L+D 17

editora.lumiere

Edição 17: Março/Abril - 2008

l+d

international lighting magazine

Alto contraste

define a iluminação do clube de jazz Bix, na Alemanha

foco nos detalhes

na iluminação do restaurante Giuseppe, no Rio de Janeiro

luz (e ousadia) em abundância

no projeto da garagem da Novartis, na Suíça

HIGH CONTRAST DEFINING THE LIGHTING OF THE BIX JAZZ CLUB IN GERMANY

FOCUS ON DETAIL IN THE LIGHTING OF GIUSEPPE’S RESTAURANT IN RIO DE JANEIRO

LIGHT (AND BOLDNESS) APLENTY IN THE DESIGN FOR THE NOVARTIS GARAGE IN SWITZERLAND


led it be

show-room

al gabriel monteiro

da silva 1441

t 11 3898-0222

f 11 3898-0222

info@lumini.com.br

L+D

2

L+D

3

design

fernando prado


L+D

4

L+D

5


L+D

6

L+D

7


HIGH CONTRAST DEFINING THE LIGHTING OF THE BIX JAZZ CLUB IN GERMANY

FOCUS ON DETAIL IN THE LIGHTING OF GIUSEPPE’S RESTAURANT IN RIO DE JANEIRO

LIGHT (AND BOLDNESS) APLENTY IN THE DESIGN FOR THE NOVARTIS GARAGE IN SWITZERLAND

l+d #17

Mariana Lacerda é jornalista. Recifense do

bairro de Apipucos, adotou São Paulo como

casa desde 2002, ano em que defendeu sua

dissertação de mestrado em História da Ciência,

na PUC/SP. Gosta de escrever sobre arquitetura,

l+d

INTERNATIONAL LIGHTING MAGAZINE

design e urbanismo, e como essas disciplinas se

relacionam com as vidas das pessoas em suas

moradas e cidades. | Mariana Lacerda is a

journalist. She comes from the city of Recife and

Capa | cover

has lived in São Paulo since 2002, when she

presented her Master’s dissertation in History of

ALTO CONTRASTE

define a iluminação do clube de jazz Bix, na Alemanha

FOCO NOS DETALHES

na iluminação do restaurante Giuseppe, no Rio de Janeiro

Bix Jazz Club, Stuttgart.

Science at PUC, São Paulo. She enjoys writing

LUZ (E OUSADIA) EM ABUNDÂNCIA

no projeto da garagem da Novartis, na Suíça

Foto | Photo: David

EDITORES | EDITORS

on architecture, design and urbanism [town

Franck Photographie

Thiago Gaya

planning], and on how these subjects relate to

Winnie Bastian

the lives of people in their homes and towns.

54

78 24 42

68

62

18

¿QuÉ Pasa?

44

PROJETOS | PROJECTS

Southern Cross Station

46

Museo Arqueológico de Alta Montaña

48

Garagem Novartis

52

Usina de Incineração Sitru

54

Restaurante Giuseppe

Paulo da Costa e Silva. Ensaísta,

62

Clube de Jazz Bix

músico e jornalista. Atualmente, faz

mestrado na PUC-Rio de Janeiro,

onde desenvolve pesquisa sobre

68

perfil | profile

Franco + Fortes Lighting Design

as obras de Lupicínio Rodrigues e

Tom Jobim. Colaborou em revistas e

78

Produtos | products

livros, como repórter e pesquisador.

Pedro Saito estuda arquitetura e urbanismo

| Essayist, musician and journalist.

na FAU-USP. Atualmente trabalha com design

Is working on the Master’s Degree

gráfico e arquitetura. | Pedro Saito studies

in PUC-Rio de Janeiro, where he

architecture and urban planning at FAU-USP.

L+D

8

performs research into Lupicínio

Rodrigues and Tom Jobim’s work.

He works with graphic design and architecture,

and is the designer of L+D magazine.

L+D

9

CONSELHO EDITORIAL | EDITORIAL BOARD

Esther Stiller, lighting designer

Dante Della Manna, arquiteto | architect

Fernando Prado, designer


EDITORIAL

São inúmeras, sabemos, as possibilidades oferecidas pela luz ao

lighting designer.

A luz que serve, discreta, à exposição de obras delicadas ou para permitir que o

PUBLICADA POR | PUBLISHED BY

trabalho nos escritórios seja realizado com eficiência e conforto, também pode – sob

o tratamento correto – fascinar e despertar emoções genuínas. Tal diversidade de

abordagens possíveis no projeto luminotécnico é retratada nesta edição de L+D.

Por um lado, a luz tratada como elemento estratégico, altamente funcional. É o

caso da Southern Cross Station, na qual a iluminação contribui decisivamente para

a orientação dos usuários, e do Museo Arqueológico de Alta Montaña (MAAM),

em que a grande preocupação era a conservação dos bens expostos.

Editora Lumière Ltda.

Matriz no Brasil | Headquaters in Brazil:

Rua Catalunha, 350

05329-030 São Paulo SP

Por outro lado, o projeto luminotécnico valorizando os aspectos subjetivos da luz

e seu potencial psicológico, como acontece no restaurante carioca Giuseppe e no

clube de jazz Bix. Na concepção destes ambientes, a iluminação foi tratada como

t / f: 55 11 6827.0660

ld@portallumiere.com.br

www.portallumiere.com.br

um elemento essencial na criação de uma atmosfera adequada para a fruição do

prazer, seja ele gastronômico ou musical.

Mas a preocupação com o impacto da luz no comportamento dos usuários está

cada vez mais difundida e chega a ultrapassar tais ambientes – onde tal postura é

esperada – para atingir espaços nos quais, até há pouco tempo, esses efeitos não

eram considerados: é o caso da garagem da Novartis, na Suíça, cujo lighting design

busca a criação de uma atmosfera amigável e que transmita uma sensação de

segurança pessoal. Outra aplicação não-usual da luz pode ser conferida no projeto

de Roger Narboni para uma usina de incineração na França, em que o designer

PUBLISHER

>Thiago Gaya

EDITORES | EDITORS

>Thiago Gaya

> Winnie Bastian

propõe uma fachada iluminada que é pura poesia.

Função ou emoção? Nós, da L+D, escolhemos os dois.

Boa leitura!

TRADUÇÃO | TRANSLATION

>BTS - Bussines Translation Services

>Michael L. Jordan

Innumerable, as we know, are the possibilities afforded by light to the lighting

designer.

The light that serves, discreetly, to display delicate objects, or that allows the work

ARTE | ART

>Pedro Saito

>Gustavo Cipriano (arte final)

PUBLICIDADE | ADVETISING SALES

ad@portallumiere.com.br

in offices to be carried out with efficiency and in comfort, is capable — with the right

t: +55 11 6827.0660

treatment — of fascinating and awakening genuine emotions. Such a diversity of possible

approaches in lighting design is covered in this edition of L+D.

On the one hand is light treated as a strategic and highly functional instrument. This

ASSINATURAS | SUBSCRIPTIONS

assinaturas@portallumiere.com.br

t: +55 11 6827.0660

is the case of Southern Cross Station, where the lighting contributes decisively to the

user’s ease of orientation, and of the Museo Arqueológico de Alta Montaña (MAAM),

in which the prime concern was the conservation of the exhibits.

On the other hand, we have the lighting project that enhances the subjective aspects of

light and its psychological potential, as occurs in the Rio de Janeiro restaurant, Giuseppe’s,

as well as in the Bix Jazz Club, in Stuttgart. In the planning of these environments, the


L+D

10

lighting was treated as an essential element in the creation of a suitable atmosphere for

pleasure to flourish, be it gastronomic or musical.

But concern with the impact of lighting on users’ behaviour is becoming ever more

widespread and now even stretches beyond such environments — where such an attitude

is to be expected — to reach spaces in which, until very recently, such effects would



L+D

11

never have been considered: such is the case of the Novartis car-park, in Switzerland,

whose lighting project seeks to create a friendly atmosphere that also transmits a feeling

of personal security. Another unusual application of lighting design is seen in Roger

Narboni’s project for an incineration plant in France, in which this designer has come

IMPRESSA POR | PRINT BY

up with lighting for the façade that transforms it into pure poetry.

Function or emotion? Here at L+D, we opt for both.

Good reading!


L+D

12

L+D

13


L+D

14

L+D

15


L+D

16

L+D

17


¿qué pasa?

Por: Winnie Bastian

agenda



Simon Banham

COLLABORATORS:

UK Design for Performance

2003-2007

Da pantomima e do drama à ópera e à dança, no Reino Unido e

no exterior, esta mostra reúne o trabalho de mais de uma centena de

designers cenográficos britânicos. Além de mostrar como os designers

comunicam suas idéias ao público, a exposição irá celebrar a parceria

destes criadores com os diretores, escritores, compositores, coreógrafos

e atores. A luz tem importante papel na construção destas atmosferas,

em alguns casos sendo citada literalmente, como no cenário da peça

Geneva Quarantine (acima), criado por Simon Banham em 2003.

From pantomime and drama to opera and dance, in the UK and abroad,

this exhibition brings together the work of over a hundred or so British

scenic designers. Besides showing how the designers communicate their

ideas to the public, the exhibition also pays homage to the collaboration

EXPOLUX

of these creative artists with directors, writers, composers, choreographers

and actors. Lighting plays an important role in the creation of these environ-

A 11ª Feira Internacional da Indústria da Iluminação integra a Semana

ments, in some cases actually being the scenario, as in the set for the play

Internacional da Construção e Iluminação, da qual também faz parte

“Geneva Quarantine” (above), designed in 2003 by Simon Banham.

a Feicon Batimat (Feira Internacional da Indústria da Construção). O

L+D

18

Quando | When:

evento todo deve reunir cerca de 680 expositores.

L+D

19

até 18 de novembro de 2008 | Until 18th November, 2008

The 11th International Trade Fair of the Lighting Industry is part of the

Onde | Where: Victoria and Albert Museum, Londres

International Construction & Lighting Week, which also includes the Feicon

www.vam.ac.uk

Batimat (International Construction Industry Trade Fair). This combined

event should bring together around 680 exhibitors.

Quando | When: 8 a 12 de abril | 8th to 12th April, 2008

Onde | Where: Pavilhão de Exposições do Anhembi, São Paulo

www.expolux.com.br


Messe Frankfurt Exhibition GmbH / Pietro Sutera

¿qué pasa?

LIGHT+BUILDING

Um dos mais importantes eventos de iluminação do panorama

mundial, a Light and Building é uma feira ampla (mais de 1.500 expositores

do setor de iluminação) e significativa, pois reúne as empresas

líderes de mercado. Além da feira, a programação inclui o seminário

Light Focus, que acontece de 7 a 9 de abril e reunirá palestrantes de

todo o mundo.

One of the most important events, in a world-wide perspective, Light

+ Building is an extensive trade fair (over 1.500 exhibitors in the lighting

section), and highly significant, since it brings together the world’s market

leaders. Besides the trade fair itself, the programme includes the Light

Focus seminar, taking place from 7th to 9th April, and bringing together

speakers from all over the world.

Quando | When: 6 a 11 de abril de 2008 | 6th to 11th April,

2008

Onde | Where: Messe Frankfurt, Frankfurt

www.light-building.messefrankfurt.com

LUMINALE 2008

Festival internacional de cultura da luz que acontece a cada dois anos

em Frankfurt e na região do Reno, paralelamente à feira Light+Building.

Instalações acontecerão por toda a cidade e, a exemplo dos anos anteriores,

haverá visitas guiadas aos principais eventos/instalações.

An international festival of lighting culture, taking place every two years

in Frankfurt and the neighbouring Rhine region, in parallel with the Light

& Building Trade Fair. Installations will be scattered all over the city, and,

as in previous years, guided tours of the main events and installations will

take place.

Messe Frankfurt Exhibition GmbH / Jochen Günther

Quando | When:

6 a 11 de abril de 2008 | 6th to 11th April, 2008

Onde | Where: cidade de Frankfurt e região do Reno | the city

of Frankfurt and Rhine region

www.luminale.de e www.luminapolis.com

Lightfair International

L+D

20

A 19ª edição da tradicional feira norte-americana reunirá mais de

550 expositores de todo o mundo. A programação paralela incluirá

conferências (Lightfair Daylighting Institute e Lightfair Institute, de 26

a 27 de maio), seminários e workshops (de 28 a 30 de maio).

L+D

21

The 19th edition of this traditional North American trade fair will bring

together over 550 exhibitors from all over the world. Parallel programming

includes conferences (Lightfair Daylighting Institute and Lightfair

Institute, form 26th to 27th May), seminars and workshops (from 28th

to 30th May).

Quando | When:

26 a 30 de maio de 2008 | 26th to 30th May, 2008

Onde | Where: Las Vegas Convention Center, Las Vegas

www.lightfair.com


¿QuÉ Pasa?

O PODER TRANSFORMADOR DA LUZ

Fotos | Photos: David Barbour e Sanna Fisher-Payne / BDP

Após Manchester e Londres, em novembro do ano passado foi a

vez da cidade de Glasgow, na Escócia, ser tomada pelos “ativistas” do

Guerrilla Lighting, uma iniciativa que busca desafiar a percepção que

as pessoas têm da cidade e inspirar uma nova forma de pensar, mas

também chamar a atenção para a importância do lighting design na

qualidade do espaço urbano.

Sete equipes, formadas por profissionais da iluminação e estudantes

de arquitetura, iluminaram quatro pontos específicos da cidade, utilizando

simplesmente lanternas de alta potência, luminárias de LEDs e

filtros coloridos. O resultado impressiona: edifícios e praças ganham

nova dimensão, tornando-se mais atraentes ao público. “Se estas

transformações são possíveis com equipamentos provisórios e à base

de bateria, imagine o que seria possível com uma instalação permanente?”,

provocam, cobertos de razão, os idealizadores do projeto.

As performances/instalações aconteceram durante o Radiance Festival,

o Festival Internacional da Luz, que acontece em Glasgow a cada dois

anos. O Guerrilla Lighting acaba de ser premiado no National Lighting

Design Awards britânico, na categoria Projetos Especiais.

The transforming power of light After Manchester and London, in

November last year, came the turn of the city of Glasgow, in Scotland, to

be taken over by the “activists” from Guerrilla Lighting, an enterprise that

seeks to challenge people’s perception of the city and inspire new ways

of thinking, but also draws attention to the importance of lighting design

in the quality of urban environments.

Seven teams, made up of lighting professionals and architectural students,

lit up four selected locations in the city using just high-power electric

torches, LED lights and coloured filters. The result is impressive: buildings

and squares acquire a new dimension, increasing their public appeal. “If

such transformations are possible with stand-by battery-powered equipment,

just imagine what might be possible with a permanent installation?”,

provocatively challenge the project’s organisers, and with good reason.

The performances/installations took place during the Radiance Festival,

the International Lighting Festival which occurs every two years in Glasgow.

Guerrilla Lighting was recently a prize-winner at the British National Lighting

Design Awards, in the Special Projects category.

www.guerrillalighting.net

www.bdplighting.co.uk

L+D

22

L+D

23


¿QuÉ Pasa?

FLORESTA DE LÚMENS

A forest of lumens “An interactive ecosystem where children create

“Um ecossistema interativo no qual as crianças criam árvores com

trees with their body and then divert the water flowing from the waterfall

seus corpos e desviam a água de uma cachoeira para as árvores, para

to the trees to keep them alive.” This is how designer Theodore Watson

mantê-las vivas.” Assim o designer Theodore Watson descreve a Funky

describes Funky Forest, an installation created by him in partnership with

Forest, uma instalação criada por ele em parceria com Emily Gobeille. A

Emily Gobeille. The main idea is that, by having fun exploring this space,

idéia é que, ao explorarem o espaço e se divertirem, as crianças sintam

the children come to feel that their actions have a direct impact on the

que suas ações têm conseqüências diretas no meio ambiente.

environment.

O ambiente é construído quase que somente com luz: duas câmeras

This environment is constructed almost entirely with light: two cameras

captam os movimentos das crianças e, graças à programação criada

record the children’s movements and, using a programme made with

com o programa openFrameworks, os transformam em gráficos, que

OpenFrameworks software, these are transformed into graphic images

são projetados nas paredes.

projected onto the walls.

L+D

24

Veios de água que correm pelo chão podem ser desviados para fazer

as diversas partes da floresta crescerem; para isto, as crianças podem

usar almofadas na forma de toras e pedras, ou mesmo as próprias

Streams of water flowing across the floor can be diverted to make different

parts of the forest grow. To do this, the children use soft rocks and

logs, or even their own hands, since the “water” reacts to any solid object.

L+D

25

mãos, uma vez que a “água” reage a qualquer objeto sólido. Se uma

If a tree doesn’t get enough water, it will wither, but by pressing their bod-

árvore não receber água suficiente, ela irá murchar, mas ao pressionar

ies against the forest, the children can make new trees according to their

seus corpos contra a floresta, as crianças criam novas árvores baseadas

bodily characteristics and positions.

nas suas posições e nas características de seus corpos.

Funky Forest was first presented at Cinekid 2007, taking place from 14th

Funky Forest foi apresentada pela primeira vez no Cinekid 2007,

to 21st October, 2007, in Amsterdam, Holland. The next edition of the

que aconteceu entre 14 e 21 de outubro de 2007, em Amsterdam,

festival is to take place from 19th to 26th October, 2008.

na Holanda. A próxima edição do festival será realizada de 19 a 26

de outubro de 2008.

www.muonics.net


¿QuÉ Pasa?

Rensselaer/Ray Felix

A LUZ QUE DESTACA...

E CONVIDA

Um prédio em obras foi o cenário da instalação Light Above the

Hudson, criada pela lighting designer norte-americana Jennifer Tipton,

conhecida por seus projetos luminotécnicos para peças de teatro

e musicais da Broadway. A idéia era chamar atenção dos moradores

da cidade de Troy, no estado de Nova York, para o novo edifício do

Experimental Media and Performing Arts Center (EMPAC), um centro

voltado ao ensino das artes performáticas e mídias experimentais,

ligado ao Rensselaer Polytechnic Institute.

Previsto para inaugurar em outubro próximo, o EMPAC abrigará uma

sala de concertos, um teatro, duas áreas de estúdio, espaços para ensaios,

instalações para gravações profissionais, edição e pós-produção e

também para difusão digital, além de estúdios para artistas que estejam

fazendo residência na instituição. O projeto do edifício é assinado pelo

escritório Grimshaw Architects, de Nicholas Grimshaw.

A iluminação criada por Tipton destaca a arquitetura do edifício,

agora em fase final de construção. Assim como as fachadas se comportam

de forma diferente (o lado norte é bastante aberto, vazado,

enquanto as vistas sul e oeste têm uma aparência mais maciça), a luz

L+D

26

lançada sobre elas também foi diversificada.

As fachadas sul e oeste, com suas peles brilhantes, receberam

cores vivas e que se transformavam constantemente, vindas de seis

Lighting to emphasise... And invite A building still under construc-

a theatre, two studio areas, rehearsal rooms, professional recording, edit-

The south and west faces, with their shining skins, were treated to vivid

L+D

27

holofotes Synchrolite localizados no exterior do edifício; dentro das

tion was the location for the Light Above the Hudson installation, created

ing and post-production facilities, as well as studio apartments for artists

colours, constantly changing, coming from Synchrolite fixtures on the

pequenas janelas da fachada sul, luzes tremulantes foram sutilmente

by North-American lighting designer, Jennifer Tipton, well-known for her

in residence at the institution. The building’s design bears the signature

outside of the building; within little windows in the south face are subtly

posicionadas.

lighting projects for Broadway plays and shows. The idea was to draw the

of Nicholas Grimshaw’s firm, Grimshaw Architects.

positioned flickering lights.

Já a fachada norte, com suas longas e dramáticas janelas, era ilu-

attention of the residents of Troy, in New York State, to the new building

The lighting designed by Tipton brings out the architecture of the build-

However, the north face, with its dramatic, elongated windows, was lit

minada por uma luz azul estática que vinha inteiramente do interior,

of the Experimental Media and Performing Arts Center (EMPAC), a centre

ing, now nearing completion. Just as the façades behave differently (the

with a static blue light coming entirely from the interior, where strips of

onde foram instaladas tiras de Neoflex, um tubo flexível de LEDs com

dedicated to the teaching of performance arts and experimental media,

north side is open and honeycombed with recesses, while the south and

Neoflex were fitted – flexible tubes of LEDs, looking very much like neon

aparência de néon, mas com consumo cerca de 70% menor.

and also associated with the Rensseler Polytechnic Institute.

west faces present a more solid appearance), the light projected onto

lights, but with around 70% less energy consumption.

A instalação ficou montada entre 11 de janeiro e 3 de fevereiro.

Scheduled to open next October, EMPAC will incorporate a concert-hall,

them is also diversified.

The installation was completed between 11th January and 3rd February.


¿QuÉ Pasa?

PAISAGEM

ARTIFICIAL

Lustre superdimensionado? Escultura de luz? Difícil definir a Pixel

An artificial landscape An oversized chandelier? A sculpture in light?

Cloud, uma instalação criada pelo designer Jason Bruges para o átrio

It’s hard to define the Pixel Cloud, an installation made by designer Jason

norte da nova sede da empresa jurídica multinacional Allen & Overy,

Bruges for the north hall of multinational legal firm Allen & Overy’s new

em Bishop Square, Londres.

HQ, in Bishop Square, London.

Esta grande nuvem de cores e luzes é formada por 624 globos lei-

This huge cloud of lights and colours is composed of 624 opal poly-

tosos de policarbonato, distribuídos em uma matriz tridimensional,

carbonate globes, arranged in a three-dimensional matrix, its height

com altura equivalente a oito andares. O espaçamento horizontal

equivalent to eight storeys. The horizontal spacing between the “pixels”

dos “pixels” foi definido em função do grid da fachada do edifício,

was calculated to match the grid of the building’s façade, designed by the

projetado pelo escritório de Norman Foster.

offices of Norman Foster.

O interior de cada um dos globos – desenvolvidos em parceria com

The inside of each one of the globes — developed in partnership with

a empresa alemã Ledon – abriga 24 LEDs, que são organizados em

the German firm Ledon — houses 24 LEDs organised into a flexible circuit-

uma placa-circuito flexível em forma de dodecaedro (sólido de doze

board in the form of a dodecahedron (a 12-sided solid), so as to ensure

lados), de modo a garantir que cada peça seja iluminada de maneira

that each globe is evenly lit.

uniforme.

The colour and brightness of the light emitted by the globes is constantly

L+D

28

A cor e a intensidade da luz emitida pelos globos muda constantemente

(16 milhões de cores são possíveis), conforme os mais variados

estímulos, que vão desde filmes ou seqüências de imagens individuais

changing (within a range of 16 million colours), depending on a large variety

of stimuli, from films and slide-shows to pictures of clouds recorded by the

building’s roof-top cameras. The animations achieved by Pixel Cloud are

L+D

29

até imagens de nuvens captadas por uma câmera posicionada no teto

only made possible because each globe is individually controlled by means

do edifício. As animações realizadas na Pixel Cloud são possíveis por-

of software specially developed for this installation.

que cada globo é controlado individualmente, graças a um software

Beyond just creating a stunning atmosphere in the entrance-hall, Pixel

desenvolvido especialmente para essa instalação.

Cloud, by taking up eight floors of hall-space, also provides the those work-

Além de criar uma atmosfera impactante no hall de entrada, a

ing in the offices with a kind of constantly changing landscape.

Pixel Cloud, ao ocupar o átrio do edifício em oito andares, também

proporciona aos ocupantes uma espécie de paisagem em constante

transformação.


L+D

30

L+D

31


¿QuÉ Pasa?

DESIGN PREMIADO I

2.771 produtos concorrentes, de 35 países... 821 premiados. Estes

são os números da edição 2008 do iF Product Design Awards, um dos

mais prestigiosos prêmios dedicados ao design industrial em todo o

mundo. O Brasil teve 17 produtos premiados, três deles produzidos

pela Light Design; as luminárias Arind (acima) e Orus (à esquerda) e a

linha Inside foram desenvolvidas pelos designers Fred Mamede, Ruana

Barros e Willames Verçoza, da equipe do departamento de design da

empresa pernambucana.

Fotos | Photos: Ruanna Barros

Prize-winning designs I 2,771 competing products from 35 different

countries... 821 prize-winners. These are the numbers from the 2008

edition of the iF Product Design Awards, one of the most prestigious

prizes in the world devoted to industrial design. Brazil won awards for 17

products, three of them produced by Light Design. The Arind (above) and

Orus (at left) light fittings and the Inside line were developed by designers

Fred Mamede, Ruana Barros and Willames Verçosa, from this Pernambuco

firm’s design department team.

www.lightdesign.com.br

Fotos | Photos: Nelson Kon

DESIGN PREMIADO II

Também mereceu destaque na rigorosa seleção do iF a luminária

Bossinha (à esquerda), miniatura da também premiada Bossa; criadas

pelo designer Fernando Prado e produzidas pela Lumini, ambas se

destacam principalmente pelo engenhoso sistema que permite a fácil

conversão da luz direta em indireta. Outro importante prêmio – o

Good Design 2007 – foi dado à linha de projetores orientáveis Mood

(acima), também criada por Prado para a Lumini. Justo reconhecimento

ao design brasileiro de qualidade.

L+D

32

Prize-winning designs II Also deserving of special mention in iF’s

rigorous selection process is the Bossinha light (at left), a miniature version

of the also prize-winning Bossa model; both invented by designer Fernando

Prado and produced by Lumini, and both also notable principally for their

ingenious system permitting an easy change from direct to indirect light.

Another important prize — the Good Design 2007 — was awarded to the

Mood Line of adjustable spotlights (above), these too designed by Prado for

Lumini.This is well-merited recognition of quality Brazilian design.

L+D

33

www.lumini.com.br


¿QuÉ Pasa?

L+D

34

L+D

35


¿QuÉ Pasa?

Verdadeira febre nos anos 1980, o cubo mágico chegou à era eletrônica

pelas mãos do designer de interface e artista britânico Andrew

Fentem. O objetivo do novo gadget – ainda um protótipo – é o mesmo

do velho brinquedo: o usuário deve tentar colocar todos os módulos

de uma mesma cor em uma única face do cubo. O cubo Fentix, cujo

nome homenageia seu criador, conta com seis telas multitouch nas

quais luzes multicoloridas piscam e se movem conforme o movimento

e a rotação do cubo.

O funcionamento do Fentix pode ser conferido em um vídeo disponível

na internet: basta acessar www.youtube.com e buscar pela

frase “fentix cube”.

REVIVAL ELETRÔNICO

L+D

36

Electronic revival A veritable mania of the 1980s, the magic cube has

now arrived in the electronic age by the hand of British artist and interface

designer Andrew Fentem. The aim of this new gadget — still a prototype

— is the same as that of the old toy: the user must try to move all the

squares of the same colour to a single side of the cube. The Fentix cube,

so-called in honour of its inventor, uses six multi-touch screens on which

multi-coloured lights flash and move about according to the movement

and rotation of the cube.

The way the cube works can be checked out in a video accessible on the

internet:just access http://www.youtube.com and look for “fentix cube”.

L+D

37

www.andrewfentem.com


¿QuÉ Pasa?

FLUORESCENTE COM PERSONALIDADE

Fazer com que as pessoas passem a comprar lâmpadas fluorescentes

em função de um desejo genuíno, e não por uma obrigação

moral. Esta é a ambição dos designers e empresários da boutique de

eletrônicos londrina Hulger, que desenvolveram protótipos de lâmpadas

fluorescentes que parecem ter sido esculpidas com luz. Agora, a

Hulger procura parceiros para viabilizar a produção da primeira série

das lâmpadas, que já são verdadeiras luminárias...

L+D

38

Fluorescent light with character Getting people to decide to buy

fluorescent lamps out of a genuine desire and not just out of a sense of

moral duty... This is the ambition of the designers and entrepreneurs of the

London electronic boutique, Hulger, who have developed prototypes of

fluorescent lamps that have all the appearance of having been sculpted in

light. Now Hulger is looking for partners to make viable production of the

first series of lamps, which are, in themselves, complete light fittings.

L+D

39

www.plumen.com


L+D

40

L+D

41


¿QuÉ Pasa?

L+D

Fotos | Photos: David Barbour e Sanna Fisher-Payne / BDP

42

L+D

43

A POESIA QUE VEM DA LUZ

A vertente poética que muitas vezes integra o projeto de iluminação

foi explorada literalmente pelos designers do Guerrilla Lighting (veja

página 23). Palavras do poema “Built Light”, de Theresa Shiban, foram

“escritas no ar” utilizando Dot-its (pequenas luminárias LED portáteis

da Osram), e registradas em fotos com longo tempo de exposição (de

10 a 20 segundos).

Poetry [that comes] from light The poetic approach that is often an

integral part of a lighting project has been exploited literally by the designers

from Guerrilla Lighting (see page 23). The words of the poem “Built

Light”, by Theresa Shiban, were “written in the air” using Dot-its (Osram’s

small portable LED lights), and photographed with long time-exposures

(10 to 20 seconds).


projetos | projects

Shannon McGrath

WE-EF

EFICIÊNCIA, SIM.

MAS SEM PERDER A POESIA...

A Southern Cross Station, em Melbourne, Austrália, é uma das estações

mais importantes da cidade, recebendo mais de 55 mil passageiros

por dia e articulando a conexão entre transportes públicos de diversos

tipos: ônibus, metrô e trens (locais e de longa distância).

Efficiency, yes... But without sacrificing the poetry... Southern

Garantir a eficiência da estação foi o principal objetivo do projeto ar-

Cross Station, in Melbourne, Australia, is one of the most important termi-

quitetônico, desenvolvido pelo escritório Grimshaw Architecs, e também

nals in the city, handling over 55 thousand passengers a day and making

do projeto de iluminação, criado pelo lighting designer David Bird.

connections between all the various modes of public transport: buses,

No interior da estação, as plataformas dos trens e áreas de transpor-

underground, local and long-distance trains.

te receberam cerca de 460 postes de iluminação com 6m de altura.

Guaranteeing the station’s efficiency was the main aim of the architec-

O resultado é um espaço com iluminação uniforme, o que facilita a

tural project, developed by Grimshaw Architects’ offices, and also of the

orientação dos usuários, especialmente na área principal. Luminárias

lighting project developed by lighting designer David Bird.

pendentes instaladas próximo ao teto proporcionam iluminação adi-

Inside the station, the platforms and other transportation areas were

cional nas áreas adjacentes.

furnished with around 460 lamp-posts, each 6m tall. The result is an evenly

Bird também planejou a interação entre a iluminação artificial e a

lit area that makes it easier for users to find their bearings, especially in

luz natural, que penetra no interior da estação através de clarabóias

the main concourse. Hanging lights, fitted close to the ceiling, provide

translúcidas e de aberturas lineares junto ao telhado. À medida que

additional lighting in the adjacent areas.

a luz do sol diminui, as luzes artificiais se intensificam, em seqüências

Bird also planned the interaction between the artificial lighting and the

programadas com intervalos de 25%. Assim, os níveis de iluminação

daylight, which reaches the station’s interior through translucent skylights

permanecem constantes, com cerca de 150 lux nas áreas de circulação

and longitudinal openings near the roof. As the sunlight fades, the artificial

L+D

44

e 200 lux nas plataformas.

Para minimizar o ofuscamento e permitir iluminação uniforme nestas

seqüências de transição, optou-se por usar postes com pares de

lights brighten in a programmed sequence of 25% steps. In this way, the

light levels remain constant at around 150 lux in the circulation areas and

200 lux on the platforms.

L+D

45

lâmpadas CDM de 150W, que também foram equipados com uma

To minimise glare and to achieve uniform lighting through these transi-

lâmpada stand-by halógena de tungstênio de 150W, o que permite

tional stages, lamp-posts were chosen that were furnished with paired CDM

SOUTHERN CROSS STATION

25% de iluminação em caso de falta de energia temporária. Este mes-

150W lamps and also equipped with a stand-by tungsten halogen lamp

Melbourne, Austrália | Australia

mo tipo de lâmpada foi utilizado nos downlights.

of 150W, allowing for 25% emergency lighting in case of any emergency

Projeto de Iluminação | Lighting project:

Complementando a iluminação de base, todas as paredes foram

power failure. This same type of lamp was used in the down-lights.

David Bird, Vision Design Studio, Melbourne

iluminadas com wall washers. No teto, alguns pontos foram ilumi-

To supplement the basic lighting, all the walls are lit with wall-washers.

Arquitetura | Architecture:

nados de modo a destacar suas ondulações, enquanto uplights azuis

On the ceiling, certain points are picked out in light so as to emphasise its

Grimshaw / Grimshaw Jackson, London / Melbourne

destacam as clarabóias translúcidas à noite.

undulations, whilst blue uplights accentuate the skylights at night.

Fornecedores | Suppliers: WE-EF


projetos | projects






































The delicate balance between exhibition and conservation

L+D

Fotos | Photos: Divulgação (cortesia MAAM)

46

O DELICADO EQUILÍBRIO ENTRE EXIBIR E CONSERVAR

Em 1999, na província argentina de Salta, uma expedição dirigida as múmias de forma correta, explica o engenheiro Edgardo Capiello,

pelo Dr. Johan Reinhard fez uma das descobertas arqueológicas mais responsável pelo projeto luminotécnico.

importantes dos últimos anos: no alto do vulcão Llullaillaco, a 6.700m Assim, trabalhou-se com a diminuição das intensidades luminosas

de altura, o grupo encontrou três crianças incas, congeladas e perfeitamente

conservadas, acompanhadas de diversos objetos.

gem preservação (a história da descoberta), passa por salas de maior

ao longo do percurso museográfico, que inicia com salas que não exi-

A prefeitura de Salta decidiu fazer um museu para expor esta descoberta.

Tomada a decisão, o problema era: como exibir este conjunto preservação (as múmias). Dessa forma, o olho vai se acostumando a

preservação (os artefatos encontrados), até chegar às salas de alta

sem danificá-lo?

ver, corretamente, sem a necessidade de altos níveis de iluminação,

O excelente estado de conservação das múmias e dos objetos, após revela Capiello.

cinco séculos, foi resultado das condições especiais do lugar: temperaturas

de 20ºC abaixo de zero, ausência de luz e baixa pressão. permitem contar com uma luz cenográfica com a mínima geração de

Para iluminar as múmias, foram utilizadas luminárias com LEDs, que

Assim, técnicos e cientistas contratados pelo Museo Arqueológico de calor. Além disto, houve a redução do tempo de exposição, graças

Alta Montaña (MAAM) criaram vitrines que reconstituem estas características

ambientais.

ativada apenas quando o observador aperte um botão que ilumina a

a um sistema desenhado especialmente, que permite que a luz seja

No que diz respeito à iluminação, houve uma preocupação em múmia por uma fração de tempo.

reduzir o nível lumínico ao mínimo necessário para exibir as peças e Mais informações sobre o museu e a coleção em www.maam.org.ar























Museo Arqueológico de Alta Montaña (MAAM)

Salta, Argentina

Projeto de Iluminação | Lighting project:

Eng. Edgardo Capiello / ERCO

Arquitetura | Architecture: DEPAUS

Fornecedores | Suppliers: ERCO


In 1999, in the Argentinian province of Salta, an expedition, led by Dr.

Johan Reinhard, made one of the most important archaeological discoveries

of recent years: at the summit of the Llullaillaco Volcano, at 6,700

metres altitude, the team found three Inca children perfectly preserved in

the ice, together with a number of artefacts. The municipal government

of Salta decided to build a local museum to display these finds. Once this

decision had been made, a serious problem arose: how to display the finds

without damaging them.





The excellent state of preservation of these mummies and of the objects,

after five centuries, was due to the very special climatic conditions

of the locale: temperatures of 20ºC below zero, absence of light and low




atmospheric pressure. So, scientists and technicians, hired by the Museo





Arqueológico de Alta Montaña (MAAM) set about making showcases to

reproduce these environmental conditions.



With regard to the lighting, there was great concern in reducing the



light levels to the absolute minimum necessary to display the objects and

mummies adequately, explains the engineer, Edgardo Capiello, in charge

of the lighting project.

Thus they worked on the progressive reduction of lighting intensity

throughout the course of the museum’s successive display-rooms, which

begin with those not requiring preservation (the story of the finds), passing

through rooms of greater preservation (the artefacts), and finally reaching

the rooms of critical preservation levels (the mummies themselves). In this

way, the eye gradually adjusts to the light without high lighting levels being

necessary, Capiello elucidates.

To light the mummies, LED lights were used, as these allow for scenic

lighting with a minimum of heat being generated. Furthermore, exposure

time was minimised by a specially designed system in which the light is

activated only when the viewer pushes a button to light the mummy for

a limited length of time.

More info about the museum and the collection at: www.maam.org.ar

L+D

47


projetos | projects

ATMOSFERA AMIGÁVEL

Iluminação abundante, com tons quentes, amplo pé-direito, materiais

e acabamentos sofisticados. A descrição poderia ser a de um

loft ou algum escritório descolado, mas... surpreendam-se: trata-se

de um estacionamento. A proposta inovadora partiu da indústria

farmacêutica Novartis, que se deu conta de que o estacionamento

é um lugar estratégico para a imagem da companhia, pois é lá que

todos os clientes que chegam de carro formam sua primeira impressão

da empresa.

No projeto da garagem da sede da Novartis na Basiléia, Suíça, o

arquiteto Marco Serra buscou evitar a atmosfera típica dos estacionamentos,

criando um ambiente amigável. Para tanto, as instalações

de serviço do edifício foram ocultadas e o estacionamento recebeu

acabamentos normalmente utilizados em interiores: teto, pilares e

até o piso, por exemplo, ostentam a cor branca. Mesmo o generoso

pé-direito de mais de 3m é pouco usual para um estacionamento

subterrâneo.

Alinhado a esta proposta, o conceito de iluminação desenvolvido

pelo escritório alemão Licht Kunst Licht criou uma atmosfera

agradável, na qual a sensação de segurança pessoal é reforçada por

uma iluminação homogênea e sem fortes sombras. Em vez de luzes

fluorescentes frias, utilizou-se um tom mais quente, próximo ao das

lâmpadas incandescentes; a fonte de luz escolhida foi o LED, por sua

eficiência energética.

Nas paredes perimetrais, revestidas com painéis metálicos texturizados,

luzes suaves provenientes das frestas existentes entre os painéis e

as paredes conferem um ritmo periódico a estas superfícies.

Os poços das escadas, por sua vez, são destacados por uma iluminação

dura, que enfatiza a textura de sua superfície de concreto; o

tom mais frio da iluminação também ajuda a conferir destaque a esses

volumes, e a indicar que são eles que conduzem ao exterior.

Que a boa idéia se espalhe...

L+D

48

L+D

49

Fotos | Photos: Lukas Roth


A friendly atmosphere Abundant lighting in warm tones, ample ceiling

height, sophisticated materials and finishings... The description might be

of a “loft” apartment or some fancy office, but... surprise, surprise! We are

talking here of a car-park. This innovative approach came from the pharmaceutical

firm Novartis, who came to the conclusion that the car-park is

a strategic space for the company’s corporate image, since it is there that

all the customers arriving by car get their first impression of the firm.

In the garage project of Novartis’ HQ, in Basel, Switzerland, architect

Marco Serra sought to steer clear of the typical atmosphere of car-parks

by creating a friendly atmosphere. To do this, the building’s service installations

were screened off, and the car-park was treated to finishes normally

reserved for interiors: ceiling, pillars and even the floor, for example, are

all in white. Even the generous ceiling height, of over 3m, is unusual for

an underground car-park.

In line with this approach, the lighting concept, developed by the German

offices of Licht Kunst Licht, has created a pleasing atmosphere, where

L+D

50

Garagem Novartis

Basiléia, Suíça | Basel, Switzerland

Projeto de Iluminação | Lighting project: Licht Kunst Licht

Arquitetura | Architecture: Marco Serra

Fornecedores | Suppliers: Artemide, ERCO, iGuzzini, LineaLight,

Meyer, Objektleuchten Berlin, Philips, Regent, Vossloh-Schwabe

Optoelektronic, WE-EF

the feeling of personal safety is reinforced by even lighting leaving no deep

shadow. Instead of cold fluorescent lights, warmer lighting was used, closer

to that of incandescent lamps: the source chosen was the LED, because

of its energy efficiency.

On the outer walls, clad with textured metal panels, a suave light emanating

from the spaces between the panels and the walls bestows on these

surfaces a cadenced rhythm.

The stair-wells, for their part, are highlighted by strong lighting, emphasising

the texture of their concrete surfaces; the colder tone of this lighting

also helps to accentuate these structures and indicate that they are exits.

May this great idea take root and spread...

L+D

51


projetos | projects

Fotos | Photos: Concepto

CHUVA LUMINOSA

A dimensão poética da chuva foi o ponto de partida do lighting

designer francês Roger Narboni no recém-concluído projeto de renovação

da fachada de uma usina de incineração em Carrières-sur-Seine

A rain of light The poetic aspect of rain is the conceptual starting

(Ile de France).

point for the French designer, Roger Narboni, in the recently completed

A proposta de Narboni integra uma iniciativa maior, de completa

project for the restoration of the façade of an incinerator plant in Carrières-

remodelação da usina. No partido geral do projeto, havia a idéia de

sur-Seine (Ile de France).

realçar a fachada à noite, tornando-a visível à distância e integrando-a

Narboni’s proposed plan forms part of a broader enterprise, that of a

à paisagem noturna da cidade.

total reform of the plant. At the outset of the project, there was the idea of

Para tanto, a fachada agora foi totalmente revestida com uma cortina

highlighting the façade at night, making it visible from afar and integrating

de vidro, tendo em vista as qualidades óticas especiais deste material,

it into the nocturnal cityscape.

como seu potencial de reflexão da luz e sua capacidade de difundi-la

To this end, the façade has now been completely covered with a curtain

para o interior do edifício.

of glass, bearing in mind this material’s special optical qualities, its reflec-

Sobre esta pele de vidro, 311 linhas verticais com tubos de néon de

tive potential, as well as its capacity to refract and transmit the light into

L+D

52

75cm de altura foram distribuídas segundo um padrão estritamente

geométrico, formando uma composição que ganha vida graças a um

programa complexo e dinâmico (com linguagem DMX) que varia a

the building’s interior.

Over this glass skin, 311 vertical lines of 75cm high neon tubes were distributed

according to a strictly geometrical pattern, forming a composition

L+D

53

intensidade luminosa e a saturação da cor.

that comes to life thanks to a complex, dynamic programme (using DMX

À noite, este grande display luminoso (a fachada tem 100m de

language) varying the light’s intensity and colour saturation.

comprimento e 20 de altura) cria “imagens poéticas e que se movem,

At night, this gigantic light-show (the façade is 100m long and 20m high)

Usina de Incineração SITRU

remetendo à chuva, em oposição ao elemento ‘fogo’, presente nos

constructs “poetic moving images, suggestive of rain, in opposition to the

Carrières-sur-Seine, França | France

fornos de incineração”, explica Narboni. O programa, que se repete

element of “fire” present in the incinerator furnaces”, Narboni explains.

Projeto de Iluminação | Lighting project:

em ciclos de uma hora durante a primeira metade da noite, é proje-

This programme, recurring in hour-long cycles during the first half of the

Roger Narboni / Concepto

tado para recriar os diversos tipos de chuva: garoa, chuvisco, chuva

night, is designed to reproduce the various different kinds of rain: drizzle,

Arquitetura | Architecture: Quirot & Vichard

normal, com vento, tempestade...

showers, normal rain, wind-driven rain, a rainstorm....

Fornecedores | Suppliers: TLB neon


projetos | projects

Texto | Text: Paulo da Costa e Silva

Fotos | Photos: André Nazareth

Inaugurado recentemente, o restaurante Giuseppe parece

existir há vários anos. A sensação fria do novo, daquilo que ainda não

ganhou vida, foi eliminada por uma atmosfera que evoca o calor do toque

humano, da passagem do tempo, da tradição, da história.

Cravado na principal rua do Leblon, a movimentada Ataulfo de Paiva,

número 630, o Giuseppe quebra a correria do tempo urbano, do barulho

dos carros e da correria da cidade com um recuo estratégico de sua

fachada. Nela, tudo é discrição e silêncio. Lá está a porta de entrada,

encimada por um letreiro onde se lê em tipologia bastante comedida o

seu nome. Um foco de luz direciona o olhar para o piso (lâmpadas AR-

111 de 65W/12V, 8°), de onde brota o desenho do “g” da logo, recortado

sobre a pedra. Neste primeiro detalhe já se percebe o importante

papel da luz na percepção do projeto criado pelo cenógrafo e decorador

Jean Pierre Tortil. O projeto de iluminação do Giuseppe foi desenvolvido

pela lighting designer Mônica Luz Lobo, junto com a equipe do seu

escritório, o LD Studio, e contribuiu de forma decisiva para definir a

personalidade do local.

Ainda na entrada do restaurante, tons de marrom e bronze se harmonizam

com pitadas do verde das pequenas árvores. A qualidade translúcida

da fachada, com vidros e cortinas, faz com que os olhos entrevejam as

riquezas de um interior que quer se desvelar, mas sem perder o recato.

A passagem da visão precede a passagem do corpo: antes mesmo de

adentrarmos o Giuseppe, já estamos um pouco dentro. Para lograr este

efeito, criando uma suave transparência, alguns pontos de luz foram

posicionados no interior do restaurante, no teto, e direcionados contra

as cortinas. As lâmpadas utilizadas foram dicróicas IRC de 35W/12V, 36°.

Embora a transição exterior/interior se torne mais fluida com isso, não

The essence in the details... Giuseppe’s restaurant, recently opened,

has all the appearance of being established years ago. That chill feeling of

the new, of that which has not yet sprung to life, has been artfully eliminated

by the creation of an atmosphere evoking the warmth of the human

touch, of the passage of time, of tradition, of history.

Set in the main street of Leblon, in Rio de Janeiro, the busy Ataulfo de

Paiva Street, at number 630, Giuseppe’s stands aloof from the rush of the

urban clock, from the din of traffic and the city rat-race, making full use of

a strategic frontage before its façade. Here, all is discretion and quietude.

There is the doorway, surmounted by a discreet inscription of the name. A

shaft of light directs one’s gaze to the ground (AR-111 lamps of 65W/12V,

8º) from which surges the “g” of the logotype carved into the stone. Even

in this first little detail, one becomes aware of the importance of the role of

lighting in the conception of this project carried out by the scenographer

and decorator Jean-Pierre Tortil. Giuseppe’s lighting project was developed

by lighting designer Mônica Luz Lobo, along with her LD Studio team, and

has made a decisive contribution in defining the place’s character.

When standing in front of the restaurant’s entrance, tones of polished

bronze and brown harmonise with the touches of green of several small

trees. The translucent quality of the façade, in curtained glass, feasts the

eyes with a glimpse of the wonders within, just waiting to be unveiled, yet

without sacrificing the place’s discretion. One’s gaze precedes any bodily

motion. Even before actually stepping into Giuseppe’s, we are already

partially within. To achieve this effect, a number of point sources of light

were installed on the ceiling inside the restaurant and focussed on the

curtains. IRC dichroic lamps of 35W/12V, 36º were used. Even though the

exterior/interior transition thus gains fluidity, no loss of aesthetic impact is

NOS DETALHES,

A ESSÊNCIA...

L+D

54

L+D

55

Entrada do Giuseppe: cortinas e vidraças

iluminadas por dentro deixam entrever

o interior do restaurante.| Entrance to

Giuseppe: windows and curtains lit from

behind provide a discreet glimpse of the

restaurant’s interior


No bar, os detalhes decorativos são iluminados de

forma específica, mas não chegam a interferir na

suave equilíbrio do ambiente | At the bar, decorative

details are individually picked out by the lighting,

but so as not to interfere with the delicate balance

of the overall atmosphere

incurred in passing from one environment to the other. It is at the bar that

the details constituting essence of Giuseppe’s atmosphere abound: the

myriad colours of the bottles, the scrolls of the vast hall’s woodwork, the

textures and decorations of the walls, the flooring finishes, the elegance

of the lights, chairs and crystal cabinets. Such profusion of visual information,

however, avoids the trap of stumbling into excess or tedium. On the

contrary, all the elements are harmonised into a single whole, without

losing their own individual integrity. For each specific detail, there is a

light to enhance its individuality, yet always with a view to maintaining the

compositional balance of the environment as a whole. There is, in effect, a

constant play-off between the detail and the whole, in which the lighting

plays an indispensable role.

On the bar, the bottles acquire brilliance and presence through backlighting.

In this way they are transformed into decorative items, whilst at

the same time contributing to the ambient lighting. To this end, small steps

of acrylic were constructed, lit from the inside with T5 fluorescent lamps

of 28W, 3000K, turning them into veritable light-boxes. Hovering above

the counter, huge pendant lights delimit small areas, creating an intimate,

tranquil atmosphere, which, without them, would perhaps be difficult to

achieve. According to Mônica, the intention was “to dress up the bar a

little.” The light is relatively suave and warm, and each light fitting has a

double bank of incandescent lamps (in all, eight 60W lamps). On the lower

part of the same counter, the details of the woodwork are picked out by

small lighting points (fittings for Ministar® side reflector halogen lamps

of 20W/12V), and its foot, the junction with the floor, softened by a slight

curve, is underscored by a faint light, inset into a coving in the woodwork

just above the floor (a 13mm light string).

Special care was taken with the integration of the light sources into the

woodwork and the interior details; in fact, the unique objective of these

há perda de impacto estético na passagem entre um ambiente e outro.

No bar do Giuseppe afloram os detalhes que são a alma do ambiente:

as cores das garrafas, as volutas da marcenaria do galpão, as texturas

e desenhos das paredes, os arremates do piso, a elegância dos lustres,

cadeiras e cristaleiras. A profusão de informação visual não resvala para

o excesso, nem para o cansaço. Pelo contrário, os elementos harmonizam-se

num conjunto sem que com isso venham a perder a identidade

própria. Para cada detalhe, uma luz que o enalteça em sua especificidade,

mas sempre tendo em vista a composição do ambiente, seu equilíbrio.

Trata-se de um jogo contínuo entre o detalhe e o conjunto, no qual o

projeto de iluminação torna-se imprescindível.

No bar, as garrafas ganham brilho e presença ao serem iluminadas em

contraluz. Tornam-se, desta forma, elementos decorativos, ao mesmo

tempo em que contribuem para iluminar o ambiente. Para tanto, criaramse

pequenos degraus de acrílico iluminados por dentro com lâmpadas

fluorescentes T5 de 28W, 3000K, verdadeiras caixas luminosas. Pairando

sobre o balcão, grandes luminárias delimitam pequenos espaços, criando

um ar intimista, quieto, que sem elas talvez fosse pouco provável. Segundo

Mônica, a intenção foi “vestir um pouco o bar”. A luz é bastante suave,

aquecida, e cada luminária tem dois andares de lâmpadas incandescentes

(ao todo, oito lâmpadas de 60W). Na parte inferior do mesmo balcão, os

detalhes de marcenaria ganham visibilidade com pequenos pontos de luz

(montagem para lâmpadas halógenas Ministar® lateral de 20W/12V),

e o encontro do final do móvel com o piso, suavizado por uma curva, é

sublinhado por uma luz tênue, em detalhe na marcenaria pouco acima

do chão (mangueira luminosa de 13mm).

Houve um cuidado especial na integração das fontes de luz à marcenaria

e aos detalhes de interiores; de fato, o objetivo único dessas luzes

decorativas é dar relevo à arquitetura interior, destacando a beleza dos

detalhes. Bom exemplo é a parede que fica defronte ao bar. Nela, uma

boiserie encobre a origem da luz que se projeta rente sobre o revestimento

de pedras do restante da parede. Sob a iluminação rasante de lâmpadas

fluorescentes T5 de 28W, 3000K, saltam aos olhos a textura rugosa das

pedras, num belo contraste com a superfície lisa do grande quadro que

L+D

56

L+D

57

Três momentos da iluminação do Giuseppe: o detalhe de

marcenaria na curvatura do piso, a luz rente que traz a

textura das pedras, e a arandela produzindo um degradê na

composição cromática | Three aspects of Giuseppe’s lighting: the

detail in the woodwork gently curving to the floor, the close-angled

light bringing out the texture of the stones, and the wall-light

producing a gradient across the coloured painting


Solução de iluminação transformou a parede

pende na mesma parede – e que ela termina por emoldurar. Uma aran-

decorative lights is to bring into relief the interior decoration, emphasising

A imensa cristaleira que domina a

de pedra num dos pontos altos da arquitetura

dela com as mesmas lâmpadas (T5 de 28W, 3000K) é colocada no topo

the beauty of the details.

entrada do salão destaca-se por seu

interior do restaurante | Photo of Giuseppe’s

do quadro, produzindo um degradê sobre suas cores.

A good example is the wall facing the bar. Here, a wooden panel hides

brilho branco, tornando-se uma gran-

main dining area: the lighting has transformed the

Um detalhe recorrente em diversos pontos do restaurante, e que constitui

the source of the light which is projected at an acute angle onto the stone

de luminária | The enormous crystal

stone wall into a focal point of the restaurant’s

um dos mais notáveis elementos de sua personalidade, são as rendas de

cladding of the remainder. Under the close-angled lighting of the T5 fluo-

cabinet that dominates the entrance to

interior architecture [decor]

MDF. Com motivos florais, elas compõem painéis que se projetam como

rescent lamps of 28W, 3000K, the uneven texture of the stones strikes the

the main restaurant area stands out with

alto relevo sobre algumas paredes. Para ressaltar o volume destas rendas,

eye in lovely contrast with the smooth surface of the huge picture hung

its white blaze of light, itself becoming

Mônica usou uma iluminação rasante de lâmpadas fluorescentes T5 de

on the same wall — and which it serves to frame. A wall-light using the

transformed into a huge light

L+D

58

28W, 3000K. Neste contexto, a luz fica concentrada sobre o elemento

decorativo, pouco interferindo no ambiente. Para a lighting designer, a

iluminação dos planos verticais muitas vezes contribui de maneira decisiva

same lamps (T5 of 28W, 3000K) is positioned at the top of the painting,

producing a subtle gradient across the coloured surface.

Showing up as a recurrent detail in various parts of the restaurant and

L+D

59

para a sensação de luminosidade distribuída no ambiente.

constituting one of the most striking elements of its character, are the

Este parece ser também o caso da parede de pedra que domina a cena

pieces of lacework from MDF. With floral patterns, these compose panels

do salão principal. Sendo a maior superfície do restaurante, ela merecia

projecting in relief on some of the walls. To bring out the texture of the

um tratamento à altura – por volta de 4,5m. A solução encontrada foi

lace, Mônica used acute-angled lighting from T5 fluorescent lamps of 28W,

baseada no desenho das divisões do espelho do bar, que por sua vez foi

3000K. In this context, the light is concentrated on the decorative piece,

baseado nos quadriláteros do pintor holandês Piet Mondrian. Sobre a

having little impact on the ambient lighting. For the lighting designer, the

parede de pedras sortidas, criou-se uma armação metálica que, ligeira-

illumination of vertical planes often contributes in a decisive manner to the

mente afastada, a ilumina em negativo, criando áreas de claridade perto

overall “feeling” of light distribution throughout the area.


das bordas e de escuridão no centro. Nas calhas metálicas desta armação,

forma um bonito contraponto com o restante da iluminação – mais

Na parede ao fundo, a renda de MDF ganha relevo

This also appears to be the case of the stone wall that dominates the

mangueiras luminosas de 13mm são responsáveis pela iluminação da pa-

próxima da cor amarela.

com a luz rasante. Nas mesas, a iluminação é bastante

scene in the main room. Since this is the largest single surface in the restau-

rede, e pouco interferem na maciez da luz geral. No meio do salão, uma

A iluminação funcional do restaurante é simples e discreta. Ilumi-

direcionada, cumprindo seu papel funcional sem apagar

rant, it deserves special treatment — it is around 4.5 metres in height. The

pequena fonte com duas luminárias subaquáticas Albacete minirrefletor

nando pontualmente as mesas, lâmpadas dicróicas IRC de 35W/12V,

os detalhes à sua volta | On the back wall, the MDF

solution encountered was based on the divisions of the bar mirror, itself,

para lâmpadas dicróicas IRC de 35W/12V, 10°, iluminam o esguicho e ao

36°, suavizadas por filtros honeycomb – grelhas antiofuscantes – criam

lacework shows up in relief under close-angled lighting.

in turn, based on the rectangles of the Dutch painter Piet Mondrian. Over

mesmo tempo projetam um efeito de reflexo em movimento nas duas

pequenas ilhas de luz no interior do ambiente (sob o mezzanino), ou

At the tables, directional light is used, filling a functional

the surface of the wall, faced with a miscellany of stones, was constructed

árvores próximas a ela.

AR-111 de 65W/12V, 8° no salão principal. No bar, alguns pontos de

role without overpowering adjacent details

a metal framework which, standing slightly proud of the wall itself, creates

Outro ponto alto do Giuseppe é a monumental cristaleira, situada

luz no teto iluminam o balcão (AR-111 de 65W/12V, 24°) e outros se

a negative lighting effect, producing light areas around its edges and dark

no centro do restaurante e que se eleva até o teto, ligando o térreo

direcionam para as mesas redondas à sua frente (lâmpadas AR-111 de

areas at the centre. Within the metal channels of this framework, 13mm

ao mezanino. Neste caso, muda a temperatura e a intensidade da luz,

65W/12V, 8°). A impressão é a de uma iluminação bastante essencial,

light strings achieve this lighting, whilst interfering minimally with the suav-

com montagens para lâmpadas fluorescentes T5 de 28W, 4000K, e as

que nos desperta para os detalhes que fazem o charme e a graça do

ity of the lighting in general. In the centre of the room, there is a small

vitrines interferem de forma mais ativa no ambiente, tornando-se ver-

Giuseppe. Detalhes estes que são também os responsáveis pela sensação

fountain, in which two underwater Albacete mini-reflector lights with IRC

dadeiras luminárias. Posicionadas lateralmente em detalhe incorporado

de acolhimento que o restaurante suscita, e para a qual o uso da luz

dichroic lamps of 35W/12V, 10º, light up the spouting water, at the same

à marcenaria, vazando as prateleiras de vidro e os copos de cristais, as

colabora de forma decisiva.

time projecting moving reflections onto a pair of trees nearby.

lâmpadas fazem com que o móvel resplandeça num brilho branco que

Another high point of Giuseppe’s is the monumental crystal cabinet,

located at the centre of the restaurant, which rises all the way to the ceiling,

linking the ground-floor with the mezzanine. Here we find a shift

in the colour temperature and intensity of the light, with fittings for T5

fluorescent lamps of 28W, 4000K, and the glass panels play a more active

part in the overall ambient lighting, being transformed into veritable lighting

devices themselves. Fitted at the sides into recesses in the woodwork,

flooding the glass shelves and crystal glasses with light, these lamps make

the piece resplendent with a white blaze, creating a lovely counterpoint

to the rest of the lighting, which is appreciably yellower.

The restaurant’s functional lighting is simple and discreet. Lighting the

tables, point sources using IRC dichroic lamps of 35W/12V, 36º, softened

by “honeycomb” filters, — anti-glare grilles — create little pools of light in

the interior (underneath the mezzanine), or AR-111 of 65W/12V, 8º, in the

central area. Over the bar, a number of point sources light the counter (AR-

111 lamps of 65W/12V, 24º) and others are focussed on the round tables

opposite (AR-111 lamps of 65W/12V, 8º). The overall impression is one of

somewhat fundamental lighting that impresses on us those details which,

together, go to make up the essential grace and charm of Giuseppe’s. These

are precisely the same details responsible for the restaurant’s welcoming

feeling , to which the lighting contributes so decisively.

L+D

60

Mônica Luz Lobo

Restaurante Giuseppe

Rio de Janeiro, Brasil | Brazil

Projeto de Iluminação | Lighting project: LD Studio

(Arq. Mônica Luz Lobo, Arq. Gabriel Vinagre, Arq. Daniele Valle)

Arquitetura | Architecture: RAF Arquitetura

Interiores & cenografia | Interiors: Jean Pierre Tortil

Fornecedores | Suppliers: Altena Plus, Andratti, DL Iluminação,

Interlight (luminárias | luminaires), Philips, Osram (lâmpadas

e reatores | lamps and ballasts), Taschibra (linhas luminosas |

light strings)

L+D

61


projetos | projects

ALTO CONTRASTE

PARA A DIVA MÚSICA

L+D

62

Tons terrosos e o contraste acentuado da

iluminação definem a atmosfera do Bix. Na área

de shows, no piso térreo, o destaque fica por

conta do painel com tiras retorcidas de alumínio

| Earthy tones and strong lighting contrast define

the atmosphere of the Bix. In the performance

area, on the ground floor, the highlight is the

panel of twisted strips of aluminium

Texto | Text: Da Redação | From the editorial staff

Fotos | Photos: David Franck Photographie

O que o jazz e a Alemanha poderiam ter em comum? A resposta é: Bix

Beiderbecke, um dos mais importantes trompetistas norte-americanos dos

anos 1920, cuja origem era germânica. E foi em sua homenagem que alguns

apaixonados especialistas em jazz da região de Stuttgart resolveram fundar

um clube dedicado a este tipo de música.

Instalado em um prédio histórico de dois andares, o Bix pode acomodar

quase 200 visitantes, e se divide em dois espaços com atmosferas bastante

distintas: enquanto o térreo se abre em uma platéia espaçosa para performances

de jazz ao vivo, o piso superior tem um lounge que oferece

uma área mais intimista.

The prima donna “music” in high contrast What could jazz and

Germany share in common? The answer is Bix Beiderbecke, one of the

most important North-American cornet-players of the 1920’s, who was

of German extraction. It was in his honour that a small group of jazz aficionados

in the Stuttgart region decided to start a club devoted to this

kind of music.

Located within a two-storey historic building, the Bix can accommodate

around 200 guests, and is divided into two spaces of distinctly differing

surroundings: whilst the ground floor opens up into a spacious auditorium

for live jazz performances, the floor above houses a lounge offering a more

intimate atmosphere.

L+D

63


No piso térreo, o fórum de jazz é demarcado por um painel de tiras de

alumínio anodizado cor de cobre, o qual contorna o palco e avança em direção

aos assentos da platéia. A iluminação do painel é feita por meio de um

trilho compacto de alumínio com lâmpadas Xenon e refletor parabólico, e

recebe, ainda, focos concentrados de luz (lâmpadas AR-111) em determinados

pontos, de forma a criar reflexos dinâmicos no ambiente. “A rica diversidade

do jazz é expressada aqui de modo figurativo”, explica o arquiteto Giorgio

Bottega em relação ao jogo de luz nas placas. Ao mesmo tempo, as placas

assumem função acústica, como se fossem uma gaze que revestisse a parede

de fundo. O forro, que é mantido escuro, em uma atitude totalmente “jazz

club”, recebeu um reboco acústico, fazendo com que o som esteja presente

no ambiente, mas não seja tão alto a ponto de não permitir nenhum tipo

de conversação.

No melhor estilo dos filmes norte-americanos dos anos 1930, a atmosfera

do clube é caracterizada pelo forte contraste entre as áreas claras e escuras.

“Nós queríamos criar uma atmosfera típica dos clubes de jazz e trabalhamos

com as luzes em feixes, provenientes de fontes invisíveis”, revela o lighting

designer Michele A. Rami. Luzes pontuais (lâmpadas AR-111) destacam as

mesas no térreo e também no lounge e dão ritmo às cortinas e divisórias

têxteis com focos concentrados. Luminárias com lâmpadas dicróicas e uma

“linha” de fluorescentes tubulares (T5) completam a iluminação das cortinas.

Lâmpadas T5 também são usadas no equipamento instalado na parte inferior

do tampo dos balcões, conferindo-lhes destaque. Além das tiras de alumínio

anodizado, o único elemento tridimensional está localizado na entrada: cinco

grandes tubos iluminados com lâmpadas PAR-38 flutuam no alto do recinto,

aproveitando o pé-direito duplo.

À esquerda, detalhe das tiras de alumínio, que

refletem as luzes recebidas de lâmpadas Xenon

e AR-111. No alto da página, à direita, vista da

entrada: grandes luminárias tubulares dominam

a cena | On the left, a detail of aluminium strips

which reflect the light from Xenon and AR-111

lamps. At top right, a view of the entrance: huge

tubular lights dominate the scene







L+D

64




1. Luminária M5 (lâmpada AR-111) | M5 light (AR-111 lamp)

2. Revestimento em MDF pintado | Painted MDF coating


3. Transformador | Transformer

4. Luminária LU4X (lâmpada Xenon) + cobertura Opal VSM| LU4X

light (Xenon lamp) + VSM Opal covering

5. Revestimento para absorção de ruídos | Sound absorbing

coating

6. Fibra mineral, não-tecido com estampa têxtil | Fleece in textile

printing-motif fabric

7. Radiadores de vapor | Steam radiators

8. Placa de fibrocimento pintada | Sheet of painted asbestos

cement

9. Tiras de alumínio torcidas, com pintura a pó | Strips of twisted

aluminium, powdercoated





















On the ground floor, the “jazz forum” is separated off by a panel of

twisted strips of copper-coloured anodised aluminium which surrounds the

stage and audience. This panel is lit by a compact aluminium track with

Xenon lamps and a parabolic reflector, and also accentuated by concentrated

beams at selected points (AR-111 lamps) so that varying dynamic

reflections are created in the room. “The rich diversity of jazz finds expression

here in a figurative fashion”, explains architect Giorgio Bottega, with

regard to the light-play on the panels. At the same time, the panels also

fulfil an acoustic function, as if they were a kind of gauze covering the

rear wall. The ceiling lining, which is dark, totally in keeping with jazz club

tradition, is coated with an acoustic plaster, lending presence to the music

in the room without excluding the possibility of conversation.

In the high style of the North-American films of the 1930’s, the club’s

atmosphere is typified by the powerful contrast between light and dark

areas. “We sought to create an atmosphere that was typical of those jazz

clubs and so we worked with light beams coming from hidden sources,”

divulges lighting designer Michele A. Rami. Point sources (AR-111 lamps)

highlight the ground-floor tables as well as those in the lounge, and supply

rhythm, with concentrated beams, to the curtains and textile partitions.

Dichroic light fittings as well as a “line” of T5 fluorescent tubes complete

the lighting of the curtains. T5 lamps are also used in the lighting equipment

installed on the undersides of the counter-tops, setting them off. Besides

the anodised aluminium strips, the only other three-dimensional element

is located in the entrance-hall: five enormous tubes, lit with PAR-38 lamps,

hover overhead, taking advantage of the two-storey ceiling height.

L+D

65


Abaixo, duas vistas do lounge, localizado no piso

superior: a iluminação discreta e pontual reforça a

atmosfera intimista do ambiente. À direita, o jazz forum

durante uma apresentação | Below, two views of the

lounge on the first floor: the discreet lighting from

point sources reinforces the intimate atmosphere. On

the right, the “jazz forum” during a show

Um controle de iluminação facilmente ajustável, com cenários programáveis

e manualmente selecionáveis, possibilita criar diferentes atmosferas luminosas

conforme as exigências funcionais ou o clima desejado no clube.

No que diz respeito às cores, os designers optaram por tons terrosos – whiskey

e conhaque – , quentes mas não muito escuros. Os elementos cor-delatão

foram introduzidos em uma analogia aos instrumentos de jazz, como o

saxofone e o trompete. Por toda a parte, são apenas quatro cores que dão ao

clube uma atmosfera unificada. Devido às diferentes propriedades refletivas

dos materiais utilizados, como por exemplo a madeira, o alumínio anodizado

e os tecidos, o espectro de cores percebido se torna muito mais amplo.

Trabalhar com as hierarquias da percepção foi uma das linhas mestras

do projeto, e também um dos prováveis motivos de seu sucesso.“Nós não

quisemos jogar com muitos ornamentos ou cores diferentes. Cada ambiente

tem, no máximo, um elemento de destaque, um ‘herói’ que se constitui em

um gesto forte”, explica o arquiteto Henning Ehrhardt. E seu colega Giorgio

Bottega resume perfeitamente: “nós tentamos criar espaços que sempre

permaneçam quietos”. Nada mais adequado para um clube de jazz, onde a

grande estrela é a música.

An easily adjustable lighting control, with manually selectable and programmed

lighting plans, makes it possible to create different lighting atmospheres

according to functional requirements or the mood of the club.

With regard to the colours, the designers went for earthy colours — whiskey

and cognac — warm, but not too dark. The brass-coloured elements were

brought in as an analogy to the jazz instruments, such as the saxophone and

trumpet. Throughout, there are only four colours, which imparts a unified

atmosphere to the club. However, due to the differing reflective properties

of the materials used, as for example, wood, anodised aluminium and

textiles, the perceived colour spectrum is greatly amplified.

Working with perceptual hierarchies was an important part of the project’s

master-plan, as well, no doubt, as one of the main reasons for its success.

“We did not want to play with many ornaments or different colours. Each

room gets one eye-catcher at most, one “hero” that ought to be a strong

gesture,” explains architect Henning Erhardt. And his colleague, Giorgio

Bottega, sums it up to perfection: “We try to create spaces that always

stay quiet.” What could be more appropriate for a jazz club, where the

leading star is the music itself?

L+D

66

L+D

67

Clube de jazz Bix | BIX JAZZ CLUB

Stuttgart, Alemanha | Germany

Projeto de Iluminação | Lighting project:

Michele A. Rami – Candela Lichtplanung

Arquitetura | Architecture:

Bottega + Ehrhardt Architekten GmbH

Fornecedores | Suppliers: Agabekov, Bega, Regiolux, Ribag,

Ridi, RZB, TAL, Viabizzuno


perfil | profile

Na página ao lado, Carlos Fortes (à esquerda) e Gilberto

Franco, titulares do escritório Franco + Fortes Lighting

Design | On facing page, Carlos Fortes (left) and Gilberto

Franco, partners in Franco + Fortes Lighting Design

Luzombra

Não há luz sem sombra nem sombra sem luz

Elas se pressupõem uma a outra,

Assim como o cheio e o vazio, a vida e a morte.

Costumamos achar que a luz é que revela e a sombra é

que esconde.

A luz acentua e distingue – mas também uniformiza,

ofusca, confunde.

Sombras por vezes se embaralham, se disfarçam de objetos,

mas podem revelar formas, volumes ou texturas. Então

qual nos revela, qual nos confunde, afinal?

Ambas, amalgamadas, as duas coisas. Luzombra.

Lightshadow

No light there is but shadow has, nor shadow without light,

Demanding one the other,

As fullness demands emptiness, as death does life.

We think that light reveals what shadow but conceals.

Light marks, divides — yet regiments, blinds and confounds.

But shadows, mingling oft, parade as objects — forms, bulk or

textures to reveal.

So which of them reveals and which confounds withal?

Amalgamated, both in one. Lightshadow.

Carlos Fortes e Gilberto Franco

Texto | Text: Mariana Lacerda

L+D

68

Handmande Design

O texto na página ao lado, escrito pelo

arquiteto Gilberto Franco, discorre sobre o trabalho coordenado por seu

sócio, Carlos Fortes, para a ambientação de um showroom de artigos de

iluminação em São Paulo, e bem sintetiza a essência do trabalho da dupla:

o domínio do impreciso, da luz e da sombra, na arquitetura.

Quando Gilberto Franco e Carlos Fortes começaram a trabalhar juntos, o

mercado brasileiro de arquitetura da iluminação já dava seus primeiros passos.

O que acontecia graças ao trabalho pioneiro de alguns lighting designers,

dentre eles a paulistana Esther Stiller. Foi no escritório dela que os dois

arquitetos iniciaram suas carreiras como colaboradores – tendo se tornado,

inclusive, sócios de Stiller. Até o momento oportuno em que os anseios e as

vontades dos dois se entrecruzaram, e então fundaram seu próprio escritório,

o Franco + Fortes Lighting Design.

Lá se vão 11 anos. E a dupla consolidou-se como uma das mais fortes

referências em lighting design no Brasil, com um conjunto diversificado de

projetos, dentre casas, lojas, aeroportos, monumentos, exposições, centros

comerciais, logradouros públicos que constituem o extenso portfólio do escritório,

que já desenvolveu mais de mil projetos.

A longa lista de trabalho é acrescida de um item digno de nota: a postura

da dupla diante da profissão de lighting designer que, embora já consolidada,

ainda não está regulamentada no Brasil. Foi na Franco + Fortes que aconteceu

Dominion of the imprecise The text on facing page, written by architect

Gilberto Franco, comments on the work co-ordinated by his partner,

Carlos Fortes, for a showroom for light fittings in São Paulo, and neatly

sums up the essence of this partnership’s work: dominion of the imprecise,

of light and shadow in architecture.

When Gilberto Franco and Carlos Fortes first started working together,

the Brazilian market for architectural lighting was just taking its first steps.

This was happening thanks to the pioneering efforts of a handful of lighting

designers, prominent amongst whom was Esther Stiller from São Paulo. It

was in her firm that these two architects first started their collaborative career

— having become, moreover, Stiller’s partners. This was only until such opportune

moment arose when the pair’s aspirations and ambitions merged

and they formed their own firm, Franco + Fortes Lighting Design.

That was eleven years ago, and the partners soon established themselves

as one of the most important points of reference in Brazilian lighting design,

with a widely varying range of projects. Among these figure homes,

shops, airports, monuments, exhibitions, commercial centres and public

buildings, that together constitute an extensive portfolio of the firm which

has, so far, developed over a thousand projects.

To this long list of works should be added a noteworthy comment: the

pair’s stance in relation to the profession of lighting designers, which,

L+D

69


Na página ao lado, o interior do Museu da Língua Portuguesa e a fachada da Estação

da Luz, em São Paulo, onde o museu está instalado; a iluminação – que no exterior

privilegia as aberturas de portas e janelas e no interior dialoga com a nova função

do espaço – recebeu o prêmio Award of Merit do 24º International Lighting Design

Awards, da IALD | On facing page, interior of the Museum of the Portuguese Language

and the façade of the Luz Station in which the museum is installed; the lighting won

the Award of Merit from the 24th IALD International Lighting Design Awards

L+D

70

Requalificação arquitetônica | Architectural reform: Paulo Mendes da Rocha (fachada e interior) e Pedro Mendes da Rocha (interior) Fotos | Photos: Andrés Otero

a primeira reunião para a criação da Associação Brasileira de Arquitetos de

Iluminação (AsBAI), fundada oficialmente em 1999 com o compromisso de

fortalecer a profissão, ao destacar a importância dos projetos de iluminação

no âmbito da arquitetura, e também promover a excelência na realização

destes projetos. No ano passado, vale dizer, Gilberto Franco esteve à frente da

presidência da AsBAI, e neste ano, após o escritório ter sido premiado na 24ª

edição do prêmio da IALD (International Association of Lighting Designers),

com o projeto do Museu da Língua Portuguesa implantado na Estação da

Luz, em São Paulo, Franco foi eleito membro da diretoria da IALD. Evidentes

reconhecimentos à altíssima qualidade do trabalho realizado pela dupla.

ESSÊNCIA

O portfólio extenso e variado dos projetos assinados por Gilberto Franco

e Carlos Fortes resulta da combinação perfeita das aptidões distintas de

cada um. Franco dedica-se muito a entender e interpretar a luz enquanto

matéria, dentro de suas características, possibilidades e limitações. “Já o Carlos

sempre foi metódico”, diz ele, se referindo à facilidade que o colega tem de

compreender, às vezes com poucas informações, a essência da arquitetura

e, portanto, de seu projeto de iluminação. “Estas duas características nossas

fazem com que rapidamente possamos alcançar aquilo que chamamos

de partido do projeto de iluminação – um conceito, aliás, ao qual somos

bastante apegados”, destaca Franco. Tamanha afinidade permitiu inclusive

que Franco pudesse discorrer com poesia sobre o trabalho coordenado por

Fortes no showroom da La Lampe, no texto produzido para o catálogo da

mostra, citado no início desta matéria.

though recognised, is not yet regulated in Brazil. It was precisely at Franco

+ Fortes that the first meeting was held for the creation of the Associação

Brasileira de Arquitetos de Iluminação (AsBAI — the Brazilian Lighting Architects’

Association), officially founded in 1999, with the aim of reinforcing

the profession by highlighting the importance of lighting projects in

architecture, as well as by promoting standards of excellence in the execution

of such projects. Last year, it is worth mentioning, Gilberto Franco was

president of the AsBAI, and this year, after the firm’s success in the 24th

IALD (International Association of Lighting Designers) awards with their

project for the Museu da Língua Portuguesa (Museum of the Portuguese

Language) established at the Luz Train Station in São Paulo, Franco was

elected a member of the IALD directors’ board. This demonstrates a clear

recognition of the quality of the work achieved by these two designers.

THE ESSENCE

The extensive and varied portfolio of projects by Gilberto Franco and Carlos

Fortes is the result of a perfect combination of the differing talents of each

one. Franco devotes himself principally to understanding and interpreting

light as a building material, with all its characteristics, potentialities and

limitations. “Now Carlos has always been methodical,” he says, referring

to his colleague’s facility, often on the basis of very scanty information, in

grasping the essence of the architecture and, consequently, of the appropriate

lighting project. These twin characteristics of ours work together so

that we can quickly come up with what we call our “departure point” for

the lighting project — a concept, by the way, to which we have become

L+D

71


Abaixo, o Mercado Municipal de São Paulo; durante

o dia, a luz natural adentra, filtrada, pelos vitrais

que, ao anoitecer, realizam a ação inversa: emitem

luzes coloridas. Na página ao lado, megastore da

Tok & Stok: em toda a rede, iluminação que preserva

a simplicidade e a versatilidade dos ambientes. |

Below, São Paulo’s Municipal Market On facing

page, Tok & Stok megastore

Arquitetura | Architecture: Felippe Crescenti Foto | Photo: Andrés Otero

rather attached”, underscores Fanco. Such affinity allowed Franco even to

comment in poetry on the work co-ordinated by Fortes at the La Lampe

showroom, in the text quoted at the beginning of this article.

L+D

72

Requalificação arquitetônica | Architectural requalification: Pedro Paulo de Melo Saraiva Foto | Photo: Andrés Otero

Diálogo entre as diferenças: tipologias variadas de projetos, traços distintos

dos arquitetos. Mas uma linha, um princípio, atravessa o modo de pensar

de ambos e se reflete em seus projetos de iluminação: a qualidade. Conquistada,

por sua vez, por meio de uma maneira despretensiosa de observar

cada proposta de trabalho que lhes chegam às mãos. Mais do que antever

solução ou tecnologia geniais, “o mais importante é entender as necessidades

de iluminação de um projeto”, diz Fortes. O restante, ou seja, sua execução

propriamente, aparece como uma conseqüência desta primeira abordagem.

E resulta “em uma resposta a um projeto que seja a tradução dos desígnios

da arquitetura, dentro da linguagem da luz”, afirma Franco. Esta metodologia

reafirma a vocação dos lighting designers de projetarem alinhados às

tendências internacionais de iluminação e sustentabilidade, sem, contudo

deixar de agregar a seus projetos os próprios conceitos desenvolvidos ao

longo de quase duas décadas de prática profissional.

Trabalhos que mais lhe atraem? Aqueles que trazem grandes desafios. Um

exemplo é a iluminação das obras de Renoir, para a exposição no Masp, em

2002. Sujeitos a severas limitações, como as normas técnicas para controle

dos índices de irradiação por raios ultravioletas (descritas em minúcias pelos

técnicos europeus), perseguiram com afinco a iluminação mais adequada a

cada obra. Tudo aliado a um orçamento baixo. “Com todas as dificuldades,

conseguimos trabalhar considerando a essência do que era necessário para

iluminar a exposição”, lembra Fortes.

A dialogue of differences: varying types of projects, distinctive features of

the two architects... Yet a distinct line, a unifying principle, runs through the

thought patterns of both and finds itself reflected in their lighting projects:

it is that of quality — conquered, for its part, by means of an unpretentious

manner of looking at each working proposal that comes their way.

Beyond just coming up with brilliant solutions or technology, “the most

important thing is understanding a project’s lighting needs,” says Fortes.

The rest, that is to say, its execution proper, simply follows on as a result

of this initial approach. And it results “in a response to the project that

is the translation of the architectural design into the language of light,”

asserts Franco. This methodology reaffirms the vocation of these lighting

designers to create projects in line with international trends in lighting and

sustainability, without, however, neglecting to incorporate in their projects

those self-same concepts developed in the course of nearly two decades

of professional activity.

The jobs that most attract them? Those that offer the greatest challenges.

One example is lighting the works of Renoir for the MASP exhibition, in

São Paulo, in 2002. Subjected to severe constraints, such as the technical

standards for the control of ultra-violet radiation (described in detail by

European technicians), they doggedly sought out the ideal lighting set-up

for each work. And all this bound up with a tight budget. “With all these

difficulties, we still managed to work taking into consideration the essence

of what was needed to light the works,” recalls Fortes.

L+D

73


Arquitetura | Architecture: Felippe Crescenti Foto | Photo: Andrés Otero

Arquitetura | Architecture : Arthur Casas Foto | Photo: Tuca Reinés

L+D

74

Acima, estúdio de Jacqueline Terpins, cujo

trabalho é marcado pelo uso do vidro. “Vidro

e luz, duas matérias que se amalgamam”,

diz Gilberto Franco, se referindo à parceria

entre Franco + Fortes e a designer | Above,

designer Jaqueline Terpins’ studio in São

Paulo. On facing page, other projects in São

Paulo: upper photo, the Escape Bar; lower

photo, the La Lampe showroom

L+D

75

Na página ao lado, outros projetos realizados na capital paulista; no

alto, Escape Bar: iluminação indireta que, no sistema RGB, permite

inúmeras gamas de cores; na seqüência, cenários criado para o

showroom La Lampe em São Paulo: efeitos obtidos por meio de

elementos antagônicos – a luz e a sombra

Foto | Photo: Andrés Otero


Projeto de montagem: | exhibition design: Julio Neves / Vasco Caldeira Foto | Photo: Gilberto

Arquitetura | Architecture: Aflalo & Gasperini Foto | Photo: Nelson Kon

Those who visited the exhibition will probably not remember the light-

L+D

76

Acima, iluminação da exposição “Renoir, o Pintor da

Vida” (Masp, 2002): o projeto luminotécnico cumpriu

rígidos princípios para controle de luz. Na página ao

lado, Centro Universitário Senac São Paulo, instalado

em uma antiga fábrica requalificada: a iluminação

dialoga com o antigo edifício, respeitando os seus

novos e múltiplos usos | Above, lighting for 2002

MASP exhibition, “Renoir, the Painter of Life”. On

facing page, Senac University Centre

Quem viu as obras de Renoir no Masp muito provavelmente não se recorda

da luz, mas, claro, das fantásticas pinturas do artista impressionista.

É justamente esta a questão: numa arquitetura, numa cenografia, numa

mostra de artes, o que se percebe é a peça, o objeto, raramente a luz

que os revela. Manipular com sabedoria essa secreta simpatia entre luz

e a sombra (“Luzombra”), traduzir o visível e, assim, tornar o mundo ao

nosso redor perceptível e sensível é o que resume o trabalho do escritório

Franco + Fortes Lighting Design.

Dentre os projetos desenvolvidos atualmente pela Franco + Fortes

destacam-se a Praça Victor Civita, parceria entre a Editora Abril e a

Prefeitura de São Paulo, a ser implantada no terreno contaminado

de um antigo incinerador de lixo e que abrigará o Museu Aberto da

Sustentabilidade; o pavilhão da artista plástica Adriana Varejão, no

Centro de Arte Contemporânea Inhotim, em Minas Gerais; a unidade

Belenzinho do Sesc São Paulo; e os edifícios comerciais Torre IV e E-

Business Park, também na capital paulista, que se enquadram nas

recomendações internacionais de certificação LEED.

ing, but, rather, the marvellous paintings of this impressionist artist. This is

as it should be: in architecture, in scenic design, in an art exhibition, what

one takes in is the work itself, the object, and only rarely the lighting that

reveals it. The intelligent manipulation of this secret sympathy between

light and shadow (“Lightshadow”), the translation of the visible, so rendering

the world around us perceptible, is precisely what sums up the work

of Franco + Fortes Lighting Design.

Prominent among the current projects of Franco + Fortes Lighting

Design are: Victor Cívita Square, a partnership between the

publishers Editora Abril and São Paulo City Council, to be located

on the contaminated site of an old refuse incinerator and destined

to house the Open Museum of Sustainability; plastic artist Adriana

Varejão’s pavilion at the Inhotim Contemporary Arts Centre, in Minas

Gerais; the Belenzinho unit of SESC São Paulo; and the Nações

Unidas Business Centre Tower IV and E-Business Park, both also

in São Paulo’s capital city, and conforming to LEED international

certification recommendations.

L+D

77


produtos | products




HANGING NEST E FLOATING NEST

Dominici

Criados pelo designer Angus Hutcheson, o pendente Hanging Nest

e o abajur Floating Nest são fabricados com as fibras do rattan, das

quais descasca-se a parte externa, utilizando-se apenas o miolo, com

1mm de diâmetro, para garantir a maciez. Os fios do “coração” de

rattan são, então, enrolados aleatoriamente, formando difusores que

lembram ninhos. Assim, os difusores – fabricados à mão – enfatizam

de forma delicada as qualidades de cada um dos exóticos materiais

naturais e renováveis utilizados.












Created by designer Angus Hutcheson, the pendant Hanging Nest and

the Floating Nest table-lamp are made out of rattan fibres, stripped of their

outer coatings and using only the core of 1mm diameter to ensure flexibility.

These threads from the “heart” of the rattan are then wound randomly to

create diffusing shades looking like birds’ nests. In this way, the handmade

shades delicately emphasise the qualities of the exotic, natural and renewable

materials used.

SOL MR16 LED SERIES





Lamina


Pendente Hanging Nest | Pendant Hanging Nest

Diâmetro: 35cm; altura: 23cm | Diameter: 35cm Height 23cm

Abajur Floating Nest | Floating Nest table-lamp

Diâmetro: 33cm; altura: 33cm | Diameter: 33cm Height: 33cm

O sistema Sol MR 16 LED, da fabricante norte-americana Lamina,

integra uma fonte de LED de alta potência (8W), lente ótica e um

receptáculo térmico de alta performance, no formato de uma lâmpada

halógena tradicional.

Sua aplicação é direta, sem a necessidade de qualquer adaptação.

É dimerizável e tem IRC superior a 80% e vida útil de 50.000 horas

(se respeitadas as especificações de utilização do fabricante). A Sol

MR 16 LED está disponível nas cores Warm White, Daylight White e

TruColor, com ângulos de 38°, 32° e 57°, respectivamente.

L+D

78

Info: www.dominici.com.br

Tel: +55 (11) 3087-7788

The Sol MR 16 LED series, from the North-American manufacturer Lamina,

integrates a high-power source (8W), an optical lens and a high-performance

thermal heat-sink shell into the format of a traditional halogen lamp.

It can be used directly, without needing any adaptation. It is dimmable

and has an IRC of over 80% and a 50,000-hour working-life (within the

manufacturer’s specifications for use). The Sol MR 16 LED is available in tones

of Warm White, Daylight White and TruColor, with angles of 38º, 32º

and 57º respectively.

Info: www.laminaceramics.com

No Brasil: Lemca Led Solutions

www.lemca.com.br

tel: +55 (11) 6827-0602

L+D

79


produtos | products

1

2

VEGA 95

Almeco

Vega 95 é um alumínio de alta reflexão e avançada tecnologia

produzido pela empresa italiana ALMECO S.p.A.

Possui a base anodizada recoberta por uma camada de alumínio

de pureza 99,99% de alta refletância e uma dupla camada externa

de óxido depositado a vácuo modificado para o máximo de ganho

de reflexão.

A tecnologia PVD (“Physical Vapour Deposition”) aplicada no Vega

95 permite a obtenção de ótimos valores de reflexão total, superiores

a 95% (DIN 5036-3 Esfera Integradora de Ulbricht) – 13% acima do

alumínio-padrão, pré-anodizado. Em função disto, o produto possibilita

sensível economia de energia, aumentando o rendimento dos

aparelhos de iluminação em até 20%.

O alumínio Vega 95 é ideal para aplicações nas quais são necessárias

superfícies de alta reflexão, como refletores para as lâmpadas de alta

eficiência, unidades de back-lights, superfícies para concentração de

luz solar e sistemas daylight.

As luminárias da linha Silver & Black utilizam LEDs de 3W e são produzidas

em alumínio usinado, utilizando tecnologia CNC que confere

ao produto alta precisão dimensional e padrão de acabamento.

A superfície das luminárias recebe tratamento microtexturizado e

anodizado nas cores prata e preto fosco, enquanto seus mecanismos

de articulação, os “miolos”, são em alumínio polido anodizado

em natural.

Possui sistema de orientação do facho, que oferece ao usuário

grande flexibilidade (30º no eixo vertical e 360º no eixo horizontal)

mesmo nas peças de face quadrada – apenas o miolo se move.

As luminárias desta linha também são flexíveis quanto à abertura

de facho e temperatura de cor. Fachos de 6º, 10º, 25º e 40º e temperaturas

de 3.000ºK e 5.000ºK.

O modelo Multiplus Quattro (quatro fachos orientáveis de 3W cada)

permite que se tenha, na mesma peça, duas aberturas de fachos e

temperaturas de cor diferentes.

Ponto importante no projeto desses equipamentos é o sistema de

dissipação térmica dos LEDs: dissipadores de calor exclusivos colaboram

para a extensão da vida útil dos diodos.

SILVER & BLACK

Ledpoint

The lights in the Silver & Black line use 3W LEDs and are made out of machined

aluminium using CNC technology, giving the product high dimensional

precision and quality of finish.

The lights’ surface is treated with micro-texturing and anodising in the

colours black and matt black, while their articulations, their “cores” are in

natural polished anodised aluminium.

They have a beam adjustment system offering the user great flexibility (30º

on the vertical axis and 360º on the horizontal) even on the square-faced

models — only the core moves.

The lights in this line are also flexible with regard to the beam angle and

colour temperature. Angles of 6º, 10º, 25º and 40º as well as temperatures

of 3,000ºK and 5,000ºK are possible.

The Multiplus Quattro model (four adjustable beams of 3W each) allows

one to have in the same light two different apertures of beams and colour

temperatures.

An important point in the design of this equipment is the LED’s heat dissipation

system: exclusive thermal heat-sink shells help prolong the diodes’

working-life.

Vega 95 is a type of aluminium of high reflectivity and advanced technology,

produced by the Italian firm ALMECO S.p.A.

An anodised base is covered with a layer of high-reflectance 99.99% pure

aluminium and an external double layer of oxide that is vacuum deposited

and modified for maximum gain in reflectivity.

Características do sistema de revestimento | Coating System

L+D

80

PVD (Physical Vapour Deposition) technology applied to Vega 95 permits

the obtaining of optimal total reflectance values above 95% (DIN 5036-3

Ulbricht Integrating Sphere) — 13% more than standard aluminium. As a

Characteristics

- dupla camada de óxido (refletor e protetor)

- camada de alumínio PVD (99,9%)

3

L+D

81

result, this product makes possible considerable savings in energy, increasing

- camada de ligação

output in lighting equipment by as much as 20%.

Veja 95 aluminium is ideal for applications in which highly reflective surfaces

- camada de alumínio anodizado

- carcaça de alumínio

4

are required, such as reflectors for high-efficiency lamps, back-lighting units,

Conheça a linha:

surfaces for concentrating the sun’s rays and daylight systems.

1. Una: luminária redonda com 1 LED de 3W

No Brasil: Lucchi Ltda.

2. Multiplus Uno: luminária quadrada com 1 LED de 3W

Info: LedPoint

Info: www.almeco.it

www.lucchi.com.br

3. Multiplus Quattro: luminária quadrada com 4 LEDs de 3W – total 12W

www.ledpoint.com.br

Tel.: + 55 (11) 3704-3737

4. Roxy (quadrada ou redonda): luminária com 3 LEDs de 3W – total 9W

Tel.: +55 (21) 2421-9051


PARA SABER MAIS | INFORMATION

Andrew Fentem

EMPAC

Guerrilla Lighting

Mônica Lobo

info@andrewfentem.com

Rensselaer Polytechnic Institute (RPI)

info@guerrillalighting.net

LD Studio

www.andrewfentem.com

110 8th Street

www.guerrillalighting.net

Rua Buenos Aires, 79, cj. 501

Winslow Building

20070-020 Rio de Janeiro, RJ

12180 Troy, NY

Brasil

Candela Lichtplanung

U.S.A.

Jason Bruges Studio

ldstudio@ldstudio.com.br

Kronenstrasse 32

www.empac.rpi.edu

Studio 2.08, The Tea Building

70174 Stuttgart

56 Shoreditch High Street

Germany

E1 6JJ London

Roger Narboni

www.candela.de

Erco América Latina

United Kingdom

Concepto

Av. Alicia M. De Justo 2030, Of.202

www.jasonbruges.com

Parc de Garlande

1106 Buenos Aires - Argentina

1 rue de l’Egalité

David Bird

tel: + 54 (11) 4313-14 00

F92220 Bagneux

Vision Design Studio

www.erco.com

LKL – Licht Kunst Licht

France

Level 5, Midtown Tower

Argelanderstrasse 148

roger.narboni@concepto.fr

246 Bourke Street

D-53115 Bonn

3000 Melbourne

Franco + Fortes Lighting Design

Germany

Australia

Rua Capitão Prudente, 43

www.lichtkunstlicht.de

Theodore Watson

www.lincolnescott.com

05422-050 São Paulo, SP

www.muonics.net

Brasil

www.francoefortes.com

PATROCINADORES | ADVERTISERS INDEX

Altena

T: +55 (11) 4602-8664

www.altena.com.br

Interlight

T: + 55 (11) 4789-9966

www.interlight.com.br

Lumini

T: +55 (11) 5522-1988

www.lumini.com.br

Schréder do Brasil

T: +55 (11) 6114-4300

www.schreder.com

Btcino (Brasil)

T: +55 (11) 5644-2400

www.bticino.com.br

Itaim Iluminação

T: +55 (11) 4785-1010

www.itaim.ind.br

Luz & Design

T: +55 (41) 3033-3301

TYG

T: +55 (11) 5011-9679

www.tyg.com.br

DL Iluminação

T: +55 (11) 5538-3382

www.dliluminacao.com.br

LedPoint

T: +55 (21) 2421-9051

www.ledpoint.com.br

Marcelo Sikorski Design

www.marcelo Sikorski. com

Osram do Brasil

L+D

82

Fabbian Brasil

T: +55 (41) 3284-4000

www.fabbian.com

Light Design Iluminação

T: +55 (81) 3339-1654

www.lightdesign.com.br

T: 0800-557-084

www.osram.com.br

Philips Iluminação do Brasil

Iluminar

T: +55 (31) 3284-0000

www.iluminar.com.br

Lucchi

T: +55 (11) 3641-9955

www.luchi.com.br

T: +55 (11) 2125-0588

www.luz.philips.com


L+D

84

More magazines by this user