Views
2 years ago

Tradução de Ana Biscaia Tradução de Manuel Alberto Vieira

Tradução de Ana Biscaia Tradução de Manuel Alberto Vieira

as vidas

as vidas de muitos dos seus soldados e que poderia, com efeito, prolongar acampanha durante meses, a menos que a situação fosse resolvida de formacélere. Pois muito bem. Que Murat emendasse os seus erros retrocedendoàs ordens iniciais. Os seus olhos abriram-se num movimento rápido.— Quero que regresse imediatamente às suas funções.— Sire, eu e o meu estado-maior acabámos de chegar ao quartel-general.Viajámos a cavalo durante dois dias de forma quase ininterrupta.— Imediatamente. — Napoleão ignorou-lhe o protesto. — Cumpre-lheperseguir os russos sem demora. Quando estabelecer contacto,mantenha-se em cima deles. Não dê a Kutusov a menor hipótese de parare descansar. Faça-os recuar, para leste e norte, para o mais longe possível dequalquer força militar austríaca. Depois reze para que tenha agido a tempo.Estamos entendidos?— Sim, sire.— Então vá. — Napoleão inclinou a cabeça para a frente de encontroaos nós dos dedos. — Agora.Murat aquiesceu com um aceno de cabeça, ergueu-se do banco, edeteve-se por um momento, tentando pensar nalgumas palavras de autojustificaçãopara dizer. Depois desistiu e fez o caminho inverso ao encontroda porta, abriu-a com um puxão e berrou ao seu estado-maior para que sedirigisse ao exterior e montasse de imediato. Escutou-se um coro de cadeirassendo arrastadas e pancadas de botas pesadas contra o chão enquantoos oficiais de cavalaria pegavam apressadamente nos seus chapéus e capascurtas e abandonavam o edifício, gritando aos moços de estrebaria que lhesfossem buscar os cavalos aos estábulos.Capítulo 14Após um breve descanso para se empanturrarem de comida retirada dasprovisões que haviam estado armazenadas em Viena, os homens do GrandeExército atravessaram o Danúbio para entrarem na Morávia, numa alturaem que o inverno se começava a instalar severamente através da paisagem.Mesmo durante o dia, a temperatura raramente subia mais do queuns escassos graus acima do ponto de congelamento e a chuva frequenteregelava os homens até aos ossos. Já haviam passado quase dois meses desdeque a campanha começara e a fadiga das tropas era facilmente percebidapelos seus comandantes à medida que palmilhavam penosamente atravésda região rural ondulada em perseguição dos russos. A todo o momentochegavam relatórios a Napoleão indicando que a Prússia se estava a prepararpara a guerra e a mobilizar o seu exército, pronto para atacar. Do120

Sul chegavam notícias ainda mais inquietantes: Marmont contava com achegada de noventa mil soldados austríacos que a qualquer momento marchariamdesde Itália.A caminho de finais de novembro, Napoleão deteve o exército próximode Brunn para descansar e considerar a cada vez mais perigosa situação.Os batedores de Murat haviam relatado que o exército de Kutusov foraalargado com reforços de modo a que pudesse reunir aproximadamentecem mil russos e austríacos para defrontar o Grande Exército.— Qual o nosso contingente? — perguntou Napoleão a Berthier nessanoite.— Temos cinquenta mil aqui connosco, sire. Se Bernadotte e Davoutreceberem a ordem para se juntarem a nós, perfará setenta mil homens.— Que ainda assim nos deixará inferiorizados em número — ponderouNapoleão. Os números não eram tudo, fez questão de se lembrar. Noconfronto direto, os soldados e oficiais do Grande Exército eram os melhoresda Europa. E também se tratava de uma questão de liderança. Kutusov eraum comandante suficientemente capaz, porém velho e habituado a planos deguerra que Napoleão considerava ultrapassados. Para além disso, o generalrusso liderava uma força poliglota, e teria de se debater com a interferênciados generais austríacos. Para piorar ainda mais a situação de Kutusov, oCzar proclamara alto e bom som que ele próprio, em pessoa, levaria os seushomens à vitória sobre a França e partira de Moscovo para assumir o comando.Portanto, a disparidade em termos numéricos era suportável, refletiuNapoleão — contanto que se travasse uma batalha em breve. Mas o tempojogava a favor de Kutusov. Com a mobilização dos prussianos, e a emergênciaiminente de um numeroso exército austríaco dos Alpes, Napoleão seriaapanhado entre os inimigos e dominado. Também o inquietava a escassez deprovisões para os seus homens. Estavam em marcha há mais de dois mesese a chegar ao fim de uma muito longa e vulnerável cadeia de abastecimento.O ato de forragear era difícil posto que os russos haviam despido o solo quese estendia à frente do Grande Exército e deixado pouca coisa no seu rasto.Acenou com a cabeça de si para si e depois levantou-a na direção deBerthier.— Estamos numa posição perigosa. Quer-me parecer que a soluçãomais acertada é batermos em retirada rumo a Ulm e esperar por reforçosantes de prosseguirmos com a campanha.— Se entende que isso é sensato, sire — disse Berthier cuidadosamente.Napoleão esboçou um sorriso.— Bom, você obviamente pensa de modo diferente.Berthier entrelaçou os dedos e ruminou o lábio por um momentoantes de continuar.121

Tradução de: J. Espadeiro Martins, Ana Silva e Teresa Damásio
Tradução da doc de Perl
Caderno Lingua Portuguesa - Ana Paula Teixeira - Dom Alberto
O Comodoro Alberto Manuel Silvestre Correia nasceu a 8 de Agosto ...
ESTATUTO DO IDOSO: AVANÇOS COM CONTRADIÇÕES Ana ...
Diagnóstico das águas do Brasil - Ana
Evolução - RH São Francisco - Ana
Evolução - RH Atlântico Sul - Ana
Evolução - RH Atlântico Leste - Ana
Evolução - RH Tocantins-Araguaia - Ana
Irrigação no Plano Estratégico - Ana
Evolução - RH Atlântico Sudeste - Ana
PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH - Ana
aNA - AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA - LENHS UFPB
Evolução - RH Atlântico Nordeste Ocidental - Ana
ANA vai regular serviços de irrigação Nova atribuição será para ...
plano nacional de recursos hídricos navegação interior - Ana
MACIEL, Ana Paula. Vacância residencial na RMBH. Dissertação ...
Evolução - RH Atlântico Nordeste Oriental - Ana