Gincana Cultural: Patriotismo, Educação e Atividades Pedagógicas

santamaria.rs.gov.br

Gincana Cultural: Patriotismo, Educação e Atividades Pedagógicas

Cid LegalPrograma de Educação Fiscal - Prefeitura Municipal de Santa MariaSecretarias de Município da Educação e das Finanças - Câmara Municipal de VereadoresMaio e Junho 2010 / Informativo nº 18Gincana Cultural: Patriotismo,Educação e Atividades PedagógicasA Educação Fiscalcomo instrumento de cidadaniaé uma das temáticas da GincanaCultural na EMEF Júlio do Canto“A Educação é o único instrumento capaz de modificaro ser humano na sua forma de agir e depensar na construção de um mundo mais justo esocialmente equilibrado”, com esse tema que a EMEFJúlio do Canto realiza, desde o mês de junho, a GincanaCultural Social e Esportiva. As tarefas começarama ser desenvolvidas pelos estudantes desde o dia 9 dejunho, com a decoração da escola para a celebraçãoda Copa do Mundo da África do Sul.Segundo a diretora da escola, Ruth Terezinha Lopes,a gincana tem vários objetivos, entre eles, promover aunião entre os estudantes e a comunidade escolar, asolidariedade e o incentivo ao espírito esportivo. Diversasatividades comemorativas estão no cronogramade tarefas que serão realizadas até a finalização daGincana, no mês de agosto. Celebrações ao Dia doAmigo e Dia do Idoso estão entre os temas abordadospela escola.Durante o processo de concretização das atividades,como recolhimento de materiais recicláveis, busca depatrocínios para suprir as necessidades da gincana eo aprimoramento das relações interpessoais nas atividadescomemorativas, o educando desperta para oreconhecimento de valores e o exercício da cidadania.A Educação Fiscal é um dos principais temas relacionadoscom a Gincana. Vinculada ao Programa Municipalde Educação Fiscal (PMEF), desde 2004, a escolaincluiu o tema entre as tarefas. A elaboração de paródiase poesias possibilita aos alunos o contato com umvocabulário mais amplo além de instigar a criatividadena criação de letras que discutam temas como cidadania,meio ambiente e aplicação dos recursos públicos.O recolhimento de notas fiscais no decorrer da gincanafaz parte das tarefas que correspondem a EducaçãoFiscal. A arrecadação desses documentos possibilita aconscientização dos alunos, com relação à importânciade acompanhar a aplicação dos recursos públicos e oreconhecimento da questão tributária.4º Festival Cid Legal Canta e DançaTurma composta pelos líderes de cada equipe da GincanaNa manhã do dia 16 de junho, a EMEF Júlio do Cantorealizou a apresentação de paródias e poesias para aetapa interna da escola no 4º Festival Cid Legal Cantae Dança. Helaine Simon, Coordenadora Adjunta doPMEF, Neimar Iop, tutor do PMEF e Andressa Oliveira,disseminadora e assessora de imprensa do PMEF, auxiliaramna avaliação das músicas e poesias que tambémacumulavam pontos para a gincana.As professoras Lígia Fellipa e Inês Negrini integrarama comissão julgadora junto com os integrantes doPMEF.Inês declara os reflexos da gincana na melhoria darelação entre os alunos e o interesse dos mesmos, arespeito da realização das tarefas, “Eles sempre nosprocuram para dar sugestões e tirar dúvidas, a participaçãodeles é grande”.Veja a relação do restante das tarefas que serão desenvolvidasaté o mês de agosto:Arrecadação de obras literárias para serem doadas àbiblioteca da escola; coleta de garrafas PET que serãovendidas e o dinheiro será aplicado para a manutençãodas atividades da Gincana; construção de uma maquetepor equipe com o tema “Júlio do Canto, a escola dosmeus sonhos”.VEJA TAMBÉM NESTA EDIÇÃOPágina 2EducaçãoFiscalpelo MundoPágina 3Artigo MaxHaetingerNotícias doLegislativoPágina 4Agenda PMEFMicro EmpresaCAICLuizinho DeGrandiNO CADERNOESPAÇO-ESCOLAO TRABALHO DAS ESCOLAS:EMEF ZENIR AITAEMEF CHÁCARA DAS FLORESEMEF HYLDA VASCONCELLOS


EDITORIALBoas Novas em 2010O segundo semestre de 2010está repleto de atividades e propostaspara o desenvolvimentoda temática Educação Fiscal.Nesse sentido, iniciaremos pelaformação de mais um grupo dedisseminadores, através do cursooferecido pela Escola de AdministraçãoFazendária (ESAF). Estesnovos alunos se juntarão ao ProgramaMunicipal de EducaçãoFiscal (PMEF) na caminhada doprogresso e construção da cidadania.Outro desafio que teve iníciono último semestre e que permaneceráentre as ações realizadascom as escolas de Santa Mariasão os Encontros de FormaçãoContinuada, que auxiliam na aplicaçãoda Educação Fiscal nasdiversas disciplinas trabalhadasem sala de aula. Dessa forma, oseducadores encontram diversasmaneiras de incluir temas fundamentaiscomo cidadania, direitose deveres e carga tributária, napreparação das aulas que são desenvolvidaspara o educando.Neste ano, a inclusão da EducaçãoFiscal no Plano Nacionalde Educação foi aprovada emBrasília. Esse documento contemplaa Educação Fiscal, bem comopropõe a redução das desigualdadese exercício da cidadania.Prioriza também que os temasque a envolvem passem a comporo currículo de formação dos profissionaisda área da educação.Além disso, busca a redução dasdesigualdades sociais, através daabordagem dos temas como controlesocial e direitos e deveres.Assim, com essa nova realidadevoltada para a EducaçãoFiscal no país, caberá as escolasdesenvolver o tema de formainterdisciplinar de maneira quecada professor adapte este, aoseu conteúdo (Português, Matemática,História...). A equipe doPMEF está sempre preparadapara incluir novas ideias e novosprojetos para que os conteúdospossam ser ampliados para atingirum número maior de pessoasem prol da cidadania.Dessa forma, estamos agregandonovos amigos e intensificandoa relação com nossos parceirosnessa jornada, um deles éa Universidade Federal de SantaMaria. O Programa de EducaçãoFiscal está aos poucos sendo implantadonesse local expandindosua atuação para uma instituiçãoque é o exemplo da devidaaplicação dos recursos públicos.Aproveitamos para agradecer acompreensão e a recepção doprofessor e Reitor da UFSM, FelipeMüller que está agindo conoscono processo de inclusão doPrograma no meio acadêmico.Informativo Cid Legal nº 18Aconteceu21/05/10 – O PMEF participou do SimpósioNacional de Direito Tributário queocorreu de 20 a 21 de maio. O eventoreuniu debates tributários voltados paraa abordagem contábil e jurídica. Os participantesdo Simpósio puderam conferir amostra de Charges e Cartuns “EducaçãoFiscal na Linha da Cidadania” que foi expostano saguão do Hotel Itaimbé.24/05/10 – A EMEF Lourenço DallaCorte comemorou seus 60 anos commuita festa. A Coordenadora Adjunta doPMEF, Helaine Simon e a Disseminadora,Rozania Rosa prestigiaram a celebraçãode aniversário. A festa contou com aapresentação da Banda Marcial da 3ª DE.Os ex-alunos da escola, que participaramdo 3º Festival Cid Legal Canta e Dança,fizeram a apresentação da Paródia “MeuIPVA”, música criada por eles para a categoriaParódia.25/05/10 – O PMEF recebeu a visita deestudantes da EMEF Pão dos Pobres. Acoordenadora do Programa de EducaçãoFiscal, Rosaura Vargas, apresentou asdiversas atividades realizadas nas escolas.Os estudantes estavam atentos efizeram muitos questionamentos a respeitodo funcionamento do Programa. Logoapós, prestigiaram a mostra de Chargese Cartuns “Educação Fiscal na Linha daCidadania” que está exposta no saguãodo Centro Administrativo Municipal.25/05/10 – O Grupo de Educação Fiscal– GEF realizou uma reunião na qual,fizeram uma avaliação das atividadesdesenvolvidas em 2010. Na mesma ocasião,o grupo estabeleceu algumas açõespara serem desenvolvidas no segundosemestre do ano. O grupo é compostopor representantes da Receita Federal doBrasil, Secretaria da Fazenda Estadual,BRASILSerra - ESO Programa Municipal deEducação Fiscal do municípiode Serra no Espírito Santo atuadesde 2001 com uma estruturaprópria que reúne em sua equipe10 auditores fiscais, 15 professores,10 estagiários, 1 engenheirode informática e 5 servidores administrativoscom vínculos exclusivosno Programa de EducaçãoFiscal. Entre os materiais criadospelo Programa está a elaboraçãode cinco cartilhas, do 1º ao 9º anoque são aplicadas em sala de aulana rede de ensino de Serra.O Programa atende às faculdades,comunidades, comércio eindústria com palestras diversas,através da parceria com todasas secretarias, na qual desenvolvematividades conjuntas, com ostemas voltados para o Meio Ambiente,Turismo, DesenvolvimentoEconômico, entre outros.Além disso, a equipe do PMEFdesenvolve Teatros de fantoches,8ª Coordenadoria Regional de Educaçãoe Prefeitura Municipal de Santa Maria, representadapelo Programa Municipal deEducação Fiscal.26/05/10 – A Delegada Adjunta da ReceitaEstadual, Ivanice Schultz e a Coordenadorado PMEF, Rosaura Vargasministraram a palestra que envolveu otema Educação Fiscal, no VII SeminárioInternacional de Educação. Com o tema“Repensando a Escola numa Perspectivade Paz”, o evento foi uma realizaçãodo Movimento Brasileiro de EducadoresCristãos – MOBREC. Rosaura apresentoupara a platéia de professores o trabalhorealizado pelo PMEF em Santa Maria,desde 2002.27/05/10 – A escola CAIC Luizinho DeGrandi, recebeu a Coordenadora Adjuntado PMEF, Helaine Simon e a DisseminadoraRozania Rosa, para o 8º encontro,em um total de 15, que compõem o Projetode Empreendedorismo promovidopelo PMEF. O projeto possibilita que osestudantes possam conhecer na práticaa carga tributária cobrada dos Cidadãose como esse valor é administrado. O encontromarcou mais um dia de produçãodos biscoitos de polvilho da empresa“Rebolacha”.27/05/10 – A coordenadora do PMEF,Rosaura Vargas e a Delegada Adjunta daReceita Estadual, Ivanice Schultz, apresentaramas atividades desenvolvidaspelo PMEF para estudantes e professoresdo Curso de Ciências Contábeis daUniversidade Federal de Santa Maria.Entre os objetivos está o de atingir ainstituição, que reúne um grande númerode pessoas e se torna um ambiente idealpara a disseminação dos princípios daEducação Fiscal.28/05/10 – A coordenadora adjunta doPMEF, Helaine Simon, realizou uma OficinaPedagógica na EMEI Zulânia Salamoni.A oficina foi uma novidade para osprofessores da escola, pois esta passoua integrar o PMEF recentemente. A escolajá começou a organizar as suas atividadesrelacionadas à Educação Fiscal.Teatro Vivo, Bonecos Gigantese Jogos Educativos. O Programarealiza cursos à distânciadesenvolvidos pelo município,para crianças, alunos, professorese sociedade civil em gerale tem orçamento próprio, aplicadoem campanhas programadas(IPTU, Meio Ambiente,Material Didático).Para mais obter mais detalhes arespeito do Programa de EducaçãoFiscal desenvolvido no Espírito Santobasta acessar os sites: www.pmef.com.br ou www.serra.es.gov.br.02/06/10 – O XVIII Seminário Internacionalde Educação Popular,realizado pelo Movimento Brasileirode Educadores Cristãos (MOBREC),promoveu o Círculo de Debates como tema Educação Fiscal e Cidadania.Professores de Santa Maria e Regiãodiscutiram maneiras de incrementaras atividades do PMEF em sala deaula. Na mesma ocasião, a coordenadorado PMEF, Rosaura Vargasenfatizou a presença da EducaçãoFiscal no Plano Nacional de Educação,aprovado em Brasília, durante omês de março.08/06/10 - O Programa Municipalde Educação (PMEF) anuncia aabertura das inscrições para o Cursode Disseminadores de EducaçãoFiscal para o segundo semestre de2010. O curso é gratuito, modalidadeà distância e oferece certificadode até 160 horas pela Escola deAdministração Fazendária (ESAF/MF). O período para inscrições seestende até o dia 31 de julho. Osseguintes módulos dividem o curso:Educação Fiscal no Contexto Social;Estado e Sociedade; Sistema TributárioBrasileiro e Gestão Democráticados Recursos Públicos. Os interessadosdevem solicitar a ficha de inscriçãopelo e-mail: educacaofiscal@santamaria.rs.gov.br.16/06/10 – A EMEF Fontoura Ilharealizou o lançamento do novo blogda escola, coordenado pelo trabalhovoluntário da professora RosângelaSchultz. A coordenadora adjunta doPMEF, Helaine Simon e o tutor NeimarIop, acompanharam a apresentaçãoda página on-line que explora as atividadesde Educação Fiscal realizadasna escola, entre eles o Projeto“Cidadania Ano 2”, desenvolvido parao Estudante Cidadão. Acesse o blogatravés do link: http://cidadaniaano2.blogspot.comPREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIASECRETARIAS DE MUNICÍPIO DA EDUCAÇÃO E DAS FINANÇASCoordenação: Rosaura Vargas / Textos e diagramação: Andressa Alves OliveiraRevisão: Rozania M. Rosa, Neimar Iop, Luciane Montedo e Helaine SimonJornalista Responsável: Vera Lúcia Brites Jacques - MTB 5972 / Tiragem: 2000 exemplares/Distribuição: gratuitaContato: educacaofiscal@santamaria.rs.gov.br - Sítio Virtual: www.santamaria.rs.gov.br/educacaofiscal - Telefone: (55) 3921 7073ESTE INFORMATIVO FOI FINANCIADO PELA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE SANTA MARIAOpinião do CidadãoResponsabilidadeSocial na Empresa parao pleno desenvolvimentoda sociedade*Por Cezar GehmA maneira como a empresa realizaseus negócios, define sua maior oumenor responsabilidade perante asociedade. O conceito de responsabilidadesocial está relacionado diretamentecom a ética e a transparênciana conclusão de negócios e deverefletir-se nas decisões cotidianasque podem causar impactos fortesna sociedade, no meio ambiente e napolítica de organização adotada pelaempresa.Simplificando, podemos dizer que aética nos negócios ocorre quando asdecisões tomadas de uma determinadaempresa respeitam os direitos, osvalores, os interesses de todos aquelesque direta ou indiretamente sãopor ela afetados.Uma empresa pode oferecer omelhor produto ou serviço para seusclientes, mas não está sendo ética emsuas relações com a sociedade se,por exemplo no desenvolvimento desuas atividades não se preocupa como meio ambiente, com a transparênciade suas ações, com a sonegação deinformações para a fiscalização comos seus produtos e serviços, comseus critérios, com os seus valores,com o seu público interno, com seusconsumidores, fornecedores, com ogoverno e a sociedade em geral.*Cezar Gehm é Secretário de Municípiode Desenvolvimento Econômico,Inovação e Projetos Estratégicos.30/06/10 - A coordenadora adjuntado PMEF, Helaine Simon, e adisseminadora, Rozania Rosa, participaramda reunião com os gestoresdas escolas rurais e com o grupopedagógico da Secretaria Municipalde Educação. Helaine apresentouo planejamento das atividades promovidaspelo PMEF para o ano de2010 e aproveitou para enfatizar aspropostas das Oficinas Pedagógicasque servem de apoio aos educadorespara o desenvolvimento da EducaçãoFiscal em sala de aula.


ARTIGOCRIATIVIDADE,INOVAÇÃO EENCANTAMENTO:A REINVENÇÃODA ESCOLAPor Ms. Max G. HaetingerGabriela LoureiroInformativo Cid Legal nº 18 1 3NOTÍCIAS DO LEGISLATIVO Notícia enviada pela Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de VereadoresAudiências Públicas eafirmação da cidadaniaPlenário vazio reflete a pouca participação da comunidade na audiência da LDOAs audiências públicas introduzidasno processo legislativo brasileiro coma Constituição de 1988 vêm se constituindo,ao longo deste tempo, em momentosde afirmação da cidadania. Emdeterminadas matérias, a realizaçãodessas audiências são imperativas,como, por exemplo, na apreciação dasleis orçamentárias (PPA, LDO e LOA),Leis Complementares e relatórios deprestação de contas do Executivo. Emoutras situações, a realização dependeda liberalidade do Poder, como foio caso da Câmara de Vereadores deSanta Maria, nos meses de maio ejunho, quando realizou duas reuniõesNos últimos anos, temos sido bombardeados por novos termos,novos olhares, e novos valores na vida e na educação.Do Marketing surgido nos anos 80 ao Bulling nos dias de hoje,a educação e os educadores têm feito um esforço tremendopara atualizar-se e gerar novas saídas para um velho problema:Relação entre alunos, professores e o conhecimento.Mas qual seria a saída verdadeira? Existe uma fórmulaconsagrada, que resolva nossas angústias frente ao quadroquase caótico do ensino aprendizagem em muitos recantosdeste mundo? Como promover uma escola que seja capazde mudar e se transformar sem perder o conteúdo? E, principalmente,como fazer tudo isso e manter os alunos focados emotivados no processo de seu desenvolvimento como individuoe de sua formação?Acredito que o dilema que nos encontramos como ressaltasempre Edgar Moran em seus livros é CULTURAL !Talvez porque em primeiro lugar, nós, adultos, tenhamos esquecidoque educar é fundamentalmente um ato de interaçãoe troca cultural e não um simples processo de transmissãoe acúmulo de conceitos e fórmulas, afinal não queremos formaralunos “GOOGLE”. Sim! É desta forma que muitos jovensdefinem o colega de sala em que você pergunta e ele traza resposta decorada , e saibam: o GOOGLE esta cada vezmais rápido e eficiente, e a escola se olharmos para os testese provinhas que temos por ai , tem perdido muito terreno, eestão ficando para traz e, muitas vezes, desinteressantes aosnossos alunos.Mas como se vence em um cenário desse? Pergunta-meum amigo diretor de uma escola de 1000 alunos. Max, comoproduzir novas formas de ensinar e aprender se somos escravosdo conhecimento acumulado e das fórmulas e currículosentupidos de conceitos?Vamos começar a olhar e refletir sobre as palavras do nossotitulo:CRIATIVIDADE: esta palavra tem perseguido nossodia-a-dia nos últimos trinta anos, mas o que ela pode realmentepropor para a escola e para as relações alunos, professorese conhecimento?Sem dúvida a criatividade é uma das Valências humanasmais importantes nesta era, do conhecimento e da informação.Criatividade é o diferencial dos vencedores, quem geranovas idéias é quem se destaca, não quem acumula informação,afinal qualquer aparelho eletrônico hoje pode reterinformação.A forma com que usamos estas informações acumuladasem nossa mente, em livros , DVDs, sites, redes sociais virtuaisou reais, mp3, e por ai vai, é o que nos diferencia e nos tornaautênticos ou não. Por isto a criatividade passa ser muito importanteem nossa formação , não basta acumular , tem quecriar para então se diferenciar das máquinas.A criatividade vem para, de certa forma, substituir a capacidadede memorização no processo de ensino/aprendizagem.E não pensem que o pensar criativo é mágico, e vem simplesmentecomo um dom divino. Ele é fruto de muito esforço,trabalho duro, autonomia, expressão, diálogo, respeito mútuo,e, principalmente, de uma escola mais vivencial, maisconectada com a realidade em que vivemos. Uma escolado jogo, das atividades lúdicas e da expressão, que estejasempre se desafiando. Uma escola onde os alunos têm apossibilidade de vivenciar o que sentem necessidade, onde atarefa começa no banco escolar, mas acaba na comunidade.Da reflexão para a ação , e da ação para a expressão , daexpressão para criação, e da criação nasce à nova sociedade, da prosperidade e dos valores éticos correspondentes como tempo em que vivemos.“A criatividade ultrapassa o puro lazer e podem converterseem aquisição de conhecimento quando se processa planejadamente.É um meio de apropriação e transformaçãoda realidade, gerando prazer e conhecimento, de forma nãoexclusivas. Supõe uma relação do homem com o mundo, emque o alvo não é meramente o conhecimento do que existe,mas a exploração do existente para algo novo.” (BORDINI EAGUIAR,1993).Sendo assim, espero que não haja dúvida com relação aofato de que precisamos mudar a forma de propor o conhecimentoe de interagir com ele ou estaremos condenandonossos alunos a filas enormes de desemprego, à violênciaurbana e as drogas.Precisamos ajudar nossos alunos a formarem-se serescriativos , ou como profetiza alguns filmes que os jovens adoram(Exterminador do Futuro, Matrix e Avatar), seremos substituídosem maior grau pelas máquinas, que já conquistarambastante espaço em nosso dia-a-dia. E se você que é professorpensa que está a salvo disso, e por muitos bons motivosescolhe repetir a aula sempre da mesma forma, lembre-seque os processos de EAD fazem isto com muito mais competênciae ilustram, dão vida, e em muitos casos fazem doprofessor uma figura tão ou mais presente que vários colegasque estão de frente à seus alunos.A segunda palavra de nosso título é INOVAÇÃO: e inovaré hoje uma necessidade e não uma opção. Inovação estáligada a transformação que temos que realizar em nossosprocessos de aprendizagem, de gestão, financeiro, existencial,...,ou seja, nesse nosso mundo tão veloz e quase frenético, ou estamos sempre em atualização , inovando, ouficamos para traz em instantes.Vivemos em uma era onde em segundos as coisas setransformam, onde o mundo está ao alcance de todos e umacontecimento no Japão pode mudar nossa vida aqui no Brasilem instantes. Onde nossos jovens, através do computadore de outros muitos meios de se conectar com esse universoglobalizado, mudam e transformam a sua forma de ser , fazer, ser e conviver rapidamente e, portanto, para estarmos comum discurso coerente e em condições de por em prática tudoo que significa EDUCAR também precisamos nos adaptar eestarmos em constante evolução e transformação .Isto significa que na prática da sala de aula cada dia ao prepararmosa nossa aula devemos nos perguntar: Não existepúblicas para discutir os projetos doExecutivo tratando sobre bem estaranimal e controle da população animalno âmbito do município.No caso desses dois projetos, as audiênciaspúblicas realizadas nos dias26 de maio e 16 de junho, receberamum considerável número de pessoasformado especialmente por representantesde entidades ligadas à questãoe líderes comunitários. Várias propostasde modificação dos projetos originaisforam apresentadas, assim comocríticas as propostas do Executivo,revelando o engajamento daquelaspessoas na discussão.A mesma intensidade participativa severificou nas audiências ocorridas em24 de junho e 1º de julho, que debateramo relatório de gestão da saúderelativo ao exercício de 2009. O inte-uma nova forma de abordarmos este conhecimento? Quala melhor forma de transmitir esse conteúdo ao meu aluno?Anexar em nossos processos mídias, vídeos, filmes, áudios,fotos e pesquisas na WEB em nosso tratamento diáriocom o conhecimento. Ao prepararmos nosso ano , pensarmelhor na grade de conteúdo e o peso e valor de cada umdesses conteúdos, olhar para as especificidades culturaislocais, propor projetos para elaborar alguns conteúdos eprincipalmente incluir sempre temas novos em sintoniacom o novo tempo. Sendo que tema novo não é falar decoisas de 10 anos atrás, é falar do hoje , contextualizar oconhecimento e propor sempre interação .Na economia formal a inovação é vista como única formade salvação e reinvenção das empresas e serviços, paramim, na escola inovação é a única forma de mantermosos alunos presentes e mais que presentes aprendendo,pois neste século assistir não significa aprender, aprenderé interagir, mas para interagirmos os processos tem queser inovadores e condizentes com a realidade de nossoseducandos.A teoria da evolução de Charles Darwin, nunca teve tãopresente entre nós. Colegas professores ou evoluímos ouseremos extintos.E nossa terceira palavra do titulo e também muito importanteé ENCANTAR. E aqui não pense que estamos nesteséculo falando apenas do sentido direto da palavra encantarou encantamento. Sempre que me refiro a este termoquero me referir ao sentido lúdico, se buscarmos as definiçõesformais veremos que encantar é exercer influênciamágica , fascinar, cativar pessoas ou situações, é provocaradmiração , causar satisfação no outro.As definições descrevem uma ação cheia de valores defundamental importância , pois vivemos no mundo do encantamentoe as crianças deste cedo são encantadas pelosmeios reais e virtuais que a cercam, do parquinho dediversões (pracinhas Hi-tec, vídeo games, internet, computador,câmeras digitais) aos passeios e conversas comamigos. Nossos alunos sejam eles crianças, adolescentesou adultos estão sujeitos a estes encantamentos midiáticose reais. E nossas aulas estão carregando dentro delasestes encantamentos? Nosso discurso esta encantando ouassustando?Certa vez perguntou-me um professor de uma escola técnica:Max, mas o que é encantar na sala de aula? Comoposso fazer isso? Parece ser fácil quando lhe escuto masna prática o que posso fazer?Respondo agora a ele e a vocês que encantar em sala deaula é fazer aquilo que o aluno não espera, é surpreendêlo,é fasciná-lo. Cabe ao educador realizar coisas novas,INOVAÇÃO e principalmente proporcionar e buscar deseus alunos a CRIATIVIDADE no tratamento dos temas econteúdos. Com isso a escola se renova e ENCANTA, enós professores podemos construir de verdade a geraçãodo futuro, que vai buscar novas saídas para este mundo,novas idéias, novas atitudes e principalmente novos valores,necessários diante desses grandes e novos desafiosque temos nos deparado em nosso dia-a-dia.Max Haetinger é Mestre em Educação, Especialista em Criatividade,Tecnologias Aplicadas na Educação, Psicopedagogo,Palestrante e Autor de Vários Livros. Visite o site: www.maxcriar.com.brresse das pessoas, principalmentedos integrantes do Conselho Municipalde Saúde, foi tanto que umaterceira audiência deverá ser agendapara a conclusão da análise. No casodo relatório de gestão da saúde, odocumento, depois de apresentado ediscutido publicamente, será votadopelo Conselho Municipal de Saúde.Infelizmente, no debate sobre as leisorçamentárias houve pouco interesseda comunidade. A audiência convocadapela Comissão de Orçamento eFinanças da Câmara para a discussãoda Lei de Diretrizes Orçamentárias(LDO), no dia 9 de junho, contoucom pouca participação popular. Tallei estabelece as metas e prioridadespara as despesas de capital noexercício seguinte, orientando a elaboraçãoda Lei Orçamentária Anual.Na Lei Orçamentária Anual é queserá definido o valor a ser destinadoa cada secretaria do município comvistas à execução das suas políticas.Assunto, portanto, do maior interesseda população, que diz respeito diretamenteas suas necessidades.A Câmara, de sua parte, faz todo oesforço possível para que a populaçãotenha conhecimento prévio destasatividades (audiências), usa o seusite, produz material para a imprensalocal e, nos casos previstos em lei,através da publicação de editais.Neste sentido, inclusive, adianta queno período de 15 de setembro a 30de novembro estará examinando aLei Orçamentária Anual para o exercíciode 2011. Editais serão publicadospara as audiências pertinentes,mas é bom, desde já, ficar atento.

More magazines by this user
Similar magazines