De Criança para Criança - Global Editora

globaleditora.com.br
  • No tags were found...

De Criança para Criança - Global Editora

Caro(a) Professor(a)ilustração: Cláudia ScatamacchiaA Global Editora, uma empresa cujo compromisso com acultura brasileira se renova a cada ano, muito tem contribuído para adivulgação deste nosso patrimônio, da nossa memória coletiva, pormeio da publicação dos melhores autores nacionais.Proporcionar às crianças desde cedo o contato com estaliteratura de qualidade constitui uma rica experiência estéticae emocional. As coisas simples, os pequenos acontecimentos dodia a dia, a natureza, o relacionamento com as pessoas, com os animais,os sentimentos, as emoções, os conflitos são reinventados, saem dolugar ‐comum. Abrem ‐se, assim, as portas do universo simbólico, doencantamento, da sensibilidade e da fantasia. A ficção possibilitaalimentar o imaginário, aliviar as tensões, encontrar respostas àsdúvidas, viver experiências impossíveis de serem vividas no mundo real,rompendo com os limites do tempo e do espaço. A riqueza do trabalhoartesanal com as palavras permite, também, que cada um exercite suaimaginação e que acione seu repertório linguístico, por isso o prazer dadescoberta da leitura se perpetua pela vida afora.A Global Editora, ciente da importância da literatura naformação da criança, ciente da necessidade de investir no imaginárioinfantil, no seu catálogo, nos títulos, distribuídos por coleções, contacom um elenco dos mais consagrados autores nacionais, em ediçõescom grande qualidade de projeto e acabamento gráfico. Histórias ehistórias são tecidas por mãos mágicas. Palavras e palavras dialogamcom os traços, com as cores e com o olhar sensível de ilustradorespremiados. Um repertório inigualável! Gostoso de ler, gostoso de ver!


SumárioAna Maria Machado 8Bartolomeu Campos de Queirós 13Cecília Meireles 17Christiane Gribel 19Clássicos Universais 20Clássicos Universais – Série Encantos 22Cora Coralina 24Crianças Criativas 26Cuca Legal 30Dave Santana 34De Criança para Criança 36Eva Furnari 37ilustração: Mariana Massarani


Graça Lima 40Roger Mello 79Ignácio de Loyola Brandão 41 Ruth Rocha 80Joel Rufino dos Santos 42 Sidónio Muralha 81Lúcia Hiratsuka 43Só Imagem 84Luís da Câmara Cascudo 45 Sylvia Orthof 86Magias Infantil 47Tatiana Belinky 87Manuel Bandeira 52Tomi Ungerer 88Marcelo Cipis 54Zooterapia 90Márcio Vassallo 56Mariana Massarani 58Indicações pedagógicas 91Marina Colasanti 60Índice 105Mary e Eliardo França 63Michele Iacocca 75Muiraquitãs 77Onda Livre 78ilustração: Mauricio Negro


Caro leitor,Veja aqui como consultar o Catálogo de Educação Infantil. Atenção para a forma como está organizado o novo catálogo:por autores e coleções em ordem alfabética, classificados por sugestão de faixa etária.Faixa etária Outras informações complementares: Indicações■ até 5 anos e 11 meses • Coleção Pedagógicas• Título• AutorÍndice• Ilustrador• Coleções• Gênero• Títulos• Prêmios• Autores• Faixa etária• IlustradoresNome da ColeçãoTítuloNome do AutorNome do GêneroPrêmiosNome do Ilustrador44ColeçãoMagiasInfantilEsta coleção tem como objetivo aescolha de textos para construir aprimeira biblioteca do público infantil.Edla van Steen seleciona textos epoemas dos mais renomados autoresbrasileiros, que recebem uma ediçãoprimorosa, tanto gráfica quantoeditorial. Não existe criança que nãoficará encantada com estas obras e osprofessores poderão criar inúmerasatividades a partir delas, enriquecendoo mágico universo infantil.Direção de coleçãoEdla van Steenilustração: Mauricio NegroA casa dos bichosPAULA SANDRONIIlustrações de SuppaNARRATIVAAUTOBIOGRÁFICA1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐1123‐5Paula Sandroni remexe nos arquivos damemória, encontra e revisita, no vale do CosmeVelho, bem na ponta da Floresta da Tijuca, acasa onde passou a infância com os pais e osquatro irmãos. Dessas reminiscências, nasceu anarrativa A casa dos bichos. Na lembrança,ficou o jardim, o quintal e a convivênciaharmoniosa com muitos animais domésticosque viviam com a sua família — gatos,tartarugas, lagartixas — e com outros visitantesdas matas — morcegos, cobras, aranhas,lagartos.A narrativa, bem próxima do universoinfantil, e as ilustrações vivas, ricas emdetalhes e cores, de Suppa, são um convitepara que a criança visite a natureza ao seuredor e olhe ‐a com mais afetividade.E você? Tem algum bicho de estimação?Mora ao lado de uma floresta ou de algumlugar arborizado? Tomara que sim! Mas se aresposta for negativa, não fique triste. Existesempre um parque ou uma pracinha perto danossa casa (...).Crianças de até 5 anos e 11 mesesA cobra que não sabia cobrarMIGUEL SANCHES NETOIlustrações de Madalena Elek1 a edição; 20 páginasISBN 85 ‐260‐1122‐7LINGUAGEMPOÉTICA/SOLIDARIEDADEEm linguagem poética, a história criadapor Miguel Sanches Neto coloca a criançaem contato com o uso especial do códigolinguístico — exploração do som, da melodia,das rimas, do ritmo, das aliterações e dossímbolos. Esse jogo verbal tece a história deuma simpática e generosa cobrinha. Desdepequena, a cobra/ sempre foi muito boa./Emprestava sua bola,/ dava cola na escola,/carregava na sacola/ um monte de chiclete/ edava pras serpentes.// É casada agora,/ mascontinua/ a mesma cobra.// Há sempre umavizinha/ querendo uma dose/ de veneno decobra,/ ou vizinho/ pedindo uns cobres. (...) EDona Cobra tudo dá,/ sem nem seincomodar.// À tarde, seu marido/ semprechega uma cobra (...).A solidariedade, o desprendimento e aamizade vividos por Dona Cobra podemtambém ser vivenciados no mundo doshomens para uma convivência maisharmoniosa.Crianças de até 5 anos e 11 mesesA história da tartarugaLÊDO IVOIlustrações de Isabel de PaivaLINGUAGEM VERBAL ENÃO VERBAL1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85‐260‐1423‐7A história da tartaruga não contasimplesmente uma história. Neste livro, LêdoIvo, um dos mais importantes escritores daliteratura brasileira — poeta, romancista,ensaísta e contista, que sabe como ninguémmanejar esteticamente as palavras —, descreveem versos, inteligentes e bem construídos, umatartaruga. Seu texto aliado às ilustraçõesdelicadas e encantadoras de Isabel de Paivaimpressiona pela ternura, sensibilidade e graçacom que o animal é tratado. Uma tartaruga/vem de antiga raça./ Mora em casa própria:/sua carapaça.// Dona de si mesma,/ vaidevagarinho./ Tudo é longe e perto/ e tudo écaminho.A leitura deste poema possibilita aopequeno leitor conhecer um texto poético dequalidade e saber mais sobre o curiosoanimalzinho.Crianças de até 5 anos e 11 mesesBebê chorão também tem opiniãoFLÁVIA LINS E SILVAIlustrações de Mariângela HaddadRELAÇÃO FAMILIAR2 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260‐0656‐8David ou Pedro? Mas que confusão logo aonascer! É o que descobre o recém ‐nascido,narrador ‐personagem, ao sair da barrigacalminha e silenciosa da mãe. Descobre,também, que há outras pessoas na família queo amam, outros colos afetuosos.Em meio à disputa entre duas avós, umacatólica e outra judia, ficou decidido pelos paisque o nome do recém ‐nascido seria PedroDavid. Mas esse não era o único foco dedivergência entre elas. Havia uma questãomais ampla: a religião. — Tem de batizar logoesse menino! — disse a vó Leda. (...) — E o britz?E a circuncisão? — perguntou a vó Rachel.A autora encontra uma solução inteligentepara resolver o conflito: o bebê manifesta seudescontentamento com um choro fortíssimo.Assim, durante a leitura, a autora põe a criançapara refletir sobre seu comportamento e o dosadultos à sua volta.Crianças de até 5 anos e 11 mesesDom Ratão e Dona RatitaMARCOS SANTARRITAIlustrações de Luiz MaiaFANTASIA2 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260‐0654‐1Acervo Básico para a Criança2000 (FNLIJ)Dom Ratinho era um camundongo novinho,fraquinho e feinho. E tinha uma, não, duaspaixões. E um segredo. A partir desses trêsingredientes, Marcos de Santarrita, escritor etradutor de renome, cria com muitaimaginação uma história que toda criançagostará de ler. Ler o texto e ver as ilustraçõesbem humoradas de Luiz Maia.Dom Ratinho, apaixonado por Dona Ratita,sua vizinha, sonhava em vencer o jogo daratoeira, a Queijada, não pelo jogo mas porqueachava um absurdo arriscar ‐se a morrer porum pedaço de queijo, para oferecê ‐lo a suaamada e ganhar um beijo. Porém, tímido dojeito que era, só se transformando em DomRatão, o grande, forte e bonito. Tinha até capae voava como os ratos heróis de televisão.Esses voos da imaginação instauram umdiálogo com as crianças sobre os temas maiscomplexos porque a linguagem simbólica secomunica facilmente com o pensamentomágico, natural do universo infantil.Crianças de até 5 anos e 11 meses45Faixa etária


AnaColeçãoMariaMachadoÉ carioca, professora universitária ejornalista. Já publicou mais de cemlivros para crianças e jovens no Brasil,no Japão, na Noruega, em mais devinte países. Em 2000, recebeu oprêmio internacional Hans ChristianAndersen, o mais importante deliteratura universal para crianças.Em 2003, tornou ‐se imortal, sendo eleitapara a Academia Brasileira de Letras.A gran de aven tu ra de Maria FumaçaIlustrações de SuppaAVENTURA3 a edi ção; 24 pági nasISBN 978 ‐85‐260‐0877‐9Acervo Básico Teórico paraa Criança 2003 (FNLIJ)A locomotiva Maria Fumaça que, em outrostempos, viajara muito pelo Brasil, estavacansada de ficar parada. Sentia ‐se solitária,enferrujada, abandonada em um canto daestação. Um dia, então, ela convida ZéPretinho, um vagãozinho de carregar carvão, eBeltrão, um velho vagão de carregar bois, parauma aventura: atravessar vales, serras e chegarà cidade.Zé Pretinho se animava:— Isso! Corre Maria Fumaça! E vá vendo tudoque passa! Passa monte, passa casa, passaponte, passa estrada, passa boi, passa boiada...Os três chegam à cidade. Umacontecimento! Fotografias nos jornais,aparecimento na televisão, discussões naPrefeitura, na Câmara e no Ministério.A leitura de uma boa história como essaestimula a imaginação infantil e oferece àcriança recursos para uma melhorcompreensão de si mesma e de questõescomplexas do mundo do adulto.Alguns medos e seus segredosIlustrações de Alcy LinaresCOMPORTAMENTO2 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1377 ‐3Nas três histórias criadas por Ana MariaMachado em Alguns medos e seus segredos —“Mãe com medo de lagartixa”, “Com licença,seu bicho ‐papão” e “O lobo mau e o valentecaçador” —, a autora narra, com humor e graçade quem sabe se aproximar do jovem leitor,que medo não é privilégio de alguns. Todomundo morre, mesmo de medo de algumacoisa. Todo mundo tem seu medo, cada um temseu segredo. Quem parece sempre forte, nofundo é meio sem sorte: tem que aguentar bemsozinho, sem ajuda, nem carinho:— A mãe é que nem a gente. E gente se assusta,chora, ri, fala, inventa, conta, grita e cochicha.Um jeito gostoso de tratar dos medos comas crianças, desses das histórias do livro e deoutros tão presentes no cotidiano infantil —medo do escuro, de dentista, da escola etc.8Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Brincadeira de sombraIlustrações de Marilda CastanhaEu era um dra gãoIlustrações de Marilda CastanhaGente, bicho, planta:o mundo me encantaIlustrações de Mauricio NegroAVENTURAFAN TA SIACURIOSIDADE4 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0736‐9Acervo Básico Teórico para aCriança 2001 (FNLIJ)3 a edi ção; 16 pági nasISBN 978-85 ‐260‐0737‐6Acervo Básico Teórico para aCriança 2001 (FNLIJ)8 a edi ção; 40 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1370 ‐4Em Brincadeira de sombra, o texto de AnaMaria Machado, ricamente ilustrado pelasimagens detalhadas, grandes e coloridas deMarilda Castanha, desperta na criança o prazerde brincar, de levantar hipóteses, de entrar nojogo da descoberta das luzes e das sombras, deaparecer e sumir, de diminuir e crescer, decorrer e parar, de acender e apagar, de chegarperto e afastar.Tudo isso, a menina da história, Luísa,descobre com a ajuda de seu avô.— Vovô, ela está fazendo o que eu faço!— É porque ela é sua sombra — diz o avô.— Eu não quero essa sombra pequena.Vamos trocar de sombra? (...) Eles nãoconseguem trocar de sombra.Um livro bonito, inteligente! Gostoso de ler,gostoso de ver!Ana Maria Machado, ganhadora do prêmiointernacional Hans Christian Andersen, em2000, considerado o Nobel da literatura paracrianças e adolescentes, conhece como ninguéma importância da experiência imaginária nainfância, o papel formador da literatura e asensibilidade que as crianças têm para imergircom rapidez no reino da fantasia.É o que ocorre na história Eu era umdragão.Marco chega à casa de Luísa e de Taís usandouma capa preta e uma espada. Sentindo ‐se umherói, convida as meninas para cavalgarem porlugares longínquos, misteriosos. Foram todospara a cozinha buscar os cavalos encantados eoutras capas. Em um passe de mágica, rainha,princesas, um super ‐herói e um dragão terrívelentram em cena.Gente, bicho, planta: o mundo me encanta,de Ana Maria Machado, reúne três histórias,nem grandes, nem pequenas, na medida certa— “A briga da terra com o ar”, “Um problemachamado coiote” e “De pergunta em pergunta”.Três narrativas inteligentes, desafiadoras edivertidas, porém tratam de assuntos bemsérios — o equilíbrio entre gente, animais eplantas, o ciclo da vida, a cadeia alimentar e aimportância e a força dos elementos danatureza... o homem foi aproveitando parafazer tudo melhor. Mas se não tiver cuidado,tudo fica bem pior e acaba complicando. Segastar tudo, nada resta. Se a gente só destruir,aí mesmo é que não presta. Para dominar o ar ea terra (...), vivendo em paz sem ser guerra, ohomem tem que proteger planta e bicho. Senãoacaba tudo virando um lixo.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses9


Maré baixa, maré altaIlustrações de Marilda CastanhaMeu reino por um cavaloIlustrações de Dave Santana e Mauricio ParaguassuO menino que espiava pra dentroIlustrações de Alê AbreuCOMPREENSÃODA NATUREZAFAN TA SIAMEIO AMBIENTE4 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0738‐6Acervo Básico Teórico para aCriança 2001 (FNLIJ)1 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260 ‐0893 ‐52 a edi ção; 32 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1284 ‐4No livro Maré baixa, maré alta, o imaginárioinfantil, tão ricamente abordado no texto deAna Maria Machado, ganha movimento e forçacom as imagens grandes, coloridas, detalhadas edinâmicas de Marilda Castanha, ilustradora dequalidade reconhecida, tendo recebido algunsprêmios renomados.Durante o caminho de ida e volta à praiacom os pais, Luísa distrai ‐se brincando deobservar as marcas deixadas na areia — pésgrandes, pequenos, médios. Alguémdesmanchou um pedaço do castelo. Quemserá? Pelas marcas dos pés, foi um cachorrolevado. (...) Agora é a onda que vem edesmancha o caminho que o cachorrodesenhou. A menina fica atenta, também, àmaré que sobe e desce.A narrativa, certamente, possibilita à criançaa elaboração de várias hipóteses. E, quantomais capaz de formular hipóteses, mais criativaela será.Em Meu reino por um cavalo, título que nosremete à conhecida frase da obra Ricardo III deShakespeare — Um cavalo! Um cavalo! Meureino por um cavalo! —, Ana Maria Machadoresgata a forma tradicional das narrativasinfantis — Há muitos e muitos anos, num paísmuito longe daqui, havia um castelo. (...) A mãeera rainha. O pai era rei. O filho era umprincipezinho, é claro. O príncipe Ricardo.O sonho do menino era crescer logo e terum cavalo bonito, de verdade, como os doscavaleiros do reino. Porém, contentava ‐sebrincando de galopar montado em um cabo devassoura. Um dia, um fato o transforma emherói e seu desejo realiza ‐se.Esse tipo de narrativa estimula asensibilidade da criança que, aos poucos, setorna capaz de criar suas próprias histórias,seu próprio discurso, sua identidade pessoal ecoletiva.Em O menino que espiava para dentro, AnaMaria Machado, sempre com as palavras tãobem articuladas, conta a história de Lucas, ummenino com a maior facilidade de sonhar, deimaginar. Mesmo prestando muita atenção emtudo, tudo também é motivo para ele sedistrair e entrar em um outro universo —mágico, longínquo, distante. Inventa umamigo, Talento ou Tamanco ou Tatá, andasobre ondas, come a maçã do sono profundo,mora em conchas, voa pelos ares, vêautomóveis ‐leões, bosques de caramelos... Nãodava para espiar mais, para ver nada, nem nafrente nem atrás. Só aquele breu profundo. Ele,de um lado. Do outro, o mundo. De repente, umbeijo, um abraço, os olhos se abrindo, a luzbrilhando no espaço. — Você é uma princesa? Amãe riu...Uma narrativa que resgata na criança afantasia, a liberdade, o encantamento, apossibilidade de brincar em outros reinos, emoutras épocas, de ser outros seres.Crianças de até 5 anos e 11 meses10Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O Natal de ManuelIlustrações de Cecilia EstevesPassarinho me contouIlustrações de Lúcia BrandãoQuem perde ganhaIlustrações de Cris EichCOMPORTAMENTOCOMPORTAMENTOTRANSFORMAÇÃO3 a edi ção; 32 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1325 ‐42 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1338 ‐45 a edi ção; 40 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1304 ‐9Uma história que começa aparentementesimples e aos poucos vai crescendo emprofundidade, em reflexão, sem perder o jeitogostoso de chegar bem perto do universoinfantil, como Ana Maria Machado, em suasnarrativas, sabe fazer muito bem. Uma históriasobre a curiosidade de um menino, André, quequer saber o que significa Natal. De perguntaem pergunta, para os pais, para a irmã, para aavó, para os tios, para a cozinheira, para osamigos, em sua cabeça nada se esclarece, ficasó cada vez mais confuso. Antes de dormir,André ficou deitado pensando naquilo tudo.A cabecinha dele lembrava de todas coisas:Natal é o nascimento de Jesus. É um tempoótimo para ganhar dinheiro. É dia de ficar emcasa sem trabalhar. É uma trabalheira. (...) É diade menino bonzinho ganhar presente.Uma história sobre valores, pessoas epontos de vista diferentes e um finalsurpreendente.Passarinho me contou que certa vez haviaum reino. E, nesse reino, um rei havia. Haviatambém muita coisa bonita, coisa que nem seimagina. Havia sol e havia mar. Muito sol.Muito mar. Assim começa mais uma históriacriada por Ana Maria Machado, em que um reiacreditava que seu país era deslumbrante,perfeito, um verdadeiro paraíso para se viver.Por isso, ele se surpreendeu quando umviajante muito idoso o procurou para lhe dizerque no reino havia um problema. No entanto,o visitante morre antes de dizer qual era oproblema. Para o rei, que não via nada deerrado — porque vivia da imagem construídapor ele e por aqueles que estavamacostumados com o lugar –, descobrir talproblema seria uma tarefa quase impossível.Uma narrativa instigante que trata de formasensível e lúdica a questão do saber olhar,perceber o outro e o mundo a sua volta.No livro Quem perde ganha há três histórias— “Fiapo de trapo”, “A menina que viviaperdendo” e “O boto e a estrela” — escritascom humor, muita sensibilidade e umriquíssimo jogo de linguagem. Nelas, AnaMaria Machado enfatiza questões do tipo: deque nada se perde, de que tudo se transforma,que quem perde, na verdade, muitas vezesganha e que a perda não é fim, pode ser, naverdade, um bom começo... Crescer, no caso deLena, a menina da segunda história, implicavaperder as roupas... Era uma vez uma meninaque vivia perdendo. Pelo menos era o que elaachava. (...) Às vezes, a mãe resolvia vestir nelaum vestido que Lena não punha há um tempão.Na hora de abotoar, já se sabe: — Não fechamais. Como esta menina perde roupa... (...)Outras vezes era o sapato (...) — Mas não épossível... Tão novinha esta bota e ela já perdeu.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses11


Um montão de unicórniosIlustrações de Márcia SzéligaIMAGINAÇÃO1 a edi ção; 32 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1283 ‐7Um edifício residencial. Muito concreto,nada de verde, nada de terra. Pouco espaçopara as crianças brincarem, viverem comliberdade. Tinham de se contentar com o bichode estimação que era possível ter — umcachorro, um porquinho ‐da ‐índia, umpassarinho, uma tartaruga, um gato, unspeixinhos. Se viver naquele lugar de cimentocinzento já era difícil para Diogo, Joana, Lucas,Rafael, Pedro, Cláudio, Clara, tudo ficou muitopior com a chegada do novo síndico. Entretantas medidas absurdas, ele proíbe qualquerbicho de estimação no prédio. Revoltadas, ascrianças, na luta por seus direitos, criam umjeito de resolver o conflito: a praga deunicórnio. O homem abriu a janela, pensandoque talvez uma lufada de ar puro sumisse comaquelas assombrações. E viu lá embaixo umacena inesquecível: a criançada toda correndono playground, cada uma com seu unicórnio.Resolveu chamar as crianças.Mais uma história de Ana Maria Machado.Na verdade, não só mais uma história. Masuma declaração de respeito às crianças, às suasideias e aos seus valores.ilustração: Alê AbreuCrianças de até 5 anos e 11 meses12


ColeçãoBartolomeuCampos deQueirósAs patas da vacaIlustrações de Walter OnoLUDICIDADEFloraIlustrações de Ellen PestiliNATUREZANascido em 1944, Bartolomeu Camposde Queirós viveu sua infância emPapagaio, cidade com gosto de"laranja‐serra‐d’água", no interior deMinas Gerais. Considera va-se umandarilho, aprendendo e vendo esteimenso país. Em 1974, publicou seuprimeiro livro, O peixe e o pássaro, edesde então firmou seu estilo de escritacom uma prosa poética da mais altaqualidade. Faleceu em 2012.10 a edi ção; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1009 ‐3Neste livro, Bartolomeu Campos de Queirós,escritor mineiro, fala sério brincando,ou brinca falando sério. É uma vaca esquisita:/Se tem 4 patas/ e 8 pés,/ tem 4 leiteiras,/4 bicos/ e 8 asas.A partir de um jogo verbal — exploraçãodos vários sentidos de uma mesma palavra —,o escritor cria novas possibilidades com umamesma palavra e, muito além disso, criapersonagens com até novas características.As quatro patas da vaca/ São quatro patos,no boi?No desenrolar do livro, Bartolomeu Camposde Queirós brinca com a palavra pata, coma palavra pato, com a palavra leiteiras,com a palavra bico e com a palavra pés.Além disso, a todo momento, o autor jogacom o raciocínio lógico da criança aliando ‐o àsua capacidade de imaginar, de criar. E, a partirdaí... Se a vaca tem 4 patas/ que viram sempreleiteiras,/ a vaca tem 4 bicos/ e quatro paresde asas.2 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1387 ‐2Cada livro de Bartolomeu Campos deQueirós é sempre um grande encontro. Umencontro entre sentimentos e emoções, entrepalavras e imagens poéticas, entre imaginaçãoe realidade. O leitor, independentemente desua idade, é convidado a desvendar ossegredos das coisas mais simples ou adescobrir situações novas, inusitadas. Nestelivro não poderia ser diferente. A menina Flora,a protagonista, observa, contempla, admira,respeita e vivencia zelosamente o ciclo da vida.Surpreende ‐se diante da força da natureza eda importância da terra para cada novoperíodo de gestação. Flora guardava umapaixão secreta pelas sementes. Debruçava sobreos grãos buscando adivinhar o depois. Sabiamorar em cada semente uma floresta, árvore,galho, folha, fruto, e sempre. Era preciso apenaspaciência para outras vidas serem reinventadas.Cada texto desse escritor mineiro é sempreum convite ao prazer de ler. Ler com a alma,com o coração, com os olhos sensíveis aosmistérios da vida.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses13


História em 3 atosIlustrações de André NevesMenino inteiroIlustrações de Walter OnoO ovo e o anjoIlustrações de LélisFANTASIASOLIDARIEDADELINGUAGEM POÉTICA/FANTASIA14 a edi ção; 16 páginasISBN 978 ‐85‐260‐1034‐5Acervo Básico Teórico paraa Criança 2003 (FNLIJ)1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1350 ‐62 a edição; 16 páginas;ISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1204 ‐2Bartolomeu Campos de Queirós, uma dasmais importantes vozes da produção culturalpara crianças e jovens da atualidade, nestaHistória em 3 atos — o ato do gato; o ato dopato; o ato do rato — cria uma maneira alegre,dinâmica e lúdica de brincar com as palavras.No primeiro ato/ o gato vê o pato,/ tem umsusto,/ cai o G.// O pato vê o gato,/ tem umsusto,/ perde o P// O P se esconde no pé dopato./ O G se esconde na garra do gato.// O gatoque é ato/ procura o G./ O pato que é atoprocura o P. (...) No segundo ato/ o gato virapato. Surgem, assim, durante a leitura, novaspossibilidades linguísticas com o acréscimo oueliminação de uma letra. O gato come o R dorato e vira grato. O rato sem R vira ato.A criança é levada a interagir com o texto ea descobrir o prazer estético das palavras.Uma criança estava para nascer. Umnascimento muito esperado! Amor, zelo ecarinho habitavam o coração dos pais. Alegria,euforia e felicidade emergiam da natureza, quetambém se preparava para a chegada daquelanova vida. Chegado o dia, nasceu um menino.Depois da chegada do menino, os moradores dacidade descobriram que as árvores estavammais verdes, as flores mais encarnadas, aságuas mais cristalinas, os trovões maisdelicados, o infinito mais compreendido. Tudo,naquela pequena vila, mudou sem violência eguerra. E os habitantes encontravam ‐se nasruas e trocavam muitos bons ‐dias, boas ‐tardes,boas ‐noites. O menino crescia fraterno,solidário, coração aberto. Porém, um dia... Ocerto é que o menino nasceu e partiu. Deixouum recado para ser lido no cosmo infinito, noespelho da água, no silêncio da pedra (...).Uma história criada por BartolomeuCampos de Queirós é sempre para ser lida,relida, contada e recontada.Em O ovo e o anjo, escrito em linguagempoética, Bartolomeu Campos de Queirós,sempre brilhante no manejo do idioma, maisuma vez demonstra sua habilidade em brincarcom as palavras, descobrir relaçõessemânticas e sonoras, seduzir o leitor com asingeleza da expressão poética. Todo ovo temasas./ Todo ovo é ave.// Todo ovo é voo./ Todaave voa. (...) Eu escuto a ave cantar/ Nuncaescuto anjo rezar./ Tem coisas que eu vejo/ eoutras que só ouvi falar.As ilustrações de Lélis valorizamvisualmente as palavras mágicas do poeta.Bartolomeu Campos de Queirós, com suainventiva linguagem poética e fantasia, faz oleitor redescobrir aves, anjos, meninos e ovos.Crianças de até 5 anos e 11 meses14Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Os cinco sentidosIlustrações de Camila MesquitaPedroIlustrações de Sara Ávila de OliveiraRosa dos ventosIlustrações de Camila MesquitaLINGUAGEM VERBAL ENÃO VERBALIMAGINAÇÃOIMAGINAÇÃO3 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1402 ‐23 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐1293‐6Prêmio Selo de Ouro o Melhorpara Criança (FNLIJ)3 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1405 ‐3Os cinco sentidos — visão, audição, olfato,paladar e tato — transformados na prosapoética de Bartolomeu Campos de Queirósinstigam o leitor a compreender e a refletirsobre o caráter expressivo, sensível e criativoda linguagem nas suas diferentes formas. Pormeio dos sentidos, produzimos linguagem. Pormeio dela, o homem dialoga consigo mesmo,com os outros e com o mundo a sua volta. Alinguagem, seja verbal ou não verbal, estápresente em todas as atividades humanas.Saber usá ‐la com sensibilidade é um desafio dasociedade contemporânea.Por meio dos sentidos suspeitamos o mundo.Com os olhos nós olhamos a vida. Olhamos aságuas rolando entre pedras, peixes, algas (...).Com os ouvidos nós escutamos o silêncio domundo (...). Com o nariz sentimos os cheiros domundo (...). Com a boca sentimos o sabor dascoisas... (...). Quando alguém especial nos olhanós nos sentimos tocados (...). Em cada sentidomoram outros sentidos.A leitura dos livros de Bartolomeu Camposde Queirós é sempre um convite para adentrarno universo pouco explorável do sonho, daimaginação, do ato criador. É a possibilidade dedespertar nossa sensibilidade adormecida,nossa capacidade de sentir. É, também, aoportunidade de conhecer a magia daspalavras, possível só nos textos literários dequalidade.No livro Pedro, o autor e a ilustradora, SaraÁvila de Oliveira, envolvem o leitor em umahistória em que o menino Pedro acorda com ocoração cheio de domingo e vê o voo de umaborboleta. Pedro é um nome que a genteconhece em muitas línguas: Pedro, Pierre, Peter,Pether, Petrus. Pedro pintou, um dia, em algumaparte do mundo (...) uma borboleta. O papeltinha o tamanho de sua intenção. As cores, asde seu desejo. Pintou ainda, sobre o papel,flores para a borboleta se esconder e galhospara descansar. É mesmo fácil imaginar suapintura ou fazê ‐la. Mas a consequência não foitão simples. É melhor saber toda a história.Com a rotação da Terra e o corpo inventouma bússola e sou uma rosa dos ventos. Abroos braços como se para um abraço. Com a mãodireita tento tocar onde o Sol nasce. Lá é oLeste, lá é o Oriente. Ao nascer, o Sol acorda anoite e tudo vira dia. O Sol surge lento... Rosados ventos pode parecer um livro com aintenção de ensinar, brincando, os pontoscardeais.Com ele, certamente, pode ‐se ensinar eaprender também os pontos cardeais, porémno texto de Bartolomeu Campos de Queirós hámuito mais do que isso. Musicalidade, ritmo,sonoridade, elementos sensoriais, múltiplossignificados, intensa sensibilidade e ampliaçãodo imaginário mesclam ‐se para criar um textoem que há muito para sentir e refletir sobre simesmo e sobre estar no mundo.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses15


Somos todos igualzinhosIlustrações de Guto Lacazlinguagem poética/identidade ediversidade1 a edição; 16 páginas;ISBN 978-85 ‐260 ‐1111 ‐3Bartolomeu Campos de Queirós, uma dasmais importantes vozes da produção culturalpara crianças e jovens da atualidade, emSomos todos igualzinhos, reflete criativamentesobre o relacionamento e o comportamentohumano a partir de dois casais de animais. Osgalinhos compadrinhos/ e muitocompanheirinhos/ e paizinhos dos doispintinhos/ chegam bem cedinho (...). Asgalinhas comadrinhas/ muitocompanheirinhas/ e mãezinhas dos doispintinhos/ com peninhas penteadinhas/acordam os dois filhinhos/ cantandodelicadinhas:/ pin ‐pin ‐ti ‐ti ‐nho ‐nha:/ pin ‐pin‐‐ti ‐ti ‐nho ‐nha. Em linguagem poética, querecria o imaginário infantil através do uso dodiminutivo, associada às ilustrações magníficasde Guto Lacaz, a leitura dessa história despertaa sensibilidade da criança para a descoberta deoutras possibilidades do uso da linguagem,tanto a verbal quanto a não verbal.ilustração: André NevesCrianças de até 5 anos e 11 meses16


CecíliaColeçãoMeirelesEsta carioca lírica e de doces olhosazuis publicou seu primeiro livro depoemas, Espectros, em 1919, quandotinha dezoito anos. Foi professora,jornalista, criou a rede de bibliotecaspúblicas da cidade do Rio de Janeiro.Pioneira na poesia brasileira paracrianças, seu livro mais conhecido epremiado é Ou isto ou aquilo.Canção da tarde no campoIlustrações de Ana RaquelLINGUAGEM POÉTICA/NATUREZA3 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0706‐8Altamente Recomendável —Poesia – 2001 (FNLIJ)A leitura de Canção da tarde no camporepresenta a possibilidade de um grandeencontro com o lirismo da poesia de CecíliaMeireles, considerado pelos críticos o maiselevado da literatura brasileira contemporânea.Altamente técnica, embora seus versosdemonstrem uma simplicidade quase popular edesenhem imagens sensoriais fortes emusicais. Caminho do campo verde,/ estradadepois de estrada./ Cercas de flores, palmeiras,/serra azul, água calada.// Eu ando sozinha/ nomeio do vale./ Mas a tarde é minha.As imagens criadas por Ana Raquel, comuma experiência de mais de setenta livrosilustrados, captam o sentimento da autora noseu encontro com si mesma e com a natureza.Meus pés vão pisando a terra/ que é a imagemde minha vida.O menino azulIlustrações de Lúcia HiratsukaIMAGINAÇÃO1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐0890 ‐8Cecília Meireles — organizadora da primeirabiblioteca infantil do país, em sua cidade natal,o Rio de Janeiro, e um dos grandes valores denossa literatura — tem um estilo voltado paraa simplicidade da forma e marcado, ao mesmotempo, pela riqueza das imagens e símbolos.O menino quer um burrinho/ que saibainventar/ histórias bonitas/ com pessoas ebichos/ e com barquinhos no mar. A suavidadede sua poesia encanta tanto a criança como osjovens e adultos.Em O menino azul, o imaginário infantil,tratado com leveza, é a tônica dos versos. Essesentimento toma cor e forma, com asilustrações inspiradas em técnicas japonesas deLúcia Hiratsuka, que busca, como a escritora, asimplicidade e a naturalidade presentes nanatureza.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses17


Os pescadores e as suas filhasIlustrações de Cris Eichlinguagem poética1 a edição; 24 páginasISBN 978-85-260-1683-5Os pescadores dormiam/ cansados, ao sol,nos barcos./ As filhinhas dos pescadores/brincavam na praça, de mãos dadas./ Asfilhinhas dos pescadores/ cantavam cantigasde sol e de água./ Os pescadores sonhavam/com seus barcos carregados.Nessa publicação, o poema de CecíliaMeireles, com seus versos cadenciados emelódicos, construídos com rigor estético,harmoniza ‐se com as ilustrações da talentosaartista plástica Cris Eich. Estas, em tons suavese delicados, acompanham a luminosidade dodia ensolarado, o movimento dos barcos, domar, dos pescadores, o dinamismo das meninase retratam a ternura, o afeto, os sonhos e osdesejos presentes no texto. Proporcionar aleitura de textos poéticos de qualidade aopúblico infantil é imprescindível para suaformação de leitor.ilustração: Cris EichCrianças de até 5 anos e 11 meses18


ColeçãoChristianeGribelFormada em publicidade, ChristianeGribel nasceu no Rio de Janeiro evive atualmente em São Paulo. Seuprimeiro livro para crianças,Histórias de um pequeno astronauta,ganhou o Prêmio Jabuti deliteratura na categoria Autora‐‐Revelação. Não vou dormir,publicado pela Global, foi um dosfinalistas do Prêmio Jabuti nacategoria Melhor Livro Infantil.A pequena serenata dosapo cantorChristiane gribel e claudio souzaIlustrações de Claudio SouzaLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL/IMAGINAÇÃO1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1474 ‐9Christiane Gribel e Claudio Souzaconstroem, com seus traços, tons e cores, emuita sintonia e sincronia, a serenata do sapocantor — uma sinfonia silenciosa que embala aleitura e abre caminhos para a imaginação. Osdesenhos saltam aos olhos do leitor, comonotas e acordes. Os jogos de luz e osmovimentos traduzem os estados de alma. Apequena serenata do sapo cantor é umahistória sem barreiras. Como a própria autoradiz, escrita só com desenhos, que é para todomundo poder ler e viver o encantamento daserenata do sapo cantor.Não vou dormirChristiane gribel e OrlandoIlustrações de OrlandoLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL/COMPORTAMENTO1 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1217 ‐2No livro Não vou dormir, texto e criação deChristiane Gribel e ilustração de Orlando, asduas linguagens dialogam em perfeitaharmonia e desencadeiam uma potencialidadede sentidos. Esses despertam a atenção dacriança para os recursos expressivos tanto dalinguagem verbal como da linguagem nãoverbal.– Não vou dormir, disse a menininha. Vouficar bem acordada aqui na cama. Não estoucom sono nenhum. A mamãe me mandou paracama. Mas isso não significa que eu vou dormir.A leitura dessa história, que trata de umasituação tão próxima do cotidiano infantil,resistir ao sono, não querer ir para cama, nãoquerer dormir, pode contribuir também parauma reflexão sobre a resistência da criança emrespeitar os seus próprios limites e aquelesimpostos pelos pais.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses19


ClássicosColeçãoUniversaisAlgumas histórias tornaram ‐seuniversais, ou seja, todas as criançasdo mundo já as ouviram ou leram.A Coleção Clássicos Universais visaresgatar o que de melhor já foiescrito para as crianças, as maisbelas e inteligentes histórias infantis,adaptando ‐as para o nosso tempo erealidade pelas mãos de nossosescritores. Os livros desta coleçãopossuem um projeto editorial esmeradoe ilustrações belíssimas, bem comoas biografias dos que trabalharampara que cada exemplar existisse.ilustração: Gustave DoréA Bela Adormecida no bosqueCharles PerraultIlustrações de Gustave DoréTradução de Ana Maria MachadoFANTASIA1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1033 ‐8A Bela Adormecida no bosque de CharlesPerrault, nesta coleção, tem a tradução deuma das mais importantes escritoras daliteratura infantojuvenil, Ana Maria Machado.Na apresentação, ela comenta: Pouca genteno Brasil conhece a versão completa, que estáneste livro (...). Traduzimos tudo exatamentecomo Perrault escreveu, sem cortes nemadaptações, porque é uma excelente maneirade vermos como um conto de fadas clássicoera contado há mais de três séculos e comoele se manteve vivo até hoje.Essa história, como tantas outras do mesmogênero, tornou ‐se atemporal. Sua leitura poderesgatar a dimensão expressiva da linguagem,o saber ouvir, a troca de experiências epossibilitar, também, um percurso noimaginário infantil.A pedra da sabedoriaHANS CHRISTIAN ANDERSENIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução de Luisa BaetaAdaptação de Ana Maria MachadoDETERMINAÇÃO1 a edição; 32 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐1032 ‐1A pedra da sabedoria, um conto dodinamarquês Hans Christian Andersen,adaptado por Ana Maria Machado e ilustradopelo colorido forte de Cláudia Scatamacchia,narra uma história comovente. Um sábio tevecinco filhos, quatro meninos e uma meninacega muito bonita e inteligente. Cada um delestinha um sentido muito desenvolvido. De tantoouvirem o pai contar sobre a existência dobelo, do bom e do verdadeiro, os rapazessaíram pelo mundo para encontrar essa joiapreciosa, a pedra da sabedoria. Cada filho,confiando demais no seu sentido, deixou ‐selevar pelas forças do mal e não conseguiavoltar para casa. A filha, ao ver a tristeza dopai, partiu em busca dos irmãos. Tinha um domque os outros não tinham. Não era apenas otato. Era determinação de se lançarinteiramente naquilo que decidia fazer. Isso afazia sentir como se tivesse olhos até naspontas dos dedos, e ela podia ouvir tudo atédentro de seu próprio coração.A importância da leitura desse tipo dehistória no cotidiano da criança éinquestionável. Constitui uma rica experiênciaestética e emocional.20Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Nicolão e NicolinhoHans Christian AndersenIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução e adaptação de Ana Maria MachadoO rouxinol e o imperador da ChinaHans Christian AndersenIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução e adaptação de Cecilia R. LopesOs músicos de BremenIrmãos GrimmIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução e adaptação de Fernando Klabinnatureza humanaAMIZADELIBERDADE1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1355 ‐12 a edição; 24 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0925 ‐71 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1289 ‐9Traduzido em mais de oitenta línguas, oscontos de Hans Christian Andersen, quaseduzentos, contêm sempre verdades universaissobre a natureza humana. Nicolão e Nicolinho,traduzido e adaptado por Ana Maria Machado,conta a história de dois homens. Há muitotempo, em um vilarejo distante, moravam doishomens que tinham o mesmo nome: Nicolau.Um deles tinha quatro cavalos, e o outro sótinha um. Então, para diferenciar um do outro,o povo do vilarejo chamava aquele que tinhaquatro cavalos de Nicolau Grande, ou Nicolão,e o que tinha um só cavalo de Nicolau Pequeno,ou Nicolinho. Vamos agora saber o queaconteceu com eles, pois esta história aconteceude verdade.Os dois tinham um trato: durante todasemana Nicolinho trabalhava no arado paraNicolão e emprestava seu cavalo. No domingo,Nicolão emprestava seus quatro cavalos eajudava Nicolinho. No decorrer da narrativa,depois de muitas desavenças entre eles,Nicolinho, usando de sua esperteza, “vira ojogo” — fica muito rico e elimina de sua vidaNicolão.Mais uma narrativa de Hans ChristianAndersen, adaptada por Cecilia R. Lopes, comilustrações de Cláudia Scatamacchia. A históriaversa sobre a amizade entre um rouxinol e oimperador da China. Esse desconhecia aexistência do pássaro. Descobre ‐o ao receberum livro de presente no qual está escrito que amaior beleza de seu reino era o canto dorouxinol. Surpreendido, ordenou que oprocurassem.O rouxinol encantou tanto que fez o imperadorchorar. Depois de um tempo, ele recebeu depresente um sofisticadíssimo rouxinolmecânico. Diante do sucesso do outro, orouxinol é expulso do palácio.Todas as noites o rouxinol artificial cantava,até que um dia quebrou. Consertado, sópoderia cantar uma vez ao ano. Depois dealguns anos, o imperador adoeceu. Em umanoite, sentiu que a morte se aproximava.Então, uma linda canção quebrou o silêncio. Erao rouxinol de verdade pousado num galho láfora. Ouvira falar da doença do imperador eviera oferecer esperança e conforto com seucanto.Os músicos de Bremen, dos Irmãos Grimm,traduzido do original alemão por FernandoKlabin, conta a história de quatro animais: umburro, um cão, um gato e um galo, que, porestarem velhos e inúteis, são maltratados porseus donos. Juntos, descobrem uma forma deser feliz. Ao perceber que maus ventossopravam para seu lado, o jumento fugiu etomou o caminho de Bremen, onde sonha sermúsico. Depois de percorrer muita estrada, deude cara com um cão de caça que estavaestirado bem no meio do caminho, ofegante (...)— Ah — disse o cachorro –, já estou tão velho efraco, que não consigo mais acompanhar ascaçadas. Por isso, meu amo quis me abater.Colocar a criança em contato com opatrimônio literário universal, elementoindispensável em sua formação, é tambémfunção da escola.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses21


ClássicosColeçãoUniversaisSérieEncantosA irmã do SolAndrew LangIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução de Luisa BaetaAdaptação de Ana Maria MachadoCOMPORTAMENTOO califa cegonhaWILHELM HAUFFIlustrações de Cláudia ScatamacchiaTradução de Maria Lucia MachensAdaptação de Ana Maria Machadovalores humanosContos tradicionais, com seleçãoe adaptação de Ana Maria Machado,que trazem o maravilhoso, o humor,o encantamento das históriascontadas e recontadasinfinitamente. Para fazer brilharos olhos das crianças e dosadultos também.Direção de coleçãoAna Maria Machadoilustração: Cláudia Scatamacchia1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1466‐4A irmã do Sol, do escritor escocês AndrewLang e adaptada por Ana Maria Machado, éuma história de encantar. Castelos, florestasperigosas, gigantes, bosques selvagens,galinhas douradas, objetos e animais mágicosmisturam ‐se para criar uma narrativaenvolvente. Uma princesa apaixona ‐se pelofilho do jardineiro do palácio. Sua Majestade,com toda autoridade que lhe diz respeito, criatodos os tipos de obstáculos para impedir quea princesa se case com o jovem plebeu. Aprincesa, corajosamente, desafia as ordensreais e consegue seu objetivo: casar ‐se com ohumilde rapaz. Na manhã seguinte a princesadisse que tinha pensado no assunto e que,como ela não era súdita do rei, não via motivopara ser sujeita às suas leis. E ela queria secasar naquele dia mesmo. O pai do noivoexplicou que não tinha problema ela dizer essascoisas, mas que o caso do seu filho era bemdiferente, pois ele pagaria com a própria cabeçase desobedecesse às ordens do rei.1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1206 ‐6Um califa, um grão ‐vizir, um mercador, umacaixinha com pó preto, um manuscrito, um sábio,uma palavra mágica e uma coruja são alguns doselementos presentes na sedutora história de Ocalifa cegonha, do escritor alemão WilhelmHauff, tradução de Maria Lucia Machens eadaptação de Ana Maria Machado. Uma narrativaque instiga a imaginação criadora da criança e atransporta para as terras longínquas de Bagdá.Era um homem pequeno, gordo, de rostomoreno e vestia um traje esfarrapado. Traziaconsigo uma caixa com todo tipo de coisas:pérolas, anéis, pistolas ricamente adornadas,taças e pentes. Muito à vontade, foi logoabrindo e mostrando todas as mercadorias,elogiando a qualidade dos artigos (...). Quandoo mascate já ia fechando a caixa, o Califa viuno fundo uma gaveta pequena e perguntou...A narrativa de O califa cegonha abre espaçopara que, mesmo em tempos de altatecnologia, recupere ‐se o prazer de ler, ouvir econtar histórias.22Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O pequeno MuckWILHElM HAUFFTradução de Maria Lucia MachensAdaptação de Ana Maria MachadoRaminho de alecrimANDREW LANGIlustrações de Taciana V. OttowitzTradução de Luisa BaetaAdaptação de Ana Maria MachadoDETERMINAÇÃOpersistênciaPRELOPrelo1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1262 ‐2Esta história, mais um conto de WilhelmHauff adaptado por Ana Maria Machado,narra a difícil trajetória de vida de Muck, umanão de boa índole, que nasceu em Nicea, naTurquia. Aos dezesseis anos, com a morte dopai, vê ‐se obrigado a sair de sua cidade.Os cruéis parentes, aos quais seu paidefunto devia mais do que havia podido pagar,expulsaram o pobre Muck de casa. O pequenoMuck respondeu que estava pronto para partirimediatamente, mas pediu se podia ficar como traje de seu pai e isto foi tudo que lhe deram.Começa então uma longa jornada dedificuldades — fome, discriminação, injustiça,desrespeito, solidão. Ao mesmo tempo, elesempre é surpreendido por elementos mágicos— o chinelo, o cajado, os figos — que entramem sua vida e ajudam ‐no aos poucos a mudaro rumo de seu destino.Era uma vez um homem que só tinha umafilha e a fazia trabalhar o dia todo. A moça eramuito bonita e não reclamava, mas viviatorcendo para alguma coisa muito especialacontecer em sua vida. Certa tarde, quando elajá tinha terminado todo trabalho do dia, seu paia mandou ao bosque para pegar folhas egalhos secos para a lareira.Raminho de alecrim, narrativa da tradiçãoibérica bastante conhecida na Europa, resgatao elemento mágico presente nos tradicionaiscontos populares. Raízes sobrenaturais, umburaco enorme no meio da terra, um túnelmisterioso, um príncipe feiticeiro, uma chaveproibida, um baú, um palácio de cristal, umanoz e uma amêndoa encantadas e aindapresentes do Sol e da Lua transportam acriança para o reino do imaginário epossibilitam que ela explore um território cheiode desafios, obstáculos e descobertas.ilustração: Cláudia ScatamacchiaCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses23


ColeçãoCoraCoralinaEm 1889, na Villa ‐Boa de Goyaz,nascia Aninha, que escolheu sechamar Cora Coralina. Emboraescrevesse desde moça, tinha 76anos quando seu primeiro livro foipublicado, e quase noventaquando sua obra estourou nomercado editorial. Com um estilomuito pessoal, foi poeta e umagrande contadora de histórias dascoisas de sua terra. Ela nos deixouem 1985.A menina, o cofrinho e a vovóIlustrações de Cláudia ScatamacchiaRELAÇÃOFAMILIAR1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1372 ‐8Era uma vez uma velha que morava sozinhanuma cidade muito antiga e tinha sua casa‐‐grande na beira de um rio (...). A velha tinhafilhos. Tinha netos e bisnetos e todos moravamem cidades diferentes, bonitas e movimentadas(...). Assim começa mais uma narrativa criadapor Cora Coralina. Nessa história ela contasobre uma avó que por necessidade financeiradecide fazer doces para vender. Muitodeterminada, vai driblando as dificuldades — afalta de um tacho de cobre, a falta de lenhaetc. — e descobre que se tivesse umageladeira... Então, ela compra uma geladeirausada, a prazo. E um dia, uma surpresa: suaneta Célia abre o cofrinho e dá todo dinheiropara ela pagar as prestações. Como entre avóse netos a moeda de troca é variada, como seráque a avó agradeceu?Uma história de afeto e gratidão!A moeda de ouro queum pato engoliuIlustrações de Alcy Linaresculturapopular6 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260‐1131‐1Altamente Recomendávelpara a Criança 1997 (FNLIJ)Para comemorar o Dia de São João, o povode Ferreiro, um lugar antigo onde começouGoiás, todos os anos fazia uma festa à velhamoda — com muita comida, potes de doces,música, fogos e fogueiras queimando no largoda Igreja. Naquele ano, para agradar ao padre,nada melhor que caprichar no almoço e servirum pato novo com arroz molinho. Paraespanto de todos, no ritual de depenar,despenujar e cortar o pato, a cozinheiraencontra uma linda moeda de ouro, datada de1816, com a efígie de D. João VI.Assim começa, no povoado, grandeconfusão e mistério.Cora Coralina, mestre na arte de lidar com apalavra e de resgatar a cultura de sua terra ede sua gente, diverte e encanta o leitor comessa narrativa em forma de carta. Carta estaescrita para seu neto, Carlos Magno, em 14 deabril de 1965.24Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


As cocadasIlustrações de Alê AbreuINFÂNCIA1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1252 ‐3O conto “As cocadas” — publicado pelaprimeira vez em O tesouro da casa velha, umdos últimos trabalhos de Cora Coralina —ganha nesta edição as cores, os traços, asilustrações, tão sintonizadas com a infância, doartista Alê Abreu. A narrativa em primeirapessoa, curta, direta e, ao mesmo tempo,detalhista no que é preciso — qualidades dequem conta mesmo um conto — envolve acriança, desafia sua curiosidade a cada linha,desperta o desejo de descobrir a resolução doconflito vivido pela personagem. Eu devia ternesse tempo dez anos. Era menina prestimosa etrabalhadeira à moda do tempo. Tinha ajudadoa fazer aquela cocada. Tinha areado o tacho decobre e ralado o coco. (...) O coco era gordo,carnudo e leitoso, o doce ficou excelente. Minhaprima me deu duas cocadas. (...) Duas cocadassó... (...). De noite, sonhava com as cocadas. Dedia as cocadas dançavam pequenas piruetas naminha frente.ilustração: Cláudia ScatamacchiaCrianças de até 5 anos e 11 meses25


CriançasColeçãoCriativasConstituída por livros premiados ereconhecidos internacionalmente, aColeção Crianças Criativas procura darvalor à identidade de cada um, de cadafamília.Estudando os melhores caminhos paraalcançar os ideais que se deseja, oslivros desta coleção têm como principalobjetivo desenvolver nas crianças acuriosidade, a imaginação e ainteligência.Direção de coleçãoGian Calvi e Lucila Martínez CárceresA flauta, o menino e o giganteALISON SAGEIlustrações de Gian CalviTradução de Lucila Martínez CárceresCOMPORTAMENTO1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1528 ‐9Em uma vila, havia um gigante assustadorque de três em três anos escolhia um garotopara ser seu empregado. E então chegou a vezde Rodrigo.No fundo da sala do trono estava sentado ogigante, que disse furioso: “Menino, tome contado meu grifo. Daqui a três semanas vouorganizar um banquete. A plumagem do grifodeverá estar bem macia, sua voz doce comomel e suave como veludo. Se não estiver assim,você vai se arrepender!”Impossível dar brilho às plumas do animal etransformar sua voz esganiçada em uma docemelodia. Porém, Rodrigo consegue não sóvencer o desafio como também cria umarelação harmoniosa entre ele, o gigante e oshabitantes do vilarejo.Dá um sorriso pra titia!Diane PatersonIlustrações da autoraTradução de Gian Calvi2 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1277 ‐6COMPORTAMENTOConseguir o sorriso daquele bebê era tudo oque a titia queria. Disposta a fazer qualquercoisa para ver a criança sorrir, ela dançou, fezcaretas, deu beijinhos, fez cócegas e até tentou“comprar” o sorriso dele com presentes esorvete. Por que você não dá um sorriso pratitia? Eu vou embora e não volto nunca mais.Titia desistiu! Deu as costas e foi embora, e,então, o bebê sorriu. Em Dá um sorriso pratitia! Diane Paterson mostra que a criança temsuas preferências e que não adianta o adultonuma situação inusitada tentar persuadi ‐lapara que mude de ideia.Com o humor presente em seu traço, aautora deixa transparecer o que chamamos decomunicação ineficaz, levando o adulto arefletir sobre a importância de se conhecer osreais interesses da criança para se reverter asituação e estabelecer, enfim, umacomunicação eficaz.®26Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Donnie! Um dia com um cão ‐guia...Vicky RamosIlustrações da autoraTradução de Gian CalviDoutor De Soto — O rato dentistaWILLIAN STEIGIlustrações do autorTradução de Gian CalviFeliz aniversário, luaFRANK ASCHIlustrações do autorTradução de Gian CalviINCLUSÃOComportamentoamizade5 a edição; 32 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0959 ‐25 a edição; 32 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0960 ‐81 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1354 ‐4Donnie é o cão ‐guia de Lorna, umaprofessora cega. Adestrado para auxiliá ‐la, ele aacompanha todos os dias até a escola ondetrabalha e a traz de volta para casa. Estásempre atento a tudo — sons, luzes, cheiros,obstáculos, carros, pessoas etc. Entramos noônibus e tomamos o assento para deficientes. —Bem ‐vindo amigo!, me diz o motorista doônibus. Digo “Olá!”, balançando o rabo. (...) Ufa!Que alívio! Agora vou descansar umpouquinho...Uma história reveladora para o jovem leitor— saber um pouco sobre o cego e conhecer aexistência desse animal tão meigo, tão especial,dotado de extrema afetividade.O cartunista e escritor norte ‐americanoWilliam Steig, também criador do famoso esimpático personagem Shrek, ganhou váriosprêmios pela publicação de Doutor De Soto: orato dentista. Uma leitura imperdível! Um casalde ratos atende, em seu consultório, animaisgrandes e pequenos, mas se recusa a atenderanimais perigosos para sua espécie: Quando acampanhia toca, ele e sua mulher dão umaolhada pela janela. Eles não recebem nemmesmo o mais manso dos gatos. Um dia,quando olharam pela janela, viram o Sr. Raposobem ‐vestido, com um lenço amarrado em voltado queixo. (...) “Por favor”, gemeu o Sr. Raposo.“Tenha piedade, estou sofrendo!” Compadecidocom o sofrimento do perigoso animal, mesmoreceoso, o casal decide atendê ‐lo. Curado esem dor, o único pensamento do Sr. Raposo éo de abocanhar o Doutor De Soto e sua esposa.Uma história instigante, construída com boadose de humor e um final inteligente capaz desurpreender o leitor.Em Feliz aniversário, lua, o escritor eilustrador norte ‐americano Frank Asch, etambém professor, explora magnificamente alinguagem não verbal, associada a textoscurtos, para contar uma história em que afantasia e o imaginário têm lugarpredominante.O ursinho Bino, em uma noite, olhou para océu e pensou: “como seria bom dar um presentede aniversário para a lua”. Mas Bino não sabiaquando era o aniversário da lua, nem o que darde presente para ela. Então ele subiu numaárvore bem alta... A partir daí Bino percorre umcaminho de surpresas e descobertas, faz opossível e o impossível para realizar seu desejo.O afeto, o carinho e a ternura presentes narelação entre o ursinho e a lua cativam esensibilizam a criança.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses27


O passeio de RosinhaPAT HUTCHINSIlustrações da autoraTradução de Gian CalviStrega Nona — A avó feiticeiratomie dePaolaIlustrações do autorTradução de Gian CalviCOMPORTAMENTOImaginação4 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐0961 ‐54 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1031 ‐4Em O passeio de Rosinha, de Pat Hutchins, ahistória é construída predominantemente pelalinguagem não verbal. Quase sem nenhumtexto, com ilustrações coloridas de páginainteira, a autora conta como a galinha Rosinhalivra ‐se, sem perceber, da perseguição de umainsistente raposa durante o seu passeio datarde até a hora do jantar.A galinha caminha tranquila enquanto araposa, cada vez que faz uma tentativa parapegá ‐la, se vê em apuros e sofre acidentesprovocados sem querer por Rosinha, como cairno lago, ser atacada por abelhas, mergulharem um saco de farinha... E todos os esforçosda raposa são em vão, pois não consegueapanhar Rosinha.Uma história divertida em que a criança sesurpreende em cada página. A inocência dagalinha vence a maldade da raposa. Maldadeou uma questão de sobrevivência?O artista norte ‐americano Tomie dePaolareconta e ilustra uma história muito antiga,Strega Nona: a avó feiticeira. Traduzida porGian Calvi, esta narrativa divertida e originalconta que em uma cidadezinha da Calábria, naItália, vivia uma velhinha que tinha um toquemágico, por isso todos a procuravam quandotinham um problema. Por estar comdificuldade de cuidar da casa sozinha, capinaro jardim, colher legumes, alimentar e tirar leiteda cabra, precisava de alguém para ajudá ‐la.Resolve contratar Tonhão e lhe faz umaadvertência: jamais tocar no caldeirão demacarrão. Claro que o rapaz não obedeceu e,na primeira oportunidade, achando ‐seconhecedor dos segredos da Strega Nona,quase inundou o povoado... Tonhão entrou emcasa e arrastou o caldeirão até o chão. “Agora,deixe ‐me ver se me lembro das palavras”, disseTonhão. E Tonhão cantou: “Borbulha, borbulha,caldeirão. Cozinha a massa e o macarrão. Estoucom fome e está na hora de jantar. Cozinha obastante para me alimentar”.ilustração: Gian CalvinCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses29


CucaColeçãoLegalPara oferecer o melhor da literaturapara o desenvolvimento da criança, aColeção Cuca Legal reúne fantasia eencantamento, detalhes e surpresas docotidiano, descobertas e necessidades,sentimentos e inseguranças própriasdas fases da vida, ampliando eengrandecendo a relação da criança comos outros e com o mundo a sua volta.A velha dos cocosninfa parreirasIlustrações de Marcelo Ribeirotrabalho/solidariedade1 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐1124 ‐3Fábrica de monstrosRosa Amanda StrauszIlustrações de Michele IacoccaIMAGINAÇÃO1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐0879 ‐3No sacolejar de um ônibus parador, seguiaviagem uma vendedora de cocos.Vinha de uma vila de pescadores. (...)Cheirava a mercado. Parava em qualquer lugarpovoado. (...) Viagem longa. (...) A velha levavao saco de cocos, a mala de roupas e asmiudezas mais. Aproveitava o motorsacolejante para descansar pernas e braçossecos enrugados pelos a nos. (...) Fez contas decabeça, imaginando quanto ia ganhar com avenda dos cocos.A pobre e velha senhora, que dependia davenda para sobreviver, ao chegar ao seudestino, teve o infortúnio de descobrir que osaco com os cocos não estava no ônibus.A realidade de um Brasil tão desigual ediversificado, abordado por Ninfa Parreiras,com leveza e sensibilidade, provoca na criançasentimentos de respeito e carinho pelapersonagem.O lúdico, a fantasia, a imaginação de mãosdadas no texto expressivo de Rosa AmandaStrausz e nas ilustrações bem ‐humoradas deMichele Iacocca.No quarto escuro, com a luz apagada, aimaginação de Pedro cria cada coisa dearrepiar... ora um fantasma enorme, ora ummonstro esquisito, ora um corcunda de olhovermelho. Mas quando acende o abajur,/ vemosa mesa de estudo,/ livros, cadernos, canetas/ eum casaco de veludo. (...) Agora, um monstroesquisito/ aparece atrás da porta.../ Parece umleão, tem cara de mosquito/ e seis pernas, todastortas. Mas assim que a luz se acende... E nessevai e vem de luz acesa e de luz apagada, o livroFábrica de monstros não assusta, e muitodiverte.A leitura pode revelar à criança vivências,experiências e dúvidas típicas de seu universoinfantil e de sua vida cotidiana.30ilustração: Lúcia HiratsukaCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Nzuá e o arco ‐írisjUlio d'zambÊ e Débora D'zambêIlustrações de Isabel de PaivaO dia em que todos disseram nãoNelson CruzIlustrações do autorO gato barbudoEdla van SteenIlustrações de Ana CiçaPAZCOMPORTAMENTORELAÇÃO FAMILIAR1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1396 ‐43 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1467‐11 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐0638 ‐6Esta obra fala sobre a construção de ummundo melhor, um mundo de paz. Na pele dopersonagem Nzuá, um menino africanonascido em Angola, os autores, Julio D’Zambê eDébora D’Zambê, convidam os leitores adeixarem viver a criança que existe dentro decada um e, assim, com a honestidade e ainocência que há na criança, estabeleceremrelações uns com os outros.O diálogo entre o menino e o arco ‐írisensina aos leitores o respeito ao outro, apercepção de limites e a solidariedade, quepode transformar o mundo. O que fazer paracolorir meu jardim? Ao olhar para o céu, após atempestade, viu um lindo arco ‐íris e sem pensarmuito foi logo pedindo sua cores.No livro O dia em que todos disseram não —texto e ilustrações do premiado artista NelsonCruz –, o autor sensibiliza o leitor com ahistória de Valêncio III, imperador das AltasTerras da Penúria. A narrativa centra ‐se nopoder do imperador e na atitude surpreendenteda população. Pela manhã, o Imperador subiuna torre mais alta do castelo e imaginando ‐sediante de uma enorme multidão discursousolitariamente no microfone real! Sua voz soouclara em todos os aparelhos de rádio e televisãoespalhados pelo pequeno país.— Povo de Penúria! Conclamo todos oscidadãos de bem para que reúnam suas armase se apresentem imediatamente nos jardinsexternos do castelo real (...). Convocava, assim,todos a pegar em armas para lutar contra ospaíses vizinhos. Guerra? Para quê? Ninguémentendia e ninguém queria guerra.O texto de Edla van Steen — escritora commais de vinte títulos publicados, entre contos,romances, entrevistas, peças de teatro einfantojuvenis — e as ilustrações alegres,meigas e engraçadas de Ana Ciça fazem de Ogato barbudo, escrito para as netas da autora,uma leitura encantadora.As rimas, escolhidas com simplicidade,próprias do mundo infantil, constroem ahistória do relacionamento afetivo — paixão,namoro, casamento, filhos, netos — de umsimpático casal de gatos, Cascudo e Cida. Erauma vez um gato barbudo/ que se chamavaCascudo,/ e que gostava de quase tudo. (...) Elenamorava a Cida/ uma gata atrevida,/ e muitosabida. (...) O pai de Cida era carteiro,/ o irmãobarbeiro/ e o avô... padeiro.Abrir espaço para a leitura do gêneropoético na sala de aula é possibilitar o resgatedo lúdico, da capacidade de criar e agircriativamente.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses31


O pintinho que nasceu quadradoRegina Chamlian e Helena AlexandrinoIlustrações de Helena AlexandrinoTodas as cores do marLuís pimentelIlustrações de FêVida simplesOrlando pedrosoIlustrações do autorPRECONCEITO/INCLUSÃOAVENTURALINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL6 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1236 ‐31 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1203 ‐51 a edição; 32 páginasISBN 978-85-260-1649-1Em O pintinho que nasceu quadrado, deRegina Chamlian e Helena Alexandrino, texto eilustrações narram uma história permeada desensibilidade e muita reflexão. Num certogalinheiro viviam um galo e muitas galinhas (...)o galo a cantar, as galinhas a ciscar e a botarovos. E só. Porém havia uma jovem galinha, aCarola, que se chateava demais com aquela vida.Não ciscava tanto como as outras. Às vezes,encostava o bico na grade do cercado e ficavaolhando para bem longe. Ninguém sabia o queela olhava. Carola cresceu e chegou sua época debotar ovos. O seu primeiro ovo causou susto,indignação e muita confusão. Carola botara umovo quadrado! Impedida de ficar no galinheiro,parte com firmeza e coragem em busca de umlugar onde seu filho possa ser criado comdignidade e respeito.A leitura dessa criativa fábulacontemporânea possibilita uma reflexão sobre ocomportamento humano e a construção de umasociedade mais solidária e mais justa.O escritor Luís Pimentel, com mais de vintetítulos destinados ao público infantojuvenil,em Todas as cores do mar cria uma história deencantar... Sonho e realidade... A imaginaçãotransforma o desejo em realidade. Aimaginação é, portanto, o ponto de partida ede chegada. Marina nasceu numa cidadepequena. (...) A menina jamais vira o mar, quemorava apenas no seu pensamento. Mas oconhecia, onda por onda, fazendo marolas noseu entendimento. (...) Banhava ‐se no rio, semmedo do frio. Mas sempre pensando na hora demergulhar: “Bem que eu preferia o mar”. (...) E,como era de se esperar, chegou finalmente odia de Marina ver o mar. O desejo da meninade conhecer o mar, suas cores, suas ondas,sentir o sal, pisar a areia, ver onde o sol seesconde e a concretização desse sonho,narrados com sensibilidade e ilustrados pelascores e traços fortes de Fê, convidam a umaviagem ao mesmo tempo imaginária e real.Orlando Pedroso, artista gráfico e ilustradorde mais de 70 livros infantojuvenis, vencedorde vários prêmios, surpreende o leitor dequalquer idade pela sua originalidade em criaro texto e as imagens do livro Vida simples. Aspáginas são bem coloridas, as frases na medidacerta, mas são os traços dos desenhos quemais encantam. Simples, bem simples, porquepara o personagem Irineu a vida era muitosimples. Não precisava de mais do que algunstraços para morar. Nem mais do que dois parachegar em casa. Um só para pendurar a roupa.De traço em traço, um aqui, outro acolá,Irineu chega onde quer: brinca, faz exercícios,músicas, joga bola e, às vezes, também, seenrola no jeito de realizar as coisas.Crianças de até 5 anos e 11 meses32Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Zarp vai lá longeDionisio JacobIlustrações do autorCOMPORTAMENTO/AVENTURA1 a edição; 48 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1497 ‐8A história, escrita e ilustrada por DionisioJacob, conta sobre Zarp, um habitante daaldeia com o mesmo nome, situada numaregião montanhosa que ninguém sabia aocerto onde ficava. Mesmo tendo uma vida felize agradável em sua terra natal, o personagemsentiu um dia uma grande vontade de viajar. Ofato, incomum naquela aldeia, causouestranhamento. Todos receberam a notícia comsurpresa, e, como se trata de gente alegre,resolveram na mesma hora fazer uma festa dedespedida para Zarp.Uma história de busca, de descoberta, departida e chegada para encantar leitores detodas as idades.ilustração: Orlando PedrosoCrianças de até 5 anos e 11 meses33


DaveColeçãoSantanaDave Santana nasceu em Santo André,São Paulo, no ano de 1973.Formado em publicidade, além deilustrar livros para crianças e jovens,trabalha como cartunista e chargistapara diversas publicações no Brasil eno exterior, tendo recebido váriosprêmios em salões de humor do país.Nesta coleção, Dave Santana revelaque sabe manejar com destrezapalavras e imagens ao narrar históriasoriginais, em que temas comocomportamento, limites, competição,entre outros, são tratados com muitobom humor.Caiu na rede é peixeIlustrações do autormeio ambiente1 a edição; 48 páginasISBN 978-85-260-1668-2Mais um livro escrito e ilustrado por DaveSantana que, como os outros de sua autoria,é permeado de muito humor comilustrações criativas, alegres e coloridas..Em Caiu na rede é peixe, a históriaacontece no fundo do mar e o protagonistaé um pequeno siri de garras grandes edesproporcionais. Ligeiro e inquieto, elepassa seus dias rompendo a malha das redesnas quais outros crustáceos, peixes, cetáceos,anfíbios e muitas outras espécies de animaismarinhos são presas fáceis dos pescadores.Até um tubarão, o rei dos mares, o valentesiri salva-vidas consegue tirar do perigo.Porém um dia, o herói acaba virandocaça. Ops!!! Essa não!!! Como fui cair nessevelho truque da isca para peixes? Logo eu, ogrande inimigo das redes! (...) Essa rede estámais resistente? (...) Agora eu estou perdidomesmo!!!O que será que aconteceu com opequeno crustáceo?Galo bom de goelaIlustrações do autor1 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1545 ‐6LINGUAGEMPOÉTICAEm Galo bom de goela o autor conta, emforma de verso, e também ilustra um causobem contado. É a história do galo Chico, / ocampeão da canção./ E afirmo que essefuxico/ não teve nenhuma armação.// NhôMoraes acordava cedo, de madrugada,/ com ocanto do Chico despertador./ Chico era o rei dagalinhada,/ pois nhô também era avicultor.Humor, expectativa, jogo linguístico e umdesfecho original marcam mais uma históriade quem sabe manejar bem as palavras e asformas, as cores, enfim, as imagens.34Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O pequeno crocodiloIlustrações do autorCOMPORTAMENTO1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1294 ‐3Num certo lugar do mundo, numa grandeselva, nasceu um pequeno crocodilo... querecebeu o nome de Francis.Francis nasceu muito menor que seusirmãos... Mas com uma fome... gigantesca!Assim começa a história O pequenocrocodilo, o primeiro livro, como autor, doconceituado ilustrador Dave Santana. Comseu domínio da técnica do lápis de cor,muita imaginação e extrema sensibilidade,imagem e texto dialogam com movimento egraça na construção de uma narrativa aomesmo tempo encantadora e bem‐‐humorada. O personagem Francis desejavaser grande como a mãe, o avô, o tataravôpara poder devorar bichos enormes. Porém,o que ele não sabia era de seu potencialpara cuidar de um novo amigo.ilustração: Dave SantanaCrianças de até 5 anos e 11 meses35


De CriançaColeçãopara CriançaO princípio desta coleção é estimular oprazer de inventar histórias e incentivaros autores de amanhã. Nesse sentido,os autores de hoje são as crianças queliberam suas fantasias e sua imaginaçãopor meio das palavras e deixam ashistórias fluírem. Os ilustradoresjuntam ‐se aos seus sonhos ereproduzem por imagens ospersonagens e as situações, tornan do‐‐se crianças também, numa parceriaharmoniosa e alegre.Direção de coleçãoEdla van SteenA floresta encantadaCAMILA SANCHESprelomeio ambientePreloExistia na Floresta Encantada de Foz doIguaçu um mico ‐leão que se chamava Léo. Eleera muito esperto, mas um dia vieram cincocaçadores disfarçados de guarda ‐florestal elevaram Léo e mais sete animais.Eles conseguiram pegar os bichos, à noite,enquanto dormiam. Colocaram em sacolas elevaram para Assunção, no Paraguai.Uma história bem contada! Um temabastante atual! Uma narrativa de criança paracriança. Uma maneira criativa para se refletirsobre a questão ambiental, sobre as açõeshumanas de hoje e das futuras gerações.O giz vivoJOSÉ ABUJAMRApreloIMAGINAÇÃOPreloNa história criada por José Abujamra, sonhoe realidade confundem e até assustam o meninoque em certa manhã ganhou um giz.Mas não era um giz qualquer. Um giz grande,com quase meio metro. Nesta noite, ele foidormir e ouviu alguns barulhos estranhos. Ele foiolhar na cozinha e ogiz estava vivo! (...) O menino saiu correndo...Todo dia barulhos, barulhinhos e maisbarulhos... Barulhos estranhos, barulhosestranhíssimos. Ninguém acreditava no menino.Como era possível o giz ser algo vivo?!Felizmente, era apenas um sonho, ainda bem.Acordou. Foi até a cozinha tomar leite. O queviu? O giz...ilustração: Spacca36Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


EvaColeçãoFurnariÉ graduada em Arquitetura, mas temcomo profissão e prazer ilustrar eescrever livros para crianças e jovens. Jápublicou, no Brasil e no exterior, maisde cinquenta títulos. Em sua carreirarecebeu muitos prêmios, como o Jabuti,por três vezes; O Melhor para Criança,da FNLIJ (Fundação Nacional do LivroInfantil e Juvenil), onze vezes; e oprêmio APCA, da Associação Paulista deCríticos de Arte, pelo conjunto da suaobra, além de muitos outros prêmios edemonstrações de reconhecimento pelaincontestável qualidade da suaprodução.A Bruxinha atrapalhadaIlustrações da autoraLINGUAGEM NÃO VERBAL/CRIATIVIDADE24 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0320‐0Melhor Livro de Imagem —Prêmio Luís Jardim — 1982(FNLIJ)Programa Viagem pela LeituraLibros del Rincón (México)Nuestra Biblioteca (Bolívia)Considerado o melhor livro sem texto pelaFundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil,em 1982, até hoje as histórias da bruxinhasimpática e desastrada, personagem criadapela ilustradora e escritora Eva Furnari,continuam fazendo muito sucesso. Tantosucesso que esse e outros livros da autoraforam publicados em espanhol.O livro traz dez histórias curtas — ”Ochapéu”, “A torneira”, “A abóbora”, “A chave”,“Pega ‐ladrão”, entre outras —, construídas emtiras grandes, com espaços vazios, o quepermite que a criança construa significadosdurante a leitura. Em cada história, a autoracria situações divertidas, surpreendentes, emque a bruxinha, nem sempre bem ‐sucedida,transforma, com sua varinha mágica, umatorneira em guarda ‐chuva, um elefante emum canhão, um pássaro em uma tesoura...As ações da bruxinha encantam ascrianças, pois se assemelham muito aomundo delas — das brincadeiras, dastraquinagens, do faz de conta.A Bruxinha e o GodofredoIlustrações da autoraLINGUAGEM NÃO VERBAL/RELACIONAMENTO9 a edição; 32 páginasISBN 85 ‐260‐0477‐8Altamente RecomendávelImagem 1994 (FNLIJ)Mais uma história em que predominam asimagens — que tanto incentivam a imaginaçãoe a criatividade das crianças — produzidas pelaqualidade artística de Eva Furnari.Desta vez, a Bruxinha viu ‐se em umasituação bastante complicada. Teve sua varinhamágica roubada por um visitante inesperado,Godofredo. Como pôde roubar sua preciosavarinha? No início da história, o intruso lhecausou perigo, susto, aborrecimento, raiva,indignação, porém aos poucos nasceu entreeles um sentimento de ternura.A Bruxinha, sempre tão espontânea,expressa esses sentimentos em uma cartinhapara os leitores, na contracapa do livro.Ele é petulante, teimoso, egoísta, cretino ebobo. Um verdadeiro animal! Ele roubou avarinha e estragou toda a minha história. Euodeio ele! (... ) ele também é (...) charmoso,sentimental (...). Gente, o Godofredo é demais!Eu adoro ele!Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses37


Bruxinha e FredericoIlustrações da autoraLuasIlustrações da autoraNósIlustrações da autoraFANTASIARELAÇÃO INTERPESSOALPRECONCEITO/INCLUSÃO5 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0730‐7Acervo Básico para a Criança2001 (FNLIJ)Altamente Recomendável —Livro de Imagem — 1994(FNLIJ)Nuestra Biblioteca (Bolívia)2 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0728‐4Acervo Básico para a Criança2002 (FNLIJ)6 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0621‐8Acervo Básico para aCriança 1999 (FNLIJ)Nesta história, a famosa Bruxinha, criadapor Eva Furnari, e Frederico, um mocorongobem amarelinho, desfazem o feitiço daterrível bruxa Pafúncia — Ficou chocado,sentindo um aperto no coração; a florestaestava destruída. Os amigos tinham sumido,os mufins tinham mofado, as bulhufasmurchado e os gunduns azedado. (...) Osmufins mofados viraram pedras redondas, asbulhufas murchas viraram pedras pontudas eos gunduns azedos viraram pedras quebradas.Outros tempos, outros lugares, seresencantados, mágicos, a luta entre o bem emal estimulam a imaginação infantil e ativamsua potencialidade criadora tãoimprescindíveis na sua formação.Eva Furnari, escritora e ilustradora dereconhecimento internacional por suaprodução artística, surpreende ‐nos com o seulivro Luas em que o texto, pequenos poemas eas imagens interagem. Ilustrações de raraqualidade, uma em cada página, sóaparentemente independentes entre si.Ilustrações e palavras que desenham etraduzem desejos, medos, sonhos e realidade esugerem, através das figuras vestidas deformas e cores, a vida da gente — a naturezahumana integrada à mãe ‐natureza.Gente aluada/ carrega na mala/ noiteestrelada.Quem tem pés de coração detesta pisar oduro do chão.Um livro interativo. Sua riqueza tambémestá na relação estabelecida entre o livro e oleitor. Um livro para ser lido, relido, lido,relido... há um universo de significados, demúltiplas leituras, para ser prazerosamentedesvendado.Lugares, personagens, situações eilustrações diferentes, que sempre agradam àscrianças, são características das históriascriadas por Eva Furnari.Em Nós, a narrativa, em uma épocaindeterminada, começa assim: No tempo emque as pessoas nasciam em repolhos e que asbicicletas voavam, havia uma pequena cidadechamada Pamonhas. Em Pamonhas havia umacasa amarela, onde morava (...) Mel. Mel tinhaalgo diferente; onde quer que ela fosse, estavasempre rodeada de borboletas.Os moradores da cidade a ridicularizavam.Mel sofria e chorava muito. Como se nãobastassem as borboletas, um dia descobriu umnó no dedinho do pé. Depois, mais outro nodedo da mão, e mais outros, um total de sete.Mel só viu uma saída. Ir embora de Pamonhas.Partiu disfarçada de geladeira. Mel, do outrolado do rio, encontrou Kiko, um garoto tambémcheio de nós. Ele a ensinou a desfazer nó denariz, e ela dividiu com ele as borboletas.Crianças de até 5 anos e 11 meses38Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Traquinagens e estripuliasIlustrações da autoraZig zagIlustrações da autoraLINGUAGEM NÃO VERBAL/CRIATIVIDADEjogo verbal12 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0306‐4Altamente Recomendável paraa Criança — Livro de Imagem— 1982 (FNLIJ)1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1094 ‐9Eva Furnari, tão querida pelas crianças epelos adultos também, mais uma vez nos dá oprivilégio de saborear cinco divertidas histórias— “Volto já”, “Olha só quem apareceu”, “Hojetem teatro”, “Oi, vamos brincar” e “Fazemosqualquer pintura” —, vividas por um grupo deamigos. São só tirinhas, inteligentes,engraçadas — sem palavras. Os personagensestão ali para brincar espontaneamente, darespaço ao lúdico, à imaginação, surpreender ‐secom saídas inesperadas, vivenciar situaçõesinusitadas, imaginárias, enfim fazertraquinagens e estripulias.A leitura exige da criança perspicácia,dinamismo, rapidez para captar a expressão eo sentimento dos personagens, captar asequência e o desfecho da narrativa. Porém, étambém um convite à criação de outras tantassituações divertidas.Em 1976, em São Paulo, Eva Furnari, autorade Zig zag, concluiu o curso de Arquitetura.Sonhava criar, construir. Tornou ‐se, narealidade, ilustradora e escritora de livros, depremiadíssimos livros infantis. Cria e constróicom desenhos e com palavras. Constrói e, àsvezes, desconstrói para construir — como é ocaso de Zig zag, em que Eva Furnaridesconstrói imagens criadas com palavras e,misturando parte de uma com a de outra,constrói novas imagens.Conhecemos bolsa organizada e plantacarnívora... mas será impossível conhecermosuma planta organizada ou uma bolsacarnívora? Com Eva Furnari, em Zig zag, temoscerteza de que é possível. Nesse livro, em quepredomina o jogo entre as palavras, a autoraconvida ‐nos a experimentar novaspossibilidades, convida ‐nos a rever o antigoe a enxergar o novo, o diferente. É fascinante.Trata ‐se de um processo de reciclagem dehábitos e também de uma rica vivênciaestética.ilustração: Eva FurnariCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses39


GraçaColeçãoLimaCorre, Caio!Ilustrações da autoraÉ hoje!Ilustrações da autoraNascida no Rio de Janeiro e formadaem comunicação visual pela Escola deBelas ‐Artes da UFRJ, Graça Limailustrou mais de cem obras, muitasdelas premiadas e reconhecidasinternacionalmente. Os livros É hoje!e Corre, Caio!, desta coleção,conjugam imagens e palavras deforma lúdica e divertida.1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1523 ‐4REALIDADE/FANTASIA1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1428 ‐2COMPORTAMENTOA autora combina imagens e palavras echama para o mundo real o personagem Caio,a criança que insiste em permanecer noimaginário. Nas imagens, contornos, traços ecores acordam o dia e, ao mesmo tempo, dãovida aos sonhos do menino. O dia toma seucurso sem ele, que, mesmo acordado, continuaa sonhar, a viver suas fantasias. Nas palavras, abrincadeira com o som, repetindo o c de Caio,reforça o mundo infantil do personagem eexplicita seus desejos. Na casa começa o dia.Por trás da cortina o sol colore o céu. Na camaCaio sonha com o cavalo corcel sacudindo acrina, correndo pelos campos carregandoCristina com seu cabelo cor de mel.Em É hoje, o assunto é a organização deuma festa. A festa de aniversário de Beatriz. Osamigos e a família cuidam de todos osdetalhes — convites, bolo, doces, balões,bebidas, música — para a festa de Bia ser umsucesso e ela ficar bem feliz. Para escrever ahistória, Graça Lima brincou com as palavrasiniciadas pela letra b. Berenice fez o bolo maisbonito do mundo... Vovó Betina veio de Belô,trazendo seu amor... — Quem bolou os convites?— Foi o Bruno.As ilustrações, também por conta daautora, são magníficas — cores alegres efortes, traços diferentes e originais.O livro É hoje! conjuga imagens e palavras deuma forma lúdica e divertida, bem ao gosto dopúblico infantil.40Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


IgnácioColeçãodeLoyolaBrandãoÉ paulista de Araraquara. Nascido em1936, aos dezesseis anos começoua trabalhar como jornalista no jornalCorreio Popular (Araraquara), profissãoque ainda exerce e que influencioudiretamente sua ficção. Umacaracterística marcante do trabalhode Loyola é a sua narrativa repleta deexperimentos técnicos — como ainclusão de trechos jornalísticos eflashes da vida cotidiana. Além disso,o autor tece a trama com tamanhahabilidade que possibilita ao leitordecifrar de novas maneiras a realidadeque o cerca.O homem que espalhou o desertoIlustrações de Enrique MartínezECOLOGIA12 a edição; 32 páginasISBN 85 ‐260 ‐0276 ‐7Quando menino, gostava de apanhar atesoura da mãe e ia para o quintal.Ficava horas distraído, podando as folhasdas árvores, plec ‐plec ‐plec.Assim começa essa pequena grande história,de Ignácio de Loyola Brandão, publicada pelaprimeira vez em 1989, quando a questãoambiental ainda não era discutida nas escolas.Já nessa época, o consagrado escritor colocaseu leitor diante de problemas ambientais,exigindo ‐lhe um posicionamento crítico, apartir da criativa e bem elaborada história domenino destruidor de árvores. A narrativasurpreende. Traça, em poucas palavras, atrajetória do descaso do personagem emrelação ao ambiente em que vive — de açõesaparentemente inocentes, chega ‐se a atitudesabsolutamente condenáveis.A leitura de O homem que espalhou odeserto significa a possibilidade de refletirsobre a crença de que o homem é senhorabsoluto da natureza. Significa também oprivilégio de entrar em contato com um textode inigualável qualidade literária.ilustração: Enrique MartínezCrianças de até 5 anos e 11 meses41


JoelColeçãoRufinodos SantosCarioca, historiador e professoruniversitário, é um grande contador dehistórias da História. Com o nascimentode sua filha Juliana, nasceu o escritor deliteratura para crianças e jovens. E nósganhamos muitos textos comoO soldado que não era, O caçador delobisomem, O grande pecado de Lampiãoe sua terrível peleja para entrar no céuLupiara e Uma estranha aventura emTalalai.Ciúme em céu azulIlustrações de Rogério BorgesLINGUAGEM POÉTICA/SOLIDARIEDADE1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐1093 ‐XO escritor Joel Rufino do Santos, tambémhistoriador e professor da UFRJ, em Ciúme emcéu azul conta, em versos, o conflito vivido nocéu por uma pipa amarela e uma arraiavermelha ameaçadas por uma pandorga semcor. A pipa e a arraia se paqueraram (...). Apandorga sem cor,/ coitada/ teve ciúme da pipae da arraia.// Sabem o que fez?/ Foi em cima dapipa amarela, cortar/ sua linha. A pipa amarela/rabeou e saiu fora.Uma chuva muito forte põe fim na maldadeda pandorga. Porém, quando o sol volta abrilhar ela reaparece para atacar. Dessa vez, nocéu azul, também estão, além da pipa amarelae da arraia encarnada, o papagaio marrom, ovolantim cor de abóbora, o quadrado bordô e acafifa cinzenta. E, em vez de cortar, ficou presano meio deles e se cortou. Todos foram atrásdela e a salvaram.ilustração: Rogério Borges42Crianças de até 5 anos e 11 meses


LúciaColeçãoHiratsukaPaulista de Duartina, nasceu no sítioAsahi, onde viveu até os 10 anos, oque explica sua relação tão próximada natureza. Seu desenho suave epreciso traz a influência do sumiê,valorizando as pinceladas e o brancodas páginas, buscando a simplicidade.O texto expressivo e sintético abreespaço para a criança descobrir,responder, continuar.Formada em Artes Plásticas, estudouna Universidade de Fukuoka (Japão).Recebeu os prêmios APCA 1995, Jabuti2006 de ilustração, Melhor Livro deReconto FNLIJ 2007 e vários selosAltamente Recomendável da FNLIJ.Antes da chuvaIlustrações da autora1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1535 ‐7FANTASIAMais uma história de Lúcia Hiratsuka.Lia e Nico ouviram o latido de Mamona navaranda. Quando eles abriram a porta,encontraram uma enorme folha. Quem teriadeixado ali? — Nico, está escrito alguma coisa,vou ler. VENHAM PARA A NOSSA FESTA NA ILHADOS LÍRIOS D’ÁGUA HOJE — ANTES DA CHUVA.— Festa de aniversário? — perguntou Nico.Eles se apressaram porque as nuvens seamontoavam no céu e precisavam chegar antesda chuva. Nem pensar em perder a festa! Haviaainda o desafio de encontrar a ilha e descobrirquem havia enviado o convite.Mais uma aventura, cheia de surpresas,vivida por Lia e Nico.Corrida dos caracóisIlustrações da autora1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1511 ‐1FANTASIALúcia Hiratsuka, escritora e ilustradorapremida, em Corrida dos caracóis cria umahistória em que a brincadeira e a imaginaçãoda criança são o fio condutor da narrativa. Liaencontrou um caracol na horta. E Nicoencontrou outro. — Vamos apostar? Ver qualchega no outro canto primeiro? — Lia lançouum desafio. — O meu está saindo! — gritouNico. — Psiu... vai começar a corrida. Ascrianças, ao seguirem os rastros dos bichinhos,enfrentam perigos, descobrem lugaresinesperados. Percorrem morros, montanhas,florestas num sobe e desce sem fim. Vivem,assim, um momento fantástico, mágico, norastro dos caracóis.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses43


Urashima Taro — A história deum pescadorIlustrações da autoraCONTO TRADICIONALJAPONÊS/ECOLOGIA3 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0740‐6Acervo Básico Teórico para aCriança 2001 (FNLIJ)ilustração: Lúcia HiratsukaUm jovem pescador, Urashima Taro, certodia salva um filhote de tartaruga das mãos deumas crianças malvadas. E devolve ‐o ao mar.Dias depois, enquanto pescava, uma tartarugaenorme surge no meio das ondas. Agradece‐‐lhe por ter salvado seu filhote e o convida, emagradecimento, para conhecer o Paraíso doFundo do Mar. E assim, na carapaça datartaruga, Urashima Taro iniciou sua incrívelviagem! (...) O rapaz foi conduzido ao interior docastelo. (...) Mil olhos não seriam suficientespara apreciar tamanha beleza! (...)O espetáculo era inesquecível.O jovem pescador, tratado com tantaatenção, luxo e fartura, vai ficando no palácio.Quando decide partir, ganha da princesa umacaixa fechada e amarrada. Ao retornar à aldeia,algumas surpresas o aguardam.Os contos tradicionais representam umagrande fonte de riqueza. É uma forma eficazde a criança começar a compreender umpouco sobre a natureza humana.Crianças de até 5 anos e 11 meses44


ColeçãoLuís daCâmaraCascudoAlém do trabalho como folclorista, foiprofessor, etnólogo, historiador eadvogado. Escreveu quase 160 livrostendo como foco a cultura brasileira.Conta ‐se que ele costumava ler umlivro por dia. Entre suas obras maisconhecidas destacam ‐se Dicionário dofolclore brasileiro, Antologia do folclorebrasileiro e Contos tradicionais do Brasil.A princesa de BambuluáIlustrações de Cláudia ScatamacchiaCULTURA POPULAR3 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0693‐2Acervo Básico Teórico paraa Criança 2001 (FNLIJ)Uma estrada. Uma grande pedra com umagruta espaçosa. Sábios velhinhos. Uma princesaencantada. Um rapaz amarelo, franzino,chamado João. Esses são alguns ingredientesda história ilustrada pelos traços de CláudiaScatamacchia e contada por Câmara Cascudo,folclorista e pesquisador das raízes étnicasbrasileiras. A cultura popular é a criança quecontinua em nós, em nossa formação cultural esocial (C. Cascudo). Desencantando a criançaque há em nós, A princesa de Bambuluá tocanossa sensibilidade, acorda nossa fantasia e dáasas à nossa imaginação. Permite que viajemosaté Bambuluá e conheçamos o puro amor daprincesa, vítima do mundo mágico da fantasia,por João — vítima do mundo egoísta doshomens. Surgiu o rosto da moça encantada eperguntou se ele era capaz de desencantar aprincesa de Bambuluá. — Sou — disse oamarelo; sou homem de enfrentar o perigo...Essa é uma história resgatada da literaturaoral, no Rio Grande do Norte.Couro de piolhoIlustrações de Cláudia ScatamacchiaCULTURA POPULAR3 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0698‐3Acervo Básico Teórico paraa Criança 2001 (FNLIJ)Um dia, Câmara Cascudo, perguntado sobrecomo fazia suas pesquisas, respondeu que semisturava com as pessoas para aprenderalguma coisa. E assim... alguém contou paraalguém, que contou para alguém... que contoupara Luísa Freire, em Macaíba, Rio Grande doNorte, que contou para Câmara Cascudo, quecontou para nós, que contamos para... ahistória de uma princesa que estava sendopenteada pela ama quando esta encontrou umpiolho. O conto Couro de piolho acorda acriança que há em todas as pessoas,encantando ‐a com a capacidade que tem opersonagem de acreditar na possibilidade derealizar uma proeza, mesmo que tudo pareçacontrário. Além disso, o conto valoriza apessoa de João — suas atitudes, sua pureza,sua forma de lidar com as pessoas —vencendo, através da inteligência e de uma“ajuda mágica”, os obstáculos.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses45


Maria GomesIlustrações de Cláudia ScatamacchiaO marido da mãe d’água eA princesa e o giganteIlustrações de Cláudia ScatamacchiaO papagaio realIlustrações de Cláudia ScatamacchiaCULTURA POPULARCULTURA POPULARCULTURA POPULAR3 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0697‐5Acervo Básico Teórico paraa Criança 2001 (FNLIJ)2 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0692‐8Acervo Básico Teórico paraa Criança 2001 (FNLIJ)1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0713 ‐0Um homem viúvo tinha tantos filhos quenão os podia alimentar nem vestirconvenientemente. Quase sempre, na hora dasrefeições, uma das crianças ficava com fome.O pai lastimava ‐se de sua miséria e, na faltade outro auxílio, deliberou abandonar um dosfilhos na floresta. Escolhida entre os irmãospara morrer de fome na floresta ou para serdevorada por um animal, Maria Gomesencontra um outro caminho e, permitindo ‐seviver o mundo fantástico que se lhe apresenta,reencontra o pai e a família e descobre o amor.Com Maria Gomes, a criança leitora podeaprender a enfrentar dificuldades e até avencê ‐las. A viagem de Maria Gomes aomundo da fantasia enriquece ‐se através dostraços, das cores e do olhar sensível de CláudiaScatamacchia, a ilustradora. Trata ‐se de maisuma história de nossa literatura oral,recuperada pelo escritor e folclorista CâmaraCascudo, contada por Luísa Freire, Ceará‐‐Mirim, Rio Grande do Norte.Era uma vez um moço pescador muitodestemido e bom (...). Diz que era uma vezum casal que tinha três filhas muito bonitase um filho.Mais duas histórias resgatadas por CâmaraCascudo da nossa rica literatura oral. As duasrecolhidas pelo folclorista no Rio Grande doNorte.Na primeira, O marido da mãe d’água, oleitor depara ‐se com a dificuldade do serhumano de perceber a necessidade do outro ecom a facilidade desse mesmo ser humano dedeixar a vida entrar numa rotina desgastante.Casado com a Mãe d’Água, o rapaz, depois deum tempo, não conseguiu perceber que as suasdiferenças estavam criando um grande vazioentre eles. Já na segunda, ao contrário, o leitordepara com a persistência, com solidariedadevencendo dificuldades. O rapaz, irmão de trêsmoças desaparecidas, vendo a tristeza dos pais,sai pelo mundo em busca de notícias de suasirmãs. Acaba encontrando ‐as, vencendogigantes, quebrando encantos, permitindo quemuitas pessoas reencontrassem a paz e, éclaro, conquistando o seu amor.Duas moças moravam juntas e eram irmãs,uma muito boa e outra maldizente epreguiçosa.Embora se desenvolva a partir de umaatitude invejosa, a história encanta ‐nos pelavitória do amor e, principalmente, dainteligência, da perspicácia de uma moça. Àprocura de seu amado, o príncipe do reino deAcelóis — que, no caminho, ela descobre estarmuito doente —, a moça anda pelo mundo,arrisca ‐se e não desiste. Ao chegar ao reino,diante do rei, tem uma atitude aparentementeinteresseira; no entanto, com o decorrer dosacontecimentos, percebemos o quãointeligente era a moça.Essa história coloca a criança diante dapossibi lidade de vencer dificuldades, contando,principal mente, com sua força, sua capacidade,sua inteligência. História resgatada daliteratura oral, ouvida por Câmara Cascudo deBenvenuta de Araújo, Natal, Rio Grande doNorte. Como os outros livros desta coleção, Opapagaio real é ilustrado pelos traços mágicosde Cláudia Scatamacchia.Crianças de até 5 anos e 11 meses46Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


MagiasColeçãoInfantilEsta coleção tem como objetivo aescolha de textos para construir aprimeira biblioteca do público infantil.Edla van Steen seleciona textos epoemas dos mais renomados autoresbrasileiros, que recebem uma ediçãoprimorosa, tanto gráfica quantoeditorial. Não existe criança que nãoficará encantada com estas obras e osprofessores poderão criar inúmerasatividades a partir delas, enriquecendoo mágico universo infantil.Direção de coleçãoEdla van Steenilustração: Mauricio NegroA casa dos bichospaula sandroniIlustrações de SuppanarrativaautobiográficaPaula Sandroni remexe nos arquivos damemória, encontra e revisita, no vale do CosmeVelho, bem na ponta da Floresta da Tijuca, acasa onde passou a infância com os pais e osquatro irmãos. Dessas reminiscências, nasceu anarrativa A casa dos bichos. Na lembrança,ficou o jardim, o quintal e a convivênciaharmoniosa com muitos animais domésticosque viviam com a sua família — gatos,tartarugas, lagartixas — e com outros visitantesdas matas — morcegos, cobras, aranhas,lagartos.A narrativa, bem próxima do universoinfantil, e as ilustrações vivas, ricas emdetalhes e cores, de Suppa, são um convitepara que a criança visite a natureza ao seuredor e olhe ‐a com mais afetividade.E você? Tem algum bicho de estimação?Mora ao lado de uma floresta ou de algumlugar arborizado? Tomara que sim! Mas se aresposta for negativa, não fique triste. Existesempre um parque ou uma pracinha perto danossa casa (...).Crianças de até 5 anos e 11 meses1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐1123 ‐5A cobra que não sabia cobrarmiguel sanches netoIlustrações de Madalena Elek1 a edição; 20 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐1122 ‐9linguagempoética/solidariedadeEm linguagem poética, a história criadapor Miguel Sanches Neto coloca a criançaem contato com o uso especial do códigolinguístico — exploração do som, da melodia,das rimas, do ritmo, das aliterações e dossímbolos. Esse jogo verbal tece a história deuma simpática e generosa cobrinha. Desdepequena, a cobra/ sempre foi muito boa./Emprestava sua bola,/ dava cola na escola,/carregava na sacola/ um monte de chiclete/ edava pras serpentes.// É casada agora,/ mascontinua/ a mesma cobra.// Há sempre umavizinha/ querendo uma dose/ de veneno decobra,/ ou vizinho/ pedindo uns cobres. (...) EDona Cobra tudo dá,/ sem nem seincomodar.// À tarde, seu marido/ semprechega uma cobra (...).A solidariedade, o desprendimento e aamizade vividos por Dona Cobra podemtambém ser vivenciados no mundo doshomens para uma convivência maisharmoniosa.Crianças de até 5 anos e 11 meses47


A história da tartarugaLêdo IvoIlustrações de Isabel de PaivaBebê chorão também tem opiniãoFlávia Lins e SilvaIlustrações de Mariângela HaddadDom Ratão e Dona RatitaMarcos SantarritaIlustrações de Luiz MaiaLINGUAGEM VERBAL ENÃO VERBALRELAÇÃO FAMILIARFANTASIA1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1423 ‐72 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260 ‐0656 ‐82 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260‐0654‐1Acervo Básico para a Criança2000 (FNLIJ)A história da tartaruga não contasimplesmente uma história. Neste livro, LêdoIvo, um dos mais importantes escritores daliteratura brasileira — poeta, romancista,ensaísta e contista, que sabe como ninguémmanejar esteticamente as palavras —, descreveem versos, inteligentes e bem construídos, umatartaruga. Seu texto aliado às ilustraçõesdelicadas e encantadoras de Isabel de Paivaimpressiona pela ternura, sensibilidade e graçacom que o animal é tratado. Uma tartaruga/vem de antiga raça./ Mora em casa própria:/sua carapaça.// Dona de si mesma,/ vaidevagarinho./ Tudo é longe e perto/ e tudo écaminho.A leitura deste poema possibilita aopequeno leitor conhecer um texto poético dequalidade e saber mais sobre o curiosoanimalzinho.David ou Pedro? Mas que confusão logo aonascer! É o que descobre o recém ‐nascido,narrador ‐personagem, ao sair da barrigacalminha e silenciosa da mãe. Descobre,também, que há outras pessoas na família queo amam, outros colos afetuosos.Em meio à disputa entre duas avós, umacatólica e outra judia, ficou decidido pelos paisque o nome do recém ‐nascido seria PedroDavid. Mas esse não era o único foco dedivergência entre elas. Havia uma questãomais ampla: a religião. — Tem de batizar logoesse menino! — disse a vó Leda. (...) — E o britz?E a circuncisão? — perguntou a vó Rachel.A autora encontra uma solução inteligentepara resolver o conflito: o bebê manifesta seudescontentamento com um choro fortíssimo.Assim, durante a leitura, a autora põe a criançapara refletir sobre seu comportamento e o dosadultos à sua volta.Dom Ratinho era um camundongo novinho,fraquinho e feinho. E tinha uma, não, duaspaixões. E um segredo. A partir desses trêsingredientes, Marcos de Santarrita, escritor etradutor de renome, cria com muitaimaginação uma história que toda criançagostará de ler. Ler o texto e ver as ilustraçõesbem humoradas de Luiz Maia.Dom Ratinho, apaixonado por Dona Ratita,sua vizinha, sonhava em vencer o jogo daratoeira, a Queijada, não pelo jogo mas porqueachava um absurdo arriscar ‐se a morrer porum pedaço de queijo, para oferecê ‐lo a suaamada e ganhar um beijo. Porém, tímido dojeito que era, só se transformando em DomRatão, o grande, forte e bonito. Tinha até capae voava como os ratos heróis de televisão.Esses voos da imaginação instauram umdiálogo com as crianças sobre os temas maiscomplexos porque a linguagem simbólica secomunica facilmente com o pensamentomágico, natural do universo infantil.Crianças de até 5 anos e 11 meses48Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Flor amarelaIVAN JUNQUEIRAIlustrações de Camila CarrossineGato e sapatoAnna MuylaertIlustrações de Mauricio NegroGota d’águaMoacyr ScliarIlustrações de Nelson CruzLINGUAGEM POÉTICACOMPORTAMENTOAVENTURA1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1604 ‐01 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0951 ‐61 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260 ‐0895 ‐1A poesia de Ivan Junqueira, ocupante dacadeira n o 37 da Academia Brasileira de Letrasdesde 2000, já foi traduzida para váriosidiomas — espanhol, alemão, francês, inglês,italiano, dinamarquês, russo e chinês.Em seus poemas, há uma constante buscapelo sentido das coisas, uma reflexão sobre avida, sobre a morte, enfim, um poeta maduroque se debruça sobre a existência humana.A publicação de Flor amarela é uma grandeoportunidade de aproximar a criança e o jovemde escritores renomados da literaturabrasileira.Atrás daquela montanha/ tem uma floramarela;/ dentro da flor amarela,/ o meninoque você era./ Porém, se atrás daquelamontanha não houver (...).Era uma vez um gato que morava dentro deum sapato de gigante. O gato foi morar nosapato enquanto o gigante estava de férias.Quer dizer, ele ficou dias vivendo naquelamoleza: cochilava pela manhã, puxava umronco à tarde, uma soneca antes de dormir. Atéque um dia, o gigante voltou pra casa.Enriquecida pelas ilustrações criativas e bemcoloridas de Mauricio Negro, a história, de umbem humorado suspense, prende a atenção dacriança do começo ao fim. O gato passa otempo todo com medo do gigante, procurandoum lugar para se esconder. Mas excelentemesmo é o final do conflito. A autora, AnnaMuylaert, que já trabalhou como coordenadorade texto dos programas Mundo da Lua eCastelo Rá ‐Tim ‐Bum, cria um desfechosurpreendente... e o gato aprende a lição deque muitas vezes as aparências enganam.Esse conto de Moacyr Scliar narra a históriade uma gota d’água e o seu encontro com ummenino, Toninho Miúdo. Filho mais velho deuma família numerosa, morava em uma regiãomuito seca, muito seca. Faltava água para asplantas, faltava água para os animais, faltavaágua até para as pessoas.Uma vez, como sempre fazia, o menino saiucom a esperança de ainda encontrar um poucod’água em uma pequena fonte perto de casa. Afonte havia secado. Porém, ele viu, no meio daspedras, uma gota d’água que rapidamentedesapareceu na areia. Ela também viu Toninhoe teve tempo de ouvi ‐lo dizer que ela era acoisa mais linda que ele já tinha visto.A gota seguiu seu curso, rumo ao mar,sempre se lembrando do menino pobre. Omenino ficou, na rudeza da terra árida, semprese lembrando da beleza da gota. Porém, oencontro entre eles não foi em vão. Um dia, agota pôde transformar ‐se em chuva e cairsobre a terra seca onde morava Toninho.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses49


Marcelo e seus amigos invisíveisHelena parente CunhaIlustrações de Alcy LinaresMinha avó já foi bebê!Paula SandroniIlustrações de Cláudia ScatamacchiaO burrinho e a águaWalmir AyalaIlustrações de Camila CarrossineAVENTURA MÁGICARELAÇÃOFAMILIARtrabalho/relacionamento2 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0850-21 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1516 ‐61 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0808 ‐3Helena Parente Cunha, autora de dezenovelivros publicados, entre poesia, contos,romance e crítica literária — vários de seustextos integram antologias no exterior —, emMarcelo e seus amigos invisíveis cria umahistória em que o personagem atuaafetuosamente no imaginário infantil.As ilustrações de Alcy captam os detalhese as nuances do diálogo do menino comgnomos e fadas.O sol caminha devagar (...). Marcelo chamaseus amiguinhos. — Venha cá Dike, venha cáDuke. (...) Na varanda, o pai, a mãe e a avótomam café com leite (...). E olham o meninoque fala, gesticula e ri para nenhuma gentecomo se alguma houvesse.A imaginação e a fantasia são um modo deaprendizagem poderoso. Por isso, sempre quepossível, deve ‐se proporcionar à criançaleituras que desafiem e estimulem suaspotencialidades imaginativas.Mariana adorava os sábados. Sábado era diade passar a tarde na casa da avó Estela. Porém,ela não imaginava que aquela tarde seriamuito especial.— Hoje a vó Estela vai lhe mostrar uma coisado fundo do baú!Mariana foi logo tentando adivinhar o queera, pensando que fosse um brinquedo antigo:— Um pião grandão! Uma pipa colorida!Uma boneca de pano!O texto, sempre bem escrito, de PaulaSandroni e os traços exuberantes dasilustrações de Cláudia Scatamacchia convidama criança a conhecer o álbum de fotografias daavó de Mariana, seu álbum de bebê. Umarápida viagem no tempo!A leitura dessa história é uma possibilidadede gerar no aluno uma reflexão prazerosasobre as transformações provocadas pelopassar do tempo e brincar com o passado, como presente e com o futuro.Era um tempo em que as cidades nãotinham encanamento, e a água era vendidanas ruas em pipas carregadas por burrinhosgordos e lustrosos. Pois era uma vez um dessesburrinhos. Não tinha nome, não tinha família,não tinha amigos. Todos os dias, pela manhã, láse iam ele, a pipa e o dono, vender água deporta em porta. Assim começa a encantadoranarrativa criada pela competência literária deWalmir Ayala, escritor que conquistou váriosprêmios por sua dedicação ao jornalismo, àcrítica de artes plásticas, à poesia, ao conto, aoromance e à literatura infantil. Neste livro, ahistória centra ‐se na paixão impossível dohumilde animal pela leve, clara, ruidosa,poderosa e alegre água. Na busca do burrinhopara chegar até a amada, no desejo deencontrar respostas para sua angústiaamorosa, ele conta com a solidariedade deDona Anita, uma tartaruga professora. Oburrinho não consegue ser correspondido noseu amor, porém faz uma grande descoberta.Crianças de até 5 anos e 11 meses50Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O piãoGuilherme de AlmeidaIlustrações de LélisTênisguilherme de almeidaIlustrações de Ellen PestiliTumin, o passarinhoCarlos NejarIlustrações de Alexandre CamanhoLINGUAGEM POÉTICA/CULTURA POPULARlinguagempoética/imaginaçãoLINGUAGEM POÉTICA/RELAÇÂO AFETIVA2 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0834‐XAcervo Básico Teórico para aCriança 2003 (FNLIJ)1 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1057 ‐42 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260‐0707 ‐6Altamente Recomendável paraa Criança — Poesia – 2001(FNLIJ)Mais um poeta da literatura brasileiraintegra a Coleção Magias Infantil: Guilhermede Almeida. Viveu a maior parte da vidaem São Paulo, embora tenha nascido emCampinas e morado em outras cidades dointerior paulista. Das brincadeiras da infância,uma ficou marcada na memória: o giroinesquecível do pião.Traduziu habilmente em versos omovimento, a força desse objeto tão antigoque tanto tem fascinado as crianças de todasas épocas. A mão firme e ligeira/ puxou comforça a fieira:/ e o pião/ fez uma elipse tonta/ noar e fincou a ponta/ no chão.Enriquecido pelas imagens de Lélis, O pião,de Guilherme de Almeida, insere a criança nouniverso mágico da brincadeira, do jogo, tãoimportante para seu processo de socialização.A maestria poética de Guilherme de Almeidae a sensibilidade da ilustradora Ellen Pestilitransformam uma tia, um gato e um novelo delã em uma história criativa, dinâmica e muitocolorida. Um novelo cai./ E, ao vê ‐lo,/ o gato/bate na bola:/ e a bola/ branca de neve,/ pula erola,/ fofa e leve...Uma harmonia perfeita entre as imagens eas palavras convidam a criança a soltar aimaginação e a viver momentos deencantamento, como viveu a ilustradora aorealizar seu trabalho. A respeito disso, comentaEllen: Sempre gostei de poesia. Ao ler Tênis,fiquei muito feliz, pois além de ser um poemadelicado, com ritmo e movimento, mepossibilitaria soltar a imaginação na ilustração.Um novelo que pula e solta sua linha nãopoderia ser melhor para fazer a arte do livro.Simplesmente um deleite.Membro da Academia Brasileira de Letras,Carlos Nejar, poeta e ficcionista, consideradoum dos 37 escritores da América Latina eHispânica mais importantes do século XX,também integra a Coleção Magias Infantil como belíssimo poema Tumin, o passarinho,ilustrado sensivelmente por AlexandreCamanho.A relação afetiva, a ternura entre o meninoe o passarinho são construídas pela mão deum verdadeiro artista da palavra. No alto deum pinheiro,/ perto de minha janela,/ descobrium ninho./ E conheci Tumin.// Quando nosvimos,/ nos olhamos um para o outro,/ muito./ Eficamos/ cativados.// Como no primeiro amor,/o primeiro olhar revela/ o lugar do paraíso.A linguagem poética inventiva e expressivade Carlos Nejar abre um universo depossibilidades para trabalhar com a criança omágico diálogo — autor, texto e leitor —através do poder da palavra literária.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses51


ManuelColeçãoBandeiraNascido no Recife, em 1886, o poetaabandonou os estudos porque osmédicos diziam que ele tinha poucotempo de vida. Seu primeiro livro,A cinza das horas, data de 1917. Foiprofessor de literatura, eleito pelaAcademia Brasileira de Letras, poetaquerido e respeitado. Estrela da vidainteira é o título da reunião de seuspoemas. Faleceu aos 82 anos, bemdepois dos médicos que diagnosticaramsua tuberculose.Na rua do SabãoIlustrações de Odilon MoraesCOTIDIANO INFANTIL1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0717 ‐3Publicado na década de 1920, no livroRitmo dissoluto, o poema “Na rua do Sabão”,de Manuel Bandeira, ainda hoje exerce umforte fascínio em seus leitores. Cai cai balão/Cai cai balão/ Na rua do Sabão! (...). Levoutempo para criar fôlego./ Bambeava, tremiatodo e mudava de cor./ A molecada da rua doSabão/ Gritava com maldade:/ Cai cai balão!A partir desse refrão popular, de domíniopúblico, que se repete ao longo do poema,Manuel Bandeira, o consagrado poeta doRecife que soube tão bem captar os aspectosmais simples do cotidiano, leva ‐nos à rua doSabão e reaviva em nossa memória uma dasrecordações mais vivas da infância, a imagemdo balão subindo... muito serenamente... paramuito longe.../ Não caiu na rua do Sabão.Os sinosIlustrações de Gonzalo Cárcamolinguagem poética1 a edição; 24 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐1684‐2No poema Os sinos, Manuel Bandeira revelasua capacidade de trabalhar a sonoridade e oritmo das palavras e transformar o significadodas coisas mais simples do cotidiano emlirismo de alta qualidade literária.Sino de Belém,/ Sino da Paixão.../ Sino deBelém,/ Sino da Paixão... (...)/ Sino da Paixão,pelos que lá vão!/ Sino da Paixão bate bão ‐bão ‐‐bão.(...)/ Sino de Belém, como soa bem!/ Sinode Belém bate bem ‐bem ‐bem.Observa ‐se na construção do poema que arepetição de palavras – sino, Paixão, Belém,bem ‐bem ‐bem, bão ‐bão ‐bão – evoca os sonsdas badaladas, o balançar dos sinos como umamúsica nostálgica e mágica.O poema, embora com seus múltiplossignificados, é acessível ao público infantil pelaforma criativa com que o autor apropria ‐sedos signos linguísticos.52Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Trem de ferroIlustrações de Gian CalviMUSICALIDADE1 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0889 ‐7Villa ‐Lobos e Antônio Carlos Jobim, emépocas diferentes, musicaram o poema ”Tremde ferro“, publicado em 1936, em Estrela damanhã, por Manuel Bandeira, um dos nomesmais representativos do modernismo no Brasil.Em 2004, o mesmo "Trem de ferro" éinserido na Coleção Magias Infantil,enriquecido pelas ilustrações magníficas deGian Calvi. Ganhador de diversos prêmiosnacionais e internacionais, Gian já assinoumais de cem títulos publicados em onze países.O poema de Manuel Bandeira imita, pelosom, o trem em movimento. Café com pão/Café com pão/ Café com pão// Virge Mariaque foi isso maquinista? (...) Oô.../ Foge bicho/Foge, povo.A riqueza do texto centra ‐se no ritmo, namusicalidade e na linguagem coloquial queregistram as imagens rápidas que passam pelajanela do trem.ilustração: Gian CalviCrianças de até 5 anos e 11 meses53


MarceloColeçãoCipisArquiteto de profissão, Marcelo Cipisescreve e ilustra livros desde 1977.Atua também na área da pintura e dasartes plásticas, tendo participado da21 a Bienal Internacional de São Paulo,e de muitas exposições.Ganhou vários prêmios, como o Abrilde Jornalismo de 1987, 1993 e 1994,entre outros.O livro da tabuadaIlustrações do autorLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1288 ‐2Mais uma vez, o renomado ilustradorMarcelo Cipis, com seus traços fortes, alegres eexpressivos, convida a criança a aprenderbrincando, divertindo ‐se mesmo.Em O livro da tabuada, velas, pizzas, garrafas,macacos, dedos, ovos, músicos, janelas,galinhas e livros, de maneira colorida,preenchem as páginas e multiplicam ‐se paradescomplicar o processo da mulplicação.Uma forma lúdica, cativante, pertinente aouniverso infantil, de levar a lógica matemáticaao pequeno leitor. Um jeito gostoso e dinâmicode lidar com os números, de entrar no mundoinstigante da Matemática.O livro das formas doSr. FormalindoIlustrações do autorCRIATIVIDADE1 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1553 ‐1O espetáculo vai começar! As formasgeométricas entram em ação e o mundodesfila, página a página, diante dos olhos doleitor. A circunferência, o triângulo, oquadrado, o retângulo e tantas outras formasgeométricas desvendam as formas do mundo,traduzindo não só o mundo real, concreto,como o mundo abstrato, imaginário. E cadaforma reformada faz surgir o que existe e oque pode existir. E o espetáculo da vida ganhaforça nessa história construída por imagens.54Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O livro do alfabetoIlustrações do autorO livro dos númerosIlustrações do autorSe um gato for...Ilustrações do autorlinguagem verbal enão verbal/Alfabetolinguagem verbale não verbal/númerosCRIATIVIDADE1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1337 ‐72 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1081 ‐91 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1164 ‐9Marcelo Cipis, ilustrador de renome, atuatambém na área da pintura e das artesplásticas, tendo participado de importantesexposições individuais e coletivas. Em O livrodo alfabeto, aliou seu traço forte, colorido eexpressivo ao mundo das letras, dando ‐lhesvida. O A no avião voou, o L no livro imaginou,o F no farol iluminou caminhos, e o Anovamente voou no avião, o B na bola rolou, oE no edifício morou, o T na TV se popularizou,e, finalmente o O no olho, ou nos óculos, viutodo o ALFABETO desfilar, de A a Z, realidade eimaginação.O autor, assim, convida seu leitor adescobrir e a explorar várias possibilidadeslinguísticas no rico processo de alfabetização.O ilustrador e artista plástico Marcelo Cipis,respeitado e requisitado pela qualidade de suavasta produção, neste livro, investesimultaneamente nos números, nas palavras enos desenhos. Um diálogo perfeito queestimula a criança a estabelecer relações,apreciar os traços e as cores, observar eadivinhar a próxima sequência numérica, criaroutras possibilidades de leitura. Um chapéu,um dedo; duas árvores, dois dedos; três ovos,três dedos; quatro gatos, quatro dedos; cincobotões, cinco dedos; seis buracos, seis dedos;sete planetas, sete dedos; oito maçãs, oitodedos; nove lápis, nove dedos; e assimsucessivamente...Brincar de descobrir símbolos e outrasrepresentações... Brincar de contar, de ler e dedesenhar pode ser uma proposta gostosa deaprender.O livro Se um gato for..., escrito e ilustradopor Marcelo Cipis, desperta sensivelmente nopequeno leitor o prazer de criar, de inventar, detransformar, enfim, de entrar no universo daimaginação.Com seu traço característico, permeado deelementos do cotidiano infantil e de uma boadose de humor, o autor estimula a criança abrincar com os sentidos, as formas, as cores, acombinação de objetos e a diversidade demateriais. Se um gato for redondo... Se um gatofor feito de linhas... Se um gato for feito depano... Se um gato for de vidro... Se um gato forum sorvete...Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses55


MárcioColeçãoVassalloJornalista e escritor, queria também tersido jogador de futebol. No entanto, aspalavras o prenderam e hoje ele batebola sobre o encantamento da leitura,em oficinas e palestras, para crianças ejovens, de norte a sul do país.A fada afilhadaIlustrações de Bebel Callagerelacionamentohumano2 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1273 ‐8Da minha praia até o JapãoIlustrações de Bebel Callage1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1458 ‐9ImaginAÇÃO/RelacionamentofamiliarNas histórias de Márcio Vassallo, ossentimentos que permeiam as relaçõeshumanas assumem sempre o fio condutor danarrativa. Sobre A fada afilhada o próprioescritor comenta: Queria inventar um contosobre o sentimento da pessoa que cuida detodo mundo, mas não tem ninguém que cuidedela. Quem cuida de todo mundo, nessahistória tão verdadeira e bem contada, é a fadamadrinha Beatriz. Beatriz foi ficando com umador nas costas tão forte, uma dor tão pesada,que ela acabava o dia toda doída, toda curvada,toda quebrada, toda corcunda que nem umponto de interrogação (...). E Beatriz, mesmoempenada, mesmo quebrada, mesmo curvada,acabava dando colo. Um dia, a fada tãoboazinha, sem que ela mesma se desse conta,deu um berro tão alto que deixou todo mundoestarrecido. A história não termina aí.Conhecer o conflito vivido pela fada Beatrize a solução encontrada pelo autor paratransformá ‐la em um ser mais feliz,certamente possibilitará que a criança tenhauma outra percepção das pessoas a sua volta.A forte lembrança paterna, presente nasmemórias de infância do narrador‐‐personagem, é revivida com ternura e afetonessa narrativa criada pelo escritor MárcioVassalo. Um buraco maior que a praia, cavadona areia pelas mãos seguras e firmes do pai,transportava o menino para o mundo mágicodo faz de conta onde ele vivia históriasfantásticas e rompia os limites do tempo e doespaço. E pra não deixar nenhum monstromarinho chegar perto, meu pai fazia umamuralha na frente do buraco. Ah, e atrásdaquela muralha, eu via o mundo de lado, semter que ir até o Japão. (...) Bem, na larguradaquele abraço, tudo o que menos meimportava era achar alguma resposta. Afinal, oabraço do meu pai, pra mim, sempre foi umaresposta, mesmo quando eu não precisavafazer nenhuma pergunta pra ele.Uma história que resgata momentos deencantamento e de aventura — jogossimbólicos — criados pela presença protetora eamorosa do pai.56Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O menino da chuva no cabeloIlustrações de Odilon MoraesNARRATIVA DE MEMÓRIAS1 a edição; 24 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0984 ‐4A história criada por Márcio Vassallo, eilustrada por Odilon Moraes, fala de um sonho.O sonho de tantos meninos. O sonho de serjogador de futebol. Sonho que ocupava dias enoites: era só tentar que ele chegaria lá. MasArthur não tinha tempo para tentar nada.Arthur só tinha tempo pra brincar. Um dia, opai de Arthur precisou trabalhar bem longe deonde morava. A família mudou ‐se. Arthurmudou. Mudou de casa, mudou de vida.Cresceu. E mudou até o sonho. Em vez de serjogador de futebol, virou escritor, um outrosonho... ele descobriu que já escrevia, quandolembrava que preferia trocar o grito de um golpelo susto de uma paisagem. Enquanto criança,Arthur soube viver intensamente. Adulto, nãoperdeu a capacidade de se encantar.ilustração: Odilon MoraesCrianças de até 5 anos e 11 meses57


MarianaColeçãoMassaraniFormada em Desenho Industrial pelaUniversidade Federal do Rio de Janeiro,Mariana Massarani nasceu e mora noRio de Janeiro. Escritora e ilustradora demais de cinquenta livros infantis, ganhouo prêmio Jabuti de ilustração com o livroRimas do país das maravilhas, de LewisCarroll, além de ter participado da Feirade Bologna e da Bienal de Bratislava,representando o Brasil.Aula de surfeIlustrações da autora1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1198 ‐4esporteMariana Massarani, formada em DesenhoIndustrial na Universidade Federal do Rio deJaneiro, com uma produção de mais decinquenta livros infantis, em Aula de surfeilustra e escreve. Desenhos expressivos, alegres,com traços fortes, de todas as cores etamanhos, saltam de cada página para narrar aalegria de Felipe e Vitória ao participarem pelaprimeira vez de uma aula de surfe. Sete horasda manhã! Victória e Felipe acordam bem cedoneste sábado. Hoje é a primeira aula de surfe desuas vidas. Jorge, o pai deles, já foi cedinhopegar onda. Ele surfa desde menino. (...) Osalunos são de todas as idades: desde 5 atéadultos com mais de 40 anos! (...) O professorZé Roberto distribui umas lycras lindonas com onome da escolinha, e fala: — Pessoal, antes deentrar na água, aquecimento! E ensina umasposições de ioga muito bacanas.Banho!Ilustrações da autoraimaginação/meio ambiente1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1112 ‐0A partir de uma situação tão comum nonosso cotidiano — tomar banho —, a autoracria uma narrativa em que a imaginação e aaventura dão um toque especial à história.Edson, Edilson, Edmilson e Ednalva, os quatrofilhos de Marilene, aproveitam a hora do banhopara mergulhar no mundo da fantasia e fazerdesse momento uma grande diversão. — Jápassaram xampu? — grita, da porta, a mãe. —Acabem logo esse banho e vamos jantar! —berra de novo. Mas os meninos estão muitoocupados nadando com botos, tucunarés,piraputangas, pirapitingas, piranambus, pacus,tamboatás, surubins, tambaquis, jitubaranas,piabas e piranhas. Piranha!? — Socorro! —berram Edson, Edilson e Ednalva.O livro propicia também uma rica leitura dalinguagem visual, pois as imagens criadas sãoportadoras de significado, carregam umapotencialidade de sentidos.58ilustração: Mariana MassaraniCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Os mergulhadoesIlustrações da autoraQuando Pedro tinha nove anosIlustrações da autoraEsporteNARRATIVA HISTÓRICA1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1468 ‐81 a edição; 42 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1400 ‐8Dinorá e Ubiratã são mergulhadores emoram num veleiro, o Plâncton. Há vários anoseles navegam e mergulham na costa do Brasil.Os dois levam turistas para conhecerem ofundo do mar. Quando acham um lugar bacanajogam a âncora e ficam por um tempo navizinhança. Seus sobrinhos, Antônia e Gabriel,sempre passam uns dias no barco com eles.Assim começa mais uma história escrita eilustrada por Marina Massarani. Martransparente, cardume, lambaru, linguado, raia,tartaruga ‐verde, navio afundado, máscara,nadadeiras e esnórquel são ingredientes quefazem dessa narrativa uma descontraídaviagem de descoberta, aprendizado e prazer.No livro Quando Pedro tinha nove anos, apremiadíssima ilustradora Mariana Massaraniarticula, com sensibilidade e arte, texto eimagem na criação de uma história atrelada aum personagem da História do Brasil. Sobre olivro, a autora comenta: Deve ter sido omáximo para D. Pedro chegar ao Rio de Janeirocom nove anos de idade. A cidade devia serimpressionante (até hoje é linda). Imaginempara uma criança vinda da Europa, em 1808!Fiquei com uma vontade grande de bolar umlivro para meninos pequenos (...). Na minhapesquisa, visitei o quarto em que D. Pedronasceu, no Palácio de Queluz, em Portugal,decorado, nas paredes, com cenas do DomQuixote, do Cervantes. (...) Para desenhar ahistória, me inspirei muito nos desenhos docraque do Debret, pintor francês que andou poraqui naquela mesma época.ilustração: Mariana MassaraniCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses59


MarinaColeçãoColasantiA Etiópia (hoje chamada Eritreia),onde Marina nasceu, fica no norteda África. Veio morar no Brasil eaqui estudou belas ‐artes,trabalhou como jornalista etraduziu textos importantes daliteratura italiana. Publicou várioslivros de poesia, prosa e literaturapara crianças e jovens. Uma ideiatoda azul e A moça tecelã sãoalguns dos muitos títulos deMarina editados pela Global.A menina arco ‐írisIlustrações da autorafantasia/imaginação5 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1202 ‐8Em A menina arco ‐íris, a capacidadeinventiva e a aguçada sensibilidade de MarinaColasanti convidam o jovem leitor a mergulharno reino do imaginário e a viver com apersonagem Virgínia momentos dedesprendimento do real e a recriação de umaoutra realidade. Virgínia caiu na xícara de leite.Debruçou ‐se demais, e agora lá está no fundobranco, tudo branco ao redor. Nenhum caminhovisível, cidade nenhuma. Talvez montanhas, ounuvens. E um silêncio parado, de algodão (...).Apareceu primeiro um carneiro, depois outroainda, e o pastor, seguido de carneirinhos (...).Uma realidade criada pelo sonho, pelacuriosidade de entrar em outros espaços e emoutros tempos. Uma viagem pelo mundomágico da fantasia. Uma viagem necessáriapara aprender a desvendar mistérios eencontrar soluções novas para o dia a dia.Cada bicho seu caprichoIlustrações da autoraLINGUAGEM POÉTICA/LUDICIDADE5 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260‐0658‐4Acervo Básico Teórico para aCriança 2000 (FNLIJ)Bichos! Bichos conhecidos, bichos menosconhecidos — gato, pinguim, centopeia,camelo, dromedário, cuco, porco ‐espinho, leão,entre outros, são o assunto do livro Cada bichoseu capricho. Em versos, Marina Colasantiescreve carinhosamente. A criança aprendesobre algumas características de cada um e,também, se diverte com o jogo de palavras,com as rimas, com a sonoridade, com o ritmoe as informações inventadas pela criatividadeda autora. Quem foi que primeiro/ teve a ideia/de contar um por um/ os pés da centopeia?// Seuma pata você arranca/ será que a bichanamanca?// E responda antes que eu esqueça/ seexiste o bicho de cem pés/ será que existealgum de cem cabeças?Um livro com jeito de criança. Um livro deque toda criança irá gostar!60Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O lobo e o carneiro no sonhoda meninaIlustrações da autoraO menino que achou uma estrelaIlustrações da autoraO verde brilha no poçoIlustrações da autoraAVENTURA/fantasiaINCLUSÃOCICLO DE VIDA3 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1209 ‐75 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0648‐7Programa Nacional do LivroDidático — SP — 2000/2001(MEC‐FNDE)Acervo Básico Teórico para aCriança 2000 (FNLIJ)5 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0662‐1Acervo Básico Teórico para aCriança 2001 (FNLIJ)Era uma vez um lobo. Era vez uma meninaque tinha medo do lobo. O lobo morava nosonho da menina. Quando a menina dizia quenão queria ir dormir porque tinha medo dolobo, a mãe respondia: — Bobagem, menina,sonho é sonho. (...) Ela ainda estava tentando seconvencer quando (...) deu de cara comcarneirinho. (...) E logo ficaram amigos.Mais uma história em que Marina Colasantidesafia o jovem leitor a desvendar com ternurametáforas. Perceber e identificar os lobos e oscarneiros, presentes nos sonhos diurnos enoturnos, e mergulhar no jogo entre o reale o imaginário é uma tarefa enriquecedorapara o desenvolvimento afetivo do adolescentee uma possibilidade de compreender melhor oselementos quase que indecifráveis que arealidade lhe oferece.O que poderia fazer um menino ao ver, emuma manhã, depois de uma noite de fortetempestade, uma estrela ‐menina, caída,encharcada e apagada?O personagem construído por MarinaColasanti, mesmo sem saber como lidar comuma criatura tão diferente, mesmo tendo delidar com a incompreensão da mãe, nãohesitou. Era preciso levá ‐la para casa, cuidardela (...). Mas como? Parecia pesada demaispara carregar no colo. (...) Assim, durante dias, omenino ocupou ‐se da estrela, tratando demantê ‐la sempre aquecida e de renovar o leitena tigela (...).Com tantos cuidados, carinho e dedicação aestrela voltou a brilhar tão forte que o meninomal conseguia dormir... Mais uma vez nãohesitou. Devolveu ‐a ao céu.Uma história de encantar. Afeto, ternura,atitudes altruístas têm faltado em muitosespaços e, muitas vezes, na sala de aula."Socorro! Tem uma árvore no meubanheiro!" (...) "Uma árvore!?", gritam osoutros moradores (...).Por que tanto espanto? Uma semente caiu,por acaso, em um poço de arejamento de umprédio. Um poço de paredes escuras e com ummínimo de luz. Após poucos, a sementegerminou. Uma árvore silenciosamente cresceue suas folhas curiosas entraram pelas janelasdo edifício. Daí o espanto dos moradores. Oque fazer com ela? A indagação silenciosa abretodas as bocas, pendura todos os queixos. (...) Etodos juntos abrem ainda mais as bocas paradizer que é melhor cortar! A autora acredita noamor e a árvore não é cortada.A semente, a árvore e os moradores podemser interpretados como metáfora do processoda vida. Sendo assim, a leitura do conto deMarina Colasanti pode remeter a criança auma valiosa reflexão sobre a existência dosseres vivos do planeta.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses61


Ofélia, a ovelhaIlustrações da autoraUm amor sem palavrasIlustrações da autoraAutoconhecimentoAMIZADE3 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260‐0657‐7Grande Prêmio da Crítica1979 (APCA)O melhor para o jovem 1979(FNLIJ)Acervo Básico Teórico para aCriança 2000 (FNLIJ)4 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0649‐5Acervo Básico Teórico para aCriança 2000 (FNLIJ)Às vezes, uma mudança dá certo, nãoimporta o tipo. Outras vezes, não. Na verdade,aparentemente não. Sempre vale a pena ousar,buscar um caminho que era antes. Foi isso queaconteceu com a ovelha Ofélia.Bebendo no riacho (...) parou para olhar seureflexo (...) não gostou do que viu (...) nãogostando do seu aspecto, o melhor era trocá ‐loo mais rápido possível. Estava infeliz. Pensouem ir ao mercado da aldeia. Foi. Pela primeiravez, enfrentou o vale sozinha, sem um pastorque a conduzisse. Apesar do medo inesperado,sentia ‐se feliz.Na aldeia, encontrou uma linda e reluzentepele de raposa. Roubou ‐a. Arrancou ‐lhe o pelocom os dentes e vestiu a nova roupa. E agora,seria feliz?Durante a leitura, a criança poderá descobrirque “ser uma raposa” não deixou Ofélia feliz,porém aprendeu muito sobre si mesma e sobreo mundo a sua volta.Uma sombra, acreditando estar sendodesprezada por sua amiga, uma árvore, muda‐‐se, repentinamente, em busca de um outrolugar em que poderia se sentir mais útil e maisfeliz. Porém, mesmo longe, não conseguedeixar de sentir saudades, de se preocupar comsua companheira de muitos anos.Juntas desde o começo, as duas. A árvoreainda era muda, pequena, sem tantas garantiasde vida, e a sombra já se desenhava magrinha,contando com a resistência da outra parasobreviver.Mais uma história de Marina Colasanti paraprimeiro sentir, depois pensar e depoisaprender. Aprender como se pode aprendercom um bom texto literário — conhecerpersonagens inusitadas, ler as metáforas, asentrelinhas, as frases incomuns. Sensibilizar acriança desde cedo para o contato e acompreensão do discurso literário éproporcionar ‐lhe momentos de prazer.ilustração: Marina ColasantiCrianças de até 5 anos e 11 meses62Crianças de até 5 anos e 11 meses


MaryColeçãoeEliardoFrançaMary e Eliardo França nasceram emSantos Dumont, Minas Gerais. Eliardoiniciou sua vida profissional em 1966,ilustrando livros para crianças.Em coautoria com sua esposa — aescritora Mary França — tem livrospublicados em várias línguas e prêmiosnacionais e internacionais.Revolucionaram as publicaçõesinfantojuvenis, produzindo livroscom harmonia entre texto e ilustração.A CabraMary França e Lucas FrançaIlustrações de Lucas FrançaCOMPORTAMENTO1 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐1732‐0Dona Cabra, três cabritinhos, Coelho,Raposa, Toupeira e Coruja protagonizam estahistória gostosa de ler e de ver. Escrita comfrases curtas, muitos diálogos, ilustraçõesgrandes e coloridas, possibilita trabalhar oponto de vista da criança, seus desejos, suacapacidade de escolha, sua relativa liberdade esuas características pessoais importantes nodesenvolvimento infantil.– Por que chora, Dona Cabra?– Meus cabritinhos – disse ela – não queremvoltar pra casa.– Eu falo com eles – disse a Raposa.E chamou, chamou...Eles disseram que o capim-limão estavadelicioso e não desceram.Dona cabra chorava... chorava...O JabutiMary França e Lucas FrançaIlustrações de Lucas FrançaCOMPORTAMENTOPreloO Porco-do-Mato tinha um roçado eplantava batata-doce. Um dia decidiu plantaraipim. Na época da colheita, não conseguiuarrancar um aipim, de tão enorme que era.Pediu ajuda ao Tamanduá, à Ema, ao Jacaré, àPaca e por último ao Jabuti, que, muitoespertinho, quis os méritos só para si.Mais uma história divertida, bem ilustrada,com textos na medida certa para ampliar orepertório de leitura do público infantil.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses63


O LeitãoMary França e Lucas FrançaIlustrações de Lucas FrançaO MacacoMary França e Lucas FrançaIlustrações de Lucas FrançaDudu e a pomba, Dudu e o patoIlustrações de Eliardo FrançaCOMPORTAMENTO COMPORTAMENTO LINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL/LUDICIDADE1 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1733-7Prelo1 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1734-4Assim começa mais uma história da SérieBicho do Mato: Mamãe porca viviatranquilamente com seu filhote, o Leitão.Numa certa manhã, ele descobriu que tinhaquatro patas.– Mamãe Porca – ele perguntou – para queservem minhas quatro patas?Mamãe Porca explicou:– Com suas quatro patas, você vai andar ecorrer por todo lugar.O Leitão, de pergunta em pergunta para suamãe – sobre os seus olhos, a sua boca, o seunariz, as suas orelhas –, aprende sobre si esobre outros da sua espécie.Esta história certamente encantará acriança que também tem curiosidade arespeito de seu corpo e de sua identidade.Mais uma história em que os autorespossibilitam que a criança desenvolva aimaginação, a curiosidade, sua capacidade deexpressão e seu potencial criativo. Umanarrativa bem dinâmica, com váriospersonagens, porém com parágrafos curtos. OMacaco foi chupar uma bala, mas a bala caiu.Achou que tivesse caído dentro do tronco ocodo ipê. Como não conseguiu tirar, pediu aoFerreiro que lhe fizesse um machado paraderrubar o ipê. O Ferreiro não quis ajudar. OMacaco pediu para o Rato, para vários outrosanimais. E pediu para o Fogo, para Água. Tudoem vão. Insistente e esperto, o Macacoencontrou uma saída e recuperou sua bala.Dudu, protagonista da história, descobreque não tem asas para voar como a pomba:Dudu dá pipoca para a pomba.A pomba come e depois voa.– Ih!... Eu não tenho asas para voar.Ele descobre também que não sabe nadarcomo o pato. Porém, usando sua criatividade,consegue alcançar os ares e até navegar.O texto e as ilustrações, estas fundamentaisna narrativa, possibilitam a exploração dasletras do alfabeto, o repertório linguístico, oreino animal, a percepção visual, a imaginação,as ações e as atitudes das crianças, asbrincadeiras infantis e a ludicidade.Crianças de até 5 anos e 11 meses64Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Dudu no jardim, Dudu no quintalIlustrações de Eliardo FrançaA roupa do ReiIlustrações de Eliardo FrançaFoge, Tatu!Ilustrações de Eliardo FrançaLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL/LUDICIDADEJOGO VERBALLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL2 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1735-18 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1681-1PreloSão duas narrativas bem curtas comilustrações grandes e coloridas em que osautores exploram dois espaços diferentes. Nojardim, o gatinho Dudu brinca com a terra,com as flores e com as borboletas. No quintal,ele dá milho para a galinha, para os pintinhose faz uma descoberta:Dudu fala para a mamãe:– Eu não faço cocoricó!... Eu não faço piu!Piu! Piu!...– Eu faço miau!... Miau!... Miau!...A leitura do livro pode possibilitar aconstrução de diferentes linguagens pelascrianças e proporciona também que elasestabeleçam relações com outros espaços,outros animais, outros sons da natureza edescubram outras formas de brincar.Quatro animais – o rato, o pato, o gato e otatu –, um Rei e muita confusão! O rato rói aroupa do Rei. O Rei, entre furioso e assustado,quer que peguem o ousado animal. E o patomandou o tatu pegar o rato. (...) O tatu mandouo gato pegar o rato. Nem o tatu, nem o gatoconseguem pegar o ligeiríssimo rato e estestambém têm suas roupas rasgadas.Os animais são ilustrados coloridamente echamam a atenção pela riqueza daexpressividade. O texto, estruturado compalavras repetidas e frases de fácil assimilação,possibilita explorar outros jogos verbais –parlendas, trava-línguas, cantigas de roda,entre outros.Uma leitura que permite brincar com osignificado e com a sonoridade das palavras.As ilustrações vivas, detalhadas, de páginainteira, e o texto com frases curtas contamuma história bem ao gosto do público infantil.A Onça queria pegar o Tatu e não conseguia.Ele, sempre mais rápido do que ela, fazia umburaco e se escondia. Para pegá ‐lo, a Onçateve uma ideia: fingir ‐se de morta. Os outrosanimais da floresta acreditaram que ela haviamorrido, porém, ela não contava com aesperteza do Urubu. Veio o Urubu e olhou...olhou... Ele falou:– Dona Onça já espirrou? Meu avô, quandomorreu, espirrou três vezes.Foi então...Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses65


O baileIlustrações de Eliardo FrançaA história dos PingosIlustrações de Eliardo FrançaAlegria, alegria!Ilustrações de Eliardo FrançaJOGO VERBALLINGUAGEM VERBAL ENÃO VERBALLINGUAGEM POÉTICA15 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1680-44 a edição; 24 páginasISBN 978-85-260-1704-72 a edição; 32 páginasISBN 978-85-260-1705-4A coruja organizou um baile. Um foi falandopara outro e, assim, os animais logo ficaramsabendo. No dia marcado, todos foram bemanimados e cada um levou o seu par. Porém, acoruja – dona da festa – surpreendeu-os comuma novidade: Não podia dançar o gato com agata, o pato com a pata, o galo com a galinha,o rato com a rata, o sapo com a sapa. Queconfusão! Dançava o galo com a gata, o gatocom a galinha, o pato com a sapa, o sapo coma pata. De repente, era preciso começar tudode novo – o rato ficava com a rata, o sapo coma sapa. A coruja não abria mão da regra criadapor ela. E a dança mal começava, parava ecomeçava outra vez.A leitura da história possibilita ampliar orepertório linguístico, a percepção musical dojovem leitor e explorar as habilidadesexpressivas do movimento corporal – asdanças, o ritmo, os gestos, as brincadeirasinfantis.O livro A história dos Pingos conta como foio processo de criação dos sete encantadorespersonagens: Pingo-de-Fogo, Pingo-de-Ouro,Pingo-de-Sol, Pingo-de-Mar, Pingo-de-Céu,Pingo-de-Flor e Pingo-de-Lua – e como é cadaum deles, sua forma e sua personalidade.Os Pingos são sete gotas iguaizinhas? Quaseiguais! Embora tenham a mesma forma, cadauma tem a sua cor. (...) Se a cor era a principaldiferença entre eles, era preciso estudar ascores. (...) O estudo das cores deixou muito claraa relação da cor com a emoção, com osentimento, com os traços de personalidade.Depois disso, os personagens ganharamnomes. Ganharam também muitos leitores –leitores de todas as idades que se descobremnas cores dos Pingos!O livro Alegria, alegria! reúne oitos textosem linguagem poética. Ritmo, sonoridade,rimas, adivinhas, parlendas e ilustraçõesriquíssimas contam sobre as aventuras ebrincadeiras dos sete Pingos: no campo, nofundo do mar, na praça, na praia, na festa.Parece que Pingo-de-Mar está tocando: Unidu ni tê (...). Um sorvete colorê, uni du ni tê. (...)Pingo-de-Sol quer acertar o ritmo: Café compão, bolacha não! Café com pão, bolacha não!Café com pão, bolacha não!Uma leitura que, sem dúvida, é um convitepara brincar com as palavras, ampliar orepertório cultural e despertar o imaginárioinfantil.Crianças de até 5 anos e 11 meses66Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Os Pingos e o verãoIlustrações de Eliardo FrançaOs Pingos e os amigosIlustrações de Eliardo FrançaSabem por quê?Ilustrações de Eliardo FrançaLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALPRELOPRELOpreloPreloPreloPreloOs Pingos sabem muito sobre as estaçõesdo ano. Conhecem como ninguém o que cadauma delas tem de melhor: no outono, ospássaros em festa; no frio, a festa junina, comas bandeirinhas e seus quitutes; na primavera,o campo alegre e florido; no verão, muito sol ebons dias para pescar. Noites quentes e muitaestrela no céu. Pingo-de-Fogo gosta da noite,para fazer uma linda serenata. Pingo-de-Luagosta mesmo de dormir e Pingo-de-Ouro deagitar. Mas todos os Pingos gostam mesmo deum belo dia de verão!!!Um livro com ilustrações ricas em detalhesque dialogam com informações claras e bemadequadas ao público infantil. Um jeito lúdicoe divertido de descobrir sobre as diferentesestações do ano.Os sete Pingos pequeninos, com sua corprópria e seu jeito especial de ser, mostram aopequeno leitor que sabem contar. Sobem emárvores, vasculham a terra, os campos econtam bezerros, tatus, pipas, formigas,lagartas, passarinhos, sapos, porquinhos, gatos,borboletas e joaninhas.Contam e recontam. São 9 joaninhas. São 9borboletas. São 9...– Ah, que pena – fala Pingo ‐de-Lua. – Faltapouco, falta uma.Então é preciso 10? Dez bichos bemanimados para formar um conjunto musical?Uma leitura divertida, cheia de descobertasem que a criança aprende a contar brincando.Nesta história, os Pingos, sempre afetivos ecompanheiros, dedicam-se à leitura e à escrita.Sabem por quê? Todos querem agradar Gota‐‐de-Mel. Pingo-de-Flor procura uma novareceita de doce, Pingo-de-Mar quer saber tudosobre o espaço para levar Gota à Lua, Pingo‐‐de-Sol espera encontrar no jornal umasugestão de um filme.Ela vê Pingo-de-Fogo e fala:– O que você está fazendo?Ele logo diz:– Estou aprendendo a ler e escrever.– Pra quê? – pergunta a Gota.– Ora! – diz Pingo-de-Fogo. – Para escreveruma carta de amor para você.Uma história que ressalta de formacarinhosa a importância do domínio do códigolinguístico, da linguagem como prática social ecomo meio para a expressão dos sentimentos.Crianças de até 5 anos e 11 meses68Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Bicho-papãoIlustrações de Eliardo FrançaDe cor em corMary França e Lucas FrançaIlustrações de Lucas FrançaA pescariaIlustrações de Eliardo FrançaIMAGINAÇÃO/MEDOCOMPORTAMENTOLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL1 a edição; 20 páginasISBN 978-85-260-1592-01 a edição; 20 páginasISBN 978-85-260-1595-1PreloUm pato andava à noite pelo quintalquando se deparou com um bicho no muro.Chegou o galo e o pato falou:– Veja!... Tem um bicho esquisito no muro.– Cruzes... – falou o galo.Chegou o gato e o galo disse:– Cuidado!... Tem um bicho estranho no muro.– Nossa!... – disse o gato. – Parece que eleestá crescendo!Cada bicho que chegava se assustava maise mais e o tal bicho esquisito ficava cada vezmaior. O que de verdade será que aconteceu noquintal, que tanto medo causou aos animais?Mary França e Eliardo França criam maisuma instigante e bem-humorada história comilustrações alegres e coloridas, que certamentedespertará no jovem leitor a imaginação, acuriosidade e o desejo de ler.Em um campo, um bode pasta calmamente.Alguns bichos, entre eles um javali, uma raposae um jabuti, aproximam-se para ver a cena. Omais curioso é que os três se espantam com oque veem.Nossa! Nunca vi um bode azul!, exclama ojavali. Nossa! Nunca vi um bode rosa!, exclamaa raposa. Nossa! Nunca vi um bode amarelo!,surpreende-se o jabuti. Afinal, o bode era azul,rosa ou amarelo? Por que será que cada umvia de um modo diferente?A confusão e a surpresa não param por aí.Outros animais chegam ao pasto e enxergamoutros animais de cores bem diferentes do queseria normal.Uma história criativa em que a riqueza dalinguagem visual dialoga em perfeita harmoniacom as frases bem construídas, na medidacerta para o jovem leitor.Neste livro, o personagem Rubi decidepescar com Esmeralda. A história começaassim: Ele acaba de acordar. Você sabe o nomedele?– Hoje eu quero pescar – ele diz. O que seráque ele vai precisar? Ele não vai sozinho. Ele vailevar Esmeralda.Ela quer pescar e nadar. O que será que elavai usar?As respostas às perguntas feitas estão nosdesenhos do talentoso Eliardo França. Assituações são apresentadas e a criança interageludicamente com a história, fazendo escolhas eselecionando as ilustrações adequadas para odesafio em questão.Pela forma como o livro foi elaborado, aleitura atrai o pequeno leitor e contribui para odesenvolvimento de sua criatividade, raciocínioe percepção visual.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses69


Esmeralda espera um bebêIlustrações de Eliardo FrançaLindo RubiIlustrações de Eliardo FrançaO ossoIlustrações de Eliardo FrançaLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALCRIATIVIDADECRIATIVIDADEPrelo6 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1651-45 a edição; 16 páginasISBN 978-85-260-1650-7Os dois personagens simpáticos e afetivosdesta série mais uma vez conquistarão osleitores. Nessa narrativa curta, permeada dediálogos e com desenhos bem coloridos e ricosem detalhes, os autores contam que Esmeraldaestá grávida e que Rubi ficou muito feliz com anotícia!Esmeralda falou para Rubi, no meio da noite:– Quero muito um grande pedaço dechocolate!– Nossa! – pensou Rubi – Que gulosa!(...) – Rubi – disse Esmeralda – Eu estoucomendo muito, porque preciso comer por dois.A escolha dos personagens, as palavras, otipo de frase, as ilustrações e o assuntocertamente proporcionarão uma leituraprazerosa e muito significativa para a criança.Mary e Eliardo França, autores premiadosno Brasil e no exterior, encantam as criançascom suas histórias criativas e ilustradas commuito cuidado. O texto, na medida certa para oleitor iniciante, articula-se ludicamente com asilustrações alegres e coloridas. Rubi viu umaborboleta azul. Ele se pintou de azul. Que lindo!Rubi viu um canário amarelo. Ele se pintou deamarelo. Que lindo! Rubi viu uma zebra. Ele sepintou de listras pretas. Que lindo!A partir da leitura, é possível explorar outrascores. O conhecimento sobre elas éfundamental no desenvolvimento cognitivo dacriança. Exige observação, discriminação ememória visual, estabelecimento de relaçõesentre saberes e diferentes contextos.O osso e Lindo Rubi são os primeiros livrosda coleção Rubi, em que ilustrações grandes ebem coloridas dialogam em harmonia comfrases curtas e acessíveis ao jovem leitor. Nestahistória, o personagem que dá nome à sérieencontra um osso.– Um bom osso para eu roer.E roeu... roeu... roeu o osso.Rubi disse:– Vou esconder este osso.E cavou... cavou... cavou... Primeiro o buracoficou pequeno, depois ficou grande.A leitura de O osso pode instigar aimaginação, proporcionar diversão e prazer etambém contribuir para o aprendizado danoção de grandeza, tão importante naeducação infantil para o desenvolvimento dacriança.Crianças de até 5 anos e 11 meses70Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Que delíciaIlustrações de Eliardo FrançaRubi e Esmeralda vão se casarIlustrações de Eliardo FrançaUm amor de bebêIlustrações de Eliardo FrançaLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALPreloPreloPreloEsmeralda deu a alface para Rubi. Rubifalou:– A lagarta gosta muito de alface.Rubi deu a alface para a lagarta. Esmeraldadeu frutinhas para Rubi. Rubi falou:– O tico-tico gosta muito de frutinhas.Rubi deu as frutinhas para o tico-tico.Esmeralda deu o milho para Rubi. Rubi falou...O texto de Mary França segue neste ritmolúdico, dinâmico, em que uma frase puxa aoutra e cria novas relações. Assim, a históriadesencadeia diversas situações semelhantes,sempre dialogando com as ilustraçõesdivertidas de Eliardo França.A leitura aguça o imaginário infantil, odesejo de descobrir outras frases e ativatambém o conhecimento de mundo dopequeno leitor.Neste livro, a história tem ritmo de festa, decomemoração. Muitos amigos movimentam ‐sede lá pra cá. A joaninha Nina, Adão, o porco, acoruja Selma, o tatu Eduardo, a gata Luana, ourubu Estêvão e, claro, os noivos, Rubi eEsmeralda, preparam ‐se para um grandeacontecimento, com vestidos, ternos e sapatosnovos.No dia do casamento, todos estavamchiques e felizes.Rubi disse para Esmeralda:– Eu te amo, Esmeralda!– Eu também te amo, Rubi! – falouEsmeralda.Uma narrativa alegre, afetiva e muitocolorida. Gostosa de ler, sentir e ver, como sãoas histórias de Mary e Eliardo França.Neste livro, os autores criam uma históriaem que o leitor conhece Topázio, o bebê deRubi e Esmeralda, e sua rotina – acordar, tomarbanho, mamar, brincar, receber carinho, serfotografado, passear, dormir.Na hora de o bebê dormir, mamãe canta:– Boi, boi, boi... boi da cara preta...Agora Topázio, papai e mamãe vãodescansar.Cores vivas, ilustrações ricas em detalhes,traços fortes, frases objetivas, diálogos curtos,personagens encantadores, relações afetivas eum assunto pertinente ao universo infantilcertamente conquistarão o pequeno leitor.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses71


Cacho de históriasIlustrações de Eliardo FrançaCanção do SabiáIlustrações de Eliardo FrançaCavalinho de ventoIlustrações de Eliardo FrançaLINGUAGEM POÉTICAMEIO AMBIENTEFOLCLOREpreloPrelo4 a edi ção; 24 pági nasISBN 978-85 ‐260 ‐1720-7PreloO livro reúne cinco histórias escritas emforma de versos. Na introdução, o pequenoleitor já se sente seduzido pelas narrativas: Noalto da colina,/ há uma casa./ A casa temvaranda,/ na varanda há uma rede./ Dentro darede, três crianças balançam (...)/ E vovó senta‐‐se ao lado/ pra contar histórias.Arthur é a primeira delas, que conta sobreum menino de humores variados. Tem tambémA roupa do Rei, O baile, O guerreiro e Nana, umamenina cheia de imaginação que brinca com oarco-íris. Fazer uma bolha [de sabão] tãogrande,/ entrar dentro dela e voar./ Voar... voar...voar!/ Lá de cima ver a chuva cair./ Cair... cair...cair!/ E depois da chuva brincar/ De escorregarno arco-íris.O livro divide-se em dois tipos de texto:uma narrativa – a história comovente do Sabiá– e textos informativos bastante completossobre a preservação do planeta. Tudo issoacompanhado de ilustrações de excelentequalidade.Pingo-de-Céu descobre que o Sabiá paroude cantar.– Afinal, o que está acontecendo? –perguntaram todos, quase ao mesmo tempo.O pássaro estava desanimado. Aborrecido,sem vontade de conversar. (...) Por todo lugar,derrubam árvores para fazer estradas(...).Qualquer dia podem invadir o nosso quintal. Opróprio Sabiá teve uma ideia: escrever a todasas crianças e pedir para os autores Mary eEliardo espalharem as cartas!O livro resgata doze cantigas e quadrinhasda tradição popular.O cravo brigou com a rosa,/ debaixo de umasacada./ O cravo saiu ferido,/ a rosa,despedaçada./ O cravo tem vinte folhas,/ a rosatem vinte e uma./ Anda o cravo aperreado,/porque a rosa tem mais uma.Esse resgate, bastante valioso em termosculturais, possibilita trabalhar aspectosfundamentais no desenvolvimento infantil: aoralidade, a expressão corporal, a musicalidade,o lúdico, as artes plásticas e a arte popular.As ilustrações de Eliardo França, com traçose cores bem vivas, enriquecem o texto por suadimensão artística e ressaltam a importânciada nossa tradição popular.Crianças de até 5 anos e 11 meses72Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


O bicho folharada e outrosespertinhosIlustrações de Eliardo FrançaO guerreiroIlustrações de Eliardo FrançaO macaco faz das suasIlustrações de Eliardo FrançaFOLCLORE/valoreshumanosLINGUAGEM VERBALE NÃO VERBALfolclore/valoreshumanos1 a edi ção; 32 pági nasISBN 85 ‐260 ‐1133 ‐25 a edi ção; 24 pági nasISBN 978-85 ‐260 ‐1721-41 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1207 ‐3O Bicho Folharada e outros espertinhosreúne quatro narrativas curtas sobre orelacionamento, nem sempre amistoso, entrealguns animais. Na primeira história, quem criauma grande confusão é o sapo. Uma certaandorinha chegou espalhando a notícia de umafesta no céu. Todos que sabiam voar estavamconvidados. Do pequeno Beija ‐Flor aomajestoso Flamingo. E, de fato, as aves seanimaram. Sentiram ‐se lisonjeadas (...). Quemnão podia ir, lamentava. Muitos se roíam deinveja. A Arara achou muita graça quandoouviu o Sapo dizer que também ia. Isso não erapossível. (...) O que nenhum deles sabia era queo Sapo tinha um plano.O eterno conflito gerado pela esperteza daraposa e da onça em relação aos outrosanimais também é assunto dessas históriasbem ‐humoradas e construtivas de Mary eEliardo França.– Menino sapeca, que jeito é esse?– É jeito de guerreiro. De guerreiro queespanta gigantes, que encanta fadas e...afasta bruxas. Que atrai borboletas e...adormece leão.Um guerreiro muito especial. No final danarrativa, os autores revelam onde reside aforça deste menino e qual é a arma poderosaque o faz tão forte, tão meigo e tãoencantador.As ilustrações, grandes e suavementecoloridas, ampliam o sentido do texto e aleitura flui leve e doce como a flauta domenino guerreiro.Em O macaco faz das suas, Mary e EliardoFrança narram cinco histórias em que, maisuma vez, personagens simbólicos — raposas,ratos, macacos, gatos, galos, onças, touros,leões, corujas, micos, sapos, garças, galinhas,entre outros — representam os diferentestipos humanos, com suas qualidades edefeitos, existentes na sociedade de todos oslugares e de todas as épocas. A astúcia, aesperteza, a ingenuidade, a vaidade, a força,a falsidade, o exibicionismo, o poder,caracterizados, no comportamento dosanimais, simbolizam o comportamento doshomens. A Raposa, para se exibir, procurouum caminho de volta ainda mais longo, paraque pudesse se mostrar aos habitantes damata; afinal, não queria que ninguémpensasse que já não era mais a mesma.Compreender a moral presente nessasnarrativas alegóricas é uma forma decompreender um pouco a conduta humana.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses73


Pedro Malazartes como odiabo gostaIlustrações de Eliardo FrançaTapas e beijos da comadre onçaIlustrações de Eliardo FrançaTodas as letrasIlustrações de Eliardo Françafolclore/valoreshumanosfolclore/valoreshumanosALFABETIZAÇÃO1 a edi ção; 32 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1237 ‐01 a edi ção; 32 pági nasISBN 85 ‐260 ‐1095 ‐61 a edição; 64 páginasISBN 978-85-260-1601-9Mary e Eliardo França recontam neste livroalgumas das fantásticas aventuras de PedroMalazartes — o caso das sacolas de dinheiro,da panela que cozinha sem fogo, do urubuencantado, do anjo que desceu do céu, doencontro de Malazartes com São Pedro.Personagem do imaginário popular, o únicocom forma humana e figura bastantetradicional nos contos da Península Ibérica edo Brasil, Pedro Malazartes é um trapaceiroincorrigível. Esperto, escorregadio, ousado,astuto e sempre vencedor, articula todos ostipos de artimanhas e enganos. Malazartes,sentindo a ocasião para um bom negócio, pôs‐‐se a elogiar o urubu; falou mais de uma vez desuas qualidades, mas, principalmente, salientouo quanto tinha apego àquele bicho:— Na verdade — dizia ele —, não possoimaginar viver sem este urubu. O homemcomeçou concordando que Pedro devia ser bemrecompensado para se separar do animal.Suas histórias, sempre permeadas de muitohumor, há séculos seduzem leitores de todasas idades e lugares.O livro resgata quatro histórias do nossofolclore, recontadas por Mary França eilustradas pelo traço forte e criativo de EliardoFrança, um dos mais premiados artistas delivros infantis. A narrativa e as imagens, ricasem detalhes e cores, contam histórias em quea onça, sempre ágil e astuta, relaciona ‐se,através de várias situações, com algunsanimais da floresta: a coruja, o tatu, o macaco,o jabuti, o gato, o coelho, o bode, entre outros.— Compadre Gato, você poderia me ensinar asaltar? (...) — Vamos, comadre Onça, a senhoravai imitando (...). E começou a repetir os saltosdo Gato. Num certo momento, saltou sobre oprofessor com o intento de liquidá ‐lo (...). Mas oGato deu outro pulo com tal agilidade eimprovisação que a Onça jamais vira.Essas narrativas de natureza simbólica, aomesmo tempo em que têm um caráterfantasioso e lúdico, referem ‐se às virtudes eaos defeitos dos homens através de animais.Mergulhar na leitura dessas histórias é poderrefletir sobre a existência humana, seucomportamento e seus valores.O livro corresponde às necessidades doprocesso inicial de alfabetização e letramentoda criança tanto pela forma lúdica e criativacomo o alfabeto é apresentado – as letras esuas funções – quanto pelos textos eilustrações adequados. A interação entre aleitura das imagens e das letras possibilita aconstrução de representações significativaspara a aprendizagem.Todas as letras proporciona, portanto, acriação de um repertório amplo para oPrimeiro Ciclo da Educação Básica, e oferecetambém elementos para atividadesinterdisciplinares, que consolidam oaprendizado da leitura e da escrita.Crianças de até 5 anos e 11 meses74Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


MicheleIacoccaColeçãoA coleção Michele Iacocca acompanhao passeio da imaginação da criançasobre o mundo “real”, com humor eliberdade. O autor nasceu na Itália, temformação em Artes Plásticas e veiojovem para o Brasil.Chargista, cartunista, tradutor, é autore ilustrador de mais de uma centena delivros, muitos deles premiados.Numa terra estranhaIlustrações do autorAVENTURA/IMAGINAÇÃO1 a edi ção; 24 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1496 ‐1Em Numa terra estranha, Michele Iacocca,autor e ilustrador de mais de uma centena delivros, entre eles vários premiados, cria umahistória em que a realidade — uma viagem deuma família até uma cidade com mar — étransformada, pelo poder de imaginação deum menino, em uma aventura inesquecível.Um dia eu fui viajar para uma terra estranha.Cheia de seres estranhos. De repente, um dosseres estranhos veio se aproximando. Euprecisava mostrar ao ser estranho como nóssomos habilidosos...A riqueza da história está também no fatode texto dialogar com o poder criativo de cadatraço das ilustrações concebidas comexcelência por Michele Iacocca.O planeta distanteIlustrações do autorAVENTURA1 a edi ção; 24 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1540 ‐1Chargista, cartunista, tradutor e escritor,Michele Iacocca mais uma vez mesclaelementos da realidade e do imaginário — casa,paisagem urbana, avenidas, ônibus escolar,amigos, céu, galáxia, disco voador, buraconegro, força invisível, desconhecido — paracriar uma narrativa em que o personagem viveuma aventura inesquecível.Um dia eu estava parado bem em frente daminha casa quando apareceu um estranhodisco voador...Cores, formas, traços originais dão aindamais expressividade ao planeta distante.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses75


VerlendasIlustrações do autorLUDICIDADE/FANTASIA1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1301 ‐8Assim como existem as parlendas — formasliterárias tradicionais de origem oral, rimadas,com uma temática infantil — Michele Iacocca,artista plástico italiano radicado no Brasil,com sua experiência de ter ilustrado mais deuma centena de livros infantis, fez — já queseu trabalho está intimamente ligado àimagem — o seu Verlendas.Em Verlendas, o autor, também ilustrador,como se fosse uma criança, deixa suaimaginação correr com toda liberdade e atéassume que em suas histórias cabe qualquerexagero. Assim, em suas trovas, entre outrascoisas, é possível encontrar uma chuva deframboesa; um gordo que não cabe dentrode casa ou um elefante carteiro. Vocêconheceu/ o elefante carteiro?/ Levando suascartas/ para o mundo inteiro? E nem precisava/sair lugar do lugar/ Para ele bastava/ suatromba esticar. Verlendas é uma experiência delinguagem em que o texto ilustra a ilustraçãoformando uma unidade quase indivisível, comose um não pudesse ser lido sem o outro, ouvice ‐versa, diz o autor.ilustração: Michele IacoccaCrianças de até 5 anos e 11 meses76


MuiraquitãsColeçãoMuiraquitãs são raros artefatosamazônicos de rocha esverdeada, comforma de pessoas ou animais. Seesculpido em forma de onça, porexemplo, o muiraquitã confere forçaàquele que o pendura no pescoço.O propósito desta coleção, dirigida porMauricio Negro, é registrar, guarnecere inspirar leitores indígenas ou nãoindígenas através de talismãs de papel,entalhados por autores de diversasetnias e cuidadosamente ilustrados.Pedras de toque para a compreensãodo modo nativo de ser, pensar, sonhar,viver e narrar.Direção de coleçãoMauricio NegroJóty, o tamanduáMAURICIO NEGRO E VÃNGRI KAINGÁNGIlustrações dos autoresCULTURA INDÍGENA1 a edi ção; 32 pági nasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1495 ‐4Nesse livro, o escritor e ilustrador MauricioNegro e a escritora, arte ‐educadora e artesãVãngri Kaingáng recontam uma narrativatradicional Kaingáng — um dos três povosindígenas mais populosos do Brasil.A história trata de Jóty, um velho sábiotamanduá, que ensina a Kam e Kanhru ossegredos e os encantos da dança, do canto eda música. Foram os irmãos gêmeos quecriaram todas as plantas, os animais e o povoKaingáng. Tudo o que existe, desde então, temmetade criadora Kam e também uma outrametade Kanhru; e cada metade tem poderesdiferentes, embora, complementares. (...) E osanimais têm ensinado outros tantos dons econhecimentos aos Kaingáng.ilustração: Mauricio NegroCrianças de até 5 anos e 11 meses77


Onda LivreColeçãoO monstro que me amaRita EspeSchitIlustrações de Cláudia ScatamacchiaOs quatro...?Cláudia PacceIlustrações de Eva FurnariInesperada, surpreendente, refrescantee alegre como uma onda do mar, nestacoleção estão reunidos livros que sãopequenos presentes da imaginação. Pormeio da escrita de autores brasileiros,falam de pequenas e divertidassurpresas do dia a dia, de fatosinexplicáveis e cheios de fantasia, queenriquecem e encantam todas ascrianças.RELAÇÃOFAMILIAR5 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1313 ‐1ECOLOGIA4 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0522 ‐7Direção de coleçãoCecilia R. Lopesilustração: JunUm monstro de duas cabeças me espia decima. (...) Às vezes aparece, às vezes some. (...)De repente, ataque! Uma cabeça pela esquerda,outra pela direita, começam a disparar beijosbeijos beijos sobre mim. Trata ‐se de umahistória de suspense, mistério? Quem é essenarrador que se sente ameaçado mas tambémquerido por um ser imenso, disforme?A história de Rita Espeschit, vencedora deprêmios na categoria infantojuvenil, é contadasob a ótica de um recém–nascido. De seuberço, observa e analisa as característicasfísicas, as atitudes, os movimentos do monstrode duas bocas e quatro braços. Aos poucos,descobre a alegria de se sentir seguro e amado.O monstro nada mais é que seus pais.Durante a leitura, a autora, comsensibilidade, desafia a criança a perceber averdadeira identidade do monstro.Conhecer a água, a terra, o ar, o fogo, suafunção e importância no mundocontemporâneo possibilita à criança, desdecedo, contribuir para a melhoria do planeta.Assunto tão amplo e complexo transforma‐‐se em uma divertida brincadeira no livro Osquatro...? O aspecto lúdico da elaboraçãotextual, a linguagem poética e bem ‐humoradade Cláudia Pacce — aliada às ilustraçõescriativas, fantasiosas e engraçadas de EvaFurnari — criam um gostoso jogo deadivinhação e descoberta. Se for quieta ou emducha/ acaba com a calorada,/ não há flor quefique murcha/ e nem floresta queimada.A leitura de Os quatro...? simultaneamenteestimula a imaginação e o raciocínio dacriança e também amplia seu repertóriode informações sobre questões relativas ànatureza.78Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


RogerColeçãoMelloA flor do lado de láIlustrações do autorSelvagemIlustrações do autorAutor e ilustrador de livros infantis,Roger Mello nasceu em Brasília.Recebeu diversos prêmios por seustrabalhos, vencendo por oito vezes oPrêmio Jabuti na categoria LiteraturaInfantil. As cores fortes e quentesque preenchem seus traçosemprestam às suas obras um climamarcadamente brasileiro e alegre.COMPORTAMENTO6 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0620‐1Acervo Básico Teórico para aCriança 1999 (FNLIJ)1 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1476 ‐3LINGUAGEM VERBALE NÃO VERBAL/CRIATIVIDADERoger Mello, formado em DesenhoIndustrial e Programação Visual pela UERJ, temconquistado diversos prêmios no Brasil e noexterior por seus trabalhos como ilustrador eautor de livros infantis. Vem se destacandocomo um dos nomes mais aclamados pelacrítica e pelo público.Em A flor do lado de lá, uma anta interessa‐‐se por uma flor. Porém, não consegue chegaraté ela porque há muitos obstáculos —uma distância grande, muita água e umabaleia no caminho.A anta observa e analisa, com cautela, osdetalhes. Não desiste facilmente de seuobjetivo. Faz várias tentativas, sofre, chora pornão conseguir chega até àquela flor tão linda...Roger Mello, inventivo como sempre, criaum final inesperado, surpreendente. Umaleitura em que a criança terá possibilidade deconstruir vários significados.A história de Roger Mello — artista jovem,porém já com uma obra vasta, diversa e degrande qualidade — surpreende, desconcerta econvida o leitor não a uma, mas a váriasleituras. Selvagem surpreende porque nãosegue um caminho definido; desconcerta,porque coloca o leitor diante de situações queexigem novos olhares para a leitura doimprevisível, do incomum; e convida a váriasleituras, pois suscita novas posturas diante doconhecido. No decorrer da história, aperspectiva do olhar muda e, com ela, muda atrajetória dos acontecimentos. Ao final, ainterrogação. As várias possibilidades. E anecessidade de reler, reler e rever posturas...Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses79


Ruth RochaColeçãoPaulista, Ruth Rocha tem dedicado suavida a contar histórias. Fala dosproblemas e necessidades das criançasde uma forma muito envolvente. Jáescreveu mais de 130 livros. Em 1976publicou seu primeiro livro, Palavras,muitas palavras. Depois disso não paroumais, escrevendo obras muitoapreciadas pelo público infantojuvenil.Quem tem medo do novo?Ilustrações de Mariana MassaraniHUMOR1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1300 ‐1Ruth Rocha, de forma lúdica e bem‐‐humorada, entra no universo infantil. Comum divertido jogo de palavras, enriquecidopelas ilustrações criativas e também divertidasda premiadíssima Mariana Massarani, ela tratade um medo: medo do novo. Mudanças, desdeas mais simples, na maioria das vezes, exigemdisposição, coragem. Situações novas sempreassustam. Mudar de casa, mudar de rua, mudarde turma, mudar de escola, mudar de hábito etantas outras mudanças. Quem tem medo/ deprovar um prato/ que nunca comeu?/ Epensar.../ Será que isso é bife de gato? (...) Quemtem medo/ de cortar o cabelo/ e ficar com cara/de pesadelo? (...) Quem é que tem medo/ deaprender inglês,/ aprender a nadar/ ou a falarfrancês?De rima em rima, a autora transforma ogrande e o enorme medo do novo em ummedinho de nada.ilustração: Mariana MassaraniCrianças de até 5 anos e 11 meses80


SidónioColeçãoMuralhaUm poeta viajante português chegou aoBrasil depois de ter vivido na África eescolheu Curitiba para morar.Aqui ele continuou a escrever prosa epoesia, para grandes e pequenos, econtos de humor e nonsense. Setecavalos na berlinda, Os três cachimbos,A Revolta dos Guarda ‐Chuvas, O tremchegou atrasado, Todas as crianças daTerra, entre outros, são títulos jápublicados pela Global. Homem quelutava por suas ideias e amava aNatureza, Sidónio faleceu em 1982.A dança dos pica ‐pausIlustrações de Eva FurnariLINGUAGEMPOÉTICA/ANIMAIS10 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85‐260‐0569‐3Altamente Recomendável para a Criança 1997 (FNLIJ)Acervo Básico Teórico para a Criança 1997 (FNLIJ)Mais uma vez o poeta português SidónioMuralha demonstra sua versatilidade em lidarcom a riqueza das palavras, sua sonoridade,seu jogo simbólico. E em A dança dos pica‐‐paus, cria, com muito humor, 36 poemas, umpara cada animal — curió, gralha, saí, onça,tangará, siriri, entre outros, ilustrados pelostraços incomparáveis de Eva Furnari.Brinca nas flores/ um saí divertido/ de setecores/ vestido.// Saia, saia das flores,/ por favor,saia daqui.../ E o saí ‐de ‐sete ‐cores/ saisaltitando das flores/ e responde: — já saí.De verso em verso, a criança conhece aforça expressiva da palavra, da linguagempoética elaborada com rigor literário, etambém conhece vários animais, suascaracterísticas, seu hábitat. E mais: no final dolivro há um glossário que dá informaçõesprecisas sobre todos eles.Sem dúvida, é um jeito gostoso de sentir abeleza do idioma e aprender sobre tantosanimais.A revolta dos guarda ‐chuvasIlustrações de Eva Furnari2 a edição; 16 páginasISBN 978‐85‐260‐0587‐7Acervo Básico para a Criança 1998 (FNLIJ)LIBERDADEUm bom texto literário inicia a criança nacompreensão do mundo através da fantasia,das metáforas. Permite que haja espaço para osimbólico — condição essencial para aemergência do homem como sujeito. É,portanto, um veículo indispensável para seaprender sobre a natureza humana.O narrador ‐personagem Seda Preta, umguarda ‐chuva sutil, inteligente, criado porSidónio Muralha, lidera uma revolução. Hápessoas que colecionam selos. Outras, caixasde fósforos. Mas o senhor Calvo, que por sinalpossui uma cabeleira enorme, tinha adesagradável mania de colecionar guarda‐‐chuvas.Nós éramos 95 escravos que pertencíamosàquele homem cheio de crueldades e manias.As ilustrações de Eva Furnari ampliam esseuniverso ficcional e mágico. E o mágico ficamais mágico.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses81


A televisão da bicharadaIlustrações de Cláudia ScatamacchiaO trem chegou atrasadoIlustrações de Graça LimaOs três cachimbosIlustrações de Priscila MartinsFANTASIAHUMORDISCRIMINAÇÃO12 a edição; 32 páginasISBN 978-85 ‐260‐0553‐2Acervo Básico Teórico 1997 (FNLIJ)1 o Prêmio da II Bienal Internacional do Livro de São PauloAltamente Recomendável para a Criança 1997 (FNLIJ)2 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260‐0787‐4Acervo Básico Teórico para a Criança 1998 (FNLIJ)2 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0588 ‐XMais uma obra surpreendente do poetaportuguês Sidónio Muralha e da ilustradoraCláudia Scatamacchia. O livro reúne 22poemas, com títulos inteligentes e sugestivos,sobre os animais. A sonoridade das palavras, oritmo, a rima, as situações engraçadas,inesperadas e as imagens fortes e coloridasencantam a criança.... A zebra quis/ ir passear/mas a infeliz/ foi para a cama// — teve que sedeitar/ porque estava de pijama.O burro, a formiga, a girafa, o tatu, o oleiro,a ovelha, o peixe, o elefante, o papagaio, oesquilo, o pato, o sabiá, a cabrinha, entreoutros, emergem do papel com leveza e graça.A leitura de A televisão da bicharada pelasua qualidade literária é uma grandeoportunidade para iniciar a criança na riquezae na expressividade da linguagem poética.Imaginação, fantasia e humor compõem aconstrução da história O trem chegou atrasadodo escritor português Sidónio Muralha.Nela, o senhor Trem, durante uma de suasviagens, apaixona ‐se por Malmequer, umavaquinha.Uma viagem fascinante! Em todos ossentidos! A do trem, a da vaca: "Que lindobicho ele é!" — pensou. "Tem os olhos maisluminosos do mundo. Deve ser um touromascarado de trem..." Uma viagem quefazemos através das palavras, da linguagemfigurada, da intimidade com que o autor trataa elaboração textual. O meu bisavô tinhamúsculos de ferro, e eu tenho músculos de aço.Comemos quilômetros há quatro gerações. (...)O trem não abanou as orelhas decontentamento porque não as tinha.É um verdadeiro privilégio para a criançapoder embarcar com Sidónio Muralha e com ailustradora Graça Lima nesse trem e deixar ‐selevar...Três cachimbos — um de argila queimada,outro de cerejeira e outro de espuma ‐do ‐mar,um mineral da Turquia — convivem por umperíodo em uma mesma vitrine. O cachimbo deargila, simples, simpático e comunicativo, aoquerer fazer amizade com seus companheiros,recebe em troca respostas ásperas, arrogantes.Os dois consideram ‐se nobres, cultos esuperiores. (...) Quem sabe fumar cachimbo,prefere os que são de cerejeira. Nós custamoscaro, mas quem quer cachimbos baratoscompra os de argila como você. Custam poucomas valem pouco.Um dia, porém, os três são vendidos. Cada umtoma um rumo diferente. E que rumo!O escritor português Sidónio Muralha, comuma narrativa sempre tão acessível às crianças,cria uma história encantadora, permeada poruma boa dose de reflexão, ensinamento esabedoria.Crianças de até 5 anos e 11 meses82Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Todas as crianças da TerraIlustrações de FêEDUCAÇãOPELA PAZ1 a edição; 16 páginasISBN 978-85 ‐260 ‐0910 ‐3ilustração: FêA poesia, por sua natureza essencialmentelúdica, aproxima ‐se de forma natural doespírito da criança. Os elementos poéticosestão presentes nas brincadeiras infantis, nascantigas de roda e de ninar.Sidónio Muralha, mestre na arte de brincarcom as palavras, escolheu a poesia para fazerchegar às crianças uma mensagem de paz.Ventoinha, ventarola,/ moinho que faz farinha,/meninos que vão à escola,/ a paz é tua e éminha.Para o poeta, a paz é uma pomba, é oriacho, é o livro, é uma vela em alto ‐mar, é otrabalho, o pão, a mesa, a seara de trigo... Atémesmo um capacete de guerra, ou um canhão,transformados. De metáfora em metáfora, oescritor dá vida à paz que ele deseja para todasas crianças da Terra.Uma seleção de bons textos poéticostorna ‐se imprescindível à formação do leitorem construção.Crianças de até 5 anos e 11 meses83


ColeçãoSó ImagemCaixa de surpresasCláudia RamosIlustrações da autoraCasulosandré nevesIlustrações do autorUma imagem vale por muitas palavras.Associada a outra imagem, cria umahistória que pode ser inventada a cadaolhar. É este o objetivo da coleção:possibilitar que a criança imagine, criee recrie a sua história e aprenda comela, com alegria e liberdade.LINGUAGEM NÃOVERBAL/CRIATIVIDADE4 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐0579 ‐2LINGUAGEMNÃO VERBAL1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1208 ‐0ilustração: Gabriela BrioschiCláudia Ramos, uma viajante do mundoda imaginação, criou Malagueta, personagemde uma história sem palavras. Só com imagens,Cláudia Ramos apresenta ‐nos Malagueta esuas aventuras. Em Caixa de surpresas, apersonagem, com a linha que encontrou napoça onde o sapo se escondeu, convida ‐nos aviver aventuras e a vencer obstáculos,transformando ‐os em novas possibilidades.Cláudia Ramos carrega seus desenhos designificados e mostra ‐nos a possibilidade desair da rotina e de criar a partir de situaçõesdas mais inusitadas.É preciso chamar atenção, nos desenhos deCláudia Ramos, para a expressão dos olharesde Malagueta, que nos falam com mais clarezado que qualquer palavra. Trabalhando comCaixa de surpresas a criança tem a chance dedesenvolver sua criatividade, deixando a linhade sua imaginação criar histórias a partir desuas experiências de vida.André Neves, escritor e ilustrador deimaginação privilegiada, agraciado com oPrêmio Luís Jardim, os selos altamenterecomendáveis — concedidos pela FundaçãoNacional do Livro Infantil e Juvenil — e MençãoHonrosa do Prêmio Jabuti, cria mais um livrorepleto de magia, encantamento, detalhes emuitos símbolos. Um casulo é o lugar ondeocorre a metamorfose da lagarta em borboleta,mas pode ser também o local onde nossossonhos se retiram para ganhar asas, criaroutros espaços e outros tempos...Na imaginação, no devaneio, na fantasia háuma liberdade ilimitada, a possibilidade infinitade construir o real, o imaginário, subir, voar,pousar no agora, no antes e no depois.Casulos, um livro belíssimo de ver e sentir,abre também a possibilidade de — sempalavras, só com imagens — compreender ostantos mistérios da natureza animal e humana.84Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Feito bicho!Gabriela BrioschiIlustrações da autoraUm elefante...Cláudia RamosIlustrações da autoraVentoELMAIlustrações da autoraCOTIDIANO INFANTILLINGUAGEMNÃO VERBALLINGUAGEMNÃO VERBAL2 a edição; 24 páginasISBN 978-85 ‐260‐0739‐0Altamente Recomendável –Livro de Imagem – 1994(FNLIJ)2 a edição; 16 páginasISBN 85 ‐260 ‐0586 ‐31 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1330 ‐8Inteligente e diferente, Feito bicho!, deGabriela Brioschi, apresenta de forma dinâmicae colorida o dia a dia infantil. Neste livro, aspalavras cedem lugar ao jogo criativo dasimagens. Apenas imagens? A linguagem nãoverbal exige do leitor sensibilidade, atenção,observação, rapidez para associar as ideias,apenas sugeridas. Em cada página, apersonagem, uma menina, realiza uma ação —acordar, pular, alimentar ‐se, tomar sol,caminhar, brincar — e, na página ao lado, amesma ação é realizada por um animal —elefante, gato, tartaruga, borboleta, macaco,entre outros.Ir de uma página a outra, estabelecerrelações, formular hipóteses, selecionarpossibilidades prováveis, ler o que estáimplícito é uma forma de exercitar na criançauma das habilidades de pensamento, ainvestigação.Novamente, Cláudia Ramos, só comimagens, nos traz Malagueta em uma novahistória. Dessa vez, a personagem encanta ‐secom uma bola vermelha, ou um nariz depalhaço, ou... Não importa, no mundoimaginado por Cláudia Ramos qualquer coisapode ser qualquer coisa: um elefante, umafoca, uma bola vermelha, uma cartola... demágico? Um esconderijo? Todos esses sãoelementos da história que desencadeiam novashistórias, novas possibilidades: são começos denovas histórias. Com isso, Cláudia convida seuleitor a “escrever” com ela, sem palavras ainda,aventuras e mais aventuras, transformando oselementos da vida real em novas possibilidadesde criação. Um elefante e uma foca bravos? Navida, que caras têm esse elefante e essa foca?Cláudia Ramos, num jogo de significação eressignificação de seus desenhos, ajuda ascrianças a resolver dificuldades de sua vida real.Os desenhos de Cláudia Ramos, comcerteza, falam mais do que qualquer palavra.Vento, uma história “soprada” em que otexto não verbal é tecido pelas ilustraçõessuaves, sensíveis, criativas de Elma, a autora,que vive em João Pessoa (PB) perto do mar, umlugar onde o vento sopra forte. Ela diz quesempre gostou de acompanhar seus três filhos— e hoje também o netinho — enquantobrincavam e tentava compreender o que estavaacontecendo na cabecinha de cada um deles.A história “soprada” começa com umamulher carregando um balaio com trêscrianças dentro. Bate o vento e os pássaroslevam as crianças. Essas, livres e soltas, iniciamuma viagem descontraída, alegre e divertida. Ea mãe? Viaja junto, assiste, desespera ‐se,espera? Uma visão poética e delicada darelação entre mãe e filhos, que vão... Vão evoltam? Partem e não voltam?Uma leitura para crianças e adultosexercitarem a imaginação. Uma leitura quepossibilita enxergar a chegada de novosventos.Crianças de até 5 anos e 11 meses Crianças de até 5 anos e 11 meses Crianças de até 5 anos e 11 meses85


SylviaColeçãoOrthofAlém de escritora, foi atriz. Nasceu eviveu no Rio de Janeiro. Autorapremiadíssima, teve mais de 120 livrospublicados. Rabiscos ou rabanetes, O reipreto de Ouro Preto, A décima terceiramordida, Histórias curtas e birutas eCiranda de anel e céu são títulos jápublicados pela Global.Ciranda de anel e céuIlustrações de Cláudia ScatamacchiaFANTASIA4 a edição; 24 páginasISBN 85 ‐260 ‐1130 ‐8Vamos todos cirandar! Esse é o convite queSylvia Orthof nos faz com Ciranda de anel ecéu. Brincando com os sons, rimando aqui eali, dando vida às palavras que cantam edançam, a autora nos leva a rodar e a dançarcom Dona Lia — senhora velha e gozada —,com o Sol, com os cirandeiros. O, cirandeiro,/ o,cirandeiro ‐ó,/ a pedra do teu anel/ brilha maisdo que o Sol. Pronto! O Sol ouviu aquilo tudo,enjoou de verso rimado, ficou pelando de ódio,não admitia que um simples anel de cirandeirobrilhasse mais do que ele (...). Mas a magia dossons da ciranda acaba por superar asdificuldades.Enquanto Sylvia Orthof, poeticamente, teceimagens sensíveis com as palavras, criando oclima mágico do vaivém dos sons, asilustrações de Cláudia Scatamacchia — quereinventa a linha, revigora o traço, perseguesombras, busca luzes, saboreia cores —ampliam o prazer de ler.ilustração: Cláudia ScatamacchiaCrianças de até 5 anos e 11 meses86


ColeçãoTatianaBelinkyTatiana Belinky chegou ao Brasil comdez anos de idade, deixando a Rússia,onde nasceu.Adaptou para televisão O Sítio doPicapau Amarelo, na década de 1950.Quem viu, sente saudade!Seu primeiro livro Operação do TioOnofre saiu em 1955. Depois, foramtantos que não dá para contar...Língua de criança –Limeriques às soltasIlustrações de Cláudia Scatamacchia1 a edição; 24 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1532 ‐6LINGUAGEM POÉTICAEm Língua de criança: limeriques às soltas,Tatiana Belinky usa toda sua habilidadeartística, explora a riqueza verbal das palavrase cria os limeriques, nome que a autoraadaptou do original limerick. Limeriques sãopoemas de apenas cinco versos, semcompromisso com a métrica e com a lógica,cuja característica principal é o bom humor. Deforma divertida e provocadora, o livro explorao universo infantil, o jogo linguístico e aimaginação das crianças.Cada filho do Jeca que nascia,/ Ganhava onome do santo do dia./ Alfabetizado,/ Muicompenetrado,/ Jeca lia a folhinha, dia a dia.//Num certo 7 de setembro/ Nasceu ‐lhe nafamília novo membro/ Bebê saudável,/ Do sexoviril,/ Foi batizado “Indep do Brasil”.?Quem casa quer casa?Ilustrações de Alcy LinaresRELAÇÃOINTERPESSOAL5 a edição; 16 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1282 ‐0Mujim, um caramujo, e Lelé, uma lesminharoliça e gorducha, são os protagonistas dessahistória criada com muito humor por TatianaBelinky.Mujim, embora sofresse gozações dosoutros animais por ser muito lerdo, orgulhava‐‐se de ter sua própria casa. — Ando devagarporque carrego minha casa nas costas. Pesa,mas vale a pena. Ao conhecer Lelé, tãovagarosa quanto ele, logo se entusiasma e apede em casamento. A lesminha hesita. Seudesejo era casar ‐se com doutor. Seduzida,porém, pelo convincente caramujo de que elateria uma casa, aceita.Depois do casamento precipitado, surge umobstáculo: Lelé não consegue passar pelaporta. Está criado o conflito.A autora trabalha com leveza questõessignificativas do cotidiano da criança, como aresponsabilidade pelas escolhas, o interesse e atolerância no relacionamento com o outro.Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses87


TomiColeçãoUngererTomi Ungerer nasceu em Estrasburgo,na Alsácia, em 1931. Artista versátil,além de ilustrar livros, escreverhistórias, criar charges e fazer cartazes,trabalhou com arquitetura e escultura.Homenageado e premiado diversasvezes, recebeu o mais importanteprêmio de literatura para crianças: oHans Christian Andersen (1998).Esta coleção traz obras traduzidas porGian Calvi e Tatiana Belinky, em quese destacam principalmente o usodo humor e de certos elementos dofantástico, abordando temas comomeio ambiente, consumo, ética,violência, tolerância, entre outros.A grande descobertaIlustrações do autorTradução de Gian CalviCOLEÇÃO CRIANÇAS CRIATIVASCURIOSIDADE2 a edição; 32 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1324 ‐7A história trata de um cobrador de impostosaposentado, Monsieur Racine, que vivia em pazno seu sítio cuidando de seu jardim e de suaplantação de peras. Peras suculentas que lherenderam muitos prêmios e lhe renderiammuito dinheiro, se quisesse. Porém, ele não eraambicioso e o que gostava mesmo era desaboreá ‐las. Mas, uma manhã, ai dele! Trêsvezes ai dele! — todas as suas peras haviamsumido. Investigando atentamente, eledescobriu estranhas pegadas deixadas peloladrão. (...) Uma pera ainda pendia de um galholá no alto. “Ah ‐ha! Sobrou uma pera!” (...) “Estoucerto de que o ladrão voltará para comê ‐la. Eestarei aqui para dar ‐lhe o castigo que merece.”Monsieur Racine preparou uma armadilha econseguiu capturar o ladrão, na verdade umestranhíssimo, porém inofensivo animal.Dedicou ‐se a estudá ‐lo e tornaram ‐se amigos.Um dia, ele decidiu levá ‐lo à Academia deCiências de Paris para mostrá ‐lo aos cientistas.Nessa ocasião, que surpresa! Que grandedescoberta!Em A grande descoberta, texto e ilustraçõesdialogam em harmonia na construção de umahistória bem ‐humorada e divertida.Os três ladrõesIlustrações do autorTradução de Gian CalviCOLEÇÃO CRIANÇAS CRIATIVASCOMPORTAMENTO2 a edição; 40 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1281 ‐3A história criada por Tomi Ungerer, nascidoem Estrasburgo, na região da Alsácia, naFrança, e traduzida por Gian Calvi narra deforma simples e instigante como três ladrões,bem profissionais, que se escondiam em umacaverna no alto de uma montanha, atacavamsuas vítimas. O primeiro tinha um bacamarte.O segundo, um espalhador de pimenta. E oterceiro um enorme machado vermelho (...).Eles aterrorizavam todo mundo. Assaltavamcarruagens, jogavam pimenta nos olhos doscavalos e, com o machado, quebravam asrodas das carruagens. Um dia, porém,seguindo sempre o mesmo ritual, ao pararemuma carruagem, só encontraram uma meninaórfã. Esse encontro muda a vida de Marina,dos três malvados ladrões e de muitas outrascrianças órfãs.88Crianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Uma nuvem azulIlustrações do autorTradução de Tatiana BelinkyMEIO AMBIENTE1 a edição; 42 páginasISBN 978 ‐85 ‐260 ‐1534 ‐0Uma pequena nuvem azul levava sua vidade forma tranquila e independente. Fazia o quequeria e dificilmente seguia as outras nuvensquando se tratava de fazer chover. Por ondepassava, chamava atenção por sua cor. Um dia,viu uma cidade envolta por uma enormenuvem de fumaça negra e presenciou cenasterríveis — incêndios, massacres, assassinatos.(...) a nuvem azul tomou uma grande decisão.Para apagar os incêndios, ela se deixou chover esoltou um dilúvio de água azul. Até a últimagota — a nuvem azul, esvaziada, não era mais.(...) Houve uma paz instantânea...Uma história surpreendente!ilustração: Tomi UngererCrianças de até 5 anos e 11 meses89


ColeçãoZooterapiaBalaio de gatoMauricio NegroIlustrações do autorMundo cãoMauricio NegroIlustrações do autorAqui os animais se encontram e falamsobre si e sobre os outros, sobre oshomens e sobre seu mundo, com muitohumor, com muita arte. Explorando ossentidos, a sonoridade das palavras e aforça das ilustrações, esta coleçãoconvida a criança a conhecer melhorcães, gatos, taturanas e dragões,estimulando a sonorização de palavras,a brincadeira e o comportamento dosanimais, numa relação de carinho erespeito.HUMORHUMOR2 a edição; 36 páginasISBN 85 ‐260‐0646‐0Altamente Recomendávelpara a Criança 2000(FNLIJ)Programa Nacional doLivro Didático — SP —2001 (MEC‐FNDE)Balaio de gato é mais um livro sensacionalda Coleção Zooterapia. Aproveitando ‐se daafinidade entre o homem e os bichos, autorese ilustradores sensibilizam ‐se e sensibilizam osleitores com suas histórias. Em Balaio de gato,Mauricio Negro — ao mesmo tempo, autor eilustrador — desfila para nós uma galeria degatos. E, através de um extraordinário jogoverbal e não verbal, aproxima aspiraçõesfelinas e aspirações humanas. Essaidentificação permite à criança ‐leitorafantasiar e descobrir seus próprios desejos emedos diante da vida. Maysa, que gata mansa!Mas cuidado, o gato dela é uma pilha. Eavança!Mauricio Negro, com seu livro, convida oleitor a colocar a mão no próprio balaio degato e descobrir ‐se a si mesmo. Sãoencantadores e enigmáticos, fascinantes emisteriosos. Sua ambivalência, tão familiar ànossa própria natureza, mescla aspectosdadivosos e destruidores.2 a edição; 36 páginasISBN 85 ‐260‐0610‐XAcervo Básico para aCriança 1999 (FNLIJ)A Coleção Zooterapia aproveita ‐se daafinidade entre o homem e os bichos,apropria ‐se do imaginário coletivo —publicidade, cinema, ciência, histórias emquadrinhos, folclore, televisão — e sensibilizaautores e ilustradores, que sensibilizam seusleitores com suas histórias.Mundo cão, o primeiro livro desta coleção,traz ao leitor a possibilidade de pensar erepensar seu mundo, a partir do mundo doscães. Por incrível que pareça, Mauricio Negro,autor e ilustrador, mostra ‐nos que há maissemelhanças do que imaginamos entre o nossomundo e o mundo dos cães — o nossoconhecido mundo cão. E então, quem é quetem uma vida de cão?Mauricio Negro, com seu livro, convida seuleitor a descobrir ‐se e ao outro. Para um cão,outro cão é sempre um cão. E para o serhumano? O outro também é um outro serhumano? Qualquer outro?90ilustração: Mauricio NegroCrianças de até 5 anos e 11 mesesCrianças de até 5 anos e 11 meses


Indicações pedagógicasilustração: Suppa91


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroAlegria, alegria! 32 Mary e Eliardo França – OsPingos!Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem poéticaAlguns medos e seus segredos 40 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Alcy Linares ComportamentoAntes da chuva 24 Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka FantasiaAula de surfe 24 Mariana Massarani Mariana Massarani Mariana Massarani EsporteBaile, O 16 Mary e Eliardo França –Foge, Tatu!Mary França e Eliardo França Eliardo França Jogo verbalBalaio de gato 36 Zooterapia Mauricio Negro Mauricio Negro HumorBanho! 24 Mariana Massarani Mariana Massarani Mariana Massarani Imaginação/Meio ambienteBebê chorão também tem opinião 24 Magias Infantil Flávia Lins e Silva Mariângela Haddad Relação familiarBela Adormecida no bosque, A 32 Clássicos Universais Charles Perrault Gustave Doré FantasiaBicho Folharada e outros espertinhos, O 32 Mary e Eliardo França Mary e Eliardo França Eliardo França Folclore/Valores humanosBicho-papão 20 Mary e Eliardo França –Pega e LêMary França e Eliardo França Eliardo França Imaginação/MedoBrincadeira de sombra 16 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Marilda Castanho AventuraBruxinha atrapalhada, A 32 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Linguagem não verbal/CriatividadeBruxinha e Frederico 24 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari FantasiaBruxinha e o Godofredo, A 32 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Linguagem não verbal/RelacionamentoBurrinho e a água, O 32 Magias Infantil Walmir Ayala Camila Carrossine Trabalho/RelacionamentoCabra, A 16 Mary e Eliardo França –Bicho do MatoMary França e Lucas França Lucas França ComportamentoCacho de histórias (prelo) - Mary e Eliardo França Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem poéticaCada bicho seu capricho 16 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti Ludicidade/Linguagem poéticaCanção do Sabiá (prelo) - Mary e Eliardo França Mary França e Eliardo França Eliardo França Meio ambienteCaiu na rede é peixe 48 Dave Santana Dave Santana Dave Santana Meio ambienteCaixa de surpresas 16 Só Imagem Cláudia Ramos Cláudia Ramos Línguagem não verbal/CriatividadeCalifa cegonha, O 24 Clássicos Universais –Série EncantosWilhelm Hauff Cláudia Scatamacchia Valores humanosCanção da tarde no campo 16 Cecília Meireles Cecília Meireles Ana Raquel Línguagem poética/NaturezaCasa do bichos, A 16 Magias Infantil Paula Sandroni Suppa Narrativa autobiográficaCasulos 24 Só Imagem André Neves André Neves Linguagem não verbalCavalinho de vento (prelo) - Mary e Eliardo França Mary França e Eliardo França Eliardo França FolcloreCinco sentidos, Os 24 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósCamila MesquitaLinguagem verbal e não verbalCiranda de anel e céu 24 Sylvia Orthof Sylvia Orthof Cláudia Scatamacchia FantasiaCiúme em céu azul 16 Joel Rufino dos Santos Joel Rufino dos Santos Rogério Borges Línguagem poética/SolidariedadeCobra que não sabia cobrar, A 20 Magias Infantil Miguel Sanches Neto Madalena Elek Linguagem poética/SolidariedadeCocadas, As 24 Cora Coralina Cora Coralina Alê Abreu InfânciaCorre, Caio! 24 Graça Lima Graça Lima Graça Lima Realidade/FantasiaCorrida dos caracóis 24 Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka Fantasia92


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeAventuras, brincadeiras, descobertas Ética Língua Portuguesa/Artes/MúsicaComportamento, medo, coragem Ética Língua Portuguesa/ArtesImaginação, curiosidade, descoberta Ética Língua Portuguesa/Ciências/Geografia/ArtesEsporte, comportamento, relacionamento Ética, saúde Língua Portuguesa/História/Geografia/Ciências/ArtesJogo linguístico, brincadeiras infantis, expressão corporal Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MúsicaComportamento, peculiaridades animais e humanas,respeito às diferençasÉtica, meio ambienteLíngua Portuguesa/Ciências/ArtesFantasia, imaginação Meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasComportamento, família, escolhas Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/GeografiaO bem e o mal, fantasia, espera, renascimento Ética Língua Portuguesa/ArtesValores humanos, relacionamento, comportamento Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasImaginação, curiosidade, criatividade, medo Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/ArtesDescoberta, brincadeira. Ética Língua Portuguesa/Artes/CiênciasCriatividade, imaginário infantil, texto não verbal, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesBem e mal, imaginação, fantasia Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasComportamento, relacionamento Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento, relacionamento, valorização pessoal,natureza, trabalhoÉtica, meio ambiente, trabalho/consumoLíngua Portuguesa/Artes/CiênciasComportamento, escolha, alimentação Ética Língua Portuguesa/Artes/CiênciasFantasia, imaginação, brincadeira infantil, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento animal x comportamento humano Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Geografia/Ciências/ArtesPreservação ambiental, sustentabilidade, colaboração, mobilização Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/ArtesPreservação ambiental, amizade, compromisso, solidariedade Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/Artes/MúsicaCriatividade, imaginação, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesValores humanos, comportamento, relacionamento Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/ArtesNatureza, encontro consigo mesmo Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Geografia/ArtesInfância, natureza Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasImaginação, fantasia, transformação Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/ArtesCantigas de roda, quadrinhas da tradição popular, folclore, oralidade Ética Língua Portuguesa/Artes/Música/Educação FísicaLinguagem verbal e não verbal Ética Ciências/Artes/Educação Física/Língua PortuguesaComportamento, fantasia Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/ArtesCiúme, disputa, solidariedade Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/Geografia/Matemática/ArtesSolidariedade, desprendimento, amizade, afeto Ética Língua Portuguesa/ArtesDesejo, vontade, lembranças Ética Língua Portuguesa/ArtesCotidiano infantil, comportamento, imaginação Ética Língua Portuguesa/ArtesImaginação, descoberta, brincadeiras Ética Língua Portuguesa/Ciências/Artes93


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroCouro de piolho 16 Luís da Câmara Cascudo Luís da Câmara Cascudo Cláudia Scatamacchia Cultura popularDa minha praia até o Japão 32 Márcio Vassallo Márcio Vassallo Bebel Callage Imaginação/Relacionamento familiarDá um sorriso pra titia! 32 Crianças Criativas Diane Paterson Diane Paterson ComportamentoDança dos pica‐paus, A 32 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Eva Furnari Linguagem poética/AnimaisDe cor em cor 20 Mary e Eliardo França –Pega e LêMary França e Lucas França Lucas França ComportamentoDia em que todos disseram não, O 32 Cuca Legal Nelson Cruz Nelson Cruz ComportamentoDom Ratão e Dona Ratita 24 Magias Infantil Marcos Santarrita Luiz Maia FantasiaDonnie! Um dia com um cão -guia... 32 Crianças Criativas Vicky Ramos Vicky Ramos InclusãoDoutor De Soto 32 Crianças Criativas William Steig William Steig ComportamentoDudu e a pomba, Dudu e o pato 16 Mary e Eliardo França –Dudu, Papai e MamãeDudu no jardim, Dudu no quintal 16 Mary e Eliardo França –Dudu, Papai e MamãeMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbal/LudicidadeMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalÉ hoje! 32 Graça Lima Graça Lima Graça Lima ComportamentoEsmeralda espera um bebê (prelo) - Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalEu era um dragão 16 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Marilda Castanha FantasiaFábrica de monstros 16 Cuca Legal Rosa Amanda Strausz Michele Iacocca ImaginaçãoFada afilhada, A 24 Márcio Vassalo Márcio Vassalo Bebel Callage Relacionamento humanoFeito bicho 24 Só Imagem Gabriela Brioschi Gabriela Brioschi Cotidiano infantilFeliz aniversário, lua 32 Crianças Criativas Frank Asch Frank Asch AmizadeFlauta, o menino e o gigante, A 32 Crianças Criativas Alison Sage Gian Calvi ComportamentoFlor amarela 16 Magias Infantil Ivan Junqueira Camila Carrossine Linguagem poéticaFlor do lado de lá, A 32 Roger Mello Roger Mello Roger Mello ComportamentoFlora 40 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósEllen PestiliNaturezaFloresta encantada, A (prelo) - De Criança para Criança Camila Sanches – Meio ambienteFoge, Tatu! (prelo) - Mary e Eliardo França –Foge, Tatu!Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalGalo bom de goela 40 Dave Santana Dave Santana Dave Santana Linguagem poéticaGato barbudo, O 24 Cuca Legal Edla van Steen Ana Ciça Relação familiarGato e sapato 16 Magias Infantil Anna Muylaert Mauricio Negro ComportamentoGente, bicho, planta 40 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Mauricio Negro CuriosidadeGiz vivo, O (prelo) - De Criança para Criança José Abujamra – ImaginaçãoGota d´água 24 Magias Infantil Moacyr Scliar Nelson Cruz AventuraGrande aventura de Maria Fumaça, A 24 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Suppa AventuraGrande descoberta, A 32 Tomi Ungerer Tomi Ungerer Tomi Ungerer CuriosidadeGuerreiro, O (prelo) - Mary e Eliardo França Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbal94


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeCultura popular (conto de encantamento), fantasia,confiança em si e nos outrosÉtica, pluralidade cultural, saúdeLíngua Portuguesa/Artes/Ciências/Geografia/HistóriaRelacionamento entre pai e filho, amor, afeto, imaginário infantil Ética Língua Portuguesa/ArtesRelação afetiva Ética Artes/Língua PortuguesaAnimais Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaComportamento, ponto de vista, imaginação, criatividade Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Ciências/ArtesComportamento Ética Artes/Língua PortuguesaHeróis, comportamento, imaginação Ética Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaSuperação, inclusão Ética Artes/Língua PortuguesaComportamento, profissionalismo, inteligência Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasLudicidade, criatividade, conhecimento linguístico Ética, meio ambiente Língua Portuguesa, Artes, CiênciasFauna, flora, brincadeiras infantis Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MúsicaColaboração, organização, afeto Ética Língua Portuguesa/ArtesGravidez, afetividade Ética Língua Portuguesa/Ciências/ArtesFantasia, imaginário infantil, o herói Ética Língua Portuguesa/ArtesImaginação, percepção, descoberta, curiosidade Ética Língua Portuguesa/ArtesRelacionamento humano, egoísmo x solidariedade Ética Língua Portuguesa/ArtesCotidiano infantil, animais Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/Artes/GeografiaAfetividade, fantasia, relacionamento Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasCriatividade, coragem, sensibilidade, convivência Ética Língua Portuguesa/Artes/MúsicaRelacionamento pessoal, esperança, sonho natureza Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento, olhar ao redor, valorizar o que está perto Ética Língua Portuguesa/ArtesCiclo da vida, natureza, meio ambiente Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasMeio ambiente, preservação de animais Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaAnimais, esperteza, brincadeiras infantis Ética Língua Portuguesa/Artes/CiênciasCuriosidade, competição, humor, oralidade Ética Língua Portuguesa/ArtesRelacionamento afetivo, profissões, família Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/Matemática/GeografiaComportamento, relacionamento Ética Língua Portuguesa/ArtesEquilíbrio ecológico, ciclo da vida, natureza Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasImaginação, fantasia x realidade Ética Língua Portuguesa/ArtesRelacionamento, esperança, água, seca Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/História/Geografia/CiênciasFelicidade, progresso, velhice Ética, trabalho/consumo Língua Portuguesa/História/GeografiaRelação afetiva Ética Geografia/Artes/Língua/PortuguesaForça, afetividade, imaginação, musicalidade Ética Língua Portuguesa/Artes/História/Música95


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroHaroldo vira gigante 64 Crianças Criativas Crockett Johnson Crockett Johnson ImaginaçãoHistória dos Pingos, A 24 Mary e Eliardo França – OsPingos!Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalHistória da tartaruga, A 16 Magias Infantil Lêdo Ivo Isabel de Paiva Linguagem verbal e não verbalHistória em 3 atos 16 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósAndré NevesHomem que espalhou o deserto, O 32 Ignácio de Loyola Brandão Ignácio de Loyola Brandão Enrique Martínez EcologiaIrmã do Sol, A 32 Clássicos Universais –Série EncantosJabuti, O (prelo) - Mary e Eliardo França –Bicho do MatoFantasiaAndrew Lang Cláudia Scatamacchia ComportamentoMary França e Lucas França Lucas França ComportamentoJoão e o pé de feijão 32 Crianças Criativas Gian Calvi Gian Calvi Conto clássico/FantasiaJóty, o tamanduá 32 Muiraquitãs Mauricio Negro eVãngri KaingángLeitão, O 16 Mary e Eliardo França –Bicho do MatoMauricio Negro e VãngriKaingángCultura indígenaMary França e Lucas França Lucas França ComportamentoLindo Rubi 16 Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França CriatividadeLíngua de criança 24 Tatiana Belinky Tatiana Belinky Cláudia Scatamacchia Linguagem poéticaLivro da tabuada, O 32 Marcelo Cipis Marcelo Cipis Marcelo Cipis Linguagem verbal e não verbalLivro das formas do Sr. Formalindo, O 40 Marcelo Cipis Marcelo Cipis Marcelo Cipis CriatividadeLivro do alfabeto, O 32 Marcelo Cipis Marcelo Cipis Marcelo Cipis Linguagem verbal e não verbal/AlfabetoLivro dos números, O 32 Marcelo Cipis Marcelo Cipis Marcelo Cipis Linguagem verbal e não verbal/NúmerosLobo e o carneiro no sonho da menina, O 24 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti Aventura/FantasiaLuas 24 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Relação interpessoalMacaco, O (prelo) - Mary e Eliardo França –Bicho do MatoMary França e Lucas França Lucas França ComportamentoMacaco faz das suas, O 32 Mary e Eliardo França Mary e Eliardo França Eliardo França Folclore/Valores humanosMarcelo e seus amigos invisíveis 16 Magias Infantil Helena Parente Cunha Alcy Linares Aventura mágicaMaré baixa, maré alta 16 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Marilda Castanha Compreensão da naturezaMaria Gomes 16 Luís da Câmara Cascudo Luís da Câmara Cascudo Cláudia Scatamacchia Cultura popularMarido da Mãe d'Água e A princesa e o 16 Luís da Câmara Cascudo Luís da Câmara Cascudo Cláudia Scatamacchia Cultura populargigante, OMenina arco‐íris, A 32 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti Fantasia/ImaginaçãoMenina, o cofrinho e a vovó, A 24 Cora Coralina Cora Coralina Cláudia Scatamacchia Relação familiarMenino azul, O 16 Cecília Meireles Cecília Meireles Lúcia Hiratsuka Linguagem poética/ImaginaçãoMenino da chuva no cabelo, O 24 Márcio Vassallo Márcio Vassallo Odilon Moraes Narrativa de memóriasMenino inteiro 32 Bartolomeu Campos Bartolomeu CamposWalter OnoSolidariedadede Queirósde QueirósMenino que achou uma estrela, O 16 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti InclusãoMenino que espiava pra dentro, O 32 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Alê Abreu Meio ambiente96


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeImaginação Ética Artes/Língua PortuguesaComportamento, imaginação, sentimentos, emoções, as cores Ética Língua Portuguesa/ArtesVida animal, linguagem verbal e não verbal Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Ciências/GeografiaJogo verbal, fantasia Ética Língua Portuguesa/ArtesRelação homem x natureza, ecologia, educação ambiental Ética, meio ambiente, trabalho/consumo, saúde Língua Portuguesa/CiênciasCrescimento, comportamento, desafios Ética Língua Portuguesa/ArtesRelacionamento interpessoal, comportamento Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MúsicaLiberdade, fartura, sobrevivência, família, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesCultura indígena, natureza Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesCorpo humano, o reino animal Ética Língua Portuguesa/Artes/CiênciasCriatividade, as cores, animais Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasCriatividade, imaginação, jogo linguístico Ética Língua Portuguesa/ArtesMultiplicação Ética Artes/Matemática/Língua PortuguesaFormas geométricas, criatividade, imaginação Ética Língua Portuguesa/Matemática/ArtesImaginação, associação de palavras, descoberta Ética Língua Portuguesa/ArtesDescoberta, imaginação, associação de números e palavras Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento, sonho e realidade, medos Ética Língua Portuguesa/ArtesO ser humano – sua relação consigo mesmo, com os outrose com a naturezaÉtica, pluralidade cultural, meio ambiente,trabalho/consumo, saúdeLíngua Portuguesa/ArtesRelacionamento interpessoal, comportamento Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MúsicaValores humanos, relacionamento, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesImaginação, fantasia Ética Língua Portuguesa/ArtesFantasia, percepção, curiosidade Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Ciências/GeografiaCultura popular (conto de encantamento), fantasia, lealdade, confiança Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasCultura popular (conto de encantamento), gratidão, companheirismo Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasImaginação, sonhos, fantasia Ética Língua Portuguesa/ArtesRelacionamento familiar, comportamento, trabalho Ética, trabalho/consumo Língua Portuguesa/Geografia/História/Ciências/Artes/MatemáticaSonho, imaginação, fantasia Ética Língua Portuguesa/ArtesEscolhas, crescimento, infância, maturidade Ética Língua Portuguesa/ArtesFantasia, comportamento humano Ética Artes/Língua PortuguesaCuidado com o outro, desprendimento, respeito, inclusão Ética, meio ambiente, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/Ciências/História/GeografiaComportamento, valores, curiosidade, ponto de vista Ética Língua Portuguesa/Artes97


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroMergulhadores, Os 24 Mariana Massarani Mariana Massarani Mariana Massarani EsporteMeu reino por um cavalo 24 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Dave Santana eMauricio ParaguassuMinha avó já foi bebê! 16 Magias Infantil Paula Sandroni Cláudia Scatamacchia Relação familiarMoeda de ouro que um pato engoliu, A 16 Cora Coralina Cora Coralina Alcy Cultura popularMonstro que me ama, O 16 Onda Livre Rita Espeschit Cláudia Scatamacchia Relação familiarFantasiaMundo cão 36 Zooterapia Mauricio Negro Mauricio Negro HumorMúsicos de Bremen, Os 16 Clássicos Universais Irmãos Grimm Cláudia Scatamacchia LiberdadeNa rua do Sabão 16 Manuel Bandeira Manuel Bandeira Odilon Moraes Cotidiano infantilNão vou dormir 40 Christiane Gribel Christiane Gribel e Orlando Orlando Linguagem verbal e não verbal/ComportamentoNatal de Manuel, O 32 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Cecilia Esteves ComportamentoNicolão e Nicolinho 24 Clássicos Universais Hans Christian Andersen Cláudia Scatamacchia Natureza humanaNós 32 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Preconceito/InclusãoNuma terra estranha 24 Michele Iacocca Michele Iacocca Michele Iacocca Aventura/ImaginaçãoNzuá e o arco -íris 16 Cuca Legal Júlio D'Zambê eDébora D'ZambêIsabel de PaivaPazOfélia, a ovelha 16 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti AutoconhecimentoOsso, O 16 Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França CriatividadeOvo e o anjo, O 16 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósLélisLinguagem poética/FantasiaPapagaio real, O 16 Luís da Câmara Cascudo Luís da Câmara Cascudo Cláudia Scatamacchia Cultura popularPescadores e as suas filhas, Os 24 Cecília Meireles Cecília Meireles Cris Eich Linguagem poéticaPescaria, A (prelo) - Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalPassarinho me contou 32 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Lúcia Brandão ComportamentoPasseio de Rosinha, O 32 Crianças Criativas Pat Hutchins Pat Hutchins ComportamentoPatas da vaca, As 16 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósWalter OnoLudicidadePedra da sabedoria, A 32 Clássicos Universais Hans Christian Andersen Cláudia Scatamacchia DeterminaçãoPedro 32 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósSara Ávila de OliveiraImaginaçãoPedro Malazartes como o diabo gosta 32 Mary e Eliardo França Mary e Eliardo França Eliardo França Folclore/Valores humanosPequena serenata do sapo cantor, A 32 Christiane Gribel Christiane Gribel eClaudio SouzaClaudio SouzaLinguagem verbal e não verbal/ImaginaçãoPequeno crocodilo, O 32 Dave Santana Dave Santana Dave Santana Comportamento98


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeVida marítima, viagem, curiosidade, descoberta Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Geografia/História/ArtesSonho, fantasia, herói Ética Língua Portuguesa/Artes/HistóriaRelação e origem familiar, herança cultural, transformações sociais Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/CiênciasTradição, regionalismo, ritual Pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/GeografiaDescoberta da própria existência e da existência do outro,afetividade, famíliaÉticaLíngua Portuguesa/História/Geografia/Ciências/ArtesComportamento, relação homem/animal, relação homem/homem Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/ArtesInjustiça, liberdade, medo, solidariedade, respeito, amizade, velhice Ética Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesTradição oral, infância Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesComportamento, limites Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento, valores, curiosidade, ponto de vista Ética, trabalho/consumo Língua Portuguesa/ArtesComportamento, relacionamento interpessoal, opressão/reação Ética, trabalho/consumo Língua Portuguesa/ArtesPreconceito, busca de identidade, relacionamento, inclusão Ética Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaImaginação, descoberta, viagem Ética Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaSolidariedade, paz, igualdade Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaMudança, descoberta, liberdade Ética, consumo Língua Portuguesa/ArtesCriatividade Ética Língua Portuguesa/Artes/MatemáticaComportamento, transformação, natureza Ética Língua Portuguesa/Ciências/ArtesCultura popular (conto de encantamento), inveja,fidelidade, perspicáciaÉtica, pluralidade culturalLíngua Portuguesa/ArtesLinguagem poética, relacionamento afetivo, sonho, fantasia Ética Língua Portuguesa/Artes/Música/HistóriaPercepção visual, comportamento, lazer Ética Língua Portuguesa/Matemática/ArtesCrítica social, comportamento Ética Ciências/História/Geografia/Artes/Língua PortuguesaComportamento, segurança, tranquilidade Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Matemática/CiênciasFantasia, jogo com as palavras, jogo mental Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MatemáticaComportamento, determinação, fé, crença Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/História/Geografia/Artes/MatemáticaImaginação, sensibilidade, comportamento Ética Ciências/Artes/Língua PortuguesaImaginário popular, aventura, esperteza Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaLinguagem verbal e não verbal, criatividade, imaginação Ética Língua Portuguesa/ArtesComportamento, limites, amizade, solidariedade, animais Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Ciências/Geografia99


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroPequeno Muck, O (prelo) – Clássicos Universais –Série EncantosWilhem Hauff – DeterminaçãoPião, O 16 Magias Infantil Guilherme de Almeida Lélis Linguagem poética/Cultura popularPingos e a chuva, Os (prelo) - Mary e Eliardo França – OsPingos!Pingos e as cores, Os (prelo) - Mary e Eliardo França – OsPingos!Pingos e as sementes, Os (prelo) - Mary e Eliardo França – OsPingos!Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalPingos e o verão, Os (prelo) - Mary e Eliardo França – OsPingos!Pingos e os amigos, Os (prelo) - Mary e Eliardo França – OsPingos!Pintinho que nasceu quadrado, O 32 Cuca Legal Regina Chamlian eHelena AlexandrinoMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalMary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalHelena AlexandrinoPreconceito/InclusãoPlaneta distante, O 24 Michele Iacocca Michele Iacocca Michele Iacocca AventuraPrincesa de Bambuluá, A 16 Luís da Câmara Cascudo Cláudia Scatamacchia Cláudia Scatamacchia Cultura popularQuando Pedro tinha nove anos 42 Mariana Massarani Mariana Massarani Mariana Massarani Narrativa históricaQuatro...?, Os 16 Onda Livre Cláudia Pacce Eva Furnari EcologiaQue delícia (prelo) - Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbal?Quem casa quer casa? 16 Tatiana Belinky Tatiana Belinky Alcy Linares Relação interpessoalQuem perde ganha 40 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Cris Eich TransformaçãoQuem tem medo do novo? 24 Ruth Rocha Ruth Rocha Mariana Massarani HumorRaminho de alecrim 24 Clássicos Universais –Série EncantosAndrew Lang Taciana V. Ottowitz PersistênciaRevolta dos Guarda‐Chuvas, A 16 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Eva Furnari LiberdadeRosa dos ventos 24 Bartolomeu Camposde QueirósRoupa do Rei, A 16 Mary e Eliardo França –Foge, Tatu!Bartolomeu Camposde QueirósCamila MesquitaImaginaçãoMary França e Eliardo França Eliardo França Jogo verbalRouxinol e o imperador da China, O 24 Clássicos Universais Hans Christian Andersen Cláudia Scatamacchia AmizadeRubi e Esmeralda vão se casar (prelo) - Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalSabem por quê? (prelo) - Mary e Eliardo França Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalSe um gato for... 32 Marcelo Cipis Marcelo Cipis Marcelo Cipis CriatividadeSelvagem 32 Roger Mello Roger Mello Roger Mello Linguagem verbal e não verbal/CriatividadeSinos, Os 24 Manuel Bandeira Manuel Bandeira Gonzalo Cárcamo Linguagem poéticaSomos todos igualzinhos 16 Bartolomeu Camposde QueirósBartolomeu Camposde QueirósGuto LacazLínguagem poética/Identidade ediversidadeStrega Nona 32 Crianças Criativas Tomie dePaola Tomie dePaola ImaginaçãoTapas e beijos da comadre Onça 32 Mary e Eliardo França Mary e Eliardo França Eliardo França Folclore/Valores humanos100


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeDeterminação, discriminação, coragem Ética Língua Portuguesa/ArtesCultura popular, cultura infantil, prazer de brincar Ética, trabalho/consumo, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/MatemáticaCiclo da chuva, importância da água, companheirismo Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/GeografiaCores primárias, cores secundárias Ética Língua Portuguesa/ArtesGerminação de sementes, natureza, alimentação Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Ciências/GeografiaEstações do ano, flores, frutos, festa junina Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/GeografiaAlgarismos, fazer contas, brincadeiras infantis Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/MatemáticaRespeito ao diferente, inclusão, comportamento humano Ética Língua Portuguesa/Ciências/ArtesImaginação, mistério, fantasia x realidade Ética Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesCultura popular (conto de encantamento), fidelidade, compromisso Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Geografia/Ciências/HistóriaComportamento Ética História/Geografia/Artes/Língua PortuguesaElementos da natureza Meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/ArtesComportamento, alimentação, animais Ética Língua Portuguesa/Ciências/ArtesRelacionamento, diversidade, diferenças Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Ciências/História/GeografiaCrescimento, transformação, recomeço, perda, ganho, o novo, o velho Ética, meio ambiente, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/Ciências/GeografiaComportamento, mudança Ética Língua Portuguesa/ArtesPersistência, desafios, obstáculos, arrependimento, limites Ética Língua Portuguesa/ArtesLiberdade, justiça, comportamento Ética Língua Portuguesa/Matemática/Artes/HistóriaPercepção, localização geográfica Ética Geografia/Artes/Língua PortuguesaJogo linguístico, sonoridade das palavras, brincadeiras infantis Ética Língua Portuguesa/Artes/CiênciasComportamento, amizade, solidariedadeÉtica, pluralidade cultural, meio ambiente, trabalho/consumoLíngua Portuguesa/História/Geografia/Artes/CiênciasFesta, comemoração, amizade Ética Língua Portuguesa/Artes/MúsicaImportância do letramento, expressão de sentimentos, afeto Ética Língua Portuguesa/ArtesImaginação Ética Artes/Língua PortuguesaLinguagem não verbal, criatividade, imaginação Ética Língua Portuguesa/ArtesSonoridade, linguagem poética, musicalidade Ética Língua Portuguesa/Artes/Música/HistóriaCiclo de vida, comportamento, identidade e diversidade, imaginação,associação de palavras e imagensÉticaLíngua Portuguesa/ArtesCuriosidade, ambição, desobediência, mentira Ética Língua Portuguesa/Ciências/ArtesValores humanos, relacionamento, comportamento Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/Geografia101


TítuloN o dePáginasColeção Autor Ilustrador GêneroTelevisão da bicharada, A 32 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Cláudia Scatamacchia FantasiaTênis 16 Magias Infantil Guilherme de Almeida Ellen Pestili Linguagem poética/ImaginaçãoTodas as cores do mar 24 Cuca Legal Luís Pimentel Fê AventuraTodas as crianças da Terra 16 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Fê Educação pela pazTodas as letras 64 Mary e Eliardo França Mary França e Lucas França Eliardo França AlfabetizaçãoTraquinagens e estripulias 32 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Línguagem não verbal/CriatividadeTrem chegou atrasado, O 16 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Graça Lima HumorTrem de ferro 16 Manuel Bandeira Manuel Bandeira Gian Calvi MusicalidadeTrês cachimbos, Os 16 Sidónio Muralha Sidónio Muralha Priscila Martins DiscriminaçãoTrês ladrôes, Os 40 Tomi Ungerer Tomi Ungerer Tomi Ungerer ComportamentoTumim, o passarinho 24 Magias Infantil Carlos Nejar Alexandre Camanho Linguagem poética/Relação afetivaUm amor sem palavras 16 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti AmizadeUm elefante... 16 Só Imagem Cláudia Ramos Cláudia Ramos Linguagem não verbalUm amor de bebê (prelo) - Mary e Eliardo França – Rubi Mary França e Eliardo França Eliardo França Linguagem verbal e não verbalUm montão de unicórnios 32 Ana Maria Machado Ana Maria Machado Márcia Széliga ImaginaçãoUma nuvem azul 42 Tomi Ungerer Tomi Ungerer Tomi Ungerer Meio ambienteUrashima Taro 24 Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka Lúcia Hiratsuka Conto tradicional japonês/EcologiaVida simples 32 Cuca Legal Orlando Pedroso Orlando Pedroso Linguagem verbal e não verbalVelha dos cocos, A 16 Cuca Legal Ninfa Parreiras Marcelo Ribeiro Trabalho/SolidariedadeVento 32 Só Imagem Elma Elma Linguagem não verbalVerde brilha no poço, O 16 Marina Colasanti Marina Colasanti Marina Colasanti Ciclo de vidaVerlendas 24 Michele Iacocca Michele Iacocca Michele Iacocca Ludicidade/FantasiaZarp vai lá longe 48 Cuca Legal Dionisio Jacob Dionisio Jacob Comportamento/AventuraZig zag 32 Eva Furnari Eva Furnari Eva Furnari Jogo verbal102


Tema(s) Principal(is) Tema(s) Transversal(is) InterdisciplinaridadeAnimais Meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/GeografiaImaginação, fantasia, criatividade Ética Língua Portuguesa/ArtesAventura, imaginação, sonho, desejo Ética, meio ambiente, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Geografia/História/Ciências/ArtesPaz, comportamento Ética Língua Portuguesa/História/GeografiaAlfabetização, letramento, leitura, escrita Ética Língua Portuguesa/Artes/Ciências/Geografia/História/MúsicaCriatividade, brincadeira Ética Língua Portuguesa/ArtesRespeito, afetividade Ética Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaTradição oral, liberdade Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesDiscriminação, convivência, relacionamento Ética, pluralidade cultural Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaViolência social e familiar, desonestidade, capacidade humanade mudar, generosidade, solidariedadeÉticaLíngua Portuguesa/ArtesAfetividade, amizade, amor Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Ciências/ArtesAmizade, afeto, relacionamento Ética, trabalho, meio ambiente Língua Portuguesa/ArtesCriatividade, imaginação, comportamento Ética Língua Portuguesa/ArtesRelação afetiva, relacionamento familiar, família Ética Língua Portuguesa/Artes/MúsicaComportamento, relacionamento social, infância, regras, limites,autoridadeÉtica, meio ambienteLíngua Portuguesa/Ciências/ArtesLiberdade, compromisso, natureza Ética/Meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/CiênciasGenerosidade, encantamento, passagem do tempo Ética, pluralidade cultural, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaCotidiano, imaginação, simplicidade, características pessoais Ética Língua Portuguesa/Artes/MatemáticaComportamento, respeito Ética, pluralidade cultural, trabalho/consumo Língua Portuguesa/História/Geografia/ArtesImaginação, brincadeira, liberdade, relacionamento familiar Ética, meio ambiente Língua Portuguesa/Artes/Geografia/HistóriaVida: processo, desenvolvimento e direito à existência Ética, meio ambiente, saúde Língua Portuguesa/Artes/CiênciasO lúdico, jogo verbal, as brincadeiras, o folclore Ética Língua Portuguesa/ArtesViagem, busca, descoberta Ética Língua Portuguesa/Artes/História/GeografiaJogo verbal, resignificação de hábitos e valores Ética Língua Portuguesa/Artes/História/Geografia/Ciências/Matemática103


Índiceilustração: Marcelo Cipis105


Para facilitar sua consulta, este Índice está classificado da seguinte forma:ColeçãoNome das obrasNomes dos autoresNome dos ilustradoresAlcy Linares..........................................................................................................8, 24, 50, 87Alê Abreu.......................................................................................................................... 10, 25Alexandre Camanho..............................................................................................................51Alegria, alegria!..........................................................................................66Alguns medos e seus segredos.................................................................8Alison Sage..................................................................................................26Ana Ciça...................................................................................................................................31Ana Maria Machado..................................................................... 8Ana Maria Machado........................................................... 8, 9, 10, 11, 12Ana Maria Machado (adaptação)....................................20, 21, 22, 23Ana Maria Machado (tradução)......................................................20, 21Ana Raquel...............................................................................................................................17André Neves.................................................................................................84André Neves..................................................................................................................... 14, 84Andrew Lang.........................................................................................22, 23Anna Muylaert............................................................................................49Antes da chuva...........................................................................................43Aula de surfe...............................................................................................58Baile, O..........................................................................................................66Balaio de gato.............................................................................................90Banho!...........................................................................................................58Bartolomeu Campos de Queirós.................................................13Bartolomeu Campos de Queirós........................................13, 14, 15, 16Bebê chorão também tem opinião.......................................................48Bebel Callage...........................................................................................................................56Bela Adormecida no bosque, A..............................................................20Bicho Folharada e outros espertinhos, O............................................73Bicho-papão................................................................................................69Brincadeira de sombra...............................................................................9Bruxinha atrapalhada, A..........................................................................37Bruxinha e Frederico.................................................................................38Bruxinha e o Godofredo, A......................................................................37Burrinho e a água, O.................................................................................50Cabra, A........................................................................................................63Cacho de histórias.....................................................................................72Cada bicho seu capricho..........................................................................60Caixa de surpresas.....................................................................................84Caiu na rede é peixe.................................................................................34Califa cegonha, O.......................................................................................22Camila Carrossine.......................................................................................................... 49, 50Camila Mesquita....................................................................................................................15Camila Sanches..........................................................................................36Canção da tarde no campo.....................................................................17Canção do Sabiá........................................................................................72Carlos Nejar.................................................................................................51Casa dos bichos, A.....................................................................................47Casulos..........................................................................................................84Cavalinho de vento....................................................................................72Cecilia Esteves........................................................................................................................11Cecília Meireles...........................................................................17Cecília Meireles...................................................................................17, 18Cecilia R. Lopes (tradução e adaptação)..............................................21Charles Perrault..........................................................................................20Christiane Gribel.........................................................................19Christiane Gribel.........................................................................................19Cinco sentidos, Os.....................................................................................15Ciranda de anel e céu...............................................................................86Ciúme em céu azul....................................................................................42Clássicos Universais.....................................................................20Clássicos Universais — Série Encantos......................................22Cláudia Pacce..............................................................................................78Cláudia Ramos.....................................................................................84, 85Cláudia Ramos................................................................................................................ 84, 85Cláudia Scatamacchia.................................20, 21, 22, 24, 45, 46, 50, 78, 82, 86, 87Claudio Souza.............................................................................................19Claudio Souza.........................................................................................................................19Cobra que não sabia cobrar, A...............................................................47Cocadas, As..................................................................................................25Cora Coralina...............................................................................24Cora Coralina.......................................................................................24, 25106


Lélis.................................................................................................................................... 14, 51Lindo Rubi....................................................................................................70Língua de criança.......................................................................................87Livro da tabuada, O...................................................................................54Livro das formas do Sr. Formalindo, O.................................................54Livro do alfabeto, O...................................................................................55Livro dos números, O................................................................................55Lobo e o carneiro no sonho da menina, O.........................................61Luas................................................................................................................38Lucas França..................................................................................63, 64, 69Lucas França.............................................................................................................63, 64, 69Lúcia Brandão.........................................................................................................................11Lúcia Hiratsuka...........................................................................43Lúcia Hiratsuka....................................................................................43, 44Lúcia Hiratsuka........................................................................................................17, 43, 44Lucila Martínez Cárceres (tradução)....................................................26Luís da Câmara Cascudo.............................................................45Luís da Câmara Cascudo...................................................................45, 46Luís Pimentel...............................................................................................32Luisa Baeta (tradução)...............................................................20, 22, 23Luiz Maia..................................................................................................................................48Macaco, O....................................................................................................64Macaco faz das suas, O...........................................................................73Madalena Elek.........................................................................................................................47Magias Infantil............................................................................47Mais fantástico ovo do mundo, O........................................................28Manuel Bandeira.........................................................................52Manuel Bandeira.................................................................................52, 53Marcelo Cipis...............................................................................54Marcelo Cipis........................................................................................54, 55Marcelo Cipis.................................................................................................................. 54, 55Marcelo e seus amigos invisíveis..........................................................50Marcelo Ribeiro......................................................................................................................30Márcia Széliga........................................................................................................................12Márcio Vassallo...........................................................................56Márcio Vassallo...................................................................................56, 57Marcos Santarrita......................................................................................49Maré baixa, maré alta..............................................................................10Maria Gomes...............................................................................................46Maria Lucia Machens (tradução)....................................................22, 23Mariana Massarani.....................................................................58Mariana Massarani............................................................................58, 59Mariana Massarani.................................................................................................58, 59, 80Mariângela Haddad...............................................................................................................48Marido da mãe d’água e A princesa e o gigante, O.......................46Marilda Castanha..............................................................................................................9, 10Marina Colasanti.........................................................................60Marina Colasanti..........................................................................60, 61, 62Marina Colasanti.....................................................................................................60, 61, 62Mary e Eliardo França................................................................63Mary França.................... 63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74Mauricio Negro....................................................................................77, 90Mauricio Negro...................................................................................................9, 49, 77, 90Mauricio Paraguassu.............................................................................................................10Menina arco ‐íris, A....................................................................................60Menina, o cofrinho e a vovó, A.............................................................24Menino azul, O...........................................................................................17Menino da chuva no cabelo, O..............................................................57Menino inteiro............................................................................................14Menino que achou uma estrela, O.......................................................61Menino que espiava pra dentro, O.......................................................10Mergulhadores, Os.....................................................................................59Meu reino por um cavalo........................................................................10Michele Iacocca...........................................................................75Michele Iacocca...................................................................................75, 76Michele Iacocca.......................................................................................................30, 75, 76Miguel Sanches Neto................................................................................47Minha avó já foi bebê!.............................................................................50Moacyr Scliar..............................................................................................49Moeda de ouro que um pato engoliu, A.............................................24Monstro que me ama, O..........................................................................78Muiraquitãs.................................................................................77Mundo cão...................................................................................................90Músicos de Bremen, Os............................................................................21Na rua do Sabão........................................................................................52Não vou dormir..........................................................................................19Natal de Manuel, O................................................................................... 11Nelson Cruz..................................................................................................31Nelson Cruz..................................................................................................................... 31, 49Nicolão e Nicolinho...................................................................................21Ninfa Parreiras............................................................................................30Nós.................................................................................................................38Numa terra estranha................................................................................75Nzuá e o arco ‐íris......................................................................................31Odilon Moraes................................................................................................................. 52, 57Ofélia, a ovelha...........................................................................................62Onda Livre...................................................................................78Orlando.........................................................................................................19Orlando.....................................................................................................................................19Orlando Pedroso.........................................................................................32Orlando Pedroso.....................................................................................................................32Ovo e o anjo, O...........................................................................................14Osso, O..........................................................................................................70Papagaio real, O.........................................................................................46Passarinho me contou.............................................................................. 11Passeio de Rosinha, O...............................................................................29Pat Hutchins................................................................................................29Pat Hutchins............................................................................................................................29Patas da vaca, As.......................................................................................13Paula Sandroni.....................................................................................47, 50Pedra da sabedoria, A...............................................................................20Pedro..............................................................................................................15108


Pedro Malazartes como o diabo gosta................................................74Pequena serenata do sapo cantor, A....................................................19Pequeno crocodilo, O................................................................................35Pequeno Muck, O.......................................................................................23Pescadores e as suas filhas, Os..............................................................18Pescaria, A....................................................................................................69Pião, O...........................................................................................................51Pintinho que nasceu quadrado, O.........................................................32Pingos e a chuva, Os.................................................................................67Pingos e as cores, Os................................................................................67Pingos e as sementes, Os.........................................................................67Pingos e o verão, Os..................................................................................68Pingos e os amigos, Os.............................................................................68Planeta distante, O....................................................................................75Princesa de Bambuluá, A.........................................................................45Priscila Martins.......................................................................................................................82Quando Pedro tinha nove anos.............................................................59Quatro...?, Os...............................................................................................78Que delícia...................................................................................................71?Quem casa quer casa?............................................................................87Quem perde ganha.................................................................................... 11Quem tem medo do novo?......................................................................80Raminho de alecrim..................................................................................23Regina Chamlian........................................................................................32Revolta dos Guarda ‐Chuvas, A..............................................................81Rita Espeschit..............................................................................................78Roger Mello.................................................................................79Roger Mello..................................................................................................79Roger Mello.............................................................................................................................79Rogério Borges........................................................................................................................42Rosa Amanda Strausz...............................................................................30Rosa dos ventos..........................................................................................15Roupa do Rei, A..........................................................................................65Rouxinol e o imperador da China, O....................................................21Rubi e Esmeralda vão se casar...............................................................71Ruth Rocha..................................................................................80Ruth Rocha..................................................................................................80Sabem por quê?..........................................................................................68Sara Ávila de Oliveira...........................................................................................................15Se um gato for............................................................................................55Selvagem......................................................................................................79Sinos, Os.......................................................................................................52Sidónio Muralha......................................................................... 81Sidónio Muralha...........................................................................81, 82, 83Só Imagem...................................................................................84Somos todos igualzinhos.........................................................................16Strega Nona.................................................................................................29Suppa....................................................................................................................................8, 47Sylvia Orthof...............................................................................86Sylvia Orthof ...............................................................................................86Taciana V. Ottowitz...............................................................................................................23Tapas e beijos da comadre Onça...........................................................74Tatiana Belinky............................................................................87Tatiana Belinky...........................................................................................87Tatiana Belinky (tradução)......................................................................89Televisão da bicharada, A........................................................................82Tênis...............................................................................................................51Todas as cores do mar..............................................................................32Todas as crianças da Terra......................................................................83Todas as letras............................................................................................74Tomi Ungerer...............................................................................88Tomi Ungerer........................................................................................88, 89Tomi Ungerer................................................................................................................... 88, 89Tomie dePaola.............................................................................................29Tomie dePaola.........................................................................................................................29Traquinagens e estripulias.......................................................................39Trem chegou atrasado, O.........................................................................82Trem de ferro...............................................................................................53Três cachimbos, Os....................................................................................82Três ladrões, Os...........................................................................................88Tumin, o passarinho..................................................................................51Um amor de bebê......................................................................................71Um amor sem palavras.............................................................................62Um elefante.................................................................................................85Um montão de unicórnios.......................................................................12Uma nuvem azul........................................................................................89Urashima Taro.............................................................................................44Vãngri Kaingáng.........................................................................................77Vãngri Kaingáng.....................................................................................................................77Velha dos cocos, A.....................................................................................30Vento..............................................................................................................85Verde brilha no poço, O...........................................................................61Verlendas......................................................................................................76Vida simples.................................................................................................32Vicky Ramos.................................................................................................27Vicky Ramos............................................................................................................................27Walmir Ayala...............................................................................................50Walter Ono....................................................................................................................... 13, 14Wilhelm Hauff......................................................................................22, 23Willian Steig................................................................................................27Willian Steig............................................................................................................................27Zarp vai lá longe........................................................................................33Zig zag...........................................................................................................39Zooterapia....................................................................................90109

More magazines by this user
Similar magazines