida nos Estados

Unidos pela cadeia HBO, de 1998 a 2004.

Passada na cidade de Nova Iorque, a série focava nas

relações íntimas de quatro mulheres que eram amigas,

três das quais na casa dos trinta, e uma, Samantha, nos

seus quarenta. A série focou muitas vezes em assuntos

relevantes como o papel da mulher na sociedade atual.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/sex-and-the-citycollection-18-dvds-3530697.html

FAZENDO MODA


OS DELÍRIOS DE CONSUMO DE BECKY BLOOM

47

Nova York. Rebecca Bloomwood (Isla Fisher) é uma garota

que adora fazer compras e seu vício a leva à falência. Seu

grande sonho é um dia trabalhar em sua revista de moda

preferida, mas o máximo que ela consegue é um emprego

como colunista na revista de finanças publicada pela

mesma editora. Quando enfim seu sonho está prestes a

ser realizado, ela repensa suas ambições.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/os-delirios-de-consumo-de-becky-bloom-dvd-2666253.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


48

BREAKFAST AT TIFFANY’S

Holly Golightly (Audrey Hepburn) é uma garota de

programa nova-iorquina que está decidida a casar-se

com um milionário. Perdida entre a inocência, ambição

e futilidade, ela toma seus cafés da manhã em frente

à famosa joalheria Tiffany`s, na intenção de fugir dos

problemas. Seus planos mudam quando conhece Paul

Varjak (George Peppard), um jovem escritor bancado pela

amante que se torna seu vizinho, com quem se envolve.

Apesar do interesse em Paul, Holly reluta em se entregar

a um amor que contraria seus objetivos de tornar-se rica.

Onde comprar:

FAZENDO MODA


FACTORY GIRL - UMA GAROTA IRRESISTÍVEL

49

Edie Sedgwick (Sienna Miller) é uma modelo rica, bela e

ambiciosa, que tem sua vida alterada após conhecer Andy

Warhol (Guy Pearce), o mais famoso artista plástico de

Nova York. Edie passa a frequentar o estúdio de Warhol,

onde músicos, artistas e atores se encontram durante o

dia para criar arte e à noite para se divertir. Aproveitando

a proximidade com Warhol, Edie lhe pede que dê uma

ajuda a Danny Quinn (Hayden Christensen), um talentoso

músico. Quinn, por sua vez, deseja que Edie se afaste

de Warhol, acusando-o de usá-la em seus filmes sem lhe

pagar algo.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/uma-garota-irresistivel-dvd4-2003532.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


50

ANNIE HALL

Alvy Singer (Woody Allen), um humorista judeu e divorciado

que faz análise há quinze anos, acaba se apaixonando por

Annie Hall (Diane Keaton), uma estilosa cantora em início

de carreira com uma cabeça um pouco complicada. Em um

curto espaço de tempo eles estão morando juntos, mas

depois de um certo período crises conjugais começam a

se fazer sentir entre os dois.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/noivo-neurotico-noiva-nervosa-dvd-653470.html

FAZENDO MODA


DOWNTON ABBEY

51

No início do século XX, a família Crawley luta para manter

o legado de Downton Abbey. Após a morte de um parente

que estava à bordo do Titanic, Robert Crawley (Hugh

Bonneville) descobre que o novo herdeiro da propriedade

é um sobrinho distante, Matthew Crawley (Dan Stevens),

um advogado com pensamentos modernistas. Enquanto

Robert e sua esposa Cora (Elizabeth McGovern) se

preocupam com o futuro das suas filhas, Mary (Michelle

Dockery), Edith (Laura Carmichael) e Sybil (Jessica Brown

Findlay), os empregados da mansão trabalham para

manter a rotina da família, com todas as regras da época.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/downton-abbey-temporadas-1-2-e-3-dvd-4904136.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


52

MARIA ANTONIETA

A princesa austríaca Maria Antonieta (Kirsten Dunst) é

enviada ainda adolescente à França para se casar com

o príncipe Luis XVI (Jason Schwartzman), como parte de

um acordo entre os países. Na corte de Versalles ela é

envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas

familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca

se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar

um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode

se divertir e aproveitar sua juventude. Só que, fora das

paredes do palácio, a revolução não pode mais esperar

para explodir.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/maria-antonieta-mundo-pink-dvd-1994629.html

FAZENDO MODA


53

ALEGRIA É O

SEGREDO DE TODA A

BELEZA. SEM ALEGRIA

NÃO HÁ BELEZA

Christian Dior

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


54

LIVROS DE MODA

Beber de novas referências é sempre uma fonte para se obter conhecimento. Para nossa sorte, estudiosos

e pessoas que são referências no assunto estudaram e disseminaram conteúdo em forma de

livros. Desse modo, selecionamos algumas obras para complementar o curso, acrescentando ao que

aprendemos nas vídeo-aulas.

Veja abaixo a lista de 10 livros que selecionamos para contextualizar o curso.

HISTÓRIA DA INDUMENTÁRIA E DA MODA

Com base em pesquisa histórica, esta obra tem o intuito de

apresentar a indumentária e a evolução da moda desde os

povos da Antiguidade à estilistas do século XX e à indústria

das marcas internacionais. Cada capítulo ilustrado procura

abordar a indumentária e os costumes das culturas e períodos

históricos mais representativos através de seu contexto.

Também leva em consideração o papel da mulher na sociedade

em questão e descreve o vestuário de homens e mulheres

e os tecidos utilizados, além de chapéus, acessórios de

cabeça, penteados, maquiagem, perfumes e demais cuidados

pessoais.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/historia-da-indumentaria-e-da-moda-das-antiguidades-aos-dias-atuais-4236145.html

FAZENDO MODA


GLAMOUR

55

Reedição de uma obra considerada um clássico da literatura sobre moda.

Nesta nova versão, inédita no Brasil, Marc Jacobs escreve o prefácio.

Glamour foi escrito pela editora de moda Diane Vreeland, que aceitou o

pedido de Jacqueline Kennedy Onassis para criar uma obra que tivesse

vários comentários e dicas de estilo e moda. Com muita experiência

no meio, já que foi editora da Harper’s Bazaar por mais de 25 anos e

editora da Vogue americana por 8 anos. Vreeland selecionou fotos de

paparazzi de editoriais de moda e de pessoas comuns para escrever suas

observações e apontamentos sobre o que é estilo e elegância.

Onde comprar: editora.cosacnaify.com.br/Loja/PaginaLivro/11594/Glamour-.

aspx

A ARTE DA ELEGÂNCIA

Traduzido em português, a biografia não autorizada do estilista Yves Saint

Laurent mostra todos os lados deste ícone fashion dos anos 20. Além de

sua genialidade, capaz de criar o vestido Mondrian e o smoking feminino,

a obra fala sobre uma outra parte do designer, que teve problemas

com drogas e álcool. A jornalista entrevistou mais de 50 pessoas que

conheceram Yves, desde colegas, médicos e modelos. O único que não

quis falar foi seu fiel sócio e companheiro amoroso, Pierre Bergé.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/saint-laurent-a-arte-da-elegancia-3425065.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


56

A PARISIENSE

A ex-modelo da Chanel, Ines de La Fressange, atualmente consultora de

moda e executiva da grife Roger Viver, escreveu este livro com dicas de

como ter o tradicional jeito “parisiense” de viver, misturando elegância e

o tradicional clima boêmio e boho-chic da cidade. Todavia, as orientações

servem para você ficar bonita e confortável em qualquer cidade. Além

disso, a obra é cheia de fotos e é gostosa de ler, com dicas “pé no chão”

e atemporais de estilo.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/parisiense-o-guia-de-estilo-de-inesde-la-fressange-3691236.html

ARQUIVOS URBANOS

Um álbum de fotos, literalmente. Em Arquivo Urbano, nossa professoa

Jussara Romão resgata a mudança no vestuário brasileiro em 100 anos

de história brasileira, entre 1900 e 2000, através da reunião de registros

pessoais e fotos de família. O desafio é ousado, admite Jussara: “O livro

tem 232 páginas, mas a curadoria foi feita entre mais de mil fotos”

Onde comprar: www.saraiva.com.br/arquivo-urbano-100-anos-de-fotografia-e-moda-no-brasil-6832677.html

FAZENDO MODA


A CIDADE E A MODA

57

Analisa a maneira como a “boa sociedade” do Rio de Janeiro se

relacionava com a roupa e a moda no decorrer do século XXI. Partindo

dos manuais de etiqueta que circulavam no Brasil e em Portugal, dos

jornais femininos e das teses apresentadas à Faculdade de Medicina do

rio de Janeiro, a obra mostra o papel que a moda exerceu no longo

processo de civilização dos modos.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/a-cidade-e-a-moda-128206.html

A MODA E SEU PAPEL SOCIAL

Diane Crane traça um histórico das relações que mediaram a criação

e as transformações no uso da moda. Estudando a moda desde sua

origem, a autora demonstra como sua função de indicar status social

foi gradativamente alterada, nas sociedades contemporâneas, para

a de fator de construção da identidade do indivíduo, mediante sua

correspondência com valores que cada pessoa escolhe cultivar.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/a-moda-e-seu-papel-social-classegenero-e-identidade-das-roupas-2-ed-2006-2851582.html

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


58

ENSAIOS SOBRE MODA, ARTE E GLOBALIZAÇÃO CULTURAL

Nesta coletânea de ensaios, a socióloga Diana Crane expõe o que se

poderia chamar de ciclo de vida dos mais notáveis produtos da indústria

do vestuário: como nascem, amadurecem e desaparecem as criações dos

estilistas e designers responsáveis, ao lado da mídia, pelo fascínio que

esse setor exerce sobre a sociedade. Assim, contribui para a compreensão

de alguns mecanismos que regulam a economia simbólica no campo

das atividades ligadas à moda, recorrendo a teorias consagradas sobre

a produção, a difusão e a valorização cultural, pois a moda, sem dúvida,

também é cultura.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/ensaios-sobre-moda-arte-e-globalizacao-cultural-3663482.html

CONSUMO DE MODA

Os profissionais de moda estão tentando cada vez mais categorizar a

moda de acordo com suas percepções do consumidor. Entretanto, muito

da pesquisa nesta área centra-se em torno das considerações econômicas

e demográficas, desconsiderando o significado social e psicológico da

moda como meio de dar forma à identidade e à diferenciação do grupo.

Este livro considera teorias no desenvolvimento da identificação social e

o papel da moda em facilitar estas construções.

Onde comprar: www.saraiva.com.br/consumo-de-moda-a-relacao-pessoa-objeto-2603659.html

FAZENDO MODA


MODA E ARTE NA REINVENÇÃO DO CORPO FEMININO DO

SÉCULO

59

Uma primorosa descrição da mulher oitocentista vestida de acordo com

os paradigmas sociais e redesenhada pelos valores da época, numa

análise apresentada em duas vertentes história da moda e história da

arte. A roupa determina um valor especial na construção estética que

circunda o universo sonhador e submisso das damas burguesas, que será

contado, analisado e evidenciado especialmente por meio do estudo

das anáguas e saias. O que há por trás desses trajes, o que eles ocultam

e evidenciam?

Onde comprar: www.saraiva.com.br/moda-e-arte-na-reinvencao-do-corpo-feminino-do-seculo-xix-2-ed-2011-3671642.html

Se possui outras referências interessantes que possam contribuir para o curso, compartilhe no

grupo de discussão com os outros participantes :)

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


60

PARA CRIAR ALGO

EXCEPCIONAL VOCÊ

DEVE FOCAR NOS

PEQUENOS DETALHES

Mark Jacobs

FAZENDO MODA


LINKS DE MODA

61

Elencamos opções de sites para você sempre ficar a par das novidades do mundo da moda.

#1 STYLE.COM

Site americano com notícias, artigos e coberturas diárias dos principais

eventos e lançamentos da moda em todo o mundo.

#2 DAZED AND CONFUSED

Portal traz notícias do mundo da moda somado à cultura pop: música,

cinema e artes.

#3 FASHIONISTA.COM

Apanhado diário de novas peças de roupas, entrevistas com estilistas e

updates sobre o mercado da moda.

#4 VOGUE FASHION

Editoria online da parte de moda da Vogue americana, com links

selecionados pelos editores da revista.

#5 THE BUSINESS OF FASHION

Análises, matérias e artigos desse portal que se destina a olhar a moda

sob a ótica de negócios.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


62

#6 WWD.COM

Portal que trata da moda sob um ponto mais amplo: lifestyle, viagens e

culinária englobam as editorias. Claro, além de inúmeras dicas de estilo.

#7 PETISCOS, POR JULIA PETIT

Julia e sua equipe trazem tendências, notícias e vídeos sobre moda.

Além de diversos tutoriais e coberturas de eventos.

#8 ACHADOS DA BIA

Bia Perotti traz moods semanais, dicas de estilo, tendências de fora e

inspiração para suas leitoras

#9 HYPERCOOL

Portal nacional com cobertura diária de moda e lifestyle

#10 WADMAG

Um dos portais mais novos e relevantes, com foco em cores, estilos e

design.

FAZENDO MODA


63

BOM GOSTO DEMAIS

PODE SER CHATO

Diana Vreeland

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


64

ENTREVISTA COM

JUSSARA ROMÃO

O que é moda para você?

É um dos pilares para se identificar o comportamento social de uma época.

Como ela impacta nas nossas vidas?

A moda representa o indivíduo e seu estilo de vida. E hoje ainda vai mais além expressando também

como ele se sente.

Como você se relaciona com a moda no seu dia-a-dia?

Passamos por muitos estágios na moda durante a vida. Da insegurança total ao “sou assim e daí?”

até finalmente aprendermos a adequar nossas vontades as ocasiões e suas necessidades. Estou neste

último estágio.

FAZENDO MODA


Com o jeito de se vestir, de se informar, de consumir. Como é a

relação da Jussara com a Moda?

65

Sou uma workaholic da moda, e adoro! Tudo e todos são fontes de inspiração. Mantenho um arquivo

diversificado de sites, blogs; acompanho as redes sociais; sou curiosa por conhecer todas as expressões

de arte e observo as ruas sem qualquer preconceito. Sou uma espiã do comportamento e

uma esteta por natureza. Não sou consumista e mantenho um guarda-roupa prático que não perde a

validade a cada estação. Mas como toda mulher me apaixono facilmente.

Você trabalha com moda há mais de 20 anos e a moda sempre

se transforma. Qual desses momentos foi o mais marcante?

Posso falar sobre as mudanças do início do século passado com a queda do espartilho, a entrada do

esporte na vida social, os longos cabelos cortados “à la garçonne”.

Mas viver a transformação é mais simbólica e para mim o momento mais marcante aconteceu dos

anos 70 para os anos 90. O mix de texturas, cores, a leveza dos tecidos e a sensação refletida pelo

“paz e amor” ganhou uma estética simples, preto e branco, rígida e a sensação de auto controle e

busca pela modernidade. Também é impossível não falar das mudanças que o anos 2000 trouxeram

em relação ao século passado, rompendo de vez com ditadura da moda e exigindo espaço para a

personalidade individual.

FAZENDO MODA - Panorama da moda e sua importância na sociedade


66

Se você pudesse escolher um momento importante na história

da moda, qual seria? Qual momento que você gostaria de ter

vivido?

Sem dúvida alguma os anos 20. Gosto da estética, da liberdade conquistada pelas mulheres e da

sensação que devemos viver intensamente. Eu pertenço a essa época.

Qual caminho que a moda está seguindo? Com a ascenção dos

meios digitais você acredita que a moda mudou?

Estamos em um momento de ruptura. A sociedade está mais ativa, opinativa e isso reflete na sua forma

de se expor. Talvez essa liberdade assuste a muitos e isso traga novamente o culto a repressão.

Além disso temos a tecnologia envolvendo nossas vidas, portanto tudo será possível. Mas a moda

continuará a ser o que sempre foi, um identificador de todas essas mudanças.

FAZENDO MODA

Similar magazines