Views
2 years ago

lucas fernando krug influência do beneficiamento ... - Cimento Itambé

lucas fernando krug influência do beneficiamento ... - Cimento Itambé

463.2.1

463.2.1 Cimento CP-II-F-32O cimento a ser utilizado é o CP II F – 32, determinado pelo fato de não possuiradição pozolânica em sua composição de acordo com a Norma ABNT NBR 11578: 1991, eainda por ser um cimento bastante utilizado e de prática comum das concreteiras comerciais.Apresenta-se a caracterização química e física do cimento utilizado conformedescrição fornecida pelo fabricante (Itambé Cimentos) de acordo com o lote de produção. ATabela 2 mostra os resultados dos ensaios químicos enquanto que a Tabela 3 mostra osresultados da caracterização física do cimento utilizado, conforme relatório do fabricante.Tabela 2 – Caracterização química do cimentoQUÍMICOSAl 2 O 3 SiO 2 Fe 2 O 3 CaO MgO SO 3 Perda ao CaO Resíd. Equiv.Fogo Livre Insol. Alcal.% % % % % % % % % %4,07 18,49 2,55 59,79 5,35 3,11 5,42 1,04 1,54 0,62Tabela 3 – Caracterização física do cimentoFÍSICOSExp. Tempo de Cons. Blaine #200 #325Quente pegaNormalResistência à compressãoInício Fim 1dia3dias7dias28diasmm h:min h:min % cm²/g % % MPa MPa MPa MPa1,00 03:20 04:00 25,2 3.130 6,80 20,90 9,3 24,0 31,0 42,23.2.2 Cinza de casca de arrozA CCA utilizada neste trabalho é oriunda do processo de combustão em caldeira daempresa AMBEV de Viamão/RS, que utiliza casca de arroz como combustível. Neste sistemacontínuo a casca de arroz é alimentada automaticamente, modulada de acordo com a pressãode vapor da caldeira. O material atravessa a fornalha, com temperatura que varia entre 600 a700ºC, por meio de uma grelha deslizante durante 9 minutos. A velocidade da grelha alteraconforme a quantidade de casca que está sendo alimentada, bem como a vazão de ar que entrano sistema. As amostras coletadas na indústria foram transportadas dentro de sacos depolipropileno até o Laboratório de Materiais de Construção da UNISINOS, onde foramarmazenadas em local protegido de chuva e umidade, até que fossem utilizadas.

473.2.2.1 Peneiramento da CCAO processo de peneiramento da cinza consistiu em eliminar possíveis partículas quecontaminassem o restante da amostra, tais como grumos de cascas que não foram queimadasde forma homogênea, ou ainda grumos que ficaram expostos a um tempo maior de queima,passando assim para a fase cristalina (com mudança de cor).Realizou-se peneiramento por agitador de peneiras durante 10 minutos utilizando umamalha de peneira de 1,2mm. A escolha da peneira de 1,2mm foi a mesma do trabalho deKieling (2009), integrante do projeto de cinza de casca de arroz, que utilizou esta peneiracomo abertura de corte através de uma análise visual, e comprovou a eliminação de materialmais grosseiro, o que tornou o material com maior homogeneidade. Salienta-se queaproximadamente 10% de massa foi retida na peneira 1,2mm. A Figura 6 mostra a cinzanatural conforme coletada. O material retido em forma de grumos com coloração diferenteencontra-se na Figura 7. Já a passante na peneira 1,2mm encontra-se na Figura 8.Figura 6 –Cinza Natural (sembeneficiamento)Figura 7 –Material retido napeneira 1,2mmFigura 8 –Material passante napeneira 1,2mmFigura 9 –Cinza natural(Kieling, 2009)Figura 10 –Material retido napeneira 1,2mm (Kieling, 2009)Figura 11 –Material passante napeneira 1,2mm (Kieling, 2009)

Fernanda Duarte Lopes Lucas Da Silva - Conpedi
Maria Luísa Spínola Fernandes Lucas 2007 ... - DigitUMa