Aliança EcoÁgua Pantanal

d3nehc6yl9qzo4.cloudfront.net

Aliança EcoÁgua Pantanal

O programa Aliança EcoÁgua Pantanal e suacontribuição para o Pacto em defesa dascabeceiras do PantanalMaitê TambeliniIbraim Fantin da Cruz


fait voir dans et par les comédiens, ne se soucient aucunement de cette maxime-là :ils s’occupent plutôt à remplir au mieux une vocation intime et irrésistible du moihumain à la méchanceté, à l’aveuglement et à la bêtise, à l’extravagance et àl’incohérence, et à une sorte de disposition suicidaire.Ainsi dans l’avarice, qui fait d’un homme une gesticulation insensée de rapacité.Ainsi dans l’hypocrisie qui, conformément à son étymologie, montre à l’œuvre descomédiens des valeurs et de leur propre existence, dont l’un au moins (Dom Juan) abesoin de son valet pour l’assurer de son vrai jeu et le rassurer sur son identité. Lesraffinements du « méchant homme » dans le « grand seigneur » font de Dom Juanun raisonneur de désordre pur par l’arithmétique de deux et deux sont quatre, undestructeur des valeurs sociales de sa propre classe de laquelle il se prévautconstamment par ailleurs, bref « une terrible chose », un scandale dans la Nature : àl’égard de son Dom Juan, Molière est le Sganarelle fasciné qu’il jouait lui-même. Etles manipulations de Tartuffe, que presque tous les personnages de la pièce voienten plein et que le spectateur reçoit comme des ruses grossières, montrent sur lethéâtre que le scélérat peut impunément singer la Valeur pour assouvir des objectifsrelevant en eux-mêmes d’une crapulerie que ne rachète même pas quelquegrandeur : maniant l’image de la vertu, se goinfrer, séduire la femme de son hôte etépouser sa fille, s’emparer de sa fortune et prendre le pouvoir dans sa maison.Comment Orgon peut-il se laisser prendre à des conduites aussi manifestementfausses et, plus grave, pourquoi personne, que la puissance royale, ne peut-il lesconfondre ?Autrement dit : pourquoi et comment Harpagon, Dom Juan et Tartuffe peuvent-ilsêtre ce qu’ils sont, comment l’homme est-il comme il est, c’est-à-dire comment etpourquoi la Vie est-elle ce qu’elle est ? Voilà bien ce qui motive la curiosité infinie etinventive de Molière, sa curiosité philosophique dans L’Avare et constamment.4 - Corriger les mœurs en riant ?Castigat ridendo mores 1 . Oui, certes…1 Molière, premier placet au roi sur Tartuffe : « Le devoir de la comédie étant de corriger les hommesen les divertissant, j’ai cru que, dans l’emploi où je me trouve, je n’avais rien de mieux à faire qued’attaquer par des peintures ridicules les vices de mon siècle […]. » Dans la situation où il se trouve,c’est un angle d’attaque auprès du roi.-3-Cercle de Réflexion Universitaire du lycée Chateaubriand de Rennes


INICIATIVA Uma parceria entre o Instituto de Conservação Ambiental TheNature Conservancy do Brasil (TNC) e o Centro de Pesquisa doPantanal (CPP).


ATIVIDADESLevantamento, obtenção,organização ecompartilhamento dedados e informações.Aplicação daabordagem ELOHApara a Bacia do AltoParaguaiDetalhamento dosSistemas EcológicosAquáticos na Bacia do AltoParaguai1 2 3 4 5 6Engajamento deAtoresOperação Ecológicade Reservatórios –abordagem localContabilização e avaliaçãoda sustentabilidade daPegada Hídrica dosempreendimentoshidrelétricos na BAParaguai


ECOLOGICAL LIMITS OF HYDROLOGIC ALTERATION(ELOHA)Usos múltiplosda águaBarragensIntensificaçãodos conflitospelo usoAlteração do regimehidrológico natural


VAZÃO AMBIENTALConhecimentos essenciais para a vazão ambiental: análise dasituação• Hidrologia natural, biologia das espécies “úteis”, geomorfologia.• Espécies raras e ameaçadas de extinção.• Empreendimentos atuais e futuros.• Estrutura da política da água.• Necessidades e interesses dos stakeholders.• Limites existentes dos recursos e de capacidade.• Informações disponíveis.


VAZÃO AMBIENTAL REGIONALCritérios:i) Abordar vários rios simultaneamente.ii) Explicitar o elo entre vazão e biodiversidade/ecologia.iii) É aplicado através:• Alteração da vazão.• Disponibilidade de dados e capacidade técnica..• Contexto social e político.


Vazão X Biodiversidade


ALTERAÇÕES HIDROLÓGICASCausa primária da degradação dos rios Presença de barragens. Perda da conectividade jusante-montante em nível de rio eeventualmente em nível de bacia. Alteração do pulso de inundação e das relações rio-planície deinundação. Alteração do regime hidrológico. Alteração do regime natural da qualidade da água.


Painel futuro de impactos hidrelétricosH### #&H&H## ###&H&H # # &H##&H#&H#################&HH – UHE (10)# PCHs Em operação (18)# PCHs Em implantação (11)# PCHs Em estudo (26)&H#&H


Existem várias configurações espaciais para a mesma produçãoenergética com impactos muito diferentes.Técnico Plano de Conservação.O que é necessário? Capacidade técnica para o planejamento de infraestrutura deáguaPolítica / Institucional Estrutura de decisão para mecanismos de localização debarragens e mitigação dos seus efeitos. Participação dos stakeholders nessa estrutura de decisão.


Conclusão:- A abordagem ELOHA e o desing da bacia propicia aosstakeholders tecnologia e espaço de discussão/debate, quepode ser utilizado para decisão sobre a conservação dasnascentes.- Deve ser lembrado que o que acontece rio acima terá efeito rioabaixo fluxo de água, sedimentos e nutrientes (a saúde dasnascentes garante a saúde das planícies).- Deve ser lembrado que a presença de espécies “úteis” nascabeceiras depende da saúde da planície e da conectividadeplanície-nascentes.


ESTUDO DE CASOEfeitos da formação e operação doreservatório de Ponte de Pedra (MT/MS) naalteração da qualidade da água e do regimehidrológico na planície de inundação doPantanalAPOIO:


OBJETIVOSRegime da qualidade da águai) Identificar quais parâmetros de qualidade da água sãoafetados pela formação do reservatório;ii) Quantificar a magnitude das alterações e a influência daoperação sobre sua variabilidade;iii) Avaliar como a alteração do regime operacional poderiamelhorar a qualidade da água de jusante.


OBJETIVOSRegime hidrológico i) Caracterizar o regime hidrológico natural e regularizadoapós a formação do reservatório; ii) Quantificar as alterações hidrológicas anuais e sazonaisprovocadas pela operação do reservatório;


ÁREA DE ESTUDOBacia do Alto ParaguaiReservatório de Ponte de Pedra


Características morfométricas do reservatório- Área 14.5 km 2 ;- Profundidade máxima 30 m;- Profundidade média 7.6 m;-Comprimento máximo efetivo7.5 km;Reservatório de Ponte dePedra.-Capacidade de regularização15% da vazão média anual.


AMOSTRAGEMNCor1Cor2Cor3Canal de aduçãoCor8Cor7Planície deinundaçãoCor6Cor5Trecho de vazão reduzida (TVR)Cor4Km0 1 2 3 4Quatro campanhas anuais entre 2002 a 2011, sendo:- 15 campanhas antes do reservatório (2002-2005);- 26 campanhas depois do reservatório (2005-2011).


AMOSTRAGEM Dez parâmetros de qualidade da água:- Temperatura - pH - Condutividade- Oxigênio - Turbidez - Sólidos totais- Nitrato - Amônia - Fósforo total- Ortofosfato 32 parâmetros do regime hidrológico:- Indicadores de Alteração Hidrológica


RESULTADOSQualidade da águaFigura: Taxa de variação dosparâmetros de qualidade daágua no gradiente longitudinaldo rio.A formação do reservatórioalterou:-Turbidez-Sólidos totais-Nitrato-Fósforo total


RESULTADOSQualidade da água Temporalmente, oreservatório reduziu:- 38% da turbidez- 28% fósforo total- 23% dos sólidos totais- 14% nitratoFigura: Relação entre os parâmetros alterados e o tempo de retençãohidráulica.


RESULTADOSQualidade da água Em condição real o reservatóriooperou fora dos limites naturaisem:- 63% para a turbidez;- 43% para o nitrato. Operação hipotética a fio d’águao reservatório teria operado forados limites naturais em :- 3% para a turbidez;- 40% para o nitrato.Figura: Curvas de permanência do tempo de retenção real e hipotético.


RESULTADOSRegime hidrológicoFigura: Variações diárias das vazões naturais e regularizadas.


RESULTADOSRegime hidrológicoIndicadores hidrológicos anuais alterados peloreservatório:- Aumento das vazões de agosto (+6.4%);- Redução das vazões mínimas de 1, 3 e 7 dias (-11,0, -10,0 e -7,5%);- Redução das vazões máximas de 90 dias (-2.4%);- Aumento do número de pulsos altos e baixos(+22,2 e +25,0%).


RESULTADOSRegime hidrológicoPadrões sazonais de alteraçãoAlterações nas vazõessazonais de baixamagnitude (exceto noinverno). De modo geral asazonalidade hidrológicafoi mantida.Figura: Curvas de permanência das vazões naturais e alteradas.


POSSÍVEIS IMPLICAÇÕES NO SISTEMA FLUVIAL Retenção de sedimentos- Assoreamento do reservatório- Alteração da morfologia fluvial Retenção de partículas em suspensão- Aumento da transparência da água- Colonização de macrófitas submersas;- Alteração da estrutura trópica (predados visuais) Retenção de nutrientes- Redução da produtividade primária (base da cadeia)- Oligotrofização da planície de inundação; Número de pulsos altos e baixos- Causam estresse na vida animal (principalmente peixes)


Obrigado!Maitê Tambelinimaitetambelini@gmail.comIbraim Fantinibraimfantin@gmail.com


Agradecimentos:


DESAFIOSParte Científica: Confiabilidade dos dados Disponibilidade de séries históricas (operação + avaliação) Isolar os impactos causados pelos diversos usos Adaptação da abordagem ELOHA para a realidade do Pantanal Mobilização dos diferentes setores Mão de obra disponível

More magazines by this user
Similar magazines