02.01.2017 Views

Relatório Gestão 2013

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Relatório Anual de Gestão<br />

<strong>2013</strong>


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


Oração para obter graça por intercessão<br />

de Madre Regina<br />

Senhor Jesus, aqui estamos em tua<br />

presença. Nós te louvamos e bem<br />

dizemos pela graça de termos a<br />

bem-aventurada Regina Protmann,<br />

mulher sábia e forte, como nossa<br />

intercessora.<br />

Tu a fizeste ser “mãe dos pobres”, mestra<br />

e amiga das crianças e dos jovens,<br />

esperança dos aflitos e dos abandonados.<br />

Atende o pedido da bem-aventurada<br />

Regina, que tua abençoaste, e socorre-nos<br />

em nossas famílias em crise, nossas<br />

crianças sem lar, nossos jovens sem rumo,<br />

nossos doentes sem médico, nossos pais de<br />

família sem emprego, nossos velhinhos sem<br />

consolo.<br />

Assim como regina, queremos viver unidos<br />

em nossa comunidade de fé e de vida cristã.<br />

Concede-nos, por sua intercessão, a graça<br />

(mencionar) para a tua maior honra e glória<br />

e para o nosso bem.<br />

Assim seja!


Índice<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX


Índice<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX<br />

XXXXXX<br />

p:XX


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


Evolução mensal<br />

do Quadro Social<br />

9.000<br />

8.000<br />

7.000<br />

6.000<br />

5.000<br />

4.000<br />

3.000<br />

2.000<br />

1.000<br />

0<br />

Janeiro<br />

Fevereiro<br />

Março<br />

Abril<br />

Maio<br />

Junho<br />

Julho<br />

Agosto<br />

Setembro<br />

Outubro<br />

Novembro<br />

Dezembro<br />

2010<br />

2011<br />

2012<br />

<strong>2013</strong><br />

Linear<br />

(<strong>2013</strong>)<br />

Entraram<br />

Saíram<br />

2.357 Cooperados,<br />

46,49% maior que todo<br />

ano anterior<br />

(1.609 em 2012)<br />

1.476 Cooperados, 46,46% do total<br />

no ano anterior (3.177 em 2012)<br />

Saíram da ACSC: 1144 (913 em 2012<br />

Pediram Demissão: 330 (520 em 2012)<br />

Faleceram: 2 (4 em 2012)


QUADRO SOCIAL<br />

Crescimento de 19,01%.<br />

totalizando 61,61% dos<br />

colaboradores da ACSC<br />

em relação a 2012<br />

5.956<br />

7.127 7.354<br />

7.677<br />

6.169<br />

7.380<br />

3.854<br />

4.547<br />

2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012<br />

<strong>2013</strong><br />

PE/ORÇAMENTO <strong>2013</strong><br />

PREVISÃO AlCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Colaboradores ACSC*<br />

% Participação<br />

Cooperados<br />

11.938<br />

65%<br />

7.312<br />

11.870<br />

62,17%<br />

7.380<br />

-68<br />

-2,83 pp<br />

+68<br />

* Colaboradores que nunca foram cooperados e estão importados em nosso sistema de Cadastro.


NO TOTAL DE 7.380 COOPERADOS,<br />

X.XXX<br />

SÃO DO SEXO FEMININO<br />

ISSO REPRESENTA XX% DA CARTEIRA DE<br />

COOPERADOS DA COOPERCREDI A.C.S.C.<br />

NO TOTAL DE 7.380 COOPERADOS,<br />

X.XXX<br />

SÃO DO SEXO MASCULINO<br />

ISSO REPRESENTA XX% DA CARTEIRA DE<br />

COOPERADOS DA COOPERCREDI A.C.S.C.<br />

NA COOPERCREDI A.C.S.C.<br />

XX% ESTÃO NA FAIXA ETÁRIA<br />

ENTRE 36 E 45 ANOS<br />

NA COOPERCREDI A.C.S.C.<br />

XX% ESTÃO NA FAIXA ETÁRIA<br />

ENTRE 36 E 45 ANOS<br />

42%<br />

44%<br />

42% 44% 10% 4%<br />

10% 4%<br />

18-24 25-34 35-44 45-54<br />

18-24 25-34 35-44 45-54


001 - Administração Corporativa<br />

39,29%<br />

002 - Hospital Santa Catarina<br />

69,27%<br />

003 - Casa de Saúde São José<br />

68,36%<br />

004 - Hospital Santa Teresa<br />

63,25%<br />

006 - Colégio Santa Catarina - MG<br />

17,47%<br />

22 - COOPERADOS<br />

34 - NÃO COOPERADOS<br />

56 - COLABORADORES<br />

1.490 - COOPERADOS<br />

661 - NÃO COOPERADOS<br />

2.151 - COLABORADORES<br />

862 - COOPERADOS<br />

399 - NÃO COOPERADOS<br />

1.261 - COLABORADORES<br />

456 - COOPERADOS<br />

265 - NÃO COOPERADOS<br />

721 - COLABORADORES<br />

40 - COOPERADOS<br />

189 - NÃO COOPERADOS<br />

229 - COLABORADORES<br />

013 - Lar Madre Regina<br />

90,41%<br />

66 - COOPERADOS<br />

07 - NÃO COOPERADOS<br />

73 - COLABORADORES<br />

017 - Hospital de Clínicas<br />

Nossa Senhora da Conceição<br />

70,09%<br />

225 - COOPERADOS<br />

96 - NÃO COOPERADOS<br />

321 - COLABORADORES<br />

014 - Centro de Conveniência<br />

Madre Regina<br />

100,0%<br />

05 - COOPERADOS<br />

0 - NÃO COOPERADOS<br />

05 - COLABORADORES<br />

018 - Núcleo Educacional<br />

Santa Catarina<br />

79,41%<br />

27 - COOPERADOS<br />

07 - NÃO COOPERADOS<br />

34 - COLABORADORES<br />

A COOPERCREDI A.C.S.C.<br />

REPRESENTA MAIS DE 61%<br />

DOS COLABORADORES DA<br />

ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO<br />

SANTA CATARINA<br />

023 - Colégio Santa Catarina - RJ<br />

64,00%<br />

16 - COOPERADOS<br />

09 - NÃO COOPERADOS<br />

25 - COLABORADORES<br />

024 - Creche Santa Catarina<br />

80,65%<br />

25 - COOPERADOS<br />

06 - NÃO COOPERADOS<br />

31 - COLABORADORES<br />

035 - Pôlo de Atenção Intensiva<br />

56,59%<br />

73 - COOPERADOS<br />

56 - NÃO COOPERADOS<br />

129 - COLABORADORES<br />

036 - Centro de Analises Clinicas<br />

50,25%<br />

200 - COOPERADOS<br />

198 - NÃO COOPERADOS<br />

398 - COLABORADORES<br />

NO ESTADO ONDE A A.C.S.C ESTÁ:<br />

São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso,<br />

Minas Gerais, Espírito Santo e Ceará<br />

040 - AME - Jardim dos Prados<br />

55,35%<br />

042 - Casa da Criança Vila Mariana<br />

50,00%<br />

043 - Hospital de Trauma-Ortopedia<br />

65,98%<br />

044 - Creche Monteiro Lobato<br />

50,00%<br />

045 - Creche Madre Regina<br />

87,50%<br />

88 - COOPERADOS<br />

71 - NÃO COOPERADOS<br />

159 - COLABORADORES<br />

05 - COOPERADOS<br />

05 - NÃO COOPERADOS<br />

10 - COLABORADORES<br />

161 - COOPERADOS<br />

83 - NÃO COOPERADOS<br />

244 - COLABORADORES<br />

20 - COOPERADOS<br />

20 - NÃO COOPERADOS<br />

40 - COLABORADORES<br />

28 - COOPERADOS<br />

04 - NÃO COOPERADOS<br />

32 - COLABORADORES


007 - Colégio Santa Catarina - SP<br />

66,86%<br />

008 - Hospital São José<br />

89,04%<br />

009 - Hospital Madre Regina Protmman<br />

50,77%<br />

010 - Escola Santa Catarina<br />

30,77%<br />

012 - Hospital São Luiz<br />

63,89%<br />

115 - COOPERADOS<br />

57 - NÃO COOPERADOS<br />

172 - COLABORADORES<br />

325 - COOPERADOS<br />

40 - NÃO COOPERADOS<br />

365 - COLABORADORES<br />

66 - COOPERADOS<br />

64 - NÃO COOPERADOS<br />

130 - COLABORADORES<br />

08 - COOPERADOS<br />

18 - NÃO COOPERADOS<br />

26 - COLABORADORES<br />

299 - COOPERADOS<br />

169 - NÃO COOPERADOS<br />

468 - COLABORADORES<br />

015 - Creche Sagrada Família<br />

75,00%<br />

016 - Residêncial Santa Catarina<br />

75,00%<br />

12 - COOPERADOS<br />

04 - NÃO COOPERADOS<br />

16 - COLABORADORES<br />

90 - COOPERADOS<br />

30 - NÃO COOPERADOS<br />

120 - COLABORADORES<br />

SOMOS MAIS DE<br />

7.300 COOPERADOS<br />

020 - Coopercredi A.C.S.C.<br />

100,0%<br />

23 - COOPERADOS<br />

0 - NÃO COOPERADOS<br />

23 - COLABORADORES<br />

021- Prôvincia Madre Regina<br />

100,0%<br />

07 - COOPERADOS<br />

0 - NÃO COOPERADOS<br />

07 - COLABORADORES<br />

JUNTOS NESSE<br />

PROPÓSITO<br />

027 - Centro de Referência do Idoso<br />

43,92%<br />

82 - COOPERADOS<br />

106 - NÃO COOPERADOS<br />

189 - COLABORADORES<br />

038 - AME - Itapevi<br />

69,62%<br />

110 - COOPERADOS<br />

48 - NÃO COOPERADOS<br />

158 - COLABORADORES<br />

031 - Organização Social A.C.S.C.<br />

70,05%<br />

1.878 - COOPERADOS<br />

803 - NÃO COOPERADOS<br />

2.681 - COLABORADORES<br />

039 - SEDI I<br />

19,35%<br />

06 - COOPERADOS<br />

25 - NÃO COOPERADOS<br />

31 - COLABORADORES<br />

046 - Hospital Regional de Cáceres<br />

34,17%<br />

047 - Hospital Estadual Central<br />

31,88%<br />

049 - Creche São José do Itamarati<br />

80,77%<br />

990 - Amparo Maternal<br />

100,0%<br />

999 - Amparo Maternal<br />

57,26%<br />

164 - COOPERADOS<br />

316 - NÃO COOPERADOS<br />

480 - COLABORADORES<br />

146 - COOPERADOS<br />

312 - NÃO COOPERADOS<br />

458 - COLABORADORES<br />

21 - COOPERADOS<br />

05 - NÃO COOPERADOS<br />

26 - COLABORADORES<br />

18 - COOPERADOS<br />

0 - NÃO COOPERADOS<br />

18 - COLABORADORES<br />

205 - COOPERADOS<br />

153 - NÃO COOPERADOS<br />

358 - COLABORADORES


VOLUMETRIA DAS CHAMADAS<br />

ORIGENS DOS ATENDIMENTOS<br />

80.000<br />

33,86%<br />

24,17%<br />

70.000<br />

75.653<br />

60.000<br />

50.000<br />

54.819<br />

53.574<br />

40.000<br />

4,95%<br />

16,67%<br />

30.000<br />

7,84%<br />

12,51%<br />

20.000<br />

2011 2012 <strong>2013</strong><br />

MALOTE<br />

DP/RH<br />

INTERNET<br />

E-MAIL<br />

PESSOAL<br />

TELEFONE<br />

PARTICIPAÇÃO POR CANAL<br />

<strong>2013</strong><br />

CANAL<br />

2011 2012 <strong>2013</strong><br />

Telefone<br />

Web<br />

Pessoal<br />

RH/DP<br />

E-Mail<br />

Malote<br />

Total<br />

17.330<br />

5.763<br />

17.417<br />

7.562<br />

5.231<br />

1.516<br />

54.819<br />

18.911<br />

8.987<br />

13.193<br />

6.676<br />

4.253<br />

1.554<br />

53,574<br />

25.616<br />

18.288<br />

12.609<br />

9.464<br />

5.930<br />

3.746<br />

75.653


CATEGORIA DAS CHAMADAS<br />

Capital<br />

Cartão<br />

<strong>2013</strong><br />

2.544<br />

<strong>2013</strong><br />

1.746<br />

2012<br />

2.574<br />

2012<br />

1.134<br />

2011<br />

2.903<br />

2011<br />

730<br />

1.000 3.000 5.000<br />

0 3.000 6.000<br />

Seguros<br />

Orientação Financeira<br />

<strong>2013</strong><br />

704<br />

<strong>2013</strong><br />

266<br />

2012<br />

1.522<br />

2012<br />

276<br />

2011<br />

1.254<br />

2011<br />

346<br />

0 1.500 3.000<br />

0 400 800


CATEGORIA DAS CHAMADAS<br />

Empréstimo<br />

Cooperado<br />

<strong>2013</strong><br />

36.430<br />

<strong>2013</strong><br />

26.506<br />

2012<br />

24.520<br />

2012<br />

19.820<br />

2011<br />

26.108<br />

2011<br />

17.224<br />

20.000 30.000 40.000<br />

10.000 20.000 30.000<br />

Parcerias<br />

Cobrança<br />

<strong>2013</strong><br />

4.037<br />

<strong>2013</strong><br />

3.253<br />

2012<br />

2.568<br />

2012<br />

745<br />

2011<br />

5.981<br />

2011<br />

0 4.000 8.000<br />

0 4.000 8.000


SITUAÇÃO DAS CHAMADAS<br />

2.756<br />

1.902<br />

1.535<br />

61 28 29 23 40<br />

8 1<br />

102<br />

10<br />

2011 2012 <strong>2013</strong><br />

Aguardando Posição<br />

Pendentes<br />

Não Resolvidas<br />

Resolvidas por falta de retorno<br />

90.000<br />

70.000<br />

RESOLUÇÃO DAS CHAMADAS<br />

54.819<br />

53.166<br />

53.574<br />

51.640<br />

75.653<br />

72.745<br />

50.000<br />

30.000<br />

10.000<br />

2011 2012 <strong>2013</strong>


DEPOSITOS NO CAPITAL SOCIAL<br />

600.000,00<br />

500.000,00<br />

400.000,00<br />

300.000,00<br />

200.000,00<br />

100.000,00<br />

-<br />

Depósitos 2010 Depósitos 2011 Depósitos 2012<br />

Depósitos <strong>2013</strong> Depósitos 2014<br />

Os depósitos de Capital alcançaram R$ 5,94 milhões, 20,28% maior<br />

que no mesmo período de 2012<br />

PE/ORÇAMENTO <strong>2013</strong><br />

PREVISÃO ALCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Depósitos R$ 6.026.519 R$ 5.945.393 R$ 81.126


SAÍDAS DE CAPITAL SOCIAL<br />

1.800.000,00<br />

1.600.000,00<br />

1.400.000,00<br />

1.200.000,00<br />

1.000.000,00<br />

800.000,00<br />

600.000,00<br />

400.000,00<br />

200.000,00<br />

-<br />

Resgates 2010 Resgates 2011 Resgates 2012 Resgates <strong>2013</strong><br />

As saídas totalizaram R$ 4,7 milhões, 28,02% menor que em 2012.<br />

PE/ORÇAMENTO <strong>2013</strong><br />

PREVISÃO ALCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Depósitos R$ 5.040.833 R$ 4.653.381 R$ 387.452


EVOLUÇÃO MENSAL DO CAPITAL SOCIAL<br />

25.000.000,00<br />

20.000.000,00<br />

15.000.000,00<br />

10.000.000,00<br />

5.000.000,00<br />

-<br />

Janeiro<br />

Fevereiro<br />

Março<br />

Abril<br />

Maio<br />

Junho<br />

Julho<br />

Agosto<br />

Setembro<br />

Outubro<br />

Novembro<br />

Dezembro<br />

Saldo 2010 Saldo 2011 Saldo 2012 Saldo <strong>2013</strong>


CAPITAL SOCIAL<br />

20.000.000<br />

18.000.000<br />

16.000.000<br />

14.000.000<br />

12.000.000<br />

10.000.000<br />

8.000.000<br />

6.000.000<br />

4.000.000<br />

2.000.000<br />

0<br />

2006 2008 2010 2012<br />

Evolução de<br />

21,16%<br />

Estimativa<br />

da Poupança<br />

R$ 917.009<br />

Evolução de<br />

21,16%


LIBERAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS<br />

3.000.000,00<br />

2.500.000,00<br />

2.000.000,00<br />

1.500.000,00<br />

1.000.000,00<br />

500.000,00<br />

-<br />

2010<br />

2011<br />

2012<br />

<strong>2013</strong><br />

Liberados contratos 11823 no total de R$ 26.006.425,43 no ano<br />

Prazo médio de 20 meses<br />

Valor médio de R$ 2.184,13, 15,27% maior que o ano anterior (R$ 1.893 em 2012)<br />

76,78% liberação de crédito novo - R$ 19.969.548,94<br />

22,84% refinanciamentos – R$ 5.939.782,19


LIBERAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS<br />

PRAZOS<br />

ANTERIOR / NORMAL<br />

COMPRA COOPERADA<br />

RECARGA TOTAL<br />

1<br />

CRÉDITO EXTRA 2<br />

CRÉDITO PESSOAL<br />

CREDI ACSC VIAGENS<br />

2<br />

CREDI ACSC ELETRO 3<br />

RENOVA LAR 4<br />

Até 6 Meses<br />

Até 12 Meses<br />

Até 18 Meses<br />

Até 24 Meses<br />

Até 30 Meses<br />

Até 36 Meses<br />

Até 48 Meses<br />

-<br />

1,90%<br />

-<br />

2,00%<br />

-<br />

2,15%<br />

-<br />

1,45%<br />

1,65%<br />

1,75%<br />

1,95%<br />

2,05%<br />

2,15%<br />

2,40%<br />

1,40%<br />

1,60%<br />

1,70%<br />

1,90%<br />

2,00%<br />

2,10%<br />

-<br />

Até 6 Meses<br />

1<br />

2 Até 12 Meses<br />

3 Até 24 Meses<br />

4 Até 36 Meses<br />

PRAZOS<br />

Até 24 Meses<br />

Até 36 Meses<br />

Até 48 Meses<br />

Até 60 Meses<br />

ANTERIOR<br />

REFINANCIAMENTO<br />

-<br />

2,60%<br />

-<br />

-<br />

1<br />

REFINANCIAMENTO<br />

REFINANCIAMENTO<br />

ZERO<br />

2,30%<br />

2,50%<br />

2,60%<br />

2,70%<br />

1 Até 48 Meses


LIBERAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS<br />

3,5<br />

3<br />

2,5<br />

2<br />

1,5<br />

1<br />

2011 2012 <strong>2013</strong><br />

Menor Taxa Maior Taxa Taxa Média<br />

2011<br />

2012 <strong>2013</strong><br />

Taxa Média de Juros 2,21% 2,26% 2,21%<br />

A redução de encargos gerou um economia de aproximadamente R$ 100.000 em <strong>2013</strong>.


EMPRÉSTIMOS: ECONOMIA PARA O COOPERADO<br />

Quanto custaria se os cooperados, em <strong>2013</strong>,<br />

tivessem usado o Crédito Pessoal dos bancos?<br />

Veja a simulação apenas de IOF,<br />

considerando o volume liberado em <strong>2013</strong>:<br />

INSTITUIÇÃO<br />

Cooperativa<br />

Bancos<br />

TAXA<br />

0,38%<br />

0,38% + 1,50% ao ano<br />

IOF<br />

(LIBERAÇÃO<br />

2,30%<br />

2,50%<br />

2,60%<br />

2,70%<br />

Apenas com o IOF os cooperados economizaram<br />

R$ 894.349


SALDO DE OPERAÇÕES POR COOPERADO (MÉDIA)<br />

R$ 3.000,00<br />

R$ 2.500,00<br />

R$ 2.000,00<br />

R$ 1.500,00<br />

R$ 1.000,00<br />

R$ 500,00<br />

R$ -<br />

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

Capital por cooperado<br />

Crédito por cooperado<br />

5,00%<br />

4,00%<br />

3,00%<br />

2,00%<br />

1,00%<br />

0,00%<br />

EMPRÉSTIMOS EM ATRASO<br />

'<br />

Janeiro Março Maio Julho Setembro Novembro<br />

2010<br />

2011<br />

2012<br />

<strong>2013</strong><br />

Empréstimos<br />

vencidos em<br />

dez/2012<br />

representavam<br />

2,57% da<br />

carteira total.<br />

O valor de<br />

empréstimos<br />

em atraso<br />

encerrou o ano em<br />

R$ 399.017,22.


SALDO DE OPERAÇÕES POR COOPERADO (MÉDIA)<br />

Normal<br />

Refinanciamento<br />

Compra Cooperada<br />

Convênios<br />

Cartão de Crédito<br />

Renegociação<br />

MODALIDADE<br />

2012 <strong>2013</strong> VARIAÇÃO<br />

Normal<br />

Refinanciamento<br />

Compra Cooperada<br />

Convênio<br />

Cartão de Crédito<br />

Subtotal Empréstimos<br />

Renegociação<br />

Total da Carteira<br />

9.729.016<br />

5.155.037<br />

198.315<br />

41.462<br />

71.035<br />

15.194.865<br />

274.497<br />

15.469.363<br />

11.081.165<br />

7.724.612<br />

424.604<br />

395<br />

110.750<br />

19.341.526<br />

407.929<br />

19.749.455<br />

13.90%<br />

49,85%<br />

114,11%<br />

-99,05%<br />

55,91%<br />

27,29%<br />

48,61%<br />

27,67%


CARTEIRA DE CRÉDITO<br />

20.000.000<br />

18.000.000<br />

16.000.000<br />

14.000.000<br />

12.000.000<br />

10.000.000<br />

8.000.000<br />

6.000.000<br />

4.000.000<br />

2.000.000<br />

0<br />

19.749.455<br />

15.469.363<br />

14.776.268<br />

13.503.081<br />

11.759.927<br />

6.586.750<br />

4.805.840<br />

3.735.890<br />

Crescimento de<br />

27,67%<br />

PE/ORÇAMENTO <strong>2013</strong><br />

PREVISÃO ALCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Carteira de Crédito<br />

Rendas de Empréstimos<br />

R$ 20.981.740<br />

R$ 4.430.278,57<br />

R$ 19.749.455<br />

R$ 4.116.423,17<br />

- R$ 1.232.285<br />

- R$ 313.855


COOPERINVEST<br />

500.000<br />

450.000<br />

400.000<br />

350.000<br />

300.000<br />

250.000<br />

200.000<br />

150.000<br />

100.000<br />

50.000<br />

0<br />

30.421 57.740 127.713<br />

256.569<br />

473.867<br />

2009 2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

Crescimento de<br />

52,15%<br />

em depósitos a<br />

prazo de<br />

cooperados.<br />

PE/ORÇAMENTO <strong>2013</strong><br />

PREVISÃO ALCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Cooperinvest<br />

Captação Crecresp<br />

Despesas Captação<br />

R$ 605.352<br />

R$ 1.000.000<br />

R$ 118.086<br />

R$ 473.867<br />

R$ 754.664<br />

R$ 103.567<br />

-R$ 131.485<br />

-R$ 245.336<br />

-R$ 14.519<br />

No final do mês de maio captamos R$ 1 milhão na Cecresp para empréstimos aos cooperados


Apoio a ações e eventos na ACSC<br />

EVENTO<br />

Passeio Ciclístico Colégio Santa Catarina - SP<br />

Ação Social “Páscoa Solidária”<br />

Participação na Peregrinação à Aparecida<br />

Semana da Enfermagem Hospital Santa Catarina<br />

Dia das Mães Administração Corporativa<br />

Festa Junina Nesc<br />

Festa Junina Escola Santa Catarina<br />

Bingo Lar Madre Regina<br />

Homenagem Dia das Mães Casa de Saúde São José<br />

Festa Junina Colégio Santa Catarina - SP<br />

Festa Junina Nesc<br />

Sipat AME Itapevi<br />

Semana da Saúde Hospital Santa Catarina<br />

Ação Social “Nem Todo Mundo Nasce Com Casaco de Pele”<br />

Concurso de Frases Nesc<br />

Dia do Professor Colégio Santa Catarina - SP<br />

Sipat Amparo Maternal<br />

Sipat Hospital Santa Catarina<br />

Sipat e Festa Hospital Santa Catarina<br />

Sipat OS-ACSC<br />

Festa Confraternização OS-ACSC<br />

Sipat Casa de Saúde São José<br />

Sipat Residencial Santa Catarina<br />

Transporte de Doações “Natal Solidário ACSC” para Fortaleza/CE<br />

Transporte de Doações “Natal Solidário ACSC” para Petrópolis/RJ<br />

Festa de Confraternização Lar Madre Regina<br />

Caminhada Hospital de Trauma-Ortopedia Dona Lindu<br />

Total<br />

VALOR<br />

673,00<br />

5.692,33<br />

1.149,30<br />

1.029,00<br />

217,19<br />

250,00<br />

200,00<br />

334,95<br />

150,00<br />

500,00<br />

300,00<br />

100,00<br />

599,00<br />

15.189,85<br />

360,00<br />

200,00<br />

250,00<br />

3.750,00<br />

1.500,00<br />

2.035,00<br />

2.000,00<br />

1.705,00<br />

360,00<br />

1.600,00<br />

2.600,00<br />

428,96<br />

1.583,00<br />

44.756,58


Apoio a ações e eventos na ACSC<br />

Ação Social - “Páscoa ACSC”<br />

Distribuição de 1.159 Ovos de Chocolates para crianças e pacientes atendidos nas casas da ACSC:<br />

Creche Sagrada Família - 92 ovos (visita do coelho)<br />

Núcleo Educacional Santa Catarina - 241 ovos<br />

Casa da Criança de Vila Mariana - 80 ovos (visita do coelho)<br />

Creche Santa Catarina - 171<br />

Creche São José do Itamarati - 160 ovos<br />

Creche Monteiro Lobato - 155 ovos<br />

Creche Madre Regina - 200 ovos<br />

Polo de Atenção Intensiva - 60 ovos<br />

A compra dos ovos e o aluguel da fantasia de coelho custaram R$ 5.692,33.<br />

A Cooperativa arrecadou com os cooperados o valor de R$ 2.252, com a participação de 237 cooperados.<br />

Ação Social - “Nem todo mundo nasce com “casaco de pele”<br />

Entrega de 1.099 cobertores e lençóis para as creches da ACSC:<br />

Creche Sagrada Família - 92 cobertores<br />

Núcleo Educacional de Santa Catarina - 241 cobertores<br />

Creche Santa Catarina - 171 lençóis<br />

Creche Casa da Criança de Vila Mariana - 80 cobertores<br />

Creche Monteiro Lobato - 155 cobertores<br />

Creche Madre Regina - 200 lençóis de solteiro<br />

Creche São José do Itamaraty - 160 cobertores<br />

A compra dos cobertores e lençóis custaram R$ 15.189,85.<br />

A Cooperativa arrecadou com os cooperados o valor de R$ 6.434, com a participação de 548 cooperados.


FATES<br />

Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social<br />

Na Assembleia anterior os delegados presentes aprovaram o plano para aplicação do FATES que foi<br />

cumprido pela Diretoria, conforme abaixo:<br />

Aprovado<br />

Realizado<br />

Variação<br />

SALDO ANTERIOR<br />

Ingressos<br />

Reversão de Saldos Acumulados até 2012<br />

Devolução Capital<br />

Credores Diversos<br />

Sobras<br />

Creditos a Identificar<br />

Utilização<br />

Parceria Instituto FEPAF<br />

Impressão Livro “Coopercredi 20 Anos”<br />

Programa de Reeducação e Orientação FInanceira<br />

Curso de Multiplicadores do Cooperativismo<br />

Curso de Delegados<br />

SALDO (Sem as sobras do ano de aplicação)<br />

Saldo Final<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

115.100,00<br />

2.400,00<br />

13.000,00<br />

81,600,00<br />

11.700,00<br />

6.400,00<br />

105,78<br />

-<br />

115.205,78<br />

55.835,27<br />

-<br />

23.382,51<br />

15.393,61<br />

12.137,85<br />

4.921,30<br />

82.128,00<br />

2.640,00<br />

-<br />

79.488,00<br />

-<br />

-<br />

88.913,05<br />

97.768,59<br />

-<br />

55.835,27<br />

-<br />

23.382,51<br />

15.393,61<br />

12.137,85<br />

4.921,30<br />

32.972,00<br />

240,00<br />

-13.000,00<br />

2.112,00<br />

-11.700,00<br />

-6.400,00<br />

88.807,27<br />

-


ATIVIDADES NO PROF.<br />

Serviço de orientação financeira com a formação e acompanhamento das atividades de um<br />

Orientador do PROF ®:<br />

22 sessões de acompanhamento da Oficina de Orientador do PROF®<br />

140 Cooperados atendidos pelo Orientador do PROF®<br />

13 Palestras do PROF® nas casas da ACSC:<br />

12 Meses para Enriquecer - Gastos mais econômicos:<br />

CSC/SP – 70 participantes<br />

Dívidas pessoais: Resolva suas pendências financeiras e pague menos juros:<br />

AME-JP – 28 participantes<br />

HTO – 29 participantes<br />

Não faça do dinheiro um peso em sua vida:<br />

HSC – 17 participantes<br />

Chegou a 1ª parcela do 13º(e a segunda logo chegará!): Como planejar os<br />

gastos de final de ano.<br />

LMR – 23 participantes<br />

RSC – 5 participantes<br />

CSSJ – 6 participantes<br />

Orçamento pessoal planeje e controle seus gastos para tirar mais do dinheiro.<br />

OS-ACSC – 36 participantes<br />

Família que planeja unida prospera unida.<br />

RSC – 10 participantes<br />

HSC – 43 participantes<br />

Aprenda a economizar para tirar melhor proveito do dinheiro e viver melhor.<br />

Cooperativa – 24 participantes<br />

HST – 52 participantes<br />

Trabalho: sua maior e melhor fonte de prosperidade!<br />

HSC – 41 participantes


DISPONIBILIDADES E APLICAÇÕES FINANCEIRAS<br />

4.000.000<br />

3.500.000<br />

3.614.688<br />

3.000.000<br />

2.500.000<br />

2.000.000<br />

1.500.000<br />

1.000.000<br />

500.000<br />

1.786.404<br />

1.624.747<br />

1.263.485<br />

1.011.326<br />

415.409<br />

1.842.710<br />

1.395.061<br />

0<br />

2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

PE/ORÇAMENTO<br />

PREVISÃO ALCANÇADO VARIAÇÃO<br />

Centralização Financeira<br />

Receita Financeira<br />

R$ 1.200.000<br />

R$ 74.913<br />

R$ 1.395.061<br />

R$ 98.093<br />

R$ 195.061<br />

R$ 23.180


RECEITA E DESPESAS<br />

4.500.000,00<br />

4.000.000,00<br />

3.500.000,00<br />

3.000.000,00<br />

2.500.000,00<br />

2.000.000,00<br />

1.500.000,00<br />

1.000.000,00<br />

500.000,00<br />

-<br />

Receitas<br />

Despesas<br />

Juros ao<br />

capital<br />

2008 1.827.489,49 979.746,38 729.139,83<br />

2009 2.469.446,17 1.279.227,52 763.084,55<br />

2010 3.089.351,01 1.385.380,72 1.079.664,03<br />

2011 4.003.509,07 1.854.963,75 1.677.487,98<br />

2012 3.705.607,16 1.964.661,53 1.235.792,26<br />

<strong>2013</strong> 4.218.304,13 2.773.403,12 1.355.816,90


CONTROLE ORÇAMENTÁRIO<br />

CONTAS<br />

ORÇADO REALIZADO VARIAÇÃO<br />

Receitas<br />

Rendas de Intermediação Financeira<br />

Rendas de Operação Financeira<br />

Receita Centralização Financeira<br />

Rendas de Operações de Crédito<br />

Rendas de Empréstimos<br />

Recuperação de Crédito Baixado como Prejuízo<br />

Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa<br />

Constituição de Provisão para CLD<br />

Reversão de Provisão para CLD<br />

Despesa de Captação Financeira<br />

Despesas com Remuneração de Depósitos<br />

Despesas com Empréstimos na Central<br />

Outras Rendas<br />

Convênios/Parcerias<br />

1 - TOTAL DE DESPESAS<br />

4.373.443,38<br />

74.913,26<br />

74.913,26<br />

4.430.278,57<br />

4.786.183,86<br />

216.462,68<br />

-572.367,97<br />

-1.135.357,76<br />

562.989,79<br />

-131.748,45<br />

-58.323,45<br />

-73.425,00<br />

1.088,76<br />

61.967,38<br />

4.436.499,52<br />

4.110.948,96<br />

98.093,16<br />

98.093,16<br />

4.116.423,13<br />

4.734.069,39<br />

185.506,64<br />

-803.152,90<br />

-1.592.042,19<br />

788.889,29<br />

-103.567,33<br />

-45.467,08<br />

-58.100,25<br />

65.618,12<br />

41.737,05<br />

4.218.304,13<br />

-6,00%<br />

30,94%<br />

30,94%<br />

-7,08%<br />

-1,09%<br />

-14,30%<br />

40,32%<br />

40,22%<br />

40,12%<br />

-21,39%<br />

-22,04%<br />

-20,87%<br />

5926,87%<br />

-32,65%<br />

-4,92%<br />

DESPESAS<br />

Despesa de Pessoal<br />

Salários/Férias/13º Salário<br />

Encargos Sociais<br />

Beneficios<br />

Educação/Treinamentos<br />

Serviços de Terceiros<br />

Conselho de Administração/Conselho Fiscal<br />

Diretoria<br />

Impostos/Taxas/Multas<br />

Provisão Riscos<br />

1.451.621,01<br />

778.037,01<br />

231.486,65<br />

388.016,96<br />

54.080,38<br />

137.245,55<br />

47.418,00<br />

450.150,81<br />

0,00<br />

4.500,00<br />

1.258.000,67<br />

707.867,49<br />

198.266,95<br />

329.984,25<br />

21.881,98<br />

113.772,09<br />

45.547,10<br />

392.899,20<br />

2.580,48<br />

0,00<br />

-13,34%<br />

-9,02%<br />

-14,35%<br />

-14,96%<br />

-59,54%<br />

-17,10%<br />

-3,95%<br />

-12,72%<br />

0,00%<br />

-100,00%


CONTROLE ORÇAMENTÁRIO<br />

CONTAS<br />

ORÇADO REALIZADO VARIAÇÃO<br />

Despesas Bancárias<br />

Filiações/Outras Entidades<br />

Propaganda e Publicidade<br />

Seguros<br />

Sede<br />

Telecomunicações/Fax/Internet<br />

Correio<br />

Assinaturas/Livro Técnicos<br />

Promoções e Relações Públicas<br />

Viagens/Diárias<br />

Comemorações/Eventos<br />

Transporte<br />

Manutenção - Maquinas/Equipamentos<br />

Processamento de Dados<br />

Material Escritório/Gráfico<br />

Material Copa Limpeza/Refeições<br />

Gastos Diversos<br />

Depreciação/Amortização<br />

2 - TOTAL DE DESPESAS<br />

12.499,50<br />

165.491,54<br />

77.253,20<br />

84.372,41<br />

74.432,03<br />

44.780,11<br />

450,00<br />

81.837,84<br />

104.665,94<br />

54.516,00<br />

57.748,14<br />

1.800,00<br />

150.626,52<br />

35.161,79<br />

8.485,14<br />

4.300,08<br />

89.546,91<br />

3.138.902,52<br />

14.069,98<br />

187.683,17<br />

104.165,12<br />

20.248,60<br />

71.014,29<br />

64.985,56<br />

28.403,85<br />

282,55<br />

40.535,06<br />

29.928,46<br />

51.395,14<br />

55.961,66<br />

0,00<br />

171.126,77<br />

25.885,45<br />

12.660,29<br />

4.021,65<br />

78.235,98<br />

2.773.403,12<br />

12,56%<br />

13,41%<br />

34,84%<br />

-15,83%<br />

-12,69%<br />

-36,57%<br />

-37,21%<br />

-50,47%<br />

-71,41%<br />

-5,72%<br />

-3,09%<br />

-100,00%<br />

13,61%<br />

-26,38%<br />

49,21%<br />

-6,41%<br />

-12,63%<br />

-11,64%<br />

3 - RESULTADO OPERACIONAL<br />

4 - DESPESA NÃO OPERACIONAL<br />

5 - JUROS AO CAPITAL<br />

6 - DESTINAÇÃO DE RESULTADOS/AJUSTES<br />

7 - SOBRAS A DISPOSIÇÃO DA ASSEMBLEIA<br />

1.297.597,00<br />

-1.244.840,98<br />

-10.551,20<br />

42.204,81<br />

1.444.901,01<br />

-528,74<br />

-1.355.816,90<br />

-17.711,07<br />

70.844,30<br />

11,35%<br />

8,91%<br />

67,86%


DESPESAS DE PESSOAL<br />

25<br />

1.400.000,00<br />

20<br />

1.200.000,00<br />

1.000.000,00<br />

Funcionários<br />

15<br />

10<br />

800.000,00<br />

600.000,00<br />

Despesas<br />

400.000,00<br />

5<br />

200.000,00<br />

-<br />

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

-<br />

Aumento de 39%<br />

nas despesas.<br />

Aumento de 73% no<br />

número de colaborador


DESPESAS POR COLABORADOR (MÉDIA/MÊS)<br />

25<br />

9.000,00<br />

8.000,00<br />

20<br />

15<br />

10<br />

5<br />

7.000,00<br />

6.000,00<br />

5.000,00<br />

4.000,00<br />

3.000,00<br />

2.000,00<br />

-<br />

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

1.000,00<br />

-<br />

ANO<br />

2011<br />

2012<br />

<strong>2013</strong><br />

Acumulado<br />

% Acordo<br />

Coletivo<br />

8,00%<br />

6,00%<br />

8,00%<br />

23,64%


QUANTIDADE DE ATENDIMENTOS DIRETOS<br />

POR FUNCIONÁRIO (MÉDIA)<br />

2011 2012 <strong>2013</strong><br />

1 Assistente Sede<br />

1 Assistente na CSSJ<br />

1 Assistente no OS<br />

1 Assistente na HGP<br />

1 Assistente no HGI<br />

1 Assistente no HGG<br />

Total equipe: 6<br />

7.677 Cooperados<br />

1 Assistente<br />

1 Atendente Sede<br />

1 Assistente na CSSJ<br />

1 Assistente no OS<br />

Total equipe: 4<br />

6.169 Cooperados<br />

2 Atendentes Sede<br />

1 Atendente<br />

1 Assistente CSSJ<br />

1 Atendente<br />

1 Assitente Os<br />

1 Atendente<br />

1 Assistente HSC<br />

1 Atendente Central<br />

Total equipe: 9<br />

7.380 Cooperados<br />

Novas posições em outras áreas: 3 estagiários (financeiro, administrativo e<br />

marketing) e 1 jovem aprendiz (cadastro).


10<br />

QUANTIDADE DE ATENDIMENTOS DIRETOS<br />

POR FUNCIONÁRIO (MÉDIA)<br />

10.000<br />

9.000<br />

8<br />

8.000<br />

Equipe de Atendimento<br />

6<br />

4<br />

2<br />

7.000<br />

6.000<br />

5.000<br />

4.000<br />

3.000<br />

2.000<br />

1.000<br />

0<br />

2010 2011 2012 <strong>2013</strong><br />

0<br />

Redução de 44% da quantidade<br />

de atendimentos por funcionário.


APURAÇÂO DO RESULTADO E PAGAMENTO<br />

DE JUROS AO CAPITAL<br />

CONTA<br />

2012 <strong>2013</strong> VARIAÇÃO<br />

Receita Total<br />

Despesa Total<br />

Resultado Operacional<br />

Resultado Não Operacional<br />

Resultado Bruto<br />

3.705.607,16<br />

-1.946.994,23<br />

1.758.612,93<br />

-17.667,30<br />

1.740.945,63<br />

4.218.304,13<br />

-2.773.403,12<br />

1.444.901,01<br />

-528,74<br />

1.444.372,27<br />

13.84%<br />

42,45%<br />

-17,84%<br />

-97,01%<br />

-17,04%<br />

Juros Sobre o Capital<br />

IRRF<br />

Juros Líquidos<br />

1.235.792,26<br />

-185.371,11<br />

1.050.421,15<br />

1.355.816,90<br />

-203.375,11<br />

1.152.441,79<br />

9,71%<br />

9,71%<br />

9,71%<br />

Resultado Líquido<br />

Destinação ao FATES<br />

Destinação à Reserva Legal<br />

Sobras a Disposição da Assembleia<br />

505.153,37<br />

-50.515,34<br />

-50.515,34<br />

404.122,69<br />

88.555,37<br />

-8.855,54<br />

-8.855,54<br />

70.844,29<br />

-82,47%<br />

-82,47%<br />

O capital do cooperado foi remunerado com 100% da variação da Selic<br />

(8,22% no ano), valor máximo permitido pela Lei Complementar 130/2009<br />

o que rendeu 8,05% sobre o capital médio;<br />

Desse rendimento é retido 15% referente a Imposto de Renda,<br />

portanto o cooperado recebe a título de juros ao capital 6,84% ao ano,<br />

sobre o capital médio;<br />

Em 2012 poupança acumulou um rendimento de apenas 5,90%.


APURAÇÂO DO RESULTADO E PAGAMENTO<br />

DE JUROS AO CAPITAL<br />

2.000.000,00<br />

1.800.000,00<br />

1.600.000,00<br />

1.400.000,00<br />

1.200.000,00<br />

1.000.000,00<br />

800.000,00<br />

600.000,00<br />

400.000,00<br />

200.000,00<br />

-<br />

Sobras líquidas Juros líquidos Resultado Total<br />

2008 107.409,15 619.768,86 727.178,01<br />

2009 341.707,28 648.621,87 990.329,15<br />

2010 499.060,19 917.712,20 1.416.772,39<br />

2011 376.564,85 1.425.070,07 1.801.634,92<br />

2012 404.122,69 1.050.421,15 1.454.543,84<br />

<strong>2013</strong> 70.844,30 1.152.441,79 1.223.286,09


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

Senhores Associados,<br />

Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Contábeis do Exercício de <strong>2013</strong> da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários<br />

da Associação Congregação de Santa Catarina – Coopercredi ACSC, na forma da Legislação em vigor.<br />

1 - Política Operacional<br />

Em <strong>2013</strong> a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina – Coopercredi ACSC completou 23 anos<br />

mantendo sua vocação de instituição voltada para fomentar a economia e ofertar o crédito para seu público alvo, os cooperados. A atuação junto aos seus cooperados<br />

se dá principalmente por meio de concessão de empréstimos e captação de depósitos.<br />

2 - Avaliação de Resultados<br />

No exercício de <strong>2013</strong>, a Coopercredi ACSC obteve uma sobra de R$ 70.844 representando um retorno anual sobre o Patrimônio Líquido de 0,35%.<br />

3 - Ativos<br />

Os recursos depositados na Centralização Financeira somaram R$ 1.395.061. Por sua vez a Carteira de Crédito representava R$ 19.625.729.<br />

A Carteira de Crédito encontra-se assim distribuída:<br />

Carteira Comercial R$ 19.625.729 100%<br />

Os Vinte Maiores Devedores representavam na data - base de 31/12/<strong>2013</strong> o percentual de 4,68% da carteira, no montante de R$ 891.468.<br />

4 - Captação<br />

As captações, no total de R$ 439.851, apresentaram evolução em relação ao exercício anterior de 71,43%.<br />

As captações encontra-se assim distribuída:<br />

Depósito a Prazo R$ 439.851 100%<br />

Os Vinte Maiores Depositantes representavam na data - base de 31/12/<strong>2013</strong> o percentual de 96,95% da captação, no montante de R$ 426.421.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

5 - Patrimônio de Referência<br />

O Patrimônio de Referência da Coopercredi ACSC era de R$ 19.779.750.<br />

O quadro de associados era composto por 7.380 Cooperados, havendo um acréscimo de 19,63% em relação ao mesmo período do exercício anterior.<br />

6 - Política de Crédito<br />

A concessão de crédito está pautada em prévia análise do propenso tomador, havendo limites de alçadas pré-estabelecidos a serem observados e cumpridos,<br />

cercando ainda a Cooperativa de todas as consultas cadastrais e com análise de risco do associado e de suas operações por meio do “RATING”<br />

(avaliação por pontos), buscando assim garantir ao máximo a liquidez das operações.<br />

A Cooperativa passou a utilizar-se dos serviços prestados pela cobrança centralizada do SICOOB CENTRAL CECRESP, visando padronizar os procedimentos<br />

de cobrança de créditos de difícil recuperação.<br />

A Coopercredi ACSC adota a política de classificação de crédito de sua carteira de acordo com as diretrizes estabelecidas na Resolução CMN nº 2.682,<br />

havendo uma concentração de 94,87% nos níveis de “A” a “C”.<br />

7 - Governança Corporativa<br />

Governança corporativa é o conjunto de mecanismos e controles, internos e externos, que permitem aos associados definir e assegurar a execução dos objetivos da<br />

cooperativa, garantindo a sua continuidade, os princípios cooperativistas ou, simplesmente, a adoção de boas práticas de gestão.<br />

Nesse sentido, a administração da Cooperativa tem na assembleia geral, que é a reunião de todos os associados, o poder maior de decisão.<br />

A gestão da Cooperativa está alicerçada em papéis definidos, com clara separação de funções. Cabem ao Conselho de Administração as decisões estratégicas<br />

e à Diretoria Executiva, a gestão dos negócios da Cooperativa no seu dia a dia.<br />

A Cooperativa possui ainda um Agente de Controles Internos, supervisionado diretamente pelo SICOOB CENTRAL CECRESP, que, por sua vez, faz as auditorias<br />

internas.<br />

Os balanços da Cooperativa são auditados por auditor externo, que emite relatórios, levados ao conhecimento dos Conselhos e da Diretoria. Todos esses processos<br />

são acompanhados e fiscalizados pelo Banco Central do Brasil, órgão ao qual cabe a competência de fiscalizar a Cooperativa.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

Tendo em vista o risco que envolve a intermediação financeira, a Cooperativa adota ferramentas de gestão. Para exemplificar, na concessão de crédito, a Cooperativa<br />

adota o Manual de Crédito, aprovado, como muitos outros manuais, pelo Sicoob Confederação e homologado pela Central.<br />

Além do Estatuto Social, são adotados regimentos e regulamentos, entre os quais destacamos o Regimento Interno, o Regimento do Conselho de Administração,<br />

o Regimento do Conselho Fiscal, o Regulamento Eleitoral.<br />

A Cooperativa adota procedimentos para cumprir todas as normas contábeis e fiscais, além de ter uma política de remuneração de seus empregados e estagiários<br />

dentro de um plano de cargos e salários que contempla a remuneração adequada, a separação de funções e o gerenciamento do desempenho de todo o seu quadro<br />

funcional.<br />

pág.: 5<br />

Todos esses mecanismos de controle, além de necessários, são fundamentais para levar aos associados e à sociedade em geral a transparência da gestão e de todas<br />

as atividades desenvolvidas pela instituição.<br />

8 - Conselho Fiscal<br />

Eleito anualmente na AGO, com mandato até a AGO de 2014, o Conselho Fiscal tem função complementar à do Conselho de Administração. Sua responsabilidade é<br />

verificar de forma sistemática os atos da administração da Cooperativa, bem como validar seus balancetes mensais e seu balanço patrimonial anual.<br />

Em <strong>2013</strong>, todos os membros efetivos e suplentes do Conselho Fiscal participaram de um curso de formação ministrado pelo SICOOB CENTRAL CECRESP,<br />

com o objetivo de detalhar as responsabilidades dos conselheiros fiscais e as formas de exercê-las.<br />

9 - Código de Ética<br />

Todos os integrantes da equipe da COOPERCREDI ACSC aderiram, em 2011, por meio de compromisso firmado, ao Código de Ética e de Conduta Profissional<br />

proposto pela Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO. A partir de então, todos os novos funcionários, ao ingressar na<br />

Cooperativa, assumem o mesmo compromisso.<br />

10 - Sistema de Ouvidoria<br />

A Ouvidoria, constituída em 2007 representou um importante avanço a serviço dos cooperados, dispõe de diretor responsável pela área e de um Ouvidor.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

Atende às manifestações recebidas por meio do Sistema de Ouvidoria do SICOOB, composto por sistema tecnológico específico, atendimento via DDG 0800 e sítio<br />

na internet integrado com o sistema informatizado de ouvidoria tendo a atribuição de assegurar o cumprimento das normas relacionadas aos direitos dos usuários<br />

de nossos produtos, além de atuar como canal de comunicação com os nossos associados e integrantes das comunidades onde estamos presentes.<br />

12 - Gerenciamento de Risco e de Capital<br />

12.1 Risco operacional<br />

a) O gerenciamento do risco operacional da COOPERCREDI ACSC objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco operacional, por meio da<br />

adoção de boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN nº 3.380/06.<br />

b) Conforme preceitua o art. 11 da Resolução CMN nº 3.721/09, a COOPERCREDI ACSC aderiu à estrutura única de gestão do risco operacional do Sicoob,<br />

centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. - Sicoob Confederação, a qual se encontra evidenciada em relatório disponível no sítio<br />

www.sicoob.com.br.<br />

c) O processo de gerenciamento do risco operacional do Sicoob Consiste na avaliação qualitativa dos riscos objetivando a melhoria continua dos processos.<br />

d) O uso da lista de verificação de conformidade (LVC) tem por objetividade identificar situações de risco de não conformidade, que após identificadas são cadastradas<br />

no sistema de Controles Internos de Riscos Operacionais (Scir).<br />

e) As informações cadastradas no sistema de Controles Internos e Riscos Operacionais (Scir) são mantidas em banco de dados fornecidos pelo Sicoob Confederação.<br />

f) A documentação que evidencia a efetividade, a tempestividade e a conformidade das ações para tratamento dos riscos operacionais, bem como as informações<br />

referentes as perdas associadas ao risco operacional são registradas e mantidas em cada entidade do Sicoob, Sob a supervisão da respectiva entidade auditora<br />

(se cooperativa singular, da cooperativa central; se cooperativa central e Bancoob, do Sicoob Confederação).<br />

g) Para situações de risco identificadas são estabelecidas planos de ação, com a aprovação da Diretoria Executiva, que são registrados em sistema próprio para<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

acompanhamento pelo Agente de controles Internos e Riscos(ACIR).<br />

h) Não obstante a centralização do gerenciamento do risco operacional, COOPERCREDI ACSC (Informar denominação completa da cooperativa) possui estrutura<br />

compatível com a natureza das operações, a complexidade dos produtos e serviços oferecidos e é proporcional à dimensão da exposição ao risco operacional.<br />

12.2 Risco de mercado<br />

a) O gerenciamento do risco de mercado da COOPERCREDI ACSC objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco de mercado, por meio das<br />

boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN nº 3.464/07.<br />

b) Conforme preceitua o art. 11 da Resolução CMN nº 3.721/09, a COOPERCREDI ACSC aderiu à estrutura única de gestão do risco de mercado do Sicoob,<br />

centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual se encontra evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br.<br />

c) No gerenciamento do risco de mercado são adotados procedimentos padronizados de identificação de fatores de risco, de classificação da carteira de negociação<br />

(trading) e não negociação (banking), de mensuração do risco de mercado, de estabelecimento de limites de risco, de testes de estresse e de aderência do modelo<br />

de mensuração de risco (backtesting).<br />

d) Não obstante a centralização do gerenciamento do risco de mercado e de liquidez, a COOPERCREDI ACSC (Informar denominação completa da cooperativa)<br />

possui estrutura compatível com a natureza das operações, a complexidade dos produtos e serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco<br />

de mercado da Entidade.<br />

12.3 Risco de crédito<br />

a) O gerenciamento de risco de crédito da COOPERCREDI ACSC objetiva garantir a aderência às normas vigentes, maximizar o uso do capital e minimizar os riscos<br />

envolvidos nos negócios de crédito por meio das boas práticas de gestão de riscos.<br />

b) Conforme preceitua o art. 10 da Resolução CMN nº 3.721/09, a COOPERCREDI ACSC aderiu à estrutura única de gestão do risco de crédito do Sicoob,<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Relatório de Administração<br />

centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual se encontra evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br.<br />

c) Compete aos responsáveis pela estrutura centralizada de riscos a padronização de processos, de metodologias de análises de risco de clientes e de operações,<br />

de criação e de manutenção de política única de risco de crédito para o Sicoob, além do monitoramento das carteiras de crédito das cooperativas.<br />

d) Não obstante a centralização do gerenciamento de risco de crédito, a COOPERCREDI ACSC possui estrutura compatível com a natureza das operações, com a<br />

complexidade dos produtos e serviços oferecidos e é proporcional à dimensão da exposição ao risco de crédito da entidade.<br />

12.4 Gerenciamento de capital<br />

a) A estrutura de gerenciamento de capital da COOPERCREDI ACSC (Informar denominação completa da cooperativa) objetiva garantir a aderência as normas<br />

vigentes e minimizar o risco de insuficiência de capital para fazer face aos riscos em que a entidade está exposta, por meio das boas praticas de gestão de capital,<br />

na forma instruída da Resolução CMN 3.988/2011.<br />

b) Conforme preceitua o artigo 9 da Resolução CMN 3.988/2011, a COOPERCREDI ACSC (Informar denominação completa da cooperativa) aderiu a Confederação<br />

Nacional das Cooperativas do Sicoob Ldta. (Sicoob Confederação), a qual se encontra evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br.<br />

c) O gerenciamento de capital centralizado consiste em um processo continuo de monitoramento do capital, e é realizado pelas entidades do Sicoob com objetivo de:<br />

I. Avaliar a necessidade de capital para fazer face aos riscos a que as entidades do Sicoob estão sujeitas;<br />

II. Planejas metas e necessidades de capital, considerando os objetivos estratégicos das entidades do Sicoob.<br />

III. Adotar postura prospectiva, antecipando a necessidade de capital decorrente de possíveis mudanças nas condições de mercado.<br />

d) Adicionalmente, são realizadas também simulações de eventos severos em condições extremas de mercado, com a conseqüente avaliação de seus impactos no<br />

capital das entidades do Sicoob.<br />

Agradecimentos<br />

Agradecemos aos nossos Associados pela preferência e confiança e aos funcionários e colaboradores pela dedicação.<br />

São Paulo, 24 de janeiro de 2014.<br />

Conselho de Administração e Diretoria<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Balanço Patrimonial em 31/12/<strong>2013</strong><br />

(em reais)<br />

CIRCULANTE<br />

ATIVO 31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

5.584.332 4.985.009<br />

CIRCULANTE<br />

PASSIVO 31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

1.610.610 887.495<br />

DISPONIBILIDADES<br />

RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS<br />

Títulos e Valores Mobiliários<br />

(Nota 4)<br />

OPERAÇÕES DE CRÉDITO<br />

(Nota 5)<br />

Operações de Crédito<br />

(Provisão Operações de Crédito de Liquidação Duvidosa)<br />

OUTROS CRÉDITOS<br />

(Nota 6)<br />

Diversos<br />

(Provisão para outros Créditos de Liquidação Duvidosa)<br />

20.560<br />

1.395.061<br />

1.395.061<br />

3.865.552<br />

4.103.094<br />

(237.542)<br />

303.159<br />

491.382<br />

(188.223)<br />

7.070<br />

1.835.640<br />

1.835.640<br />

2.961.261<br />

3.166.203<br />

(204.942)<br />

181.038<br />

300.380<br />

(119.342)<br />

DEPÓSITOS<br />

Depósitos a Prazo<br />

OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMO<br />

Títulos e Valores Mobiliários<br />

OUTRAS OBRIGAÇÕES<br />

Cobrança e Arrecadação de Tributos<br />

Sociais e Estatutárias<br />

Fiscais e Previdenciárias<br />

Diversas<br />

(Nota 8)<br />

(Nota 9)<br />

(Nota 10)<br />

(Nota 11)<br />

439.851<br />

439.851<br />

503.507<br />

503.507<br />

667.252<br />

1.359<br />

322.765<br />

45.223<br />

297.905<br />

256.569<br />

256.569<br />

630.926<br />

1.192<br />

151.841<br />

36.682<br />

441.211<br />

NÃO-CIRCULANTE 16.015.821 12.756.222<br />

NÃO-CIRCULANTE 209.794<br />

RAZOÁVEL A LONGO PRAZO<br />

14.847.202<br />

11.822.368<br />

EXIGÍVEL A LONGO PRAZO<br />

209.794<br />

OPERAÇÕES DE CRÉDITO<br />

(Nota 5)<br />

Operações de Crédito<br />

(Provisão Operações de Crédito de Liquidação Duvidosa)<br />

14.821.789<br />

15.150.042<br />

(328.253)<br />

11.793.573<br />

12.028.663<br />

(235.090)<br />

OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMO<br />

Empréstimos País - Outros Instituições<br />

(Nota 9)<br />

209.794<br />

209.794<br />

OUTROS CRÉDITOS<br />

(Nota 6)<br />

Diversos<br />

(Provisão para outros Créditos de Liquidação Duvidosa)<br />

25.413<br />

82.710<br />

(57.297)<br />

28.795<br />

93.282<br />

(64.487)<br />

PERMANENTE<br />

(Nota 7a)<br />

1.168.619<br />

933.854<br />

PATRIMÔNIO LÍQUIDO<br />

19.779.749<br />

16.853.736<br />

INVESTIMENTOS<br />

Outros Investimentos<br />

852.474<br />

852.474<br />

730.503<br />

730.503<br />

CAPITAL SOCIAL<br />

De Domiciliados no País<br />

(Nota 14)<br />

(Nota 14a)<br />

19.302.584<br />

19.302.584<br />

16.052.147<br />

16.052.147<br />

IMOBILIZADOS DE USO<br />

Outros Imobilizados de Uso<br />

(Depreciação acumulada)<br />

(Nota 7b)<br />

225.501<br />

358.728<br />

(133.227)<br />

104.123<br />

229.574<br />

(125.451)<br />

RESERVAS DE LUCRO<br />

SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS<br />

(Nota 14b)<br />

(Nota 14c)<br />

406.321<br />

70.844<br />

397.466<br />

404.123<br />

DIFERIDO<br />

Gastos de Org. e Expansão<br />

(Amortização acumulada)<br />

(Nota 7c)<br />

10.953<br />

22.491<br />

(11.538)<br />

13.422<br />

22.491<br />

(9.069)<br />

INTANGÍVEL<br />

Outros Ativos Intangíveis<br />

(Amortização acumulada)<br />

(Nota 7d)<br />

79.691<br />

178.488<br />

(98.797)<br />

85.806<br />

151.391<br />

(65.585)<br />

TOTAL DO ATIVO 21.600.153 17.741.231<br />

TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 21.600.153 17.741.231<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Demonstração de Sobras ou Perdas<br />

(em reais)<br />

2º Semestre de<br />

DESCRIÇÃO DAS CONTAS <strong>2013</strong><br />

<strong>2013</strong><br />

2012<br />

INGRESSOS E RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO<br />

Operações de Crédito<br />

Títulos e Valores Mobiliários<br />

2.581.475<br />

2.528.475<br />

52.978<br />

4.975.803<br />

4.919.576<br />

56.227<br />

3.830.946<br />

3.828.214<br />

2.732<br />

DISPÊNDIOS E DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA<br />

Operações de Captação no Mercado<br />

Operações de Empréstimos e Repasses<br />

Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa<br />

(499.994)<br />

(26.718)<br />

(48.854)<br />

(424.422)<br />

(906.720)<br />

(45.467)<br />

(58.100)<br />

(803.153)<br />

(483.995)<br />

(21.416)<br />

-<br />

(462.579)<br />

RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA<br />

2.081.481<br />

4.069.083<br />

3.346.951<br />

OUTROS INGRESSOS E RECEITAS/DISPÊNDIOS E DESPESAS OPERACIONAIS<br />

Ingressos e Receitas de Prestação de Serviços<br />

Dispêndios e Despesas de Pessoal<br />

Outros Dispêndios e Despesas Administrativas<br />

Dispêndios e Despesas Tributárias<br />

Resultado de Participações com Col. E Controladas<br />

Outros Ingressos e Receitas Operacionais<br />

Outros Dispêndios e Despesas Operacionais<br />

(1.557.344)<br />

-<br />

(992.746)<br />

(643.482)<br />

(3.083)<br />

276<br />

81.691<br />

-<br />

(2.624.183)<br />

-<br />

(1.685.213)<br />

(1.082.691)<br />

(5.499)<br />

1.013<br />

148.207<br />

-<br />

(1.603.241)<br />

7<br />

(1.192.205)<br />

(750.979)<br />

(3.812)<br />

535<br />

358.115<br />

(14.902)<br />

RESULTADO OPERACIONAL<br />

524.137<br />

1.444.900<br />

1.743.710<br />

RESULTADO NÃO OPERACIONAL<br />

(529)<br />

(529)<br />

(2.765)<br />

RESULTADO ANTES DA DISTRIBUIÇÃO<br />

523.608<br />

1.444.371<br />

1.740.945<br />

JUROS AO CAPITAL<br />

(1.355.817)<br />

(1.355.817)<br />

(1.235.793)<br />

RESULTADO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES<br />

(832.209)<br />

88.554<br />

505.153<br />

FATES<br />

Reserva Legal<br />

-<br />

-<br />

(8.855)<br />

(8.855)<br />

(50.515)<br />

(50.515)<br />

SOBRAS OU PERDAS LÍQUIDAS DO EXERCÍCIO<br />

(832.209)<br />

70.844<br />

404.123<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido<br />

(em reais)<br />

DESCRIÇÃO DAS CONTAS<br />

CAPITAL<br />

SUBSCRITO<br />

RESERVA<br />

LEGAL<br />

SOBRAS OU<br />

PERDAS ACUMULADAS<br />

TOTAL<br />

SALDOS EM 31/12/2011<br />

DESTINAÇÃO DE SOBRAS DO EXERCÍCIO ANTERIOR<br />

Ao FATES<br />

Ao Capital<br />

17.276.393<br />

-<br />

331.565<br />

346.951<br />

-<br />

-<br />

376.565<br />

(45.000)<br />

(331.565)<br />

17.999.909<br />

(45.000)<br />

-<br />

MOVIMENTAÇÃO DE CAPITAL<br />

Por Subscrição/Realização<br />

Por Devolução (-)<br />

Sobras ou Perdas Líquidas<br />

Provisão de Juros ao Capital<br />

Subscrição dos Juros ao Capital<br />

IRRF sobre Juros ao Capital<br />

5.425.043<br />

(8.031.275)<br />

-<br />

-<br />

1.235.792<br />

(185.371)<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

1.740.946<br />

(1.235.793)<br />

-<br />

-<br />

5.425.043<br />

(8.031.275)<br />

1.740.946<br />

(1.235.793)<br />

(1.235.792)<br />

(185.371)<br />

DESTINAÇÃO DAS SOBRAS OU PERDAS:<br />

Fundo de Reserva<br />

F A T E S<br />

-<br />

-<br />

50.515<br />

-<br />

(50.515)<br />

(50.515)<br />

-<br />

(50.515)<br />

SALDOS EM 31/12/2012<br />

16.052.147<br />

397.466<br />

404.123<br />

16.853.736<br />

MUTAÇÕES DO PERÍODO<br />

DESTINAÇÃO DE SOBRAS DO EXERCÍCIO ANTERIOR<br />

Ao Capital<br />

404.123<br />

-<br />

-<br />

404.123<br />

-<br />

MOVIMENTAÇÃO DE CAPITAL<br />

Por Subscrição/Realização<br />

Por Devolução (-)<br />

Sobras ou Perdas Líquidas<br />

Provisão de Juros ao Capital<br />

Subscrição dos Juros ao Capital<br />

IRRF sobre Juros ao Capital<br />

6.347.254<br />

(4.653.382)<br />

-<br />

-<br />

1.355.817<br />

(203.375)<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

1.444.371<br />

(1.355.817)<br />

-<br />

-<br />

6.347.254<br />

(4.653.382)<br />

1.444.371<br />

(1.355.817)<br />

1.355.817<br />

(203.375)<br />

DESTINAÇÃO DAS SOBRAS OU PERDAS:<br />

Fundo de Reserva<br />

F A T E S<br />

-<br />

-<br />

8.855<br />

-<br />

(8.855)<br />

(8.855)<br />

-<br />

(8.855)<br />

SALDO EM 31/12/<strong>2013</strong><br />

19.302.584<br />

406.391<br />

70.844<br />

19.779.749<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Demonstração dos Fluxos de Caixa<br />

(em reais)<br />

2º SEMESTRE<br />

<strong>2013</strong><br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

ATIVIDADES OPERACIONAIS<br />

Resultados Antes da Distribuição de JCP<br />

Provisão para Operações de Crédito<br />

Provisão de Juros ao Capital<br />

Constituição do FATES<br />

Depreciações e Amortizações<br />

(722.765)<br />

523.608<br />

110.765<br />

(1.355.817)<br />

(8.855)<br />

7.534<br />

248.919<br />

1.444.371<br />

125.763<br />

(1.355.817)<br />

(8.855)<br />

43.457<br />

446.587<br />

1.740.945<br />

47.611<br />

(1.235.792)<br />

(50.515)<br />

(55.662)<br />

VARIAÇÃO DE ATIVOS E PASSIVOS OPERACIONAIS<br />

Operação de Crédito<br />

Outros Créditos<br />

Outros Valores e Bens<br />

Depósitos a Prazo<br />

Outras Obrigações<br />

Obrigações por Empréstimos e Repasses<br />

(1.125.611)<br />

(2.400)<br />

-<br />

146.255<br />

275.510<br />

(250.389)<br />

(4.058.270)<br />

(118.739)<br />

-<br />

183.282<br />

36.326<br />

713.301<br />

(611.961)<br />

(47.362)<br />

34.861<br />

128.856<br />

(55.216)<br />

-<br />

ATIVIDADE OPERACIONAIS - Caixa Líquido Proveniente/ (Aplicado)<br />

Aplicação de Investimento<br />

Aplicação de Imobilização de Uso<br />

Aplicação no Intangível<br />

Alienação no Diferido<br />

Alienação em imobilizado de Uso<br />

(956.635)<br />

(195.634)<br />

(58.355)<br />

(13.582)<br />

-<br />

34.425<br />

(3.244.100)<br />

(121.971)<br />

(163.579)<br />

(27.097)<br />

-<br />

34.425<br />

(550.822)<br />

(174.751)<br />

-<br />

(5.490)<br />

66.935<br />

46.374<br />

ATIVIDADE INVESTIMENTOS - Caixa Líquido Proveniente/ (Aplicado)<br />

Aumento por novos Aportes de Capital<br />

Devolução de Capital à Cooperados<br />

Destinação de Sobras Exercício Anterior ao FATES<br />

Juros ao Capital à Pagar Ex-associados<br />

IRRF Sobre Juros ao Capital<br />

(233.146)<br />

3.442.470<br />

(2.572.318)<br />

-<br />

1.355.817<br />

(203.375)<br />

(278.222)<br />

6.347.254<br />

(4.653.382)<br />

-<br />

1.355.817<br />

(203.375)<br />

(66.932)<br />

5.425.043<br />

(8.031.275)<br />

(45.000)<br />

1.235.792<br />

(185.371)<br />

ATIVIDADE DE FINANCIAMENTOS - Caixa Líquido Proveniente/ (Aplicado)<br />

2.022.594<br />

2.846.314<br />

(1.600.811)<br />

AUMENTO/DIMINUIÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA<br />

No Início do Período<br />

No Fim do Período<br />

110.048<br />

1.305.573<br />

1.415.621<br />

(427.089)<br />

1.842.710<br />

1.415.621<br />

(1.771.978)<br />

3.614.688<br />

1.842.710<br />

VARIAÇÃO LÍQUIDA DAS DISPONIBILIDADES<br />

110.048<br />

(427.089)<br />

(1.771.978)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL<br />

A Cooperativa de Economia e Crédito Mutuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - Coopercredi ACSC , é uma cooperativa de crédito<br />

singular, instituição financeira não bancária, fundada em 05/11/1990, filiada à Cooperativa Central Cecresp – SICOOB CENTRAL CECRESP e componente da<br />

Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO, em conjunto com outras cooperativas singulares e centrais. Tem sua constituição<br />

e o funcionamento regulamentados pela Lei nº 4.595/1964, que dispõe sobre a Política e as Instituições Monetárias, Bancárias e Creditícias, pela Lei nº 5.764/1971,<br />

que define a Política Nacional do Cooperativismo, pela Lei Complementar nº 130/2009, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo e pela Resolução<br />

CMN nº 3.859/2010, do Conselho Monetário Nacional, que dispõe sobre a constituição e funcionamento de cooperativas de crédito. Tem como atividade preponderante<br />

a operação na área creditícia, tendo como finalidade:<br />

i) Proporcionar, através da mutualidade, assistência financeira aos associados;<br />

ii) A formação educacional de seus associados, no sentido de fomentar o cooperativismo, através da ajuda mútua da economia sistemática e do uso<br />

adequado do crédito; e<br />

iii) Praticar, nos termos dos normativos vigentes, as seguintes operações dentre outras: captação de recursos, concessão de créditos, prestação de garantias,<br />

prestação de serviços, formalização de convênios com outras instituições financeiras e aplicação de recursos no mercado financeiro, inclusive depósitos a prazo com ou<br />

sem emissão de certificado, visando preservar o poder de compra da moeda e remunerar os recursos.<br />

A Coopercredi ACSC possui sede em São Paulo/SP e Postos de Atendimento (PA) nas seguintes localidades: Rio de Janeiro/RJ e São Paulo/SP.<br />

NOTA 02 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS<br />

As demonstrações contábeis são de responsabilidades da Administração da Cooperativa e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no<br />

Brasil, consideradas as alterações exigidas pelas Leis nº 11.638/2007 e nº 11.941/2009, adaptadas às peculiaridades da legislação cooperativista e às normas e<br />

instruções do Banco Central do Brasil – BACEN, especificamente aquelas aplicadas às entidades cooperativas, as disposições das Leis nº 4.595/1964 e nº 5.764/1971,<br />

com alterações da Lei Complementar 130/2009 bem como apresentadas conforme o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

17


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong>/2012<br />

Consideram ainda, no que for julgado pertinente e relevante, os pronunciamentos, orientações e as interpretações técnicas emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos<br />

Contábeis – CPC. Desta forma, as demonstrações contábeis foram revisadas e aprovadas pelo Conselho de Administração, em sua reunião datada de 28/01/2014.<br />

Em aderência ao processo de convergência às normas internacionais de Contabilidade, algumas Normas e suas Interpretações foram emitidas pelo Comitê de<br />

Pronunciamentos Contábeis (CPC), as quais serão aplicadas às instituições financeiras quando aprovadas pelo Banco Central do Brasil. Nesse sentido, os<br />

Pronunciamentos contábeis já aprovados pelo Banco Central do Brasil são: CPC Conceitual Básico (R1) - Resolução CMN nº4.144/2012; CPC 01(R1) - Redução ao<br />

Valor Recuperável de Ativos - Resolução CMN nº 3.566/2008; CPC 03 (R2) - Demonstrações do Fluxo de Caixa - Resolução CMN nº 3.604/2008; CPC 05 (R1) -<br />

Divulgação sobre Partes Relacionadas - Resolução CMN nº 3.750/2009; CPC 10 (R1) - Pagamento Baseado em Ações - Resolução CMN nº 3.989/11; CPC 23 –<br />

Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro. – Resolução CMN nº 4.007/11; CPC 24 - Evento Subsequente - Resolução CMN nº 3.973/2011; e<br />

CPC 25 – Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Resolução CMN nº 3.823/2009. Os demais pronunciamentos serão aplicáveis a partir de sua<br />

aprovação pelo órgão regulador.<br />

A autorização para a conclusão e emissão destas demonstrações contábeis foi dada pela Diretoria em 24/01/2014.<br />

NOTA 03 - RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS<br />

A) Apuração do Resultado<br />

Os ingressos e dispêndios são registrados de acordo com o regime de competência. As operações de crédito com taxas pré-fixadas são registradas pelo valor de<br />

resgate, e os ingressos e dispêndios correspondentes ao período futuro são apresentados em conta redutora dos respectivos ativos e passivos. Os ingressos e<br />

dispêndios de natureza financeira são contabilizados pelo critério "pro-rata temporis" e calculados com base no método exponencial, exceto aquelas relativas a títulos<br />

descontados, que são calculadas com base no método linear. As operações de crédito com taxas pós-fixadas são atualizadas até a data do balanço.<br />

As receitas e despesas são reconhecidas na demonstração de sobras em conformidade com o regime de competência. As receitas com prestação de serviços são<br />

reconhecidas na demonstração de sobras ou perdas quando da prestação de serviços a terceiros, substancialmente serviços bancários. Os dispêndios e as despesas e<br />

os ingressos e receitas operacionais, são proporcionalizados de acordo com os montantes do ingresso bruto de ato cooperativo e da receita bruta de ato não cooperativo,<br />

quando não identificados com cada atividade<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

18


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

De acordo com a Lei 5.764/1971, o resultado é segregado e apresentado em atos cooperativos, aqueles praticados entre as cooperativas e seus associados ou pelas<br />

cooperativas entre si, para a consecução de seus objetivos estatutários, e atos não cooperativos, aqueles que importam em operações com terceiros não associados.<br />

As cooperativas estão sujeitas à tributação pelo imposto de renda – IR e contribuição social – CSLL quando auferirem resultados positivos em atos não cooperativos.<br />

Nesses casos, a provisão é constituída com base nas alíquotas vigentes, considerando as adições e exclusões e a compensação de prejuízos fiscais e de base negativa<br />

de CSLL limitados a 30% do lucro tributável.<br />

B) Estimativas Contábeis<br />

Na elaboração das demonstrações contábeis faz-se necessário utilizar estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e outras transações. As demonstrações<br />

contábeis da Cooperativa incluem, portanto, estimativas referentes à provisão para créditos de liquidação duvidosa, à seleção das vidas úteis dos bens do ativo<br />

imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes, entre outros. Os resultados reais podem apresentar variação em relação às estimativas utilizadas.<br />

A Cooperativa revisa as estimativas e premissas, no mínimo, semestralmente.<br />

C) Caixa e Equivalente de Caixa<br />

Caixa e equivalentes de caixa, conforme Resolução CMN nº 3.604/2008, incluem as rubricas caixa, depósitos bancários e as relações interfinanceiras de curto prazo e<br />

de alta liquidez, com risco insignificante de mudança de valores e limites, com prazo de vencimento igual ou inferior a 90 dias.<br />

O caixa e equivalente de caixa compreendem:<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

19


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

D) Operações de Crédito<br />

As operações de crédito com encargos financeiros pré-fixados são registradas a valor futuro, retificadas por conta de rendas a apropriar e as operações de crédito<br />

pós-fixadas são registradas a valor presente, calculadas "pro rata temporis", com base na variação dos respectivos indexadores pactuados.<br />

E) Provisão para Operações de Crédito<br />

Constituída em montante julgado suficiente pela Administração para cobrir eventuais perdas na realização dos valores a receber, levando-se em consideração a<br />

análise das operações em aberto, as garantias existentes, a experiência passada, a capacidade de pagamento e liquidez do tomador do crédito e os riscos específicos<br />

apresentados em cada operação, além da conjuntura econômica.A Resolução CMN nº 2.682/1999 introduziu os critérios para classificação das operações de crédito<br />

definindo regras para constituição da provisão para operações de crédito, as quais estabelecem nove níveis de risco, de AA (risco mínimo) a H (risco máximo).<br />

F) Investimentos<br />

Representados substancialmente por quotas do SICOOB CENTRAL CECRESP, quotas da Cecresp Corretora e ações do BANCOOB, avaliadas pelo método de custo<br />

de aquisição.<br />

G) Imobilizado<br />

Equipamentos de processamento de dados, móveis, utensílios e outros equipamentos, instalações, benfeitorias em imóveis de terceiros e softwares, são demonstrados<br />

pelo custo de aquisição, deduzido da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear para baixar o custo de cada ativo a seus valores residuais<br />

de acordo com as taxas divulgadas em nota específica abaixo, que levam em consideração a vida útil econômica dos bens.<br />

H) Diferido<br />

O ativo diferido foi constituído pelas benfeitorias realizadas nas propriedades de terceiros, e pelos softwares adquiridos, registrados pelos custos incorridos nas<br />

benfeitorias e pelo custo de aquisição, respectivamente, e classificados nessa conta conforme determinação do COSIF. Esses gastos estão sendo amortizados pelo<br />

método linear no período de 05 anos.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

20


Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

Conforme determinado pela Resolução CMN nº 3.617/2008, devem ser registrados no ativo diferido, exclusivamente, os gastos que contribuirão para o aumento<br />

do resultado de mais de um exercício social. Os saldos existentes em setembro de 2008 são mantidos até a sua efetiva realização.<br />

I) Intangível<br />

Correspondem aos direitos adquiridos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da Cooperativa ou exercidos com essa finalidade. Os ativos<br />

intangíveis com vida útil definida são geralmente amortizados de forma linear no decorrer de um período estimado de benefício econômico. Os ativos intangíveis<br />

compreendem softwares adquiridos de terceiros e são amortizados ao longo de sua vida útil estimada.<br />

J) Ativos contingentes<br />

Não são reconhecidos contabilmente, exceto quando a Administração possui total controle da situação ou quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis<br />

sobre as quais não cabem mais recursos contrários, caracterizando o ganho como praticamente certo. Os ativos contingentes com probabilidade de êxito provável,<br />

quando aplicável, são apenas divulgados em notas explicativas às demonstrações contábeis.<br />

K) Obrigações por empréstimos e repasses<br />

As obrigações por empréstimos e repasses são reconhecidas inicialmente no recebimento dos recursos, líquidos dos custos de transação. Em seguida, os empréstimos<br />

tomados são apresentados pelo custo amortizado, isto é, acrescidos de encargos e juros proporcionais ao período incorrido ("pro rata temporis").<br />

L) Demais ativos e passivos<br />

São registrados pelo regime de competência, apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias<br />

auferidos, até a data do balanço. Os demais passivos são demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes<br />

encargos e das variações monetárias incorridos.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

21


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

M) Provisões<br />

São reconhecidas quando a cooperativa tem uma obrigação presente legal ou implícita como resultado de eventos passados, sendo provável que um recurso econômico<br />

seja requerido para saldar uma obrigação legal. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido.<br />

N) Passivos contingentes<br />

São reconhecidos contabilmente quando, com base na opinião de assessores jurídicos, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa,<br />

gerando uma provável saída no futuro de recursos para liquidação das ações, e quando os montantes envolvidos forem mensurados com suficiente segurança.<br />

As ações com chance de perda possível são apenas divulgadas em nota explicativa às demonstrações contábeis e as ações com chance remota de perda não são<br />

divulgadas.<br />

O) Obrigações legais<br />

São aquelas que decorrem de um contrato por meio de termos explícitos ou implícitos, de uma lei ou outro instrumento fundamentado em lei, aos quais a Cooperativa<br />

tem por diretriz.<br />

P) Imposto de renda e contribuição social<br />

O imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro são calculados sobre o resultado apurado em operações consideradas como atos não cooperativos. O resultado<br />

apurado em operações realizadas com cooperados é isento de tributação.<br />

Q) Segregação em circulante e não circulante<br />

Os valores realizáveis e exigíveis com prazos inferiores a 360 dias estão classificados no circulante, e os prazos superiores, no longo prazo (não circulante).<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

22


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

R) Valor recuperável de ativos – impairment<br />

A redução do valor recuperável dos ativos não financeiros (impairment) é reconhecida como perda, quando o valor de contabilização de um ativo, exceto outros valores<br />

e bens, for maior do que o seu valor recuperável ou de realização. As perdas por “impairment”, quando aplicável, são registradas no resultado do período em que foram<br />

identificadas. Em 31 de dezembro de <strong>2013</strong> não existem indícios da necessidade de redução do valor recuperável dos ativos não financeiros.<br />

S) Eventos subsequentes<br />

Correspondem aos eventos ocorridos entre a data-base das demonstrações contábeis e a data de autorização para a sua emissão. São compostos por:<br />

• Eventos que originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que já existiam na data-base das demonstrações contábeis; e<br />

• Eventos que não originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que não existiam na data-base das demonstrações contábeis.<br />

Não houve qualquer evento subsequente para as demonstrações contábeis encerradas em 31 de dezembro de <strong>2013</strong>.<br />

NOTA 04 - TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS<br />

Em 31 de dezembro de <strong>2013</strong> e 2012, as aplicações em Títulos e Valores Mobiliários do SICOOB Coopercredi ACSC estavam assim compostas:<br />

DESCRIÇÃO 31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Títulos de Renda Fixa 1.395.061 1.835.640<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Tal recurso tem por objetivo garantir operações firmadas junto aos cooperados.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

23


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 05 – OPERAÇÕES DE CRÉDITO E PROVISÃO PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA<br />

A carteira de créditos está assim composta e classificada:<br />

A) Composição da carteira de créditos por tipo de operação, e classificação por nível de risco de acordo com a Resolução CMN nº 2.682 de 21/12/1999:<br />

NÍVEL / PERCENTUAL DE RISCO / SITUAÇÃO<br />

Emprest/Tit.<br />

Total em<br />

Desc.* 31/12/<strong>2013</strong><br />

Total da Provisão em<br />

31/12/<strong>2013</strong><br />

Total em<br />

31/12/2012<br />

Total da Provisão em<br />

31/12/2012<br />

A<br />

B<br />

B<br />

C<br />

C<br />

D<br />

D<br />

E<br />

E<br />

F<br />

F<br />

G<br />

G<br />

H<br />

H<br />

0,5%<br />

1%<br />

1%<br />

3%<br />

3%<br />

10%<br />

10%<br />

30%<br />

30%<br />

50%<br />

50%<br />

70%<br />

70%<br />

100%<br />

100%<br />

Normal<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

Normal<br />

Vencidas<br />

18.206.197<br />

50.796<br />

200.763<br />

13.399<br />

148.171<br />

16.667<br />

110.905<br />

14.433<br />

113.583<br />

21.725<br />

82.992<br />

-<br />

122.257<br />

69.427<br />

454.411<br />

18.206.197<br />

50.796<br />

200.763<br />

13.399<br />

148.171<br />

16.667<br />

110.905<br />

14.433<br />

113.583<br />

21.725<br />

82.992<br />

-<br />

122.257<br />

69.427<br />

454.411<br />

(91.031)<br />

(508)<br />

(2.004)<br />

(403)<br />

(4.444)<br />

(1.160)<br />

(11.091)<br />

(4.331)<br />

(34.075)<br />

(10.863)<br />

(41.497)<br />

-<br />

(85.570)<br />

(69.427)<br />

(454.411)<br />

14.134.366<br />

224.210<br />

278.327<br />

45.025<br />

92.590<br />

6.013<br />

42.503<br />

11.271<br />

83.417<br />

19.422<br />

31.422<br />

11.969<br />

39.505<br />

71.012<br />

378.311<br />

(70.672)<br />

(2.242)<br />

(2.783)<br />

(1.341)<br />

(2.778)<br />

(602)<br />

(4.250)<br />

(3.381)<br />

(25.025)<br />

(9.711)<br />

(15.711)<br />

(8.378)<br />

(27.653)<br />

(71.012)<br />

(378.311)<br />

Total Normal<br />

Total Vencido<br />

18.392.644<br />

1.233.082<br />

18.392.644<br />

1.233.082<br />

(178.223)<br />

(633.092)<br />

14.523.288<br />

946.075<br />

(167.349)<br />

(456.511)<br />

Total Geral<br />

19.625.726<br />

19.625.726<br />

(811.315)<br />

15.469.363<br />

(623.860)<br />

Provisões (-)<br />

811.315<br />

(811.315)<br />

-<br />

(623.860)<br />

-<br />

Total Líquido<br />

20.437.041<br />

18.814.411<br />

-<br />

(14.845.503)<br />

-<br />

*Em empréstimos estão contidos os valores das Operações Renegociadas.<br />

*Em empréstimos estão contidos os valores do Cartão de Crédito.<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

24


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

B) Composição de carteira de crédito segregada por faixas de vencimento:<br />

DESCRIÇÃO<br />

Até 90 De 91 a 360 Acima de 360<br />

Total em<br />

31/12/<strong>2013</strong><br />

Empréstimos 577.672 3.815.304 15.232.750 19.625.726<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

C) Composição de carteira de crédito segregada por Tipo de Produto, Cliente e Atividade Econômica:<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

SETOR Empréstimo Total da Carteira Total da Carteira<br />

Pessoas Físicas<br />

Empréstimos<br />

Refinanciamento<br />

Compra Cooperada<br />

Cartão de Crédito<br />

Convênio<br />

Carteira de Operação de Crédito<br />

Renegociações¹<br />

Total de Carteira Classificada<br />

11.033.688<br />

7.684.272<br />

424.074<br />

110.750<br />

352<br />

19.253.136<br />

372.590<br />

19.625.726<br />

11.033.688<br />

7.684.272<br />

424.074<br />

110.750<br />

352<br />

19.253.136<br />

372.590<br />

19.625.726<br />

1) Títulos de Crédito a Receber com características de concessão de Crédito de ex associados<br />

9.729.016<br />

5.155.037<br />

198.315<br />

71.035<br />

41.402<br />

15.194.865<br />

274.497<br />

15.469.362<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

D) Movimentação da provisão para créditos de liquidação duvidosa de operações de crédito:<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Saldo Inicial<br />

Constituições/Reversões no período<br />

Transfêrencias/Reversões para Prejuízo no período<br />

Total<br />

(623.860)<br />

(1.485.907)<br />

1.298.452<br />

(811.315)<br />

(536.525)<br />

(1.044.454)<br />

957.119<br />

(623.860)<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

25


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

E) Concentração dos principais devedores:<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> % Carteira Total 31/12/2012 % Carteira Total<br />

Maior Devedor<br />

10 Maiores Devedores<br />

50 Maiores Devedores<br />

96.140<br />

522.160<br />

1.661.739<br />

0.50%<br />

2,66%<br />

8,46%<br />

82.715<br />

444.296<br />

1.369.187<br />

0,53%<br />

2,87%<br />

8,85%<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

F) Créditos baixados como Prejuízo, Renegociações, e Recuperados em conformidade com a Resolução nº 2.682/1999 (CMN), artigo 11º, III,<br />

os montantes de operações estão assim compostos:<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Saldo Inicial<br />

Valor das Operações Transferidas no Período<br />

Valor das Operações Recuperadas no Período<br />

Total<br />

1.977.089<br />

411.929<br />

(185.507)<br />

(2.203.511)<br />

1.638.221<br />

526.535<br />

(187.667)<br />

1.977.089<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

NOTA 06 – OUTROS CRÉDITOS<br />

Valores referentes às importâncias devidas a Cooperativa por pessoas Físicas ou Jurídicas domiciliadas no país, conforma demonstrado:<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

26


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/<strong>2013</strong><br />

DIVERSOS Circulante Longo Prazo<br />

Total<br />

Total<br />

Adiantamento de Despesas de Viagens<br />

Adiantamento para Despesas diversas<br />

Imposto de Renda a Compensar<br />

Títulos e Créditos a Receber (a)<br />

Quitação de Rescisões (b)<br />

Transitória Boletos (c)<br />

Transitória Conta Cartão (d)<br />

Provisão para Outros Créditos<br />

Total<br />

1.820<br />

117<br />

6.763<br />

386.591<br />

59.725<br />

10.507<br />

25.859<br />

(188.223)<br />

303.159<br />

-<br />

-<br />

-<br />

82.710<br />

-<br />

-<br />

-<br />

(57.297)<br />

25.413<br />

1.820<br />

117<br />

6.763<br />

469.301<br />

59.725<br />

10.507<br />

25.859<br />

(245.520)<br />

328.572<br />

-<br />

445<br />

-<br />

339.182<br />

39.830<br />

3.943<br />

10.256<br />

(183.829)<br />

209.833<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

a) Em títulos e créditos a receber estão registrados os valores da carteira de renegociação, devedores diversos, credito a receber, e odontoprev folha;<br />

b) Em quitações de rescisão estão registrados os valores de rescisões de cooperados feitas no decorrer do mês base, sendo baixadas sempre no mês seguinte;<br />

c) Em transitória boletos estão registrados os valores de boletos processados no decorrer do mês, e o saldo apresentado é do ultimo dia do mês sendo zerado no dia seguitne;<br />

d) Em transitória cartão estão registrados as movimentações do cartão da cooperativa, com lançamento de pagamento de fatura, geração de fatura, pagamento ao credenciado e receita do mês;<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/<strong>2013</strong><br />

TÍTULOS E CRÉDITOS A RECEBER (a) Circulante Longo Prazo<br />

Total<br />

Total<br />

Renegociações<br />

(-) Rendas apropriar renegociação<br />

Cartão de crédito lojista<br />

Devedores diversos - País<br />

Créditos a receber<br />

Odontoprev<br />

Total<br />

325.219<br />

(35.338)<br />

56.131<br />

30.897<br />

4.593<br />

5.089<br />

386.591<br />

82.710<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

-<br />

82.710<br />

407.929<br />

(35.338)<br />

56.131<br />

30.897<br />

4.593<br />

5.089<br />

469.301<br />

288.047<br />

(13.549)<br />

26.276<br />

10.404<br />

25.488<br />

2.516<br />

339.182<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

27


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 07 – PERMANENTE<br />

A) Investimentos<br />

O saldo é representado por quotas do SICOOB CENTRAL CECRESP, ações do BANCOOB e outros investimentos, conforme demonstrado:<br />

REGISTRADOS AO CUSTO DE AQUISIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

SICOOB CENTRAL CECRESP<br />

Banco Cooperativo do Brasil S.A. - BANCOOB<br />

Corretora<br />

Total<br />

829.904<br />

6.570<br />

16.000<br />

852.474<br />

719.823<br />

6.680<br />

4.000<br />

730.530<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

b) Imobilizado de uso<br />

Demonstrado pelo custo de aquisição, menos depreciação acumulada. As depreciadas são calculadas pelo método linear, com base em taxas determinadas pelo<br />

prazo de vida útil estimado conforme abaixo:<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/<strong>2013</strong><br />

IMOBILIZADO DE USO Custo Corrigido Depreciação Acumulada Total Líquido Total Líquido<br />

Taxas Anuais<br />

de Depreciação %<br />

Imobilizado em curso<br />

Movéis e equipamentos de uso<br />

Sistema de Processamento de Dados<br />

Total<br />

15.899<br />

173.803<br />

169.026<br />

358.728<br />

-<br />

(28.657)<br />

(104.570)<br />

(133.227)<br />

15.899<br />

145.146<br />

64.456<br />

225.501<br />

-<br />

27.253<br />

76.870<br />

104.123<br />

0%<br />

10%<br />

20%<br />

-<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Tomando por base as determinações do pronunciamento técnico CPC 01, a entidade não identificou a necessidade de adequação do valor dos ativos contabilizados,<br />

uma vez que os bens registrados no imobilizado apresentam valor contábil inferior àqueles preços praticados pelo mercado.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

28


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

C) Diferido<br />

Nesta rubrica registram-se as benfeitorias realizadas nas propriedades de terceiros, registrados pelos custos incorridos nas benfeitorias e pelo custo de aquisição,<br />

respectivamente.<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/<strong>2013</strong><br />

DIFERIDO Custo Corrigido Depreciação Acumulada Total Líquido Total Líquido<br />

Taxas Anuais<br />

de Depreciação %<br />

Benfeitorias<br />

Total<br />

22.491<br />

22.491<br />

(11.538)<br />

(11.538)<br />

10.953<br />

10.953<br />

13.422<br />

13.422<br />

20%<br />

D) Intangível<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Nesta rubrica registram-se os direitos que tenham por objeto os bens incorpóreos, destinados à manutenção da companhia, como as licenças de uso de softwares.<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/<strong>2013</strong><br />

DIFERIDO Custo Corrigido Depreciação Acumulada Total Líquido Total Líquido<br />

Taxas Anuais<br />

de Depreciação %<br />

Licensas e software<br />

Total<br />

178.488<br />

178.488<br />

(98.797)<br />

(98.797)<br />

79.691<br />

79.691<br />

85.806<br />

85.806<br />

20%<br />

-<br />

O valor registrado na rubrica “intangível”, refere-se a licenças de software em geral.<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

29


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 08 - DEPÓSITOS<br />

A) Os depósitos à vista não são remunerados. Os depósitos a prazo recebem encargos financeiros contratados.<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> % Carteira Total 31/12/2012 % Carteira Total<br />

Maior Aplicador<br />

10 Maiores Aplicadores<br />

50 Maiores Aplicadores<br />

61.583<br />

288.155<br />

439.851<br />

14,00%<br />

65,51%<br />

100,00%<br />

54.793<br />

195.056<br />

256.569<br />

21,36%<br />

76,00%<br />

100,00%<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

B) Composição das operações segregadas por tipo de depósito e clientes.<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Pessoa Física<br />

Depósito à Prazo<br />

Total<br />

439.851<br />

439.851<br />

259.569<br />

259.569<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

NOTA 09 - OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES<br />

São demonstradas pelo valor principal acrescido de encargos financeiros e registram os recursos captados junto a outras instituições financeiras para repasse aos<br />

associados em diversas modalidades (art. 37, da Resolução CMN nº 3.859/2010) e Capital de Giro. As garantias oferecidas são a caução dos títulos de créditos dos<br />

associados beneficiados. Os empréstimos são apresentados a seguir:<br />

DESCRIÇÃO<br />

Taxa Juros a.m.<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Circulante Não-Circulante<br />

Total Total<br />

Sicoob Central Cecresp - Contrato nº 924-7<br />

Total<br />

135% do CDI 503.507<br />

503.507<br />

209.794<br />

209.794<br />

713.301<br />

713.301<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

30


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 10 - OBRIGAÇÕES SOCIAIS E ESTATUTÁRIAS<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

FATES - Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social (a)<br />

IRRF Sobre Juros ao Capital (b)<br />

Contas de Capital a Pagar (c)<br />

Sobras/Juros de Capital a Pagar<br />

Total<br />

97.769<br />

203.375<br />

5.835<br />

15.786<br />

322.765<br />

115.206<br />

-<br />

24.497<br />

12.138<br />

151.841<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

(a) O FATES é destinado a atividades educacionais, à prestação de assistência aos cooperados, seus familiares e empregados da cooperativa, sendo constituído pelo<br />

resultado dos atos não cooperativos e 10% das sobras líquidas, conforme determinação estatutária. A classificação desses valores em contas passivas segue<br />

determinação do Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF.<br />

(b) No exercício de 2012 a rubrica IRRF sobre juros ao capital foi classificado na conta outras obrigações - diversos.<br />

(c) As Cotas de Capital a pagar ficam registrados os valores a devolver ao cooperado que foi demitido ou uma devolução parcial de capital.<br />

NOTA 11 - OUTRAS OBRIGAÇÕES - DIVERSAS<br />

As obrigações diversas, classificadas no passivo na conta de Outras Obrigações estão assim compostas:<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

OUTRAS OBRIGAÇÕES - DIVERSAS Circulante<br />

Total Total<br />

Fornecedores<br />

Compra Cooperada<br />

IRRF Sobre Juros ao Capital<br />

Provisão P/ Despesas com Pessoal<br />

Provisão para Ação Judicial<br />

Prov. De Férias<br />

Recesso Estagiário<br />

Seguros Retidos nos Empréstimos<br />

Convênio Farmácia<br />

Credores Diversos - País<br />

Creditos a Identificar<br />

Creditos a devolver - Recebimento a Maior<br />

Arrecadação Ação Social<br />

Comissão de Seguros a Funcionários<br />

Fornecedor-Cartão de Crédito<br />

Total<br />

57.895<br />

6.633<br />

-<br />

71.422<br />

11.600<br />

67.932<br />

405<br />

141<br />

274<br />

13.830<br />

1.992<br />

-<br />

-<br />

-<br />

65.781<br />

297.905<br />

57.895<br />

6.633<br />

-<br />

71.422<br />

11.600<br />

67.932<br />

405<br />

141<br />

274<br />

13.830<br />

1.992<br />

-<br />

-<br />

-<br />

65.781<br />

297.905<br />

48.596<br />

-<br />

185.371<br />

59.137<br />

12.600<br />

44.480<br />

-<br />

-<br />

220<br />

40.094<br />

4.921<br />

571<br />

2.743<br />

290<br />

42.188<br />

441.211<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

31


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 11 - OUTRAS ORIGAÇÕES DIVERSAS - PROVISÕES PARA RISCOS TRIBUTÁRIOS E TRABALHISTAS<br />

Considerando a avaliação dos consultores jurídicos quanto às chances de êxito em determinados questionamentos fiscais e trabalhistas em que a cooperativa é parte<br />

envolvida, foram constituídas as seguintes provisões:<br />

DESCRIÇÃO<br />

Probabilidade<br />

de Perda<br />

Valor Provisionado<br />

Saldo em 31/12/<strong>2013</strong><br />

Valor Depósitos Judiciais<br />

em 31/12/<strong>2013</strong><br />

Valor Provisionado<br />

em 31/12/2012<br />

Valor Depósitos Judiciais<br />

em 31/12/2012<br />

Ações Judiciais Provável 11.600 - 12.600 -<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Ações Judiciais refere-se à provisionamentos feitos sobre ações em andamento e seguindo orientações jurídicas constituído uma provisão caso haja alguma perda.<br />

NOTA 13 – INSTRUMENTOS FINANCEIROS<br />

A Coopercredi ACSC opera com diversos instrumentos financeiros, com destaque para disponibilidades, títulos e valores mobiliários, operações de crédito, depósitos<br />

a prazo, empréstimos e repasses. Os instrumentos financeiros ativos e passivos estão registrados no balanço patrimonial a valores contábeis, os quais se aproximam<br />

dos valores justos, conforme critérios mencionados nas correspondentes notas explicativas.<br />

NOTA 14 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO<br />

A) Capital Social<br />

O capital social é representado por cotas-partes no valor nominal de R$ 1,00 cada e integralizado por seus cooperados. De acordo com o Estatuto Social cada<br />

cooperado tem direito em um voto, independente do número de suas cotas-partes. O Capital Social e número de associados estão assim compostos:<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Capital Social 19.302.584 16.052.147<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Total de Associados 7.380 6.169<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

32


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

B) Reserva Legal<br />

Representada pelas destinações estatutárias das sobras, no percentual de 10%, utilizada para reparar perdas e atender ao desenvolvimento de suas Atividades.<br />

C) Sobras ou Perdas Acumuladas<br />

As sobras são distribuídas e apropriadas conforme Estatuto Social, normas do Banco Central do Brasil e posterior deliberação da Assembleia Geral Ordinária (AGO).<br />

Atendendo à instrução do BACEN, por meio da Carta Circular nº 3.224/2006, o Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social – FATES é registrado como<br />

exigibilidade, e utilizado em despesas para o qual se destina, conforme a Lei nº 5.764/1971.<br />

D) Destinações Estatutárias e Legais<br />

De acordo com o estatuto social da cooperativa e a Lei nº 5.764/1971, as sobras líquidas do exercício terão a seguinte destinação:<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Sobras / Lucro Líquido do Exercício<br />

Pagto / Incorporação de Juros ao Capital<br />

Sobras Líquidas, Base de Calculo das Destinações<br />

Destinações Estatutárias<br />

Reserva Legal - 10%<br />

Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social - 10%<br />

Sobras ou Perdas à Disposição da Assembléia Geral<br />

1.444.371<br />

(1.355.817)<br />

88.554<br />

-<br />

(8.855)<br />

(8.855)<br />

70.844<br />

1.740.945<br />

(1.235.792)<br />

505.153<br />

-<br />

(50.515)<br />

(50.515)<br />

404.123<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

A Reserva legal destina-se a reparar perdas e atender ao desenvolvimento de suas Atividades;<br />

O Fundo de assistência técnica, educacional e social (FATES) é destinado a atividades educacionais, à prestação de assistência aos cooperados, seus familiares e<br />

empregados da cooperativa; Os resultados decorrentes de atos não cooperativos são destinados ao FATES.<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

33


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 15 - TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

As partes relacionadas existentes são as pessoas físicas que têm autoridade e responsabilidade de planejar, dirigir e controlar as atividades da cooperativa e membros<br />

próximos da família de tais pessoas. As operações são realizadas no contexto das atividades operacionais da Cooperativa e de suas atribuições estabelecidas em<br />

regulamentação específica. As operações com tais partes relacionadas não são relevantes no contexto global das operações da cooperativa, e caracterizam-se<br />

basicamente por transações financeiras em regime normal de operações, com observância irrestrita das limitações impostas pelas normas do Banco Central, tais como<br />

operações de crédito. As garantias oferecidas em razão das operações de crédito são avais.<br />

Saldo das operações ativas e passivas no exercício de <strong>2013</strong>:<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012 % EM RELAÇÃO À CARTEIRA TOTAL<br />

Saldo das Operações Ativas<br />

Saldo das Operações Passivas<br />

93.390<br />

36.832<br />

54.634<br />

12.000<br />

0,47%<br />

22,00%<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

A) Detalhamento das Operações Ativas:<br />

NATUREZA DA OPERAÇÃO DE CRÉDITO -<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

VALOR DA OPERAÇÃO<br />

DE CRÉDITO<br />

PCLD (PROVISÃO PARA<br />

CRÉDITO DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA)<br />

% DA OPERAÇÃO CRÉDITO<br />

EM RELAÇÃO Á CARTEIRA TOTAL<br />

Empréstimo/Financiamento 93.390 467 0,47%<br />

B) Detalhamento das Operações Passivas:<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

NATUREZA DA OPERAÇÃO DE CRÉDITO -<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

VALOR DA APLICAÇÃO % DA APLICAÇÃO FINANCEIRA<br />

FINANCEIRA EM RELAÇÃO A CARTEIRA TOTAL<br />

TAXA MÉDIA - %<br />

Depósitos a Prazo<br />

Pessoas Físicas - Taxa Pós-Fixada<br />

36.832,40<br />

36.832<br />

22,00%<br />

22,00%<br />

1,10%<br />

1,10%<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

32


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

C) Foram realizadas transações com partes relacionadas, na forma de: depósito a prazo, empréstimos, dentre outras, à taxa/remuneração relacionada no<br />

quadro abaixo, por modalidade:<br />

NATUREZA DAS OPERAÇÕES ATIVAS E PASSIVAS -<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

Aplicação Financeira - RDC<br />

Empréstimos<br />

Taxas Aplicadas em Relação as<br />

Partes Relacionadas<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% a 2,60%<br />

Taxas Aplicadas Pelo Conselho da<br />

Administração/Diretoria Executiva<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% a 2,60%<br />

D) Integralizações e Saldo de Capital das Partes Relacionadas<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

NATUREZA DAS OPERAÇÕES ATIVAS E PASSIVAS-<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

Conselheiros Diretoria Total<br />

Aplicação Financeira - RDC<br />

Empréstimos<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% a 2,60%<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% a 2,60%<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% a 2,60%<br />

BENEFÌCIOS MONETÁRIOS DE PARTES RELACIONADAS EXERCÍCIO <strong>2013</strong><br />

DESCRIÇÃO<br />

Total dos Benefícios<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

E) No Exercício de <strong>2013</strong>, os benefícios monetários destinados às partes relacionadas foram representados por honorários, apresentando-se da<br />

seguinte forma:<br />

Cédula de Presença (Conselho de Administração)<br />

Cédula de Presença (Conselho Fiscal)<br />

Honorários (Diretoria Executiva)<br />

Plano de Saúde (Diretoria Executiva)<br />

31.072<br />

14.475<br />

400.111<br />

12.487<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

35


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 16 - COOPERATIVA CENTRAL<br />

A COOPERCREDI ACSC, em conjunto com outras cooperativas singulares, é filiada à Cooperativa Central CECRESP - SICOOB CENTRAL CECRESP, que representa<br />

o grupo formado por suas afiliadas perante as autoridades monetárias, organismos governamentais e entidades privadas.<br />

O SICOOB CENTRAL CECRESP, é uma sociedade cooperativista que tem por objetivo a organização em comum em maior escala dos serviços econômico-financeiros<br />

e assistenciais de suas filiadas (cooperativas singulares), integrando e orientando suas atividades, de forma autônoma e independente, através dos instrumentos<br />

previstos na legislação pertinente e normas exaradas pelo Banco Central do Brasil, bem como facilitando a utilização recíproca dos serviços, para consecução de seus<br />

objetivos.<br />

Para assegurar a consecução de seus objetivos, cabe ao SICOOB CENTRAL CECRESP a coordenação das atividades de suas filiadas, a difusão e fomento do<br />

cooperativismo de crédito, a orientação e aplicação dos recursos captados, a implantação e implementação de controles internos voltados para os sistemas que<br />

acompanhem informações econômico-financeiras, operacionais e gerenciais, entre outras.<br />

A COOPERCREDI ACSC responde solidariamente pelas obrigações contraídas pelo SICOOB CENTRAL CECRESP perante terceiros, até o limite do valor das<br />

cotas-partes do capital que subscrever, proporcionalmente à sua participação nessas operações.<br />

NOTA 17 - SEGUROS CONTRATADOS<br />

A Cooperativa adota política de contratar seguros de diversas modalidades, cuja cobertura é considerada suficiente pela Administração e agentes seguradores para<br />

fazer face à ocorrência de sinistros. As premissas de riscos adotados, dada a sua natureza, não fazem parte do escopo de auditoria das demonstrações contábeis,<br />

consequentemente, não foram examinadas pelos nossos auditores independentes. Em 31 de dezembro de <strong>2013</strong>, os seguros contratados estão assim compostos:<br />

DESCRIÇÃO<br />

31/12/<strong>2013</strong> 31/12/2012<br />

Seguro de Responsabilidade Cívil<br />

Seguro Patrimonial<br />

Total<br />

Limitado a R$ 5.000.000<br />

Limitado a R$ 74.000<br />

5.074.000<br />

Limitado a R$ 5.000.000<br />

Limitado a R$ 239.000<br />

5.239.000<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

34


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

C) Foram Realizadas Transações com Partes Relacionadas, na forma de: Depósito a Prazo, Empréstimos, dentre outras, à Taxa/Remuneração<br />

Relacionada no Quadro Abaixo, por Modalidade:<br />

NATUREZA DA OPERAÇÃO ATIVAS E PASSIVAS -<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

Aplicação Financeira / RDC<br />

Empréstimos<br />

D) Integralizações e Saldo de Capital das Partes Relacionadas<br />

TAXAS APLICADAS EM RELAÇÃO ÁS<br />

PARTES RELACIONADAS<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% 2,60%<br />

TAXAS APLICADAS PELO CONSELHO<br />

DA ADMINISTRAÇÃO / DIRETORIA EXECUTIVA<br />

1,10% a 1,20%<br />

1,95% 2,60%<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

NATUREZA DA OPERAÇÃO DE CRÉDITO -<br />

TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS<br />

CONSELHEIROS<br />

DIRETORIA<br />

TOTAL<br />

Integralizações<br />

Saldo de Capital<br />

29.495<br />

124.446<br />

7.832<br />

19.981<br />

37.327<br />

144.427<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

E) No Exercício de <strong>2013</strong>, os Benefícios Monetários Destinados às Partes Relacionadas Foram Representados Por Honorários, apresentando-se da Seguinte<br />

Forma:<br />

DESCRIÇÂO<br />

Cédula de Presença (Conselho de Administração)<br />

Cédula de Presença (Conselho Fiscal)<br />

Honorários (Diretoria Executiva)<br />

Plano de Saúde (Diretoria Executiva)<br />

TOTAL DOS BENEFÍCIOS<br />

31.072<br />

14.475<br />

400.111<br />

12.487<br />

(Valores expressos em reais - R$)<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

33


Relatório Anual de Gestão - <strong>2013</strong><br />

Notas Explicativas em 31/12/<strong>2013</strong> e 2012<br />

NOTA 18 - ÍNDICE DE BASILÉIA<br />

O Patrimônio de Referência - PR da cooperativa encontra-se compatível com o grau de risco da estrutura dos ativos, apresentando margem para o limite de<br />

compatibilização de R$ 16.062.429 em 30 de setembro de <strong>2013</strong>. O Banco Central do Brasil concedeu prazo para parametrização do sistema e geração dos arquivos<br />

para preenchimento do DLO das cooperativas, visto que a partir de outubro/13 entrou em vigor novo critério de cálculo<br />

NOTA 19 - CONTIGÊNCIAS PASSIVAS<br />

O Patrimônio de Referência - PR da cooperativa encontra-se compatível com o grau de risco da estrutura dos ativos, apresentando margem para o limite de<br />

compatibilização de R$ 16.062.429 em 30 de setembro de <strong>2013</strong>. O Banco Central do Brasil concedeu prazo para parametrização do sistema e geração dos arquivos<br />

para preenchimento do DLO das cooperativas, visto que a partir de outubro/13 entrou em vigor novo critério de cálculo<br />

SÉRGIO LUIS PEREIRA CRESPI<br />

Diretor de Negócios<br />

CPF: 291.976.318-09<br />

ALBERTO LUÍS ALVES<br />

Contador<br />

CRC: 1sp-256335/P-1<br />

CPF: 329.201.508-12<br />

DOUGLAS APARECIDO CIRILO<br />

Diretor Executivo<br />

CPF: 215.400.582-42<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01<br />

35


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Parecer do Conselho Fiscal<br />

Nós, membros do Conselho Fiscal DA COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS FUNCIONÁRIOS DA A.C.S.C., em cumprimento ao que determina<br />

o artigo 57, letra “I a XIV” do Estatuto Social pelos seus membros abaixo assinados, tendo em vista o resultado das reuniões de verificação realizadas no decorrer do<br />

exercício de <strong>2013</strong> para os fins previstos no Estatuto Social, e, após examinarem os documentos que compõem o “Balanço Geral” encerrado em 30 de Junho e 31 de<br />

Dezembro de <strong>2013</strong>, bem como da Demonstração de “Sobras ou Perdas, Demonstrações das Mutações do Patrimônio Liquido e Demonstrações de Fluxo de Caixa”<br />

apresentado, constaram que:<br />

a) As escriturações contábeis e fiscais estão em perfeita ordem;<br />

b) As despesas efetuadas, autorizadas pela Diretoria, encontram-se dentro das necessidades e possibilidades da Cooperativa;<br />

c) Não tem a Cooperativa qualquer questão a resolver com autoridades do Cooperativismo;<br />

d) Foi constatado que: “a cooperativa não mantêm valor em espécie no caixa”;<br />

e) Os valores debitados ao FATES, conforme decisão da Diretoria, foram aprovados por este Conselho;<br />

f) Os compromissos com terceiros encontram-se rigorosamente em dia.<br />

Várias questões de ordem administrativa foram por nós tratadas com o Órgão de Administração, que as explicou a contento e tomou, conforme o caso,<br />

as providências recomendadas para a sua solução.<br />

Dado o exposto, recomendamos a aprovação Balanço Geral e Demonstração de Sobras ou Perdas, Demonstrações das Mutações do Patrimônio Liquido e<br />

Demonstrações de Fluxo de Caixa deste exercício, pela Assembleia Geral Ordinária.<br />

São Paulo, 26 de Fevereiro de 2014.<br />

Alex Mendes Nepomuceno<br />

Antonio Carlos Novaes<br />

Sérgio Aparecido da Veiga<br />

Sarah Lopes Vilas Boas Sapian Penaloza<br />

Conselheiro<br />

Conselheiro<br />

Conselheiro<br />

Conselheira<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


Relatorio Anual de Gestão - 2014<br />

Parecer do Conselho de Administração<br />

Nós, membros do Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina –<br />

Coopercredi ACSC, após exame e discussão e, em face da manifestação favorável dos Conselheiros Fiscais e dos Auditores Independentes,<br />

CNAC Auditores Independentes, aprovaram, por unanimidade dos presentes e sem ressalvas, o Relatório Anual da Administração, as Demonstrações Financeiras,<br />

acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes, relativo ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012, e do parecer do Conselho Fiscal, a serem submetidas à<br />

Assembleia Geral Ordinária dos cooperados.<br />

São Paulo, 27 de Fevereiro de 2014.<br />

Kênia Cristina Tavares<br />

Presidente do Conselho<br />

Antonio Coelho Barroqueiro<br />

Vice-Presidente do Conselho<br />

Francisca Maria Borges do Amaral<br />

Conselheira<br />

Gerson Ribeiro Magalhães<br />

Conselheiro<br />

Nair Correa Thomaz<br />

Conselheira<br />

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Associação Congregação de Santa Catarina - CNPJ: 65.560.658/0001-01


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia


Planejando o Futuro<br />

Este ano de 2014 promete ser de grandes conquistas e<br />

avanços para os associados da Coopercredi. E como em toda<br />

vitória, tudo começa com um bom planejamento e objetivos<br />

definidos. Os da Cooperativa já estão traçados: chegar<br />

aos 9 mil cooperados até o final de 2014.<br />

Atualmente, a Coopercredi conta com mais de 7.400 associados.<br />

Para atingir a meta, uma série de ações foi definida.<br />

Entre elas, aumentar a divulgação de todos os produtos e serviços<br />

oferecidos pela Cooperativa e diminuir o tempo de solução nas<br />

chamadas do atendimento.<br />

Para alcançar o objetivo final, no entanto, é muito importante<br />

a ajuda de todos os cooperados. Como cada associado<br />

também é dono da Cooperativa, ele só sai ganhando com o<br />

crescimento e o fortalecimento da instituição.<br />

Quanto mais membros tiver, melhores serão as condições de<br />

empréstimo, a rentabilidade dos investimentos e os benefícios.<br />

Vamos todos em busca dos 9 mil cooperados, então?


“Parece que as pessoas, de uma maneira<br />

geral, têm medo de mexer no bolso.<br />

Temos uma resistência por não conhecer.<br />

Mas, à medida que foram vendo que o real<br />

objetivo da Cooperativa era ajudar,<br />

as pessoas aderiram.<br />

O espírito é muito comunitário,<br />

é de crescer não sozinho, mas com o<br />

outro. Aquele meu dinheiro que está aplicado,<br />

eu não tiro porque não preciso, mas o colega<br />

precisa.<br />

É um espírito comunitário, de comunhão.<br />

Tem tudo a ver com o espírito da fundadora<br />

e com os valores da instituição.”<br />

Irmã Lia

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!