Noções sobre acessibilidade web. - Ufs

dcomp.ufs.br

Noções sobre acessibilidade web. - Ufs

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Dr. Josué Modesto dos Passos Subrinho

Reitor

Dr. Angelo Roberto Antoniolli

Vice-Reitor

Dr. Ruy Belém de Araújo

Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Comunitários

Dr. Cláudio Andrade Macêdo

Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa

Dra. Suzana Leitão Russo

Centro de Inovação e Transferência de Tecnologia

Apoio:

INTEC

Centro de Inovação e

Transferência de Tecnologia

Capacite

Capacitação em Inovação

Tecnológica para Empresários

Maria Augusta Silveira Netto Nunes

Quelita Araújo Diniz da Silva

Adicineia Aparecida de Oliveira

Suzana Leitão Russo

Henrique Nou Schneider

Gabriel Francisco da Silva

NOÇÕES SOBRE:

ACESSIBILIDADE WEB!


Noções sobre:

Acessibilidade Web!

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Autores

Maria Augusta Silveira Netto Nunes

Quelita Araújo Diniz da Silva

Adicinéia Aparecida de Oliveira

Suzana Leitão Russo

Henrique Nou Schneider

Gabriel Francisco da Silva

1


Copyright© 2011 by Editora UFS

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

É permitida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou por

qualquer meio, desde que divulgadas as fontes.

N758

Capa e Coordenação Gráfica:

Quelita Araújo Diniz da Silva

Revisão:

Suzana Leitão Russo

Maria Augusta Silveira Netto Nunes

Impressão:

FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA BIBLIOTECA

CENTRAL

Noções sobre: acessibilidade web / Maria Augusta

Silveira Netto Nunes ... [et al.]. – São Cristóvão :

Universidade Federal de Sergipe, 2011.

30 p. : il.

ISBN 978-85-7822-197-3

1. Inclusão digital. 2. World Wide Web (Sistema de

recuperação da informação). 3. Integração social. l.

Nunes, Maria Augusta Silveira Netto.

2

CDU 004.738.5:316.42


APRESENTAÇÃO

O conhecimento sobre acessibilidade web é condição relevante no processo de

inclusão digital de pessoas que possuem alguma deficiência, sejam elas, físicas,

cognitivas ou sensoriais. Sendo assim, é condição de extrema importância ao

desenvolvedor de sistemas web conhecer as diretrizes que norteiam a

acessibilidade. Com o intuito de difundir esse conhecimento, foi elaborada esta

cartilha que apresenta o assunto de forma simplificada.

3


AGRADECIMENTOS

Expressamos nossos agradecimentos ao CNPQ, FAPITEC/SE, CINTEC,

UFS, ASCOM e CPD.

4


AI, COMO É DIFÍCIL

ACESSAR A INTERNET...

QUANDO SE TEM

PROBLEMAS VISUAIS!!!

O QUE FAÇO AGORA?

JÁ SEI! VOU FALAR

COM BRUNNO!

ELE ENTENDE TUDO

SOBRE INTERNET.

5


GUSTAVO EXPLICA

A SITUAÇÃO.

VOU TE EXPLICAR TUDO

SOBRE ACESSIBILIDADE WEB!

6

BRUNNO FALA QUE SABE

QUAL É O PROBLEMA!

VAMOS ENTRANDO...


NOTÍCIAS SOBRE OS DIVERSOS

ACONTECIMENTOS OCORRIDOS

NO MUNDO; COMUNICAÇÃO;

ACESSO A SERVIÇOS ONLINE;

SÃO COISAS CORRIQUEIRAS

E NORMAIS A QUALQUER PESSOA.

A ACESSIBILIDADE WEB PRESERVA

ESSE MESMO DIREITO PARA

OS USUÁRIOS COM

NECESSIDADES ESPECIAIS.

ASSIM, TUDO QUE É CONSIDERADO

acessível.com DEVE SER PASSÍVEL

DE ACESSO POR PORTADORES

DE ALGUMA DEFICIÊNCIA.

OS DESENVOLVEDORES DE SISTEMAS AO PREPARAREM SITES

PREOCUPAM-SE PRINCIPALMENTE COM O DESIGN, ESQUECENDO

QUE PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS,

ALGUNS OUTROS CUIDADOS DEVEM SER TOMADOS.

EXISTEM ALGUMAS RECOMENDAÇÕES NA

ELABORAÇÃO DE PÁGINAS DIFERENCIADAS

QUE ATENDEM AS ESPECIFICAÇÕES ACESSÍVEIS.

7

MAS É

DIFÍCIL?


QUE NADA, É MOLEZA! VOU TENTAR

TE EXPLICAR DE FORMA SIMPLES

AS RECOMENDAÇÕES DO W3C.

O QUE É

W3C?

É UM CONSÓRCIO DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA, FUNDADO

POR TIM BERNERS LEE EM 1994. SUA MISSÃO É CONDUZIR

A WORLD WIDE WEB (WWW) PARA QUE ATINJA TODO

SEU POTENCIAL, DESENVOLVENDO DIRETRIZES QUE GARANTAM

SEU CRESCIMENTO.

8

CERTO, MAS AINDA

NÃO ENTENDI

O QUE ISSO TEM

A VER COM

ACESSIBILIDADE.


O W3C CRIOU UM DOCUMENTO CONTENDO NORMAS QUE

AUXILIAM OS DESENVOLVEDORES A FORNECEREM UM CONTEÚDO

WEB ACESSÍVEL CHAMADO WCAG - WEB CONTENT ACESSIBILITY

GUIDELINES 1.0 DE 1994. ATUALMENTE O DOCUMENTO

ATUALIZADO É CONHECIDO POR WCAG 2.0.

A PRIMEIRA RECOMENDAÇÃO, DIZ RESPEITO,

AOS EQUIVALENTES TEXTUAIS, OU SEJA, O SITE

DEVE FORNECER ALTERNATIVAS EM TEXTO

AO CONTEÚDO SONORO E VISUAL.

AH, SIM AGORA

ENTENDI, MAS

QUAIS SÃO AS

RECOMENDAÇÕES?

ASSIM, QUANDO O USUÁRIO PASSAR O MOUSE EM

UMA IMAGEM OU VÍDEO SABERÁ O QUE AQUILO

REPRESENTA ANTES MESMO QUE A IMAGEM ESTEJA

ABERTA.

9

HUM...


MAS, E QUANTO AOS

DEFICIENTES VISUAIS?

HUM, BOA

PERGUNTA...

O LEITOR DE TELA

É UMA TECNOLOGIA

ASSISTIVA QUE

AUXILIA OS

DEFICIENTES VISUAIS

ATRAVÉS DOS

EQUIVALENTES

TEXTUAIS FAZENDO

LEITURA DO TEXTO

CONTIDO NO SITE.

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR

EM TECNOLOGIA ASSISTIVA?

NÃO!

ENTÃO DEIXA EU TE EXPLICAR: AS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS

SÃO EQUIPAMENTOS, SERVIÇOS, ESTRATÉGIAS OU PRÁTICAS

CONCEBIDAS E APLICADAS PARA MINIMIZAR OS PROBLEMAS

ENCONTRADOS PELAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS.

10

É...


ENTÃO DEIXA EU VER SE ENTENDI... QUEM NÃO ENXERGA

VAI ESCUTAR O QUE ESTÁ ESCRITO NO SITE ATRAVÉS DE UM

LEITOR DE TELA. E AS IMAGENS, VÍDEOS E OUTROS TEM

DE TER EQUIVALENTE TEXTUAL PARA QUE O LEITOR DE

TELA ENTENDA E TRANSMITA AO USUÁRIO ESPECIAL, É ISSO?

ISSO!

HUM... ESTÁ

QUERENDO

ENTENDER TUDO

MESMO NÉ?

E COMO É FEITO O EQUIVALENTE TEXTUAL?

11


NA LINGUAGEM DE MARCAÇÃO

DE HIPERTEXTO (HTML)SÓ

PRECISA UTILIZAR O ATRIBUTO

«ALT» PARA IMG, INPUT E APPLET!

USANDO APENAS ESSE ATRIBUTO

OS PROGRAMADORES DE

PÁGINAS WEB JÁ FORNECEM

O EQUIVALENTE TEXTUAL

DE ELEMENTOS NÃO TEXTUAIS.

ENTÃO É FÁCIL NÉ?

A SEGUNDA RECOMENDAÇÃO

DO W3C JÁ TRATA SOBRE

O DALTONISMO, OU SEJA,

TRATA DAS PESSOAS

QUE NÃO CONSEGUEM

DIFERENCIAR CORES.

PARA ASSEGURAR A ACESSIBILIDADE PARA ESSA CLASSE DE

PESSOAS O SITE DEVE PRIORIZAR INFORMAÇÕES COM

CONTRASTE DE COR QUE POSSAM SER VISTAS POR

QUALQUER PESSOA. OU MESMO, NO SITE, TER UM LINK

QUE DIRECIONA O DALTÔNICO PARA VISUALIZAR

A PÁGINA COM CORES CONTRASTANTES, POR EXEMPLO...

VERDADE!! EXISTEM PESSOAS QUE

NÃO CONSEGUEM VISUALIZAR

AS PÁGINAS, POR CAUSA DAS CORES.

EU CONHEÇO UMA PESSOA ASSIM...

COMO ELA SOFRE COM ISSO NA

INTERNET !!

12


OUTRAS INFORMAÇÕES

IMPORTANTES SÃO:

- USAR MARCAÇÕES PARA

TRANSMITIR INFORMAÇÕES

COMO EXEMPLO: O CSS-TEXTO.

- CONTROLAR PAGINAÇÃO

COM FOLHA DE ESTILO.

- DECLARAÇÃO DO TIPO

DE DOCUMENTO NO INÍCIO,

«DTD» EM HTML.

-INSERÇÃO DE ELEMENTOS DE

CABEÇALHOS, EM HTML USA-SE

PARA MARCAR

UMA SUBSEÇÃO DE .

CONTINUANDO...

- HIERARQUIZAÇÃO DAS LISTAS

- MARCAR CITAÇÕES.

TODAS ESSAS INFORMAÇÕES

FAZEM PARTE DA TERCEIRA

RECOMENDAÇÃO

DO W3C QUE RETRATA A

UTILIZAÇÃO CORRETA DE

MARCAÇÕES E FOLHA DE

ESTILO. SERVE PARA NÃO

PREJUDICAR A NAVEGAÇÃO

DO USUÁRIO ESPECIAL

ATRAVÉS DAS TECNOLOGIAS

ASSISTIVAS.

13

NOSSA, É MUITA COISA!

MAS, TUDO ISSO QUE ESTOU

FALANDO É PARA ORGANIZAÇÃO

E NAVEGAÇÃO ADEQUADA

DO SITE!


A RECOMENDAÇÃO QUATRO ESTÁ

DIRECIONADA, ESSENCIALMENTE,

A DISPOSIÇÃO DO IDIOMA, POIS,

SINTETIZADORES DE VOZ E

DISPOSITIVOS BRAILE, TÊM O PAPEL

DE CONVERTER TUDO QUE

ESTÁ INSERIDO NA TELA.

ESPERA-SE ENTÃO, QUE ESSAS

DUAS TECNOLOGIAS CUMPRAM

SEUS PAPÉIS NA INTEGRA E COMO

SE SABE, A MAIORIA DOS TEXTOS

CONTÉM INFORMAÇÕES OU

PALAVRAS EM INGLÊS, OU AINDA,

OUTROS IDIOMAS DIFERENTES

DO PROPOSTO INICIALMENTE.

ENTÃO, SE NÃO FOR ESPECIFICADO O IDIOMA E AS MUDANÇAS DE

IDIOMA, OS DISPOSITIVOS NÃO FUNCIONARÃO CORRETAMENTE E

NÃO FORNECERÃO TOTAL ASSISTÊNCIA, LEVANDO A INCOMPREENSÃO

AO USUÁRIO ESPECIAL E TORNANDO O TEXTO INDECIFRÁVEL.

ISSO MESMO!

O MESMO ACONTECE COM

AS SIGLAS, DEVEM CONTER

POR EXEMPLO O SIGNIFICADO

PELO MENOS NA PRIMEIRA

OCORRÊNCIA DENTRO

DO TEXTO.

14


AGORA VAMOS FAZER UMA DINÂMICA DIFERENTE?

VAMOS IMAGINAR QUE

SOMOS DEFICIENTES

VISUAIS E NÃO

ENXERGAMOS NADA.

CERTO.

SÓ O ESCURO...

VOU ABRIR AQUI O LEITOR DE TELA

E ACESSAR UM SITE... PRONTO.

15

O QUÊ ?

AGORA, EU VOU TECLAR NO «TAB»

VARIAS VEZES, ATÉ CHEGAR

ONDE QUERO E ENTÃO

TECLAR «ENTER». OK?

NOSSA, VOCÊ SENTIU

A DIFICULDADE?

EU NÃO CONSEGUI

IDENTIFICAR

ONDE ESTAVA...

A GENTE PAROU

NUMA TABELA E NÃO

SAIU DELA! POR MAIS

QUE TENTASSE!


E POR QUE ISSO

ACONTECEU ?

ENTENDI E GOSTEI DA DINÂMICA.

É BOM A GENTE PERCEBER A

DIFICULDADE DAS PESSOAS.

EU TENHO APENAS UM PROBLEMA

DE VISÃO, 13 GRAUS EM

CADA OLHO E ME IRRITA

AQUELAS LETRINHAS

MIÚDAS... IMAGINE NÃO

ENXERGAR NADA!

16

VOU TE EXPLICAR. PARA A

GENTE CONSEGUIR ACESSAR

SEM DIFICULDADES, AS

TABELAS TEM DE SEGUIR

UMA HIERARQUIA

COMO SEGUE:

- IDENTIFICAR CABEÇALHO;

- IDENTIFICAR A CÉLULA DE

DADOS;

- AGRUPAR LINHAS COM

DOIS OU MAIS NÍVEIS

LÓGICOS;

- AGRUPAR COLUNAS;

- FORNECER SUMÁRIO;

- NÃO UTILIZAR TABELA

PARA EFEITOS DE PRODUZIR

DISPOSIÇÃO NA PÁGINA;

ENTENDEU?


E AÍ, TEM MAIS ALGUMA COISA

PARA COMPARTILHAR? ESTOU SUPER INTERESSADO

NO ASSUNTO,

ACHANDO MUITO LEGAL

ESSA NOSSA CONVERSA,

SABIA?

EU SABIA DISSO (KKKKKK)

ESTOU VENDO SUA " CARA "

DE EMPOLGAÇÃO!

17

MAS, SE PREPARA...

TEM MUITO MAIS

RECOMENDAÇÕES PARA

TE MOSTRAR E VOCÊ VAI

SAIR DAQUI « CRAQUE

»

NO QUE SE REFERE À

ACESSIBILIDADE WEB!


VOCÊ SABIA QUE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS

COGNITIVAS, O MOVIMENTO DE TEXTO EM SITES PODE

SER FONTE DE DISTRAÇÃO? E EM ALGUMAS PESSOAS

PODE ATÉ CAUSAR ATAQUE EPILÉPTICO?

NÃO,

SÉRIO?

EU DESCOBRI ISSO A

POUCO TEMPO, ATRAVÉS

DE UM SITE QUE

MOSTRA A

ACESSIBILIDADE LEGAL.

(http:acessibilidadelegal.com)

ALÉM DISSO, MOVIMENTO

DE TEXTO TORNA A PÁGINA

INACESSÍVEL. POIS,

LEITORES DE TELA NÃO

SÃO CAPAZES DE LER

TEXTO EM MOVIMENTO!

18

SÉRIO! AS PESSOAS

COM EPILEPSIA

FOTOSSENSÍVEL

PODEM TER ATAQUES

PROVOCADOS POR

TREMIDOS OU

FLASHES NA FAIXA

DE 2 A 60 FLASHES

POR SEGUNDO

(HERTZ).

COM UM PICO DE

SENSIBILIDADE

EM 20 FLASHES

POR SEGUNDO.


E QUAIS SÃO AS

RECOMENDAÇÕES

DESSA VEZ

DR. BRUNNO?

ESTOU PRECISANDO

DE UMA ÁGUA...

VAMOS LÁ

NA COZINHA?

DEPOIS NÃO

RECLAMA DE

TANTA FALAÇÃO,

VOCÊ QUE

ESTÁ PEDINDO

(KKKKKKKK).

- EVITAR INTERMITÊNCIA DA TELA;

- EVITAR O PISCAR DO CONTEÚDO NA TELA;

- EVITAR PÁGINAS CONTENDO MOVIMENTO;

- POSSIBILITAR MECANISMOS PARA IMPEDIR

ATUALIZAÇÕES;

- NÃO CRIAR PÁGINAS DE ATUALIZAÇÃO

AUTOMÁTICA PERIÓDICA, OU SEJA, NÃO

INTRODUZIR O

«

HTTP-EQUIV=REFRESH

»

NO

DESENVOLVIMENTO DAS PÁGINAS

AUTOMATICAMENTE;

- NÃO UTILIZAR MARCAÇÕES PARA O

REDIRECIONAMENTO DAS

PÁGINAS AUTOMATICAMENTE.

20

VAMOS SIM!


ESSA ÁGUA RENDEU

UM LANCHINHO LEGAL,

HUM... DELÍCIA!

ENTÃO

VAMOS COMER

TUDO RÁPIDO!

QUE TODO USUÁRIO TEM DE

TER UM LEITOR DE TELA, FONE

OU CAIXAS DE SOM EM SEU

COMPUTADOR, SABER USAR

O TECLADO CORRETAMENTE...

AH, ISSO EU

JÁ ENTENDI!

19

GUSTAVO, VOCÊ

PRECISA ENTENDER

MAIS UMA COISA!

O QUÊ?

ÓTIMO, JÁ PODEMOS

PASSAR PARA AS

PRÓXIMAS AULAS.

COM CERTEZA, SÓ

DEIXA EU ACABAR DE

COMER AQUI, OK?


ENTÃO... DEPOIS

DE NOSSO LANCHE

VAMOS CONTINUAR

FALANDO SOBRE

ACESSIBILIDADE?

SABE O QUE TAMBÉM

É INTERESSANTE:

CRIAR UMA SEQUÊNCIA

LÓGICA DE

TABULAÇÃO PARA

PERCORRER LINKS,

CONTROLES DE

FORMULÁRIOS E

OBJETOS. EM HTML,

«TABINDEX»

ESPECIFICA A ORDEM

DE TABULAÇÃO.

21

CLARO!

EU NÃO

PENSEI NISSO,

MAS, QUANDO

A PESSOA NÃO

ENXERGA

ACABA

TENDO QUE

SER GUIADA

POR ALGO.

ASSIM,

REALMENTE É

INTERESSANTE

MANTER UMA

ORDEM

NO SITE!


GUSTAVO, AGORA

VOCÊ VAI RESPONDER

A MINHA

PERGUNTA, OK?

E QUANTO AQUELAS

ÁREAS DE TEXTO DE

BUSCA E CAIXAS

DE EDIÇÃO?

O QUE DEVE SER

FEITO PARA INCLUIR

ACESSIBILIDADE?

IIIH! ME PEGOU, NÃO SEI!

OK!

É SÓ INCLUIR CARACTERES DE PREENCHIMENTO NAS CAIXAS DE EDIÇÃO

E NAS ÁREAS DE TEXTO PARA QUE O USUÁRIO ESPECIAL SAIBA O QUE

FAZER. UM EXEMPLO: DIGITE AQUI A PALAVRA A SER BUSCADA!

23


ME DIZ UMA COISA, QUANTO AO TECLADO?

NÃO TEM NENHUMA NORMA A SER SEGUIDA?

BRUNNO VOCÊ JÁ VIU

AQUELES SITES CHATOS

QUE ABREM JANELAS

SOBREPONDO-SE

AO SITE? AQUELA

PRÁTICA É VIAVEL?

CLARO! O SITE TEM

QUE FORNECER

ATALHOS QUE

APONTEM PARA

LINKS E CONTROLE

DE FORMULÁRIOS

PARA O TECLADO.

JÁ VI SIM, MAS, NÃO É BOA PRÁTICA,

É RECOMENDADO NÃO PROVOCAR

JANELAS DE SOBREPOSIÇÃO A ATUAL

E NÃO MODIFICAR O CONTEÚDO

DA JANELA ATUAL SEM QUE O

USUÁRIO SEJA INFORMADO.

22


AH, UMA COISA QUE ESQUECI DE FALAR,

FOI SOBRE A CLAREZA E SIMPLICIDADE

DO TEXTO.

VOCÊ ESTÁ FALANDO

SOBRE A LINGUAGEM?

SIM, LINGUAGEM SIMPLES QUE POSSA

SER COMPREENSÍVEL A TODOS!

CORRETO!

24


ALÉM DISSO, A RELAÇÃO DO CONTEÚDO

COM O LAYOUT DO SITE DEVE SER FEITO

DE FORMA AGRADÁVEL.

COMO ASSIM?

ESTOU TENTANDO EXPLICAR QUE A SEQUÊNCIA/ORGANIZAÇÃO

DO CONTEÚDO NÃO PODE

COMPROMETER O ENTENDIMENTO DO LEITOR.

CERTO!

25


BOM, POR HOJE É SÓ...

JÁ TE EXPLIQUEI TUDO

SOBRE ACESSIBILIDADE!

QUALQUER COISA VOCÊ

ENTRA NO SITE DO

W3C: www.w3c.br

E ENCONTRA LÁ!

BRUNNO, VOCÊ FOI

MUITO GENTIL,

AGORA SEI TUDO SOBRE

ACESSIBILIDADE WEB!

QUALQUER COISA

POSSO TE PROCURAR

DE NOVO?

26

ÓTIMO, OBRIGADO

PELAS DICAS!

CLARO,

SEMPRE

QUE

QUISER.

FIM


BIBLIOGRAFIA

ACESSIBILIDADE LEGAL. Disponível em: acessibilidadelegal.com

Acesso: 15 Ago. 2011.

WCAG 1.0. Disponível em: www.w3.org/TR/WCAG10.

WCAG 2.0. Disponível em: www.w3.org/TR/WCAG20.

BERSCHE, Rita; TONOLLI , J. Carlos. Introdução ao Conceito de

Tecnologia Assistiva. Disponível em:

http://www.bengalalegal.com/tecnol-a.php Acesso em: 01 jan. 2011.

SOBRE OS AUTORES

ADICINÉIA APARECIDA DE OLIVEIRA

Professora Adjunto do Departamento de Computação da Universidade Federal de

Sergipe. Doutora em Engenharia Elétrica (Sistemas Digitais) pela Escola Politécnica da

Universidade de São Paulo. Mestre em Administração pela Pontifícia Universidade

Católica de São Paulo.Especialista em Análise e Projeto de Sistemas pela Fecap.

Graduada em Administração de Empresas pela Universidade Cruzeiro do Sul. Possui

experiência de 22 anos como docente no ensino superior. Coordenou cursos de Sistemas

de Informação e Ciência da Computação. Foi Gerente e Consultora na área de Tecnologia

da Informação (TI). Participa do grupo de pesquisa em Engenharia de Software do

DCOMP/UFS. Tem interesse e desenvolve pesquisas que incluem Engenharia de

Software, Engenharia Web, Sistemas de Informação, Gestão da TI, Gestão de Projetos,

Informática na Educação, Informática na Saúde e Modelagem de Negócios e Sistemas.

GABRIEL FRANCISCO DA SILVA

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal da Paraíba (1988),

mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal da Paraíba (1991) e

doutorado em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (1999).

Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Sergipe. Tem experiência

na área de Engenharia Química, com ênfase em Operações de Separação e Mistura,

atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de tecnologia em petróleo

e gás, biocombustível, agroenergia, energia solar, secagem, armazenamento, refrigeração,

extração com fluido supercrítico, escoamento, propriedades termofísicas, processamento

de produtos agroindustriais, modelagem termodinâmica e modelagem fluidodinâmica

computacional. Atualmente é boslsista Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico

e Extensão Inovadora DT II - 2010-2013.

QUELITA ARAÚJO DINIZ DA SILVA

Graduando em ciência da computação pela Universidade Federal de Sergipe – UFS. Foi

bolsista de inovação tecnológica (PIBITI) e atualmente é bolsista de extensão (PIBIX).

27


MARIA AUGUSTA SILVEIRA NETTO NUNES

Professora Adjunto do Departamento de Computação da Universidade Federal de

Sergipe. Membro do Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação (PROCC)-

UFS. Doutora em "Informatique pela Université de Montpellier II – LIRMM em

Monpellier, França (2008). Realizou estágio doutoral no INESC-ID- IST Lisboa-

Portugal.É mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande

do Sul (1998) e possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade de Passo

Fundo (1995) . Possui experiência acadêmico-tecnológica na área de Ciência da

Computação e Inovação Tecnológica (Propriedade Intelectual). É membro da

(COMPITEC) – UFS, membro da Câmara de Assessoramento em Inovação

daFAPITEC/SE e membro da (COMPIBIT)-UFS. É membro da Associação Sergipana

de Ciência. Possui

também experiências Acadêmico-administrativas como Coordenadora de Curso de

Graduação, Pos-graduação e Chefia de Departamento. Atualmente, suas pesquisas estão

voltadas, principalmente na área de inovação Tecnológica usando Computação Afetiva

na tomada de decisão Computacional, principalmente visando a personalização em

ambientes de E-commerce via Sistema de Recomendação, recomendação de equipes de

trabalho em Empresas, e-training.. Atua também em Inovação Tecnológica (Propriedade

Intelectual e Ativos Intangíveis) capacitando empresários na área de TI e fornecendo

consultoria em Registro de Software.

HENRIQUE NOU SCHNEIDER

Engenheiro Civil pela UFS. Mestre em Ciência da Computação pela UNICAMP. Doutor

em Engenharia de Produção pela UFSC. Professor da UFS nos cursos de bacharelado em

Ciência da Computação e em Sistema de Informação; e nos mestrados em Computação e

em Educação. Professor do IFS no curso técnico de Desenvolvimento de Sistemas. Atua

nas áreas de Informática Educativa, Interação Humano-Computador e Sociologia da

Internet.

SUZANA LEITÃO RUSSO

Possui Pós-Doutorado em Métodos Quantitativos Aplicados à Gestão pela Universidade

de Algarve em Faro/Portugal (2005), doutorado em Engenharia de Produção pela UFSC

(2002), mestrado em Estatística pela PUC/RJ (1993). Professora Adjunta da

Universidade Federal de Sergipe. Coordenadora do Centro de Inovação e Transferência

de Tecnologia (CINTEC) e do Núcleo de Propriedade Intelectual (NPI) da UFS . Atua na

Área de Engenharia de Produção e Estatística Aplicada, com aplicações em Petróleo e

Gás, principalmente nos temas: Séries Temporais, Previsão, Estatística Multivariada,

Gráficos de Controle. Bolsista de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e

Extensão Inovadora CNPq 2.

28

More magazines by this user
Similar magazines