Views
2 years ago

Uma Proposta para Melhorar o Rastreamento de Requisitos - WER

Uma Proposta para Melhorar o Rastreamento de Requisitos - WER

Uma

Uma Proposta para Melhorar o Rastreamento de Requisitos 201diferentes projetos de software. Entretanto, isto não invalida ou inviabiliza a aplicaçãodo modelo intermediário, porque o mesmo pode ser melhorado e adaptado àsnecessidades dos projetos de uma organização.Alguns dos principais objetivos do modelo intermediário são:1. Servir como um ponto de partida para identificação, discussão e construção deum modelo de rastreamento.2. Identificar as informações geralmente encontradas nos modelos de rastreamentodos diferentes projetos. Por exemplo, o modelo intermediário fornece uma visãodo rastreamento mais próxima da realidade de um projetista de software, porqueo modelo identifica os artefatos comuns da fase de projeto.3. Contribuir na derivação dos modelos de rastreamento dos projetos de software.4. Realçar a importância dos tipos de relacionamentos do meta-modelo, paraincrementar o significado e entendimento dos modelos intermediários eparticulares de um projeto. No modelo de rastreamento de projeto proposto porRamesh ([Ramesh, 2001]), o significado atribuído aos relacionamentos é feitopela nomeação do próprio relacionamento. Por exemplo, você como leitorentende o significado dos relacionamentos chamados direciona, faz e modifica?Provavelmente não, mas poderá entende-los se observar o modelo de Ramesh.Com o exemplo, desejamos ilustrar que o significado atribuído a umrelacionamento pelo nome definido pelo usuário pode ser claro para o seu autor,mas não necessariamente para outros usuários.Na seção seguinte, apresentaremos e aplicaremos um processo para desenvolverum modelo de rastreamento.6. Processo para Desenvolver um Modelo de RastreamentoOs objetivos desta seção são apresentar e aplicar um conjunto de diretrizes donosso processo, para desenvolver um modelo de rastreamento de requisitos. Os trêsimportantes componentes do processo são:1. A aplicação dos quatro níveis de informações.2. O meta-modelo de rastreamento3. O uso do modelo intermediário para o rastreamento de requisitos.A apresentação do processo será feita sobre um sistema de biblioteca que estásendo desenvolvido e implantado em quatro campus da Universidade Estadual doOeste do Paraná (UNIOESTE).O sistema de biblioteca visa gerenciar e integrar os dados bibliográficos de todas asbibliotecas das diferentes sedes da UNIOESTE, localizadas em diversas cidades doEstado do Paraná. O sistema gerenciará todas as informações dos seus usuários(alunos, professores e funcionários), operadores (atendentes, bibliotecária,administradores), das obras (livros, multimídia, etc), circulação de obras (porexemplo, empréstimo, reserva, devolução), e fornecerá dados estatísticos referentesao acervo e circulação das obras.

202 WER 2002A matriz da Figura 6 apresenta as classes candidatas, identificadas para o modelode rastreamento do sistema de biblioteca.AmbientalAnálise Projeto Implementação TesteInformaçãoFormatoOrganizacional ObjetivoOrganizacionalGerencialDesenvolvimentoPessoaObjetivoSistemaRequisitoDiagrama,SubsistemaFig. 6. Organizando as classes candidatasProgramaA primeira linha da matriz identifica as fases genéricas de um processo desoftware. A primeira coluna identifica os quatro níveis de informação. A justificativada inclusão de cada uma das classes, da Figura 6, será fornecida na próximaSubseção.6.1 Identificação e aplicação de Diretrizes para Desenvolvver ummodelo de Rastreamento.Uma das primeiras atividades para desenvolver e representar um conjunto derelacionamentos, é fornecer algumas convenções usadas no trabalho. Algumas delassão:1. O nome e tipo da associação representada na matriz são colocados na partesuperior esquerda da matriz. A representação do tipo de uma associação nomodelo de rasteamento é expresso através de um rótulo. Por exemplo, a Figura 7apresenta o rotulo “” para representar uma associação de tipo de recurso.2. Junto com o nome da associação colocaremos o símbolo de uma seta paraidentificar as instâncias da classe destino na associação. Se for usado o símbolo“ ”, então as instâncias declaradas na primeira fila da matriz são instânciasda classe destino. Caso contrário (“ ”), as instâncias declaradas na primeiracoluna da matriz são instâncias da classe destino. Por exemplo, a Figura 7 indicaque o nome do relacionamento representado do modelo de rastreamento dosistema de biblioteca (Figura 13) é dep_rec_org.3. Na primeira coluna e primeira fila das matrizes de rastreamento, usaremosexpressões para identificar as instâncias de uma classe.A seguir, apresentamos as expressões usadas para identificar as diferentesinstâncias das classes que formaram parte do modelo de rastreamento.[OBO] = Objetivos organizacionais[OBS] = Objetivos do sistema[PRO] = Programa do sistema[DGM] = Diagramas

Uma Proposta de Elicitação e Análise de Requisitos no ... - WER
Abordagem da Engenharia de Requisitos para Software ... - WER
Processo de Engenharia de Requisitos Aplicado a ... - WER
Padrões de Escrita de Requisitos: um mapeamento ... - WER
Integrando Groupware e Gerenciamento de Requisitos no ... - WER
Indicadores para a Gerência de Requisitos - WER - PUC-Rio
15 Workshop em Engenharia de Requisitos - WER - PUC-Rio
GERSE: Guia de Elicitação de Requisitos para Sistemas ... - WER
Método ERi*c - Engenharia de Requisitos ... - WER - PUC-Rio
proposta de requisitos básicos para a construção de um sistema ...
proposta de requisitos básicos para a construção de um sistema ...
uma proposta de apoio sistematizado à gerência de requisitos do ...
Proposta de requisitos básicos para construção de um sistema ...