Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 1 - Sebrae

sebrae.rs.com.br

Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 1 - Sebrae

Sumário14 CapaPrêmio SebraeMulher de NegóciosA arte de produzir docescom organição empresarialrendeu o prêmio a gaúchaMaria Helena Lubke Jeske.ExpedienteÉ uma publicação trimestral doSebrae/RS desenvolvida pelaGerência de Comunicação e Marketing.06 CapacitaçõesEsforços para melhor atender aregião Metropolitana18 EmpreendedorismoPlano de Negócios desenvolvido junto aoALI ajuda empresa a conquistar prêmioCoordenação e Edição:Jorge Seadi JúniorReportagem:César Moraes, Josine Haubert,Larissa Mamouna e Renata CeriniEstagiárias:Cândida Portolan e Mônica ReolomDesign Gráfico e Editoração:Gilian Gomes/Carol LopesFoto da capa:Laureano BittencourtImpressão:ContgrafTiragem: 40 mil exemplaresFALE COM A REDAÇÃO:sebraeimprensa@sebrae-rs.com.br(51) 3216 519420 EntrevistaO empresário Vitor Augusto Koch, falado seu mandato como presidente doConselho Deliberativo do Sebrae/RS28 InauguraçõesSebrae/RS inicia o ano com novospontos de atendimento no Estado25 GestãoAs empresas finalistas doPrêmio MPE Brasil42 Estímulos às MPEsOs vencedores do Prêmio SebraePrefeito EmpreendedorContatos com o Sebrae/RS• 0800 570 0800 - atendimento gratuitode segunda a sexta-feira, das 8h às20h, e aos sábados, das 8h às 12h;• www.sebrae-rs.com.br - o visitantepode fazer download de publicaçõese, no link “Central de Notícias”, ficarsabendo as novidades da instituição;• www.sebrae.com.br - SebraeNacional;• Espaço Pesquisa Sebrae/RS -acervo de livros, revistas, vídeos,dicas de oportunidades de negóciosenfocando gestão empresarial.O material pode ser consultado emtodas as regionais. Em Porto Alegre,na Regional Metropolitana, rua GeneralJoão Manoel, 282. De segunda asexta-feira, das 9h às 18h.4Revista Tempo de Agir | Abril 2012


MissõesFotos: DivulgaçãoSOLUÇÕES EFICIENTES ESEGURAS PARA AS EMPRESASEm época de computação em nuvem o tema é“Gerenciamento da Confiança”A CeBIT, maior feira mundial de tecnologia da informação(TI), realizada em março, na Alemanha,mostrou e discutiu os desafios de como ter soluçõeseficientes e seguras no uso da tecnologia em temposde computação em nuvem.Empresários gaúchos e brasileirostiveram a oportunidade de interagircom 4.200 expositores numaárea de quase 500 mil metros quadrados.Durante cinco dias mais de350 mil visitantes estiveram nos16 pavilhões da famosa HannoverMesse. Mais uma vez os alemãesmostraram toda a sua competência na organização deeventos de grande porte.O Brasil e o Rio Grande do Sul tiveram grande destaquecom as presenças da presidente Dilma Roussef e do governadorTarso Genro. Na abertura da feira, a presidentebrasileira e a chanceler alemã, Ângela Merkel, destacarama importância da CeBIT e a importância da aproximaçãode Brasil e Alemanha com destaque para casos de sucessoem passado recente de empresascom atuação nos dois países.o presidente Vitor chamou a atenção para esta participação“justamente no momento em que estamos revendoe ampliando nossa atuação internacional”. O presidentelembrou que “ouvir os empresários, neste momento, nosdá boas informações para o alinhamentodestas estratégias”.O governador Tarso Genro conversoucom os empresários brasileirose destacou a importância queseu governo dá ao “fortalecimentodas relações comerciais dos empresáriosgaúchos com empresase instituições estrangeiras”. O Sebraetem grande participação neste objetivo ao oportunizara micros e pequenos empreendimentos o conhecimentodos caminhos desta integração. O diretor técnicodo Sebrae/RS, Marco Antônio Kappel, destacou que aCeBIT possibilitou “enxergar as principais tendênciasdo setor, os nichos de mercado onde é possível ver a inserçãodas pequenas empresas no contexto global”.O presidente do Conselho Deliberativodo Sebrae/RS, Vitor AugustoKoch, destacou a enorme relevânciada participação neste evento,“permitindo tomar conhecimentona definição de novas estratégiasde internacionalização dos microse pequenos empreendedores gaúchos.”Os brasileiros estiveram presentesem seis pavilhões da feira eAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 5


RegionaisAs salas de treinamento daregional confortam entre 10e 60 pessoasA regional que não paraMais de 29% das micro e pequenas empresas gaúchasestão na área de abrangência da MetropolitanaMais de 29% das micro e pequenasempresas gaúchas estão na área deabrangência da Regional Metropolitana,ou seja, 203 mil pequenos negócios,sendo 87% do setor de Comércio e Serviços.Segundo dados do IBGE, 27% da populaçãodo Estado reside na região tornando-se responsávelpor 31% do Produto Interno Bruto (PIB).Os números expressivos que caracterizam este“braço” do Sebrae/RS em Porto Alegre dão umaideia do esforço de sua atuação para poder atingiraos empreendedores de 37 municípios. “A regionalnão para”, exclama o gerente André Blos,no cargo desde a fusão da Regional Metropolitanacom a Regional Litoral, há dois anos.Para realizar um trabalho adequado ao universo daregião Metropolitana, a equipe de 28 profissionais,entre gerente, técnicos, assistentes e estagiários, estádistribuída em um prédio de seis andares, localizadono Centro de Porto Alegre (Rua Gal. João Manoel,282). São 1.350 metros quadrados que comportamsalas de treinamento e de reuniões, laboratório deinformática, espaço pesquisa, área de atendimentoindividualizado, para a equipe técnica do Sebrae/RS,e espaço convivência. Além do escritório na Capitalgaúcha, a regional possui uma Unidade de Atendimentoem Gravataí e um Ponto de Atendimento emSanto Antônio da Patrulha que funciona em parceriacom entidades locais.6Revista Tempo de Agir | Abril 2012


A metropolitana fica nocentro de Porto Alegre,na rua João Manoel, 282“Estamos com bastante demanda e aprocura pelos serviços do Sebrae aumentouconsideravelmente nos últimosdois anos”, afirma Blos. Para ele, isso é reflexo da mudançade estratégia da diretoria em priorizar e fortalecer oAtendimento Individual, inclusive contratando mais colaboradorespara realizar este trabalho. Além disso, as campanhaspublicitárias em nível estadual e nacional, o trabalhoda Central de Relacionamento Sebrae, as semanas deformalização do Empreendedor Individual, a presença doSebrae/RS na Feira do Livro e a Linha da Pequena Empresacontribuem para a divulgação da entidade e servempara mobilizar o público. “A Linha da Pequena Empresaatendeu 3.447 pessoas. E quase 600 Empreendedores Individuaisforam cadastrados nos 36 bairros percorridos peloveículo em 2011”, exemplifica. Segundo o gerente, a iniciativaé um chamariz de novos clientes, “pois chega a locaisem que a entidade não consegue atingir de maneira estática,estimulando que as pessoas atendidas procurem por outrassoluções do Sebrae/RS”, acrescenta.Reforço a vistaEste ano, a entidade iniciou estudo de viabilidade técnicapara a abertura de uma Unidade de Atendimento na zonaNorte da Capital, o que aumentaria a capilaridade do Sebrae/RSem Porto Alegre. “Aquela região necessita demaior atenção e com uma estrutura física lá poderemos realizarações mais efetivas e com qualidade. Estou confiantede que, ainda este ano, estaremos com uma Unidade nazona Norte”, declara Blos. Este ano, a Regional Metropolitanatem como meta realizar 15.800 atendimentos. Paraisso, renovou 100% de sua carteira de projetos coletivos.Mais de 1.100 micro e pequenas empresas aderiram aosoito projetos com foco nos três setores da economia: indústria,comércio e serviços e agronegócio.Os projetos do Comércio e Serviços, por exemplo, foramplanejados com foco na Copa do Mundo de 2014; os daIndústria em inovação e ampliação de mercado; e os doAgronegócio em agroindústrias familiares rurais (gestão,processos e produtos) com atuação nos municípios dePorto Alegre, Eldorado do Sul, Nova Santa Rita, Arroiodos Ratos, Charqueadas, Triunfo e São Jerônimo. “O fortalecimentoda parceria do Sebrae/RS com entidades, prefeiturase sindicatos resultou numa grande adesão de empreendedoresem nossos projetos coletivos”, conclui Blos.O projeto Desenvolver a Indústria da Moda na RegiãoAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 7


É um projeto amplo, que aprofundao conceito de negócio de modae vislumbra aproximar os váriosinterlocutores da cadeia produtivado setor de moda em nosso EstadoMetropolitana de Porto Alegre, que tem a gestão da técnicaCamila Ferraz Jacques, confirma a informação do gerente. Com80 MPEs e uma fila de espera de outras 33, surpreendeu pelaalta procura. “Após avaliação da maturidade das empresas vamosavaliar a inserção das mesmas no projeto”, afirma Camila,entusiasmada com o novo desafio. De acordo com a técnica,esta é a primeira iniciativa no Estado com foco especificamentena indústria da moda - desenvolvimento e criação (design econceito), produção (facção e privet label) e marca. “É um projetoamplo, que aprofunda o conceito de negócio de moda, eirá trabalhar, entre outros aspectos, o posicionamento de marcapara a ampliação de canais de venda, gestão e monitoramentode indicadores de desempenho, inovação nos produtos e processoscriativos, e posicionamento de marcas da moda gaúchano mercado estadual e nacional. Além disso, o projeto, atravésda troca de experiências e trabalho cooperativo dos empresários,vislumbra aproximar os vários interlocutores da cadeia produtivado setor de moda em nosso Estado”, cita.O atendimento individual é realizado porseis técnicos e quatro assistentesCamila explica que outra estratégia utilizada para comporo grupo e atingir um número tão significativo de empresasinteressadas foi formar um comitê gestor com os primeiros10 empresários que se inscreveram para participar doprojeto e que são formadores de opinião. “Estudamos ediscutimos o mercado, ambiência econômica e o negócio demoda e, a partir disso, montamos a estratégia e as ações doprojeto, uma experiência rica porque temos muito a explorardeste setor e também contamos com grandes talentosno Rio Grande do Sul, por vezes mais reconhecidos emestados como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais”,diz. Um diferencial deste grupo de empresas é a facilidadena comunicação de forma virtual. A gestora comenta quecostuma se comunicar com eles através das redes sociais,como Facebook e Twitter, muito usados para disseminaçãode informação. “A mensagem enviada por celular não teráresposta tão rápida se eu fizer o mesmo comunicado atravésdas redes sociais” comenta Camila.Além dos projetos coletivos, a regional atua através do atendimentoindividualizado dos empreendedores e futuros empresários.Com a coordenação da técnica Janaína Zago, seistécnicos ficam à disposição do público, diariamente, pararepassar informações, orientar na construção do Plano deNegócios. Para isso contam com a ajuda de outros quatroassistentes técnicos, incluindo um biblioteconomista quetrabalha especificamente no Espaço Pesquisa. “Temos umformato organizacional de equipe que funciona muito beme que já foi compartilhada pelas regionais da Serra e Sinos”,orgulha-se Blos.8Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Relação dos projetos coletivosIndústria• Desenvolver a Indústria da Moda na RegiãoMetropolitana de Porto Alegre• Desenvolver as Indústrias da RegiãoMetropolitana de Porto Alegre e Litoral Norte• Adensamento da Cadeia Produtivado Petróleo, Gás e Energia da RegiãoMetropolitana de Porto AlegreComércio e Serviços• Desenvolver as Empresas de Serviços daRegião Metropolitana de Porto Alegre• Aprimorar Empresas de Alimentação Fora doLar na Região Metropolitana de Porto Alegre• Desenvolver o Turismo Gastronômico naRegião Metropolitana de Porto Alegre• Qualificar as Empresas das Redes deCooperação da Região MetropolitanaAgronegócio• Melhorar a Gestão dos SistemasAgrofamiliares da Região Metropolitanade Porto AlegreVeja a seguir:Atendimento IndividualGestora: Janaína Zago MedeirosTécnicos de Atendimento:Lucas Batista AlvesJonatas Goulart de OliveiraCleverton Paranhos da RochaKelly Junqueira Alves (Gravataí)Marina Machado CostallatAndré Martinelli Niemczewski (Linha daPequena Empresa)Assistentes de Atendimento:Luciano Barcella GilLeandro Kochanowski da SilvaRodrigo Baierle SilvaLeandro de Oliveira Silva (biblioteconomista)Estagiários recepcionistas:Leonardo Kontze MagnusGregory de SouzaProjetos ColetivosClarice Bratz UbertiRoger Scherer KlafkeCamila Ferraz JacquesAna Paula RezendeAna Carolina Borges SouzaLaura dos Santos RochaLissandra Silva MonzaÁrea de gestão e suporteAndré Blos (gerente regional)Daiany Sapata Rodrigues(assistente administrativo)Gabriel Alves Rotta(estagiário administrativo)Daiana da Silva Porto (assistente desuporte a projetos coletivos)Bruno Boose Maduell (estagiário desuporte a projetos coletivos)Jacques Furtado do Amaral (estagiário desuporte a projetos coletivos)Ana Paula de Moraes (estagiário desuporte a projetos coletivos)Jéssica Regina Scherer (estagiário desuporte a projetos coletivos)A técnica de atendimento Marina Machado Costallat, diz queo contato direto com o público é desafiador, porém muitogratificante. “Saber que eu posso fazer a diferença na vidade uma pessoa, compartilhando o conhecimento que tenhoé recompensador e me estimula a fazer cada vez melhor”.O profissional que atua nessa área precisa ter conhecimentosprofundos em temas como legislação, tributação, planode negócios, empreendedorismo, recursos humanos, marketing,crédito, atendimento ao cliente, entre outros que,segundo Marina, contribuem muito para o sucesso dosatendimentos e para que o cliente saia satisfeito.Marina, que está há oito anos e meio no Sebrae/RS e quasedois anos atuando no atendimento individual, já atendeu65 pessoas em um único dia. “Vale a pena porque muitosficam gratos e na maioria das vezes demonstram essa gratidão.Aconteceram casos de clientes que me abraçaram e atéchoraram pela ajuda que receberam”, revela.Carolina Torres e sua amiga Suanne Souza, 23 anos, procuraramo Sebrae/RS e foram atendidas por Marina Costallat.A dupla, formada em Moda, pretende abrir uma confecção.“Pelo menos no início da empresa, a ideia é fazer tudo, dacriação à costura de peças exclusivas e artesanais”, comentaCarolina. O espaço para a confecção já está garantido enão terá custo, mas os detalhes administrativos e de gestãoserão dirimidos através de uma consultoria em Plano deNegócios. “Temos várias dúvidas com relação a montagemda empresa, custos, retorno financeiro, por isso resolvemosbuscar ajuda no lugar certo”. O objetivo das jovens e futurasempreendedoras é fazer as primeiras peças de roupasinspiradas no verão de 2013. “Eu gosto mais de criar e aSuanne de colocar o projeto em prática. Então a gente secompleta”, finalizou.RegiãoMetropolitanaONDEENCONTRAR:Porto Alegre:Rua Gal. João Manoel, 282Fone: 0800.570.0800Gravataí:Rua Dr. José Loureiro da Silva, 1819Fone: (51) 3497.2645Santo Antônio da Patrulha:(Ponto de Atendimento ao Empreendedor)Av. Paulo Maciel de Moraes, 1003Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 9


A carne e o sal que originaram fortunas e nobrezaentre o século 18 e 19 no município dePelotas, fizeram surgir também casarões e palacetesque alteraram a paisagem da cidade eainda hoje dão um charme todo especial. NaRua Felix da Cunha, 616, há um belo exemplodas imponentes construções da época. Ocasarão de 600 metros quadrados, construídoem 1850, pelo charqueador português JoséAntônio Moreira - o Barão de Butuí, pertenceà família Olivé Leite desde o final da década de90 e sofreu obras de restauração entre os anosde 1999 e 2002.Dependências novas einvestimentos na regiãoaumentam a procura pelosserviços do Sebrae/RSFotos: Laureano Bittencourt10Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Acasa onde morou uma das filhas do Barãode Butuí abriga, desde novembro doano passado, a sede da Regional Sul doSebrae/RS. A entidade que atuava emapenas 170 metros quadrados, ocupa agora os doisandares do sobrado, sendo que no primeiro funcionamas salas de atendimento, da equipe técnica,da gerência, de treinamento e de videoconferênciae, no segundo, as três salas de treinamentos, comcapacidade para 90 pessoas, além da sala de assessoriae do almoxarifado. Nas novas dependênciasjá refletiram na quantidade de atendimentosrealizados pela regional. Segundo levantamentorealizado houve um crescimento de 270% com amudança de local. “Entre 3 de novembro de 2010e 31 de janeiro de 2011 realizamos 652 atendimentosno antigo endereço, já no período de 3 de novembrode 2011 a 31 de janeiro de 2012, passamospara 1.760 atendimentos”, comemora a gerente daRegional Sul, Rosâni Boeira Ribeiro.Quem percebeu, também, este aumento de públicoé a assistente técnica Tenille Silva, que trabalhano atendimento individual. “O ambiente receptivoe a sala ampla comportam três profissionais nestafunção. O reflexo disso é uma maior procura peloSebrae/RS, principalmente nas segundas e terçasfeiras.Além disso, conseguimos colocar mais informaçãoà disposição do público”, destaca. Tenille,a profissional mais antiga do atendimento,diz que gosta muito do que faz “porque um dianunca é igual ao outro. Temos que buscar constantementenovas informações e a prospecção deempreendedores para cursos e palestras tambémé um grande desafio”. Tenille está no Sebrae/RShá 6 anos.Para Rosâni Boeira Ribeiro, além de uma melhorestrutura da entidade, os investimentos na regiãoestão provocando procura mais intensa, principalmentenas capacitações com foco em qualidade.“A exigência do mercado e das empresas que seinstalaram em função do Polo Naval está refletindoem nosso trabalho e no desenvolvimento daregião como um todo. Além do Polo Naval temosoutros investimentos na região que devem melhorarainda mais a nossa realidade. Um exemplo sãoos parques eólicos projetados para os municípiosde Santa Vitória do Palmar e Chuí. As cidadesforam contempladas no leilão de aquisição deenergia pela Agência Nacional de Energia Elétrica(Aneel) e os projetos prevêem a instalação de129 aerogeradores. A previsão é de que até marçode 2013 a instalação das torres tenha começadoe os investimentos previstos para as duas cidadescheguem a R$ 1,5 bilhão.Tenille Silva trabalha noatendimento ao públicoAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 11


A exigência do mercado e dasempresas que se instalaram em funçãodo Polo Naval está refletindo em nossotrabalho e no desenvolvimento daregião como um todo. Além disso,temos outros investimentos que devemmelhorar ainda mais a nossa realidadeRosâni Boeira Ribeiro,gerenteUm dos empreendedores que já estáusufruindo da casa nova do Sebrae/RS em Pelotas é João Carlos MeirelesPereira, que solicitou auxílio para aDeclaração do Empreendedor Individual.Sua esposa, Jussara FernandaPires Pereira, proprietária de um salãode beleza há três anos, conta coma ajuda do marido para as questõesadministrativas da empresa. Mas ospréstimos de Pereira não param poraí. À noite ele faz um curso de cabeleireiropara poder ampliar sua atuaçãono salão e, posteriormente, faráas capacitações do Sebrae/RS comfoco no Empreendedor Individual.“Gosto de aprender coisas novas eminha mulher é muito exigente, entãotenho que estar bem preparado”,confessa Pereira, que, atualmente,trabalha numa empresa arrozeira. Aexigência de Jussara com a qualidadeno trabalho, serviços prestados eprodutos utilizados está dando resultados.De acordo com Pereira, a garagemde casa teve que ser adaptadapara abrigar o salão, antes localizadona sala. “Nosso carro-chefe é o cabeloafro, mas temos também serviçosde manicure, pedicure e depilação.Apesar de termos uma clientela bemfiel, também divulgamos os serviçosdo salão em um folder feito por mim,o que contribui bastante para o bommovimento da empresa”. O salão daJu Cabeleireira fica no bairro Dunas.Em 2012Para 2012, a meta da Regional Sul érealizar 15 mil atendimentos entrepessoa física e jurídica. Para isso, a entidadebalizará sua atuação através desete projetos coletivos - com foco nossetores da indústria, comércio e serviçose agronegócios; projeto atendimentoindividual; e dois de desenvolvimentoterritorial, representandoum investimento de R$ 3,8 milhões.Com 13 funcionários, cinco estagiáriose um profissional temporário (atéjunho), a regional atua, ainda, atravésdo projeto Negócioa Negócio (parceriacom a Furg), doPrograma AgentesLocais de Inovação(ALI) com foco emPelotas, Capão doLeão, Rio Grande eSão José do Norte,do SebraeTEC e doSebrae Mais.Um dos projetos novos para este anoé o Desenvolver o Setorial de Comércioda Região Sul que é coordenadopela técnica Marcia Porto, há seteanos na entidade. O objetivo é auxiliaras micro e pequenas empresasdo segmento da moda em Pelotas ecomércio (Aglomerado) em Canguçu,no que se refere à gestão empresarial,de forma a capacitá-las para as novasoportunidades do mercado da regiãoSul. Segundo Marcia, a atividade degestora de projetos exige muita dedicação.“Viajamos bastante, participamosde eventos à noite, acompanhamosmissões dentro e fora do Estado.Esse envolvimento é extremamentenecessário, pois fortalece a relação deconfiança entre o Sebrae/RS e os empresários”,destaca.Porém, o mais complicado, de acordocom a gestora, é a fase de convencimentodas empresas em participaremdo projeto. “Temos queusar muito o poder denegociação e convencer oempresário dos benefíciosda iniciativa. Mas eu nãodesisto tão fácil deles. Umadas minhas característicasé ser persistente”, revela.O que motiva Marcia é veros resultados e os avançosque as empresas conquistamatravés do projeto coletivo. “Ocomércio é um setor que eu dominoe este tipo de empresário precisa veras coisas acontecerem para acreditar,por outro lado é uma área da economiaque cresce e, por isso, temos muitoa fazer”. A gestora acrescenta queimplantar indicadores, se capacitar emodernizar, além de entrar no mundovirtual cada vez mais urgente parao sucesso dos negócios.12Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Em 18 de novembro de 1993o Sebrae/RS foi instalado nomunicípio de Pelotas mas foiapenas em 2003 que passoua sediar o Escritório Regionaldo Sebrae/RS na região Sul doEstado. Dia 10 de março de 1994a entidade abriu uma unidade deatendimento em Rio Grande.Pereira (E) foi fazera declaração do EIRelação dos projetos coletivosAgronegócio• Projeto Desenvolver a Bovinocultura de Corte da Região Sul eRegião Centro Sul (foco na carne de ovino e bovino). Público: 90propriedades rurais.• Projeto Desenvolver Sistemas Agropecuários da Região Sul eCentro Sul (foco em grupos de leite). Público: 120 propriedadesruraisGestor: Juliano BolzoniEstagiária: Letícia NogueiraIndústria• Projeto Adensamento da Cadeia Produtiva do Petróleo, Gás eEnergia da Região Sul do Estado do RS – Fase 2 (foco no polonaval) Público: 60 MPEs.• Projeto Desenvolver as Indústrias da Região Sul do RS (têxtil,alimentação e gráficas). Público: 90 MPEs.Gestor: Ricardo Fares da Silva (localizado na unidade doSebrae/RS em Rio Grande)Estagiária: Deborah FiussenComércio e Serviços• Projeto Aprimorar os Aglomerados Comerciais da Região Sul(foco em Pelotas, Camaquã e Rio Grande). Público: 55 MPEs.• Projeto Desenvolver o Setorial de Comércio da região Sul. (focoem empresas de confecção em Pelotas e Canguçu). Público: 80MPEs.Gestora: Márcia PortoEstagiário: Bruno SilveiraServiços• Integrar os Serviços na Costa Doce (foco em restaurantes emeios de hospedagem e prestadores de serviços para eventos).Público: 100 MPEs.Gestora: Jussara ArgoudEstagiária: Andrea TorallesDesenvolvimento Territorial• Projeto Superar São Lourenço do Sul (foco nas empresasatingidas pela enchente de março de 2011). Público: 1.788empresas.Gestor: Fabrício BurquertEstagiária: Stephanie Brose• Projeto Territórios da Cidadania (foco em 25 municípios). Público:2.075 empresasGestora: Jussara ArgoudEstagiária: Andrea TorallesAtendimento IndividualO atendimento individual tem foco nos 33 municípios deabrangência da Regional Sul. São informações e orientaçõestécnicas, consultorias, registros do EI, os prêmios dereconhecimento do Sebrae/RS, entre outras.Gestor: Claudino AbreuTécnicas em Pelotas e Rio Grande: Luciana Silveira eGabriela SchuhAssistentes técnicas: Tenille Silva (também viabiliza ascapacitações fora do Sebrae/RS), Barbara Heller, ambasem Pelotas, e Ana Paula Goularte (Rio Grande)Temporária: Luisa RiosAssistente administrativa: Ariane Domingues – apoia aoperação nos dois espaços do Sebrae/RS.Região SulONDEENCONTRAR:Pelotas:Rua Félix da Cunha, 616Fone: (53) 3225.0541Rio Grande:Rua Riachuelo, s/nº, Armazém 3 do Porto VelhoFone: (53) 3231.2433Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 13


CapaUMA DOCEIRADE OURORepresentando a Associação dos Produtores de Doces dePelotas, Maria Helena Jeske venceu a etapa nacional do PrêmioSebrae Mulher de Negócios na categoria Negócios ColetivosFoto: Bernardo Rebello/ASNAarte de produzir tentações gastronômicas comorganização empresarial rendeu a gaúcha MariaHelena Lubke Jeske, 42 anos, o troféu deouro da 8ª edição do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios,na categoria Negócios Coletivos. Há dois anos,a doceira preside a Associação dos Produtores de Docesde Pelotas, que reúne 16 fabricantes, a maioriamulheres. Além de liderar este grupo, Maria Helenaé proprietária da Imperatriz Doces Finos, que há 15anos produz diversas opções de guloseimas e exportasua produção para todo o Brasil.A cerimônia de premiação foi realizada no Dia Internacionalda Mulher, em Brasília. Esta foi a primeira vez queo Rio Grande do Sul venceu a etapa nacional da disputa.Representante gaúcha na categoria Pequenos Negócios,a psicóloga de Cachoeira do Sul Cecília Chaves Machadoconquistou o troféu de prata ao lado das empresáriasJuliana Bicalho Sanchez (PR), Creuza de Souza Távora(AP) e Carla Gomes da Silva (DF). A vencedora nacionaldesta categoria foi Maria Cristina Muradas Ruffo, 59anos, proprietária da Mr. Krocco, de Maceió.Maria Helena emocionou-se com a distinção. “Este Prêmioreconhece o bonito e responsável trabalho feito pelaAssociação dos Produtores de Doces de Pelotas nos últimosanos e serve de incentivo para continuarmos lutandopelas causas da nossa região”, resumiu. O grupo,formalizado em abril de 2008, busca proteger o legadodas receitas de doces tradicionais e estimular a inovaçãoe o desenvolvimento das empresas do setor.No ano passado, a Associação recebeu selo de IndicaçãoGeográfica, modalidade concedida pelo Instituto Nacionalde Propriedade Intelectual (INPI). “Começamos abuscar o selo porque o nome ‘Doces de Pelotas’ estava14Revista Tempo de Agir | Abril 2012


sendo utilizado indevidamente em outras cidades”, relataMaria Helena. Ela explica que através do selo o clientetem mais confiança no produto e os produtores têm maiscredibilidade.O INPI certificou 15 tipos de doces (quindim, olhode sogra, broinha de coco, beijinho de coco, panelinhade coco, queijadinha, camafeu, pastel de Santa Clara,bem-casado, fatia de Braga, amanteigado, trouxinha deamêndoa, ninho, papo de anjo e cristalizados), a partirda exigência que a fabricação siga, obrigatoriamente, 16regulamentos. Essas normas determinam procedimentosquanto à origem, o método de produção e elaboração, aespecificidade dos produtos e a garantia de rastreabilidade.No processo para a conquista do selo, a Associação dosProdutores dos Doces de Pelotas contou com o apoio doSebrae/Nacional, Sebrae/RS, Embrapa, Prefeitura Municipalde Pelotas e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).Por causa desta união, toda a região Sul do Estado se encheude orgulho com o reconhecimento do Sebrae à MariaHelena. “O município de Pelotas, que em breve completará200 anos, se sente honrado com o Prêmio Mulher de Negóciosentregue a presidente da Associação dos Produtoresde Doces. Produtos estes que são a marca da cidade”, comemorao vice-prefeito de Pelotas, Fabrício Tavares.Para a gerente da regional Sul do Sebrae/RS, Rosâni BoeiraRibeiro, o sentimento com o troféu ouro é meritório.“Esse reconhecimento fecha com chavede ouro um processo de trabalho extremoque a Associação teve em busca doselo de Indicação Geográfica. O Sebrae/RS vai seguir trabalhando junto com osprodutores de doces porque o desafio,agora, é colocar o selo do INPI ‘na rua’”,detalha Rosâni.O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios reconhece o esforçodas mulheres que investiram no sonho de ter a própriaempresa, além de servir como incentivo ao empreendedorismofeminino. A premiação é feita em parceriacom a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres,a Federação das Associações de Mulheres de NegóciosProfissionais do Brasil (BPW) e a Fundação Nacional daQualidade (FNQ).Prata da casaRepresentante do Rio Grande do Sul na categoriaPequenos Negócios, a psicóloga CecíliaChaves, 42 anos, também fez bonito em Brasília.Ela voltou para casa com o troféu de pratana bagagem. Cecília concorreu por seu trabalhoà frente da Clas Psicologia, atendimentoClínico e Organizacional. “A Clas nasceu deum sonho pessoal de deselitizar a psicologia,e hoje rende frutos que ultrapassam o reconhecimentofinanceiro”, explica. Sediada emCachoeira do Sul, a empresa tem filial em Agudoe projeto de nova unidade em Candelária.Além do trabalho em sua empresa, Cecíliapreside a Câmara de Agronegócio, Comércio,Indústria e Serviços de Cachoeira do Sul (Cacisc)– uma das principais entidades empresariaisdo município e, recentemente, foi apontadapela população municipal como uma das20 lideranças mais influentes da cidade.Inscrições abertaspara edição 2012Durante a cerimônia de premiação da edição2011 do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios,ocorreu o lançamento da 9ª edição dadistinção. Uma das principais novidades para2012 é a criação de uma categoria específicapara empreendedoras individuais (EI) - trabalhadoraspor conta própria como costureiras,manicures, cabeleireiras, doceiras, fornecedorasde marmita, vendedoras de roupa ede cosméticos, com renda anual máxima deR$ 60 mil. Esta nova categoria se soma àsoutras duas já existentes: Pequenos Negócios,destinada a donas de micro e pequenasempresas, e Negócios Coletivos, voltadapara integrantes de cooperativas e associaçõescom geração de renda para as associadas.As inscrições podem ser feitas até o dia31 de agosto pela internet, no endereçowww.mulherdenegocios.sebrae.com.br,ou nos pontos de atendimento do Sebrae emtodo o País.Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 15


Projetos ColetivosEmpresas de futuroNEGÓCIOS LUCRATIVOSPropulsor da missão do Sebrae/RS, os projetos coletivos setoriaislevam consultorias em gestão, incentivo à inovação, cursos epalestras para 47 segmentos da economia gaúcha em 201216Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Écom passo firme que oSebrae/RS deu início asua missão de promovero empreendedorismo ea competitividade das MPEs em2012. Contemplando 47 segmentosda economia gaúcha, a chamadapública para os projetos coletivossetoriais da instituição atraiu 3.881inscrições entre pequenos negóciose produtores rurais. Nos próximosdois anos os selecionadosserão acompanhados em grupospor um gestor do Sebrae/RS e receberãoconsultorias em gestão,promoção de acesso a mercados,incentivo à inovação, orientaçõespara o acesso ao crédito, cursos epalestras.O investimento é de longo prazo,mas vale cada centavo, garante opresidente do Conselho Deliberativodo Sebrae/RS, Vitor Augusto Koch.Segundo ele, a contrapartida dainstituição soma R$ 11.934.334 paraos projetos coletivos setoriais. Destetotal, R$ 1.371.440 serão aplicadosnas carteiras do agronegócio; R$5.944.894 na indústria; e R$ 4.618.000no comércio e serviços. “Este podeser o investimento que faltava parao seu sonho de negócio se realizar edeslanchar”, afirma Koch e confirmaa produtora rural Rosemeri Guse.Na cidade de Ajuricaba a propriedadede 35 hectares de Rosemeri é responsávelpela produção mensal de 28 millitros de leite em média. Lá, o tratamentodas vacas lactantes e terneirosé apenas um de uma série de cuidadosque ela não dispensa ao negócio. Desdeque Rosemeri iniciou a participaçãonos projetos coletivos setoriais doSebrae/RS aprendeu que organizar oambiente e praticar o “5S” é essencialtambém no campo. “Tenho outra visãoda propriedade, que mudou muitoe para melhor”, comemora a produtorarural.No momento, tanto Rosemeri quantooutra produtora rural da cidade, GiseldaPizetta, recebem orientações sobregestão. “Pode demorar um pouquinhopara os resultados aparecerem, mas nomomento que isso ocorre eles semprese mostram positivos”, garante Giselda.A produtora rural comanda umrebanho de 70 cabeças em seus 50hectares e não se cansa de indicar osprojetos do Sebrae/RS para amigos econhecidos.Foi justamente assim, por meio de indicação,que o sócio fundador da Instor– Sistemas de Inspeção Robótica,Giovani Geremia, tomou conhecimentodo projeto coletivo “Adensamentoda Cadeia Produtiva do Petróleo, Gáse Energia” na Região Metropolitanade Porto Alegre. De acordo com ele,boa parte do crescimento gerenciale organizacional da empresa nos últimosanos foi dependente do trabalhorealizado com os consultores doSebrae/RS. “Ampliamos nossa redede contatos, conquistamos novos parceirose projetos e desenvolvemos umnovo produto inovador para o setorde petróleo e gás com recursos a fundoperdido do edital Inova PequenaEmpresa RS”, comemora. Para 2012o sócio fundador da Instor prevê oaumento do espaço físico da empresapara que possa comportar projetos demaior porte além da consolidação deum plano de carreira para os funcionários.Planos também não faltam para Charles Lucchese, proprietário da BoaCompra. A loja de tecidos para decoração e tapetes instalada há 70anos em Ijuí é uma das mais tradicionais da cidade e está se tornandodas mais atrativas para os consumidores. Em 2010 começou a participardos projetos coletivos setoriais do Sebrae/RS. Orientado pelosgestores e consultores da instituição, Lucchese providenciou a mudançada fachada da loja e a renovação da sua logomarca. Com as demaisMPEs participantes do projeto, está engajado em transformar a Rua 15de Novembro em um dos melhores espaços de compras de Ijuí. “O Sebrae/RSlançou a iniciativa e nós abraçamos essa revitalização”, explicaLucchese. Em dezembro do ano passado, por exemplo, a rua ganhousua primeira decoração de Natal e o próximo passo do grupo de empresáriosé padronizar as calçadas a exemplo da famosa rua Oscar Freire,em São Paulo. Para abril, ele adianta que a novidade será o lançamentodo site www.rua15.com.AntesDepoisAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 17


EmpreendedorismoPrograma ALIajuda empresaa disputarespaço commarcascentenáriasPlano de Negócios desenvolvidojunto ao ALI ajudou a Gyrum aconquistar prêmio da UFRGSQueremos nosdestacar como umaempresa inovadorae com potencialde crescimento.Eu diria que inovaçãoé uma questão desobrevivênciaLeonardo Zimmer,engenheiro e empresárioA empresa Gyrum foi constituída sobre três pilares:a ideia de um motor revolucionário, o conhecimentoem controles eletrônicos e a vontade de empreender.Três também são os seus fundadores, mestrandosem engenharia mecânica, que em dezembro conquistaramo 1º lugar na XII Maratona de Empreendedorismoda UFRGS – premiação que visa a fornecerferramentas adequadas ao desenvolvimento deempreendimentos inovadores.Alexandre Andreoli, Ioannes Tessaro e Leonardo Zimmerdecidiram formalizar a empresa apenas um ano antesdo prêmio, em dezembro de 2010. A Gyrum – nomeque em latim significa “rotativo” – surgiu com o propósitode desenvolver um produto destinado ao mercado deenergia. O projeto prevê que um motor seja construídoem módulos, o que facilita a utilização de mais de umtipo de combustível.Pré-incubada na Incubadora Tecnológica Héstia da Escolade Engenharia da UFRGS, em abril de 2011 a Gyrumjá estava formalizada. Em junho, durante um Mutirão daInovação realizado em Viamão, a empresa obteve o primeirocontato com o Sebrae/RS, por meio do ProgramaALI. Este tem por objetivo promover a cultura da inovaçãonas micro e pequenas empresas gaúchas por meio deatendimento gratuito aos empreendimentos que aderemà iniciativa, realizado por um Agente Local de Inovação(ALI).Foto: Divulgação18Revista Tempo de Agir | Abril 2012


“Este profissional vai até a empresae realiza um diagnóstico completodo seu grau de inovação. Em seguida,aponta as oportunidades a seremexploradas pelo empreendimentopara ampliar a competitividade”,explica o diretor de Administraçãoe Finanças do Sebrae/RS, MarceloRibas.“A empresa Gyrum tinha um potencialdesafiador. Mas ia bater de frentecom um mercado já estabelecido,de empresas centenárias”, observao ALI Cézar Gonçalves, que em junhode 2011 começou a acompanhara nascente empresa. Entre os concorrentesdiretos da Gyrum estãomarcas como Volvo, GE, Mercedes-Benz, Mitsubishi Motors e Scania.Gonçalves ainda cita que, apesar daconcorrência de peso, encontroudiferenciais nos equipamentos daGyrum em relação aos motores dessasgrandes companhias: “O projetoapresenta significativas vantagens,tais como maior eficiência, menorcusto de fabricação, maior durabilidade,menor nível de vibrações, modularidadede montagem e flexibilidadede operação e de utilização decombustíveis”.A partir do diagnóstico, foi possívelcomeçar a montar um planejamentoviável. “Não sabíamos por ondecomeçar, não tínhamos um bomplano de negócios. A nossa necessidadecom o Sebrae era adquirirexperiência, ter alguém para nosavaliar, orientar, enxergar o que erapreciso para ser empresário”, explicaAlexandre Andreoli. “Acabamosrefazendo todo o plano de negóciosinicial”, diz.“Procurei mostrar que a inovaçãopode ser algo simples e prático, eque pequenas alterações no cotidianoda empresa podem gerar melhoresresultados”, destaca o ALI CézarGonçalves, que recebe o apoio deLeonard Zimmer: “Sem inovação,não teríamos chegado a lugar nenhum.Para angariar fundos, temosque mostrar o que o Brasil precisa:sustentabilidade, eficiência, baixocusto. Queremos nos destacar comouma empresa inovadora e com potencialde crescimento. Eu diria queinovação é uma questão de sobrevivência”.Gonçalves acompanhou a empresaaté abril deste ano. “A ajuda doSebrae/RS foi importantepara descobrirmos as nossasmaiores deficiências,para saber como melhorar.Agora, sabemos queo próximo passo previstoé o investimento no siteda empresa, para divulgaro que estamos fazendo”,diz Alexandre.Atualmente, o projeto de fabricaçãodos motores está em fase final devalidação do seu conceito através demodelos de ensaio e, em breve, deveiniciar a fase de desenvolvimento doproduto. Os três estudantes buscamparcerias e fundos para o projeto,que já conta com o apoio de nomesde peso como a Usinagem Jacuí e aRijeza Metalurgia, ambas no Estado.A previsão é que a partir do início de2014 o produto já esteja disponívelpara comercialização.Programa ALI 2012O Sebrae/RS, em parceria com oConselho Nacional de DesenvolvimentoCientífico e Tecnológico -CNPq, reiniciou no mês de marçoos atendimentos do Programa ALI.A iniciativa visa a disponibilizar assessoriaespecializada e gratuita parapequenas empresas dos setores daindústria, comércio e serviços comfoco no desenvolvimento de inovaçõestecnológicas em produtos eprocessos. A meta do projeto paraeste ano é atender 3 mil empresasaté o final de 2012.Os empreendedoresinteressados emparticipar do programapodem entrar emcontato com aCentral deRelacionamentoSebrae:0800 570 0800Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 19


EntrevistaO empresárioVitor Augusto Kochcompletou o primeiro dos quatroanos de mandato como presidentedo Conselho Deliberativo doSebrae/RS. E a marca destesprimeiros 12 meses foi “qualidade doatendimento”. As metas propostase definidas com o Sebrae Nacionalforam plenamente atendidas.O Sebrae do Rio Grande do Sulbateu diversos números de outrasunidades da Federação. Metasalcançadas, objetivo realizado.No entanto, para os próximos trêsanos de gestão, o presidente Vitordeseja atender as metas, mas o focoé ter qualidade do atendimento. Écom excelência neste ponto quemetas numéricas atingidas serãomuito mais eficientes. Assim, asmicro e pequenas empresas vãocrescer na busca da consolidaçãodo mercado e da inovação.Empresário da área de comércio,formado em Administração deEmpresas e proprietário de lojasna cidade de Três Coroas, opresidente Vitor sabe que investindona inovação e sempre com oolhar voltado para o futuro, osempresários vão estar fortalecidosno seu grande objetivo: ocrescimento.Depois de um ano como presidente do Conselho Deliberativodo Sebrae/RS, como projeta o ano de 2012?Os resultados do ano de 2012 serão extraordinários. A equipedo Sebrae/RS é de grande qualidade e comprometida.Acredito que a integração e unidade destes profissionaisnos levarão muito além das metas estabelecidas.Este ano começa com o Sebrae/RS inaugurandounidades de atendimento como Carazinho, Floresda Cunha e Gramado. Outras serão abertas aolongo deste ano. A ramificação destes locais abrea possibilidade de crescimento dos empreendimentos.Qual é o ponto principal que o Sebraedeve agir para que haja um maior crescimento dointerior gaúcho?A proximidade com os empresários de MPEs é fundamental.Os novos pontos, a realização dos projetos com resultadosmensuráveis e transparentes farão com que nossosobjetivos sejam alcançados. O foco está na sensibilizaçãode implantação de ferramentas de gestão e estímulo à inovação.Lembrando que o processo de inovação começa coma simples observação dos processos estabelecidos, identificandogargalos e oportunidades de melhoria.O Sebrae é uma instituição reconhecida em todo opaís. O que é preciso trabalhar para que seu objetivoque é o da excelência seja atingido?Temos que identificar as necessidades de empresas e empresárioscom muita clareza, priorizando e efetivando açõesque tenham resultado imediato, pois isto gera confiança nautilização de ferramentas de gestão que estão disponíveis.A aproximação e o relacionamento direto da Presidência,20Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Diretoria Executiva e gestores com empresários e comunidadesão fundamentais para que o resultado seja alcançado.A última edição da maior feira de comércio domundo, a NRF, realizada em Nova York em janeiropassado, mostrou a tendência do comércio eletrônico.O varejo brasileiro está pronto, preparadopara este novo concorrente?São realidades e economias diferentes. O varejo americano éreferência. Os cases que assistimos são essenciais para posicionamentosfuturos, assim como as inovações tecnológicasmelhorariam em muito o resultado das operações comerciais,mas isto, muitas vezes não é possívelem razão dos altos investimentos. O fatode identificarmos as evoluções e cenáriosfuturos de mercado é de grande valia. Atravésdas experiências, os varejistas podemplanejar com muita antecedência e até acelerara implantação, tanto de ferramentasde tecnologia da informação, como açõesde mercado. O comércio eletrônico está emascendência no Brasil, tanto o Sebrae comoempresários estão se preparando com acriação de lojas virtuais e capacitação parao atendimento desta nova demanda.E o cliente também está seguro deque poderá fazer suas compras semsair de casa com segurança?O consumo através da internet ainda é comedido, mas existea desconfiança por parte do cliente, frente a experiênciasfrustradas. Talvez esta seja uma das razões do crescimentomoderado das compras através da web.O Rio Grande do Sul sofre com a seca. O comérciosofrerá as consequências deste prejuízo nocampo?O Rio Grande do Sul foi beneficiado com 5 safras excelentesconsecutivas e ainda vive do resultado destas. A estiagemque aconteceu no final do ano passado e primeiros diasde 2012 prejudicou largamente a cultura do milho e afetouo rendimento da soja, o que é um prejuízo significativo, masnão impactará no rendimento do comércio com intensidadepercebível. O aumento da massa salarial, renda, a inclusãode 40 milhões de pessoas nas linhas de crédito nos últimos4 anos, e a estabilidade de setores da indústria e construçãocivil, mostram um cenário muito positivo para o comércioneste ano.A proximidadecom as MPEsé fundamental.Os novos pontosde atendimento,a realizaçãodos projetoscom resultadosmensuráveis etransparentes farãocom que nossosobjetivos sejamalcançadosComo presidente da FCDL e também à frente doSebrae, o Sr. tem viajado pelo Rio Grande do Sul.Como as micro e pequenas empresas se preparampara a concorrência de grandes players que avançampara o interior?Temos realizado encontros com empresários do comércioe alertado para este tipo de concorrência, pois o grandevarejo tem se utilizado de uma política de aproximação acentros menores, inaugurando lojas pequenas e sem grandesinvestimentos, mas oferecendo produtos adquiridosem escala, com preços menores. Para enfrentar este tipode concorrência é necessária a profissionalização de gestãodas MPEs, com atenção especial aoatendimento. Tanto na FCDL como Sebrae,estamos implantando os programasdo Q-Comércio e Mais Varejo justamentepara fornecer suporte gerencial aos empresários,com o propósito de mantê-loscompetitivos. Ainda são enormes as dificuldadesno convencimento de utilizaçãodestas ferramentas.A Mercopar, feira organizada e promovidapelo Sebrae/RS, é um dasmaiores mostras da indústria noBrasil e na América do Sul. A vigésimaprimeira edição vai ser realizadade 2 a 5 de outubro e já está comseus espaços todos negociados.Qual a função de feiras como esta e feiras comoa Hannover, na Alemanha, para micro e pequenasempresas?A Mercopar já é uma feira consagrada. A cada ano, as ediçõesestão maiores e mais organizadas. Os volumes de negóciose visitação crescem significativamente. Esta feiracriada pelo Sebrae/RS é uma grande oportunidade para asindústrias gaúchas de fazer negócios com o País e o Mundo,com custos reduzidíssimos. A Feira de Hannover, paraquem tem oportunidade de visitar, é uma ligação com oMundo, onde as principais empresas expõem e inovaçõessão apresentadas com exclusividade. É imperdível, porémdeveria haver uma maior participação de empresas do Brasilnos estandes como expositores. Isto somente se conquistaráquando houver a integração e soma de esforços entreGoverno Federal, Governos Estaduais, Entidades Representativase Sebrae/NA.Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 21


RelacionamentoMais do que atendimento,uma central derelacionamento com o clienteSebrae/RS celebra osdez anos da sua Centralde Relacionamento,relembrando a históriado serviço e implantandoinovações22 22Revista Tempo de de Agir | | Abril 2012


Há uma década, o Sebrae/RS dava início aoserviço que se tornaria de grande relevânciapara a promoção do relacionamentoentre a entidade e os seus clientes. Trata-se da Centralde Relacionamento Sebrae/RS (CRS), que completaem 2012 dez anos de existência e assistênciaprestada às empresas gaúchas e a empreendedoresque recorrem ao serviço. Para comemorar essa jornadade crescimento mútuo, a CRS inova nos seuscanais de atendimento, aprimora os existentes e investena capacitação dos profissionais.A história da CRS é marcada pela busca da qualidade naprestação do serviço. Em 2002, pensando justamente emestabelecer uma comunicação ágil, facilitada e objetivaatravés de um atendimento personalizado, que priorizassea precisão das informações prestadas, principalmentepor telefone e e-mail, o Sebrae/RS implantou a entãoCentral de Atendimento ao Cliente Sebrae (CAC). Em2008, a Central passou a atender gratuitamente atravésdo 0800 570 0800. Neste mesmo ano, o serviço passou ase chamar Central de Relacionamento Sebrae/RS.Os progressos não se bastaram às mudanças do númerode contato e do nome do setor. Em 2010, devido aonovo posicionamento do Sebrae/RS em todo País e àexposição da marca nos meios de comunicação, que geraramum aumento de mais de 130% da demanda de ligações,sentiu-se a necessidade de reestruturar a CRS.Foi então, segundo Carolina Molina, coordenadora daCentral de Relacionamento, que as principais mudançasocorreram. No final de 2010, uma nova equipe foi contratadae devidamente preparada para a atuação na CRS.“Antes disso, a nossa equipe era terceirizada. Realizamosum processo de seleção, observando cuidadosamente operfil do profissional. Além deste cuidado, o Sebrae/RSinvestiu na sua capacitação. Os treinamentos apresentarame aproximaram a equipe dos objetivos do Sebrae/RSe das suas ações junto aos empreendedores”, explicouCarolina Molina.Qualidade no AtendimentoEsse processo de insorsing, ou interiorização da equipepara capacitá-la, é uma das tendências do mercado decallcenter, conforme é explicado pela coordenadora. Eladiz, também, que é uma forma de garantir a atualizaçãoconstante dos profissionais que atuam no atendimento.“Hoje, a equipe é composta por 36 profissionais, entreeles estudantes, graduados e pós-graduados. São profissionaisque buscam a formação acadêmica e que recebemcursos, treinamentos e capacitações específicas na áreade relacionamento com o cliente. Somando os conhecimentos,potencializam a qualidade do serviço prestado ea satisfação do cliente atendido”, destaca.O Sebrae/RS promove no mínimo duas capacitaçõesmensais sobre gestão empresarial para a equipe. ”Dessaforma, eles agregam conhecimento sobre a área em queatuam e estão sempre atualizados, sem correrem o riscode prestarem um serviço defasado e que não supra asnecessidades dos clientes”, coloca Carolina.Entendemos que o atendimentona CRS deve ser tão completo quantoo presencial, realizado nos escritóriosregionais. Nossa intenção é realizarmais do que o atendimento, maspromover o relacionamento entre ainstituição e o cliente.A CRS conta ainda com um monitor da qualidade. Eletrata de consultar periodicamente todos os atendentes,avaliando o atendimento, apontando melhoramentos edestacando os aspectos positivos.A qualidade da equipe e da prestação de serviços é comprovadaao passo que, após o atendimento, o cliente estejaesclarecido e devidamente encaminhado. “A CRS registraque 35% dos contatos são encaminhados para o atendimentoespecializado, ao qual compete as informaçõestécnicas. O cliente pode ser esclarecido sobre assuntoscomo gestão empresarial, que engloba o EmpreendedorIndividual (EI), abertura de empresas, marketing, finanças,legislação e tributos”, conclui a coordenadora.Canais de AtendimentoAcompanhar os avanços tecnológicos e facilitar o acessoàs informações fazem parte da agenda de inovaçõesdeste ano para a Central de Relacionamento Sebrae/RS. Além do telefone 0800.570.0800, pelo qual o clientepode entrar gratuitamente em contato com a CRS, e doscanais Fale Conosco e Ouvidoria, ambos contatos via e-mail e encontrados no site www.sebrae-rs.com.br, outroscanais fazem as informações do Sebrae/RS chegaremaos gaúchos.Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 23


desde 2008, foi finalista no ano passado e conquistou seuprimeiro troféu na edição deste ano. Também já contacom o Selo de Qualidade do Colégio Brasileiro de Radiologiae, em linha com as melhores práticas reconhecidasinternacionalmente, desenvolve ainda trabalhos de responsabilidadesocial e ambiental, fortalecendo o relacionamentocom sua comunidade.Entre seus trabalhos nessas áreas estão palestras para estudantesdo Ensino Fundamental, orientando-os sobre acoleta de lixo e a transformação de resíduos orgânicos emadubos. A empresa também faz a neutralização da emissãode carbono estimada para todos os seus processos,incluindo o gasto de combustível de aviação nas viagensdos diretores para participação em congressos.CONHEÇA UM POUCODAS EMPRESAS FINALISTASINGABOR – SÃO LEOPOLDOCategoria IndústriaA Ingabor, indústria localizada em São Leopoldo, está entreas maiores do Estado em seu segmento. Premiada porseu projeto de gestão, a empresa tem indicadores que acolocam em um patamar de excelência semelhante ao dasmelhores organizações gaúchas. A expertise da empresa étransformar a borracha em peças técnicas para inúmerossegmentos, incluindo vedações, anéis, arruelas, perfis, batentes,coxins, entre outros itens.Para chegar ao nível de erro praticamente zero, a Ingaborvem fazendo grandes investimentos em treinamento doscolaboradores, tecnologia e processos. Graças a isso e àgestão pela qualidade, a empresa entrega 100% das encomendasno prazo estabelecido e com grande confiabilidade.A empresa participa do Prêmio MPE Brasil há trêsanos e em 2011 conquistou seu primeiro troféu. Estimuladapor esse reconhecimento, em 2012 também deveráparticipar do Prêmio Qualidade RS, promovido pelo ProgramaGaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP).Av. Mauá, 3580, Bairro Santa Tereza,São LeopoldoTelefone: (51) 3592-4255E-mail: ingabor@ingabor.com.brSite: http://www.ingabor.com.brLABORATÓRIO ANTONELLO – PELOTASCategoria SaúdeCom 25 anos de atuação, o Laboratório Antonello estáentre os três maiores estabelecimentos de análises clínicasde Pelotas. Com 18 colaboradores, realiza uma média dequase 20 mil exames mensais. A gestão pela qualidade iniciou-seem 2008 e foi reconhecida pela primeira vez como Prêmio na edição 2011, primeiro ano em que a empresaparticipou da disputa. Estimulada por isso, deverá participarem 2012 do Prêmio Qualidade RS, do ProgramaGaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP).A gestão da empresa está baseada em investimentos constantesem tecnologia, com o que há de melhor em equipamentos.Toda a atividade do laboratório é automatizada,para que se consigam os melhores resultados. Possuemfoco no cliente muito claro e estão sempre em busca deformas de atendê-los melhor.Rua Anchieta, 1620, PelotasTelefone: (53) 3225-8277E-mail: contato@laboratorioantonello.com.brSite: http://www. laboratorioantonello.com.brACJ ASSESSORIA EMPRESARIAL – AGUDOCategoria Serviços E Destaque Responsabilidade SocialUma assessoria contábil de qualidade que orienta as empresasa encontrarem os melhores caminhos para sua gestãoe um forte trabalho de responsabilidade social deramdois prêmios na etapa estadual à ACJ, que nos últimosanos vem tendo diversos reconhecimentos pelo trabalhoque realiza. A organização presta serviços contábeispara cerca de 120 clientes, mas seu trabalho vai além dacontabilidade e tem a característica de consultoria, orientandoos empresários para a gestão de seus negócios. AACJ também orienta os empreendedores informais a seregularizarem. Só neste ano, através do projeto EmpreendedorIndividual, já realizou gratuitamente mais de 100registros de formalização de empreendedores.Na área de responsabilidade social, a empresa desenvolvediversos projetos, beneficiando todos os anos algumascentenas de pessoas, abrangendo uma parcela expressivada população de 18 mil habitantes de Agudo, pequeno municípioda Região Centro. Graças a essas iniciativas já haviatido o reconhecimento do Prêmio MPE Brasil na categoriaDestaque Responsabilidade Social na edição de 2006.26Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Fotos: Bernardo RebelloAv. Concórdia, 624, AgudoTelefone: (55) 3265-1000E-mail: acj@acjempresarial.com.brSite: http://www. acjempresarial.com.brLICS SUPER ÁGUA – SELBACHCategorias Indústria E InovaçãoEquipamentos e tecnologias desenvolvidas pela Lics SuperÁgua estão garantindo o tratamento de água paraconsumo humano em áreas rurais e até mesmo em condomíniose propriedades que utilizam poços artesianosou fazem captação em fontes superficiais. Todos os equipamentose processos utilizados pela empresa foram desenvolvidosna própria empresa, o que explica a vitória nacategoria Indústria e também na categoria Inovação, quefoi introduzida em 2011 no Prêmio MPE Brasil. Além deatender condomínios e propriedades particulares, a empresapresta serviços para pequenos municípios e associaçõesmunicipais onde não há a rede da Corsan.O tratamento de água nesses municípios alcança 50 milhõesde litros diários, beneficiando uma população demais de 350 mil pessoas. Este ano deverá implantar umaplanta industrial no Ceará para a LICS atender a essasregiões, com destaque para a produção do Gutwasser, umequipamento que faz o tratamento de águas com característicasfísicas e químicas adequadas para o consumohumano. A empresa participa do Programa Gaúcho daQualidade e Produtividade (PGQP) desde 2007 foi finalistano Prêmio MPE Brasil nos últimos três anos, tendosido premiada pela primeira vez na edição 2011.Linha Cristal, S/N, Distrito Industrial, SelbachTelefone: (54) 3387-1107E-mail: lics@licssuperagua.com.brSite: http://www. licssuperagua.com.brEGALI INTERCÂMBIO – PORTO ALEGRECategoria TurismoA empresa organiza intercâmbios de estudantes e profissionaisem todo o mundo, com destaque para cercade 15 países, dentre os quais os mais demandados são aInglaterra, Irlanda e Austrália. Participam principalmentejovens de 14 a 28 anos, estudantes e não estudantes,com programas que variam de duas semanas a um ano. AEgali Intercâmbio, que completa cinco anos de atividadeem 2012, tem um diferencial que explica os percentuaiscrescentes de satisfação de seus clientes: possui acomodaçõespróprias nos principais destinos: Londres, Dubline Sydney.Com sede em Porto Alegre e escritórios em mais 39 cidadesdo País, todos os setores da empresa têm metas eindicadores. Este foi o primeiro ano em que a empresaparticipou do Prêmio MPE Brasil, e já obteve sucesso. Aconquista se deve ao trabalho realizado e aos resultadosalcançados, pois pesquisas mostram que 96% dos clientesindicariam a empresa no pós-embarque, após experimentaros serviços.Rua Marcelo Gama, 1412, sala 603, Porto AlegreTelefone: (51) 3061-4464E-mail: egali@egali.com.brSite: http://www.egali.com.brAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 27


InauguraçõesSebrae/RS começa2012 levando suassoluções paramais cidadesgaúchasAs MPEs de SantaRosa, Carazinho,Flores da Cunha eGramado passarama contar com oatendimentopersonalizado dainstituiçãoInauguração Gramado Foto: Dinarci BorgesOano de 2012 começoucom uma boa nova paraas micro e pequenas empresasde quatro cidadesgaúchas. Santa Rosa, com uma unidadede atendimento, Carazinho, Floresda Cunha e Gramado, com pontos deatendimento, passaram a contar coma presença efetiva do Sebrae/RS noapoio ao processo de desenvolvimentode seus pequenos negócios. Umaação, de acordo com o presidente doConselho Deliberativo Estadual, VitorAugusto Koch, “que reforça a intençãodo Sebrae/RS em chegar deforma mais efetiva e com qualidadeaos pequenos negócios em todos osrincões do Rio Grande do Sul”.28Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Presidente do ConselhoDeliberativo do Sebrae/RS, Vitor Augusto Kochesteve na inauguraçãodo ponto de atendimentoem Flores da CunhaNa cidade do Planalto gaúcho, oponto de atendimento do Sebrae/RS vai beneficiar mais de 3 mil pequenosnegócios. Presente na solenidadede inauguração do espaço, opresidente do Conselho Deliberativodo Sebrae/RS, Vitor Augusto Koch,destacou que “a cidade de Carazinhoestá crescendo, alcançando espaços eprosperidade. Por isso merece o retornoda entidade e de seus serviços”.Fotos: Divulgação Sebrae/RSEm janeiro, foi inaugurada a unidadede atendimento em Santa Rosa,na Rua João Macluf, 24, no Centroda cidade. A solenidade contou coma presença do superintendente Léocidades vizinhas”. Já o prefeito OrlandoDesconsi elogiou a iniciativado Sebrae/RS em atender a demandaempreendedora de Santa Rosa e reforçoua continuação da parceria queFuturamente o Sebrae/RS poderá transformaro ponto em uma Unidadede Atendimento comespaços ainda maiores eestrutura mais completapara o atendimento e aexecução de projetos quebeneficiem as MPEs.Vitor Augusto Koch,presidente do Sebrae/RSHainzenreder, do diretor de Administraçãoe Finanças, Marcelo Ribas,do prefeito de Santa Rosa, OrlandoDesconsi, e de lideranças empresariaise políticas locais.O superintendente Léo Hainzenrederenfatizou que “Santa Rosatem uma economia forte e as 4.600micro e pequenas empresas instaladasno município, contando com oapoio do Sebrae/RS, possuem plenascondições de crescer. Por isso,estamos ofertando, nesta nova unidade,mais oportunidades de crescimentoaos empreendedores e futurosempresários do município ea prefeitura já tem com a instituição,facilitando futuros projetos e açõesque serão viabilizados em função danova estrutura local. “Queremos trabalharjuntos para melhorar e desenvolveros pequenos negócios de SantaRosa, que representam quase 99%das empresas do município”, disse.Pontos de Atendimentoem Carazinho, Flores daCunha e GramadoNo mês de fevereiro, foram colocadosà disposição da comunidade gaúchadois novos pontos que integram aRede de Atendimento ao Empreendedor,em Carazinho e Flores da Cunha.O prefeito de Carazinho, Aylton deMagalhaes também comemorou avolta da entidade ao município. “Sabemosda importância do Sebrae/RSpara as micro e pequenas empresas ecom a parceria das entidades poderemosapoiar ainda mais os empreendedorescarazinhenses”, disse.Também participaram do evento odiretor de Administração e Finançasdo Sebrae/RS, Marcelo Ribas, e diversaslideranças políticas e empresariaisda cidade. Em Carazinho, oPonto de Atendimento foi viabilizadoem parceria do Sebrae/RS com aAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 29


Prefeitura Municipal, CDL, ACIC,Sindicado do Comércio Varejista eSindicato Rural.Em Flores da Cunha, o ponto deatendimento foi inaugurado no dia28 de fevereiro, com grande presençade exponenciais lideranças domunicípio, entre as quais, o prefeitomunicipal Ernani Heberle, a presidentedo Centro Empresarial local,Eroni Mazzocchi Koppe, e a gerenteadministrativa do Sindicato dosTrabalhadores Rurais de Flores daCunha e Nova Pádua, Beatriz Tonet.O Sebrae/RS esteve representadopelo presidente do ConselhoDeliberativo Vitor Augusto Koch,superintendente Léo Hainzenredere diretor de Administração e Finanças,Marcelo Ribas.Em sua saudação aos presentes,o presidente Vitor Koch lembrouque “em Flores da Cunha estamosofertando novas possibilidades dedesenvolvimento para as mais de2.300 MPEs instaladas na cidade”.O prefeito Ernani Heberle festejoua presença do Sebrae/RS em Floresda Cunha. “O Sebrae/RS tem grandeimportância no desenvolvimento dasmicro e pequenas empresas gaúchas.Com a parceria que celebramos, poderemosapoiar com mais intensidadeos empreendedores da nossa cidade”,destacou. Na cidade, o pontode atendimento foi viabilizado pormeio da parceria com a prefeitura local,Centro Empresarial e Sindicatodos Trabalhadores Rurais de Floresda Cunha e Nova Pádua.Em março, foi a vez de Gramadopassar a contar com um ponto deatendimento do Sebrae/RS, localizadona Rua São Pedro 85. Na cidade,são parceiros da instituição a prefeituramunicipal, a CDL, a Secretariade Indústria, Comércio e Serviços ea Associação Damas da Caridade deGramado. A solenidade de inauguraçãoteve a participação do presidentedo CDE, Vitor Augusto Koch; dosuperintendente Léo Hainzenreder;do diretor técnico, Marco Kappel Ribeiro,e das lideranças das entidadesInauguração Carazinho Foto: Lucas Tastch30Revista Tempo de Agir | Abril 2012


parceiras do Sebrae/RS: Nestor Tissot, prefeitode Gramado; Elaine Negruni, presidente daCâmara dos Dirigentes Lojistas da cidade; eJandira Tissot, primeira-dama e presidente daAssociação Damas de Caridade.Foto: Luisinho BebberCom Carazinho,Flores da Cunha e Gramado,chega a 14 o número denovos pontosabertos pela instituição.Inauguração Flores da CunhaA Rede de Atendimentoao EmpreendedorAo atuar em parcerias, em vez de instalar umaestrutura própria em cada município, o Sebrae/RS confirma o apoio de várias entidades noEstado, que ajudam no alcance cada vez maiorde empreendedores. O presidente Vitor Kochressalta que esse tipo de estrutura já é utilizadapor outras unidades federativas do Sebrae noBrasil, como Paraná e Santa Catarina.Na divisão de responsabilidades da Rede deAtendimento ao Empreendedor, as entidadesparceiras oferecem a estrutura física adequadaem cada cidade, incluindo móveis e equipamentosnecessários para o desenvolvimentodo trabalho. Já o Sebrae/RS fica encarregadoda estruturação do serviço, oferecendo metodologias,soluções e acesso aos sistemas. Cadaum dos 14 pontos tem a parceria de integrantesde, pelo menos, três entidades representativasda comunidade local e dos interesses dasmicro e pequenas empresas.Foto: Lucas SchneiderA Rede de Atendimento ao Empreendedorpermite que o Sebrae/RSchegue aos empresários de regiõesdo Estado onde seria difícil construirum prédio próprio. Por meio das parcerias,conseguimos agir de formadescentralizada, o que permite queos pontos de atendimento sirvam deapoio às dez regionais da instituiçãoinstaladas no Rio Grande do Sul.Vitor Augusto Koch,presidente do Sebrae/RSInauguração Santa RosaAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 31


InovaçãoSebrae/RSestimula asideias inovadorasdas MPEsgaúchasNos últimos três anos é aInstituição que mais investiu eminovação tecnológica no Estado32Revista Tempo de Agir | Abril 2012Fotos: Carlos Pontalti


é uma das bandeiras doSebrae/RS para desenvolver asmicro e pequenas empresas do“AinovaçãoEstado. E com o Inova PequenaEmpresa RS estamos colocando em prática estecompromisso”. É assim que o presidente do ConselhoDeliberativo da entidade e da FCDL-RS, VitorAugusto Koch, define a iniciativa que colocou, nosúltimos três anos, mais de R$ 31 milhões em recursosnão reembolsáveis à disposição das MPEs. Destaforma, o Sebrae/RS se transformou na instituiçãoque mais investiu em inovação tecnológica no RioGrande do Sul nos últimos três anos. “Trata-se deuma grande oportunidade para que os pequenos negóciosdesenvolvam projetos inovadores, aumentando,assim, sua competitividade”, destaca.Lançado em 2009 pelo Sebrae/RS, em parceria com oMinistério da Ciência e Tecnologia, através da FINEP, ea FIERGS, o Inova Pequena Empresa RS é um edital desubvenção econômica que visa promover o desenvolvimentotecnológico das MPEs gaúchas, estimulando a atividadeinovadora através do compartilhamento de custoscom as empresas, diminuindo o risco tecnológico. Hoje,o programa tem contratados 106 projetos, selecionadosentre mais de 900 propostas apresentadas, demandandoum aporte de mais de R$ 31 milhões. “Os resultados alcançados,até agora, no Inova foram extremamente positivos,tanto em relação à qualidade dos projetos aprovados,quanto à diversidade de setores e regiões do Estadoabrangidas”, afirma o presidente Vitor Koch.Para o período compreendido entre 2012 a 2015, a entidadedeve empregar mais R$ 30 milhões em ações atravésdo programa Inova Pequena Empresa RS. De acordocom o presidente, as empresas que investem em processosde inovação ficam mais aptas a prospectar novosclientes e mercados e a crescer mais rapidamente.Estes recursos próprios podem serincrementados com parcerias queestamos viabilizando com agênciasde fomento à pesquisa, visandoinvestir em ações inovadoras nasmicro e pequenas empresas.Vitor Augusto Koch,presidente do Sebrae/RSResultados positivosDe acordo com o superintendente do Sebrae/RS, LéoHainzenreder, o Programa Inova Pequena EmpresaRS tem por objetivo selecionar propostas voltadasà pesquisa e desenvolvimento, desde a fase de pesquisaaté a comercialização pioneira. “Esse é mais umprograma do Sebrae/RS que dá suporte ao desenvolvimentotecnológico, o que é estratégico para o crescimentodas empresas, além de tornar o Rio Grandedo Sul um estado referência em inovação”, lembra.Para as empresas contempladas com os recursos, o financiamentorepresenta um salto de crescimento. Diogenesdo Santos, diretor da Quatro G Pesquisa & DesenvolvimentoLtda (Quatro G P&D), ressalta que osrecursos oriundos do Inova Pequena Empresa RS sãofundamentais no desenvolvimento do projeto de produçãode um lote da enzima Pfu recombinante para comercialização.“A idéia é viabilizar a produção da enzimatermo-resistente Pfu DNA Polimerase a menores custose acesso mais fácil para o mercado nacional”, diz.O projeto já se encontra nos últimos estágios de desenvolvimentoe já tem garantida a sua distribuiçãono país. A Pfu DNA polimerase, enzima encontradano organismo hipertermófilo Pyrococcusfuriosus, tem a menor taxa de erro conhecida na am-Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 33


plificação por PCR. Por essa razão, é usada nas aplicaçõesde PCR que exigem grande fidelidade. A enzimatem atividade exonucleásica de 3’-5’, o que lhe permitecorrigir erros introduzidos durante a polimerização.A Quatro G é uma empresa baseada na pesquisa e desenvolvimentode insumos biotecnológicos, tendo sua sedena TecnoPUC, em Porto Alegre. No campo da biotecnologia,a empresa atua em colaboração com o Centrode Pesquisa Molecular e Funcional da PUCRS (CPBMF-PUCRS) para o desenvolvimento de biofármacos recombinantes,assim como na busca de drogas sintéticaspara o tratamento de doenças humanas, vacinas paraa prevenção de agentes infecciosos e também na buscade novas ferramentas diagnósticas para identificação deagentes causadores de doenças.Foto: Maurício ConcattoFoto: Divulgação Foto: DivulgaçãoPré-SalCom o projeto de uma máquina inovadora para reparode dutos submarinos, a Arbra Engenharia Industrial,pretende desenvolver o equipamento para ser utilizadona extração de petróleo na camada pré-sal, denominadode Sicapt. A idéia, de acordo com o diretor executivoda Arbra, Leandro Vanz de Andrade “é substituir, comum equipamento mais avançado, tecnologias estrangeirasque atualmente são utilizadas neste processo”.A Arbra é uma empresa especializada no desenvolvimentode soluções integradas em engenharia mecânica e demateriais, voltada ao desenvolvimento e aplicação de novastecnologias para o setor de petróleo e gás. Incubadana Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFR-GS), ela aposta com muita força no Sicapt. “Ele é umsistema de cabo pré-tensionado responsável pela reparaçãopontual de dutos que compõem a rede de transportede fluido”, explica Vanz de Andrade. O Sicapt permiteum reparo que oferece uniformidade da região avariadasem necessidade de interrupção de operação.Outras empresas que atuam na área de petróleo e gástambém estão desenvolvendo os projetos que foramaprovadas e receberam recursos do Inova Pequena EmpresaRS. É o caso da Projeconsult, que está elaborandoum equipamento para remediação ambiental em situa-


Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgaçãoções de vazamentos de combustíveis derivados do petróleo.“O financiamento faz com que nós possamos desenvolvereste produto. Vamos dar um salto de crescimentocom essa ideia”, afirma o diretor Carlos Júlio Lautert.O diretor da Leuck Inteligência Hidropneumática, EstevãoLeuck, acredita que com o sistema portátil emergencialde união de mangueiras e conexões flexíveis, desenvolvidocom os recursos do projeto, a empresa iráquadruplicar seu faturamento em apenas um ano. “Fomosselecionados para obter os recursos porque recebemoscapacitação do Sebrae para busca de fomento. Comesse auxílio evitamos muitos erros e estávamos preparadospara a seleção”, afirma Leuck.NanotecnologiaPioneira na área de nanotecnologia em cosméticos, a InventivaIndústria e Inovação em Produtos Farmacêuticose Cosméticos está desenvolvendo nanopartículas lipofílicascontendo óleos vegetais provenientes do Rio Grandedo Sul para incorporação nos produtos da indústria dosetor.Candice Caroline Felippi, responsável pelo projeto, salientaque “devido a uma série de vantagens tecnológicase de aumento da eficácia, quando comparadas a uma formulaçãoconvencional, as nanopartículas lipofílicas estãose tornando fundamentais para uma maior permeaçãodos ativos cosméticos nas camadas mais profundas dapele e por isso ganham cada vez mais espaço no mercadocosmético mundial, com o lançamento frequente denovos produtos a cada ano”.Por isso, entende ela, o apoio recebido do Inova PequenaEmpresa RS é fundamental para que a Inventiva possacrescer, e, ao mesmo tempo, ofertar um produto dequalidade ao setor cosmético. “Nossos insumos são produzidossomente com matérias-primas biodegradáveis ebiocompatíveis, além de utilizar preferencialmente materiaisnacionais e renováveis como diversos óleos vegetais”,diz.A Inventiva é uma empresa inovadora, especializada nodesenvolvimento e produção de insumos nanotecnológicospara a indústria cosmética, transferindo tecnologiae fornecendo produtos personalizados adaptados às necessidadesde cada cliente. Além disso, presta consultoriana área cosmética, farmacêutica e de alimentos. Sua expertiseestá no desenvolvimento de produtos inovadorese diferenciados.Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 35


CouromodaMPEs gaúchasatingiram R$ 15,6milhões em negóciosna Couromoda 2012Fotos: Divulgação Sebrae/RSAs 51 micro e pequenas empresas gaúchasdo setor calçadista que estiveram expondoseus produtos no Estande Coletivo doRio Grande do Sul na Couromoda 2012terminaram sua participação no evento fechandonegócios que atingiram a casa dos R$ 15,6 milhões.Foram comercializados 520 mil pares, num acréscimode 13% em relação a 2011, quando o total chegoua 462 mil pares.“Foi mais uma demonstração da força dos pequenos negóciosno setor coureiro-calçadista do nosso Estado. Ascoleções com alto valor agregado, design atraente, qualidadee preços competitivos despertaram a atenção doslojistas do Brasil e do exterior e foram determinantesneste excelente resultado”, avalia o superintendente doSebrae/RS, Léo Hainzenreder. Na feira ainda se realizaram8.507 contatos com compradores, fechados 1.727negócios e encaminhados outros 1.678.36Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Fotos: Divulgação Sebrae/RSO superintendente, que juntamente com o diretor técnicoMarco Kappel Ribeiro, esteve na Couromoda,conversou com os expositores do Estande Coletivo RS.Ele ouviu de todos a enorme satisfação pelo volumede negócios realizados e a importância de integraremo projeto colocado em prática pelo Sebrae/RS, ACIde Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha(ACI-NH/CB/EV), e governo do Estado, por meio daSDPI/RS.Os expositores elogiaram o estande, ressaltando seulayout, a localização e a visibilidade oferecida aos compradores.“Para muitas empresas, as vendas já garantiramum volume de produção correspondente a até trêsmeses. Se a empresa teve logística, qualidade no produto,um bom preço e acertou na coleção, os negóciosaconteceram”, acrescenta Léo Hainzenreder.O estande coletivo do Rio Grande do Sul na Couromoda2012 teve 1.064 m² e se localizou na Avenida Um 13-33.Empresas Gaúchasna Couromoda 2012As 51 empresas calçadistas que estiveram nacapital paulista foram: Ana Flex, Ana VitóriaFashion, Anna Oliveira, Andelu, Art Kouru’s, AtelierMadri, Aurum, Belmon Brasil, Bolsas Delucci, CalçadosDubai, Camilly Calçados, Compassos, Darelle,Dellay, Dequamel, Dimarly’s, Eléia, Emme, Estilomix,Expopelly, Fiero, Flor Brasil, Glauber Bassanesi, GoldMan / Izara, Guedes, Icone,Impeccabile, Laroma,Lluvas, Longarela, Maxxine, MC Brasil, Mila eGabi, Paraonda Calçados, Peace, Pelli Brasil, PitolleCalçados, Ponto a Ponto, Primma Bags, PSCO,Rimini, Scalcon Calçados, Studio Atlantis, Taperapuã,Tizian, Tricouro, Vanessa Neves, Viavivi,Virgula Zero, WW Designer e Zanni Barcelos.Tendências que vão fazera cabeça das brasileirasNa Couromoda 2012, os calçados femininos estiveram,mais uma vez, em alta. Foi possível ver um variado númerode composições, utilizando materiais como camurça, softpelle, verniz, pelos de animais e couros naturais. Eles, secombinando, dão um design atraente e colorido para calçados,bolsas e acessórios, privilegiando as formas.Outra aposta para a coleção de inverno 2012 é a utilizaçãodo handmade, com fios de couro com quatro milímetrosde espessura sendo aplicados manualmente em sapatos ebotas. Eles oferecem sofisticação, exclusividade e modernidadeàs coleções.As cores e tonalidades são muitas para o inverno 2012, variandodos tons terrosos, invernais e metalizados até chegaraos coloridos, que privilegiam o avermelhado, o rose, oazulado e o marinho. Os saltos seguem em alta. Com váriostamanhos e formatos, são presença constante nas vitrinasde inverno. Mesmo na estação mais fria, calçados que valorizeme mostrem partes dos pés serão utilizados, criandoum apelo sexy. Calçados que deixem aparente o peito do péou os dedos estarão em alta.No segmento de moda urbana, os modelos apresentados nafeira se basearam no que se vê nas ruas das grandes cidadesdo mundo, como botinhas esportivas. Elas devem fazer acabeça das brasileiras neste inverno, por valorizarem o espíritoaventureiro, aliando conforto e rusticidade.Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 37


ExpodiretoFotos: Alexandre FreitasMPEs prospectaramR$ 12,9 milhõesem transaçõescomerciais naExpodireto 201238Revista Tempo de Agir | Abril 2012


As micro e pequenas empresasapoiadas pelo Sebrae/RS na ExpodiretoCotrijal 2012, em Não-Me-Toque, uma das maiores feirasde agronegócio da América Latina,terminaram o evento com umsaldo muito positivo, prospectandoR$ 12,9 milhões em transaçõescomerciais. Apoiando 31 microe pequenas empresas que expuseramseus produtos no estandecoletivo do setor metalmecânicoviabilizado pela entidade, e, ainda,com a promoção de rodadas de negóciosnacional e internacional, oSebrae/RS contribuiu para que essesempreendimentos atingissemesse resultado bastante expressivo.A rodada de negócio internacional,que ocorreu nos dias 6, 7 e 8 de marçogerou a possibilidade de transaçõescomerciais em torno de R$ 5,9milhões, mobilizando 24 empresascompradoras do Chile, Colômbia,Uruguai, Bolívia, Perú, África do Sul eEgito, entre outros países, e 80 MPEsvendedoras. A ação foi fruto da parceriaentre o Sebrae/RS, o Sindicatode Máquinas Agrícolas do Estado (Simers),a Federação das Indústrias doEstado (Fiergs) e a Cotrijal.Para o superintendente do Sebrae/RS, Léo Hainzenreder, foi mais umademonstração do caráter internacionalque a Expodireto Cotrijal assumea cada ano que passa. ‘A feira é fundamentalpara o empresário que buscanovos mercados, produtos e tecnologia’,assinala.A rodada de negócios nacional, realizadanos dias 7 e 8, reuniu oito empresascompradoras do País e 80 MPEsvendedoras. Ela encerrou com a possibilidadede fechar negócios na casa doR$ 1,7 milhão.Bons negócios no estandemetalmecânicoNo estande coletivo metalmecânicoviabilizado pelo Sebrae/RS, as 31 microe pequenas empresas expositorastambém tiveram motivos para celebrar.Elas concretizaram vendas na casa doR$ 1,2 milhão, e, ainda tem a projeçãofutura de gerar outros R$ 4,1 milhõesem negócios.A novidade deste ano do Sebrae/RS naExpodireto ficou por conta do estandeexclusivo para o setor do agronegócio,onde foram apresentadas as soluçõesoferecidas pela instituição aos empreendedoresagropecuários. “Foi umainovação que a entidade colocou emprática este ano na feira, buscando levardiretamente aos produtores ruraisas soluções que o Sebrae/RS oferecepara o desenvolvimento dos pequenosnegócios agrícolas e pastoris”, salientao superintendente Léo Hainzenreder.A realização deatendimentos para maisde 100 produtores rurais,que foram focados nabusca destas soluções ea constante visitação doestande por outrosinteressados em sabercomo acessar o Sebrae/RS, demonstra o acertodesta ação.Léo Hainzenreder,superintendente do Sebrae/RSAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 39


Negócio a NegócioSebrae/RS renovaparceria comas universidadesexecutoras do projetoNegócio a NegócioMeta para este ano é atender 48.463 milmicroempresas gaúchas e chegar a áreas commenores índices de Desenvolvimento HumanoOSebrae/RS renovou no mês de marçoconvênio com as 12 instituiçõesde ensino superior parceiras na execuçãodo projeto Negócio a Negóciono Rio Grande do Sul. As assinaturasdos contratos ocorreram na PUCRS com o presidentedo Conselho Deliberativo do Sebrae/RS, VitorAugusto Koch, o diretor Técnico do Sebrae/RS,Marco Kappel Ribeiro, o pró-reitor de extensão daPUCRS, professor doutor João Dornelles Júnior, odiretor da Faculdade de Administração, Contabilidadee Economia da PUCRS, professor doutor SérgioLuiz Lessa de Gusmão, bem como os representantesde cada universidade. O projeto é realizado há 2 anose consiste na orientação gratuita de microempresas edo Empreendedor Individual (EI) para a implementaçãode ferramentas básicas de gestão, através dosagentes de orientação empresarial, alunos de graduaçãoe pós-graduação treinados e capacitados nametodologia do projeto.Na ocasião, o presidente Vitor Koch destacou os resultadosdo projeto nos primeiros dois anos (2010/2011)quando 71 mil empresas foram contempladas com asações do Negócio a Negócio, o que representa 238 milatendimentos presenciais. “Cada estabelecimento queadere à iniciativa recebe três atendimentos, no primeiroano, que consistem em diagnóstico, sugestão de plano deação e acompanhamento e, por fim, avaliação. No anoseguinte, parte das empresas atendidas na primeira etaparecebem a revisita do agente de orientação empresarialpara a continuidade dos atendimentos”, explica o presidenteque, como empreendedor, também já foi orientadopelo Sebrae/RS. “Na época, recebi orientações e dicasque resultaram positivamente nas finanças da minha loja,especializada em móveis e eletrodomésticos”, relatou.Para 2012, o objetivo do Sebrae/RS e das universidadesé atender 48.463 mil empreendedores através do projeto,o que representa praticamente 50% da meta global deatendimentos da entidade para este ano. Aproveitandoa presença de todos os envolvidos na iniciativa, o presidentereforçou o pedido de empenho neste trabalho cujofoco é o empresário que apresenta carências de gestão eplanejamento.40Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Foto: DivulgaçãoTemos o compromisso de levaras soluções e serviços a cem mile duzentas micro e pequenasempresas gaúchas e faremos isso,em grande parte, pelas ações doNegócio a Negócio.Vitor Augusto Koch,presidente do Sebrae/RSNeste ano, o projeto dedicará força de atuação tambémem áreas que apresentam os menores índices de desenvolvimentohumano no Estado, localizadas nas regiõesSul e Noroeste. “Vai ser fundamental para o desenvolvimentodestes empreendedores, e por consequência, dascomunidades”, afirmou o diretor Técnico do Sebrae/RS,Marco Kappel Ribeiro. O dirigente comentou que esteformato, em parceria com as universidades, é realizadosomente no RS e tornou-se referência. “Hoje somos casenacional de sucesso e quando participamos de encontrosnacionais do projeto, nossos agentes de orientação empresarialtêm a oportunidade de discutir com consultoresexperientes, os quais realizam os atendimentos nosdemais estados”. O dirigente acrescentou que o Negócioa Negócio é também um canal muito forte de relacionamentocom os empreendedores gaúchos que ainda nãotiveram contato com a entidade. “Com qualidade iremosconquistá-los e convencê-los sobre a importânciade continuarem participando de outras capacitações doSebrae/RS”, concluiu Kappel.Entenda o projetoO Negócio a Negócio é uma iniciativa do Sebrae/RS eocorre em todo o Estado, em parceria com 12 universidadesgaúchas. Consiste na orientação gratuita das microempresascom faturamento bruto anual de até R$ 360mil e o Empreendedor Individual, para a implementaçãode ferramentas básicas de gestão. Cada empresa recebetrês visitas. A abordagem é realizada pelos Agentes deOrientação Empresarial (AOE), alunos de graduação epós-graduação treinados e capacitados na metodologiado projeto, vinculados às instituições de ensino superiorparceiras do Sebrae/RS.As universidades parceiras do Negócio a Negócio são:PUCRS (Região Metropolitana), Esade (Região Metropolitana),Urcamp (Região da Campanha), URI (RegiãoNorte), Unijuí (Região Noroeste), UCS (Região da SerraGaúcha), Faccat, Feevale (Região dos Vales do Sinos, Caíe Paranhana), Furg (Região Sul), UPF (Região Planalto),UFSM (Região Centro) e Univates (Região Vales do Taquarie do Rio Pardo).Abril 2012 | Revista Tempo de Agir 41


Sebrae na PraiaEMPREENDEDORISMOÀ BEIRA-MARPelo terceiro ano consecutivo,Sebrae na Praia levou auxílio em gestão paraos gaúchos no LitoralJá virou rotina no Rio Grande do Sul. Nos mesesde janeiro e fevereiro os gaúchos “fogem”das altas temperaturas das cidades em buscado ar fresco da praia. Em Capão da Canoa, no litoralNorte, por exemplo, a população multiplicano verão, passando dos normais 50 mil habitantespara mais de 350 mil, conforme dados da Prefeitura.Diante desse quadro e buscando ficar mais próximodo seu público-alvo, o Sebrae/RS, pelo terceiro anoconsecutivo, rumou ao litoral no começo de 2012 emontou pontos de atendimento simultâneos nas cincoprincipais praias da costa Sul e Norte do Estado:Torres, Capão da Canoa, Tramandaí, Laranjal (Pelotas)e Cassino (Rio Grande).Entre 02 de janeiro e 26 de fevereiro, o Sebrae naPraia disponibilizou atendimento individual, auxilioem gestão e cadastro como Empreendedor Individuais(EI). “O Sebrae/RS registrou 710 atendimentosnos 56 dias de ação nas praias. Esses números comprovamo interesse dos gaúchos em obter orientaçãoe capacitação para abrir ou melhorar o seu negóciomesmo durante os dias de descanso”, analisa o presidentedo Conselho Deliberativo do Sebrae/RS, VitorAugusto Koch. Além de atendimento e formalizações,os técnicos da entidade distribuíram folders ecartilhas sobre os produtos e os serviços que a entidadeoferece.Foto: Thiago Machado42Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Formalizado há pouco mais de doismeses como EI, o fotógrafo LucianoSantos, 36 anos, foi até o pontode atendimento do Sebrae/RS emCapão da Canoa em busca de auxílioem gestão. “Eu me formalizei sozinho,no Portal do Empreendedor,e até agora não tinha tido nenhumtipo de orientação sobre os direitose deveres do EI”, relata. Na opiniãodo fotógrafo, falta aos empresáriosde micro e pequenas empresas daregião o auxílio na gestão de negócios.“Aqui no litoral vê-se muitasempresas que abrem as portas noverão, mas não resistem aos mesesde inverno. Isso é falta de gestãoe planejamento”, analisa. O EI é apessoa que trabalha por conta própriae se legaliza como pequeno empresário.Morador de Capão da Canoa, oprestador de serviço na área daconstrução civil Artur Luiz Cezário,54 anos, aproveitou a presença doSebrae/RS no litoral para se formalizarcomo empreendedor individual.Ele explica que a necessidade deemitir notas fiscais para os clientese as garantias que a formalizaçãooferece, o levaram a procurar a entidade.“Com a formalização,poderei contratar um auxiliarpara me ajudar nasobras”, analisa Cezário, que projetaaumento de serviço nos próximosmeses do ano. “As pessoas esperamo verão terminar para fazeras reformas pendentes. No verão,sobrevivo com pequenostrabalhos econsertos”, explica.Marcelo Dipp deCarvalho procurou oSebrae/RS na praiado Laranjal em buscade informaçõessobre empreendedorismo,gestão e liderança.Ele pretendetornar-se sócio daFull Time, empresade um amigo, localizadaem Pelotas eespecializada em Marketing, Publicidadee Relações Públicas. “Emboraesteja trabalhando, sempre tive vontadede empreender e agora surgiuuma oportunidade. Resolvi aproveitar,mas acredito que, para dar certo,tenho que me preparar melhor paraeste novo desafio”, destaca. Formadoem Marketing e terminando outrafaculdade com foco em Administraçãode Empresas, Dipp de Carvalhosabe que precisa aperfeiçoar aspectoscomportamentais e sobre empreendedorismo.Segundo ele, é muitoarriscado investir em uma empresasem planejamento prévio.Barbara Heller, que atendeu MarceloDipp de Carvalho, sugeriu a realizaçãodo Plano de Negócios, paraverificar os aspectos financeiros doinvestimento que ele está pretendendofazer. “Ele tem que descobrir emquanto tempo terá o retorno do valorinvestido, divisão de lucro, percentualde participação na empresa, entreoutros detalhes que Carvalho, comofuturo empresário, precisa saber”,explica. Barbara também indicou arealização do Seminário Empretec,capacitação que auxilia a pessoa adescobrir se tem perfil comportamentalpara tocar um negócio, alémda Oficina Elaborando Um Plano deNegócio. Segundo Carvalho, ele jáparticipou do curso Atendimento aocliente.Foto: Laureano BittencourtFoto: Thiago MachadoAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 43


Estímulo às MPEsProjeto deFarroupilha é ogrande vencedordo PrêmioSebrae PrefeitoEmpreendedorFoto: João AlvesSeis municípios sãopremiados nas categoriasdestaque e vão concorrerem âmbito nacionalOMelhor Projeto Estadual da 7ª edição doPrêmio Sebrae Prefeito Empreendedor é deFarroupilha. Anunciado no dia 3 de abril,em Porto Alegre, o prêmio é um reconhecimento doSebrae/RS na identificação e valorização dos melhoresprojetos públicos com estímulo ao surgimento eao desenvolvimento das micro e pequenas empresasnos municípios brasileiros.“Há 40 anos, o município de Farroupilha decidiuse tornar um polo industrial. Hoje, com o apoio àsmicro empresas e as grandes companhias que temosna cidade, temos uma economia diversificada,e passamos de um orçamento de R$ 98 milhõespara 160 milhões projetados para 2012”, destacou oprefeito Ademir Baretta ao receber a distinção.Também foram divulgados os vencedores das seiscategorias de destaque temático. São eles:• Compras Públicas dos Pequenos Negócios LocaisMunicípio: Santana do Livramento• Formalização de Pequenos Negócios e Apoio aoEmpreendedor IndividualMunicípio: Porto Alegre• Lei Geral MunicipalMunicípio: Alegrete• Médios e Grandes MunicípiosMunicípio: Santa Maria44Revista Tempo de Agir | Abril 2012


• Crédito e CapitalizaçãoMunicípio: Osório• Promoção do Desenvolvimento RuralMunicípio: Caxias do SulO Melhor Projeto Estadual e os seis ganhadores das categoriasdestaques participarão da etapa nacional, queocorre no dia 15 de maio, em Brasília. Os vencedoresnacionais (destaques temáticos e cinco regionais) recebemcertificados, troféus e uma viagem internacionalpara conhecer experiências de sucesso relativas ao apoioàs micro e pequenas empresas.Na edição deste ano, foram finalistas os projetos apresentadospor 33 municípios gaúchos. Todos recebem oSelo de Prefeitura Empreendedora, incluindo o certificadode participação.Sobre o PrêmioO Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor é uma iniciativado Sebrae, realizada a cada dois anos. Ele consagrae reconhece os administradores municipais que tenhamelaborado e implantado projetos, com resultados mensuráveis,de estímulo ao surgimento e ao desenvolvimentode micro e pequenas empresas (MPEs) em suas cidades.Em 2010, o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor deMelhor Projeto Estadual foi concedido ao municípiode Balneário Pinhal, sendo recebido pelo prefeito JorgeLuis de Souza Fonseca.Conheça o Melhor Projeto Estadual:1º lugar: FarroupilhaConhecida por seus pontos turísticos, pela vitiviniculturae pela produção de kiwi, o município, na Serra Gaúcha,promoveu nos últimos anos diversas ações no sentidode desburocratizar o serviço público, como a emissão erenovação de alvarás sem nenhum custo.Com o mote “Do fundo de quintal para o Núcleo Industrial,a prefeitura construiu um parque industrial, oSanta Rita, onde 20 empresas de pequeno porte já estãoinstaladas. A aquisição de terrenos foi viabilizada por umpreço reduzido e os serviços de luz, água e esgoto sãosubsidiados pela prefeitura. Quase 300 micro e pequenasempresas foram beneficiadas com essa ação.A cidade de 63 641 habitantes conta com o Fundo RotativoNovo Amanhã, destinado à agricultura, que beneficiaprodutores rurais na obtenção do crédito.Implantada em 2009, a Declaração Municipal propicia cidadãosinteressados em abrir um negócio um documentoque prevê as condições de uso e ocupação de solo, bemcomo alvará sanitário, licença ambiental estudo de impactode vizinhança e viabilidade urbanística.Por fim, a regulamentação da Lei Geral Municipal e o implantaçãode um sistema eletrônico de declaração mensalde serviço fecham as ações que transformaram Farroupilhana grande vencedora do Prêmio Sebrae PrefeitoEmpreendedor.Além da possibilidade de mostrar otrabalho que é feito aqui e externá-lopara todo o Rio Grande do Sul e parao país, o prêmio também é uma formade estímulo para o gestor, porque agestão da coisa pública hoje sempreestá muito ligada aos fatos negativos.No momento em que o gestor públicotem a oportunidade de mostrar quepequenas ações também podem teruma visibilidade positiva, ele podemostrar que contribuiu de alguma forma.Prefeito Ademir BarettaFarroupilhaFoto: DivulgaçãoAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 45


No EstadoEM AÇÃOOs dirigentes do Sebrae/RS percorrem o Estado para fazercumprir o objetivo da instituição: promover a competitividadee o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar oempreendedorismo.No dia 1 de março, o presidenteVitor Augusto Koch representouo Sebrae/RS no evento “Marcasde Quem Decide”, promovidopelo Jornal do Comércio, emPorto Alegre. A iniciativa premiaentidades que se destacamperante a comunidade gaúcha.No dia 15/03, o presidente do Sebrae/RS, Vitor Augusto Koch e o presidenteNacional do Sebrae, Luiz Barretto,estiveram na sede do ExecutivoMunicipal de Porto Alegre, reunindosecom o prefeito José Fortunati. Napauta da agenda, temas como a LeiGeral das Micro e Pequenas Empresase o empreendedor Individual, além deações conjuntas visando a Copa doMundo de 2014.Em 14 de março o presidente VitorAugusto Koch, do Sebrae/RS e opresidente Luiz Barreto, do SebraeNacional foram recebidos peloGovernador Tarso Genro no PalácioPiratino.Representando o Sebrae/RS e aFCDL-RS, esteve no Palácio Piratini,no dia 22 de março, participando dareunião de lideranças do varejo e daindústria com o governador TarsoGenro. Além do presidente Koch,integraram o grupo o presidenteda Fecomércio, Zildo de Marchi,e representantes da Fiergs e daFederasul.No dia 28 de fevereiro, Vitor AugustoKock, presidente do ConselhoDeliberativo do Sebrae/RS,acompanhado do superintendenteLéo Hainzenreder e do diretor deAdministração e Finanças, MarceloRibas, prestigiou a criação oficial doComitê Municipal do EmpreendedorIndividual em Caxias do Sul.No dia 28 de fevereiro, Vitor AugustoKock, presidente do ConselhoDeliberativo do Sebrae/RS,acompanhado do superintendenteLéo Hainzenreder e do diretor deAdministração e Finanças, MarceloRibas, participou da solenidadede inauguração do Ponto deAtendimento em Floes da Cunha.46Revista Tempo de Agir | Abril 2012


Com o Sebrae, o seu negóciotem tudo para decolar.O Sebrae tem uma estrutura completa para estimular o seu espírito empreendedor, oferecendoorientação, cursos, palestras e workshops para quem quer abrir um negócio ou melhorar odesempenho da sua micro ou pequena empresa.Seja qual for o seu momento empresarial, conte sempre com o Sebrae.Central de Relacionamento Sebrae/RS: 0800 570 0800 | www.sebrae-rs.com.brSebrae RS (Oficial)@sebraersAbril 2012 | Revista Tempo de Agir 47


Soluções técnicascom o apoio de 80%para o desenvolvimentodo seu negócio.Conte com o Sebrae para contratarserviços especializados quecontribuem para o aumentoda competitividade da suaempresa ou propriedaderural e conquistemelhores resultadosno mercado.DESIGNINOVAÇÃOPRODUTIVIDADEQUALIDADESUSTENTABILIDADEMais informações pela Central deRelacionamento Sebrae/RS: 0800 570 0800www.sebrae-rs.com.br48Sebrae RS (Oficial)Revista Tempo de Agir | Abril 2012@sebraers

More magazines by this user
Similar magazines