dimensão a mahle em nova - Mahle Powertrain Ltd

mahle.com.br
  • No tags were found...

dimensão a mahle em nova - Mahle Powertrain Ltd

MAHLE MUNDOÉ inevitável que a potência específica do motor, quando elevada, aumenteao mesmo tempo as cargas térmicas e mecânicas dos pistões. Isso representauma tendência que deve ser levada em consideração, especialmenteno desenvolvimento e projeto de pistões – dado que esses são os componentesmais solicitados dentro de um motor a combustão interna. Comtemperaturas acima de 360ºC, nas câmaras de combustão dos pistões ecom pressões de combustão acima de 170 bar, os pistões fabricados emligas de alumínio chegam a seus limites de durabilidade.Conseqüentemente, novas idéias para o projeto e o uso de novos materiaisse fizeram necessários. A solução de desenvolvimento da MAHLE: um pistãocom a cabeça em aço forjado de alta resistência à temperatura, aliado a umasaia em alumínio – nasceu assim o pistão FERROTHERM ® (articulado).principalmente no setor de veículos comerciais. Muitos motores da Scania,Volvo, Detroit Diesel e Caterpillar usam pistões FERROTHERM ® (articulado)da MAHLE como equipamento original. Muitos dos fabricanteslíderes confiam em seu engenhoso princípio: atualmente estão sendo desenvolvidosmotores com pistões em duas partes pela Mercedes-Benz eum grande fabricante russo....e fazem sucesso no aftermarketO programa MAHLE do mercado de reposição inclui pistões FERRO-THERM ® (articulado) em seu atual catálogo de componentes de motor.Trabalho duro bem guiadoUm projeto baseado claramente no trabalho em comum: a saia em alumíniotem somente a função de guiar o pistão dentro do cilindro, enquantoa cabeça do pistão faz o trabalho duro e a vedação. O aço forjado dacabeça permite temperaturas operacionais e pressões significativamentemais elevadas entre o cubo e o pino do pistão. Também a resistência aodesgaste e a vida útil dos canaletes dos anéis, situados na parte superiordo pistão, beneficiam-se da alta resistência do aço forjado.Folga da zona de fogoUma importante vantagem adicional do aço, quando comparado às ligasde alumínio e silício, reside em seu coeficiente de dilatação térmica significativamentemenor, o que permite tolerâncias menores entre o pistão eo cilindro na zona de fogo. Isso, por sua vez, oferece grandes vantagenscom respeito à vedação e à redução do blow-by, enquanto a folga muitopequena entre o pistão e o cilindro permite melhor suporte dos anéis depistão durante seu trabalho. A pequena folga no topo também apresentaum efeito positivo sobre os valores das emissões de descarga – pois folgasmenores resultam em menos volume e, portanto, em uma combustãootimizada e limpa.O truque do agitadorO aço, porém, também tem suas desvantagens: sua condutividade térmicaé pior que a do alumínio. Será, portanto, necessário garantir um nívelbaixo de temperatura, com a otimização do arrefecimento do pistão. Asolução: chapas de aço mola formando um canal de resfriamento. Devidoao grande diâmetro e ao movimento de subida e descida do pistão, apareceum assim chamado “efeito agitador”, que resfria suficientemente otopo do pistão.Uma olhada no catálogo MAHLE Original de componentes de motor: a cabeça de aço dopistão FERROTHERM ® (articulado) em duas partes pode ser reconhecida pela combinaçãode letras “KB”, a saia em alumínio tem a designação “L”.Importante: montagem corretaOs pistões FERROTHERM ® (articulado) são fornecidos desmontados,com a parte superior e a saia cuidadosamente embaladas em uma caixa.Quando a parte superior, a saia e o pino de conexão são montados, devesecuidar para que seja feita a correta orientação: a montagem da partesuperior e da saia somente pode ser feita em uma direção.Dois parceiros desiguais –uma cooperação de sucessoComo combinar dois materiais tão diferentes como aço e alumínio em umaunidade funcional? Conforme pode ser visto na figura, a parte superior dopistão e a saia estão conectadas pelo pino. As pressões de ignição e decombustão têm efeito sobre a cabeça de aço – e a força resultante é diretamentetransmitida da cabeça à biela, via pino. Uma bucha não-ferrosaé inserida no furo do pino, como parceiro de trabalho ideal para o pinode pistão. Em projetos mais novos, o furo do pino recebe um tratamentosuperficial, o que melhora ainda mais o relacionamento entre o pistãoe o pino. Deixa-se uma folga entre a seção superior de aço e a saia dealumínio. Essa separação espacial funciona como um desengate térmico.As temperaturas da saia acabam assim sendo significativamente menoresque num pistão feito todo ele em alumínio. Graças ao baixo nível datemperatura na saia do pistão e ao desengate (articulado) da distribuiçãoda potência, o projeto da saia pode ser otimizado quanto à sua função deguia. E deve ser notado: o funcionamento suave e calmo do motor, apesarda dura combustão do diesel – além de maior potência e maior torque.O pistão FERROTHERM ® (articulado): consolidadocomo equipamento original...O pistão FERROTHERM ® (articulado) está no mercado há aproximadamente20 anos – mas continua a ser um projeto moderno de pistão, usadoCorte de um pistão FERROTHERM ® (articulado) com cabeça de aço.A F T E R M A R K E Tn e w s


MAHLE MUNDODuplamistaFiltragem inventiva em veículos comerciaisA F T E R M A R K E Tn e w s


motorsportRecorde mundial nas planícies de sal de Bonneville, a oeste de ROCKY Mountains.JCB, de Rocester, na Inglaterra, fabrica retroescavadeiras, operadorastelescópicas, carregadeiras sobre rodas, tratores rápidos, empilhadeiraspara todo terreno, caminhões basculantes articulados,mini e microescavadeiras – em resumo, equipamento de construçãoe agrícola de alto padrão. Recentemente, JCB também produziu recordesmundiais de velocidade. Com tecnologia diesel, para ser maisexato, com dois motores diesel JCB 444 modificados, de sua linhade produtos, colocados num tipo singular de veículo: o JCB DIESEL-MAX, também chamado de “O Diesel mais rápido do mundo”.Em 2006, os engenheiros da JCB começaramum ambicioso projeto, muito diferente dequalquer tipo de maquinário agrícola ou deconstrução. A base: dois motores diesel deprodução em série, regulados para produzirem conjunto 1.103 kW ou 1.500 hp de potência.Acrescente a eles a idéia do uso deum veículo de competição de alta velocidade,com freio pára-quedas, no formato de dragster– e estará feito o desafio sobre o recordemundial de velocidade existente de 378 km/h,para veículos movidos a motor diesel.As regras para os concorrentes ao recorde: opiloto dirige o carro cruzando a assim chamada milha-voadora, na qual a distânciade uma milha deve ser percorrida duas vezes no intervalo de uma hora– e o valor médio da velocidade das duas passagens torna-se o recorde....outalvez não.A primeira barreira a ser transposta pelo grupo foi a da construção da cascado veículo, que pudesse fazer frente aos esforços aerodinâmicos nessas velocidadesextremas. Ela foi desenhada e testada somente com o auxílio do computador– e isso por duas razões. Primeiro, a pressão do vento na velocidadedesejada começava a ter efeitos significativos sobre o veículo, especialmentenas áreas de contato entre as rodas e o solo, que nesse caso é constituído pelosal das planícies extremamente planas de Bonneville, em Utah (EUA), o fundode um lago que secou a cerca de 14.000 anos atrás. Essas altas velocidadesnão podem ser simuladas em qualquer túnel de vento. A segunda razão resideno tamanho do veículo – ele tem 9 metros de comprimento e, portanto, é simplesmentegrande demais para um túnel de vento. E um modelo selado teriadistorcido os resultados medidos.Depois disso tudo, tinha de ser juntado um quadro de chassis espacial e umcockpit do piloto, feitos de fibra de carbono, com um motor na frente e outroatrás dele. A vantagem dessa solução de projeto reside na ótima distribuiçãodo peso no veículo, com excelente visibilidade geral e com posições de motorque oferecem provavelmente as melhoreschances para a prevenção de acidentes. Issoresultou em um espécime singular, em formade charuto, com contornos extremamenteaerodinâmicos, com uma unidade de controlesem manobrabilidade, sem asas, mascom dois motores modificados que podemproduzir cerca de cinco vezes sua potêncianormal.Finalmente chegou a hora da corrida. Às 9h37realizou-se a primeira rodada. No cockpit estavaAndy Green, um ex-piloto da Royal AirForce. O JCB DIESELMAX atingiu a velocidademédia de 588,7 km/h, apesar do fato dapotência do motor ter sido automaticamente reduzida, em virtude de um sobreaquecimentodo sistema de refrigeração. Na segunda rodada, Andy Greenacelerou o veículo através da milha voadora até uma velocidade média de540,3 km/h – e isso apesar de aplicar o freio acidentalmente ainda antes dofim do trecho. O velho recorde de 378 km/h foi quebrado e reinstituído pelonovo de 563,4 km/h.Esse sucesso demonstra o impressionante potencial dos novos motores dieselJCB 444 – que constituem a versão em série do motor de 4 cilindros com 4,4l e 200 hp (147 kW). Também a MAHLE Powertrain está orgulhosa com esserecorde mundial: o bloco, o cabeçote e a placa-base dos motores em série sãousinados na planta de Wellinborough, Inglaterra – volume de 35.000 a 40.000por ano.O Diesel mais rápidodo mundoA F T E R M A R K E Tn e w s


EVENtOSINAUGUrADO NOVO CENtrO tECNOLÓGICOMAHLE BrASILA cerimônia oficial de inauguração do novo Centro Tecnológico do GrupoMAHLE contou com a presença do Prof. Dr. Heinz K. Junker, Presidente Mundialdo Grupo MAHLE, e de profissionais do Grupo de várias partes do mundo,além de clientes, fornecedores e autoridades locais.Claus Hoppen, Diretor Presidente da MAHLE Metal Leve S.A, conduziu asapresentações do evento. O Prof. Dr. Heinz K. Junker também fez um pronunciamentosobre a importância dos centros tecnológicos no Grupo. Segundoele, “este novo Centro Tecnológico nos dá a possibilidade de incrementar agama de serviços à crescente indústria automotiva na América do Sul. Acimade tudo, podemos oferecer um máximo de confiabilidade aos projetos dosclientes devido à excelência dos mecanismos de controle de acesso e sistemasde segurança”.Com dimensão globalizada, o novo Centro Tecnológico do Brasil é responsávelpelo desenvolvimento mundial de tecnologia para anéis e responde regionalmentepor produtos como bronzinas e camisas, sistemas de trem de válvulas,eixos de comando, sinterizados e sistemas de filtração. No Centro Tecnológicosão desenvolvidas soluções integradas para os desafios tecnológicos dosclientes por meio de laboratórios que permitem testar e desenvolver projetospara todas as linhas de produto da MAHLE (PL1, PL2, PL3, PL4 e PL5).Segundo Ricardo Simões de Abreu, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento,“quando pensamos no Centro Tecnológico definimos como visão fundamentalser referência no mundo automotivo. Nossa missão está baseada em desenvolvertecnologias para nossos clientes, no tempo certo, com pessoas competentes,motivadas e comprometidas a atingir alto desempenho. Para isso,desejamos que o centro seja um local atrativo, tanto para os clientes externoscomo para o público interno, onde todos se sintam confortáveis, à vontade, emum espaço destinado ao aprendizado, ao desenvolvimento e para gerar essaonda de inovações tão necessária nos negócios da MAHLE. Minha expectativaé de que realmente esse local seja visto e tratado como um ponto de encontro,aberto a todos para o fomento da criatividade e incentivo ao conhecimento,com cursos e discussões de idéias. E quando falamos de idéias, vamos alémdos assuntos técnicos e das pesquisas, falamos de valores, de formas de trabalhar,de conduta, dessa forma de ser MAHLE, em um sentido mais amplo.Valores como comprometimento com resultados, relacionamento construtivo,qualidade de vida, crescimento sustentável, empreendedorismo, ética e responsabilidadesocial. Esta será uma casa de portas abertas, para agregar pessoas– clientes, pesquisadores, colaboradores, fornecedores e interessadosem aprender e trabalhar em conjunto.Além disso, em termos globais, também teremos a oportunidade de realizaresse intercâmbio de idéias com os demais centros de pesquisa da MAHLE eseus especialistas, em outros países, estendendo ainda mais esse círculo dedesenvolvimento”.O evento ainda contou com a apresentação da Orquestra Filarmônica de Piracicabada Escola de Música Maestro Ernst Mahle, com regência do própriomaestro.Localização estratégicaLocalizado entre duas importantes rodovias de São Paulo (Complexo Anhangüerae Bandeirantes), na área de proteção ambiental da Serra do Japi, o CentroTecnológico conta com uma área construída de 16.800 m 2 . Essa estruturaestá integrada em uma reserva florestal, ocupando 25.000 m 2 de uma área de125.000 m 2 . A MAHLE irá preservar outra área de igual tamanho, sendo queapenas 10% da área total serão utilizados.Os desníveis entre os anéis garantem qualidade nas atividades e proporcionambem-estar, preservação do solo e contato com a natureza. A topografia e olocal auxiliam na utilização de recursos como: energia elétrica (ar condicionado,iluminação) e água (após o uso, é tratada em nossas instalações de despejosindustriais e sanitários e reutilizada para fins industriais, limpezas diversas, espelhosd’água e em descargas sanitárias).Ricardo Simões de Abreu (Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento), Axel Erhard Brod (DiretorVice-Presidente), Prof. Dr. Heinz K. Junker (Presidente Mundial do Grupo MAHLE) eClaus Hoppen (Diretor Presidente da MAHLE Metal Leve S.A.).Apresentação da Orquestra Filarmônica de Piracicaba da Escola de Música MaestroErnst Mahle, regida pelo próprio maestro.A F T E R M A R K E Tn e w s9


prODUtOpIrAtArIA É CrIME!tODOCUIDADO É pOUCOA falsificação é crime e deve ser tratada de forma punitiva, com os rigoresda lei. Há muito tempo, em todo o mundo e nos mais variadossetores, vem crescendo esse tipo de ação. A indústria de autopeças,particularmente, vem sendo uma das vítimas favoritas desse mercadoilegal, sendo afetada por roubo de marca e produto.REsPONsAbILIdAdE PENALEm nosso setor, todos os que fabricam, distribuem, comercializam ouaplicam peça falsificada incidem em crime. Todos são responsáveis pelosdanos causados e podem responder pelo crime, seja qual for suaesfera de atuação. Tanto as lojas como as oficinas e aplicadores estãoexpostos aos perigos dos produtos falsificados. Se esses componentesfalharem, o responsável pela execução do serviço pode ter de arcar comtodos os custos incorridos. Às vezes a falsificação é facilmente reconhecida.Em outros casos, é feita de maneira mais eficiente, dificultando, emum primeiro momento, sua identificação – algumas embalagens só podemser diferenciadas das originais com uma análise minuciosa e especializada.Mesmomarcas mundialmente conhecidas, como as do GrupoMAHLE, não estão livres do perigo da pirataria. Para ajudar a combateresse mal, apresentamos alguns exemplos de falsificações que encontramosno mercado, envolvendo nossos produtos.MAHLE: contém número SAC, simbologia de reciclagem e texto normal, sem negrito.Falsificação: não apresenta número SAC nem simbologia de reciclagem. Texto em negrito.EMbALAgENsANEL dE sEgMENtO fALsIfICAdO – AJ0700845-050004t0O holograma MAHLE acoplado évisualizado em três dimensões.O holograma falsificado é impresso e nãopode ser visualizado em 3 dimensões.EmbalagemMAHLE.Embalagemfalsificada.Tonalidade interna da caixa MAHLE.ANéIs 1ª CANALEtATonalidade interna da caixa falsificada.Vista frontal: embalagens apresentam diferenças na tonalidade, padrão e tamanho defonte. A embalagem original é a da esquerda.Gravação C TOP e chanfro.Não possui gravação e chanfro.A F T E R M A R K E Tn e w s10


EVENTOS5oo KMINTERLAGOS 2008A 26ª edição dos “500 Km de Interlagos”, uma das mais tradicionais provasdo Brasil, aconteceu no Autódromo Internacional José Carlos Pace (Interlagos),em São Paulo (SP). O conhecido evento de longa duração ocorre doisanos após a última etapa, pois em 2007 as obras em Interlagos impediramsua realização.Além do retorno da prova ao calendário automobilístico, a edição deste anofoi marcada pela comemoração de um momento histórico: 50 anos da realizaçãoda primeira prova. Desde que a corrida começou a ser disputada, contacom dois pilotos recordistas de vitórias: Celso Lara Barberis (1957, 1959e 1961) e Luis Pereira Bueno (1966, 1970 e 1971). Entre as estrelas que jádisputaram a prova, além dos recordistas, figuram pilotos como EmersonFittipaldi, Wilson Fittipaldi, Ingo Hoffmann, Fritz D’Orey, José Carlos Pace eChico Landi. O evento teve o patrocínio do Grupo Comolatti, com suas marcasSama, Laguna e Abouchar.A MAHLE Metal Leve S.A. esteve presente como convidada do Grupo Comolatti.Além da corrida principal, o evento também contou com a “Prova dosCarros Antigos” e com o “Festival de Regularidade Comolatti”. A corrida reuniudiversos fornecedores e parceiros do Grupo Comolatti em uma grande festa.A participação na pista ocorreu sem restrição quanto ao tipo de veículo.Vitória da PorscheO Porsche RSR, guiado pela dupla Max Wilson e Marcel Visconde, ganhoua 26ª edição dos 500 Km de Interlagos. No entanto, o triunfo não foi fácil,os problemas do carro alemão tornaram a corrida bem movimentada. Asdificuldades começaram logo na largada, quando o Porsche RSR, o poleposition, perdeu três posições na primeira volta por causa de um problemano acelerador. Max levou o carro aos boxes e o time precisou de duas voltaspara corrigir o defeito.trocando pneus quando tudo aconteceu, por lá ficou, já que a saída só foiautorizada na relargada.Para completar, o time ainda teve um problema no turbo e, na tentativa de solucionar,perdeu uma volta. Seu principal adversário, o Spyder 2.0, sucumbiuà chuva e ficou para trás. A dupla Lucas Molo/José Castilho aproveitou paracrescer, assumiu a liderança e começou a abrir certa vantagem. Menos emrelação ao Porsche RSR, que vinha se aproximando.A ultrapassagem aconteceu na 84ª volta. Daí em diante, Max Wilson/Marcel Viscondenão foram mais incomodados e conseguiram finalmente impor na corridaa superioridade demonstrada ao longo do fim de semana. Ganharam com quaseuma volta de diferença em relação à dupla Lucas Molo/José Castilho.“No início da prova, sabíamos que seriam muitas voltas percorridas e quedava para recuperar as duas voltas perdidas com o defeito no acelerador. Efoi até mais interessante, porque em função disso tivemos trabalho, foi umacorrida legal, serviu para testar o carro”, diz Wilson, por meio da assessoriade imprensa do evento.A vitória na categoria II ficou com Fábio Sotto Mayor/Henry Visconde. Naclasse III, Edemar Stedile/Fernando Stedile chegaram na frente. E pela categoriaIV o primeiro lugar ficou com Algacir Sermann/Augusto Baldo. Já naCorrida de Carros Antigos, que abriu a programação, ganhou Ricardo Malanga,com um Puma.Enquanto o Porsche RSR descontava a diferença, a briga pela liderança pareciarestrita ao Eclipse de Eduardo Souza Ramos/Leandro Almeida e o Spyder2.0 de Edemar Stedile/Fernando Stedile. Max Wilson/Marcel Visconde brigavamcom a Ferrari 650 GT2 de Lucas Molo/José Castilho pela 3ª posição. Foiquando apareceu mais um problema. Marcel perdeu o controle na Junção,escapou da pista e viu a diferença subir para 30 segundos.A competição só começou a mudar na 77ª volta, quando a corrida virou porcausa de uma chuva rápida e forte que caiu sobre o circuito. Uma rodada nareta dos boxes provocou a bandeira vermelha na passagem seguinte, mascomo a dupla Eduardo Souza Ramos/Leandro Almeida estava nos boxesFontes: release Comolatti e site www.globoesporte.globo.com/Esportes/Notícias/A F T E R M A R K E Tn e w s12


EVENtOSCARRO 100%CAMPANhAPARA MANUtENçãO PREVENtIVAA cadeia de reposição automotiva, com o apoio de órgãos públicos (Denatran– Departamento Nacional de Trânsito e CET – Companhia de Engenharia eTráfego) e do SENAI-SP – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, lançao “Carro 100%”, campanha inédita para conscientizar o motorista a cuidar preventivamentede seu veículo. Sob a coordenação do GMA – Grupo de ManutençãoAutomotiva, o “Carro 100%” é a primeira iniciativa do setor para esse fim.O projeto contempla material de divulgação (anúncios em rádio e em revistasespecializadas), treinamento nas áreas de gestão e capacitação para profissionaisde lojas e oficinas de reparação, além de visar preparação de certificaçãode qualidade das empresas. Todos os elos da cadeia de negócio (fabricantesde autopeças, distribuidores, varejistas e oficinas de reparação) estãounidos para garantir o sucesso do projeto.A marca “Carro 100%”, com o slogan “Quemtem chega bem”, tem caráter institucional eeducativo: quem faz manutenção preventivachega bem. A idéia é sensibilizar o motoristasobre os cuidados com o veículo e os benefíciossubseqüentes: segurança no trânsito, economiade combustível, redução dos custos comreparos emergenciais, redução de emissões depoluentes e valorização do preço de revenda.Para a linha pesada, foi desenvolvida a marca“Caminhão 100%”. A assinatura da campanha éfeita pelo IQA – Instituto da Qualidade Automotiva.Segundo Antônio Carlos Bento, coordenador do GMA, “o ‘Carro 100%’ é umabandeira institucional da reposição em prol da segurança do ocupante e daproteção ao meio ambiente. Falhas mecânicas em geral provocam acidentes,infelizmente com muita freqüência, além de piorarem, ainda mais, o trânsitonas grandes cidades. A experiência e dados disponíveis confirmam essa afirmativade que um veículo bem mantido polui muitíssimo menos, garantindoa melhoria da qualidade do ar. O ‘Carro 100%’ nos motiva muito. Estamosseguros de poder dar uma contribuição positiva e socialmente responsável.É um projeto simples, porém edificado em uma base sólida de dados e informaçõesque poderão ajudar o motorista (para quem desenvolvemos essetrabalho) a compreender a importância da manutenção preventiva”.A campanha “Carro 100%” teve início em junho, com duração até fevereiro de2009, quando será reformulada. A exemplo de outros países (Estados Unidos,México e Portugal, entre outros) que adotaram essa iniciativa, serão divulgadosanúncios na mídia e em pontos de venda e de aplicação de São Paulo, Rio deJaneiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e Recife. Além disso, o GMA tambéminiciará treinamentos de gestão e capacitação profissional, para aperfeiçoar aqualidade dos serviços prestados pelo setor da reposição automotiva.Segurança, economia e ecologia – o mote da campanha “Carro 100%” estábaseado nesses três pilares. Meio ambiente também é outro tema da campanha,alertando a importância das revisões periódicas para que os níveis deemissões do veículo estejam dentro dos limites determinados. Panes elétricase falhas mecânicas são responsáveis pela retirada de mais de 470 veículos,em média, das vias públicas da capital paulista devido à falta de manutençãopreventiva.Pesquisa da GIPA identificou que a oficina deconfiança é uma instituição respeitada e reconhecidapelo consumidor, com a preferência de80% dos motoristas para fazer revisão no veículo.Do total de 28 milhões de veículos (dadosdo Sindipeças), 57% já ultrapassaram os 100.000km rodados. A média anual de quilometragem, emtorno de 13.000km, tem permanecido estável nosúltimos anos – 53% dos carros com mais de cincoanos de uso já rodaram mais de 50.000km e 25% jáultrapassaram os 100.000km.Na foto acima, da esquerda para a direita: Antonio Fiola(Sindirepa-SP), Alfredo Peres (Denatran), Paulo Butori(Sindipeças), Roberto Scaringella (CET), Frederico dos Ramos (Andap), FranciscoDe La Torre (Sincopeças-SP) e Ali Al Hage (IQA).sAIbA MAIs sObRE O gMAO GMA – Grupo de Manutenção Automotiva, criado em 1995 como GPE– Grupo de Planejamento Estratégico, é formado por entidades como: Sindipeças– Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores;Andap – Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças;Sincopeças-SP – Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessóriospara Veículos no Estado de São Paulo; Sindirepa-SP – Sindicato da Indústriade Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo. A MAHLEMetal Leve S.A. faz parte e contribui com o GMA, que é um fórum permanentede discussão, com o objetivo de identificar as ameaças e as oportunidadesque interferem no desenvolvimento do setor da reposição automotiva.Mais informações: www.carro100.com.brA F T E R M A R K E Tn e w s1


EVENtOS1 POLIPEçAsA MAHLE Metal Leve S.A. continua seu programa de visitas àsfábricas.1Enviado pela Polipeças, filial de Uberaba (MG), um grupo de 44visitantes teve a oportunidade de conhecer de perto as instalaçõesde nossas unidades produtivas.234Jz AUtOPEçAsOs 44 integrantes da caravana convidada pela JZ Autopeças,vindos de Jaboticabal (SP), também fizeram uma visita às nossasinstalações.dMb AUtOPEçAsUm outro grupo, composto de 43 pessoas, convidadas daDMB Autopeças, localizada em Niterói (RJ), também viajoupara visitar nossas fábricas.dIstRIbUIdORA AUtOMOtIVA – LAgUNAA Distribuidora Automotiva – Laguna – Filial de Ribeirão Pretoenviou uma caravana de representantes, composta por 38convidados, que visitaram nossas fábricas.A MAHLE Metal Leve S.A. agradece a todos os visitantes e esperaque outros clientes também participem dessa iniciativa.25Essas visitas proporcionam aos participantes desses gruposa oportunidade de conhecer melhor nossos produtos e a formade funcionamento de nossas fábricas.NOVA dIREtORIA dA AREsCA Associação das Retíficas do Estado de Santa Catarina (ARESC),da qual a MAHLE é a mais nova patrocinadora, empossou suanova diretoria 2008/2009, aprovada por unanimidade, que serácomposta pelos associados: Presidente: Luiz Carlos Serafin;Vice-Presidente: Itamar Frederico Koepp; Tesoureiro: Paulo CésarSerafin; 2º Tesoureiro: Geraldo Moreira; Secretário: Udo Palpitz;2º Secretário: Ivo Rückert; Conselho Fiscal: Raimundo Scarduelli,Nereu Martinelli Filho e José Irlandi Felippi.3Após a cerimônia de posse, o Presidente Luiz Carlos Serafin afirmouque pretende dar continuidade aos trabalhos iniciados peladiretoria anterior e que se esforçará para garantir a representatividadeda associação no setor.A ARESC, criada no ano de 1980, é uma instituição sem fins lucrativose teve sua primeira sede e foro na cidade de Blumenau,tendo como primeiro presidente o Sr. Bernnard Van de Meene.45A F T E R M A R K E Tn e w s14


EVENtOSAniversáriosdIsAUtO – 20 ANOsNosso cliente Disauto fez aniversário de 20 anos de atuação no setor.Com três instalações em Santa Catarina, é um de nossos expressivosclientes e pioneiro na comercialização de nossos filtros.Na foto, João Gomes recebe a placa comemorativa de Fabio Krasilchik(Inspetor de Vendas) e de Josemar Ribas (Supervisor de Vendas).PACAEMbU – 45 ANOsO aniversário de 45 anos da Pacaembu foi comemorado comum jantar em São Paulo, no Restaurante Fasano, onde foi entreguepela MAHLE Metal Leve S.A. uma placa alusiva à data.Na foto estão: Paulo Salles (Inspetor de Vendas), Ana Paula CassorlaMalusardi (Pacaembu), Susana G. Ribeiro (Supervisora deVendas), Luiz Cassorla (Pacaembu), Edvaldo R. S. de Souza(Gerente Nacional de Vendas), Sandra Cristini Cassorla de Camargo(Pacaembu) e Eduardo Felipe Sá de Camargo.ROdAP – 20 ANOsA Rodap também completou 20 anos de existência. PedroPires (proprietário da empresa) recebeu a placa comemorativada MAHLE Metal Leve S.A.Na foto, da esquerda para a direita: Paulo Sales, PedroPires, Susana G. Ribeiro e José Carlos M. Brito.CARLtON – 35 ANOsJosé Jaime Reis Carlton, sócio proprietário da empresa, recebeuuma placa comemorativa da MAHLE Metal Leve S.A. emhomenagem aos 35 anos de atividades da Carlton.Na foto, da esquerda para direita: Emilson Sabatini (Inspetor deVendas), Edvaldo R. S. de Souza (Gerente Nacional de Vendas),José Jaime Reis Carlton, Francesco Nardi (Supervisor de Vendas)e Humberto Canobre (Supervisor de Promoção).PELLEgRINO RJ – 30 ANOsA entrega da placa pela comemoração do 30º aniversário da FilialPellegrino Rio de Janeiro foi feita pela equipe da regional local.Robson Rezende (Supervisor de Vendas), Paulo Rapp (Inspetor deVendas ) e Leila Moreira (Promotora de Vendas) fizeram a homenageme Juracy Pinheiro (Gerente da Filial Pellegrino Rio de Janeiro)representou a empresa no evento.A F T E R M A R K E Tn e w s1


EVENtOSEQUIpE ALAYA-BOZO D’áGUA ÉCAMPEãDO prÉ-MUNDIAL DE rAFtINGEste ano, a equipe brotense Alaya – Bozo d’Água, patrocinada pela MAHLE,partiu para um temporada de competições na Europa. O aproveitamento foimáximo, com vitória em todas as provas realizadas. Primeiro foi o CampeonatoPré-Mundial na Eslováquia. Em um rio artificial, com milhares de espectadorese cronometragem feita por fotocélulas, para evitar dúvidas nas largadas echegadas, a equipe Alaya-Bozo d’Água faturou o título concorrendo com 40equipes européias. A Eslováquia, dona da casa, ficou em segundo lugar e oJapão, em terceiro.A etapa seguinte do Pré-Mundial aconteceu na Bósnia, nos rios Verbas e Tora,de cor azul turquesa, com paredes calcárias formando “canyons” belíssimos.Foi nessa paisagem que a equipe Alaya-Bozo d’Água venceu as três provas(Sprint, Slalom e Descenso), ficando com o primeiro lugar novamente.A lista de títulos obtidos nessa modalidade, o Rafting, é invejável. Os treinos, noRio Jacaré Pepira, em Brotas (SP), são rigorosos. “Mesmo nos dias mais friosdo ano estamos lá, treinando”, diz Fábio Lourenção, um dos atletas da equipe.“Muitas vezes, só depois de um dia cheio de descidas com os turistas é quepodemos treinar. Mas não desanimamos, o Rafting é nossa vida!” continua ele,que, além de atleta, é também condutor de Rafting em Brotas, a capital brasileirado turismo de aventura.“Fomos tratados com tapete vermelho na Bósnia e sempre atuamos, na águae fora dela, com a dignidade e a responsabilidade do nosso título”, comentaJean-Claude Razel, o manager da equipe. “As pessoas daqui querem mostrarum outro lado da Bósnia e não apenas os resquícios de uma guerra que há 11anos atingiu o país”, continua Jean-Claude, elogiando a receptividade que aequipe teve na Bósnia.O sonho continua. Em 2009, na Bósnia novamente, a equipe Alaya-Bozod’Água defenderá o título mundial obtido na Coréia em 2007, levandomais uma vez a competência e a alegria do rafting do Brasil para o podium.A MAHLE fica na torcida por mais um título!Lucas Paulino da Silva CoreFábio Ramos LourençãoAntônio José SalvattiRafael Ribeiro da CruzSergio PietroPedro Oliva (câmera e fotos)Atletas da Equipe Alaya-Bozo d’Água 2008Paulo Sergio Bertato SilveiraAndré BrandãoSamuel Barbosa de AlmeidaRafael AndradeJean-Claude Razel (Manager)Títulos Local AnoCampeã Pré-Mundial Bósnia 2008Campeã Euro Cup Eslováquia 2008Campeã Paulista São Paulo 2008Campeã Zambezi Challenge Zimbábue 2007Campeã Mundial de Rafting Coréia do Sul 2007Campeã Mundial de Sprint Coréia do Sul 2007Campeã Pan-americana Costa Rica 2006Penta Campeã Brasileira de RaftingBrasil2003/2004/2006/2007/2008Campeã Européia de Sprint 2003Campeã Mundial de Sprint 2003Medalha de Bronze Mundial República Tcheca 2003Campeã Extreme Rafting Challenge 2003Campeã Brasileira de R4 Brasil 2004Site oficial da equipe: www.alaya.com.brEXpEDIENtEMAHLE Aftermarket news 3/2008MAHLE Aftermarket news é uma publicação externa dodepartamento de Marketing e comunicação corporativada MAHLe Metal Leve S.A.Correspondência: Rodovia Limeira Mogi-Mirim, km 103ceP: 13480-970 - Limeira - SP - Brasilmonica.massacani@br.mahle.comwww.mahle.com.brComitê Editorial: edvaldo R. S. de Souza, Roberto Hojo, Mariacristina Zanco Andrade, Mônica Andréia Magalhães Massacani,A F T E R M A R K E Tn e w s1Robson Rezende, Susana G. Ribeiro, Franco nardi, Josemar Ribase Sidney OliveiraCoordenação: departamento de Marketing e comunicaçãocorporativaredação: Luciana Kobayashi e Otavio Mazza de AndradeJornalista responsável: Sonia Rezende – MTb 17.401 – SPCriação e produção: StudiocasecomTels.: (11) 3034-5217 e 3812-2760 – São Paulo – SPwww.studiocasecom.com.br

More magazines by this user
Similar magazines