Informativo Semanal do dia 23 de Junho - Diocese de Erexim

diocesedeerexim.org.br

Informativo Semanal do dia 23 de Junho - Diocese de Erexim

Informativo Diocesano Semanal

DIOCESE DE EREXIM

SECRETARIADO DIOCESANO DE PASTORAL

www.diocesedeerexim.org.br E-mail: secretariado@diocesedeerexim.org.br

Fone/Fax: (54) 3522-3611

SETOR DIOCESANO DE COMUNICAÇÃO

Ano 17 – nº. 902 – 23 de junho de 2013

Agenda do Bispo – neste sábaado, de manhã, encontro com as irmãs Franciscanas da

Sagrada Família de Maria, Erechim; 14:30, comunidade São Franicsco de Assis, São Pedro;

19:00, comunidade Sagrado Coração de Jesus, São Pedro; 19:30, missão canônica,

comunidade Santa Bárbara, Paróquia Na. Sra. Aparecida, Bela Vissta, Erechim.

- Neste domingo, encontro de catequistas da Área de Getúlio Vargas, em Estação, com missa

às 15:00;

- Sexta-feira, 19:30, encontro com lideranças da São Pedro, dentro da visita pastoral.

- Sábado, 08:30, reunião do Conselho Diocesano de Pastoral, Seminário; 16:00, comunidade

Na. Sra das Gaças, São Pedro.

- Domingo, Crismas e renovação de mandato dos ministros Cleonir Holz, Ivanor Klein, Luiz Bisol e

Sirlene Terezinha Pavoni, na igresja São Pedro, Sede Dourado, com festa do padroeiro.

Agenda pastoral – Neste domingo, às 14:00, encontro dos delegados da Diocese para a

Jornada Mundial da Juventude, no salão de festas da Catedral.

- Sábado, às 8h30, reunião do Conselho Diocesano de Pastoral, no Seminário de Fátima.

- Sábado e domingo, encontro de formçaão para jovens, em Getúlio Vargas, com a

assessoria de Carmen Lúcia Teixeira, de Goiânia, a mesma do curso diocesano dos

padres, nos primeiro a três de julho.

Conselho Permanente da CNBB analisa aspectos da Igreja e da situaçao

do País: De quarta a sexta-feira desta semana, em Brasília, o Conselho

Permanente da CNBB, composto por mais de 40 bispos, realizou reunião

ordinária. Na pauta dos trabalhos, assuntos de Igreja, como avaliação da

última Assembleia Geral e previsão do tema da próxima, em 2014; criação de

associações de famílias em todo o País; visita do Papa a Aparecida e ao Rio

de Janeiro; proposta da Caritas de uma campanha sobre a pobreza no Brasil e

no mundo; temas de comunicação, entre os quais curso para bispos e

elaboração do Diretório da Comunicação da Igreja no Brasil. Assuntos da

situação do País e do mundo também foram abordados. Inicialmente, foi apresentado aos bispos um

quadro da conjuntura social e política nacional e mundial; foi analisado o Projeto de Reforma Política,

com destaque para o financiamento público das campanhas eleitorais e o papel do Movimento de

Combate à corrução eleitoral em relação à reforma eleitoral. Especial atenção receberam as atuais

manifestações populares em todo o País. Na reflexão sobre o assunto, bispos ponderaram que elas abrem

caminhos para novos evangelizadores e que é necessário identificar valores evangélicos subjacentes a

este movimento. No final da reunião, o Conselho divulgou nota sobre este momento em nosso País.

Diocese de Erexim reúne delegados à Jornada Mundial da Juventude: Neste domingo, 23, às 14:00,

no salão de festas da catedral, a Diocese de Erexim reunirá seus mais de 150 delegados adultos e jovens

à Jornada Mundial da Juventude, de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro.

Iniciando a contagem regressiva de 30 dias até o evento, eles terão seu primeiro

contato entre si e diversas orientações sobre o evento e a viagem, com caráter de

peregrinação. O encontro será coordenado pelo assessor do Setor Diocesano da

Juventude, Pe. Maicon Malacarne e por oito jovens que terão a tarefa de

coordenar o grupo (Ricieri Benedetti, Daniele Marek, Giovani Momo, Fernanda

Dors, Olavo Mezzaroba, Amanda Ferronato, Lucas Pinto e Roger Wandscheer).

O Bispo diocesano, Dom José, e o coordenador diocesano de pastoral, Pe. Cezar

Menegat, peregrinos da Jornada, também participarão do encontro. Os dois padres, durante a Jornada,


estarão à disposição para as confissões. O jovem Ricieri, liberado diocesano para a Pastoral da

Juventude, representará a diocese nos atos centrais no palco do evento, junto com alguns outros jovens

do Brasil, acompanhando de perto o Papa Francisco. No encontro deste domingo, os delegados

receberão o Kit Peregrino-Diocese de Erexim com o catecismo jovem (Youcat), livro intitulado “Cartas

de Francisco às Juventudes”, a programação oficial e diversas orientações para a Jornada Mundial da

Juventude.

Coordenação Diocesana de Pastoral reflete sobre Pastorais Sociais: Segunda-feira passada, a

Coordenação Diocesana de Pastoral, em sua reunião mensal, no

Centro Diocesano de Pastoral, com a presença do bispo

diocesano, Dom José Gislon, a Coordenação Diocesana de

Pastoral refletiu sobre o tema das Pastorais Sociais, sua

identidade, missão e organização, a partir das orientações da

Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz, da

CNBB. Os presentes destacaram a necessidade de olhar com

carinho para essa dimensão da Igreja, que é chamada a testemunhar o amor de Jesus Cristo, no

compromisso de possibilitar que “todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Serão feitos

encaminhamentos no sentido de garantir um articulador das pastorais sociais, reavivando esse

compromisso na diocese. Em seguida, houve encaminhamentos práticos para o ano diocesano e Jornada

Mundial da Juventude, Setor Família, Catequese e outros.

Pastoral Carcerária reflete sobre justiça restaurativa: Os agentes da Pastoral Carcerária da Diocese

de Erexim reuniram-se no último sábado, no Centro Diocesano de

Pastoral, em Erechim. O objetivo do encontro era desencadear um

processo de organização da Escola de Perdão e Reconciliação –

ESPERE, na Diocese de Erechim. Dom José Gislon agradeceu o

trabalho de todos e incentivou-os a continuar a missão de

testemunhar Jesus Cristo nos ambientes prisionais, cuidando da vida

e da dignidade humana. Ressaltou também a importância da presença

da Igreja junto aos encarcerados, contribuindo na sua caminhada de regeneração. Depois, a Ir. Imelda

Jacob, da Congregação de Na. Sra., de Passo Fundo, coordenadora da Pastoral Carcerária do Regional

Sul 3 da CNBB, refletiu sobre o tema da justiça restaurativa, que se constitui num caminho de

conversão, pela prática da acolhida, do perdão e da reconciliação, superando a violência e concretizando

a cultura da paz. Por fim, a Ir. Imelda apresentou o projeto da Escola de Perdão e Reconciliação –

ESPERE, com as dimensões e os passos a serem seguidos. Esta proposta de formação foi assumida pelos

presentes, que fizeram os encaminhamentos para a realização da primeira etapa, no mês de agosto.

Catedral com seis novos ministros: Pe. Dirceu Balestrin, por delegação

do Bispo diocesano, conferiu o ministério de leitor e acólito a dois

servidores e o de ministras extraordinárias da comunhão eucarística a

quatro servidoras da Catedral São José, no dia 15 deste mês. Os novos

ministros são: César Groch, Osvaldo Sachet, Carmen Vicenzi, Ivete

Pescador, Beatriz Frizzo e Noeli Levandoski. Em sua reflexão, Pe.

Balestrin, primeiramente referiu-se às leituras do domingo, que proclamam

a misericórdia de Deus que acolhe e perdoa quem erra, reconhece a falta e

se dispõe a mudar, como fizeram o rei Davi e a pecadora pública, acolhida por Jesus no jantar na casa do

fariseu. Observou que o perdão e o amor transformam as pessoas, que, por sua vez, podem mudar a

família, a sociedade e o mundo. Em segundo lugar, caracterizou o ministério como doação à comunidade

e não poder ou estatus. A respeito do perfil dos ministros, disse que devem ser pessoas de fé, de oração e

de serviço. Sua preocupação deve ser sempre a de fazer o que for melhor para a comunidade.

JMJ Rio2013: a segurança do Papa

Faltando pouco mais de um mês para a Jornada Mundial da Juventude a comitiva de segurança

do Vaticano, - esteve no Rio de Janeiro desde o começo do mês - e os órgãos públicos do país estão

adotando todas as medidas para garantir a segurança do Papa Francisco e dos peregrinos durante o


evento. A comitiva se reuniu com autoridades do Governo Federal,

Estadual, Municipal, e também com membros do Comitê Organizador

Local (COL).

Segundo informações do Comandante da Gendarmeria (Polícia

do Vaticano) Domenico Giani, todos os cuidados estão sendo tomados,

os mínimos detalhes e particularidades estão sendo estudados. “Posso

dizer que é uma bela área e que acolherá muita gente. No que diz

respeito à segurança, creio que posso dizer que se está fazendo o

máximo e que não vejo problema com a segurança”, afirmou o comandante.

O Santo Padre fará muitos deslocamentos a céu aberto no papamóvel e ficará bem próximo dos

fiéis, principalmente durante as visitas à comunidade de Varginha e ao Hospital São Francisco de Assis

na Providência de Deus (HSF). Giani disse ainda que a visita à comunidade será muito importante para a

Igreja e para o Papa: "será um momento muito importante para o Santo Padre de encontro com o mundo

da pobreza e do sofrimento, porque ele deseja uma Igreja a serviço do povo, uma Igreja pobre a serviço

do pobre”. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

Milhares de motoqueiros ouvem Papa a dizer que a liberdade está em Deus

Cerca de 35 mil motoqueiros ouviram na manhã deste domingo Papa Francisco dizer que a

verdadeira liberdade está em Deus. A Praça de São Pedro apresenta este domingo um aspecto fora do

comum, pela presença de dezenas de milhares de motoqueiros que estão em Roma para um encontro que

celebra o 110º aniversário da marca Harley Davidson. A presença na missa desta manhã fazia parte do

programa, que contava ainda com uma bênção do Papa às motos

estacionadas na Via della Conciliazione, que conduz à Praça de São

Pedro.

Os motoqueiros e todos os outros fiéis que participaram na

missa “Evangelium Vitae”, que marcou este domingo, puderam

ouvir o Papa exortar contra as escolhas que conduzem à morte.

“Deus é o Vivente, Jesus traz-nos a vida de Deus, o Espírito Santo

introduz-nos e mantém-nos na relação vital de verdadeiros filhos de

Deus. Muitas vezes, porém, o homem não escolhe a vida, não acolhe o ‘Evangelho da vida’, mas deixase

guiar por ideologias e lógicas que põem obstáculos à vida, que não a respeitam, porque são ditadas

pelo egoísmo, o interesse pessoal, o lucro, o poder, o prazer, e não pelo amor, a busca do bem do outro.”

O resultado, afirma o Papa é que “o Deus Vivo acaba substituído por ídolos humanos e passageiros, que

oferecem o arrebatamento de um momento de liberdade, mas no fim são portadores de novas

escravidões e de morte”. “O Deus Vivo faz-nos livres!”, concluiu o Papa, “digamos sim ao amor e não

ao egoísmo, digamos sim à vida e não à morte, digamos sim à liberdade e não à escravidão dos

numerosos ídolos do nosso tempo; numa palavra, digamos sim a Deus, que é amor, vida e liberdade, e

jamais desilude”.

As palavras da homilia do Papa tiveram por base a leitura do Antigo Testamento que narra a

forma como o Rei Davi, depois de ter cometido adultério e engravidado a mulher do seu leal guerreiro

Urias, manda que este seja colocado na frente da batalha para que seja morto, esperando assim esconder

o seu pecado. O Papa explica que: “Quando o homem quer afirmar-se a si mesmo, fechando-se no seu

egoísmo e colocando-se no lugar de Deus, acaba por semear a morte”.

O Papa falou também do Evangelho no qual Jesus Cristo escandaliza os seus contemporâneos

por ser tocado com uma prostituta, a quem perdoa os pecados, dizendo: “São-lhe perdoados os seus

muitos pecados, porque muito amou; mas àquele a quem pouco se perdoa, pouco ama”. Durante a sua

homilia o Papa enfatizou ainda que os cristãos devem ser espirituais sem, contudo, viverem “nas

nuvens”. “O cristão é uma pessoa que pensa e age de acordo com Deus na vida quotidiana, uma pessoa

que deixa que a sua vida seja animada, nutrida pelo Espírito Santo, para ser plena, vida de verdadeiros

filhos. E isto significa realismo e fecundidade. Quem se deixa conduzir pelo Espírito Santo é realista,

sabe medir e avaliar a realidade, e também é fecundo: a sua vida gera vida em redor.”

Fonte: Catolicos.


Carta do Papa a Cameron: apelo ao G8 pelo Oriente Médio

Papa Francisco respondeu à Carta do Primeiro Ministro inglês, David Cameron, que lhe foi

enviada por ocasião do Encontro de Cúpula do G8, que terá lugar em Lough Erne, na Irlanda do Norte,

nesta segunda e terça, 17 e 18.

Cameron ilustra em sua Carta, as prioridades fixadas pela presidência britânica para o G8,

concernentes, sobretudo, ao livre comércio internacional, aos impostos, à transparência dos governos e

dos agentes que atuam no campo da economia.

Por sua vez, em resposta ao Premier britânico, o Santo Padre faz um forte apelo

para que os líderes dos Países mais industrializados do mundo levem em consideração a

situação de impasse no Oriente Médio e, sobretudo, na Síria. O Papa espera que o

Encontro do G8 contribua para um cessar fogo imediato e duradouro e incentive todas

as partes em conflito à mesa de negociações.

Com efeito, destaca o Papa, a “construção da paz” é o requisito indispensável

para a proteção das mulheres, crianças e vítimas inocentes e para debelar a fome; exorta

a “ancorar no homem” toda atividade política e econômica, pois sua finalidade é precisamente o serviço

aos homens, começando pelos pobres e mais frágeis.

Política e economia, prossegue Papa Francisco, “devem, por um lado, permitir a máxima

expressão da liberdade e da criatividade individual e coletiva; por outro, promover e assegurar que

atuem sempre, com responsabilidade e sentido da solidariedade, com particular atenção aos mais

pobres”.

O Santo Padre ressalta ainda, em sua Carta a Cameron, a necessidade de eliminar,

definitivamente, o flagelo da fome e assegurar a segurança alimentar; recorda que o bem material e

espiritual do homem deve ser o ponto de partida de qualquer solução política e econômica, como

também a medida da sua eficácia e ética.

A presente crise global, conclui o Papa, demonstra que a ética faz parte integrante da economia,

motivo pelo qual, tanto as amplas medidas a serem adotadas, quanto as conjunturais urgentes, devem ser

guiadas pela ética da verdade”.

Por fim, o Papa afirma que “o dinheiro e os outros meios devem ser utilizados para servir e não

para governar; a chave do bom funcionamento econômico global é a solidariedade, que deve ser gratuita

e desinteressada”

Fonte: Rádio Vaticano.

Cem mil fiéis com o Papa na Jornada da Evangelium Vitae em São Pedro

Foram mais de 100 mil os fiéis presentes na Praça de São Pedro os que participaram da missa

presidida por papa Francisco como conclusão da Jornada da “Evangelium Vitae”, domingo passado, 16.

A informação foi confirmada na tarde pela Sala de Imprensa da Santa Sé. No final do rito, o arcebispo

Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, que realizou o encontro,

inserido na agenda do Ano da Fé, descreveu, apresentando-os ao Papa, os diferentes grupos presentes:

“Vieram de diferentes partes do mundo, mas tem em comum ‘um

compromisso que vai além dos limites das nações’ e dão testemunho,

como afirma o Evangelho de João, que ‘ a vida se tornou visível’”. “São –

continuou Fisichella – testemunhas do amor, que jamais deixaram de fazer

sentir a própria presença a crianças abandonadas, a mulheres deixadas

sozinhas, doentes crônicos, portadores de deficiências, pessoas em fim de

vida, marginalizados, excluídos e tudo o que o pecado e o egoísmo do

homem produzem”. “No Ano da Fé – acrescentou o prelado – era importante que um momento de

reflexão e de oração fosse dedicado aos que são testemunhas do Evangelium Vitae. A paixão cotidiana

deles deixa claro o compromisso pela plena promoção da vida humana e de sua defesa”. Renovando o

apelo para que “todos respeitem, defendam, amem e sirvam a vida humana”, dom Fisichella esclareceu

que não se trata de prerrogativa de nós cristãos, mas é “um caminho comum feito ao lado de tantos

homens e mulheres que, apesar de não ter a nossa fé, partilham em todo caso nosso anúncio e nosso

compromisso”.

Fonte: Catolicos.


Papa Francisco: "Os Dez Mandamentos não são um hino ao "não", mas ao "sim" a Deus

O Papa Francisco celebrou na manhã deste domingo, a Santa Missa na Praça São Pedro na

presença de fiéis provenientes de todas as partes do mundo, por ocasião do Dia do Evangelho da Vida

(Evangelium Vitae), no âmbito do Ano da Fé. Um evento que teve início já ontem, sábado com a

peregrinação ao Túmulo de São Pedro durante todo o dia. Na parte da manhã foram proferidas

catequeses sobre a Evangelium Vitae para os diferentes grupos linguísticos

em vários locais da cidade de Roma. Já na parte da tarde a Adoração

Eucarística e o Sacramento da Penitência em algumas igrejas nas

proximidades da Basílica de São Pedro. À noite uma procissão com velas

pela Via da Conciliação, que se concluiu na Praça São Pedro com uma

vigília.

Numa manhã de sol e calor presentes também milhares de

motociclistas em Harley-Davidsons provenientes de todo o mundo. O

motivo da presença são 110 anos de fundação dessa empresa estadunidense.

O grupo de motociclistas deu de presente ao Papa na última quarta-feira duas motos "Harley Davidson"

para celebrar a ocasião, motos que serão utilizadas pela gemdarmaria vaticana.

Na sua homilia durante a Santa Missa, o Papa Francisco inicou recordando que a celebração

tinha um nome muito belo: «Evangelium Vitae», o Evangelho da Vida. Com esta Eucaristia, no Ano da

Fé, - continuou o Papa - queremos agradecer ao Senhor pelo dom da vida, em todas as suas

manifestações, e ao mesmo tempo queremos anunciar o Evangelho da Vida.

Partindo da Palavra de Deus o Santo Padre propôs três pontos de meditação: primeiro, a Bíblia,

que nos revela o Deus Vivo, o Deus que é Vida e fonte da vida; segundo, Jesus Cristo que dá a vida e o

Espírito Santo mantém-nos na vida; terceiro, seguir o caminho de Deus leva à vida, ao passo que seguir

os ídolos leva à morte.

“A Bíblia mostra-nos o drama humano em toda a sua realidade, o bem e o mal, as paixões, o

pecado e as suas consequências. Quando o homem quer afirmar-se a si mesmo, fechando-se no seu

egoísmo e colocando-se no lugar de Deus, acaba por semear a morte. Exemplo disto mesmo é o

adultério do rei Davi. E o egoísmo leva à mentira, pela qual se procura enganar a si mesmo e ao

próximo”.

Mas, a Deus, não se pode enganar, - disse o Papa - e ouvimos as palavras que o profeta disse a

Davi: Tu praticaste o mal aos olhos do Senhor (cf. 2 Sam 12, 9). O rei vê-se confrontado com as suas

obras de morte, compreende e pede perdão: «Pequei contra o Senhor» (v. 13); e Deus misericordioso,

que quer a vida, perdoa-lhe, devolve-lhe a vida.

Toda a Escritura – continuou Francisco - nos lembra que Deus é o Vivente, aquele que dá a vida

e indica o caminho da vida plena. Penso no início do Livro do Génesis: Deus plasma o homem com o pó

da terra, insufla nas suas narinas um sopro de vida e o homem torna-se um ser vivente (cf. 2, 7). Deus é a

fonte da vida; é devido ao seu sopro que o homem tem vida, e é o seu sopro que sustenta o caminho da

nossa existência terrena.

O Santo Padre recordou ainda o dom dos Dez Mandamentos: uma estrada que Deus nos indica

para uma vida verdadeiramente livre, para uma vida plena; não são um hino ao «não», mas ao «sim» dito

a Deus, ao Amor, à vida. Queridos amigos – disse - , a nossa vida só é plena em Deus, Ele é o Vivente!

Depois o Papa Francisco fala do segundo ponto, Jesus:

“Jesus é a encarnação do Deus Vivo, Aquele que traz a vida fazendo frente às obra de morte, ao

pecado, ao egoísmo, ao fechamento em si mesmo. Jesus acolhe, ama, levanta, encoraja, perdoa e dá

novamente a força de caminhar, devolve a vida. Ao longo do Evangelho, vemos como Jesus, por gestos

e palavras, traz a vida de Deus que transforma”.

O Papa recorda a experiência da mulher que unge com perfume os pés do Senhor: sente-se

compreendida, amada, e responde com um gesto de amor, deixa-se tocar pela misericórdia de Deus e

obtém o perdão, começa uma vida nova. Experiência também vivida pelo Apóstolo Paulo: «A vida que

agora tenho na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou e a Si mesmo Se entregou por mim»

(Gl 2, 20).

E que vida é esta?, pergunta-se o Papa. É a própria vida de Deus. E quem nos introduz nesta

vida? É o Espírito Santo, dom de Cristo ressuscitado; é Ele que nos introduz na vida divina como

verdadeiros filhos de Deus, como filhos no Filho Unigénito, Jesus Cristo.


E o Papa Francisco pergunta: Estamos nós abertos ao Espírito Santo? Deixamo-nos guiar por

Ele? O cristão é um homem espiritual, mas isto não significa que seja uma pessoa que vive «nas

nuvens», fora da realidade (como se fosse um fantasma), não! O cristão é uma pessoa que pensa e age de

acordo com Deus na vida quotidiana, uma pessoa que deixa que a sua vida seja animada, nutrida pelo

Espírito Santo, para ser plena, vida de verdadeiros filhos.

Falando do terceiro ponto o Papa reafirmou que Deus é o Vivente, Jesus traz-nos a vida de Deus,

o Espírito Santo introduz-nos e mantém-nos na relação vital de verdadeiros filhos de Deus. Muitas

vezes, porém, o homem não escolhe a vida, não acolhe o «Evangelho da vida», mas deixa-se guiar por

ideologias e lógicas que põem obstáculos à vida, que não a respeitam, porque são ditadas pelo egoísmo,

o interesse pessoal, o lucro, o poder, o prazer, e não pelo amor, a busca do bem do outro.

“É a persistente ilusão de querer construir a cidade do homem sem Deus, sem a vida e o amor de

Deus: uma nova Torre de Babel; é pensar que a rejeição de Deus, da mensagem de Cristo, do Evangelho

da vida leve à liberdade, à plena realização do homem. Resultado: o Deus Vivo acaba substituído por

ídolos humanos e passageiros, que oferecem o arrebatamento de um momento de liberdade, mas no fim

são portadores de novas escravidões e de morte”.

E o Santo Padre concluiu: “Amados irmãos e irmãs, consideremos Deus como o Deus da vida,

consideremos a sua lei, a mensagem do Evangelho como um caminho de liberdade e vida. O Deus Vivo

faz-nos livres! Digamos sim ao amor e não ao egoísmo, digamos sim à vida e não à morte, digamos sim

à liberdade e não à escravidão dos numerosos ídolos do nosso tempo; numa palavra, digamos sim a

Deus, que é amor, vida e liberdade, e jamais desilude (cf. 1 Jo 4, 8; Jo 8, 32; 11, 25).

“Só nos salva a fé no Deus Vivo; no Deus que, em Jesus Cristo, nos concedeu a sua vida e, com

o dom do Espírito Santo, nos faz viver como verdadeiros filhos de Deus. Esta fé torna-nos livres e

felizes. Peçamos a Maria, Mãe da Vida, que nos ajude a acolher e testemunhar sempre o «Evangelho da

Vida»”.

Na conclusão da Santa Missa o Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova

Evangelização, Arcebispo Rino Fisichella, agradeceu ao Santo Padre por esse intenso momento de

oração que como todos os domingos se eleva da Igreja para dar glória à Trindade no dia da Ressurreição

do Senhor Jesus. Depois de citar a presença de peregrinos de todas as partes do mundo afirmou que no

Ano da Fé era importante que um momento de reflexão e de oração fosse dedicado àqueles que são

testemunhas do ’Evangelium vitae. A sua paixão cotidiana mostra com evidência o compromisso pela

plena promoção da vida humana e pela sua defesa.

“Santo Padre – disse ainda Dom Fisichella -, no Ano da Fé, este dia dedicado ao Evangelho da

vida é um renovado apelo para que todos respeitem, defendam, amem e sirvam a vida humana. Não é

uma prerrogativa de nós cristãos. É um caminho comum feito junto com tantos homens e mulheres que

mesmo não tendo a nossa fé, compartilham o nosso anúncio e o nosso compromisso”. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

JMJ Rio2013: acordo entre OAB e COL

- A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro assinou um convênio com o

Comitê Organizador Local (COL) para dar apoio em questões jurídicas relativas à Jornada Mundial da

Juventude (JMJ) Rio2013. A parceria foi fechada na última quarta-feira, 12.

De acordo com Monsenhor Joel Portella Amado, coordenador da JMJ

Rio2013, a iniciativa foi da OAB. O convênio envolve cessão de espaço para

atividades da Jornada, acompanhamento jurídico de peregrinos em algumas

situações específicas, um encontro com os jovens advogados e apoio jurídico

como legado social.

A sede da OAB, que fica próxima ao aeroporto Santos Dumont, será

utilizada para que o atendimento consular seja feito a todos os estrangeiros em

parceria com o Ministério das Relações Exteriores. O local servirá como uma representação diplomática

de vários consulados.

O convênio diz ainda respeito ao legado social da Jornada, segundo Monsenhor Joel. A OAB

dará assistência jurídica no Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus (HSF), na Tijuca,

onde o Papa Francisco irá visitar. Ele lembrou que a rede de assistência social para os dependentes

químicos já conta com 35 instituições.


“As jornadas vão se tornando cada vez mais complexas e a Jornada do Rio vai ter um legado

social ligado à recuperação de dependentes químicos em várias situações”, disse.

De acordo com o Vice-presidente da OAB, Ronaldo Cramer, nas próximas reuniões com a

Arquidiocese serão definidas como funcionará a demanda de assistência jurídica no hospital. “A ideia é

que nós recebamos os jovens com problema de crack, que tenha algum problema na polícia. Vamos

ajudar esses jovens a serem caracterizados como viciados e não como criminosos. O viciado precisa de

ajuda e nós vamos ajuda-los”, disse.

O vice-presidente da OAB tem esperança de aumentar a parceria. “Acreditamos que podemos dar

mais assistência jurídica a jovens neste caso. Temos muito a colaborar com a Arquidiocese e esperamos

ajudar em outros eventos”, diz o vice-presidente.

Ronaldo Cramer disse ainda que a expectativa é de que a JMJ seja o primeiro de muitos

convênios com a Arquidiocese. “Para nós esse evento é histórico, nunca assinamos nenhum convênio

com a Arquidiocese, é uma alegria que o primeiro seja para a Jornada Mundial da Juventude, que é um

evento importantíssimo para a cidade”, destacou.

A OAB não é uma entidade que representa apenas advocacia, mas ela é uma entidade da

sociedade civil, como explicou Cramer. “A lei 8.906, que regulamenta a OAB, fala que como

representantes da sociedade civil; a Ordem dos Advogados deve colaborar com uma cidade melhor. Essa

parceria ajuda para que os eventos sejam mais qualificados”, conclui Ronaldo.

O vice-presidente da OAB, Ronaldo Cramer, foi a criança abençoada pelo Papa João Paulo II, na

primeira visita do pontífice ao Rio de Janeiro, em 1980. Ronaldo tinha oito anos e estava sentado nos

ombros do tio, próximo ao Santo Padre. Ao ser visto pelo Papa, recebeu um beijo na cabeça e a bênção

de João Paulo II. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

Papa Francisco e Presidente da Comissão Europeia analisam crise econômica e

consequências

O Papa Francisco recebeu no último sábado, 15, no Vaticano, o Presidente da

Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, que em seguida teve um encontro

com o Secretário de Estado, Cardeal Tarcísio Bertone, que esteve acompanhado pelo

Arcebispo Dominique Mamberti, Secretário para as Relações com os Estados.

Principal tema do colóquio entre o Papa Francisco de o Presidente Durão

Barroso foi a crise econômica e as suas gravíssimas repercussões sobre a vida das

famílias e dos jovens, em particular.

O clima cordial com o qual decorreram as discussões – esclarece uma nota da

Sala de imprensa do Vaticano - permitiu um útil intercâmbio de opiniões sobre a situação internacional,

com especial destaque para o processo de integração europeia, bem como a persistente crise econômica

com as suas gravíssimas consequências sobre o emprego, especialmente dos jovens, e os seus impactos

negativos na vida familiar.

A nota vaticana sublinha ainda que os colóquios se concentraram sobre a contribuição positiva

que a Igreja Católica pode oferecer na atual conjuntura para o bem-estar material e espiritual da Europa.

Finalmente, foi dada particular atenção à promoção dos direitos humanos, e em especial modo à

liberdade religiosa, e à tutela das minorias cristãs no mundo. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

Uruguai: Bispos, a vida em primeiro lugar

Foi lida neste domingo, 16, em todas as igrejas do Uruguai a exortação do Episcopado uruguaio

para participar do referendo contra a lei do aborto. O texto destaca

entre outras coisas 3 pontos:

1. Como dissemos em nossa declaração de 13 de novembro

último: “Os direitos humanos e este primordial direito à vida não

podem ficar sujeitos a maiorias circunstanciais de um corpo legislativo

ou eleitoral. Sem dúvida, diante da situação que se criou, continua

sendo dever dos leigos católicos e dos homens e mulheres de boa


vontade unir seus esforços para procurar que nossa legislação respeite o direito à vida humana desde sua

concepção. Estando nas mãos dos cidadãos a escolha dos meios que acharem oportuno, incentivamos as

iniciativas legítimas que busquem a ab-rogação desta lei”.

2. Nós uruguaios temos agora a oportunidade de mudar com nosso voto o rumo das coisas e

devolver a vida às crianças não nascidas, o que permitirá olhar com esperança nosso futuro como nação.

3. O direito à vida não pode jamais ser objeto de um referendo, desde o momento que ela vem de

Deus. Mas, diante desta lei injusta, visto que a nossa Constituição prevê que os cidadãos podem

expressar sua vontade em ab-rogá-la, exortamos a votar nos próximo domingo dia 23 de junho para

garantir o quórum referendário sobre a lei que hoje permite o crime do aborto. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

Jesuítas promovem mostra sobre a vida de refugiados e requerentes de asilo

O Serviço Jesuíta para Refugiados (JRS) inaugura nesta terça-feira, 18 de junho, em Roma, Nova

York e Beirute, a mostra fotográfica intitulada "Santuário e nutrição" em vista do Dia Mundial do

Refugiado celebrado pela ONU no próximo dia 20.

A exposição fotográfica contará as experiências de refugiados e requerentes de asilo obrigados a

fugir de guerras, perseguições e violações dos direitos humanos.

As fotos foram tiradas pela equipe do Serviço Jesuíta para

Refugiados que trabalha no Oriente Médio e na Região dos Grandes

Lagos Africanos. Em Roma, a mostra ficará aberta até 30 de junho na

Chiesa del Gesù (Igreja de Jesus).

Além disso, de 18 a 21 próximos, um vídeo de 12 minutos que

ilustra a vida e as dificuldades enfrentadas pelos refugiados, será

projetado das 21h às 2h da manhã na fachada da igreja.

O vídeo e a mostra foram realizados com a colaboração da organização estadunidense sem fins

lucrativos Art Works Projects for Human Rights.

O objetivo da iniciativa é aumentar a consciência da opinião pública a fim de que trabalhe em

favor dos direitos fundamentais de refugiados e requerentes de asilo, sobretudo no âmbito do

acolhimento, alimentação e educação. (MJ)

Fonte: Rádio Vaticano.

Floresta em Tiberíades recordará Cardeal Martini: sinal forte de diálogo entre judeus e

cristãos

Judeus e cristãos, juntos, para

plantar uma floresta em Israel em memória

do Cardeal Carlo Maria Martini: essa é

a iniciativa do Rabino Giuseppe Laras, ex-

Rabino Chefe da comunidade judaica de

Milão e grande amigo do purpurado

falecido em agosto do ano passado.

Justamente neste domingo foi plantada a

primeira árvore desta floresta na zona de Tiberíades, na Galileia, lugar

particularmente simbólico tanto para os

cristãos quanto para os judeus. A esse

propósito, a Rádio Vaticano ouviu o

Rabino Giuseppe Laras, que nos falou

sobre a idéia da qual nasceu essa

iniciativa:

Rabino Giuseppe Laras:- "Nasce

da constatação do grande amor e apego

que o Cardeal Martini tinha pela terra de

Israel. Pensamos plantar uma floresta de

árvores na Alta Galileia. E, de fato,

neste domingo em Israel foi inaugurada

com a plantação de uma árvore. Isso simboliza a ligação, o laço, o apego do Cardeal Martini à terra de

Israel."

RV: O senhor que fortemente quis essa iniciativa, já de início quis envolver cristãos e judeus:

isso é também muito significativo e importante, considerando que o Cardeal Martini esteve

comprometido – durante décadas, podemos dizer – com o diálogo entre judeus e cristãos...

Rabino Giuseppe Laras:- "Com certeza. Recordo-me muito bem que, quando nos conhecemos,

precisamente em 1980, quando ele entrava na Arquidiocese de Milão e eu assumia a função de Rabino

Chefe em Milão, uma de suas primeiras preocupações foi dar um novo impulso ao diálogo judaicocristão,

que de certo modo estava perdendo consistência. A partir de então assumimos, juntos, várias

iniciativas voltadas a relançar um pouco o diálogo. Com certeza, o diálogo é algo que está muito ligado à

sua figura."


RV: Obviamente, essa floresta não é somente memória, mas, evidentemente, se projeta também

para o futuro: este lugar se tornará, com o tempo, querido para judeus e cristãos...

Rabino Giuseppe Laras:- "Tornar-se-á uma grande floresta dedicada ao nome do Cardeal Martini.

Dado que o nome de Martini está e estará sempre ligado a este apego à terra de Israel, bem como ao

apego ao diálogo, a esse diálogo comum que devia ser retomado e que tinha sido retomado entre cristãos

e judeus, essa floresta será um ponto de encontro importante para Israel, que simbolizará este

relançamento do diálogo, e o diálogo significa caminhar em direção da paz, porque entre judeus e

cristãos, durante dois mil anos não houve nenhum momento – prolongado no tempo – de fraternidade ou

de sentimentos de amizade. Ele ressaltava isso e muitas vezes dizia: "Nós devemos refazer um caminho

que foi feito sob outro sinal". Portanto, a floresta de Tiberíades em memória de Martini é seguramente

algo que permanecerá na memória e nos fatos. Será também algo de simbolicamente muito forte." (RL)

Fonte; Rádio Vaticano

Papa: "O fim da economia e da política é exatamente o serviço aos homens"

O Papa Francisco aprecia o fato que a presidência britânica do G8 tenha inserido no programa da

Cúpula, nos dias 17 e 18 deste mês, em Lough Erne, na Irlanda

do Norte, as ações que “visem a legalidade como ponto de força

para o desenvolvimento, com os correspondentes compromissos

para se evitar a evasão fiscal e assegurar a transparência e a

responsabilidade dos governantes”.

É o que afirma Papa Francisco numa carta, com data de

15 de junho, endereçada ao primeiro ministro David Cameron,

que lhe tinha enviado informando-o sobre a agenda dos trabalhos

da cúpula. “São medidas – escreve o Pontífice – que chegam às

raízes éticas profundas dos problemas, visto que, como

corretamente tinha assinalado o meu antecessor, Bento XVI, a atual crise global demonstra que a ética

não é algo de externo à economia, mas é uma parte integral e fundamental do pensamento e da ação

econômica”. "A paz exige uma renúncia, votada para o futuro, a algumas reivindicações, para construir

juntos uma paz mais justa, requisito indispensável para a proteção das mulheres, das crianças e das

outras vítimas inocentes, e para começar a contrastar a fome, especialmente entre as vítimas de guerra",

escreveu Francisco.

Para o Papa, o objetivo da economia e da política é "se colocar ao serviço dos homens,

começando pelos mais pobres e mais fracos, em qualquer lugar eles estiverem, também no ventre da

própria mãe". Com relação ao Médio Oriente e, particularmente na Síria, “faço votos que a Cúpula

contribua para obter um imediato e estável cessar-fogo e a levar todas as partes em conflito à mesa das

negociações”, escreve ainda o Santo Padre ao primeiro ministro britânico Cameron, em resposta a uma

carta dele sobre a agenda da próxima Cúpula do G6.

Fonte: Catolicos.

No STF, dom Leonardo reafirma apoio da CNBB ao financiamento democrático das

campanhas eleitorais

O Supremo Tribunal Federal (STF) realizou nesta segunda-feira, 17

de junho, uma audiência pública sobre financiamento de campanhas

eleitorais. A audiência contou com a presença de 35 expositores, entre

representantes de partidos políticos, do poder público, acadêmicos e

membros de entidades da sociedade civil voltadas ao combate à corrupção,

entre elas a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Em seu discurso, o secretário geral da CNBB, dom Leonardo

Steiner, defendeu o provimento integral da Ação Direta de

Inconstitucionalidade (ADIN) 4650. A ação, ajuizada em 2011 pela Ordem

dos Advogados do Brasil (OAB), questiona dispositivos da Lei dos Partidos Políticos (9.906/95) e Lei

das Eleições (9.504/97), que autoriza a doação de recursos de pessoas físicas e jurídicas para campanhas

eleitorais de partidos e candidatos.

“A CNBB se manifesta pelo provimento integral da ADIN n. 4650 como forma necessária de

aperfeiçoamento do Estado Democrático de Direito”, afirmou o bispo. Dom Leonardo destacou que a


ADIN é um primeiro passo para se chegar ao afastamento total de qualquer contribuição privada para as

eleições, e que a Conferência é favorável ao financiamento público das campanhas, “que preferimos

denominar de financiamento democrático”.

A audiência foi convocada pelo STF como parte da fase preparatória do julgamento da ADIN

4650. Segundo o relator da ação, ministro Luiz Fux, o objetivo da audiência foi colher informações

relativas a questões que extrapolam o conhecimento jurídico.

Fonte: CNBB

-----------------------------.

Situação de universitários estrangeiros no Brasil é discutida em reunião na CNBB

Com o objetivo de realizar um mapa da situação dos estudantes universitários estrangeiros no

Brasil, foi realizada, nesta segunda-feira, 17 de junho, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do

Brasil (CNBB), em Brasília, a terceira reunião do Núcleo de Jovens Universitários Internacionais. A

iniciativa é dos setores Universidades e Mobilidade Humana, ambos da CNBB.

O Núcleo Estudantes Internacionais, como projeto conjunto entre o Setor Universidades, ao qual

o Núcleo está vinculado, o setor Pastoral da Mobilidade Humana, tem o objetivo de contribuir na devida

atenção pastoral aos estudantes internacionais, conhecendo melhor sua realidade e necessidades,

promovendo o diálogo intercultural, ecumênico e inter-religioso, políticas públicas que garantam seus

direitos, em condições justas e dignas, que favoreçam a inculturação e a acolhida, para que melhor

possam vivenciar a fé e os valores evangélicos.

O bispo referencial do Setor Universidades, dom Tarcísio

Scaramussa, explica que há diferentes situações de dificuldades vivenciadas

entre os jovens que vem do exterior estudar no Brasil. “Muitos jovens vem,

por exemplo, de países mais pobres, como a África e, às vezes, aqui, eles se

encontram em condições insustentáveis”, afirma o bispo.

De acordo com um balanço, feito pelo Ministério das Relações

Exteriores, apenas no ano passado, 1.333 estudantes colombianos chegaram

ao Brasil, 944 portugueses, 934 franceses e 745 angolanos. Na comparação

com 2011, por exemplo, o número de colombianos interessados em estudar

no Brasil aumentou em quase 50%. Naquele ano, 972 estudantes colombianos pediram o visto, 441

portugueses, 798 franceses e 608 angolanos.

Dom Tarcísio aponta que são as dificuldades, vividas por esses jovens, além de serem

econômicas, podem ser relativas ao aspecto cultural, e/ou burocráticos. “Há dificuldades culturais, de

integração, com o ambiente cultural nas universidades, com os outros jovens. Dificuldades financeiras,

às vezes eles não conseguem manter os compromissos, as despesas do curso, então começam a surgir até

problemas com documentação”, ilustra.

O trabalho do Núcleo de Jovens Universitários Internacionais é realizado com o

acompanhamento de alguns grupos de universitários estrangeiros, por meio das pastorais da Mobilidade

Humana. “A igreja tem buscado apoiar a situação desses jovens. Criou entre eles uma associação para

ajudá-los na sua organização, em vista de seus direitos, do seu sustento, e do apoio para essa realidade”,

disse dom Tarcísio.

Fonte: CNBB

Núncio ante a OEA: Políticas antidrogas devem centrar-se na família

O Observador permanente da Santa Sé ante a Organização

dos Estados Americanos (OEA), Dom Francis Chullikatt,

assinalou que tanto as políticas antidrogas como os esforços de

prevenção e seus tratamentos, devem refletir a dignidade da

pessoa humana e ajudar a construir a família.

Fez estas declarações ante a 43ª Assembleia Geral da

organização celebrada na cidade La Antigua (Guatemala) desde o

dia 4 ao 6 de junho e que teve como tema "Para uma Política

Integral de Luta contra as Drogas nas Américas".

O Prelado recordou aos presentes que "a família constitui a base mesma da sociedade", portanto é

importante e necessário que os políticos procurem "manter a família como a pedra angular da prevenção,

tratamento, reabilitação, reintegração e estratégias de saúde".


"Quando o abuso de drogas destrói a malha social das famílias, inevitavelmente conduz à

desestabilização da sociedade em geral", expressou o Arcebispo e pediu que seja resguardada a

dignidade da pessoa "especialmente dos jovens que representam o nosso futuro e isto requer o esforço

conjunto de todos na sociedade".

O Arcebispo Chullikatt explicou que "a cadeia da escravidão" às drogas só pode ser quebrada

pelas pessoas que estão preparadas para tomar as decisões corretas e afirmou que a Santa Sé está

firmemente comprometida em educar as consciências e "aliviar o sofrimento que aflige aos que se veem

afetados pelo abuso de drogas".

Ao finalizar disse que a Santa Sé espera que os indivíduos, as famílias e as comunidades tenham

a oportunidade de deixar atrás as falsas promessas do consumo de drogas e reconstruir suas vidas.

"Abordar o impacto internacional destes problemas requer que nós nos comprometamos em primeiro

lugar em reconhecer a dignidade inerente e o valor de cada pessoa, sem exceção", concluiu.

Fonte: ACIDigital.

Concurso sobre catecismo premia três jovens colombianos com viagem à JMJ

Um singular concurso promovido pela Arquidiocese de Manizales (Colômbia) outorgou como

prêmio uma viagem para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio 2013 à três jovens que provaram

ser grandes conhecedores do catecismo. O concurso, intitulado "Fé jovem, Fé valente", encerrou-se no

último dia 8 de junho e foi destacado pelo serviço informativo da JMJ como um exemplo das muitas

atividades ao redor do mundo para promover a Jornada. "É impressionante a criatividade das pessoas de

todo o mundo que estão inventando formas para poder arrecadar dinheiro para

participar da JMJ", afirmou o informativo da Rio 2013.

Segundo a Arquidiocese de Manizales, o concurso realizado durante

oito meses convocou jovens de 15 a 29 anos, pertencentes a paróquias,

colégios, grupos de jovens e movimentos apostólicos. Os participantes tinham

que participar de grupos de leitura e estudo do YouCat (edição juvenil do

Catecismo da Igreja Católica) e demonstrar seus conhecimentos. "Das quase

33 equipes que iniciaram o concurso, somente oito se classificaram para a

grande final", anunciou a Arquidiocese. "Com que critério? O dos pontos

acumulados durante quatro seções de competência, que corresponderam às

partes do Catecismo que era objeto de estudo." "Fé jovem, Fé valente" contou com o apoio de várias

instituições, especialmente universidades, e foi desenhado, segundo seus criadores, para cumprir o

chamado de do Papa Emérito Bento XVI na criação do YouCat: "Estudai o Catecismo com paixão e

constância. Dedicai-lhe um tempo. Estudai-o no silêncio de vosso quarto, leia-o com um amigo, formai

grupos de trabalho e redes de intercâmbio de opiniões na internet." "Esperamos ter contribuído um

pouquinho para cumprir este desejo do Papa", comentou um dos organizadores da Arquidiocese de

Manizales. "Que neste Ano da Fé muitos jovens possam redescobrir o tesouro de sua Fé e a riqueza do

dom de seu batismo."

Fonte: Catolicos.

Jovens produzem paramentos da Missa de Envio da JMJ

Foram produzidos 45 modelos diferentes e a

composição levou mais de um ano

Inspirados no lema “Ide e fazei discípulos entre

todas as nações” (Mt 28,19), os paramentos que os

padres, bispos e cardeais vão usar na Missa de Envio da

JMJ Rio2013 foram produzidos por jovens catarinenses.

Até chegar ao projeto final foram produzidos 45 modelos

diferentes e a composição levou mais de um ano. Serão

3060 estolas, 1600 túnicas, 1630 casulas de padres, 1530

casulas de bispos e 1530 mitras usadas pelos

concelebrantes da Missa presidida pelo Papa Francisco.

O conjunto de paramentos da JMJ é harmônico. Cada peça complementa a outra e traz em si um

sentido de unidade. Para a produção, os jovens estudaram as Jornadas anteriores, os elementos da JMJ

Rio2013 e a própria Cidade Maravilhosa. "Queríamos conseguir unir algum símbolo do Rio que fosse


econhecido no mundo todo, mas que ainda mantivesse relação com a logo e o lema da JMJ", conta o

jovem designer, Leandro Maciel Nascimento.

O jovem conta que foi um desafio trabalhar neste projeto, pois não conhecia a JMJ. "Eu não tinha

noção do que era o evento, e fiquei encantado ao saber que existem milhões de jovens que carregam essa

fé. Isso foi fantástico!", conta entusiasmado o jovem profissional.

Os elementos que inspiraram o desenho dos paramentos são o logo da JMJ Rio2013, os mosaicos

das igrejas tradicionais, o calçadão de Copacabana e a juventude conectada. As cores também são

carregadas de simbolismos. O dourado é a cor do Cristo Ressuscitado, simboliza a santidade, a

fidelidade de Deus e a perfeição da luz. E os elementos brancos apresentam o desejo da Igreja que

sempre busca a paz.

Fonte: Zenit

-------------------.

Papa Francisco faz um apelo contra a pena de morte

Santo padre enviou mensagem ao Congresso contra a Pena de Morte, que aconteceu em Madri

O papa Francisco enviou um comunicado remetido pela Secretaria de Estado do Vaticano ao

Congresso contra a Pena de Morte, que aconteceu em Madri de 12 a 15 de junho, organizado pela

associação Juntos contra a Pena de Morte.

O texto, assinado pelo cardeal Bertone, afirma que "a Santa Sé promoveu constantemente a

abolição da pena de morte, em conformidade com os seus

ensinamentos fundamentais sobre o reconhecimento da dignidade da

pessoa e sobre a proteção da vida humana". Destaca ainda que "o

papa Francisco deseja reiterar, nesta importante ocasião, os apelos do

beato João Paulo II e de Bento XVI para que as sentenças capitais

fossem comutadas por um castigo menor, que oferecesse tempo e

incentivos para a transformação do condenado". Isso daria

"esperanças ao inocente e garantiria o bem-estar moral das pessoas

que, de um modo ou de outro, se envolveram no destino dos

condenados à morte, assim como de toda a sociedade civil".

O comunicado informa que a "Santa Sé, com força e convicção, pede uma moratória mundial, já

que o conjunto das nações possui na atualidade os meios para se defender sem qualquer necessidade de

recorrer a castigos cruéis e desnecessários". E continua: "É imperioso, hoje, mais do que nunca, recordar

e afirmar a necessidade de um reconhecimento e de um respeito universal pela dignidade inalienável da

vida humana, no seu valor incomensurável".

O texto recorda de novo que a Santa Sé "se empenhou na abolição da pena capital como parte

integral da sua defensa da vida de todos os homens e mulheres, em qualquer fase do seu

desenvolvimento, desde a concepção até a morte natural, contra a afirmação de uma cultura da morte".

Para finalizar, explica que "a abolição universal da pena capital significaria uma valorosa

reafirmação da convicção de que a humanidade pode enfrentar com sucesso a criminalidade. Assim,

rejeitando tanto o espírito de vingança quanto a tentação de sucumbir ao desespero diante dos delitos e

das forças do mal, seria suscitada uma nova força de esperança em nossa humanidade".

O congresso de Madri teve duas sessões plenárias, onze mesas redondas e oito workshops,

durante os dois dias de debate.

As informações divulgadas pela organização do congresso listam os 97 países que já aboliram a

pena de morte para todos os crimes. Outros 8 aboliram a pena somente para crimes de direito comum.

Há 35 países que respeitam uma moratória sobre as execuções há pelo menos dez anos. Por outro lado,

ainda restam 58 países e territórios em que a pena de morte é aplicada. Ao longo de 2011, foram

realizadas 676 execuções, em 23 países, um aumento considerável em comparação com as 527 do ano

anterior (com exceção da China, cujos dados não estão disponíveis). Dentre os 58 países que mantêm a

pena de morte em sua legislação, com exceção de algumas democracias como os Estados Unidos e o

Japão, as condenações à morte aconteceram quase todas em países governados por regimes autoritários.

Fonte: Zenit


Papa Francisco conquistou a mídia no Oriente Médio

O Papa Francisco conquistou os meios de comunicação e a opinião

pública muçulmana através do twitter. A notícia foi apresentada durante o

simpósio celebrado em Amã, Jordânia, nos dias 10 e 11 de junho pelo

Centro de Estudos e Comunicação Católicos, em colaboração com o

Pontifício Conselho das Comunicações Sociais. “A presença do Papa nos

meios é importante, também os muçulmanos querem saber dele, e muitos

meios de comunicação se interessam por ele como é o caso do Al Jazeera,

Al Arabiya, Abouma.org, Al Harra ou Jordanian Times –alguns dos meios

de comunicação mais importantes da imprensa árabe”, explicou o Sacerdote

Ramsine Hage Moussa, oficial de língua árabe do Pontifício Conselho das

Comunicações Sociais (PCCS).

“Os muçulmanos estão muito interessados. Atualmente o mundo árabe está vivenciando uma

revolução, um tempo de mudanças, e os cristãos têm um papel fundamental, e isto é algo que está muito

presente”, acrescentou. O Papa Francisco conta com mais de 64.500 seguidores no seu perfil do Twitter

em língua árabe @Pontifex.

Muitos deles, explica Pe. Ramsine professam a religião muçulmana e seguem o Papa porque

“querem saber o que ele diz”, além disso “sua incursão no twitter em língua árabe teve um grande

impacto na opinião pública”.

O simpósio, que comemorou o primeiro ano de abertura do centro, teve a participação de mais de

200 jornalistas de diferentes países do Oriente Médio – a maioria de religião muçulmana -, assim como

religiosos cristãos, muçulmanos, e intelectuais, entre os quais se encontravam o Patriarca de Jerusalém

dos Latinos, Fouad Twal, o Presidente do PCCS, Dom Claudio Maria Celli, o Ministro jordaniano de

Meios e Comunicação, Mohammad Momani, e o Padre Rifat Bader, Diretor do Catholic Center fors

Studies and Media.

“Os cristãos árabes foram e continuam sendo pioneiros intelectuais em defender a dignidade do

ser humano através de suas vidas...”, disse Pe. Bader.

O centro teve um grande êxito no relatório das atividades e das iniciativas da Igreja na Jordânia e

em todo o Oriente Médio, e se converteu em um ponto de conexão para o intercâmbio de informação das

Igrejas, paróquias, e dos centros pastorais dos diferentes ritos católicos e a rica tradição que faz parte do

mosaico formoso e cultural que caracteriza a região.

Por sua vez, Dom Celli falou aos presentes sobre a evangelização e de como usar os meios de

comunicação para transmitir a mensagem de Deus e o cristianismo. “Animo-os a continuarem neste

trabalho e estarem atentos às novas formas de comunicação, interação e à linguagem dos meios de

comunicação”, disse. O encontro terminou com um pedido pela libertação dos dois bispos cristãos

sequestrados na Síria. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

--------------------------------.

Reconhecido segundo milagre por intercessão de João Paulo II

A comissão teológica da Congregação para a Causa dos Santos aprovou

o segundo milagre atribuído à intercessão de João Paulo II.

O reconhecimento abre caminho para a canonização do Papa polonês,

porém antes deve ser aprovado por uma comissão de Cardeais e Bispos e ter o

decreto assinado pelo Papa Francisco. Não foi informada a natureza deste

segundo milagre.

O Cardeal Karol Wojtyla foi eleito Papa em 16 de outubro de 1988. No

dia 22, celebrou a missa de início de pontificado.

Em 1º de maio de 2011, Bento XVI proclamou-o Beato, após a

comprovação da cura - inexplicável para a ciência -, da Irmã Marie Simon Pierre, que sofria do Mal-de-

Parkinson.

A notícia da aprovação do segundo milagre já provocou reações em Cracóvia, onde o Arcebispo

Stanislau Dziwisz, ex-secretário de João Paulo II, afirmou que “Papa Francisco não colocará à prova a

paciência dos poloneses”. “Existe muita esperança de que a canonização ocorra em no domingo 20 de

outubro”, disse ele, recordando que é a data em que se celebra o 35º aniversário da eleição de Wojtyla. O

Arcebispo Dziwisz foi recebido pelo Papa Francisco no Vaticano no último sábado. (JE)


Fonte: Rádio Vaticano.

----------------------------------.

Catequese: momento de aprofundamento do lema da JMJ Rio2013

Uma das tradicionais atividades da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é a catequese.

Conduzida por bispos de várias nacionalidades convidados pelo Pontifício Conselho para os Leigos

(PCL), a catequese é um momento de reflexão e aprofundamento do lema da JMJ Rio2013 "Ide e fazei

discípulos entre todas as nações" (Mt 28,29). Jovens de diferentes países,

falantes de um mesmo idioma se reúnem com sacerdotes, bispos e cardeais

para rezar e meditar os mistérios do amor de Deus.

A programação começa por volta das 9h com o louvor conduzido

por um grupo de animação de voluntários selecionados pelo PCL. Depois

começa a pregação do bispo catequista. As catequeses, que se realizam nos

dias 24, 25 e 26 de julho, têm a cada dia a presença de um bispo diferente.

Após a meditação, que aprofunda o lema da JMJ Rio2013, os jovens

podem fazer perguntas para o bispo que preside a catequese. As atividades

se encerram com a santa missa presidida pelo bispo catequista e

concelebrada pelos sacerdotes que atendem as confissões dos peregrinos ao longo da programação da

manhã.

Roberta Amazonas foi peregrina na JMJ de Madri. Para ela, a catequese foi uma das grandes

surpresas da Jornada. "A ideia que eu tinha de catequese era aquela semelhante a que tivemos quando

pequenos. Mas ver a animação de todos, não só os brasileiros, como também de outros irmãos que falam

português foi maravilhoso. Sem contar a oportunidade de ouvir palavras tão fortes e bonitas de bispos de

diferentes lugares. Posso dizer que foi um dos pontos altos da JMJ".

Essa também foi a experiência de Gabrielle Costa, peregrina na mesma edição. "Nunca tinha

participado de uma JMJ e muito menos de uma catequese. Foi muito emocionante ver pessoas de outros

países de língua portuguesa comungando das mesmas palavras e até mesmo da mesma experiência,

mesmo com as diferenças culturais. Foi muito bom ver a criatividade das perguntas ao cardeal e a unção

dele nas respostas", contou.

As catequeses se realizam por idiomas. A menor terá a participação de 65 peregrinos e a maior de

5 mil. No mesmo local, os peregrinos vão pegar o kit de café da manhã. (MJ/www.rio2013.com)

Fonte: Rádio Vaticano.

Card. Scola: "A Europa vive um ocaso. Papa Francisco dá um novo impulso"

"A Europa está vivendo um ocaso, estamos cansados, velhos, quer como sociedade civil, quer

como Igreja. Devemos repensar a nós mesmos em termos radicais ... ", afirmou o

Cardeal Angelo Scola ao jornal “La Stampa”. Na entrevista, o Cardeal-arcebispo

de Milão falou sobre liberdade religiosa, laicidade do Estado e do chamado de

Papa Francisco à pobreza da Igreja.

Perguntado sobre a perda de influência da Europa e dos cristãos no

ocidente, o Cardeal respondeu que "estamos cansados, velhos, como sociedade

civil e como Igreja. E isto é compreensível: por séculos nós carregamos em nossos

ombros acontecimentos e problemas muito complexos. Não nos agrada, mas

devemos admitir isso, a Europa parece viver um ocaso. Precisamos de uma nova

síntese. A Providência está nos dando um impulso com o novo Papa, que propõe

de recomeçar a partir da experiência elementar, comum a todos os homens. As Igrejas europeias devem

ter a coragem de começar por aqui".

Ao fazer um balanço destes primeiros meses de pontificado do Papa Francisco, o Cardeal Scola

disse estar “impressionado com a força de seu testemunho, do seu estilo de vida e da sua capacidade de

relacionar-se com as pessoas. Eu acredito que é uma grande graça. Eu acho que ele também está

consciente da necessidade de tomar decisões e que saiba decidir”.

O Arcebispo de Milão olha com cautela a situação na Síria, recordando que os Bispos do Oriente

Médio são contrários às intervenções armadas e consideram que “ao Ocidente, faltam informações

corretas sobre os rebeldes, entre os quais existem muitos grupos fundamentalistas”. O Cardeal também

observa que os regimes autoritários daquela região sempre garantiram uma certa liberdade e proteção

aos cristãos, “o que não pode justificar ditaduras e suas atrocidades”. “Nós, no Ocidente, no entanto,


devemos resistir à tentação de discutir isso na sala-de-estar e na frente de uma xícara de chá,

pretendendo fazer julgamentos sobre situações que, em grande parte, fogem de nossa compreensão.

'Exportar democracia' é uma escolha fora da realidade. É preciso mais tempo, paciência e uma

concepção diferente das relações entre estes povos e a Europa”.

Falando sobre a onda de protestos na Turquia, o Cardeal Scola afirmou tratar-se antes de um

protesto civil desencadeado por uma pluralidade de fatores, entre os quais uma tentativa de islamização

acompanhada de um autoritarismo crescente: “é um outro sinal que a Europa deve levar muito à sério”.

(JE)

Fonte: Rádio Vaticano.

Caritas Brasileira propõe Campanha sobre a Pobreza

Dom Flavio Giovanale, bispo de Santarém (PA) e presidente da Caritas Brasileira, apresentou

proposta do engajamento, de construção conjunta, da Igreja no Brasil numa

campanha internacional a respeito da Pobreza.

Em outubro, a Caritas vai lançar uma campanha para aprofundar a

situação da pobreza no Brasil e no mundo a ser construído com a participação

das comunidades. Essa Campanha se configura a sintonia com as palavras do

Papa Francisco sobre a Pobreza. A ideia é suscitar, na Igreja no Brasil, um

engajamento maior num grande movimento de diálogo com possibilidades de

se fazer Coleta Nacional e o financiamento de projetos de combate à Pobreza.

Os bispos decidiram pela formação de um Grupo de Trabalho CNBB-

Caritas para o estudo a respeito da Campanha e a apresentação da proposta será levada a assembleia

geral dos bispos do ano de 2014. Vários bispos participaram do debate, dentre eles o cardeal arcebispo

de São Paulo e presidente do regional Sul 1, dom Odilo Scherer, dom Alfredo Schafller, bispo de

Parnaíba (PI) e presidente do regional Nordeste 4 e dom Genival Saraiva de França, bispo de Palmares

(PE) e presidente do regional Nordeste 2.

Fonte: CNBB

--------------------------.

Bispos tratam de Associação de Famílias

Dom João Carlos Petrini (foto), bispo de Camaçari

(BA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a

Vida e Família da CNBB apresentou proposta de criação de

associações de família em todo o País, no começo da tarde

desta quarta-feira, 19 de junho.

Documento da Comissão Episcopal, disponibilizado

por dom Petrini, mostra que “a Associação de Famílias surge

para responder ao apelo do bem aventurado Papa João Paulo

II na ‘Exortação Apostólica Familiaris Consortio’, renovado

pelo Papa Bento XVI e motivado pelo Pontifício Conselho

para a Família, de se formar em todas as cidades organismos que possibilitem com quem a família tenha

recursos para atuar como sujeito social, assumindo seu papel de família cidadã”.

Dom Wilson Tadeu Jonck, arcebispo de Florianópolis (SC) e presidente do regional Sul 4 fez

intervenção logo depois da exposição de dom Petrini e reforçou a iniciativa: “valorizar a família é um

caminho fundamental e tudo o que fizermos para isso é de grande importância”. Além dele, outros

bispos participaram do debate como Dom Antonino Migliori, bispo de Coxim (MS) e presidente do

regional Oeste 1; e Dom Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife (PE).

Fonte: CNBB

----------------------------------.

Apelo do Papa pelos refugiados e para a defender o Evangelho da Vida

O Papa Francisco encontrou-se, na manhã desta quarta-feira, na Praça São Pedro, com os

numerosos peregrinos e fiéis, provenientes de diversos Países, para a Audiência Geral.

Durante o encontro semanal, o Santo Padre fez um apelo por ocasião do Dia Mundial dos

Refugiados, que se celebra nesta quinta-feira, dizendo:

“Este ano, somos convidados a refletir, especialmente, sobre a situação das famílias refugiadas,

obrigadas, muitas vezes, a deixarem depressa as suas casas e a sua Pátria e a perder todos os seus bens e


segurança para fugir das violências, perseguições ou graves discriminações por causa da religião que

professam, da pertença a um grupo étnico e das suas idéias políticas”.

Além dos perigos da viagem, acrescentou o Papa, muitas vezes

essas famílias correm o risco da desagregação e, no País que as acolhem,

devem defrontar-se com culturas e sociedades diferentes das suas. Não

podemos ser insensíveis para com essas famílias e com todos os nossos

irmãos e irmãs refugiados. Somos convidados a ajudá-los, abrindo-nos à

compreensão e à unidade. Não faltem, em todo o mundo, pessoas e

instituições que os assistam. No seu rosto está impresso o rosto de Jesus!

Por outro lado, o Santo Padre recordou ainda que, domingo passado, no âmbito do “Ano da Fé”,

celebramos Deus que é fonte da Vida, Cristo que nos dá a vida divina, o Espírito Santo que nos mantém

na relação vital de verdadeiros filhos de Deus. E Papa Francisco concluiu fazendo mais um apelo:

“Desejo dirigir-lhes, mais uma vez ainda, um convite a todos a acolher e testemunhar o

“Evangelho da Vida”, a promover e a defender a vida em todas as suas dimensões e em todas as suas

fases. O cristão é aquele que diz “sim” à vida, que diz “sim” a Deus vivo”.(MT)

Fonte: Rádio Vaticano

"Controle da vida privada nos EUA ameaça democracia", diz frei Betto

Frei Betto afirmou que o fato de o governo estadunidense ter acesso a e-mails, telefonemas e

dados pessoais da sociedade civil, representa um “arremedo de democracia,

uma democracia sem liberdade e privacidade". Ele observou que, comprovar

que a democracia e a liberdade individual não são compatíveis, foi uma vitória

de Osama Bin Laden.

Para Frei Betto, o Presidente dos Estados Unidos não apresentou uma

postura democrática ao comentar o escândalo, na semana passada: “Uma

senadora democrata norte-americana afirmou que uma das obrigações do

governo é garantir que os Estados Unidos permaneçam seguro, e o próprio

presidente não foi menos enfático ao afirmar que é preciso reconhecer que não

se pode ter cem por cento de segurança, cem por cento de respeito à esfera

privada e zero por cento de inconveniente”.

A consagração do estado policial, segundo Frei Betto, é capaz de controlar todos os cidadãos, e o

medo do terrorismo faz com que 56% dos habitantes dos EUA apoiem a vigilância telefônica e

eletrônica da população.

Segundo o jornal britânico The Guardian, a NSA (sigla em inglês de Agência de Segurança

Nacional) dos EUA criou um banco de dados com ligações telefônicas e mensagens de voz de milhões

de cidadãos, coletados de pessoas que utilizam o serviço da operadora Verizon – uma das mais

populares no país. O jornal obteve cópia de uma ação judicial sigilosa da NSA.

Na administração de George W. Bush, a imprensa norte-americana revelou uma série de

gravações e escutas telefônicas ordenadas com base no "Patriot Act". Essa é a primeira vez, no entanto,

que, sob a tutela de Obama, um caso de espionagem de grandes proporções é revelado. Fato que

representa "sinais da continuação da política de controle da população", segundo a imprensa europeia.

O principal responsável pelo vazamento do programa de vigilância de comunicações dos Estados

Unidos, Edward Snowden, disse na quarta-feira, 12, que o governo estadunidense mantém espionagem

na China e Hong Kong há vários anos. Para justificar o vazamento dos dados, logo após o escândalo ter

vindo à tona, ele afirmou que não gostaria de viver “num mundo em que tudo o que faço e o que digo

fica registrado”. Snowden acrescentou que agiu assim, pois percebeu que os presidentes podem mentir

para manter-se no poder e ignorar sua promessas de campanha sem maiores consequências.

Fonte: Rádio Vaticano.

--------------------------------------.

São José inserido nas Orações Eucarísticas do Missal Romano

São José foi inserido nas Orações Eucarísticas II, III e IV do Missal Romano através de um

Decreto emitido pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Pelo seu lugar singular na economia da salvação como pai de Jesus, - lê-se no Decreto -, São José

de Nazaré, colocado à frente da Família do Senhor, contribuiu generosamente à missão recebida na

graça e, aderindo plenamente ao início dos mistérios da salvação humana, tornou-se modelo exemplar de


generosa humildade, que os cristãos têm em grande estima, testemunhando aquela virtude comum,

humana e simples, sempre necessária para que os homens sejam bons e fiéis

seguidores de Cristo.

Deste modo, - continua o texto -, este Justo, que amorosamente cuidou da

Mãe de Deus e se dedicou com alegre empenho na educação de Jesus Cristo,

tornou-se guarda dos preciosos tesouros de Deus Pai e foi incansavelmente

venerado através dos séculos pelo povo de Deus como protetor do corpo místico

que é a Igreja.

Na Igreja Católica os fiéis, de modo ininterrupto, manifestaram sempre uma

especial devoção a São José honrando solenemente a memória do castíssimo Esposo da Mãe de Deus

como Patrono celeste de toda a Igreja; de tal modo que o Beato João XXIII, durante o Concílio

Ecumênico Vaticano II, decretou que no antiquíssimo Cânone Romano fosse acrescentado o seu nome.

O Sumo Pontífice Bento XVI acolheu e quis aprovar tal iniciativa manifestando-o várias vezes, e

que agora o Sumo Pontífice Francisco confirmou, considerando a plena comunhão dos Santos que, tendo

sido peregrinos conosco neste mundo, nos conduzem a Cristo e nos unem a Ele.

Considerando o exposto, - continua o Decreto -, esta Congregação para o Culto Divino e

Disciplina dos Sacramentos, em virtude das faculdades concedidas pelo Sumo Pontífice Francisco, de

bom grado decreta que o nome de São José, esposo da Bem-aventurada Virgem Maria, seja, a partir de

agora, acrescentado na Oração Eucarística II, III e IV da terceira edição típica do Missal Romano. O

mesmo deve ser colocado depois do nome da Bem-aventurada Virgem Maria como se segue: na Oração

Eucarística II: “ut cum beata Dei Genetrice Virgine Maria, beato Ioseph, eius Sponso, beatis Apostolis”,

Na Oração Eucarística III: “cum beatissima Virgine, Dei Genetrice, Maria, cum beato Ioseph, eius

Sponso, cum beatis Apostolis”; na Oração Eucarística IV: “cum beata Virgine, Dei Genetrice, Maria,

cum beato Ioseph, eius Sponso, cum Apostolis”.

Para os textos redigidos em língua latina utilizam-se as formulas agora apresentadas como

típicas. Esta Congregação ocupar-se-á em prover à tradução nas línguas ocidentais mais difundidas; para

as outras línguas a tradução devera ser preparada, segundo as normas do Direito, pelas respectivas

Conferências Episcopais e confirmadas pela Sé Apostólica através deste Dicastério.

Nada obste em contrário.

Sede da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, 1 de Maio de 2013, São

José Operário. (SP)

Fonte: Rádio Vaticano.

------------------------.

Divulgado documento Católico-luterano sobre celebrações dos 500 anos da Reforma

«Cinco imperativos ecumênicos» para marcar a celebração do 500º aniversário da Reforma

Protestante, em 2017, estão no documento conjunto da Igreja Católica e da Federação Luterana Mundial

- intitulado “Do Conflito à Comunhão” -, apresentado na segunda-feira, 17, em Genebra. Segundo o

L'Osservatore Romano, é um texto longo e detalhado, escrito pela Comissão Internacional para a

Unidade Luterano-Católico Romano, e é considerado um ponto de referência, a fim de superar

incompreensões mútuas e reafirmar o compromisso com o testemunho cristão comum em todo o mundo.

O documento foi apresentado durante uma conferência na sede da Federação Luterana Mundial

(FLM), em Genebra, na presença do Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos

Cristãos, Cardeal Kurt Koch, e do Secretário-Geral da Federação Luterana Mundial, Martin Junge.

"A divisão da Igreja é algo que não podemos comemorar - observou o Cardeal Koch referindo-se

ao aniversário Luterano - mas podemos ver aquilo que é positivo e tentar encontrar caminhos para um

futuro compartilhado juntos". O Rev. Junge, referindo-se ao documento comum, acrescentou que "este é

um passo muito importante em um processo de cura que todos nós precisamos e para o qual todos

estamos rezando."

O documento, mesmo reafirmando a existência de algumas diferenças, salienta que se atingiu um

patamar no caminho ecumênico, em que católicos e luteranos podem oferecer uma interpretação

diferente da história e ao mesmo tempo apreciar a fé sincera de ambos. "Está nascendo uma consciência

entre luteranos e católicos – afirma o documento – de que a contraposição do século XVI acabou" e que

"as razões para condenar uns aos outros em questões de fé caíram no esquecimento".

Os cinco "imperativos ecumênico", partem da consciência de que católicos e luteranos

compartilham o batismo no corpo de Cristo e devem reforçar aquilo que eles têm em comum, mesmo


quando "as diferenças são mais facilmente visíveis e experimentadas." Além disso, católicos e luteranos

"precisam de experiências recíprocas de encorajamento e de crítica", o que vai ajudar ambas as

comunidades a transformarem-se e chegarem a uma compreensão mais profunda de Cristo.

O terceiro "imperativo" afirma que católicos e luteranos "deveriam empenhar-se ainda mais na

busca da unidade visível, para desenvolver em conjunto o que isto significa, na prática, para alcançar

esse objetivo." O quarto "imperativo" refere-se ao testemunho cristão à luz das profundas mudanças no

mundo. “Os fiéis - é explicado a este respeito - deveriam redescobrir juntos a força do Evangelho de

Jesus Cristo para o nosso tempo" e compartilhá-lo com os outros de modo tal, que não aumentassem as

divisões e a competição entre as comunidades.

No final, o documento afirma que católicos e luteranos "devem estar juntos no testemunhar a

misericórdia de Deus e na proclamação e serviço ao mundo", reconhecendo que a credibilidade de

aumentos de cristãos quando também aprofunda sua unidade. (JE)

Fonte: Rádio Vaticano.

Fábrica de Colatina (ES) começa a produzir vestes do Papa em Aparecida

Os paramentos que o Papa Francisco vai usar durante a Santa Missa de Aparecida (SP), no dia 24

de julho, começaram a ser confeccionados nesta semana em Colatina (ES). A fábrica que pertence à

Diocese de Colatina está produzindo o conjunto composto por casula, túnica, estola e mitra, além das

vestimentas para quase 500 religiosos que participarão da celebração. Os paramentos serão entregues ao

Santuário Nacional de Aparecida no dia 22 de julho.

O detalhe principal da vestimenta papal é o desenho de um peixe com uma cruz acima e ondas

abaixo, que será bordado no centro da casula. O idealizador é o artista plástico de arte sacra Cláudio

Pastro, que também é responsável pelo atual projeto artístico do Santuário de Aparecida. “Visitar

Aparecida é um desejo especial do Santo Padre. Nada mais justo do que retratar nas vestes os mistérios

relacionados à cidade e ao Santuário. Por isso foi escolhido o peixe, que é símbolo cristão, e o rio, onde

foi encontrada a Imagem de Nossa Senhora, além da cruz, claro”, afirma o gerente da Cordis Paramentos

e Objetos Litúrgicos, Marcos Casotti.

Em entrevista ao Portal A12, o gerente também explicou que as costureiras só começaram a

trabalhar depois que a arte computadorizada das gravuras foi finalizada e aprovada pela equipe de

produção: “Tivemos a fase de planejamento, em que fizemos os ajustes de cores e desenhos. Agora,

começamos a etapa prática de corte de tecidos e bordados”.

Uma curiosidade é que as costureiras vão produzir dois conjuntos iguais das vestes de Francisco.

Um deles será usado por ele durante a celebração em Aparecida (SP), devendo permanecer no Santuário

para exposição após sua partida. O segundo conjunto será dado ao Pontífice para que ele leve de

lembrança, de acordo com Casotti: “Esperamos que nosso bispo, Dom Décio Sossai Zandonade, consiga

entregar pessoalmente o presente”. Após ser escolhida a fábrica, a sensação foi de medo e orgulho:

“Tivemos receio porque é uma grande responsabilidade, mas depois ficamos muito honrados. É um

reconhecimento após 20 anos de caminhada. Vamos responder à altura”, garante o gerente.

Fonte: Catolicos.

More magazines by this user
Similar magazines