09.05.2015 Views

PETROBRAS - Movimento Brasil Competitivo

PETROBRAS - Movimento Brasil Competitivo

PETROBRAS - Movimento Brasil Competitivo

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Rede de Melhoria da Gestão para o

Desenvolvimento da Cadeia Nacional de

Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras

49ª Reunião do Fórum Nacional de QPC

24 março 2010

Pedro Penido Duarte Guimarães

PETROBRAS


Contextualização da criação da

rede de gestão

• Plano de Negócios da Petrobras 2009-2013 : US$ 174,4 bilhões (megainvestimentos)

• De cerca de US$ 10/12 bilhões ao ano para cerca de US$ 35 bilhões ao ano

• Novo marco regulatório

• Diretrizes para conteúdo nacional

• Sustentabilidade EAS – econômica, ambiental e social

• Dependência destes investimentos da capacidade empresarial, pública,

produtiva brasileira

• N questões associadas – capacitação, legislação, financiamento, gestão, …

• Gestão amplo sentido: conhecimentos de Qualidade, Produtividade,

Competitividade, Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Ambiental,

Inovação, Pessoas, Gestão do Conhecimento, Eficiência Energética,

Financiabilidade e Disciplina de Capital.

• Atenção para casos / experiências internacionais: Holanda, Noruega,

Nigéria, …

• Parceria: Petrobras, Ministério do Planejamento, MBC e FNQ


O QUE É O PRÉ-SAL

‣ Grandes reservatórios de petróleo e gás natural

‣ Situados entre 5.000 e 7.000 metros abaixo do nível do mar

‣ Lâminas d'água que podem superar 2.000 metros de profundidade

‣ Abaixo de uma camada de sal que, em certas áreas, tem mais de 2 mil metros de espessura.

2.000

m

Corcovad

o

3.000

m

Pré-

Sal


E qual é o futuro do petróleo?

Matriz Energética

Mundial 2030

Outros

Renováv

eis

2%

Biomas

sa

10%

Hidro 5%

2%

Nuclear

Carvão

29%

22%

30%

Petróleo

Matriz Energética no Brasil 2030

Carvão

Mineral

Outros

Renováveis

7%

9%

18%

Derivados da

Cana-de-Açúcar

Petróleo

27%

6%

14%

Lenha e Carvão

Vegetal

16%

3%

Hidro

Gás

Nuclear

Gás

Fonte : AIE - Agência Internacional de Energia –

cenário de referência

Fonte : EPE - Empresa de Pesquisa Energética – Balanço Energético Nacional

2009 (resultados preliminares)

MME – Matriz Energética 2030 – Cenário de Referência do PNE 2030


DEMANDA VERSUS OFERTA PETROLÍFERA

• Os maiores mercados consumidores de petróleo produzem apenas pequena

parcela do que consomem → dependem dos grandes países produtores

• Os maiores produtores de petróleo, por sua vez, não possuem grandes mercados

consumidores domésticos → dependem das exportações

• O Brasil é um grande produtor de petróleo que possui um grande mercado

consumidor interno

11

Importações e Exportações Líquidas de Petróleo

(Milhões barris por dia)

6

1

-4

-9

EUA

Japão

China

Alemanha

Coréia do

Sul

Índia

França

Ar. Saudita

Rússia

Irã

Em.

Árabes

Kuwait

Noruega

Nigéria

Venezuela

Iraque

-14

Principais consumidores

x

Principais produtores da OPEP,

incluindo Rússia e Noruega


ACESSO ÀS RESERVAS E ÀS TECNOLOGIAS

O conflito de interesses petrolíferos :

Países com muitas reservas, pouca tecnologia, reduzida base industrial,

conflitos regionais e instabilidade institucional

X

Países com grandes mercados consumidores com poucas

reservas, alta tecnologia, grande base industrial e estabilidade

institucional

Situação Privilegiada

BRASIL: País com grandes reservas, alta tecnologia em petróleo,

base industrial diversificada, grande mercado consumidor,

estabilidade institucional e jurídica


A PROVÍNCIA DO PRÉ-SAL

• A grande área em azul indica a ocorrência prevista para o Pré-sal, com potencial

para a presença de petróleo

• Área total da Província: 149.000 km2

• Área já concedidas: 41.772 km2 (28%)

• Área sem concessão: 107.228 km2 (72%)

• Área concedida c/ partc. Petrobras: 35.739 km2 (24%)


RESERVAS PROVADAS E ESTIMATIVAS

COM TUPI, IARA E PARQUE DAS BALEIAS

‣ Em 1953 o Brasil possuía mínimas reservas e produzia 2.700bpd (Recôncavo)

‣ Na busca de garantir a auto-suficiência, a pesquisa por reservas migrou dos campos em terra

para águas ultra-profundas

‣ No pré-sal já concedido está provado o êxito da estratégia que levou às descobertas,

dobrando, pelo menos, as reservas nacionais.

Histórico das Reservas Provadas

Milhões de barris de óleo equivalente

Águas Profundas

Águas Ultra-profundas

Pré-Sal

+14,0

+9,5

14.093 14.093

Inclui

apenas

Tupi, Iara

e Parque

das

Baleias

Águas Rasas

9.648

17

Terra

1.064

3.350

1953 1970 1985 2000 2008 Futuro


Desafios logísticos do Pré-sal


Desafios do downstream

(do Pré-sal)

• 5 novas refinarias a serem construídas no Brasil:

• MA, CE, RN, PE, RJ

• Capacidade adicional de refino de mais de 1,2 milhões bpd

• Investimentos focados em qualidade e conversão


Plano de Negócios 2009 / 2013

PRODUÇÃO PETRÓLEO E GÁS - MBPD

5.729

CAPACIDADE DE REFINO

3.012

7,5% a.a.

223

2.270

2.308

2.757

409

1,177

1.779

1.791

109

126

100

124

273 321

103

142

463

131

210

634

3,920

2008 2009 2010 2011 2012 2013 2020

1,792 1,855 2,050

2,680

Plano de negócios 2009-2013 US$174,4 Bilhões

2007 2008 2009 2013 2020

Produção de Óleo - Brasil

Produção de Gás - Brasil

Produção de Óleo - Internacional

Produção de Gás - Internacional

25%

2%

3%

2% 2%

7% 5,6 3.0

11,8

2.8

3.2

43,4

104,6 (*)

59%

US$ 174,4 bilhões

E&P

RTC

G&E

Petroquímica

Distribuição

Biocombustíveis

Corporativo

(*) US$ 17,0 bilhões destinados a

Exploração


NOVAS EMBARCAÇÕES

Recursos Críticos

Planejamento de Entrega de Novas Embarcações

de 2009 até 2013 de 2013 até 2015 de 2016 até 2020

Navios de Grande Porte (1) 44 5 0

Barcos de Apoio e Especiais 92 50 53

Plataformas de Produção (2) 15 8 22

TOTAL 151 63 75

Barco de Apoio Navio de grande porte (VLCC) Plataforma de Produção (FPSO)

SONDAS DE PERFURAÇÃO

Os investimentos previstos atendem às necessidades da carteira

exploratória e de desenvolvimento da produção da Petrobras

28 serão construídas no Brasil com entrega prevista no período de 2013 a 2018

(1) Promef 1 e Promef 2

(2) FPSO e SS


A PETROBRAS E O FORNECIMENTO DE BENS

E SERVIÇOS NO BRASIL

Adequação do Complexo Industrial Nacional para Fornecimento de Bens e Serviços

Fornecimento de Bens e Serviços (B&S)

Indústria

Nacional

Indústria

Nacional

Importações

Acréscimo na

Capacidade de

Suprimento

Nacional de

B&S

Indústria

Nacional

Importações

Ações integradas da Petrobras

5. Incentivo para instalação de

empresas internacionais no Brasil

4. Incentivar a associação entre

companhias nacionais e

internacionais

3. Incentivar novos entrantes

nacionais

2. Desenvolver concorrência em

setores de média competição

1. Ampliar Capacidade Produtiva de

setores altamente competitivos

Demanda Atual

Demanda Futura


Data de Apresentação: 01/09/2009

Proposição: PL-5938/2009

Ementa: Dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de

outros hidrocarbonetos fluidos sob o regime de partilha de produção, em áreas do

pré-sal e em áreas estratégicas, altera dispositivos da Lei nº 9.478, de 6 de agosto de

1997, e dá outras providências.

Proposição: PL-5939/2009

Ementa: Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa

Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. - PETRO-SAL, e dá outras

providências.

Proposição: PL-5940/2009

Ementa: Cria o Fundo Social - FS, e dá outras providências.

Proposição: PL-5941/2009

Ementa: Autoriza a União a ceder onerosamente à Petróleo Brasileiro S.A. -

PETROBRAS o exercício das atividades de pesquisa e lavra de petróleo, de gás

natural e de outros hidrocarbonetos fluidos de que trata o inciso I do art. 177 da

Constituição, e dá outras providências.


O PRÉ-SAL E A CÂMARA DOS DEPUTADOS

Comissões Especiais instaladas em 16/9/09

(PL, Presidente, Relator)

www.camara.gov.br

Regime de Partilha (350 emendas)

PL 2502/07 (PL 5938/09): Arlindo Chinaglia (PT/SP) e Henrique Alves (PMDB/RN)

Situação: dia 10/12 foi aprovado (parte); aprovada Emenda IBSEN (10/3); segue para Senado Federal

Criação da Petro-sal (106 emendas)

PL 5939/09: Brizola Neto (PDT/RJ) e Luiz Fernando Faria (PP/MG)

Situação: aprovado; segue para Senado Federal

Criação de Fundo Social (301 emendas)

PL 5417/09 (PL 5940/09): Rodrigo Rollemberg (PSB/DF) e Antonio Palocci (PT/SP)

Situação: aprovado; segue para Senado Federal

Cessão Onerosa e Capitalização da Petrobras (67 emendas)

PL 5941/09: Arnaldo Jardim (PPS/SP) e João Maia (PR/RN)

Situação: aprovado; segue para Senado Federal


Processo de constituição da

rede

CONSTITUIÇÃO DE UMA REDE VISANDO À MELHORIA DA

GESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CADEIA NACIONAL

DE FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS À PETROBRAS

• 1a. etapa - Meados de 2009 a 15 e 26 dezembro de 2009 (1a.

Oficina)

• 2a. etapa - de 15 e 26 dezembro de 2009 (1a. Oficina) a abril

2010 (2a. Oficina)

• 3a. etapa – a partir de maio de 2010 – Implantação da rede


1 a Oficina realizada em

15 e 16/12/2009

• Participação nacional relevante de: entidades voltadas à

melhoria da gestão; entidades governamentais; entidades de

fomento; entidades empresariais; entidades sindicais;

programas(PROMINP, CE-EPC) e Petrobras

• Mobilização e alinhamento das instituições envolvidas,

resultando na proposta de criação de uma rede de gestão da

cadeia nacional de fornecedores de bens e serviços da

Petrobras

• Formulação dos elementos inicias da estratégia e do modelo

• Formulação dos elementos inicias da estratégia e do modelo

da rede, a serem aprofundados através de Grupos de

Trabalho, para análise, discussão e validação na 2ª Oficina (26

e 27 de abril)


Resultados da 1 a Oficina

Visão de Futuro 2020

“Contribuir de modo efetivo para a melhoria da gestão na

cadeia nacional de fornecedores de bens e serviços da

Petrobras, tornando-a mais competitiva em escala global,

sustentável nas dimensões econômica, social e ambiental, e

dotada de elevada capacidade de inovação, mobilização e

integração.”


Resultados da 1 a Oficina

Políticas ou Requisitos de Gestão

• Melhoria do ambiente de negócios e das condições de competitividade

setorial, incluindo a melhoria da capacidade de gestão dos investimentos

públicos, inclusive em infraestrutura e logística

• Educação e capacitação de pessoas, a partir dos níveis de base até os mais

especializados

• Gestão e fortalecimento da cadeia de fornecedores diretos e indiretos,

incluindo todos os seus integrantes

• Capacidade de gestão das empresas para produzirem ou fornecerem bens

e serviços de acordo com padrões de excelência

• Prioridade ao conteúdo nacional nas aquisições da Petrobras

• Gestão do desenvolvimento local e regional – regulação urbana,

minimização de externalidades negativas – nas áreas de influência e

impacto da cadeia e da Petrobras

• Inserção das micro e pequenas empresas na cadeia – requisito

“transversal” que deve integrar-se aos demais


Resultados da 1 a Oficina

Princípios e Valores

• Transparência e credibilidade

• Comportamento ético

• Cooperação e compartilhamento de benefícios

• Comprometimento e engajamento

• Respeito à diversidade sob todos os seus aspectos


Resultados da 1 a Oficina

Diretrizes para a Rede

• Promover a representatividade, o pluralismo (governo, setor

privado, ONGs, academia, Petrobras e centrais sindicais), a

amplitude e a capilaridade da rede

• Definir papéis e responsabilidades dos integrantes da rede

• Desenvolver e utilizar mecanismos próprios de coordenação,

monitoramento e avaliação

• Estruturar e implantar projetos, ações e metas mobilizadoras


Resultados da 1 a Oficina

Carta de Granja Viana – 16.12.2009

• ... e considerando a mudança de escala que os gigantescos investimentos da Petrobras nos

próximos anos em toda a cadeia produtiva de óleo e gás – capitaneados pela explotação

das reservas do pré-sal – proporcionarão a produção, industrialização e comercialização de

óleo e gás no Brasil, os representantes das entidades abaixo concordam e apóiam a

constituição de uma rede visando à melhoria da gestão para o desenvolvimento da cadeia

nacional de fornecedores de bens e serviços à Petrobras.

• …melhoria das condições de competitividade da indústria brasileira de óleo e gás; a

gestão, o fortalecimento e a viabilização da expansão da cadeia de fornecedores, inclusive

com maior inserção de micro e pequenas empresas; a capacitação tecnológica e gerencial

das empresas que integram esta cadeia; a busca de crescente conteúdo nacional em

condições globalmente competitivas; ... gestão proativa do desenvolvimento sustentável

das localidades ...

• Os signatários reafirmam sua crença e confiança de que nós, os brasileiros, seremos

capazes de capturar as extraordinárias oportunidades trazidas pelos investimentos na

expansão da indústria de óleo e gás e transformá-las em propulsoras do desenvolvimento

sustentável do país – nesta e em futuras gerações.


Signatários da Carta de Granja

Viana – 16.12.2009

• ABDI ABEAM ABEMI ABENDI ABIMAQ ABINEE ABITAM ABM ABNT/CB-25

ANDIFES ANP ANPROTEC BNDES CDES CEBDS CE-EPC CGEE CGTB CNI

CONFEA CONSEPLAN CUT DIEESE FENAINFO FINEP FNQ GesPública IEL

INMETRO INPI Instituto Observatório Social MBC MDIC MMA MME

MPOG/SEGE PETROBRAS PROMINP Rede Brasil + SBGC SEBRAE SINAVAL


Instalação da Rede – Pilares

• Desenvolver a modelagem da rede, definir estrutura de

governança, participantes, papéis e responsabilidades,

unidades permanentes e transitórias (núcleo de mobilização e

animação da rede, grupos de trabalho, câmara técnica,

instância deliberativa, etc.) e a origem e aplicação de recursos

• Desenvolver plano estratégico, com objetivos, estratégias e

projetos mobilizadores

• Definir, mobilizar e sensibilizar os atores para adesão à rede,

estruturando a comunicação e relacionamento da rede com

uso intensivo das tecnologias de informação e comunicação


Grupos de Trabalho

Ponto de partida da segunda oficina - análise e validação dos

resultados desenvolvida por grupos de trabalho:

GTs

GT1 - Núcleo de Coordenação e

Integração

Coordenação

PETROBRAS / MP-GESPÚBLICA

GT 2 - Esfera Pública Relacionada ao

Ambiente de Negócios

MP-GESPÚBLICA / MBC

GT 3 - Apoio à Melhoria da Gestão

Empresarial

FNQ / SEBRAE

GT 4 - Sustentabilidade Econômica,

Ambiental e Social, Local e Regional

CEBDS / CGEE

GT 5 - Integração de Diagnósticos

ABDI / BNDES


Uma rede de apoio à produção de bens e

serviços para a cadeia de petróleo e gás da

Petrobras

A cadeia de fornecedores mescla

características de mercado e rede

Sistema Financeiro: $$

Governos: regulações,

políticas públicas,

incentivos...

Sistema de educação

e C&T: conhecimento,

tecnologia

Associações de classe:

representação de

interesses etc.

Outros....

Mercado Fornecedor

(cadeias, clusters etc.)

Cadeia de Valor da

Petrobras

Insumos Atividades Produtos Impactos

Formar/rearticular

/reorientar /realinhar a Rede

Rede de Apoio à Gestão & RSA

Projetos/Objeto

s

1 2 3 n

1

2

3

n

Atores

Rede de apoio, que será sobreposta e integrada às

demais já atuantes ao longo da cadeia de

fornecedores da Petrobras, praticamente como

uma camada ou dimensão desta, voltada à

melhoria da gestão


Redes Colaborativas

• Convergência de propósitos, orientada para resultados

• Não hierárquica

• Percepção de que a cooperação gera valor

• Conjunto de atores com uma agenda em comum

• Podem ter elementos de:

• Redes sociais (objetivos comuns são episódicos)

• Policy networks (posicionamento em torno de questões de políticas públicas)

• Actor-networks (relações entre pessoas, idéias e tecnologias)


Estratégia

Resultados

Um conjunto de atores com uma

estratégia comum

P

r

o

j

e

t

o

1

P

r

o

j

e

t

o

1

P

r

o

j

e

t

o

2

P

r

o

j

e

t

o

2

P

r

o

j

e

t

o

3

P

r

o

j

e

t

o

3

P

r

o

j

e

t

o


P

r

o

j

e

t

o


P

r

o

j

e

t

o

n

P

r

o

j

e

t

o

n

Atores


Estratégia e atores se cruzam; os atores

formam a estrutura implementadora

Estratégia

Resultados

P

r

o

j

e

t

o

P

r

o

j

e

t

o

P

r

o

j

e

t

o

P

r

o

j

e

t

o

P

r

o

j

e

t

o

1

2

3


n

Atores


Formando redes de implementação

no âmbito de cada projeto

Estratégia

Resultados

P

r

o

j

e

t

o

1

P

r

o

j

e

t

o

1

P

r

o

j

e

t

o

2

P

r

o

j

e

t

o

2

P

r

o

j

e

t

o

3

P

r

o

j

e

t

o

3

P

r

o

j

e

t

o


P

r

o

j

e

t

o


P

r

o

j

e

t

o

n

P

r

o

j

e

t

o

n

Atores

Cada

projeto

enseja uma

rede de

governança

(MICRO)


Fortalecendo os atores

Atores se relacionam com um ou

mais projetos, possibilitando

avaliar sua capacidade de

implementação, alocar recursos e

apoiá-los

P

r

o

j

e

t

o

P

r

o

j

e

t

o

Estratégia

Resultados

P

P

r

r

o

o

j

j

e

e

t

t

o

o

P

r

o

j

e

t

o

1

2

3


n

Cada ator

participa de

um

conjunto de

Projetos

Recursos &

Apoio

Institucional

Atores

Cada

projeto

enseja uma

rede de

governança

(MICRO)


Animação, Monitoramento e

Avaliação

Promover um

ambiente de

interação,

gerar

informações

sobre o

desempenho

dos projetos e

promover

melhorias

Animação,

Monitoramento e

Avaliação

P

r

o

j

e

t

o

1

P

r

o

j

e

t

o

2

Estratégia

Resultados

P

r

o

j

e

t

o

3

P

r

o

j

e

t

o


P

r

o

j

e

t

o

n

Estruturação da

Rede: maio e

junho de 2010

Atores


pedropenido@petrobras.com.br

Fone 21.32248142

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!