10 - Unicentro - Universidade Estadual do Centro-Oeste

unicentro.br
  • No tags were found...

10 - Unicentro - Universidade Estadual do Centro-Oeste

Guarapuava por meio de iniciativas dos próprios descendentes.É o caso da professora Nara Górski, que história João Gabriel de Lima também não possui de-assim, adotou a cultura. Assim como ele, o professor dedesde a fundação da Associação Cultural e Recreativa scendência polonesa e está na associação há 15 anos.Polonesa de Guarapuava participa da luta pela manutençãoda cultura polonesa na cidade.“O objetivo do grupo é manter a tradição, a culturaSobre a importância do grupo, João Gabriel explica.lutando Nara nasceu por relações em Guarani igualitárias das e Missões-RS, a valorização o da mulher, polonesa. As pessoas perdem a identidade a partir domaior não centro conseguem da colonização vencer polonesa muito do do machismo país, conhecidacomo sociedade. a “capital Alguns polonesa de seus dos discursos gaúchos”. acabam Ela conta não sendo acei-opina.e do sexismo momento na que não sabem de onde vem, sua origem”,que, ao tos chegar por grandes em Guarapuava massas. e se informar sobreSegundo a professora Nara Górski, é exatamenteessa a razão da existência da Associação. “Aa cultura polonesa A heterofobia na cidade, (medo soube de da heterossexuais) iniciativa de seria umafundação reação de uma a homofobia. Associação O polonesa sulfixo fobia que pode tinha significar como medo idéia ou é que essa cultura se torne conhecida, contribuindopara o enriquecimento cultural de Guarapua-objetivo aversão. continuar Os homossexuais o legado do acabam antigo Clube desenvolvendo Cruzeirodo erofóbicas, Sul, como como foi chamada não conviver a primeira sempre Associação em círculos heterosva,dando identidade. Como você vai saber com o queações het-Cultural sexuais Polonesa ou conviver de Guarapuava. com uma certa “A idéia descrença, dos fun-pardadores haja da maneiras Associação de em que 1989 as agressões era continuar preconceituosas com o atinjam se você não conhece? Tem pessoas que são descend-que os não imigrantes contribuíram na formação da sociedadeque havia os LGBTs. sido realizado Esses sentimentos no Clube Cruzeiro de medo do fazem Sul, mas com que muitos entes e nem sabem”, argumenta.por falta ativistas de conhecimento criem uma descrença jurídico sobre na sociedade o processo e uma a indignação Dentre os dançarinos do Serce Polskie, Mairanova organização com os padrões não maior teve direito do que sobre o preconceito o patrimônio já causa. Sant’Ana é um dos poucos que possuem descendêncianão polonesa. Segundo ela, o incentivo para entrarda antiga”, explica. Mas minorias, por serem sempre desvalorizadas econseguirem uma união entre seus pares, graças à pressão no grupo veio da própria avó, dona Stefânia WolaniukA cultura social polonesa da chamada nos passos “opinião de pública”, dança que faz com que muitosagredidos assimilem sua vida as condições impostas por Dona Stefânia veio para o Brasil na década deSant’Ana, imigrante polonesa.essa Começando “entidade” do que zero, se diz a Associação a voz da massa, Cultural e preferem 30, se e assim como grande parte dos imigrantes polonesesque vieram para o Paraná, Guarapuava não foiRecreativa esconder Polonesa ou omitir de suas Guarapuava preferências foi criada e vivências em para seremmeados aceitos de 1990. socialmente. O carro chefe é o Grupo de Dança a primeira cidade em que se instalou. “Ela veio praFolclórica Serce Entre Polskie lacunas que silenciosas já está e em algumas sua quinta vozes que tentam cá aos 8 anos e morou em Riozinho - cidade perto degeração chamar de dançarinos. a atenção Com dessa coreografias sociedade para diversas, vítimas o do preconceito,se apresenta as pesquisas em eventos elaboradas de Guarapuava por estudiosos e em continuam itar brasileiro que também era sapateiro. Moraram emIrati. Era sapateira. Casou-se com 14 anos com um mil-grupofestivais a mostrar em várias sérios cidades danos do às sul feministas do país. e aos LGBTs. Segundo Ponta Grossa e nos anos 50 vieram para Guarapuava.pesquisa O responsável da Fundação pela Abramo, permanência a cada do 15 segundos, Grupo uma mulhera fundação é agredida da Associação física, verbal é o ou próprio psicológicamente coreógra-no país. E Segundo Maira, sua avó sempre foi fã do grupoMontaram um bar e uma sorveteria aqui”, conta Maira.desdefo, o com professor os homossexuais, Paulo Roberto a sociedade Scardazan também Heeren, não de dá espaço. polonês e sempre participou das festas promovidasCuritiba. Convidado por A cada um dos dois fundadores dias um homossexual da AssociaçãonadoPaulo brutalmente desenvolve danças pelo preconceito de diversas regiões contra da homo-afetivos, nia, que faleceu em 2006, sempre incentivou que osé assassi-pela Associação, como a Festa da Vodka. Dona Stefâ-Polônia, segundo o que dados enriquece do Relatório tanto a Anual cultura do dos Grupo dançarinosquanto em 2009 dos registrou espectadores. 198 mortes no Brasil.causa dela que eu estou no grupo há 10 anos”, declaraGay da Bahia, netos que tivessem contato com a cultura polonesa. “É porDescendente São muitas de italiano as causas e alemão, de morte o primeiro no mundo, sobre a os neta.contato mais do diferentes coreógrafo riscos com a cultura saúde e polonesa aos Direitos foi aos Humanos. Mas15 anos. enquanto “Foi essa várias diversidade delas tem de atenção ritmos, de da cores mídia que e da sociedade 20 anos de Associação e o que comemorar?me impulsionou para vencer a as conhecer taxas de essa mortalidades, cultura”, as declara. mortes e violênciasDançou causadas em um pelo grupo preconceito, polonês durante podem 10 por anos meio e, de ao medidas simples,como para uma fazer educação um curso para na a diversidade, Polônia, pas-prevenir cem reativa Polonesa de Guarapuava tem se mantido comoDe 1990 até 2010 a Associação Cultural e Rec-ser convidadosou três por anos cento e meio dessas estudando mortes. O lá. foco “Quando não muda. voltei Esses da Movimentos pode. Como todos os grupos culturais brasileiros, aPolônia Sociais em 1983, também eu era lutam o único pelo bem-estar da América e Latina o direito dos indivíduosespecialização, a viverem bem por em isso sociedade. fui convidado a dar público na área. Apesar disso, o grupo sempre encon-principal reclamação é a falta de incentivo do podercom estaaulas aqui. O Várias meu objetivo são as discussões não é só ensinar sobre leis os contra passospara ceito, os como dançarinos, as leis mas Afonso contextualizar Arinos, que criminaliza a dança, a discrimivolver,seja com a ajuda de doações de empresárioso precontroumaneiras de continuar suas atividades e se desen-contar nação a história por raça dela, ou o cor; motivo e a Lei do traje, nº 10.948, das cores que no Estado descendentes de polonês, seja pelas iniciativas próprias,por como festas temáticas como a Festa da Vodka, fei-utilizadas, São Paulo etc.”, criminaliza conta. atitudes homofóbicas praticadasqualquer A importânciadas sociais, aulas de movimentos Paulo organizados e ONGs que atuam para ocidadão no território paulista. São grupos, atitudespara os fortalecimento dançarinos vai do respeito, para dar visibilidade a faixa dealém pedestre do conhecimentocultural. o direito “No de grupoNo grupo a gente aprende os costumes,as comidas e até a falar polonês. Éda sociedade, garantindo a todo e qualquer cidadãoandar entre dois pontos.uma paixão mesmo.a gente aprende oscostumes, as comidase até a falar polonês.Eu amo a dança, amoestar no grupo. É umapaixão mesmo”, declara Bruno Ducat, 24 anos, que há17 anos é parte do Serce Polskie.Bruno é um dos muitos dançarinos que nãopossui nenhuma descendência polonesa e que, mesmo36 04ras de gastronomia, tendo como prato principalo pierogi, tipo de pastel cozido originárioda Polônia, os bazares, entre outros.Segundo Nara Górski, ao fundar umaassociação, o sonho era que ela se tornasseum Centro de Cultura Polonesa, com biblioteca,lugar para receber as pessoas que queiramfazer intercâmbio, espaço de convivênciae outros espaços e atividades. “Sempre tivemosesse desejo. A comunidade polonesa deGuarapuava participa, se reúne nos eventos, mas issoestá se perdendo. Não temos mais verba para realizaros projetosque fazem com que essa comunidade Para o coreógrafo Paulo Roberto,Essa parceria do grupoa recompensa está nos “meni-folclórico com a Unicentro temse reúna”, declara.por João Rogério Gabriel Camargo complementa. nos” que estão no grupo desde criançase conseguiram agregar valor Crônica ao para a Associação, principal-como objetivo arrecadar fundos“A idéia inicial era ter um clube, seriao ideal. Mas por falta de incentivonão conseguimos. A gente não cobranada dos dançarinos, nem dos associados,tudo é feito voluntariamente.Todo o dinheiro vem dos eventos quetrabalho realizado por ele, como é ocaso do Bruno e do João Gabriel. “Eutenho uma dívida com as pessoas queme ensinaram a cultura, as pessoasdo país de origem, de manter essamente por meio da venda de alimentosda culinária típica. Alémda Semana, o Encontro da ArteFolclórica realizado em agostotambém é uma oportunidade dea Associação promoveNegatividadee pra tudo a tradiçãoZeropopularizar agente precisa de dinheiro: para fazer acesa.cultura polonesa.os trajes, para a organização e manutençãodo acervo, para conseguir satis-e não sabem, não tem conhecimento de sua A l é mA minhaTem pessoas que são descendentesum local para guardar os materiais, fação éprópria história de vidadesses eventos,o grupoaté para ir até as escolas pra fazer ver essesapresentações, quando somos convidados,meninossegue comprecisamos de dinheiro para o há tantosos ensaiostransporte das crianças”.Durante quatorze edições aAssociação realizou a Festyn Wódky(Festa da Vodka), que, com atraçõestipicamente polonesas como a cerimôniada “quebra do gelo”, reuniauma quantidade significativa de pessoase dava um lucro considerávelpara a instituição. No entanto, a Festaque começou em 1992 teve sua últimaedição em 2005 e, desde então,a Associação não teve mais como realizarnenhum evento deste porte. “Édifícil. Agora que a festa não é maisrealizada não tem de onde tirar verbapara o grupo. O pior é que não temcomo voltar com a Festa, pois alémde não ter dinheiro, não tem pessoal”,lamenta-se João Gabriel.A Associação tem em torno de50 integrantes, entre dançarinos e colaboradores.Não tem sede e os trajesanos cultivandoessa cultura”, afirma. Paraa professora Nara, o sentimento é omesmo. “Eu me admiro bastante, poisdesses meninos que provavelmenteirão continuar, nenhum é descendentede polonês”, diz ela.A respeito da Associação, tantoPaulo quanto Nara acreditam que oaniversário de 20 anos já é uma conquista,levando em conta a situaçãoque está. “A Associação é uma sobrevivente.Se tivesse uma sede, umabiblioteca, uma videoteca, toda umainfraestrutura que apoiasse essa vontadede cultivar a cultura, seria muitomais fácil. Mas do jeito que está,só por estar completando 20 anos jápode ser considerada uma vitoriosa”,analisa Paulo.A comemoração dos 20 anosda Associação aconteceu durante ade dança doSerce Polskie e continua tentandouma maneira de viabilizar outrasações, como as aulas de polonêse organização e mantimento doacervo herdado da antiga associação- fotos, documentos,pertences pessoais - que, segundoNara, constitui um pontode referência de pesquisa para asescolas sobre cultura polonesa.Apesar de todas as dificuldades,a Associação aindatenta conseguir apoio do poderpúblico para os projetos. Segundoa professora Nara, até existemleis de incentivo cultural, mas ainformação de como inscreverprojetos nunca chega aos gruposcomo deveria. “No ano passadomandamos um projeto à Prefeitura,mas não sabemos ondee materiais do grupo ficam guardados XI Semana de Cultura Polonesa, entre ele está agora. Não recebemosDepois de uma exaustiva e seríssima pesquisa,em um espaço improvisado na casa os dias 06 e 10 de abrilfoi substituídona Unicentro.sem avisonúmeroprévio.deEssasprotocolopessoas,nemaonenhumaseremnossos parlamentares chegaram à conclusão deda professora Nara. Além disso, os Durante os 04 diasprivadashouve mostrade seusdebens, (carrões,outra informaçãonoitadas emparachácarasseguirque a pobreza é conseqüência da “baixa autoestima”do povo brasileiro. Por isso mesmo, oensaios são realizados em uma escola fotografias e vídeos,comregistrandoos amigos eacolegiais,o trâmite.e saláriosEste anocondizentesvamos mandarnovamente,compública da cidade e o próprio coreógrafonão tem mais recebido salário com culinária típica,história do grupo,ofeiralaboriosogastronômicatrabalho que desempenhavam),para veracabaramo quegoverno agora vai lançar um novo programa de combate criandoexposiçãoem tornodede siacontece”,uma aura deexplica“pensamentosela.negativos”,à miséria no país. Segundo os dados apurados, fome,para vir de Curitiba a cada quinze trajes poloneses e apresentaçãoo que ocasionoudosua lentaQuantoe gradativaao esforçodecadência.paradoenças, desemprego e miséria são resultados de umadias dar as aulas. “A associação existe grupo infantil.manter a Associação, Nara reforça.“Aimagem negativa que o povo tem de si mesmo e nãohoje graças ao amorJá os parlamentares quegentemantiveramainda não desistiu,estamossuasde uma política de governo completamente inapta edas pessoas pela cultura.Não recebemosposições, não apresentaram nem umaindaregistrolutando.de quedaUmaexcludente, como se pensava até então.ou mudança negativa.dasPelocoisascontrário,que nosomantémque se pôdeé aA conclusão veio a partir de observações feitas nonenhum incentivo, àsconstatar, foi que ocorreramvontade,váriosgostare significativosde fazer as coisas,deaumentosde poder aquisitivo comportamento de mais de cinqüenta deputados, ministrose senadores pelo período de um ano. A pesquisavezes até desanima.ecorrerde bem-estaratrás, oentreamoressaspelaPor exemplo, o Paulo:pessoas.cultura polonesa”, declara.constatou, entre outros dados, que as pessoas que vivemo mínimo que precisaríamosfazer eraA partir deste estudo,AficouPrefeituracomprovadoMunicipal,que,felizes e sorridentes, criam em torno de si, um campo de quem pensa como rico,representadarico é, e quempelapensaSecretariacomo pobre,pobre será. Mas oboas vibrações, que acaba, por sua vez, atraindo maispagar a viagem deledegoverno,Culturasemprede Guarapuava,preocupado comfoifelicidade e alegria, além de dinheiro e prosperidade,de Curitiba para cá,o bem estar da população,procuradaacabaparadedarlançarinformaçõeso projetocomo num ciclo que jamais se acaba. Ou melhor, acaba,mas nem isso estamos“Negatividade Zero”,sobreque visaos projetosjustamenteculturaisacabare acomleimas apenas quando o pensamento negativo toma o lugarconseguindo”, desabafaJoão Gabrielo pessimismo entre a população.de incentivoDessaà culturaforma,naocidade,projetodo pensamento positivo – o que, diga-se de passagem, prevê a distribuição emmasempresas,não conseguimosfábricasconversare escolasacontece muito freqüentemente, e sem motivo algum,que já foi Presidentede todo o país, cartilhascomqueo responsávelcontém os “Dezpor indisponibilidadePrincípiosentre os miseráveis e desvalidos deste país. Isso tambémda Associação e agoraPara Não ser Miserável nem Reclamão”,de tempoelaboradospara nos receber.pelosmais renomados políticos aconteceu com dois deputados que Serce tiveram Polskie em seus apresentação mandatoscassados durante o experimento e um ministro que doculturalé Tesoureiro.e escritores de auto-ajudapaís:Arquivo grupo Serce PolskieIlustrações Marcos Kaoru Mori05 37


O nosso desejo é ter um ponto fixo, um localpara expor nosso trabalho, mas não há apoioMas, e dá para sobreviver dessa arte?Outra grande questão em torno do artesanato,é que na opinião de muitas artesãs não dá parasobreviver só desse ramo em Guarapuava, diferentede outras cidades. Miriane de Cássia Zaninelli veio deCuritiba para Guarapuava há alguns meses, e acreditaque aqui, artesanato é muito pouco valorizado:“em Guarapuava não é valorizado, em Curitiba é,lá a feira de artesanato é ponto turístico, vai muitagente, e aqui as vezes fica completamente parado,falta de propaganda talvez”. Miriane participa daAmpeg e expõe seus trabalhos na rua XV. Na opiniãodela, também é difícil sobreviver só desse trabalho:“hoje é uma das minhas fontes de renda, mas nãodá para sobreviver só disso, gostaríamos, mas não évalorizado, um casaco numa loja por R$200,00 feitona máquina compram, um que demora uma semanapra fazer feito a mão, se cobrar R$100,00 já achamcaro” diz.Lucia Schmidt também compartilha dessaopinião: “Na realidade eu penso assim, o artesanatoaqui em Guarapuava é uma renda extra pra gente.Não daria para viver do artesanato, porque não é umdinheiro que entra certinho, todo mês, não dá paravocê fazer contas e dívidas em cima dele, eu pensoque isso ai, aqui em Guarapuava, não dá, pelo menospor enquanto, a esperança é que mude”, conta.Já para a artesã Márcia Staciaki que tambémexpõe na XV, através da Ampeg, até dá para se mantercom o artesanato. Ela explica que há dois mesesestá desempregada, e sua única fonte de rendapassou a ser o artesanato, além disso, em outrosperíodos da sua vida também chegou há passar doisanos só com o artesanato. “É possível sobreviver doartesanato, mas hoje as artes não são valorizadas emGuarapuava, dizem que é caro, e tem aquela outrahistória, do eu sei fazer, então não vou comprar, entãosempre tem que estar inovando, trazer coisas novasque vendam, porque daqui pouco já tem alguémque sabe fazer o que você faz, mas dá pra sobreviversim. Faço cursos em Curitiba e sempre trago coisasnovas.” completa.falta a população reconhecer e valorizar oartesanatoPara obter sucesso com o artesanato, assimcomo em qualquer outra atividade, sãonecessárias noções de empreendedorismoe marketing. Atualmente, saber gerenciarseu empreendimento é tão importante comosaber produzir o que se está vendendo. Umdos locais onde é possível aprender sobreempreendedorismo no artesanato é no SE-BRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro ePequenas Empresas). O consultor do SEBRAEem Guarapuava, Edison Carlos Charavara, dáalgumas dicas sobre como os artesãos podemusar o empreendedorismo e marketing paraampliar seu campo de trabalho.- Fugir do convencional:O artesão deve procurar novas técnicas deprodução, tentando fugir do convencional (ochamado artesanato de programas de TV),que todo mundo faz.O artesanato foi considerado atividade deterapia, agora deve ser considerado comonegócio portanto, como atividade que exigeempenho na busca de informações,pesquisando novos materiais e técnicas e esforçode mercado (mercado não cai do céu),como todo negócio, exige esse empenho pessoaldo artesão.Deve ter um pensamento e ação fora do local,agir regionalmente. Buscar novos mercados.O artesão se compara a um artista,mas o mercado só vai valorizar seu trabalhode artista se tiver criatividade e qualidade.- Empreendedorismo/marketing:O artesão, além de se desenvolver comoprodutor de artesanato, deve buscar orientaçõessobre técnicas de mercado, gerenciamentoe capacidade empreendedora atravésde sites como exemplo do próprio SEBRAEque disponibiliza cursos "on line" (www.sebrae.com.br)a exemplo do IPGN – Iniciandoum Pequeno Grande Negócio e Aprender aEmpreender, com o objetivo de capacitaçãonas áreas citadas, além de diversas orientaçõesdispostas nos sites dos Sebraes estaduais,lembrando que ser empreendedor é umaprendizado de muito esforço e inspiraçãopara realização.- Curso no SEBRAE:Ampliando a atividadeAlém do que citado acima, para quem queriniciar um pequeno negócio, existe outroprograma do SEBRAE, o PRÓPRIO que orientapasso a passo, a inicialização de um negócio,tratando de orientação empreendedora, buscade informações, que providências tomar eanálise de viabilidade do negócio. A unidadedo serviço em Guarapuava, fica na Rua VicenteMachado, 1552, Centro.por Jéssica de SouzaVende-se PierogiEles dizem não!por Morgani GuzzoAssociação Polonesa de Guarapuava completa 20 anos. Sem apoio financeiro,se vira como pode para preservar a tradição na cidadeAdeptos do veganismo abandonam qualquer tipo de alimento ou produto quetenha origem animalMuitoUmamaisdas característicasdo que uma dietamaisalimentarmarcanteso veganismoda naçãoé umbrasileiraestilo deévidaa quantidadeadotado por seusseguidores. Diferente dos vegetarianos, os veganos não consomem nenhum tipo de produtoespanhóis, que tenha origem japoneses, animal entre ou que outros tenha povos, sido testado fazem em do animais. Brasil um Thiago país Ribas de grande da Silvade etnias que compõem sua população. Italianos, negros, índios, poloneses,é vegetariano há nove anos e vegano há cinco. Aos dezessete se interessou pela dieta semcarne e foi riqueza assim, de e diversidade um dia para o cultural, outro, que que tirou tradicionalmente, todos os tipos de sempre carne do recebeu seu prato. muitos Mesmosendo estrangeiros, filho de gaúcho, principalmente com direito pela a churrasco necessidade todo fim de de mão semana de obra em casa, e conhecimento ele conta que agrícoladifícil na se fase tornar de vegetariano, colonização. pois Exemplo sempre disso teve o é apoio a quantidade dos pais. “Apesar de imigrantes de meu europeus pai ser gaúcho, quenão foiele sempre habitaram me apoiou o e sul por do gostar país muito no final de do cozinhar século ele XIX até e se começo interessou, do século começou XX. a cozinharcoisas sem carne e hoje em dia ele até come bem menos carne do que antes”. Mas quando resolveutirar os ovos e o leite da dieta para se tornar vegano, ele conta que não foi fácil. “Eu tiveque ir deixando de comer aos poucos, uma semana não comia nada que tivesse leite, mas na outranão agüentava, assim foi até que consegui parar de comer tudo que tinha origem animal”.Seja fugindo de guerras,de ditaduras ou apenas à procurade melhores condições de vida, oscurar a região arrasada pela leprae trazer o “futuro grandioso” pormeio da atividade agrícola mercantil.um “atraso” para a modernizaçãoe a presença dos “colono” polonêstraria o desenvolvimento para aSegundo aque-a análise dos da principais historia-argumentos região. “O dos colono veganos, europeu que afirmam é trav-poloneses Segundo foram os um vegans desses (como povos são chamadosles que que adotaram aderem o ao Brasil veganismo), como nação este é dora, o lado o ético povo local era ainda visto que comoisso, estido até mesmo em uma o figura efeito de estufa contornos poderiado e vegetarianismo, contribuíram para enquanto dar muitas pessoas deixamde a comer cara carne colorida por e religião diversificadaou por uma questão de diminuir, afinal o gado é responsável míticos, por boa agente partedo CO2 emitido na atmosfera, por meio civilizador, de gases que oos veganos que abandonam o país os produtos de origemsaúde,animal, tem hoje. primeiramente, A estimativa pelo sofrimento que isto queproduzem.sujeito modernopor excelência”,traz é de aos 60 animais, mil poloneses que são mortos de uma forma cruel.escreve“Todos terem os se animais instalado são aqui iguais, por que você pode matar– vários 95% deles animais somente para comer, no mas sente pena se pensarBeatriz em seulivro.Paraná. em matar o seu cachorro de estimação? Para nóstodos os animais Segundo são a historiadoraiguais e têm que ser tratados deCom a idéia naigual”, Beatriz fala Anselmo Thiago.formacabeça, masOlinto Além em sua disso, tese grande parte dos grãos produzidossem dinheirodoutorado no Brasil Pontes não são e Mu-destinados à alimentação dano bolsopopulação, ralhas: diferença, mas sim à lepra produção de ração animal, quealimenta e tragédia os animais no Paraná que serão mortos para a retiradaDesde essade do sua início carne. do Porém século a XX, quantidade de carne retiradaépoca, décadaé a muito colonização menor do da que, região por exemplo, a quantidadede 1920,de de grãos Guarapuava produzidos, pelos ou seja, se os locais usadosaté hoje, aspara europeus a pecuária e principalmenteesses grãos poloneses não fossem se deu destinados à ração animal,servissem para a plantação de grãostradições polonesastêm sidoDoces feitos com creme de leite e leiteeCasa do Imigrante, símbolo da arquitetura polonesa condensado na cidade de sojamuito pela mais necessidade pessoas seriam de alimentadas. Este é umtrabalhadas emArquivo do grupo Serce PolskieArquivo Pessoal - Gabriel Soares06 3407 35


ervilha” conta vegano tem que ter em mente queAlan.nenhum alimento contem todos osNas aulasnutrientes, assim como um tipo depor Glarin Bifque dá pelo Brasil,Alan fala quenutriente existe apenas em um tipode alimento, ou seja, aderir ao veganismosignifica ter uma dieta variada.A carne é um bom exemplo,grande parte dosseus alunos comenela encontramos proteínas, ferro,carne. “Eu diriazinco e vitamina B12 que não sãoque 80% das pessoasque fazemencontrados, na mesma proporção,em nenhum outro alimento, assimo meu curso nãodeve-se ter o cuidado de ingerirArte sem são valorvegetarianos,elas vemos alimentos certos, como feijão,hortaliças e grãos, para não ficarpor curiosidadeArtesãos dizem que não tem seu trabalho e eu acabo reconhecido carentemostrandoque alémem Guarapuavade algum nutriente.Thiago conta que sempreque está em dúvida se algumda ideologia queproduto tem origem animal ou nãoexiste por trás,sabe se foi testado em animais,ser vegetarianoé, acima decomo os cosméticos, por exemplo,ele liga para a empresa perguntandocomo foi produzido e como foitudo, gostoso.Você pode fazertestado. Mas ele diz que mesmoTricô, crochê, bonecas de pano, chaveiros, muitos toalhas, caixinhas pratos, e tudo mais que a imaginaçãoassim, não consegue saber de todosos alimentos e produtos quee a técnica permitem ser criado. Esses trabalhos vegano não manuais come são feitos por artesãos que costumamganhar a vida vendendo seus produtos só soja”, em afirma. feiras, exposições ou em casa mesmo.consome, fala que é muito difícilMas ganhar dinheiro e sobreviver apenas desse trabalho em Guarapuava não é uma tarefaser 100% vegano, não consumir absolutamentenada que, de algumafácil. Muitos artesãos se obrigam a vender seus trabalhos Ser vegano a um preço exigededicaçãobaixo e sofrem com a falta deincentivos.maneira, esteja ligado ao mundoanimal e que cause que, de alguma“Você nãomaneira, esteja ligado ao mundopode simplesmentedeixar deanimal e que cause sofrimento aosAlan Chaves: cozinheiro vegano dá aulas pelo Brasilbichos. Um exemplo são as fraldascomer produtosAlan Chaves, vegano desdee absorventes higiênicos que, porde origem animal sem um acompanhamentoinicial, apesar de muitos2001, sempre escutou sobre o vegetarianismonas letras das bandastam seus produtos em animais.exigência de uma lei federal, tes-outros alimentos possuírem o cálciodo leite e a proteína da carnede rock que ouvia, que falavamsobre o veganismo e diziam não àsem sua composição, você tem quedrogas, então procurou saber maisfazer essa substituição muito bem, Qual é a diferença entresobre o Na assunto cidade, e aderiu há duas à associações dietapara de não artesãos: ficar carente a trabalho, de nenhuma mas não há apoio vegetarianos da prefeitura, e veganos? eles quiseramsem Casa carne do Artesão e logo e se a Ampeg tornou (Associação vegano de vitamina” Micro e PequenosEmpreendedores Diferente de de Thiago, Guarapuava). para As nata duas Demario. associações mas lá é complicado pela A dieta prefeitura, vegetariana mas sim pode a falta ser defala a nutricionista dar um lugar Re-perto do Parque das Araucárias para nós,também.o promovem gaúcho, que toda hoje a semana, é cozinheiro com licença da prefeitura, Por isso, ser reconhecimento vegano é ser e de dividida valorização em três da população, grupos: “faltavegano uma feira e faz com viagens seus pelo trabalhos Brasil ensinandoAs feiras um são pouco separadas dessa uma culinária, da outra. Na esse da tipo Ampeg, de dieta os que deve não ler falta muito incentivo, Ovolactovegetariana: é falta de conversa , essa de diálogo. éna rua XV também de Novembro. dedicado. a Quem população quer ter reconhecer e valorizar o artesanato. Achoabandonar cerca de onze a carne associados não foi expõem fácil. seus e trabalhos procurar variados,começo desde chaveiros foi bem difícil, e canecas porque personalizadas, speito para passando saber bem quais elaborado produtos pelos interessados, vegetarianos, eu que tenho restringe certeza quemuita informação Se tiver uma a re-boa conversa, a opção tudo de no grande papel parte e um dos projeto“Noeu pelo sempre tricô comi e crochê muitas até coisas trabalhos como em couro. contêm Além substancias animais e tambémoutras para fei-ter uma alimentação rica alimentos de origem vegetal,apenas o consumo de carnes;bacon dessa feira e calabresa, fixa, a entidade mas como participa eu desempre ras e exposições gostei de na cozinhar, cidade, eu como in-ventava todos os os anos pratos. na Unicentro, Durante e shows também a Segundo Dia do a nutricionista, todos os Lactovegetariana: este grupoque em acontece todos os nutrientes necessários. laticínios e ovos são aceitos.de Trabalhador, rock, em Porto no Parque Alegre, do eu vendia Lago, promovida alimentos pela de origem animal podem restringe as carnes e os ovos,hambúrguer prefeitura todos de soja os anos. e maionese deser substituídos muito bem por consome apenas alimentosLuci Aparecida de Lima Wrobel começou a produtos de origem vegetal,exceto a vitamina Vegana: essa dieta é base-vegetais e laticínios.fazer artesanato por hobby há mais de dez anose desde Eu então tive que não ir parou deixando mais, de atualmente comer aos ela é B12 que só encontrada ada apenas em produtos dea presidente poucos, uma dessa semana associação. não comia A artesã nada que acredita em alimentos de origem origem vegetal, ou seja, nãoque tivesse faltam leite, incentivos mas na para outra trabalhos não agüentava, como o seu animal (ovos, leite e só os alimentos animais sãoem Guarapuava, assim foi até principalmente que consegui parar de um de comer local com carne), por isso os adeptosdessa dieta devem produtos de origem animal.excluídos, mas sim todos osinfra-estrutura tudo que onde tinha elas origem e seus animal companheirospudessem colocar seus trabalhos. “O nosso dese-tomajo é ter um ponto fixo, um local para expor nosso contenham a vitamina. tados em animais e não vão asuplementos que Eles não usam cosméticos tes-Feiras de artesanato realizadas toda a semana na rua XV de novembro,Renata fala que reúnem o vários rodeios, tipos de por criações exemplo.32 08Arquivo Pessoal - Gabriel SoaresGlarin BifDieta variada é a regraA dieta vegana deve con frutas, verduras, cereais integrais, feijões, sementes, nozes e castanhas.Os feijões são ricos em proteínas, carboidratos e minerais, principalmente o ferro. Para melhorar suaabsorção a dica é deixar ele de molho na geladeira de um dia para o outro.Os cereais são importantíssimos também. A quinua pode ser usada sobre frutas, em bolos, no arroz ouna salada e ela é rica em proteínas, vitaminas e minerais. Já a linhaça é muito rica em ácidos graxos Ômega3.O leite pode ser substituído pelo leite de soja, que também contém cálcio. O óleo para uso culináriomais recomendado é o de soja ou canola.Já as hortaliças de cor verde-escura são ricas em cálcio e ferro, como a folha de mostarda, salsa,rúcula, couve, agrião, espinafre, entre outros.Para muitas mulheres veganas é ainda maiscomplicado, pois grande parte dos cosméticos são testadosem animais. Poucas são as marcas de maquiagem,por exemplo, que não usam os animais paraseus testes, e, além disso, essas marcas são mais caras.Ser vegano custa caro?de origem animal. No entanto, mesmo sua família nãosendo vegetariana, ele diz que não compra produtosseparados. “Acho que a única coisa que compro diferenteé um creme de leite de soja, para fazer algumasobremesa, porque no almoço, por exemplo, comemosa mesma coisa: arroz, feijão e salada, massa para pasteleu uso a mesma que o meu pai usa” diz.Para aqueles que querem se tornar vegetarianos,Thiago diz que o mais importante é saber porqueestá fazendo isso. “Você tem que começar aos poucos,mesmo que não pare, só diminua o consumo decarne, já está ajudando, mas para conseguir tem queNem sempre. Muitas pessoas acham que aoabandonarem os produtos de origem animal, os produtosque passarão a comprar serão mais caros, comoos cremes de leite e leite Marcia condensados Staciaki acredita de soja, que por a inovação ter em é muito mente importante que aquilo na área é importante para os animais,exemplo. Mas isso vem mudando,que apesar de irracionais,sentemThiago conta que quando se tornouné, vegano muito fora era de muito mão, mais a prefeitura difícil encontrarincentiva, produtos nem com destinados cursos nem à sua ita que Não se há tivesse problema um local em deixar fixo, o de comer valorização carne pela sim fica população: mais fácil” “infe-arte e uma forma de cultura, acred-falta de incentivos, dor como mas nós, a pouca as-nãocom dieta, nada”, mas completa hoje devido a artesã. ao grande trabalho ou dos derivados artesãos de animais, acabaria o se problema lizmente é não o pessoal afirma. daqui E é acha claro, quenúmero A falta de adeptos apoio do é sentida vegetarianismopara e os do que veganismo estão dentro está das mais contribuiria todos os até nutrientes no turismo que da encontramos ci-barato, nesses o pessoal dieta alimentar não valoriza”, quetornando cuidar mais da conhecido, alimentação, o tem que que substituir porque é feito não a mão descuidar tem que da sertantoassociações acessível encontrar quanto para e comprar os que estãotipo fora de delas. produto. Lucia Odebrecht gasta com tanta coisa, pra que nãoSegundo e variada, a fala professora a nu-esse dade, “eu acho que a alimentos prefeitura afirma. deve ser muito ricaSchmid é formada Mas Thiago, em artes diferente plásti-dcasAlan e ainda que na vive faculdade em Porto se interes-Alegre e sanato local, é a nossa cultura, quinze anos ministra problema oficinas em deixar gratu-valorizar uma parte que é o arte-Iramaya Ribas tricionista. da Silva, “Não que há hásou tem pelo mais artesanato, opções há de 25 lugares anos ela para porque são coisas produzidas aqui, itas de artesanato de comer oferecidas carne ou pelomora comer, em o Guarapuava.guarapuavano Lucia fala que faz só come que em retratam casa, pois o local. derivados Tem gente de animais, departamento o problema é não de cultura cuidar da da alimentação,na feir-tem que substituir feitura de todos Guarapuava, os nutrientes a dificul-quepre-todos na cidade os tipos não de existe trabalhos, nenhum como restaurante que sai especializadocostura, e dificilmente pintura encontra e inclusive alimentos inha prontos, em Curitiba em ou encontramos Ponta Grossa, nesses alimentos”, dade em trabalhar alerta. com artesanatodaqui e vai comprarcorte,doces lanchonetes, e geléias. por Ela exemplo, trabalha e que ex-nãpõe seus trabalhos em casa e não da paga mais caro lá”.incentivo, que segundo ela é dadocontenham gasta com a nada viagem e às vezes ain-na cidade não é falta de apoio eparticipa de nenhuma associaçãoda classe. Há um ano e meio criouum ateliê na garagem de sua casaElizete Inglês Ribas é apresidenteda Casa dopela prefeitura, mas sim a falta dereconhecimentoe dee lá recebe seus clientes, também Artesão,valorizaçãocriou um site, o www.artesdecasa. além da É possível sobreviver do artesanato, mas hoje da população,“faltacom.br, onde divulga seu trabalho feira na as artes não são valorizadas em Guarapuavapara outras pessoas e regiões, pois, rua XV,a populaçãoacredita que em Guarapuava os trabalhosessa as-reconhecerque faz não são valorizados. sociaçãoe valorizar o“Em todos (artesãos) a gente vê a tem umaartesanato.mesma dificuldade, mas a gente vaicolocar onde? Não tem onde colocaras coisas. Daria para juntar todose fazer algo bem legal. Eu achoque falta muito incentivo por partedos órgãos competentes”, afirma.Lucia, que vê o artesanato comoloja no centro da cidade para exporseus trabalhos, com aluguel pagopela prefeitura. A entidade temmais de 25 anos e atualmente possuimais de 30 associados. Elizeteacredita que a grande dificuldadeenfrentada pelos artesãos não é aAcho que não falta incentivo, é faltade conversa , de diálogo. Se tiveruma boa conversa, tudo no papel eum projeto bem elaborado pelos interessados,eu tenho certeza que aprefeitura pode ajudar”.Arquivo Pessoal - Gabriel Soares33 09Glarin Bif


Glarin Bif30 10por Carla Abe Vicentepor Glarin BifPoluição atrapalha o lazerMétodo Pilates em GuarapuavaNos finais de semana, acúmulo de lixo prejudica parques da cidadeQuem passa na segunda-feira pela manhã em alguma praça ouparque de Guarapuava se depara com o grande acúmulo de sujeiraUma na rua, opção nos bancos para quem das praças não e gosta na grama de dos academia parques, sujeiraessa, herdada do final de semana. Esse é um cenário típico dacidade, seja nas segundas-feiras ou logo depois de feriados. Grande partedessa poluição vem de jovens que se reúnem para ouvir som alto, conversar,e beber madrugada a fora, e que ao deixarem esses locais deixam tambémo que usaram na sua “diversão” principalmente garrafas e latinhas de bebidas,que dificilmente vão parar no lixo.Pilates é um método de alongamento e fortalecimento da musculatura, principalmente daregião da coluna. Segundo especialistas melhora a postura, a coordenação motora e o equilíbrio.Os exercícios de respiração contribuem para a oxigenação do cérebro e para a circulaçãosanguínea do corpo. De acordo com a fisioterapeuta e especialista em ortopedia, traumatologiadesportiva, Vanessa Sguissardi de Oliveira, o pilates não é só um exercício, dentro da fisioterapia émuito usado para reabilitação da coluna, tratamento de problemas físicos e patologias crônicas.Os equipamentos de Pilates, atualmente produzidosno Brasil, permitem uma tecnologia padronizada quepromove uma infinidade de movimentos, os quais auxiliamna reeducação corporal. .Em Guarapuava, as opçõesde academias, clínicas de fisioterapia e studios para aprática de pilates com profissionais da área já são variadas.O método pode ser praticado em grupo de aproximadamentequatro a cinco pessoas, por meio de exercíciosno solo e em pé, com o auxílio de bolas e rolos. Hátambém a opção da aula individual por meio dos equipamentos.É importante ressaltar que as atividades sempredevem ser orientadas por um profissional capacitado.Não há contra-indicações para a prática do métodopilates: crianças, adolescentes, adultos, idosos egestantes podem freqüentar as aulas, os exercícios sãoleves e de fácil acompanhamento. Vanessa indica a práticaduas vezes por semana, pois por mais que ele sejaum exercício tranqüilo, mexe com a musculatura. Porém,se a pessoa quiser fazer mais vezes não tem problema.Thalita Cebulski sentia bastante dor na lombar e quandofoi tratar sua coluna, o médico indicou o pilates com oobjetivo de fortalecimento: “Quando comecei a fazero pilates ainda sentia um pouco de dor na lombar, depoisque comecei a fazer os exercícios regularmente nãosinto mais dor, o meu alongamento melhorou bastante,os movimentos que não conseguia mais realizar estouvoltando a ter. Venho duas vezes por semana, em casafaço o alongamento que me recomendaram, pelo problemana coluna.”, contou Thalita que pratica o métodohá cinco meses.Um dos benefícios do pilates é uma boa postura.A fisioterapeuta Vanessa observa que as pessoas geralA poluição em locais públicos e lazer na cidade que procuram diversão emagrecem, nesses locais. mas “Normalmente na verdade ele asfica evidente aos sábados O e nascimento domingos. do Muitas Pilates pessoas pessoas que vem caminhar defini tem a mais musculatura, consciência, melhora às vezesjá trazem uma sacolinha postura, pra que jogar em o que conjunto consomem, comaque procuram um passeio tranquilo e bonito em pontosturísticos da cidade, O nome como Pilates o se Parque deve ao do seu Lago criador, ou a o Lagoa alemão Joseph o pessoal HubertusPilates, encontram uma criança atrações raquítica desagradáveis e com asma como que passou su-a polui”, vida inteira observa Tiago. A do casa abdômen, de Tiago então também o sofre trabalho comque vem pra a curtir respiração, no final fortalece de semana a região é queda Lágrimas,jeira pesquisando e lixo acumulado. o movimento Para para Marilene poder Eurich, desenvolver que caminhatodos sessões os dias você no se Parque sentirá do melhor, Lago, após os motivos 20 sessões para você o lixo se sentirá vezes, diferente, acaba sendo depósito completou de lixo, a fisioterapeuta.principalmente gar-o próprio corpo. a poluição, “Após 10 já que é bem é com em o frente corpo como à lagoa um e todo”, muitasir para após o chão 30 sessões ao invés você da terá lixeira outro corpo” estão mais dizia Joseph. ligados O ao criador do Métodorafas, que ficam jogadas em O frente método à casa pilates ou tem cima como doPilates, praticou muitos esportes em sua adolescência como ginástica, esqui,mergulho e boxe. Tornou-se boxeador profissional e começoucomportamento de algumas pessoas do que à própria faltade estrutura e conservação pelos órgãos responsáveis.muro.a lecionarEssas garrafas acabam principal sendo objetivo quebradas, promover seja pela aautodefesa para detetives da Scotland Yard. ação do vento ou pelos próprios qualidade jovens de vida: e podem “às vezes oferecer a“Os jovens vêm No aqui período no da final I Guerra, de semana no ano e, de ao 1914, invés ele de foi se exilado, riscos mandado as crianças que vêm musculação ao parque traz brincar, algumas como lesões tambémpodem e mu-se tornar armas para o quando seu corpo, quebradas por causa e usadas dodivertirem, para ficam uma ilha bebendo, inglesa onde fumando trabalhou e jogando num hospital o lixo com em exiladosqualquer tilados. lugar, Nesse quebram local iniciou garrafas. o uso Acho de molas que no deveria tratamento ter médico, em brigas. o quepeso que a pessoa acaba erguendode março, e se uma ela briga fizer entre de forma jov-mais lixeiras, seria a base mas para também mais tarde existe o a ajudar falta no de desenvolvimento educação da de um sistema No sábado, 20população”, de exercícios diz Marilene. e equipamentos. Alguns anos depois ele retornou ens à Alemanha, resultou em duas pessoas incorreta gravemente com uma feridas. má postura, O incidenteIorque e aconteceu abriu próximo sentado à casa torto, deTiago com o Barbosa, quadril ro-queonde A permaneceu falta de educação pouco tempo. ainda Pilates parece mudou-se ser o para maior Novaproblema seu primeiro para a Studio conservação de Pilates. e Seu preservação trabalho, porém, do meio só teve repercussão afica em frente à lagoa. Segundo dado acaba relatos causando de Tiago um e de problemana coluna, do parque, uma um lesão. grupo En-deoutrosmoradorespartir dos anos 40, principalmente entre os dançarinos, tais como Ruth St.ambiente na cidade. Muitos são os detritos encontradosDenis, Ted Shawn, Martha Graham, George Balanchine e Jerome Robbins.e frequentadoresa poucos metros de algumas lixeiras, masJoseph Hubertus Pilates morreu no ano de 1967, aos 87 anos, sem tão algumas jovens, vezes incluindo não se tem adolescentes,direta na academia. começouaque por deixar preguiça herdeiros. ou comodismo Clara Pilates, de algumas sua esposa, assumiu então a direção doorientaçãopessoas studio, ficam dando jogados continuidade na grama, ao trabalho principalmente.fez Francisco convites a alguns José Silvério, alunos de diretor Joseph Pilates, de passando Muitas a pessoas direção jogam do Studio o lixo só no em chão grupo, enfrentar sempre estamos com socos. ori-OServiços a Urbanos Romana Kryzanowska, da Surg (Companhia uma antiga aluna de do studio mesmo na década com de a 50. lixeira do ladoentando o resultado alinhamento foi da que colu-doisdo marido. Por volta de 1970, ela No pilates, a discutir por mais e que depois seja seServiços e Urbanização Muitos dos alunos de de Guarapuava),Joseph Pilates abriram seus próprios studios e na e cuidando jovens para saíram a pessoa feridos, nãoempresa difundiram que administra sua técnica, a fazendo limpeza também da ci-importantedade, desenvolvimento tanto das praças, e aprimoramento como dos parques do Método e Pilates. O método chegou aocontribuições para o fazer de forma um em errada”, estado mostrou grave.a fisioterapeuta Moradores em seu e freqüentadoresdo local ten-studioBrasil através de Alice Becker Denovaro, que foi a primeira brasileira a selagos, diz que os principais detritos encontradosnesses locais da cidade são plásticos,certificar para instrução da Técnica de Pilates. A partir do trabalho de Alicede pilates.Becker, surgem novos Studios de Pilates.“Acho taram que o separar pilates a serve briga,vidros, garrafas pets e latinhas. Segundo Francisco, a mas, ainda segundo relatos, para foram quem ameaçados, não gosta inclusive deSurg tem colocado mais lixeiras em pontos estratégicos, com garrafas. O incidente academia, chocou moradores, eu não gosto que muito, dizemalém disso, para a limpeza do lago e da lagoa há um bote que episódios como esse então têm aqui se tornado estou me constantes, descobrindo,pois muitas com vezes o método consumidas pilates naresultadode bebida e drogas, que semanalmente retira sujeira desses locais.mente Para não o cuidam diretor, da os coluna lugares e de a musculatura lazer mais poluído acaba lagoa entrei e demais forma, espaços cuido públicos. da saúde, da coluna, relaxo ano se município tornando são fraca, alguns o que trechos causa da uma rua postura XV de Novembro, incorreta, mente Algumas e o corpo”, semanas finalizou depois a do aluna incidente Thalita na Cebulski. lagoa, opróximos notada aos principalmente bares e lanchonetes, em pessoas locais que onde ficam muitos sentadas jovenspor se longos reúnem períodos, durante pessoas o final de que semana carregam “Ali muito as pessoas peso uma outros proposta métodos de lei surgiram que prevê com a proibição bons prósitos do uso e depoisgar-vereador No entanto, Gilson Amaral assim como (DEM-PR), nos últimos apresentou tempos na câmara tantosprimeiro ou têm bebem, hábitos e prejudiciais depois saem à coluna. com o carro, Nesses deixando casos, o rafas foram de vidro questionados em praças quanto e parques aos resultados, de Guarapuava, sempre não étoda pilates a sujeira é uma do opção que para consumiram melhorar ali. a postura Para se e também ter uma é a recomendável proibição da bebida, procurar mas um da médico garrafa ortopedista, de vidro. cardiologistaele a proposta ou psiquiatra tem dois para objetivos informar-se principais: sobre a ben-con-Segundoidéia, a definir final de a musculatura. semana, se pegar “O pilates um feriado por trabalhar prolongado, comcomo a respiração, teve agora as na pessoas sexta-feira algumas santa, vezes mesmo comentam a gente que servação efícios do e riscos meio ambiente, do método e pilates. a diminuição da violênciafazendo um turno de limpeza durante o feriado, assim em locais de lazer em Guarapuava. “O que nos levou foimesmo, retiramos na segunda cinco contêineresde lixo” completa.As pessoas que moram próximas a esseslocais de lazer e diversão sofrem ainda mais com apoluição, e sentem bem de perto os efeitos dela.O jovem Tiago Felipe Hohl Barbosa mora desdeque nasceu em frente à Lagoa das Lágrimas, umdos cartões postais de Guarapuava, mas que, ultimamentevem sofrendo não só com a poluição,mas também com a violência. “No final de semanaaumenta a poluição, porque não é limpo o finalde semana todo e parece que as pessoas são maisrelaxadas, jogam coisas direto na água, ou deixamjogadas garrafas e plásticos no chão, e depoisventa e as coisas vão pra água, ficam boiando”argumenta Tiago.O jovem também acredita que o grandeproblema da poluição é a falta de educação porparte da população, principalmente dos jovensFuncionários da SURG reclamam dos maus hábitos da populaçãoTrabalho com bola terapêutica em aula de grupo que tem uma hora de duraçãobola terapêuticaGlarin Bif11 31Carla Abe Vicente


o ataque ao jovem na lagoa. Nós temos que tentar impedir panheiro de trabalho de Valdemir, Antonio Ribeiro Nascimento,também vê de perto o problema da poluição.o máximo possível essas gangues que estão pode se armando mesmo na surtirrealidade com garrafas, porque ao tirar os o gargalo efeitos da esperadosA Associação Brasileira de Indústrias Farmacêuticas,em pesquisa, descobriu que o consumo degarrafafica com uma arma na mão. E também “temos a que limpeza, dosar problema oSegundo ele, as pessoas que poluem não se dão conta doque estão causando: “Eles quebram garrafas,porque, quandoproblema e percebermedicamentos fitoterápicos aumenta cerca de 20%deixam caco de vidro, é perigoso para as criançasa garrafa não ése as ervas podemtodos os anos, enquanto os medicamentos sintéticosaumentam seu consumo anual em 16% no país.que vêm brincar no domingo. As pessoas de maisquebrada, elaajudar a gente ou idade parecem que não fazem, a maioria é jovemse torna um reciclável,mas a com o espaço público com e privado as ervas e medici-isso cot-denomina fitoterápicos, os medicamentos prepara-as pessoas mantém não. uma relação O tratamento diferente A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)mesmo, mas também não são todos. Será que todasessas pessoas que vão à escola, as professoras nãopartir do momentoque que-prevenção ou servirribui na nais poluição pode ajudar nados exclusivamente com plantas ou partes de plantasmedicinais (raiz, caule, cascas, flores, frutos ouensinam a não jogar lixo no chão? Os professores nasala de aula também devem educar, os pais tambémdevem se preocupar com isso” afirma.bra, a Espinheira pessoa Santapara amenizar sintomasleves. Temossementes), que possuem propriedades reconhecidasvai ter que jogarem algum local” completa o vereador. sempre que lembrarde cura, prevenção, diagnóstico ou tratamento sintomáticode doenças, validadas em estudos etnofarmacológicos,documentações tecnocientíficas ouO projeto ainda não foi colocado em votação que as na ervas câmara, são usadaspara e a propõe produçãomas apenas apresentado aos demais vereadoresensaios clínicos.ainda fiscalização e multa para pessoas dos que medicamentosMuitos medicamentos são fitoterápicos,descumpriremsubstâncias. a possível E lei. quando A previsão você faz é que um a proposta sintéticos. entre Um em exemploainda é o siga tamiflu, para a queproduzidos a partir de plantas medicinais e componentesextraídos das plantas. Mas o cuidado com ovotação chá, você nos próximos ingere, no dias mínimo, e se aprovada cinqüentadelas. ou não Quando prefeito você municipal. toma tem grande parteaprovaçãouso indiscriminado deve ter atenção. A populaçãoum chá, Ainda você segundo não ingere o vereador, apenas falta da estrutura, sua composiçãoque utiliza as plantas medicinais e sub-produtoscomode a lixeiras substância na cidade, que é a mas majoritária, também projetos no anis educativos. estrelado.sem orientação deve ficar atenta, pois sua saúde“O e problema toma muitos maior outros é a conscientização componentes.E projetos essas substâncias e programas, vão por agir, parte duas da vezes prefeitura, ao diaVocê da população. pode tomarpode estar em risco. A orientação da farmacêuticaFaltamElisa é que sempre se procure um médico para saberprogramas sinergicamente, educativos em comparação, que a população o chá não de jogasse anis, quesobre o seu quadro clínico e pedir ao médico se ocigarro, no caso não da jogasse planta, copo, com o isso fármaco nós já temos aumenta o exemplo sua imunidade,dão e se chuvas prevenir”tratamento pode ser feito com plantas medicinais.de sozinho”, quantas vezes explica causa a farmacêutica.inundações, quandoApós isso, o paciente pode procurar um farmacêuticoque orientará como usar as plantas medicinais.etudo Elisa isso ainda prejudicando ressalta que a população vários fa-(...)tores conta a nossa a universitária própriacâmara interferem deveria passar nisso, programas “as doses educativos”, que confia diz. muito noTVde substâncias A questão que da se educação, encontra ou po-ddem falta poder dela, das ervas. é semser um variáveis. ponto central quando se fala em poluição, Entretanto, o a farmacêuticadúvidaato Se de você jogar colher lixo a no planta, chão, hoje apesar pela de várias Elisa ressalta campanhas que o uso das plantasUm exemplo dos benefícios dasplantas medicinaisincentivando manhã, de a meio-dia conservação ou de do tarde, ambiente medicinais e mostrando é muito a respeitado. “Éimportância haverá um disso, número ainda diferente é algo bem de comum. a partir O de ser muitos humanoconhecimentos A devastação em nomecomponentes. parece ainda Há um não grupo ter se de dado fa-conta etnofarmacológicos das catástro-que muitos da produção de pinus, soja efes tores ambientais que dá diferença que o acúmulo desde de o solo lixo pode medicamentos ocasionar no estão hoje no mercado.ser Nós humano temos um respeito muitodecorrer até as nuances do tempo. do Esse tempo, comportamento fatorespode que ser podem explicado modificar por questões a quantidade históricas grande, e sociológicas. e inclusive, as grandes indústriasficam Raphael de olho nesse con-O de professor substâncias de história de uma e sociologia planta, assim,Nicoletti essa diminuição Sebrian pode explica alterar que até hecimento o final do século para transformar fu-da Unicentro,Nunesfumo, a coleta insuficiente delixo, famílias sem saneamentobásico e nem atendimento desaúde enfraqueceram a agriculturafamiliar da região do Turvo.XIX o não efeito havia, do nas chá, cidades, e a pessoa preocupação pode turamente com a poluição num ehigienização, achar que não inclusive fez efeito, elas costumavam mas é completa ser bastante ela. sujas,porque sem nenhum aquela erva tratamento estava com sanitário. um Essa preocupaçãocom número onde colocar menor da o lixo, substância foi surgindo para com força no séculoXX. a melhora De acordo esperada”. com o professor, Por isso, a a prática errada de semedicamento”,Houve uma época em que amortalidade infantil era de 51mortes a cada 1000nascidos vivos, segundoos dados dojogar farmacêutica lixo no chão, alerta do que ponto é importanteao que as é público pessoas e conversem ao que é privado, químicas “as pessoas que pode trazer benefícios à nativa encontradade vista sociológico, toda planta está medicinal contém substâncias IBGE. Uma alter-ligadamantem com o uma médico relação sobre diferente o seu quadro com o espaço público e saúde, ou nãopelo Sindicato dosprivado clínico, e isso ou contribuí ainda, que na poluição converse e pode ir virando umTrabalhadores Ruraisproblema com um de farmacêutico. convivência, homem-ambiente e depois dohomem com Iana o explica próprio que homem, para caso ela do Rio de Janeiro,que “O está tratamento um caos, com ervas enchentes. medicinaispara é bom. jogar, Mas como tudo na em nossa excesso casa. As campo pessoas de se conhecimento preo-muito an-A gente sabe A que etnofarmacologia temé umlugarcupam faz mal. menos Então, com a o dosagem espaço público é muito do que tigo. com Segundo o privado a farmacêutica, háe isso importante, cotribui na porque poluição”, você não completa. pode registros de 4.000 anos A.C., emabusar Quem de uma sente erva e que vê a pode poluição ser bem hieróglifos, de perto de são pessoas usando chásas que pessoas você responsáveis tenha uma pela reação limpeza contrária”,pessoas outro jogam ponto o lixo importante no chão mesmo há vários com a relatos lixeira de como as plan-da para cidade, a cura. os garis. Ao longo da história,“Muitasdo municípiofoi o incentivo àprodução de plantasmedicinais, costume de algumasfamílias que além de incorporar arenda, melhorou a qualidade devida nessas comunidades.“Você aproveita o ambiente,a mão-de-obra familiar e asdo que lado” ela diz salienta Valdemir é fazer Ferreira, a identificaçãoSurg na do limpeza problema de antes vários de parques in-comunidades cidade. O com-africanas, indígenas medicinais e a erva mate são asque trabalha tas medicinais há 15 anos foram usadas por pequenas áreas, então as plantasO lixo vira atração em parques e praças de Guarapuavapelagerir qualquer erva para ver se e pela população em geral. espécies que garantem que você12 28Glarin BifMorgani Guzzomantenha todo esse ecossistema e tenha uma rendainteressante”, afirma Roseli Eurich, 48, presidentedo Instituto Agroflorestal Bernardo Harkvoort (IAF).A entidade participa da comunidade buscando melhorara condição de vida das famílias e preservar omeio ambiente.Uma das iniciativas do IAF, em 2006, foi à oficializaçãoda Cooperativa de Produtos Agroecológicos,Florestais e Artesanais de Turvo (Coopaflora), resultadode um esforço do Instituto Agroflorestal paraorganizar e melhorar o processo de comercializaçãode plantas medicinais e erva-mate na região. “O IAFSegurança no trânsito:punição ou educação?hoje é responsável por trazer a educação ambiental,conversando com as escolas e passando ensinamentossobre o valor do meio ambiente, explicando para oagricultor, que o sistema agroflorestalmelhora a qualidadepor Morgani GuzzoCamomilaa cuidar da saúde da família. “A minha mãe disse quevocê tinha que ter um conhecimento básico pra sermãe de família. Além de costurar, passar e lavar, vocêtinha que conhecer o básico sobre as plantas medicinais.Assim como você precisa saber de plantas evegetais para cozinhar, vocêprecisa conhecer as plantasde vida da sua família e podepara tratar as doenças maisO tratamento com ervas medicinaiscolaborar com a sua renda”,comuns”.é bom. Mas tudo em excesso fazexplicaARoseli, presidente doOs remédios são feitospreocupação com o trânsito mal. é Então, comum a dosagem todas é as muito cidades. importantede veículos fica cada vez mais difícil garantir a segurança nas ruas.Com o crescimento populacionalIAF e cooperada da agricultorapor algumas mulheres dase o aumento na frotafamiliar.comunidades. Roseli contaGuarapuava, apesar de ser uma cidade de médio porte, também encontra essa dificuldade.O conhecimento sobreque eles sempre são trocadospor outros produtos.Seja de carro ou a pé, o cuidado com o trânsito é indispensável para se manter seguro.ervas medicinais e sua produçãoComo motorista, a concentração deve estar em obedecer à sinalização e atentar para os pedestresproporciona as famílias do Turvoa oportunidade“Normalmente a gente temedeoutrostratarcarros.doenças,Comoalémpedestre,de doresatravessar as ruas é a parte mais complicada.no corpo e outros tipos de mal-estar sem sair da suacomunidade. Roseli lembra que aprendeu com a mãena comunidade uma mulher que faz os xaropes, aspomadas e as tinturas e distribui. E aí, tem um sistemade troca. Na minha comunidade tem uma mulherque sempre faz os remédios que eu preciso, aí eutroco pelos doces e geléias que eu faço. Essa mulheré uma enfermeira alternativa. Ela faz as consultas,faz o tratamento e acompanha”, conta a agricultora.Jahíra Venski, 60, é uma dessas mulheres responsáveispela fabricação de remédios. “Nós usamosas ervas através do que aprendemos em alguns cursos.Pra mim é muito importante, eu fabrico remédiospra minha família e pros vizinhos. Eu fabrico pomadas,xaropes, olinas (um tipo de digestivo), alémde produzir plantas medicinais”, esclarece a agricultora,que também faz parte da Coopaflora.O Turvo deixou de ser distrito da cidade deGuarapuava no ano de 1983. O município, que atualmenteconta com uma população de 14.500 habitantes,localiza-se em uma das poucas regiões defloresta com Araucária do Estado. Para se ter umaidéia, 64% da sua área é coberta por vegetação nativa.Mas essa área já foi maior, porque as famíliasviviam da agricultura de subsistência, no sistema defaxinais (um modelo de produção existente só no suldo Brasil, em que as famílias viviam da extração debaixo impacto da mata, a produção familiar e a criaçãode animais em regime coletivo), preservando olugar em que viviam.Entretanto, com as pressões dos grandes fazendeirosas monoculturas foram crescendo, e nosúltimos dez anos, a área de 1.936 hectares com 240famílias faxinalenses foi reduzida e, em 2008, essaárea era de 726 hectares com 150 famílias. A agriculturade exploração devastou o ambiente natural,prejudicando espécies de plantas e animais, osprocessos sociais, culturais e econômicos do biomaFloresta com Araucária.29 13


Aline Carla Dalmutt é pedestre. Ela é umaSegundo o funcionário público Emersondas RINITESINUSITEmuitas universitárias que saiu da casa dos Gronskoski, esta já é uma questão cultural da cidade.“O motorista não pára por que é normal dapais para estudar aqui em Guarapuava. Apesar deRegião atingida: Mucosas que Região atingida: Seios faciais (buracosao redor do nariz, maçãs domorar na cidade há mais de um ano, ainda não cidade não parar, parece que é da cultura do povo.”revestem as cavidades do crânio.se Inflamada, acostumou a mucosa com a dificuldade incha, o nariz para lidar rosto com os e olhos). Inflamadas, O guarapuavano essas ainda lembra que a maior parte dosmotoristas. entope e produz “Quase coriza fui atropelada várias cavidades vezes. acumulam problemas secreções, de trânsito da cidade sempre existiu.Eu Tratamento: nunca vou Uma acostumar boa assoada com a já idéia de que entopem sou e dão dor “Guarapuava de cabeça, fe-semprbre e coriza espessarespeita a sinalização, não tem lugar pra estacio-foi complicada. O pedestre nãoeu expele quem o tem agente que invasor. parar Se na o faixa prob-parlema passarem”, persistir, pode desabafa. ser necessário Em Guarapuava,os motoristasTratamento:grandeDescongestionantesnar, as ruas sãoemal projetadas, o motorista não temparte usar descongestionantes dos motoristas não e anti-inflamatóriosgraves, antibióticos são necessáriosantiinflamatórios. Nos casos maisrespeita o Código de visão nos cruzamentos, é uma confusão”, reclama.Trânsito Brasileiro que obriga o motorista a parar eA situação parece mesmo não ser das melhores,mas segundo o Departamento de Trânsito dadarCuriosidade:a vez ao pedestreOs ácaros,se eleparentes Curiosidade: O agente não sai comestiver atravessando amicroscópicos das aranhas que uma assoada, e, por isso, poderua na faixa de segurança. Ao contrário, é o própriopedestre que espera o carro passar para poder não é diferente do motorista de nenhum outro lu-cidade, o Guaratran, o motorista de Guarapuavavivem em locais quentes das casas, causar uma inflamação maior ousão vilões da rinite.cair no sangue e se espalhar.atravessas a rua na faixa.gar. “Não tem educação no trânsito. As pessoas sóEssa reclamação de Aline se repete com respeitam se sentirem que estão sendo fiscalizadas,a maioria dos entrevistados. Principalmente entre que serão punidas. O problema é a impunidade”, argumentarecorrendo Altair à Bonassa, BRONQUITE coordenador operacional doaqueles que Geralmente não são guarapuavanos, quem possui dias o comportamentoessas doenças, dos motoristas sofre com chama duas a ou atenção. inalação O em-“Quando ataca Guaratran. a bron-que só melhorapresário mais delas. Jean É o Carlo caso Siqueira do universitário é de Ponta quite Grossa asmática e eu faço inalação O motorista Região Emerson concorda atingida: com Brônquios o pontohá Pierre três Míchel anos mora Lima, em de Guarapuava. 18 anos, que Para com ele, soro ape-fisiológicsar além de da o trânsito rinite, tem daqui sinusite ser mais e bron-calmo, latador”. a dificul-é suficiente. “A multa traquéia dói no até bolso, os alvéolos). mas não Ficam vai re-de e bronquiodi-vista de Bonassa, (tubos mas para que conduzem ele, só a multa o ar da nãodade quite para asmática dirigir desde é grande. pequeno. “O comportamento “A dos Quanto à sinusite, solver o problema. Pierre Deveria contraídos haver e cheios uma de punição secreção maismotoristas bronquite é é bruto, complicada, ele não quando pára, não fala dá a quais vez; os sintomas rígida, que com sente apreensão Tratamento: da carteira Anti-inflamatóriosde motorista, coisaassim”, olho dire-e broncodilatadores, que abrempara está o mais pedestre frio incomoda é complicado”, bastante comenta. e “não consigo abrir meu sugere.os brônquios e melhoram o fluxofica quase impossível de respirar. É ito e eles ficam lacrimejando todade ar. Xaropes expectorantesno inverno que eu fico pior” completaele.beça dói e tenho um pouco de fe-Curiosidade: Mais de 90% dos ca-hora, meu nariz escorre, minha ca-ajudamO médico explica que a bre.”sos de bronquite crônica estãobronquite é uma doença que se O otorrinolaringologista relacionados ao tabagismo. Oscaracteriza por episódios recorrentesde obstrução e inflamaçãoo tempofumantes com a doença tossemtodo.das vias aéreas, e a dificuldadeem respirar é uma característica dadoença “Durante uma crise, os pacientesprocuram assistência médicadevido à dificuldade respiratóriaque se caracteriza por tosse e sibilos(chiado no peito). Também podeocorrer sensação de sufocamento edificuldade de dormir à noite.” Ouniversitário Pierre afirma que tem26 14fonte: Revista Mundo EstranhoMorgani GuzzoCelso explica que na sinusite a mucosada região nasal aumenta devolume e obstrui a comunicaçãodestas cavidades com as fossas nasais.“A sinusite acontece quandoo líquido que deve escorrer pelasfossas nasais fica acumulado provocandouma inflamação”. Existetratamento para este caso, maspara Pierre, ele não surtiu o efeitoesperado “a sinusite me incomodao ano todo, mas nessa época deDicas para viver bem, respirar melhor e evitar doenças respiratórias-Mesmo a sensação de sede sendo menor no inverno, é importante que as pessoas bebam bastante águapara ficarem hidratadas.-O uso de umidificadores ou de bacias cheias de água aumentam a umidade do ar e facilitam a respiração.-Evitar banhos muito quentes impede que a camada de gordura da pele seja retirada, o que evita que elafique seca ou que apareça algum tipo de alergia.-Fazer exercícios físicos aumenta a capacidade respiratória, por isso não pare de se mexer por causa dofrio.-Se você tem mais de 60 anos é importante que se vacine contra a gripe para se prevenir.-Evitar lugares fechados também ajuda a ficar longe das doenças respiratórias, assim como manter suasroupas de cama e vestimenta sempre limpas.-Lave as mãos com freqüência para evitar que você mesmo leve microorganismos nocivos para a sua boca.-O inverno é uma boa hora para parar de fumar, pois os fumantes e as pessoas que convivem com eles têmmuito mais chances de contrair enfermidades respiratórias que as outras pessoas.-Em caso de Parar dúvidas, em cima sempre da faixa procure de pedestres um médico.A falta de consciência no trânsito pareceé comum em cruzamentosser uma questão culturalfonte: Revista Mundo EstranhoMorgani Guzzofonte: Revista Mundo Estranhogripe, frio, ela fica muito pior. Eufiz um tratamento há algum tempoatrás com anti-inflamatório e outroremédio, mas não adiantou muito.A sinusite ainda me judia. Por serum tipo de inflamação da mucosa,o inverno é terrível” finaliza Pierre.Fiscalizar e punirCura Verde: os cuidadoscom as plantas medicinaisA legislação brasileira diz que a responsabilidadeda organização e fiscalização do trânsitonas cidades é do próprio município. Em Guarapuava,quem faz esse trabalho é o Departamento deTrânsito, o Guaratran. Todo o patrulhamento e asnotificações – fiscalização da carteira de motorista,direção perigosa, infrações, etc. – fica a cargodos agentes de trânsito municipais. No entanto,como realizar a vigilância do trânsito de 78 milautomóveis circulantes com apenas dois agentes euma viatura disponíveis por turno?Em cidades como Curitiba, novos radareseletrônicos estão sendo instalados para realizaro acompanhamento do trânsito. A fiscalizaçãoeletrônica está mais moderna: os novos radaresAnis EstreladoUma das principais reclamações sobre o rela-motoristas e pedestres é a faltade educação. Mas de onde deve vir essa educação? Dafamília, das escolas ou da auto-escola?Muito usada no tratamento de doenças,a medicinaalternativa também precisa cionamento de prescrição.entresão capazes de flagrar não somente o excesso develocidade, mas conversões proibidas, avanço desinal e parada sobre a faixa de pedestres. Essatecnologia poderia remediar a falta de agentes dePROJETOS de Muita Educação para gente o Trânsito já ouviu – DETRAN-PR falar sobre as plantas medicinais e seus usos. Mil folhas éuma boa erva contra inflamações gastrointestinais e em pomada, pode aliviaras dores do reumatismo. A Espinheira Santa é usada no tratamento de gastrites,úlcerasOperação VerãoInformar e conscientizar os motoristasgástricasquee aindacirculampodepeloserlitoral,usadasobrecomoa necessidadecicatrizantededeseferidasmanter umcomportamento externas. seguro Já também o Guaco durante é usado a temporada como expectorante de férias, observando e suaviza sempre os sintomas normas da asma. estabelecidas. ParaPalestras para quem o Ensino sofre Médio de hipertensão ou precisa de um descongestionante é bom usar CapimDestinado aos Limão. alunos Se do estiver 2º ano com do ensino feridas médio na pele dos colégios ou irritação. das redes Camomila pública e pode privada ser do um estado bom do remédio.Enfim, uma infinidade de plantas medicinais são usadas em diversas partes doParaná.Programa Comunidademundo, como& Trânsitotratamento alternativo e um método para suavizar os sintomas ou curarTem o objetivo de ajudar a mudar a percepção diversas de doenças. risco que temos no ambiente trânsito, propondo acriação dos Conselhos Municipais de Trânsito, através dos quais, a própria comunidade passará a pensar, estudare entender porque tantos acidentes acontecem. Aprenderá a evitá-los ou, pelo menos, diminuí-los, valorizandoa vida de cada cidadão paranaense.Programa Comunidade & Trânsito – JovemÉ Segundo um programa a Organizaçãodo DETRAN-PR com porque o apoio eu já da sabia Secretaria as ervas de que Estado eu da cas Educação que podem e a Paraná trazer Esportes, benefícios àque Mundial proporciona da Saúde ao jovem (OMS) paranaense cerca de a precisava oportunidade para de fazer participar o meu de chá” um movimento saúde, ou em não. prol Então da melhoria você precisa dotrânsito 80% da e população da conseqüente mundial garantia utiliza da qualidade conta ela. de vida das pessoas de seu município. entender O que objetivo as plantas é criar medicinais nasescolas plantas estaduais medicinais comissões e seus estudantis, subprodutos(chás; com vistas infusões; a reduzir olinas, os índices em de Química acidentes Orgânica de trânsito. Elisa Pe-morreu com uma tintura de cicuta,com lideranças A farmacêutica dos Grêmios e doutora para desenvolver podem atividades causar malefícios. educativas Sócrates nacomunidade,que são um tipo de digestivo e rez, estudou sobre as plantas medicinaise seus efeitos na saúde. olhida na beira da estrada, e podeque é uma planta que pode ser rec-tinturas) para resolver problemasProjeto Psiu!básicos de saúde. Um exemplo Ela explica que “A planta medicinalseja na forma de infusão, funcho. Uma causa a morte, en-ser confundida com a erva-doce ouO Psiu é um carro caracterizado, com giroflex, que usa esta interjeição para chamar a atenção dos condutorese pedestres para uma postura mais responsável no trânsito. Para isso, dois casais de atores “satirizam”disso é a universitária Iana Couto,“Eu tomo chás desde muito decocção, tintura ou emplasto, quanto a outra, como a erva-doceinfrações que estão sendo cometidas, fazendo com que condutores e pedestres percebam a infração e principalmenteos riscos em que eles próprios se colocam. É uma forma lúdica e divertida para conscientizar e corrigir ospequena. Eu sou asmática, eu me qualquer que seja a utilização que é carminativa, diminui os gases”,lembro que minha avó e a minha vise tratamento à saúde, ela passa salienta a doutora Elisa, que aindacondutores e pedestres que cometem infrações de trânsito.mãe faziam um chazinho pra mim. a ser um componente medicamentoso.Pode causar tanto benefícios, ral, que não faz mal. Pelo con-enfatiza que não é porque é natu-Às vezes, eu tinha umas crises,Semana ou o meu Nacional peito do chiava, Trânsito e um chá quanto malefícios”, esclarece. A trário, esses tratamentos, sem orientação,com o artigo são passíveis 75 do CTB de (Códi-falhas.com mel A Semana resolvia. Nacional Depois de que Trânsito eu vem farmacêutica sendo realizada fala desde também 1994. que De há acordogo de Trânsito completei Brasileiro), uns cabe oito, ao nove Contran riscos (Conselho você Nacional utilizar os de subprodutosde plantas que deverão medicinais ser promovidas sem a por doutora todos os em órgãos Química ou entidades Orgânica éTrânsito) estabelecer anualmente Outro risco os apontado temas e pelacronogramas das campanhas anos, de âmbito eu nacionaldo Sistema Nacional de Trânsito. comecei Já a o artigo orientação 326, do de CTB, um determina médico que ou um o evento a será variedade comemorado de componentes sempre no queperíodo compreendido entrepreparar18 a 25ode setembro.farmacêutico “toda planta medicinalcontém substâncias químicialé que a planta produzcontém em cada erva “o diferen-meu chá,diversasAlecrimtrânsito em Guarapuava, mas, por Aline segundo Fop e Bonassa, Samilo Takara o investimentoé alto. “Para que Guarapuava tenha essetipo de fiscalização é necessário investimento. Até paraaumentar o número de agentes de trânsito é precisoque a Prefeitura destine verba para isso, porque não ésó contratar agentes, tem que fazer um treinamento,formar pessoas para trabalhar com isso. A Prefeiturasabe que é preciso, mas é uma questão orçamentária,tem que ver se tem dinheiro para esse fim”, explica.Mas se não tem dinheiro para investir em fiscalizaçãoe se, sem fiscalização os motoristas não agem com respeito,o que poderia ser feito para melhorar a questãodo trânsito em Guarapuava?Cadê a educação?Fonte: site do Detran15 27


Segundo a instrutora teóricade uma auto- escola da cidade, VivianeO bom comportamento no torista. Em minha opinião, ser motoristatem que ser encarado comotrânsito é resultado da união entreCesca, as aulas teóricas são re-sponsáveis por passar boa parte daconhecimento e bom senso. A junçãodas informações adquiridas nas autoescolasuma profissão, você precisa estudar ese formar para atuar como tal. O in-de Estudos e da educação e mos. que Os é eventos rece-que teresse nós da realizamos maioria dos são jovens direcionados é ter ainformação Associação sobre Centro-Oeste as situações do Paraná queo Combate futuro motorista ao Câncer vai – se ACOPECC deparar no bida na família resulta, para pelo a manutenção menos carteira, da casa não e 80% estão vai preocupados para o paciente comtrânsito, mas o comportamento do na teoria, em motoristas de diversas conscientes formas”, relata regras. Mara. Isso vai se refletir na suamotorista Fundada depende em de maio outros de aspectos.pelo “A casal gente Emerson Luiz Neves e Mara Zeni Neves, a sede son própria. Fernando No entanto, ela Trabalhar ainda não a questão está concluída: nas esco-2002, em e corretos. Guarapuava, No entanto, segundo A instituição Alis-atitude já está no instalada transito”, em analisa sua primeira Alisson.passa ACOPECC bastante – Associação Centro-Oeste do Paraná de Estudose Combate so-ao Câncer strutor teórico sultado. O Detran-PR, por exemplo,“Falta Pereira, muita in-coisa, las precisamos é uma iniciativa rechear que a tem casa, dado colocartudo o que é necessário. Ainda falta muita coisare-informaçãoA educação–presta assistênciaé sempre maisgratuitaimportanteque a punição. A fiscalizaçãoàbre pacientes as atitudes em tratamento.para há a seis casa anos, funcionar possui legal”, diversos declara projetos Mara. destinados Recente-mente,a entidade lançou um projeto de arrecadaçãocorretas, A instituição mas dá abrigo não é essa a trabalhar o trânsito na comunidadeajuda,emasservenãorefeiçõesé o principala pacienteseducação e acompanhantes quementalidade (ver de box), fundos mas para para a estruturação que eles sejam dosacomeça vem de com outras a cidades para fazerque muitos implantados quartos que na alojam cidade os é preciso pacientes uma efamília, a quimioterapia; depois presta assistênciaaos pacientes internados nona aupuava,“kit cama” o Guaratran possui três afirma peças: fazer uma ajovens apresentamde voluntários,iniciativa seus acompanhantes. da Prefeitura. O Em chamado Guara-na escola, etc.Nós precisamos muitoAs pessoas tambémpodem tirar lição da mídia, das aluno projetos, chega mas aqui não na conseguimos auto-escola desen-de todas as áreas. Temos to-escola. muitoshospital, assim como aos pacientespaliativos em suas devi-com erto mum a convites e um criado para com dar palestras chave. “Nós so-“O sua cama parte. hospitalar, “A gente está uma sempre cama co-ab-reportagens, mas é ela mesma quem 18 anos volver sem todos nunca porque ter tido falta nenhuma gentedas residências; faz doações debre estamos trânsito vendendo nas escolas” cotas. diz Bonassa. Quemdecide remédios, como cestas se comportar básicas, alimentosespeciais declara. e leite; além de for-tem que aprender tudo em um mês nas kit escolas cama pode tem que dividir ir além em até da três Se-no trânsito”,informação sobre trânsito na vida e quiser Para colaborar, Alisson, ou essa seja, discussão doar umnecer serviços Outro problema médicos e claro outros no e meio. O contato é muito pequeno, mana vezes”, do Trânsito conta Mara. - evento O colaborador realizadotrânsito desde a de nutrologia Guarapuava, ao apoio segundo psicológico. Viviane,dessas é que atividades grande parte é realizada dos motoris-por voluntários: um cidadão “São para o é trânsito. de R$ 905,00. Além Os que interessados a única vez em que comprá-lo o trânsito ou é fazer dis-não A maior dá tempo parte de formar terá sua realmente marca/nome em setembro. registrada “O no kit que cama. eu percebo O preço étas quase vem todos interior voluntários, e, por falta aqui na de casa informaçãcebemsão ou de a secretária, experiência a também cozinheira, culação o estagiário e percurso e os a alunos instituição chegam pelo na telefone Semana (42) do 3035-3921 Trânsito. Mas ou isso pelo é en-in-os disso, únicos em que aulas re-sobre outros regras tipos de de cir-doaçõecutido podem forma entrar ampla em nas contato escolas com éacabam um enfermeiro atrapalhando que posa o tráfego. aqui com os pacientes”, a rir de determinadas declaraMara, Segundo fundadora o historiador e presidente Fran-da sentadas associação. na auto-escola, No ao Hospital pois sabem São Vicente. Pronta Como ou em não, toda a sede relação própria sodereço:situações Rua apre-Marechal suficiente”, Floriano declara. Peixoto, 926 – próximocisco entanto, Ferreira para Junior, continuar o que oferecendo é visto todos que estes o que está sendo será mostrado, inaugurada ape-nsar ACO- de ser o correto, não acontece no como resultado de uma ligação encial,dia 13 o trânsito de maio. precisa ser pensadono benefícios, trânsito é reflexo a equipe do cotidiano. de voluntários “É dao PECC próprio precisa modelo crescer. de vida “Nós capitalista precisamos dia-a-dia muito deles”, explica.tre motoristas e pedestres. Se houverque de voluntários, estimula o de individualismo. todas as áreas, As da saúde, Apesar das mudanças ocorridasmas na não estrutura das auto-escolas a certo, torna-se harmoniosa. É essarespeito e cordialidade, a relação dápessoas para eventos. se afastam Temos da muitos consciência projetos,coletiva, conseguimos sentem desenvolver dificuldade todos de se porque partir falta de 2009 – a obrigatoriedade do harmonia que evita acidentes e permitaque o trânsito flua, sem danoscolocar gente”, no afirma lugar Mara. do outro, de entendero outro Luci Machado sujeito. Além da Rocha disso, descobriu, a a presença em dos alunos nas aulas, o a nenhum dos dois lados: nem daleitor biométrico para contabilizarcorreria, 2004, que o estímulo estava à com compra câncer de automóveisdurante o e tratamento o conseqüente que aumento durou cerca entre de dois outras -, Alisson ainda achade intestino aumento e de 30 para 45 horas/aula, calçada, nem da rua.no anos, número ela de foi carros auxiliada circulando pela ACOPECC. sem necessário “Perdi aumentaranos o tempoplanejamento minha bexiga, têm fiquei conseqüênciasusando fraldas doisclaras e a ACOPECC no modo me de ajudou agir das com pessoasfraldas, de com estadia das As infrações podem ser:no o trânsito. leite e com remédios”, conta. Hoje, pessoas dona na auto-escolarece-e im-Médias – R$ 85,13 – 4 pontos na carteiraLeves – R$ 53,20 – 3 pontos na carteiraLuci está A psicóloga curada e Sônia retribui Maria a ajuda Yassubeu:O. Rodrigues, “Continuo perita vindo na em casa avaliação como voluntária plantar aulas de Graves – R$ 127,69 – 5 pontos na carteiraquepsicológica e no que eles no trânsito precisarem e coordenado-mim eu to educação aqui pra para o Gravíssimas – R$ 191,54 – 7 pontos na carteira.ra ajudar”. do curso de Pós Graduação “Educaçãopara A ACOPECC o Trânsito” é uma na Faculdade entidade privada rículo de escolar,Os pedestres conquistaram o respeito no usotrânsito no cur-Estadual utilidade de pública, Ciências sem e fins Letras lucrativos de e por que meio atendepacientes Mourão, concorda de 20 municípios com Fran-da região. disciplina Não com Deixar de dar preferência de passagem a pedes-de uma da faixa de pedestres:Campocisco. recebe Segundo ajuda ela, financeira essa ansiedade municipal, e governamentalque ou federal. a sociedade A instituição vive reflete se mantém informação por so-travessia ou a portadores de deficiência física, cri-treinamento e tres quando estão na faixa, não tenham concluído aestresseno meio comportamento de doações, promoções dos motoristas. e eventos. bre “Tudo como agir no anças, idosos e gestantes é infração gravíssima.“O por trabalho meio de da campanhas, Polícia Militar muitas e vezes as controle a gente de um Parar o automóvel sobre a faixa de pedestres na mudançade sinal também incide em multa.políticas vai pra porta públicas dos supermercados são importantes pedir veículo. comida “O pensamentoa gente que seO Artigo 170 é ainda mais específico: dirigirpara pra poder conscientizar fornecer as as cestas pessoas básicas, notrânsito, não compra mas porque é preciso não pensar temos muitos que recursos. tem no Brasil é ameaçando os pedestres que estejam atravessandose Nós cada vivemos um agisse do que da nós forma fazemos, correta nós trabalha-que todo mundo a via pública é infração gravíssima. Além de pagar anão haveria todos esses problemas”, pode ser mo-multa, o infrator tem sua carteira suspensa, o veículoanalisa ela.é retido e o documento de habilitação é recolhidopela autoridade de trânsito.Sede da ACOPECC precisa de ajuda para seu término24 16Debora Fuzimoropor Aline Foppor Douglas BelanTemperaturas mais baixas exigem cuidadosVans especiais Escolares com circulam doenças clandestinamenterespiratóriasEm Guarapuava, o frio chega mais cedo castigando quem sofrecom elasAumento no número de veículos irregulares se deve à falta de fiscalização e àprecariedade do transporte públicoÉsó caírem as temperaturas que se torna comum ver pessoas espirrando,tossindo, ou com o nariz vermelho. Com o clima frio e o ar maisseco, existe uma maior a probabilidade das doenças respiratóriasaparecerem. Algumas são bem conhecidas, outras nem tanto, entreAs vans escolares elas estão estão espalhadas a rinite alérgica, por toda a cidade, bronquite, e nos e a horários sinusite. de entradae saída de alunos nas escolas, fazem com que o trânsito de Guarapuava seaproxime do caos. O motivo é a pressa dos motoristas em entregar as criançasno horário certo, e muitas vezes a segurança é deixada de lado. O horário depico é das 12:00 às 13:00, período em que muitas vans realizam manobras perigosaspara “ganhar” tempo, já que precisam levar às suas residência os alunos que estudamno período da manhã, e rapidamente recolher os alunos que estudam à tarde. Então,o que se vê é trânsito parado, carros estacionadas em lugares proibidos, e estudantescorrendo sem o mínimo de segurança. A falta de fiscalização faz com que alguns “aventureiros”coloquem em risco a vida de crianças e adolescentes.Além dos agentes físicos O médico explica que apesar em crianças, aumentando com acomo os poluentes e o pólen das plantas,e da presença Segundo de estimativa algum tipo do de Departamento ameaçador de à Trân-vida, ela é um problema da vida adulta.da rinite alérgica não ser um distúrbio idade e atingindo um pico no iníciodoença sito crônica de Guarapuava em especial - Guaratran, as de pul-mões, de 400 existem veículos outros regularizados fatores comuns a fazer tos o transporte de assistência esco-médica deve “Além ter um dos faixa amarela briu a rinite indicando alérgica o tipo quando de condução, tinha 15.cidade significativo possui devido mais à morbidade habilitado e na cus-categoria D, Anita e, além que tem disso, 19 o anos seu desco-veículonos lar. dias Destes, frios que 226 contribuem são licitados para pela o prefeitura. gastos com O restante medicamentos, bem como ela limita os ítens Ela de fala segurança quais são obrigatórios. os malefícios Porém, queaumento atua no das transporte ocorrências. particular. “As aglomeraçõedosa de passar pessoas, por o uma clima inspeção gelado, mecânica, além de feitos causar pela uma predisposição lar, Emerson ao Kluber, ela uma ataca, regularização fico com muita específica corisa e dor paraOs automóveis as atividades são obriga-ao ar livre segundo e doméstico o diretor a do doença Departamento traz para de sua Transporte vida “Quando Esco-mudanças empresa bruscas Inspevel. e constantes O Guaratran é responsável por fazer, o transporte particular, de garganta, como existe meu nariz em outras coça bastante cidades,de temperatura, duas vezes ao o ano, ar mais as vistorias seco, de segurança em todos tornaria mais fácil e a também fiscalização. espirro “Na muito. minha Até opinião, minha ao estado os veículos nutricional que realizam e imunológico”disso, explica juntamente o otorrinolaringolo-com a Polícia Militar, tecem tem mudanças o papel estabelecesse um tempoeste tipo de A minha transporte. rinite Além câmara de vereadorespiora quando acon-voz deveria acaba criar ficando um projeto meio alterada, de lei querápidas de temperatura.que não Principalmente estejam de uma vistoria maisfico rouca máximo e sinto de como uso das se a vans, garganta alémgista de Celso fiscalizar Nogueira. para que todos os carros quandotrancasse” rígida. Assim, completa. teríamos Ela faz um tratamentoscomo com acontece um otorrinolaringolo-caso do trans-maiordevidamente A universitária regularizados Anita sejam multados está e quente parem e de controle desse veículos,esfria rápidoGonçalves transportar Hoffmann os estudantes. conta que O condutor que cometer uma porte público”, diz. gista, e também com remédios homeopáticosoperacional “nem do sempre Departamento é bom ficar desofre infração com as grave mudanças ou gravíssima no clima.a “A vistoria minha por rinite seis piora meses. quan-Porém, a falta de agentes de Trânsito, Altair Bonassa, enchendo aponta o organismo as dificuldades de remédiosfiscal-fica impedido de realizarO coordenadordo trânsito acontecem permite mudanças que muitas rápidas vans de e peruas desenvolvimento circulem de de sinusite, izar o transporte otite médiae asma”. Estima-se para que acompanhar a doença todos um tratamento os tipos de infrações alternativo de a trânsito. longoescolar. fortes né... “Nós a temos homeopatia apenas serve dois agentes comotemperatura. forma clandestina. Principalmente quandoestá quente O Código e esfria Brasileiro rápido” de completao condutor ela. destinado ao transporte todo escolar o planeta. deve ser A incidência litz por é ano menor em cada escola”. Bonassa diz, também,Trânsito acomete determina 14 milhões que de Com habitantes esse efetivo, em prazo”, conseguimos finaliza fazer, a estudante. no máximo, umab-que17 25


é difícil saber a quantia exata de vans que circulam Resultado: três meses depois e o carro já não funcionava.grande maioria, A anuidade, funcionam já recebida como pelo tratamentos motorista, adju-tevepela Segundo cidade, já o que médico o número Fadel, de “quanto vistorias mais feitas velho pela naa gente Guaratran fica, maior varia de é a semestre chance de a semestre. ter câncer. Isso Isso mostra não vantes, que ser ou devolvida seja, tratamentos integralmente, que vêm devido complementar às ameaças osignifica que há que no ele município só incida vans em irregulares. pacientes mais idosos, tratamento de denúncias cirúrgico, de alguns para pais. evitar Ele que teve esse que câncer vender pos-savan, voltar. e todo Existem o dinheiro alguns gasto tipos foi de tumores em vão. que Hoje, podem Pauloele incide até Basílio em Sagan crianças, trabalha mas quanto com o transporte mais velho par-ticularfica maior em Guarapuava. é chance de Ele ter comenta câncer porque nunca o nosso foi ser Sérgio tratados se arrepende. sem cirurgia, “A somente vistoria mecânica com quimioterapia é barata.gentesistema parado, imunológico e que sequer também presenciou vai envelhecendo alguma fiscalização junto”. ou A somente vistoria com da Guaratran radioterapia, é gratuita. ou ainda, Mas com a uma vida combinaçãodos dois tem métodos”, preço. relata. Vejo que errei, coloqueinãoem vans Para escolares. 2010 a estimativa “Vemos calculada pelo InstitutoNacional alguns do carros Câncer muito (INCA) antigoscasos trabalhando de câncer na no cidade, Brasil.como a terapia-alvo, prejuízo”, que consiste lamenta. em medicações queé de que ocorram 489.270 Existem também, em risco algumas tratamentos crianças, mais recentes, e só leveinovosEstamos levando pessoas,como Kombis e peruas.não sãocrianças,e a responsabilidadequimioterapia. Para Chamadas solucionar de este anticorpos problema, monoclonais,elaboradasBonassaem aponta laboratório, duas soluções. elas são A tomadas primeiraTipos Algumas de câncer não tem cadeiraémuito grande. Os motoristasespecial, vários não temvia oral ou intravenosa é a denúncia e agem impedindo dos próprios a célula motoristas cancerosade enviar concorrentes. sinais importantes “Geralmente, para sua as multipli-denún-tacógrafos, Existem e inúmeros mesmo tipos assimo continuam câncer de pele rodando”, é o tipo de câncer com maior cação e/ou sobrevivência. cias que recebemos “Essas medicações são de colegas já estão dede câncer.precisamDe maneirase conscientizargeral,incidência critica. no Brasil. Em Dados Guarapuava,que, só podem 2008, fazer 24,6% o transporte dos tumores pela malignos prefeitura do tratamento, pelos motoristas aumentando clandestinos”. a resposta A segunda dos pacientes é o cui-ado Ministério da Saúde informamem uso aqui em profissão, Guarapuava que e se auxiliam sentem bastante injustiçados noBrasil os veículos eram de fabricados pele, e, desse a partir total, do ano cerca 2000. de Para 5% são o autônomoou os empresa principais particular, responsáveis não há por essa mortes exigência, por empresa ou do autônomo.quimioterapia dado dos pais, e a que radioterapia”, devem verificar relata a Fadel. idoneidade damelanomas,câncer porém de pele. o carro Apesar deve desses estar em dados bom preocupantes,estado e atenderquando os níveis detectado segurança e tratado da Guaratran, precocemente além este de possuirde câncer uma faixa apresenta indicando altos o índices tipo de de transporte. cura. Para escolar?Mas de quem é a responsabilidade pelo transportetipoBasílio, De a maneira vistoria específica, é fundamental o câncer para quem de mama trabalhaé o com que esse mais tipo acomete de condução. as mulheres “Estamos e o câncer levando de pessoas,crianças, os homens. e a Para responsabilidade o médico Emerson é muito Luis, grande. ver da família, da sociedade e do Estado assegurar àA constituição federal determina que é de-próstataem Os nossa motoristas região a precisam incidência se do conscientizar”, câncer de esôfago diz ele. criança e ao adolescente o direito à educação. Nelachama a atenção: Um condutor “não podemos van escolar afirmar que os fatores não quis se consta, também, que o transporte escolar a alunosetiológicos identificar, e epidemiológicos, pois realiza o transporte mas a alta pela temperaturavai no além uso e contínuo diz que do os chimarrão fiscais fazem é um “vista fator im-grossa”. Estado, pouco importando se estuda perto de casa,prefeitura, de ensino fundamental deve ser responsabilidade doportante, “Acho estranho, pois causa pois lesão em no alguns esôfago”. períodos do ano eles se é rico ou pobre, ou se a escola é pública ou particular.Na prática, o transporte público fica devendo,saem Existem multando, alguns e, em tipos outros, de câncer fingem que que são está hereditários,certo”, mas comenta. eles são Já raros. Arlene Segundo Maria Kulka, o médico motoris-obrigando os pais a recorrerem ao serviço particular.tudoEmerson ta de Luiz, van particular, constituem diz cerca que de a maior 8% dos preocupaçãocasos. No ano passado, o Diretório Central dos EstudantesUm dos exemplo fiscais é são o retinoblastose, os tacógrafos, que dispositivo se desenvolve usado para da Unicentro, DCE, reivindicou à câmara municipal ana retina monitorar do olho o tempo crianças. de uso, a “A velocidade pessoa que e a tem distância adoção do passe livre aos estudantes. O projeto foiesse percorrida. tipo de câncer “Já fui pode multada passá-lo duas para vezes, até 50% mas de prefiro esquecido, e nem a diminuição na tarifa de ônibus,seus arriscar filhos”, e relata sair sem o médico o tacógrafo, Anderson do Fadel. que ter o objeto uma das mais caras do Brasil, foi realizada.roubado, Alguns como tipos vem de câncer acontecendo têm um em fator Guarapuava”,genéticode explica. aumento de risco, como exemplo, o câncer Residencial 2000. Seu filho mais velho, Jhonatan, deA diarista Jane Maria da Rosa mora no bairrode mama. “Mulheres Paulo Sérgio que Zanzini têm parentes há muito de tempo primeiro resolveu 17 anos, precisa se deslocar todos os dias ao colégioCarneiro Martins, que fica no centro da cidade,grau se com arriscar câncer e entrar de mama nesse têm ramo. seu Sem risco nenhuma aumentadperiência,em relação Paulo à população ouviu conselhos geral em errados, até uma vez. comprou pois no bairro onde mora não existe ensino médio.ex-O risco uma de van qualquer e escolheu mulher uma ter rota. câncer Divulgou de mama seus serviços é Sem transporte público, ela gasta 54 reais por mêsdenominado em vários como bairros, risco foi um, contratado e uma mulher por alguns que tem pais e com o deslocamento do filho, fora os gastos com oparente começou de primeiro a trabalhar. grau com Não esse fez tipo nenhuma de câncer vistoria, transporte no contra-turno. “O transporte públicotem sequer o dobro pintou desse a risco. faixa Isso amarela não significa em seu que automóvel. ela não funciona em Guarapuava. Eu sinto isso na pele”,vai ter, mas sim que aumenta de 10 a 15% o risco delamenta. Há três anos,desenvolver o câncer de mama”, explica Fadel.Jane ainda tinha quearcar com as despessasde estudo de sua filhaTratamentosmais nova, Vitória, quefreqüentou a crecheO oncologista Emerson Luis ressalta a importânciade entender que o “câncer é um nomeidade. O estudo eraaté os cinco anos degenérico para um conjunto de doenças. Existem inúmerostipos de câncer e cada tipo é uma doençadução não.gratuito, mas a conespecífica e tem um próprio tratamento”, informa.Existem três tipos considerados básicospara o tratamento contra o câncer. São eles: cirurgia,radioterapia e quimioterapia.Segundo Fadel, “A cirurgia, até hoje, continuasendo a forma principal do Van tratamento parada em local do proibidocâncer, sendo que a quimioterapia e a radioterapia,Douglas BelanEfeitosOcolateraiscusto de60 reais por mêscaminhados a outros municípios do Estado, como Curitiba,Ponta Grossa, Pato Branco, Francisco Beltrão,prejudicavaQuandono orçamentoo assunto é quimioterapia temos queter emdamentefamília,que existem dezenas de diferentes Campo Mourão e Cascavel.emedicaçõesnem osqueprotestosagem na destruição de células tumorais.Para o médico Anderson Fadel, a falta dareivindicandoIsso significa queonão é um tratamento aplicado radioterapia no município dificulta o tratamento detransportede maneira igualgratuitoa todos os pacientes. “Assim como certos pacientes, pois “a radioterapia é um tratamentoque você faz de forma diária, durante 30 ouderamtem inúmerosresultado.tipos de antibióticos, tem inúmeros tiposde quimioterápicosSegundo Emersone cada um tem seu efeito colateraldiferenciado”,40 dias, em sessões de dez minutos, de segunda aKluber, isso aconteceporque,explica Fadel.sexta-feira com descanso nos finais de semana, e oAs medicaçõesparaquimioterápicas podem causar paciente acaba tendo que passar uma temporada forareduzirefeitos adversosos custosporque não agem somente nas célulastumorais,da cidade. Tem pacientes que tem onde ficar, como acom o transporte,mas nas funções das células normais casa de parentes ou amigos, mas tem pacientes queatambém.prefeituraOs efeitosrealizacolaterais mais freqüentes são: não tem condições”.oa quedageoreferenciamento,de cabelo (alopécia), náuseas, vômitos, diarréiaeFaz alguns anos que se tenta trazer o tratamentopara Guarapuava. Para o médico Emerson Luis,medidabaixa daparaimunidade. No entanto, o oncologistaexplicaque os estudantesque atualmente é utilizada uma série de o local para a instalação da radioterapia não é o problema,mas sim a aquisição do equipamento que temsemedicações,matriculemaplicadanosno paciente antes da quimioterapia,quecolégios maisconseguepróximos,suprimir a maioria desses efeitoscolaterais:um custo elevado. “O projeto da construção está emem um“hojeraioem dia é muito difícil que o pacientefase de conclusão, mas não temos previsão para ade nosoframáximode maneiradoisgrave com o efeito colateral. compra do aparelho”, relata. O oncologista questionaquilômetros.As pessoas precisam“O estudanteperder esse medo”.a dificuldade de conseguir instalar a radioterapia:que escoleum colégio longede sua residência,pela qualidade ouqualquer outro motivo,Falta de segurança: passageiro entra em van no trânsitoinfelizmentetem que recorrer ao transporte particular”, diz ele.Mesmo sendo de classe média, Éder ButareloPara locomoção às creches, entretanto, não existetambém enfrenta o problema com o transporte escolar.verba alguma, como explica Emerson. “Por enquan-O alto preço e a falta de segurança das vans fizeramto, não temos como realizar este tipo de transporte, ele optar por fazer o próprio transporte dos filhos. Parapois o repasse da verba acontece apenas para ensino isso, Éder teve que adequar o seu horário de trabalho,fundamental e médio”, salienta. Segundo ele, a expectativaalém de transferir o estudo da filha mais nova para oé que, a partir do ano que vem, deva ser desti-período da tarde. “Às vezes sacrifico o meu trabalhonado um valor ao transporte à educação infantil. para levar meus filhos à escola”, comenta.Guarapuava e a quimioterapiaGuarapuava destaca-se como um centro dereferência estadual no tratamento do câncer, emtermos de cirurgia e quimioterapia. “O Hospital SãoVicente de Paulo é credenciado a nível nacional eestá apto a realizar a quimioterapia em alta complexidade”,conta o oncologista Emerson Luis. Atualmente,o hospital atende mensalmente cerca de 400pacientes de 20 municípios da região. Além da cirurgiae da quimioterapia, também é disponibilizada amedicação para a hormonioterapia que é realizadapelos pacientes em suas residências.A falta da radioterapiaComo Guarapuava não possui a radioterapiaos pacientes que necessitam do tratamento são en-Manipulação de medicamentos quimioterápicos“Guarapuava é um pólo central do Paraná, a gentesabe por estatística que nosso IDH é baixo, temosum índice de baixo poder aquisitivo em nossa região,esses não seriam motivos para que ações de saúdefederal, estadual e municipal fossem implementadasaqui? Sendo que o indivíduo não tem condiçõespróprias para sair daqui e pagar os custos”.22 1819 23Douglas BelanCuraSegundo o médico Anderson Fadel, “cada tipode câncer tem uma chance de cura diferente. Generalizando,até 70% das pessoas que descobrem umcâncer no estágio inicial tem 100% de cura. Infelizmente,o que acontece ainda hoje é que as pessoasacabam procurando um médico só quando já está coma doença em estágio avançado e quanto mais avançadoo câncer, menor a chance de cura”, relata.Arquivo Oncoclin |Guarapuava


por Debora FuzimotoVocê tem medo do câncer ?Para este ano a estimativa é de 489.270 novos casos no BrasilSegundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), câncer é o nome dado a um conjuntode mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de célulasque invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo.O médico oncologista, Anderson Fadel, explica como isso ocorre: “Toda célula donosso organismo tem a capacidade de controlar seu ciclo de vida: ela se reproduz, cresce,desenvolve sua função, morre e é renovada por outra célula. O câncer significa quealguma célula do nosso organismo, isso em qualquer célula, desde a célula da pele até acélula do intestino, do estômago ou do útero, perde a capacidade de morrer e se multiplicadesordenadamente causando um tumor. Isso se deve a uma mutação genética queacontece dentro do núcleo da célula, que é, em última instância, a região que controlatoda função celular”.Tumor maligno x Tumor benignoTumor é qualquer aumento de volume desenvolvidoem qualquer parte do corpo. Por exemplo, atéo simples de caso de você bater a cabeça e crescer um“galo” é considerado tumor.Fadel explica que um tumor maligno forma-sepelas “células cancerosas que perdem a capacidade demorrer, se dividem descontroladamente e tem a capacidadede invadir outros órgãos, sejam eles órgãos adjacentesque estejam próximos ou algumas células podemcair na corrente sanguínea e se instalar em órgãos distantes,como por exemplo, o câncer de mama pode darmetástase pro pulmão, pro fígado, pros ossos”.O marido de Conceição, João Pedro Cortez,descobriu um tumor maligno em outubro de 2009, diagnosticadocomo câncer no estômago. “Quando apareceuma doença dessa na família derruba todo mundo. Estoutentando me recuperar, porque se eu cair quem vaiapoiar ele?”, questiona Conceição.Já um tumor benigno é “um aumento de volumedentro de um determinado órgão por um crescimento20também excessivo das células, mas um crescimentomais organizado e que não tem a possibilidade deinvadir outros órgãos ou de causar metástases”. Omédico oncologista Emerson Luiz Neves completa:“ele não infiltra em outras células, o que ele podefazer é crescer e empurrar as outras células, mas nãocomprometê-las”.Angélica Leme tem 27 anos e há dois descobriuum tumor benigno no ovário. “Faço acompanhamentocom o médico todo ano para verificar seo quisto está crescendo e até agora não precisei decirurgia, mas vamos ver né... mesmo sendo benignoeu fico preocupada”.Defesa do organismoSe nosso sistema imunológico tem comofunção reconhecer agentes agressores e defender oorganismo da sua ação, porque ele não consegue reagircontra o câncer de maneira como ocorre contrauma infecção, por exemplo?Segundo Fadel, a dificuldade do organismosozinho reagir contra o câncer é porque as células docâncer são células do próprio organismo e não microorganismosinvasores. “O código genético das célulasdo câncer é o mesmo das outras células do nossoorganismo, elas sofrem algumas alterações, formamuma entidade estranha dentro do organismo, mas queé formada por células do próprio corpo”.Assim, o mecanismo de defesa não é estimulado,pois o funcionamento do sistema imunológicoestá baseado na distinção do que é próprio e nãopróprio do organismo. Como as células cancerosas sãoparte do organismo elas não sãocombatidas.PrevençãoPara o oncologista Fadel,“existem várias maneiras de prevençãodo câncer, sendo que todaselas podem ser resumidas emuma expressão: vida saudável.Um paciente que tem uma alimentação saudável, ricaem fibras, pobre em gorduras, que não tome sol noshorários de maior radiação, que use fator de proteçãosolar, que não fume, não beba e que faça exercíciosfísicos regulares, já está se prevenindo da grandemaioria dos tumores”, relata.Além disso, o médico ressalta a importânciada realização dos chamados exames preventivos, quefazem um diagnóstico precoce: “O diagnóstico docâncer em um instante inicial leva a praticamente100% de cura. As mulheres, a partir de quando iniciama vida sexual, têm que fazer o exame de Papanicolau,também chamado de preventivo de câncer no colo doútero e a partir dos 40 anos têm que fazer mamografiaanualmente. Aos homens, a partir dos 40, 45 anos,exame de toque retal, exame de PSA para preveniro câncer de próstata que é um dos que ainda temalta mortalidade. Fora isso, sempre que você tiveralguma coisa que não vai bem no organismo, você temque procurar um médico para te indicar os mais variadostipos de exames para investigar o que pode estaracontecendo. Uma simples dor de estômago eventualmentepode ser um câncer em estágio inicial e, às vezes,as pessoas vão levando e acabam não investigando eaí quando vem ver já se passaram três, quatro anos e otumor já está grande”, adverte.Possíveis causasO diagnóstico do câncer em um instanteinicial leva a praticamente 100% de cura.Segundo o INCA, as causas do câncer são variadas,podendo ser elas externas ou internasao organismo, mas ambasinter-relacionadas.As causas externas somam cercade 80% a 90% dos cânceres e relacionam-seao meio ambiente e aoshábitos/costumes próprios dosambientes social e cultural. O oncologistaEmerson Luiz cita comoexemplo a relação do tabagismocom o câncer de pulmão: “sabe-se que de dez pessoasque tem o câncer de pulmão, nove fumam”. É importanteressaltar que o surgimento do câncer depende daintensidade e da duração da exposição das células aosagentes causadores. Por exemplo, o risco de uma pessoadesenvolver o câncer de pulmão é diretamente proporcionalao número de cigarros fumados por dia e aonúmero de anos que ela vem fumando.Assim, os hábitos e o estilo de vida adotadospelas pessoas, como: hábitos alimentares, consumo deremédios, tabagismo, alcoolismo, hábitos sexuais, fatoresocupacionais e a exposição a radiação solar, podemdeterminar os diferentes tipos e intensidades decâncer.As causas internas são, na maioria das vezes,geneticamente pré-determinadas e estão ligadas à capacidadedo organismo de se defender das agressõesexternas.Os alimentos e a prevenção do câncerSegundo o INCA, uma alimentação saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%.- A alicina, o alho e a cebola reduzem os radicais livres que são cancerígenos;- O azeite de oliva extra virgem é um alimento rico em ácidos graxos que ajudam a prevenir a doença.As suas gorduras monoinsaturadase antioxidantes previnem o câncer de intestino;- O brócolis, a couve-flor e o rabanete possuem em sua composição glicosinolatos, que ajudam a preveniro câncer de mama;- A soja possui a isoflavona que é excelente para a prevenção do câncer de mama e de útero;- O tomate, a melancia, a goiaba, a pimenta, entre outros frutos vermelhos, são compostos por licopeno,que ajudam na prevenção ao câncer de próstata;- As hortaliças possuem luteína e zeaxantina que ajudam na prevenção do câncer de pulmão;- As fibras como a aveia, o arroz e o pão integral, entre outros, previnem o câncer de intestino, poisproduzem substâncias que combatem o colesterol e o intestino preso;Fontes: Instituto Nacional do Câncer (INCA) e Maximo Asinelli (nutrólogo).21


é difícil saber a quantia exata de vans que circulam Resultado: três meses depois e o carro já não funcionava.grande A maioria, anuidade, funcionam já recebida como pelo tratamentos motorista, adju-tevepela cidade, Segundo já o que médico o número Fadel, de “quanto vistorias mais feitas velho pela naa gente Guaratran fica, varia maior de é semestre a chance a de semestre. ter câncer. Isso Isso mostra não vantes, que ser ou devolvida seja, tratamentos integralmente, que vêm devido complementar às ameaças osignifica que há que no município ele só incida vans em irregulares. pacientes mais idosos, tratamento de denúncias cirúrgico, de alguns para pais. evitar Ele que teve esse que câncer vender possavan, voltar. e todo Existem o dinheiro alguns gasto tipos foi de em tumores vão. Hoje, que podem Pauloaele incide Basílio até em Sagan crianças, trabalha mas com quanto o transporte mais velho particularfica em maior Guarapuava. é chance de Ele ter comenta câncer porque nunca o nosso foi ser Sérgio tratados se arrepende. sem cirurgia, “A vistoria somente mecânica com quimioterapia é barata.agentesistema parado, imunológico e que sequer também presenciou vai envelhecendo alguma fiscalização junto”. ou A somente vistoria da com Guaratran radioterapia, é gratuita. ou ainda, Mas com a uma vida combinaçãodos dois tem métodos”, preço. relata. Vejo que errei, coloqueinãoem vans Para escolares. 2010 a estimativa “Vemos calculada pelo InstitutoNacional alguns do carros Câncer muito (INCA) antigostrabalhando casos de câncer na cidade, no Brasil.como a terapia-alvo, prejuízo”, que consiste lamenta. em medicações queé de que ocorram 489.270 Existem em também, risco algumas tratamentos crianças, mais e recentes, só leveinovosEstamos levando pessoas,não sãocrianças,e a responsabilidadecomo Kombis e peruas.quimioterapia. Para solucionar Chamadas este de anticorpos problema, monoclonais,Bonassaem aponta laboratório, duas soluções. elas são A primeira tomadasTipos de cânceréAlgumas não tem cadeiraelaboradasmuito grande. Os motoristasespecial, vários não temvia oral ou intravenosa é a denúncia e agem dos impedindo próprios a motoristas célula cancerosade enviar concorrentes. sinais importantes “Geralmente, para sua as multipli-denún-Existem inúmeros tipos de câncer.precisamDe maneirase conscientizartacógrafos, e mesmo assimo continuam câncer de rodando”, pele é o tipo de câncer com maior cação e/ou sobrevivência. cias que recebemos “Essas medicações são de colegas já estão degeral,incidência critica. no Brasil. Em Dados Guarapuava,que, só podem 2008, fazer 24,6% o transporte dos tumores pela malignos prefeitura do tratamento, pelos motoristas aumentando clandestinos”. a resposta A segunda dos pacientes é o cui-aBrasil os veículos eram de fabricados pele, e, a desse partir total, do ano cerca 2000. de Para 5% o são au-quimioterapia dado dos pais, e a que radioterapia”, devem verificar relata a idoneidade Fadel. dado Ministério da Saúde informamem uso aqui em profissão, Guarapuava que e se auxiliam sentem injustiçadosbastante nomelanomas, tônomo ou os empresa principais particular, responsáveis não há por essa mortes exigência, por empresa ou do autônomo.câncer porém de o pele. carro Apesar deve estar desses em dados bom preocupantes,estado e atenderquando os níveis detectado segurança e tratado da Guaratran, precocemente além este de possuirde uma câncer faixa apresenta indicando altos o tipo índices de de transporte. cura. Para escolar?Mas de quem é a responsabilidade pelo transportetipoBasílio, De a maneira vistoria é específica, fundamental o câncer para quem de mama trabalhaé o com que esse mais tipo acomete de condução. as mulheres “Estamos e o câncer levando de pessoas,crianças, os homens. e a Para responsabilidade o médico Emerson é muito Luis, grande. ver da família, da sociedade e do Estado assegurar àA constituição federal determina que é de-próstataem Os nossa motoristas região precisam a incidência se conscientizar”, do câncer de esôfago diz ele. criança e ao adolescente o direito à educação. Nelachama a atenção: Um condutor “não podemos van escolar afirmar que os não fatores quis se consta, também, que o transporte escolar a alunosetiológicos identificar, e epidemiológicos, pois realiza o transporte mas a alta pela temperaturavai no além uso e contínuo diz que do os chimarrão fiscais fazem é um “vista fator grossa”. im-Estado, pouco importando se estuda perto de casa,prefeitura, de ensino fundamental deve ser responsabilidade doportante, “Acho estranho, pois causa pois lesão em no alguns esôfago”. períodos do ano eles se é rico ou pobre, ou se a escola é pública ou particular.Na prática, o transporte público fica devendo,saem Existem multando, alguns e, em tipos outros, de câncer fingem que que são está he-tudreditários,certo”, comenta. mas eles são Já Arlene raros. Segundo Maria Kulka, o médico motoris-obrigando os pais a recorrerem ao serviço particular.Emerson ta de van Luiz, particular, constituem diz cerca que a de maior 8% dos preocupação casos. No ano passado, o Diretório Central dos EstudantesUm dos exemplo fiscais é são o retinoblastose, os tacógrafos, dispositivo que se desenvolve usado para da Unicentro, DCE, reivindicou à câmara municipal ana monitorar retina do o olho tempo de crianças. uso, a velocidade “A pessoa que e a distância tem adoção do passe livre aos estudantes. O projeto foiesse percorrida. tipo de câncer “Já fui pode multada passá-lo duas para vezes, até mas 50% de prefiro esquecido, e nem a diminuição na tarifa de ônibus,seus arriscar filhos”, e sair relata sem o médico o tacógrafo, Anderson do que Fadel. ter o objeto uma das mais caras do Brasil, foi realizada.roubado, Alguns como tipos vem de câncer acontecendo têm um em fator Guarapuava”,genéticoexplica. de aumento de risco, como exemplo, o câncer Residencial 2000. Seu filho mais velho, Jhonatan, deA diarista Jane Maria da Rosa mora no bairrode mama. Paulo “Mulheres Sérgio que Zanzini têm parentes há muito de tempo primeiro resolveu 17 anos, precisa se deslocar todos os dias ao colégioCarneiro Martins, que fica no centro da cidade,grau se com arriscar câncer e entrar de mama nesse têm ramo. seu Sem risco nenhuma aumentadperiência,em relação Paulo à população ouviu conselhos geral em errados, até uma comprou vez. pois no bairro onde mora não existe ensino médio.ex-O uma risco van de qualquer e escolheu mulher uma rota. ter câncer Divulgou de seus mama serviços é Sem transporte público, ela gasta 54 reais por mêsdenominado em vários como bairros, risco foi um, contratado e uma mulher por alguns que tem pais e com o deslocamento do filho, fora os gastos com oparente começou de primeiro a trabalhar. grau com Não esse fez tipo nenhuma de câncer vistoria, transporte no contra-turno. “O transporte públicotem sequer o dobro pintou desse a risco. faixa Isso amarela não significa em seu que automóvel. ela não funciona em Guarapuava. Eu sinto isso na pele”,vai ter, mas sim que aumenta de 10 a 15% o risco delamenta. Há três anos,desenvolver o câncer de mama”, explica Fadel.Jane ainda tinha quearcar com as despessasde estudo de sua filhaTratamentosmais nova, Vitória, quefreqüentou a crecheO oncologista Emerson Luis ressalta a importânciade entender que o “câncer é um nomeidade. O estudo eraaté os cinco anos degenérico para um conjunto de doenças. Existem inúmerostipos de câncer e cada tipo é uma doençadução não.gratuito, mas a conespecífica e tem um próprio tratamento”, informa.Existem três tipos considerados básicospara o tratamento contra o câncer. São eles: cirurgia,radioterapia e quimioterapia.Segundo Fadel, “A cirurgia, até hoje, continuasendo a forma principal Van do parada tratamento em local do proibidocâncer, sendo que a quimioterapia e a radioterapia,Douglas BelanEfeitos colaterais O custo de60 reais por mêsprejudicava Quando no orçamentoem mente da família, que existem dezenas de diferenteso assunto é quimioterapia temos quetermedicações e nem os que protestosreivindicando Isso significa que o não é um tratamento aplicadoagem na destruição de células tumorais.de transporte maneira igual gratuito a todos os pacientes. “Assim comotem deram inúmeros resultado. tipos de antibióticos, tem inúmeros tiposSegundo de quimioterápicos Emerson e cada um tem seu efeito colateralKluber, diferenciado”, isso aconteceporque, As medicações para quimioterápicas podem causarexplica Fadel.efeitos reduzir adversos custos porque não agem somente nas célulascom tumorais, o transporte, mas nas funções das células normaistambém. a prefeitura Os efeitos realiza colaterais mais freqüentes são:a o queda georeferenciamento,e medida baixa da para imunidade. No entanto, o oncolo-de cabelo (alopécia), náuseas, vômitos, diarréigistaque explica os estudantes que atualmente é utilizada uma série demedicações, se matriculem aplicada nos no paciente antes da quimioterapia,colégios que mais consegue próximos,colaterais: em um “hoje raio em dia é muito difícil que o pa-suprimir a maioria desses efeitocientede no sofra máximo de maneira dois grave com o efeito colateral.As quilômetros. pessoas precisam “O es-perdetudante que escoleesse medo”.um colégio longede sua residência,pela qualidade ouFalta de segurança: passageiro entra em van no trânsitoqualquer outro motivo,infelizmentetem que recorrer ao transporte particular”, diz ele.Para locomoção às creches, entretanto, não existeverba alguma, como explica Emerson. “Por enquanto,não temos como realizar este tipo de transporte,pois o repasse da verba acontece apenas para ensinofundamental e médio”, salienta. Segundo ele, a expectativaé que, a partir do ano que vem, deva ser destinadoum valor ao transporte à educação infantil.22 1823 19Douglas BelanGuarapuava e a quimioterapiaGuarapuava destaca-se como um centro dereferência estadual no tratamento do câncer, emtermos de cirurgia e quimioterapia. “O Hospital SãoVicente de Paulo é credenciado a nível nacional eestá apto a realizar a quimioterapia em alta complexidade”,conta o oncologista Emerson Luis. Atualmente,o hospital atende mensalmente cerca de 400pacientes de 20 municípios da região. Além da cirurgiae da quimioterapia, também é disponibilizada amedicação para a hormonioterapia que é realizadapelos pacientes em suas residências.A falta da radioterapiaComo Guarapuava não possui a radioterapiaos pacientes que necessitam do tratamento são encaminhadosa outros municípios do Estado, como Curitiba,Ponta Grossa, Pato Branco, Francisco Beltrão,Campo Mourão e Cascavel.Para o médico Anderson Fadel, a falta daradioterapia no município dificulta o tratamento decertos pacientes, pois “a radioterapia é um tratamentoque você faz de forma diária, durante 30 ou40 dias, em sessões de dez minutos, de segunda asexta-feira com descanso nos finais de semana, e opaciente acaba tendo que passar uma temporada forada cidade. Tem pacientes que tem onde ficar, como acasa de parentes ou amigos, mas tem pacientes quenão tem condições”.Faz alguns anos que se tenta trazer o tratamentopara Guarapuava. Para o médico Emerson Luis,o local para a instalação da radioterapia não é o problema,mas sim a aquisição do equipamento que temum custo elevado. “O projeto da construção está emfase de conclusão, mas não temos previsão para acompra do aparelho”, relata. O oncologista questionaa dificuldade de conseguir instalar a radioterapia:Manipulação de medicamentos quimioterápicosMesmo sendo de classe média, Éder Butarelotambém enfrenta o problema com o transporte escolar.O alto preço e a falta de segurança das vans fizeramele optar por fazer o próprio transporte dos filhos. Paraisso, Éder teve que adequar o seu horário de trabalho,além de transferir o estudo da filha mais nova para operíodo da tarde. “Às vezes sacrifico o meu trabalhopara levar meus filhos à escola”, comenta.“Guarapuava é um pólo central do Paraná, a gentesabe por estatística que nosso IDH é baixo, temosum índice de baixo poder aquisitivo em nossa região,esses não seriam motivos para que ações de saúdefederal, estadual e municipal fossem implementadasaqui? Sendo que o indivíduo não tem condiçõespróprias para sair daqui e pagar os custos”.CuraSegundo o médico Anderson Fadel, “cada tipode câncer tem uma chance de cura diferente. Generalizando,até 70% das pessoas que descobrem umcâncer no estágio inicial tem 100% de cura. Infelizmente,o que acontece ainda hoje é que as pessoasacabam procurando um médico só quando já está coma doença em estágio avançado e quanto mais avançadoo câncer, menor a chance de cura”, relata.Arquivo Oncoclin |Guarapuava


Segundo a instrutora teóricade uma auto- escola da cidade, VivianeO bom comportamento no torista. Em minha opinião, ser motoristatem que ser encarado comotrânsito é resultado da união entreCesca, as aulas teóricas são re-sponsáveis por passar boa parte daconhecimento e bom senso. A junçãodas informações adquiridas nas autoescolasuma profissão, você precisa estudar ese formar para atuar como tal. O interessenós da realizamos maioria dos são jovens direcionados é ter ainformação Associação sobre Centro-Oeste as situações do que Paraná de Estudose da educaçãoe mos. que Os é eventos recebidana família resulta, para pelo a manutenção menos carteira, da casa não e 80% estão vai preocupados para o paciente comqueo Combate futuro motorista ao Câncer vai – se ACOPECC deparar notrânsito, mas o comportamento do na teoria, em motoristas de diversas conscientes formas”, regras. relata Mara. Isso vai se refletir na suamotorista Fundada depende em de outros maio de aspectos.pelo “A casal gente Emerson Luiz Neves e Mara Zeni Neves, a sede son própria. Fernando No entanto, Trabalhar ela ainda não a questão está concluída: nas esco-2002, eme corretos.Guarapuava,No entanto, segundo A instituição Alis-atitude já está no transito”, instalada em analisa sua primeira Alisson.passa ACOPECC bastante – Associação Centro-Oeste do Paraná de Estudose Combate so-ao Câncer“Falta Pereira, muita instrutorteórico sultado. O Detran-PR, por exemplo,coisa, las precisamos é uma iniciativa rechear que a tem casa, dado colocartudo o que é necessário. Ainda falta muita coisare-informaçãoA educação –presta assistência é sempre mais gratuita importanteque a punição. A fiscalizaçãoàbre pacientes as atitudes em tratamento.para há seis a casa anos, funcionar possui legal”, diversos declara projetos Mara. destinados Recentemente,a entidade lançou um projeto de arrecadaçãoacorretas, A instituição mas dá abrigonão é essa a trabalhar o trânsito na comunidadeajuda, e mas serve não refeições é o principal a pacienteseducação e acompanhantes queamentalidade (ver de box), fundos mas para para a estruturação que eles sejam doscomeça vem de com outras a cidades para fazerque muitos implantados quartos que na alojam cidade os é preciso pacientes uma efamília, a quimioterapia; depois presta assistênciaaos pacientes internados nojovens apresentamde voluntários,iniciativa seus acompanhantes. da Prefeitura. O Em chamado Guarapuava,“kit cama” o Guaratran possui três afirma peças: fazer uma ana escola, etc.Nós precisamos muito na auto-escola.Temos muitosAs pessoas tambémpodem tirar lição da mídia, das aluno projetos, chega mas aqui não na conseguimos auto-escola desen-de todas as áreas.hospital, assim como aos pacientespaliativos em suas devi-“O sua cama parte. hospitalar, “A gente está uma sempre cama abertmuma convites e um criado para com dar palestras chave. “Nós so-co-comreportagens, mas é ela mesma quem 18 anos volver sem todos nunca porque ter tido falta nenhuma gentedas residências; faz doações debre estamos trânsito vendendo nas escolas” cotas. diz Bonassa. Quemdecide remédios, como cestas se comportar básicas, alimentosespeciais declara. e leite; além de for-no trânsito”,informação sobre trânsito na vida e quiser Para colaborar, Alisson, ou essa seja, discussão doar umtem que aprender tudo em um mês nas kit escolas cama pode tem que dividir ir além em até da três Semanavezes”, do Trânsito conta Mara. - evento O colaborador realizadonecer Outro serviços problema médicos e claro outros no e meio. O contato é muito pequeno,trânsito desde de a nutrologia Guarapuava, ao apoio segundo psicológico. Viviane,dessas é que atividades grande parte é realizada dos motoris-por voluntários:nãoA maiordá tempopartede formar terá sua realmente marca/nome em setembro. registrada “O no que kit cama. eu percebo O preço éum cidadão“Sãopara o é trânsito. de R$ 905,00. Além Os que interessados a única vez em que comprá-lo o trânsito ou é fazer discutidopodem forma entrar ampla em nas contato escolas com étas quase vem todos interior voluntários, e, por falta aqui de na informaçãcebemsão ou de a secretária, experiência a também cozinheira,casa osdisso,únicosemqueaulasre-sobre outros regras tipos de circulaçãode doaçõeso estagiárioe percursoeos a alunos instituição chegam pelo na telefone Semana (42) do Trânsito. 3035-3921 Mas ou isso pelo é endereço:situações Rua apre-Marechal suficiente”, Floriano declara. Peixoto, 926 – próximoin-acabam um enfermeiro atrapalhando que o posa tráfego. aqui com osapacientes”,rir de determinadasdeclaraMara, Segundo fundadora o historiador e presidente Franciscoentanto, Ferreira para Junior, continuar o que oferecendo é visto todosdasentadasassociação.na auto-escola,No ao Hospital pois sabem São Vicente. Pronta Como ou em não, toda a sede relação própria social,dia o 13 trânsito de maio. precisa ser pensadoqueesteso que está sendo será mostrado, inaugurada apesarnono benefícios, trânsito é reflexo a equipe do cotidiano. de voluntários “É dadeACOsero correto, não acontece no como resultado de uma ligação entremotoristas e pedestres. Se houvero PECC próprio precisa modelo crescer. de vida “Nós capitalista precisamosdia-a-diamuitodeles”, explica.que de estimula voluntários, o individualismo. de todas as áreas, As da saúde,Apesar das mudanças ocorridasrespeito e cordialidade, a relação dápessoas para eventos. se afastam Temos da muitos consciência projetos, masnanãoestrutura das auto-escolas a certo, torna-se harmoniosa. É essacoletiva, conseguimos sentem desenvolver dificuldade todos de se porquepartirfaltade 2009 – a obrigatoriedade do harmonia que evita acidentes e permitaque o trânsito flua, sem danoscolocar gente”, no afirma lugar Mara. do outro, de entendero outro Luci Machado sujeito. Além da Rocha disso, descobriu, a a presençaleitor biométrico para contabilizaremdos alunos nas aulas, o a nenhum dos dois lados: nem dacorreria, 2004, que o estímulo estava à com compra câncer de automóveisdurante e o o tratamento conseqüente que aumento durou cercade intestinoaumentoede 30 para 45 horas/aula, calçada, nem da rua.entrede doisoutras -, Alisson ainda achano anos, número ela de foi carros auxiliada circulando pela ACOPECC. sem necessário“Perdiaumentarplanejamento minha bexiga, têm fiquei conseqüênciasusando fraldas dois anoso tempoclaras e a ACOPECC no modo me de agir ajudou das com pessoasfraldas,de estadiacomdas As infrações podem ser:no o trânsito. leite e com remédios”, conta. Hoje,pessoasdonana auto-escolaLeves – R$ 53,20 – 3 pontos na carteiraLuci está A psicóloga curada e Sônia retribui Maria a ajuda Yassubeu:O. Rodrigues, “Continuo perita vindo em na avaliação casa como voluntáriaque rece-e implantaraulas de Graves – R$ 127,69 – 5 pontos na carteiraMédias – R$ 85,13 – 4 pontos na carteirapsicológica e no que eles no trânsito precisarem e coordenado-mim eu toeducaçãoaqui prapara o Gravíssimas – R$ 191,54 – 7 pontos na carteira.ra ajudar”. do curso de Pós Graduação “Educaçãopara A ACOPECC o Trânsito” é na uma Faculdade entidade privadatrânsito no currículodeescolar,Os pedestres conquistaram o respeito no usoEstadual utilidade de pública, Ciências sem e fins Letras lucrativos de eporquemeioatendepacientes Mourão, concorda de 20 municípios com Fran-da região.de uma da faixa de pedestres:Campo disciplinaNãocom Deixar de dar preferência de passagem a pedestresquando estão na faixa, não tenham concluído acisco. recebe Segundo ajuda ela, financeira essa ansiedade municipal, e treinamentogovernamentalque ou federal. a sociedade A instituição vive reflete se mantémeestresse informaçãoporsobretravessia ou a portadores de deficiência física, crianças,idosos e gestantes é infração gravíssima.no meio comportamento de doações, promoções dos motoristas. e eventos. “Tudocomo agir no“O por trabalho meio de da campanhas, Polícia Militar muitas e as vezescontrolea gentede um Parar o automóvel sobre a faixa de pedestres na mudançade sinal também incide em multa.políticas vai pra porta públicas dos são supermercados importantes pedirveículo.comida“O pensamentopara pra poder conscientizar fornecer as as pessoas cestas básicas, no a genteque seO Artigo 170 é ainda mais específico: dirigirtrânsito, não compra mas porque é preciso não pensar temos muitos que recursos.tem no Brasil é ameaçando os pedestres que estejam atravessandose Nós cada vivemos um agisse do que da nós forma fazemos, correta nós trabalha-que todo mundo a via pública é infração gravíssima. Além de pagar anão haveria todos esses problemas”, pode ser mo-multa, o infrator tem sua carteira suspensa, o veículoanalisa ela.é retido e o documento de habilitação é recolhidopela autoridade de trânsito.Sede da ACOPECC precisa de ajuda para seu término16 24Debora Fuzimoropor Aline Foppor Douglas BelanTemperaturas mais baixas exigem cuidadosVans especiais Escolares com circulam doenças clandestinamenterespiratóriasEm Guarapuava, o frio chega mais cedo castigando quem sofrecom elasAumento no número de veículos irregulares se deve à falta de fiscalização e àprecariedade do transporte públicoÉsó caírem as temperaturas que se torna comum ver pessoas espirrando,tossindo, ou com o nariz vermelho. Com o clima frio e o ar maisseco, existe uma maior a probabilidade das doenças respiratóriasaparecerem. Algumas são bem conhecidas, outras nem tanto, entreAs vans escolares elas estão estão espalhadas a rinite alérgica, por toda a bronquite, cidade, e nos e a horários sinusite. de entradae saída de alunos nas escolas, fazem com que o trânsito de Guarapuava seaproxime do caos. O motivo é a pressa dos motoristas em entregar as criançasno horário certo, e muitas vezes a segurança é deixada de lado. O horário depico é das 12:00 às 13:00, período em que muitas vans realizam manobras perigosaspara “ganhar” tempo, já que precisam levar às suas residência os alunos que estudamno período da manhã, e rapidamente recolher os alunos que estudam à tarde. Então,o que se vê é trânsito parado, carros estacionadas em lugares proibidos, e estudantescorrendo sem o mínimo de segurança. A falta de fiscalização faz com que alguns “aventureiros”coloquem em risco a vida de crianças e adolescentes.Além dos agentes físicos O médico explica que apesar em crianças, aumentando com acomo os poluentes e o pólen das plantas,e da presença Segundo de estimativa algum tipo do de Departamento ameaçador de à vida, Trân-ela é um problema da vida adulta.da rinite alérgica não ser um distúrbio idade e atingindo um pico no iníciodoença sito crônica de Guarapuava em especial - Guaratran, as de pulmões,de existem 400 veículos outros regularizados fatores comuns a fazer tos o transporte de assistência esco-médica deve “Além ter um dos faixa briu amarela a rinite indicando alérgica o quando tipo de tinha condução, 15.a significativo cidade possui devido mais à morbidade habilitado e na cus-categoria D, Anita e, além que tem disso, 19 o anos seu desco-veículonos lar. dias Destes, frios que 226 contribuem são licitados para pela o prefeitura. gastos com O restante medicamentos, bem como ela limita os ítens Ela de fala segurança quais são obrigatórios. os malefícios Porém, queaumento atua no das transporte ocorrências. particular. “As aglomeraçõedosa de passar pessoas, por o uma clima inspeção gelado, mecânica, além de feitos causar pela uma predisposição lar, Emerson ao Kluber, ela ataca, uma regularização fico com muita específica corisa e dor paraOs automóveis as atividades são obriga-ao ar livre segundo e doméstico o diretor a do doença Departamento traz para de sua Transporte vida “Quando Esco-mudanças empresa bruscas Inspevel. e constantes O Guaratran é responsável por fazer, o transporte particular, de garganta, como existe meu nariz em coça outras bastante cidades,de temperatura, duas vezes ao o ano, ar mais as vistorias seco, de segurança em todos tornaria mais fácil e a também fiscalização. espirro “Na muito. minha Até opinião, minha ao estado os veículos nutricional que realizam e imunológico”disso, explica juntamente o otorrinolaringolo-com a Polícia Militar, tecem tem mudanças o papel rápidaseste tipo de A minha transporte. rinite Além piora quandocâmaraacon-de vereadores voz deveria acaba criar ficando um projeto meio alterada, de lei queestabelecessede temperatura.que não Principalmente estejam deum fico tempo rouca máximo e sinto de como uso das se a vans, garganta alémgista de Celso fiscalizar Nogueira. para que todos os carros quandouma vistoria mais trancasse” rígida. completa. Assim, teríamos Ela faz um tratamentoscomo acontece um otorrinolaringolo-caso do trans-maiordevidamente A universitária regularizados Anita sejam multados está e quente parem e de esfriacontrolerápidodesse veículos,Gonçalves transportar Hoffmann os estudantes. conta que O condutor que cometer uma porte público”, diz. gista, e também com remédios homeopáticosoperacional “nem do sempre Departamento é bom ficar desofre infração com as grave mudanças ou gravíssima no clima.a “A vistoria minha por rinite seis piora meses. quan-Porém, a falta de agentes de Trânsito, Altair Bonassa, enchendo aponta o organismo as dificuldades de remédiosfiscal-fica impedido de realizarO coordenadordo acontecem trânsito permite mudanças que muitas rápidas vans de e desenvolvimento peruas circulem de de sinusite, izar o otite transporte médiae asma”. Estima-se para que acompanhar a doença um todos tratamento os tipos de alternativo infrações de a trânsito. longoescolar. fortes né... “Nós a temos homeopatia apenas serve dois agentes comotemperatura. forma clandestina. Principalmente quandoestá quente O e Código esfria Brasileiro rápido” de completao ela. condutor destinado ao transporte todo escolar o planeta. deve ser A incidência litz por é ano menor em cada escola”. Bonassa diz, também,Trânsito acomete determina 14 milhões que de Com habitantes esse efetivo, em prazo”, conseguimos finaliza fazer, a estudante. no máximo, umab-que17 25


Aline Carla Dalmutt é pedestre. Ela é umaSegundo o funcionário público Emersondas RINITESINUSITEmuitas universitárias que saiu da casa dos Gronskoski, esta já é uma questão cultural da cidade.“O motorista não pára por que é normal dapais para estudar aqui em Guarapuava. Apesar demorar Região na cidade atingida: há mais Mucosas de um que Região atingida: Seios faciais (buracosao redor do nariz, maçãs doano, ainda não cidade não parar, parece que é da cultura do povo.”revestem as cavidades do crânio.se acostumou com a dificuldade para lidar com os O guarapuavano ainda lembra que a maior parte dosInflamada, a mucosa incha, o nariz rosto e olhos). Inflamadas, essasmotoristas.entope e produz“Quasecorizafui atropelada várias vezes. cavidades acumulam problemas secreções, de trânsito da cidade sempre existiu.Eu nunca Tratamento: vou acostumar Uma boa assoada com a idéia já de que entopem sou e dão dor “Guarapuava de cabeça, sempre febree coriza espessa respeita a sinalização, não tem lugar pra estacio-foi complicada. O pedestre nãoeu quem expele tem o agente que parar invasor. na Se faixa o problemapersistir, desabafa. pode ser Em necessário Guarapuava, grande Tratamento: Descongestionantes nar, as ruas são e mal projetadas, o motorista não tempara os motoristaspassarem”,parte usar dos descongestionantes motoristas não e respeita anti-inflamatóriosgraves, antibióticos são necessárioso Código antiinflamatórios. de visão Nos nos casos cruzamentos, mais é uma confusão”, reclama.Trânsito Brasileiro que obriga o motorista a parar eA situação parece mesmo não ser das melhores,mas segundo o Departamento de Trânsito dadar a Curiosidade: vez ao pedestre Os ácaros, se ele parentes Curiosidade: O agente não sai comestiver atravessando arua microscópicos na faixa de segurança. das aranhas Ao contrário, que uma assoada, e, por isso, podeé o própriopedestre que espera o carro passar para poder não é diferente do motorista de nenhum outro lu-cidade, o Guaratran, o motorista de Guarapuavavivem em locais quentes das casas, causar uma inflamação maior ousão vilões da rinite.cair no sangue e se espalhar.atravessas a rua na faixa.gar. “Não tem educação no trânsito. As pessoas sóEssa reclamação de Aline se repete com respeitam se sentirem que estão sendo fiscalizadas,a maioria dos entrevistados. Principalmente entre que serão punidas. O problema é a impunidade”, argumentarecorrendo Altair Bonassa, à coordenador operacional doaqueles que Geralmente não são guarapuavanos, quem possui o dias comportamentoessas doenças, dos motoristas sofre chama com duas a atenção. ou inalação O em-“Quando Guaratran. ataca a bron-que só melhoraBRONQUITEpresário mais delas. Jean Carlo É o caso Siqueira do universitário é de Ponta quite Grossa asmática e eu faço O inalação motorista Emerson Região concorda atingida: com Brônquios o pontohá Pierre três anos Míchel mora Lima, em Guarapuava. de 18 anos, que Para ele, com apesaralém de o da trânsito rinite, daqui tem sinusite ser mais e bron-calmo, a latador”. dificul-é suficiente. “A multa traquéia dói no bolso, até os mas alvéolos). não vai Ficam re-soro fisiológico de e vista bronquiodi-de Bonassa, mas (tubos para que ele, conduzem só a multa o ar não dadade quite para asmática dirigir é grande. desde pequeno. “O comportamento “A dos Quanto à solver sinusite, o problema. Pierre Deveria contraídos haver e uma cheios punição de secreção maismotoristas bronquite é bruto, é complicada, ele não pára, quando não dá fala a vez; quais os sintomas rígida, que com sente apreensão Tratamento: da carteira de Anti-inflamatóriosmotorista, coisameu assim”, olho sugere. dire-e broncodilatadores, que abrempara está o pedestre mais frio é incomoda complicado”, bastante comenta. e “não consigo abriros brônquios e melhoram o fluxofica quase impossível de respirar. É ito e eles ficam lacrimejando todade ar. Xaropes expectorantesno inverno que eu fico pior” completaele.beça dói e tenho um pouco de fe-Curiosidade: Mais de 90% dos ca-hora, meu nariz escorre, minha ca-ajudamO médico explica que a bre.”sos de bronquite crônica estãobronquite é uma doença que se O otorrinolaringologista relacionados ao tabagismo. Oscaracteriza por episódios recorrentesde obstrução e inflamaçãoo tempofumantes com a doença tossemtodo.das vias aéreas, e a dificuldadeem respirar é uma característica dadoença “Durante uma crise, os pacientesprocuram assistência médicadevido à dificuldade respiratóriaque se caracteriza por tosse e sibilos(chiado no peito). Também podeocorrer sensação de sufocamento edificuldade de dormir à noite.” Ouniversitário Pierre afirma que tem14 26fonte: Revista Mundo EstranhoMorgani GuzzoCelso explica que na sinusite a mucosada região nasal aumenta devolume e obstrui a comunicaçãodestas cavidades com as fossas nasais.“A sinusite acontece quandoo líquido que deve escorrer pelasfossas nasais fica acumulado provocandouma inflamação”. Existetratamento para este caso, maspara Pierre, ele não surtiu o efeitoesperado “a sinusite me incomodao ano todo, mas nessa época deDicas para viver bem, respirar melhor e evitar doenças respiratórias-Mesmo a sensação de sede sendo menor no inverno, é importante que as pessoas bebam bastante águapara ficarem hidratadas.-O uso de umidificadores ou de bacias cheias de água aumentam a umidade do ar e facilitam a respiração.-Evitar banhos muito quentes impede que a camada de gordura da pele seja retirada, o que evita que elafique seca ou que apareça algum tipo de alergia.-Fazer exercícios físicos aumenta a capacidade respiratória, por isso não pare de se mexer por causa dofrio.-Se você tem mais de 60 anos é importante que se vacine contra a gripe para se prevenir.-Evitar lugares fechados também ajuda a ficar longe das doenças respiratórias, assim como manter suasroupas de cama e vestimenta sempre limpas.-Lave as mãos com freqüência para evitar que você mesmo leve microorganismos nocivos para a sua boca.-O inverno é uma boa hora para parar de fumar, pois os fumantes e as pessoas que convivem com eles têmmuito mais chances de contrair enfermidades respiratórias que as outras pessoas.-Em caso Parar de dúvidas, em cima sempre da faixa de procure pedestres um médico.A falta de consciência no trânsito pareceé comum em cruzamentosser uma questão culturalfonte: Revista Mundo EstranhoMorgani Guzzofonte: Revista Mundo Estranhogripe, frio, ela fica muito pior. Eufiz um tratamento há algum tempoatrás com anti-inflamatório e outroremédio, mas não adiantou muito.A sinusite ainda me judia. Por serum tipo de inflamação da mucosa,o inverno é terrível” finaliza Pierre.Fiscalizar e punirCura Verde: os cuidadoscom as plantas medicinaisA legislação brasileira diz que a responsabilidadeda organização e fiscalização do trânsitonas cidades é do próprio município. Em Guarapuava,quem faz esse trabalho é o Departamento deTrânsito, o Guaratran. Todo o patrulhamento e asnotificações – fiscalização da carteira de motorista,direção perigosa, infrações, etc. – fica a cargodos agentes de trânsito municipais. No entanto,como realizar a vigilância do trânsito de 78 milautomóveis circulantes com apenas dois agentes euma viatura disponíveis por turno?Em cidades como Curitiba, novos radareseletrônicos estão sendo instalados para realizaro acompanhamento do trânsito. A fiscalizaçãoeletrônica está mais moderna: os novos radaresMuito usada no tratamento de doenças,a medicinaalternativa também precisa de prescrição.são capazes de flagrar não somente o excesso develocidade, mas conversões proibidas, avanço desinal e parada sobre a faixa de pedestres. Essatecnologia poderia remediar a falta de agentes dePROJETOS Muita de Educação para gente o já Trânsito ouviu falar – DETRAN-PR sobre as plantas medicinais e seus usos. Mil folhas éuma boa erva contra inflamações gastrointestinais e em pomada, pode aliviaras dores do reumatismo. A Espinheira Santa é usada no tratamento de gastrites,úlceras gástricas e ainda pode ser usada como cicatrizante de feridasOperação VerãoInformar e conscientizar os motoristas que circulam pelo litoral, sobre a necessidade de se manter umexternas. Já o Guaco é usado como expectorante e suaviza os sintomas da asma. Paracomportamento seguro também durante a temporada de férias, observando sempre as normas estabelecidas.Palestras para quem o Ensino sofre Médio de hipertensão ou precisa de um descongestionante é bom usar CapimLimão. Se estiver com feridas na pele ou irritação. Camomila pode ser um bom remédio.Enfim, uma infinidade de plantas medicinais são usadas em diversas partes doDestinado aos alunos do 2º ano do ensino médio dos colégios das redes pública e privada do estado do Paraná.mundo, como tratamento alternativo e um método para suavizar os sintomas ou curarPrograma Comunidade & Trânsitodiversas doenças.Tem o objetivo de ajudar a mudar a percepção de risco que temos no ambiente trânsito, propondo acriação dos Conselhos Municipais de Trânsito, através dos quais, a própria comunidade passará a pensar, estudare entender porque tantos acidentes acontecem. Aprenderá a evitá-los ou, pelo menos, diminuí-los, valorizandoa vida de cada cidadão paranaense.Programa Comunidade & Trânsito – JovemSegundo É um programa a Organização do DETRAN-PR porque com o eu apoio já sabia da Secretaria as ervas que de Estado eu da cas Educação que podem e a trazer Paraná benefícios Esportes, àMundial que proporciona da Saúde ao (OMS) jovem cerca paranaense de precisava a oportunidade para fazer de participar o meu chá” de um movimento saúde, ou em não. prol Então da melhoria você precisa do80% trânsito da população e da conseqüente mundial garantia utiliza da conta qualidade ela. de vida das pessoas de seu entender município. que O as objetivo plantas é medicinais criar nasplantas escolas estaduais medicinais comissões e seus estudantis, subprodutoscomunidade, (chás; com infusões; vistas a reduzir olinas, os índices em Química de acidentes Orgânica de trânsito. Elisa Pe-morreu com uma tintura de cicuta,com lideranças A farmacêutica dos Grêmios e doutora para desenvolver podem causar atividades malefícios. educativas Sócrates naque são um tipo de digestivo e rez, estudou sobre as plantas medicinaise seus efeitos na saúde. olhida na beira da estrada, e podeque é uma planta que pode ser rec-tinturas) para resolver problemasbásicosProjeto Psiu!de saúde. Um exemplo Ela explica que “A planta medicinalser confundida com a erva-doce oudisso éOaPsiuuniversitáriaé um carroIanacaracterizado,Couto,comsejagiroflex,na formaque usadeestainfusão,interjeiçãofuncho.para chamarUma causaa atençãoa morte,dos condutoresenquanto“Euetomopedestreschásparadesdeumamuitoposturadecocção,mais responsáveltinturanooutrânsito.emplasto,Para isso, dois casaisa outra,de atorescomo“satirizam”a erva-docepequena.infrações queEu souestãoasmática,sendo cometidas,eu me qualquerfazendo comquequesejacondutoresa utilizaçãoe pedestresque épercebamcarminativa,a infraçãodiminuieosprincipalmenteosgases”,lembro queriscosminhaemavóqueeelesa minhapróprios sevisecolocam.tratamentoÉ umaàformasaúde,lúdicaela passae divertidasalientapara conscientizara doutora Elisa,e corrigirque aindaosmãecondutoresfaziameumpedestreschazinhoquepracometemmim. ainfraçõesser um componentede trânsito.medicamentoso.Pode causar tanto benefícios, ral, que não faz mal. Pelo con-enfatiza que não é porque é natu-Às vezes, eu tinha umas crises,Semana ou o meu Nacional peito chiava, do Trânsito e um chá quanto malefícios”, esclarece. A trário, esses tratamentos, sem orientação,com o são artigo passíveis 75 do CTB de falhas. (Códi-com mel A Semana resolvia. Nacional Depois de que Trânsito eu vem farmacêutica sendo realizada fala também desde 1994. que há De acordogo de Trânsito completei Brasileiro), uns oito, cabe nove ao Contran riscos (Conselho você utilizar Nacional os de subprodutosnacional de plantas que deverão medicinais ser promovidas sem a por doutora todos em os órgãos Química ou entidades Orgânica éTrânsito) estabelecer Outro anualmente risco apontado os temas pela ecronogramas das campanhas anos, de eu âmbitodo Sistema Nacional de comecei Trânsito. Já a o artigo orientação 326, do de CTB, um determina médico ou que um o evento a variedade será comemorado de componentes sempre no quepreparar o farmacêutico “toda planta medicinalcontém substâncias químicialé que a planta produzcontém em cada erva “o diferen-período compreendido entre 18 a 25 de setembro.meu chá,diversasAlecrimtrânsito em Guarapuava, por mas, Aline segundo Fop e Samilo Bonassa, Takara o investimentoé alto. “Para que Guarapuava tenha essetipo de fiscalização é necessário investimento. Até paraaumentar o número de agentes de trânsito é precisoque a Prefeitura destine verba para isso, porque não ésó contratar agentes, tem que fazer um treinamento,formar pessoas para trabalhar com isso. A Prefeiturasabe que é preciso, mas é uma questão orçamentária,tem que ver se tem dinheiro para esse fim”, explica.Mas se não tem dinheiro para investir em fiscalizaçãoe se, sem fiscalização os motoristas não agem com respeito,o que poderia ser feito para melhorar a questãodo trânsito em Guarapuava?Cadê a educação?Anis EstreladoUma das principais reclamações sobre o relacionamentoentre motoristas e pedestres é a faltade educação. Mas de onde deve vir essa educação? Dafamília, das escolas ou da auto-escola?Fonte: site do Detran27 15


o ataque ao jovem na lagoa. Nós temos que tentar impedir panheiro de trabalho de Valdemir, Antonio Ribeiro Nascimento,também vê de perto o problema da poluição.o máximo possível essas gangues que estão pode se armando mesmo surtir narealidade com garrafas, porque ao tirar os o efeitos gargalo esperadosA Associação Brasileira de Indústrias Farmacêuticas,em pesquisa, descobriu que o consumo deda garrafafica com uma arma na mão. E também “temos a que limpeza, dosar oSegundo ele, as pessoas que poluem não se dão conta doproblema que estão causando: “Eles quebram garrafas,porque, quandoproblema e percebermedicamentos fitoterápicos aumenta cerca de 20%deixam caco de vidro, é perigoso para as criançasa garrafa não ése as ervas podemtodos os anos, enquanto os medicamentos sintéticosaumentam seu consumo anual em 16% no país.que vêm brincar no domingo. As pessoas de maisquebrada, elaajudar a gente ou idade parecem que não fazem, a maioria é jovemse torna um reciclável,mas a com o espaço público com e as privado ervas e medici-isso cot-denomina fitoterápicos, os medicamentos prepara-as pessoas mantém não. uma relação O tratamento diferente A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)mesmo, mas também não são todos. Será que todasessas pessoas que vão à escola, as professoras nãopartir do momentoque que-prevenção ou servirribui na nais poluição pode ajudar nados exclusivamente com plantas ou partes de plantasmedicinais (raiz, caule, cascas, flores, frutos ouensinam a não jogar lixo no chão? Os professores nasala de aula também devem educar, os pais tambémdevem se preocupar com isso” afirma.bra, a Espinheira pessoa Santapara amenizar sintomasleves. Temossementes), que possuem propriedades reconhecidasvai ter que jogarem algum local” completa o vereador. sempre que lembrarde cura, prevenção, diagnóstico ou tratamento sintomáticode doenças, validadas em estudos etnofarmacológicos,documentações tecnocientíficas ouO projeto ainda não foi colocado em votação que as na ervas câmara, são usadaspara e a propõe produçãomas apenas apresentado aos demais vereadoresensaios clínicos.ainda fiscalização e multa para pessoas dos que medicamentosMuitos medicamentos são fitoterápicos,descumpriremsubstâncias. a possível E lei. quando A previsão você faz é que um a proposta sintéticos. entre Um exemploainda é o siga tamiflu, para a queproduzidos a partir de plantas medicinais e componentesextraídos das plantas. Mas o cuidado com oemvotação chá, você nos ingere, próximos no dias mínimo, e se aprovada cinqüentadelas. ou não Quando prefeito você municipal. toma tem grande parteaprovaçãouso indiscriminado deve ter atenção. A populaçãoum chá, Ainda você segundo não ingere o vereador, apenas falta da estrutura, sua composiçãoque utiliza as plantas medicinais e sub-produtoscomode a lixeiras substância na cidade, que é a mas majoritária, também projetos no anis educativos. estrelado.sem orientação deve ficar atenta, pois sua saúde“O e toma problema muitos maior outros é a componentes.E projetos essas substâncias e programas, vão agir, por parte duas da vezes prefeitura, ao diaconscientização Você da população. pode tomarpode estar em risco. A orientação da farmacêuticaFaltamElisa é que sempre se procure um médico para saberprogramas sinergicamente, educativos em comparação, que a população o chá não de jogasse anis, quesobre o seu quadro clínico e pedir ao médico se ocigarro, no caso não da planta, jogasse com copo, o isso fármaco nós já aumenta temos o exemplo sua imunidade,dão e se chuvas prevenir”tratamento pode ser feito com plantas medicinais.de sozinho”, quantas vezes explica causa a farmacêutica.inundações, quandoApós isso, o paciente pode procurar um farmacêuticoque orientará como usar as plantas medicinais.etudo Elisa isso ainda prejudicando ressalta que a população vários fa-(...)tores conta a nossa a universitária própriacâmara interferem deveria passar nisso, programas “as doses educativos”, que confia diz. muito noTVde substâncias A questão que da se educação, encontra podemou da poder falta dela, das ervas. é semser um variáveis. ponto central quando se fala em poluição, Entretanto, o a farmacêuticadúvidaato Se de você jogar colher lixo a no planta, chão, hoje apesar pela de Elisa várias ressalta campanhas que o uso das plantasUm exemplo dos benefícios dasplantas medicinaisincentivando manhã, de meio-dia a conservação ou de do tarde, ambiente medicinais e mostrando é muito a respeitado. “Éimportância haverá um disso, número ainda diferente é algo bem de comum. a partir O de ser muitos humanoconhecimentos A devastação em nomecomponentes. parece ainda Há um não grupo ter se de dado fa-conta etnofarmacológicos das catástro-que muitos da produção de pinus, soja efes tores ambientais que dá diferença que o acúmulo desde o de solo lixo pode medicamentos ocasionar estão no hoje no mercado.Nós ser temos humano um respeito muitodecorrer até as nuances do tempo. do Esse tempo, comportamento fatorespode que ser podem explicado modificar por a questões quantidade históricas grande, e sociológicas. e inclusive, as grandes indústriasficam Raphael de olho nesse con-O de professor substâncias de história de uma e sociologia planta, assim,essa Nicoletti diminuição Sebrian pode explica alterar que até hecimento o final do século para transformar fu-da Unicentro,NunesXIX o efeito não havia, do chá, nas cidades, e a pessoa preocupação pode turamente com a poluição num e medicamento”,higienização, achar que não inclusive fez efeito, elas costumavam mas é completa ser bastante ela. sujas,porque sem aquela nenhum erva tratamento estava com sanitário. um Essa preocupaçãocom número onde menor colocar da o lixo, substância foi surgindo para com força no séculoXX. a melhora De acordo esperada”. com o professor, Por isso, a a prática errada de sefumo, a coleta insuficiente delixo, famílias sem saneamentobásico e nem atendimento desaúde enfraqueceram a agriculturafamiliar da região do Turvo.Houve uma época em que amortalidade infantil era de 51mortes a cada 1000nascidos vivos, segundoos dados dojogar farmacêutica lixo no chão, alerta do que ponto é importanteao que que as é público pessoas e conversem ao que é privado, químicas “as pessoas que pode trazer benefícios à nativa encontradade vista sociológico, toda planta está medicinal contém substâncias IBGE. Uma alter-ligadamantem com o médico uma relação sobre diferente o seu quadro com o espaço público e saúde, ou nãopelo Sindicato dosprivado clínico, e isso ou ainda, contribuí que na poluição converse e pode ir virando umTrabalhadores Ruraisproblema com um farmacêutico.de convivência, homem-ambiente e depois dohomem com Iana o explica próprio que homem, para caso ela do Rio de Janeiro,que “O está tratamento um caos, com com ervas enchentes. medici-nais para é bom. jogar, Mas como tudo na em nossa excesso casa. As campo pessoas de se conhecimento preo-muito an-gente sabe A que etnofarmacologia tem é umlugarcupam faz mal. menos Então, com a o dosagem espaço público é muito do que tigo. com Segundo o privado a farmacêutica, háe importante, isso cotribui porque na poluição”, você não completa. pode registros de 4.000 anos A.C., emabusar Quem de uma sente erva e que vê a pode poluição ser bem hieróglifos, de perto de pessoas são usando chásas que pessoas você responsáveis tenha uma reação pela limpeza contrária”,pessoas outro jogam ponto o lixo importante no chão mesmo há vários com relatos a lixeira de como as plan-da para cidade, a cura. os garis. Ao longo da história,“Muitasdo municípiofoi o incentivo àprodução de plantasmedicinais, costume de algumasfamílias que além de incorporar arenda, melhorou a qualidade devida nessas comunidades.“Você aproveita o ambiente,a mão-de-obra familiar e asdo que lado” ela diz salienta Valdemir é fazer Ferreira, a identificaçãoSurg do na limpeza problema de antes vários de parques in-comunidades cidade. O com-africanas, indígenas medicinais e a erva mate são asque trabalha tas medicinais há 15 anos foram usadas por pequenas áreas, então as plantasO lixo vira atração em parques e praças de Guarapuavapelagerir qualquer erva para ver se e pela população em geral. espécies que garantem que você12 28Glarin BifMorgani Guzzomantenha todo esse ecossistema e tenha uma rendainteressante”, afirma Roseli Eurich, 48, presidentedo Instituto Agroflorestal Bernardo Harkvoort (IAF).A entidade participa da comunidade buscando melhorara condição de vida das famílias e preservar omeio ambiente.Uma das iniciativas do IAF, em 2006, foi à oficializaçãoda Cooperativa de Produtos Agroecológicos,Florestais e Artesanais de Turvo (Coopaflora), resultadode um esforço do Instituto Agroflorestal paraorganizar e melhorar o processo de comercializaçãode plantas medicinais e erva-mate na região. “O IAFSegurança no trânsito:punição ou educação?hoje é responsável por trazer a educação ambiental,conversando com as escolas e passando ensinamentossobre o valor do meio ambiente, explicando para oagricultor, que o sistema agroflorestalmelhora a qualidadepor Morgani GuzzoCamomilaa cuidar da saúde da família. “A minha mãe disse quevocê tinha que ter um conhecimento básico pra sermãe de família. Além de costurar, passar e lavar, vocêtinha que conhecer o básico sobre as plantas medicinais.Assim como você precisa saber de plantas evegetais para cozinhar, vocêprecisa conhecer as plantasde vida da sua família e podepara tratar as doenças maisO tratamento com ervas medicinaiscolaborar com a sua renda”,comuns”.é bom. Mas tudo em excesso fazexplicaARoseli, presidente doOs remédios são feitospreocupação com o trânsito mal. é Então, comum a dosagem todas as é muito cidades. im-Coportante veículos fica cada vez mais difícil garantir a segurança nas ruas.o crescimento populacionalIAF e cooperada da agricultorapor algumas mulheres dase o aumento na frota defamiliar.comunidades. Roseli contaGuarapuava, apesar de ser uma cidade de médio porte, também encontra essa dificuldade.O conhecimento sobreque eles sempre são trocadospor outros produtos.Seja de carro ou a pé, o cuidado com o trânsito é indispensável para se manter seguro.ervas medicinais e sua produçãoComo motorista, a concentração deve estar em obedecer à sinalização e atentar para os pedestresproporciona as famílias do Turvoa oportunidade“Normalmente a gente temedeoutrostratarcarros.doenças,Comoalémpedestre,de doresatravessar as ruas é a parte mais complicada.no corpo e outros tipos de mal-estar sem sair da suacomunidade. Roseli lembra que aprendeu com a mãena comunidade uma mulher que faz os xaropes, aspomadas e as tinturas e distribui. E aí, tem um sistemade troca. Na minha comunidade tem uma mulherque sempre faz os remédios que eu preciso, aí eutroco pelos doces e geléias que eu faço. Essa mulheré uma enfermeira alternativa. Ela faz as consultas,faz o tratamento e acompanha”, conta a agricultora.Jahíra Venski, 60, é uma dessas mulheres responsáveispela fabricação de remédios. “Nós usamosas ervas através do que aprendemos em alguns cursos.Pra mim é muito importante, eu fabrico remédiospra minha família e pros vizinhos. Eu fabrico pomadas,xaropes, olinas (um tipo de digestivo), alémde produzir plantas medicinais”, esclarece a agricultora,que também faz parte da Coopaflora.O Turvo deixou de ser distrito da cidade deGuarapuava no ano de 1983. O município, que atualmenteconta com uma população de 14.500 habitantes,localiza-se em uma das poucas regiões defloresta com Araucária do Estado. Para se ter umaidéia, 64% da sua área é coberta por vegetação nativa.Mas essa área já foi maior, porque as famíliasviviam da agricultura de subsistência, no sistema defaxinais (um modelo de produção existente só no suldo Brasil, em que as famílias viviam da extração debaixo impacto da mata, a produção familiar e a criaçãode animais em regime coletivo), preservando olugar em que viviam.Entretanto, com as pressões dos grandes fazendeirosas monoculturas foram crescendo, e nosúltimos dez anos, a área de 1.936 hectares com 240famílias faxinalenses foi reduzida e, em 2008, essaárea era de 726 hectares com 150 famílias. A agriculturade exploração devastou o ambiente natural,prejudicando espécies de plantas e animais, osprocessos sociais, culturais e econômicos do biomaFloresta com Araucária.13 29


Glarin Bif10 30por Carla Abe Vicentepor Glarin BifPoluição atrapalha o lazerMétodo Pilates em GuarapuavaNos finais de semana, acúmulo de lixo prejudica parques da cidadeQuem passa na segunda-feira pela manhã em alguma praça ouparque de Guarapuava se depara com o grande acúmulo de sujeirana Uma rua, opção nos bancos para das quem praças não e na gosta grama de dos academia parques, sujeiraessa, herdada do final de semana. Esse é um cenário típico dacidade, seja nas segundas-feiras ou logo depois de feriados. Grande partedessa poluição vem de jovens que se reúnem para ouvir som alto, conversar,e beber madrugada a fora, e que ao deixarem esses locais deixam tambémo que usaram na sua “diversão” principalmente garrafas e latinhas de bebidas,que dificilmente vão parar no lixo.Pilates é um método de alongamento e fortalecimento da musculatura, principalmente daregião da coluna. Segundo especialistas melhora a postura, a coordenação motora e o equilíbrio.Os exercícios de respiração contribuem para a oxigenação do cérebro e para a circulaçãosanguínea do corpo. De acordo com a fisioterapeuta e especialista em ortopedia, traumatologiadesportiva, Vanessa Sguissardi de Oliveira, o pilates não é só um exercício, dentro da fisioterapia émuito usado para reabilitação da coluna, tratamento de problemas físicos e patologias crônicas.Os equipamentos de Pilates, atualmente produzidosno Brasil, permitem uma tecnologia padronizada quepromove uma infinidade de movimentos, os quais auxiliamna reeducação corporal. .Em Guarapuava, as opçõesde academias, clínicas de fisioterapia e studios para aprática de pilates com profissionais da área já são variadas.O método pode ser praticado em grupo de aproximadamentequatro a cinco pessoas, por meio de exercíciosno solo e em pé, com o auxílio de bolas e rolos. Hátambém a opção da aula individual por meio dos equipamentos.É importante ressaltar que as atividades sempredevem ser orientadas por um profissional capacitado.Não há contra-indicações para a prática do métodopilates: crianças, adolescentes, adultos, idosos egestantes podem freqüentar as aulas, os exercícios sãoleves e de fácil acompanhamento. Vanessa indica a práticaduas vezes por semana, pois por mais que ele sejaum exercício tranqüilo, mexe com a musculatura. Porém,se a pessoa quiser fazer mais vezes não tem problema.Thalita Cebulski sentia bastante dor na lombar e quandofoi tratar sua coluna, o médico indicou o pilates com oobjetivo de fortalecimento: “Quando comecei a fazero pilates ainda sentia um pouco de dor na lombar, depoisque comecei a fazer os exercícios regularmente nãosinto mais dor, o meu alongamento melhorou bastante,os movimentos que não conseguia mais realizar estouvoltando a ter. Venho duas vezes por semana, em casafaço o alongamento que me recomendaram, pelo problemana coluna.”, contou Thalita que pratica o métodohá cinco meses.Um dos benefícios do pilates é uma boa postura.A fisioterapeuta Vanessa observa que as pessoas geralA poluição em locais públicos e lazer na cidade que procuram diversão emagrecem, nesses locais. mas “Normalmente na verdade ele asfica evidente aos sábados O e nascimento domingos. do Muitas Pilates pessoas pessoas que vem caminhar defini tem a musculatura, mais consciência, melhora às vezesjá trazem uma sacolinha postura, pra que jogar em o conjunto que consomem, comaque procuram um passeio tranquilo e bonito em pontosturísticos da cidade, O nome Pilates como se o Parque deve ao do seu Lago criador, ou o a alemão Lagoa Joseph o pessoal Huber-qutus Pilates, encontram uma criança atrações raquítica desagradáveis e com asma que como passou su-a polui”, vida inteira observa Tiago. do A casa abdômen, de Tiago então também o trabalho sofre comvem pra a curtir respiração, no final fortalece de semana a região é queda Lágrimas,jeira pesquisando e lixo acumulado. o movimento Para para Marilene poder desenvolver Eurich, que o caminhatodos sessões os dias você no se Parque sentirá melhor, do Lago, após os 20 motivos sessões para você o se lixo sentirá vezes, diferente, acaba sendo depósito completou de lixo, a fisioterapeuta.principalmente gar-próprio corpo. a poluição, “Após 10 já que é é bem com em o corpo frente como à lagoa um e todo”, muitasir para após o 30 chão sessões ao invés você terá da lixeira outro corpo” estão dizia mais Joseph. ligados O ao criador do Métodorafas, que ficam jogadas em O método frente à pilates casa ou tem cima como doPilates, praticou muitos esportes em sua adolescência como ginástica, esqui,mergulho e boxe. Tornou-se boxeador profissional e começoucomportamento de algumas pessoas do que à própria faltade estrutura e conservação pelos órgãos responsáveis.muro.a lecionarEssas garrafas acabam principal sendo objetivo quebradas, promover seja pela aautodefesa para detetives da Scotland Yard. ação do vento ou pelos qualidade próprios jovens de vida: e podem “às vezes oferecer a“Os jovens vêm No período aqui no da final I Guerra, de semana no ano e, de ao 1914, invés ele de foi se exilado, riscos mandado as crianças que musculação vêm ao parque traz brincar, algumas como lesões tambéme podem mu-se tornar para armas o quando seu corpo, quebradas por causa e usadas dodivertirem, para uma ficam ilha bebendo, inglesa onde fumando trabalhou e jogando num hospital o lixo com em exiladosqualquer tilados. lugar, Nesse quebram local iniciou garrafas. o uso de Acho molas que no deveria tratamento ter médico, em brigas. o quepeso que a pessoa acaba erguendode março, e se uma ela fizer briga de entre forma jov-mais seria lixeiras, a base mas para também mais tarde existe o ajudar a falta no desenvolvimento educação da de um sistema No sábado, 20população”, de exercícios diz e Marilene. equipamentos. Alguns anos depois ele retornou ens à Alemanha, resultou em duas incorreta pessoas gravemente com uma má feridas. postura, O incidentee abriu aconteceu próximo sentado à casa torto, deTiago com o Barbosa, quadril ro-queonde A permaneceu falta de educação pouco tempo. ainda Pilates parece mudou-se ser o para maior Nova Iorqueproblema seu primeiro para Studio a conservação de Pilates. e Seu preservação trabalho, porém, do meio só teve repercussão afica em frente à lagoa. dado Segundo acaba relatos causando de Tiago um e problemana coluna, do parque, uma um lesão. grupo En-dea poucos metros de algumas lixeiras, masde outrosmoradorespartir dos anos 40, principalmente entre os dançarinos, tais como Ruth St.ambiente na cidade. Muitos são os detritos encontradosDenis, Ted Shawn, Martha Graham, George Balanchine e Jerome Robbins.e frequentadoresJoseph Hubertus Pilates morreu no ano de 1967, aos 87 anos, sem tão algumas jovens, vezes não incluindo se tem adolescentes,direta na academia. começouaque por deixar preguiça herdeiros. ou comodismo Clara Pilates, de sua algumas esposa, assumiu então a direção doorientaçãopessoas studio, ficam dando jogados continuidade na grama, ao trabalho principalmente.fez convites Francisco a alguns José alunos Silvério, de Joseph diretor Pilates, de passando Muitas a direção pessoas do jogam Studio o lixo só no em chão grupo, enfrentar sempre estamos com socos. ori-Odo marido. Por volta de 1970, ela No pilates, a por discutir mais e que depois seja seServiços a Romana Urbanos Kryzanowska, da Surg (Companhia uma antiga aluna de do studio na mesmo década com de 50. a lixeira do lado entando o alinhamento resultado foi da que colunae cuidando jovens para saíram a pessoa feridos, nãodoisServiços e Muitos Urbanização dos alunos de de Guarapuava),Joseph Pilates abriram seus próprios studios eempresa difundiram que administra sua técnica, fazendo a limpeza também da cidade,desenvolvimento tanto das praças, e aprimoramento como dos parques do Método e Pilates. O método chegou aoimportantes contribuições para o fazer de forma um errada”, em estado mostrou grave.a fisioterapeuta Moradores em seu e freqüentadoresdo local ten-studioBrasil através de Alice Becker Denovaro, que foi a primeira brasileira a selagos, diz que os principais detritos encontradosnesses locais da cidade são plásticos,certificar para instrução da Técnica de Pilates. A partir do trabalho de Alicede pilates.Becker, surgem novos Studios de Pilates.“Acho taram que o separar pilates a serve briga,vidros, garrafas pets e latinhas. Segundo Francisco, a mas, ainda segundo relatos, para foram quem ameaçados, não gosta inclusive deSurg tem colocado mais lixeiras em pontos estratégicos, com garrafas. O incidente academia, chocou eu moradores, não gosto que muito, dizemalém disso, para a limpeza do lago e da lagoa há um bote que episódios como esse então têm aqui se tornado estou me constantes, descobrin-redo,pois muitas com vezes o método consumidas pilates nasultado de bebida e drogas, que semanalmente retira sujeira desses locais.mente Para não o cuidam diretor, da os coluna lugares e a de musculatura lazer mais poluído acaba lagoa entrei e demais forma, espaços cuido públicos. da saúde, da coluna, relaxo ano se município tornando são fraca, alguns o que trechos causa da uma rua postura XV de incorreta, Novembro, mente Algumas e o corpo”, semanas finalizou depois a aluna do incidente Thalita Cebulski. na lagoa, opróximos notada principalmente aos bares e lanchonetes, em pessoas locais que ficam onde muitos sentadas jovenspor se longos reúnem períodos, durante pessoas o final que de semana carregam “Ali muito as pessoas peso uma outros proposta métodos de lei surgiram que prevê com a bons proibição prósitos do uso e depoisgar-vereador No entanto, Gilson assim Amaral como (DEM-PR), nos últimos apresentou tempos na tantos câmaraprimeiro ou têm bebem, hábitos prejudiciais e depois saem à coluna. com o Nesses carro, casos, deixando o rafas foram de questionados vidro em praças quanto e parques aos resultados, de Guarapuava, sempre não étoda pilates a sujeira é uma do opção que para consumiram melhorar a ali. postura Para se e também ter uma é recomendável a proibição da procurar bebida, mas um médico da garrafa ortopedista, de vidro. cardiologistaele a proposta ou psiquiatra tem dois para objetivos informar-se principais: sobre ben-a con-Segundoidéia, a definir final a de musculatura. semana, se “O pegar pilates um feriado por trabalhar prolongado, comcomo a respiração, teve agora as pessoas na sexta-feira algumas santa, vezes comentam mesmo a gente que servação efícios e do riscos meio do ambiente, método pilates. e a diminuição da violênciafazendo um turno de limpeza durante o feriado, assim em locais de lazer em Guarapuava. “O que nos levou foimesmo, retiramos na segunda cinco contêineresde lixo” completa.As pessoas que moram próximas a esseslocais de lazer e diversão sofrem ainda mais com apoluição, e sentem bem de perto os efeitos dela.O jovem Tiago Felipe Hohl Barbosa mora desdeque nasceu em frente à Lagoa das Lágrimas, umdos cartões postais de Guarapuava, mas que, ultimamentevem sofrendo não só com a poluição,mas também com a violência. “No final de semanaaumenta a poluição, porque não é limpo o finalde semana todo e parece que as pessoas são maisrelaxadas, jogam coisas direto na água, ou deixamjogadas garrafas e plásticos no chão, e depoisventa e as coisas vão pra água, ficam boiando”argumenta Tiago.O jovem também acredita que o grandeproblema da poluição é a falta de educação porparte da população, principalmente dos jovensFuncionários da SURG reclamam dos maus hábitos da populaçãoTrabalho com bola terapêutica em aula de grupo que tem uma hora de duraçãobola terapêuticaGlarin Bif11 31Carla Abe Vicente


ervilha” conta vegano tem que ter em mente queAlan.nenhum alimento contem todos osNas aulasnutrientes, assim como um tipo depor Glarin Bifque dá pelo Brasil,Alan fala quenutriente existe apenas em um tipode alimento, ou seja, aderir ao veganismosignifica ter uma dieta variada.A carne é um bom exemplo,grande parte dosseus alunos comenela encontramos proteínas, ferro,carne. “Eu diriazinco e vitamina B12 que não sãoque 80% das pessoasque fazemencontrados, na mesma proporção,em nenhum outro alimento, assimo meu curso nãoArte sem são valordeve-se ter o cuidado de ingerirvegetarianos,elas vemos alimentos certos, como feijão,hortaliças e grãos, para não ficarpor curiosidadeArtesãos dizem que não tem seu trabalho reconhecido carente em Guarapuavade algum nutriente.e eu acabo mostrandoque alémThiago conta que sempreque está em dúvida se algumda ideologia queproduto tem origem animal ou nãoexiste por trás,sabe se foi testado em animais,ser vegetarianoé, acima decomo os cosméticos, por exemplo,ele liga para a empresa perguntandocomo foi produzido e como foitudo, gostoso.Você pode fazerTricô, crochê, bonecas de pano, chaveiros, muitos toalhas, caixinhas pratos, e tudo testado. mais que Mas a ele imaginação diz que mesmoe a técnica permitem ser criado. Esses trabalhos vegano não manuais come são feitos assim, por não artesãos consegue que saber costumamganhar a vida vendendo seus produtos só soja”, em afirma. feiras, exposições dos os ou alimentos em casa mesmo. e produtos quede to-Mas ganhar dinheiro e sobreviver apenas desse trabalho em Guarapuava consome, não fala é uma que tarefa é muito difícilfácil. Muitos artesãos se obrigam a vender seus trabalhos Ser vegano a um preço exigededicaçãobaixo ser e 100% sofrem vegano, com a não falta consumir de absolutamentenada que, de algumaincentivos.maneira, esteja ligado ao mundoanimal e que cause que, de alguma“Você nãomaneira, esteja ligado ao mundopode simplesmentedeixar deanimal e que cause sofrimento aosAlan Chaves: cozinheiro vegano dá aulas pelo Brasilbichos. Um exemplo são as fraldascomer produtosAlan Chaves, vegano desdee absorventes higiênicos que, porde origem animal sem um acompanhamentoinicial, apesar de muitos2001, sempre escutou sobre o vegetarianismonas letras das bandastam seus produtos em animais.exigência de uma lei federal, tes-outros alimentos possuírem o cálciodo leite e a proteína da carnede rock que ouvia, que falavamsobre o veganismo e diziam não àsem sua composição, você tem quedrogas, então procurou saber maisfazer essa substituição muito bem, Qual é a diferença entresobre o Na assunto cidade, e aderiu há duas à associações dietaparadenãoartesãos:ficar carentea trabalho,de nenhumamas não há apoio vegetarianos da prefeitura, e veganos? eles quiseramsem Casa carne do Artesão e logo e se a Ampeg tornou (Associação vegano devitamina”Micro e PequenosEmpreendedores Diferente de de Thiago, Guarapuava). para Asfala a nutricionistadar um lugarRenataperto do Parque das Araucárias para nós,também. duasDemario.associações mas lá é complicado pela A dieta prefeitura, vegetariana mas sim pode a falta ser deo promovem gaúcho, que toda hoje a semana, é cozinheiro com licença da prefeitura,Por isso, serreconhecimentovegano é sere de dividida valorização em três da população, grupos: “faltavegano uma feira e faz com viagens seus pelo trabalhos Brasil na en-rusinando As feiras um são pouco separadas dessa uma culinária, da outra. NaXVtambémde Novembro.dedicado.aQuempopulaçãoquer terreconhecer e valorizar o artesanato. AchoessedatipoAmpeg,de dietaos quedevenãolerfaltamuitoincentivo, Ovolactovegetariana: é falta de conversa , essa de diálogo. éabandonar cerca de onze a carne associados não foi expõem fácil. seusetrabalhosprocurarvariados,começo desde chaveiros foi bem difícil, e canecas porque personalizadas,muita informaçãoSe tiver umaa respeitoparaboa conversa, a opção tudo de no grande papel parte e um dos projeto“No passandosaberbemquaiselaboradoprodutospelos interessados, vegetarianos, eu que tenho restringe certeza queeu pelo sempre tricô comi e crochê muitas até coisas trabalhos como em couro.contêmAlémsubstancias animais e tambémapenas o consumo de carnes;bacon dessa feira e calabresa, fixa, a entidade mas como participa eu de outrasparafeirase exposições gostei de na cozinhar, cidade, eu como in-a queter uma alimentação rica alimentos de origem vegetal,sempreemacontecetodos os nutrientes necessários. laticínios e ovos são aceitos.ventava todos os anos pratos. na Unicentro, Durante e shows também aSegundodo Dia doa nutricionista, todos os Lactovegetariana: este grupode Trabalhador, rock, em Porto no Parque Alegre, do eu Lago, vendia promovidaalimentospelade origem animal podem restringe as carnes e os ovos,hambúrguer prefeitura todos de soja os anos. e maionese deser substituídos muito bem por consome apenas alimentosLuci Aparecida de Lima Wrobel começou aprodutos de origem vegetal,exceto a vitamina Vegana: essa dieta é base-vegetais e laticínios.fazer artesanato por hobby há mais de dez anose desde Eu então tive que não ir parou deixando mais, de atualmente comer aos ela éB12 que só encontrada ada apenas em produtos dea presidente poucos, uma dessa semana associação. não comia A artesã nada acredita queem alimentos de origem origem vegetal, ou seja, nãoque tivesse faltam leite, incentivos mas na para outra trabalhos não agüentava, como o seuanimal (ovos, leite e só os alimentos animais sãoem Guarapuava, assim foi até principalmente que consegui parar de um de comer local comcarne), por isso os adeptosdessa dieta devem produtos de origem animal.excluídos, mas sim todos osinfra-estrutura tudo que onde tinha elas origem e seus animal companheirospudessem colocar seus trabalhos. “O nosso desejoé ter um ponto fixo, um local para expor nossotomar suplementos que Eles não usam cosméticos testadosa semana em animais na rua e XV não de vão novembro, acontenham Feiras de artesanato a vitamina. realizadas todaRenata fala que reúnem o vários rodeios, tipos de por criações exemplo.32 08Arquivo Pessoal - Gabriel SoaresGlarin BifDieta variada é a regraA dieta vegana deve con frutas, verduras, cereais integrais, feijões, sementes, nozes e castanhas.Os feijões são ricos em proteínas, carboidratos e minerais, principalmente o ferro. Para melhorar suaabsorção a dica é deixar ele de molho na geladeira de um dia para o outro.Os cereais são importantíssimos também. A quinua pode ser usada sobre frutas, em bolos, no arroz ouna salada e ela é rica em proteínas, vitaminas e minerais. Já a linhaça é muito rica em ácidos graxos Ômega3.O leite pode ser substituído pelo leite de soja, que também contém cálcio. O óleo para uso culináriomais recomendado é o de soja ou canola.Já as hortaliças de cor verde-escura são ricas em cálcio e ferro, como a folha de mostarda, salsa,rúcula, couve, agrião, espinafre, entre outros.Para muitas mulheres veganas é ainda maiscomplicado, pois grande parte dos cosméticos são testadosem animais. Poucas são as marcas de maquiagem,por exemplo, que não usam os animais paraseus testes, e, além disso, essas marcas são mais caras.Ser vegano custa caro?de origem animal. No entanto, mesmo sua família nãosendo vegetariana, ele diz que não compra produtosseparados. “Acho que a única coisa que compro diferenteé um creme de leite de soja, para fazer algumasobremesa, porque no almoço, por exemplo, comemosa mesma coisa: arroz, feijão e salada, massa para pasteleu uso a mesma que o meu pai usa” diz.Para aqueles que querem se tornar vegetarianos,Thiago diz que o mais importante é saber porqueestá fazendo isso. “Você tem que começar aos poucos,mesmo que não pare, só diminua o consumo decarne, já está ajudando, mas para conseguir tem queNem sempre. Muitas pessoas acham que aoabandonarem os produtos de origem animal, os produtosque passarão a comprar serão mais caros, comoos cremes de leite e leite condensados de soja, por ter em mente que aquilo é importante para os animais,Marcia Staciaki acredita que a inovação é muito importante na áreaexemplo. Mas isso vem mudando,que apesar de irracionais,Thiago conta que quando se tornousentemné, vegano muito fora era de muito mão, mais a prefeitura difícil encontrararte e uma forma de cultura, acred-falta de incentivos, dor como mas nós, a pouca as-incentiva, produtos nem com destinados cursos nem à sua ita que Não se há tivesse problema um local em deixar fixo, o de comer valorização carne pela sim fica população: mais fácil” “infe-nãocom dieta, nada”, mas completa hoje devido a artesã. ao grande trabalho ou dos derivados artesãos de animais, acabaria o se problema lizmente é não o pessoal afirma. daqui E é acha claro, quenúmero A falta de adeptos apoio do é sentida vegetarianismotornando cuidar mais da conhecido, alimentação, o tem que que substituir porque é feito não a mão descuidar tem que da serpara e os do que veganismo estão dentro está das mais contribuiria todos os até nutrientes no turismo que da encontramos ci-barato, nesses o pessoal dieta alimentar não valoriza”, quetantoassociações acessível encontrar quanto para e comprar os que estãotipo fora de delas. produto. Lucia Odebrechtesse dade, “eu acho que a alimentos prefeituragasta com tanta coisa, pra que nãoafirma. deve ser muito ricaSegundo e variada, a fala professora a nutricionista.Schmid é formada Mas Thiago, em artes diferente plásti-dcasAlan e ainda que na vive faculdade em Porto se interes-Alegre e sanato local, é a nossa cultura,valorizar uma parte que é o artesoutem pelo mais artesanato, opções há de 25 lugares anos ela para porque são coisas produzidas aqui,da Silva, “Não que há háIramaya Ribasquinze anos ministra problema oficinas em deixar gratuitasde artesanato de comer oferecidas carne ou pelomora comer, em o Guarapuava.guarapuavano fala Lucia que faz só come que em retratam casa, pois o local. derivados Tem gente de animais, departamento o problema é não de cultura cuidar da da alimentação,pre-na tem feir-que substituir feitura de todos Guarapuava, os nutrientes a dificul-quetodos na cidade os tipos não de existe trabalhos, nenhum como restaurante que sai especializadodaqui e vai comprarcostura, e dificilmente pintura encontra e inclusive alimentos inha prontos, em Curitiba em ou encontramos Ponta Grossa, nesses alimentos”, dade em trabalhar alerta. com artesanatocorte,doces lanchonetes, e geléias. por Ela exemplo, trabalha e que ex-nãpõe contenham gasta com a nada viagem e às vezes aindana cidade não é falta de apoio eseus trabalhos em casa e nãoparticipa de nenhuma associaçãoda classe. Há um ano e meio criouum ateliê na garagem de sua casapaga mais caro lá”.Elizete Inglês Ribas é apresidenteda Casa doincentivo, que segundo ela é dadopela prefeitura, mas sim a falta dereconhecimentoe dee lá recebe seus clientes, também Artesão,valorizaçãocriou um site, o www.artesdecasa. além da É possível sobreviver do artesanato, mas hoje da população,“faltacom.br, onde divulga seu trabalho feira na as artes não são valorizadas em Guarapuavapara outras pessoas e regiões, pois, rua XV,a populaçãoacredita que em Guarapuava os trabalhosessa as-reconhecerque faz não são valorizados. sociaçãoe valorizar o“Em todos (artesãos) a gente vê a tem umaartesanato.mesma dificuldade, mas a gente vaicolocar onde? Não tem onde colocaras coisas. Daria para juntar todose fazer algo bem legal. Eu achoque falta muito incentivo por partedos órgãos competentes”, afirma.Lucia, que vê o artesanato comoloja no centro da cidade para exporseus trabalhos, com aluguel pagopela prefeitura. A entidade temmais de 25 anos e atualmente possuimais de 30 associados. Elizeteacredita que a grande dificuldadeenfrentada pelos artesãos não é aAcho que não falta incentivo, é faltade conversa , de diálogo. Se tiveruma boa conversa, tudo no papel eum projeto bem elaborado pelos interessados,eu tenho certeza que aprefeitura pode ajudar”.Arquivo Pessoal - Gabriel Soares09 33Glarin Bif


O nosso desejo é ter um ponto fixo, um localpara expor nosso trabalho, mas não há apoioMas, e dá para sobreviver dessa arte?Outra grande questão em torno do artesanato,é que na opinião de muitas artesãs não dá parasobreviver só desse ramo em Guarapuava, diferentede outras cidades. Miriane de Cássia Zaninelli veio deCuritiba para Guarapuava há alguns meses, e acreditaque aqui, artesanato é muito pouco valorizado:“em Guarapuava não é valorizado, em Curitiba é,lá a feira de artesanato é ponto turístico, vai muitagente, e aqui as vezes fica completamente parado,falta de propaganda talvez”. Miriane participa daAmpeg e expõe seus trabalhos na rua XV. Na opiniãodela, também é difícil sobreviver só desse trabalho:“hoje é uma das minhas fontes de renda, mas nãodá para sobreviver só disso, gostaríamos, mas não évalorizado, um casaco numa loja por R$200,00 feitona máquina compram, um que demora uma semanapra fazer feito a mão, se cobrar R$100,00 já achamcaro” diz.Lucia Schmidt também compartilha dessaopinião: “Na realidade eu penso assim, o artesanatoaqui em Guarapuava é uma renda extra pra gente.Não daria para viver do artesanato, porque não é umdinheiro que entra certinho, todo mês, não dá paravocê fazer contas e dívidas em cima dele, eu pensoque isso ai, aqui em Guarapuava, não dá, pelo menospor enquanto, a esperança é que mude”, conta.Já para a artesã Márcia Staciaki que tambémexpõe na XV, através da Ampeg, até dá para se mantercom o artesanato. Ela explica que há dois mesesestá desempregada, e sua única fonte de rendapassou a ser o artesanato, além disso, em outrosperíodos da sua vida também chegou há passar doisanos só com o artesanato. “É possível sobreviver doartesanato, mas hoje as artes não são valorizadas emGuarapuava, dizem que é caro, e tem aquela outrahistória, do eu sei fazer, então não vou comprar, entãosempre tem que estar inovando, trazer coisas novasque vendam, porque daqui pouco já tem alguémque sabe fazer o que você faz, mas dá pra sobreviversim. Faço cursos em Curitiba e sempre trago coisasnovas.” completa.falta a população reconhecer e valorizar oartesanatoPara obter sucesso com o artesanato, assimcomo em qualquer outra atividade, sãonecessárias noções de empreendedorismoe marketing. Atualmente, saber gerenciarseu empreendimento é tão importante comosaber produzir o que se está vendendo. Umdos locais onde é possível aprender sobreempreendedorismo no artesanato é no SE-BRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro ePequenas Empresas). O consultor do SEBRAEem Guarapuava, Edison Carlos Charavara, dáalgumas dicas sobre como os artesãos podemusar o empreendedorismo e marketing paraampliar seu campo de trabalho.- Fugir do convencional:O artesão deve procurar novas técnicas deprodução, tentando fugir do convencional (ochamado artesanato de programas de TV),que todo mundo faz.O artesanato foi considerado atividade deterapia, agora deve ser considerado comonegócio portanto, como atividade que exigeempenho na busca de informações,pesquisando novos materiais e técnicas e esforçode mercado (mercado não cai do céu),como todo negócio, exige esse empenho pessoaldo artesão.Deve ter um pensamento e ação fora do local,agir regionalmente. Buscar novos mercados.O artesão se compara a um artista,mas o mercado só vai valorizar seu trabalhode artista se tiver criatividade e qualidade.- Empreendedorismo/marketing:O artesão, além de se desenvolver comoprodutor de artesanato, deve buscar orientaçõessobre técnicas de mercado, gerenciamentoe capacidade empreendedora atravésde sites como exemplo do próprio SEBRAEque disponibiliza cursos "on line" (www.sebrae.com.br)a exemplo do IPGN – Iniciandoum Pequeno Grande Negócio e Aprender aEmpreender, com o objetivo de capacitaçãonas áreas citadas, além de diversas orientaçõesdispostas nos sites dos Sebraes estaduais,lembrando que ser empreendedor é umaprendizado de muito esforço e inspiraçãopara realização.- Curso no SEBRAE:Ampliando a atividadeAlém do que citado acima, para quem queriniciar um pequeno negócio, existe outroprograma do SEBRAE, o PRÓPRIO que orientapasso a passo, a inicialização de um negócio,tratando de orientação empreendedora, buscade informações, que providências tomar eanálise de viabilidade do negócio. A unidadedo serviço em Guarapuava, fica na Rua VicenteMachado, 1552, Centro.por Jéssica de SouzaVende-se PierogiEles dizem não!por Morgani GuzzoAssociação Polonesa de Guarapuava completa 20 anos. Sem apoio financeiro,se vira como pode para preservar a tradição na cidadeAdeptos do veganismo abandonam qualquer tipo de alimento ou produto quetenha origem animalMuitoUmamaisdasdocaracterísticasque uma dietamaisalimentarmarcanteso veganismoda naçãoé umbrasileiraestilo de vidaé a quantidadeadotado por seusseguidores. Diferente dos vegetarianos, os veganos não consomem nenhum tipo de produtoespanhóis, que tenha origem japoneses, animal entre ou que outros tenha povos, sido testado fazem em do animais. Brasil um Thiago país Ribas de grande da Silvade etnias que compõem sua população. Italianos, negros, índios, poloneses,é vegetariano há nove anos e vegano há cinco. Aos dezessete se interessou pela dieta semcarne e foi riqueza assim, de e diversidade um dia para o cultural, outro, que que tirou tradicionalmente, todos os tipos de sempre carne do recebeu seu prato. muitos Mesmosendo estrangeiros, filho de gaúcho, principalmente com direito pela a churrasco necessidade todo fim de de mão semana de obra em casa, e conhecimento ele conta que agrícolana se fase tornar de vegetariano, colonização. pois Exemplo sempre disso teve o é apoio a quantidade dos pais. “Apesar de imigrantes de meu europeus pai ser gaúcho, quenão foidifícilele sempre habitaram me apoiou o e sul por do gostar país muito no final de do cozinhar século ele XIX até e se começo interessou, do século começou XX. a cozinharcoisas sem carne e hoje em dia ele até come bem menos carne do que antes”. Mas quando resolveutirar os ovos e o leite da dieta para se tornar vegano, ele conta que não foi fácil. “Eu tiveque ir deixando de comer aos poucos, uma semana não comia nada que tivesse leite, mas na outranão agüentava, assim foi até que consegui parar de comer tudo que tinha origem animal”.Seja fugindo de guerras,de ditaduras ou apenas à procurade melhores condições de vida, oscurar a região arrasada pela leprae trazer o “futuro grandioso” pormeio da atividade agrícola mercantil.um “atraso” para a modernizaçãoe a presença dos “colono” polonêstraria o desenvolvimento para aSegundo aque-a análise dos da principais historia-argumentos região. “O dos colono veganos, europeu que afirmam é trav-poloneses Segundo foram os um vegans desses (como povos são chamadosles que que adotaram aderem o ao Brasil veganismo), como nação este é dora, o lado o ético povo local era ainda visto que comoisso, estido até mesmo em uma o efeito figura de estufa contornos poderiado e vegetarianismo, contribuíram para enquanto dar muitas pessoas deixamde a comer cara carne colorida por e religião diversificadaou por uma questão de diminuir, afinal o gado é responsável míticos, por boa agente partedo CO2 emitido na atmosfera, por meio civilizador, de gases que oos veganos que abandonam o país os produtos de origemsaúde,animal, tem hoje. primeiramente, A estimativa pelo sofrimento que isto queproduzem.sujeito modernopor excelência”,traz é de aos 60 animais, mil poloneses que são mortos de uma forma cruel.escreve“Todos terem os se animais instalado são aqui iguais, por que você pode matar– vários 95% deles animais somente para comer, no mas sente pena se pensarBeatriz em seulivro.Paraná. em matar o seu cachorro de estimação? Para nóstodos os animais Segundo são a historiadoraiguais e têm que ser tratados deCom a idéia naigual”, Beatriz fala Anselmo Thiago.formacabeça, masOlinto Além em sua disso, tese grande parte dos grãos produzidossem dinheirodoutorado no Brasil Pontes não são e Mu-destinados à alimentação dano bolsopopulação, ralhas: diferença, mas sim à lepra produção de ração animal, quealimenta e tragédia os animais no Paraná que serão mortos para a retiradaDesde essade do sua início carne. do Porém século a XX, quantidade de carne retiradaépoca, décadaé a muito colonização menor do da que, região por exemplo, a quantidadede 1920,de de grãos Guarapuava produzidos, pelos ou seja, se os locais usadosaté hoje, aspara europeus a pecuária e servissem principalmenteesses grãos poloneses não fossem se deu destinados à ração animal,para a plantação de grãostradições polonesastêm sidoDoces feitos com creme de leite e leiteeCasa do Imigrante, símbolo da arquitetura polonesa condensado na cidade de sojamuito pela mais necessidade pessoas seriam de alimentadas. Este é umtrabalhadas emArquivo do grupo Serce PolskieArquivo Pessoal - Gabriel Soares06 3407 35


Guarapuava por meio de iniciativas dos próprios descendentes.É o caso da professora Nara Górski, que história João Gabriel de Lima também não possui de-assim, adotou a cultura. Assim como ele, o professor dedesde a fundação da Associação Cultural e Recreativa scendência polonesa e está na associação há 15 anos.Polonesa de Guarapuava participa da luta pela manutençãoda cultura polonesa na cidade.“O objetivo do grupo é manter a tradição, a culturaSobre a importância do grupo, João Gabriel explica.lutando Nara nasceu por relações em Guarani igualitárias das e Missões-RS, a valorização o da mulher, polonesa. As pessoas perdem a identidade a partir domaior não centro conseguem da colonização vencer polonesa muito do do machismo país, conhecidacomo sociedade. a “capital Alguns polonesa de seus dos discursos gaúchos”. acabam Ela conta não sendo acei-opina.e do sexismo momento na que não sabem de onde vem, sua origem”,que, tos ao chegar por grandes em Guarapuava massas. e se informar sobreSegundo a professora Nara Górski, é exatamenteessa a razão da existência da Associação. “Aa cultura polonesa A heterofobia na cidade, (medo soube de da heterossexuais) iniciativa de seria umafundação reação de uma a homofobia. Associação O polonesa sulfixo fobia que pode tinha significar como medo idéia ou é que essa cultura se torne conhecida, contribuindopara o enriquecimento cultural de Guarapua-objetivo aversão. continuar Os homossexuais o legado do acabam antigo Clube desenvolvendo Cruzeirodo erofóbicas, Sul, como como foi chamada não conviver a primeira sempre Associação em círculos heterosva,dando identidade. Como você vai saber com o queações het-Cultural sexuais Polonesa ou conviver de Guarapuava. com uma certa “A idéia descrença, dos fun-pardadores haja da maneiras Associação de em que 1989 as agressões era continuar preconceituosas com o atinjam se você não conhece? Tem pessoas que são descend-que os não imigrantes contribuíram na formação da sociedadeque havia os LGBTs. sido realizado Esses sentimentos no Clube Cruzeiro de medo do fazem Sul, mas com que muitos entes e nem sabem”, argumenta.por falta ativistas de conhecimento criem uma descrença jurídico sobre na sociedade o processo e uma a indignação Dentre os dançarinos do Serce Polskie, Mairanova organização com os padrões não maior teve direito do que sobre o preconceito o patrimônio já causa. Sant’Ana é um dos poucos que possuem descendêncianão polonesa. Segundo ela, o incentivo para entrarda antiga”, explica. Mas minorias, por serem sempre desvalorizadas econseguirem uma união entre seus pares, graças à pressão no grupo veio da própria avó, dona Stefânia WolaniukA cultura social polonesa da chamada nos passos “opinião de pública”, dança que faz com que muitosagredidos assimilem sua vida as condições impostas por Dona Stefânia veio para o Brasil na década deSant’Ana, imigrante polonesa.essa Começando “entidade” do que zero, se diz a Associação a voz da massa, Cultural e preferem 30, se e assim como grande parte dos imigrantes polonesesque vieram para o Paraná, Guarapuava não foiRecreativa esconder Polonesa ou omitir de suas Guarapuava preferências foi criada e vivências em para seremmeados aceitos de 1990. socialmente. O carro chefe é o Grupo de Dança a primeira cidade em que se instalou. “Ela veio praFolclórica Serce Entre Polskie lacunas que silenciosas já está e em algumas sua quinta vozes que tentam cá aos 8 anos e morou em Riozinho - cidade perto degeração chamar de dançarinos. a atenção Com dessa coreografias sociedade para diversas, vítimas o do preconceito,se apresenta as pesquisas em eventos elaboradas de Guarapuava por estudiosos e em continuam itar brasileiro que também era sapateiro. Moraram emIrati. Era sapateira. Casou-se com 14 anos com um mil-grupofestivais a mostrar em várias sérios cidades danos do às sul feministas do país. e aos LGBTs. Segundo Ponta Grossa e nos anos 50 vieram para Guarapuava.pesquisa O responsável da Fundação pela Abramo, permanência a cada 15 do segundos, Grupo uma mulhera fundação é agredida da Associação física, verbal é o ou próprio psicológicamente coreógra-no país. E Segundo Maira, sua avó sempre foi fã do grupoMontaram um bar e uma sorveteria aqui”, conta Maira.desdefo, o com professor os homossexuais, Paulo Roberto a sociedade Scardazan também Heeren, não de dá espaço. polonês e sempre participou das festas promovidasCuritiba. Convidado por A cada um dos dois fundadores dias um homossexual da AssociaçãonadoPaulo brutalmente desenvolve danças pelo preconceito de diversas regiões contra da homo-afetivos, nia, que faleceu em 2006, sempre incentivou que osé assassi-pela Associação, como a Festa da Vodka. Dona Stefâ-Polônia, segundo o que dados enriquece do Relatório tanto a Anual cultura do dos Grupo dançarinosquanto em 2009 dos registrou espectadores. 198 mortes no Brasil.causa dela que eu estou no grupo há 10 anos”, declaraGay da Bahia, que netos tivessem contato com a cultura polonesa. “É porDescendente São muitas de italiano as causas e alemão, de morte o primeiro no mundo, sobre a os neta.contato mais do diferentes coreógrafo riscos com a cultura saúde e polonesa aos Direitos foi aos Humanos. Mas15 anos. enquanto “Foi essa várias diversidade delas tem de atenção ritmos, de da cores mídia que e da sociedade 20 anos de Associação e o que comemorar?me impulsionou para vencer a as conhecer taxas de essa mortalidades, cultura”, as declara. mortes e violênciasDançou causadas em um pelo grupo preconceito, polonês durante podem 10 por anos meio e, de ao medidas simples,como para uma fazer educação um curso para na a diversidade, Polônia, pas-prevenir cem reativa Polonesa de Guarapuava tem se mantido comoDe 1990 até 2010 a Associação Cultural e Rec-ser convidadosou três por anos cento e dessas meio estudando mortes. O lá. foco “Quando não muda. voltei Esses da Movimentos pode. Como todos os grupos culturais brasileiros, aPolônia Sociais em 1983, também eu era lutam o único pelo bem-estar da América e Latina o direito dos indivíduosespecialização, a viverem bem por em isso sociedade. fui convidado a dar público na área. Apesar disso, o grupo sempre encon-principal reclamação é a falta de incentivo do podercom estaaulas aqui. O Várias meu objetivo são as discussões não é só ensinar sobre leis os contra passospara ceito, os como dançarinos, as leis mas Afonso contextualizar Arinos, que criminaliza a dança, a discrimivolver,seja com a ajuda de doações de empresárioso precontroumaneiras de continuar suas atividades e se desen-contar nação a história por raça dela, ou o cor; motivo e a Lei do traje, nº 10.948, das cores que no Estado descendentes de polonês, seja pelas iniciativas próprias,por como festas temáticas como a Festa da Vodka, fei-utilizadas, São Paulo etc.”, criminaliza conta. atitudes homofóbicas praticadasqualquer A importânciadas sociais, aulas de movimentos Paulo organizados e ONGs que atuam para ocidadão no território paulista. São grupos, atitudespara os fortalecimento dançarinos vai do respeito, para dar visibilidade a faixa dealém pedestre do conhecimentocultural. o direito “No de grupo andar entreda sociedade, garantindoNo grupoa todoa gentee qualqueraprendecidadãoos costumes,doisaspontos.comidas e até a falar polonês. Éuma paixão mesmo.a gente aprende oscostumes, as comidase até a falar polonês.Eu amo a dança, amoestar no grupo. É umapaixão mesmo”, declara Bruno Ducat, 24 anos, que há17 anos é parte do Serce Polskie.Bruno é um dos muitos dançarinos que nãopossui nenhuma descendência polonesa e que, mesmo36 04ras de gastronomia, tendo como prato principalo pierogi, tipo de pastel cozido originárioda Polônia, os bazares, entre outros.Segundo Nara Górski, ao fundar umaassociação, o sonho era que ela se tornasseum Centro de Cultura Polonesa, com biblioteca,lugar para receber as pessoas que queiramfazer intercâmbio, espaço de convivênciae outros espaços e atividades. “Sempre tivemosesse desejo. A comunidade polonesa deGuarapuava participa, se reúne nos eventos, mas issoestá se perdendo. Não temos mais verba para realizaros projetosque fazem com que essa comunidadese reúna”, declara.Para o coreógrafo Paulo Roberto,a recompensa está nos “meninos”Essa parceria do grupofolclórico com a Unicentro temque estão no grupo desde cri-como objetivo arrecadar fundospor João Rogério Gabriel Camargo complementa.“A idéia inicial era ter um clube, seriaanças e conseguiram agregar valor Crônica ao para a Associação, principalmenteo ideal. Mas por falta de incentivonão conseguimos. A gente não cobranada dos dançarinos, nem dos associados,tudo é feito voluntariamente.Todo o dinheiro vem dos eventos quetrabalho realizado por ele, como é ocaso do Bruno e do João Gabriel. “Eutenho uma dívida com as pessoas queme ensinaram a cultura, as pessoasdo país de origem, de manter essapor meio da venda de ali-mentos da culinária típica. Alémda Semana, o Encontro da ArteFolclórica realizado em agostotambém é uma oportunidade dea Associação promoveNegatividadee pra tudo a tradiçãoZeropopularizar agente precisa de dinheiro: para fazer acesa.cultura polonesa.os trajes, para a organização e manutençãodo acervo, para conseguir satis-e não sabem, não tem conhecimento de sua A l é mA minhaTem pessoas que são descendentesum local para guardar os materiais, fação éprópria história de vidadesses eventos,o grupoaté para ir até as escolas pra fazer ver essesapresentações, quando somos convidados,meninossegue comprecisamos de dinheiro para o há tantosos ensaiostransporte das crianças”.Durante quatorze edições aAssociação realizou a Festyn Wódky(Festa da Vodka), que, com atraçõestipicamente polonesas como a cerimôniada “quebra do gelo”, reuniauma quantidade significativa de pessoase dava um lucro considerávelpara a instituição. No entanto, a Festaque começou em 1992 teve sua últimaedição em 2005 e, desde então,a Associação não teve mais como realizarnenhum evento deste porte. “Édifícil. Agora que a festa não é maisrealizada não tem de onde tirar verbapara o grupo. O pior é que não temcomo voltar com a Festa, pois alémde não ter dinheiro, não tem pessoal”,lamenta-se João Gabriel.A Associação tem em torno de50 integrantes, entre dançarinos e colaboradores.Não tem sede e os trajesanos cultivandoessa cultura”, afirma. Paraa professora Nara, o sentimento é omesmo. “Eu me admiro bastante, poisdesses meninos que provavelmenteirão continuar, nenhum é descendentede polonês”, diz ela.A respeito da Associação, tantoPaulo quanto Nara acreditam que oaniversário de 20 anos já é uma conquista,levando em conta a situaçãoque está. “A Associação é uma sobrevivente.Se tivesse uma sede, umabiblioteca, uma videoteca, toda umainfraestrutura que apoiasse essa vontadede cultivar a cultura, seria muitomais fácil. Mas do jeito que está,só por estar completando 20 anos jápode ser considerada uma vitoriosa”,analisa Paulo.A comemoração dos 20 anosda Associação aconteceu durante ade dança doSerce Polskie e continua tentandouma maneira de viabilizar outrasações, como as aulas de polonêse organização e mantimento doacervo herdado da antiga associação- fotos, documentos,pertences pessoais - que, segundoNara, constitui um pontode referência de pesquisa para asescolas sobre cultura polonesa.Apesar de todas as dificuldades,a Associação aindatenta conseguir apoio do poderpúblico para os projetos. Segundoa professora Nara, até existemleis de incentivo cultural, mas ainformação de como inscreverprojetos nunca chega aos gruposcomo deveria. “No ano passadomandamos um projeto à Prefeitura,mas não sabemos ondee materiais do grupo ficam guardados XI Semana de Cultura Polonesa, entre ele está agora. Não recebemosemDepoisum espaçodeimprovisadouma exaustivana casae seríssimaos diaspesquisa,06 e 10 de abril foi substituído na Unicentro. sem aviso número prévio. de Essas protocolo pessoas, nem ao nenhuma(carrões, outra informação noitadas em para chácaras seguirseremda professoranossosNara.parlamentaresAlém disso,chegaramos Duranteà conclusãoos 04dedias privadas houve mostra de seus de bens,ensaios sãoquerealizadosa pobrezaemé conseqüênciauma escola fotografiasda “baixa autoestima”e vídeos, com registrando os amigos e a colegiais, o trâmite. e salários Este ano condizentes vamos mandarnovamente, desempenhavam), para ver acabaram o quecompública da cidadedoepovoo própriobrasileiro.coreógrafoPorhistóriaisso mesmo,do grupo,o o feira laborioso gastronômica trabalho quegovernonãoagoratemvaimaislançarrecebidoum novosalárioprogramacomdeculináriacombatetípica, criando exposição em torno de de si acontece”, uma aura de explica “pensamentos ela. negativos”,apresentação o que ocasionou do sua lenta Quanto e gradativa ao esforço decadên-paraparaà misériavir denoCuritibapaís. Segundoa cadaosquinzedados apurados,trajes polonesesfome,ediasdoenças,dar asdesempregoaulas. “A associaçãoe misériaexistesão resultadosgrupo infantil.de uma cia.manter a Associação, Nara reforça.“A gente que mantiveram ainda não desis-suashojeimagemgraçasnegativaao amorque o povo tem de si mesmo e não Já os parlamentaresdasde umapessoaspolíticapela cultura.de governo completamente inapta e posições, não apresentaram tiu, estamos nem um ainda registro lutando. de queda Umaexcludente,Não recebemoscomo se pensava até então.ou mudança negativa. das Pelo coisas contrário, que nos o mantém que se pôde é anenhumAincentivo,conclusãoàsveio a partir de observações feitas no constatar, foi que ocorreram vontade, vários gostar e significativos de fazer as coisas,de e correr de bem-estar atrás, o entre amor essas pelaaumentosde poder aquisitivo vezescomportamentoaté desanima.de mais de cinqüenta deputados, ministrosPor exemplo,e senadoreso Paulo:pelo período de um ano. A pesquisa pessoas.cultura polonesa”, declara.oconstatou,mínimoentrequeoutrosprecisaríamosdados, que as pessoas que vivem A partir deste estudo, A ficou Prefeitura comprovado Municipal, que,felizes e sorridentes,fazer eracriam em torno de si, um campo de quem pensa como rico, representada rico é, e quem pela pensa Secretaria como pobre,pobre será. Mas o de governo, Cultura sempre de Guarapuava, preocupado com foipagarboas vibrações,a viagemquedeleacaba, por sua vez, atraindo maisdefelicidadeCuritibaeparaalegria,cá,além de dinheiro e prosperidade, o bem estar da população, procurada acaba para de dar lançar informações o projetomascomonemnumissocicloestamosque jamais se acaba. Ou melhor, acaba, “Negatividade Zero”, sobre que visa os projetos justamente culturais acabar e a com leiconseguindo”,mas apenas quandodesabafao pensamento negativo toma o lugar o pessimismo entre a população. de incentivo Dessa à cultura forma, na o cidade, projetodo pensamentoJoão Gabrielpositivo – o que, diga-se de passagem, prevê a distribuição em mas empresas, não conseguimos fábricas conversar e escolasqueacontecejá foimuitoPresidentefreqüentemente, e sem motivo algum, de todo o país, cartilhas com que o responsável contém os “Dez por indisponibilidadenem Reclamão”, de tempo elaborados para nos rece-pe-PrincípiosdaentreAssociaçãoos miseráveise agorae desvalidos deste país. Isso também Para Não ser MiserávelSerce Polskie em apresentação culturaléaconteceuTesoureiro.com dois deputados que tiveram seus mandatoscassados durante o experimento e um ministro que dolos mais renomados políticos ber. e escritores de auto-ajudapaís:Arquivo grupo Serce PolskieIlustrações Marcos Kaoru Mori05 37


02 38Editora-chefeDebora FuzimotoCoordenadoraGlarin BifDiagramadoraAline FopExpedienteUm dos princípios básicos do jornalismo é trabalhar assuntos quesejam de utilidade pública, com o objetivo de informar e esclareceraEditor de ImagemSamilo Mesa Takara Brasil: Rede solidáriapopulação. Seguindomostraessa linha de pensamento,quevoltamosàs ruas em busca de reportagens que interfiram no dia-adiado guarapuavano, tentando ouvir suas reclamações e obter respostasRevisora união dos responsáveis. faz a diferençaRogério CamargoApesar de ser uma cidade de médio porte, Guarapuava já apontaproblemas preocupantes. A polêmica do momento está relacionada àRepórteres desta edição:sujeira dos parques e praças. Todos os fins de semana dezenas de garrafase latinhas são deixadas para trás, não só poluindo a paisagem, masAline Fop; Camila Coelho; CamilaTsubauchi;Carla Abe Vicente;também colocando em risco crianças que brincam nesses locais.Debora Fuzimoto; Douglas Belan;Glarin Bif; JéssicaProgramade Souza;redistribuiMarcosalimentos Em certos a entidades pontos do e dia, familas como nos necessitadashorários de entrada e saídadas escolas, o trânsito da área central da cidade beira o caos. As vansPrzygocki; Morgani Guzzo; Rogérioescolares tumultuam o trânsito e, muitas vezes, colocam em risco a segurançados que estão sendo transportados. No meio dessa confusão osCamargo e Samilo TakaraTiragem: 500 exemplarespedestres também são prejudicados. A simples ação de atravessar umarua não é tarefa fácil. É preciso muita paciência e atenção.Impressão: Gráfica UnicentroNa área de saúde, a cidade é referência estadual em tratamentoAfome é um dos problemas do que câncer. a assolam Ao todo a 20 humanidade municípios da e uma região realidade são atendidos presente pelo HospitalTodos os textos são de responsabilidadesde seus autores e não refletem poderia ser maior se mais recursos fossem destinados, por exemplo, aoSão Vicente, totalizando cerca de 400 atendimentos mensais. Essa forçano Brasil. Segundo dados do Fome Zero, programa do Governo Federal criado paraerradicar o problema da fome no país, 44 milhões de brasileiros passam fome. Ea opinião da Unicentro.tratamento de radioterapia que ainda não existe na cidade.não é por falta de alimentos, mas Nesta sim edição, por não mais conseguirem novidades! Um meios artigo de de adquirí-los. opinião, assinadoO Jornal Além Laboratório disso, nosso Ágora país é desenvolvidopelos se estudantes que as perdas do 4º ano entre de a produção a importância e a mesa de uma dos sociedade consumidores baseada alcancem respeito. até 60%. Nosso cronista,é um dos por campeões Samilo Takara, mundiais trata em o direito desperdício liberdade de alimentos: de expressão calcula-e fala sobreJornalismo da Universidade Estadualdo Centro-Oeste, sob a supervisão doprofessor Francismar Formentão. Paraentrar em contato com a redação:(42) 3621-1325 ou mande um e-mailpara jornal.agora@unicentro.brwww.acompanheoagora.blogspot.comSinal VermelhoEditorialpor Marcos PrzygockiRogerio Camargo, trata a baixa auto-estima do povo brasileiro de maneiraengraçada.Para nós, que estamos do outro lado produzindo a reportagemé indispensável a participação dos leitores, enviando dicas de assuntos,denúncias, críticas e sugestões.A equipe de reportagem da Revista Ágora agradece a receptividadeda primeira edição de 2010.Buscando diminuir essa distribuídas em quarenta e uma mercado, aquela maçã amassadinhaestatística, o SESC, que desenvolveSumárioações nas áreas da saúde, Através da parceria fechada com Pois bem, é esse tipo de alimento queentidades que estão cadastradas. devido ao toque na hora da escolha?educação, cultura e lazer, iniciou, empresas do ramo alimentício, acaba virando doação, uma vez que,Entre dois pontos 3 Temperaturas mais baixas exigem cuidados 25a partirSamiloda décadaTakarade 90, ações orientadaspara a redução da fome e produtores rurais, entre Aline outros, Fopoé deixado de lado, mas como aindacomo panificadoras, mercados,especiais comnadoençasbancadarespiratóriasda feira do mercado eleda desnutrição, Negatividade através Zero do combate Mesa Brasil busca 5 alimentos onde é próprio para o consumo é aproveitadocuidados no programa. com as plantas medicinais 27ao desperdício Rogério Camargo de alimentos. Essas sobra, faz avaliação e reaproveitamentodesses produtos Aline e os Fop dis-e Samilo Takara O programa tem caráter per-Cura verde: Osiniciativas inspiraram a criação doEles dizem não! 7MesaJéssicaBrasildeSESC,SouzaumMétodo Pilatesmanenteem Guarapuavae as ações não se restringem30programa nacional deCarla Abe Vicente apenas à arrecadação e distribuiçãosegurança Poluição alimentar atrapalha e o lazer 10de alimentos doados. São desenvolvidasoficinas de capacitação para 32nutricional Glarin Bif sustentável Antes do Mesa Brasil era mais difícil. Arte sem valorque redistribui alimentosexcedentesNão tinha alimentos para todos. Glarin Bif a produção de uma alimentação segura,saudável e saborosa conformeSegurança no trânsito: Punição ou Educação 13Morgani Guzzoou semVende-se Pierogi 35valor comercial própriosMorgani Guzzopadrões estabelecidos pela Vigilânciapara Vans o consumo. escolares circulam candlestinamente 17Sanitária, bem como para a utilizaçãodo alimento de forma integral. 38Douglas Em Belan Guarapuavao programa esta em vigor ponibiliza para as entidades Marcos cadas-Przygocki Tais ações educativas são realizadasMesa BrasilVocê tem medo do câncer? 20desdeDeborafevereiroFuzimotode 2009 e atende tradas. Sabe aquele mamão que a mensalmente, com o intuito de orientaras pessoas que irão aproximadamente 5.000 pessoas, dona de casa aperta na feira domanipularpor Samilo TakaraOpiniãoEntre dois pontosesses alimentos recebidos na entidade. Segundo LarissaBührer Danguy, nutricionista e coordenadora do anças quando vêem o motorista e o ajudante do MesaMesa Brasil”. A Irmã destaca ainda “a alegria das cri-programa “esses encontros são muito positivos, pois Brasil chegando, é contagiante”.as pessoas envolvidas trocam experiências de receitase também aprendem a fazer o aproveitamento que conseguiram alcançar a meta estabelecida peloGuarapuava foi um dos poucos municípiosintegral dos alimentos, como por exemplo, as partes programa: 80 toneladas de alimentos no primeiro anonão convencionais que são os talos e as cascas, que de existência.muitas vezes reservam mais nutrientes que a própriaO Mesa Brasil SESC só existe porque existemfruta ou legume”. Para evitar o desperdício na própria empresas e pessoas que dele participam. Em Guarapuavaos interessados em colaborar com o programaentidade, Larissa destaca a importância da visita queé realizada “pois assim verificam-se as verdadeiras podem entrar em contato com o Mesa Brasil pelo telefone(42) 3623-4263.necessidades daquela instituição. Nós não vamosdoar couve se naquela entidade elesplantam a A couve”. sociedade brasileira é composta por relaçõesO feminismo surgiu no país a partir da décadasociais Uma e contratos das entidades previamente beneficiadados.pelo Não programa que você, em caro Guarapuava leitor, tenha é conhecimento ros, teve três ondas e sua linha base é o respeito àsdelimitados e valida-de 1960 buscando relações igualitárias entre os gêne-o de Núcleo todos Educacional esses contratos, João mas Paulo com II, toda certeza, você relações igualitárias e as mulheres, que foram menosprezadaspor séculos. A educação, o direito ao voto,que sabe atende que existem 140 crianças aqueles de 1 direitos a 5 anos e deveres de todosna os creche indivíduos. e mais Mesmo 300 assim, crianças é muito engajadasdessas em linhas programas que demarcam contra-turno. os espaços.foram e ainda são bandeiras desse movimento, quefácil não ver uma o respeito pelo corpo e pelas vontades das mulheresAs crianças Muito da se creche é dito fazem sobre o quatro respeito pelas pessoas, alguns chamam de radicais, outros chamam de “malsaciadas”(porque o homem tem liberdade de falar derefeições uma dessas diárias linhas e as gerais crianças que do devemos contra-turnopara não uma pisar, refeição mas nem bem sempre reforça-vemos essas marca-sexo), e outras ainda chamam essas ativistas de irmãs.tomar cuidadoda. ções. Segundo Temos a um Irmã exemplo Darci, diretora claro. Pense da leitor nas faixas Mais novinho, e guerreiro em proporção surgiu o MovimentoLGBT, que por volta de 1980 começou a buscarinstituição, de pedestres, “antes um do símbolo Mesa Brasil muito era comum, mas que àsmais vezes difícil. parece Não que tinha as pessoas alimentos esquecem para qual a utilidade maneiras de garantir os Direitos Humanos e a cidadaniaa homossexuais e transexuais. Há quem perguntetodos. delas. A O gente respeito lutava também para conseguir está ali, e naquele símboloo que as mais rodas se de conseguia carros dos eram mais frutas. diferentes tipos e statuscruzam com a ajuda todos do os programa dias. a genteconstituição é pra todos. Bom, em teoria, todo espaçopor que há essa luta pelos homossexuais, sendo que aHojetem um reforço O respeito alimentar. permite Tinha que as até pessoas caminhem público, os impostos e os serviços públicos são para todos.Na prática, o Brasil não garante cidadania a todocriança e que com possam problemas atravessar de desnutriçãoum ponto a outro parana seguirem creche e suas hoje vidas. estão E boas se alguém graças falta ao com o respeito, Distribuição mundo. de alimentos pelo Mesa Brasil em Guarapuavaleitor, há duas alternativas. Ou você espera a sua vezEsses movimentos buscam espaço para conquistara liberdade de expressão e o direito de ir e virpara seguir seu caminho, mesmo ofendido ou atrasado,ou começa a reivindicar o que é seu direito.sem repreensões da sociedade. Então, são campanhasEntretanto, há grupos que sofrem com essa publicitárias, medidas da saúde, de educação e de promoçãosocial a esses cidadãos excluídos. Afinal, aindafalta de respeito. Para eles, atravessar de um ponto aooutro pode ser muito arriscado. A invisibilidade dessas é visível que na nossa sociedade existe aquele que dominae o que é dominado. Mulheres, homossexuais epessoas, ou a desvalorização de seu caráter como indivíduo,causa mortes, frustrações, depressão e atraso. transexuais estão na lista dos oprimidos. O gênero e aPerde-se um O que pedaço pode de ser sua doado: vida, ou às vezes, orientação sexual têm linhas definidas na nossa sociedadee laticínios; das normas. Grãos e cereais; En-muito mais como a Frutas, crença em legumes si e nos e outros. verduras; FriosEntão surgiram latados Movimentos e conservas; Sociais. Pães Grupos e massas; Carnes Entretanto, e derivados; essas lutas Embalagens são reconhecidas emque a sociedade próprias diminuiu para e menosprezou, transporte mas de alimento; que poucos Serviço lugares. de transporte Alguns grupos para formados distribuiçãodireitos, das pois doações; os deveres Serviço sociais de produção questionar e impressão como os discursos gráfica; sociais Análise padronizam es-procurambuscam garantir seussão obrigações que microbiológica nunca se esquece. de alimentos; Os Movimentos Móveis; sas Equipamentos minorias. Os homossexuais, de cozinha; por UtensíliosAmbientalista, culinários. Negro, entre outros guetos, espaços ou grupos de pessoas que convivemvezes recorrem aosSociais Estudantil,grupos que tem como objetivo dar voz as minorias e com a realidade LGBT, onde podem tratar de assuntosgarantir seus Direitos Humanos, assim como os direitos comuns e não se sentirem excluídos. O ponto positivo éO que não pode ser doado:de todo e qualquer cidadão.a validação para esses indivíduos que eles existem e fazemparte da sociedade. O lado negativo é que eles seEsses movimentos Refeições começaram prontas; Doces a fomentar e pães o com recheios cremosos; Alimentos comrespeito às diferenças embalagens como o danificadas, respeito ao negro, data ao de validade vencida, fora das condiçõesestudante, ao meio normais ambiente, de uso. a mulher, ao homossexual,além de ONGs que tem como orientação políticaa defesa dos Direitos Humanos para toda a população.Entre os movimentos, está o emblemáticoMovimento Feminista e o diverso Movimento LGBT, doisdos grupos que buscam respeito. O sexo ainda é tabu.Para quem não conhece a sigla, são lésbicas, gays, bissexuais,travestis e transexuais.sentem mal na presença de heterossexuais que podemdemonstrar algum preconceito e se segregar é uma maneirade não conviver com possíveis agressores.Vários estudiosos tratam dos reflexos do preconceitodentro dos Movimentos Sociais. As feministas,por muitas vezes, acabam criando uma reação femista.O femismo seria uma aversão ao masculino, de certaforma uma rejeição íntima, mas sem força social, poisessas mulheres mesmo criando espaços de discussão e39 03Marcos Przygocki

More magazines by this user
Similar magazines