Plataforma dos parceiros Multi-Steakesholder plataforms ... - SPLU.nl

splu.nl

Plataforma dos parceiros Multi-Steakesholder plataforms ... - SPLU.nl

Plataforma dos parceiros

Multi-Steakesholder plataforms

UFMT


Localização

‣Escudo das Guianas

‣3 países:

‣Brasil

‣Suriname

‣Venezuela

‣2 polos no Brasil:

‣Roraima

‣Mato Grosso

‣No Estado de MT

Região do Alto Guaporé

Município de Vila Bela da

Santíssima Trindade


Institutional organisational support and

knowledge exchange





Compreender desde os primeiros contatos, como as

redes de

poder e de

articulação

no

local

eram

estabelecidas (Deliv. 2A,

6, 8)

Reconhecimento das ações em rede como parte da

cultura local dos agricultores (Deliv. 1A,

2A,

4A )

Ações do projeto podem para fortalecer as redes de

apoio e parceria que os quilombolas estabelecem

(Del.10

e 11);

A equipe UFMT trabalhou com diferentes parceiros,

tanto a nível local, regional e nacional (2A,

6, 10,

11)


WP3 e WP4

Quilombolas

Tipologia

de

agricultores

e

práticas

2006)

agrícolas

(Nov.

(Deliverable, 13, 15,17

17)


Reuniões

com

secretário

do

meio

ambiente, representantes

do

STR,

SEBRAE,

Associação

do

Canjinjin,

ambientalistas t eprofessores

de Vila Bela.

Visita em tês três sítios onde experiências

em SAF

foram

implantadas

pelo

CTA-

FASE.


8 visitas e reuniões


Regional- MT

• Ações conjuntas com a Secretaria Regional do

Ministério

do

Desenvolvimento

Agrário - Mato

Grosso (agosto e setembro /2006)

Visita a associação dos quilombolas de “Capão

Verde” (100

km

de

Cuiabá)

para

conhecer

a

experiência e identificar

as

possibilidades

dos

quilombolas no mercado (set. 2006 eabril

de 2007);

Deliverable 18, 20, 28


MMA/MDA


Capão Verde


WP4eWP5

WP5

‣ Participação

na

Oficina

para

produção de

derivados do

babaçu

(Orlingya

spp.) ) e do Pequi (Caryocar

brasilliense)

‣ Deliverable: 17, 18, 20, 28


Oficina sobre Babaçu

Orlingya spp.


Oficina Pequi

(Caryocar

brasilliense)


WP3, WP4, WP5

local, regional e nacional


Oficina

de

avaliação

dos

projetos

com

SAF

financiados pelo MMA (Coord. de Agroextrativismo)


Deliverable 20


WP4 e WP5

‣ Participação de reunião coordenada pela FASE-MT (Agosto

2007 Associação Margarida Alves- Grupo de mulheres “As

Margaridas” (270

Km de Cuiabá)

‣ Identificação do

potencial

do aproveitamento

do

babaçu

(Orbignya

g y spp) na indústria de cosméticos pela Natura- BR.

‣ Cooperativa

2006)

Curimbatá

no

Estado

de

Mato

Grosso

(Nov.

‣ Representantes do Programa de Desenvolvimento Local e

Economia Solidária que apóia ações de sustentabilidade e

comercialização de populações quilombolas eindígenas

(Abril

2007).


Devolução dos

resultados

Quilombolas de Vila

Quilombolas de Vila

Bela


Difusão e Articulação do Trabalho

‣ Três Seminários

na

UFMT

(Sul-Americano

de

Geografia, ICHS, Nacional de História) ( Set. e

out. 2006);

‣ Seminário Nacional Etnoecologia e Etnobiologia –

RS (2006);

‣ Encontro

de Associação

Nacional

Graduação em História –RS

(Jul.2007

2007);

de

Pós-

‣ Encontro do Centro Oeste do BR na UNEMAT –

Cáceres/MT (Out. 2007).


Distribuição no BR de Data CD

UFMT-ESAC

‣ 13 Ongs

‣ 13 Órgãos Governamentais

‣ 5 Municípios


Publicações

‣ Artigo - A lógica da unidade camponesa – uma experiência dos

quilombolas do Guaporé. In Política, Ambiente e Diversidade

Cultural. EdUFMT - MT, 230 p. UFMT, 2007 (ISBN 978-85-327-0265-

4) ;

‣ Resumo expandido – O impacto do desenvolvimento e das políticas

para os quilombolas do Vale do Guaporé, Vila Bela da Santíssima

Trindade, Mato Grosso - BR. In Caderno de Resumos do Seminário

Nacional do Projeto “Fronteiras: identidade, integração

regional e transculturação em Mato Grosso nos séculos XIX e

XX”. Ed UFMT, Cuiabá, 2007;

‣ Resumo - Tipologias de Sistemas agroflorestais em unidades

produtivas de quilombolas: primeira aproximação. In Simpósio

Brasileiro de Etnoecologia e Etnobiologia, Anais,PortoAlegre,p.

56-57, 2006;

‣ Resumo – Corpo, espaço e poder: Vale do Guaporé – MT. In

Caderno de Resumos do XXIV do Simpósio Nacional de

História. História e multidisciplinaridade: territórios e

deslocamentos. São Leopoldo – RS, UNISINOS, p. 170, 2007

(ISBN 978-85-89732-75-8).

‣ (See Plan for using and disseminating the knowledge - 2007)


Considerações finais

Fragilidades

‣ As relações que os quilombolas estabelecem visam aatenderatender a

interesses imediatos epráticos

(conseguir aestrada,

aenergia,

barcos... ...)

‣ Muitas vezes tais relações centralizam em pessoas e não nas

instituições;

i ‣ A legislação

assegura direitos

sociais mas

(locais, regional e nacional) não os efetivam;

as

instituições

‣ Reduzida experiência com a gestão formal;

‣ Conflitos nas relações internas eexternasexternas (fazendeiros/terra).


Potencialidades

‣ Detém saberes especializados no manejo

da

biodiversidade e são

abertos a

inovações ;

‣ O

reconhecimento

como

quilombola

(Constituição

de 1988) criou

possibilidades

de acessos a benefícios

sociais erelações;


Apoio Guyagrofor

‣ Troca

de

experiências

com

grupos

de

interesses similares;

‣ Deu visibilidade a condição sociocultural e

os problemas

econômicos através

da

pesquisa esua

difusão;

‣ Disponibilizou os dados do projeto para a

Associação;

‣ Possibilitou acesso a pessoas

e

organizações

(financiamento, assessoria

técnica, associações de quilombolas)

More magazines by this user
Similar magazines