images.torino-i...ernazionale.org

images.torino.internazionale.org
  • No tags were found...

images.torino-i...ernazionale.org

`3Predispor um Plano Estratégico é um modo parafazer com que possam convergir as decisõese as prioridades de diversas pessoase organizações, sejam estas entidades locaisou empresas, instituições culturais ou associaçõesde categoria, cujo objetivo é identificar uma idéiade desenvolvimento que seja compartilhada paraum determinado território e atuar projetosem comum. A vantagem desse tipo de instrumento,que define um verdadeiro programa de trabalhocom as indicações sobre os objetivos a seremalcançados bem como as ações consideradas úteispara cada objetivo, é coordenar os recursosnão apenas econômicos, mas também as idéias,os projetos, as propostas que os signatáriosdo acordo pretendem colocar à disposiçãodo sistema local.A filosofia dos planos estratégicos se baseiano desenvolvimento equilibrado, no qual a saúdeeconômica está nivelada com o crescimentocultural, a qualidade social, a preservaçãodo ambiente urbano e natural. A característicapeculiar dos planos estratégicos é que estes podemser instrumentos muito versáteis, reforçadospela adesão voluntária as suas indicações:é por essa razão que a adoção de um PlanoEstratégico pressupõe um sistema que controlaos relacionamentos entre os aderentes do tipoabsolutamente paritário e que introduzaas modalidades novas de aproximação ao governode um determinado território.


`5Torino foi, no ano 2000, a primeira cidade italiana a adotar um PlanoEstratégico, percorrendo um caminho que, nos anos sucessivos, foi seguidopor muitas outras cidades. O 1º PLANO ESTRATÉGICO PARA A PROMOSSÃODA CIDADE nasce no momento em que era perceptível a crise da industriamanufactureira e da sociedade fordista, decorrente das mudançassócio-econômicas nos países ocidentais. Trabalhando o Plano Estratégico,Torino se comprometeu a elaborar um projeto cujo objetivo era mantera própria capacidade para produzir riquezas e inovações, através dadiversificação do sistema produtivo e do projeto de renovação da imageminternacional da cidade, cujo ponto culminante foi a organizaçãodas Olimpíadas do Inverno.No mês de julho de 2006, aquele primeiro documento foi renovado paraque pudesse responder às exigências de um contexto sócio-econômicoulteriormente mudado, com novas necessidades e outros objetivos quevisavam o crescimento. De acordo com o 2º PLANO ESTRATÉGICO PARAA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO, a chave de volta para completara transformação é investir no capital humano e na inovação, valorizandoo patrimônio de competências locais para adaptá-lo ao novo contexto global.Os trabalhos para a construção do 2ºPlano Estratégico iniciaram no mêsde janeiro de 2005 e foram coordenados pelas comissões temáticas coma função de explorar cenários, objetivos e possibilidades. As comissões sereuniram em sessões plenárias e em grupos restritos, que experimentaramos diversos modos para envolver a cidadania, promovendo congressose organizando encontros políticos e institucionais, descreveram o processode planejamento através de instrumentos editoriais e de comunicação.Assim como aconteceu no ano 2000, o processo de planejamento envolveumais de 1000 pessoas.


`10


`11


`12


`13O 2º Plano Estratégico está articulado em quatroáreas temáticas – território metropolitano,qualidade social, potencial cultural edesenvolvimento econômico – às quais seacrescenta uma quinta área temática de naturezamais transversal que corresponde à visão.A partir dessas áreas surgem doze direçõesde intervenção que se referem aos grandesargumentos nos quais se baseia o desenvolvimentodo território: formação; criatividade; transformaçãoindustrial; trabalho; transformações urbanas eterritoriais; recursos culturais; promoção eturismo; imigração; acessibilidade, transportese mobilidade; logística; saúde e prevenção;casa e regeneração urbana.Cada direção se articula dentro de um númerovariável de objetivos – esses totalizam cinqüentae quatro – que revelam os diversos aspectos daintervenção propostos pelo Plano Estratégico numdeterminado âmbito ou setor. Embora parta de umaárea temática específica, cada objetivo produzefeitos, exercita uma influência ou então, sofre umainfluência de outros objetivos referidos às áreastemáticas limítrofes, entrelaçando relacionamentosvirtuosos que representam a condição essencialpara que se possa alcançar cada objetivo.O total de objetivos propostos pelas áreastemáticas, pelas direções de intervenção e pelosobjetivos dão origem a um leque de oportunidadese projetos que o território poderá acolher.


`14DIREÇÕESE OBJETIVOSNuma economia avançada, na qual a vantagem competitiva dependedas idéias, da inovação e da capacidade de produzir novosconhecimentos, a formação representa um instrumento fundamentalpara o esenvolvimento. O argumento de base do 2° Plano Estratégicose baseia no fato de que, fazendo com que o conhecimento se torne o eixoprincipal das estratégias de crescimento para a área de Torino, é possívelalcançar, contemporaneamente, dois objetivos: o desenvolvimentoeconômico e a segurança social, dando aos cidadãos os instrumentosculturais necessários para que possam se mover num mundode mudanças contínuas.1 [FOR]2 [FOR]3 [FOR]4 [FOR]5 [FOR]6 [FOR]7 [FOR]8 [FOR]9 [FOR]ObjetivosAUMENTAR O NÍVEL DE INSTRUÇÃODE BASE DOS JOVENS.REFORÇAR O SISTEMA REGIONALDE FORMAÇÃO PROFISSIONAL.AUMENTAR A QUALIDADE DOS PROCESSOSDE APRENDIZAGEM NA INSTRUÇÃOE NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL.PROMOVER A INTEGRAÇÃO DOS ALUNOSESTRANGEIROS NA ESCOLA.FAVORECER A INTERNACIONALIZAÇÃODO SISTEMA UNIVERSITÁRIOE A ATRAÇÃO DE TALENTOS.REPENSAR OS PERCURSOSUNIVERSITÁRIOS NUMA ÓTICA DE MÉDIOE LONGO PRAZO.REFORÇAR O SISTEMA DAS ESCOLASDE DOUTORADO.APOIAR A VOCAÇÃO LOCAL PARAA CULTURA TÉCNICO-CIENTÍFICA.PROMOVER UM SISTEMA INTEGRADODE GESTÃO DA FORMAÇÃO.A DIREÇÃO EXAMINA TRÊS CADEIAS INTERDEPENDENTES: A FORMAÇÃODE BASE PARA JOVENS, A FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA ADULTOS,A FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA.• Quanto concerne a geração jovem, o valor do conhecimento dentro da sociedadecontemporânea obriga a escola a passar por constantes renovações, inclusiveem relação à metodologia didática, a fim de proporcionar aos estudantesos instrumentos culturais úteis para que possam se relacionar com o contextosócio-econômico. Em segundo lugar, a escola deve se tornar um veículodestinado a melhorar a inclusão social, favorecer o multiculturalismo, aumentara equidade social, principalmente em relação à população imigrante paraa qual a escola deve agir como um forte vector de integração com a sociedadelocal.• No caso específico dos adultos, está comprovado que a “life long learning”,ou seja, a formação durante toda a vida, representa um instrumento potentecapaz de reduzir o risco de saída do mercado de trabalho depois da obsolênciadas capacidades profissionais. Num modelo de desenvolvimento econômico noqual os conteúdos de trabalho mudam rapidamente, os institutos profissionaistambém devem melhorar a qualidade, garantindo uma formação sólidae versátil.• Quanto concerne enfim a formação universitária, o impulso em direção aodesenvolvimento econômico e social não depende apenas do conhecimentodisponível, mas da construção de conhecimentos e novas competências.Neste sentido, os investimentos específicos devem ser destinados àinternacionalização do sistema universitário, para atrair os estudantesestrangeiros e docentes de prestígio, e também para entrar de maneira estávelna rede de universidades com as quais colaborar nos projetos de pesquisatransnacionais. È também importante reforçar as escolas de doutorado, cujosprogramas didáticos são atualmente muito desequilibrados em relaçãoàs profissões acadêmicas, e objetivo é favorecer a relação com as empresas,nas quais os profissionais devem ser capazes de interpretar, orientar e difundiruma exigência de conhecimento científico avançado.


`15DIREÇÕESE OBJETIVOSQuanto mais a competição se baseia em fatores não materiais mais o crescimentoeconômico de um território depende da força expressa na criatividade, na inovação,nas novas idéias e nas novas linguagens que constituem uma bagagemde conhecimentos acumulados e desenvolvem nos indivíduos a capacidade pararesolver problemas complexos. Promovendo a produção da criatividade culturale qualificando o território de Torino como uma meta interessante para as pessoascriativas, será possível alcançar contemporaneamente dois objetivos: diversificara base econômica e apoiar o desenvolvimento do território, ciente de queé no contexto urbano que a versatilidade criativa encontra mais modalidadese campos de aplicação.1 [CRI]2 [CRI]3 [CRI]4 [CRI]ObjetivosQUALIFICAR OS RECURSOS HUMANOSATRAVÉS DOS SISTEMAS FORMATIVOS,ESTÁGIO E DISCIPULADO.APOIAR O NASCIMENTO DAS EMPRESASCULTURAIS E O ACESSO AO MERCADO.FAVORECER A EXPERIENCIALIDADE,A EXPERIMENTAÇÃO, AS TÉCNICAS E ASAÇÕES DE PROMOÇÃO DA CRIATIVIDADE.PROMOVER O DESIGN NA SUA DIMENSÃOHORIZONTAL E EXPANSIVA.A DIREÇÃO ACENTUA OS QUATRO ARGUMENTOS: A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL,AS EXIGÊNCIAS DAS EMPRESAS CULTURAIS, O LADO INFORMAL DA CRIATIVIDADE,AS OPORTUNIDADES DO DESIGN.• Promover a produção da criatividade significa, antes de mais nada, oferecerum percurso formativo de qualidade e que responda a uma exigência deprofissionalismo complexo e mutável. Neste sentido, é importante o confrontoconstante entre as instituições culturais e os sistemas formativos, o apoioà mobilidade dos artistas, a promoção de programas de intercâmbiointernacional, a oferta de bolsas de estudo, a disponibilidade de prêmiose concursos.• Em Torino e na Região Piemonte muitas empresas culturais se ativaramem setores tais como: a editoria, o áudio-visual, a música, a animação,as produções multimediais, o espetáculo ao vivo e a arte visual. Geralmenteestas empresas são de pequenas dimensões, são pouco estruturadas, têmpouca disponibilidade de capital e tudo isso reduz a capacidade competitiva:a fim de superar estes pontos críticos, algumas ações específicas devem serpromovidas para que possam sensibilizar o sistema creditício, tutelar melhora propriedade intelectual, qualificar a dimensão gerencial, organizativa,de promoção e comunicação das empresas.• É importante lembrar que a produção cultural é fruto de ações largamenteespontâneas e imprevisíveis, se nutre de interseções e pouco se prestaa congelamentos disciplinares. Portanto, as atividades de socialização,de encontro e intercâmbio internacional exercem um papel importante.È por este motivo que é necessário prever espaços abertos, que sejampreparados para o trabalho, com equipamentos, competências e colocá-losa disposição dos operadores culturais locais. Neste sentido, o setor específicodo espetáculo ao vivo – teatro, música e dança – este setor, mais do quequalquer outro, pode desempenhar a função de unir, colocando em relaçãoas diversas cadeias de produção cultural para se tornar um laboratório naturalde inovação para o campo das artes e das diferentes tecnologias.• Um dos setores que mais aumenta a força expressa no âmbito da criatividade,inovação e novas idéias é o design, a indústria criativa considerada deexcelência que combina habilidades técnicas, eficiência, capacidades artísticase formais. Em Torino, o design é profundamente entrelaçado com a culturado projeto e do trabalho que esta cidade herdou do próprio passado industrial e,neste sentido, foi objeto de diversas ações de apoio ao desenvolvimentopromovidas pelas entidades locais. Dentre os resultados obtidos, citamosa designação por parte da ICSID de Torino (International Council of Societiesof Industrial Design) considerada como a primeira World Design Capital de 2008e a próxima abertura de um Centro de Design na área do histórico complexoautomobilístico Fiat Mirafiori.


`16DIREÇÕESE OBJETIVOSO desenvolvimento da área de Torino, futuramente,dependerá cada vez mais da capacidade de inserira economia do conhecimento dentro das tradicionaisespecializações do contexto produtivo local.A economia do conhecimento não requer, de fato,que a histórica vocação industrial de Torino seja renegada.A indústria pode continuar a ser a base da produção,contanto que se trate de uma indústria diferente, na quala produção esteja imbuída de conteúdos de estudo, pesquisae serviço para a clientela.1 [IND]2 [IND]3 [IND]4 [IND]5 [IND]6 [IND]7 [IND]8 [IND]9 [IND]ObjetivosPERSEGUIR UMA ESTRATÉGIA DEINTERNALIZAÇÃO DO CONTEXTOPRODUTIVO LOCAL .ADOTAR A PROSPECTIVA DA COLABORAÇÃOENTRE EMPRESAS E SUJEITOS EXTERNOS.PROMOVER AÇÕES DE FORMAÇÃOGERENCIAL.FAVORECER PROCESSOS DE INOVAÇÃONAS EMPRESAS.REPENSAR O PAPEL DO APOIO PÚBLICOPARA O SETOR ICT.CONSOLIDAR UMA COMUNIDADEOPEN SOURCE AO SERVIÇO DODESENVOLVIMENTO DAS EMPRESASLOCAIS.FAVORECER A DINÂMICA INDUSTRIALNO SETOR ICT.PROMOVER UM PROJETO COMUM PARAUM DISTRITO TECNOLÓGICO NO SETORAEROESPACIAL.ANALISAR O SISTEMA LOCAL DASFINANÇAS E AS POSSÍVEIS INTERAÇÕESENTRE SETOR PÚBLICO E OPERADORESPRIVADOS.A DIREÇÃO SE CONCENTRA EM QUATRO SETORES ESTRATÉGICOS, EM RAZÃODAS PROSPECTIVAS QUE OFERECEM À ECONOMIA LOCAL: AUTOMOTIVAS,ICT, AEROESPAÇO E FINANÇAS.• O setor automotivo é o mais importante da indústria piemontese, não obstantea geral flexão deste setor. Na cadeia automobilística atuam diversas empresas,em alguns casos, são muito dinâmicas e habituadas à competição internacional,em outros, são presas aos velhos modelos produtivos. Para estas últimasé necessário ativar medidas para enfrentar a internacionalização aindainsuficiente, a falta de colaboração por parte das empresas, uma formaçãogerencial muitas vezes inadequada, a necessidade contínua de inovação.A nova indústria se deve concentrar nos produtos com alto valor acrescentadoinvestindo na pesquisa e na inovação. Um símbolo desta filosofia é o projetode reconversão de uma parte do complexo automobilístico Fiat Mirafiori emTorino cedida pela empresa, para que pudesse ser transformada em parquetecnológico no qual podem ser realizadas as atividades de pesquisa, formaçãoe experimentação no campo da mobilidade, com base numa colaboração entreindústria e universidade.• O que torna o ICT interessante é a capacidade para entrar em relação comoutras indústrias, trazendo muitos elementos de inovação: este é o aspectomais prometedor para o sistema em Torino e para os seus centros de pesquisa.As instituições públicas podem estimular a solicitação por parte da ICT,destacando algumas plataformas tecnológicas (interessante é a área logística,a info-mobilidade e a assistência sanitária) e definir um quadro de açõeslegislativas e programas garantidos, com o objetivo de fazer com que asempresas possam investir em atividades inovativas e ligadas a uma demandapública dentro de um razoável contexto de risco.• Em Torino existem cinco prestigiosos grupos que fazem parte do setoraeroespacial – Alenia Aeronautica, Alenia Spazio, Avio, Galileo Avionicae Microtecnica – que juntamente com as instituições locais estão trabalhandono projeto que visa construir um distrito tecnológico. Aliás, para um setorestritamente dependente de financiamentos públicos nacionais e europeus,a capacidade de fazer lobby das instituições locais representa um aspectofundamental.


`17DIREÇÕESE OBJETIVOSA crise do modelo industrial fordista caracterizado pelo vínculo duradouroentre o trabalhador e a empresa, o surgimento de problemas ligadosà flexibilidade e à instabilidade, os novos conceitos de racionalizaçãoprodutiva e a globalização da economia tornaram crucial para ostrabalhadores a questão de como governar a passagem de trajetóriasprofissionais contínuas a trajetórias descontínuas. Todos os fatoresde mudança que surtiram efeitos diferenciados em relação ao mundode trabalho que atualmente é atravessado por muitos dualismos– estável ou precário, rico ou desqualificado, autônomo ou dependente –que desenham um mapa de riscos e oportunidades bem variado.1 [TRA]2 [TRA]3 [TRA]4 [TRA]5 [TRA]6 [TRA]ObjetivosEVITAR QUE A FLEXIBILIDADE SETRANSFORME EM PRECARIEDADENO TRABALHO JUVENIL.TORNAR SEGURAS E VALORIZARAS TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS NUMAPOPROSPECTIVA BASEADA NA LIFE LONGLEARNING.APOIAR O TRABALHO DAS MULHERESDANDO ATENÇÃO ESPECIAL ÀS FAMÍLIASCARENTES E COM CRIANÇAS.APOIAR O DESENVOLVIMENTO DE UMENVELHECIMENTO ATIVO.APOIAR A INTEGRAÇÃO DOS IMIGRANTESNO TRABALHO E NA SOCIEDADE.DESENVOLVER A RESPONSABILIDADESOCIAL DA EMPRESA.A DIREÇÃO CONCENTRA TODA A ATENÇÃO EM ALGUMAS AÇÕES QUE PODEM SER REALIZADASA FIM DE FORTALECER A POSIÇÃO PROFISSIONAL DOS JOVENS PARA INGRESSAR NOMERCADO DE TRABALHO E DOS ADULTOS QUE RISCAM DE SAIR ANTECIPADAMENTE.• A introdução do princípio de flexibilidade nas carreiras foi acompanhada peloaumento da precariedade do trabalho, que atingiu, primeiramente, os jovensno início da carreira e também aqueles que possuíam um modesto nívelde formação. Em relação ao mercado de trabalho que se delineia, muitosse encontram trapaceados em trabalhos precários, desqualificados,modestamente retribuídos e, muitas vezes, regidos por sistemas de pontuaçãodas fases de desocupação que podem se prolongar até a idade adulta.O primeiro objetivo que visa favorecer o trabalho juvenil é, portanto, desuniro binômio flexibilidade e precariedade, por exemplo, introduzindo uma boanormativa em relação aos contratos de estagio a fim de fortalecer o entrelaceentre formação e trabalho considerando-os como dois momentos de um únicopercurso de crescimento profissional.• Instrumentos diversos podem ser utilizados para requalificar tempestivamenteos adultos que devem se colocar novamente e, com novas funções, no mercadode trabalho, pois se encontram sem competências e formação atualmentesolicitadas. Se trata de introduzir o princípio da “life long learning”, ou seja,a formação que dura por todo o curso da vida que, assim como foi indicado pelaUnião Européia, representa uma ação-chave para reduzir os riscos dadescontinuidade profissional e facilitar a mobilidade entre as ocupações,dotando as pessoas de todos os recursos necessários a fim de realizaros percursos de trabalho desejados, fazendo com que se tornem livres paradeterminar o próprio projeto de vida social e profissional.• Os investimentos no capital humano que a economia do conhecimento requerse tornam menos eficazes caso não se procurem novas vias de colaboraçãocom as empresas, a partir daquelas mais comprometidas em processosde inovação e que estejam interessadas nos seguintes pontos: presidiro desenvolvimento das capacidades profissionais dos funcionários; atraire conservar os trabalhadores qualificados e tutelar a saúde e a segurança.É o modelo da Responsabilidade Social da Empresa, que deve ser incentivadoatravés de políticas públicas que premiam as empresas capazes de tomardecisões que vão também na direção da tutela do interesse coletivo.


`18


`19


`20DIREÇÕESE OBJETIVOSO modelo de desenvolvimento previsto pela economia do conhecimentodá grande valor à forma da cidade e à presença de lugares físicos e redessociais predispostos a favorecer a circulação de um capital muito precioso:as idéias. A cidade do conhecimento deve ser policêntrica, aberta, adaptadapara unir as pessoas e os projetos ao invés de isolá-los. Ela deve prestar muitaatenção na qualidade da paisagem e fazer com que o ambiente urbano sejacada vez mais atraente e isso faz chamar a atenção dos setores sociais maiscriativos e propensos à inovação. A cidade do conhecimento deve tambémcuidar das áreas verdes considerando-as como elementos essenciais paragarantir um bom nível da qualidade de vida.1 [TER]2 [TER]3 [TER]4 [TER]ObjetivosIDENTIFICAR OS ESTORVOS DATRANSFORMAÇÕES INOVATIVAS NA ÁREAMETROPOLITANA.REFORÇAR O SISTEMA PAISAGISTICO-AMBIENTAL E DA ÁREA VERDEEM RELAÇÃO COM A CIDADE E ASTRANSFORMAÇÕES.VALORIZAR OS SISTEMAS LOCAISMETROPOLITANOS NA PROSPECTIVAPOLICÊNTRICA.ORGANIZAR O TERRITÓRIO COMO UNIÃODE REDES PARA GERAR CONHECIMENTOS,DESENVOLVIMENTO E QUALIDADEURBANA.A DIREÇÃO ENFRENTA QUATRO ARGUMENTOS: A QUALIDADE DOS PROJETOSDE TRANSFORMAÇÃO, O CUIDADO COM A PAISAGEM E AMBIENTE, A VALORIZAÇÃO DOSSISTEMAS LOCAIS, A PRESENÇA DE TORINO DENTRO DA REDE INTERNACIONAL DE CIDADES.• A qualidade dos projetos de transformação urbana depende muito da capacidadede considerá-los numa ótica de sistema, onde não conta apenas cadarealização, mas o seu relacionamento com as demais, dentro de uma idéiaunitária de cidade, na qual a reorganização funcional e competitiva do territóriose conjuga com a atenção em relação à qualidade do ambiente e do contextourbano. Um exemplo disso é a “Cittadella Politecnica”, um projeto doPolitécnico de Torino para ampliar a sede histórica do ateneu com novosespaços para a didática, pesquisa, atração de investimentos e transferênciatecnológica para as empresas. Um elemento qualificador deste projeto éa importância dada à construção de espaços idôneos para propor ocasiõesculturais e esportivas, agregação social e estudantil, dentro de um programade requalificação urbana que possa ser de interesse para o bairro inteiro.• As transformações efetuadas em Torino, nas últimas décadas, atingirama qualidade da paisagem e do ambiente natural e agrícolo. Um projeto devalorização do patrimônio verde metropolitano, com os seus parques fluviais,os grandes parques da cidade, o sistema das Residências Sabaudas quecircundam a cidade, prevendo também os mecanismos de compensaçãoambiental ligados às transformações e às infraestruturações, pode ser umaocasião importante para reequilibrar e tornar o território mais atraente, paraformar uma área verde metropolitana, um ponto de encontro entre as cidades,a natureza e a agricultura.• A valorização dos sistemas locais reevoca a idéia da área metropolitana,um espaço de governo onde os confins administrativos de cada município sãosuperados para responder, de modo novo, às exigências dos cidadãos,aos fluxos de mobilidade, à construção de um eficiente sistema de transportepúblico alternativo à mobilidade privada, à localização das atividades produtivase logísticas, à tutela das zonas naturais. Visto a complexidade que o caracteriza,planificar o território metropolitano é, antes de mais nada, uma ocasião paraexperimentar formas de governo baseadas na colaboração entre asadministrações, para cuidar dos projetos comuns dentro de uma única idéiade cidade.• Uma capacidade que pode ser considerada, por alguns aspectos, análogaé aquela solicitada a quem faz parte também das redes nacionais e européiasde cidades. Todavia é exatamente esse um dos elementos de maior debilidadedas relações internacionais de Torino, que deve, por outro lado, reforçara própria posição, a imagem externa, as funções e as especializações setoriais,a própria estratégia territorial.


`21DIREÇÕESE OBJETIVOSA cultura vista como produção, tutela, conservação, gestãoe fruição dos depósitos acumulados constitui um elementofundamental da identidade e do tecido social de umterritório, além de representar também um recursoindispensável para o desenvolvimento local.No caso de Torino, a centralidade da cultura é previstano 2º Plano Estratégico e isso se dá por diversas razões:porque contribui à diversificação econômica, porquequalifica a ocupação e porque promove a imageminternacional do sistema metropolitano.1 [REC]2 [REC]3 [REC]4 [REC]5 [REC]ObjetivosVALORIZAR AS INSTITUIÇÕES CULTURAISA SERVIÇO DA SOCIEDADEDO CONHECIMENTO.MELHORAR A ACESSIBILIDADEDA OFERTA CULTURAL.PROMOVER A CULTURA COMO FATOR DETRANSFORMAÇÃO URBANA E TERRITORIAL.INCENTIVAR A CONTRIBUIÇÃO DOSPRIVADOS NAS POLÍTICAS E NOSRECURSOS PARA A CULTURA.VALORIZAR A CULTURA COMOINSTRUMENTO DE ATRATIVIDADEE INTERNACIONALIZAÇÃO.A DIREÇÃO SE CONCENTRA EM QUATRO ASPECTOS: A PRIORIDADE DOS INVESTIMENTOSPRIVADOS PARA A CULTURA, A IMPORTÂNCIA DE TER ACESSO À CULTURA, O PAPEL DACULTURA NA TRANSFORMAÇÃO URBANA, A CULTURA COMO RECURSO PARA A ATRATIVIDADE.• Aumentar o envolvimento dos privados nas atividades culturais, em qualidadede comitente, doadores, patrocinadores, financiadores ou investidores éum objetivo a ser alcançado não apenas para a prospectada limitação dosrecursos públicos que estarão disponíveis nos anos futuros, mas também paraos benefícios que o confronto entre mundo empresarial, mundo da culturae sociedade civil pode produzir. Os instrumentos para arrecadar e promovero apoio econômico por parte dos privados podem ter formas diversas: entre asmais interessantes, citamos a “community foundation”, prosperada nos EstadosUnidos e que atualmente está presente também na Italia.• Promover um desenvolvimento baseado no conhecimento quer dizer melhoraro acesso e o uso da cultura, investir nos instrumentos de educação e divulgaçãopermanente, aumentar a demanda de cultura. Para as instituições de Torinoisto significa contribuir a cobrir o déficit dos recursos culturais de base dapopulação, êxito do passado fordista da cidade, e qualificar as competênciasdas novas gerações e das populações de imigrantes para as quais a escolanão basta. O processo de reorganização iniciado, nos últimos anos, por partedas instituições culturais deve ser concluído (qualificando e diversificandoos serviços) inclusive através do uso de novas tecnologias. Se serão capazesde interceptar as diversas produções culturais, favorecer a circulação de idéias,promover espaço, vocações e oportunidades, as instituições culturais poderãotambém contribuir para transformar Torino numa cidade cosmopolita• A cultura dentro de seus múltiplos aspectos, ou seja, das artes visuaisao espetáculo ao vivo, da paisagem histórica aos festivais, da arquiteturaao design, pode dar origem processos complexos de regeneração urbana,tornando-se um modo para ler, fazer ler e representar um território,consolidando as suas identidades tradicionais e esboçando outras novas.Nos próximos anos, as numerosas transformações culturais que interessam aárea de Torino, partindo do “Distretto Museale Centrale” às ResidênciasSabaudas, do rio Pó à renovação do Museu Egípcio, deverão ser acolhidasexatamente nesta prospectiva• A cultura representa um dos principais recursos para atrair investimentos,para desenvolver a indústria turística, produzir imagens da cidade que sejamreconhecíveis, comunicáveis e eficazes. A tarefa dos atores locais é investiros recursos naqueles elementos de atração – a vivacidade contemporânea,o patrimônio histórico, a civilização egípcia – que podem ser utilizados paraa promoção da cidade, a sua política expositiva e a programação de eventosde forte interesse internacional.


`22DIREÇÕESE OBJETIVOSPara uma cidade que sediou as Olimpíadas, a herança deixada pelos Jogosnão se refere apenas aos aspectos materiais como, por exemplo, as grandesinfra-estruturas esportivas, mas também os aspectos não materiais, tais comoa visibilidade em relação à cenário internacional e o desenvolvimentode uma competência organizativa em tema de grandes eventos.Num mercado que é cada vez mais competitivo da atratividade urbana,as Olimpíadas de Inverno 2006 representaram para Torino uma ocasiãoformidável, mas deixaram claro também o quanto é importante estabilizara imagem positiva, alimentando o círculo virtuoso na base das políticasde promoção.1 [PRO]2 [PRO]3 [PRO]ObjetivosPROMOVER A IMAGEM DO TERRITÓRIOE ATRAIR GRANDES EVENTOS.EXPLORAR OS GRANDES ATRATIVOSE OS PONTOS DE FORÇA LOCAIS PARAAPOIAR O TURISMO SHORT-BREAK.REFORÇAR AS POLÍTICAS PARA O TURISMOFIERÍSTICO E CONGRESSUAL.A DIREÇÃO EXAMINA TRÊS ARGUMENTOS: A PROMOÇÃO DA IMAGEM DO TERRITÓRIOE A ESTRATÉGICA DOS GRANDES EVENTOS, AS PROBLEMÁTICAS DO TURISMO DE DIVERSÃOE AQUELAS REFERENTES AO TURISMO DE NEGÓCIOS.• O projeto que visa promover uma nova imagem internacional de Torinoe da Região Piemonte, renovada em relação à identidade industrial quea caracterizou durante todo o século vinte, teve o seu momento mais importantecom as Olimpíadas de Inverno. O sucesso obtido com os Jogos Olímpicos colocahoje a cidade de Torino no rol das cidades que podem se candidatar a acolhergrandes eventos como aqueles já previstos futuramente: as “UniversiadiInvernali” (2007), o Congresso Mundial dos Arquitetos UIA e a Capital Mundialdo Design (2008), as celebrações para os150 anos da Unidade de Italia (2011).• A promoção internacional da cidade vem acompanhada pela atividade de apoioao setor turístico que conta com muitas ações de requalificação urbanaconcluídas, da recuperação do patrimônio cultural e histórico, da construçãode novas infra-estruturas de transporte e dos investimentos na receptibilidadehoteleira. Terminada esta importante fase inicial de investimentos, Torino podese propor como uma válida meta para uma breve permanência, o denominadoturismo de “short-break”, destinado para quem tem interesse em permanecerna cidade por apenas alguns dias, combinando cultura, artes, diversão,shopping e enogatronomia. No futuro, se tratará de valorizar melhor o binômioentre a cidade principal e o território piemontês com as suas montanhas, lagose “Le Langhe”, fazendo destas localidades uma meta de permanência maislonga.• No campo do turismo de negócios, feiras e congressos, Torino ativou tambémuma política de desenvolvimento com a previsão de utilizar uma partedas instalações das Olimpíadas já projetadas com uma lógica polivalente.Um trunfo para o futuro não é propor-se de maneira generalizada, mas deselecionar as ocasiões que sejam mais próximas à identidade do território– a história, a tecnologia, o setor automotriz, o design, a arte contemporânea –onde a cidade pode oferecer um valor a mais a partir dos seus pontos deexcelência.


`23DIREÇÕESE OBJETIVOSA população estrangeira faz parte da sociedade nos países ocidentais,porém o impacto da imigração na qualidade social e no desenvolvimentodo território permanece ambivalente: embora exista um certo consensoque confirma que a imigração constitui um recurso cultural, sociale econômico de grande importância, existe o risco de que se transformenum fator de crise para a coesão social. Para evitar que prevaleça estesegundo aspecto, é necessário ativaruma política que possa favorecera integração dos novos cidadãos, que se baseie, primeiramente,na possibilidade de usufruir plenamente das oportunidadese dos serviços disponíveis.1 [IMI]2 [IMI]ObjetivosPROMOVER A PARTICIPAÇÃO DOSCIDADÃOS ESTRANGEIROS.TRANSFORMAR AS AÇÕES EXPERIMENTAISDESTINADAS AOS IMIGRANTES EMPOLÍTICAS ESTRUTURAIS E ORDINÁRIAS.A DIREÇÃO DISCUTE DOIS GRANDES TEMAS: COMO AUMENTAR A PARTICIPAÇÃO DOSCIDADÃOS ESTRANGEIROS E COMO TRANSFORMAR EM INTERVENÇÕES ORDINÁRIAS ALGUMASPOLÍTICAS EXPERIMENTAIS PARA A INTEGRAÇÃO.• No panorama nacional, Torino se destaca por seu empenho em favorda participação dos estrangeiros nas formas e nas organizações da sociedadecivil, admitindo os imigrantes residentes nos referendos, instituindoa primeira consulta dos estrangeiros na Italia em 1995, apoiando a extensãodestes ao direito ao voto. A participação dos imigrantes é vista como um valora mais na projetação das políticas e dos serviços que se referem à qualidadesocial, principalmente quando envolve a segunda geração que faz parteda sociedade local.• As tantas intervenções experimentais ativadas cujo objetivo era apoiara integração dos estrangeiros consentiram enfrentar os específicos problemas,que geralmente eram impostos por razões de emergência. Porém, com opassar do tempo, atuar projetos especiais pode correr o risco de não nutrira sensibilidade difundida sobre o tema da multiculturalidade: o objetivo é, então,capitalizar as intervenções especiais, fazendo com que possam levar a umaumento global da qualidade social e urbana, construindo uma cidadeacolhedora e fruível por todos, estrangeiros e cidadãos italianos.• O âmbito formativo é um dos mais delicados do processo de integração, sendoa escola um meio potente para reduzir, assim como para acentuar, asdesigualdades sociais das novas gerações. Em relação ao tema da imigração,a condição é institucionalizar a capacidade da escola para coordenar amulticulturalidade, não deixando que em mãos de um só professor ou instituto.É importante melhorar a condição dos adultos no mundo de trabalho poisa presença de trabalhadores estrangeiros tem aumentado desde a décadade oitenta e estes têm se tornado, inclusive por causa da mudança demográfica,um elemento importante para a promoção do bem-estar local. Finalmente,é necessário garantir aos estrangeiros a possibilidade de fruir dos serviçossanitários e de resolver a precariedade das condições habitacionais e detrabalho. Neste sentido, o impacto da imigração no sistema sanitário dependerámuito da capacidade dos atores locais para integrar políticas de trabalhoe aquelas de caráter sanitário, ambiental, urbanístico e social.


`24


`25


`26DIREÇÕESE OBJETIVOSAs infra-estruturas de transportes exercem uma grande influênciano desenvolvimento e no funcionamento de um território, elaspodem também modificar o aspecto de uma paisagem e dar umacerta consistência às políticas ambientais. O estreito relacionamentoentre as infra-estruturas e o território torna o tema da acessibilidademuito complexo, pois este envolve numerosos fatores e contémreferimentos a projetos de vários tipos e dimensões: a suacaracterística é, de fato, entrelaçar as exigências de escala diferentedaquela local, tais como a mobilidade interna à cidade, àquelaglobal como a alta velocidade ferroviária.1 [MOB]2 [MOB]3 [MOB]ObjetivosAPOIAR A INSERÇÃO E O PAPEL DE TORINONO CORREDOR V DA UNIÃO EUROPÉIA.COMPLETAR AS AÇÕES NO SISTEMADA ACESSIBILIDADE E DA MOBILIDADE,POTENCIANDO A RETICULARIDADE.AUMENTAR A APLICAÇÃO DASTECNOLOGIAS INOVATIVAS NOSTRANSPORTES E NA MOBILIDADE.A DIREÇÃO DISCUTE DOIS ARGUMENTOS: COMO FAVORECER O ACESSO À TORINO E COMOMELHORAR A MOBILIDADE INTERNA À ÁREA, INTRODUZINDO TAMBÉM QUOTAS DE INOVAÇÃOTECNOLÓGICA APLICADA AOS TRANSPORTES.• No campo das ligações com o externo, a maior obra de Torino é a ligaçãocom alta velocidade com Lione, vista como um trecho fundamental do CorredorV das redes Tem (Trans European Network). É essencial levar a cabo estainfra-estrutura por várias razões: a competitividade e a coesão do territórioeuropeu, o modelo de desenvolvimento industrial que vem se afirmando,a posição de Torino no contexto internacional, a energética e a inovaçãotecnológica, a garantia de alternativas eficazes para o transporte rodoviário.• Diversos projetos importantes foram ativados com o objetivo de melhorara mobilidade interna, trazendo enormes recaídas para a requalificação urbanae para o desenho da mobilidade, assim como demonstram o “PassanteFerroviario”, a requalificação da chamada “Spina centrale” , a inauguração dometrô. Todavia são ainda necessárias outras intervenções para que se possaadotar uma estratégia de mobilidade e uma articulação dos serviços que estejaadequada a uma cidade que quer ser atrativa e competitiva. Entre estes, citamoso “Corso Marche”, o projeto para realizar um eixo que atravessa a áreametropolitana de norte a sul da cidade, atuando ligações em outros níveis:em superfície um boulevard urbano; no subterrâneo uma estrada com fluxorápido e um trecho ferroviário ligado à Alta Velocidade. São estratégicostambém o acesso rápido com o aeroporto; o serviço ferroviário metropolitanopara potenciar o sistema de transporte público; a conclusão do entroncamentoa leste da cidade; a realização de uma segunda linha do metrô.• A gestão inteligente da mobilidade é um problema de grande importância, poiso congestionamento do trânsito chegou a tal ponto que coloca em crisea viabilidade das cidades, determinando grandes impactos ambientais.Para projetar os transportes de modo novo foi difundida a utilização dos ITS(Intelligent Transport System), que são tecnologias informatizadas com diversasfuncionalidades: melhorar a gestão do trânsito, do transporte público,a informação aos cidadãos, o pagamento automático, o controle do veículoe da navegação, a gestão das emergências. Os ITS em relação aos quais Torinoamadureceu diversas experiências, representam também uma interessanteoportunidade econômica: segundo os estudos neste setor, os ITS representamum mercado em crescimento constante que pode estimular a criação de novasempresas e criar empregos.


`27DIREÇÕESE OBJETIVOSO ponto de encontro entre produção, serviços e consumo, a logística reúneum total de atividades em grande expansão, onde as funções dos transportesse apóiam aos serviços destinados à produção, ao tratamento das mercadorias,à rede de distribuição e venda, e exercitam uma influência sobre a mesmaorganização empresarial. Dispor de uma logística eficiente é um impulsocompetitivo importante para um território dentro do novo modelo industrial,onde a economia de escala e a produção em massa estão superadas pelas novasregras, tais como a integração e a cooperação entre as empresas e a produçãopersonalizada em massa, que presta atenção ao vasto público mas costumizaos produtos em base às exigências de cada cliente.1 [LOG]2 [LOG]ObjetivosCRIAR AS CONDIÇÕES PARAO DESENVOLVIMENTO DE UM PÓLOLOGÍSTICO AVANÇADO NA ÁREASUL DE TORINO.APOIAR O EMPREGO DE TECNOLOGIASICT NO PÓLO LOGÍSTICO.A DIREÇÃO DISCUTE A POSSIBILIDADE DE DESENVOLVER UM GRANDE PÓLONA ÁREA SUL DA CIDADE, GESTIDO GRAÇAS AO EMPREGO MASSISSODAS TECNOLOGIAS ICT.• A logística representa um campo de elevada importância estratégica paraa área de Torino, devido a sua posição central em relação aos portos doMediterrâneo e do sistema europeu. O desenho das grandes infra-estruturasde transporte, como o percurso da Alta Velocidade e o “Corso Marche”,e importantes projetos de transformação urbana em fase de definição reforçama hipótese de construir um grande pólo logístico no quadrante sudoestede Torino, onde já estão presentes o interporto Sito, estação ferroviáriade Orbassano e alguns estabelecimentos dedicados à distribuição como, porexemplo, o Centro Agroalimentar. Dentre as condições de sucesso do projetoexiste a capacidade de introduzir políticas normativas e tarifárias a fim deincentivar concretamente a transferência das mercadorias da estrada paraa ferrovia. È importante também manejar uma reorganização geral dos póloslogísticos na parte nordeste da Italia, incluindo o porto de Gênova e a cidadede Milão, chegando a uma estratégia comum para se propor no mercado.• Uma experimentação importante ligada ao funcionamento do pólo logísticoé a gestão dos fluxos de entrada e saída, a serem atuados através da utilizaçãodas ICT, aproveitando as informações oriundas de todas as fontes disponíveissobre o tráfico: a sociedade de apoio rodoviário para os fluxos nos postos desaídas das rodovias, os operadores logísticos que usufruem do pólo, inclusiveo satélite para indicar a chegada dos veículos. As ulteriores experimentaçõespodem se referir aos seguintes pontos: o potencial da “city logistic”pararacionalizar o sistema de distribuição das mercadorias em zonas críticas taiscomo o centro histórico ou os bairros com alta concentração comerciale de tráfico: a ativação das “riverse logistic” a fim de reduzir o impactoambiental através da gestão dos materiais, das embalagens e do transporteem direção aos centros de tratamento do lixo.


`28DIREÇÕESE OBJETIVOSAs ações para a tutela da saúde, quando são destinadas a garantir um direitofundamental, possuem um valor em si só. Todavia estas ações representam umaimportância econômica, ou seja, se é verdade que, assim como indicam os dados,que, nos próximos anos, este setor alcançará percentuais cada vez mais relevantesdo PIB. Além disso, demonstram ter um valor estratégico, no sentido que a açãopreventiva em relação aos fatores que se referem à saúde mantém uma forteligação com diversos aspectos da qualidade de vida: partindo do saneamentourbano até chegar à gestão de uma mobilidade fluida, que seja pouco poluentee segura, ou da redução dos acidentes no trabalho à difusão de modelosde um comportamento saudável.ObjetivosA DIREÇÃO DISCUTE COMO MODERNIZAR O SISTEMA SANITÁRIO LOCAL,INCLUSIVE ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS.1 [SAU]2 [SAU]3 [SAU]4 [SAU]5 [SAU]INTEGRAR O COMPONENTE HOSPITALNA REDE TERRITORIAL DOS SERVIÇOSSOCIAIS E SANITARIOS.DESENVOLVER TECNOLOGIAS PARADOMICILIAR OS SERVIÇOSSÓCIOSANITÁRIOS E DIPOSITIVOSDE TELEMEDICINA.COORDENAR A AÇÃO SÓCIOSANITÁRIA COMO COMPLEXO DAS POLÍTICAS DE SAÚDE.GARANTIR AOS CIDADÃOS ESTRANGEIROSO EFETIVO EXERCÍCIO DO DIREITO À SAÚDE.DEFINIR O PROJETO PARQUE TORINESEDA SAÚDE E DAS CIÊNCIAS.• A necessidade principal é introduzir um modelo de assistência integrada paraadministrar, com métodos modernos, a saúde através da personalização dosserviços, da não internação em hospitais, do apoio aos serviços domiciliares,da simplificação e flexibilidade de acesso aos serviços, ativando, todavia,estratégias de controle dos custos para garantir a sustentabilidade econômicada assistência e a tutela dos direitos sociais que são ligados a ela. Os objetivosque podem ser alcançados com a ajuda do Plano Regulador Social, que é uminstrumento que serve para coordenar e racionalizar as ações por partedas administrações locais no âmbito da saúde social e da qualidade de vida.• O crescente aumento das doenças crônicas e o envelhecimento da populaçãoestão mudando os modelos de referência do sistema sanitário e dos serviçossociais, que tendem hoje em dia a serem vistos como aspectos complementaresde uma mesma necessidade. É o caso clássico dos anciãos, dos doentescrônicos ou dos portadores de deficiência que poderiam ser acompanhadosde modo eficaz por uma rede de pequenos centros territoriais. O ponto-chavedeste raciocínio é deslocar a atenção dada aos hospitais para os domicílios,organizando um modelo de serviço baseado numa equipe flexível e integrada,constituída de especialistas, médicos, enfermeiros, assistentes sociais,profissionais na assistência domiciliar.• A integração sócio-sanitária e o aumento da assistência domiciliar são áreasde intervenção estratégica que reúnem geralmente o interesse por partede financiadores privados, disponíveis para aplicar recursos em ações seguras.Aliás, é evidente que o sucesso do modelo de assistência proposto e a suasustentabilidade econômica dependem também da capacidade de utilizara inovação tecnológica, para reduzir os custos mantendo alto o padrão dasprestações. O território de Torino possui, neste campo, uma certa competência,considerando a presença de avançados centros de pesquisa: o incorporamentode tecnologias avançadas na assistência se tornar um fator de atração para umacadeia de empresas inovativas. A este propósito responde o projeto ParqueTorinese de Saúde e das Ciências, que representa uma sede para um grandehospital de aprendizagem que conta com espaços para a instalaçãode laboratórios, a experimentação de novas tecnologias e a construçãode empresas ligadas a estas experimentações.


`29DIREÇÕESE OBJETIVOSA casa é um tema que ocupa uma posição central entre os filõesestratégicos que reúnem desenvolvimento econômico e qualidadesocial. O hábito de favorecer a propriedade, por anos convergentecom a exigência de poupar e de investir, de modo seguro por partedas famílias, responde sempre menos às solicitações difusasna sociedade. A habitação se entrelaça, em seguida, com o temada regeneração urbana, âmbito no qual a área de Torino temrepresentado, nos últimos anos, um lugar de experimentaçãode ações inovativas, que produz, de um modo geral, efeitos positivosembora demonstre alguns elementos de fragilidade.1 [REG]2 [REG]ObjetivosAUMENTAR E DIVERSIFICAR A OFERTAE A ACESSIBILIDADE DOS IMÓVEIS A SEREMALUGADOS.VALORIZAR AS PRÁTICASE OS RESULTADOS DAS EXPERIÊNCIASDE REGENERAÇÃO URBANA.A DIREÇÃO DISCUTE DOIS ASPECTOS: A NECESSIDADE DE MODIFICAR O MODO COM O QUALÉ REGULADA A OFERTA DE CASA , E A OPORTUNIDADE DE VALORIZAR AS EXPERIÊNCIAS DEREGENERAÇÃO URBANA QUE TEM ATINGIDO A ÁREA METROPOLITANA NOS ÚLTIMOS ANOS.• A mudança de modelos familiares e da organização do trabalho que atingirama sociedade determinou uma profunda diversificação de necessidadese de expectativas relativas ao tema habitação. Para aqueles que devempermanecer na cidade por apenas alguns dias da semana por causa dotrabalho, os jovens que têm um contrato atípico, os estudantes que chegamde fora, para aqueles que ainda não constituíram uma família tradicional,os imigrados para os quais a casa representa uma condição indispensávelpara obter o visto de moradia na Italia e também para a junção da famíliarepresentam, portanto, categorias em relação às quais o modelo tradicionalda propriedade não parece ser adequado. Se trata então de aumentar a quotados imóveis a serem alugados, ativando também uma série de instrumentos,inclusive de um novo papel desempenhado por parte das entidades locais que,em cada caso, podem propor-se como mediadores e fiadores no relacionamentoentre proprietários e potenciais inquilinos.• A herança mais importante dos programas complexos de regeneração urbanaque mais tem interessado Torino, nestes últimos anos, é a certeza de que estetipo de ação deve manter juntos dois aspectos: o da regeneração física doslugares e aquele relativo ao apoio ao contexto social e econômico local.O objetivo deste duplo mecanismo é a mobilização de recursos do território,o apoio à participação por parte daquela faixa da sociedade civil organizada querepresenta um terreno fértil para as ações de solidariedade social ligadas aosprogramas de regeneração urbana. Se os resultados alcançados forem paraesta direção, será melhor que, no momento da avaliação e do relance, seja dadauma atenção especial a fim de colocar a regime as ações e fazer com que estasse tornem um patrimônio publico que possa ser compartilhado, para inspirarnovas políticas graças também aos efeitos positivos garantidos pelo acumulode recursos, ações e estratégias.


`30


`31


`32DESIGNBadriotto PalladinoFOTOGRAFIAMichele d’OttavioTESTOSAnnalisa MagoneTRADUÇÕESIl Melograno Centro ServiziOs textos são emitidos com licença da Creative Commons.Atribuição, Uso Não-Comercial, Não a Obras Derivadas.As fotografias são de propriedade do autor.Associaçione Torino Internazionalewww.torino-internazionale.orgcontact@torino-internazionale.orgCittà di Torino / Settore Cooperazione Internazionale e Pacewww.comune.torino.it/cooperazioneinternazionalecooperazione.internazionale@comune.torino.it

More magazines by this user
Similar magazines