Views
6 months ago

Revista Criticartes 5 Ed

Revista Criticartes - Ano II, nº. 5 - 2016

O FESTACE

O FESTACE Revista Criticartes | 4º Trimestre de 2016 / Ano II - nº. 05 CRÔNICAS VENCEDORAS DO 1º CONCURSO FESTACE Cultura é respeito Laiza Tayná Reetz - 1º lugar Aluna do 1º ano IFMS/Ddos O que é cultura? Bom, de acordo com o dicionário cultura é ação, efeito, arte ou maneira de cultivar a terra, é aplicação do espírito a uma coisa, estudo, civilização. Cultura é bem mais que linguagem, dança, vestuário, religião, é a plena identidade de um país ou pessoa. O quão chato seria acordar de manhã, pegar um ônibus e ver todo mundo fazendo a mesma coisa? Desde vestir roupas iguais até ouvir a mesma música, seria totalmente entediante, pois a graça é ver pessoas diferentes todos os dias, cada um com seu estilo, modo de agir e falar. Quando eu era apenas uma menininha com 9 anos, ficava me perguntando porquê as mulheres usam burcas em certos países, ou por qual motivo as pessoas comem cachorros ou outros animais que para mim é estranho de se ingerir, entre outras perguntas como: qual é o sentido de acreditar em vários deuses? Por que em outros países é tão comum as gorjetas? Ou até mesmo a briga que gera quando alguém pergunta se é biscoito ou bolacha, claro que para mim é bolacha, mas não é por isso que julgo as pessoas que falam que é biscoito. Depois de certo tempo comecei a compreender e cheguei a conclusão que cultura é uma bicicleta e para saber como conduzi-la é necessária competência de saber e conhecer do que se trata, e o mais importante, percebi que a diversidade é o essencial. A cultura é inteligente, pois nos remete a respeitar aquilo que para nós nos parece estranho ou diferente, mas para outros é completamente normal. A solução é amar a todos não se importando com o modo de pensar de cada pessoa, é fazer como Albert Einstein disse: “Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor... Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo”. A cultura presente no nosso cotidiano Adrielly Santos Silva - 2º lugar Aluna do 1º ano IFMS/Ddos Há alguns dias estava caminhando na praça principal de Dourados quando reparei um grupo de vendedores de artigos artesanais fazendo propaganda de suas mercadorias; eles vendiam pulseiras e colares feitos à mão e algumas carteiras. Os vendedores vestiam roupas simples: um deles estava com - 36 - shorts, sem camisa e o cabelo rastafári; uma mulher estava com um longo vestido marrom e cabelos trançados. Estive algum tempo olhando os objetos de venda e reparei certo sotaque daqueles comerciantes. Eles aparentavam serem seguidores da religião jamaicana e fãs de Bob Marley, já que o cabelo rastafári e o cigarro lembra muito o cantor. Ao continuar minha caminhada, vi outro grupo de vendedores, só que desta vez eram indígenas; vendiam CD’S, DVD’S, pulseiras e colares confeccionados pela tribo deles. Ao deixar o grupo fiquei pensando o quanto é importante a variedade de povos e culturas no nosso dia a dia. O Brasil foi privilegiado com a diversidade de povos que vieram para cá; pois, nós temos grande influência da cultura deles, como dos indígenas aderimos o hábito de plantar mandioca e milho; dos italianos o hábito de comer pizza, polenta e macarrão; dos portugueses, a língua portuguesa e algumas comemorações populares como festa junina, páscoa e natal e vários outros costumes. Se não tivéssemos esta diversidade de cultura, não teríamos essa mistura de povos de diferentes costumes e tradições que habitam entre nós; somos um povo rico em cultura, pois aderimos um pouco de cada uso e costumes e formamos a cultura brasileira. www.revistacriticartes.blogspot.com.br

O FESTACE Revista Criticartes | 4º Trimestre de 2016 / Ano II - nº. 05 CRÔNICAS VENCEDORAS DO 1º CONCURSO FESTACE Um Passado Interessante Afonso Barbosa de Souza 3º lugar Aluno do 1º ano IFMS/Ddos Bose Yacu, matriarca da tribo dos Pacahuanas, na Amazônia peruana, morreu e levou consigo tradições, costumes, uma língua hoje já não mais falada, entre tantas outras coisas. Atualmente sua tribo já é considerada extinta e é aí então que vemos o quão frágil é a cultura e como pode simplesmente em segundos deixar de existir. Olhando para os dias atuais, se torna fácil notar a ameaça que rodeia a diversidade cultural. Temos vários exemplos como a morte de índios, porém, para melhor entendimento o melhor exemplo são nossos avós. A juventude está tão obcecada em aprender novas tecnologias e entrar ainda mais no mundo moderno que está se esquecendo de ouvir histórias de épocas passadas, de fatos que já aconteceram como a tentativa de extinção dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial e poder ouvir da boca de um sobrevivente seus costumes, suas tradições antes de tudo aquilo acontecer. Temos uma antiga geração disposta a diante suas crenças, sua própria cultura em si e que somada com a de várias pessoas diferentes, gera uma diversidade cultural imensa. Todavia vivemos em uma geração preocupada apenas com si mesma e é por conta disso que várias culturas se perdem, assim como aconteceu com Bose Yacu e todas as pessoas que vieram depois dela. Nos dias atuais sua tribo colhe os frutos de sua ignorância com o saber do passado. Ignorância ou Intolerância? Jean Pereira Ribeiro - 4º lugar Aluno do 1º ano IFMS/Ddos Há algum tempo atrás, eu estava sentado em frente da minha casa, tomava tereré e ouvia RAP. Enquanto eu tomava tereré, uma senhora se aproximou de mim e perguntou se o ônibus já havia passado, pois ao lado da minha casa ficava o ponto de ônibus. Respondi que o ônibus havia acabado de passar. A senhora olhou para mim e então proferiu a frase, “Não escute esse tipo de música, isso é música de bandido”. Ao ouvir essa frase, fitei a senhora e respondi que o RAP fez eu ser o que eu era. Em seguida entrei para dentro da minha casa e comecei a refletir. Aquela senhora era hipócrita, não aceitava novas culturas e ainda praticava o preconceito com um estilo musical. As pessoas do nosso século são robôs, movidas pelo - 37 - papel verde que move o mundo. A senhora disse que o RAP era música de bandido, Adolf Hitler não ouvia RAP e matou milhões de pessoas. Por outro lado, Sabotage, um grande rapper brasileiro, falecido, nunca aconselhou a prática do crime. Os robôs do nosso século não aceitam novas culturas, talvez por isso o mundo anda tão mal, o homem mata em nome da religião, as crianças brincam, mas suas brincadeiras são nas redes sociais. Ainda existem hipócritas criticando sem entender. O RAP é como o sol, ilumina caminhos. A arma do rapper não é um calibre 38, uma colt, uma glock. A arma do rapper é a caneta, o papel e a poesia. Será que aquela senhora já ouviu uma poesia do poeta da periferia, Sérgio Vaz? Acho que não. A alma daquela senhora fica presa na pior de todas as prisões, fica presa no corpo da intolerância. A hipocrisia é uma doença. É como a AIDS, que mata as pessoas aos poucos. A hipocrisia é a cocaína dos ricos, destrói vidas. A intolerância é o crack, enlouquece a mente. A ignorância é a maconha, confunde a alma. O julgamento é o álcool, corrompe as pessoas. O preconceito é a heroína, traz a infelicidade. A falta de humildade é o ecstasy, traz a felicidade e parte deixando a mágoa. Quando pararmos com o preconceito e percebermos o quão é importante a diversidade cultural, conviveremos em paz, e assim entenderemos o real significado da vida. www.revistacriticartes.blogspot.com.br

Revista Criticartes 2 Ed
criticartes
Revista Criticartes 3 Ed
criticartes
Revista CriticArtes 7 Ed
criticartes
Revista 5 - APCD da Saúde
apcd.saude.org.br
Revista Criticartes 4 Ed
criticartes
Revista ed.95 - Crea-RS
crea.rs.org.br
Revista Criticartes 1 Ed
criticartes
Ano 2 - Nº 5 - Beto Carrero World
betocarrero.com.br
Revista Caminhos - Ano 1 - nº 5 - CART
cartsa.com.br
REVISTA - Fenacon
fenacon.org.br
CAPA 125 - Revista Espírita
oespirita.com.br
Revista Terra e Tempo 149-152
terraetempo.com
Revista Casa do Cantador - Nasa Eventos
nasaeventos.com
Revista 2011 - Beija-Flor
beija.flor.com.br
Edição 84 - Revista Entre Lagos
revistaentrelagos.com.br
Edição 29 - Revista Algomais
revistaalgomais.com.br
madalena silva - Revista 365
revista365.com
Faça o download da revista completa - UniFil
unifil.br
faça download da revista completa - UniFil
unifil.br
download da revista - Irmãs de São José
isjbrasil.com.br