Cantata Programa - Companhia Nacional de Bailado

cnb.pt

Cantata Programa - Companhia Nacional de Bailado

Digressão NacionalAbril a Julho 08Portimão, Auditório Municipal - 27 Abril 2008Almada, Teatro Municipal - 3 Maio 2008Guimarães, Centro Cultural Vila Flor - 8 Maio 2008Torres Novas, Teatro Virgínia - 10 Maio 2008Aveiro, Teatro Aveirense - 17 Maio 2008Açores, Teatro Micaelense - 31 Maio 2008Vila Real, Teatro Municipal - 6 Junho 2008Ílhavo, Centro Cultural - 10 Junho 2008Calheta, Casa das Mudas - 20 e 21 Junho 2008Guarda, Teatro Municipal - 28 Junho 2008Sintra, Centro Cultural Olga Cadaval - 4 e 5 Julho 2008Lagos, Centro Cultural - 11 e 12 Julho 2008Figueira da Foz, Centro de Artes e Espectáculos - 26 Julho 2008FRONT LINEHenri OguikeLento paraQuartetode CordasVasco WellenkampCANTATAMauro BigonzettiAbril 08Lisboa, Teatro Camões3,4,5,11,12 às 21:005,6 e 13 às 16:00pausaintervalo


Fundação EDP / Companhia Nacional de Bailado: uma parceria de referênciaNum tempo em que a sociedade eas suas organizações estão cada vezmais conscientes do mérito da iniciativae do valor da responsabilidadesocial, as políticas de desenvolvimentosustentável das grandes empresastornam-se decisivas para a afirmaçãode uma cidadania empresarialcontemporânea e para uma maiorligação à comunidade, em geral, e,em particular, aos seus clientes.Com a criação da sua Fundaçãoem 2005, a EDP assumiu um exigenteprojecto de intervenção, participaçãoe apoio nos campos artístico, cultural,social, científico e ambiental. Fê-lonuma perspectiva de criatividade,inovação e solidariedade, contribuindoempenhadamente para odesenvolvimento do país, o acesso àcultura e à educação, a qualificaçãodos portugueses. São quatro as suasgrandes áreas de actividade: Energia,Ambiente, Ciência e Tecnologia;Património, História e Museologia;Promoção Artística e Cultural; ProgramasSociais e de Saúde.Sedeada na antiga Central Tejo,em Belém, junto ao rio, onde estáinstalado o Museu da Electricidade-ex-libris da Fundação –, esse amplocampus é o lugar privilegiado parauma intervenção activa nestas áreas,visando constituir-se em pólo científicoe cultural de referência da cidadede Lisboa e do País.Ao exercer uma prática mecenáticaconsequente, a Fundação EDPcontribui para garantir a sustentabilidadede múltiplos projectos, nomeadamentenos domínios da Dança,da Música, das Artes Plásticas, doTeatro, da Literatura, quer revelandonovos valores, quer divulgando, comuma preocupação descentralizadora,autores, intérpretes e obras.Como mecenas exclusivo daCompanhia Nacional de Bailado edo Teatro Camões, a Fundação EDPorgulha-se de apoiar a mais importanteinstituição portuguesa dedança e um palco que acolhe muitosespectáculos e artistas, tornando-seuma referência nesta área, atravésda criação de novos públicos e deestímulo a novos projectos.O Museu da Electricidade, repositóriode um património históricoe tecnológico único, é também umlugar de conhecimento do presente ede debate do futuro. Assume-se aindacomo edifício classificado de valorarquitectónico ímpar e espaço decaracterísticas originais para a criaçãoe representação artísticas. A cooperaçãocom a Companhia Nacional deBailado, que prevê a apresentação noMuseu de produções pensadas paraesse espaço, consagra o espírito deparceria que a Fundação EDP querdesenvolver com todos aqueles queapoia.No ano em que a CNB comemorao seu 30º aniversário, a FundaçãoEDP associa-se a esta data de tãogrande relevo, saudando todos osque trabalham na instituição e desejandoque a sua actividade se renovee enriqueça. É sempre esta a melhorforma de celebrar o que se fez: olharo futuro com confiança na experiênciaadquirida e com ambição de fazermais.Fiel à sua vocação e aos grandesobjectivos que presidiram à suacriação, a Fundação EDP quer dar umcontributo activo para que sejamoscada vez mais um país moderno ecoeso, com cidadãos mais cultos,informados, responsáveis, solidáriose despertos para as grandes causasdo nosso tempo.


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200804FRONT LINECoreografia de Henri OguikeO coreógrafo galês Henri Oguikefoi um dos fundadores da RichardAlston Dance Company. Fiel às suasorigens, Oguike apresenta umaclareza do movimento e um apuradogosto musical, mas o seu estilo énormalmente considerado mais vivaz,mais colorido e muitas vezes maisdivertido.Front Line estreou em Birmingham,pela British Dance Edition em 2002. Apeça, inspirada no Quarteto de Cordasnº 9, de Chostakovich, é agorainterpretada ao vivo pelo QuartetoVianna da Motta. Para este bailadoforam utilizados três dos cincoandamentos que compõem a obra:Allegretto, Adágio e Allegro.Na coreografia – frequentementeconsiderada como uma das mais representativasda sua carreira – Oguikecombina de maneira brilhante a aescrita do movimento com a música.O ritmo ‘ostinati’, a cadência derepetições de padrões sonoros queChostakovich utiliza em muitas dassuas composições, concede a pulsaçãoda própria sequência coreográfica.A peça do compositor soviéticoparece pois ser a escolha acertadapara Front Line. Os bailarinos acompanhama truculência musical comuma bateria de batidas dos pés, oraem concordância, ora em oposiçãoaos ritmos sonoros.Ao longo da peça, os estados deespírito alteram-se constantemente,os instrumentos soltam gritos agudoscomo animais e os bailarinosempreendem danças selvagens eritmadas. Os movimentos e as sonoridadesconfluem na construção deum ambiente, ora de uma densidadetelúrica, ora de uma leve delicadeza.O espectador reconhece súbitos eamplos abraços e vacilantes desmaios,saltos impetuosos e delicadosfrémitos.Formando uma linha frontal, osbailarinos interpelam cineticamente oauditório, criando assim um impactoassinalável a que ninguém pode ficarindiferente. Regularmente e de maneirainesperada caem de joelhos nochão, como se sucumbissem à violênciarítmica de uma guerra passada(talvez a Segunda Grande Guerraque Chostakovich tão bem conheceu),abatidos na linha da frente. Ouentão tais quedas são simplesmentemomentos de descompressão após ofrenesim dos movimentos.Front Line inscreve-se pois namais forte tradição da dança teatral,ao combinar as raízes populares dosmovimento dos corpos, o formalismoestético, uma impressiva dinâmicaemocional e uma ligação dialogantecom a estrutura da música.CANTATACoreografia de Mauro BigonzettiO italiano Mauro Bigonzetti estevedesde cedo ligado à companhiaAterballetto, primeiro como bailarinoe, desde 1997, como seu director ecoreógrafo principal. Trabalhou tambémcom diversas outras companhias,entre as quais o Ballet Gulbenkianpara o qual coreografou Cantata,em 2001. A Companhia Nacional deBailado, que tem apresentado obrasdeste coreógrafo, revisita agora apeça, pela mão de Carlos Prado,segundo a versão revista para o Aterballetto.Cantata é uma coreografia plenadas cores vibrantes típicas do Sul deItália, em que a dança e a música semisturam e interligam na exaltaçãode um tipo de beleza mediterrânica eselvagem. Bigonzetti define esta peçacomo uma homenagem à cultura e àmúsica tradicionais de Itália, um trabalhopopular no sentido mais nobredo termo.Na génese de Cantata está acolaboração com o grupo de músicatradicional “Gruppo Musicale Assurd”,que interpreta canções italianasdos séculos XVIII e XIX, desdeas melodias de embalar à pizzica deSalento e às serenatas napolitanas.As melodias são belíssimas e os cantoresexcelentes intérpretes.A relação entre homens e mulheresconstitui o tema principal dapeça. O amor, a raiva, o ciúme e asquerelas por vezes violentas sãoapresentados como representaçõesde um intenso ambiente emocional.Algumas das sequências coreográficasmostram os movimentos rudesdos homens; assim é quando carregamviolentamente as bailarinaspara o centro do palco. Mas este éapenas um dos aspectos da sequênciadramática e as mulheres reagembatendo as palmas, num gesto quefaz adivinhar sarilhos para os agressores.Numa passagem divertida,duas delas ridicularizam os homenspelo seu mau cheiro. Na estruturacoreográfica, torna-se esta um pontode viragem. Música e coreografiaacertam entre si e a batalha entresexos transforma-se numa agradávelsequência de dança.Mais do que uma representação deagressões entre homens e mulherese de uma certa representação sexista,Cantata pode ser apreciada comoa encenação de uma afectividadede exteriores tão própria da Europamediterrânica. A estrutura coreográficaapresenta uma atraente envolvência,que não deixa indiferenteos espectadores.Em Cantata, os bailarinos cantam,falam em diferentes línguas e dançamsequências frenéticas, sublinhadaspor antigas canções como a pizzicade Salento, cantiga e dança de efeitoscatárticos similar à tarantela. O resultadoé uma festa para o auditório,uma celebração que alcança o pontomais alto nos últimos minutos. Enfim,uma coreografia de forte cromatismotransportada pelas melodias apaixonadasde Itália.Daniel Tércio


FRONT LINEEstreia Mundial, Birmingham, British Dance Edition, 31 de Janeiro 2002Estreia na CNB, 3 de Abril de 2008coreografiaremontagem coreográficamúsicadesenho de luzfigurinosinterpretação musicalensaiadoresHENRI OGUIKENUNO SILVADMITRI CHOSTAKOVICH, Quartetode Cordas nº 9 EB major op.117GUY HOARELILIANA MENDONÇAQUARTETO VIANNA DA MOTTAJUNKO HIKASAISABEL FERNANDESALISTAR MAINFront Line, de Henri Oguike, foiinspirado no Quarteto de Cordasnº 9, de Chostakovich. Para estebailado foram utilizados três doscinco andamentos que compõemesta peça: o Allegretto, o Adagio e oAllegro.Os estados de espírito alteram-seconstantemente, os instrumentossoltam gritos agudos como animaise empreendem danças selvagens eritmadas. Por todo o lado se faz sentira ira seguida de indiferença.Oguike cria esta estupenda peça compinceladas densas e leves. Enormespés barulhentos alternam combreves salpicos de pulso: há súbitose amplos abraços e vacilantes desmaios,saltos impetuosos e delicadosarrepios.Dancing TimesTal como a música, esta coreografiaexpressa emoção, sem cair nosentimentalismo. Há um sentido deluta e de um espírito vivo. Periódicae inesperadamente os bailarinossucumbem em grupo, no chão.Abatidos na linha da frente? Derrotadospelas suas vicissitudes? Ouem termos de puro movimento, ocompleto desprendimento relativamentea anteriores situações frenéticase de tensão.Lynsey Winship


Henri Oguike coreografiaFRONT LINE LENTO...CANTATA 200808Nasceu no País de Gales e estudoumúsica, expressão dramática e dançano Colégio Swansea. Posteriormentefrequentou a Escola de Dança Contemporâneade Londres.Em 1994 foi membro fundador daCompanhia de Dança Richard Alston,onde dançou até 1998.Em 1999 formou a Companhia deDança Henri Oguike cujo impactose fez sentir de imediato, tendo sidogalardoada com o prémio Time OutLive Award como “A Mais RelevanteCompanhia Emergente” em 2001.Oguike é um apaixonado da relaçãoentre a música ao vivo e a dança. Nassuas criações utiliza frequentementemúsica e compositores de diversosestilos musicais, desde o barroco aocontemporâneo – nos seus trabalhosrecentes realçam as composições deHandel, Vivaldi, Steve Martland e IainBallamy. Em 2005 uma comissão doFestival Bury St Edmunds e DanceEastderam origem a uma célebrecolaboração com a Britten Sinfonia,cuja criação daí resultante estreouna Catedral de St Edmundsbury, noReino Unido.Para além de coreógrafo marcantena sua própria Companhia, Oguikefoi convidado a criar para o PhoenixDance Theatre, Festival de Dança daHolanda, South Bank Centre, TransitionsDance Company, CompanhiaPortuguesa de Bailado Contemporâneoe National Youth Dance Wales,no qual é Director Artístico há quatroanos.Henri Oguike leccionou, dançoue coreografou extensivamente noReino Unido e noutros países comoIsrael, Mónaco, Holanda, Alemanha,Nuno Silva remontagem coreográficaDançou na Companhia de HenriOguike (HODC) até 2007 onde foiBailarino e Assistente do DirectorArtístico.Hoje em dia é freelancer nas áreasda Dança, Canto e Teatro.Terminou com distinção os seuscursos de Teatro (Escola Superior deTeatro e Cinema em Lisboa) e Dança(London Studio Centre).Na área da dança trabalhou comRafael Bonachella, Akram Khan, DarshanSingh Bhuller e Kerry Nichollsentre outros.Para o Teatro trabalhou com JoãoBrites, João Mota, Fernanda Lapa eGlória de Matos.Do seu trabalho coreográficodestaca O Ritmo das Estações commúsica de Vivaldi, As Quatro Estaçõescom a colaboração de 150bailarinos e da Orquestra do Algarve,In C com música de Terry Riley, a Cerimóniade Encerramento do II FestivalInternacional de Percussão emFaro, M´Água no Teatro das Figuras.Lecciona dança regularmente aestudantes e profissionais no TheFrança, Portugal e China. Oguikee a sua Companhia têm sido alvode diversas distinções, tais como anomeação para “Notável Reportório”atribuído pelo Círculo de Críticosdo National Dance Awards e maisrecentemente o Aoc Gold Award forFurther Education Alumni em reconhecimentopelas realizações obtidasao longo da sua carreira.Place, Greenwich Dance Agency,London Studio Centre em Londrese em vários estúdios de escolas emPortugal.Nuno Silva repõe o bailado FrontLine pela primeira vez na CompanhiaNacional de Bailado.Dmitri Chostakovich músicaAos nove anos começou os seusestudos de piano com sua mãe, intérpreteoficial deste instrumento. Em1919 ingressa no Conservatório deSão Petersburgo, onde estuda pianocom Leonid Nikolayev e composiçãocom Maximilian Steinberg. Os estudosde piano prolongaram-se até1923 e os de composição até 1925.Em 1926, a sua Sinfonia nº1, peça deformatura da classe de composição,é bem recebida. Recebeu mençãohonorífica em piano no prestigiadoConcurso Chopin de Varsóvia, naedição de 1927. Escreveu bandassonoras para filmes e chegou a trabalharno teatro com Meyerhold.Recebeu várias distinções, em 1954a de Artista do Povo da URSS e deMembro Honorário da Real AcademiaSueca de Composição; em 1956 aMedalha da Ordem de Lenine, alémdo Prémio Lenine de Composiçãoem 1958 e 1966; ainda em 1958o título de Dr. Honoris Causa pelaUniversidade de Oxford e o mesmotítulo honorífico pela Universidade deDublin em 1968. Em 1966 obteve amedalha de ouro da Real SociedadeFilarmónica de Londres. Em 1948viajou para os Estados Unidos comodelegado soviético na ConferênciaMundial da Paz e pôde observar osucesso que as suas obras tinham noexterior, principalmente a sua Sinfonian. 5.A sua música costuma ser bastanteenvolvente, com forte uso de temasmilitares, comuns à época em queviveu (regime Comunista, SegundaGuerra Mundial, entre outros). Alémdisso, ao compor quinze sinfonias, foium dos maiores sinfonistas do séculoXX. Escreveu ainda uma suíte paraorquestra de jazz, dois concertos parapiano e orquestra, concertos paraviolino e violoncelo e diversos quartetosde cordas, além de duas óperase outras obras para piano a solo.Dmitri Chostakovitch (1906 — 1975) considerado o maishumano dos compositores do século XX. Misto de rebeldia e demusicista oficial, lutou pela independência da criação artísticaaté o fim de sua vida.Quarteto Vianna da Mottainterpretação musicalAntónio Figueiredo 1º violinoRodrigo Gomes 2º violinoHugo Diogo violaIrene Lima violoncelo2008 FRONT LINE LENTO...CANTATA09


Liliana Mendonça figurinosFRONT LINE LENTO...CANTATA 200810Natural do Estoril, formou-se comobailarina na Escola de Dança do ConservatórioNacional de Lisboa.Posteriormente, ingressou na EscolaSuperior de Dança onde conclui osestudos no Ramo de Espectáculo.A partir de 1998 integra o elenco daCompanhia Portuguesa de BailadoContemporâneo, onde dançacoreografias de: Gagik Ismalian, RitaJudas, Nathaly Bar, Nils Christe,Henri Oguike, Darshan Singh Buhll,Rui Lopes Graça, Barbara Griggi etodo o repertório coreográfico deVasco Wallenkamp para a CPBC.Em 1999 faz a sua primeira criaçãode figurinos para a coreografia – TempoSuspenso de Vasco Wallenkamp.No ano 2000 cria os figurinos paraduas estreias mundiais Seen of Angelsdos coreógrafos Henry Oguikee Vozes de Criança de Vasco Wallenkamp.Em 2001 desenha os figurinos paraas seguintes coreografias; Sinfoniade Requiem, Preludio à Sesta deum Fauno e Labirinto de Vasco Wallenkamp.Of Death and Stillness deHenri Oguike, Cidades Invisíveis deJean Paul Bucchieri, Arena de RuiLopes Graça, Imaginário de SofiaSilva, Zin de Nils Christe, Caprichode Tíndaro Silvano; Cenas Infantis eAzul de Rita Judas .Em 2002 criou figurinos para osseguintes trabalhos; Devaneios Flutuantesde Ana Rita Barata e Trio LuisaAmaro, Duo Apassionato de VascoWallenkamp, Source de DarshanSingh Bhull , Misterioso de VascoWallenkamp e D.Quixote (extractos)para a Escola de Dança do ConservatórioNacional.Em 2003 cria os figurinos dascoreografias: Missa e A Lua vai noCéu com um Menino pela mão deVasco Wallenkamp; High Octane deDavid Fielding e Honori Perpatimattade Rita Judas. Neste mesmo anocolaborou ainda como figurinista noprojecto; Um Corpo que Dança deSofia Silva.Em 2004 desenha os figurinos dacoreografia Amar Amália de VascoWallenkamp, para a CPBC.No ano de 2005 é convidadapara criar os figurinos do bailadoGestos de Filigrana de Vasco Wallenkamppara a Companhia Nacionalde Bailado. Ainda no mesmo anopara a CPBC cria os figurinos paraos trabalhos Dois Tempos de VascoWellenkamp e Família Tavares de JanLinkens.Em 2006 criou os figurinos dosbailados, Do Outro Lado de Rui LopesGraça e Eurídice e o Instante deVasco Wallenkamp.Em 2007 desenha os figurinos dobailado Sete Sonhos de Pássaros deVasco wallenkamp para a CPBC comestreia em Nova Iorque.Guy Hoare desenho de luzGuy Hoare foi autor dos desenhosde luz para as coreografias de HenriOguike desde o início da sua Companhia,em 1999. Os seus últimostrabalhos para aquela Companhia incluemLittle Red, Green in Blue, TigerDancing, Expression Lines, SecondSignal e Front Line.Guy concebeu igualmente desenhosde luz para outros criadores dedança, como Mark Bruce, ShobanaJeyasingh, Ben Wright, The SnagProject, e Igloo.Trabalhos mais recentes da suaautoria incluem My Fair Lady em Singapura,City of Angels em Frankfurt,O Anel dos Nibelungos de Wagner,para o Festival de Ópera de Longborough,e Tosca, Cosi Fan Tutte, TheMerry Widow e Simon Boccanegraem Londres.Inclui ainda no seu currículo aconcepção de luzes para Assassinsem Sheffield, Season’s Greetings emLiverpool, How Many Miles to Basra?em West Yorkshire, Of Mice And Menem Colchester, A Streetcar NamedDesire no Teatro Clwyd, e efectuoudigressões pelo Reino Unido com OldTimes, Closer e The Caretaker.2008 FRONT LINE LENTO...CANTATA11


coreografiamúsicadesenho de LuzfigurinoscenárioensaiadoraVASCO WELLENKAMPANTON WEBERNMovimento lento para quarteto de cordasVasco Wellenkampe Cristina PiedadeLiliana MendonçaRicardo VazMARIA PALMEIRIMLentoparaQuartetode CordasEstreia absoluta, CNB, 3 de Abril de 2008O registo Lírico da Langsamer Satzfür Streichquartett (movimento lentopara quarteto de cordas) de AntonWebern e as emoções que nos transmitiu,a mim e aos bailarinos PeggyKonic e Rui Alexandre conduziu-nosna totalidade do acto criativo.Viver fisicamente a música podeser a mais sublime das emoções.Foi o que procuramos movendo--nos dentro do seu canto e das imagensque a Dança nos ofereceu.VascoWellenkampcoreografiabiografia vidé pag 262008 FRONT LINE LENTO...CANTATA13Lisboa, Março 2008Vasco Wellenkamp


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200814Anton Webern músicaNasceu em 1883 em Viena. Entre1902 e 1906 estudou Musicologia emViena. Em 1904 estudou Composiçãocom Arnold Schönberg, terminando oestudo regular em 1908, mas mantendo-seem contacto com o seu antigoprofessor e com Alban Berg.Enquanto intérprete iniciou-secomo maestro em Viena e, posteriormentea 1911, trabalhou frequentementena Alemanha e na Áustria.Depois de servir militarmente naPrimeira Guerra como voluntário,integrou o agrupamento Verein fürMusikalische Privataufführungen fundadopor Schönberg. Em 1922 dirigiuos Concertos Sinfónicos para Trabalhadoresem Viena e, mais tarde,o Coro da Sociedade Coral paraTrabalhadores da mesma cidade.Depois de 1935, quando foi proibidode exercer quaisquer actividades,exilou-se em Mödling. Com o fimda Segunda Guerra mudou-se paraMittersill, a Oeste da Áustria, ondefoi acidentalmente morto por umsoldado americano a 15 de Setembrode 1945.Webern é justamente consideradoum clássico da música do século XX.A profunda originalidade da sua arte,a grande resolução com que termi-nava cada uma das novas obras deuum forte impulso à música do nossotempo. O seu génio é reconhecidoaté pelos detractores do dodecafonismo.Stravinski, numa fase final,por exemplo, estava preparado paraaceitar Webern e a ele devemos acélebre frase «Condenado a um fracassototal por um mundo surdo deignorância e indiferença ele (Webern)continuou a lapidar os seus diamantes,os seus diamantes brilhantes, decujas minas ele detinha o conhecimentomáximo.»Cristina Piedade desenho de luzNasceu em Lisboa, em 1967.Estudou iluminação em Portugal,Espanha e Estados Unidos. Leccionouem Portugal, Inglaterra e Finlândia.Directora técnica, programadora,operadora, colaboradora técnica edesenhadora de luz, de inúmeros espectáculose festivais, desde o teatroà dança, passando pela música, osquais foram apresentados em todaa Europa, Brasil, Estados Unidos, eAustrália.Desde 1988, que colaborou comos mais diversos coreógrafos e encenadores,entre os quais se destacam,Clara Andermatt, Vera Mantero,António Feio, José Laginha, JoãoFiadeiro, Sílvia Real, Sofia Neuphard,Rui Nunes, Madalena Vitorino, FionaWright, Howard Sonenklar, JessicaLevy, Joana Providência, João Fiadeiro,Margarida Bettencourt, NigelChernock, Miguel Pereira, Filipa Francisco,Paula Castro, Carlota Lagido,Teresa Prima, João Galante, PauloHenrique, Lúcia Sigalho, Rui LopesGraça, Paulo Ribeiro, Aldara Bizarro,Francisco Camacho, Olga Roriz, entreoutros.Das criações de luz para dança eteatro destacam-se: O Cansaço dosSantos de Clara Andermatt, O Sorrisoda Gioconda, Leonardo, PuroSangue/Mulheres e Realidade Realde Lúcia Sigalho, Encaramelado deAldara Bizarro, Um golpe de sortenuma mera crise não é suficiente,Babilónia de Teresa Prima/JoãoGalante, Espiões Agentes Duplos eoutros carácteres suspeitos de JoãoGalante, Carlota Lagido e Filipa Francisco,Ever Wanting de Paula Castro,Terra Plana e Minimally Invasive dePaulo Henrique, Primeiro nome, Le(baseado no desenho original deMiran Sustersic), D.São Sebastião,Gust, More, e À Força de FranciscoCamacho, e em co-criação, Apetite,Pop Corn de António Feio, Conversasda treta de António Feio e José PedroGomes, Ao Vivo e Comédia Off dePaulo Ribeiro, Jump-up-and-Kiss-me,Confidencial, O Amor ao canto do barvestido de negro e Pedro e Inês deOlga Roriz, entre outros.É actualmente Directora Técnica daCompanhia Nacional de Bailado2008 FRONT LINE LENTO...CANTATA15


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200816Liliana Mendonça figurinosbiografia vidé pag 10


CANTATAEstreia Mundial, Ballet Gulbenkian, 2001Estreia na CNB, 3 de Abril de 2008coreografiaremontagem coreográficaarranjo musicalfigurinosdesenho de luzensaiadoresMAURO BIGONZETTICARLOS PRADOGRUPPO MUSICALE ASSURDcanções tradicionais do sul de ItáliaHELENA MEDEIROSCARLO CERRIJUNKO HIKASAALISTAIR MAINA Companhia Nacional de Bailadoapresenta a versão revista por MauroBigonzetti para o Aterballetto, depoisda estreia mundial no Ballet Gulbenkian,em 2001.Cantata é uma coreografia plenadas cores vibrantes, típicas do Sulde Itália. Os gestos apaixonados eviscerais evocam um tipo de belezamediterrânica e selvagem. Umadança instintiva e vigorosa exploraas várias facetas da relação entrehomem e mulher: sedução, paixão,querelas, ciúme.Cantata rende homenagem àcultura e tradição musical italianas,uma criação popular, no sentido maiselevado do termo. Utiliza música italianados séculos XVIII e XIX, desdeas canções de embalar ao Salentinepizziche e às serenatas napolitanas.Neste bailado, criado a partir de umencontro inesperado com um grupode músicos de Nápoles e Puglia, adança e a música misturam-se einterligam-se.Mauro Bigonzetti(...) Fala do amor, Cantata , criadaao som de canções tradicionaisnapolitanas (interpretadas ao vivo),música que poderia ser origináriade uma qualquer aldeia do Portugalprofundo?Claro que sim. Fala do amor e dessepoder sobre as coisas, na cadeia dotempo, que faz ganhar volume nocorpo(...)In Notas Soltas03 de Março 2002Ana Marques Gastão2008 FRONT LINE LENTO...CANTATA19


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200820Mauro Bigonzetti coreografia Foi aluno do Curso intensivoNasceu em Roma e completoua sua formação como bailarino naÓpera de Roma, tendo ingressadodirectamente nessa Companhia.Na temporada 82-83, depois de 10anos de experiência na Ópera deRoma, juntou-se à companhia Aterballetto,sob a Direcção Artística deAmedeo Amodio, onde dançou todoo repertório. Durante este períodotrabalhou com vários coreógrafos,nomeadamente Alvin Ailey, GlenTetley, William Forsythe e JenniferMuller. Participou ainda em inúmerascoreografias de George Balanchine eLeonide Massine.Em 1990 criou a sua primeira obracoreográfica, Sei in Movimento, commúsica de Bach, que apresentou emestreia no Teatro Sociale em Grassina.Na temporada 92-93 Mauro Bigonzettideixou o Aterballetto e desenvolveutrabalho a nível internacionalcomo coreógrafo free-lancer paracompanhias como o English NationalBallet, o Ballet Nacional de Marselha,o Ballet de Estugarda, a Ópera deBerlim, a Ópera Estatal de Dresden,New York City Ballet e o Ballet Gulbenkian.Em 1997 foi nomeado DirectorArtístico e Coreógrafo Principal daCompanhia Aterballetto, sob a Direcçãode Federico Grilli, com quemcolaborou no sentido de construir umnovo repertório e uma nova companhia.As suas criações mais importantespara o Aterballetto são Songs, Persephassa,Furia Corporis, ComoediaCanti, Sogno, Cantata, Rossini Cards,Vespro, Les Noces, Psappha e WAM,apresentadas nos mais importantesteatros do mundo.Carlos Prado remontagem coreográficaministrado pela Academia de DançaContemporânea de Setúbal (ADC)de 1982 a 1984, tendo obtido a suagraduação em 1986.Veio a integrar a Companhia Nacionalde Bailado a convite de ArmandoJorge em 1984. Foi solista destacompanhia até 1990.Em 1990 é convidado por JorgeSalavisa a integrar o elenco do BalletGulbenkian, onde trabalhou sobrea sua direcção assim como sob adirecção de Iracity Cardoso e PauloRibeiro até 2005 na categoria deprimeiro bailarino.Desde 1990 a convite da direcçãoda ADC começou a ensinar nestaescola vocacional, onde se mantématé à data. Desde 2002 para alémda actividade docente, é tambémpresidente do conselho pedagógico efaz parte da direcção colegial da ADCSetúbal. Tem colaborado enquantocoreografo com diversos encenadores,dos quais destaca João Lourenço,Maria Emília Correia, FernandoHeitor e Fernando Gomes.Em 2007 concluiu a pós-graduaçãoem Educação pela Arte da UniversidadeModerna. Mantém ainda actividaderegular de professor convidadoem companhias de dança nacionaise estrangeiras das quais destaca BalletGulbenkian, Ballet de Lorraine e Aterballetto


Carlo Cerri desenho de luzNasceu em Roma, em 1957. Apósuma breve passagem pelo mundoda ópera, a partir de 1987 Carlo Ceriencetou a sua colaboração com ocoreógrafo romano Fabrizio Monteverde,criando os desenhos de luz detodo o seu reportório, e ainda como Ballet da Toscana, Maggio Danza,Teatro da Ópera de Roma e Arena deVerona.Entre 1989 e 1999 foi criadorresidente para a concepção dosdesenhos de luz do Ballet da Toscana,nomeadamente para as produçõescoreográficas de Fabrizio Monteverde,Mauro Bigonzetti, VirgilioSieni, Vasco Wellenkamp, Cesc Gelaberte Stephan Toss.Para além do Ballet da Toscana,Carlo Cerri colaborou com MauroBigonzetti nas suas criações parao English National Ballet, Teatro doCapitólio em Toulouse, Ballet deEstugarda, Ópera de Berlim, BalletEstatal de Ankara, Ballet Nacional deMarselha, Ballet Gulbenkian, TeatroNacional de Dresden, Aterballetto deReggio Emilia, Ballet de São Paulo,Semperoper Tallin na Estónia, LesGrands Ballets Canadiens.Carlo Cerri colaborou tambémcom Luciano Cannito para o Teatro S.Carlos de Nápoles, Bat-Dor Tel Aviv eSemperoper Tallin na Estónia.Desde 2001 que é o responsávelpelos desenhos de luz do Aterballetto.Helena de Medeiros figurinosHelena de Medeiros é natural doPorto, onde nasceu em 1954. EstudouDesenho de Moda, em Londres, e naEscola Superior de Artes e Design,em Matosinhos. Possui o curso dePsicologia da Faculdade de Psicologiado Porto. Concebeu colecções deModa – vestuário do quotidiano – edesenhou figurinos para a Compa-nhia Nacional de Bailado, a Companhiade Dança do Tejo, para o TeatroEnsemble, para o Balleteatro Companhiae para o filme Dupla Viagemde Teresa Garcia. Os figurinos dobailado Cantata de Mauro Bigonzetti,constituem a sua primeira colaboraçãocom o Ballet Gulbenkian.2008 FRONT LINE LENTO...CANTATA23


SERENATASERENATAé mezzanotte e cu sta bella lunanisciuno sape la ‘ntenziona miaa sape sulo chi s’addaffacciàa sape sulo chi vo bbene a meé meia-noite e com esta bela luaninguém sabe as minhas intençõessó saberá aquela que à janela se debruçarsó saberá aquela que me quer bemASSURD arranjo/interpretação musicalASSURD foi fundado em 1993 eé composto por Cristina Vetrone,Lorella Monti, Enza Prestia e EnzaPagliara.Desde cedo se torna reconhecidocomo entre os melhores intérpretesde música tradicional e popularitaliana. Na realidade esta música éo fruto de uma vivacidade típica domundo rural do Sul de Itália e dostrabalhadores dos velhos bairros dacidade de Nápoles: reúnem-se, tocam,cantam e festejam! O essencialestá representado no espirito carnaldestes cantos e desta música quetransportam naturalmente a gestualidadedo corpo, a dança.O grupo ASSURD tem participadoem numerosos festivais internacionaistais como o Festival Quasimodode Berlim, Festival de Goerlitz, os EncontrosInternacionais de Saint-Cartier,Les Nuits de Nacre di Limoges, LeFestival des Musiques et Danses duMonde di Ris-Orangis, Les Rencontresde Chants Polyphonique de Calviet Festivoce, o Festival Internacionalde Música Tradicional de Neuchatel,o Festival de Música do Mediterrâneoem Samos, o Festival do Sintonia diBologna, o Carnevale di Venezia e oFestival Internacional de Palau.Os membros do grupo têm colaboradotambém, e entre outros, com aNuova Compagnia di Canto Popolare,Daniele Sepe, Beppe Barra, GiovannaMarini, Nando Citarella, e o GruppoOperaio E. Zezi di Pomigliano d’Arco.Em 1991 ASSURD gravou o CD Cantata,a partir do qual Mauro Bigonzetticoreografou para o Ballet Gulbenkiano bailado com o mesmo título.nun t’affaccià si siente a voce mianun t’affaccià si siente a serenataio mo nun canto pe tè canto per n’ataca nun s’affaccià si t’affacci tuparole doce e ffronne de suspireè na catena e vase long assaiechis è l’ammore ca me ‘ncatenaiechist è l’ammore ca suspire e chiagnenun t’affaccià si siente a voce mianun t’affaccià si siente a serenatanão te debruces se ouvires a minha voznão te debruces se ouvires uma serenatanão canto para ti agora, mas canto para elaque não se debruçará à janela, se tu o fizerespalavras doces e plenas de suspirosuma cadeia de beijos, uma longa cadeiaeste é o amor que me tem cativoeste é o amor que suspira e choranão te debruces se ouvires a minha voznão te debruces se ouvires uma serenata


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200826Vasco Wellenkamp director artísticoVasco Wellenkamp iniciou os estudosde bailado em 1961 com Margaridade Abreu e Fernando Lima, noGrupo Verde Gaio. Em 1968, ingressouno Ballet Gulbenkian. De 1973a 1975 foi bolseiro do Ministério daEducação em Nova Iorque, na Escolade Dança Contemporânea de MarthaGraham, onde se formou em DançaModerna. Ainda em Nova Iorque,frequentou o curso de composiçãocoreográfica de Merce Cunninghame trabalhou com Valentina Pereyslavecno American Ballet Theatre.Em 1978, como bolseiro da FundaçãoGulbenkian, frequentou o curso paracoreógrafos e compositores da Universidadede Surrey em Inglaterra.De 1977 a 1996 desempenhou asfunções de coreógrafo residente, professorde Dança Moderna e ensaiadordo Ballet Gulbenkian. Em 1975foi nomeado professor de DançaModerna da Escola de Dança doConservatório Nacional e em 1983,professor coordenador da EscolaSuperior de Dança de Lisboa. VascoWellenkamp tem sido convidado porvárias companhias estrangeiras acriar novas obras coreográficas: noBrasil coreografou para o Ballet doTeatro Municipal de São Paulo, o Balletde Niterói, a CIA Cisne Negro e oBallet Guaíra, na Argentina coreografoupara o Ballet Contemporâneodo Teatro San Martin, na Inglaterra,para o Extemporary Dance Theater, oDance Theater Comune e a Compa-nhia Focus On, na Suiça para o Balletdu Grand Theatre de Gèneve, emItália para o Balleto di Toscana e naCroácia para a Companhia de Bailadodo Teatro de Zagreb, entre outras. EmJaneiro de 1999 criou a CompanhiaPortuguesa de Bailado Contemporâneoque dirigiu até Outubro de 2007,data em que assumiu a DirecçãoArtística da Companhia Nacional deBailado e do Teatro Camões. Foi nomeadoDirector Artístico do Festivalde Sintra em Setembro de 2003.Vasco Wellenkamp recebeu porduas vezes o Prémio de Imprensa(1974 e 1981). Foram-lhe aindaatribuídos os Prémios do SemanárioSete (1982), da Revista Nova Gente(1985 e 1987) e da Rádio Antena 1(1982). Em 1996, foi galardoado coma medalha de ouro e o prémio para omelhor coreógrafo, no II Concurso Internacionalde Dança do Japão, coma obra A Voz e a Paixão. Em 1994,a 10 de Junho, dia de Portugal deCamões e das Comunidades Portuguesas,foi condecorado com o graude Comendador da Ordem do InfanteD. Henrique, por sua Excelência oSenhor Presidente da República, Dr.Mário Soares.Cria em 2005 a sua primeiracoreografia para a Companhia Nacionalde Bailado e é seu DirectorArtístico desde Outubro de 2007.


Companhia Nacional de Bailadobailarinosbailarinos01 02 03 04 05 161718192006 07 08 09 10 2122232425solistascorifeusprincipais11 12 13 14 15 262728293001 INÊS AMARAL02 Adeline Charpentier03 Barbora Hruskova04 Ana Lacerda05 Filomena Pinto16 Solange Melo17 Paulina Santos18 Rui Lopes Graça19 Luís d’Albergaria20 Brent Williamson06 Peggy Konik07 Didier Chazeau08 Fernando Duarte09 Alexandre Fernandes10 Mário Franco21 Rui Alexandre22 Tomislav Petranovic23 Annabel Barnes24 Catarina Lourenço25 Maria João Pinto11 Carlos Pinillos12 Fátima Brito13 Filipa de Castro14 Isabel Galriça15 Mariana Paz26 Xavier Carmo27 Tom Colin28 Carlos Labiós*29 Armando Maciel30 Pedro Mascarenhas


ailarinosbailarinoscorpo de baile31 32 33 34 35 464748495036 37 38 39 40 515253545541 42 43 44 45 565758596031 Ana Campos36 Catarina Grilo41 Victoria Monge33 Isabel Frederico32 Marina Figueiredo42 Charmaine du Mont 43 Irina de Oliveira37 Charlotte Ingleson 38 Elsa Madeira35 Mónica García34 Clare Figgins44 Carla Pereira 45 Margarida Pimenta39 Helena Marques 40 Susana Matos46 Filipa Pinhão51 Marta Sobreira56 Angel Blanco47 Andreia Pinho52 África Sobrino57 Freek Damen48 Sílvia Santos53 Denise Rezende58 Nuno Fernandes49 Anabel Segura54 Alba Tapia*59 Frederico Gameiro50 Florência Siciliano55 Can Arslan60 Andrus Laur


ailarinos6162636465757677787966 67 68 69 8081828384estagiários75 Assistente do707172737470 Vera Alves 71 Ana Luísa Ferreira 72 Ágata Roque 73 Maria Santos 74 Ricardo Limão61 Filipe Macedo66 Alfonso Palencia62 Álvaro Santos67 João Carlos Petrucci63 Julien Schittenhelm68 Juan Torres64 Christian Schwarm69 Kelvin Au65 José Carlos OliveiraDirector ArtísticoJunko Hikasa80 EnsaiadoraKimberley RibeiroCoordenadoraArtística ExecutivaFilipa Rola76 Mestra de BailadoMaria José Branco81 EnsaiadorAlistair MainProfessores ConvidadosJan LinkensCarlos PradoPascale Mosselmans77 Mestra de BailadoMaria Palmeirim82 ProfessoraCristina MacielPianistas ConvidadosMercedes CabanachJoão Paulo Soares78 Mestre de BailadoJoão Miranda83 CoordenadoraMusicalAna Paula Ferreira79 EnsaiadoraIsabel Fernandes84 PianistaacompanhadorAlexey Shakitko


FRONT LINE LENTO...CANTATA 200834Conselho de Administração doOPART E.P.E.Presidente Pedro MoreiraVogal Carlos VargasVogal Henrique FerreiraDirecção de Espectáculos daCNBDirectora Margarida MendesCarla AlmeidaNatacha FernandesDirecção Técnica da CNBDirectora Cristina PiedadeDirecção de Cena:Henrique AndradeVanda FrançaMaquinaria:Alves ForteVítor OsórioSom:Bruno GonçalvesPaulo FernandesLuzes:Vítor JoséPedro MendesRicardo AlegriaGuarda-Roupa:Adelaide Marinho, Maria José PardalCostureiras:Carla Cruz, Alexandrina Conde,Antónia Costa, Paula Marinho,Conceição Miranda, Helena Freitas,Adelaide Pedro Paulo, Glória BentoOsteopata José Campos**Massoterapeuta Paulo PavãoDirectora de ProduçãoMaria Luísa CarlesCoordenador Técnico do TeatroCamões João Carlos AndradeDirecção de MarketingDirector Mário GasparBruno SilvaCristina de JesusJoão MendonçaLaura PintoMarco ArantesBilheteira:Luísa LourençoRita MartinsDirecção de Recursos HumanosDirectora Sofia DiasEgídio Heitor**Lurdes AlmeidaManuel AlvesMarisa LeitãoTeresa Serradas DuarteDirecção FinanceiraDirectora Sónia TeixeiraAlbano PaisAna Maria PeixeiroAntónio PinheiroFátima RamosJoão PereiraRui AmadoGabinete JuridicoCoordenadora Fernanda RodriguesJuliana Mimoso**Gabinete de Sistemas deInformaçãoCoordenador Pedro PenedoRui Martins**Gabinete de Gestão doPatrimónioJoão AlegriaManuel Carvalho* Licença sem vencimento** Colaborador


COORDENAÇÃO EDITORIALDirecção de MarketingDESIGNMalgorzata FürstFOTOGRAFIASRodrigo de SouzaCONTACTOSTeatro CamõesPasseio do NeptunoParque das Nações1990 -185 LisboaTel. 21 892 34 70WWW.CNB.PTTel. Bilheteira 21 892 34 77INFORMAÇÕES AO PÚBLICONão é permitida a entrada na salaenquanto o evento está a decorrer,salvo indicações dos assistentes.O programa pode ser alterado pormotivos imprevistos.È proibido fumar.Não é permitida a entrada de objectosque possam se consideradosperigosos, sendo também proibidotrazer máquinas fotográficas, dedeo, ou gravadores de som paradentro do recinto.Por favor, desligue o alarme do seurelógio, pager ou telemóvel antes doinício do espectáculo.TIRAGEM 1000 Ex.Preço de venda ao público 5,00 €


FRONT LINELento paraQuartetode CordasCANTATA

More magazines by this user
Similar magazines