Edição 118 download da revista completa - Logweb

logweb.com.br
  • No tags were found...

Edição 118 download da revista completa - Logweb

eferência em logística| www.logweb.com.br |


Têxtil e vestuário:logística regida pela “moda”Análise Setorial


edição nº 118 | Dez | 2011 | 3referência em logísticaPublicação mensal,especializada em logística,da Logweb Editora Ltda.Parte integrante do portalwww.logweb.com.brtwitter: logweb_editoraRedação, Publicidade,Circulação e AdministraçãoRua dos Pinheiros, 240 - conj. 1205422-000 - São Paulo - SPFone/Fax: 11 3081.2772Nextel: 11 7714.5379 ID: 15*7582RedaçãoNextel: 11 7714.5381 ID: 15*7949EditorWanderley Gonelli Gonçalves(MTB/SP 12068)jornalismo@logweb.com.brRedaçãoMariana Mirrha (MTB/SP 56654)redacao2@logweb.com.brRafael Mainardiredacao3@logweb.com.brDiretoria ExecutivaValeria Limavaleria.lima@logweb.com.brMarketingJosé Luíz Nammurjlnammur@logweb.com.brAdministração/FinançasLuís Cláudio R. Ferreiraluis.claudio@logweb.com.brDiretoria ComercialMaria ZimmermannCel.: 11 7714.5378Nextel: ID 55*15*7581maria@logweb.com.brAssistente ComercialJúlia Gonçalvescomercial@logweb.com.brGerência de NegóciosNivaldo ManzanoCel.: 11 9701.2077nivaldo@logweb.com.brDiagramação e CapaAlexandre GomesOs artigos assinados e os anúncios não expressam,necessariamente, a opinião da revistaQue venha 2012É até lugar comum dizer que, o ano passou voando, mas não podemosdizer o contrário. Para nós, que corremos com fechamentos de ediçõesmensais da revista e atualizações diárias de notícias no portal, o ano pareceque passa mais rápido ainda, tal a frequência de informações que vivenciamosno dia a dia: informações velhas, informações novas, informações duvidosas,informações chapa branca, informações marqueteiras, etc. Mal dá para ver odia passar, tal o cuidado que devemos ter no gerenciamento destas informaçõese a preocupação em passá-las aos nossos leitores.Quando falamos de Logweb, o tempo parece que passou mais rápidoainda. Em fevereiro próximo, a revista completa dez anos. Parece que foiontem que iniciamos a Logweb, então no formato de jornal, num momento emque se firmava o e-commerce, setor onde a logística era a responsável pelosacertos e fracassos na hora da entrega, principalmente em épocas como esta,de final de ano.E fomos em frente com a publicação, retratando as mudanças domercado, as variações, as novidades, tudo o que aconteceu na logística e emseus segmentos correlatos. Tudo passou muito rápido, nem parece que foram10 anos.Agora é hora de se preparar para 2012, e nós já começamos a trabalharpautas, participação em eventos diversos e novidades, muitas novidades. Quevenha 2012: para nós, da Logweb, já começou.Bem, referindo-nos a esta última edição de 2011, temos dois destaques.O primeiro é a Análise Setorial, quando várias Associações ligadas ao nossosegmento fazem uma avaliação do ano que termina. E também projeções para2012, levando em conta vários fatores. Trata-se de uma tradição da revistaLogweb, levada a cabo a cada final de ano, e que serve de balizamento para asações de nossos leitores.Outro destaque é o guia de Operadores Logísticos e transportadores nasáreas têxtil e de vestuário. Aqui, representantes destas empresas abordam osdiferenciais da logística nestas duas áreas, apontam os problemas e as soluçõese destacam as tendências. Outra tradição da Logweb, e que se repete a cadaedição da revista, abordando vários segmentos. Mais uma série de reportagensque agrega valor ao dia a dia dos profissionais do nosso setor.No mais, queremos desejar aos nossos leitores um anonovo repleto de realizações e sucesso. E lembrar que podemcontar, como sempre, com a Logweb como mídia referênciaem logística.


6 | edição nº 118 | Dez | 2011EntrevistaRuy Cortez de Oliveira discute osbenefícios que a intralogística bempensada pode trazer para a empresaO CEO do Kaizen Institute Brazil e consultor do Banco Interamericano para o Desenvolvimento – BID e do Programa dasNações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD explica como a intralogística é fator importante para uma finançasaudável nas companhias e de que forma ela está sendo implementada.Há alguns anos,os estudos emintralogísticacomeçaram a mostrar quemelhorar a logística internadas empresas significaaumentar produtividade ereduzir perdas provocadas poratividades que não agregamvalor ao negócio. Segundo aKaizen Institute Brazil (Fone:11 5052.6681), calcula-se quecerca de 25% das atividadesde uma empresa, de qualquersegmento, estão relacionadasà logística interna. Desde areestruturação organizacional,o sistema de armazenagem,a melhor capacitação daspessoas, presença desistemas mais eficientes dearmazenagem, criação decontroles e indicativos deeficiência, maior foco emaumento de produtividadeaté a melhoria do fluxointerno, tudo deve passar porum aprofundado estudo deintralogística para que umpadrão de excelência sejaalcançado ao sincronizar todasessas ações. Hoje, estima-seque, com boa intralogística,oíndice de eficiência podeoscilar entre 30% e 50% paraaté 95%.Apesar dos bons índices,muitas empresas nãoconseguem compreender deque maneira a intralogísticapode ser benéfica ou comoimplantar um processo dessesdentro da corporação.Como explica Oliveira, ementrevista exclusiva paraa revista Logweb, antesde implantar uma logísticainterna na empresa énecessário compreender suaspossibilidades e funções paraque seja possível atenderà demanda da empresa noque diz respeito ao assunto.No Brasil, por exemplo, essacompreensão surge com aautomação dos procedimentosinternos, que trazem o aumentode qualidade e produtividadedos processos logísticos,gerando maior competitividadeno mercado.Para desenvolver mais sobreo assunto, a revista Logwebouviu o profissional que dáuma extensa análise a seguirsobre o assunto, mostrandoque a intralogística pode seraplicada em qualquer setor domercado.Logweb: Qual aimportância daintralogística nasempresas? Paraquê ela serve?Oliveira: Antes de respondersobre a importância daintralogística, é necessáriodefinir a sua abrangênciadentro das operações nasempresas. A intralogística,ou o Fluxo da LogísticaInterna, é o tratamentodos materiais, desde orecebimento das matériasprimas,seu acondicionandopara armazenagem, oabastecimento das linhas deprodução, a transferênciapara o warehouse de produtosacabados até sua expediçãopara o cliente. Porém, o quemuitos acabam não citandoé que na intralogística todoo processo de sincronizaçãodo fluxo de materiais e fluxode informação da produçãodeve estar totalmenteconectado. Logo, a importânciada intralogística não estásomente na movimentaçãoe armazenagem físicados materiais, mas comoé feito todo o processode sincronização entre ofluxo físico e o fluxo deinformação, para aumentarsignificativamente aprodutividade das linhas oucélulas de produção. Essabusca da sincronização perfeitaentre os processos produtivosé o foco principal da logísticainterna da empresa, porém,para que isto aconteça temosde construir um sistema demovimentação de materiaisaltamente eficiente e ummodelo de armazenamento demateriais simples e eficaz.


edição nº 118 | Dez | 2011 | 9Advantech-DLog lança terminalde dados móvelA Advantech--DLoG (Fone:115592.5355)lançou recentementeo TREK-753, um terminalde dados móveladequado paraaplicações emveículos nosambientes mais adversos. Possui certificação EN60721-3-5 e está em conformidade com as normasmilitares de vibração e impactos. É adequadopara uso em caminhões de reboque longos,caminhões de combustível, veículos do corpo debombeiros e como uma solução acessível paraaplicações em veículos de transporte pesado.É compatível com sistemas elétricos automotivosde 12 V/24 V, operando a partir de 6 ~ 36 V, e estáem conformidade com a ISO 7637-2 e SAE J1113.Notícias RápidasCaixa preta em carros revelareais motivos de acidentes detrânsitoPara diagnosticar os reais motivos de um acidentede trânsito chegou ao Brasil o Carpa, da Hikor(Fone: 11 3586.4300), conhecido popularmentecomo caixa preta automotiva. O aparelho gravadiversas informações sobre o veículo, comovelocidade, hora, local, percurso e nível deimpacto, além de imagens frontal e interna eáudio do interior do veículo. Todo arquivo gravadopode ser visualizado no computador, atravésde um software que acompanha o produto. Asimagens das duas câmeras gravam o interiordo veículo e a imagem frontal. Todo áudio dasconversas no interior do veículo também podeser acessado posteriormente. O percurso podeser conferido via Google Maps, com informaçõesdo trajeto, velocidade, data, hora e nível deimpacto. Três sensores de desnível e impacto sãoacoplados no veículo, gravando as anormalidadescomo buracos, colisões e desníveis.2012Travema ofereceproteções para a áreade logísticaCom sede na capital paulista,a Travema tem como principalmeta ser a melhor desenvolvedorana área de proteções voltadasà área de logística, atuando tambémna área de condomínios, comprodutos destinados à proteçãoao estacionar.Para área de logística apresentamuitas soluções para proteção,como almofadas isotérmicas paraportas de armazéns, proteçõesa 90º para colunas, guard railslaminados, protetores para portapaletes,orientadores de estacionamento,dilaceradores de pneus,proteções para docas niveladorase docas secas e travas-carga paracaminhões baú e frigorificos.Grandes empresas, como 3Mdo Brasil, Casas Bahia, Nestlé,Perdigão, Sadia, Basf, SouzaCruz e Loreal, já foram atendidaspela Travema.


10 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialABTC: balanço de 2011é positivo devido aodesenvolvimento econômicoConsiderando que o Brasil estáem pleno desenvolvimentoeconômico, algo que atingediretamente o setor de transportede cargas, a ABTC – AssociaçãoBrasileira de Logística e Transportede Carga (Fone: 61 3321.7172) avaliaque, de maneira geral, o balançodesse ano é positivo para o setor.Segundo a Associação, no modalportuário, porexemplo, ogoverno federalconcedeu 45novas áreasà iniciativaprivada paraa construçãode terminais,sendo que hojeGibson: acarência deinfraestrutura éa principal causade possíveisretrações nosegmentohá mais de100 terminaisprivados quefuncionam comforça total. “Emrelação ao modalrodoviário,que continuarespondendopor 60% dovolume de cargas transportadasno país, a previsão é fechar 2011com crescimento de 10,2%”, afirmaNewton Gibson, presidente da ABTC.O segmento ferroviário continuaem ascensão, com aumento no volumede carga de 86%, ampliação queocorre desde 1997. Os investimentosno sistema cresceram quase 20%,e cerca de 40 mil pessoas ocupamos postos de trabalho nas ferrovias.Nesse panorama, o presidente daAssociação ressalta que esse modalestá em um novo patamar no cenárioeconômico do país.Já o modal aéreo está se mostrandouma excelente opção paratransporte de cargas dos produtosbrasileiros, na opinião do especialista.Além de os terminais de logísticae carga dos aeroportos de Guarulhos,SP, Viracopos, SP, Galeão, RJ, e Manaus,AM, serem avaliados como osmelhores da América Latina, o modaljá possui investimentos previstos naordem de mais de R$ 500 milhões,o que deverá fazer esse segmentocrescer 16% até o fim de 2012.O que impulsionao setorAções planejadas pelo governofederal, em conjunto com a iniciativaprivada, aquecem o setor. Entreelas, o investimento de R$ 3 bilhõesoriginários do PAC (Programa deAceleração do Crescimento) edo PND (Programa Nacional deDragagem) em portos, especialmentenos portos do sul, chama a atenção.Outro fator, segundo Gibson,é o sistema de concessões derodovias, iniciado em 1993, quetem estimulado o desenvolvimentodo modal rodoviário, já que asestradas concedidas têm asseguradocondições adequadas ao tráfego,com o investimento na malha e emtecnologias de segurança.“Temos ainda a promulgação deleis que têm contribuído para regulamentaçãodo segmento rodoviário.O RNTRC (Registro Nacional doTransportador de Carga) implementadodepois da Lei 11.442/07 trouxemais responsabilidade ao transportadorque circula diariamente nasestradas do país. Houve, também, otérmino da carta-frete, ainda autorizadopor meio desta lei, desobrigandoo transportador, especialmente osautônomos, a descontar em postosque cobravam valores abusivos nocombustível. Além disso, temos oProjeto de Lei que tramita no CongressoNacional para regulamentara profissão de motorista, garantindomais segurança jurídica para o setorrodoviário de cargas”, analisa opresidente da ABTC.Outra questão que tem impulsionadoo crescimento do segmentorodoviário envolve os financiamentosde novos caminhões, que cresceramentre 20 e 30% este ano, sendo 85%destes feitos por meio do Finame, noBNDES. Investimentos previstos pelainiciativa privada nos setores aéreose ferroviários também contribuírampara o crescimento sustentáveldesses modais.RetraçãoA carência de infraestrutura é aprincipal causa de possíveis retraçõesno segmento em todos os modais, deacordo com Gibson. Caso os modaiscontinuem trabalhando no limite decapacidade e não haja uma açãoeficaz do governo no próximo anopara melhorar a eficiência do setor, épossível que eles sofram um colapso,mesmo com investimentos privados.“Além do mais, sem a integraçãodos modais ferroviário, hidroviário,portuário, dutoviário e rodoviário, adistribuição de produtos no país écada dia mais problemática. Outroponto fundamental para reduziros gargalos do setor de cargas éeliminar a burocracia e o ônus fiscalintroduzido pelos governos federais,estaduais e municipais”, exclama.O próximo anoA análise da ABTC mostraque, apesar de a crise econômicacontinuar atingindo grandeseconomias mundiais, especialmentepaíses europeus, o Brasil continuacom sua economia em ritmoacelerado. No aguardo que o governofederal cumpra as metas estipuladaspara 2012, além das que não foramcumpridas em 2011, a Associaçãoespera que o próximo ano seja deamplo crescimento sustentável parao setor de transportes de cargas.Em 2012, a ABTC continuará adefender seus associados junto aoCongresso Nacional por meio deintervenções em Projetos de Lei queestejam onerando os transportadoresde cargas ou por meio de propostasque contribuam para o desenvolvimentodo setor e do país. •2012Atlas Transportes &LogísticaA Atlas Transportes &Logística é uma empresa comcapital 100% nacional que oferecesoluções em logística integrada eviabiliza a distribuição rodoviáriae aérea de produtos paraclientes de diversos setores daeconomia, dentre os quais o setorfarmacêutico, peças, alimentício,eletroeletrônico, entre outros.Considerada uma das maiorestransportadoras do Brasil, possuihoje 56 filiais estrategicamentelocalizadas nas cinco regiõesdo país, 3.500 funcionários e1.800 veículos para operações decoleta, transferência e entregade cargas, com idade média dafrota de 5,7 anos. É também aidealizadora do “Zero Atraso”,que garante a segurança notransporte de produtos fracionadose o cumprimento dos prazosestipulados por intermédiode modernos dispositivos derastreamento. A Atlas fechou2010 com um faturamento anualde R$ 480 milhões, 20% maiorque o ano de 2009, e a previsãode crescimento para 2011 é de18,5%.Um dos principais diferenciaisda empresa é o investimentopermanente na capacitaçãode seus funcionários, na buscada melhoria dos processos degestão, na preservação do meioambiente e o desenvolvimentodas comunidades nas quaisestá inserida. Uma dasmais importantes ações deresponsabilidade social é amanutenção do LIMA - Lar IrmãMaria Augusta, entidade queabriga cerca de 60 idosos e ummoderno hospital responsávelpor mais de 200 atendimentospor mês, beneficiando toda apopulação de Borda da Mata, MG,e região.A empresa opera em todoterritório nacional para clientescomo Red Bull, General Motors,3M do Brasil, Adidas do Brasil,Ache Laboratórios e Fujifilm, alémde inúmeras empresas dos setoreseletroeletrônico, informática,autopeças, farmacêutica,confecções e outras.


www.atlastranslog.com.br


12 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialGristec: empresas dosetor devem faturarR$ 1 bilhão em 2011“Como as atividadesdas empresasrepresentadas pelaGristec estão relacionadasdiretamente com as operaçõesde transportes e logísticase estes segmentos tiveramum crescimento estimado naordem de 20%, em 2010, e25%, em 2011, as empresasdevem estar comemorando umfaturamento na ordem de R$1 bilhão de reais, incluindo asduas atividades, Gerenciadorase Tecnologia.”Quem comemora essesíndices é o presidenteda Gristec – AssociaçãoBrasileira das Empresas deGerenciamento de Riscos e deTecnologia de Rastreamentode Monitoramento (Fone:11 3443.2503), CyroBuonavoglia, afirmandoque o principal motivo deimpulsão do setor foi a novavisão que as transportadorase os embarcadores estãoadquirindo sobre a atividade degerenciamento de risco (GR).Esse novo olhar mostra quea atividade não é mais umasimples despesa nas empresas,mas, sim, um investimento.“Hoje, os benefícios delogística, cada vez maispresentes no GR, atraem maisempresas a contratarem estesserviços”, afirma o presidenteda Associação. Outrofator relacionado aos bonsresultados é o crescimento doPIB nacional.Sobre obstáculos quepudessem dificultar a ascensãodo setor, Buonavoglia acreditaque, apesar das ameaças queo segmento sofre por parte doBuonavoglia: “nossaatividade é muito nova, eainda não foi regulamentadaadequadamente”MPT – Ministério Público doTrabalho que, informado demaneira equivocada, move AçãoCivil Pública contra as GRs paraimpedir o uso da ferramenta“perfil dos profissionais”,utilizada para impedir o rouboda carga, não houve fatoresrelevantes que provocassemalguma retração no mercado.Para 2012, a expectativada Gristec é que a economiacontinue crescendo ao menosnos mesmos níveis desteano, propiciando ao setor umaumento nas atividades de,ao menos, 20% a 25%.O crescimento do PIB e aimplementação do SistemaIntegrado de MonitoramentoAutomático de Veículos –SIMRAV serão os maioresimpulsionadores do setor.2012 para aGristecA principal metada Associação para opróximo ano é conseguira regulamentação daatividade empresarial emque atua. “Nossa atividadeé muito nova, tem mais oumenos 15 anos, e aindanão foi regulamentadaadequadamente”, explica opresidente.De acordo comBuonavoglia, a Associaçãoainda irá cuidar de aspectosinternos quanto à qualificaçãode profissionais, inclusivecom o andamento da segundaturma de MBA em GestãoEstratégica de RiscosCorporativos, realizado emparceria com a FGV.A Gristec também estáimplantando a parceria com aempresa Learnway Soluçõesem Treinamento, que atua nomercado de ensino à distância.O enfoque da parceria é realizartreinamentos para capacitaçãotécnica, infraestruturatecnológica e aprimoramentoprofissional.“Também estamosampliando as atividadesda Câmara Brasileira deMediação, Conciliação eArbitragem dos Caminhoneirosque já funciona há mais deum ano com grande sucesso,neutralizando a denúnciafeita ao MPT pelo próprioSindicam SP – Sindicato dosTransportadores RodoviáriosAutônomos de Bens do Estadode São Paulo”, conclui opresidente da Associação. •2012Still Brasil:líder nacional emempilhadeiraselétricasA Still, multinacionalalemã com fábrica noBrasil e líder nacional emempilhadeiras elétricas,produz e comercializa nopais empilhadeiras retráteisde 1.700 e 2.000 kg,patoladas de 1.400/1.600kg, paleteiras elétricas eselecionadoras de pedidode 2.000 a 2.750 kg,rebocadores de 6,0 ton epaleteiras manuais. Desuas fábricas na Europa eÁsia traz as empilhadeiraselétricas de contrapesode 1.600 a 5.000 kg ecombustão de 2.500 e3.000 kg, além de todaa linha de armazenagempara corredores estreitos(trilaterais). A Still contacom uma rede de 32representantes no Brasil, 7na América do Sul, fábricano RJ e filial em SBC-SP,responsável esta últimapor vendas de máquinasnovas e seminovas, peçasde reposição, pós-vendas elocação.


edição nº 118 | Dez | 2011 | 17necessidade, com lugar reservadona lista de compras do consumidor,é difícil observar fatores quepossam frear o crescimentodo setor. Para o presidente daassociação, justamente por essacaracterística, dificilmente asempresas do atacado distribuidorserão afetadas por medidaseconômicas ou pela restriçãoao crédito. “A tendência éde crescimento sustentado econstante, acompanhando ocrescimento da população e oaumento da massa salarial”,avalia.Para 2012, o mercadomercearil conta com boasexpectativas. Pela próprianatureza dos bens quecomercializa, as perspectivaspositivas, já que esse tipo deconsumo depende da massasalarial, que segue crescendo,e não de crédito. Dessa forma,para 2011 e 2012, a esperançaé de que o crescimento do setoracompanhe ou até mesmo cheguea superar o crescimento daeconomia como um todo.Metas da ABADFocada no aumento dacompetitividade do setor, aABAD manterá sua forte atuaçãoem duas frentes: capacitaçãoe estabelecimento de marcosregulatórios para o atacadodistribuidor. Essa linha de atuaçãodeverá ser mantida no próximoano, por intermédio dos trêsComitês distintos.O Comitê Agenda Políticaé voltado para acompanhar oCongresso Nacional, verificar oandamento de discussões sobreprojetos de lei relevantes para osegmento e encaminhar propostasaos órgãos públicos competentes,estreitando o relacionamento compolíticos e formadores de opiniãopara ampliar o debate sobre temasdefendidos pela entidade. “Como prosseguimento desse trabalho,esperamos continuar a contabilizarvitórias, como a recente inclusãodo segmento atacadistadistribuidor entre os beneficiadosda Medida Provisória 517, queestende a diversas atividadesa suspensão dos tributos PIS eCOFINS sobre a venda de carnebovina, aves e suínos”, explicaSeverini.Com o Comitê VarejoCompetitivo, que busca soluçõespara aperfeiçoar o desempenho dovarejo independente e melhorarsua relação com o segmentoatacadista distribuidor, pretendeseatuar com foco na capacitação,principalmente por meio doPrograma Varejo Competitivo,criado pela ABAD em parceria como SEBRAE Nacional. A previsãoé que até o fim de 2012, esseconvênio terá capacitado mais de5.600 pequenos varejistas em todoo país.Já o Comitê Profissionais deVendas, criado para coordenaras ações destinadas a capacitar,valorizar e desenvolver a força devendas do atacado distribuidor,principalmente por meio doprograma de treinamentoTreinABAD, deverá continuar como programa que, em dois anos,formou 6.600 profissionais devendas em todo o Brasil. •2012Com novo mercado,Easytec busca melhoraras qualidades dosserviçosDesde 1995, a Easytec focaseus esforço nos serviços de usinagem,caldeiraria, serralheria industriale ferramentaria, projetando efabricando gabaritos e dispositivospara o segmento de automaçãoindustrial nas áreas de usinagem,soldagem e linhas de montagem.Após uma análise do mercado,a empresa percebeu que poderiafocar suas atenções em um novonicho, a área de movimentação earmazenagem, investindo em carrosestrados e pórticos para transportede baterias tracionárias utilizadasem empilhadeiras elétricas.Com isso nasceram duas empresas:a Metalúrgica Easymetal,focada na fabricação de peças, subconjuntose chassis para fabricantesde empilhadeiras, e a Easytec RJ,destinada à área industrial.LEMBRAR DAEASYTEC É COMOUTILIZAR SEUSPRODUTOS,VOÇÊ NÃOPRECISA FAZERESFORÇOwww.easytec.ind.brTel. : 21 2683-2483Rua Ely do Amparo, Lt 05 - Guarajuba - Paracambi - RJ - CEP. : 26.6000-000


18 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialABTTC: crescimento ficaabaixo das expectativas, apósotimismo de 2010“Embora tenha havidoum leve crescimentono setor, osresultados ficaram, de maneirageral, abaixo das expectativas.No segundo semestre de 2010havia um clima de otimismoque não foi acompanhado outraduzido em bom desempenhopelas empresas.” Com essadeclaração, Martin Aron,diretor-presidente da ABTTC– Associação Brasileira deTerminais Retroportuários e dasTransportadoras de Contêineres(Fone: 13 3219.7799) dá partidaa uma análise setorial sobre osegmento que se mostrou poucoimpulsionado pela economiabrasileira esse ano.De acordo com Aron, obaixo crescimento do setorpode ser fruto das incertezas domercado quanto à continuidadeda política econômica, emespecial nas ações voltadasao comércio exterior. Com oprimeiro ano de novo governo,algumas mudanças ocorreramna política econômica,como já era de se esperar,e existe agora um momentode observação sobre quaisos próximos passos desseplanejamento econômico. “Nãopodemos esquecer que 2011 éo primeiro ano do novo governoe eventuais mudanças nãodeveriam ser surpresa.Um exemplo é a política de taxade juros (Selic). A nova gestãodo Banco Central tem tido umcomportamento diferente daque era adotada até 2010”,argumenta Aron.Nesse ano, não houvefatores que fossem suficientespara impulsionar esse setor,segundo o diretor-presidenteda associação, que vê que oAron: baixo crescimento do setor pode ser fruto dasincertezas quanto à continuidade da política econômicapequeno crescimento do setore da economia, como um todo,configura um novo e firmeponto de apoio para melhores esustentáveis resultados.O comportamento nomercado internacionalde algumas commoditiesconteinerizáveis foi importantepara a grande frustraçãodas expectativas. Já outrospontos, como os altos custoscom transporte interno, entreas áreas de produção e osportos brasileiros, permanecemcomo fatores responsáveispela retração do mercado.“A baixa competitividade denossos manufaturados, sempreimpactados pela políticacambial, é outro aspecto quedeve ser analisado e corrigido.Medida protecionista não é,necessariamente, a melhorsolução”, avalia Aron.Para 2012Já pensando nas atividadesdo próximo ano, a ABTTCpretende continuar apoiando eparticipando proativamente dequalquer iniciativa que vise àagilidade do comércio exterior.“Projetos como o Porto SemPapel, da SEP -Secretaria dePortos, mereceram nosso apoioexplícito e incondicional”,exalta o diretor-presidente,apontando que espera que suaimplantação e consolidação, aolongo do próximo ano, tenham omesmo apoio que a comunidademarítima e portuária lheconcedeu, sem exceções.Para impulsionar o setor em2012 são necessárias muitasações e levar em consideraçãoaspectos distintos para que hajadesenvolvimento. No entanto,a ABTTC enfoca suas atençõespara aquela que considerasua principal reivindicação: ainclusão do setor retroportuárioentre os beneficiários doREPORTO. Como mostraAron, “temos alardeado essepleito em todos os foros queparticipamos, seja junto aoPoder Legislativo, seja junto aoPoder Executivo. É inadmissívelque nossas empresas (REDEXe DEPOTs), totalmentevoltadas ao comércio exteriore à atividade portuária, nãoestejam contempladas, ainda,pelo REPORTO. Recentemente,acompanhados e apoiadospelo Deputado Federal AlbertoMourão, presidente daSubcomissão de Portos e ViasNavegáveis, estivemos junto aoMinistro dos Portos, LeônidasCristino, para formalizar essepedido. Estamos otimistas coma receptividade do Ministro aopleito da ABTTC”.Nesse cenário, afalta de benefíciosfiscais para a realizaçãode investimentos podebrecar o desenvolvimento,trazendo prejuízos e perdade competitividade ao setorretroportuário. A necessidadede prover melhores acessosrodoviários e ferroviáriosaos nossos portos é outroaspecto que, caso não sejaincentivado, deverá restringirmuito o crescimento do setor.“Buscaremos fortalecero setor, contribuir com asautoridades públicas eentidades privadas para asolução dos gargalos logísticos.Essa é a meta. Temos cercade 50 empresas associadase atuantes, interessadasna melhoria da eficiênciadas operações de comércioexterior”, conclui Aron. •


edição nº 118 | Dez | 2011 | 19Beraqua lança caixastérmicas desmontáveisNotícias RápidasAs caixas térmicas transportadoras isoladas para gelo daBeraqua – Bernauer Aquacultura (Fone: 47 3334.0089) garantem aqualidade do transporte de hortaliças, legumes e frutas e baixocusto de manutenção, segundo a empresa. Confeccionadas empolipropileno estrutural, são desmontáveis e dispensam o usode caminhões refrigerados. Segundo Claudio Luis Tessarolo,gerente geral de vendas da Beraqua, o Brasil não dispunha atéagora de um produto similar com estas características. “Fáceisde montar, ocupam menos espaço na hora de despachá-las aosclientes. Além disso, permitem que a água do gelo escoe pelasgretas dos painéis, de forma que o pescado não fique submersoe, consequentemente, estrague”, informa.Santos Brasilinveste R$ 7milhões em seuterminal de Vila doCondeAté o fim de 2011, osinvestimentos realizadospela Santos Brasil (Fone: 913322.7575) no Tecon Vila doConde, PA, vão somar R$ 7milhões. O aporte englobaexpansão do pátio, quepassará a contar com mais30.000 m 2 , aquisição deempilhadeira e balanças,abertura de mais dois Gatesde entrada e saída, além detreinamento e capacitaçãode pessoal. A capacidadeatual de operação do TeconVila do Conde é 150.000 TEUs,com previsão de alcançar200.000 TEUs até 2012.2012A Tópico mantémtradição no ramo decoberturas e galpõeshá 30 anosA Tópico iniciou suas atividadesno ramo de confecçõesde capas de piscinas com umagrande mão-de-obra e usandomateriais de primeira qualidade.Já em 1981 especializou-se emlocação e venda de coberturas egalpões, iniciando as operaçõesno setor de armazenagem ecoberturas especiais.Oferece galpões com vão livrede 10 a 40 metros, podendo serinterligados a outros galpões comsistema de vedação por calhase tapadeiras. O galpão pirâmidepossui lona em PVC, impermeável eautoextinguível. Já o modelo duaságuas tem lona espalmada em PVCe não possui colunas internas.Há 30 anos a empresa já éreferência no setor e busca sempreo melhor serviço com um nível altode profissionalismo.


20 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialABTI: instabilidade eproblemas com o governomarcaram o anoOano de 2011 foicaracterizado pelainstabilidade nosegmento de transporterodoviário internacional decargas. De acordo com JoséCarlos Becker, presidente daABTI – Associação Brasileira deTransportadores Internacionais(Fone: 55 3413.2828), o país temacompanhado as questões deavanços na área do comércioexterior, mas ainda há muito aavançar. “Esse avanço que precisaser dado é evidente. Queremosser um país exportador, maspecamos muito em não favoreceros processos de liberações nasfronteiras”, analisa o presidenteda ABTI.Em sua visão analítica sobreo ano para o setor, Becker afirmaque o país teve problemas comvários ministérios e órgãosgovernamentais, entre elesos que são responsáveis pelodesenvolvimento da infraestruturada malha rodoviária, algoextremamente importante para otransporte rodoviário. “As nossasrodovias tiveram pouca atenção, foium descaso total! Estamos sempreno aguardo do dia em que o setorserá valorizado como deveria ser”,critica Becker.O custo Brasil é, em suaopinião, um grande fatorde retração do setor. Outroresponsável por frear ocrescimento está relacionadocom problemas aduaneiros eburocráticos que, muitas vezes,impactam no transporteinternacional e nointercâmbio demercadorias.Barreirascriadas para atroca dealguns tipos de mercadorias comcertos países também atrapalhamo crescimento. “A Argentina e oBrasil sempre tiveram barreirascomerciais, porém, em 2011, asindiferenças em acordos foramsuperadas. Vários produtosforam ameaçados a não puderemcruzar pela fronteira e, comisso, novamente o transportadorinternacional foi prejudicado”,analisa o presidente da ABTI.Apesar desses problemas,os eventos esportivos que o paísreceberá em alguns anos ajudoua impulsionar o desenvolvimentodo setor. Com a Copa do Mundoe as Olimpíadas, além daconstrução civil, aumentarama troca de mercadorias entre oBrasil e países da América do Sul.Avanços em acordos bilateraistambém tiveram influênciapositiva no setor.Para o motorista, algumasnotícias também foram boas em2011. A profissão do motoristabrasileiro de caminhão estámais próxima de ser valorizada,com o Estatuto do Motorista,projeto de lei com participaçãoda Associação e de autoria dosenador Paulo Paim.Perspectivaspara 2012A associação se mantémotimista, esperando crescimento,mas avisa que é necessáriobuscar maior agilidade nasfronteiras. Com maior eficiêncianas fronteiras, por meio deinformatização ou de qualqueroutra forma, mais transações serãofeitas em menos tempo. “Existeo ditado ‘tempo é dinheiro’. É amais pura verdade. No nosso setor,quanto menos tempo ficarmosparados nas fronteiras, maiscaminhões estarão em trânsito e,com isso, mais mão de obra seránecessária, aumentando o númerode trabalhadores em todo o país.Não que tudo isso irá ocorrer noano de 2012, mas é um trabalhoárduo e contínuo, que precisa serfeito e, principalmente, cobrado”,explica.Enquanto as barreirasfronteiriças, Licenças deImportação (LI) entrando emvigência de um dia pro outro,descaso na infraestrutura e naagilização nas liberações doscaminhões podem continuaratrapalhando o crescimento dosetor no próximo ano, a finalizaçãodo Estatuto do Motorista poderáimpulsionar o setor.Possíveis mudanças no Acordosobre Transporte InternacionalTerrestre (A.T.I.T.), acordo que regeo setor, também deverão estimularo segmento, além de investimentosna infraestrutura na malharodoviária, que serão realizadosdevido aos grandes eventos queserão realizados no país, como aCopa do Mundo e Olimpíadas.No próximo ano, algumasbandeiras serão levantadas pelaABTI. Entre os assuntos quereceberão atenção da Associaçãoestão agilização nas fronteiras;investimentos em infraestrutura;a imagem do setor; e o Estatutodo Motorista. “Temos uma grandepreocupação com as questõesque envolvem o transporterodoviário internacional decargas e buscaremos sempre odesenvolvimento e crescimento dosetor”, finaliza Becker. •Becker: “no nosso setor, quanto menos tempo ficarmosparados nas fronteiras, mais caminhões estarão em trânsitoe, com isso, mais mão de obra será necessária,aumentando o número de trabalhadores”2012Auxter finaliza o anocom motivos paracomemoraçãoA Auxter, uma dasprincipais empresas brasileirasno setor de máquinas eequipamentos, chega aofinal de 2011 comemorandoa expansão do número defiliais e a venda da milésimamáquina da norte-americanaYale. “Mesmo tendo sido umano linear para o mercado, nósconseguimos crescer e estamosabrindo quatro novas filiais noEstado de São Paulo, além daunidade de Osasco, aberta noprimeiro semestre”, diz CélioNeto Ribeiro, diretor geral daAuxter.As filiais em fase deabertura ficam em São Josédo Rio Preto, Bauru, Taubatée Praia Grande. O empresárioenfatiza que, com a aberturadessas unidades, a Auxteratinge a meta de contarcom uma base a cada 150quilômetros, cobrindo todo oEstado de São Paulo.Motivo também acomemorar é a venda damilésima empilhadeira Yale, jáque a Auxter triplicou as vendasdos equipamentos da marca, aose tornar distribuidora exclusivada empresa no Estado. “Istodemonstra a confiança ecredibilidade que passamos aosnossos clientes”, acredita CélioRibeiro.Contribui, e muito, parao sucesso nas vendas deequipamentos, não apenas daYale, mas de todas as marcasque Auxter representa, a suacapacidade de atendimentopós-venda. Além do grandeestoque de peças de reposiçãomantido pela empresa, paraatendimento imediato, seustécnicos recebem treinamentocontínuo das fábricas e estãoaptos a atender qualqueremergência, diminuindo otempo da máquina parada.


TOYOTA PARA LOCAÇÃOE VENDA É NA BAUKO.A líder em locação traz para vocêa líder mundial em empilhadeiras.A Bauko conta com um grande estoque de empilhadeiras para atender sua empresa cada vez melhor.E ainda garante uma disponibilidade mínima de 95% para sua tranquilidade ser 100%.flag• Máquinas à combustão e elétricas para o seu espaço e o seu negócio• Melhor custo-benefício do mercado• Equipe qualificada em avaliação e assistência pós-venda• Total suporte operacional em todo Brasil• Maior disponibilidade• Larga experiência na locação de empilhadeirasDisponível também para venda nos Estados: Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro.Ligue:São Paulo - SP: (11) 3693-9333Simões Filho - BA: (71) 3594-8094Serra - ES: (27) 2121-5000Tanguá - RJ: (21) 3637-4632ou acesse www.bauko.com.br


24 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialILOG: setor continua em forteexpansão, com movimentos deconsolidação importantes“Osetor de logísticacontinua emforte expansão,com alguns movimentosde consolidação muitoimportantes. O crescimento, em2011, deverá ser ao redor de15% em média.”A análise é de AntonioWrobleski Filho, presidentedo ILOG – Instituto Logweb deLogística e Supply Chain (Fone:11 2936.9918), para quemquatro fatores impulsionaramo desenvolvimento do setoreste ano: o crescimento domovimento de terceirização,o amadurecimento eprofissionalismo cada vezmais marcante na indústriade logística, o foco no corebusiness, fazendo com queas empresas estejam maisinteressadas em colocar oprocesso para fora, e uma maiorparticipação do BNDES – BancoNacional de DesenvolvimentoEconômico e Social. “Podemosdizer que, em 2011, não houveretração e, sim, um crescimentomenos vigoroso, alinhado comos grandes problemas mundiais,e um menor crescimento do PIBchinês.”Próximo anoO presidente doILOG também fazperspectivas para2012, acreditandoque será um ano deconsolidação e demaior interesse porparte das empresasinternacionais peloBrasil. “Existe ummovimento muitogrande com foco noBrasil, onde tantoa logística interna,quanto a dedistribuiçãoserãopositivamenteafetadas.”Ainda paraWrobleskiFilho, váriosfatores podemimpulsionar osetor em 2012: a voltade um crescimento,mesmo que moderado,do mercado americano,o PIB chinês, que deveráse manter nos níveis de2011, e o crescimentodo segmento voltado àclasse C no Brasil. Poroutro lado, para ele,alguns outros fatorespodem restringir ocrescimento do setor nopróximo ano: o cenáriopolítico brasileiro e umagravamento na criseeuropeia.MetaO presidente do ILOGtambém aponta as metas/ações da entidade para2012 – “a principal delasé levar a entidade paraWrobleski Filho: em 2011não houve retração e, sim,um crescimento menosvigoroso, alinhado com osgrandes problemas mundiaismais perto de outros setores,bem como torná-la um polode inteligência no segmento”– e também fala sobre aimportância do Prêmio Top doTransporte, promovido pelaseditoras Logweb e Frota, parao desenvolvimento da logísticano setor.“As empresas no Brasilestão começando a entendero valor do reconhecimento,e este prêmio laureiaexatamente isto. Gostariade lembrar que nos EstadosUnidos este tipo dereconhecimento mexe com ovalor das ações das empresas.Nós estamos no mesmocaminho, e o Prêmio TOP é umgrande catalizador”, completa. •


edição nº 118 | Dez | 2011 | 25Datamax-O’Neil lançaimpressoras portáteis de recibosA Datamax-O’Neil (Fone: 11 8281.3286), provedoraglobal de soluções de impressão usandoimpressoras desktop e portáteis para imprimiretiquetas e recibo, anuncia a Linha APEX deimpressoras portáteis de recibos. A linha foidesenvolvida para atender às necessidadesdinâmicas dos serviços logísticos em campo,quando existe a demanda por emitir ‘in loco’recibos de serviço e de pagamento, de coletae entregas; vales e vouchers; documentosde leitura e medição, diminuindo prazos deprocessamento com maior garantia de recebimento.Possuem bateria com capacidade para12 horas de impressão, trabalham a temperaturasambientes de -10º a +50º e têm processadorARM7 de 32 bits e arquitetura RISC. As impressoraseconômicas da Série Apex, modelos 2,3 ou 4, imprimem recibos de 5 cm, 7,5 cm e 10cm, respectivamente. Elas também são capazesde imprimir gráficos e códigos de barras emNotícias Rápidas1D e 2D; são equipadas com comunicaçãoBluetooth e RS232 (APEX 2 e 3), USB (APEX 4) oucom conectividade 802.11b/g e leitor de cartãomagnético de 3 faixas.Usiminas Mecânica fornecerá447 vagões para a EldoradoCeluloseA Usiminas Mecânica (Fone: 31 3824.7349) firmoucontratos com a Eldorado Celulose (Fone: 112505-0200) para o fornecimento de 447 vagõestelescópios para o transporte de fardos de celuloseda planta de Três lagoas, MS, até Santos, SP.Os vagões devem ser entregues entre fevereirode 2012 até fevereiro de 2013, sendo que doisprotótipos para testes serão apresentados aindaem dezembro de 2011. Os vagões terão capacidadede transportar 44 fardos com peso total de 88toneladas e apresentarão módulos móveis, quepermitirão acesso total durante as operaçõesde carga e descarga com pontes rolantes ouempilhadeiras.2012Store Automaçãoinveste em cloudcomputingAtenta aos movimentos demercado, a Store Automação,desenvolvedora pioneiraespecializada em fornecersoluções inteligentes para osegmento logístico, terá como focopara 2012 a disponibilização desuas tradicionais soluções atravésdo conceito de cloud computing.A ideia é complementaro portfólio de produtos paraatender demandas de empresasque queiram aderir a essenovo recurso. Uma das opçõesserá disponibilizar o leque deprodutos por meio do modeloSaaS (Software as a Service), querepresenta o nível da aplicação naarquitetura de nuvem. E, para ascompanhias que já implementaramas soluções e precisam evoluirno uso, mas não querem comprarmais licenças, será disponibilizadoum modelo híbrido.EntrE o pEdido E a EntrEgahá um longo caminhoÉ nEssE ponto quE a storE automação faz a difErEnça.Uma empresa que está hámais de 20 anos no mercado,especializada em softwarespara gestão de armazenagem,transportes e distribuição.storE/Wmassistema completopara gestão dearmazenagemstorE/rEdExsistema completopara gestão derecinto especial paradespacho aduaneirode exportaçãostorE/tmssistema completopara gestão detransportes edistribuiçãoNosso sucesso é sua logística bem-sucedida!(11) 3083-3058www.storeautomacao.com.br


26 | edição nº 118 | Dez | 2011Análise SetorialABIT: Prêmio Top doTransporte tem grandeimportância para o setorFernando Pimentel, diretorsuperintendente da ABIT – AssociaçãoBrasileira da Indústria Têxtil e deConfecção (Fone: 11 3823.6115), começa suaanálise setorial falando sobre a importânciado Prêmio Top do Transporte, promovidopelas editoras Logweb e Frota, para odesenvolvimento da logística no setor.“A questão da logística é de grandeimportância para a indústria têxtil e deconfecção. É algo que o Brasil tem muito queevoluir para tornar o país mais competitivo,e a premiação tem grande importância pordivulgar e reconhecer os destaques dentrodo setor e trazer, ainda mais, o debate para anecessidade de investirmos na infraestruturabrasileira e, com isto, ganharmos maiscompetitividade sistêmica.”2011Já fazendo um balanço do ano de 2011 nosegmento abrangido pela entidade, Pimentelressalta que foi, sem dúvida, um dos anos maisdifíceis para a indústria têxtil e de confecçãodo Brasil. “A produção têxtil caiu fortemente ea da confecção também reduziu, apesar de empercentual menos intenso. A geração formalde empregos será negativa, em torno de 13 milpostos de trabalho perdidos, contra um ganhoem 2010 de mais de 65 mil novos empregos.”Ainda para o diretor superintendenteda ABIT, em 2011 as forças negativasultrapassaram em muito os aspectospositivos. “Com relação aos aspectospositivos, diria que o mais importantefoi a manutenção do crescimento doconsumo, apesar da redução do ritmo.No ano de 2010, o varejo de vestuárioevoluiu acima de 10%, enquanto em2011 deverá crescer em tornode 4 a 5%, em termos reais.Pelo lado negativo, tivemosvárias forças atuando:forte crescimento dasimportações de vestuário,acima de 40% em volume;grande impacto doaumento dos preços dasmatérias-primas, comdestaque para o algodão,o que sacrificou enormemente as empresasem termos de capital de giro; a reduçãodo ritmo de evolução de consumo trouxenecessidade, também, de ajuste no ritmo deprodução; continuidade das dificuldades paraaumentar as exportações, deslocando, comisto, a produção para o mercado interno; eforte crescimento das compras dos turistasbrasileiros no exterior. Sem dúvida, porém,o crescimento exponencial da importaçãodo vestuário foi um fator critico para odesempenho negativo do setor este ano.”2012Pimentel também avalia que, para 2012,os sinais ainda são difusos. “Temos umasituação mundial muito complicada, aomesmo tempo em que o Brasil apresentarácrescimento mesmo que modesto. Deveremoster novamente crescimento de consumode vestuário e acessórios, porém em ritmomoderado. De novo continuaremos a sofrer coma tendência de crescimento das importaçõesem função do nosso câmbio apreciado e docâmbio depreciado do maior competidor quetemos, que é a China. Considerando o fatode o mundo desenvolvido estar em situaçãocomplicada em termos econômicos, resultandoem baixo consumo, o Brasil continuará a serum mercado atraente para os exportadoresmundiais em busca de colocação dos seusexcedentes produtivos.”O diretor superintendente da ABITtambém destaca que se nada forfeito com grande rapidez pelogoverno, no sentido de acelerara implementação de uma efetivaagenda de competitividade parao país e de legítima defesacomercial, “poderemos terum 2012 em que veremos,Pimentel: o PrêmioTop do Transportetem grandeimportância pordivulgar e reconheceros destaques dentrodo setor


edição nº 118 | Dez | 2011 | 27de novo, o crescimento do consumobrasileiro ser absorvido pelosprodutos importados.E se isto ocorrer não será porfalta de investimentos por partedas empresas brasileiras enem por falta de competência ecapacidade dos trabalhadores eempresários do país. Será, sim, porabsoluta assimetria dos fatoressistêmicos de competitividadeque são oferecidos aos produtoresbrasileiros quando comparados comseus concorrentes internacionais”.E Pimentel continua: por outro lado,se a agenda de competitividadee da legitima defesa comercialavançar de forma efetiva, “nãotemos dúvida de que, mesmocom crescimento moderado queteremos no Brasil no ano que vem,a indústria brasileira recuperarárapidamente o terreno perdido,passando a investir ainda maisdo que tem feito e aumentandoa oferta em termos quantitativos,qualitativos e diversidade,incorporando cada vez maisdesign e tecnologia aos produtosbrasileiros”.MetasPimentel lembra, também,que a entidade tem uma agendaque segue as linhas do ProjetoTêxtil e Confecção 2023. “Temos,portanto, objetivos de curto,médio e longo prazo que estavamtambém inseridos na Políticade Desenvolvimento Produtivo– PDP, lançada em 2008 e, maisrecentemente, no Plano Brasil Maior.Sem dúvida, porém, que nestemomento todos os nossos esforçosestão concentrados na agendada competitividade e da legitimadefesa comercial, a saber: criaçãode um regime tributário diferenciadopara a indústria de confecção +avançar na Resolução 72 no Senado,que tem como objetivo terminarcom os incentivos concedidospelos estados aos produtosimportados, + reduzir o percentualde 1,5% para 0,8% a ser aplicadosobre o faturamento do mercadointerno, em substituição aos 20%incidentes sobre a folha comopagamento da contribuição patronalà previdência, + ampliar as açõesde defesa comercial e de processosde direitos compensatórios eantidumping contra países queconcorrem deslealmente comnossos produtores. Na áreainternacional, atuaremos fortementenas discussões de acordosinternacionais, sendo que maiorênfase vai se dar no âmbito dasnegociações entre Mercosul eUnião Europeia. Também grandeênfase será dada ao ProgramaTexbrasil, que incorporou doisnovos pilares em seu projetopara 2012 e 2014: Design eInovação e Sustentabilidade. Noâmbito da gestão das empresasestamos inserindo junto com aABDI – Agência Brasileira deDesenvolvimento Industrial oprograma de gestão da inovação.Para a Rio + 20 estamosdesenvolvendo, junto com a CNI –Confederação Nacional da Indústria,o fascículo sobre a indústria têxtile de confecção e toda sua relaçãocom a sustentabilidade, geração deemprego e renda, produção limpa,utilização de sua biodiversidadecomo fator de diferenciação, etc.” •2012Savik ofereceprojetos paraverticalização deestoquesCom foco no segmento defabricação de estruturas, rackse paletes para armazenagem everticalização de mercadorias, aSavik usa todo o conhecimentode sua gerência e diretoria paramanter um forte crescimento nomercado.A Savik oferece estruturasportapaletes, push back, drive-in,racks, block paletes, paletesde aço com tamanho padrãode 1200 x 1000 x 145 mm ousob medida, mais duráveis eresistentes que os de madeira,e o block portabag. Tambémoferece a armazenagem viaaramados dobráveis, alémde fabricar portatambores,bandejas de aço específicaspara manuseio de congelados,portapneus e caixas de aço.


Conheça nossalinha de produtosTecnologia e Robustez30 | edição nº 118 | Dez | 2011AssociaçõesFusão entre a ASLOG eABML cria a ABRALOGMOD.:GLP e DIESEL até 16 tonsMOD.:RMMOD.:PEw w w . C O M M A T . c o m . b ratendimento@commat.com.brtel:11- 2808 333321- 3261 7777Buscando aperfeiçoar a assistência,o atendimento, fornecimento decapacitação, a informação, o networking,os debates de ideias e as soluções aosprofissionais e empresas de logística, a ASLOG– Associação Brasileira de Logística e a ABML– Associação Brasileira de MovimentaçãoLogística se uniram para formar a ABRALOG– Associação Brasileira de Logística (Fone: 113884.5930).Diretoria Executiva da ABRALOGPresidentePedro Moreira (Chep)VP SustentabilidadeAdalberto Panzan (ADS Micrologística)VP Operadores e Serviços LogísticosCelso Queiroz (Rapidão Cometa)VP Comercialização e MarketingEdson Carillo (Global Connexxion)VP Desenvolvimento RegionalEusébio Angelotti (TAM)VP Administrativo e FinanceiroJoão Batista da Silva (Correios)VP EducaçãoJosé Roberto Fornazza (Selfor)VP Equipamentos, Sistemas Logísticos ede InformaçãoMarcio Frugiuele (Fiel)VP Relações InstitucionaisRodrigo Vilaça (ANTF)VP JurídicoWalter de Souza Melo (Embalatec)Da esquerdapara a direita:Frugiuele, Vilaça,Altamiro Borges(presidentedo ConselhoDeliberativo) eMoreiraA fusão foi anunciada no último dia 24 denovembro, ao final do XII Congresso Brasileirode Logística, realizado em São Paulo. Deacordo com Pedro Moreira, o presidente danova associação, é importante unir forças emprol da logística brasileira. “Nosso segmentodemanda esforços e o trabalho conjuntocertamente trará melhorias a todos osparticipantes do setor logístico. Estamos muitocontentes pelo grupo gabaritado que reunimos,representando empresas importantes dosegmento. O Brasil, como um todo, ganharámuito com a criação da ABRALOG. Queremos,também, ser referência para toda a AméricaLatina”, adianta.A ABRALOG inicia as atividades com cercade 500 associados e, segundo Moreira, devenortear quatro linhas de ação: construir umabase sólida e representativa dos associados;ampliar e fortalecer o relacionamento comentidades afins, de modo a unir forças nacondução de ações de interesse comum; estarsempre atenta à comunidade, especialmenteem relação ao meio ambiente, sustentabilidadee empregabilidade; e participar ativamente dasgrandes questões nacionais, como valorizaçãodo profissional de logística, infraestrutura,regulamentações, marcos regulatórios e outras.O portfólio de serviços será voltado para adisseminação da logística. Entre esses serviçosestá a realização de um congresso anual,escola, fórum empresarial, prêmio nacional,banco de talentos, certificação profissional,normatização e regulamentação de atividadese pesquisa sobre o meio profissional.A estrutura da Associação está divididaem nove vice-presidências: administrativa efinanceira; jurídica; relações institucionais;desenvolvimento regional; comercialização emarketing; operadores e serviços logísticos;equipamentos, sistemas logísticos e deinformação, educação e sustentabilidade. •


edição nº 118 | Dez | 2011 | 31PneusArgentina Fate anunciaparceria com a VipalDurante a 18ª Fenatran,realizada em outubroúltimo em São Paulo,SP, a empresa argentina FateS.A.C.I anunciou uma parceriacom a brasileira Vipal (Fone: 543242.1666) para ser uma fábrica depneus binacional.No Brasil, a fábrica daempresa ficará no parqueIndustrial de Guaíba, na GrandePorto Alegre, RS. O projeto tembase na construção de umaplanta industrial, com o intuitode abastecer uma grande redede varejistas e distribuidores. Aestrutura terá duas fábricas paraa produção de pneus automotivose agrícolas. O cronograma prevêo término das obras, a primeiraprodução e a validação da primeirafase do projeto para 2013 e acomercialização dos primeiroprodutos em 2014.“Inicialmente serão fabricados2.000 pneus de passeio e 150pneus agrícolas por dia, mas jáprevendo futuros investimentos,esperamos chegar em 2018 namarca de 10.000 pneus de passeioe 1.000 pneus agrícolas/dia. Serãoproduzidos pneus automotivos e decaminhonetes comuns nas medidasutilizadas no mercado, bem comopneus agrícolas também visandoao mercado nacional”, relata FelipeHenzel, gerente de marketing daFate.A empresa espera gerarmais de 900 empregos nas linhasde montagem até 2018. Hoje,conta com 80 colaboradores,distribuído nas áreas comercial,administrativa, logística e deprojeto.Durante a feira, a empresademonstrou outras novidades parao mercado.São as duas novas linhas deprodutos, o FateCargo, pneus paratransporte de carga, e a Fatexpress,para o transporte de passageiros.O FateCargo é fornecido emseis modelos, o SR-200, o DR-400,especiais para linhas rodoviárias,e o SC-240 e o DC 480, paracaminhões especializados nosserviços mistos. Já o FatecargoSu-100 apresenta um desenhoespecifico para serviços urbanos, eo TR-500 para serviços rodoviáriose pode ser uma alternativa para opneu de rodado duplo. •2012Fort Paletesinaugura linhaautomática e dobracapacidade deproduçãoA Fort Paletes, maiorfabricante de paletes PBR doBrasil (segundo ranking daABRAS), inaugura esse mêsde dezembro sua nova linhaautomática para produção depaletes de madeira.Com o novo equipamentoimportado da Europa, um dosmais modernos e eficientesdo mundo, a empresa dobrasua capacidade de produção eoferece ainda mais qualidadeem seus produtos.A capacidade de entregada Fort Paletes, que já era umdiferencial da empresa, ganhamais força com a nova linha deprodução.


A feira que alavanca muitosnegócios está de volta.www.presenca.com.brA CeMAT SOUTH AMERICA volta com forçatotal em 2013. A feira acontecerá junto com aMDA - Motion, Drive & Automation. Eventoque complementa os interesses dos visitantesda CeMAT SOUTH AMERICA, atraindo maisinteressados para fazer negócios com você.Movimente-se. Garanta já o seu estande.CeMAT SOUTH AMERICA 2013Feira Internacional de Movimentação de Materiais e Logística19- 22 Março 2013Centro de Exposições Imigrantes - São Paulo - SP14h às 21hINFORMAÇÕES E RESERVAS41 3027-6707 | cemat@hanover.com.brwww.cemat-southamerica.com.brPromoção e RealizaçãoApoio Of icialApoioApoio InstitucionalMídia Of icialOperadora de Turismo Of icialwww.hanover.com.br


34 | edição nº 118 | Dez | 2011AutomatizaçãoFAB implementa armazémcentral de fardamentoreembolsável 100% automatizadoADiretoria de Intendênciada Força Aérea Brasileira(DIRINT-FAB) apresentou,durante coquetel para convidados,no dia 27 de outubro último, oprimeiro armazém central defardamento reembolsável 100%automatizado. Recém-inaugurado,o armazém recebeu investimentosde R$ 2,3 milhões e foi projetadopela Cassioli (Fone: 11 4525.1001).Segundo o assessor detecnologia da informação doDIRINT e responsável pelaimplantação do projeto, capitãointendente Robson Teles Peixoto,a automatização do armazém foirealizada para suprir o aumentoda demanda dos últimos anos poruniformes e acessórios militares.“A evolução das vendas, que têmaumentado em progressão desde2007, dobrando a cada 4 anos,provocou um gargalo logístico,impactando diretamente noarmazenamento, na separação,expedição e no recebimento naslojas. Em 2007, as vendas eram de120 mil itens por ano. Já no anode 2010, foram comercializadosmais de 220 mil itens”, analisa.A ampliação da demandasegue a lógica da necessidadedos militares brasileiros. Comoo uso do fardamento é diário,estima-se que a cada seis meses,cada militar, dos mais diversossetores, procure as lojas oficiaispara comprar itens de reposição emanutenção das fardas.O principal objetivo daautomatização do armazémé diminuir o tempo de esperapara a reposição dos uniformesreembolsáveis (destinados àvenda). Antes da mudança, osuprimento das solicitaçõesdas 28 lojas era feito de formamanual, com todo o ciclo deseparação e distribuição feito poroperadores. O ciclo de suprimentodas lojas, que mantêm estoquespara 4 meses e recebem por diacerca de 350 itens, cada, era feitoem 3,5 meses, com o trabalhode onze pessoas. “Era comumCapitão Robson: a automatização do armazém foi realizada parasuprir o aumento da demanda dos últimos anos por uniformes eacessórios militaresnão termos terminado de suprirtodas as lojas e já termos novospedidos, pois desde o começo dociclo já haviam se passado trêsmeses”, explica o capitão Robson.Hoje, o mesmo ciclo é feito em15 dias, com força de trabalho detrês pessoas. Ao todo, o armazémsepara diariamente 20.000 itensdistintos.Outro fator levadoem consideração para aautomatização do armazém foi aquantidade de erros por pedido.Como as fardas de cada militar,desde o médico ao policial, sãomuito parecidas, apesar de cadaum possuir o seu modelo, os errosde separação eram constantes.A separação e distribuição feitasde forma manual geravam oíndice de erros de 8%. Aindasem números divulgados sobreos erros ocorridos após aautomatização, já que o armazémestá em nova atividade há poucomais de dois meses, espera-seque o índice caia a 0%.O armazémO armazém automatizadoconta com 30.000 m³ de área dearmazenagem, dos quais foramautomatizados 7.000 m³, comcapacidade para 5.000 caixas.Integrada a esse projeto foidesenvolvida uma solução paraa identificação dos produtos pormeio de etiqueta eletrônica, osistema de padronização GS1.Dessa forma, ocorreu a junçãoda automação logística com orastreamento e controle dosprodutos por meio de RFID.A Cassioli foi a responsávelpela construção do projeto, quecontempla o desenvolvimentode um transelevador para amovimentação das caixas ondeficam estocados os produtos,a implantação de esteirasautomatizadas que conduzemas unidades de armazenamentoaté os operadores e os túneisde leitura de etiquetas deradiofrequência, que realizaa checagem eletrônica daquantidade e do tipo de materialantes de armazenar em uma das5.000 localizações existentes.“Para podermos ser responsáveispor realizar um projeto comoesse era necessário certo nívelde excelência. Grande partedo nosso lucro como empresaestá em inovação, e o projetodesenvolvido para a FAB possuiexatamente isso: inovação”,comemora Carlo Cassioli, generalmanager da empresa. A Cassiolimontou a estrutura metálicapara disponibilização dascaixas de armazenamentocom o apoio da Bertolini.Os processos deseparação dentro doarmazém, onde estãoarmazenados 450.000itens, ocorrem em dois


edição nº 118 | Dez | 2011 | 35turnos de quatro horas diárias.O operador tem acesso a umainterface por onde seleciona opedido que deve ser cumpridonaquele momento. Ao executar opedido, o transelevador selecionaa caixa onde estão os produtossolicitados e a encaminha, pormeio de esteiras, até o operador,que tira a quantidade exatanecessária.“Ao indicar o retorno da caixapara o local de armazenamento,a mesma passa por umaconferência automatizada denúmero e tipo de peça que seencontram ali. Essa conferênciaé feita por meio de etiquetasde radiofrequência colocadasem cada peça. Caso o númeroou o tipo de peça não estejacondizendo com a quantidade deprodutos que deveria estar nacaixa, após a retirada do pedido,ela não volta para o seu lugar. Seo sistema acusar algum erro, ooperador entra em contato coma caixa para verificar o que háde errado. Se o sistema acusarque a caixa está de acordo, elaé automaticamente colocadade volta no seu lugar”, explicao capitão Robson. Diariamente,o sistema pode movimentar até500 caixas de armazenamento.AtualizaçõesTrês anos de estudos e umano e meio de construção eimplantação foram necessáriospara que o sistema fossecondizente com as necessidadesdo DIRINT e, mesmo com poucotempo de atuação, atualizaçõesjá estão previstas e deverãoser voltadas para a maneira deatender aos pedidos.A próxima fase do projetopermitirá aos militares quetrabalham nas lojas recebervolumes de expedição realizandoa conferência eletrônica por meiode computadores de mão (PDA).Nessa fase, a venda tambémpoderá ser realizada atravésda identificação do número desérie de cada produto utilizandoCarlo, da Cassioli: parapodermos ser responsáveispor realizar um projeto comoesse era necessário certonível de excelênciaum leitor RFID conectadoaos terminais de venda. “Aimplantação do projeto deautomação também permite darprosseguimento à idealização doe-commerce. Já estamos com umestudo para catalogação visualdos produtos e especificação dosoftware da interface da lojaeletrônica”, finaliza o capitãoRobson. •2012JLW Eletromax modernizaatendimentopara carregador debateriasCom 20 anos de mercado e100% de capital nacional, a JLWEletromax atua no mercado debaterias, oferecendo serviçoscomo reforma e manutenção decarregadores de bateria com umaequipe treinada para manuseiocorreto do equipamento dequalquer marca ou modelo.A empresa também ofereceum serviço de terceirização paradesenvolvimento de projetoscompletos de salas de baterias,treinamentos de mão-de-obra,otimização de espaços e tambémno projeto de criação de plantas.A JLW consegue modernizare nacionalizar qualquer tipode carregador importado,implementando toda a tecnologiada empresa para aumentar orendimento e durabilidade da vidaútil da bateria.


38 | edição nº 118 | Dez | 2011Logística & Meio AmbienteArval Brasil fechouparceria com a Pirellipara utilizar pneussustentáveisA Arval Brasil (Fone: 11 2246.8080)fechou parceria com a Pirelli para utilizar anova linha de pneus Green Performance emtoda a sua frota. “A mudança será de formagradual. Quando chegar a hora de trocaros pneus, nossos clientes serão orientadossobre as vantagens de se utilizar um produtosustentável”, afirma Cleber Kouyomdjian,diretor comercial da Arval no país. “A Pirellisaiu na frente neste conceito de pneusverdes e a Arval também será a primeiraneste sentido”, destaca Kouyomdjian. O novoGreen Performance alia sustentabilidade,performance e economia, segundo aempresa. Fabricada com materiais comosílica e polímeros funcionais, a nova linhade pneus ficou cerca de 8% mais leve, emcomparação aos pneus tradicionais. E mais:o produto permite, ainda, reduzir o consumode combustível (até 6%), as emissões deCO 2 dos automóveis (até 10g/km) e ruído(30%). “Desenvolver ações sustentáveis éum desafio trabalhado de forma constante naArval”, enfatiza Kouyomdjian.Nova Tecnologia doFord Cargo prometereduzir em 80% aemissão de poluentesA Ford (Fone: 0800 703 3673) vaiintroduzir em seus caminhões Cargo, apartir de 2012, uma nova tecnologia demotores que reduz em até 80% a emissão depoluentes no meio ambiente, em comparaçãocom os níveis atuais. As reduções maisimportantes são nas emissões de óxidosde nitrogênio (NOx) e material particulado.Além de atender ao novo padrão danorma Proconve 7/Euro 5, que entra emvigor em janeiro próximo, a Ford foi aléme aperfeiçoou, também, a economia e apotência dos veículos, no desenvolvimentoconjunto feito com a Cummins, fornecedorados motores. Os 12 modelos leves, médiose pesados da nova Linha Cargo Euro 5 serãode 5% a 7% mais econômicos que os atuaise terão umganho médiode 10 cv napotência,informa aempresa.Nestlé, Tetra Pak eBraskem lançam tampa deembalagem com matériaprimade fonte renovávelA Nestlé Brasil (Fone: 0800 770 1176), emparceria com a Tetra Pak (Fone: 11 5501.3200)e a Braskem (Fone: 11 3576.9000), lançouembalagens com tampa de polietileno feita apartir de derivados da cana-de-açúcar. Com ainiciativa, os leites UHT Ninho, Ninho Levinho,Ninho Baixa Lactose e Molico passarama adotar tampas produzidas com a novatecnologia. O novo polietileno desenvolvidopela Braskem é produzido a partir de derivadosda cana, que posteriormente são transformadosem plástico para a produção das tampas.O processo contribui para a redução globalnas emissões de gases de efeito estufa, jáque o cultivo da cana-de-açúcar utilizada nafabricação absorve gás carbônico da atmosfera.“Trata-se de uma iniciativa inovadora queagrega ainda mais valor aos nossos produtos.Nossa participação nesse projeto estátotalmente alinhada à plataforma mundial deresponsabilidade social da Nestlé, denominadaCriação de Valor Compartilhado”, afirma IvanZurita, presidente da Nestlé Brasil.Abrelpe e Prefeiturade São Paulo assinamacordo para programade logística reversa delixo eletrônicoA ABRELPE – Associação Brasileira dasEmpresas de Limpeza Pública e ResíduosEspeciais (Fone: 11 3129.5158) e a Prefeitura deSão Paulo firmaram acordo para implantaçãode pontos permanentes de logística reversa delixo eletrônico. Esse sistema será implementadopela ABRELPE e contará com dois pontospermanentes no município de São Paulo, quepermanecerão ativos até dezembro de 2011.Depois, serão implantados novos pontospermanentes em outras regiões da cidade. Paraesta fase inicial, a iniciativa contemplará alogística reversa dos resíduos de equipamentoseletroeletrônicos, incluindo computadores,celulares, impressoras, câmeras digitais,televisores, videocassetes, mp3 players,dentre outros. Trata-se da primeira iniciativade logística reversa permanente colocada emprática por um município e que torna tangívelatender às metas da Política Nacional deResíduos Sólidos que estipula o ano de 2014 oprazo final para que somente os rejeitos sejamdestinados a aterros sanitários, enquantoos demais resíduos devem ser reutilizados,reciclados, recuperados e revalorizados emprocessos adequados e licenciados.Goodyear e Bellenzierinauguram primeiraloja de pneus de baixoimpacto ambientalA Goodyear (Fone: 0800 725.7638)inaugurou, em parceria com a revendedoraBellenzier Pneus (Fone: 0300 210 2102), suaprimeira loja de baixo impacto ambiental,pioneira no segmento de pneus, localizada nacidade de Gravataí, RS. Este novo conceito deloja conta com três caixas d’água enterradas,responsáveis por captar a água da chuva edestiná-la para reutilização nos sanitáriose sistema de incêndio, assim como pararegar as áreas verdes e lavar o piso interno,economizando aproximadamente 30 millitros de água por mês. A loja ainda contacom telhado verde, que facilita a drenageme garante maior isolamento do ambiente,melhorando as condições termoacústicasda loja, tanto no inverno quanto no verão.Com foco na redução do consumo de energiaelétrica, a revendedora da Goodyear conta comvidros duplos que amenizam o frio e o calor,evitando o uso exagerado do climatizador de ar.Os painéis da fachada da loja são iluminadospor lâmpadas de LED, um sistema que poderepresentar economia de até 90% da energiase comparado às lâmpadas tradicionais. Entreoutras novidades, a loja conta, ainda, comestrutura para reciclagem dos subprodutos darecauchutagem, gestão de resíduos com coletaseletiva e portas de madeira certificada peloConselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSC).Piso externo drenante, que permite o aumentoda área verde para maior absorção de água pelosolo, também faz parte da nova unidade.Água Mineral Timbuaplica logística reversaem 100% dos materiaisque utilizaA indústria paranaense Água Mineral Timbu(Fone: 41 3657.2141) aplica a logística reversaem praticamente 100% dos seus materiais.Segundo a diretora da empresa, Maria AliceSilveira Carneitro, “a Timbu não joga nada fora.Ou é reutilizado, devolvido para os fornecedoresou encaminhado para reciclagem”, comemora.Caminhando pela fábrica, que fica em AlmiranteTamandaré, região metropolitana de Curitiba,é possível perceber o reaproveitamento demateriais. Os recipientes para lixo espalhadospelo terreno são feitos de galões vencidos,cortados e pintados. Os sacos de lixo são osplásticos onde os galões vêm embalados.Em uma pequena casa, uma garrafa PET comágua e cloro foi colocada no telhado, fazendocom que a luz entre naturalmente na casa e


2012MRV Log e ALMIinauguram centroslogísticos em Goiâniae GuarulhosEstão sendo inaugurados doiscentros logísticos da MRV Log,com locação exclusiva da ALMINegócios Imobiliários.Dos 78.000 m 2 de área totalde galpões, o MRV Log Goiâniatem uma entrega parcial de 11.000m 2 . Trata-se do galpão 1, com8 armazéns. Localizado a 650metros do aeroporto de Goiânia,o condomínio de galpões contacom área de mezanino, portariablindada, sistema de circuitofechado de TV, estacionamento,vestiário e restaurante.Em Guarulhos, SP, foi lançadoo MRV Log Papa João Paulo. Com14.000 m 2 , o projeto conta nototal com 2 galpões e 8 armazéns.O empreendimento tambémpossui área de mezanino, portariablindada, sistema de circuitofechado de TV, estacionamento,vestiário e restaurante.40 | edição nº 118 | Dez | 2011Logística & Meio AmbienteLufthansa Cargo reduzemissões por meio decontêineres levesEm breve, a frota decontêineres da Lufthansa(Fone 11 2445.3906) e daLufthansa Cargo (Fone: 112161.7500) será parcialmentesubstituída por contêineresnovos de ligas de materiaisleves. Até 2015 serãotrocados todos os contêinerespequenos, transportados noscompartimentos inferiores dosaviões de passageiros e decarga. Os novos contêineressão até 15% mais leves e,portanto, também representam um ganho realpara o meio ambiente. Com eles, o consumode querosene da Lufthansa será reduzido emcerca de 2.180 toneladas e serão economizadas6.867 toneladas de CO 2 por ano. Ao todo, serãosubstituídos cerca de 5.000 contêineres.A Lufthansa Cargo e sua afiliada Jettainer,responsável pela gestão logística dosequipamentos de carga, fizeram amplos testesa bordo com os novos contêineres, que sãousados tanto para o transporte de bagagemdos passageiros como para remessas de carga.Todos os itens de segurança e características demanuseio foram testados.O resultado: os contêineres são menos sujeitosa consertos do que os equipamentos de cargaconvencionais de alumínio, e atendem a todos ospadrões necessários.Novelprint lança programade reciclagem de liner filmeA Novelprint (Fone: 11 3760.1500) lançou oPrograma de Reciclagem de Liner Filme.A empresa fabrica rótulos autoadesivos commaterial 100% reciclável, o chamado liner deBOPP (filme de Polipropileno Bi-orientado),cuja tecnologia foi desenvolvida em 2005 pelaempresa. O Programa permite minimizar impactosambientais, com a vantagem de gerar receitapara as empresas que aderirem ao projeto. Como programa, as indústrias que utilizam os rótulosautoadesivos terão a possibilidade de vender osliners descartados para a Novelprint, gerandoreceita extra. Isso quer dizer que a Novelprint,além de fabricar os rótulos, irá comprar de volta oliner filme e, em seguida, reciclar o material. •


42 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalAçoPortal de frete da Lecomotimiza utilização dedocas na MarcegagliaAMarcegaglia do Brasil (Fone: 473431.6405), indústria multinacionalde aço, adotou uma solução quepermitiu reorganizar a utilização das docas,buscando um carregamento de cargas efetivo,e suprir a demanda atual sem que fossepreciso aumentar o número de docas em seusterminais. Por meio de solução web criadapela Lecom (Fone: 14 4009.8900), empresaespecializada em soluções para comunicaçãodigital, a companhia agora realiza todo ocontrole dos serviços de frete dos produtosfabricados nas fábricas em plataforma on-line.O Portal de Frete, como o sistema échamado,consiste emuma plataforma100%on-line emque o clientetem autonomiatotalpara controlarsuasoperações,por meio demódulos quecobrem asdiferentesGonçalves, daMarcegaglia: “com oportal, aumentamosa qualidade de nossacomunicação“atividadesdos trabalhosdesenvolvidospelaMarcegaglia.Antes da implantaçãodoportal, a companhia precisava fazer contatoscom as transportadoras de forma manual, pormeio de solicitações telefônicas, em papelou e-mail, o que gerava lacunas para duplasinterpretações dos serviços que deveriam serprestados e erros humanos de maneira maiscorriqueira, aumentando o custo das operações,que precisavam ser refeitas. “Fazíamosprocessos muito informais. Com o portal,aumentamos a qualidade de nossa comunicaçãoentre empresa e transportadoras, comuma eficácia no sistema de agendamentoe carregamento de produtos”, avalia CeliLuciano Gonçalves, gerente de tecnologia dainformação da Marcegaglia do Brasil.“A Marcegaglia do Brasil teve umaexpansão muito grande nos últimosanos e era necessário que revisássemose fizéssemos uma ampliação nos seusplanejamentos logísticos. Era preciso otimizara utilização das docas, suprir a demanda daempresa, sem que fosse preciso aumentar onúmero de docas”, analisa Tiago Amôr, diretorde operações da Lecom.Para solucionar questões como mauentendimento das tarefas a serem feitas,confusões com os horários marcados paracarregamentos e atrasos de caminhões, aequipe de analistas de logística da empresapassou autilizar o Portalde Frete.Administradopelosanalistas, oPortal recebetodos os dadosdas cargas,incluindoinformaçõesfundamentaiscomo dia ehorário em queos produtosAmôr, da Lecom: foipreciso otimizar autilização das docassem aumentar o seunúmerodeverão serexpedidos.Depois definalizada,essasolicitação édisponibilizadano Portal para todas as transportadorascredenciadas ou enviada para umatransportadora específica, que esteja maisadequada ao perfil da solicitação. Ao aceitaro serviço de frete, a transportadora precisaregistrar no Portal o horário que irá retirar acarga na Marcegaglia.Segundo Gonçalves, é nessa horaque a ferramenta demonstra seu principaldiferencial. “A janela de tempo mostra paranós a programação de retirada das cargas,otimizando o tempo para o carregamentodas mercadorias e permitindo um melhorgerenciamento das docas para os caminhões.Com isso, evitamos transtornos e problemas”,


44 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalExpansãoGrupo Camilo dosSantos investe R$ 20milhões em expansãoCorrendo atrás de competitividadenas maiores capitais brasileiras,o Grupo Camilo dos Santos (Fone:32 2102.8000) se prepara para realizarinvestimentos que chegarão à casa dosR$ 20 milhões nos próximos quatro anos.O foco, antes voltado para a atuação nointerior mineiro, agora se vira para capitaiscomo Belo Horizonte, MG; São Paulo, SP;Rio de Janeiro, RJ; e Vitória, ES.“A nossa competitividade com osprincipais players do mercado deve crescermuito quando chegarmos a essas cidades.Antes, atuávamos muito regionalmente,com enfoque no interior de Minas Gerais.Com os investimentos em outras cidades,teremos a geração de uma infinidade de novosnegócios”, espera Michael Oliveira, diretorgeral do Rodoviário Camilo dos Santos.A previsão da expansão física doGrupo Camilo dos Santos é de que até oprimeiro semestre de 2012, todas as capitaisplanejadas passem a contar com a atuação dogrupo. Rio de Janeiro e Vitória devem começara receber os serviços da empresa ainda esseano. Os trabalhos em Belo Horizonte deverãocomeçar até fevereiro de 2012 e, na cidade deSão Paulo, até junho.Do total investido nos próximos anos,50% será voltado para o Rodoviário Camilodos Santos e empregado em renovaçãode frota, equipamentos e tecnologia dainformação. Outros 20% serão aportadospela EBS Logística, empresa criada há cercade um ano e especializada na operação decargas de lotação, que já atua com clientescomo Votoratim e Natura. Os 30% restantesirão para a criação de novas empresas como aMEF, que deverá atuar no armazenamento deprodutos. “As novas empresas serão voltadaspara a construção de armazéns, estruturaçõesde Centros de Distribuição, logística earmazenamento de carga”, anuncia Oliveira.O Grupo também criará uma holding decapital fechado, que deverá abrigar, em atédois anos, três subsidiárias: o RodoviárioCamilo dos Santos, a EBS Logística e aMEF. Os investimentos previstos podemchegar a dobrar, caso a criação de um quartoempreendimento estudado saia do papel epasse a integrar o grupo. Um novo site serálançado em janeiro como uma ferramentaque irá disponibilizar uma série de serviçosdiferenciados para o mercado.Mudanças internasO aporte chega em hora decisiva nomercado brasileiro. Percebendo a altana demanda por novas companhias detransporte e logística em algumas dasmais importantes capitais do país e a boa eFrotas da Rodoviário Camilo dos Santos receberão aportes para renovação.Para essa empresa, os investimentos chegarão a R$ 10 milhões


edição nº 118 | Dez | 2011 | 45estável fase econômica do país,o Grupo percebeu a chance decrescer. Além de expandir osnegócios, notou que estava nahora de modificar o estilo degestão interna, realizando umreposicionamento estratégico.Para isso, trouxe profissionaisexternos para atuar, comotomadores de decisões no lugardos sócios, responsáveis pelosrumos da companhia por 28 anos.“Houve uma profissionalizaçãointerna. Os sócios abriram espaçopara que profissionais do mercadoentrassem na empresa emcargos importantes, para atuarcomo responsáveis por decidirgrandes passos. Atuamos agoracom uma direção totalmenteindependente”, explica Oliveira.Hoje, a empresa conta commodelos de negócios. Cadaunidade de negócio possui umgestor que responde por todas asdecisões, em cada nova cidadeconquistada. Essa nova equipeformada é quem dará rumo aoinvestimento que será realizadonos próximos anos e colocará emprática o plano de expansão dacompanhia.ResultadosesperadosCom a série de investimentosanunciados para serem realizadosaté 2015, o Grupo espera passardas atuais 45 mil entregase mais de 500 mil volumesmovimentados/mês, em 200cidades do Sudeste, para 105 milentregas e cerca de 1 milhão devolumes movimentados/mês, como começo da atuação nas capitais.O faturamento da companhiatambém deverá seguir essasexpectativas e a pretensão é queele dobre nos próximos quatroanos. Além disso, a força detrabalho do Grupo deve crescerem 800 colaboradores.“Queremos nos diferenciardo mercado. Hoje, o setor detransporte está muito igual, nãohá diferenças expressivas entreOliveira: buscamos crescercom competitividade evamos chegar às capitaiscom capacidade para supriras demandas do mercadoempresa A, B ou C. Queremostrazer competitividade emudanças para esse segmentoe esperamos que com todosesses investimentos seja possívelatingir objetivos como esses”,termina Oliveira. •2012Solideal oferecepneus para os setoresde construção earmazenagemCom atuação em mais de60 países, a Solideal ofereceserviços de fabricação de pneus,rodas e esteiras para veículosindustriais e equipamentos paraconstrução, como pneumáticosde guindastes WL, HAULER SKS,Compactor e SKS. Para o setorde movimentação, a empresaoferece o cushion em borracha,superelásticos não-manchantes,pneumáticos não-manchantes,pneumáticos extraprofundos,o modelo Magnum, um dosdestaques da empresa, que éconsiderado pelo mercado umpneu maciço superelástico, combandas com bornes extraprofundaspara maior tração ao terreno.E, por fim, a empresa oferece afabricação da esteira para escavadeiraRubber Tracks, para utilizaçãoem terrenos de baixa pressão.


46 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalImplementos rodoviáriosGrupo Ibero apresentanovo portfólio de produtospara o mercado nacionalOGrupo Ibero (Fone: 114641.1907), especializadono segmento de peçaspara implementos rodoviários, ea Fontaine (Fone: 41 3029.6565),fabricante de 5ª roda com sistemaantifalso engate com sede emTrussville, no Alabama, EstadosUnidos, estão apresentandonovos produtos para o segmentode implementos rodoviários.A Ibero mostra a suspensãomecânica, a nova geração dasuspensão pneumática e adistribuição, exclusiva no Brasil,de freios ABS Knorr-Bremsepara a linha de implementosrodoviários. Já a Fontaine, alémda 5ª roda de 3 ½”, revela a novaA empresa éespecializada em peçaspara implementosrodoviáriosJá estamos trabalhando noTOP DO TRANSPORTE2012linha de produtos Fonrtline, comoo engate automático e a ponteirapara linha canavieira e rodoviária,o aparelho de levantamentomecânico, o pino rei de 2 e 3½”, Twist Lock, e o suspensorpneumático de eixo.ParceriaA parceria entre as marcassurgiu de um fato raro nomercado brasileiro. O GrupoIbero, em atuação desde marçode 2001, assumiu o controleda marca Fontaine no mercadosul-americano em abril de 2011.Geralmente acontece o contrário,a marca mais forte compra amarca brasileira para obter maismarketing share.Ronaldo Linero, presidentedo Grupo, diz que isso foifundamental para o crescimentoda marca no Brasil e será para ofuturo da empresa. “Durante osanos de 2008 e 2010, investimoscerca de 3 milhões de dólares.Só em 2011, focamos nossasações em softwares para melhorgerenciar nossa produção e porisso investimos R$ 1 milhão nosistema SAP”, explica.O Grupo, que tem fábrica emItaquaquecetuba, SP, produz, hoje,cerca de 800 peças por mês. Comos investimentos, espera chegarà marca de 1200 peças, emfevereiro de 2012.Linero: um dos objetivosda Ibero é ser fornecedorana linha de montagem dasgrandes montadoras“Um dos objetivos principaisda Ibero é ser fornecedora nalinha de montagem das grandesmontadoras, assim como aFontaine já é no Brasil. Ela temparticipação de 50% na Volvo,8% na Mercedes e 5% na Scania,e em 6 meses espera chegar àmarca de 20% e 30% nas duasúltimas montadoras”, explicaLinero, sobre os próximos passosda empresa.Hoje, o Grupo Ibero conta com14 representantes distribuindosuas peças por todo o Brasil, eem 2 ou 3 anos espera ter mais40 pontos de vendas. •NotíciasRápidasRumo Logísticainveste eminfraestrutura noPorto de SantosA Rumo Logística (Fone: 132101.3383), empresa do GrupoCosan, iniciou uma série deações para modernizar suaatual estrutura no Porto deSantos, SP. Com investimentototal de aproximadamente R$200 milhões, as instalações dacompanhia no local passarão acontar com a mais moderna tecnologiae estrutura para agilizaro processo de descarregamento,armazenagem e elevação deaçúcar. Por meio da melhoriade processos e com tecnologiade ponta, a Rumo Logísticapretende aproveitar ao máximoa produtividade oferecida pelosterminais já existentes no local,que são capazes de elevar 11milhões de toneladas por ano.Com investimento da ordem deR$ 35 milhões, haverá a substituiçãodo shiploader norte doTerminal Sul e a construção denovas linhas de expedição, comas mais modernas tecnologiasde controle de emissão dematerial particulado e controlede derrame de açúcar. Outrainiciativa em andamento é areforma de um armazém localizadono Porto de Santos, que resultaráem um grande aumentoda capacidade atual de armazenagemde açúcar – passandodos atuais 25 mil toneladas para80 mil metros toneladas. Aindana área do Porto, as antigasesteiras abertas serão vedadase, nas moegas, será instaladauma nova técnica de despoeiramentoque consiste em ummoderno sistema de sucção,tudo para impedir o desperdícioe derrame do produto. Foramaplicados R$ 3,5 milhões nestesistema, com entrega previstapara março de 2012.


edição nº 118 | Dez | 2011 | 47AplicativoInfor10 Supply Chain Executioncombina várias funçõesAInfor Brasil (Fone: 115508.8800), fornecedorade aplicaçõesempresariais com mais de 75mil clientes, acaba de lançar seunovo aplicativo, o Infor10Supply Chain Execution.A solução integrou a gestão detransporte, gestão de armazéme outras funções relacionadascom logística em uma únicaaplicação, com a utilização de umbanco de dados unificado parareduzir a complexidade da gestãologística. “A nova ferramentaajuda a empresa a lidar com asdecisões complexas de logísticaque abrangem a fronteira entretransporte e armazenagem,evitando os pontos cegosresultantes daqueles processos”,explica Hilton Rocha, especialistaem Supply Chain da Infor Brasil.O aplicativo foi estruturadopara permitir que processoslogísticos fossem realizados demaneira mais ágil, reduzindoos custos, suportando oplanejamento e o eventualre-planejamento ao longo daoperação. Com essa possibilidadede re-planejamento, as empresasconseguem gerenciar demandasinesperadas que podem surgirno cotidiano do trabalhodesenvolvido. Ao adotar umaúnica solução que supra asdiversas necessidades da cadeiade suprimentos, a empresareduz os riscos, tempo deimplementação e a sobrecarga detodas as operações.Segundo Rocha, oaplicativo possui a capacidadesofisticada de gestão de trabalho,que leva em consideração mão deobra e equipamentos utilizadosna operação e ajuda a otimizar adistribuição de tarefas e a medir odesempenho da força de trabalhoencarregada do serviço. Todoo trabalho realizado pode sermonitorado em tempo real.Rocha: nova ferramentaajuda a lidar com asdecisões que abrangem afronteira entre transportee armazenagemCom esta solução, aempresa também pode secertificar que seus caminhõese reboques estão sempre semovendo na direção certa,com a carga correta. “Esteplanejamento de rotas táticoe solução de programaçãoajuda a planejar e otimizar afrota de veículos para melhorardrasticamente o nível deserviço. Se a empresa vendeserviços de logística, serácapaz de estimar os custosintegralmente, criar serviçosde valor agregado, como kits,e contar com mais rapidez eprecisão”, continua Rocha.OutrasaplicaçõesAlém de ser usado emgestão de trabalho, o aplicativotambém tem tecnologiaexclusiva para gestão detransportes e de armazénscombinados e inseridos em umúnico banco de dados.Por meio da gestãoautomatizada de inventário,ferramenta do Infor10 SupplyChain Execution, é possívelreduzir os níveis de inventário, aoautomatizar sua gestão, e gerirde uma forma eficiente o ciclode vida do produto, evitando anecessidade de descartar produtosdesatualizados. Também pormeio do aplicativo, os clientestêm acesso ao estado da suaencomenda utilizando um portalweb interativo, além de poderfazer o upload dos seus SKUs.Para os fornecedores, a vantagemestá no acesso às ferramentaspara gerir o seu próprio inventário,imprimir e anexar etiquetasaos bens que distribuem. Jápara empregados e gestores,a visibilidade mais ampla dasoperações de armazenamento é ogrande destaque do aplicativo.Com capacidades integradasde relatórios e “reporting ad hoc”,o aplicativo desenvolve relatóriosprecisos para gestores e clientes,além de gerar alertas ao identificaralgum problema no sistema. “Asolução oferece funcionalidadespara cobrir as necessidadesde distribuição, assim como asnecessidades evoluem ao longodo tempo com o crescimento dasempresas”, finaliza Rocha. •


48 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalTecnologiaCotLog contabilizavantagens do uso dosistema Web ServiceMaior rapidez nos processos logísticos,menos retrabalho e diminuição nonúmero de ocorrências de falhashumanas durante as operações foram osprincipais motivos pelo qual a CotLog (Fone:11 4612.4680), operador logístico com forteexpertise no setor de produtos de marketingpromocional, procurasse a ESL (Fone: 112141.1900) para desenvolver um software queauxiliasse no monitoramento das operaçõeslogísticas. “Precisávamos de informaçãoem tempo real. Cada vez o cliente fica maisexigente, principalmente em nosso nichode atuação, o de material promocional. Estematerial deve chegar ‘ontem’ e precisa estarno ponto de venda hoje, dia em que começa apromoção”, explica Marcelo Banzato, diretorda CotLog. Segundo o diretor, as conversaspara a adequação das demandas da CotLogàs soluções da ESL demoraram 18 meses paraserem concluídas.Com a demanda de maior agilidade paraacelerar a logística do trabalho realizado paragrandes clientes, como a TAM Cargo, a ESLdesenvolveu o software Web Service, focadona automatização dos serviços. “Um processoautomático que garantisse a qualidade dosoftware, com monitoração das ordens desaída de estoque e conhecimentos detransporte, onde o usuário tivessea possibilidade devisualizar todasessasmovimentações mediante um período prédeterminadopelo cliente era o nosso foco”,analisa Rinaldo Oliveira, diretor comercial daESL. “Se tudo converge de forma automática,aposentamos processos e ganhamosagilidade”, completa Banzato.O Web Service promove a gestão deinformações como rastreamento da carga,performance de entrega, coleta e até cotaçãode preços. A característica principal fica paraa capacidade de informar em tempo integraltodas as ocorrências dentro da operaçãologística. “Em nenhum momento o operadore embarcador ficam sem saber o que estáacontecendo”, ressalta Oliveira, da ESL.Além de permitir uma fácil visualizaçãoe usabilidade dos registros efetuados pelousuário, foram levados em consideraçãona construção do software a agilidade naexibição dos dados, a necessidade de ter umaorganização modular, baixo acoplamento, altacoesão, segurança, facilidade na manutençãoe confiabilidade.Antes do Web Service começar aoperar na CotLog, a empresa perdia muitotempo com ocorrências rotineiras, como anecessidade de analisar maisde uma vez o andamento deuma entrega que estava comalguma dificuldade. Quando oproblema estava solucionado,era preciso certificar que tudoestava realmente finalizado,fazendo com que o processofosse lento. A ferramentapossibilitou um diagnóstico commaior informação da operação,além das entregas passarema ter uma baixa automática nosistema. “O que foi entreguecorretamente e dentro doprazo sai automaticamente dosistema e não precisamos nospreocupar”, salienta Banzato.“Com isso, direcionamos nossosesforços agora para dar um


edição nº 118 | Dez | 2011 | 49maior suporte aos nossos clientessobre tudo durante a operação, esolucionar rapidamente possíveisproblemas”, continua.De acordo com a CotLog,após o início da utilização doWeb Service, os índices dereclamação em relação à faltade informação de coletas ouentregas melhorou em 85% e oretrabalho caiu em 20%.Os trabalhos prestadospela CotLog para a TAM Cargoforam alguns dos que receberamreformulação com o Web Service.Nesse cliente, o software atuaem uma operação que envolvea entrega mensal de 2 milmercadorias em todo país.Como funcionaO sistema Web Service éexecutado sem interrupçõesem um monitor ou painelde acordo com a dimensãodesejada pelo usuário. A partirde uma data, configurávelpelo cliente, o sistema exibetodas as ordens de saída doestoque e conhecimentos detransporte das operações, cominformações como número dodocumento, cliente, status daúltima ocorrência de transporte,transportador responsável pelacarga, quantidade de ordensde saída geradas no dia atuale a quantidade de pedidossolicitados via web.O sistema também édotado de uma soluçãoutilizada na integração desistemas e na comunicaçãoentre aplicações diferentes,possibilitando que novasaplicações possam interagir comoutras já existentes, mesmoque os sistemas utilizadosna comunicação sejam dediferentes plataformas dedesenvolvimento.“Todo o monitoramentoé realizado em uma únicatela e com um únicoclique pelo usuário. Issorepresenta um ganhoelevado na produtividadeda transportadora, poispossibilita que o usuáriovolte às suas atenções paraquestões estratégicas donegócio, evitando processosde operação manual e commenor possibilidade de falhaspor erro humano”, salientaOliveira, da ESL.“Um dos principais ganhosque tivemos com a utilização doWeb Service foi conseguirmosinformação em tempo real. Alémdisso, agora sabemos, a cadaatualização do parceiro em seusistema, onde está a carga. Destamaneira, podemos atuar maisrápido quando acontece algumproblema. O lead-time ficou bemmenor” indica Banzato, da CotLog,que completa: “as pessoas queantes faziam trabalhos cansativos,como dar baixas em entregasmanualmente, puderam seralocadas para outras atividadesmais produtivas”. •2012Gumaplastic ofereceseu portfólio paravariados setores domercadoCom foco em artefatosde borracha e plástico, aGumaplastic nasceu com capitale tecnologia 100% nacionais.Acompanhando as tendências dosetor, a empresa sempre buscoumelhorar seus serviços paramelhor atender ao cliente.No seu portfólio, a empresaconta com uma linha de pneus paraempilhadeiras, tratores industriais,carregadores frontais, carretasindustriais e dolleys aeroportuários.Fabrica, também, peças comoprensados, revestimentos comelastômeros, sintéticos e naturais,poliuretano em cilindros, etc.Seus clientes são usinas,montadoras automobilísticas e deempilhadeiras, indústrias alimentícias,laboratórios farmacêuticos,empresas de pavimentação eterraplanagem, terminais marítimose aeroportuários.


50 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalParceriaGestão compartilhadadiminui custos de operaçãoda Nadir FigueiredoNotíciasRápidasAvianca assinapedido para quatroaeronaves cargueirasAirbus A330Em parceria com a IDLogistics (Fone: 113809.3400), empresa delogística francesa com filial noBrasil, a Nadir Figueiredo (Fone:0800 163 646) diminuiu os custosde sua operação por meio demelhorias na acuracidade dosestoques, maior flexibilidade naoperação e melhora na qualidadede armazenamento nos quesitosendereçamento e arrumação. Issoquem afirma é o superintendentede distribuição, logística e PCP daNadir Figueiredo, José RobertoAlves de Souza.Especializada em utilidadesdomésticas em vidro, a empresaatua com o modelo de gestãocompartilhada com a ID Logistics,em que a relação é baseada numaestrutura enxuta de decisão,aberta e com muito diálogo,gerando maior dinamismo nasmudanças necessárias paraatender ao mercado. “Umcomitê mensal formado pela altadireção da Nadir Figueiredo eda ID Logistics discute assuntosestratégicos, juntamente comum follow-up das ações emandamento”, explica RodrigoBacelar, gerentecomercial e demarketing da IDLogistics.A companhiaé cliente da IDLogisticshá anos ebuscou aempresaparareorganizaralgumasáreasonde se encontravam gargalos.Segundo Souza, da NadirFigueiredo, a empresa estava embusca de evolução tecnológica nosprocessos logísticos, redução noscustos logísticos que envolviam amovimentação, armazenagem eexpedição de produtos, melhoriano nível de serviço dado aosclientes e implantação de ummodelo de gestão ágil e comalto poder decisório. Em contatoconstante com a empresa, a IDLogistics percebeu alguns pontosque precisavam de atenção.“Havia uma grande concentraçãode volumes no final do mês, grandeoscilação de veículos ao longo dodia, necessidade de integração comas linhas produtivas e de aumentona capacidade de expedição”,analisa Bacelar.A partir desse diagnóstico,ambas as empresas passarama atuar em conjunto. Dentreas ações colocadas em práticapela empresa francesa, quatroforam responsáveis por atingir asexpectativas da Nadir Figueiredo: oagendamento on-line que pudesseser realizado pelo próprio cliente;a implantação de sistema com autilização de radiofrequência paraagilizar toda a operação; a criaçãode uma interface entre os sistemasdos Centros de Distribuição deSuzano e Vila Maria, em São Paulo;e a implantação do Prodprep,para controlar hora a hora aprodutividade do colaborador.“A ID Logistics assumiu, em 2009,o CD de Suzano. Com o sucesso daoperação, a atividade se estendeutambém para o CD Vila Mariano ano seguinte. Enquanto isso,a Nadir concluiu a ampliação doBacelar, da ID Logistics: um comitêmensal formado pela alta direção das duasempresas discute assuntos estratégicosCD Suzano com um prédio novoao lado do CD já existente, quedesde agosto de 2011 é o maiorda empresa”, conta Bacelar, da IDLogistics.Como resultado das quatrosoluções criadas, deu-se aredução de avarias em 80%,diminuição de erros de expediçãoem 84% e economia de papelem 2,5 toneladas. Além disso,também houve redução dotempo de expedição em 28% ea acuracidade de estoques subiupara 99,8%.Para Souza, da NadirFigueiredo, as grandes vantagenspercebidas após a implantaçãodo projeto foram a evoluçãoconstante dos processoslogísticos, a tomadas de decisõesimportantes com agilidade ea implantação de sistemasagregando tecnologia em todosos processos logísticos. “Coma adequação dos processoslogísticos, ganhamos uma novaforma de operar o fluxo deexpedição com a implantação deum sistema de agendamento viaWeb para a retirada de pedidosdos nossos clientes, otimizandorecursos de transporte e reduzindotempo de carregamento”, analisa.“A implantação de radiofrequênciapara os controles de recebimentona produção, armazenagem eexpedição; a estrutura de gestãointegrada Nadir Figueiredo ICSAe ID Logistics; a separação econferência prévia da mercadoria,baseada no sistema deagendamento; e a linearizaçãode volumes com otimização derecursos de mão de obra, dentreseparadores, conferentes eoperadores de equipamentos,foram grandes mudanças emnossa estrutura e maneira deoperar”, finaliza. •A Avianca (Fone: 0800 286 6543),parte do grupo de companhiaaérea AviancaTaca Holdings,assinou pedido firme paraquatro aeronaves cargueirasA330-200, que serão operadaspela sua subsidiária cargueira,a Tampa. O cargueiro A330-200substituirá a frota atual de cargueirosda Tampa e terá papelimportante na expansão do negóciode cargas internacionaisda Avianca. O pedido tornará aAvianca a primeira operadoraa receber o Cargueiro A330-200na América Latina.Translocal Logísticainaugura armazémA Translocal Logística (Fone: 133344.3030), empresa do Grupo Localfrio,inaugurou, recentemente,o seu primeiro armazém dealvenaria: são 3.150 m² de áreaconstruída, com capacidadepara acondicionar 4.230 paletes,aproximadamente, em cinconíveis, com cargas secas em geral.E caso haja necessidade, deacordo com a demanda, já estáestruturado para ser expandido eduplicar a capacidade. Tambémestá programada a implantaçãode área para oficina mecânica,lavagem de veículos e instalaçãode bombas de combustível.“Estamos avaliando, também, aconstrução de um galpão químico,de cerca de 1.800 m², com capacidadepara acondicionar porvolta de 2.370 paletes”, comentao superintendente corporativode operações do Grupo, MarcoAntonio de Oliveira.


edição nº 118 | Dez | 2011 | 51Negócio FechadoJSL anuncia aquisiçãoda Rodoviário Schio porR$ 405 milhõesAJSL (Fone: 11 4795.7000) anuncioua aquisição do Rodoviário Schio(Fone: 11 3376.4000), especializadono segmento de logística de produtos detemperatura controlada. A operação ampliaas operações da JSL no mercado nacionale a introduz em novos países, comoArgentina, Uruguai, Venezuela e Chile.Com a aquisição, a JSL agrega novosativos e pessoas especializadas no setorde produtos de temperatura controlada àsua plataforma de serviços logísticos noBrasil, ampliando ainda mais seus ganhosde escala na aquisição e revenda de ativose principais insumos. A JSL também esperaobter oportunidades de cross selling,oferecendo serviços aos atuais clientes daSchio, sem perder a identidade da empresa,que agora se valerá da estrutura da JSLpara suportar seu plano de negócios.O valor total da operação é de R$ 405milhões. Parte será pago em dinheiro eparte em ações da JSL, através da emissãode novas ações, em um total de R$ 22Fernando: “a aquisição fortaleceráo relacionamento com os atuaisclientes da Schio”ComprePaletransna PiazzaNotícias Rápidasmilhões. Estas passarão a pertencer a JoséSchio, que se torna acionista da JSL e umdos principais executivos da companhia,estando à frente das operações adquiridas.“A aquisição está alinhada à estratégiade crescimento da JSL e fortalecerá orelacionamento com os atuais clientesda Schio, dado que será mantida a atualgestão deste negócio com a permanênciado José Schio na administração, que passaa contar com o apoio de toda a estrutura daJSL”, comenta Fernando Antonio Simões,presidente da JSL. •Comingersoll participa da Convenção AnualLatino-Americana das Empilhadeiras DoosanNa semana de 21 a 25 de novembro último, Marcos Sampaio, diretor comercial daComingersoll (Fone: 11 5103.1133) – dealer master da Doosan Forklift – participou daConvenção Anual Latino-Americana das Empilhadeiras Doosan em Santiago, no Chile.Neste ano em que a Doosan completa 115 anos, foi priorizado o foco na América Latina,inclusive com a construção da 1ª fábrica no Brasil. Na ocasião, a Comingersoll recebeuum prêmio pelo seu desempenho em 2011. A Doosan atua em diversos segmentos e estápresente em 91 países, com linhas de produção em nove deles, além da Coréia, onde temcinco fábricas. Hoje, a Doosan produz 133 modelos de empilhadeiras e está investindo eminovação, ergonomia e sustentabilidade dos seus produtos.AlugueHyundai• •(11) 2633-4000www.coparts.com.bré naVendas e locaçãode empilhadeirase transpaletesmanuais eelétricos(11) 2954-8544ou acesse nossa loja virtualwww.piazzaempilhadeiras.com.br


edição nº 118 | Dez | 2011 | 53e, não em caixasou paletes,ocasionandoum exaustivotrabalhooperacional. Osprodutos sãoconsideradosfrágeis erequerem, alémde uma mãode obra maisqualificada paranão danificaro produto,condiçõesespeciais dearmazenageme embalagem.Cada vez mais os produtos sãoperecíveis, isto é, a moda mudacom velocidade, e as variaçõesclimáticas (amplitude térmica emum dia, por exemplo) influenciamdemais nas vendas.Para Marcelo Flório, CEO da LOGFashion (Fone: 11 4169.5278), achegada em massa de muitasgrifes internacionais tem geradoPerez, da KeepersLogística: essesdois setores estãoadaptando-se àscadeias de suprimentosglobalizadaspara o setor delogística têxtiluma necessidadeimediata deautomaçãodos processoslogísticos, tantointernamentenos Centros deDistribuição,como noacompanhamentoem temporeal (on-line)dos processologísticos comoum todo, atéa entrega.“Estamos em ummomento de grande melhoriatecnológica, buscando asmelhores práticas mundiais.Com isso, a novidade,consequentemente, é a aberturado canal de e-commerce destesetor, o que terá um grandeimpacto logístico, diferenciadoem relação aos outrossegmentos”, avalia Flório.Tratamento especialQuando se fala nanecessidade ou não deequipamentos e sistemasespeciais nestes segmentos, asrespostas são diferenciadas.Por exemplo, Bacelar, daID Logístics, e Lumare Júnior,da Braspress, dizem que nãohá necessidade. Este últimoalega que isto ocorre porquea encomenda é de fácilmovimentação, fracionada e comboa ergonomia. “Muitas vezesnão há a necessidade, mas sefor detectada uma necessidadeespecífica do cliente, podemosmontar uma logística com umatecnologia diferenciada parao atendimento. Isso é umaquestão estratégica”, apontaOliveira, do Rapidão Cometa.Pensamento semelhante ao deBruna Grillo Lovato, coordenadorade marketing da transportesTranslovato (Fone: 54 3026.2777):“não necessariamente érequerido o uso de equipamentos2012Pothimaq ampliacapacidade de atendimentocom nova filialem CampinasCriada em 1993, a Pothimaq sededicou à atuação na área retroportuária,com foco em refrigeração decontêineres tipo Reefer. Doze anosapós o nascimento, a empresa ampliouas atividades, disponibilizandoao mercado grupos geradores eempilhadeiras para locação.Em 2008, a empresa firmoucontrato com a FG Wilson paradistribuição dos geradores nomercado brasileiro. Em 2010, foi avez da GC Power, do Grupo Tailif,ter suas empilhadeiras distribuídasexclusivamente pela Pothimaq.Para o ano de 2012, a empresainveste na expansão dos negóciose anuncia a nova filial emCampinas, SP, situada na RodoviaSantos Dumont. Outro projetoserá a aquisição de máquinas dediferentes modelos para agilizar apronta entrega.


54 | edição nº 118 | Dez | 2011Multimodale sistemas especiais, maspossuímos etiqueta com códigode barra própria ou em conjuntocom os clientes e esteira paracarga e descarga”.Já Panzan, do ExpressoJundiaí, alega que os segmentostêxtil/vestuário requeremequipamentos e tecnologiaque garantam a eficácia daoperação de distribuição, como:tecnologia embarcada para darsuporte a um gerenciamento derisco eficaz – frota rastreada,sensores de portas, travamentode carretas/baús e baixa remotana frota de distribuição via celularconectadas a ferramentas paratracking de pedidos on-line paraos clientes e equipamentos demovimentação automatizados.E, para Toni Junior RamosTrajano, diretor do GrupoRaupp (Fone: 51 3393.5000),também: adaptação no baúpara transporte de produtosem cabides e estruturas dearmazenagem. “Há necessidadede estruturas de movimentaçãoe armazenagem especificaspara estes segmentos.Exemplos são as colméiasutilizadas para armazenagemde rolos de tecidos de diversosdiâmetros e comprimento e,ainda, as estruturas suspensaspara movimentação de peçasde vestuário encabidadas.Em termos de sistemasoperacionais, o próprio WMS ouERP se adapta bem às rotinase aos processos do segmento”,completa Perez, da KeepersLogística.Mayo, da Linx Logística,também fala da necessidadede sistemas e equipamentosautomáticos que facilitam opicking fracionado, enquantoFlório, da LOG Faschion, dizque é fundamental a utilizaçãode equipamentos especiais eespecíficos, atrelados à altatecnologia de informação.Flório, da LOG Fashion: o setor de logística têxtil temmuitas dificuldades nas áreas portuária e aeroportuária,devido também ao fato de grande parte dos produtosser proveniente da China“Para o processo da cadeialogística têxtil como um todo,fazemos uso de TMS, transporteem caminhões cabideiros,WMS, sistemas cabideirosautomatizados ou manuaisde armazenagem e pickingsautomatizados, tudo integradoaos sistemas dos clientes”,explica o CEO da empresa.Bernardi, da MTRTransportes, também apontaa necessidade de informação,segurança e garantia dosprocessos operacionais paraque a performance sejaassegurada. Os equipamentosde gerenciamento de risco esoftwares são indispensáveis,diz ele. “No caso de tecidos,há necessidade de paletesespeciais e, no de vestuário,de baús equipados comcabideiros, EDI e paleteirasespeciais”, completa DonizeteLuis Simon, administrador daTransportes Ouro Negro (Fone:48 3461.4466).TendênciasEm termos de logísticanestes dois setores, o diretorcomercial da Braspress fala quea tendência é cada vez mais aadaptabilidade dessa logísticaao gosto do consumidor, atémesmo com uma grade deprodutos flexíveis e um girode transporte cada vez maisrápido e eficiente para entregara encomenda no local e nahora certa, já que não existegrandes estoques nas lojas.“A tendência é o crescimento,com a contratação de parceiroslogísticos para obter aumentoda produtividade operacional,redução de custos e despesascom pessoal, diminuição dotempo de recebimento dosfornecedores e entrega aosclientes, aumento de vendase compras, além de maiorconfiabilidade nos processos”,completa o executivo de logísticado Expresso Jundiaí. Trajano,do Grupo Raupp, tambémacredita numa consolidação dosoperadores, formando um grandeplayer de mercado, dando maisrobustez ao segmento e, por suavez, maior credibilidade juntoaos grandes grupos, enquantoBacelar, da ID Logistics,aponta para a adequação e odinamismo para atender aospicos em menor tempo.“Estamos vivendo umaépoca na qual esses importantessetores estão adaptando-seàs cadeias de suprimentosglobalizadas, onde se destacamos fornecedores chineses ecompradores da América Latina.Portanto, o ponto de discussãodeste ano tem sido a logísticacom foco nas importações,exportações e no transportemarítimo”, aponta, por sua vez,Perez, da Keepers Logística.Flório, da LOG Fashion,destaca que, atualmente,a demanda por serviçoslogísticos para o segmentotêxtil está crescendo muito,devido principalmente àprofissionalização do setor, àsfusões e aquisições das grifesnacionais e a vinda de grifesinternacionais para o Brasil,por isso, as necessidades poreficiência logística, foco no corebusiness e redução de2012Paletrans – Indústrianacional de sucessoOs grandes diferenciais quefizeram da Paletrans líder demercado em diversos segmentossão, em primeiro lugar, o enormecomprometimento com o clientee, também, a excelência atingidapelos seus produtos ao longodos anos.A empresa fabrica há maisde 30 anos equipamentos paramovimentação e armazenagemde materiais e, portanto, conheceas necessidades, tanto daindústria quanto do varejo.E percebeu, desde o início, que autilização de seus equipamentosé muito diversificada e comníveis de agressão totalmentedistintos. Como o respeito aocliente final sempre foi muitogrande, a empresa entende quesó poderia ser líder de mercadonum país continental como oBrasil contando com o apoio deuma Rede de Assistência Técnicatambém totalmente comprometidacom o cliente final e que zelassepor seus princípios e sua marca.Hoje, estatisticamente, em maisde 95% dos casos, o clienteconsegue o atendimento e asolução de em seus problemas nomesmo dia.Para a Paletrans é muitogratificante estar presente nasprincipais e na grande maioriadas indústrias deste país. Tal fatoserve como motivação para quenão deixe cair a qualidade de seuatendimento e, principalmente,a necessidade de continuarsempre evoluindo seus produtose serviços.A Paletrans é uma fábricatotalmente verticalizada e de umaprodução totalmente seriada.Algumas customizações sãooferecidas por parceiros criadosem Cravinhos, SP, cidade ondeestá instalada. Essas empresasparceiras, além de outrasespecíficas, oferecem à Rede deRevendedores e diretamente aosclientes finais uma quantidadeenorme de soluções.O último equipamentolançado foi a PR16, empilhadeiraretrátil para 1600 kg que operaem corredores estreitos de 2,7 mde largura.


56 | edição nº 118 | Dez | 2011Multimodalcustos estão em evidência nosetor de moda.“Por estes motivos, atrelados àsperspectivas de crescimento econômicodo Brasil e ao consequente aumento doconsumo, a procura por serviços logísticosno segmento têxtil é bem maior do quea oferta, desta forma, identificamosesta demandae decidimosinvestir mais nestemercado. Temoscerteza que nospróximos anos aterceirização dalogística nestessegmentos seráum diferencialestratégico paratodas as empresase, no curto prazo,o mercado buscaráeste serviço porconta de umaestratégia decrescimento demédio e longoprazos, já queo aumentodo volume edos pontos devendas será umaconsequêncianatural dosvarejistas,portanto, sem osuporte logísticonecessário,o crescimento será, com certeza,prejudicado”, analisa o CEO da LOGFashion.Já para Mayo, da Linx Logística, oe-commerce nestes setores é a “bolade vez”, enquanto Bernardi, da MTRTransportes diz que a logística reversaé uma necessidade cada vez mais forte.Ainda de acordo com ele, estratégias parareduzir prazos de entrega também sãoimportantes, pois cada vez mais os clientesdestes segmentos estarão interessadosem garantir que seus produtos estejamdisponíveis dentro dos ciclos das coleções.E Agnaldo Piccilli, gerente da PiccilliLogística (Fone: 11 2941.0155), diz quea tendência é a procura por empresasque trabalhem exclusivamente nestessegmentos, que são específicos. “Nestessetores, as empresas tendem a terceirizara logística e a focar mais na produção evenda de seus produtos. A tendência éque ocorra, também, uma sinergia entreas empresas. E isso também irá acontecercom a logística, gerando a logística decondomínio e barateando os custos”,completa Oliveira, do Rapidão Cometa.ProblemasLumare Júnior, da Braspress:logística precisar se adaptarao gosto do consumidor e àscaracterísticas dos lojistas quevendem artigos de uso pessoalCom relação aos problemas logísticosenfrentados nos setores têxtil e devestuário, pode-se dizer que muitos delessão os mesmos de OLs e transportadorasque atendem a outros setores,principalmente os relacionados à falta deinfraestrutura, comoa precariedade dasrodovias brasileiras,o atraso dasentregas provocadopelas barreirasfiscais e, ainda,as restrições detráfego nas áreasurbanas.“Os principaisproblemas do setorestão muito ligadosaos altíssimosencargos sobrea mão-de-obra,transporte deentrega em centroscomerciais, cujasnormas não sãounificadas, e,principalmente,devido àscondições dasrodovias e baixosinvestimentosem tecnologia dainformação. Outraparte importanteno processologístico têxtil e de vestuário envolveas áreas retroportuárias, que precisamter sua capacidade de armazenagem decontêineres ampliadas e ter uma atuaçãoefetiva na desburocratização dos processosde desembaraço aduaneiro, pois modaé perecível e muito sazonal. Na Europa,por exemplo, o tempo de desembaraçoé medido em horas, enquanto no Brasilleva dias ou semanas. O setor de logísticatêxtil tem muitas dificuldades nas áreasportuária e aeroportuária, devido tambémao fato de uma grande parte dos produtosserem provenientes da China”, explicaFlório, da LOG Fashion.Bernardi, da MTR Transportes,também fala em falta de mobilidadeurbana nas grandes cidades, falta deestrutura dos clientes recebedores,concorrência de produtos chineses eaumento dos custos logísticos em funçãodo chamado Custo Brasil.Já especificamente quanto a estesdois setores, é notório que, pelo fatode estarem geralmente ligados a datasespeciais, a estações do ano e à moda,são segmentos bastante sensíveis a


edição nº 118 | Dez | 2011 | 57prazos de entregas, onde umsimples atraso pode gerar ocancelamento de um pedido,diz Panzan, do ExpressoJundiaí.“O maior problema é terflexibilidade de demanda.Ter quatro coleções no anosignifica quatro estoques noano. A dificuldade é equilibrar ademanda X oferta. E equilibrara necessidade de pessoal paraatender essas demandas. Temoscasos em que há 150 pessoastrabalhando no processo eem outros casos chegamosa apenas 50. A dificuldade éequilibrar essa previsibilidadedo futuro, mão de obra e ademanda do cliente”, informao gerente regional de logísticado Rapidão Cometa, ao passoque Simon, da TransportesOuro Negro, também fala emcomplexidade da operação,altos custos, informações, cargavisada e especialização.Para o diretor do GrupoRaupp, a mão de obra é umdos principais problemas, porse tratar de uma operaçãoainda muito manual, tantona movimentação dosprodutos quanto na aplicaçãodos insumos (etiquetas,cabides...). “Há uma falta demão de obra especializada,tanto administrativa comooperacional. E, também,poucos fornecedores deequipamentos, estruturas etecnologias para esse tipo deproduto, além de contarmoscom OLs despreparados e ummercado restrito, com poucosOLs”, aponta Perez, da KeepersLogística. E Bacelar, da IDLogístics, elege, como problema,a logística reversa maisconstante.Para Mayo, da LinxLogística, estes setores contamcom uma cadeia formada poruma indústria ainda poucoestruturada, com falta depadronização de identificaçãoe tamanho e, também, poucacolaboração.SoluçõesTambém são várias assoluções apontadas para estesproblemas.No caso comum a todasas empresas de logística, assoluções evidentemente passampela vontade das autoridadesbrasileiras em melhorar ainfraestutura rodoviária, bemcomo dos aeroportos, portos,etc., para melhorar e desafogara distribuição de encomendas noPaís, segundo Lumare Júnior, daBraspress.“Para os problemas deestrutura geral, como melhoresestradas e descentralizaçãodos centros urbanos, é precisoiniciativas e investimentos dopoder público. Os embarcadoresprecisam investir em embalagensadequadas e identificaçãocompleta dos volumes, inclusivecom informações do destinatário.Para o transportador/OperadorLogístico, o desafio permanenteé modernizar tecnologias e2012Rodafer mantém fortecrescimento em seus16 anos de históriaA Rodafer nasceu,coincidentemente, na mesmaépoca que começaram asmudanças em nosso país eda mesma forma traçandoalternativas em busca docrescimento.Desde o início do governoFernando Henrique Cardosohouve as incertezas de uma novaera e, com o passar dos anos, oBrasil tornou-se um dos paísesmais confiáveis ao investimento.Hoje somos uma realidade,mesmo sabendo que temos umlongo caminho a percorrer comvários obstáculos, mas com acerteza de não errar.A Rodafer busca, alémdessas coincidências, ética,inovação e respeito ao próximo.


www.hubtex.com58 | edição nº 118 | Dez | 2011Soluções para o transporte emanuseio de cargas pesadas,longas e especiais.BLANCK & PARTNERS Consultoria,Projetos e Representações Ltda.Tel.: + 5511 3048 4059blanck.partners@uol.com.brMultimodalprocessos, para cumprir, rigorosamenteo objetivo da logística: ‘assegurar adisponibilidade do produto correto, naquantidade correta, na condição correta, nolugar certo, na hora certa, para o consumidorcorreto por um custo ideal.’ Como em todosos segmentos, os problemas, só podem serresolvidos ou minimizados quando todosos integrantes da cadeia pensam e agemno mesmo sentido”, aponta o executivo delogística do Expresso Jundiaí.Na visão de Flório, da LOG Fashion,a solução para melhorar os problemaslogísticos dos setores têxtil e de vestuário estáEmbarcadorKarsten: logísticaenvolve parceiroscomprometidosKarsten (Fone: 47 3331.4000), empresaA do segmento têxtil voltada paraprodutos de cama, mesa, banho e tecidospara decoração, que acaba de completar129 anos, está em ritmo de comemorar asconquistas mais recentes. Isso porque aempresa foi eleita uma das 500 maioresda região Sul, de acordo com o rankingda revista Amanhã, que está em sua 20ªedição, e ocupa a 50ª posição no rankingdas empresas mais inovadoras.Pelo seu porte e a sua linha deprodutos, é fácil perceber a importânciada logística no desenvolvimento desuas atividades. “A logística em nossaárea envolve parceiros comprometidose dedicados a nossa operação, queconheçam o setor. A logística integradafacilita a operação entre embarcadore transportador, reduzindo prazos semprejudicar a entrega”, avaliam SilvanaSchutz Wollick, coordenadora defaturamento e transportes, e AneliseSteinert, analista de transportes da Karsten.Mas, mesmo com esta parceria,alguns problemas ainda são enfrentadospela empresa. “São clientes cadavez mais exigentes com regras defaturamento, transporte e entrega.Também vale citar a sazonalidade dosetor e a concentração de vendas nocomércio brasileiro, que ocorre nofinal do ano, o que traz dificuldades egera custos desnecessários. É precisomuito planejamento para eliminar asadversidades que decorrem desde ocarregamento até a entrega final, equilibrartodas as situações para manter os prazosassumidos e os custos logísticos dentrodas metas definidas”, relaciona Silvana.concentrada em o Governo entender melhoras demandas de cada elo da cadeia logísticatêxtil e apresentar a melhor solução, pois asdecisões do Governo muitas vezes não sãocompartilhadas com o setor. “As tentativas desolucionar os problemas são contornadas comestudos pouco detalhados, sem planejamentoe controle. No entanto, é um processo de longoprazo, que deve ser realizado em conjunto.A partir disso, é necessário desenvolverprocessos específicos, personalizadospor segmento, considerando, também, asmelhores práticas no mundo e a experiência deprofissionais especializados no mercado.”Da esquerda para a direita:Silvana e Anelise, que respondempela logística da KarstenE Anelise completa: “todas asdificuldades do processo podem serresolvidas se embarcador e operadorestiverem com as mesmas informaçõesdisponíveis, onde a ordem é planejar emconjunto todas as etapas do processo eter a estrutura preparada para qualquereventualidade na entrega. A automatizaçãodo processo de picking e packing éfundamental para assegurar a agilidadeda operação”.As duas especialistas também apontamas tendências nestes segmentos, com avisão do embarcador: que a indústria e ovarejo trabalhem com maior variedade deprodutos e com estoques reduzidos. Paraisto, indústria e logística precisam trabalharem conjunto, conseguindo o maior volumede informações possíveis e construam umprocesso extremamente ágil e enxuto (lean)que evite rupturas.E, finalizando, também dão sugestõespara a escolha de um OL ou transportadornestas áreas: “para nosso segmento, éimportante o operador conhecer nossosclientes, as particularidades das operações,ter a estrutura adequada para anecessidade de cada embarcador e, principalmente,condições de suportar as sazonalidadesinerentes. O custo adequado daoperação deve ser construído em conjunto,através do bom planejamento: então, énecessário que o provedor esteja apto paraintegrar as operações”. •


edição nº 118 | Dez | 2011 | 61Expresso Jundiaí Grupo Raupp ID Logistics Keepers Logística11 2152.6000 51 3393.5000 11 3809.3400 11 4151.9030T e OL T e OL OL OLEstruturaJundiaí, SP Porto Alegre, RS Osasco, SPSantana deParnaíba, SP43: SP, RJ, PR,SC, RS, ES8: RS, SC, SP,RJ, MG, BA27: SP( 9), RJ (6),ES, MG (7), DF (3), PA23: SP, SC 2: RS, BA 3: DF, RJ, SP 2Sul, SudesteCargas secasfracionadas (LTL) e lotação (FTL);transportes dedicadosLogística; Just-in-time; logísticareversa; armazenagem; montagemde kits; etiquetagem; adequaçãode produtos importados (normasbrasileiras); serviços in company;gestão de estoquesSul, Sudeste, Nordeste,Centro-OesteServiços OferecidosCarga lotaçãoespecializada emcabideiroBaú móvelintercambiávelTodo o territórionacionalTransporte rodoviárionas modalidadestransferência (FTL),distribuição urbana,milk-runGestão detransporte (célula depilotagem incluindogerenciamento de KPI’s,conferência de frete,order tracking, etc.)Todo o territórionacionalCargafracionadaGestão detransporte;rastreamento;cross-dockingInformação não autorizadaRenner; C&A; Marisa;Leader; RiachueloOperaçãoCarrefourImportadores;atacadistas;varejistas465 200 - 0476 50 100 50Sim Sim Sim SimOmnilink;AutotracOnixSatSatelital; GPRS; Híbrido(Autotrac; JaburSat;Sascar; Omnilink)ERP; TMS; WMS n. i.TMS; WMS; portalWEB; roteirizador; ERP;mobile trackingTMS; WMSSim Não Não SimSim Não Não NãoArmazenagem; manipulação(encabidar, etiquetar);Tecnologia embarcada para darsuporte ao gerenciamento de riscoeficaz – frota rastreada, sensores deportas, travamento de carretas/baús,baixa remota via celular, ferramentaspara tracking de pedidos on-lineestoque; picking; distribuiçãoem baú intercambiável,sem a necessidade detransbordo da cargan. i.Armazenagem;movimentação;nacionalização;manuseio;montagemEmpilhadeiras; paleteiras; gaiolasmetálicas com divisória central;veículos VUCBaú intercambiávelcabideiro; transportadoresaéreos para produtosencabidadosn. i.Estrutura dearmazenagem derolos, cabideiros,etc.


62 | edição nº 118 | Dez | 2011MultimodalGuia de Operadores Logísticos e Transportadores nos setores de Papel e CelulosePerfil da empresa Linx Logística Log Fashion MTR TransportesTelefone 11 2103.2455 11 3608.4741 47 3321.2100Transportadora (T) ouOperador Logístico (OL)?OL T e OL TEstruturaLocalização da matriz Barueri, SP Carapicuíba, SP Blumenau, SCNúmero de filiais e Estados Apenas matrizonde estão localizadasem São Paulo3: SP23: RJ, SP,PR, SC RSQuantidade de CDs eEstados onde estãolocalizadosRegiões atendidaspela empresa1: SP 2: SP6: RJ, SP, PR,SC (2), RSSão Paulo Todo o território nacional RJ, SP, PR, SC, RSEspecialidades detransportes(de uma forma geral)Serviços agregadosaos transportes(de uma forma geral)Carga fracionadaArmazenagem; transporte;distribuição; controle deestoque; embalagens;gerenciamento da cadeia desuprimento; gestão integradadas operações logísticasServiços OferecidosTransporte especializado em entregas emShoppings Centers; transporte especializado paradesfiles e feiras (Fashion Week e desfiles regionais)-Gestão integrada da logística; entregas especializadas (encabidadas eem caixas); logística reversa de produtos, cabides, alarmes de segurança,embalagens retornáveis, etc.; consolidação de fornecedores e distribuição;recebimento, armazenagem, separação e embalagem de peças; controlede estoques para venda pela internet (e-commerce)Cargas fracionadas de alto valoragregadoArmazenagem; paletização/unitização; agendamentos; picking,distribuiçãoPrincipais clientesnos setores Têxtil e deVestuárioPrivalia; Lacoste;Renner; GuessCarmim; La Martina; Zorba; Hanes; Zara; Tensor; Kendal; Wonderbra;Champion; Lojas Besni; Lojas Caedu; Fatal Surf; HD; Havaianas; Gangster;Jezzian Jeans; Unika Trading; CharangaMalwee Malhas; Lunender;Dudalina; Coteminas; Dohler;Karsten; Lepper; BoutonOperaçãoTotal veículos frota própria Frota terceirizada 25 229Total veículos frota agregada 100% autônomos 80 270Frota rastreada? Não Sim SimTecnologias usadas norastreamenton. i.Omnilink; Pamcary integrado ao TMS da Avacorp;sistema de gestãoOmnilinkTecnologias utilizadas nasoutras operações executadaspela empresaWMS;radiofrequênciaSistemas de comunicação de dados (ERP);gerenciamento de armazém (WMS); monitoramento e rastreamento defrotas (TMS)Leitura óptica; tecnologia WAP;EDI; digitalização de documentos;servidores para web; TMS; ERPCertificada naISO 9000? Não Não NãoISO 14000? Não Em processo de certificação NãoServiços/diferenciaisoferecidos especificamentenos setores Têxtil e deVestuárioManipulação de produtos:etiquetagem de preço;costura de composição;controle de qualidade;montagem de packsRecebimento, separação e embalagem de peças em caixas ouencabidadas; controle de qualidade; armazenagem (dobrados,encabidadas, caixas, produtos de alto valor, etc.); armazenagem e controlede aviamentos; armazenagem e controle de embalagens (sacolas,caixas para presentes, etc.); armazenagem e controle de insumos paraa operação (caixas de papelão e fitas lacre); manuseio de produtosimportados; controle do acervo de estilistas (catalogação com fotos edata da coleção); reabastecimento automático de lojas; colocação dealarmes de segurança; colocação de etiquetas de código de barras etags; reagrupamento de peças de coleções descontinuadas; operaçãoespecializada para bazares, lojas de temporada e outlets; consolidação deprodutos para inaugurações de lojas; armazenagem de material de VisualMerchandising e uniformes de vendedores (dress code)Agendamentos;picking;armazenagem;GR; paletização; distribuiçãoEquipamentos/acessóriosespecíficos que possui paraatuar nos setores Têxtil e deVestuárioTransportador aéreo paramovimentação deprodutos encabidadosLegenda: n. i. = Não Informado; n. a.: = Não se AplicaArmazenagem em equipamentos especiais para peçasdobradas e encabidadas; sistema WMS operado por radiofrequência comcontrole de grade (tamanhos dos produtos); sala especial para realizaçãode controle de qualidade; caminhão cabideiro para transporte de peças emcabidesGaiolas;roteirizadores; rastreadores; leituraóptica; EDI;TMS Orion; WAP


64 | edição nº 118 | Dez | 2011Negócio FechadoNatura e Penske Logisticsinauguram CD em São Josédos PinhaisA Natura inaugurou o seuprimeiro CD no Paraná. São Josédos Pinhais, localizada na RegiãoMetropolitana de Curitiba, foi acidade escolhida pela empresapara abrigar a nova unidade,operacionalizada e desenvolvidaem parceria com a PenskeLogistics (Fone: 11 3738.8200)e que atenderá os mercados doParaná e Santa Catarina. Com10.700 m 2 , o CD vai permitira entrega dos produtos commais rapidez para milhares deconsultoras e consultores Naturana Região. Com capacidadede processamento de pedidosde 9,5 mil volumes/dia e dearmazenamento de 3,7 milpaletes, o tempo estimadode entrega dos produtos parao canal de vendas – após oprocessamento do pedido – é deaté um dia útil para Curitiba eRegião Metropolitana e de dois atrês dias úteis para o interior doEstado e Santa Catarina.International Caminhões doBrasil adota soluções fiscaisda SynchroCom o objetivo de manter seu complicance com as normasdo SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), a InternationalCaminhões do Brasil complementou seu ERP Infor com um pacotede soluções fiscais da Synchro (Fone: 11 2163.3001), incluindo NF-e,CIAP e SPED Fiscal e Contábil. Entre os benefícios da implantação,além de uma maior agilidade no processo de faturamento, a empresaconseguiu calcular uma economia com a eliminação das notas fiscaisimpressas e uma melhoria significativa na qualidade das informaçõesentregues aos clientes e ao Fisco. As soluções fiscais da Synchroforam integradas ao ERP Infor da International Caminhões do Brasilpor meio de dois outros parceiros: a Digifull e a Gesif. Além disso,como a Synchro já é parceira da Infor, toda a negociação comercial foifeita pela própria fornecedora do ERP.Cruzaço vai fornecer truquespara 168 vagões da MRSA Cruzaço (Fone: 11 4417.7600) recebeu uma encomenda da Randonpara o fornecimento de peças fundidas de truques e ACT’s – Aparelhode choque e tração para equipar 168 vagões plataforma da MRSLogística (Fone: 0800 979.3636).OSX fecha contrato paraapoio logístico ao FPSO OSX-1A OSX (Fone: 21 2555.6100), empresa do Grupo EBX que atua nosetor de equipamentos e serviços para a indústria offshore, contratou aG-Comex Offshore Logistcs para operação logística. O escopo envolverecebimento, inspeção, guarda e controle dos materiais e subconjuntosa serem utilizados no FPSO OSX-1. O contrato prevê a utilização de 1100m² da base de apoio privada G-Comex, que opera na região portuária doRio de Janeiro, com possibilidade de ampliação desta área. O contratoterá dois anos de duração.Maestra Navegação e Logísticaanuncia parceria com a Gerdaupara cabotagem no BrasilA Maestra Navegação e Logística (Fone: 11 2388.5111) anunciaparceria com a Gerdau (Fone: 11 4204.6000). O acordo entre asorganizações prevê a realização do transporte de cargas da Gerdau pormeio de cabotagem entre os portos de Salvador, BA, e Suape, PE. “Notransporte de cabotagem, a curta distância oferece um enorme ganhode produtividade para todas as partes do transporte. Essa é sem dúvidauma rota diferenciada”, explica Fernando Real, presidente da Maestra.Store Automação negocia maisversões do seu WMSA ARM Armazéns Gerais e Logística (Fone: 21 3654.8116) acaba deadotar a solução WMS da Store Automação (Fone: 11 3083.3058), para gerirseus armazéns, suportar a expansão dos negócios e garantir excelência nadistribuição de produtos. Outra empresa que adquiriu o software da Storefoi a Polo Central, que atua com logística promocional. Além disto, a Storepassou a compor em seu portfólio a solução de NFS-e – Nota Fiscal deServiço Eletrônica da NDDigital (Fone: 49 3251.8000), desenvolvedora desoftwares voltados para negócios de gestão de impressão e documentoseletrônicos. A parceria visa aos clientes da Store a conformidade com alegislação vigente em relação ao registro eletrônico da NFS-e que, desdeo último 1º de agosto, passou a ser obrigatório a todos os prestadores deserviços da capital paulista, independente da receita bruta de serviços.LLX assina contrato com aNKTF e a Technip para unidadeno Superporto do AçuA LLX (Fone: 21 2555.5661), empresa de logística do Grupo EBX,assinou contrato com a NKTF – NKT Flexibles para a instalação deuma unidade de produção de tubos flexíveis para apoio à indústriaoffshore no Superporto do Açu, em construção em São João da Barra,no norte fluminense. Outro contrato assinado pela LLX foi com a TechnipBrasil (Fone: 21 2139.7000), para a instalação de outra unidade deprodução de tubos flexíveis para apoio à indústria offshore. A unidadeda NKTF, com início de produção previsto para 2013, será localizadana margem direita do TX2 – terminal onshore do empreendimento, eterá capacidade para produção de 250 km de tubos flexíveis por ano,além de área para armazenagem e teste de material. Já a unidade daTechnip terá área para produção de tubos flexíveis, além de área paraarmazenagem e teste de material. A unidade contará com 500 metrosde frente de cais e 289.800 m² de área total.


edição nº 118 | Dez | 2011 | 652012ULMAconstruirá CDtotalmenteautomatizadopara a BúfaloA indústria de produtosde limpeza Búfalo (Fone: 114785.2001) acaba de fecharum contrato com a ULMAHandling Systems (Fone: 113711.5940), especializada nodesenvolvimento de projetos desistemas automatizados, paraconstruir seu primeiro armazémtotalmente automatizado emEmbu, SP. O local vai abrigar umsistema de paletização automática que integrará aslinhas de produção, um sistema de armazenagemautomatizada e de separação de pedidos, além daexpedição de produtos para outras partes do Brasil.Segundo informações da ULMA, o projeto terá duasetapas: na primeira, que ficará pronta em julho de2012, será implantado um sistema de paletizaçãode fim de linha para auxiliar na preparação deexpedição de produtos da Búfalo – atualmente aempresa tem oito linhas de produtos. Na segundafase do projeto, com entrega prevista para 2013,será implantado o armazém automatizado.Brucai rumo aos 15anosEm 2012, a Brucai Logísticacompletará 15 anos de existência,prestando serviços de qualidadea toda a Cadeia de Suprimentose atuando nos mais diversossegmentos.Com foco em Segurança,Saúde, Meio Ambiente eQualidade, prima por ser umaorganização que busca a qualidadede vida e o respeito ao meioambiente, em cumprimento aosrequisitos do Programa AtuaçãoResponsável da ABIQUIM e emconjunto à seriedade de seuscompromissos, árduo trabalho esimplicidade no trato comercial.Esses 15 anos proporcionarama experiência necessária para atuarcom dedicação e comprometimentoem todas as etapas dos serviçosque a Brucai vem oferecendo aomercado, porém, pelo visto, isso éapenas o início de uma organizaçãoque caminha a passos largos.


66 | edição nº 118 | Dez | 2011Negócio FechadoUsiminas Mecânica vaifornecer protótiposde vagões gôndolapara a MRS LogísticaA MRS Logística (Fone: 0800 979.3636) fechoucontrato com a Usiminas Mecânica (Fone: 115591.5211) para o fornecimento de 10 protótipos devagões gôndola (GDU) para o transporte de minériode ferro. Os vagões terão capacidade para 129toneladas de carga, peso bruto de 150 toneladase as mesmas dimensões dos vagões GDT, mascom volume de carga superior devido à utilizaçãode estrado especial rebaixado, que permitirá aoperação conjunta de vagões GDU e GDT na mesmacomposição, sem necessidade de ajustes nosviradores de vagões.Grupo TPC iniciaatividades nosegmento de óleo egás para a PetrobrasO Grupo TPC (Fone: 71 2108.9798), operadorlogístico que atua nas áreas de cosméticos, saúde eportuário, entre outros, acaba de fazer sua entradano segmento de óleo e gás. A empresa fechoucontrato com a Petrobras (Fone: 0800789.001) para prestar serviços técnicos de logísticade materiais, planejamento operacional, inspeçãoe manutenção referentes aos equipamentosempregados na interligação de poços submarinos.A atividade será na Bavit – Base de Dutos daPetrobras em Ilha do Príncipe, na cidade de Vitória,ES. O contrato é de um ano e pode ser prorrogadopelo mesmo período.Promotores/organizadoresde eventosConvidamos os promotores/organizadores deeventos nas áreas de logística, multimodal,Suplay Chain, embalagem, movimentação,armazenagem, automação e comércio exterior,a nos enviarem informações sobre os eventosa serem realizados em 2012: feiras, fóruns,seminários, cursos, palestras, etc.Anote o endereço:jornalismo@logweb.com.br2012Retrak Empilhadeiras:2011 com sucesso nomercado de locaçãoA Retrak Empilhadeirasabriu o ano de 2011 com ascomemorações de seus 18 anos,uma história pontuada pelaconsolidação no segmento delogística. A empresa contabilizoua atuação pró-ativa no cenáriobrasileiro de movimentaçãode materiais com projetos depeso e infraestrutura sólida quepermitem assegurar operaçõeseficientes, como a que édesenvolvida desde 2004 naReckitt Benckiser, para a quala Retrak loca 33 equipamentosem operação no Centro deDistribuição da Raposo Tavares.Na atual sede de 23.000m 2 localizada em Guarulhos,SP, a empresa mantém 167profissionais, oficina demanutenção e estoque de peças,além de salas de treinamento.A frota tem 2.067 equipamentosentre máquinas elétricas, acombustão, transpaleteiras eempilhadeiras trilaterais.Outro destaque da Retraké seu capital humano: aempresa tem uma equipe deconsultores preparados pararealizar o dimensionamentode frotas e técnicos treinadospelos fabricantes de seusequipamentos, disponibilizandoospara desenvolver soluçõescaso a caso na planta do cliente.Os profissionais destacados parao pós-venda são preparadostambém para as pré-vendas,consideradas um momentocrítico por assimilarem asdecisões mais importantesacerca do dimensionamento dafrota de equipamentos.A Retrak foca seus projetosde grande porte em locaçãopor acreditar que a demandado mercado está amadurecidanesta modalidade de negócioe que tem estrutura suficientepara fazer com que, uma vezcontratada, o cliente “esqueçaque tem uma empilhadeira”.2012ULMA HandlingSystems: novidadespara o mercadobrasileiroDesde que inauguroua filial no Brasil, em 1997,a ULMA Handling Systemsacredita neste mercado e temdesenvolvido importantesprojetos em empresas como RogêDistribuidora, Acrilex, Belenus,VAZ, Cofema, Ecopads e, maisrecentemente, a fabricante deprodutos de limpeza Búfalo. Aempresa investiu R$ 12 milhõespara construir seu primeiroarmazém automatizado em SãoPaulo.O local vai abrigar um sistemade paletização automática queintegrará as linhas de produção,um sistema de armazenagemautomatizada e de separação depedidos, além da expedição deprodutos da empresa. O projetoterá duas etapas, que ficarãoprontas em julho de 2012, coma implantação do sistema depaletização de fim de linha, e em2013, quando será implantado oarmazém automatizado.A ULMA Handling Systemstem em seu portfólio sistemasde separação de pedidos,armazenagem automatizada,movimentação e classificaçãoautomatizada, sistemas parafim de linha ou paletizaçãoautomatizada e softwarespara gestão da cadeia deabastecimento (Supply Chainmanagement). Há alguns anos,para alcançar um nível maiselevado em termos tecnológicosem seus projetos, firmou parceriapara transferência de tecnologiacom a renomada empresajaponesa DAIFUKU (www.daifuku.com), que possui 70 anos deexperiência no desenvolvimentode sistemas de movimentação demateriais.A ULMA Handling Systemstambém oferece no País doissistemas recém-lançados: umcarrossel horizontal e um sistemade classificação automática.Ambos os sistemas vão auxiliaras empresas no desafio deotimizar a armazenagem epreparação de pedidos comoganho de vantagem competitiva.


Comunicação diretacom a logíticaO portal Logweb está com nova tecnologia, rápido,dinâmico e com conteúdo sempre atualizado.Utilize todos os serviços abaixo e muito mais secadastrando no portal gratuitamente.FornecedoresCadastre sua empresagratuitamente no portalde fornecedores.ShoppingO portal tem um shopping comprodutos e serviços ofertadospela empresa, que pode fazer ocadastro e a gestão dos produtos.TrabalhoCadastre as vagas para suaempresa e busque por profissionais.Os usuários podem cadastrar seuscurrículos gratuitamente.ColunistaSão vários colunistasfalando sobrediversos assuntos.VídeoAlém do programa “Logísticaem foco”, o portal tem outrosconteúdos em vídeos.AdserverNova ferramenta para osanunciantes controlaremsuas companhas.OrçamentosAgora é possível solicitar ereceber pedidos de orçamentosatravés da área restrita.ContatosOs fornecedores recebemcontatos direto do site.www.logweb.com.br


QUEM USA, CUIDA.TRATE BEM A SUAEMPILHADEIRANa edição de fevereiro darevista Logweb você vaisaber quem faz o que comrelação a peças, serviços,acessórios, baterias ecarregadores de baterias,tudo para empilhadeiras.E MAIS:• Os 10 anos da revista LogwebE AINDA:• Setor Químico e Petroquímico –Seus Operadores Logísticos e seusTransportadoresTudo o que acontece na logística está nas páginas da revistaLogwebNão perca tempo, reserve agora o seu espaçoRua dos Pinheiros, 240 - conj. 12 - Tel.: 11 3081.2772Contato comercial: comercial@logweb.com.brwww.logweb.com.br - Twitter: logweb_editora

More magazines by this user
Similar magazines