Relatório de atividades PROBIO 2002-2004 - Ministério do Meio ...

sistemas.unipacbomdespacho.com.br

Relatório de atividades PROBIO 2002-2004 - Ministério do Meio ...

Ministério do Meio AmbienteProjeto de Conservação e Utilização Sustentável daDiversidade Biológica BrasileiraRELATÓRIO DE ATIVIDADESPROBIO2002 - 2004PROBiO


República Federativa do BrasilPresidente: Luiz Inácio Lula da SilvaVice-Presidente: José Alencar Gomes da SilvaMinistério do Meio AmbienteMinistra: Marina SilvaSecretaria ExecutivaSecretário: Cláudio Roberto Bertoldo Langone


Ministério do Meio Ambiente - MMAProjeto de Conservação e Utilização Sustentável da DiversidadeBiológica Brasileira - PROBIORELATÓRIO DE ATIVIDADESPROBIO2002 - 2004Brasília, DF2004


Secretaria de Biodiversidade e FlorestasSecretário: João Paulo Ribeiro CapobiancoPrograma Nacional de Conservação da BiodiversidadeDiretor: Paulo Yoshio KageyamaGerência de Conservação da BiodiversidadeGerente: Braulio Ferreira de Souza DiasProjeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade BiológicaBrasileira - PROBIOGerente: Daniela América Suárez de OliveiraEquipe PROBIOEquipe Técnica: Carlos Alberto Benfica Alvarez, Cilúlia Maria Rodrigues de Freitas Maury, CláudiaCavalcante Rocha Campos, Danielle Teixeira Tortato, Gláucia Jordão Zerbini, Júlio César Roma,Márcia Noura Paes, Rita de Cássia CondéEquipe Financeira: Arles Eduardo Noga, Danilo Pisani de Souza, Gisele da Silva, Karina MoraesGontijo Pereira, Ronaldo Brandão dos Santos, Rosângela Abreu, Sérgio Luiz PessoaEquipe Administrativa: Edileide Silva, Marinez Lemos CostaGerente do PROBIO junto ao Banco Mundial: Adriana MoreiraOrdenador de despesas do PROBIO no CNPq: Jovan Guimarães Gadioli dos SantosTextoCilúlia Maria Rodrigues de Freitas MauryDaniela América Suárez de OliveiraRevisãoMaria Beatriz Maury de CarvalhoProjeto Gráfico e EditoraçãoAna Lúcia PratesApoioGlobal Environment Facility - GEF; Banco Mundial - BIRD; Conselho Nacional do DesenvolvimentoCientífico e Tecnológico - CNPq, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - ProjetoBRA/00/021.Fotos gentilmente cedidas por:Ana Lúcia Prates, André Stella, Cacau Oliveira, Cláudio Savaget, Daniela Oliveira, Gustavo Mozzer,José Sabino, Magno Botelho Castelo Branco, Miguel Rodrigues, Quelmo Novaes, Rafael Oliveira,Rita Condé, Sérgio Pamplona e projetos apoiados pelo PROBIO.Foto da capaAna Lúcia PratesCatalogaçãoAlderleia M. Milhomens CoelhoBrasil. Ministério do Meio Ambiente. Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade BiológicaBrasileira - PROBIO.Relatório de atividades PROBIO 2002-2004 / Ministério do Meio Ambiente. Projeto de Conservação eUtilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira; texto de Daniela América Suárez de Oliveira e CilúliaMaury. -- Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.58p.: il.1.Biodiversidade - Brasil. I. Título. II. Oliveira, Daniela América Suárez. III. Maury, Cilúlia.Ministério do Meio Ambiente - MMACentro de Informação e Documentação Ambiental e Editoração Luís Eduardo Magalhães - CID AmbientalEsplanada do Ministérios - Bloco B - TérreoCep: 70068-900 Brasília - DFTel: 0 xx 61 317-1235 / Fax: 0 xx 61 224-5222e-mail: cid@mma.gov.brCDU 504.7


Sumário12345678910111213141516Foto: José SabinoProjeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira - PROBIO ............... 7Apoio à realização de inventários nas áreas consideradas prioritárias para investigação científica .......... 9Utilização sustentável de recursos da biodiversidade nas áreas de entorno de Unidade de Conservação deproteção integral localizadas em ecossistemas abertos - Implementação dos Planos de DesenvolvimentoSustentável do Entorno das Uc’s .............................................................................................. 13Manejo de espécies da fauna ameaçadas de extinção e de espécies invasoras, visando à conservação dadiversidade biológica brasileira .................................................................................................. 15Uso sustentável e restauração da diversidade de polinizadores autóctones na agricultura e nosecossistemas relacionados ....................................................................................................... 21Elaboração de informes sobre espécies exóticas invasoras ............................................................ 25Levantamento dos remanescentes da cobertura vegetal dos biomas brasileiros ................................ 27Plantas do Futuro .................................................................................................................. 29Mudanças Climáticas e Biodiversidade ...................................................................................... 33Apoio à realização de estudos para elaboração de roteiro metodológico de planejamento de corredoresecológicos ............................................................................................................................ 37Identificação e mapeamento da distribuição geográfica e conservação dos parentes silvestres e das raçaslocais/variedades crioulas das principais espécies de plantas cultivadas no país ............................... 39Levantamento para identificação das instituições, incluindo os movimentos sociais e as organizações nãogovernamentais,envolvidas com a conservação ex situ, on farm e in situ de recursos genéticos da flora,da fauna e dos microorganismos .............................................................................................. 43Elaboração de material educativo e instrucional sobre biodiversidade brasileira, espécies da fauna brasileiraameaçadas de extinção, fragmentação de ecossistemas, biomas brasileiros, espécies invasoras e unidadesde conservação ..................................................................................................................... 45Publicações do PROBIO ............................................................................................................ 47Próximos passos ................................................................................................................... 53O PROBIO em números ............................................................................................................ 55


Foto: Rita Condé


1Projeto de Conservação e UtilizaçãoSustentável da Diversidade BiológicaBrasileira - PROBIOFoto: José SabinoFoto: Rafael Oliveira


8IntroduçãoO Projeto de Conservação eUtilização Sustentável da DiversidadeBiológica Brasileira - PROBIO é resultado doAcordo de Doação TF 28309, firmado em05 de junho de 1996, entre o GovernoBrasileiro e o Global Environmental Facility(GEF) / Banco Internacional deReconstrução e Desenvolvimento (BIRD),com duração inicialmente prevista de cincoanos. Em 2003 sua execução foiprorrogada devendo encerrar-se emdezembro de 2005.Segundo o Acordo, cabe aoMinistério do Meio Ambiente ogerenciamento e a coordenação do Projeto,por meio das seguintes atividades: aanálise e integração dos resultados dasavaliações da biodiversidade; a oferta deapoio na preparação de uma estratégianacional de biodiversidade; omonitoramento e a avaliação dossubprojetos; e uma ampla disseminaçãodos resultados do PROBIO. O PROBIO édesenvolvido em parceria com o ConselhoNacional de Desenvolvimento Científico eTecnológico (CNPq), este na qualidade degestor administrativo, contratando ossubprojetos e liberando recursos.O PROBIO é o mecanismo de auxíliotécnico e financeiro na implementação doPrograma Nacional da DiversidadeBiológica - PRONABIO, sendo todas as suasações aprovadas pela Comissão Nacionalde Biodiversidade - CONABIO. Esta écomposta por representantes do setorempresarial, acadêmico, organizaçõesnão-governamentais ambientalistas esociais, povos indígenas e representantesdo Governo Federal, englobando as áreasde Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia,Agricultura, Saúde, Planejamento,Relações Exteriores e Integração Nacional.Durante estes quase nove anos deexistência, o PROBIO já apoiou 149subprojetos, com uma alocação derecursos na ordem de R$ 37.296.305,00.Objetivo do PROBIOÉ objetivo do PROBIO é auxiliar oGoverno do Brasil no desenvolvimento doPRONABIO: identificando as ações prioritárias edando apoio à formulação de políticaspúblicas; estimulando a execução de projetosque promovam parcerias entre ossetores públicos e privados, visando àconservação e à utilização sustentávelda diversidade biológica brasileira; gerando e divulgando conhecimentose informações no que tange aconservação e a utilização sustentávelda diversidade biológica brasileira.Como atua o PROBIOAs ações do PROBIO são executadaspor meio de apoio a subprojetos ecompreende os componentes:A - Identificação de prioridades paraa aplicação de recursos;levantamento de informações edisseminação de resultados.B - Apoio a projetos demonstrativosde conservação e utilizaçãosustentável da diversidade biológicabrasileira.C - Administração do PROBIO.O PROBIO atua por meio de demandainduzida - Editais e Cartas Consulta (não hádemanda espontânea). As propostas sãoavaliadas por consultores ad hoc reunidosem Câmaras Técnicas Temporárias, nostermos do instrumento de convocação. Aspropostas de projeto indicadas paraaprovação pela Câmara TécnicaTemporária são analisadas pela ComissãoNacional de Biodiversidade - CONABIO e,após sua aprovação e do Banco Mundial,são conveniadas pelo CNPq.Em junho de 2002 o PROBIO publicouseu primeiro relatório que compreendia operíodo de 1996 ao primeiro semestre de2002.Este relatório descreve os principaisresultados alcançados entre o segundosemestre de 2002 e o primeiro semestre de2004.A seguir uma breve descrição dossubprojetos selecionados e apoiados nesteperíodo.


2Apoioà realização de inventáriosnas áreas consideradas prioritáriaspara investigação científicaFoto: Magno Botelho Castelo Branco


A partir de 1998 até 2000, o PROBIOapoiou a avaliação dos biomas brasileiros ea realização de cinco seminários paraavaliação do estado de conservação eidentificação de áreas e ações prioritáriaspara a conservação e utilização sustentávelda biodiversidade encontrada nestesbiomas. Uma das recomendaçõesresultantes destes seminários foi anecessidade de realização de inventáriosem 311 áreas, indicadas peloreconhecimento das lacunas deinformações a respeito delas sendoconsideradas, portanto, prioritárias parainvestigação científica. O PROBIO propôspara o atendimento desta recomendação arealização de inventários, entendidos comouma caracterização inicial, em curto espaçode tempo, da relevância biológica da área ede sua importância para a conservação. Osgrupos taxonômicos consideradosindicativos desses parâmetros tornaram-seo alvo principal dos levantamentos. Assim,o Edital teve como objetivo a seleção deprojetos para a realização de inventáriosnas áreas consideradas prioritárias para aconservação da diversidade biológica, nasquais houvesse sido recomendada arealização de inventários biológicos, pelasavaliações por bioma referentes aoCerrado e Pantanal, Caatinga, MataAtlântica e Campos Sulinos, Amazônia eNº. Projeto Biomas Nome Área Prioritária1Inventário biológico nos vales dosrios Jequitinhonha e Mucuri nosEstados de Minas Gerais e BahiaMata Atlântica eCampos SulinosMA-619 - Vitória da Conquista - Jordânia;MA-623 - Salto da Divisa; MA-627 -Remanescentes na região de Teófilo Otoni1023Avaliação da diversidade naLagoa do Cerra, na Lagoa doCasamento e em seusecossistemas associados, ZonaCosteira, Rio Grande do SulDiversidade de vertebrados doPantepui - AMZona Costeira eMarinhaAmazôniaMC-849 - Lagoa do Casamento; MC-851- Lagoa do CerroAM-247-T.I. Yanomani no AM; AM-250 -Extensão ao sul do P.E. Serra do Araçá4Inventário biológico das áreasSucuriju e região dos Lagos,AmapáAmazônia eZona CosteiraAM-145 - Sucuriju; MC-739 - Foz doRio Amapá Grande à Foz do RioAraguari5Biota marinha da costa oeste doCearáZona Costeira eMarinhaMC-751 - Rio Mundaú ao Rio Cauípe6P.A.R. do Território Yanomami(RR)FlorestaAmazônicaAM-251 - T.I.-Yanomami em RR7Análise das variações dabiodiversidade da caatinga como apoio de sensoriamento remotoe sistema de informaçõesgeográficas para suporte deestratégias regionais deconservaçãoCaatingaCA-391 - Reserva da Serra das Almas;CA-457 - Betânia; CA-454 - Curimataú8Paisagens e biodiversidade:Uma perspectiva integrada parainventário e conservação daSerra do CachimboAmazôniaAM-85 - T.I. Kayabi ; AM-87 - T.I.Munducuru9Biodiversidade dos Campos dosPlanaltos das AraucáriasMata Atlântica eCampos SulinosMA-729 - Rio Pelotas - São Mateus10Composição, riqueza ediversidade de espécies doCentro de EndemismoPernambucoMata Atlântica eCampos SulinosMA-579 - Gurjaú/Camaçari; MA-584 -Complexo Catende11Inventário zoobotânico do Riodas Mortes-MTFlorestaAmazônicaAM-65 - Rio das Mortes12Biota das florestas do Planaltode Conquista, Sudoeste da BahiaMata Atlântica eCampos SulinosMA-619 - Vitória da Conquista -Jordânia


Nº. Projeto Biomas Nome Área Prioritária13 Chapada Diamantina: biodiversidade Cerrado ePantanal1415161718192021Inventário da biota aquática comvistas à conservação e utilizaçãosustentável do bioma cerrado(Serra e vale do Rio Paranã)Inventário da diversidadebiológica do Complexo JauruInventário da biodiversidade doVale e Serra do Paranã e do Sulde TocantinsAvaliação ecológica e seleçãode áreas prioritárias àconservação de savanasamazônicas, arquipélago doMarajó, Estado do ParáInventário faunístico na área domédio MadeiraInventários da biodiversidade naSerra do AmolarDiversidade de vertebrados noAlto Rio dos Marmelos (BX 044)RAP Ilha Grande: Umlevantamento da biodiversidadeCerrado ePantanalCerrado ePantanalCerrado ePantanalFlorestaAmazônica /Cerrado ePantanal /FlorestaAmazônicaFlorestaAmazônicaCerrado ePantanalFlorestaAmazônicaZona CosteiraCP-475 - P.N. Chapada DiamantinaCP-499 - Vale e Serra do ParanãCP-551 - JauruCP-482 - Sul Tocantins - RegiãoConceição - Manuel Alves; CP-499 -Vale e Serra do ParanãCP-534 - Savanas da Ilha de MarajóAM-110 - Médio Madeira(a); AM-111 -T.I. PinatubaCP-537 - Borda Oeste do Pantanal AAM-105 - Interstício entre a T.I. Tenharimdo Igarapé Preto e a T.I. Tenharim /MarmelosMC-813 - Baía de Ilha GrandeTab1. Projetos selecionados pelo Edital PROBIO 02/2001 e as áreas inventariadas.11Foto: Cláudio Savaget


12Foto: arquivo do proketo Manejo e conservação do muriqui em Minas Gerais


Foto: José Sabino3Utilização sustentável de recursos da biodiversidade nasáreas de entorno de Unidades de Conservação de proteçãointegral localizadas em ecossistemas abertos - Implementaçãodos Planos de Desenvolvimento Sustentável do Entorno dasUC´sFoto: José Sabino


14Lançado em parceria com o FundoNacional do Meio Ambiente - FNMA, o Edital03/2001 teve como finalidade, induzir aconservação, sobre bases sustentáveis, dabiodiversidade contida em unidades deconservação e seu entorno, contribuindopara a proteção dos processos ecológicosque determinaram a criação dessasunidades, por meio do envolvimento daspopulações residentes no entorno dessasáreas. As 13 propostas selecionadas naprimeira Chamada e apoiadas pelo PROBIO eas 11 propostas apoiadas pelo FNMANº Subprojeto1234Implementação das açõesprioritárias do Plano deEcodesenvolvimento no entornodo PARNA Serra da BodoquenaImplementação do Plano deDesenvolvimento Sustentável doentorno do Parque NacionalGrande Sertão VeredasPlano de DesenvolvimentoSustentável para o entorno daReserva Biológica do IbirapuitãAções prioritárias àsustentabilidade dascomunidades do entorno daEstação Ecológica do TaimInstituiçãoExecutoraFundaçãoNeotrópica doBrasil -NEOTRÓPICAFundação Pró-Natureza -FUNATURAInstituto para oDesenvolvimentode EnergiasAlternativas eAutoSustentabilidade- IDEAASNúcleo deEducação eMonitoramentoAmbiental -NEMAdesenvolveram atividades visandoidentificar, junto às comunidades locais e àcomunidade científica, as principais ações aserem desenvolvidas para promover odesenvolvimento sustentável no entorno deunidades de conservação.Na Chamada II, que teve comoobjetivo a implementação das ações quepropiciassem o desenvolvimentosustentável das comunidades no entorno deUnidades de Conservação, foramselecionados e contratados quatrosubprojetos:Principais AtividadesCapacitação e sensibilização dosproprietários rurais das comunidadesdo entorno para a prática doecoturismo; realização de fiscalizaçãoeducativa juntamente com os órgãospúblicos; incentivo e apoio a pesquisacientífica por meio do monitoramentode espécies indicadoras dadiversidade biológica; apoio aodesenvolvimento da agroecologia naspequenas propriedades do entorno;Incentivo e incremento das áreasprotegidas no entorno do PNSB, pormeio da criação de áreas privadasprotegidas; criação e implementaçãode um Fundo para financiar as ações,por meio do Conselho Consultivo, daimplementação do Plano deEcodesenvolvimento da Serra daBodoquenaCapacitação, intercâmbio e atividadeseducacionais; fortalecimento daorganização comunitária; implantaçãode unidades demonstrativas;implantação de unidades debeneficiamento e comercialização;Turismo e assistência técnica aosprodutoresImplementação e avaliação de ummodelo funcional de plantio florestalcom espécies nativas e elaborar estudode viabilidade econômica; delimitaçãoda zona de amortecimento da ReservaBiológica e regulamentação do uso derecursos naturais internosImplantação de um sistema de visitaçãoorientada no entorno da ESEC Taim;Elaboração de um plano de diretrizesde ordenamento territorial para ascomunidades da Capilha e Serraria;Viabilização da participação dascomunidades na gestão da pescaartesanal da região; fomento dasiniciativas ecológicas de produçãoagropecuária; estimulo à gestãoparticipativaTab2. Proj. selecionados pelo Edital FNMA/PROBIO 03/2001 Chamado II e atividades desenvolvidas.


4Manejode Espécies da Fauna Ameaçadasde Extinção e de Espécies Invasoras,Visando à Conservação da DiversidadeBiológica BrasileiraFoto: José Sabino


16Segundo a Convenção deDiversidade Biológica, o termo “diversidadebiológica” significa a variabilidade deorganismos vivos de todas as origens,compreendendo, entre outros, osecossistemas terrestres, marinhos e outrosecossistemas aquáticos e os complexosecológicos de que fazem parte, além dadiversidade dentro de espécies, entreespécies e de ecossistemas.A perda da diversidade biológicapode se dar por meio da extinção deespécies, do empobrecimento dosecossistemas e da perda da variabilidadegenética. A extinção de espécies, por outrolado, pode ser causada pela perda dehabitat, tráfico, caça ou pelos efeitosdeletérios das espécies invasoras sobre asespécies nativas.A Lista Nacional de Espécies daFauna Brasileira Ameaçadas de Extinção,lançada em maio de 2003 e maio de 2004,apresenta cerca de 600 espécies nestacondição. O manejo para a conservação deespécies ameaçadas envolve, além deprofundo conhecimento sobre a biologiadessas espécies (habitat, área de vida,dieta, reprodução, etc.), a identificação dascausas que levaram ao seu processo deextinção e das técnicas disponíveis paraque estas se recuperem em número evoltem a existir nas áreas em que sedistribuíam originalmente.Como no Brasil, ainda há váriaslacunas de informação sobre manejo deespécies ameaçadas de extinção, oMinistério do Meio Ambiente decidiu apoiarEspécies ameaçadas de extinçãoprojetos que gerem informações práticassobre o manejo de espécies da faunaameaçadas de extinção e de espéciesinvasoras que permitam a elaboração depolíticas públicas específicas para essasespécies e a proteção do patrimôniobiológico e genético do país.Desde 2001, vem sendoacompanhado o desenvolvimento de 14subprojetos voltados para a elaboração ouimplementação de planos de manejo deespécies ameaçadas de extinção ouespécies invasoras, além de outros 13projetos apoiados pelo FNMA.O Edital PROBIO/FNMA 01/2003,também lançado em parceria com o FundoNacional do Meio Ambiente, destinou-se àseleção de projetos que tratassem defomento ao manejo de uma ou maisespécies da fauna brasileira ameaçadas deextinção visando a conservação dadiversidade biológica brasileira e a geraçãode subsídios para a formulação de políticaspúblicas para a conservação e utilizaçãosustentável da diversidade biológica nopaís. Foram selecionados e estão emexecução 11 subprojetos apoiados peloPROBIO e 13 apoiados pelo FNMA.Somados todos os projetosapoiados pelo PROBIO e pelo FNMA, asduas iniciativas estão elaborando ouimplementando planos de manejo paragarantir a sobrevivência de 61 espéciesameaçadas de extinção e para controlar aspopulações de 10 espécies animais evegetais invasores, além de váriosmicrorganismos.Nº. Projeto Espécies Novo vulgar1Conservação e reintrodução depopulações de árvoresameaçadas de extinçãoAmburana cearensisCedrela fissilisCerejeiraCedro2Estratégias para conservação emanejo sustentado da arnicaLychnophora ericoidesArnicaMyracrodruon urundeuvaAroeira-do-sertão3Plantas da caatinga ameaçadasde extinçãoSchinopsis brasiliensisBrumelia obrusifoliaBaraúnaQuixabeiraAmburana cearensisUmburana de cheiro4Conservação e manejo deespécies florestais ameaçadasde extinção: pau-rosa eaquariquaraAniba rosaeodoraMinquartia guianensisPau-rosaAquariquara5Conservação e biologia dePontoporia blainvilleiPontoporia blainvilleiToninha


Syngonanthusmucugensis6Conservação e manejo deespécies de orquidáceas ecactáceas da ChapadaDiamantinaSyngonanthus curralensisCattleya tenuisLaelia sincoranaOrquídeaOrquídeaMelocactus glaucescensCactoMelocactus paucispinusCacto7Plano de manejo demetapopulação para o micoleão-douradoLeontopithecus rosaliaMico-leão-dourado8Manejo e conservação depredadores no entorno do PARNAEmasPuma concolorPanthera oncaChrysocyon brachyurusOnça-pardaOnça-pintadaLobo-guará9Sassafrás: bioecologia e usosustentávelOcotea odoriferaCanela10Avaliação das populações domacaco prego do peito amareloCebus xanthosternusMacaco-prego-do-peito-amareloRhinobatos horkeliiRaia-violaSquatina guggenheimCação-anjo-espinhoso11 Salvar seláquios do sul do BrasilSquatina occultaSphyrna lewiniMustelus fasciatusCação-anjo-lisoTubarão-marteloCação1712Elaboração de plano de manejopara a uruçu-amarelaMelipona rufiventrisUruçu-amarela13Ecologia e distribuição deMazama bororoMazama bororoVeado bororo14Viabilidade populacional domuriquiBrachyteles hypoxanthusMuriqui15Estudos de ecologia e genéticapara a conservação do macacoSaguinusSaguinus bicolorSagüi-de-duas-cores16Biologia, parâmetrospopulacionais e análise docomércio de cavalos marinhosHippocampus erectusHippocampus reidiCavalo-marinhoCavalo-marinho17 Conservação de Euterpe edulis Euterpe edulis Palmiteiro18Implementação da unidade deresgate e reabilitação do peixeboimarinhoTrichechus manatusPeixe-boi marinho19Conservando Caprimuluscandicans no BrasilCaprimulgus candicansBacurau-de-rabo-branco20Plano de Manejo paraLonchophylla dekeyseriLonchophylla dekeyseriMorcego21Estratégias de conservaçãopara a Toninha (PontoporiaBlainvillei) nas áreas de manejoI e II: buscando alternativas parasalvar uma espéciePontoporia blainvilleiToninha


22 Anfíbios de altitude do ItatiaiaHoloaden badeiParatelmatobius lutziiCrax fasciolata pinimaPyrrhura lepida lepidaSapinhoRãzinhaMutum-de-penachoTiriba-pérola23O status das aves endêmicasda Amazônia OrientalPyrrhura lepidacoerulescensDendrocincla merulabadiaTiriba-pérolaArapaçu-da-taoca-maranhensePhlegopsis nigromaculataparaensisMãe-de-taoca-pintada24Proposta de elaboração doplano de manejo de Dinoponeralucida Emery, a formiga gigantedo corredor central da MataAtlânticaDinoponera lucidaFormiga gigante25Elaboração do plano de manejodo ouriço-preto (Chaetomyssubspinosus)Chaetomys subspinosusOuriço preto26Estudos para o manejo deLeopardus tigrinusLeopardus tigrinusGato-do-matoGlaucidium mooreorum1827Aves endêmicas do Centro dePernambuco, uma propostapara o manejo e conservaçãoPhilydor novaesiTerenura sickiMyrmotherula snowiSynallaxix infuscataLimpa-folha-do-nordesteZidedê-do-nordesteChoquinha-de-AlagoasTatacPhylloscates ceciliaeCara-pintadaTangara fastuosaPintor-verdadeiro28Distribuição, densidade e umaproposta de manejo paraLeptagrion acutum(Coenagrionidae: Odonata)Leptagrion acutumLibélula29Plano de manejo do SoldadinhodoAraripe AntilophiabokermanniAntilophia bokermanniSoldadinho-do Araripe30Elaboração do plano de manejoda espécie ameaçada dafauna brasileira - Paridesburchellanus - Westwood (1872)- LepidopteraParides burchellanusBorboleta31Plano de manejo da tartaruga-De-penteEretmoscheles imbricataTartaruga de pente32Manejo e conservação dastartarugas marinhasChelonia mydasCaretta carettaDermochelys coriaceaTartaruga-verde, AruanãCabeçuda, Tartaruga-meio-penteTartaruga-de-couro33Manejo e conservação domuriqui em Minas GeraisBrachyteles hypoxanthusMuriqui


34Variabilidade populacional doMuriqui - Brachyteleshypoxanthus (Primates,Atelidae), em fragmentos deMata Atlântica no estado doEspírito Santo - Fase IIBrachyteles hypoxanthusMuriqui35Conservação de Brachyteles:uma síntese da ecologia dogênero e um plano de açãopara a Estação Biológica deCaratinga, MGBrachyteles hypoxanthusMuriqui36Implantação do Plano de Manejo- Amazona vinaceaAmazona vinaceaPapagaio-do-peito-roxo37Manejo e conservação domacaco Saguinus bicolorSaguinus bicolorSagui-de-duas-cores38Manejo de lagartixa-de-areiaLiolaemus lutzaeLiolaemus lutzaeLagartixa-de-areia39Manejo integrado para aconservação do mico-leãodouradoLeontopithecus rosaliaMico-leão-dourado40Manejo do lobo-guará(Chrysocyon brachyurus)Chrysocyon brachyurusLobo-guará41Implementação do plano deManejo para conservação domacaco-prego-do-peito-amarelo(Cebus xanthosternos)Cebus xanthosternosMacaco-prego-do-peito-amareloTab3. Projetos selecionados pelos Editais FNMA/PROBIO 04/2001 e Edital PROBIO/FNMA 01/2003 e as espécies estudadas.19Foto: Arquivo do projeto Conservação de Brachyteles: uma síntese da ecologia do gênero e umplano de ação para a Estação Biológica da Caratinga, MG


Espécies invasorasNº. Título Espécies Novo vulgar1Ecologia de peixes exóticos nomédio Rio DoceCichla ocellarisPygocentrus nattereriTucunaréPiranha2Água de lastro: análise de risco,plano de manejo emonitoramento de espéciesexóticas no Porto de ParanaguáVáriasMicroalgas e zooplâncton3Controle de gramíneasinvasoras no PARNA das EmasVáriasDiversos4Búfalos selvagens da REBIO doVale do GuaporéBubalus spRaça Carabao (rosilho), raçaJafarabadi5Manejo de áreas invadidas porAlgarobeirasProsopis julifloraAlgarobeira6Monitoramento edesenvolvimento de tecnologiaspara o manejo de espéciesexóticas em águas docesCichla ocellaris (C. cf.monocolus)PlagioscionsquamosissimusTucunaré comumPescada do Piauí, Corvina,Pescada branca e Pescada doParnaíbaMelanoides tuberculataMolusco2078Plano de Manejo de TupinambismerianaeManejo de Gomphrena elegansem BonitoTupinambis merianaeGomphrena elegansTeiú9Estudo de Agentes paraControle de Tecoma stansTecoma stansAmarelinho, ipêzinho de jardimTab4. Projetos selecionados pelo Edital FNMA/PROBIO 04/2001 e espécies estudadas.Foto: Ana Lúcia Prates


5UsoFoto: Gustavo Mozzersustentável e restauração dadiversidade de polinizadores autóctonesna agricultura e nos ecossistemasrelacionadosFoto: Quelmo Novaes


22Segundo a Convenção deDiversidade Biológica, o termo “diversidadebiológica” significa a variaA polinização éum serviço essencial para os ecossistemase depende principalmente das relaçõesentre espécies: a polinizada e a dopolinizador. Em muitos casos a polinizaçãoenvolve relações complexas entre planta eanimal e a redução ou perda de qualquerum dos dois afetará a sobrevivência deambos. A diversidade de espécies,inclusive nos cultivos agrícolas, dependemuito da polinização animal. Pelo menosum terço das plantas agrícolas do mundodependem da polinização fornecida porinsetos e outros animais. Outros cultivossão polinizados pelo vento ou produzemfrutos sem polinização. A polinizaçãoanimal necessita da existência de recursospara a reprodução e alimentação dos seusagentes, como remanescentes devegetação natural primitiva, não sendo,portanto, um serviço ecológico gratuito.Onde os ecossistemas relacionados estãoreduzidos ou perdidos, os polinizadorestornam-se limitados e é necessária aadoção de práticas sustentáveis de manejodas espécies para a restauração de suadiversidade.No mundo inteiro, a produçãoagrícola e a diversidade deagroecossistemas estão ameaçadas pelosdeclínios das populações de polinizadores.As principais causas para este declínio temsido a fragmentação de habitats; ouso desubstâncias químicas agrícolas eindustriais; os parasitas e as doenças; e aintrodução de espécies exóticas.A diversidade de plantas silvestres ea variabilidade de plantas cultivadasdependem da diversidade depolinizadores. Embora as abelhas sejam ogrupo mais importante de polinizadores,com mais de 25.000 espécies diferentes,morcegos, pássaros, borboletas,mariposas, moscas e besouros tambémcontribuem com este serviço. Algumasplantas recebem visitas de muitospolinizadores diferentes, enquanto outrastêm exigências específicas. O mesmoacontece com os polinizadores; alguns sãogeneralistas e outros altamenteespecializados, como é o caso de espéciesde figueiras e vespas que dependem umada outra para se reproduzirem. Diantedesta diversidade de papéis e exigências, apolinização requer investigaçõesdetalhadas e, com freqüência, a aplicaçãode práticas de manejo é complexa. Namaioria dos casos, falta conhecimentosobre as relações exatas entre espécies deplantas e seus polinizadores que,freqüentemente são bastante específicas.No Brasil, são conhecidas,aproximadamente, 2.000 espécies deabelhas polinizadoras potenciais. Omanejo de polinizadores envolve, além deprofundo conhecimento sobre a biologiadas espécies de polinizadores e depolinizadas, a identificação das causas quelevaram ao declínio daquela população e,em conseqüência, da produção dasculturas agrícolas e das técnicasdisponíveis, para que as espéciespolinizadoras se recuperem em número evoltem a ocupar áreas onde se distribuíamoriginalmente.Como, no Brasil ainda há lacunas deinformação sobre manejo de polinizadores,o Ministério do Meio Ambiente decidiuapoiar projetos que gerem informações,metodologias e práticas sobre o tema,desenvolvidos localmente.O Edital PROBIO 02/2003 permitiu aseleção de cinco propostas queobjetivavam o manejo de uma ou maisespécies polinizadoras autóctones deculturas de interesse econômico quedependessem de polinização animal,visando o uso sustentável e a restauraçãoda diversidade de polinizadores naagricultura e nos ecossistemasrelacionados e a geração de subsídios paraa formulação de políticas públicas para aconservação e utilização sustentável dadiversidade biológica no país.Foto: Rita Condé


Nº.SubprojetoInstituiçãoExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Manejando Meliponaquadrifasciata em cultivosprotegidos de tomate: umaalternativa conservacionistaInstituto de Pesquisa daMata Atlântica - IPEMA149.956,002Diagnóstico de polinizadores novale do São FranciscoCentro de PesquisaAgropecuária do TrópicoSemi-Árido108.795,003Plano de manejo parapolinizadores de fruteirasEscola Politécnica daBahia149.354,004Polinizadores de maracujás noParanáFundação da UniversidadeFederal do Paraná para oDesenvolvimento daCiência, da Tecnologia eda Cultura - FUNPAR148.230,005Diagnóstico e manejo dospolinizadores de mangabeira eaceroleiraFundação de Apoio aoDesenvolvimento daUniversidade Federal dePernambuco - FADETab5. Projetos selecionados pelo Edital PROBIO 02/2003.89.842,76O conjunto de propostas recebidasevidenciou que havia uma demandareprimida relacionada ao manejo deespécies de interesse sócioeconômico. Ouseja, espécies vegetais utilizadasextrativamente. Esta observação resultouna edição de um novo edital, Edital PROBIO01/2004, para atender a esta demanda. Oresultado foi a seleção de oito subprojetosque estão sendo executados.23Nº.1(SubprojetoPolinizadores do muriciByrsonima crassifolia ,Malpighiaceae ) em áreasnativas, Maranhão: diversidadede espécies, nidificação e seuuso sustentável na agricultura.(InstituiçãoExecutoraFundação Sousândradede Apoio aoDesenvolvimento daUFMARecursos PROBIO(R$)129.574,002Manejo de polinizadoresautóctones de açaizeiroEuterpe oleracea Mart.) naAmazônia OrientalFundação de Apoio àPesquisa e aoDesenvolvimentoAgropecuário e Florestalda Amazônia - FUNAGRI125.667,003Diagnóstico e manejo dospolinizadores de algodoeiro e(gravioleiraFundação de Apoio aoDesenvolvimento daUniversidade Federal dePernambuco - FADE149.872,004Polinizadores de araticum(Anonnaceae) no cerrado matogrossenseUniversidade do Estadode Mato Grosso -UNEMAT102.674,005Polinização do cupuaçuTheobroma grandiflorum,Sterculiaceae) na AmazôniaCentral: desenvolvimento deTécnicas para manejo dosplantios e dos polinizadoresFundação Djalma Batista57.900,00


6Manejo agrícola e riqueza depolinizadoresUniversidade EstadualPaulista - UNESP149.967,007Manejo sustentável de Xylocopaspp. (Apidae, Xylocopini),polinização e produção domaracujá-amarelo (Passifloraedulis f. flavicarpa) no triângulomineiroFundação de ApoioUniversitário -Universidade Federal deUberlândia146.008,008Polinizadores de maracujá nonorte fluminenseFundação NorteFluminense deDesenvolvimento Regional- FUNDENOR49.555,00Tab6. Projetos selecionados pelo Edital PROBIO 01/200424Foto: Gustavo Mozzer


6Elaboraçãode informes sobreespécies exóticas invasorasFoto: Magno Botelho Castelo Branco


26As espécies exóticas invasoras sãoorganismos que se encontram fora da suaárea de distribuição natural e que ameaçama diversidade biológica. Além de causaremenormes prejuízos econômicos,constituem uma das principais ameaças àbiodiversidade e aos ecossistemasnaturais, além dos riscos à saúde humana.São consideradas a segunda causa deextinção de espécies no mundo, atrásapenas da perda de habitat. A crescenteglobalização, com o incremento dotransporte, do comércio e do turismointernacional, o início das mudançasclimáticas causadas pelo efeito estufa emudanças no uso da terra tendem a ampliaras oportunidades de introdução eexpansão de espécies exóticas invasorasna América do Sul.No Brasil já se conhecem algunsexemplos marcantes dos efeitos deletériosdas espécies exóticas invasoras, como ocaso do mexilhão-dourado (Limnopernafortunei), bivalve asiático que vemcausando problemas sérios nas águascontinentais da região Sul do país e mesmoo caso de espécies da fauna brasileira,como o tucunaré (Cichla ocellaris), peixecarnívoro originário da bacia amazônica,introduzido nos rios e reservatórios daregião sudeste e nordeste, onde causasérios danos à ictiofauna local.A ecologia e controle das espéciesinvasoras são temas complexos, queenvolvem desde os meios de entrada edispersão destas espécies, passando pelascaracterísticas biológicas que as tornaminvasoras, pela relação entre as atividadeshumanas e sua disseminação, os impactossócioeconômicos (positivos (ou) negativos)que causam, até aspectos legais e técnicasde manejo.Em agosto de 2003, foi lançada umacarta-consulta para a seleção desubprojetos visando a produção deinformes sobre espécies exóticasinvasoras, atuais ou potenciais, que afetamos ambientes terrestre, marinho, as águascontinentais, a saúde humana e ossistemas de produção (agricultura,pecuária e silvicultura). Estes informesservirão de base para a produção, peloMinistério do Meio Ambiente, de umInforme Nacional sobre Espécies ExóticasInvasoras, que será o primeiro diagnósticonacional sobre a distribuição destasespécies e a capacidade instalada no paíspara tratar o problema. A partir destediagnóstico, o Ministério do Meio Ambientepodedefinir medidas concretas para aprevenção e o controle de espéciesexóticas invasoras no país. Os subprojetosem andamento são os seguintes:Nº.SubprojetoInstituiçãoExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Organismos que afetam oambiente marinhoFundação de Estudos ePesquisas Aquáticas -FUNDESPA149.776,402Informe sobre espécies exóticasinvasoras: organismos queafetam o ambiente terrestreThe Nature Conservancy -TNC149.974,003Espécies exóticas invasorasque afetam a saúde humanaFundação para oDesenvolvimento Científicoe Tecnológico em Saúde -FIOTEC149.841,784Informe sobre espécies exóticasinvasoras - sistemas deprodução da agricultura,pecuária e silviculturaFundação de Apoio àPesquisa e aoAgronegócio - FAGRO150.000,005Informe sobre espéciesinvasoras que afetam as águascontinentais (fauna, flora eMicroorganismos)Fundação ArthurBernardes - FUNARBE147.574,80Tab7. Projetos selecionados para elaboração do informe nacional sobre espécies exóticasinvasoras.


Foto: Daniela Oliveira7LevantamentoFoto: Rita Condédos remanescentesda cobertura vegetal dos biomasbrasileiros


28Devido a sua dimensão continental eà grande variação geomorfológica eclimática, o Brasil apresenta uma grandevariedade de ambientes naturais. Estavariação ambiental levou à constituição deum complexo conjunto de ecossistemas euma significativa diversificação da fauna eflora que fazem com que o país possua amaior riqueza biológica do mundo,abrigando entre 10% a 20% de 1,5 milhãode espécies já catalogadas.Considerando o fato de que a maiorparte da biodiversidade mundial ainda estápor ser descoberta, e que os paísesdesenvolvidos estão muito à frente emtermos de inventários biológicos, estima-seque as descobertas no Brasil elevarãosignificativamente a posição do país nestasestatísticas, baseadas nos númerosdisponíveis atualmente.A análise da situação deconservação e ameaça dos biomasbrasileiros não é uma tarefa simples. Hápoucas informações qualificadasdisponíveis e, quando existem, elas nãoestão organizadas de forma uniforme,dificultando uma avaliação comparativa,e/ou apresentam dados controversos. Alémdestes problemas, há uma grandediferença em termos de qualidade equantidade de informações sobre osdiferentes biomas. A Amazônia e a MataAtlântica são os que possuem maiorquantidade de dados e são os únicos quesão objeto de programas permanentes demonitoramento da evolução da coberturavegetal.A fim de realizar um levantamentodas iniciativas de mapeamento existentesnos biomas, completar lacunas deconhecimento e atualizar dados, o PROBIOlançou o Edital 2/2004 “Levantamento dosremanescentes da cobertura vegetal dosbiomas brasileiros” o qual selecionousubprojetos que tratassem dolevantamento da cobertura da vegetaçãodos remanescentes dos biomas brasileiros,na escala 1:250.000, e que gerassemsubsídios para a formulação de políticaspúblicas para a conservação e utilizaçãosustentável da diversidade biológica nopaís. Foram selecionados cincosubprojetos.Nº.SubprojetoInstituiçãoExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Levantamento e mapeamentodos remanescentes dacobertura vegetal do biomaPantanal, período de 2002, naescala de 1:250.000EMBRAPA InformáticaAgropecuária - CNPTIA139.850,002Levantamento da coberturavegetal e do uso do solo dobioma CaatingaAssociação Plantas doNordeste - APNE355.975,363Levantamento dosremanescentes da coberturavegetal do bioma CerradoFundação de apoio àPesquisa e aoAgronegócio - FAGRO682.663,004Remanescentes do biomaCampos SulinosFundação de Apoio daUniversidade Federal doRio Grande do Sul -FAURG145.528,005Uso e cobertura da terra naFloresta AmazônicaFundação de Ciência,Aplicações e TecnologiaEspaciais - FUNCATE511.402,80Tab8. Projetos selecionados pelo Edital PROBIO 02/2004 para mapeamento dos remanescentesflorestais.


8Plantasdo FuturoFoto: Ana Lúcia Prates


Fotos: Rita Condé30A biodiversidade é a base dasatividades agrícolas, pecuárias, pesqueirase florestais e, também, para a estratégicaindústria da biotecnologia. Apesar da ricabiodiversidade brasileira, grande parte dasatividades agrícolas no país está baseadaem espécies exóticas. Portanto, éfundamental que sejam intensificadosinvestimentos na busca de um melhoraproveitamento da riqueza natural quedispõe.A utilização da biodiversidadedepende da disponibilidade de matériaprima,de investimentos em tecnologias eda criação de mercados. A exploraçãofarmacológica da biodiversidade brasileira,por exemplo, está em seu início, com muitocampo aberto à pesquisa de novosrecursos genéticos. Sabe-se que,atualmente, os fitoterápicos representamaproximadamente 25% do mercadomundial, o que implica em umamovimentação financeira, para produtosderivados de recursos genéticos, situadaentre US$ 500 e 800 bilhões anuais. Aexploração comercial de componentes dopatrimônio genético requer e envolveatividades diversificadas, como abioprospecção, a pesquisa, a produção, atransformação e a comercialização de umagama de produtos, incluindo alimentos,fármacos e fitoterápicos, cosméticos,fibras, madeiras, entre outros.A utilização comercial de recursosgenéticos autóctones é ainda incipiente noBrasil, apesar da existência de um númeroelevado de espécies já domesticadas, ouem processo de domesticação, queremontam aos primeiros povosamericanos. A domesticação de plantasnativas, incluindo aquelas já conhecidas ecomercializadas por populações locais eregionais, porém com pouca penetração nomercado nacional ou internacional, é umagrande oportunidade a ser explorada. NoBrasil, essa riqueza permanecesubutilizada, particularmente em razão depadrões culturais impostos e fortementearraigados, que privilegiam produtos ecultivos exóticos. N o e n t a n t o , o smercados mais expressivos, tantonacionais como internacionais, estãoávidos por novas opções de produtos,razão pela qual os recursos biológicos egenéticos do Brasil apresentam enormepotencial para satisfazer estas demandasde mercado e gerar riquezas. Nestecontexto, iniciativas dedicadas a atenderdemandas de mercado por novos produtosocupam, cada vez mais, posição dedestaque no cenário nacional einternacional.Visando contribuir parapotencializar a utilização sustentável dabiodiversidade brasileira, hoje subutilizada,o PROBIO lançou uma carta-consulta queteve como objetivo apoiar subprojetosobjetivando a identificação, a priorização, ea divulgação de informações sobre o uso deespécies de plantas nativas, de importânciaeconômica atual ou potencial, em benefícioda sociedade, abrangendo as cinco regiõesgeopolíticas brasileiras (Norte, Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul).Os subprojetos visam agregar edisponibilizar informações provenientes dediferentes fontes para uso direto pelo setoragrícola e para criar outras oportunidadesde investimentos, com a geração de novosprodutos. Cada subprojeto irá gerar umportfolio, que conterá, entre outrasinformações, a descrição detalhada decada espécie, as características agro-ecoflorestais,potencial de uso econômico easpectos fitossanitários. O portfolio comabrangência regional, servirá de base paraa definição de estratégias para ampliar oaproveitamento de cada espéciepriorizada, de importância econômica atualou potencial, além de impulsionar o setorempresarial com novas oportunidades deinvestimento.


Foto: Sérgio PamplonaNº.SubprojetoInstituiçãoExecutoraRecursos PROBIO(R$)1A flora de importânciaeconômica atual ou potencialna região NorteMuseu Paraense EmílioGoeldi - MPEG275.840,882Espécies da flora nordestinade importância econômicaPotencialAssociação Plantas doNordeste - APNE277.971,603Plantas do futuro - regiãoCentro OesteEMBRAPA RecursosGenéticos e Biotecnologia- EMBRAPA - CENARGEN279.947,004Identificação e divulgação deinformações sobre espécies deimportância econômica atual oupotencial, para uso direto e/oupara ampliar a utilizaçãocomercial, com vistas afomentar o desenvolvimento deprodutos voltados para omercado interno e deexportação - região SudesteFundação Biodiversitaspara a Conservação daDiversidade Biológica279.591,345Identificação e divulgação deinformes sobre espécies daflora da região Sul deimportância econômica atual oupotencial para uso direto e (ou)para ampliar a utilizaçãocomercial, com vistas afomentar o desenvolvimento deprodutos voltados para omercado interno e deexportação.Fundação de Amparo aPesquisa e ExtensãoUniversitária279.429,3331Tab9. Projetos selecionados para identificação das plantas do futuro.


32Foto: Gustavo Mozzer


Foto: Cacau OliveiraFoto: Arquivo do projeto Conservação de Brachyteles: uma síntese da ecologia do gênero e um plano de ação para a EstaçãoBiológica da Caratinga, MG9Mudanças Climáticase Biodiversidade


34Desde 1995, o IntergovernamentalPanel on Climate Change - IPCC vemampliando suas áreas de interesse paraalém do entendimento dos mecanismosque levam às alterações climáticas,desdobrando-se na avaliação dos impactosdas Mudanças Climáticas Globais - MCGsobre a biodiversidade e os ecossistemasnaturais ou antropizados, tanto sobresetores do processo produtivo como, porexemplo, sobre a macroeconomia, a saúdepública, a oferta de energia ou de emprego.Considerando os avanços científicoselaborados pelos relatórios do IPCC,pesquisadores, tomadores de decisão empolíticas públicas e conservacionistas, demaneira consensual, assumiram que oclima da terra está mudando. As emissõesantrópicas de gases de efeito estufaprovocam uma maior dinâmicaatmosférica, ampliam a instabilidade dosecossistemas e aceleram as taxas naturaisde extinção de espécies. Entretanto, amaior parte das estratégias empregadasatualmente para conservação e manejo dabiodiversidade está ancoradas em umavisão climática estática. Ou seja, o clima dofuturo é considerado igual ao clima dopresente. Evidências do passado ecenários climáticos futuros, derivados dosmodelos de mudanças climáticas globais,atestam que esta premissa é distorcida - oclima e a relação entre biodiversidade epadrões climáticos mudaram através dostempos geológicos e continuam sealterando em uma escala de tempohumana.Os diversos cenários de emissõesde gases de efeito estufa para os próximos100 anos indicam a possibilidade deimpactos climáticos significativos sobre osecossistemas planetários e no Brasil. Se astendências de crescimento das emissõesse confirmarem, os modelos climáticosindicam que poderá ocorrer aquecimentode 4º a 6ºC em partes do País(principalmente, na Amazônia) até o final doséculo XXI. Há ainda muita incerteza comrelação às possíveis mudanças naprecipitação pluviométrica e quanto amodificações na freqüência de extremosclimáticos (secas, inundações, geadas,tempestades severas, vendavais, granizo,etc.). De qualquer maneira, parece certoque o País estará sujeito a impactosclimáticos adversos. Ecossistemasnaturais podem ser vulneráveis a estesimpactos climáticos.Os impactos das mudançasclimáticas nas espécies e nosecossistemas refletem sobre aconservação da biodiversidade. Asalterações climáticas do passado sãoconhecidas por corresponderem a grandesmudanças na composição das espécies emuma comunidade ou em episódios demega-extinção de fauna e flora. Com asmudanças climáticas aceleradas pelasatividades antrópicas, estratégias deconservação devem ser desenvolvidaspara responder às esperadas mudanças nadistribuição, fisiologia e ecologia dasespécies.Assim, o PROBIO lançou três cartasconsultavisando apoiar subprojetos quecontribuam para a avaliação dos impactosdas Mudanças Climáticas Globais sobre osecossistemas brasileiros, que possamresultar na identificação: (1) das tendênciasde alterações na distribuição dos biomasterrestres; (2) das tendências de alteraçõesinternas nos ecossistemas terrestres; (3)dos efeitos da elevação do nível do mar edo aquecimento do oceano sobre osecossistemas naturais costeiros.Nº. Subprojeto Instituição ExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Os efeitos da elevação do nível do mardecorrentes do aquecimento global daatmosfera, nos ecossistemas brasileiros:o sistema Cananéia-Iguape, litoral suldo Estado de São PauloInstituto Oceanográfico daUniversidade de São Paulo99.172,002Proposta de diagnóstico sobre os efeitosda elevação do nível do mar decorrentedo aquecimento global da atmosfera nosecossistemas costeiros brasileiros: subregiãodo litoral das regiões sudeste e sul- estudo de caso da baía e estuário deSantos e São Vicente (SP)Fundação Centro Tecnológicode Hidráulica99.922,00


3Estudo de caso da Ilha dos Marinheiros,estuário da Laguna dos Patos, RS, Brasil:diagnóstico ambiental, modelo deelevação digital e avaliação davulnerabilidade frente a cenários deelevação do nível do marFundação de Apoio àUniversidade de Rio Grande74.724,00Tab10. Projetos selecionados para elaboração de diagnóstico sobre os efeitos da elevação do nível domar decorrente do aquecimento global da atmosfera nos ecossistemas costeiros brasileiros.Nº. Subprojeto Instituição ExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Caracterização do clima atual edefinição das alterações climáticas parao território brasileiro ao longo do séculoXXIInstituto de PesquisasEspaciais - INPE276.866,00Tab11. Projetos selecionados para caracterização do clima atual e definição das alterações climáticaspara o território brasileiro ao longo do século XX.Nº. Subprojeto Instituição Executora1Diagnóstico da saúde ambiental deecossistemas recifais da costa brasileiracom a utilização de foraminíferosbentônicosRecursos PROBIO(R$)Fundação Euclides da Cunha 99.931,40352PROBAC - Proteínas de choque térmicocomo bioindicadoras de alteraçãoclimáticaFundação de Apoio daUniversidade de Rio Grande -FAURG89.117,003Diagnóstico de alterações devido aoimpacto das mudanças climáticas sobreo ecossistema costeiro temperadobrasileiro (Rio Grande do Sul) através davegetação e do macrozoobentosFundação Universidade doRio Grande - FURG67.472,164A diversidade e abundância de peixesem zonas rasas estuarinas comoindicadores sensíveis a parâmetrosclimáticos regionais e globais: osestuários do Rio Grande do Sul como umestudo de casoFundação de Apoio daUniversidade de Rio Grande -FAURG99.205,695Levantamento de indicadores sensíveis aparâmetros climáticos no PantanalFundação Dalmo Giacometti 98.910,00Tab12. Projetos selecionados para levantamento de indicadores sensíveis a parâmetros climáticos.


36Foto: Miguel Rodrigues


à realização de estudospara elaboração de roteirometodológico de planejamento10Apoiode corredores ecológicosFoto: Rita Condé


38No processo de desenvolvimentonacional, a perda de ecossistemas naturaise a fragmentação em manchas isoladassão desafios que se apresentam econstituem as mais importantes ameaças àconservação da biodiversidade no país eno mundo. A fragmentação deecossistemas tem por efeito o isolamentode populações da biota. Algumas áreas sãosimplesmente pequenas demais para quedetenham os requisitos necessários àmanutenção da variabilidade genética epara resistir a eventos aleatórios, comodoenças, enchentes, incêndios e outros,que podem conduzir a extinções locais.Por outro lado, a ampliação dasescalas de abrangência dos programas deconservação e desenvolvimento, de modoa englobar ecossistemas inteiros,representa uma das mais atuais eavançadas abordagens, ao alcance dosplanejadores, ao orientar o manejo para aconservação de blocos inteiros depaisagens.A implementação de corredoresecológicos, por meio da abordagemecossistêmica, constitui-se em opçãoapropriada para minimizar, ou até mesmo,solucionar o isolamento dessas áreas epara a implementação de políticas públicasque busquem a conciliação entre aconservação da biodiversidade e asdemandas da sociedade sobre os recursosnaturais.Experiências de implementação decorredores ecológicos coordenadas porinstituições governamentais, nos níveisfederal, estadual e municipal, e nãogovernamentais,institutos de pesquisa,universidades, entre outros, estão emcurso nos diferentes biomas brasileiros. OIBAMA promoveu, em 1991, um semináriosobre corredores ecológicos no Brasil, combase nas experiências práticas de gestãobiorregional existentes no país. O objetivofoi reunir subsídios e indicativos, para aconstrução de uma proposta comum deconceito, metodologia e gestão decorredores ecológicos, que promovesseuma maior interação entre os atoresenvolvidos no processo e facilitasse aintegração entre as diferentes iniciativasem curso. Durante o Seminário foiconstatada a necessidade deestabelecimento de um roteirometodológico para planejamento,implantação, monitoramento e gestão decorredores ecológicos que retratasse oacúmulo de experiências brasileiras. Parapreencher esta lacuna, o PROBIO apóia umsubprojeto que cujo objetivo é revisar eanalisar as metodologias existentes para oplanejamento, a implementação, omonitoramento e a gestão de corredoresecológicos e elaborar um roteirometodológico que incorpore asmetodologias e experiênciasdesenvolvidas e acumuladas nesta área eque desse acervo resulte a consolidação deum novo paradigma a ser utilizado nosprojetos de corredores ecológicos.Nº. Subprojeto Instituição Executora1Revisão e análise das metodologiasexistentes para o planejamento,implementação, monitoramento e gestãode corredores ecológicos e elaboraçãode roteiro metodológicoAssociação de Defesa Etno-Ambiental KanindéTab13. Projeto selecionado para elaboração do Roteiro Metodológico.Recursos PROBIO(R$)149.963,00


Foto: André StellaFoto: André Stellae mapeamento da distribuiçãogeográfica e conservação dos parentes silvestres edas raças locais/variedades crioulas das principais11Identificaçãoespécies plantas cultivadas no país


40Apesar de o Brasil ser o maiordetentor da biodiversidade do planeta, umaparte significativa das atividadeseconômicas do País depende de espéciesexóticas. A agricultura nacional, porexemplo, está baseada nos recursosgenéticos da cana-de-açúcar provenienteda Nova Guiné, do café da Etiópia, do arrozdas Filipinas, da soja e da laranja da China,do cacau da América Central e México e dotrigo da Ásia Menor, entre outras. Asilvicultura nacional depende de eucaliptosda Austrália e de pinheiros da AméricaCentral. Considera-se fundamental,portanto, que o país estimule a criação denovos programas de pesquisa eintensifique a implementação de ações,envolvendo os diversos setores dasociedade, para a caracterização e a buscade um melhor aproveitamento dabiodiversidade brasileira e dos seusrecursos genéticos.A conservação dos recursosgenéticos das plantas cultivadas - aquelasutilizadas na alimentação e seus parentessilvestres - tem sido uma das questõesmais importantes e controvertidas para ahumanidade. Vive-se em um mundo ondese prevê, ainda, um grande incremento dapopulação. Além disso, as mudançasclimáticas em curso poderão gerar,também, grandes embaraços ao ambiente,compelindo a algumas modificações naagricultura. É essencial, para asobrevivência humana, a dedicação desuficientes esforços para a conservaçãodos recursos genéticos, de modo a tornálosdisponíveis para sua utilização, comonovas opções para o agricultor, bem como,também, em programas de melhoramentoque visem a produção de culturas novas emelhoradas, com as quais se poderá contarno futuro.Muitas espécies, das quais foramselecionadas as plantas cultivadas,continuam ainda sobrevivendo emcondições naturais. O mesmo acontececom as espécies silvestres afins. Esse“pool” de espécies silvestres constitui osparentes silvestres das plantas cultivadas.Apesar de ainda estarem evoluindo nanatureza, os parentes silvestres vivem sobregras muito diferentes em relação àsculturas, sobrevivendo os mais adaptados.Muitos parentes silvestres evoluíram parasobreviver à seca, às inundações, ao calore ao frio extremos, e adaptaram-se paraenfrentar as diferentes condições adversasda natureza. Freqüentemente, muitasdestas espécies desenvolveramresistências às pragas e às doenças quecausam tantos danos às culturas afins.Estas são algumas das razões porque osparentes silvestres das plantas cultivadas esuas raças locais/variedades crioulas sãode tanto valor para a humanidade.É nesse sentido que o MMA, pormeio do PROBIO, vem apoiando propostasvisando a identificação dos parentessilvestres, bem como das raçaslocais/variedades crioulas de algumas dasprincipais espécies de plantas cultivadas noPaís; o levantamento das áreas deocorrência; o mapeamento da distribuiçãogeográfica de cada um dos parentessilvestres identificados e das raçaslocais/variedades crioulas; avaliação dascondições de conservação dessasespécies e das raças locais/variedadescrioulas e a indicação de ações que devemser desenvolvidas para a manutenção e omelhor aproveitamento desse acervogenético. A identificação e o mapeamentodas raças locais/variedades crioulaspermitirão, ainda, o conhecimento darealidade da conservação on farm, além deviabilizar a organização de estratégias demanutenção e minimizar as perdas derecursos genéticos.Espera-se que o resultado dessetrabalho subsidie as decisões que estãosendo tomadas no País com OrganismosGeneticamente Modificados (OGMs),especialmente pela Comissão TécnicaNacional de Biossegurança (CTNBio),particularmente no que se refere àliberação desses organismos no meioambiente. Espera-se, também, que asinformações resultantes dos subprojetos,com ênfase para a distribuição geográficados parentes silvestres das principaisespécies cultivadas, das raçaslocais/variedades crioulas, venhamcontribuir significativamente para a tomadade decisão relativa ao zoneamento daszonas de exclusão de transgênicos, demodo a preservar os direitos de terceiros eminimizar os impactos sobre componentesda diversidade biológica, particularmentedas espécies silvestres e das raçaslocais/variedades crioulas.São objetivos gerais dossubprojetos: a) identificação emapeamento da distribuição geográficados parentes silvestres e das raçaslocais/variedades crioulas das principais


espécies de plantas cultivadas no País; b)avaliação das condições de conservação,tanto ex situ quanto in situ, dos parentessilvestres das espécies cultivadas; c)proposição de mecanismos para ampliaçãodo uso, quer diretamente pelo agricultor,quer por meio do melhoramento genético;d) proposição de medidas efetivas para apreservação, a curto, médio e longo prazos,de cada parente silvestre, bem como dasraças locais/variedades crioulas.Foto: André StellaNº. Subprojeto Instituição ExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Prospecção e caracterização depopulações das espécies do gêneroGossypium nativas ou naturalizadas doBrasilEMBRAPA Algodão 99.917,192Identificação e mapeamento dadistribuição geográfica e caracterizaçãoda diversidade biológica das espéciesbrasileiras de Arachis (Leguminosae),com vistas à conservação permanente eem condições adequadas dos parentessilvestres e das raças locais ouvariedades crioulas do amendoim(Arachis hypogaea L.)EMBRAPA CENARGEN 75.885,94413Coletar, conservar e analisar os acessosde variedades tradicionais e espéciessilvestres de arroz coletadas no BrasilEMBRAPA Arroz e Feijão 66.151,004Pupunha - raças primitivas e parentessilvestresFundação Djalma Batista 96.345,525Diagnóstico participativo sobredistribuição geográfica, condições deconservação e diversidade genética deCucurbita spp.EMBRAPA CENARGEN 74.966,666Diagnóstico das condições dogermoplasma das espécies silvestres eraças locais ou variedades crioulas damandioca.EMBRAPA CENARGEN75.000,007Identificação e mapeamento dadistribuição geográfica e caracterizaçãoda diversidade biológica das espéciesbrasileiras da Anacardium(Anacardiaceae), com vistas àconservação dos parentes silvestres edas raças locais ou variedades crioulasdo cajueiro (Anacardium occidentale L.)EMBRAPA AgroindústriaTropical75.000,008Identificação de variabilidade existenteem bancos de germoplasma de milho noBrasil e comparação com a coleçãomantida na EMBRAPAEMBRAPA Milho e Sorgo 68.927,50Tab14. Projetos selecionados para mapeamento de parentes silvestres e raças locais/variedades crioulas


42Foto: André Stella


para identificação das instituições,incluindo os movimentos sociais e as organizaçõesnão governamentais, envolvidas com a conservaçãoex situ, on farm e in situ de recursos genéticos da12Levantamentoflora, da fauna e dos microorganismos.Foto: Cacau Oliveira


44Nas últimas décadas as atividadesligadas à conservação dos recursosgenéticos no País tiveram grandecrescimento, assegurando posição dedestaque entre os países tropicais.Atividades desenvolvidas por órgãos comoa EMBRAPA Recursos Genéticos eBiotecnologia, bem como por outrasunidades de pesquisa foram fundamentaispara o avanço brasileiro na conservação eutilização de recursos genéticos.Paralelamente, o País experimentouavanços significativos na implantação deUnidades de Conservação, ampliandofortemente a conservação in situ dabiodiversidade e promoção da utilizaçãosustentável dos recursos genéticosnativos. A conservação on farm é aindabastante fragmentada, apesar de ser umdos métodos mais tradicionais no País,sendo conduzida, basicamente, porcomunidades locais e populaçõesindígenas. Somente nos últimos anos é queeste tipo de conservação ganhouimportância, passando a ser maisreconhecida pelos setores acadêmicos egovernamental. A sociedade civilorganizada, atualmente, exerce liderançana conservação on farm no País,promovendo o uso sustentável e,principalmente, a troca dos recursosgenéticos entre os agricultores, dentro eentre comunidades.Contudo, apesar de todo esseavanço, deve-se reconhecer que osesforços voltados à conservação dosrecursos genéticos no País encontram-se,ainda, bastante isolados. Basicamente, sãodesenvolvidos por instituições federais eestaduais, por organizações sociais e porcomunidades locais. Além disso, falta aoPaís um inventário do trabalho conduzidopor essas instituições, incluindo osmovimentos sociais e as organizações nãogovernamentais,particularmente no quediz respeito às instituições que mantémessas coleções de recursos genéticos, àsespécies/populações conservadas, à infraestruturaexistente em cada uma dessascoleções, bem como às necessidadesrelativas à conservação desses materiaisem curto, médio e longo prazos. Por estarazão, o PROBIO lançou uma carta-consulta,com a finalidade básica de coletarinformações relativas à conservação ex situe in situ de recursos genéticos no País, bemcomo dos recursos genéticos que sãocultivados ou utilizados por comunidadeslocais e populações indígenas,especialmente no que se refere àsvariedades de plantas cultivadas e às raçasde animais crioulas (conservação on farm).Considera-se que os dados obtidos serãode fundamental importância para que oMinistério do Meio Ambiente possa, emparceria com outras áreas do governo e osdiversos setores da sociedade,desenvolver políticas e propor açõesvoltadas à melhoria das condições deconservação dos recursos genéticos(coleções in situ e ex situ), à promoção doresgate e da troca e ao uso sustentável daagrobiodiversidade (on farm).Nº. Subprojeto Instituição ExecutoraRecursos PROBIO(R$)1Realização de levantamento paraidentificação das instituições, incluindo osmovimentos sociais e as organizaçõesNão-governamentais, envolvidas com aconservação ex situ, on farm e in situ derecursos genéticos da flora, da fauna edos microrganismos.Centro Nacional de RecursosGenéticos e BiotecnologiaCENARGEN/EMBRAPA99.608,00Tab15. Projeto selecionado para levantamento de informações na região Centro-oeste.


Foto: Cacau Oliveirade material educativo e instrucionalsobre biodiversidade brasileira, espécies da faunabrasileira ameaçadas de extinção, fragmentação deecossistemas, biomas brasileiros, espécies13Elaboraçãoinvasoras e unidades de conservaçãoFoto: José Sabino


Foto: Daniela OliveiraO PROBIO vem, desde 1996,apoiando uma enorme gama desubprojetos, para o conhecimento econservação da biodiversidade brasileira.Apesar disso, fatores diversos, como aperda de habitats, a fragmentação deecossistemas, o problema das espéciesinvasoras, entre outros, têm causado umaenorme perda dessa diversidade,extinguindo espécies, não só no Brasil,como em todo o mundo. Torna-se evidenteque para uma reversão do atual quadro,configurado como uma gigantesca tarefa, énecessário também levar o conhecimentogerado sobre temas específicos quecontribuem para a conservação dabiodiversidade a um amplo público, comvistas a aliar, igualmente ao conhecimento,as práticas educacionais. É consenso queum dos mais importantes instrumentos paraa mitigação e reversão da situação deveráser o esclarecimento e a divulgação doproblema, acompanhado de amplascampanhas educativas. A disseminação daimportância da biodiversidade e outrostemas relacionados a um público maisamplo surgem da constatação da dimensãoe gravidade de sua perda e temascorrelatos.O objetivo do subprojeto apoiado é aprodução de informes sobre abiodiversidade brasileira, as espécies dafauna brasileira ameaçadas de extinção(constantes da lista oficial), a fragmentaçãode ecossistemas, os biomas brasileiros, asespécies invasoras e as Unidades deConservação. Para tanto serão produzidosportfolios para cada tema e uma cartilhapara professores/instrutores, que incluirásugestões de atividades a seremdesenvolvidas com alunos do ensinofundamental e comunidades. Este materialcontribuirá com o Programa Nacional deEducação Ambiental - ProNEA/MMA e coma Diretoria de Educação Ambiental doMinistério da Educação.46Nº. Subprojeto Instituição Executora1Elaboração de material educativo einstrucional sobre biodiversidade brasileira,espécies da fauna brasileira ameaçadas deextinção, fragmentação de ecossistemas,biomas brasileiros, espécies invasoras eunidades de conservaçãoFundação Universidade deBrasíliaTab16. Projeto selecionado para a elaboração do material educativoRecursos PROBIO(R$)279.970,28


14 Publicaçõesdo PROBIOFoto: Cláudio Savaget


Em atendimento ao objetivo docomponente “A” do PROBIO, no que serefere ao “Levantamento de Informações eDisseminação dos Resultados”, o projetovem promovendo a divulgação edisseminação de resultados dossubprojetos apoiados, visando a atingir umamplo público e contribuir para ainformação de uma clientela formada portécnicos, executivos, estudantes e públicoem geral. A disseminação da importânciada biodiversidade e outros temasrelacionados a um público mais amplosurgem da constatação da dimensão egravidade da perda biodiversidade e temascorrelatos.Biodiversidade brasileira: avaliação e identificaçãode áreas e ações prioritárias para a conservação,utilização sustentável e repartição de benefícios dabiodiversidade brasileira.48O desenvolvimento dos cincosubprojetos que tiveram como objetivoavaliar e identificar áreas e açõesprioritárias para a conservação dos biomasbrasileiros - Floresta Amazônica, Cerrado ePantanal, Caatinga, Floresta Atlântica eCampos Sulinos e Zona Costeira e Marinha- foi uma das mais bem sucedidasiniciativas do PROBIO, e cujos resultadosainda repercutem. Com seudesenvolvimento, pela primeira vez, foipossível identificar as áreas prioritáriaspara conservação da biodiversidade,avaliar os condicionantes socioeconômicose as tendências atuais da ocupaçãohumana do território brasileiro, bem comoformular as ações mais importantes paraconservação dos nossos recursos naturais.O trabalho organizou informações sobretodos os biomas, que se encontravamdispersas em dezenas de órgãos públicos einstituições privadas, e gerou umconsiderável acervo que constituiu, paraalguns dos biomas brasileiros, o primeirotrabalho do gênero.O envolvimento de diferentesinstituições, nacionais e internacionais, depesquisadores de todas as regiões do País,mostrou-se também um esforço inéditopara gerar informações que permitiram aadoção de ações capazes de proporcionargrande avanço no conhecimento e naefetiva proteção da biodiversidadebrasileira.Este livro sintetiza e consolida osresultados obtidos, de forma a poderdivulgá-los, amplamente para tomadoresde decisão, proponentes e executores deprojetos, instituições de ensino, depesquisa e de extensão, entre outros.


Fragmentação de Ecossistemas: causas, efeitos sobre abiodiversidade e recomendações de políticas públicasMinistério do Meio AmbienteFragmentação de EcossistemasCausas, Efeitos sobre a Biodiversidade eRecomendações de Políticas Públicas6Este livro expõe os resultados dossubprojetos apoiados em resposta ao Edital01/1997, “Fragmentação de EcossistemasNaturais”, quando foram desenvolvidas 15propostas que apresentaram variados e ricosenfoques de abordagem ao tema proposto e queresultaram também em recomendações depolíticas públicas para mitigar os efeitos da perdada biodiversidade, causada pela fragmentaçãodos ecossistemas brasileiros.Os projetos, todos já finalizados, e asinstituições que os executaram foram osseguintes:1.Conservação, manejo e restauração defragmentos de Mata Atlântica no Estado do Riode Janeiro: mamíferos como táxon focal para aformulação de estratégias. Associação Mico-leãoDourado.2.Efeito do processo de fragmentaçãoflorestal na sustentabilidade de algunsecossistemas periféricos aos eixos rodoviáriosno sudoeste acreano. EMBRAPA Acre.3.A fragmentação e a qualidade da dietado primata folívoro endêmico da FlorestaAtlântica. Fundação BIORIO.4.Efeito da fragmentação de áreas úmidasnas populações de aves limícolas migratóriasintercontinentais: uma análise sobre oscorredores migratórios no norte do BR.Fundação de Amparo e Desenvolvimento daPesquisa - FADESP.5.Efeitos da fragmentação de habitatsobre populações de mamíferos no médio ebaixo Tapajós, Pará. Fundação de Amparoe Desenvolvimento da Pesquisa - FADESP.6.Estratégia para conservação emanejo de biodiversidade: fragmentos deflorestas semidecíduas. Fundação DalmoGiacometti.7.Fragmentação natural e artificialde rios: comparação entre os lagos domédio Rio Doce (MG) e as represas domédio Tietê (SP). FAI-UFSCar.8.Estudos de conservação erecuperação de fragmentos florestais daAPA de Camanducaia. Fundação deDesenvolvimento da Pesquisa - FUNDEP.9.Efeitos temporais e espaciais dafragmentação de habitats em populaçõesde insetos e pássaros: subsídios para omanejo e conservação de florestas.Fundação de Desenvolvimento daPesquisa - FUNDEP.10.Estrutura e dinâmica da biota deisolados naturais e antrópicos do cerrado.Fundação de Empreendimentos Científicose Tecnológicos - FINATEC.11.Conservação do bioma florestacom araucária. Fundação de PesquisasFlorestais - FUPEF.12.Remanescentes de florestas naregião de Una - RESTAUNA. Fundação Pau49


Brasil - FUNPAB.13.A fragmentação sutil, um estudona mata atlântica. Fundação UniversitáriaJosé Bonifácio - FUJB.14.Abordagens ecológicas einstrumentos econômicos para oestabelecimento do corredor dodescobrimento: uma estratégia para revertera fragmentação florestal na mata atlântica dosul da Bahia. Instituto de Estudos Sócio-Ambientais do Sul da Bahia - IESB.15.Ilhas de biodiversidade comocorredores na restauração da paisagemfragmentada do Pontal do Paranapanema,São Paulo. Instituto de PesquisasEcológicas - IPÊ.Estiveram envolvidas na execuçãodesses projetos mais de 50 instituiçõesgovernamentais (em suas diferentesesferas) e não-governamentais, contandocom a participação de 315 pesquisadoresseniores, pós-doutorandos, alunos de pósgraduaçãode mestrado e doutorado ealunos de graduação, além de técnicos denível superior e médio.Para sintetizá-los e divulgá-los paraa sociedade brasileira o PROBIO elaborouesta publicação, que apresenta resultadosconsistentes e que muito contribuem para aformulação e ajuste das políticas públicasrelacionadas à conservação dabiodiversidade dos ecossistemasbrasileiros.Biodiversidade da Caatinga:áreas e ações prioritárias para a conservação50Entre 21 e 26 de maio de 2000, oMinistério do Meio Ambiente apoiou arealização em Petrolina, Pernambuco, doseminário “Avaliação e Ações Prioritáriaspara Conservação da Biodiversidade naCaatinga”, inserido no esforço deampliação do conhecimento dos diferentesbiomas brasileiros e na indicação de açõese áreas prioritárias para sua conservação.Esse seminário contou com a participaçãode 140 pesquisadores gerou umaformidável gama de informações sobre oestado de conhecimento e as lacunas deinformação desse bioma, até então,possivelmente, o mais desconhecido dopaís.As conclusões do trabalho estãoapresentadas neste livro que agrega, aolongo de 382 páginas, divididas em trêspartes e 25 capítulos, amplas informações


e análise dos aspectos bióticos (vegetaçãoe flora, invertebrados, biota aquática,répteis e anfíbios, aves e mamíferos) osaspectos não-bióticos - socioeconomia epolíticas públicas para o desenvolvimentosustentável (estratégias de conservação,pressão antrópica e desenvolvimentoregional, e uso sustentável dabiodiversidade da Caatinga).Por meio da leitura desse livrorevela-se um bioma belo e rico,desmistificando a visão superficial de umaCaatinga estéril e pobre em biodiversidade,além das recomendações para o usosustentável deste único biomaexclusivamente brasileiro.Esta publicação resultou de umtrabalho conjunto do Ministério do MeioAmbiente, da Universidade Federal dePernambuco, da Fundação de Apoio àUniversidade Federal de Pernambuco, daConservação Internacional do Brasil, daFundação Biodiversitas e da EMBRAPASemi-Árido.Mapa das áreas prioritárias para a conservação,utilização sustentável e repartição de benefícios dabiodiversidade brasileira.Áreas prioritárias para a conservação,utilização sustentávele repartição de benefícios dabiodiversidade brasileirA51RRAPAMPAMAPICERNPBPEACROTOBAALSEMTDFGOMGESMSSPRJPRRSSCProjeto de Conservação e Utilização Sustentávelda Diversidade Biológica BrasileiraPROBIOSecretaria de Biodiversidadee FlorestasEste mapa consolidou o resultadodas avaliações dos biomas brasileiros eapresenta as 900 áreas indicadas comoprioritárias para conservação dabiodiversidade, utilização sustentável erepartição de benefícios da biodiversidadebrasileira, os municípios abrangidos e asrecomendações de ações feitas a cadauma das áreas. A publicação apresenta umCD-Rom com um mapa interativo e umaversão no formato PDF. Além disso,polígonos das áreas são disponibilizadosno formato “shapefile”.


Brejos de altitude em Pernambuco e Paraíba:história natural, ecologia e conservaçãoBrejos de Altitude emPernambuco e ParaíbaHistória Natural, Ecologia e Conservação(Orgs.)Kátia C. PôrtoJaime J.P. CabralMarcelo Tabarelli52Biodiversidade 9Este livro apresenta o resultado dequatro anos de pesquisas propiciadas pelodesenvolvimento do projeto “Recuperaçãoe manejo dos ecossistemas naturais deBrejos de Altitude da Paraíba ePernambuco” apoiado pelo PROBIO. EsteProjeto teve como objetivo promover aconservação dos remanescentes de brejosde altitude no agreste de Pernambuco eParaíba, por meio de um aproveitamentosustentado desses recursos, levando emconta os interesses da população local econtando com a sua participação, atravésdo estabelecimento de mecanismoseficazes de transferência dos resultadosdas pesquisas para as comunidades. Nestetrabalho foram envolvidas universidadesespecialmente, a Universidade Federal dePernambuco e a Universidade Federal daParaíba, além da Sociedade Nordestina deEcologia e da Fundação de Apoio àUniversidade Federal de Pernambuco(FADE), além de inúmeros outros apoios.Até então pouco estudados, osbrejos de altitude são áreas de exceção,úmidas e isoladas, nas zonas semi-áridas doagreste e do sertão nordestino. Estas áreasapresentam características peculiares, como:altitudes superiores a 600 m; clima úmido ousubúmido, precipitação anual entre 900-1300mm; solos profundos, argilosos, com alto teorde água disponível. Como encraves da MataAtlântica no interior do Nordeste, apresentamvegetação natural de floresta perenifólia ousubperenifólia, que recobrem os topos e asvertentes de serras circundadas por vegetaçãoxerófila de Caatinga.O livro é constituído de três partes: oambiente e o homem; diversidade biológica eprocessos ecológicos e conservação. Estestemas são abordados ao longo de 23 capítulos,escritos por 39 pesquisadores.


Foto: Arquivo do Projeto Diversidade de vertebrados do Pantepui - AMFoto: José Sabino15Próximos Passos


Foto: Ana Lúcia PratesMapeamento dos remanescentesda Mata AtlânticaConfecção do Primeiro RelatórioNacional sobre Perda deBiodiversidade nosBiomas BrasileirosA falta de propostas para realizar omapeamento dos remanescentes da MataAtlântica obrigou o PROBIO a elaborar umedital para selecionar um projeto que venhaa mapear este importante e ameaçadobioma. Ainda em 2004 esta proposta estaráem execução.Um edital foi elaborado paraselecionar uma proposta que visedocumentar a perda da biodiversidade noBrasil e o ritmo em que ela vem ocorrendo,com a apresentação de seus principaisindicadores, bem como documentar oimpacto das ações adotadas para areversão desta perda, a partir de dadosexistentes e abrangendo o tema em umrelatório-síntese.54


16 O PROBIOem númerosFoto: Arquivo PROBIO


BolsistasAté o final junho de 2004, 574 pesquisadores foram apoiados com bolsas do CNPq paradesenvolver atividades relacionadas aos subprojetos.Bancos de DadosUm total de 153 bancos de dados foram criados contendo os resultados das pesquisas dosdiversos subprojetos.DivulgaçãoOito vídeos, 18 cartilhas e manuais, 19 folders e posteres, 255 apresentações de resumos emcongressos e simpósios, oito CD-ROM, 119 cursos oferecidos para as comunidades.Publicações19 livros, 29 capítulos de livros, 123 artigos publicados em revistas especializadas.56Subprojeto por Região Administrativa12%5%10%35%21%17%NORTENORDESTECENTRO-OESTESUDESTESULA DEFINIR


Subprojetos apoiados por naturezaadministrativa do executor9%2%3%38%9%FUNDAÇÃOONGGOV. FEDERAL/ESTADUALUNIVERSIDADECOORDENADORA DEFINIR39%57Nº160140120100806040200Números acumulativos de projetos apoiadosNúmero pelo acumulativo PROBIO por de ano projetosapoiados por ano141105856027 28 297 719961997199819992000Ano2001200220032004


Subprojetos apoiados por área temática139551015451554121132558Avaliações dos biomasEstudos Especiais/InduzidosRede de Informação em BiodiversidadeConservação d e E cossistemasFragmentação d e H abitatsCriação d e U C´sManejo d e espécies ameaçadas de extinção e i nvasorasUso sustentável no entorno de UC´sInventários em áreas prioritáriasImplementação do PDS no entorno de UC´sInforme Exoticas InvasorasParentes S ilvestresPlantas do FuturoManejo de pol inizadoresMudanças ClimáticasMapeamento d e r emanescentes


Projeto de Conservação e Uso sustentável daDiversidade Biológica Brasileira - PROBIOSCEN Trecho 2 Edf. Sede do IBAMA Bloco HCep: 70818-900 Brasília-DFTel: 0 xx 61 4009-9569Fax: 0 xx 61 4009-9593probio@mma.gov.brwww.mma.gov.br/probio

More magazines by this user
Similar magazines