Exemplos de inovação - Anprotec

anprotec.org.br

Exemplos de inovação - Anprotec

s u c e s s oDIVULGAÇÃO32Premiação ocorreuna cidade de CampoGrande (MS)Ad r i a n e Al i c e Pe r e i r aLocus • Dezembro 2010Exemplos de inovaçãoVencedores do 14ª Prêmio Nacional do Empreendedorismo Inovadorrevelam diferenciais e modelos de gestão decisivos para o sucessoA14ª edição do Prêmio Nacional doEmpreendedorismo Inovador reconheceuseis iniciativas de sucesso do setor.Os vencedores foram revelados durante o20º Seminário Nacional de Parques Tecnológicose Incubadoras de Empresas e18º Workshop Anprotec, que aconteceude 20 a 24 de setembro de 2010, em CampoGrande (MS).O prêmio é realizado pela AssociaçãoNacional de Entidades Promotoras de EmpreendimentosInovadores (Anprotec),com o apoio do Serviço Brasileiro deApoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae),do Ministério da Ciência e Tecno-logia (MCT), do Ministério do Desenvolvimento,Indústria e Comércio Exterior(MDIC), do Conselho Nacional de DesenvolvimentoCientífico e Tecnológico(CNPq), da Financiadora de Estudos eProjetos (Finep) e da Confederação Nacionalda Indústria (CNI).Como reconhecimento os vencedoresforam contemplados com diploma, troféu“Telmo Silva de Araújo” para a categoriaParques Tecnológicos e um crédito paraser utilizado em viagens de negócios oupara estudos, eventos, cursos ou missõesrelacionadas à parceria do Sebrae e daAnprotec.


Melhor Programa de Incubação de Empreendimentos Inovadores Orientados para o Uso Intensivode Tecnologias: Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Ribeirão PretoVencedor: SuperaA Supera aproveitou as potencialidades da cidade de Ribeirão Pretoe região para se tornar uma das incubadoras de maior destaque do país.O importante polo de pesquisas em áreas médicas e biotecnológicasSupera abriga empresas de basetecnológica das áreas de saúde ebiotecnologiaDivulgação/Superaabriga um grande número de empresas ligadas ao desenvolvimento detecnologias médicas e conta com diversas universidades, incluindo umcampus da Universidade de São Paulo (USP). A parceria entre a FundaçãoInstituto Polo Avançado da Saúde (Fipase), USP, Prefeitura Municipalde Ribeirão Preto e Sebrae originou a Supera em 2003. Para o gerenteda incubadora, Eduardo Cicconi, a inserção da Supera no campus daUSP e a consequente aproximação ao ambiente universitário permitemque a proposta de incubação de projetos chegue mais facilmente àsfaculdades, garantindo sustentabilidade à incubadora.Perseguindo o objetivo de contribuir para a criação,desenvolvimento e aprimoramento de micro e pequenas empresas de base tecnológica na região, a Supera foireconhecida como a melhor incubadora da região Sudeste pelo Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador.Em 2009 uma das empresas que passou pela incubadora, a Nanocore, foi a vencedora da categoria Melhor EmpresaGraduada pela mesma premiação e em 2006 a Supera já havia recebido o Prêmio de Boas Práticas da Anprotec. “Por serreconhecida como uma incubadora forte, que produz bons resultados, a Supera passa a receber mais projetos, além deadquirir uma credibilidade maior para apoios, como de órgãos de fomento e outras instituições”, avalia Cicconi.Melhor Programa de Incubação de Empreendimentos Inovadores Orientados para o Uso Intensivode Tecnologias – PIT (vencedora da regional Sul e nacional): Incubadora Tecnológica de CuritibaVencedor: IntecAtento ao movimento de implementação de incubadoras no restantedo Brasil, o Paraná deu origem à sua primeira iniciativa, em 1989, coma fundação da Incubadora Tecnológica de Curitiba (Intec). A quintaDivulgação/Intecincubadora a ser fundada no Brasil foi impulsionada principalmentepelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). A vocação tecnológicado estado do Paraná, com um mercado crescente no setor de Tecnologiada Informação e Comunicação, foi percebida na capital Curitiba eposteriormente se desenvolveu na região de Campo Mourão. Com oobjetivo básico de aumentar a taxa de sobrevivência das empresasnascentes e gerar empregos, a Intec iniciou de fato a sua operação emSede da Intec: prêmio reconhece ajaneiro de 1990, quando assinou o contrato com a primeira empresacontribuição ao movimento no Paranáincubada: a Bematech.Desde então contribui para que as empresas paranaenses de base tecnológica se desenvolvam com maissegurança. A instalação no Tecpar, ambiente com mais de sete décadas de contribuição ao setor de ciência,tecnologia e inovação, fortalece a incubadora, que conta com apoio relativo a recursos humanos e infraestrutura.“Outro diferencial da Intec é a experiência na participação em projetos de cooperação, bem como o recebimento dedezenas de visitas todos os anos, nas quais sempre são percebidos novos conhecimentos que podemos aplicar nodia a dia”, avalia o gerente da incubadora, Júlio Felix. Para ele a aproximação com as universidades federais e estaduaisdo Paraná e de outras localidades dentro e fora do país gera a oportunidade de conhecer potenciais candidatos àincubação e de aprender lições a serem difundidas entre as empresas e na gestão da própria incubadora.Felix destaca que ganhar o Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador vai além do reconhecimento daAnprotec. “O reconhecimento nos honra muito, mas é na possibilidade de comparar nossas práticas com as de outrasincubadoras de todo o país que está a verdadeira motivação. O instrumento de candidatura ao prêmio é um excelentemecanismo para realizar uma avaliação profunda das informações da instituição e então compará-las entre pares”,observa Felix. “Ter o selo institucional Intec/Tecpar é um diferencial que oferecemos a cada incubada. Obter a chancelada Anprotec sobre a qualidade desse selo é uma honra que beneficia diretamente essas empresas”, comemora.33Locus • Dezembro 2010


s u c e s s oMelhor Empresa Graduada 2010Vencedor: Laboratórios Químicos e Metrológicos - QuimlabDivulgação/QuimlabA Quimlab aposta empesquisa e desenvolvimentocomo diferencial competitivoInicialmente instalada na Incubadora de Base Tecnológica de São José dos Campos(SP), a Quimlab foi criada para atender todos os setores que necessitam realizar mediçõesquímicas. Fundada em 1997, permaneceu por 10 anos na incubadora, até mudar-se paraa sede própria, em Jacareí, no início de 2008. Atualmente a empresa realiza pesquisade padrões químicos, desenvolvimento de pesquisa analítica, desenvolvimento deequipamentos instrumentais para análises químicas e formação de recursos humanos,através de cursos e capacitações.A Quimlab encontrou no mercado dominado por empresas estrangeiras a possibilidadede desenvolver produtos de forte apelo ambiental, com alto valor agregado, que nãosão produzidos no Brasil e que têm dificuldades para importação. “Além disso, utilizamosmatérias-primas que estão disponíveis a baixo custo e em grande quantidade no Brasil e nomundo, como a glicerina de biodiesel”, exemplifica o químico Nilton Pereira Alves, um dosfundadores e sócio da empresa.A pesquisa e desenvolvimento é uma das principais atividades da Quimlab, sejapara a criação de produtos da linha de padrões químicos ou para a linha de pesquisa dapoliacrilonitrila termoplástica, a grande aposta da empresa. Em parceria com a italianaRadicifibras a Quimlab descobriu esse novo termoplástico, por meio de pesquisasdesenvolvidas desde 2006. O termoplástico é inédito no mundo e tem como principalcaracterística o uso da glicerina de biodiesel como matéria-prima, um resíduo de baixocusto e atualmente descartado pela indústria. As fibras acrílicas produzidas com estematerial podem gerar a fibra de carbono, um produto estratégico e ainda não desenvolvidono Brasil. “Pretendemos, após a finalização das pesquisas com o novo termoplástico,substituir todo o processo atual de produção de fibras acrílicas no mundo”, prevê Alves.A certificação ISO 9001, relativa à gestão da qualidade em processos e produtos, abriunovas portas no mercado nacional para a Quimlab. Com a credibilidade em alta, a empresaestabeleceu diversas parcerias exclusivas com empresas norte-americanas. A cooperaçãoprevê a distribuição no Brasil de uma grande gama de produtos de química fina e padrõesquímicos, atingindo nichos de mercado ainda não conquistados.Em 2003 a Quimlab já havia recebido em Brasília o Prêmio Nacional deEmpreendedorismo Inovador, na categoria Empresa Incubada, concorrendo com mais de milempresas espalhadas pelo Brasil. Em 2010 foi a vez de consolidar seu nome, vencendo nacategoria de Melhor Empresa Graduada.34Locus • Dezembro 2010


Melhor Projeto de Promoção da Cultura do Empreendedorismo InovadorVencedor: Promoção da internacionalização de PMEs catarinenses por meio daestruturação do Escritório de Negócios Internacionais - ENIDivulgaçãoENI, de Florianópolis: suporteà internacionalização deempresas inovadorasFlorianópolis foi uma das cidades pioneiras no desenvolvimento de ambientesinovadores. Depois de 25 anos de fomento ao empreendedorismo inovador, atrai a atençãode investidores que extrapolam os limites nacionais. De olho nesse crescente interessefoi criado em 2009 o Escritórios de Negócios Internacionais (ENI). Com sede no CentroEmpresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas (Celta), no Parque TecnológicoAlfa, o ENI fornece suporte técnico-comercial para que as empresas de base tecnológicade Santa Catarina alcancem a competitividade necessária para atendimento do mercadointernacional.O Escritório fomenta a inserção dessas empresas no mercado internacional por meio deparcerias voltadas ao desenvolvimento e à dinamização da capacidade exportadora dessesnegócios. O suporte pode ser mensurado pelo apoio à adaptação tecnológica, às transaçõeslegais, tributárias e comerciais, somente para citar algumas atividades.A demanda pelo ENI se deu em função das experiências anteriores da Fundação Certi,uma das propulsoras do projeto. Ao longo dos anos a Fundação acompanhou e prestousuporte para o desenvolvimento de inovações e novas tecnologias oriundas de ideias enovos negócios da universidade, de seus projetos e da própria incubadora. A sistematizaçãodesse conhecimento, somada à busca de novas parcerias, deu origem ao ENI.O sucesso do Escritório fez dele o vencedor da categoria Melhor Projeto de Promoçãoda Cultura do Empreendedorismo Inovador do Prêmio Nacional de EmpreendedorismoInovador. A metodologia do ENI trouxe bons frutos às empresas catarinenses e agora seusgestores pretendem replicá-la para outras regiões. “Sentimos o reconhecimento da nossainiciativa tanto por parte das instituições do mundo todo que querem desenvolver umprojeto semelhante em sua região, quanto de quem nos visita parabenizando pelo trabalhorealizado ou quando somos indicados como um dos projetos-referência da patrocinadoraABDI/Paiipme”, comemora o coordenador do ENI, Alexandre Steinbruch.Steinbruch acredita que o prêmio da Anprotec habilita o ENI a ser uma referência nasua área de atuação. “Ainda temos muitos desafios pela frente, como o reconhecimentointernacional, a replicação de nossas atividades a outros ambientes de inovação ea implementação de uma incubadora internacional efetiva. Acredito que isso vaiacontecendo aos poucos e que cada vez mais poderemos acelerar o processo deinternacionalização das empresas de base tecnológica por meio das parcerias nacionais einternacionais”, planeja.35Locus • Dezembro 2010


s u c e s s oMelhor IncubadaVencedora: Hi TechnologiesDivulgaçãoEquipe da Hi Technologies:inovação emequipamentos médicosInovação é a palavra que orienta a empresa desde a sua origem. A Hi Technologies éfruto de um trabalho acadêmico realizado durante a graduação no curso de Engenharia deComunicação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR). A sede da empresa ficadentro da Incubadora Tecnológica de Curitiba (Intec), reconhecida pela Anprotec como omelhor programa de incubação do país.Atuando desde 2004, a empresa pretende se tornar uma referência mundialem soluções de telemedicina e ser reconhecida internacionalmente como umaempresa de tecnologia de ponta. Os passos para esse caminho já estão sendotrilhados, seja no desenvolvimento de produtos inovadores ou na forma organizadada gestão da empresa. No início da sua trajetória, a Hi Technologies atuou comofabricante de softwares de telemedicina. A grande mudança estratégica foi a iniciativade transformar-se em uma fabricante de equipamentos eletromédicos.A percepção do potencial desse nicho de mercado levou ao lançamento de um deseus principais produtos, o oxímetro de pulso Milli. O produto cumpre a principal funçãodos tradicionais oxímetros, medindo indiretamente a quantidade de oxigênio no sanguede um paciente, mas oferece muito mais. É o único preparado para telemedicina de fábrica.Possui Wi-Fi, touchscreen, Bluetooth, USB, webcam e microfone. Todo esse suporte tornapossível, por exemplo, a relação médico/paciente sem sair de casa. O Milli é a prova de quea tecnologia aplicada a um setor eminentemente tradicional pode ajudar na humanizaçãoda medicina. “A maioria dos nossos concorrentes é de empresas tradicionais, que atuamno mercado há décadas. Suas palavras-chave são confiança, segurança, performance. Nosimportamos com esses valores, mas também trazemos outros conceitos, como humanização,conectividade, interação e internet. O paciente pode acessar o Twitter de dentro dos nossosequipamentos médicos e se comunicar com os seus parentes, por exemplo”, explica um dossócios-fundadores da Hi Technologies, Marcus Figueredo.A inovação no desenvolvimento de produtos, aliada ao espírito empreendedor dosjovens sócios fez a empresa ser reconhecida pela Anprotec como a melhor incubadabrasileira. “Acredito que o nosso nível organizacional tenha sido um aspecto diferencial nessadisputa. Temos um organograma que possui, além de sua dose de engenheiros focadosem criação de produtos, administradores, economistas e advogados. Esses profissionais sãoresponsáveis por gerir nossas patentes nacionais e internacionais, nossas marcas e nossosrecursos humanos, entre outros aspectos”, destaca Figueredo. Para ele o prêmio pode serencarado como um certificado, um atestado da competência de uma empresa jovem,que ingressa em um mercado no qual a credibilidade é indispensável. “Toda desconfiançadesaparece quando a sua empresa é considerada a melhor incubada do Brasil”.36Locus • Dezembro 2010


Melhor Parque TecnológicoVencedor: TecnosinosDivulgaçãoVista aérea doTecnosinos: vocaçãoregional na áreatecnológica e apoioda Unisinos foramfundamentais aodesenvolvimentodo parqueEm 1999, com a necessidade de promover o desenvolvimento de novas economias pararetomar o crescimento da região, foi implantado o Polo de Informática de São Leopoldo,na Região Metropolitana de Porto Alegre, inspirado no modelo Tecnópolis. O atual arranjotecnológico chama-se Tecnosinos – o Parque Tecnológico de São Leopoldo – e abrigaatualmente o Polo de Informática e o Complexo Tecnológico Unitec. Atualmente o Parqueabriga 65 empresas de oito diferentes nacionalidades.O Tecnosinos iniciou suas atividades com foco no ramo de Tecnologia da Informação.A partir daí derivaram as especialidades em Automação e Engenharias e também emComunicação e Convergência Digital. “Essas áreas reúnem a maior parte das empresas, tantograndes como pequenas, nacionais ou internacionais. No eixo Porto Alegre-Serra Gaúchaencontra-se o segundo maior Arranjo Produtivo Local de Automação e Engenharia doBrasil”, destaca a gestora executiva do Tecnosinos, Susana Kakuta. Para ela essas áreas sãofortalecidas pelo conhecimento e pesquisa praticados dentro da Universidade do Vale do Riodos Sinos (Unisinos). “É a universidade à qual estamos vinculados na governança em tríplicehélice. Ter gente capacitada é a condição essencial para o desenvolvimento de empresas debase tecnológica”, avalia.Nas metas traçadas pelo Parque até 2019 ficou definida a implantação de mais duasespecialidades: Alimentos Funcionais e Nutracêutica e Tecnologias Socioambientais,com foco em energia. Susana explica que essas escolhas estão amplamente associadas aexpertises empresariais e de formação de RH na Unisinos.Outra meta para o futuro é a implantação de um projeto para se tornar o primeiro GreenTech Park das Américas, um parque verde que aliaria produtos e empresas ambientalmentecorretos. “Isso é relevante, pois dá competitividade às nossas empresas e sinaliza com clarezanossa proposta de harmonizar crescimento econômico com a preocupação com o meioambiente. Um exemplo desse conjunto de boas práticas é a obrigatoriedade de que todas asempresas do Parque sejam submetidas aos requisitos da norma ISO 14000 (relativa à gestãoambiental)”, explica Susana.As ações desenvolvidas e planejadas pelo Tecnosinos ganharam respaldo com o PrêmioNacional de Empreendedorismo Inovador, no qual foi reconhecido como o melhor ParqueTecnológico do Brasil. “Estamos muito orgulhosos, queremos que nosso Parque inspire ocrescimento de outros e, especialmente, ajude a encurtar o caminho do desenvolvimento”,comemora a gestora executiva do Tecnosinos.37Locus • Dezembro 2010

More magazines by this user
Similar magazines