publicação especial unimed vitória 30 anos - Unimed do Brasil

www1.unimed.com.br

publicação especial unimed vitória 30 anos - Unimed do Brasil

p u b l i c a ç ã o e s p e c i a l u n i m e d vitór ia 30 a n o sr e s g a t a n d o o p a s s a d o p a r a t r a n s f o r m a r o f u t u r o


editor ial u n i m e d vitór ia 30 a n o s 05Comemorar os 30 anos da Unimed Vitória temsido muito especial. Não apenas pelo fato da maior cooperativamédica capixaba ter alcançado a maturidade,mas porque lembrar a data de seu aniversário nos fazrecordar e reviver grandes e importantes momentos desua trajetória, cunhada por ideais, desafios, coragem emuito trabalho.Mais emocionante ainda é ter a real dimensãoAfinal de contas, a Unimed Vitória foi protagonistade um importante capítulo da medicina capixabano passado e continua fazendo história, ao conseguir realizar,de forma peculiar, o gerenciamento dos ideais cooperativistascom a profissionalização da saúde, gerandoresultados e promovendo transformações.Do sonho à realidade, foram muitos os obstáculos.Mas hoje, congregando 2.200 cooperados, 1.550colaboradores e mais de 250 mil vidas, a Unimed Vitóriase orgulha de ser uma marca de sucesso, com mais de74% de satisfação de seus clientes e por poder colecionarconquistas, prêmios e titulações.A mais recente boa notícia foi a publicação doranking Melhores e Maiores Empresas do país, organizadopela Revista Exame, onde a cooperativa figura na 671ª colocaçãoentre as 1.000 Maiores Empresas em Vendas em2008, contra a posição de número 768 do ano anterior.Em menos de um ano a Unimed Vitória subiu 97 posições,o que demonstra, de forma clara, a pujança deuma empresa ágil, dinâmica, socialmente responsável, cidadãe de vanguarda, que sabe prover saúde de pontae que se preocupa, acima de tudo, com promoção deuma vida de qualidade para os capixabas.de como a atitude de algumas poucas pessoas podemtransformar fatos, mudar uma história e impactar a vidade toda uma sociedade.Alexandre Augusto Ruschi FilhoPresidente da Unimed Vitória


06 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sUnimed Vitória:30 anos deliderançaDe um sonho à realização. A assistênciamédica mais lembrada do Estadochega à maturidade numa trajetóriade persistência, superação, desafios,vanguarda e pioneirismo.Fundada em 27 de agosto de 1979, a UnimedVitória é, hoje, referência entre os planos de saúde eas demais Unimeds do país. São 30 anos de existência,marcados pela credibilidade e pelo reconhecimentoda sociedade capixaba. Tanto que, há mais de dez anosconsecutivos, é a assistência médica mais lembrada donosso Estado.Posicionada em 27º lugar entre as 200 maioresempresas do Espírito Santo e primeira colocada emseu segmento, a singular acumula hoje um patrimônio líquidode quase R$ 83 milhões. Na base dessa históriade sucesso está o trabalho de mais de 2.200 médicoscooperados e 1.550 colaboradores, que juntos garantema satisfação de 74% de seus mais de 250 mil clientes.l i n h a d o t e m p o1979A UnimedVitória éfundada porum grupo de26 médicoscooperados1980Produção doPrimeiro GuiaMédico daUnimed Vitória1982A UnimedVitória aumentao númerode médicoscooperados de 26para 103 e alcançaa marca de cincomil clientes1984Criação dodepartamento decomercializaçãoInício da divulgaçãoda marca na mídia(propagandaem TV, Rádio eOutdoor)A Unimed Vitóriachega ao marcode 14.521 usuáriosempresariais e1.500 particulares1985 Adoção da tabela 1991Vitória é sede da15ª ConvençãoNacional dasUnimeds, realizadaentre os dias 15e 18 de agosto,e que contoucom 1.200participantesA Unimed Vitóriaalcança o total de17.659 usuáriosempresariais e8.250 particularesda AssociaçãoMédica Brasileira(AMB)Compra doprimeirocomputador1987Revisão daestruturaorganizacionalAprovada acriação de umplano de saúdevoltado parausuários de baixarenda, chamadode Plano SocialAlcance de62.008 usuáriosInstituído o Planode Auxílio Familiar(PAF) – segurode vida paracooperados


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 07Também estão os investimentos em gestão profissionalizada,tecnologia da informação, equipamentos de pontae recursos próprios.Pioneirismo nacionalA Unimed Vitória faz parte de um grupo nacionalque cobre quase 80% do território brasileiro, de referênciainternacional e que influenciou o surgimento deiniciativas similares em vários pontos do planeta. Trata-sedo Sistema Unimed, a maior experiência cooperativistana área de saúde do mundo, que teve sua primeira singularfundada na cidade de Santos (SP), em 1967.Tudo isso contribui para que a Unimed seja,pelo 15º ano consecutivo, a marca Top of Mind quandoo assunto é plano de saúde, de acordo com pesquisanacional do Instituto Datafolha. Outro destaque é o prêmioplano de saúde em que os brasileiros mais confiam,recebido pela sétima vez consecutiva, na pesquisa Marcasde Confiança.RevistaNesta revista, nos propomos a compartilharcom você um pouco da história da Unimed Vitória, contadapor pessoas que contribuíram e contribuem para acriação e consolidação do maior plano de saúde do EspíritoSanto.Tais experiências e lembranças nos permitemlançar um novo olhar sobre essa história, pela lente daquelesque ousaram sonhar e deram seu melhor para queesse ideal se tornasse a realidade que hoje conhecemos.1979 - 1983Paulo Eugênio Bringuente1983 - 1987 e 1987 - 1991Charles Carone Amoury1991 - 1995Dionísio Avanza Filho1995 - 1999 e 1999 - 2003Gerson Thomé Marino2003 - 2007e 2007 at é h o j eAlexandre AugustoRuschi Filhog a l e r i a d e p r e s i d e n t e sImplementado oacesso a consultasmédicas e examescomplementaresgratuitos paracooperados e seusdependentes legaisInstituído oServiço de Rendapor IncapacidadeTemporária (Serit)para cooperadosque adoecessemou fossem vítimasde acidentes1994Compra da primeirasede administrativada Unimed Vitória,em Bento FerreiraCriação do plano desaúde Unimédicopara os cooperadosImplantação doatendimento aocliente via centraltelefônicaCriação do ComitêEducativo1995A Unimed Vitóriafaz parceriacom hospitaispara aumentar acapacidade deatendimento aosclientes, alémde expandir asvagas de trabalhopara os médicoscooperadosInício do processode implantaçãodo PlanejamentoEstratégicoCriação da UnimedEmergênciasMédicas, unidadede prontoatendimentoparaclientes1996Início daautomatização doatendimento coma implantação doscartões indutivose leitoras óticaspara identificaçãode usuários emsubstituição àscarteirinhas depapelAmpliaçãodos benefíciospara médicoscooperados, complano de saúde acusto zero paraesses profissionaisCriação do PlanoOdontológico, comatendimento 24horas


08 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sCaminhada pelos 20 anos dacooperativa, comemorados em 1999l i n h a d o t e m p oA Unimed Vitória élíder pela primeiravez do Recall deMarcas, realizadopelo InstitutoFutura no EspíritoSantoEm uma decisãohistórica, os médicoscooperadosaprovam a construçãodo primeirohospital geral pertencentea um planode saúde no EstadoAmpliaçãoda UnimedEmergência, cominclusão de serviçosde ortopedia ecardiologia 24horas, além de umaUTI completa comseis leitos, e umtotal de 42 leitospara internaçõesgeraisInício das primeirasações para aimplantação deum PlanejamentoOrçamentário1997 1998A Unimed Vitóriaestende benefíciosa pais de cooperados,que podemdesfrutar de planocompleto como dependentes,a valorbastante reduzidoTem início a construçãodo 4º andarda sede administrativada Unimed Vitória,para ampliara área física para oscolaboradoresInauguração daUnimed Coração,o mais modernohospital de urgênciascardiológicasdo Espírito SantoCriada a UnimedDiagnóstico, umserviço qualificadode diagnósticocom aparelhos deúltima geraçãoCriação da farmáciaUsimed,com medicamentosabaixo do preçopraticado pelomercadoImplantação daUnimed AssistênciaDomiciliar, queassiste os usuáriosque necessitam deatendimento especializado,mas nãoprecisam ficar hospitalizadosAmpliação da singular,que passou aabranger as áreasde Domingos Martins,Venda Novado Imigrante e MarechalFloriano


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 09Nasce aUnimed Vitória“Levamos ao conhecimento geral que estacooperativa, constituída em 27/08/79, foiautorizada a funcionar pela divisão decooperativismo do Incra em 04/01/80, tendoseus atos constitutivos arquivados na juntacomercial do Estado do Espírito Santo em11/03/80 sob o número 3240001719”.Através desse edital, publicado em um jornalde grande circulação da Grande Vitória, a população tomouconhecimento da criação daquele que seria, algunsanos mais tarde, o plano de saúde mais lembrado peloscapixabas nas pesquisas de Recall: a Unimed Vitória.Mas esse nascimento não foi assim tão simples.Até se chegar à primeira sede da Unimed, uma sala emprestadano 20º andar do edifício da Associação Médicado Espírito Santo (Ames), na Rua Alberto de OliveiraSantos, na Capital, muitos desafios foram superados.MedcapQuem narra os acontecimentos foi um dosagentes dessa história, o médico João Luiz de AquinoEntra em funcionamentoo cartãomagnético,em substituiçãoao cartão indutivo,trazendo mais agilidadee segurançaao usuário, ao sistemae aos cooperadosque passama receber o pagamentode parte desuas consultas antecipadamente1999Unimed Vitóriachega aos 20anos cercada decomemoraçõesVitória sedia a 29ªConvenção NacionalUnimed, realizadaentre 6 e9 de outubro noCentro de Convençõesda CapitalA Unimed Coraçãoinaugura seu centrocirúrgicoLançamento dapedra fundamentaldas obras do Cias2000Consolidação doPlanejamento Estratégicocomoferramenta degestãoRealizada, na UnimedCoração, aprimeira cirurgiaendovascularde aneurisma daaorta abdominalno EstadoCriado o Centrode EspecialidadesUnimed Fácilna Avenida Leitãoda Silva2001A Unimed é eleitaa Marca de Confiança,na categoriaAssistênciaMédica, em pesquisarealizadapelo Ibope para aRevista Seleções


10 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sCarneiro, então presidente da Ames. Em seu livro “Memóriaque conta histórias: a trajetória de um médico”, elerelata como a experiência de cooperativismo que começouem Santos (SP) veio parar em portos capixabas.“A Unimed surgiu exatamente como movimentopara dar aos médicos uma opção que não fosse amedicina de grupo (...). Para fugir dessa medicina mercantilista,Edmundo Castilho, em Santos, São Paulo, crioua primeira cooperativa de trabalho médico, a Unimed.A Associação Médica Brasileira, presidida então por PedroKassab, teria clarividência de ver ali uma saída e encampoua ideia. Kassab e Castilho divulgaram, em conferênciase trabalhos publicados nas imprensas médicase leiga, os princípios do cooperativismo. Estimulados poreles, fomos a Santos, em São Paulo, conhecer o movimento,e foi assim que, em princípios de 1970, criou-seem Vitória, com um pequeno grupo de médicos, a nossacooperativa, a Medcap – Medicina Capixaba – que engatinhou,cresceu e mudou de nome, Unimed, e hoje aíestá: 250 mil segurados, 2.200 médicos e mais de R$43 milhões de faturamento mensal”.DesafiosTodo começo tem seus desafios, e com a UnimedVitória não foi diferente. Entre os principais estavama resistência dos médicos a se organizarem em cooperativae a existência de várias entidades de medicina degrupo, o que tornava “um tanto difícil a nossa penetração”,conforme grafado em um dos primeiros documentosoficiais da singular, distribuído aos cooperados.Assembleia de ConstituiçãoDe acordo com a Ata da Assembleia Geral deConstituição da Unimed Vitória, realizada no dia27 de agosto de 1979, no edifício Ames, os 26primeiros cooperados subscreveram dez cotaspartesdo capital social, no valor de Cr$ 500,00(cruzeiros) cada. A partir desse momento, foi definitivamenteconstituída a Unimed Vitória.l i n h a d o t e m p o2002O presidente daUnimed Vitória,Gerson Marino,foi destaque empresarialno prêmio“O Equilibrista”,promovidopelo Instituto Brasileirodos Executivosde Finanças(Ibef)Implantação doSOS Baby, paraatendimento deemergência a recém-nascidos2003Inauguração doCentro Integradode Atenção àSaúde (Cias)2004Realização de comemoraçõesesessão solene naAssembleia Legislativaem homenagemao aniversáriode 25 anos da UnimedVitória2005O Cias busca aAcreditação Hospitalare recebe aprimeira visita daorganização certificadoraDet NorskeVeritas (DNV)A revista UniversoMédico, da singularVitória, é premiadana categoria GrandesUnimeds, no 1ºPrêmio de Comunicaçãodo SistemaA Unimed Vitóriarecebe o 1º Selode ResponsabilidadeSocial UnimedO Jornal MuralRaio-X, destinadoaos colaboradores,recebe prêmioda Associação Brasileirade ComunicaçãoEmpresarial(Aberje)


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 11objetovalorem Cruzeirosp r i m e i r o s b e n sMáquina de Contabilidade,Olivetti Tecne, elétricaMáquina nova, RemingtonMáquina usada, RemingtonMáquina nova de calcularelétrica, BurroughlysMáquina nova de calcular,eletrônicaAparelho de ar refrigerado,Springer AdmiralGeladeira, Springer Admiral217.00075.00045.00035.000125.000165.00055.000Cofre35.000Prateleira de aço e outros materiais-p r i m e i r o s c o l a b o r a d o r e sNailson Pedro Tolentino: contadorJoildo Rodrigues dos Santos: auxiliar de ContabilidadeAnamery Loss: secretáriaNailza Silva Tolentino: auxiliar de contadorGlícia Marly Fornazier: emprego temporário(estatísticas)Unimed: o que é?Esse era o título de uma das matérias publicadasno Jornal da Ames, em outubro de 1980. Deacordo com a publicação, trata-se de “uma cooperativaque reúne médicos que lutam pela valorizaçãoda classe e pelo alcance de um sistemamédico-hospitalar humanizado, voltado, verdadeiramente,para os anseios da população”. Aofinal do texto, era feito um convite: “a Unimedestá aberta a todo médico que quer lutar pelocooperativismo”.São inauguradosos novos Centrosde EspecialidadesUnimed Fácilde Guarapari e VilaVelhaO Informenge passaa ser o novo sistemade gestão daUnimed Vitória, integrandotodas asinformações referentesa clientes,cooperados, colaboradorese prestadoresNa pesquisarealizada peloInstituto Datafolha,a marca Unimedrecebe, pela 12ªvez consecutiva,o prêmio Top ofMind. A marcatambém foi a quemais cresceu nalembrança doseleitores, em todosos segmentos, oque lhe rendeuo prêmio TopPerformance 2005Entra no ar owww.portalunimedvitoria.com.br, com conteúdoe serviços voltadosespecialmentepara médicos e familiares2006Readequação doFácil de CampoGrande e Laranjeirase ampliação doFácil Leitão da SilvaImplantação doBaby Care, programade visitas domiciliaresa recémnascidosImplantação noUnimed Fácilde projeto deacompanhamentomultidisciplinar apacientesA Unimed Vitóriarealiza, em parceriacom a Emescam,especialização emEnfermagem Cardiovascular,pós-graduaçãopioneira noEstadoO Cias passa a contarcom residênciamédica, em parceriacom a Ufes, em MedicinaIntensiva eClínica MédicaEstratégias especiaisde controlede infecção hospitalarsão implantadasno Cias, comoo controle de entradae disseminaçãode bactériasmultirresistentes,algo pioneiro noEstadoCriação no Ciasdo projeto deAcolhimento aoPaciente Cirúrgico,com a finalidade


12 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sA história dos 26“Quando se sonha sozinho é apenas umsonho. Quando se sonha junto é o começoda realidade”. (Cervantes)A criação da Unimed Vitória se deu nos termosda Lei nº 5.764/71 e pelas normas do Conselho Nacionalde Cooperativismo. Tudo começou a partir do trabalhode 26 médicos que saíram em busca de colegas e clientesque acreditassem em um projeto que mal saíra dopapel, mas que representava um sonho: exercer a me-dicina como profissão liberal, sem intermediadores, comqualidade e ética.Mas, a princípio, nem todos acreditaram nesseideal. João Luiz de Aquino Carneiro explica que, no começo,o grupo era pequeno, “porque os próprios médicosresistiam à ideia de adotar um sistema que concorressecom a medicina de consultório”.Segundo Carneiro, a maior adesão de cooperadosse deu a partir do momento em que a Unimed firmouconvênio com grandes empresas e órgãos públicos.Em 5 de novembro de 1980, um ofício em prestaçãode contas ao cooperado registrava que, em seu primeiroano, a Unimed Vitória conseguiu vencer obstáculos ereunir “86 médicos cooperados, cobrindo praticamentetodas as especialidades médicas”.l i n h a d o t e m p ode esclarecer aopaciente sobreo procedimentomédico-cirúrgicoe a condutahospitalarPelo segundoano consecutivo,a Unimed Vitóriavence o prêmioda Associação Brasileirade ComunicaçãoEmpresarial(Aberje), dessa vezna categoria Relacionamentocomo Cooperado, como projeto Cuidandoda Saúde doDoutorO presidente daUnimed Vitória,Alexandre Ruschi,é o vencedor doprêmio Líder Empresarial2006, nacategoria “Planode Saúde”O Cias recebe aAcreditação Hospitalar(nível 2), pelainstituição Det NorskeVeritas (DNV),junto à OrganizaçãoNacional de Acreditação(ONA)Realizado, em Vitória,o 1º FórumUnimed de ResponsabilidadeSocial,fruto de parceriaentre Unimeddo Brasil, FundaçãoUnimed e UnimedVitória2007Inauguração doFácil Camburi eda Loja de Atendimentoda Retada PenhaConquista do PrêmioInternacionalHall of Fame,tendo sido a únicaoperadora deplano de saúde ea primeira empresano segmentode saúde da AméricaLatina a obteressa premiação nomundoImplementação doAutoriza Web, quepassa a estar disponívelno portal daUnimedConquista das certificaçõesISO9001:2000 e RVA(Internacional) peloCias, em todos osseus setoresA UnimedDiagnósticorecebe o Selode Qualidadeem RessonânciaMagnética, peloColégio Brasileirode Radiologia(CBR). Essefoi o terceirocertificado,sendo os outrosdois referentesà Mamografia eTomografia


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 13Ailton de AndradeÁlvaro PassosAté 1980, a singular firmouas seguintes parcerias:Arykerne Chamon do CarmoCarlos Cley CoelhoCarlos Pandolpho Teixeira FilhoDermival Galvão GonçalvesHospitais:EvangélicoSão JoséClínicas da Faculdade de Medicina da Ufess ó c i o s - f u n d a d o r e sEdilson Coronel AlcântaraFloriano SchwanzFrancisco Almeida de Figueiredo CôrtesFrancisco José Prado BrandãoJoão Luiz de Aquino CarneiroJosias VenturinLuiz Alberto QueirozMarcos Amaral SimonettiMaria Bernadete BringuenteNelson Bittencourt CostaPaulo Eugênio BringuentePaulo Mendes PeçanhaPlínio Magno FeitosaRogério GuastiRogério Valadão FilgueirasRomeu Roque TomazelliRomildo RabbiSebastião Jaques da Costa FranklinSheila Mara Abikahir NunesTasso de Câmara PessoaClínicas radiológicas:PasteurSão JoséManoel de AbreuLaboratórios:BiocenterClimecFlemingHemoclínicaHenrique Tommasi NetoJoslinBarbosaCapixabaAnat. Patológica e CitologiaOuro VerdePrettiQuintãoCentros para exames com substâncias radioativas:Laboratório de Radioisótopos Dr. Luiz C. França CabralCentro de Medicina Nuclear Limitada (CMEN)Clínica de Eletroencefalografia (Clinel)p a r c e i r o s2008A Unimed Vitóriaconquista a AcreditaçãoHospitalarem Excelência(nível 3) no Cias ea ISO 9001:2000na Operadora(Sede e Reta daPenha)O Cias é destaquena pesquisaHospitais Referência,de renomenacionalA Unimed Vitóriarealiza o I FórumMercado de Trabalhoe RemuneraçãoMédicaO presidente daUnimed Vitória,Alexandre Ruschi,é o vencedor doprêmio Líder Empresarial2008, nacategoria “Planode Saúde”A Saúde Ocupacionalda UnimedVitória passa pormudanças e recebeuma novadenominação:Unimed SaúdeOcupacional2009A singular lança oViver Unimed, programade medicinapreventivaInauguração daCasa do Cooperado,espaço voltadopara atendimentoexclusivo e personalizadodo cooperadoInício da residênciaMédica emCardiologia noCias em parceriacom a UfesA Unimed Vitóriaavança 97 posiçõesno ranking2009 das Melhorese Maiores Empresasdo país, organizadopelaRevista Exame.A singular saltouda 768ª posiçãopara a 671ª entreas 1.000 MaioresEmpresas emVendasVitória sedia a 39ªConvenção NacionalUnimed, entresos dias 28 e31 de outubroA Unimed Vitóriaalcança o marcode 2.200 médicoscooperados, 1.550colaboradorese mais de 250mil clientes emseus 30 anosde existênciacomemorados nodia 27 de agosto


14 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sOs primeirosclientesO primeiro cliente da Unimed Vitória foi aprópria Ames, que cedeu, além da sala, algunsfuncionários. Depois, a cooperativa vendeuplanos para empresas e órgãos públicos.O primeiro cliente externo – excetuando-se aAmes – foi o Banco de Crédito Real de Minas Gerais.A parceria se deu a partir de contatos do então presidentePaulo Bringuente, que era correntista e tinha umbom relacionamento com o gerente. Em seguida, ele,que também era médico da Polícia Militar, conseguiu firmaracordo com o Exército e a Aeronáutica, garantindocerta solidez à cooperativa. O total de usuários, até o finalde 1980, era de 475.e n t r e v i s t aMemóriasde um pioneiroDr. Paulo BringuenteEm um baú, o médicoPaulo Eugênio Bringuenteguarda antigas recordações,que juntas recompõempedaços da históriada Unimed Vitória. Outraparte dessa trajetóriatraz na memória. Afinal,ele foi o primeiro presidenteda cooperativa,e participou do iníciode toda uma história desucesso. Capixaba, formadona Faculdade Nacionalde Medicina (RJ),em 1969, Bringuentetambém foi médico doHospital das Clínicas, receptorde residentes deUrologia da Ufes e oficial-médicoda PM-ES.Nas linhas abaixo, nostransmite um poucodessa experiência quetraz consigo.Como foi a implantação da Unimed no Estado?Tivemos um grande apoio do doutor João Luiz de Aquino Carneiro,que era presidente da Associação Médica do EspíritoSanto (Ames). Tínhamos tudo o que precisávamos na Ames,que foi nossa primeira sede, mas também a obrigação de pagaros funcionários. Os primeiros cooperados, um grupo de26 médicos, contribuíam com uma quantia modesta por mês.Com isso, começamos. Consegui a parceria do Hospital das Clínicas,porque trabalhava lá; além do Hospital Evangélico e dealguns laboratórios que eu conhecia.Como se dava a captação de cooperados?Por meio de muitos telefonemas. A maioria não queria participarde jeito nenhum, pois achava que estávamos acabandocom a clínica particular. No entanto, essa já era uma tendência,pois a medicina ao longo dos anos foi se tornando muito carae as pessoas precisavam dos planos.


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 15“No começo, marcávamos entrevistas com osdonos das empresas”, lembra Carneiro. Para essas reuniões,era levado o primeiro catálogo médico da singular(foto da página anterior), que continha os nomes, as especialidadese os contatos de todos os cooperados, alémde informações sobre a correta utilização do sistema, porparte dos usuários.A divulgação também se dava a partir do jornalda Ames e de ofícios destinados aos públicos quea cooperativa desejava atingir. Assim, o ofício circular denúmero 02/80, datado de 6 de maio daquele ano, traziao seguinte texto: “Temos a honra de comunicar avossa senhoria a instalação, no Espírito Santo, da Unimed,sociedade cooperativa que agrega médicos e serviçoshospitalares em geral, visando a um atendimentode trabalhadores dos municípios de Vitória, Vila Velha,Serra, Viana, Cariacica, Guarapari, Anchieta, Aracruz, Linhares,Colatina e Cachoeiro de Itapemirim. Estamos aptos afirmar convênios com as empresas interessadas em ofereceraos seus empregados serviços médicos hospitalaresparticulares (...). Caso seja de seu interesse obter maisinformações, para o bem de seus recursos humanos, teremosimensa satisfação em agendar uma visita a suaempresa”.formava uma grande novidade para a época, que mudariagradativamente a configuração da Unimed para aque conhecemos hoje. Dizia assim: “Estamos em fase delançamento do plano individual a custo operacional. Paraque isso possa se tornar realidade, contamos com seuesmerado atendimento aos nossos usuários, atendimentoesse que será a nossa melhor carta de apresentaçãopara futuros contratos”.Em 1980, as seguintes organizaçõeseram clientes da Unimed:AeronáuticaAgências Marítimas Maurit LachmanCobra Computadores e Sistemas BrasileirosCompanhia Brasileira de DragagemEnersulPurinaExactaSOS do BrasilCobrapiBanco de Crédito Real de Minas GeraisAmesBanco Lar BrasileiroPessoas físicasUm ofício publicado no final daquele ano incl i e n t e sQuando se deu a maior adesão de cooperados?De 1979 a 1983, aumentamos em cinco vezes o número demédicos cooperados. Isso porque firmamos acordos comclientes como o Exército e a Aeronáutica. A partir daí, começoua haver maior interesse dos médicos.Como conseguiram novos clientes?Montamos um livreto com os nomes e contatos dos parceirose médicos cooperados e saímos para vender o plano. Oprimeiro cliente foi a própria Ames, e o primeiro parceiro externoo Banco de Crédito Real de Minas Gerais, onde eu eracorrentista. Depois, conseguimos o Exército e a Aeronáutica,já que eu era médico da Polícia Militar. Daí, gradativamenteo número de clientes foi aumentando.E na época, eram quantos os funcionários?Praticamente, nesses quatro anos, foram cinco ou seis funcionários.No início, alguns nem recebiam da Unimed; eramvoluntários ou cedidos pela própria Ames. Em seguida, elesforam sendo remunerados. Eu mesmo não tinha remuneração,mas, quando saí, estabeleci o equivalente a cinco saláriosmínimos para meu sucessor.O que mais marcou sua gestão?Sem dúvidas, foi o aumento no número de cooperados.Quais os principais marcos da Unimed Vitória, de lá para cá?O que faz a diferença é a qualidade do atendimento. Comoos médicos são os donos da cooperativa, a relação como cliente é diferenciada, procuram sorrir, conversar e atendercomo se fosse um cliente particular. Outro ponto é o suportetécnico, através dos recursos próprios da Unimed e convênioscom bons hospitais e laboratórios. Além disso, o gerenciamentoé profissional, e o atendimento ao cliente bem feito.Não é à toa que no Recall está entre as marcas mais lembradasdo Espírito Santo.


16 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sO sucesso da Unimed está nabase do trabalho conjunto e daunião de seus cooperadosMas por que ocooperativismo?co.o.pe.rar: (lat cooperari) vti 1 Agir ou trabalharjunto com outro ou outros para um fim comum;colaborar. 2 Agir conjuntamente para produzirum efeito; contribuir (dicionário Michaelis).Cooperar tem sido, ao longo da história, uma estratégiade sobrevivência para a humanidade. Cientistas sociaisreconhecem que os grupos humanos, desde os primórdios,não teriam subsistido sem a cooperação mútua.Iniciativas rudimentares nesse sentido foram relatadas,indicando que a cooperação é uma prática ancestralda humanidade, cujos grupos – comunidade, civilização,país, classe social, classe profissional – se reúneme somam esforços em torno de um objetivo comum.No mundo modernoA identidade e o conceito de cooperativismoque conhecemos e praticamos hoje é fruto do mundomoderno ocidental, especialmente do período pós-RevoluçãoIndustrial (séculos XVIII e XIX). Resultou, fundamentalmente,dos movimentos operários e de seus princípiosideológicos.Esse momento foi marcado por um grandeprogresso econômico e tecnológico, que não gerou,contudo, distribuição de renda, mas exploração da mãode obra de milhares de homens, mulheres e crianças.Diante desse cenário, 28 trabalhadores – baseadosnas ideias do pensador Robert Owen – se reuniramem um movimento operário de proteção, o cooperativismo,cuja primeira experiência se deu na Inglaterra, em1844. Trata-se da Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale,cujos princípios se disseminaram por outros países,direcionando a criação de cooperativas.ACIO organismo internacional idealizado por essegrupo pioneiro veio a se transformar, mais tarde, na AliançaCooperativa Internacional (ACI), criada para representar,congregar e defender o movimento, além de divulgara doutrina e preservar seus valores e princípios.


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 17Sociedade de RochdaleFoi a primeira associação cooperativista do mundo,fundada na Inglaterra, em 1844. Entre outras ações,organizou um armazém que fornecia gêneros alimentíciosa seus membros e familiares. Também defendiamelhores condições de trabalho, legislação trabalhistae previdenciária e a criação de colônias autônomas,onde as relações de trabalho e convivência fossemigualitárias e fraternas.n o s p r i m ó r d i o sEgito: trabalhadores se alistavam em grêmios,para se protegerem das opressões dos Faraós.Império Babilônico: existiam associaçõescooperativas no comércio, na manufaturae na agricultura.Astecas: realizavam conjuntamente as atividadesagrícolas; os produtos resultantes eramdivididos segundo a tarefa e a necessidade decada um.No Brasil e noEspírito SantoA fase pré-cooperativista ocorreu durante asMissões Jesuíticas, no sul do país, e, mais tarde,nas associações de trabalhadores imigrantesnas indústrias paulista e carioca. O movimentoadquiriu impulso real a partir de 1932, com aedição do Decreto Federal nº 22.239.A medida estimulou o movimento cooperativista,que tomou novo fôlego quando o governo de GetúlioVargas (1930-1945) incentivou a formação de cooperativasagrícolas (trigo e soja). Nas décadas de 1960e 1970, essas associações alcançaram o ápice, em funçãodas altas cotações da soja no mercado internacionale das facilidades de crédito. O Brasil conta, atualmente,com 13 ramos do cooperativismo, entre eles o agropecuário,o de consumo, o de crédito e o de trabalho.Em terras capixabasAs primeiras cooperativas no Espírito Santo nasceramno meio rural entre 1930 e 1940. Entre 1950 e 1958foram criadas duas cooperativas de consumo e algumasagrárias. Apenas mais tarde, surgiram em outros ramos,como escolar, agropecuário, de crédito, habitacional e detrabalho. A partir da década de 1960, o setor foi impulsionado(principalmente na área rural) por diversos fatores: situaçãogeográfica, imigração europeia, Igreja Católica, Serviçode Extensão Rural, Associação de Crédito e AssistênciaRural do Espírito Santo (Acares), hoje chamada Incaper.fonte: Organização das Cooperativas Brasileiras - OCB/ES


18 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sEm sua linha defrente, a Unimedsempre contou commédicos que dedicamparte de seu tempopara a condução dacooperativaUm por todos,todos por umCooperativa: associação autônoma de pessoasque se unem, voluntariamente, para satisfazer aspiraçõese necessidades econômicas, sociais eculturais comuns, por meio de uma empresa depropriedade coletiva e democraticamente gerida.Tais associações estão firmadas em valoresde ajuda mútua, responsabilidade, democracia,igualdade, equidade e solidariedade.Que tal conhecer os princípios que norteiam ocooperativismo atual? Eles são baseados naqueles elaboradospelos Probos de Rochdale e em suas evoluções.São eles: adesão voluntária livre; gestão democrática e livre;participação econômica dos membros; autonomia eindependência; educação, formação e informação; intercooperaçãoe interesse pela comunidade.O movimento está amparado, ainda, em valoreséticos, como honestidade, transparência, responsabilidadesocial e preocupação pelo semelhante, além deautonomia, independência e neutralidade política, religiosae social.Vinte ou mais pessoas podem constituir umacooperativa, e qualquer uma delas pode ser membro,desde que sua capacitação vá ao encontro dos objetivospropostos no estatuto daquela sociedade.Segundo a lei que rege o setor, a equipe degestão deve ser composta por uma diretoria e um conselhode administração, eleitos pelos associados em assembleiageral. As decisões são tomadas em conjunto,sendo que todos os sócios têm direito a voto, independentedo valor de sua participação financeira.EducaçãoDesde 1995, as cooperativas devem separar 5%das sobras líquidas para investimentos na educação ecapacitação dos associados, de modo que estejam aptosa tomarem decisões e participarem da administração.Você sabia?A moral do cooperativismo se vale do lema “Umpor todos, todos por um”, usado pelos personagensdo livro Os Três Mosqueteiros, do escritor francêsAlexandre Dumas, publicado em 1844.


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 19s í m b o l o s d o c o o p e r a t i v i s m oprincipais t i p o s d e c o o p e r a t i v a sA partir do congresso da ACI, ocorrido em Liège, naFrança, em 1923, adotou-se a figura do arco-íris, por representara busca pela felicidade.Em 2001, durante uma reunião na Itália, o ícone foi substituídopor uma bandeira branca, com o logotipo da ACIimpresso no centro, e um arco-íris, de onde saem pombasda paz, representando os membros da entidade.O símbolo mais utilizado, especialmentenas Américas, consisteem um círculo em volta dedois pinheiros verdes, com fundoamarelo.Trabalho: colocam a mão de obra dos sócios no mercadode maneira mais vantajosa. É esse o modelo noqual a Unimed está inseridaCrédito: realizam empréstimos aos sócios, a jurosmenores que os do mercadoConsumo: adquirem e distribuem produtos ou serviços,buscando melhores condições, preços e qualidadeHabitacionais: existem aquelas que são para construçãode casas em mutirão, as formadas por gruposde profissionais da construção civil e as voltadas parao financiamento da construção de casasProdução: transformam bens e produtos a partir damão de obra de seus cooperadosEducacional: gerenciam e promovem a educação dealunos.fonte: http://www.ideario.org.br/1973199520042008Símbolo da UnimedVocê sabia que os pinheiros verdes, que simbolizama Unimed, têm um significado especial? Antigamenteo pinheiro era tido como um símboloda imortalidade e fecundidade, por sua sobrevivênciaem terras menos férteis e pela facilidadede multiplicação. Unidos, eles representam resistência,força e capacidade de expansão.Até a década de 1970 cada Unimed utilizava amarca de maneiras diferentes. Com o fortalecimentodo sistema, a partir da criação da ConfederaçãoNacional em 1975, a marca manteve a forçado nome - União dos Médicos - e o pinheiro ganhoulinhas mais suaves. A partir de 1990, com oaumento no número de singulares, a Unimed doBrasil começou a se preocupar com a padronizaçãovisual, o que culminou em 2001 com a criaçãodo Plano de Gestão da Marca.fonte: Projeto Memória Unimed 40 anos


20 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sA Unimed Santos,primeira do Brasil, abriuportas para a criação deoutras singulares


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 21Cooperativismomédico no BrasilNo final da década de 1960, a medicinaassistencial do país atravessava um momentode grande perplexidade, devido a uma série detransformações. As principais foram a unificaçãodos Institutos de Aposentadorias e Pensões(IAPs) no Instituto Nacional de AssistênciaMédica de Previdência Social (INPS), que maistarde viria a se transformar no Instituto Nacionalde Assistência Médica da Previdência Social(Inamps), extinto em 1990 para dar lugar aoSistema Único de Saúde (SUS).As mudanças resultaram na queda do padrãode atendimento e no consequente surgimento deseguradoras de saúde que, por sua vez, geraram a mercantilizaçãoda medicina e a proletarização do médico,que ficava impossibilitado de exercer sua atividade liberal.Foi em meio a esses acontecimentos que o ginecologistae obstetra Edmundo Castilho, junto a um pequenogrupo de médicos, fundou, em Santos (SP), em1967, a primeira cooperativa de trabalho na área de medicinado país, e também das Américas: a União dos Médicos– Unimed.Os objetivos eram complementar o trabalhodo INPS, oferecer a mesma qualidade de assistência aosdiferentes níveis existentes nas empresas e evitar a intermediaçãodos empresários, respeitando a autonomiados profissionais e o atendimento em consultório.Além da cidade santista, Cubatão, Guarujá, Mongaguá,Peruíbe, Praia Grande e São Vicente estavam entreos municípios que constituíam a base de ação da cooperativa,que depois passou a se chamar Unimed Santos.ExpansãoO rápido sucesso da Unimed Santos estimulouo surgimento de diversas cooperativas médicas, inicialmenteno interior de São Paulo e, depois, em todo o país.Edmundo Castilho e sua equipe organizaram visitas às cidadesinteressadas em constituir suas unidades: realizarampalestras, forneceram orientações e mobilizaram profissionaise associações médicas em torno da iniciativa.As novas unidades enfrentavam algumas adversidades,como pressão das empresas de medicina degrupo, inexperiência na operação de um novo sistema efalta de apoio governamental e credibilidade de empresáriose usuários.Superadas as dificuldades iniciais, o cooperativismomédico ganhou força com a implantação de Unimedsem estados como Rio Grande do Sul, Minas Gerais,Rio de Janeiro, Santa Catarina, Brasília e, finalmente, EspíritoSanto, entre outros.Cooperativismo médico no Espírito SantoA Medcap, que mais tarde transformou-se emUnimed Vitória, foi a primeira experiência de cooperativismomédico no Espírito Santo. Essa história começou em27 de agosto de 1979, quando um grupo de 26 médicosreuniu-se na sede da Ames para fundar a cooperativa.Assim como as demais singulares que surgiampaís afora, a capixaba se fundamentou nos sete princípiosque regem o cooperativismo. Primeiramente, tevecomo foco a captação de clientes jurídicos, partindoem seguida para os planos individuais que conhecemoshoje. De 1979 a 1982, o número de médicos cooperadossubiu de 26 para 103. Em agosto de 1982, a cooperativajá prestava serviço para 34 empresas e contava comaproximadamente cinco mil clientes.Nosso Estado abriga outras quatro singulares:a Unimed Sul Capixaba, criada em 13 demarço de 1990, e localizada em Cachoeiro deItapemirim; a Unimed Norte Capixaba, criadaem 9 de maio de 1990, em Linhares; a UnimedNoroeste Capixaba, criada em 30 demarço de 1993, em Colatina; e a Unimed Piraqueaçu,criada em 15 de outubro de 1994,em Aracruz.Para aliviar a situação, o INPS criou um contratoglobal, o Convênio Empresa, que consistiana retenção de 10% do salário mínimo decada empregado e dependente inscrito. As organizaçõesacrescentavam um valor à porcentagemretida e terceirizavam o serviço de saúdepara empresas especializadas. Assim, nasciaa medicina de grupo.e s p í r i t o s a n t o


22 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sAs federaçõesUnimedAo mesmo tempo em queestabeleciam suas singulares, váriosestados constituíram federações, quesurgiram ao longo da década de 1970.O objetivo era padronizar procedimentos operacionais,estimular a troca de experiências entre as cooperativasde um mesmo Estado e impulsionar a criaçãoda Confederação Nacional das Cooperativas Médicas -Unimed do Brasil. Também chamadas cooperativas desegundo grau, elas são formadas, ao menos, por três singulares.Em 28 de novembro de 1975, foi criada a Unimeddo Brasil, entidade máxima do Sistema Unimed,que congrega todas as federações e singulares.Espírito SantoA federação mais nova da Região Sudeste éa do Espírito Santo, formada em 1992. Hoje, conta comcinco singulares e cerca de três mil médicos, tendo altoíndice de participação de cooperados nas reuniões emantendo-se líder entre os planos de saúde do Estado.distribuição das Unimedsno Brasil, por usuários(total Unimeds Brasil em março de 2009: 15.362.222 usuários)regiãoNorteNordesteSudesteSulC. OesteUnimeds16 (4%)73 (19%)178 (47%)75 (20%)35 (9%)usuáriosacima de 100 mil usuários: 8.761.411 (57%)20.001 a 100 mil usuários: 4.890.810 (32%)até 20.000 usuários: 1.710.001 (11%)total de usuários Unimeds: 15.362.222653.424 (4%)1.433.302 (9%)9.106.756 (59%)3.413.998 (22%)754.742 (5%)Confederações: 4 / Central Nacional: 1 / Federações: 34Singulares: 338 / Total: 377 Unimedsl i d e r a n ç ae n t e n d a o s i s t e m a u n i m e dO cooperativismo classifica sociedades cooperativaspor grau e ramo de atividade. As cooperativasde primeiro grau são conhecidascomo singulares, sendo seu quadro social formadopor pessoas físicas. É aqui que o trabalhoem si é realizado. Normalmente, a singulartem autonomia administrativa e financeira,fechando contratos e propiciando ao médicoo atendimento em consultório. É administradapor um Conselho ou uma Diretoria Executiva.As singulares associam-se para formar ascooperativas de segundo grau, as federações,que, por sua vez, formam a confederação, oucooperativa de terceiro grau, que representa,integra e orienta a atuação das cooperativasdo sistema, defendendo, fortalecendo e consolidandoa marca.FundaçãoUnimedUnicredUnimedCorretoraCentralNacionalUnimeddo BrasilUnimedAdministraçãoe ServiçosUnimedSegurosUnimedParticipaçõesUsimed


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 23Modelo para oBrasil e o mundoSegundo a Organização Internacional dasCooperativas de Saúde (International HealthCooperative Organization – IHCO), a Unimed Brasil éum exemplo a ser seguido por todas as cooperativasque atuam nesse ramo, em todo o mundo.O reconhecimento desse trabalho pioneiro sedeu, especialmente, a partir da década de 1980, quandolíderes do sistema passaram a explicar a constituiçãodo modelo brasileiro mundo afora, a convite devários países.Espanha, Portugal, Estados Unidos, RepúblicaDominicana, Guatemala, Japão, Rússia, Letônia, Paraguai,Colômbia e Argentina foram algumas das nações que seinteressaram em conhecer a história, o modelo, as vantagense os desafios do Sistema Unimed, e, a partir daí, implantariniciativas semelhantes.Unimed VitóriaHá anos a singular de Vitória é reconhecida porsua excelência, que engloba o modelo de gestão, os recursospróprios e o atendimento, entre outros. Por isso,tem recebido várias visitas de Benchmarking de outrasunidades, que desejam conhecer e aplicar, em seus estados,as receitas de sucesso.o p i n i ã oDiretor técnico doCias e vice-presidentedo Sindicato e daOrganização dasCooperativas Brasileiras doEstado do Espírito Santo(OCB-ES), o ginecologistae obstetra Ary Célio deOliveira é um grandeentusiasta e conhecedordo cooperativismo. Abaixo,ele fala sobre o modelo esua evolução, das origensaos dias atuais.O modelo: “Trata-se de um associativismo de pessoas, enão de capital. O homem sempre buscou, ao longo da história,uma organização em que as relações de capital e trabalhofossem as melhores possíveis. Tivemos um capitalismoselvagem e um socialismo que, ao longo da história, foi seperdendo. Segundo Leonardo Boff e outros autores, o cooperativismosurge, essencialmente, como uma mistura do capitalismocom o socialismo, unificados em um único modeloalternativo”.As origens: “O cooperativismo surgiu, desde 1844, em todoo mundo, motivado por um contexto político e econômicode exploração. Durante a Revolução Industrial, houve desempregoe crise, e já existiam alguns inspiradores, que tinhamquestões conceituais sobre capitalismo e socialismo.O ambiente da época fez com que as pessoas se juntasseme criassem a sociedade de Rochdale, que existe até hoje, totalizando165 anos de cooperativismo”.No Brasil: “Esse modelo veio da Europa, e lá tem grande relevância,representando 30% do Produto Interno Bruto (PIB),enquanto no Brasil ocupa de 6% a 8%. O cooperativismo naEuropa, hoje, vem de pai para filho. E aqui no Brasil, onde o modelotinha representante da comunidade europeia, que é o RioGrande do Sul, o sistema ficou mais arraigado”.No Espírito Santo: “Somos em 134 cooperativas. Temos algumasantigas, de 70 anos, como a Selita, e outras que surgiramagora. Tradicionalmente, o ramo agropecuário sempre foi pioneiroe maior”.Unimed Brasil: “Em 1967, a Unimed surgiu, em Santos, porqueos médicos estavam sendo submetidos à exploração de mãode obra pelas medicinas de grupo e pelo setor público. Aindahavia um contexto conturbado, com transformações no sistemapúblico de saúde. Isso propiciou que eles tomassem a iniciativa”.Unimed Vitória: “A Unimed Vitória foi a 80º a ser criada e suaidealização também foi motivada pela busca de uma alternativaao modelo mercantilista e exploratório”.Importância para a sociedade: “Cria a oportunidade de inclusãode pessoas, sendo que a finalidade não é gerar lucro nemexplorar mão de obra. Tem princípios, e um deles é a preocupaçãocom a comunidade”.Desafios para os dias de hoje: “Sensibilizar pessoas, porqueo cooperativismo não é feito de capital e bens, mas de pessoas.Essa doutrina depende de uma questão cultural, do legadode um para outro”.


24 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sDa saúde públicaà assistênciasuplementarEntre os anos de 1960 e 1980, novos desafios foramimpostos na área da saúde, que começou a entrar emcolapso com a falta de estrutura. Uma das saídas foia ampliação dos investimentos da rede privada e aorganização da saúde suplementar.A unificação do sistema previdenciário via INPS,ocorrida nesse período, foi a principal causa da turbulênciavivida na saúde pública nacional. Isso porque gerouum aumentou do número de contribuintes, obrigando ogoverno a conceder outros benefícios, além dos que jáeram oferecidos aos aposentados e pensionistas.O panorama consta no livro sobre a históriados 50 anos do Conselho Regional de Medicina do EspíritoSanto (CRM-ES): “Mais beneficiários demandavammais leitos, médicos e hospitais, além do que a rede desaúde pública da época podia suportar. O caminho foiinvestir recursos públicos em instituições privadas, atravésde convênios e contratos com clínicas e hospitaisparticulares”.A baixa remuneração e as condições inadequadasde trabalho de alguns médicos especialistas prestadoresde serviços ao governo do Estado – muitos contratadoscom salários abaixo do mercado e sem concursopúblico – geraram uma onda de paralisações e protestos,por parte da categoria. Em nosso Estado, a situaçãonão era diferente, e os médicos passaram a reivindicarmelhores salários e condições de trabalho, além de saúdede qualidade para a população.DesafiosCom o processo de abertura política e a promulgaçãoda oitava Constituição do Brasil, na década de1980, um grande clima de otimismo foi gerado na sociedade,trazendo as políticas de saúde para o centro dasatenções, já que o artigo 196 trata o tema como um direitode todos e um dever do Estado.Mas o tempo mostrou que a situação nacionale capixaba continuava desalentadora. Em 1994, seis anosapós a aprovação dessa Constituição, o SUS ainda nãohavia sido implementado com sucesso no Espírito Santo.“A princípio, a proposta era municipalizar o atendimentobásico e passar a responsabilidade de gerenciar açõese distribuir recursos para os municípios”, registram documentoshistóricos do CRM-ES. Mas, “até 1995, a cidadede Vitória não tinha conseguido dar início à municipalização,mesmo já tendo sido homologado o seu pedidode habilitação pelo Ministério da Saúde”.Com o avanço da implantação do SUS nosanos subsequentes, a municipalização trouxe novas problemáticaspara a classe médica. Uma das principais éque o governo federal deixou de realizar concursos públicospara médicos, que passaram a ser contratadoscomo prestadores de serviços, sem garantias trabalhistas.O período também foi marcado por uma desmobilizaçãodas lutas trabalhistas que, embora fossem comunsda década de 1980 até meados de 1990, não aconteciammais com tanta frequência.RegulamentaçãoEmbora os planos de saúde já fizessem partel i n h a d o t e m p o d a s a ú d e1808Criação do DepartamentoNacionalde Saúde (DNS)1908Criação do InstitutoOswaldo Cruz, órgãode investigação,pesquisa e produçãode vacinas1953Criação do Ministérioda Saúde (MS)1956Surgimento do DepartamentoNacionalde EndemiasRurais, com o objetivode organizare executar serviçosde investigação ecombate a doençascomo malária,leishmaniose, deChagas, febre amarelaetc.1966Unificação dos institutos:INPS, marcadapor atençãoindividualizada, especializada,curativae cara, pelo sucateamentodosetor público e pelasfraudes1967Com a implantaçãoda Reforma AdministrativaFederal,ficou estabeleci-do que o Ministérioda Saúde seriao responsável pelaformulação e coordenaçãoda PolíticaNacional deSaúdeCriação da primeiraUnimed, deSantos1971Aprovação donovo Código Estadualde Saúde.Com ele, a Secretariade Saúde, agoradesvinculada daAssistência Social,se consagra comomeio de estudo,pesquisa, orientaçãoe coordenaçãode todas as atividadesrelativas àsaúde pública emgeral1974Uma reforma estabeleceque as secretariasde Saúdee de AssistênciaMédica fossemunidas e englobadasao MS, passandoa constituir aSecretaria Nacionalde Saúde1975Criação da SecretariaEstadual deSaúde (Sesa)


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 25c o o p e r at i v a s d e especialidades m é d i c a sda realidade de grande número de trabalhadores desdeos fins da década de 1960, foi após a implantação doSUS que a assistência à saúde transformava-se em umbem de consumo no âmbito do mercado de trabalho.Dentre as principais causas atribuídas a esse fenômenoestariam a escassez da oferta e a baixa qualidadedos serviços oferecidos pelo sistema público. Aliado aisso houve crescimento da demanda de serviços médicosdiferenciados, em especial pelos trabalhadores qualificadosassalariados, executivos e profissionais liberais.Após décadas de atividade sem regulamentação,o setor de saúde suplementar no Brasil teve que seadequar para cumprir os requisitos legais impostos a partirda Lei 9.656, criada em 1998. Nesse processo, destacasea criação da Agência Nacional de Saúde Suplementar(ANS) no ano 2000 e sua iniciativa de estímulo às operadoraspara que implantem ações de promoção de saúdee prevenção de riscos e doenças para seus clientes.Em meio a novos panoramas na áreada saúde, surgem as cooperativas de especialidadesmédicas, com algumas prerrogativas básicas:representar o médico cooperado, estabelecendonegociações coletivas, e estipular preçomínimo da prestação de serviços.Atualmente, o serviço de emergência eurgência cirúrgica nos hospitais públicos do Estadoé realizado por cooperativas, nas seguintesespecialidades: cirurgia plástica, angiologiae cirurgia vascular, anestesiologia, cirurgia geral,cirurgia pediátrica, medicina intensiva, oftalmologia,ortopedia e traumatologia, imagem eneurocirurgia.A assistência médica suplementar estáintegrada por quatro modalidades principais: amedicina de grupo, o seguro-saúde, o seguro-saúdee as cooperativas médicas, e os planos própriosdas empresas, cada uma com suas diferentes formasde estruturação, clientela e financiamento.As empresas de medicina de grupo sãoaquelas que se dedicam à prestação de assistênciamédico-hospitalar mediante contraprestações pecuniárias– em regime de pré-pagamento -, comou sem fins lucrativos.As seguradoras operam em conjuntocom instituições financeiras e comercializam planosunicamente pelo sistema de reembolso, caracterizando-sepela livre escolha exclusiva oupela oferta adicional de uma rede credenciadapara o atendimento.Nos modelos de autogestão, as empresaselaboram o desenho de seus planos de saúdee definem as regras de operacionalização, arcandocom os riscos, e utilizando o regime de pagamentopor serviços prestados.As cooperativas são formalmente definidascomo sociedades que se constituem para prestarserviços a seus associados, com vistas ao interessecomum e sem o objetivo de lucro. Aquelasque comercializam planos de saúde são compostaspor médicos cooperados responsáveis pelo atendimentoaos usuários em consultórios particularespróprios ou em hospitais, laboratórios e clínicas credenciados.Em geral, operam em regime de pré-pagamento.Atualmente, a Unimed corresponde praticamenteà totalidade desse segmento no Brasil.fonte: Unimed: história e características da cooperativa detrabalho médico no Brasila s s i s t ê n c i a m é d i c a s u p l e m e n t a r1979Extinção da FundaçãoHospitalardo Espírito Santoe criação doInstituto Estadualde Saúde Pública(Iesp)Criação da UnimedVitória1988Estabelecimentodo Sistema Únicode Saúde (SUS)A Constituição Federalmuda o conceitode saúde, determinandoserdever do Estadogaranti-la a todaa população, semdistinção1989Com a ConstituiçãoEstadual de 1989, aSecretaria Estadualde Saúde (Sesa) começaa ser modeladacomo é hoje;assim, o EspíritoSanto é integradoao SUS1990Regulamentaçãodo SUS pelo Con-gresso Nacional,com a aprovaçãodas Leis Orgânicasda Saúde(n.º 8.080/90e nº 8.142/90),que detalham seufuncionamento1998Criação da Lei nº9.656, que dispõesobre os planos eseguros privados deassistência à saúde2000Criação da AgênciaNacional de Saúde(ANS) e regulamentaçãodo setor desaúde suplementar2004A Lei Complementar317 reorganizao funcionamentodo Sistema deSaúde do Estado,transformando aSesa no órgão má-ximo na formulaçãoe coordenaçãode umapolítica estadualde saúde2006Assinado o Pactode Gestão, documentoque estabeleceas responsabilidadessanitáriasde cada ente federado(União, estadose municípios)


26 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sModernização eprofissionalização:um caminhonecessárioEm meio ao contexto histórico e socialda época, e devido ao seu própriocrescimento, a Unimed Vitória avançouem seu processo de modernizaçãoe profissionalização, de modo aacompanhar a complexidade cada vezmaior do cenário da saúde e de suaprópria estrutura.“Após quase quatro anos de trabalho junto àsempresas e aos médicos cooperados e, logicamente,devido ao seu trabalho individual, a Unimed conseguiucrescer e manter-se. Hoje, já somos procurados por em-presas de grande porte que acreditam no nosso desempenho”.Com essa declaração, Paulo Bringuente, primeiropresidente da Unimed Vitória, encerrou seu mandato(1979 a 1982). O período ficou marcado pelo aumentodo número de clientes e cooperados – que subiu de26 para 103 – e pela consolidação da singular na sociedadecapixaba.No Relatório de Administração referente aoano de 1982, constam informações referentes ao saldofinanceiro da cooperativa ao longo dessa primeira gestão– na ordem de Cr$ 745.221,49 (cruzeiros) –, e a prioridadede investimento – destinado à compra de umasede social.Em Assembleia Geral Ordinária, realizada em 24de fevereiro de 1983, ele passa a presidência à nova diretoria.Em 1984, a Unimed cria pela primeira vez um departamentode comercialização, voltado para a captaçãode clientes por meio de ações de divulgação. Nesse período,foram realizados os primeiros investimentos emcomunicação de massa, com propagandas em TV, Rádioe Outdoor.


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 27Convenção NacionalEm 1985, a capital Vitória recebeu um eventoque marcou a história da singular capixaba: a15ª Convenção Nacional das Unimeds. Durantetrês dias, entre 15 e 18 de agosto, cerca de 1.200pessoas, oriundas de várias partes do país, participaramdas atividades. Com recursos da UnimedBrasil, foi realizado um grande volume deinvestimento em publicidade, colaborando paraa ampliação da marca localmente e a movimentaçãoda comunidade médica.Testemunha de um sucessoMara Lúcia de Oliveira Rezende CanalMara Lúcia de Oliveira Rezende Canal trabalhana Unimed desde 1989, e é a funcionária mais anti-ga ainda em exercício na cooperativa. Acompanhou 20dos 30 anos de vida que a singular completa e, nessemeio tempo, foi testemunha dessa trajetória de sucesso.Embora no momento trabalhe na Controladoria, jápassou por vários setores e também por diversas etapasna empresa.Começou na Recepção, e depois fez partedas equipes de Cadastro, Faturamento e Contabilidade,entre outras. Determinada a crescer junto com a Unimed,formou-se em Contabilidade e participou de capacitaçõesoferecidas pela singular.Hoje, ela percebe como seu desenvolvimentoesteve atrelado ao da Unimed: “Houve grande evoluçãoem termos de crescimento, atendimento e capacitação.Na época em que entrei na empresa, não haviamuito curso, a área de Recursos Humanos era pequena.Na medida em que a empresa foi crescendo, começarama surgir mais capacitações. Agora, há cronogramasmensais para que a gente escolha o curso que querparticipar: de gestão da qualidade à administração dasfinanças ou do tempo”.Na opinião dela, o maior marco histórico foia criação dos recursos próprios, e o principal diferencial,a força da marca: “Quando se fala em saúde, o quevem à cabeça do usuário é a Unimed. É a preferênciadas pessoas”.


28 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sPlanejar estrategicamente para crescerEm meados da década de 1990, a Unimed Vitória experimentava grandes avanços, que a levaram aamadurecer e a assumir a configuração que conhecemos hoje. Quem nos conta essa história é o pediatra epneumologista infantil Gerson Thomé Marino, que esteve à frente da gestão da singular por dois mandatos(de 1995 a 2003), tendo sido, também, Delegado do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo,Presidente da Ames e da Federação das Unimeds do Estado.


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 29Com uma única palavra, Gerson Marino resumea forma como vê a marca Unimed hoje, em Vitória:“Imbatível”. Mas, para chegar a esse status, a cooperativapassou por alguns momentos decisivos, dentre os quais,destaca o investimento em uma gestão participativa.“Iniciamos esse processo com a implantaçãodo planejamento estratégico, entre 1995 e 1996, e investimoscontinuamente em seu aprimoramento e na qualidade.Para profissionalizar a gestão, investimos no ComitêEducativo e abrimos cursos de especialização paradiretores, gestores e membros do conselho de administração”.E complementa: “Não foram administraçõesespecíficas que nos levaram a ser a primeira empresade assistência médica do mundo a entrar para o Hallof Fame no Gerenciamento da Estratégia, mas trabalhosconjuntos, nos quais os colaboradores e os conselhos deAdministração e Técnicos têm importância capital. Isso éfruto de um planejamento estratégico feito para ser aplicadoe cobrado mensalmente”.VerticalizaçãoDe acordo com ele, outro grande marco foi oinício dos investimentos em recursos próprios, em 1995.Isso porque os hospitais tinham parado de atender aUnimed – havia um impasse com relação à tabela de valorescobrados da cooperativa, e os hospitais resolveramcriar um plano de saúde próprio.Ele conta que a verticalização, termo que exemplificaesse processo, começou com uma pequena clínicana Enseada, inaugurada em 19 de novembro daqueleano. “Fomos sentindo, progressivamente, a necessidadede ampliar. Lá, fazíamos atendimento 24 horas, internávamose tínhamos um centro cirúrgico. Era um pequenohospital para cobrir as necessidades de emergência.Meses depois, já em 1996, convocamos uma assembleia,e foi autorizada a compra de um terreno para a construçãodo Cias - Hospital da Unimed. Nesse ínterim, fizemosa Unimed Coração, onde, após a inauguração do Cias(em 2003), passou a ser a Unimed Diagnóstico”.Em sua opinião, outro avanço veio com a implantaçãode um projeto pioneiro entre as Unimeds, voltadopara a classe C, o Unimed Fácil. “Passamos um anoe meio trabalhando no projeto, que começou na Leitãoda Silva (Vitória) e depois se expandiu para Vila Velha, Laranjeiras,Campo Grande e Guarapari”.Para o ex-presidente, a receita do sucesso tambéminclui ingredientes como: a credibilidade dos médicos,o atendimento de primeira linha e um call center dequalidade, para dar respostas imediatas aos clientes.NúmerosGerson explica que a performance administrativae os investimentos culminaram em um balanço contábile financeiro adequado para uma empresa desseporte, e no aumento do valor das consultas e dos procedimentosmédicos. E não foi apenas isso. Também se assistiua um aumento significativo no número de clientes.Dos 135 mil de 1995 passou-se a 215 mil, em 2003.DesafiosEmbora necessária, essa evolução não ocorreude maneira tranquila e espontânea. Os desafiosestavam presentes a todo momento e era precisoorganização, disciplina e muita profissionalizaçãopara superá-los. “Pegamos uma gestãoatribulada. Os planos de saúde da Unimed Vitóriaeram administrados contábil e financeiramentepela Federação das Unimeds do EspíritoSanto. Não sabíamos, no final do mês, comquanto podíamos contar para pagar as despesas.Era difícil planejar a contabilidade; trabalhávamoscomo se fôssemos prestadores de serviçopara a federação; não tínhamos autonomia.Nesse movimento de 1995, conseguimos passaros planos para a Unimed Vitória e administrá-losde fato. Esse foi um dos principais saltospara o desenvolvimento. Saber quanto entravana casa e quanto podia sair”, relembra GersonMarino.


30 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o se n t r e v i s t aAlexandre RuschiNos últimos anos, a história da Unimed Vitória foimarcada por grandes avanços, muitos deles lideradospor Alexandre Augusto Ruschi Filho, presidenteda singular desde março de 2003. Atualmente emseu segundo mandato, na entrevista abaixo ele traçaum panorama sobre o desenvolvimento da cooperativae os projetos para o futuro.Quais os desafios enfrentados na época de implantaçãoda Unimed Vitória e nos dias de hoje?A Unimed Vitória foi fundada 12 anos depois de constituída aprimeira Unimed do Brasil; nós somos a 80ª Unimed. Aqueleera um momento em que a questão da atividade mercantil damedicina e a proliferação das medicinas de grupo eram muitovigorosas. O surgimento da Unimed Vitória veio dentro docontexto de seguir um movimento nacional, que começou emSantos, veio ascendendo em todo o Brasil, e nos pegou aquiem 1979. Esse grupo de médicos já começava a perceber quehavia a necessidade de buscar uma alternativa que nos desseum conforto maior do ponto de vista da ética, da responsabilidadee da relação com o cliente. Foi o modelo cooperativistao escolhido.Então o cooperativismo médico nasceu como uma reaçãoa esse modelo?Sim, são duas coisas. Essa era a mais forte, porque o médicosempre teve no exercício da atividade liberal um princípio. Talvezseja a profissão mais liberal de todas e, naquele momento,30 anos atrás, essa atividade era liberal mesmo. O movimentomercantil assustou muito o médico, quando ele começou ater um empresário intermediando a atividade dele. E o que eletinha além disso era o Sistema Público de Saúde, que naquelemomento se desordenou demais, modificando muito o perfilda relação do médico com a sociedade. Nesse momento,o cooperativismo ocupou um espaço em que o médico podianovamente se colocar como intermediador, mas através deuma estrutura empresarial que dava a ele condições de competitividadeem relação a outras empresas. Isso obviamente foise aperfeiçoando na medida em que o modelo exigiu. Ultimamente,mais ainda, não somente pela questão da competitividade,mas da regulamentação do setor, que veio dar o incrementofinal a essa atividade. As empresas mercantis sofrerammais com isso que as cooperativas, e muitas desapareceram.A partir daí, o movimento de regulação se tornou tão intensoque as cooperativas tiveram que aprimorar de forma definitivaseu sistema de gestão, no sentido de criar uma estruturaempresarial que desse suporte à operação, com investimentosem recursos próprios.Quais os principais marcos na história da singular?Duas coisas são relevantes. Uma foi a opção pela verticalizaçãoe a segunda foi a profissionalização da gestão.A Unimed Vitória é a primeira empresa de assistência médicado mundo a entrar para o Hall of Fame no Gerenciamentoda Estratégia. Como se chegou à excelência nessa área?


histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o s 31O início foi há 13 anos, quando entendemos que a empresaprecisava assumir uma postura de planejar para atingir seusobjetivos. Em 1996, a singular começou a conhecer o queera planejamento estratégico e a discutir sobre isso. Numdeterminado momento, entendemos que tínhamos alcançadomaturidade na gestão da estratégia, solidificada porferramentas bem contemporâneas de acompanhamento eplanejamento, que nos davam a oportunidade de sermostestados. Foi aí que nos candidatamos a sermos examinadospelos idealizadores do Balanced Scorecard (BSC), nos submetemosa um procedimento de auditoria, e fomos contempladoscom a premiação. Realmente é um marco importanteporque nos inserimos num grupo seletíssimo deempresas no mundo todo que conseguiram fazer com queessa ferramenta, reconhecida mundialmente, se adaptassebem ao negócio.A que atribuiu o crescimento da Unimed ao longo dosúltimos 30 anos?Hoje, são mais de 250 mil clientes. Acho que ao reconhecimentoda sociedade capixaba à proposta de modelo do negócioque a Unimed se propõe a fazer, adequada a atenderaos seus objetivos, e que caminha no sentido de acompanharos movimentos contemporâneos. Além disso, a estruturaçãoda empresa agregou valor e trouxe um aumento cadavez maior no número de clientes. O processo de regulamentaçãofoi outro marco relevante, que veio no sentido de homologara decisão de que a empresa tem de estar focadaem uma estrutura sólida para se estabelecer, algo que já estavasendo feito aqui dentro.Em sua missão, a Unimed Vitória destaca a importância doatendimento humanizado e da contribuição para o desenvolvimentoda sociedade. Como a empresa tem trabalhadopara alcançar essas metas?Nenhum outro ator desse negócio é capaz de entregar oserviço da forma que nós entregamos, porque nossos cercade 2.200 médicos, que são os donos da cooperativa, serelacionam com os clientes. Qualquer outra empresa desseramo sempre se coloca através de um intermediário. Já temosum diferencial do ponto de vista da humanização queninguém consegue superar. O segundo: o modelo do cooperativismotem como um dos seus princípios fundamentaisa questão da solidariedade, da relação com a comunidade.A singular investe em atividades sociotransformadoras,elegendo como prioridades três das oito Metas do Milêniodefinidas pela Organização das Nações Unidas (ONU): Reduçãoda Mortalidade Infantil, Melhoria da Saúde Maternae Qualidade de Vida e Respeito ao Meio Ambiente. Quandoa empresa começou a investir nessas ações e quais asprincipais estratégias desenvolvidas?Há uns oito anos, entendemos que a área de ResponsabilidadeSocial precisava perder o caráter puramente filantrópicoe promocional para se tornar um setor que desenvolvesseações transformadoras junto à sociedade. Em outra etapa,a empresa entendeu que essa área deveria estar diretamenteligada à presidência da empresa, por conta de sua relevância.Compreendemos também que o melhor caminho ase seguir era adotar questões vistas como impactantes nomundo inteiro, ou seja, as Metas do Milênio, buscando aquelasque têm mais identidade com o perfil de nossa empresa,de saúde. Procuramos desenvolver ações que impactamo cotidiano na sociedade, e não apenas aquelas que amenizam,num determinado momento, uma ansiedade.A Unimed já estabeleceu metas para o futuro, dentre elasa melhoria da satisfação da clientela e dos cooperados, afidelização dos antigos e a incorporação de novos clientes,além da redução de custos, por meio da gestão eficiente.Como a singular pretende chegar lá?Hoje fazemos três pesquisas anuais, monitoradas pelo InstitutoFutura, para analisar a satisfação dos nossos públicos –internos e externos: cooperados, trabalhadores, clientes. Anoa ano, os indicadores são bons, e não há tendência de queda.Trabalhar planos estratégicos que envolvem os quatroanos da gestão e revisá-los anualmente é uma prática naempresa. Para isso, utilizamos um diagnóstico que envolveos cenários interno e externo. E essa questão do estabelecimentode metas passa pelo modelo de gestão estratégicaadotado pela empresa.A Unimed está investindo em uma nova política comercial,focada na venda de Planos para Pequenas e Médias Empresas(PME). Como esses processos se davam antes e quala tendência buscada?Isso mostra uma vertente da Unimed que fica um poucosegregada, porque as pessoas acham que é um plano desaúde inacessível às pequenas empresas. Nossa estratégia émostrar que o fato de não termos um intermediário tornanosso plano mais barato, e nossa preocupação com uma remuneraçãoética, digna e transparente de nosso médico émuito importante, pois de nada adianta vender algo baratose quem vai prestar o serviço vai atender mal por estar recebendomal. Basta as empresas entenderem o nosso princípio,que não é apenas vender, mas também entregar um bom


32 histór ia u n i m e d vitór ia 30 a n o sserviço, com qualidade, ética e responsabilidade. A singular,inclusive, é pioneira em buscar atender o público C.A que se deve o fato de a unidade Vitória se posicionarcomo uma das melhores e mais bem estruturadas singularesdo Sistema Unimed?Estamos na décima posição de qualidade entre as singulares,e isso é fruto da proposta de trabalho da cooperativa. Deve-seà visão que ela teve, num momento muito precoce, deque esse mercado caminharia rapidamente para um nível decompetitividade muito alto, com empresas fortes e capitalizadas.Outro fator importante é que existe uma visão compartilhadado negócio, com cada singular do Brasil contribuindopara o crescimento das outras.Em sua opinião, qual a importância do cooperativismo parao meio médico, a sociedade e o Estado?O cooperativismo é a grande alternativa que o país podeter por uma divisão de renda mais igualitária, por uma diminuiçãoda desigualdade social e por uma acessibilidade aotrabalho de uma forma mais democrática e livre. Se há ummodelo em que se pode diminuir as discrepâncias da concentraçãode renda, é o cooperativismo. Mas alguns setores,inclusive o público, ainda não entendem o sistema. Pensamque é uma forma de burlar o sistema de trabalho que o paístem, mas não se perguntam se esse sistema oficial é viável.Abrir mão de Fundo de Garantia ou proteção do INSS embusca de um modelo de trabalho que lhe gere mais confortoé uma opção pessoal e legal. Está previsto na ConstituiçãoBrasileira que o cidadão pode se associar em cooperativa.Quais os principais desafios do modelo para os nossos dias?A falta de entendimento do poder público é o principal. O governoprecisa regulamentar e incentivar essa forma de organização,conforme previsto na Constituição. O entendimentoequivocado gera falta de estímulo na sociedade em apoiar.Como o senhor vê a marca Unimed hoje em Vitória?Nos últimos oito anos, a Unimed do Brasil colocou a gestãoda marca como uma questão estratégica para o Brasil inteiro.Isso veio solidificando-a como o instrumento de marketingmais relevante que a empresa pode ter. Passamos a teruma identidade visual homogeneizada no Brasil todo, umaestratégia que se adequou às expectativas dos nossos clientes,quando paramos de falar que ter Unimed é ter tecnologiae aparelho, e passamos a associar a marca à qualidadede vida. Isso, obviamente, encontrou uma repercussão muitomelhor na sociedade, pois todos procuram ter uma vida saudável,alegre e feliz. Ter tecnologia é uma mesmice, o maisimportante é a forma de gerenciá-la.| Estado civil: Casado | Nacionalidade: Brasileiro| Naturalidade: Vitória, ES | Data de nascimento:23 de março de 1956 | Profissão e especialidade:Médico; Cirurgião Geral e Coloproctologista |Onde e quando se formou em medicina: Ufes, 1979| Quando entrou na cooperativa: 1989atividades atuais:Membro do Conselho Gestor da UnimedParticipações Ltda (holding do Sistema Unimed;desde março de 2005), Vice-presidente do ConselhoEstadual de Cooperativismo do Espírito Santo(Conecop; desde julho de 2007), Presidente daUnimed Vitória (desde março de 2003, atualmenteno segundo mandato), Presidente da UnimedFederação do Espírito Santo (desde março de 2008),Coloproctologista do Hospital Universitário CassianoAntônio de Moraes (Hucam), da Ufesatividades desenvolvidas:Diretor Geral do Hospital Dr. Dório Silva – Sesa –Iesp (outubro de 1990 a setembro de 1993), Mestredo Capítulo do Espírito Santo do Colégio Brasileirode Cirurgiões (janeiro de 1995 a janeiro de 1998),Diretor de Usuários da Unimed Vitória (abril de1995 a março de 1999), Diretor Administrativo daUnimed Vitória (março de 1999 a março de 2003),Membro do Conselho de Administração da UnimedSeguradora S/A (agosto de 2001 a agosto de 2002),Vice-presidente do Conselho de Administração daUnimed Seguradora S/A (agosto de 2002 a agostode 2003), Presidente do Conselho de Administraçãoda Unimed Seguradora S/A (agosto de 2003 a maiode 2005), Membro do Conselho de Administraçãoda Unimed Federação do Espírito Santo (março de1996 a março de 2008), Diretor Técnico da SegurosUnimed (desde 2009)p e r f i l : a l e x a n d r e r u s c h i


34 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sEm meio àcrise tambémse cresceA Unimed Vitória conquistou um de seusmaiores diferenciais – a implantação derecursos próprios – justamente no momentoem que enfrentava uma das maiores crises desua história: a paralisação dos oito maioreshospitais da capital no atendimento aosclientes da cooperativa.A situação demandou a criação da UnimedEmergência – também conhecida como Clínica da Enseada–, em novembro de 1995, para garantir atendimentocom qualidade e eficiência aos clientes da cooperativa.A iniciativa deu certo, caiu no gosto das pessoas e, nosanos seguintes, foram criadas a Unimed Coração, a UnimedDiagnóstico, a Unimed Saúde Ocupacional e a UnimedAssistência Domiciliar.Em 2003, mais um grande passo foi dado: ainauguração do Centro Integrado de Atenção à Saúde(Cias), seu hospital próprio, localizado na Avenida Leitãoda Silva, em Vitória.Hoje, a singular se posiciona como uma dasmais bem estruturadas unidades do Sistema Unimed,contando com o Cias – que integrou as áreas de Emergência,Coração, Saúde Ocupacional e Assistência Domiciliar–, o Unimed Fácil e a Unimed Diagnóstico.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 35Benefícios para toda a população“Com o advento da verticalização, que se traduziu noprocesso de construção de seus recursos próprios, oshospitais conveniados à Unimed Vitória tiveram quemelhorar seus serviços, para acompanhar o que erafeito. Com isso, toda a população do Estado ganhou,pois os clientes não queriam mais ir para outros hospitais,apenas ficar na estrutura da Unimed. Outraconsequência foi a vinda de outros ótimos hospitaispara a Grande Vitória, que enxergaram a existência deum bom mercado”. Gerson Marino, ex-presidenteda Unimed Vitória


36 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sUnimedDiagnóstico“A Unimed Diagnóstico é um anseio dacooperativa. O objetivo da diretoria da UnimedVitória é oferecer cada vez melhores serviços acustos compatíveis com a capacidade de cadausuário (...). Além disso, oferece mais conforto ecomodidade, ao colocar num mesmo local váriasespecialidades de diagnóstico”.Com esse texto, a 16ª edição do InformativoUnimed, jornal dos usuários da singular de Vitória, anunciavaa tão esperada inauguração da Unimed Diagnóstico,marcada para maio de 1998.O tempo fez saber que os anseios estavamcorretos. Hoje, o cliente encontra, na unidade, excelentesinstalações físicas, equipamentos modernos e uma equipebem treinada, para chegar a diagnósticos precisos ede qualidade.São oferecidos exames de tomografia computadorizada,ultrassonografia, mamografia, densitometriaóssea, raios-x simples e contrastados, e ressonânciamagnética, com aparelhos de última geração.O paciente também conta com a comodidadede uma área para repouso, estacionamento próprio, recepçãocentral com setor de entregas de exame, e espaçodirecionado para o atendimento ao público feminino,com recepção própria.Qualidade atestadaEm março deste ano, a Unimed Diagnóstico recebeuo Certificado de Qualidade em Ultrassonografia,do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico porImagem (CBR), da Associação Médica Brasileira. O certificadoatesta que o serviço oferecido pela unidade encontra-sedentro dos padrões de qualidade exigidospela instituição.Outros exames disponibilizados, como TomografiaComputadorizada, Mamografia e RessonânciaMagnética, já possuem o certificado. O selo faz parte doPrograma de Certificação de Qualidade, criado em 1992pelo CBR, e contribui para a evolução da especialidade,funcionando com caráter de inclusão, sem característicaspunitivas.O selo é válido até 2012 e transmite aos cooperadose clientes maior segurança nos resultados dosexames realizados, além de ser um diferencial para osserviços certificados. “Esse selo concretiza o nível dequalidade atingido pela Unimed Diagnóstico e mostraque estamos no caminho certo. Com essa certificaçãoé possível ter certeza de que estamos oferecendo serviçosde alta qualidade aos clientes”, conclui o coordenadormédico, Liborio Mule Junior.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 37Unimed FácilO Centro de Especialidades Unimed Fácil (CEUF)é uma clínica totalmente informatizada, desdeo agendamento até o acompanhamento clínico,destinada ao atendimento dos funcionários dasempresas conveniadas ao Plano Fácil, em todasas especialidades.A operação foi iniciada no dia 2 de janeiro de2000, com a inauguração da Unidade Leitão da Silva,mas, logo nos primeiros meses, foi sentida a necessidadede ampliar para outras regiões da Grande Vitória.Hoje, o Fácil conta com unidades em Vitória,Vila Velha, Laranjeiras, Campo Grande e Guarapari, queatendem a uma quantidade significativa de clientes, emtodas as especialidades (mais de 60) e muitas subespecialidadesmédicas. As mais requisitadas são as deGinecologia (14%), Oftalmologia (9,91%) e Cardiologia(8,55%).O Fácil – que funciona de segunda a sexta, das7h às 20h, e aos sábados, das 7h às 12h – também contacom atendimentos em Psicologia, Fonoaudiologia e Nutrição.Outro carro-chefe é o projeto de prevenção voltadopara pacientes de alto risco, como diabéticos, hipertensose obesos, por meio de orientações, palestras eencaminhamentos, entre outros.e m p r e s a s a t e n d i d a sMais de 2 mil empresasde grande, médio e pequenoportes são conveniadasao Fácil, muitasdelas alocadas dentrode grandes sindicatos. Algumassão: Águia Branca,Sindicomerciários, Sincodives,Sesi, Dadalto, Centrodo Comércio do Café,Acapes e Garoto.n ú m e r o s d o f á c i lequipe: 400 médicos . 100 colaboradoresmédia de atendimento mensal em cada unidadeCamburi9.600Campo Grande1.812Guarapari670Laranjeiras1.602Leitão da Silva4.357Vila Velha1.405Média total19.450


38 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sO próximo grande desafio, explica o médico,“é ter uma estrutura hospitalar que atenda aos nossosclientes de baixa e média complexidade a um custoaceitável, sendo que a nossa estrutura está preparadapara receber mais 25 mil clientes sem necessidade deampliação da área física. Portanto, queremos que a nossacarteira cresça até a marca de 70 mil”.evolução de clientesmês base: janeiro60.00053.28050.00040.00040.204 43.00036.34247.28347.04446.518PioneirismoDe acordo com o ginecologista e obstetra ecoordenador do Fácil, Henrique Zacarias, a criação doprojeto foi discutida no Conselho de Administração pormais ou menos três anos, já que se tratava de algo pioneirono Brasil. “As Unimeds não tinham nenhuma experiênciaem atender a clientes em planos de baixo custopara a classe C. Após esse tempo, o Conselho aprovou,em junho de 1999, a criação do Unimed Fácil. Eu fui escolhidopara ser coordenador e estou aqui até hoje”.Desafios e marcosHenrique Zacarias explica que a parte maiscomplexa da implantação foi esclarecer para a classemédica a importância da existência de planos popularesna cooperativa. “Isso foi feito marcando-se em torno de40 reuniões, com grupos divididos por especialidades, etambém com órgãos representativos da classe, como oSindicato e a Ames, além de cooperativas de especialidadesmédicas”.Superado esse desafio, o Fácil foi consolidado noEstado, e tem servido de modelo para outras Unimeds eplanos de saúde do Brasil. Entre os marcos dessa históriade sucesso, destacam-se planejamento estratégico,investimentos em TI, com entrada em operação dosistema MV 2000; inauguração da Unidade de Camburie reforma da Unidade da Avenida Leitão da Silva. Mas ummarco igualmente fundamental tem sido a participaçãoativa dos cooperados e colaboradores.30.00020.00010.0007729.53626.0032000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009pesquisaÍndice desatisfação:colaboradorUnimed FácilÍndice desatisfação:clienteUnimed FácilComunicaçãocom o médicoAmbiente detrabalhoAdministraçãodo FácilProcessos deautorizaçõesInfraestrutura200674,50%72,64%81,86%78,92%80,88%75,00%-200775,00%80,03%67,92%77,82%72,61%71,70%75,47%200873,75%72,32%71,67%81,67%77,08%71,05%75,42%p e s q u i s a f u t u r a


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 39AssistênciaDomiciliarEssa é umas das iniciativas que reforçam ocompromisso da Unimed Vitória pela buscacontínua da qualidade para clientes, cooperadose colaboradores. Sua estrutura permite comparálaa um verdadeiro complexo hospitalar que, deforma pioneira no Estado, ganhou as ruas, oumelhor, a casa dos pacientes capixabas.Levar profissionais capacitados, equipamentos,materiais e medicamentos em domicílio para pacientesque necessitem de atenção especial. Esse é o objetivodo serviço de Assistência Domiciliar (Aduvi), oferecido há11 anos pela Unimed Vitória, sendo o primeiro nesse segmentono Estado.A Aduvi é formada por uma equipe multiprofissional,disponível 24 horas, de 165 colaboradores, entreenfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, fonoaudiólogos,nutricionistas, fisioterapeutas, e 12 médicoscooperados.Atende a portadores de doenças crônicas,como demências avançadas, diabetes, câncer, doençapulmonar obstrutiva crônica, hipertensão arterial, doençascardíacas e acidente vascular cerebral. O acompanhamentoem domicílio também é responsável pelomonitoramento pediátrico e neonatal, cuidados paliativose intervenções específicas.O serviço beneficia, mensalmente, a mais de340 pacientes, divididos em três modalidades de atendimento,conforme o grau de complexidade: InternaçãoDomiciliar, Assistência Domiciliar e Monitoramento dePacientes Crônicos. Desse total, aproximadamente 20%têm alta por mês e menos de 3% retornam ao hospitalapós o período de acompanhamento domiciliar.DiferenciaisA Assistência Domiciliar contribui ainda com aredução em custo assistencial apresentado pela singularcapixaba. Um levantamento realizado pela Unimed Vitóriamostra uma economia de 40% quando o atendimentoé comparado à internação hospitalar.Um dos diferenciais está na contínua orientaçãode cuidadores e familiares, pessoas que fazem parteda rotina e influenciam diretamente a vida de cada paciente.Os profissionais passam por workshops com focotécnico e comportamental, com o objetivo de capacitálosa realizar os atendimentos, além de serem treinadosem equipe e nas residências para conhecer a realidadee adaptar-se aos diferentes ambientes.Juntamente com os cuidadores, as famíliasaprendem sobre a importância dos cuidados com o pacientepor meio da “Cartilha do Cuidador”. O material, referênciapara outras singulares do sistema Unimed, traz informaçõesque ajudam a evitar imprevistos, diminuem oestresse e permitem uma rotina mais tranquila e segura.Entre os assuntos abordados na cartilha estãorecomendações práticas, cuidados e orientações para casosde urgência e emergência, além de medidas para quecuidadores e familiares preservem também a sua saúde.“Os bons resultados da Aduvi vêm da nossaperspectiva em trabalhar de maneira complementarà internação hospitalar, com foco nocuidado. Dessa forma, nossos clientes contamcom acompanhamento médico antes, durantee depois do processo de internação. O cuidadornão é apenas treinado sobre os procedimentosadotados, mas é preparado nodomicílio do paciente para que possa conhecera realidade do local e oferecer um atendimentoainda melhor”. Karla Toríbio Pimenta,médica coordenadora da Assistência Domiciliarda Unimed Vitória


40 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sCias: um casode sucessoComo uma proposta inovadora, nasceu o CentroIntegrado de Atenção à Saúde (Cias), hospitalque reúne, em um só local, todas as etapasdo tratamento médico. O funcionamentointegrado se deve aos serviços SOS EmergênciasMédicas, Atendimento Hospitalar e AssistênciaDomiciliar, que garantem agilidade econforto no atendimento ao paciente antes,durante e depois de sua internação.Aliando tecnologia de ponta à qualidadee humanização no atendimento, o Cias lançou umconceito inovador no Espírito Santo. Com uma áreaconstruída de 15 mil metros quadrados e uma infraestruturamoderna e completa, o hospital oferece prontos-socorrosadulto, pediátrico e cardiológico, com recepçõespróprias; centro de diagnósticos; UTIs Cardiológica, Pediátricae Adulto Geral independentes; mais de 150 leitose recursos tecnológicos de última geração.Tudo isso faz do Cias um hospital de ponta,preparado para atender casos da mais alta complexidade,que necessitem de aparelhos de última geração – algunsúnicos no Espírito Santo –, equipe altamente trei-


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 41nada e excelente suporte pós-operatório e de UTI. Tantoque realizou cirurgias inéditas no Estado e, embora nãotenha maternidade, foi cenário do nascimento de quadrigêmeos,com sucesso, em 2005. O resultado é o reconhecimento– local, nacional e internacional – de suaimportância e qualidade.HumanizaçãoO atendimento humanizado é outro aspectoque caracteriza o Cias. Para o ginecologista e obstetra ediretor técnico do Cias, Ary Célio de Oliveira, “a questãoda humanização vai muito além da estrutura física, elaestá presente no cuidado dispensado a cada paciente”.Voltada para colaboradores, médicos e terceirizados,a campanha “Humaniza Cias – por um Cias cadavez mais humano”, que teve início em 2006, traz parao foco a conscientização com relação a questões comointegração, cooperativismo, espírito de equipe, solidariedade,cordialidade e outros fatores que envolvem o tratamentoe o convívio com o ser humano.Em 2007 e 2008, o tema foi Hospitalidade. Noprimeiro ano, o foco foi “Não é à toa que a palavra hospitalestá em hospitalidade. Pratique”. No segundo, foi “Sabercuidar das mãos é saber cuidar do outro”, que tevecomo objetivo incentivar o acolhimento, a afetividade e orespeito ao próximo por meio do cuidado com as mãos.Dentre as principais ações nesse sentido, o hospitalmantém o programa de visita estendida nas UTIs,que foi pioneiro no Estado; exposição de talentos, apresentaçõesde músicos, e o projeto “Cias da Alegria”.SatisfaçãoTudo isso se reflete na satisfação. De acordocom Ary Célio, o cliente vê a Unimed Vitória como umamarca forte no mercado de plano de saúde, devido àseriedade e qualidade no atendimento e nos serviçosprestados.Para ele, os principais desafios hoje são “prestarum atendimento de qualidade, com alta tecnologia efoco na humanização, num mercado competitivo, mantendoa fidelização e a qualidade do atendimento prestado,frente às exigências e demandas dos clientes”.Os cuidados não se limitam apenas aos pacientes.O hospital conta com uma política de valorizaçãode colaboradores e corpo clínico, incentivando a qualificaçãopor meio de programas de capacitação e cursosoferecidos dentro da própria unidade.Quando tudo começouO ano de 2003 mal começava e os clientes da cooperativarecebiam uma ótima notícia: “A UnimedVitória sai na frente, mais uma vez, para atenderainda com mais qualidade e tecnologia seus clientes.A cooperativa recebe da Blokos Engenharia, nodia 21 de fevereiro, mais uma Unidade de RecursoPróprio: o Centro Integrado de Atenção à Saúde”(Informativo Unimed de nº 45).O investimento foi de R$ 15 milhões, e se deu apósuma série de discussões e planejamentos por parteda singular. Ainda em janeiro de 1999, precisamenteno dia 7 daquele mês, o jornal Gazeta Mercantilnoticiava: “A decisão da Unimed Vitória de assumiros serviços foi motivada, de acordo com (Gerson)Marino (então presidente da singular), como umaforma de a direção da cooperativa, integrada por1.793 médicos, exercer um maior controle sobre oscustos e a qualidade”.O nome “Centro Integrado de Atenção à Saúde”foi escolhido exatamente por refletir de formafiel o conceito inovador que ele representa. Muitomais que um hospital, o Cias foi concebido, ehoje possui sua efetiva atuação, tendo como basea prestação de um serviço completo ao paciente,seja antes, durante ou mesmo após a alta doatendimento hospitalar.


42 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o stes internados nas UTIspor período de até 24 horas,iniciativa pioneira noEstado.Dia das Crianças. Há tambémum calendário de visitasreligiosas para os interessados.c o n h e ç a o s p r o j e t o s d o c i a sProjeto Tocar:trata-se de um trabalho deestimulação precoce voltadopara bebês prematurose crianças com necessidadesespeciais internadasna UTI. Por meio do toquee da música, há a estimulaçãodos aspectos afetivos,sensoriais e psicomotores,o que contribui para o desenvolvimentosaudável dacriança.Visita estendida:liberação da presença defamiliares junto aos pacien-Grupo Cias da Alegria:percorre os setores de internação,UTIs e prontossocorrosduas vezes porsemana, com atividadeslúdicas, oficinas e visitasaos pacientes internados.Reuniões préviasa cirurgias:o objetivo é promover oacolhimento do paciente,dando a ele orientaçãosobre a cirurgia e as normasinternas do hospital, eapresentando a estruturahospitalar.Datas comemorativas:o Cias prepara decoraçãoe programação especiais,com a realização de oficinasenvolvendo os internose distribuição debrindes, em várias datascomemorativas ao longodo ano, como aniversáriodos pacientes, Natal,Carnaval, Dia dos Pais,Dia das Mães, Páscoa, DiaInternacional da Mulher eTocando seu coração:insere melodia no ambientehospitalar, atravésda presença de músicosvoluntários.Exposição de talentos:espaço na RecepçãoCentral do Cias para exposiçãode habilidades e talentosdos pacientes, familiarese acompanhantes.Encontro de pacientes:reuniões que acontecemnas Unidades de Internação,com a presençade representantes de todosos serviços oferecidos,com o objetivo deabrir espaço para que osclientes relatem suas sugestões,exponham seuselogios e críticas, participandoefetivamente dagestão de melhoria dosserviços prestados.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 43r e c o n h e c i m e n t oO Cias é certificado pela OrganizaçãoNacional de Acreditação (ONA), com Acreditaçãocom Excelência (Nível 3).Recebeu da certificadora Det NorskeVeritas (DNV) o certificado ISO 9001:2000 e oselo internacional RVA.Foi eleito um dos cinco hospitais referênciado Brasil, através de pesquisa realizadapela IT Mídia, uma das mais conceituadas empresasde comunicação de negócios do mercado.“A inauguração do Cias foi um marco na medicina capixabapor representar um hospital moderno, com informatizaçãocompleta e novos conceitos gerenciais e de atendimentopós-hospitalar com a medicina domiciliar, motivo de justificadoorgulho da cooperativa médica. Dirigi-lo foi uma experiênciafascinante, muito enriquecedora. Para o médicoé importante viver o lado da gestão pelos desafios de definirprioridades e entender que orçamento não é ilimitado.Controlar custos na medicina moderna, relacionar impactode gastos com benefícios é hoje um desafio para o mundointeiro.” Lauro Ferreira da Silva Pinto Neto, cooperado e primeirodiretor técnico do Cias (2003 e 2005)indicadoresatendimentos no PSinternaçõescirurgiasexames SADTtotal(2003 a 2009)783.58350.18060.705433.362indicador - ciassatisfação dos clientes internadospesquisa: Futura94%92%90%88%88,4%87,3%92%94%93%remoções48.56186%pacientes18.20484%(atendimento domiciliar)82%2004 2005 2006 2007 2008indicador - ciassatisfação do cooperadoindicador - ciassatisfação do colaboradorpesquisa: Futurapesquisa: Futura75%74,89%80%76,11%74%75%74,20%73%72,44%70%72,46%72%71,84%71%71,22%65%63%70%60%2004 2005 2006 2007 20082004 2005 2006 2007 2008


44 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sEstrutura completaA Unimed Vitória se moderniza cada vezmais, sempre buscando facilitar a vida deseus clientes. Além de recursos próprios,conta com uma estrutura preparada paraprestar um atendimento eficiente ondequer que o cliente esteja.LojasPreparadas para auxiliar o cliente na solicitaçãode autorizações, esclarecimento de dúvidas e outrosprocedimentos. Hoje, a Unimed Vitória conta com trêslojas: Vitória, Guarapari e Central de Atendimento (por telefone,24 horas).Vitória: Av. Nossa Senhora da Penha, 1.477telefone: (27) 3134-5078Guarapari: Rua José Barcelos, 262º andar, Parque Areia Pretatelefones: (27) 3361-0073 / 3262-5147Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC)Serviço personalizado aos clientes Unimed Vitóriaque desejam procurar ajuda para analisar contratode plano, carência, reativação de plano, solicitação dereembolso, estudo financeiro para negociação de dívidae qualquer outra informação de natureza contratual ede regulamentação de planos de saúde. Funciona de segundaa sexta, das 8h às 18h, na loja de Vitória, situada naavenida Nossa Senhora da Penha, 1.477. Sua função é detectaros problemas, as sugestões e as reclamações dosclientes, e auxiliar para que eles sejam solucionados.Fale conoscoCanal de comunicação online, feito por meiodo site www.unimedvitoria.com.br, onde se pode fazersolicitações gerais em relação ao plano e tirar dúvidasem tempo real. O horário de funcionamento do chaté de 8h às 18h em dias úteis, sendo que para os portadoresde deficiências auditiva e de fala o serviço funcionadurante 24 horas.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 45Produtos paratodos os públicosNa busca por manter-se como empresa devanguarda, a Unimed Vitória investe em planose produtos opcionais que atendam, de formaintegral, à saúde de seus clientes.Para isso, a empresa realiza, sistematicamente,pesquisas de mercado formais, sem esquecer-se das pesquisasinformais, isto é, das informações obtidas atravésdos públicos de seu relacionamento, como os usuários.De acordo com o cirurgião e diretor de mercadoLuiz Carlos Paier, o objetivo é acompanhar e antecipar-sea tendências de um mercado tão dinâmico comoa de saúde complementar. “Nesse processo, são avaliadosfatores macro - como a economia e a tecnologia -,além das disposições do mercado em que a empresaatua. Mais que isso: são analisados os anseios dos clientes,foco constante da cooperativa”, ressalta.Por essa razão, os produtos são divididos deacordo com o tipo de público a que são destinados:Pessoas Jurídicas, Pequenas e Médias Empresas e PessoasFísicas, esse último englobando as mais variadas classessociais.PioneirismoPaier destaca ainda que a atual estrutura da Diretoriade Mercado – dividida atualmente em uma Superintendência,uma Gerência de Relacionamento com oMercado, uma Gerência de Negócios e uma Coordenaçãode Marketing – colabora para que o gerenciamentode novos produtos se dê de forma completa e de acordocom as últimas tendências de mercado.Prova disso foi o fato da Unimed Vitória ter sidoa pioneira, dentro do sistema Unimed do Brasil, na implantaçãodo produto Fácil Participativo, plano que garanteaos empregados de médias e pequenas empresaso acesso à saúde e à qualidade de vida, sendo tambémclientes da maior cooperativa médica do mundo.Atualmente, segundo Paier, o objetivo da empresaé ter uma abrangência maior nas classes C e D.“Quando o assunto é pessoa jurídica, o foco é ampliar aparceria com Pequenas e Médias Empresas, daí a campanhapublicitária lançada no final do ano, veiculada emTV, outdoor, jornais, rádio e internet: ‘Sua empresa tambémpode ter Unimed’”, ressalta.


46 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sb e n e f í c i o s p l a n o sUnimedVitóriaMedCom o VitóriaMed, o clientetem proteção completapagando apenas umamensalidade fixa. A áreade atendimento abrangetodo o território nacional,em todas as cooperativasmédicas que integramo Sistema NacionalUnimed.Unimed ParticipativoNacionalO Unimed ParticipativoNacional é uma forma econômicade ter um plano Unimed,em que o cliente pagauma mensalidade acessívele participa com pequenovalor, de acordo com a utilização.Essa participação éo valor pago pelo uso dosserviços referentes à coberturaambulatorial e efetivamenteutilizados pelo titulare seus dependentes naRede Credenciada. A participaçãocorresponde a50%, conforme tabela Unimed,sendo que o valor máximoque se paga de participação,por procedimento,é de R$ 85,00. A assistênciadesse plano é garantidaem todo o Sistema NacionalUnimed, de acordo comas condições contratuais.Clube de VantagensO Clube de Vantagens é um programa de relacionamentoda Unimed Vitória que oferecedescontos e benefícios por meio de convênioscom empresas parceiras em diversos segmentosde atuação. As vantagens são válidas paratodos os clientes.Assistência Domiciliar Unimed VitóriaA singular oferece a facilidade do atendimentoem casa, sem custo adicional para os pacientesque estão com dificuldade de locomoção, acamadosou com doença crônica, nos municípiosde Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica, de acordocom a avaliação médica, e desde que possuamo serviço de remoção contratado.s e g u r o s ( p e s s o a j u r í d i c a )Unimed ParticipativoEstadualCom o Unimed ParticipativoEstadual, o cliente temacesso à rede estadual daUnimed Vitória com umamensalidade mais acessívele descontos progressivospara a família, participandocom determinado valor, deacordo com sua utilização.Essa participação é o valorpago pela utilização dosserviços referentes à coberturaambulatorial e efetivamenteusados pelo titulare seus dependentes naRede Credenciada. A participaçãocorresponde a umvalor fixo definido por gruposde procedimentos, sendoque o valor máximo é deR$ 50,00. O Unimed ParticipativoEstadual oferece asegurança Unimed em todoo Estado do Espírito Santo.O planoEmpresarial daUnimed Vitóriaoferece umcompleto Pacotede SegurosCorporativos,voltado paraempresas quepossuem mais de150 funcionárioscom até 65 anosde idade.FácilParticipativoA Unimed Fácil oferecetodas as especialidadesmédicas nos Centrosde Especialidades UnimedVitória e sua RedeReferenciada garantindocondições especiais parapequenas e médias empresas.O plano abrangeos municípios de Vitória,Vila Velha, Cariacica, Serrae Guarapari.Todos os planos citadosoferecem descontos progressivospara a família.Proteção FamiliarEm caso de perda de rendapor desemprego de titularesempregados peloregime CLT ou afastamentopor doença ou acidentesde profissionais liberais,será assegurada a quitaçãode até cinco mensalidadesdo plano de saúde dogrupo familiar. Em caso demorte acidental ou invalideztotal permanente poracidente do titular, será asseguradoo pagamento dovalor relativo a 12 mensalidadesdo grupo familiar.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 47p r o d u t o s o p c i o n a i sPlano de Benefíciosde Medicamentos(PBM)A Unimed Vitóra, em parceriacom a Rede Avenidade Farmácias, oferecea seus clientes, coma adesão do PBM, descontosde até 30% nacompra, à vista, de medicamentose remédiosmanipulados. Além disso,podem contar com13 farmácias espalhadaspela Grande Vitória comserviço de entrega emdomicílio das 8h às 22h,sendo quatro com atendimento24 horas.Plano OdontológicoEm parceria com a Odontoprev,a Unimed Vitóriaoferece aos seus clientesuma rede credenciadacom mais de 14 mil cirurgiões-dentistasno EspíritoSanto, onde são realizadosos mais diversosprocedimentos odontológicos,inclusive ortodontia.Com profissionais especializadose atendimentode emergência 24 horas,esse serviço adicional podeser acrescido ao plano medianteassinatura de aditivocontratual.SOS EmergênciasMédicasConsiderado o melhor emais completo serviço deemergência médica do Estado,possui sete ambu-lâncias – sendo três UTIsmóveis, com modernosequipamentos –, serviçode remoção aérea nacionale de orientação médicapor telefone 24 horas, alémde atendimento domiciliar.A equipe do SOS EmergênciasMédicas é formada porpessoal de enfermagem,motoristas socorristas treinadosem suporte básicode vida e médicos com cursosinternacionais em suporteavançado de vida. Oobjetivo é fazer com que oatendimento em domicílioou durante o transporteseja rápido nas mais diversassituações: clínica, cirúrgica,obstétrica ou pediátrica.MedicinaOcupacionalA Unimed Vitória disponibilizalaboratórios e consultóriosdedicados ao atendimentode empresas erealização de exames ocupacionais,obedecendo aNR7. A Medicina OcupacionalUnimed Vitória realizaexames clínico-ocupacionais,laboratoriais, espirometria,ECG e avaliação devisão, todos em sua sedeprópria. Porém outros examespodem ser realizadosnos recursos próprios ouna rede de cooperados, deacordo com a necessidade.A cooperativa tambémoferece palestras educativas,ministradas com agendamentoprévio. Quando aempresa dispõe de estruturafísica, os exames clínico-ocupacionaise laboratoriaissão realizados naprópria empresa, sem nenhumcusto adicional, evitandoo deslocamento doscolaboradores. O corpo clínicodispõe de nove médicosdo trabalho, técnicosde enfermagem do trabalhoe administrativos, paraque os atendimentos sejamrealizados com qualidade.Unimed GarantiaFuneralServiço 24 horas queoferece assistência funerale reembolso comdespesas de funeral,em caso de óbito dosusuários titulares, cônjugese filhos (de até24 anos) e transladoem caso de falecimentofora do municípiode moradia em territórionacional.Unimed AssistênciaNacionalPara assistência em viagensno Brasil, a singularoferece auxílio em situaçõesde perda ou roubode documentos, transladode titular / acompanhanteem diversas situaçõese estadia. Tudo paradeixar o segurado cobertode segurança e tranquilidade.PortabilidadePortabilidade é o direito que o cliente tem de colocar nabalança tudo o que cada operadora oferece, e escolhero que é melhor, sem ter medo de perder o tempo de carênciajá cumprido. Há 30 anos, a Unimed Vitória relaciona-secom seus clientes de forma transparente, seguindoà risca a legislação do setor de saúde. E é por isso queela consegue se antecipar, pensando no bem-estar e nacomodidade de seus clientes e da população como umtodo. Assim, antes mesmo que entrasse em vigor a portabilidadedos planos de saúde, o que aconteceu em 15 deabril deste ano, a Unimed já conscientizava a sociedadee garantia a ela o livre exercício de escolha, sem nenhumacobrança de custos ou taxas adicionais.


48 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sPergunte para dez pessoas qual o plano de saúdecom maior rede de credenciados de nosso Estado.Certamente, a maioria delas responderá: Unimed. Atualmente,a singular conta com uma rede de 232 prestadorescredenciados (entre hospitais, clínicas, laboratórios ebancos de sangue) e mais de 2.200 médicos cooperados(distribuídos em diversas especialidades médicas).A preocupação da cooperativa, todavia, não éapenas com a quantidade de prestadores à disposiçãode seus clientes, mas com a qualidade dos serviços oferecidos.Por isso, realiza periodicamente a qualificação desua rede credenciada. De acordo com o ginecologista eobstetra e diretor de Provimento de Saúde, Márcio deOliveira Almeida, esse processo tem sido feito atravésde visitas aos prestadores de serviços, e teve início nosmaiores hospitais da rede da Unimed Vitória. “Ainda esteano, daremos início também à qualificação de clínicas defisioterapia e imagem e laboratórios”.Rede credenciadade qualidadeA Unimed preza pela qualidade, tanto deseus recursos próprios como de sua redecredenciada. Prova disso é que a cooperativaconta com a parceria dos melhoreslaboratórios, hospitais e clínicas do Estado, erealiza, periodicamente, a qualificação dessarede parceiros, por meio de visitas e avaliações.Novos parceirosMárcio explica que o método ocorre toda vezque um novo parceiro entra para a rede ou sempre quehá reclamações de clientes. “Quando credenciamos umnovo prestador, realizamos extensões de credenciamentoou recebemos alguma reclamação de nossos clientesacerca dos prestadores de serviços, realizamos visitaspontuais à rede através de nossa equipe de qualificação,a fim de assegurar e monitorar a qualidade do queé oferecido”.ConfiançaO relacionamento da singular com seus credenciados,ao longo dos anos, tem sido marcado por transparência,segurança, bom conceito, responsabilidade e interesserecíproco. A construção de recursos próprios, comoo Cias, não gerou rompimento com os prestadores darede, o que abre um leque de possibilidades à disposiçãodo cliente, que pode ser atendido na rede própriaou conveniada.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 49Desde a suainauguração,o HospitalMetropolitanointegra a redecredenciada daUnimed VitóriaAo todo, a UnimedVitória conta com 21hospitais credenciados,um deles é o Santa RitaEntenda o processo de auditoriae qualificaçãon ú m e r o d e c r e d e n c i a d o s p o r á r e aáreanº de credenciados1. Visitas são realizadas pela área de Gestãoda Rede Credenciada, com foco na qualidade,na infraestrutura e nos recursos tecnológicosoferecidos;2. Avaliação de indicadores assistenciais, noque tange à resolubilidade;3. Auditoria de contas in loco e visitas a pacientesinternados, no tocante à gestão e desospitalizaçãodo paciente.Banco de SangueClínica de Diagnóstico por ImagemFisioterapiaHospitalLaboratório de Análise ClínicaOutrosTotal geral45553213168232


50 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sCom a palavra, os credenciados“Desde que entramos, no início da década de 1990, a parceriatem sido muito boa, gerando um desenvolvimentomútuo. Pegamos uma fase de crescimento grande da UnimedVitória, e ficamos felizes por termos participado dessemomento prolongado, já que ela vem se destacandocomo uma grande operadora. Atualmente, o nosso relacionamentovem passando por aperfeiçoamentos e discussõesdos papéis de cada uma da partes, no sentido de perpetuare aprimorar a parceria”. Renato Pretti, proprietáriodo Laboratório Pretti“Nossa parceria com a Unimed Vitória se iniciou com ainauguração do hospital, em 30 de maio de 1996. E umdos marcos ao longo dessa história foi a ajuda que o planodeu ao hospital no momento de sua abertura, estabelecendoa parceria e adiantando receita. Hoje, os clientesUnimed correspondem a cerca de 25 a 30% dos nossosatendimentos e nossa relação historicamente tem sido detroca de experiências e busca de sustentabilidade mútuano mercado”. Remegildo Gava Milanez, diretor presidentedo Hospital Metropolitano“O contrato mais antigo é datado de 1996, mas o inícioda parceria com a Unimed Vitória foi anterior a1995. Considero que, para qualquer hospital, prestarserviços à Unimed é sempre um privilégio e certezade estar qualificado para um atendimento ao rigorde qualidade exigido por ela. O relacionamento atualé excelente, próprio de parceiros sérios e competentes,que buscam a satisfação de seus clientes e a sustentabilidadede seus negócios”. Oscar Alvim de Souza,diretor geral do Hospital Santa Rita“A parceria do Vitória Apart Hospital com a Unimedteve início há oito anos, desde a inauguração dohospital. Somos o maior parceiro da Unimed e viceversa,tanto que os seus clientes representam 30%do total de atendimentos realizados por nós. Temosum relacionamento forte, profissional e muito produtivo,com a proposta de oferecer sempre o quehá de mais moderno e um serviço de excelênciaaos seus usuários”. Paulo Paste, presidente do VitóriaApart Hospital


52 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sO apoio aoesporte, à culturae ao lazer, com odesenvolvimentode torneios eações internasvoltados para seuscolaboradores, éuma das premissasda Unimed VitóriaGestão de Pessoas


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 53Muito mais que equipamentos de últimageração e excelente estrutura, o segredo dosucesso da Unimed Vitória está na sua equipede quase 1.600 colaboradores, que, comdedicação e profissionalismo, conduzem acooperativa pelos trilhos do sucesso.A singular dispõe de uma estrutura compostapor quase 1.600 colaboradores, distribuídos entreSede, Lojas de Atendimento e Recursos Próprios – Cias,Unimed Diagnóstico e Unidades Fácil. Todos eles são determinantespara que a empresa atinja sua missão. Porisso, como diretriz estratégica básica, a cooperativa buscaa valorização do colaborador, favorecendo o aprendizadoe o desenvolvimento pessoal e profissional.São, portanto, prerrogativas da Gerência de RecursosHumanos o aprimoramento de competências eo estímulo ao autodesenvolvimento. Tais ações atendemaos anseios pessoais do empregado, ao crescimentoprofissional, à segurança e à saúde no ambiente detrabalho e ao alinhamento dessas expectativas dos colaboradoresàs diretrizes estratégicas da organização.Política de treinamentoO Núcleo de Desenvolvimento Humano é o setorque sistematiza e implementa a estratégia de desenvolvimento,capacitação e treinamento dos colaboradores.O programa de educação desenvolvido pelonúcleo compreende ações de Treinamento e Desenvolvimento(T&D), que visam à geração e transferência deconhecimentos e tecnologias e que são realizadas de diversasformas, como palestras, cursos presenciais e online,congressos, entre outros.O planejamento dessas ações é realizado anualmentea partir das necessidades levantadas junto àsáreas, as quais são analisadas à luz das competências necessáriaspara a execução da estratégia da empresa e oorçamento de verba para esse fim.BenefíciosComo estratégia de atração e retenção de talentos,a Unimed Vitória busca as melhores práticas deremuneração global e disponibiliza os principais benefíciospraticados no mercado, com foco em saúde, educaçãoe qualidade de vida.As vagas são oferecidas, prioritariamente, ao públicointerno. O objetivo é valorizar e dar oportunidades decrescimento aos funcionários. Esse tipo de iniciativa se dáatravés do Processo de Seleção Interna, chamado de Psiu.PesquisasCompromissos da Unimed Vitória:Manter um ambiente de trabalho que estimuleo desenvolvimento dos colaboradores, permitindoo crescimento pessoal e profissional, assimcomo práticas adequadas na contratação eno desligamento dos colaboradores.Promover práticas de gestão que fortaleçam amotivação, a satisfação e o comprometimento.Oferecer condições para o desenvolvimentopessoal e profissional dos colaboradores, parasua segurança no trabalho. Observar as normase os cuidados para a prevenção de acidentes,propiciando um ambiente sadio, com adequadaqualidade de vida.A Unimed Vitória realiza, anualmente, pesquisasde mercado (benchmarking) na área de RecursosHumanos (RH), para manter-se atualizadaquanto às melhores práticas de gestão de RH. Jáa pesquisa de clima é feita a cada dois anos, intercaladacom a de satisfação. Também são realizadasanálises nas áreas de Remuneração eBenefícios, para avaliar os patamares e a posiçãoda empresa quanto ao mercado. Pesquisasacadêmicas, por sua vez, são incentivadas pelaempresa, que está aberta ao desenvolvimentode ensino em suas instalações, como forma deapoio ao crescimento profissional e social.Historicamente, o maior crescimento nonúmero de empregados da Unimed Vitóriase deu após a abertura do Cias.


54 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sA sala de leiturada Unimed Vitóriaproporciona aocolaborador o acessoà informação e aoentretenimentoMelhores práticasA Unimed Vitória tem em sua linha estratégicauma atuação voltada para o acompanhamento dasmelhoras práticas de Recursos Humanos disponíveis. Háanos, desde sua primeira reorganização em níveis administrativos,realizado em 1987, a cooperativa busca acompanharas tendências mais modernas e eficientes para aorganização e motivação de seus colaboradores.Em 2007, implantou um sistema de gestão porcompetência, que possibilita melhor direcionamento, racionalizaçãoe maximização dos investimentos em treinamento,em um plano de desenvolvimento específicopara cada colaborador. Por meio dele, é possível traçaras competências requeridas e desejáveis para o melhordesempenho dos cargos, identificar as habilidades atuaisdos colaboradores e seu nível de desenvolvimento, eapontar lacunas.Nessa linha, implantou também o Programa deSeleção Interna Unimed, que visa a dar oportunidades decrescimento aos colaboradores, proporcionando a motivação,o despertar da busca pelo desenvolvimento e aformação de vínculo e fidelidade à empresa. Em 1995criou seu primeiro plano de cargos e salários, o qual, anosmais tarde, após readequação da estrutura organizacional,foi reformulado para um sistema mais moderno, baseadono método Hay, mundialmente adotado, em especial porgrandes organizações, para pontuação de seus cargos.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 55Salas de Leitura/LazerLocalizada na Sede, oferecelivros, revistas, jornais eDVDs.AcompanhamentoProfissional e ApoioPsicológicoDisponibiliza orientaçãoprofissional e acompanhamentopsicológico, e orientagestores em reuniõese entrevistas de feedbackpara melhoria das relaçõesem equipe, entre outros.Apoio e Incentivo aoEsporte, à Culturae ao LazerPromoção de torneios egincanas, entre outras formasde favorecer a integraçãoentre equipes, colaboradorese familiares.Semana Internade Prevenção deAcidentes de Trabalho(Sipat)Atividade obrigatória da ComissãoInterna de Prevençãode Acidentes (Cipa), realizadaanualmente comfoco em prevenção.Programa CuidandoBem dos seus FilhosEvento que busca favorecero desenvolvimento dos filhosdos colaboradores, estimulandosuas competênciastécnicas e psicossociais,além de possibilitar a integraçãofamiliar com atividadesculturais e lúdicas.Projeto ErgonomiaVisa à adequação do localde trabalho para o bom desempenhoe a saúde do trabalhador,através de estudosdetalhados de todas asunidades da cooperativa.Ginástica LaboralAtividade física realizada durantea jornada de trabalho,que oferece benefícios quevão da reeducação posturalao alívio do estresse e àprevenção de lesões.Brigada de IncêndioGrupo de colaboradores doCias treinados para atuar comrapidez e eficiência em casosde princípio de incêndio.Momentode SegurançaPrograma de orientaçãoaos colaboradores quantoa normas, rotinas de segurançae práticas de prevençãode acidentes e doençasocupacionais.CampanhaAcidente ZeroTem o objetivo de conscientizaros colaboradoresquanto à prevenção de acidentese consequente reduçãodesse índice.Programa de Prevençãode Riscos Ambientais(PPRA)Define metodologias deação para a preservação dasaúde e integridade dos trabalhadoresface aos riscosexistentes nos ambientesde trabalho.Programas deSegurança e Medicinado TrabalhoAtualização periódica dedocumentos que envolvema prevenção e a segurançano trabalho.Programade RadioproteçãoBusca garantir mais segurançaaos colaboradoresque realizam atividades nossetores com exposição à radiaçãoionizante.Manual / Programade Gerenciamentode Equipamentos deProteção Individual(EPI)Estabelece diretrizes de escolhae uso de EPIs, assimcomo a definição dos tiposde equipamentos de proteçãode acordo com a necessidadede cada área.Comissão Internade Prevenção deAcidente (Cipa)Visa à prevenção de acidentese doenças decorrentesdo trabalho, de modo a tornarpermanente os cuidadoscom a preservação da vida ea promoção da saúde.Antes de iniciar as atividades do dia, as equipesinternas participam de sessões de ginástica laboral


56 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o se n t r e v i s t aAvanços e desafios do RHSimone Xavier Osório de Amorim, ex-superintendentede Desenvolvimento Organizacional da Unimed Vitóriae atual assessora de Projetos Estratégicos, está na cooperativahá 14 anos e acompanhou vários processos, entreeles, o desenvolvimento de pessoal. Abaixo, ela comentasobre os avanços e desafios na área de RecursosHumanos.Comente acerca dasações e dos programasde participação nosresultados que estãosendo implantados naempresa.Existem dois. O Programa deParticipação nos Resultados(PPR) é voltado para os colaboradores,e foi aprovadopela diretoria no ano passado.Agora está em processo dehomologação junto ao sindicato,para que possa ser, defato, implementado. Já o Programade Participação Valori-zada (PPV) é voltado para cooperados.Foi lançado no anopassado e já está em uso.Em 2008, houve grandeinvestimento emtreinamentos voltadospara desenvolvimentoprofissional/pessoal eeducação continuada.Quando a singularcomeçou a investir deforma mais intensa emcapacitação e por quê?A educação continuada évoltada para os colaboradores,para a equipe de enfermageme também para oscooperados. No ano passado,batemos a meta de 2,18horas de treinamento porcolaborador/mês. À medidaque a empresa fica maiscomplexa, e o mercado maisacirrado, esse é o tipo deação que vem a reboque. Opilar da empresa vem atravésdos processos e das pessoas,com a Tecnologia da Informaçãosustentando essesprocessos.Quais os principaismarcos na história dacooperativa, quando oassunto é treinamento?Para mim, o principal marcocom relação à sistematizaçãode treinamento e capacitaçãode pessoal – como algoque faz parte de uma pautaestratégica – foi a regulamentaçãodo setor, em 1998,com criação da Lei 9.656 e,em 2000, com a criação daAgência Nacional de Saúde.Nesse período, o mercadode saúde complementar começoua ser regulamentado,exigindo-se que as operadorasoferecessem Planos Referênciacom as mesmas característicaspara todas. Issoacirrou a competição, quandose começou a buscar diferenciaisrelativos à prestaçãode serviços, ao trabalhodas pessoas, já que os produtostinham que ter praticamenteo mesmo formato.Como foi o processo decontratação de Pessoascom Deficiência (PcD),iniciado no ano passado?A Unimed nunca teve restriçõescom relação a receberpessoas com deficiência.Já tínhamos, inclusive, algunsem nosso quadro. Com a legislação,tivemos que cumprircotas, e fizemos preparaçãoe parcerias com o Senacpara dar treinamentos a todaas equipes. Hoje, estamoscom cerca de 80 deficientes,o que equivale a 5% do quadro,conforme exigido pelalei vigente.Tornar o ambiente detrabalho mais humanoé uma das práticas daUnimed Vitória. Comoisso é feito e desdequando?Nós somos uma empresade prestação de serviços, naqual a matéria-prima do produtovendido é o ser humano– o nosso colaborador, onosso cooperado. Sendo assim,a preocupação com umambiente de trabalho humanizadoé uma constante paraa Unimed Vitória. Não sóno aspecto físico, mas tambéme principalmente no aspectodas relações interpessoais.Nosso negócio exigeque atendamos as pessoasnos momentos mais críticosde suas vidas. Para queisso ocorra da melhor formapossível, e dentro dos padrõesde qualidade pretendidospela empresa, investimosmuito em treinamentode pessoal, adequação deestrutura física e equipamentos.Anualmente, revisamosnosso plano de treinamentoe orçamento de investimentospara que possamosmantê-los sempre alinhado aesse propósito da cooperativa.Assim, esperamos tornar omais agradável e satisfatóriopossível o desenvolvimentodo trabalho de cada um dos1.550 colaboradores e 2.200cooperados, levando mais resolutividadeao atendimentodo nosso cliente.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 57c o m o é t r a b a l h a r n a u n i m e d ?“O Centro de Diagnóstico começou pequenininho,vem crescendo a cada ano, e os colaboradorescrescem junto com a empresa. Entrei aqui comoestagiária, em 1998, e tudo o que consegui até hoje- inclusive a educação dos meus filhos - foi atravésda Unimed Vitória. É uma empresa que dá muitasoportunidades aos empregados, como benefícios,atividades de integração com colaboradorese eventos direcionados às famílias”. Elizângela AlvesBraga, atendente da Unimed Diagnóstico“Estou aqui desde 1997, acompanhei várias mudançase a criação dos recursos próprios. Na minhaopinião, a Unimed Vitória é uma empresa que valorizao colaborador e investe naquele que acreditana instituição, dando oportunidades e permitindoque o colaborador cresça junto com a empresa.Foi trabalhando na Unimed que todas as minhasconquistas pessoais e financeiras foram alcançadas”.Luciana Maria Ribeiro Graça, coordenadora deAtendimento do Cias“Trabalho na Unimed Vitória desde outubro de2008, e já pude perceber que se trata de umaempresa que oferece oportunidades de desenvolvimentoprofissional aos seus colaboradores, numambiente de trabalho agradável. A cooperativaconta, ainda, com profissionais capacitados, o queresulta na melhoria contínua de todos os nossosprocessos”. Wilian Freitas, analista administrativo dePessoal sênior


58 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s“Gosto muito de trabalhar aqui. Entrei comoauxiliar, passei para assistente e hoje estoucomo analista. Cresci bastante profissionalmente,pois a empresa me deu boas oportunidades”.Aderlania Kuster Dalarmelina, analistado setor de Relacionamento com o Cliente“Gosto do que eu faço, da equipe, da coordenação.Acho tudo, em geral, muito bom, especialmenteas oportunidades que tenho de me aperfeiçoare fazer cursos”. Sabrina Sodré, assistenteadministrativo da Assistência Domiciliar do Cias“Estou aqui há 12 anos e me sinto realizado. Aspessoas com quem trabalho são muito unidas, ea empresa me proporciona muitas coisas boas.Quando entrei, só existia a sede administrativa,e hoje já tem vários recursos próprios, comhospital de referência e uma área de diagnósticoscompleta, fora os planos para as classes C eD, que deram oportunidades a quem antes nãopodia ter plano de saúde”. Leandro Siqueira Belumat,assistente de Atendimento ao Cooperado


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 59Qualidade:uma buscaconstanteNo ano passado, a Unimed Vitória deu umimportante passo rumo à excelência contínuanos serviços prestados e à maior satisfaçãodo cliente. Certificou a Sede Administrativae a Unidade de Atendimento e Vendas nanorma ISO 9001:2000.Na base dessa certificação está uma Política deQualidade que tem como diretriz oferecer soluções emsaúde, garantindo a melhoria contínua dos processos edo sistema de gestão, através de profissionais capacitados,visando à plena satisfação dos clientes.A política tem como principais objetivos manterprocedimentos padronizados, sistematizados e controlados;aumentar a eficácia do Sistema de Gestão daQualidade; capacitar colaboradores para atualização decompetências; criar e compartilhar conhecimento; fidelizarclientes e oferecer serviços diferenciados.InícioEmbora essa conquista tenha se dado em2008, o processo de implementação e consolidação daqualidade data de períodos bem anteriores. É que, conformeexplica a assessora de Projetos Estratégicos, SimoneXavier Osório de Amorim, a Unimed não pensavana qualidade no intuito de obter um certificado, mas demelhorar os seus processos internos.Segundo ela, em 1995 foram dados os primeirospassos para a implantação de um planejamento estratégico,que culminou dez anos depois com mais umavanço: o início do mapeamento e do levantamento dosprocessos da operadora. “Recebemos a ajuda de uma


60 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sconsultoria, mas estávamos despretensiosos de uma certificação.O que queríamos era conhecer e registrar osprocessos de uma forma oficial, e não deixá-los apenasna cabeça das pessoas”, complementa Simone.Em 2003, outro importante passo foi dado: aimplantação da ferramenta de gestão Balanced Scorecard(BSC).CertificaçãoEm 2006, uma nova consultoria foi contratada,dessa vez para prestar auxílio na revisão e ampliaçãodo trabalho que já havia sido feito. Após esse período,os gestores decidiram organizar o material, a documentaçãoe os processos mapeados até aquele momento ecolocar em prática um projeto de certificação.“De abril a dezembro de 2008, fizemos todo ociclo de auditorias internas, e no final do ano chamamosa certificadora. Graças ao esforço de todos, conseguimoso certificado ISO”, relembra a superintendente.“Fui auditor líder de todos os processos decertificação da Unimed Vitória - ONA Nível3, ISO 9001-2000 no CIAS e na operadora- representando a Det Norske Veritas(DNV), e o que posso dizer é que tanto oCias como a Unimed Vitória conseguiram,de uma forma muito inteligente, práticae objetiva, implementar seus Sistemas deGestão da Qualidade (SGQ) de forma a unirferramentas de gestão com base em normasuniversalmente consagradas, agregando valoràs atividades desenvolvidas em cada umadelas. Esses sistemas de SGQ têm duas grandespremissas básicas, que são foco no cliente eno desenvolvimento contínuo de melhorias,o que se traduz no reconhecimento dessaqualidade por parte dos clientes. É importanteressaltar que o pioneirismo da Unimed Vitóriafaz dela um exemplo a ser seguido por outrossegmentos na área da saúde, não somente noEspírito Santo, mas em todo o país. Com ascertificações, a singular passou a ser mais umadas Unimeds que se tornam benchmarking,entre todas as singulares do Brasil”. Luiz CarlosMarzano, Coordenador Técnico da Área daSaúde da DNV para a América do SulCias: qualidadeatestadaO Cias é o único hospital do EspíritoSanto e o segundo do país a reunir,conjuntamente, a Acreditação Nível3 e o certificado ISO 9001:2000 emtodas as suas unidades.Em 2007, o Centro Integrado de Atenção àSaúde (Cias) tornou-se o único hospital no Espírito Santocom a certificação ISO 9001:2000 em todos os seussetores. O hospital foi indicado a receber o certificadoapós visita de auditoria da organização Det Norske Veritas(DNV).No ano seguinte, conquistou a Acreditaçãocom Excelência (Nível 3), com recomendação feita tambémpela DNV. Isso significa dizer que o Cias está comprometidoe alinhado com a segurança, a organizaçãona prestação de serviços de saúde e a melhoria contínuaem todos os processos.Vale lembrar que, com apenas três anos defuncionamento, durante a gestão da ex-diretora técnicaKarla Toríbio, atingiu a Acreditação Hospitalar Plena(Nível 2), e seis meses após abrir as portas, recebeu oPrêmio Top Hospitalar 2003, como Hospital DestaqueEspecial do Espírito Santo.Simone explica que quando foi inaugurado, oCias já estava totalmente montado, planejado e pensado.“O hospital já nasceu pronto, já que foi desenhado comtodos os processos escritos, equipamentos compradose pessoas treinadas. Isso foi uma oportunidade e tantopara o hospital amadurecer seus processos, e deu muitasegurança para os colaboradores e gestores”.A Acreditação Hospitalar é a aprovação deum certificado de avaliação que expressaa conformidade a um padrão de qualidadepreviamente estabelecido pelo Manual Brasileirode Acreditação da Organização Nacionalde Acreditação (ONA).


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 61ReconhecimentointernacionalO esforço em buscara excelência rendeureconhecimentointernacional à UnimedVitória, a primeiraoperadora de planosde assistência médicado mundo e a primeiraempresa no segmentode saúde da AméricaLatina a receber prêmiode gestão estratégica.Em 2007, a cooperativa recebeu o prêmio Hallof Fame, concedido pela Balanced Scorecard Collaborative(BSCol), e se juntou ao seleto grupo de empreendimentosque melhor executam suas estratégias utilizandoo Balanced Scorecard (BSC), a maior ferramenta degestão da atualidade.As metas estabelecidas e alcançadas pelo PlanejamentoEstratégico, que, além dos bons resultados financeiros,apontavam para a satisfação dos clientes comos serviços prestados, foram indicadores fundamentaispara que a cooperativa entrasse no Hall of Fame.ResultadosDa implantação do BSC, em 2003, até o finalde 2008, a Unimed Vitória mais que dobrou a sua receitaoperacional bruta, saltando de R$ 207 milhões paraR$ 530 milhões. Além disso, a cooperativa alcançou umíndice de satisfação dos clientes que chega aos 74%, reduziudespesas administrativas de 10,59% para 7,7%, econsolidou sua liderança de mercado com uma participaçãode 34,7%.A ferramenta – idealizada por Robert Kaplane David Norton, professores da Harvard BusinessSchool e fundadores da empresa BSCol– permite que o acompanhamento da execuçãoda estratégia seja mais preciso, capaz deconduzir com segurança o crescimento sustentávelda empresa.


62 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sBSC: da implantação ao prêmio“Boa gestão não é algo fácil de encontrar. Pesquisas mostram que 90% das organizações não colocam emprática sua estratégia e, assim, não alcançam os resultados esperados por seus acionistas. A Unimed Vitória éuma exceção a essa regra; por ser um time de gestão que produz valor. Em 2007 foi uma das 150 empresasa receber o prêmio Balanced Scorecard Hall of Fame for Executing Strategy, cujo um dos princípios de abordagemé ‘fazer da estratégia o trabalho de cada um’. Os executivos da Unimed Vitória devem ser parabenizadospor fazer isso, levando a estratégia do Conselho Executivo para o hospital e para os empregados em todosos segmentos da organização. Os resultados foram fantásticos, mas os verdadeiros beneficiados são osclientes que têm plano de saúde ainda melhor. A Unimed Vitória é inspiração para outros, por isso a cumprimentamospelo seu aniversário e a saudamos pelo seu sucesso” David P. Norton, um dos criadores da técnica“The Balance Scorecard”, voltada para ajudar as organizações a tornar claras suas estratégias, convertê-las emmedidas e ligá-las ao sistema de gestão.Política da qualidade“Oferecer soluções em saúde, garantindo a melhoria contínua dos processos e do sistema de gestão da qualidade,através de profissionais capacitados, visando à plena satisfação dos clientes”.1995 1996 1997 1998 1999• Plantandoa semente• Construindo a culturade planejar de formaestratégica• Orçamento Empresarial -primeiros passos• Plano Diretor deInformática• Dando o exemplo - 27ªConvenção NacionalUnimed - BH• Otimização das técnicasde Orçamento Empresarial• Customizaçãoda metodologia• Em busca doenvolvimento docooperado• Plano Orçamentário- Consolidação doscentros de custos2004 2003 2002 2001 2000• Reuniões deAcompanhamentoda Estratégia - APE’s• Criação da Assessoria dePlanejamento• Adoção do BSC• 1º Book da Estratégia• Colhendo os frutos -novos produtos• Construção do Cias• Aperfeiçoando aferramenta• Ampla análise doscenários externo/interno• Consolidação daferramenta como diretrizde trabalho2005 2006 2007 2008• Abertura do planoestratégico paraSede, Cias e Fácil• Proposta de Valor• Entrevista com aslideranças• Modelo de construçãodos mapas• Hall of Fame 2007 -Prêmio Internacional deGestão estratégica• Integração daGestão Estratégicacom a Gestão deProcessos


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 63Tecnologiada Informaçãocomo basede integraçãoe crescimentoQuem acompanhou a Unimed ao longo dos últimosanos familiarizou-se com a palavra crescimento– no número de cooperados, de clientes,da estrutura própria, além do amadurecimentoda gestão. As mudanças apontaram para a informatizaçãocomo um caminho natural a ser seguido,uma forma de suporte à complexidadedos processos operacionais que surgiamSuportar a gestão estratégica e tornar a vidados clientes internos e externos mais fácil. Esse é o objetivoda Tecnologia da Informação (TI) na singular, umaárea estratégica que permeia e integra todos os processosrealizados na cooperativa, da adesão, identificação eatendimento do cliente à liberação de exames e ao faturamento.De acordo com o pediatra e diretor administrativoLincoln Bertholi Rohr, que responde pela área deTI, poucos procedimentos são manuais na singular. “Praticamentetodo processo que acontece na cooperativaestá controlado por um sistema de gestão, tanto na sedecomo nos recursos próprios. Não significa só informatizar,mas ter sistemas integrados numa relação segura, estávele disponível o tempo todo. Temos todas as unidadesinformatizadas e integradas”.AtualizaçãoLincoln explica que a necessidade de informatizaçãocomeçou na década de 1990, quando a empresa jápossuía um sistema chamado Siamed, voltado para a operaçãoda cooperativa. No entanto, devido ao crescimentoda Unimed desde então, foi necessário fazer com queo sistema de informação acompanhasse o ritmo de crescimentoda organização. “Trocamos o Siamed por um sistemamais moderno, o Informenge. Esse processo começouem 2004 e terminou em 2005, e teve um períodode quase um ano de operação assistida, que gerou a atu-


64 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sal plataforma que temos hoje na sede administrativa”.Ele ainda explica que outro estímulo aos investimentosem TI surgiu a partir da regulamentação daAgência Nacional de Saúde (ANS), que impõe essa necessidadepor exigir das organizações dados organizadose sistematizados, além de atendimento de qualidadee maior presteza, situações que a informatização é capazde oferecer.CaseUm padrão de troca de informações em saúdesuplementar definido pela ANS foi a TISS (Troca de Informaçãoem Saúde Suplementar), que representou ummarco na estrutura de intercâmbio de informações entrea rede credenciada e as operadoras. Além de cumprir aexigência, a Unimed Vitória saiu na frente, transformandoa implantação do sistema na singular em case nacional.“De acordo com as determinações legais, aTISS poderia ser colocada em funcionamento em duasetapas: primeiramente os prestadores (hospitais, clínicase laboratórios credenciados) deveriam se adequar até odia 31 maio de 2007; em seguida, os médicos (no caso,cooperados) teriam até novembro de 2008 para fazera mudança em suas clínicas. A Unimed Vitória foi pioneiranesse processo, e a adotou tanto para a rede creden-ciada como para os cooperados no primeiro dia de determinaçãoda lei. Ninguém do Sistema Unimed, alémda Unimed Vitória, conseguiu colocar 100% dos cooperadose prestadores na TISS no dia 31 de maio”, ressaltaLincoln.BenchmarkingA adequação a essa nova tecnologia gerou outrasmudanças. Ainda em 2007, houve uma grande alteraçãode infraestrutura, pois para implantá-la foi necessárioque os cooperados deixassem de usar as máquinasde POS – aquelas onde se passava o cartão magnéticopara autorizações de consultas e exames – e começassema usar uma interface web desenvolvida pela própriasingular, o Autoriza Web. A novidade gerou repercussão, emais uma vez a cooperativa foi case de sucesso.“Todo nosso processo é automatizado e integrado,e esse é o nosso diferencial. É comum ter parte doprocesso automatizado, mas não todo. Assim, conseguimosoferecer uma série de recursos para os cooperadose os usuários. Somos benchmarking, e várias Unimedsquerem conhecer como nosso sistema está estruturado.Também participamos de um fórum que reúne as TIs dasdez maiores Unimeds para discutir desafios, rumos tecnológicose trocar conhecimentos”, conta Lincoln.Reuniões de alinhamento foram realizadaspara o processo de implementação daTISS. O resultado virou case nacional


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 65A tecnologia é algoque está sempre emmudança e, quandoaplicada a empresas,exige constanteatualização. Com aUnimed Vitória não édiferente. Para garantira qualidade de seusprocessos, a cooperativatem investidocontinuamente em TI,e hoje se encontra emestágio de vanguardanessa áreaMarcos dosinvestimentosem tecnologiaOs marcos são vários. A começar pela troca doSistema Siamed Minus para o Siamed Plus e, mais tarde,para o Informenge, na operadora, e pelo MV 2000, nosrecursos próprios. Além de modernos, os novos sistemasprimam pela disponibilidade, isto é, funcionam 24 horaspor dia.Para que isso se tornasse possível, primeiramente,foi feita a substituição de todos os computadores eequipamentos de TI da cooperativa, bem como a atualizaçãoconstante de um parque de mais de mil computadores,renovados a cada três anos.O sistema de gestão de planos de saúde, o Informenge,cuida de toda a parte de gestão do plano,como a venda, o atendimento, o faturamento, o pagamentoao médico cooperado e à rede credenciada,a cobrança ao cliente e a contabilização. Issose dá através de uma interface entre todos os sistemasque fazem esses processamentos.


66 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sVirtualização de servidoresEm segundo lugar, a disponibilidade integral exigeque haja vários computadores que executem o papelde servidores do sistema. Assim, no caso da indisponibilidadede um deles, o serviço não para. “Uma das estratégiaspara garantir que o sistema funcione o tempo todo,de forma segura e correta, é duplicar os equipamentos.Já tínhamos 50 servidores; duplicar geraria muitos gastosde recursos financeiros e naturais. Então, alinhados aoconceito de TI sustentável, implantamos em setembrode 2007 a virtualização de servidores, uma tecnologiaque permite que, numa máquina física, haja dez virtuais,cumprindo esse papel”, explica Lincoln.A medida gerou otimização dos recursos. “Conseguimosmanter as máquinas funcionando o tempotodo, num ambiente simples de ser administrado, economizandoenergia, e tendo aquilo que é praticado demais moderno no mundo hoje em termos de virtualização.Em 2008, essa tecnologia foi internacionalmenteconsiderada uma das dez mais promissoras, para os próximoscinco anos, e a Unimed Vitória já se antecipou emsua implantação”.Fibra óticaOutro marco recente foi a interligação da comunicaçãodas unidades, por meio de uma conexão segura,de fibra ótica. O projeto de implantação do Anel deFibra Ótica, iniciado em setembro de 2008, e concluídoem abril deste ano, é inovador no Estado, e gerou um incrementona velocidade de comunicação entre as áreasda ordem de 500%, no pior caso. Além disso, foram reduzidosem 53% os custos de transferência de dados naempresa, e garantida uma plataforma tecnológica modernapara os próximos dez anos.Os números também se traduzem na qualidadedo atendimento ao cliente. “Aumentando o canal decomunicação, garantimos que, se houver crescimento dademanda ou de agilidade, temos estrutura para isso. Arapidez na comunicação se reflete num atendimento finalmais ágil”, ressalta Lincoln.ConsultasA Unimed Vitória ainda prepara outras novidadespara 2009, como a criação de um banco de examescentralizado. O propósito é oferecer aos clientes emédicos o acesso a todos os laudos, independente dolocal onde os exames foram realizados, seja na rede própriaseja na credenciada.“Estará tudo centralizado conosco e, desde queo paciente dê autorização, qualquer médico poderá consultaresse laudo. Isso evita que o usuário tenha que repetirexames desnecessariamente, ou que deixe de fazeralgum procedimento importante, achando que já foi realizado.Gera eficácia da consulta para o médico e para opaciente”, explica.Biometria digitalTodo processo de automatização tem duas vertentes:a confiabilidade e a diminuição de erros e fraudes.O processo de substituição das carteirinhas de papelpelo cartão magnético foi uma evolução natural. Abiometria digital é a terceira geração desse processo.Trata-se de um sistema em que o usuário seráidentificado por meio de sua impressão digital. Esse projetodeve entrar em vigor ainda no segundo semestrede 2009, e significará uma garantia contra fraudes, eliminandoeventuais utilizações indevidas e garantindo reduçãode custos gerados por esse mau uso.Outra ação dentro dessa diretriz foi a implantação,em 2008, das ilhas de impressão na sedee no prédio administrativo do Cias. A centralizaçãodas impressoras gerou racionalização nouso do papel e da tinta.Tecnologia nosrecursos própriosO Cias é um hospital de altacomplexidade, que nasceu 100%informatizado. O mesmo ocorreu como Unimed Fácil, uma clínica totalmenteinformatizada, desde o agendamentoaté o acompanhamento clínico.O sistema que gerencia todo o complexo desaúde da Unimed Vitória, passando pelo Cias e por todasas unidades do Fácil, é o MV 2000, que tem garantidouma TI de qualidade e transparente.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 67Segundo Lincoln, a TI do Cias é tão maduraquanto o hospital, e sua implantação não gerou transtornoao colaborador ou ao usuário, o que é uma excelentecaracterística. Da mesma forma ocorre no UnimedFácil, que foi planejado, ainda antes de sua criação, parafuncionar de forma totalmente automatizada.Para Paulo Magnus, presidente da MV Sistemas,parceira responsável pelo MV 2000, a Unimed Vitóriapossui uma gestão empreendedora e diferenciada.“Foi o primeiro Hospital Unimed do Brasil a usar o prontuárioeletrônico em 100% das áreas e é referência nacionalno uso de sistemas de informação e gestão, recebendovisitas de hospitais de todos os estados do país”,ressalta.c a r t e i r i n h a sEm 1996, a tradicional carteirinhade papel foi substituída pelocartão magnético, com códigode barras.Em 1998, mais um salto: surgeo cartão com tarja magnética,mais moderno, que dispensavao código de barras.Em 2009, está sendoimplantado o sistema debiometria digital, que promovea identificação através daimpressão digital do cliente.Portal MédicoEm 2005, a singular estabeleceu novas fontes de informação, de forma sistematizada e focada, otimizandoo tempo do médico e facilitando a comunicação. Desse modo, lançou, em março daquele ano, oPortal Médico (www.portalunimedvitoria.com.br). Com conteúdo e serviços online exclusivos para cooperadose prestadores de serviço da rede credenciada, o portal tem o objetivo de dar maior agilidade etransparência às ações de comunicação com esse público.


68 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sResponsabilidadeSocial: um dos pilaresda nossa marcaContribuir para que o crescimento da empresaseja compatível à sustentabilidade do negócioe do planeta. Esse é o objetivo que a UnimedVitória pretende atingir por meio de suas açõesna área de Responsabilidade Social


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 69Na visão da cooperativa, a responsabilidade socialse fundamenta na relação ética e transparente comtodos os públicos com os quais ela se relaciona – colaboradores,cooperados, fornecedores, comunidade,clientes, governo e sociedade. É a Política de ResponsabilidadeSocial que fundamenta e difunde os compromissoscom todos esses grupos.“A Responsabilidade Social está inserida na missãoda Unimed Vitória, sendo uma diretriz que deve permeartodas as atividades da empresa. Para a cooperativa,responsabilidade social é a forma de gestão que se definepela relação com todos os públicos com os quais elase relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariaiscompatíveis com o desenvolvimento sustentável dasociedade, preservando recursos ambientais e culturaispara gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendoa redução das desigualdades sociais”, declarao presidente da Unimed Vitória, Alexandre Augusto RuschiFilho.Para isso, a Unimed Vitória realiza parcerias coma comunidade local, desenvolvendo e apoiando projetossociais e ambientais. Também promove treinamentosvoltados para o desenvolvimento profissional e realizapatrocínios. Além disso, compartilha valores e atitudescom o Instituto Ethos e com a Organização das NaçõesUnidas (ONU).Outro destaque é a participação da Unimed Vitóriano Conselho de Responsabilidade Social da Federaçãodas Indústrias do Espírito Santo (Findes) e no Grupode Afiliados Ethos do Estado, que têm como objetivo formarredes para disseminação da responsabilidade socialempresarial e estabelecer parcerias para contribuir coma sustentabilidade e melhoria de indicadores sociais capixabas.TransparênciaCom foco na transparência das ações, divulgaanualmente relatórios e balanços sociais, que são osprincipais instrumentos de prestação de contas à sociedade,comunicando atividades e resultados alcançados.O documento é distribuído aos cooperados,aos parceiros sociais, às autoridades, aos fornecedores eàs demais Unimeds, sendo também disponibilizado nosveículos de comunicação online e publicado no jornalde maior circulação do Estado. Todas as informações doBalanço Social e Ambiental são conferidas pela auditoriaWalter Heuer Auditores Independentes.EstruturaçãoEm 2004 foi criada a Assessoria de ComunicaçãoEmpresarial, ligada à presidência. As ações deresponsabilidade social, que antes eram realizadas pelosetor de marketing, passaram a fazer parte da Comunicação.“Aos poucos a responsabilidade social foi mudandoa forma de apoio, com redução de assistencialismo epatrocínios, e atuação voltada para realização de açõestransformadoras da sociedade”, ressalta Cynthia Molina,atualmente respondendo pelo setor.Em 2005, foi estruturada a área de ResponsabilidadeSocial, definida a política e o foco de atuação,com a revisão do código de ética. “Na busca constantepelo progresso, após três anos do lançamento, em2008, a Unimed Vitória relançou sua Política de ResponsabilidadeSocial. Alinhada aos temas e indicadoressociais Ethos, novos compromissos foram incluídos eoutros atualizados, para consolidar a evolução dos conceitose do cenário socialmente responsável em que acooperativa se insere”, complementa Alexandre.Políticas públicasA Unimed Vitória participa do Conselho Superiorde Responsabilidade Social (Cores), fórum de debateem torno da responsabilidade social, com integrantesde empresas e entidades do terceiro setor.O Cores tem o objetivo de criar uma rede derelacionamento para troca de experiências, contribuindopara a disseminação da responsabilidade social e buscandoinfluenciar políticas públicas.Meio ambienteA cooperativa aderiu ao Projeto ConsumoConsciente da Unimed Brasil, e desde então realiza campanhase treinamentos de conscientização para seus colaboradorese cooperados. Todas as suas unidades realizama coleta seletiva, entre outras ações.Entre seus apoios a projetos ambientais, destaca-sea parceria com o Movimento Vida Nova Vila Velha(Movive), que propõe o desenvolvimento sustentávelda comunidade, através de projetos como Verde Vida eLixo Cidadão.


70 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sA cooperativa possui um orçamento para a práticade responsabilidade social, e prioriza açõesvoltadas para promoção de saúde e prevençãode doenças, com foco em três Metas do Milêniodefinidas pela Organização das Nações Unidas(ONU), para serem atingidas até 2015. De acordocom o presidente da singular, Alexandre AugustoRuschi Filho, a escolha deve-se ao fato dessasquestões serem vistas como relevantes no mundointeiro. Confira:d i r e t r i z e sDiálogoA Unimed Vitória vem intensificando o diálogocom seus públicos. São realizados encontrosperiódicos com os parceiros sociais paraque se estabeleça uma rede de relacionamentoem que todos possam trocar ideias e experiências.A partir desses encontros, foi criado oBlog Unimed Vitória em Rede, cujo objetivo édivulgar o trabalho das instituições parceiras eos assuntos ligados à responsabilidade sociale à sustentabilidade, além de eventos nessasáreas. “Estamos iniciando uma rede de relacionamentocom os fornecedores para incentiválosà adoção de práticas socialmente responsáveis.Estão previstos encontros, criação decartilhas e envio de material informativo”, explicaAlexandre.f o r n e c e d o r e sNos contratos firmados com os fornecedores sãoobrigatórias as cláusulas de responsabilidade social,focadas na proibição da adoção de mão deobra infantil ou compulsória (análoga à escrava),na manutenção de relações de trabalho adequadas,na promoção da equidade racial e de gêneroe nos padrões ambientais.Para acompanhamento e avaliação das práticasde responsabilidade social, a Unimed Vitóriautiliza os Indicadores Ethos. Além disso, realizao acompanhamento das parceiras por meio daanálise de relatórios periódicos, enviados pelasinstituições, com número de beneficiados, açõesrealizadas e transformação social obtida.a v a l i a ç ã o


72 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sDesde 1995, o Dr. Unimed na Praça levasaúde, Desde educação 1995, o e Dr. lazer Unimed a moradores na Praça de levasaúde, educação bairros e da lazer Grande a moradores Vitória debairros da Grande VitóriaProjetos sociais próprios


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 73Levar alegria aos pacientes internadosem hospitais da Grande Vitória é amissão da Turma do Dr. UnimedVoluntariado Empresarial: Como forma de sensibilizar emobilizar colaboradores e cooperados a se engajarem emações sociais, a Unimed Vitória oferece o Curso de Capacitaçãode Voluntários. Depois de concluído, o participanterecebe um certificado e torna-se apto a colaborar comprojetos sociais da singular e da sociedade em geral.A Turma do Dr. Unimed: É formada por colaboradoresvoluntários, que realizam trabalho de terapia e humanizaçãoem hospitais da Grande Vitória. Desde 2001, a Turmaleva a alegria como remédio para as crianças e os adultosinternados, por meio de atividades que envolvem mágica,brincadeiras e oficinas. Em 2008 o projeto beneficiou6.923 pessoas em 116 visitas, que envolveram a participaçãode 208 voluntários da cooperativa.Dr. Unimed na Praça: Projeto social criado em 1995 paraoferecer atividades educativas, de prevenção e de entretenimentopara famílias de comunidades da Grande Vitória.A proposta é melhorar a qualidade de vida, colaborandona redução dos índices de diabetes, pressão alta, obesidade,mortalidade infantil e gravidez na adolescência. Estima-seque o projeto beneficiou mais de 4.500 pessoas entreos anos de 2006 e 2009.Campanhas de Saúde: A cooperativa promove ações,como campanhas, palestras e atendimentos que visem à melhoriada qualidade de vida, promoção da saúde e prevençãode doenças. São voltadas tanto para o público interno (colaboradorese cooperados) quanto para a comunidade.Programa de Capacitação de Organizações do TerceiroSetor: Com o objetivo de contribuir para a sustentabilidadedas instituições do terceiro setor, a Unimed Vitóriadesenvolve, desde 2005, o Programa de Capacitaçãodas Organizações do Terceiro Setor, que teve a participaçãode nove instituições somente no ano passado.Teste do Olhinho: Em 2007, a Unimed Vitória foi a idealizadorade um projeto de lei sobre a obrigatoriedade da realizaçãogratuita do Teste do Olhinho em todos os recémnascidoscapixabas. O objetivo era ajudar no diagnósticoprecoce de doenças. A cooperativa fornece oftalmoscópiospara todas as maternidades público-filantrópicas doEstado e oferece treinamento aos pediatras.Dia do Voluntariado Unimed: Todo ano, a Unimed Vitóriarealiza no dia 5 de dezembro um encontro com osvoluntários, como forma de agradecer a participação nosprojetos sociais da cooperativa. Em 2008, foi realizado oencerramento da Gincana Eu Sou Social, que contou coma participação de vários voluntários que realizaram açõessolidárias de agosto a novembro.De Olho no Futuro: Desde 2003 médicos voluntários dacooperativa realizam exames oftalmológicos em alunos darede municipal de Vitória. O objetivo é contribuir para amelhora no processo de aprendizagem através da prevenção.O projeto foi desenvolvido pelo Comitê Educativo econta com a parceria da Secretaria de Saúde de Vitória e oapoio da Sociedade Capixaba de Oftalmologia e de óticas,que fazem a doação de óculos.


74 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sSelo Compromisso com a Criança: O Selo Compromissocom a Criança, que conta com a parceriada Unimed Vitória, tem o objetivo de certificaras organizações que são socialmente responsáveise colaboram com o tratamento das crianças assistidaspela Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil(Acacci). A Unimed Vitória é parceira da Acacciatravés de uma contribuição mensal, além deapoiar outras ações da instituição, tendo beneficiado,apenas em 2008, cerca de 63.760 pessoas.As crianças do grupoparafolclórico Congo Mirim sãoassistidas pelos planos de saúdeda Unimed Vitória e participamde um trabalho de prevençãocontínuo desenvolvido pelacooperativap a r c e r i a s sociais“A Unimed Vitória é um parceiro muito importante,com o qual a gente pode contar sempre. É tambémuma porta aberta para outras parcerias”. ElisaMaria Franchiani de Oliveira, presidente da Acacci,apoiada pela Unimed desde 2001Junior Achievement: A Unimed Vitória estimulaos colaboradores a ministrarem, nas escolas do entornoda cooperativa, os cursos do programa JuniorAchievement. O objetivo é despertar nos jovenso espírito empreendedor e proporcionar visãoclara do universo empresarial, facilitando o acessoao mundo dos negócios. Foram beneficiados, em2008, cerca de 807 alunos.Em julho deste ano, Regielly Pereira Candidoacompanhou a trajetória do assessor jurídico da UnimedVitória, Luiz Antônio de Souza, dentro do programaEmpresário Sombra, promovido pelo Junior AchievementCongo Mirim: Projeto coordenado pelo Centro CulturalCaieiras (Cecaes), que divulga e promove atividades de formaçãocontinuada para crianças em situação de risco social.São realizadas oficinas de música, artes plásticas, teatroe visitas culturais. Como resultado, foi criado o grupoparafolclórico Congo Mirim. A Unimed Vitória oferece planosde saúde Unimed Fácil para os alunos do projeto.“A parceria com a Unimed é de fundamental importância.Inúmeros jovens foram beneficiados e muitos tiveram suasvidas salvas graças a essa parceria, que nos permitiu fazertambém um trabalho preventivo, através de palestras sobresexualidade, alimentação e drogas. A Unimed vem se consolidandocomo uma referência em promoção de saúdee compromisso social, exatamente por manter um diálogopermanente e próximo aos seus parceiros, possibilitandotrocas de experiências que conduzam ao aprimoramentodas ações propostas e que nos levem a uma melhor qualidadede vida e uma sociedade mais harmônica e igualitária”.Alcione Oliveira Dias, diretora cultural do Cecaes


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 75Ecos do Bem: Projeto ambiental criado e gerido pela comunidade,por meio do Fórum de Desenvolvimento Comunitárioe em parceria com a Associação de Catadoresde Material Reciclável da Ilha de Vitória (Amariv), que temsua sede no bairro Itararé. Desenvolve ações de educaçãoambiental com a comunidade e, em especial, com as escolaspúblicas.Bem Morar: Projeto habitacional composto por assistênciatécnica aos tomadores de crédito habitacional doBanco Bem, construção de casas com tecnologias limpas,como aquecedor solar de baixo custo, sistema de reuso deáguas cinzas, tijolos ecológicos e piso artesanal com materialreciclado da construção civil, e acompanhamento e assessoriados grupos produtivos da fábrica de tijolos e confecçãodos pisos.A Unimed Vitória marcapresença em diversos eventos,como as feiras promovidaspelo projeto Ecos do BemBanco de Leite: Parceria da Unimed Vitória com o Bancode Leite do Hospital Dório Silva. A cooperativa disponibilizaum veículo, duas vezes por semana, para recolher o leitematerno na Grande Vitória.“A parceria da Unimed Vitória com o Ateliê de Ideias se dáatravés de uma contribuição mensal, proveniente da responsabilidadesocial da cooperativa, que reverte recursosda cobrança do estacionamento do Cias. Tal postura demonstrapara a comunidade que a Unimed tem envolvimentocom os projetos em prol da população do seu entorno.Além disso, mostra que a cooperativa reconhece osresultados provenientes desse investimento ao perceber atransformação social alcançada pelas ações desenvolvidas”.Leonora Mol, diretora presidente da Associação Ateliê deIdeias (Artideias) , entidade que coordena os projetos BancoBem, Ecos do Bem e Bem Morar.Banco Bem: Desde 2005, a Unimed Vitória mantém parceriacom a Associação de Artesãos Ateliê de Ideias (Artideias),responsável pela manutenção do Banco Bem. Tratasede um banco comunitário que visa ao desenvolvimentoe à sustentabilidade de comunidades locais do municípiode Vitória, por meio de um sistema integrado de crédito,produção, comércio e consumo, e da circulação de umamoeda local, a Moeda Bem, que promove a movimentaçãoda riqueza nas comunidades atendidas. Até o mês dejunho de 2009, atendeu aproximadamente 9 mil pessoas,sendo que 464 famílias já foram beneficiadas com a concessãode créditos.o u t r a s a ç õ e s : Mutirão da Saúde; Mc Dia Feliz; Inclusão Digital;Projeto Consumo Consciente.


76 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o se n t r e v i s t aEx-diretor de marketingda Unimed Brasil, AlmirGentil é especialistaem gastroenterologiae endoscopia digestivae destaca-se por suaatuação significativa noSistema Unimed. Quandoeleito presidente daUnimed Florianópolis, em1999, criou a Política deResponsabilidade Social.Também ocupou o cargode presidente da FundaçãoUnimed, acumulandoa função de executivode responsabilidadesocial. Foi coordenadorda política nacional deresponsabilidade sociale, desde março, assumiua superintendência demarketing da Unimed Rio.Quando e por quesentiram a necessidadede implantar a área deResponsabilidade Socialna Unimed?Ao longo das duas últimasdécadas, as empresas começarama ter, nas suas estratégias,objetivos relacionadosnão apenas à sua performancefinanceira e mercadológica,mas também ao seu desempenhosocial e ambiental.Esse fenômeno está ligado àmaneira como esses atoressociais passaram a respondera um conjunto de mudançasextremamente importantes.Estamos falando detrês pontos: a perda da capacidadedo Estado em serum mecanismo de coordenaçãosocial; o enorme saltodado pela sociedade civil nasua capacidade de se organizar,como resultado de fenômenoscomo a urbanização,a ampliação dos níveisde alfabetização, a expansãodo número de democraciase as importantes mudançasnas tecnologias de comunicação(internet); o fortalecimentode uma nova ideia dedesenvolvimento, fundamentadanão apenas no crescimentoeconômico, mas nosníveis de respeito e garantiados Direitos Humanos (civis,políticos, sociais, culturaise ambientais), como elementosindispensáveis parauma vida digna para todos.Essa mudança no comportamentodas empresas, quejá acontecia em vários lugaresdo mundo não era algopontual ou restrito ao velhomundo. Era um fenômenomundial. Quando assumimosa Unimed do Brasil, entendemosque aquele era o momentode ecoar esse fenômenono Brasil.E como cooperativa,a Unimed se encaixaperfeitamente no perfilde empresa socialmenteresponsável...Pensamos na época: a Unimedé uma cooperativa, quetem no seu DNA o interessepela comunidade (sete princípiosdo cooperativismo). Al i n h a d o t e m p o d a r e s p o n s a b i l i d a d e s o c i a l1995 1998A Unimed Vitóriainicia o apoioao projeto SalvaMar, de proteçãoaos banhistasdas praias de Vitória,que contribuiupara a diminuiçãodo número de afogamentos1996A Unimed Vitóriapassa a apoiar financeiramenteoprojeto Especialistasdo Riso, compostopor pessoasque, fantasiadasde palhaço, levamalegria aos setoresde pediatria doshospitais da GrandeVitóriaA Unimed Vitóriafaz doação dosequipamentospara a criação deum banco de leiteno Hospital DórioSilva, para beneficiarfilhos das mulheresvítimas dovírus da Aids, quenão podem receberleite da mãedevido ao risco deinfecçãoA Unimed Vitóriarealiza o lançamentodo Univida,projeto de medicinapreventivavoltado para osfuncionários dasempresas conveniadasParticipação daUnimed Vitória naconstrução e reformade salas esetores da Pró-Matre,da Santa Casae do HucamLançamento, pelaUnimed Vitória, doImunivida, programade vacinaçãogratuita destinadoà terceira idade,contra gripe,pneumonia, difteriae tétano2001A Turma do Dr.Unimed passa a visitarclientes UnimedVitória hospitalizados,alémde crianças e adultosinternados emhospitais públicose entidades carentesda cidade2002Realizado, em Vitória,o 1º FórumUnimed deResponsabilidadeSocial, frutoda parceria entreUnimed do Brasil,Fundação Unimede Unimed Vitória2003Os projetos MutirãoUnimed e Dr.Unimed na Praçaforam citadosna Guia da Boa Cidadaniada RevistaExame, junto com749 trabalhos realizadosem todoo paísA Unimed Vitóriaparticipa, em parceriacom a Prefei-tura de Vitória, doPrograma CriançaFeliz. O Dr. Unimedna Praça foiao Bairro São Pedrodistribuindobrindes paracriançasA Unimed Vitória,em parceria coma Prefeitura Municipalde Vitória,deu início à realizaçãodo projetoDe Olho no Futuro:Um Projetode Atenção à Saúde,por meio doqual crianças dasescolas municipaisda capital sãoconsultadas gratuitamenteporcooperados oftalmologistasnoUnimed Fácil. Asdiagnosticadascom algum problemade visão recebemgratuitamenteóculos2004Criação da Assessoriade ComunicaçãoEmpresariale do Núcleo deResponsabilidadeSocial da UnimedVitória2005Publicação da Políticade ResponsabilidadeSocialda Unimed Vitória,alinhada aos indicadoresEthos


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 77Unimed é um dos grandesagentes sociais da cidade. AUnimed tem médicos, colaboradores,clientes que podemser envolvidos. Ou seja,podemos ter um grande impactona sociedade com essanova maneira de entender aatividade empresarial. Poderíamos,de fato, fazer a diferença.Tínhamos uma oportunidadede promover a transformaçãosocial e aumentar o vínculoda marca Unimed com seuspúblicos de interesse, umavez que os próprios consumidorescomeçavam a entenderque o ato de consumirpoderia ser um ato de cidadania.Foi, então, a partir dessajunção de fatores que demosinício à política nacionalde Responsabilidade Socialdo Sistema Unimed.Como avalia a trajetória daUnimed Vitória no quesitoResponsabilidade Social?A Unimed Vitória é, sem sombrade dúvidas, um grandeexemplo a ser seguido dentroe fora do sistema Unimed.Sua trajetória na construçãode uma política estruturadade Responsabilidade Socialmostra que é possível avançarrapidamente na construçãode uma sociedademais justa e igualitária quandoexiste a compreensão porparte do alto escalão da empresaque no mundo modernouma corporação devemedir os seus resultados nãosomente do ponto de vistaeconômico-financeiro, massim econômico-financeiro,social e ambiental. Esse princípio,e o entendimento deque não se pode construiruma verdade sem a participaçãode muitos atores, fezcom que um verdadeiro mutirãode conhecimento e tra-balho transformasse a UnimedVitória em referência naárea de Responsabilidade Socialno Sistema Unimed e noEstado do Espírito Santo, recebendo,com certeza, o respeitodo mundo acadêmicoe empresarial nacional. Deveser ressaltado o comprometimentodos diretores, conselheiros,colaboradores e oenvolvimento com fornecedores,clientes e sociedade.O marco no amadurecimentodesse processo foi o encontronacional de RS, ondepude constatar o empenhopessoal do presidente AlexandreRuschi e a presençado ex-presidente Gerson Marinoreferendando e comemorandoo avanço e o amadurecimentoda trajetória daResponsabilidade Social naUnimed. O DNA da UnimedVitória traz informações preciosasque podem contribuirpara o sonho de um mundomelhor. Parabéns a todosque acreditaram que issoera possível, mesmo contráriosao discurso fácil dos semcompromisso.Como avalia odesempenho da área deResponsabilidade Socialda Unimed hoje?Só para se ter uma ideia, oSistema Unimed tinha, naépoca, 60 projetos. Hoje temmais de mil, e um balanço socialconsolidado em mais deR$ 700 milhões. A Unimedhoje pode se orgulhar de seruma empresa transformadora,que ampliou seu papelno mundo. Uma cooperativaque acredita no desenvolvimentosustentável, no papeldas instituições como agentesde transformação social.E isso é motivo de orgulhopara todos nós.A Unimed Vitóriaconquista o PrêmioDjalma ChastinetContreiras,concedido pelaUnimed do Brasil,como destaqueem ResponsabilidadeSocial pelaevolução de suaatuação social emapenas um ano demudança de foco2006Pelo terceiro anoconsecutivo, aUnimed Vitória écertificada pelaUnimed do Brasil,no estágio 3 daResponsabilidadeSocialPara despertar oespírito empreendedornos estudantes,voluntáriosda Unimedparticipam doprojeto JuniorAchievement. Emdois anos o programacontoucom 11 voluntáriose beneficiou 288alunosA Unimed Vitóriafirma parceriacom o ProjetoCongo na Escola,realizado peloCentro CulturalCaieirasEm parceria coma Ação Comunitáriado EspíritoSanto (Aces),a Unimed Vitóriapromove, paraseus fornece-dores, um grandeworkshop ao longodo ano. Compostode uma palestrapor mês, os encontrosabordam diversostemas focadosem responsabilidadesocialFirmada parceriaentre Unimed Vitóriae Associação deCombate ao CâncerInfantil (Acacci),a partir da quala cooperativa contribuiupara a inauguraçãodas novasinstalações da entidade2007A Unimed Vitóriafirma contratocom a Associaçãode Pais, Amigos ePessoas com Síndromede Downdo Espírito Santo(Vitória Down),com o objetivo depromover treinamentospara sensibilizara classe médicana divulgaçãode nascimentos decrianças que apresentama doençaA cooperativa promoveo curso deCapacitação de Voluntários,realizadono auditório daunidade de diagnósticoParticipação daUnimed Vitória noMc Dia Feliz com ATurma do Dr. UnimedA Unimed Vitóriaparticipa da Festade Natal da Asso-ciação de Combateao Câncer Infantil(Acacci) como patrocinadora2008A Unimed Vitóriaconquista o Selo deResponsabilidadeSocial pelo quartoano consecutivo eé certificada no nível4 de ResponsabilidadeSocialda Unimed do Brasil,passando a serexemplo para asdemais singulares2009A Unimed Vitóriaconquista o Selode ResponsabilidadeSocial da Uni-med do Brasil, nonível 4, pelo segundoano seguidoA cooperativa contabilizaa entregade sete oftalmoscópiospara hospitaise entidades daGrande Vitória paraa realização doteste do olhinhoA Unimed Vitóriarecebe o PrêmioTop Socioambiental,realizado pelaAssociação dos Dirigentesde Marketing(ADVB-ES) emreconhecimentoaos melhores resultadosde açãosocial, cultural e cidadania


78 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sO que é a Unimed Vitória?A cooperativa é a união detodos os seus cooperados.Cada um deles é parte dessaempresa e dessa históriaO que é a Unimed Vitória? Acooperativa é a união de todos osseus cooperados. Cada um deles éparte dessa empresa e dessa históriaEles são Unimed


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 79A Unimed Vitória tem uma política forte de valorizaçãode seus profissionais, a começar pela transparênciae pela gestão participativa.A comunicação com os cooperados é baseadana permanência, consistência e priorização da informaçãopara esse público, através de um sistema integradocomposto de veículos impressos e eletrônicos diversos,programas de comunicação direta, campanhas, promoçõese eventos de integração.A cooperativa também incentiva a participaçãodos médicos nas assembleias, através da divulgaçãoem veículos de comunicação próprios e nos jornais demaior circulação do Estado. Em 2008, foram realizadastrês Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs) e uma AssembleiaGeral Ordinária (AGO), com frequência médiade 11% dos cooperados.Anualmente, antes da Assembléia Geral Ordinária,é enviado para o endereço de cada cooperado o RelatórioAnual, que é o principal instrumento de comunicaçãodas ações e dos resultados da gestão.Para Rodrigo Aboudib Ferreira Pinto, pediatra,cooperado e ex-diretor da Unimed Vitória, “a participaçãodos cooperados foi a base do crescimento da empresae precisa ser sempre ampliada, devendo ser norteadorade vitórias futuras”.CapacitaçãoOutra preocupação constante da singular é acapacitação de seus gestores e demais cooperados. Osdirigentes recebem treinamento em gestão hospitalar equestões relacionadas à cooperativa. Quando há trocade gestão, o novo grupo participa de um workshop intensivode apresentação das áreas e dos processos dacooperativa, permitindo maior interação e conhecimentodo negócio antes da atuação.A Unimed Vitória também estimula epromove a educação dos cooperados. Através doComitê Educativo, localizado na Casa do Cooperado, edo Centro de Ensino e Pesquisa, localizado no Cias, sãorealizados eventos de educação médica voltados para asmais diferentes especialidades.“Desde o dia 1º de abril deste ano, o comitêtornou-se mais atuante, sendo formado por 11 médicos,e passou a funcionar dentro da Casa do Cooperado,um ambiente voltado para esses profissionais e paraa resolução de qualquer problema relacionado àcooperativa, como glosa, documentos para Imposto deRenda, plano de saúde de dependentes etc”, informao oftalmologista e coordenador do Comitê Educativo,Ubirajara Moulin de Moraes.Ele explica que as atividades realizadas pelo comitêacabam por beneficiar não somente os cooperados,mas toda a classe médica. “Ajudamos toda a sociedadena realização de eventos na área médica. A Unimed Vitóriaviabiliza a realização de cursos abertos a não cooperadose a estudantes que queiram participar”.É um órgão consultivo, educacional e cultural,de assessoria à administração da cooperativa,que promove capacitação profissional e difusãoda cultura cooperativista. Seus integrantesmanifestam opiniões, pareceres, sugestões, anseiose pensamentos dos médicos cooperados.Sua coordenação é integrada ao Centro de Ensinoe Pesquisa.


80 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sCasa do CooperadoEstar ao lado do cooperado, oferecendo suporte,informação e apoio, sempre foi preocupação daUnimed Vitória. Para tornar essa aproximação ainda maistangível e fácil de ser praticada, a singular inaugurou, em2009, a Casa do Cooperado. Trata-se de um local ondeé possível obter atendimento personalizado, num ambienteconfortável e exclusivo.“Criamos a Casa com objetivo de oferecer em umsó lugar todos os serviços que o médico cooperadoprecisa, com total comodidade. Assim, esperamosaproximá-lo ainda mais da cooperativa, fazendo comque ele se sinta realmente em casa”, ressalta o presidenteda Unimed Vitória, Alexandre Ruschi.


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 81Localizada no andar térreo da sede administrativa, a Casado Cooperado fica com suas portas abertas de segundaa sexta-feira, das 8h às 18h, com uma equipe própria edisponível para prestar os seguintes serviços:Manutenção de benefíciosServiços exclusivosInclusão e exclusão de plano de saúde;Inclusão e exclusão de plano odontológico;Inclusão e exclusão de opcionais: farmácia e SOS;Autorização de cirurgias, internações, OPMEspara cooperados e dependentes diretos;Atendimento a recurso de glosa;Inclusão e exclusão de seguro de vida em grupo;Solicitação de carimbos;Solicitação de receituários;Solicitação de jalecos personalizados.Negociação de débitos (Plano de Saúde e LíquidoInsuficiente);Informe de rendimentos;Serviço de atendimento telefônico (Alô Cooperado:3134-7422 ou cooperados@unimedvx.com.br).Manutenção de cadastroAdmissão e exclusão de cooperados;Alteração de endereço;Alteração de dados bancários;Solicitação de afastamento;Solicitação de extensão de credenciamento;Solicitação de declaração GEFIP (para fins deaposentadoria ou licença-maternidade);Inclusão e exclusão de especialidade e áreade atuação.


82 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sBenefíciosComo forma de valorizar os associados,a Unimed Vitória oferece benefíciosexclusivos para esse público.fórum jurídicoTodos os cooperados têm direito a plano deassistência médico-hospitalar, integral e sem nenhumcusto, seguro de vida e de acidentes de trabalho, e atividadeprofissional.Aquele que se mantiver na cooperativa por dezanos ou mais, e tiver completado 65 anos, terá o direitode permanecer, sem qualquer ônus, incluindo o cônjuge,no plano de saúde, que será na modalidade de coparticipação.Poderá, também, manter-se vinculado ao segurode vida e a outros benefícios dos cooperados, nessecaso pagando com recursos próprios.Essas vantagens são estendidas também aosmédicos afastados de suas atividades profissionais porinvalidez permanente e em condições de serem excluídospor improdutividade.A família do cooperado também é beneficiada,com descontos nos planos de saúde voltados parafilhos, esposa e pais.curso demedicina fetalfórum deremuneraçãomédicaPara a Unimed Vitória ser transparenteé mais do que uma prerrogativa legal, é um compromissopermanente. A preocupação da empresanesse sentido vai muito além do que manterseu cooperado informado, e já se transformounum exercício constante no sentido de buscarcada vez mais a aproximação e participação efetivade seus membros, principalmente na discussãoe no entendimento econômico-financeiro dacooperativa.A promoção desses dois fóruns é umexemplo da preocupação da singular em manterbem informado seu cooperado. Neles, a discussãoé focada em mostrar as regras e legislaçõesque regem o cooperativismo e, consequentemente,a Unimed Vitória trazendo à luz do debateo porquê de cada ação financeira realizada.O comitê educativo realiza diversas ações de capacitação,como cursos de Informática Básica, Inglêse Espanhol, além de palestras, simpósios epesquisas ligadas ao Núcleo de Pesquisa Clínica.Pós-graduações em Enfermagem Cardiovascular,Controle de Infecção Hospitalar, Psiquiatria e DependênciaQuímica também são disponibilizadas.O comitê é responsável pela realização deimportantes encontros, como a Reunião Científicada Residência de Medicina Intensiva e reuniõestécnicas voltadas à atualização médica e difusãodo conhecimento. Entre os treinamentos,destacam-se os de viodeocirurgias e os cursosavançados – como ATLS, ACLS e RessuscitaçãoCardiopulmonar. Também organiza fóruns, comoo Fórum Mercado de Trabalho e RemuneraçãoMédica da Unimed Vitória e o Fórum Jurídico, Tributário,Contábil e Financeiro da Unimed Vitória.c u r s o s


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 83Para entenderPrincípio e qualidadeUm dos princípios do cooperativismo é a adesãovoluntária e aberta, isto é, qualquer pessoa capazde utilizar seus serviços, que esteja disposta a aceitaras responsabilidades decorrentes da condiçãode sócio, está apta a ingressar numa cooperativa.Não há qualquer discriminação referente a sexo,raça, política, religião ou condição social.A Unimed Vitória é uma cooperativa de trabalhomédico e, como tal, é regida pela Lei das Cooperativas(nº 5.764 de 1971). No entanto, com a criaçãoem 1998 da Lei nº 9.656, que dispõe sobre osplanos e seguros privados de assistência à saúde, e,no ano 2000, da Agência Nacional de Saúde (ANS),a cooperativa teve que se enquadrar também às regrasda área de saúde suplementar.Nesse sentido, passou a ter que cumprir tributaçõesdas quais até então era isenta, como Cofins,ISS e ICMS e a fazer uma série de provisionamentos,chamadas provisões técnicas e garantias financeiras,que vêm sendo cumpridas com regularidade pelasingular. “Esses resultados são frutos de um trabalhode planejamento rígido e focado. Tal postura permitiuà singular alcançar uma estrutura sólida, saneadae bem administrada, o que tem garantido aprovaçãosem restrições das auditorias externas, gerandosegurança ao sistema, ao cooperado, ao cliente, aocolaborador, bem como para toda a rede de parceiros”,completa Marcus Tanure, anestesista e diretorEconômico-financeiro da cooperativa.Vale ressaltar que, desde o início da regulamentação,em 2000, cerca de 53% das operadorasde saúde já saíram do mercado, abrindo caminhopara a consolidação apenas de instituições robustase sérias, como a Unimed Vitória. Hoje, a singular possuium patrimônio líquido de mais de R$ 80 milhões,acumulados ao longo de 30 anos com profissionalismo,comprometimento e dedicação.90.00080.000evolução do patrimônio líquido2002 - 2009em milhares R$82.92483.00070.00060.00050.00040.00037.40846.43530.00029.70035.03420.00018.98710.00017.4042002 2003 2004 2005 20062007 2008 2009


84 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sPara você, o que é ser Unimed Vitória?“Ser Unimed Vitória é acreditar no sistema que pretendeoferecer aos segurados uma assistência médicacompetente e humana, e aceitar como fato inequívocoque a relação médico cliente particular nãovoltará mais, e que em qualquer circunstância, o pacientenão tem culpa das insatisfações do médico”.João Luiz de Aquino Carneiro, médico, professor livre docentede cirurgia e ex-presidente da Associação Médicado Espírito Santo (Ames)“Ser Unimed é ter dedicação, comprometimentocom os valores da cooperativa, respeito ao cliente,compromisso com a qualidade e acreditar no quefaz”. Karla Toríbio Pimenta, coordenadora da AssistênciaDomiciliar da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é ser um cidadão que respeita osseus colegas, os seus clientes e a sociedade em quevive”. Gerson Marino, ex-presidente da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é viver Unimed”. Luiz CarlosPaier, diretor de Mercado da Unimed Vitória


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 85“Não tenho palavras para expressar a satisfação deser Unimed. Tenho muito orgulho. Este aniversário éespecial, particularmente, porque coincide com os20 anos da minha atuação como médica”. MaristelaSantos Silva, pediatra e cooperada da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é ter dedicação. Há 16 anos,a Unimed é algo que divido com minha família,e está incorporada a minha vida”. Alexandre AugustoRuschi Filho, presidente da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é ter esperança”. JerônimoEduardo Vervloet, cooperado, ex-diretor Financeiro daUnimed e ex-coordenador de Hemodinâmica/Cias“Ser Unimed Vitória é ter qualidade, humanizaçãoe ser uma empresa de médicos”. Márcio deOliveira Almeida, diretor de Provimento de Saúdeda Unimed Vitória


86 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s“Ser Unimed Vitória é ter o seu serviço valorizado,segurança no trabalho, benefícios exclusivos e reconhecimentopor pertencer a uma cooperativa bemprofissionalizada”. Ubirajara Moulin de Moraes, coordenadordo Comitê Educativo da Unimed Vitória“A Unimed é o melhor para médicos e usuários, poisé um plano uniforme, constante e criterioso, do qualsinto muito orgulho em fazer parte”. João Carvalho,neurocirurgião e cooperado da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é abrir portas, novas oportunidadese possibilidades”. Lincoln Bertholi Rohr, diretorAdministrativo da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é se sentir bem prestandoserviço à comunidade. É ter um mercado de trabalhogarantido”. Saulo Ribeiro do Val, cooperado


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 87“Ser Unimed é a única oportunidade que um médicotem hoje – frente ao mercado de trabalho e atodo o contexto a que ele é submetido – de garantiro livre exercício de sua atividade profissional, semintermediação de sua mão de obra. É a última trincheirado médico na garantia do exercício de suaatividade liberal”. Ary Célio de Oliveira, diretor do Cias“Ser Unimed Vitória é ser dedicado e paciente,ter grande interesse em atender as pessoas, resolverseus problemas e saber se relacionar comtodos: clientes, cooperados e colaboradores”.Henrique Zacarias, coordenador do Unimed Fácil“A Unimed é um marco no trabalho médico do EspíritoSanto”. Claudia Terezinha Oliveira Rodrigues, coordenadorade Auditoria Técnica da Unimed Vitória“Ser Unimed Vitória é ser ao mesmo tempo médico,dono, prestador e cooperado, oferecendo soluçõesem saúde para plena satisfação dos clientes”.Marcus Vinicius Azevedo Tanure, diretor Econômico-financeiroda Unimed Vitória


88 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sApós sofrer um acidente de moto,Robson Pinheiro de Souza foiencaminhado para o Cias: “tentaramde toda maneira me deixar vivo”Fatos marcantesNão apenas os números, os prêmios e as conquistasfazem parte do relato sobre a história da UnimedVitória. Esse percurso tem sido escrito através davida de cada cliente que um dia passou por aqui.Também por meio de situações muitas vezescomplexas, e outras tantas inusitadas.Vidas que são salvas, transformadas, e que, aomesmo tempo, constroem a história de uma empresa.Quem não se lembra do caso do iatista Lars Grael, vítimade um acidente ocorrido na capital, no dia 6 de agostode 1998?O atleta, que teve uma das pernas decepada,foi levado para a Clínica da Enseada, como era chamadaa clínica própria da Unimed Vitória, na época. Sofreuduas paradas cardíacas e apresentou nidríase, uma espéciede nuvem branca nos olhos, características típicas depessoas em estado grave.Após uma cirurgia para religar os nervos e tecidos,o esportista foi transferido para a UTI, onde ficoupor cinco dias, respirando por aparelhos. Na primeira en-


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 89


90 o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o strevista coletiva após sua recuperação, afirmou: “No augeda crise, percebi que tinha que mudar de vida, porque omaior desafio que eu poderia ter já foi superado”.CiasDe lá para cá foram inúmeros os casos de atendimentosgraves, alguns com repercussão na mídia, atendidospela equipe da Unimed Vitória. Um deles, mais recente,ocorreu no dia 22 de maio de 2008. RobsonPinheiro de Souza sofreu um acidente de moto em Cachoeirode Itapemirim e, devido à gravidade, foi transferidopara o Cias, onde chegou às 3h.“Corria risco de morte, pois havia perdido muitosangue, e cheguei a ter que amputar uma perna e umbraço. O atendimento no Cias foi nota mil, tanto na UTIquanto no quarto. Tentaram de toda maneira me deixarvivo. Agora, estou fazendo tratamento para colocar prótesese, sempre que vou à Vitória, visito a junta médicado Cias, a qual sou grato”, conta Robson.“O Cias hoje atende a cerca de 35% dos clientesda Unimed, e tem um papel estratégico para a operadora.O maior reconhecimento que a gente pode ter é aquelede uma pessoa que entrou aqui quase morta e saiu viva.O que gratifica é o cliente falar que entrou mau e saiubom”, declara Ary Célio Oliveira, diretor do hospital.Álbum de famíliaAlém da qualidade da equipe, das instalações edos equipamentos, o êxito nos atendimentos se deve àhumanização. O ambiente acolhedor já motivou até fatosinusitados, como a realização de um batismo e umcasamento,em 2007.“Um de nossos pacientes estava noivo e, apesarde ter marcado a data do casamento algumas vezes,tinha intercorrências de saúde com frequência, precisandose internar novamente e adiar o compromisso.Um dia, procurou a assistente social do Cias e perguntouse poderia realizar a cerimônia aqui. Nós não só permitimoscomo montamos um casamento de fato para ele:com mesas, bolo, som, convidados. Antes de casá-lo, opadre o batizou, aqui mesmo em nosso hospital”, relembraa gerente de Relacionamento com o Cliente, ElianaLúcia Gomes Figueiredo.O acontecimento entrou para o álbum de famíliade Vanderlei Tinoco Ferreira, Rita de Cássia Ferreirae do filho Aurélio. “A equipe do Cias foi ótima com agente. Foi uma surpresa, achei que o padre realizaria acerimônia no quarto, que seria algo simples e, quandocheguei, havia bolo, refrigerante, festa e convidados. Nãoesperava por nada disso”, afirma Rita.“Tenho o mesmo cardiologista há mais de 30 anos, eisso é muito bom. Outra coisa boa é quando a genteprecisa de atendimento rápido e pode contar com arede própria. Também já fiz cirurgia e fui muito bematendida”. Nadir Ramos, cliente (dependente) desde 1986O Cias também protagoniza cenas dealegria, como o casamento que ocorreuem 2007 com direito a cerimônia,comemoração e convidados


o s p r o c e s s o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 91“O grupo Buaiz sempre foi parceiro da UnimedVitória e, ao longo do tempo, fomos estreitandoesse relacionamento, incluindo funcionários e dependentesno plano. Hoje, temos mais de mil vidasna Unimed Vitória, e o grupo só tem o que elogiar,porque todos os nossos funcionários estão satisfeitos.Para a gente, isso é o mais importante”. EduardaBuaiz, diretora Administrativa, Financeira e de RecursosHumanos da Buaiz S/A Indústria e Comércio,grupo cliente da Unimed Vitória desde 1992“O Crea tem uma parceria longa e duradoura coma Unimed Vitória, que sempre foi pautada por muitorespeito e cordialidade. O acesso que nós temosà empresa e a sua diretoria é muito bom. Nunca tivemosnada pendente, os problemas sempre sãoresolvidos dentro de um consenso”. Aluyr CarlosZon Junior, superintendente do Conselho Regional deEngenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado do EspíritoSanto (Crea-ES), instituição cliente desde 1993“Por ser diabético, participo de um programa daUnimed de controle da doença que me dá maisqualidade de vida. De mês em mês, recebo emcasa a visita da enfermeira que me acompanha.Sempre fui muito bem atendido, e esse atendimentotem melhorado ao longo dos anos, com acriação do hospital próprio. A Unimed Vitória conseguiuacompanhar a evolução da medicina e oaumento da procura por leitos”. Elcio Almeida Junior,cliente desde 1987


92 o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sMarcada por umaótima reputaçãoPesquisa realizada pelo ReputationInstitute, no segundo semestre de 2008,demonstrou que a Unimed é a únicaempresa do setor de saúde brasileiroconsiderada de reputação forte e robustaBarros, (2001 a 2009). “Almir comprou essa ideia da unificaçãoe desenvolveu um trabalho de estudo da marca”,conta.Marketing com responsabilidadeUsar localmente uma marca de reconhecimentonacional envolve uma grande responsabilidade. Paierexplica que, como uma de suas diretrizes de marketing,a singular participa somente de projetos que preenchamalguns requisitos, como a questão da responsabilidadesocial, da saúde e da qualidade de vida.Na avaliação foram comparados pontosrelacionados à reputação da Unimed em relação a seusconcorrentes e a outras grandes empresas do país. Oresultado é a posição da cooperativa em quarto lugarno ranking geral de reputação, ao lado de corporaçõescomo Banco do Brasil, Banco Santander, Coca-Cola, Petrobrase Vale.Para o diretor de Mercado, Luiz Carlos Paier,hoje, a marca Unimed é líder de mercado. Em sua opinião,ela caminha, cada vez mais, no sentido de “significarvida, saúde e responsabilidade socioambiental”.FortalecimentoDe acordo com Paier, um dos passos importantespara se chegar a esse patamar foi a unificação damarca, o que favoreceu o fortalecimento da empresa,dando a ela uma identidade facilmente reconhecida emqualquer parte do Brasil.“Nos últimos anos, a Unimed do Brasil trabalhoumuito fortemente em torno da unificação e padronizaçãoda marca, pois antes cada singular a usava damaneira que julgasse melhor, não havendo orientaçõespara aplicação da cor, por exemplo”. Um ponto positivopara a Unimed Vitória foi o fato dela sempre ter seguidoo padrão da Unimed do Brasil.O início desse processo de unificação se deuem 2001, durante a gestão do ex-diretor de Marketinge Desenvolvimento da Unimed do Brasil, Almir Adir Gentil,e do presidente da Unimed do Brasil, Celso Corrêa dePatrocíniosCom o objetivo de dar ainda mais visibilidade àmarca, a Unimed Vitória investe em ações de patrocínioem diferentes frentes – culturais, esportivas e empresariais.Nesse sentido, apoia, dentre outros, grandes eventose projetos capixabas, como o Festival de Inverno de DomingosMartins, o Projeto Salva Mar, a corrida 10 MilhasGaroto, o Jesus Vida Verão, a Stone Fair e a Gran ExpoES.Dentre os patrocínios esportivos estão dois maratonistascapixabas, Enício Pereira Maximiano e José Romárioda Cruz; escolinhas de vôlei, beach soccer e frescobol;e os clubes Rio Branco e Desportiva. A Unimedtambém já apoiou o único atleta de Vitória que participoudas paraolimpíadas, Daniel Mendes Silva.Para este ano, em comemoração aos 30 anos, acooperativa, além de desenvolver ações pontuais, preparouo Circuito Unimed de Teatro, com a apresentação depeças de renome nacional especialmente para os clientes.Vale ressaltar que desde o início do ano, a Unimedtambém vem usando em todas as suas publicações eações o selo de 30 anos, criado para marcar a data.Os critérios averiguados foram: inovação,ambiente de trabalho, governança, cidadania,liderança, produtos e serviços, e desempenhofinanceiro.


o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 93Uma marcaconstruída comtransparênciaUma das estratégias para sustentar o crescimentoda marca é o Sistema de Comunicação Interna,orientado pela permanência, consistência e coerênciadas informações que circulam na empresa, a qual secompromete em manter um fluxo sempre aberto econtínuo. A Unimed Vitória conta com um Sistema deComunicação Interna integrado, centrado em quatrofrentes principais:


94 o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sVeículos de comunicaçãopara colaboradores:Unifatos, Raio X Unimed, Em Boas Cias, IntramedNews, Intramed, Tela de Notícias (descanso de telacom lembretes)para cooperados:Cooperando, Revista Universo Médico, Facilidades(para cooperados do Fácil), Portal Médico, Doutor Mural,Uninforma (para secretárias dos cooperados), Telade Notícias (descanso de tela com lembretes)para clientes:Viva Melhor, Boas NotíCIAS, Plano de Negócios, MuralSaiba Fácil, Site Unimed Vitória, Viva Melhor Online,Boletim Clube de VantagensComunicação diretaPrograma Café com o Presidente: programade comunicação direta que visa a proporcionar o diálogoentre os colaboradores da Unimed Vitória e o presidenteda cooperativa.Programa Via Gestor: busca a disseminaçãodas informações por meio de comunicação dos gestorescom suas respectivas equipes.cooperativasempresas contratantesempregos diretoscooperadosclientesreceita movimentadapor anorecursos credenciadoshospitais credenciadosleitos próprioshospitais própriosambulâncias própriasSistemaUnimed37773 mil42 mil107,3 mil15 milhõesR$ 18,1bilhões20 mil3.2443.28684458UnimedVitória-250 mil1.5502.200250 milR$ 502milhões2112115315q u a n t i t a t i v o s d a m a r c aCampanhas internas: o objetivo é promover deforma sistemática e contínua o processo de conscientizaçãoe orientação sobre as diretrizes da cooperativa.consultas por anointernações por anoexames69 milhões1,9 milhão138 milhões1,5 milhão38 mil3,7 milhõesEventos internos: os eventos internos têm foco emintegração e aproximação de colaboradores.complementarespor anocomunicação externaSegundo o diretor de Mercado, Luiz CarlosPaier, “externamente são utilizadas todas asferramentas de comunicação e marketing possíveis”.As campanhas da Unimed Vitória sãoveiculadas em TV, revistas, jornais, outdoors einternet. A empresa também conta com umaassessoria de imprensa para fazer a ponte entrea organização e os jornalistas.


o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 95qualitativos d a m a r c aSistema UnimedUnimed Vitória15 anos consecutivos marca Top of Mindem Plano de Saúde entre os brasileiros(Instituto Datafolha)19ª posição entre as operadoras de planosde saúde do Brasil (Valor Econômico- 2006)Ganhadora pela 22ª vez consecutiva doPrêmio Mérito Lojista, como plano de saúdepreferido dos sócios da ConfederaçãoNacional dos Dirigentes Lojistas768º colocação no ranking geral das 500Maiores e Melhores Empresas do Brasil(Revista Exame 2008)Conquista do prêmio Top of Mind Internet,com 20% das lembranças dos internautasbrasileiros (2008)Pela sétima vez consecutiva, a marca deplanos de saúde em que os brasileirosmais confiam na Pesquisa Marcas de Confiança(Revista Seleções/Instituto Marplanno Brasil – 2008)Pelo quarto ano consecutivo recebe ocertificado Superbrands, projeto que reúnehistória e curiosidades das mais importantesmarcas que atuam no país (SuperbrandsBrasil)Prêmio Top of Mind – Fornecedores de RHna categoria convênio e assistência médica(2007)Por 14 anos consecutivos marca de saúdemais lembrada entre os capixabas (Recall AGazeta / Instituto Futura)Líder do mercado capixaba, com uma participaçãoem torno de 40% (Relatório Diruse site da ANS)Vencedora do Prêmio Balanced ScorecardHall of Fame for Executing Strategy 200727ª colocação entre as 200 maiores empresascapixabas e 7ª colocação entre as200 maiores empresas capixabas do segmentode serviço (Pesquisa IEL-ES 2008)Conquista do prêmio de destaque nacionalDjalma Chastinet Contreiras em ResponsabilidadeSocial, disputado entre as 377 UnimedsCias figura entre os cinco Hospitais Referênciado país, segundo pesquisa da IT Mídiae Grupo DeloitteA Unimed Vitória, pelo segundo ano consecutivo,recebe o selo de ResponsabilidadeSocial nível 4 pelo Sistema UnimedCias conquista a Acreditação com Excelência(Nível 3) e a operadora, a ISO9001:2000 (2008)A Unimed Vitória avança 97 posições noranking 2009 das Melhores e Maiores Empresasdo país, organizado pela Revista Exame.A singular saltou da 768ª posição paraa 671ª posição entre as 1.000 Maiores Empresasem Vendas.


96 o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sConstruindo um novo modeloEm mais uma iniciativa pioneira no Estado, semprepautada na busca das melhores soluções, a UnimedVitória vem desenvolvendo, ao longo dos últimos anos,um programa de transição para um novo modelo deatenção, com maior foco na prevenção e promoção dasaúde. A proposta é que, nos próximos anos, os novos eatuais clientes Unimed sejam atendidos a partir de umaproposta baseada no Modelo Cuidador, que pressupõeum relacionamento de longo prazo com os pacientes apartir da adoção de uma visão integral (promoção + prevenção+ tratamento adequado + reabilitação) e comprocessos e ações contínuas.De acordo com a superintendente da área deProvimento de Saúde, Irene Minikovski Hahn, a implementaçãodo novo modelo já vem sendo gradativamenteincorporada pela cooperativa, com alguns programasde acompanhamento já em andamento, embora sua incorporaçãototal esteja prevista para ser concluída emcinco anos.“Há muito tempo a Unimed Vitória vem estu-


o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 97dando e acompanhando os principais debates das melhoresformas de atenção à saúde. A escolha do ModeloCuidador veio após a constatação de seu sucesso emalguns países de referência, principalmente na Europa etambém na Federação de Minas Gerais, com quem estamostrocando informações. Já estamos em fase final daelaboração do projeto e esperamos que no prazo máximode cinco anos os cooperados, os usuários e a redecredenciada já estejam fazendo parte dele”, completa.Responsabilidade em saúdeOutra medida adotada pela Unimed que indicaque a cooperativa está alinhada com as propostasde saúde mais modernas da atualidade é a implementaçãoda Medicina Baseada em Evidências. Trata-se deum conceito fundamentado na busca metodológica deprovas e artigos científicos para embasar a eficácia deum determinado tipo de tratamento, terapêutica, cirurgia,medicamentos, instrumentos cirúrgicos ou qualqueroutro tipo de conduta médica. O objetivo é colaborarno processo de decisão do médico na escolha de umtipo de conduta em detrimento de outro.A junta médica voltada especialmente para aimplementação da Medicina Baseada em Evidências daUnimed Vitória funciona desde 2008. Seu trabalho consistebasicamente em fazer revisão periódica de literatura,por meio de metodologia específica, para desenvolver ospareceres às demandas dos cooperados, que, posteriormente,são disponibilizados num banco de dados.“Outras singulares da Unimed também já estãoatuando com essa proposta, o que facilita ainda mais atroca de informações e a criação de um banco de parecerescompartilhado. Daqui a alguns anos, esse será umdiferencial particularmente interessante para todo o Sistema,que contará com um conjunto de informações invejável”,completa Irene.Integração cooperativaPara dar suporte às ações não apenas daMedicina Baseada em Evidências, mas à atuaçãocomplexa e responsável na área de saúde propriamentedita, a Unimed Vitória buscou os conceitos do própriocooperativismo para implementar outro avanço: oscomitês de especialidade. Norteada pelos princípiosda educação, formação e informação, a singularimplementou essa proposta há aproximadamenteum ano, oferecendo ao cooperado e ao usuáriomais uma ferramenta de segurança. Isso porque sãoos comitês de especialidades que dão suporte evalidação às demandas médicas da Unimed, pormeio da discussão aprofundada de casos, e que,em conjunto com a equipe da Medicina Baseadaem Evidências, aprimoram o conhecimento técnicocientífico.Atualmente, a Unimed Vitória dispõe dosseguintes comitês de especialidades:Alergia e ImunologiaAngiologia e Cirurgia VascularCardiologiaCirurgia GeralCirurgia PlásticaCirurgia TorácicaEndocrinologiaGinecologiaOftalmologiaOtorrinolaringologiaPatologia ClínicaPediatriaUrologiaOrtopediaCirurgia de MãoPneumologia


98 o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sCredibilidade:o que eles dizem sobre a Unimed Vitória“A Unimed Vitória é uma das principais singulares doSistema Unimed hoje, e isso é fruto de um processode profissionalização e gestão muito bem realizado.Vitória é uma das cidades com grandes perspectivasde crescimento econômico, fruto de investimentosem setores como o portuário e o siderúrgico. É fundamentalter uma singular como a Unimed Vitória,preparada para suportar a expansão do mercado desaúde suplementar local, uma tendência que deveacompanhar o crescimento da região. A Unimed Vitóriasegue o modelo proposto durante nossa administraçãoda Unimed do Brasil: foco na gestão desaúde, preocupação com a satisfação de clientes ecooperados, e envolvimento em projetos de responsabilidadesocial. Isso faz da cooperativa uma organizaçãomoderna e envolvida no cotidiano de seusclientes e de sua região. Vejo a Unimed Vitória numcaminho crescente de fortalecimento no mercadode saúde suplementar”.Celso Corrêa de Barros, presidenteda Unimed do Brasil de 2001 a 2009“À Unimed Vitória e ao Dr. AlexandreRuschi meus sincerosvotos de que o sucesso que jáacontece, há alguns anos, sobseu comando, continue acontecendo.A Unimed Vitória semprefoi importante para o SistemaUnimed como um todo. Destaquepara o hospital próprio, queorgulha não apenas a singular,mas todo o Sistema”.Edmundo Castilho, fundadorda Unimed; esteve à frente dapresidência da Unimed do Brasilde 1975 a 2000


o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 99“O Sistema Unimed atua nacionalmente, hoje, pormeio de suas 377 cooperativas, com algo em tornode 15 milhões de clientes. E, dentre elas, há as que sedestacam pelo seu perfil competitivo, pela sua gestãoprofissionalizada, pelo seu diferencial de marcaem sua área de atuação, pela sua distribuição e geraçãode riqueza, pela sua política de responsabilidadesocioambiental, entre outros fatores. E a Unimed Vitóriase encaixa nesse perfil, estando entre as dez cooperativascom o maior número de usuários e cooperados,além de ser uma unidade multipremiada e,portanto, sempre reconhecida. Cumprimento a UnimedVitória pelos 30 anos dedicados ao cooperativismomédico na capital capixaba, na qual se tornoureferência no atendimento médico para a comunidadelocal. Faço votos para que ela se mantenha firmeno caminho do sucesso e continue a promover umtrabalho competente, qualificando ainda mais os valoresinerentes à marca Unimed: medicina para a felicidade,respeito pela diversidade e união como filosofiade vida”.Eudes de Freitas Aquino, presidente da Unimed do Brasil“O cooperativismo brasileiro de saúde tem comomarcas o profissionalismo da gestão e o zelo constantepela excelência dos serviços prestados. O atendimentode qualidade é prioridade para as cooperativasque desse ramo fazem parte, no qual se destacao Sistema Unimed e suas singulares. Presente emtodo o país, reunindo 377 cooperativas e 107 mil associados,o sistema atende 15,4 milhões de usuários,com participação de 34% no mercado brasileiro deplanos de saúde. Destaque também para a UnimedVitória, presidida hoje pelo médico Alexandre AugustoRuschi Filho, atuante em nove municípios do Estado,reunindo 250 mil clientes, 2.200 cooperadose 1.550 colaboradores. Referência no Espírito Santopela qualidade no atendimento, pelo profissionalismoe pela organização, a Unimed Vitória é reconhecidatambém nacionalmente por uma história de 30anos dedicados à promoção da saúde”.Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização dasCooperativas Brasileiras (OCB) e do Serviço Nacional deAprendizagem do Cooperativismo (Sescoop)


o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o s 101Organização e estruturaCom uma estrutura profissional de gestão baseada nas melhores práticas de GestãoCorporativa, a Unimed Vitória está organizada da seguinte forma:Assembleia GeralÉ o órgão supremo da cooperativa, tem poderes paratomar toda e qualquer decisão e suas deliberações vinculam-sea todos.Conselho de AdministraçãoTem a missão de representar os interesses dos cooperados,contribuindo para a elaboração das estratégias e omonitoramento dos resultados.Diretoria ExecutivaResponsável pela gestão da cooperativa, de acordo comas diretrizes traçadas pelo Conselho de Administração.Membros:Presidente: Dr. Alexandre Augusto Ruschi FilhoDiretor Administrativo: Dr. Lincoln Bertholi RohrDiretor de Provimento de Saúde:Dr. Márcio de Oliveira AlmeidaDiretor de Mercado: Dr. Luiz Carlos PaierDiretor Econômico-Financeiro:Dr. Marcus Vinicius Azevedo TanureConselho VogalJunto com a Diretoria Executiva, forma o Conselho deAdministração da cooperativa.Membros:Dr. Jesse Rangel TabachiDr. José Monteiro de Souza NetoDra. Lucia Margareth Perini BorjailleDr. Nilson Mesquita FilhoDr. Remegildo Gava MilanezDr. Sebastião Leonardo da SilveiraConselho TécnicoRealiza avaliação técnica da conduta dos cooperados.Membros:Dr. Antônio Chambô FilhoDr. Átyla Quintaes de Freitas LimaDr. Carlos Magno BortoliniDra. Edelweiss Bussinguer PereiraDr. Felipe José Granja MoysesDr. Hudson Soares LealDr. Luiz Alberto Sobral Vieira JuniorConselho FiscalFaz a fiscalização sobre operações, atividades e serviçosda cooperativa.Membros:Dra. Ana Maria RamosDr. Arnaldo Ferreira FilhoDr. Carlos Magno Pretti DalapicolaDr. Carlos Marconi PazoliniDr. Edgard de Barros NascimentoDr. Jailson Luiz TótolaMissão: Oferecer soluções em saúde por meio deatendimento humanizado, contribuindo para o desenvolvimentoda sociedade.Visão: Ser reconhecida como a melhor empresa deprestação de serviços de saúde do Brasil.Nossos Valores:Para Cooperados: Seriedade e idoneidade / Zelopela imagem da empresa / Postura empreendedora/ CompetênciaPara Colaboradores: Honestidade / Valorização doindivíduo / ComprometimentoPara Clientes: Credibilidade / Ética / Humanização /Serviços de qualidadePara Comunidades: Integrar-se e ser útil à comunidade/ Postura de empresa cidadã / Responsabilidadesocial


102 o s r e s u l t a d o s u n i m e d vitór ia 30 a n o sAssembleiados CooperadosConselho FiscalEstruturaOrganizacionalUnimed VitóriaConselho AdministrativoConselho TécnicoPresidênciaAssessoria JurídicaAssessoriade ComunicaçãoDiretoria EconômicaFinanceiraDiretoriaAdministrativaDiretoria de Provimentode SaúdeDiretoria deMercadoComitêEducativoSup. de MercadoSup. de Provimento de SaúdeSup. de Desenv. OrganizacionalSup. de Adm. FinanceiraSup. de Recursos PrópriosNúcleo daQualidadeNúcleo Financeiro e CustosAssessoriaContábilNúcleo de Estratégiae ProcessosNúcleo de Relac. ANSNúcleo deMarketingCias SaúdeOcupacionalUnimedFácilGer.AdministrativaGer. deControladoriaGer.FinanceiraGer. deTecnologia daInformaçãoGer. deRecursosHumanosGer. deOperaçõesGer. deRel. comClienteGer. de Mercado Ger. de NegóciosDiagnósticoCoord. deContabilidadeGer. deRegulaçãode Serv. deSaúdeCoord. deVendasCoord. Rel.EmpresarialCoord. de ControladoriaCoord. de Rel.TrabalhoCoord.RecursosHumanosCoord. deContactCenterCoord. deAtendimentoao ClienteCoord.AdministrativaCoord. deCadastroCoord. deContas aReceberCoord. deContas aPagarCoord.RelacionamentoCooperadoCoord. deIntercâmbioCoord. deInfraestruturaCoord.ProduçãoMédicaCoord.de Sist.AuxiliaresCoord. deSist. deInformaçãoCiasCoord. deSistemas deInformaçãoCoord. Integradada SaúdeCoord. Auditoria Coord. Auditoriaem QualidadeCoord. AuditoriaTécnicaCoord. AuditoriaAlto Custo eEspecialidadesCoord. deRelac. RedeCredenciada


Publicação Especial Unimed Vitória 30 anose x p e d i e n t eUnimed Vitória Cooperativa de Trabalho MédicoAv. César Hilal, 700, 3º e 4º Pavimento, Ed. Yung, Bento Ferreira, Vitória - EsCep: 29.050-922Coordenação: Assessoria de Comunicação Empresarial da Unimed Vitória / Produção editoriale revisão: Tríade Comunicação / Jornalista responsável: Ane Ramaldes / Textos epesquisa histórica: Ane Ramaldes e Karla Monteiro / Revisão: Denise Klein / Projeto gráficoe Editoração: Laboratório Comunicação e Design / Fotos: Sagrilo, arquivo Unimed, arquivoAmes, e arquivo pessoal de fontes e entrevistados / Impressão: Gráfica Grafitusa /Tiragem: 3.500 exemplares


Este material foi impresso em papel couché fosco da Suzano (empresa com certificadoFSC - Forest Stewardship Council). A certificação FSC garante que a matéria-prima florestalprovenha de um manejo considerado social, ambiental e economicamente adequado.

More magazines by this user
Similar magazines