Edição 12 download da revista completa - Logweb

logweb.com.br
  • No tags were found...

Edição 12 download da revista completa - Logweb

Comunicação diretacom a logísticaO portal Logweb está com nova tecnologia, rápido,dinâmico e com conteúdo sempre atualizado.Utilize todos os serviços abaixo e muito mais secadastrando no portal gratuitamente.FornecedoresCadastre sua empresagratuitamente no portalde fornecedores.ShoppingO portal tem um shopping comprodutos e serviços ofertadospela empresa, que pode fazer ocadastro e a gestão dos produtos.TrabalhoCadastre as vagas para suaempresa e busque por profissionais.Os usuários podem cadastrar seuscurrículos gratuitamente.ColunistaSão vários colunistasfalando sobrediversos assuntos.VídeoAlém do programa “Logísticaem foco”, o portal tem outrosconteúdos em vídeos.AdserverNova ferramenta para osanunciantes controlaremsuas companhas.OrçamentosAgora é possível solicitar ereceber pedidos de orçamentosatravés da área restrita.ContatosOs fornecedores recebemcontatos direto do site.www.logweb.com.br


Editorial 3Aqui, a cobertura daMDA SOUTH AMERICAApoio:Como destaquedesta edição deTransmissão deForça, temos a cobertura daMDA SOUTH AMERICA2013, que aconteceu emmarço último em São Paulo,Focamos os visitantes,os expositores – oriundos devários países – e os resultadosalcançados pelo evento,realizado em conjunto coma CeMAT e que também seconstituiu em um sucessoabsoluto, quer seja pelonúmero de visitantes,quer seja pelas novidadesapresentadas e pelo númeroAinda em termosde cobertura do evento,apontamos, a presençadas empresas italianas,que ganharam um pavilhãoespecial no evento e puderamapresentar sua ampla linhade produtos, principalmentepara os setores hidráulico eE ainda foco desta ediçãoé a realização, em setembropróximo, em Hanover, naAlemanha, da EMO Hanover2013, evento voltado para osetor metalúrgico e que terácomo tema a “Inteligência naAproveitamos parainformar aos nossos leitoresque, a partir desta edição,Transmissão de Força passaa ter circulação bimestral, ecom um novo destaque: aWanderley Gonelli Gonçalves, Editorpublicação de cases e artigosrelacionados aos segmentosde transmissão de forçashidráulicas e pneumáticas,além de tecnologias de arAssim, convidamosnossos leitores a nos enviarcases e artigos relacionadosanalisados, eles serãopublicados e servirão degrande valia para os nossosleitores, interessados em seO e-mail para contato é-naisque integram estes segmen-TRANSMISSÃO DE FORÇAPublicação mensal,especializada em Transmissão deForças – Elétrica, Mecânica,Ar Comprimido, Vácuo, Hidráulicae Pneumática –,da Logweb Editora Ltda.Os artigos assinados e os anúncios não expressam,necessariamente, a opinião da revista.Redação, Publicidade,Circulação e AdministraçãoRua dos Pinheiros, 240 - conj. 1205422-000 - São Paulo - SPFone/Fax: 11 3081.2772Nextel: 11 7714.5379 ID: 15*7582RedaçãoNextel: 11 7714.5381 ID: 15*7949EditorWanderley Gonelli Gonçalves(MTB/SP 12068)jornalismo@tdef.com.brRedaçãoDanilo Cândido de Oliveira (MTB/SP 55394)redacao5@tdef.com.brMariana Mirrha (MTB/SP 56654)redacao2@tdef.com.brPriscilla Cardoso (MTB/SP 68731)redacao3@tdef.com.brDiretoria ExecutivaValeria Limavaleria.lima@tdef.com.brMarketingJosé Luíz Nammurjlnammur@tdef.com.brAdministração/FinançasLuís Cláudio R. Ferreiraluis.claudio@tdef.com.brAdministraçãoWellington Christian Borsariniadmin@tdef.com.brDiretoria ComercialMaria Zimmermann - Nextel.: 11 7714.5378Nextel: ID 55*15*7581 - maria@tdef.com.brAssitente ComercialJúlia Gonçalvescomercial@tdef.com.brGerência de NegóciosCleo Brito - Cel.: 11 99666-9504cleo@logweb.com.brNivaldo Manzano - Cel.: 11 99701.2077nivaldo@tdef.com.brJosé Oliveira - Cel.: 11 96675-4607oliveira@tdef.com.brThaís Carvalho (Estagiária)Cel.: 11 98859.1872 - thais@logweb.com.brDiagramação e CapaAlexandre GomesABR/2013 Nº 12 TDEF


TRANSMISSÃO DE FORÇA4 - EventoPrimeira edição da MDA SOUTH AMERICA reuniuexpositores de 13 paísesFoi realizada em São Paulo, entre os dias 19e 22 de março, a primeira edição da MDASOUTH AMERICA, feira técnica votada aossegmentos de transmissão de forças mecânica,elétrica, fluido-hidráulica e pneumática, alémde tecnologias de ar comprimido e vácuo, quereuniu 111 expositores de 13 países no pavilhão2 do Centro de Exposição Imigrantes. O eventofoi realizado em conjunto com a CeMAT SOUTHAMERICA 2013, e as duas feiras receberam18.236 visitantes de 28 países.“A vinda dessas feiras para o Brasil mostra ointeresse que a Alemanha, e a Europa como umtodo, têm pelo mercado brasileiro” disse WolfgangPech, vice-presidente sênior da DeutscheMesse AG, empresa organizadora do evento.Segundo dados da VDMA (Associação dos FabricantesAlemães de Máquinas e Equipamentos),as exportações alemãs para o Brasil bateramrecorde em 2012. Apenas os setores de fluidodinâmicae de transmissão de energia movimentaram340 milhões de Euros. A Associação, quetem entre seus associados a Bosch Rexroth e aFesto, foi uma das grandes apoiadoras da vindada MDA para o Brasil.“A maioria dos nossos associados envolveempresas de pequeno e médio porte. E elasestão interessadas em realizar negóciosno mercado brasileiro, e para isso é importanteque tenham o nosso suporte. Por issoapoiamos a Deutsche Messe nesses eventos”,explicou Christian H. Kienzle, presidente daKienzle, da VDMA: “a maioriados nossos associadosenvolve empresas de pequenoe médio porte. E elas estãointeressadas em realizarnegócios no Brasil”Fluid TechnologyAssociation(Associação deTecnologia deFluídos) da VDMA.Dentro da MDA, as empresas internacionais representaram80% dos expositores. Companhiasda Alemanha, Áustria, China, Coréia, Espanha,Estados Unidos, Itália, Portugal, Taiwan, Turquia,Singapura e Reino Unido estiverem presentesao evento. Além dos estandes individuais, aMDA SOUTH AMERICA também contou com ospavilhões coletivos internacionais da Alemanha,Itália e de Taiwan.O German Pavillion foi composto por 17 empresasque não tinham representantes no Brasil.Trazidas pela VDMA, elas têm como principalfoco realizar negócios com as empresasbrasileiras.“Muitos de nossos clientes estão fazendonegócios aqui. Existiram muitas fusões entreempresas europeias e brasileiras. E muitasiniciaram negócios naChina e na Índia atravésde feiras como estas. Porisso que estamos aqui,para fecharmos negócios”,afirmou Kienzle.Entre 2011 e 2012 asexportações entre omercado brasileiro ealemão apresentaramPriscilla CardosoFotos: StudioF Imagemum crescimento A MDA SOUTH AMERICA foirealizada em conjunto com ade 5%. Para esteCeMAT SOUTH AMERICA.ano, as expectativassão de que conjunto, 18.236 visitantesAs feiras receberam, emoriundos de 28 paíseselas cresçam2%, se comparadas com 2012.“Olhando as estatísticas, apesar dos númerosainda se mostrarem mais conservadores, essedeve ser um ano em que o mercado vai se consolidar.Acreditamos até que o crescimento possachegar a 4%”, disse Kienzle.O Italy Pavillion contou com a presença de 25empresas, e foi organizado pela ICE – Agênciapara a promoção no exterior e a internacionalizaçãodas empresas italianas, em colaboração coma Assofluid – Associação Italiana da Indústriae Comércio de Equipamentos e ComponentesHidráulicos e Pneumáticos. A participação dasempresas italianas teve como principal objetivoaumentar o intercâmbio comercial entre os doismercados.“Através de eventos como este você consegueidentificar e promover o produto para ele se tornarmais conhecido. Algumas dessas empresastêm interesse em produzir no Brasil. Independentese o custo é maisTDEF Nº 12 ABR/2013


TRANSMISSÃO DE FORÇAEvento - 5alto ou não, o mercado demanda a presençadessas empresas aqui, para que a respostas aospedidos sejam mais rápidas. Outras companhiasjá querem criar uma estrutura, como um centrode distribuição, para conseguir dar suporte àsempresas parceiras, e também mostrar a marcano Brasil”, afirmou Ronaldo Padovani, analista demercado da ICE.Já o Taiwan Pavillion trouxe para a MDA SOUTHAMERICA 20 empresas conveniadas à TaiwanFluid Power Association. Segundo a secretária daentidade, Orchid Chen, a prática de expor em umestande conjunto vem se tornando comum, vistoque ela agrega representatividade e força ao país.“A decisão de participar desse evento tevedois focos. Primeiro, o potencial do mercadobrasileiro, que é muito grande, com várias possibilidadespara colocarmos os nossos produtos,e, segundo, o de determos algumas tecnologiasque ainda não estão à disposição aqui. A feiraé uma oportunidade de explorarmos tudo isto,sobretudo porque estamos com empresas depequeno porte”, disse ela.Apesar do grande número de empresas internacionaispresentes ao evento, executivos do setornão se mostraram preocupados com o interessedessas companhias pelo mercado brasileiro.Para Padovani, da ICE, e para Carlos Padovan,diretor de marketing da Festo, o aumento deconcorrência melhora o segmento e ajuda agerar novos produtos.“A concorrência tem que ser sempre bem-vinda,porque ela estimula o raciocínio. Conversei comalguns desses executivos e eles me disseramque há dois anos o faturamento do setorchegou a cair pela metade. E que, ao contráriode ficarem esperando o mercado melhorar, elesaproveitaram esse momento para se desenvolver,criar novas tecnologias. Tudo isso paraconseguir aumentar a eficiência do sistema dosclientes e conseguir se destacar, mesmo nesseperíodo ruim. Então, quando os concorrentes vêmdo exterior, as empresas acabam se mexendo,tentando se modernizar, o que é bom para osegmento”, explicou Padovani.“Essas empresas internacionais que participaramda MDA e que demonstraram interesseno Brasil não afetam de modo negativo o setor,porque quanto mais concorrência eu tenho,melhor fica o mercado. É lógico que essa indústrianão pode ser predatória, mas esse é ummercado composto por empresas sérias, comoa Bosche Alstom, quesabem que, para fazer um lançamento,é necessária uma série de investimentosantes”, também comentou Padovan, da Festo.Para Constantino Bäumle, diretor da HannoverFairs Sulamérica, responsável pela organizaçãodo evento e representante da alemã DeutscheMesse AG, o balanço dessa primeira edição daMDA SOUTH AMERICA foi positivo. Segundo oexecutivo, os visitantes estiveram em um eventodirecionado para o segmento e com mesmospadrões de qualidade dos realizados no exterior.“Os participantes da MDA encontraram umevento focado em transmissão de forças elétricas,mecânicas, fluido-hidráulicas e pneumáticascom qualidade internacional”, afirmou ele.


TRANSMISSÃO DE FORÇA6 - EventoEmpresas italianas marcam presença na MDA SOUTH AMERICA 2013Segundo dados daICE – Agência parapromoção no exteriore internacionalização dasempresas italianas (Fone:11 2148.7250), em 2011o volume das exportaçõesitalianas dos setores hidráulicoe pneumático alcançou 1,85bilhões de euros, dos quais41,2 milhões resultaram daexportação para o Brasil, umaumento de 26% com relaçãoao período anterior.Os números tambémrepresentam um índice maior que a taxade crescimento total das exportaçõesitalianas nesse setor, que foram de23%. As estimativas para o fechamentodos índices de 2012 indicam um novoaumento no volume das exportações parao Brasil, hoje o maior mercado da Américado Sul.É por esses e outros motivos que a ICE, emcolaboração com a Assofluid – AssociaçãoItaliana da Indústria e Comércio deEquipamentos e Componentes Hidráulicose Pneumáticos, organizou a participaçãocoletiva de 25 empresas italianas naestreia brasileira da MDA SOUTH AMERICA.Com 291 m² de espaço,o Italian Pavillionapresentou novidadesnas áreas de transmissãomecânica (unidadeslineares, correias,motores e rolamentos)e hidráulico-pneumática(tecnologias de vedaçãoe lubrificação, válvulas,mangueiras, engates,bombas e tecnologiaspara ar comprimido evácuo).“A participação emfeiras como essa é uma ação quenormalmente traz resultados a médioe longo prazo. Durante esse tipo deiniciativa, são levantadas informaçõessobre concorrentes, andamento domercado, perfis de potenciais parceirose todo o tipo de informação necessáriapara o desenvolvimento de um projeto depenetração que passe pelas joint venturese investimentos diretos”, disse RonaldoPadovani, analista do setor da ICE.As companhias italianas presentesao pavilhão foram Aidro, Aignep, API,Berarma, Colombo&C, CPM, Diesse,DNP, Duplomatic, Ghirri, Motoriduttori,Padovani: “a participaçãoem feiras como essa éuma ação que normalmentetraz resultados a médio elongo prazo”Com 291 m² de espaço, o Italian Pavillion apresentou novidades nasáreas de transmissão mecânica e hidráulico-pneumáticaPriscilla CardosoHBS, Hydronit, ISB, ISO, Mebra, MP Filtri,Nadellla, Oilcomp, Omler2000, OMT Filtri,SDK, Sesino, Stucchi, Tognella e Unigasket.Entre os produtos apresentados por essascompanhias estavam as válvulas A2 (umasérie de distribuidores para conexãomultipolar montadas em sub-base) da API,as válvulas proporcionais com eletrônicaintegrada da Duplomatic e, também,os comutadores de pressão por pistão,válvulas cartucho, motores hidráulicos,discos, filtros e cilindros da ISO.“Boa parte dessas empresas já possuidistribuidores ou representantes no Brasil.A ideia de participar desse evento foi maispara sentir como está o mercado, verquais são os nossos clientes e, quem sabe,conseguir fechar mais negócios.E, independentemente se o custo no Brasilé maior ou não, a demanda do mercadoexige minha presença aqui, para que euconsiga responder mais rápido as suassolicitações”, explicou Padovani.A indústria italiana exporta 70% de tudoo que produz dentro do setor, sendo queem alguns segmentos essa porcentagempode chegar a 90%. Já as importaçõesdo Brasil somam 730 milhões de Euros.A Itália, com uma cota de 6,3% do totaldessas importações, é o quarto principalpaís fornecedor desse mercado.Para Padovani, o mercado brasileiro ébastante promissor. Isso por conta daexpansão da indústria agrícola, onde oemprego de máquinas (fabricadas noBrasil) é bastante intensivo, e tambémpelos investimentos que estão sendorealizados em função dos mega eventos.“Tratam-se de investimentos quepoderiam ser mais vultosos, mas que,apesar disso, demandam grande volumede equipamentos e que, por sua vez,demandam as peças fabricadas pelositalianos. Uma situação semelhante foivivida na África do Sul, com a realizaçãoda última Copa do Mundo naquelepaís, cujos reflexos para o setor detransmissões sentem-se até hoje. Esperaseque o mesmo ocorra com o Brasil, quenos últimos três anos viu as importaçõesdos sistemas hidráulicos e pneumáticoscrescerem em mais de 100 milhões deEuros”, conclui ele.TDEF Nº 12 ABR/2013


8TRANSMISSÃO DE FORÇAEMO Hannover 2013 terá como tema a “Inteligência na Produção” efocará no mercado indianoASchäfer: “umdos maioresdesafios da nossaatualidade éfornecer energiaem condiçõesambientaisfavoráveis”Deutsche Messe AG aproveitou aprimeira edição da MDA SOUTHAMERICA para divulgar a EMO Hannover2013. Organizada pela VDW (AssociaçãoAlemã da Indústria de Máquinas – Ferramenta),a feira acontecerá de 16 a 21 de setembropróximo em Hannover, na Alemanha.O evento, que é voltado para o setor metalúrgico,terá como tema a “Inteligência naprodução” e vai apresentar para o mercadoas principais novidades em equipamentos,soluções, serviços e meios de sustentabilidadeem processos de produção.“A EMO Hannover é a feira mais importantedo setor. Ela não é apenas o ponto de encontromais importante para todos os envolvidos nametalurgia, mas, também, um fórum de informaçõesque define novas tendências”, disseWilfried Schäfer, diretor executivo da VDW.Em conjunto com o tema da feira, a Federaçãode Engenharia da Alemanha (VDMA) irárealizar sua conferência “Produzindo commais Inteligência”. Com o título “Inspiradopela tecnologia”, ela terá como áreas defoco a energia inovadora, a flexibilidade e oknow-how em tecnologia. Três fóruns irãodebater sobre energia inovadora: Excelência –Produção enxuta e cadeias de criação de valorflexíveis; Eficiência – Fabricação sustentávele consciente dos recursos; e Inteligência –Fábricas inteligentes com a Indústria 4.0.Para complementar as discussões daconferência, a Blue Competence, iniciativade sustentabilidade criada pela indústria demáquinas da Europa e pelo setor de engenhariamecânica da Alemanha, teráum estande especial comprodutos e soluções parafabricação com eficiênciaenergética.“Um dos maiores desafiosda nossa atualidade éconseguir fornecer energiaelétrica em condiçõesambientais favoráveis,e é isso que queremos debater durante oevento”, explicou Schäfer.A EMO Hannover também irá receber a13ª Conferência Aeroespacial. Realizado emconjunto com o Instituto para Tecnologia deFabricação e Máquinas e a Rede de Inovaçõesem Usinagem, da Leibniz Universität Hannover,o evento terá dois dias de conferência, ondeserão apresentadas novas tecnologias defabricação na indústria aeroespacial.Além disso, a feira também tem como objetivoatrair novos trabalhadores qualificados e interessadospara a indústria. Em 2009, a VDWcriou sua própria fundação de jovens para açõessustentáveis nessa área. Com o slogan “Engenhariamecânica – Uma carreira poderosa”, aVDW recebeu mais de três mil jovens de escolasgeneralistas e técnicas na EMO Hannover 2011.“É importante, também, olharmos para o ladohumano da produção”, disse Schäfer.Em 2011, quando foi realizada sua últimaedição, a EMO Hannover teve um investimentode 6,3 bilhões de dólares, contou com maisde dois mil expositores e recebeu 140 milvisitantes de mais de 100 países. Do Brasil, elaatraiu mais de 1500 visitantes e especialistasem máquinas e ferramentas.Com a expectativa de que o produto internobruto (PIB) do Brasil cresça mais de 4% estePriscilla CardosoNa EMO Hannover 2013, a Índia será o foco. Serão debatidos as características de seu mercadoe do ambiente econômico, político, jurídico e tributário para negóciosano, os organizadores da VDW acreditam queesta edição da feira atrairá mais visitantesbrasileiros. Entre as empresas nacionaisjá confirmadas está a Ergomat (Fone: 115633.5000). Fabricante de tornos e centros detorneamentos para veículos, ela participa dafeira desde 1997.“O Brasil importa 70% das suas máquinas,portanto, visitar a EMO Hannover é essencialpara que os clientes industriais brasileirosconheçam as tendências e as inovações emmetalurgia do mundo todo”, disse Schäfer.A EMO Hannover já tem confirmadas asinscrições de 1770 empresas de 36 países,sendo que 49 delas são das Américas. Comum consumo de máquinas de US$ 2,6 bilhõesem 2011, e importações de máquinas deUS$ 2 bilhões no mesmo período, a Índia seráo foco da edição 2013 da feira. Entre os assuntosque serão debatidos durante o eventoestão as características do mercado indianoe do ambiente econômico, político, jurídico etributário para negócios no país.Segundo dados da Oxford Economics e daVDW, o mercado internacional de máquinasmovimentou cerca de US$ 89 bilhões em2012. Para 2013, as expectativas são de que oconsumo de máquinas aumente cerca de 8%,chegando a US$ 96 bilhões.TDEF Nº 12 ABR/2013

More magazines by this user
Similar magazines