Motorola Xoom - Linux Magazine

linux.magazine.com.br
  • No tags were found...

Motorola Xoom - Linux Magazine

ANÁLISE | Conheça o MotorolaolaXoomomAnálise do tablet Xoom, da MotorolaANÁLISEMotorola XoomConheça as chances de o populartablet Xoom, da Motorola, tornarseum “matador de iPads”.por Felipe SentelhasOMotorola Xoom foi destinadoa realizar grandes tarefas.Desde a sua concepção, odispositivo foi pensado como o “tablet-propaganda”da nova versão dosistema operacional do Google, o Android3.0 Honeycomb, para enfrentardiretamente o iPad da Apple, produtopioneiro no mercado de tablets daera pós-PC. Para bem ou para mal,foi o Xoom que definiu muitos dospadrões na oferta de tablets equipadoscom o Honeycomb.A Motorola não estava errada emsua ambição. O tablet chamou aatenção desde sua primeira apariçãopública, durante a ConsumerElectronics Show [1], em janeiroQuadro 1: AtualizaçõesA Motorola se comprometeu a não deixar que o Xoom se tornasse obsoleto rapidamente,como é praxe no mercado de tecnologia e para tanto, o sistema podeser atualizado, através da Internet, para a mais nova versão do Honeycomb (3.2)que é ofi cialmente suportada pela empresa. Essas atualizações trazem inclusiveo suporte à recursos que não eram acessíveis anteriormente, como o suporte aocartão microSD, e corrigem problemas de compatibilidade entre aplicativos desenvolvidospara as versões 2.x do Android ao serem executados no Honeycomb.Além de atualizações de software, a Motorola também se comprometeu àatualizar o hardware do dispositivo, para que possa suportar o novo padrãode conexão móvel 4G. Essa atualização está prevista pela empresa paraacontecer à partir de outubro de 2011.de 2011, onde ganhou o prêmio de"Melhor da CES" e a atenção damídia especializada, que começoua chamá-lo de “matador deiPads” [2] .Essa fama e intencional concorrênciada Motorola com a Appleficou ainda mais nítida durante atransmissão da final da temporada2010 do campeonato de futebolamericano dos Estados Unidos, opopular SuperBowl, um horário televisivorecheado de comerciais carose ousados. A fabricante do tablet fezuma sátira a um conhecido comercialda Apple [3] em que se mostra umadistopia de seres sem vida regida poriPods sendo quebrada por um MotorolaXoom, com o sugestivo nomeEmpower the People (Dando poderàs pessoas) [4] .O investimento da Motorola noproduto não ficou apenas em comerciais.A empresa não lançou outrodispositivo similar até agora e isso sedeve ao fato de que o Xoom aindareceberá atualizações que vão modernizaro dispositivo e colocá-lo emdia com demandas tecnológicas maisrecentes; a empresa tem entregue essasatualizações e ainda esse ano devehaver mais novidades para o tablet,tornando-o duradouro – uma boanotícia, se pensarmos no rápido ciclode obsolescência de outros aparelhos.O aparelho foi construído para serlongevo, mesmo sendo um produtodo começo desse ano. Se comparadocom seus concorrentes atuais, o Xoompermanece como um dos melhoresprodutos de sua categoria. Com duascâmeras, saída HDMI, uma das maioresresoluções de tela do mercado,processador ARM com dois núcleosda Nvidia e capacidade de gravaçãoe reprodução de vídeos em HD, ohardware do Xoom não deixa nadaà desejar. Porém, por ser o primeiro àusar o Android Honeycomb, o tablet42 www.linuxmagazine.com.br


Conheça o Motorola Xoom | ANÁLISEpagou o preço por seu pioneirismocom problemas de suporte à algumastecnologias e poucos aplicativos nativospara o sistema.HardwareCom 249,1mm x 167,8mm x 12,9mme pesando 730g, o Motorola Xoomnão é o maior, nem o mais pesadotablet Android do mercado. Comacabamento de alumínio anodizado,o dispositivo possui um visual limpoe praticamente sem botões. Suatraseira possui apenas o botão paraligar ou bloquear o aparelho, umacâmera de 5 megapixels – capaz degravar vídeos em 720p – e um flashde LED. A parte frontal do tablet écompletamente desprovida de botõese apresenta apenas uma tela de 10,1polegadas com o revestimento deproteção Gorilla Glass , resistente aarranhões. Há também uma câmerade 2 megapixels para comunicaçãoatravés de vídeo. Pequenos botõespara volume se encontram em sualateral esquerda.Por dentro, o Xoom opera com32GB de memória interna FlashNAND, 1GB de memória RAM DDR2e um processador System-on-a-Chip(SoC) [5] Tegra2 T20 [6] da Nvidia,integrando um processador de doisnúcleos ARM Cortex-A9 de 1GHz,uma GPU ULP GeForce de 333 MHz(capaz de realizar aproximadamente5.33 GFLOPS) e um controladorde memória DDR2 de 667MHz. Otablet também possui uma série desensores que já se tornaram comunsno mercado, como um acelerômetroe um giroscópio de três eixos, S-GPS,magnetômetro, barômetro e um sensorpara a luz do ambiente.O aparelho conta ainda com umasaída HDMI, uma porta micro-USB2.0, conectividade através de Bluetooth2.1+EDR e Wi-Fi 802.11b/g/n.Durante os testes, as conexões sem fiose portaram de maneira apropriada,porém, há críticas quanto às conexõescom fio, uma vez que encontramosFigura 1 Tela inicial do Android Honeycomb.problemas para montar o dispositivoem uma máquina Linux, através daconexão USB, além do que, a saídaHDMI permite apenas a exibição devídeos em até 720p. Existe tambémuma edição do tablet capaz de realizarconectividade 3G, com umaentrada para cartões SIM no aparelho– contudo, o Xoom enviado pelaMotorola para os testes não possuíaesse recurso. Também se encontrano topo do dispositivo uma pequenaentrada para cartões microSD, porém,à epoca dos testes, o sistema aindanão oferecia o suporte necessáriopara acesso a esse recurso ( quadro 1 ).A tela de 10,1 polegadas do Xoompossui o formato widescreen (16:10)Quadro 2: adb e fastboote tem como resolução nativa asdimensões de 1280 por 800 pixels.Além disso, é sensível ao toque,usando tecnologia capacitiva capazde suportar múltiplas entradas detoque simultaneamente. Duranteos testes, ocorreram alguns problemascom a sensibilidade da tela aotoque, contudo, esses não afetaramo uso do aparelho.Todo esse maquinário está ligadoa uma carga de energia de 6500 mAh– com duas baterias de 3250 mAhligadas em série – que, segundo aMotorola, oferece uma autonomiade aproximadamente dez horas paraatividades que demandam muitaenergia do aparelho, como a repro-O adb e o fastboot são ferramentas de desenvolvimento para a plataformaAndroid. O primeiro oferece uma ponte de depuração e pode ser usadapara obter um ambiente shell, baixar ou enviar arquivos para o aparelho.O segundo é uma ferramenta usada para manipular e alterar o sistema dearquivos do aparelho, permitindo a inserção de novas imagens de inicializaçãoou de recuperação.O adb está disponível juntamente com o Android SDK [9] , e você pode baixá-lodo site e instalá-lo executando o seguinte comando:wget http://dl.google.com/android/android-sdk_r12-linux_x86.tgz&& tar zxvf ./android-sdk_r12-linux_x86.tgz./android-sdk-linux_x86/tools/androidonde você poderá optar por instalar a opção Android SDK Platform-tools ,que contêm o adb .O binário do fastboot pode ser obtido compilando o código do AndroidOpen Source Project . O site do projeto contêm instruções completas sobretodo o processo [10].Linux Magazine #83 | Outubro de 201143


ANÁLISE | Conheça o Motorola XoomFigura 2 A opção “Recent Apps” mostra todos os aplicativos sendo executados.dução de vídeo ou o uso da conexãoWi-Fi. Essa afirmação não se mostroufidedigna, pois a carga completa doaparelho resistiu à apenas oito horas emeia de uso pesado. Outro fator quese mostrou problemático foi a cargado aparelho. A fabricante afirma queele pode ser completamente carregadoem apenas três horas e meia(metade do tempo para a carga completado seu principal concorrente)contudo, isso significa que o tabletnão pode ser alimentado através daporta microUSB; a única opção é ocarregador com um pino de desenhoproprietário que deve ser encaixadoà um pequeno conector na parte debaixo do aparelho, e alimenta o tabletcom até 16,5W de energia.HoneycombO sistema que acompanha o Xoomé o Android 3.0, batizado de Honeycomb,que foi especialmente desenvolvidopara tablets. Ser o primeirodispositivo com uma nova versãodo Android não é uma tarefa fácil; oGoogle somente faz lançamentos comaparelhos capazes de mostrar tudoque o novo sistema pode oferecer.Embora o hardware do Xoom sejacertamente capaz de trabalhar coma nova plataforma, são os problemasdela que afetam a experiência como tablet mais negativamente.O Honeycomb trouxe uma sériede novidades e melhorias [7] para oecossistema Android que são dignasde nota. Visualmente, podemos veruma mudança significativa do sistema,com uma área de trabalho maislimpa e widgets pré-instalados bemmais úteis do que os disponíveis atéo momento para as versões anteriores(figura 1). A falta dos tradicionaisbotões “Voltar” e “Home” no Xoomse explica com o surgimento do novorecurso “System Bar”, que ofereceuma nova interface de usuário virtuale “holográfica”, sempre presente. Épossível também ver mudanças notopo da tela, com a nova “Action Bar”,uma barra que pode ser controladapor aplicativos e ser equipada comopções, botões de navegação e widgetsde forma contextual.Outra novidade importante éa inclusão de suporte multitarefaao sistema operacional, que podeser acessado com o botão “Aplicativosrecentes” ( Recent Apps ) quese encontra na barra do sistema(figura 2). Lá o usuário poderá veros aplicativos que mais utiliza emudar rapidamente para eles paracompletar uma tarefa ou conferiralguma informação.Os métodos de entrada tambémsofreram alteração, com o redesenhocompleto do teclado, quepôde ser melhor acomodado emum espaço maior e incluir teclasessenciais como a [Tab] . Algunsaplicativos que acompanham o sistemapor padrão também sofreramListagem 1: 51-motorola-xoom.rules01 ATTRS{idVendor}=="18d1", ATTRS{idProduct}=="70a8", ENV{ID_GPHOTO2}="1", ENV{GPHOTO2_DRIVER}="proprietary",ENV{ID_MEDIA_PLAYER}="1", ENV{ID_MTP_DEVICE}="1", MODE="0664", GROUP="audio"02 ATTRS{idVendor}=="18d1", ATTRS{idProduct}=="70a9", ENV{ID_GPHOTO2}="1", ENV{GPHOTO2_DRIVER}="proprietary",ENV{ID_MEDIA_PLAYER}="1", ENV{ID_MTP_DEVICE}="1", MODE="0664", GROUP="audio"03 ATTRS{idVendor}=="22b8", ATTRS{idProduct}=="70a8", ENV{ID_GPHOTO2}="1", ENV{GPHOTO2_DRIVER}="proprietary",ENV{ID_MEDIA_PLAYER}="1", ENV{ID_MTP_DEVICE}="1", MODE="0664", GROUP="audio"04 ATTRS{idVendor}=="22b8", ATTRS{idProduct}=="70a9", ENV{ID_GPHOTO2}="1", ENV{GPHOTO2_DRIVER}="proprietary",ENV{ID_MEDIA_PLAYER}="1", ENV{ID_MTP_DEVICE}="1", MODE="0664", GROUP="audio"05 ATTRS{idVendor}=="18d1", ATTRS{idProduct}=="708c", MODE="0666"06 ATTRS{idVendor}=="22b8", ATTRS{idProduct}=="708c", MODE="0666"Listagem 2: Xoom no /etc/fstab01 # Montagem automática para o Motorola Xoom usando MTPfs02 mtpfs /media/xoom fuse user,noauto,allow_other 0 044 www.linuxmagazine.com.br


Conheça o Motorola Xoom | ANÁLISEmodificações: o navegador está maispróximo da experiência do GoogleChrome, oferecendo inclusive um“modo incógnito” para navegaçãoanônima, além de sincronização defavoritos e melhor suporte à sitesnão desenvolvidos para dispositivosmóveis com a nova ferramenta dezoom. Os aplicativos de Contatose Email também foram alteradospara aproveitar melhor o espaçooferecido pela tela.O conjunto multimídia merecedestaque: o aplicativo de Músicafoi completamente redesenhadoe está mais simples de usar eimensamente mais bonito comsua nova interface que faz uso deaceleração 3D. Os aplicativos deCâmera e Galeria também foramredesenhados completamente,oferecendo maior controle sobreo hardware das câmeras presentesno aparelho e com uma novaapresentação das fotos e vídeos emtela cheia. Um aplicativo interessante,porém ainda imaturo é oMovie Studio , feito para a ediçãode vídeo no tablet. Sua interface émuito simples, oferecendo poucosrecursos de edição e o processo derenderização do vídeo sofre comfalhas constantes.Nas comunicações, o destaqueé o novo Google Talk, que oferecea possibilidade de bate-papo comvídeo, usando a câmera frontal de2 megapixels.No campo do desenvolvimento, oAndroid 3.0 traz um novo frameworkde animação, com novos renderizadorespara aceleração gráfica 2D e3D. Além do suporte à arquitetura deprocessadores com múltiplos núcleos.Uma coisa que mudou negativamentefoi o uso do protocolo MTP( Media Transfer Protocol ) [8] paracontrolar a conectividade USB doXoom, ao contrário do que se faziaanteriormente com a montagem deum dispositivo de armazenamentoUSB virtual. Devido à essa mudança,Quadro 3: Controle totalUma característica muito boa do tablet Xoom é que pela primeira vez a Motorolapermitiu que o dispositivo pudesse ser “destravado” para desenvolvimento;isso signifi ca que você pode inserir na máquina imagens de ROMse kernels customizados. No ecossistema Android esse tipo de incentivo aumentao interesse dos usuários pelo aparelho e favorece a criação de umacomunidade de desenvolvedores e hackers em torno do sistema.Já existem possibilidades imensas para o Xoom hoje, desde a simples escaladade privilégios com a obtenção de permissões root , até a possibilidade da execuçãodo sistema operacional Ubuntu no aparelho, dentro de uma cela chroot .A ROM personalizada de maior destaque para o dispositivo é a Tiamat Xoom,que expande o Android 3.0 e habilita o suporte a mais sistemas de arquivos,modems 3G e à montagem do cartão microSD [11] .Outra instalação valiosa é o ClockworkMod Recovery , uma pequena imagemde um sistema de recuperação que permite, entre outras coisas, o backup completodo sistema em um cartão SD e a instalação de ROMs personalizadas [12] .Para isso, é necessário usar a ferramenta fastboot para destrancar seu dispositivo.Mas é importante ressaltar que realizar esse procedimento vai anulara garantia do produto e executar uma formatação no aparelho, reiniciandotodas as confi gurações.Com o Xoom conectado ao computador, com a opção de Depuração USBligada no dispositivo, execute no terminal do computador o comando:adb reboot bootloaderO aparelho vai reiniciar em uma tela preta que exibirá a mensagem StartingFastboot Protocol Support . Quando isso acontecer, digite no terminal docomputador o seguinte:fastboot oem unlockUm aviso será exibido na tela do Xoom, informando sobre a formatação dodispositivo e a parte da garantia. Use o botão para abaixar o volume paramudar a opção para Accept e aperte o botão de volume para cima para destrancaro aparelho.a comunicação entre o dispositivo eas máquinas Linux ficou prejudicada,obrigando os usuários do sistemaoperacional à efetuar uma sériede configurações manuais para teracesso à leitura e transferência dearquivos presentes no dispositivo oupara o dispositivo.Outro fator negativo foram os problemasrelacionados com aplicativosde terceiros nesse novo ambiente.Vários dos aplicativos testados, tantode produção como jogos, tiveramdificuldade em se adaptar para onovo tamanho da tela, preenchendo-aparcialmente ou de maneiraincorreta, além de responder deforma errada aos comandos realizados,por vezes inclusive travandoinesperadamente. Ficou evidenteque a falta de aplicativos exclusivosou otimizados para essa versão doAndroid é um problema.Conexão pinguimComo mencioado, o Motorola Xoomexige um pouco de esforço para serutilizado por usuários do sistemaoperacional Linux; a começar pelamontagem de um dispositivo USBMTP que não é automática e onde oacesso aos arquivos fica limitado aostocadores de mídia, como o Rhythmboxe o Banshee. Aliás, nem mesmoo udev está pronto para reconhecer odispositivo e permitir a comunicaçãoatravés das portas USB.Em primeiro lugar, é necessárioligar o modo de depuração doaparelho, para isso vá até o Menuprincipal/Configurações/Aplicativos/Desenvolvimentoe marque aLinux Magazine #83 | Outubro de 201145


ANÁLISE | Conheça o Motorola Xoomopção Depuração USB . Feito isso,temos que criar uma nova regrade udev em /etc/udev/rules.list/para o devido reconhecimento dodispositivo. A listagem 1 mostra oconteúdo desse arquivo.Para reiniciar o udev basta executaro comando:sudo /etc/init.d/udev restarte conectar o Xoom ao computadorcom o cabo USB. Você pode testarse a detecção funcionou com o comandoadb devices (quadro 2 ) ou coma ferramenta mtp-detect , presenteno pacote mtp-tools . Em ambos oscasos, os programas confirmarão aidentidade do dispositivo.Com isso já é possível usar tocadoresde mídia e organizadores de fotospara acessar o conteúdo específicodo dispositivo. Para acesso amplo aosarquivos, será necessária a instalaçãodo mtpfs , um sistema de arquivosFUSE ( Filesystem in User Space )capaz de montar, ler e escrever emqualquer dispositivo MTP. Para issobasta executar:sudo apt-get install mtpfse criar uma pasta onde você desejamontar o sistema de arquivos do dispositivo,através do comando:sudo mkdir /media/xoom && sudochown usuário:usuário/media/xoomLembre-se de trocar usuário peloseu nome na máquina.Agora, você pode montar manualmenteo dispositivo com:mtpfs /media/xoom -o allow_othere desmontá-lo com o comando:fusermount -u /media/xoomGostou do artigo?Queremos ouvir sua opinião.Fale conosco emcartas@linuxmagazine.com.brrEste artigo no nosso site:http://lnm.com.br/article/5901Caso você prefira a montagemautomática do dispositivo, editeo arquivo /etc/fstab e acrescenteo conteúdo da listagem 2 aofinal do arquivo. Depois edite o/etc/fuse.conf e remova a marca decomentário da última linha:#user_allow_otherEm seguida basta executar (trocandousuário por sua identificaçãona máquina):useradd -G fuse usuárioFinalmente, para que as mudançastenham efeito, digitemount -aMais informaçõesConclusãoO Xoom é um produto pioneiro queestabeleceu o padrão de qualidade queoutras empresas buscam alcançar aolançar seus tablets Android. O dispositivoda Motorola sofreu com todos osproblemas de seu pioneirismo, algunsdeles ainda presentes no produto comercializadono Brasil. Contudo, acomunidade de usuários que surgiu emtorno do Xoom tem feito a opção pordestravá-lo ( quadro 3 ) e aplicar ROMse kernels personalizados. Graças a essaconstante inovação por parte da empresae de hackers, o tablet da Motorola aindaé um excelente produto para usuáriosfinais, entusiastas e desenvolvedores, econtinuará sendo por um bom tempo. ■[1] Consumer Electronics Show: http://www.cesweb.org/[2] Motorola Xoom Android tablet may be fi rst iPad killer: http://technolog.msnbc.msn.com/_news/2011/01/05/5773225-motorola-xoom-android-tablet-may-be-first-ipad-killer[3] Comercial "1984" da Apple: http://www.youtube.com/watch?v=OYecfV3ubP8[4] Comercial "Empower the People" da Motorola http://www.youtube.com/watch?v=FgOX9mb7V4o[5] System-on-a-chip: http://pt.wikipedia.org/wiki/System-on-a-chip[6] Nvidia Tegra: http://en.wikipedia.org/wiki/Tegra_2#Tegra_2_series[7] Android 3.0 Platform Highlights: http://developer.android.com/sdk/android-3.0-highlights.html[8] Media Transfer Protocol: http://en.wikipedia.org/wiki/Media_Transfer_Protocol[9] Android SDK: http://developer.android.com/sdk/index.html[10] Initializing a Build Environment: http://source.android.com/source/initializing.html[11] Team Tiamat Xoom Rom 2.2.1: http://forum.xdadevelopers.com/showthread.php?t=1254933[12] ClockworkMod Recovery 3.0.2.5 Now AvailableFor Motorola XOOM http://www.androidpolice.com/2011/04/18/download-clockworkmod-recovery-3-0-2-5-now-available-for-motorola-xoom/46 www.linuxmagazine.com.br


Conheça o Motorola Xoom | ANÁLISELinux Magazine #83 | Outubro de 201147

More magazines by this user
Similar magazines