Junho/2016 - Celulose e Papel 25

grupojota

Visitantes - Grupo Jota Comunicação

Germano Vieira, da Eldorado Brasil, fala do momento atual do mercado

Crescimento

Cogeração de

energia

Futuro

Klabin inaugura

nova fábrica no Paraná

Evolução

Indústria de papel e celulose

expande uso para outros produtos

Evolution

Pulp and paper sector

expands raw material use


S U M Á R I O

32 Mercado

De olho no futuro

With an eye on the future

18 Principal

Além do papel

More than paper

50 Case

Nada se perde

Nothing is lost

04 Sumário

06 Editorial

08 Cartas

10 Novidades

28 Avanços e tecnologia

Evoluir para crescer

Evolve to grow

38 Artigo

Setor de celulose e papel no Brasil

Pulp and paper sector in Brazil

58 Entrevista

Germano Vieira

62 Calendário

04


70 anos

de sucesso

H. Bremer, fabricante de

caldeiras e aquecedores

de fluído térmico

A origem da H.Bremer & Filhos Ltda. remonta à

década de 40, quando em 1943 Hermann e Lilly

Bremer decidiram trabalhar em Rio do Sul (SC),

em uma pequena oficina de reparos de caldeiras

a vapor. Depois de muitos anos de trabalho e

dedicação, o casal e família constroem o que é

atualmente uma das referências na fabricação de

caldeiras. Hoje, os Equipamentos Bremer possuem

alto índice tecnológico em função da origem dos

seus projetos que resultam da experiência do

mercado europeu com parceiros alemães. Com

muito orgulho, a empresa chega aos seus 70 anos

marcando presença no desenvolvimento de

empresas nacionais e internacionais.

Visite nosso site:

www.bremer.com.br

Rua Lilly Bremer, 322 • Bairro Navegantes • Rio do Sul • Santa Catarina

Tel.: (047) 3531-9000 | Fax: (047) 3525-1975 | bremer@bremer.com.br

Gerando energia para o mundo.


E D I T O R I A L

REFERÊNCIA

Celulose & Papel

Adaptação e capacidade

Charles Darwin defende que apenas a espécie

mais adaptável à mudança sobrevive. Essa sentença

se torna mais verdadeira se analisarmos a existência

de constantes alterações na conjuntura econômica

e, principalmente, nas ferramentas tecnológicas,

podendo ser decisivas para o planejamento e, consequentemente,

para o futuro de qualquer setor.

Dessa forma é impossível pensar em desenvolvimento

sem atrelá-lo à tecnologia, afinal, as soluções

que diariamente são oferecidas às empresas alteram

o perfil do mercado e de quem nele está inserido:

devemos, cada vez mais, estar capacitados e nos

adaptarmos às mudanças intensas a que somos expostos.

Por isso, nesta edição, abordamos as novas aplicações,

em um primeiro momento, não convencionais,

da celulose dando origem a diversos outros

produtos e tecnologias, além de tratarmos da cogeração

de energia e seus benefícios para as indústrias

do setor.

Fazemos isso porque que queremos mostrar

que, com inteligência e capacidade de adaptação, é

possível superar as adversidades. Excelente leitura!

REFERÊNCIA Celulose & Papel

Adaptation and capacity

Charles Darwin argues that only the species that will

survive are the most adaptable to change. This sentence

becomes truer if we consider the existence of the constant

changes in the economic climate, and especially, in technological

tools, which can be decisive in planning and, consequently,

for the future of any Sector.

In this way, it is impossible to think of development without

tying it to technology, after all, the new solutions that

are being offered daily to companies result in changes to the

market profile and those in it: we must increasingly become

more capable and adjust to the intense changes to which

we are exposed.

So, in this issue, we discuss new applications for pulp,

which at first appear non-conventional, and give rise to

several other products and technologies, as well we cover

energy cogeneration and its benefits to the companies in

the Sector.

We do this because we want to show that with intelligence

and adaptability, it is possible to beat the odds. Pleasant

reading!

JOTA COMUNICAÇÃO

Diretor Comercial / Commercial Director: Fábio Alexandre Machado (fabiomachado@revistareferencia.com.br) • Diretor Executivo / Executive Director:

Pedro Bartoski Jr (bartoski@revistareferencia.com.br) • Diretora de Negócios / Business Director: Joseane Knop (joseane@jotacomunicacao.com.br)

EXPEDIENTE

JOTA EDITORA

Diretor Comercial / Commercial Director: Fábio Alexandre Machado (fabiomachado@revistareferencia.com.br) • Diretor Executivo / Executive

Director: Pedro Bartoski Jr (bartoski@revistareferencia.com.br) • Redação / Writing: Rafael Macedo - Editor, Murilo Basso (jornalismo@

revistareferencia.com.br) • Dep. de Criação / Graphic Design: Fabiana Tokarski - Supervisão, Fabiano Mendes, Bruce Cantarim, Fernanda

Domingues (criacao@revistareferencia.com.br) • Tradução / Translation: John Wood Moore • Dep. Comercial / Sales Departament: Gerson Penkal

(comercial@revistareferencia.com.br) • Fone: +55 (41) 3333-1023 • Dep. de Assinaturas / Subscription: Monica Kirchner - Coordenação, Alessandra

Reich.

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação do GRUPO JOTA

Rua Maranhão, 502 Água Verde - Cep: 80610-000 - Curitiba (PR) - Brasil

Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

www.jotaeditora.com.br

ASSINATURAS

0800 600 2038

Publicações Técnicas da Jota Editora

06

Veículo filiado a:

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação trimestral

e independente, dirigida aos produtores e consumidores de bens e serviços

em celulose e papel, instituições de pesquisa, estudantes universitários, orgãos

governamentais, ONG’s, entidades de classe e demais públicos, direta e/ou

indiretamente ligados ao segmento. A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL

não se responsabiliza por conceitos emitidos em matérias, artigos ou colunas

assinadas, por entender serem estes materiais de responsabilidade de seus autores.

A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados,

sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL são terminantemente proibidos sem

autorização escrita dos titulares dos direitos autorais, exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is a quarterly and an independent publication

directed at the producers and consumers of the good and services of the pulp and paper industry,

research institutions, university students, governmental agencies, NGO’s, class and other entities

directly and/or indirectly linked to the segment. Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL does not

hold itself responsible for the concepts contained in the material, articles or columns signed by

others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The use, reproduction,

appropriation and databank storage under any form or means of the texts, photographs and

other intellectual property in each publication of Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is

expressly prohibited without the written authorization of the holders of the authorial rights.


WWW.SYNFAB.COM

TECNOLOGIA DE PONTA

AGORA NO BRASIL

O MAIS AVANÇADO, ROBUSTO E ALTAMENTE CONFIÁVEL

O sistema de imagem de alta temperatura de Syn-Fab é o padrão pelo qual os outros são

medidos. Desde 1974, milhares de sistemas de monitoramento de processos de alta

temperatura da Syn-Fab foram instaladas em fábricas de papel e celulose em todo o mundo.

Nós somos especialistas em sistemas para praticamente qualquer aplicação de alta

temperatura com resolução de vídeo e nossos próprios sistemas PYROVIPER de monitoramento

de temperaturas de comprimentos de ondas múltiplos.

Benefícios do sistema incluem:

• Monitoramento de arraste de Particulado (Carryover)

• Aumento das margens de segurança

• Maximização da eficiência e da capacidade

• Redução das paradas

• Limpeza otimizada das caldeiras

• Melhor transferência de calor

• Mínimo acúmulo de sólidos e cinzas

• Melhor controle de queima e chama

• Fluxo de ar e combustão otimizados

• Solução de problemas

• Verificação alterações no processo

• Auxílio no start-up

• Auxílio na redução da poluição

Desde 1995

REPRESENTANTE OFICIAL NA AMÉRICA LATINA

Av. João XXIII, 1160, Bloco 5 / 6 - Mogi das Cruzes - SP

Fone: +55 11 4762-1344 / +55 11 4728-1554

contato@solutecengenhariabrasil.com.br

www.solutecengenhariabrasil.com.br


C A R T A S

Capa da Edição 24 da

Revista CELULOSE & PAPEL

Imagem: reprodução Imagem: reprodução

CRESCIMENTO

Por Ítalo Nogueira - Niterói (RJ)

Excelente reportagem sobre o panorama atual do setor de Celulose & Papel,

que com inteligência e investimentos direcionados supera a crise e auxilia o

desenvolvimento de nosso país.

PLANEJAMENTO

Por Deise Ferraz - Santos (SP)

Somente por meio de um planejamento eficaz é possível crescer com solidez e atingir

os resultados que a Eldorado Brasil tem atingido, como mostrado na reportagem da

CELULOSE & PAPEL 24.

REPRESENTATIVIDADE

Por Rodrigo Silveira - Nova Petrópolis (RS)

Parabenizo o Sinpasul (Sindicato das Indústrias de Celulose, Papel, Papelão,

Embalagens e Artefatos de Papel, Papelão e Cortiça do Rio Grande do Sul) por

representar de maneira exemplar as indústrias gaúchas do setor. Ótima entrevista.

EVOLUÇÃO

Por Helena Nascimento - Criciúma (SC)

Como sempre, a Revista CELULOSE & PAPEL traz as melhores novidades

tecnológicas na sessão: Avanços e Tecnologia. Parabéns à equipe.

Imagem: reprodução Imagem: reprodução

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião é fundamental para a Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL.

revistareferencia@revistareferencia.com.br

08


Materiais de alta performance para

aplicações em indústrias de papel

& celulose e outros segmentos

+55 (41) 3281-7100

TUBOS

• Com e sem costura de aço

inoxidável e ligas especiais

(distribuição).

• Schedule, Instrumentação,

Hidráulico e Mecânico.

TUBOS C/ COSTURA

FABRICAÇÃO PRÓPRIA

• Diâmetros: 6,35 a 50,80 mm.

• Espessuras: 0,40 a 2,00 mm.

• Ligas: 304/L - 316/L - 310S - 317 - 321 - 347 - 904L

- 409 - 439 - 444 - Duplex - UNS S31803 - Super Duplex -

UNS S32760. (Demais ligas mediante consulta).

• Aplicação: Trocadores de Calor (TT) - Estrutural, Condução,

Instrumentação e Hidráulico.

• Normas: ASTM.A.249 - 269 - 270 - 554 - 312 - 790.

SOLDAS

FITAS

• Consumíveis e máquinas de solda.

• Processo MIG - TIG e Arco submerso.

• Ligas: em aço inoxidável e ligas especiais -

aço carbono - alumínio - ferrosos e não

ferrosos.

• Fitas em aço inoxidável e ao carbono.

• Ligas: 301 - 304 - 316 - 904L - 430 - UHB20C

(1095) - UHB 716 (420 + 1% Mo).

• Espessuras: 0,10 à 1,50 mm.

• Largura máxima: 310 mm.

* Corte na largura mediante consulta.

Aceitamos

cartão BNDES

R: Bom Jesus de Iguape, 4987 - Boqueirão - Curitiba/PR

cavsteel@cavsteel.com.br | www.cavsteel.com.br


N O V I D A D E S

Seguro de

crédito

Em um ano marcado pela

elevação da inadimplência no

mercado brasileiro, alguns setores

se esforçam para se precaver

destes passivos. A indústria química

é um dos segmentos que

enxergam o seguro de crédito

como ferramenta para controlar

os déficits, passando a empregar

o produto como garantia de

fluxo de caixa. De acordo com

a Susep (Superintendência de

Seguros Privados), esse ramo

cresceu 15% no último ano. “Se por um lado, o estímulo ao crédito sofre com frequentes idas e vindas, o

empresário precisa se resguardar quanto aos possíveis débitos de seus clientes para se manter competitivo no

mercado, ainda mais em um cenário complexo pelo qual passamos”, analisa Hugo Carson, responsável pelo

seguro de crédito da seguradora AIG Brasil. Além de proteger as empresas contra a inadimplência, a apólice

do seguro de crédito cobre perdas que possam ser causadas pela eventual falência dos devedores.

Foto: USP Imagens

Foto: divulgação

Controle de

qualidade

A Valmet forneceu um novo QSC

(Sistema de Controle de Qualidade) -

o Valmet IQ - à Oji Papéis Especiais,

fabricante de papéis térmicos e autocopiativos.

A tecnologia foi instalada

na máquina de revestimento da fabricante

(Coater PC2), localizada na

planta em Piracicaba (SP).O valor do

fornecimento não foi divulgado. O

novo Sistema de Controle de Qualidade Valmet IQ contribui ainda com a redução na variabilidade de peso

de revestimento e otimização do sistema de secagem. Alessandro Frias, consultor de projetos da Oji Papéis

Especiais, que coordenou o projeto, afirma que a sinergia e a integração das equipes envolvidas foram essenciais

para o sucesso dessa instalação.

10


Bônus no

exterior

Lwarcel

completa 10

anos de FSC

Foto: Eldorado

A Lwarcel Celulose está completando 10

anos de certificação FSC - Forest Stewardship

Council (Conselho de Manejo Florestal). Durante

o processo de recertificação, realizado no

início de fevereiro e que envolveu uma equipe

de três auditores, foi verificado o cumprimento

aos dez princípios do FSC. Para isso, foi avaliada

uma vasta documentação e também toda a operação

florestal, verificando seu pleno atendimento

aos critérios estabelecidos para a manutenção

da certificação florestal. A recertificação das florestas

da Lwarcel é válida pelos próximos cinco

anos. “Chegar a dez anos de certificação florestal

comprova o alto grau de comprometimento

e responsabilidade assumidos pela empresa com

seus colaboradores, vizinhos, parceiros e comunidades

locais”, avalia Luis Künzel, diretor geral

da Lwarcel.

A Eldorado Brasil anunciou a conclusão

da emissão de um bônus no exterior no valor

de US$ 350 milhões. Essa é a primeira

operação da companhia no mercado financeiro

internacional. O prazo de vencimento

dos títulos é de cinco anos e o retorno

estimado em 8,87%, com possibilidade de

recompra em três anos. Os recursos serão

empregados para melhorar o perfil da dívida,

com um alongamento do prazo de

pagamento e uma redução de custos. A liderança

da companhia considerou positiva

a disposição no investidor estrangeiro na

empresa. Segundo José Carlos Grubisich,

presidente da Eldorado Brasil, a boa receptividade

à proposta reforça novamente

a posição da Eldorado como empresa mais

competitiva do setor de celulose.

Foto: divulgação

11


N O V I D A D E S

Minas

Gerais

revoga

Icms

especial

O governo de Minas Gerais revogou

o regime especial tributário

para vendas de papel às gráficas.

A decisão passou a vigorar pelo

Decreto 46.986, de 25 de abril

de 2016. Com isso, a tributação do Icms (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) volta a ser pelo

regime de débito e crédito. A alteração no cálculo implica no reajuste de 8,3% no preço de venda dos papéis

gráficos. Uma reunião com a superintendência tributária já foi solicitada pelo segmento de distribuição. O objetivo

é sensibilizar os agentes públicos sobre a importância da manutenção do regime especial para melhorar a

competitividade das empresas mineiras.

Foto: divulgação

Foto: International Paper

Melhores

empresas para

trabalhar

Pelo sétimo ano consecutivo, a International

Paper integra a lista “The Best Places to Work in

Information Technology”, na categoria “Large

Company”, organizada pelo Computerworld,

do grupo IDG. A empresa, 37º lugar no ranking,

possui uma equipe global de TI (Tecnologia da

Informação) formada por 1.400 membros, que fornecem soluções em tecnologia para as demandas e processos

de trabalho dos 55 mil profissionais da companhia. “A equipe de TI está empenhada em fornecer

soluções e serviços que permitem à nossa força de trabalho global operar de forma mais eficiente, servir os

nossos clientes com o mais alto nível possível e criar valor para os nossos acionistas”, afirma Bob Wenker,

Chief Information Officer da International Paper.

12


TM

Soluções Integradas

Soluções integradas para papel e celulose,

refinarias, sucroacooleiros, mineradoras, geração

de energia e siderurgia.

Filial da Diamond Power International, Inc. (DPII),

líder mundial de Mercado. Diamond Power do

Brasil está no mercado brasileiro há mais de 16

anos.

P Sopradores de fuligem retráteis e fixo

P Controle e diagnóstico de desempenho

de caldeiras

P Transporte, armazenamento e

recuperação de energia cinzas

P Câmeras industriais

P Serviços de campo e instalação completa

P Sistemas de partida e comissionamento

P Peças de reposição e serviços

Serra| ES | Brasil

Tel.: +55 (27) 3328 7900

Vitor Gomes de Melo

Gerência / Comercial

Vitor.melo@diamondpower.com.br

+55 (27) 98146.0099

Denes Sofiatti Longue

Engenharia

denes.longue@diamondpower.com.br

+55 (27) 9814.65238

www.diamondpower.com

Keilla Saturnino

Comercial

keilla.saturnino@diamondpower.com.br

+55 (27) 3328.7900


N O V I D A D E S

Menos

água

Mercado de

embalagens

A nova tecnologia desenvolvida pela Fibria

busca reduzir o uso de água em irrigação de

mudas na fase seguinte ao plantio. O consumo

é reduzido por meio da aplicação do colar de

proteção de mudas, que consiste em uma mistura

de resíduos de celulose depositados ao

redor da muda logo após o plantio. O colar de

proteção de mudas é resultado de pesquisas

desenvolvidas desde 2007 e vem sendo aprimorado

ao longo dos últimos anos. A mistura

utilizada nos estudos de campos é responsável

por reduzir a temperatura e manter a umidade

do solo, o que permite eliminar pelo menos

uma operação de irrigação no período de estiagem.

O resultado é uma redução no consumo

de água em até 6,5 mil litros/hectare de

plantio.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Uma pesquisa realizada pelo Instituto

Datafolha identificou o crescimento de

uma nova oportunidade no mercado de

embalagens para presente. Ainda pouco

explorada, essa fatia do mercado oferece

possibilidades além dos períodos sazonais

e datas comemorativas. De acordo com a

pesquisa, as maiores momentos de expansão

desse mercado estão nos feriados e datas

comemorativas. A oportunidade está na

possibilidade de oferecer as embalagens e

fitas como produtos complementares aos

bens que são presenteados. Com esse alinhamento,

o mercado de embalagens atinge

o comércio formal e a economia informal

sazonal.

14


N O V I D A D E S

Estímulo às

exportações

A Ibá (Indústria Brasileira de Árvores)

pediu a urgência na elaboração

de uma política de estímulo às

exportações brasileiras em encontro

de empresários com o presidente interino

Michel Temer e os ministros

de seu governo, destacando que essa

é uma das medidas necessárias para

estimular a economia do país e a recuperação

da indústria nacional. Segundo a presidente-executiva da Ibá, Elizabeth de Carvalhaes, o esforço de

segmentos como celulose, papel e painéis de madeira para elevar as vendas externas é imenso em meio à queda

de demanda no mercado interno. “Nós enfatizamos ao presidente da República e a todos os ministros presentes

que, ao lado do câmbio favorecido, nós precisamos de mais crédito e política de estímulo à exportação”, reitera.

Foto: Agência Brasil

Foto: Mácio Ferreira / AG. Pará

Setor

editorial

vende

menos

O setor editorial brasileiro

produziu 447 milhões de

exemplares, comercializando

389 milhões e faturando R$

5,23 bilhões em 2015. Os

dados são da nova edição de

estudo da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). O faturamento teve queda nominal de 3,27%

em relação a 2014. Isso significa um recuo real de 12,63%, considerada a variação do Ipca no ano passado.

O total de livros produzidos diminuiu 10,87%, enquanto o total de vendas teve queda de 10,65%. A pesquisa

ainda indica que foram editados 52,42 mil títulos. A tiragem média foi de 8,52 mil livros, com um pequeno

crescimento em relação a 2014. Já o total de títulos teve queda de 13,81%.

16


P R I N C I P A L

ALÉM

DO PAPEL

INDÚSTRIAS POR TODO MUNDO

MOSTRAM APLICAÇÕES DIVERSAS

DA CELULOSE PARA FABRICAÇÃO DE

PRODUTOS ELABORADOS

Foto: divulgação

18


More than

paper

COMPANIES ALL OVER THE WORLD

HAVE SHOWN VARIOUS USES OF

PULP IN THE MANUFACTURE OF THE

PRODUCTS THEY PRODUCE

19


P R I N C I P A L

Com as mudanças no mercado consumidor

de papel, países com tradição

de alto consumo estão vendo

suas compras diminuírem a cada

ano, sobretudo na Europa, Japão,

EUA (Estados Unidos da América) e

Canadá. Na contramão, países emergentes como

China e Índia veem seu mercado crescer, devido

em grande parte, às mudanças nos hábitos de

consumo da população, consequência do processo

de urbanização acelerada que tem ocorrido

nos últimos anos. No entanto, a expectativa

é que o crescimento desses mercados sofra um

boom a partir da próxima década. Até lá, as indústrias

de papel e celulose vêm expandindo os

usos da matéria-prima para finalidades inovadoras.

W

ith the changes in the consumer

paper market, countries with a

high consumption tradition are

seeing purchases decrease every

year, especially in Europe, Japan,

the United States and Canada. On the other hand,

emerging countries like China and India see their

markets grow, due in a large part to changes in population

consumption habits, a result of the accelerated

urbanization process that has occurred over

recent years. Nevertheless, the expectation is that

the growth of these markets suffers a further boom

starting in the next decade. Until then, pulp and paper

producers have been expanding the uses of the

raw material in innovative end uses.

In the United States, the potential of pulp use is

being explored to reduce emissions in an unconven-

A ABBK OPERA UMA USINA

DE GERAÇÃO DE ETANOL A

BASE DE CELULOSE

Foto: divulgação

20


Nos EUA, o potencial da celulose está sendo

explorado para a redução de emissões de modo

pouco convencional. Com o apoio do Departamento

de Energia do governo norte-americano,

a Abbk (Abengoa Bioenergy Biomass of Kansas)

opera uma usina de geração de etanol a base

de celulose. A estrutura tem capacidade para

produção de 25 milhões de galões de celulósico,

suficiente para reduzir a emissão de CO 2

em 132

mil t (toneladas) por ano. Essa redução é equivalente

a tirar de circulação 28 mil veículos anualmente.

O combustível é produzido por meio de um

processo de hidrólise enzimática, que converte a

biomassa de celulose em açúcar fermentável. A

partir dessa fase, a conversão em combustível é

realizada de modo similar a outros tipos de etational

way. With the support of the U.S. Department

of Energy, Abengoa Bioenergy Biomass of Kansas

(Abbk) operates a pulp-based ethanol generation

plant. The structure has the capacity to produce 25

million gallons of cellulosic ethanol, enough to reduce

CO 2

emissions by 132 thousand mt per year.

This reduction is equivalent to taking 28 thousand

vehicles off the road, annually.

The fuel is produced using an enzymatic

hydrolysis process, which converts pulp biomass

into fermentable sugar. After this stage, conversion

into fuel is carried out in a way similar to that used

to produce other types of ethanol. The result is a

clean fuel, intended to fuel light vehicles, with greenhouse

gas emissions reduced by up to 60% when

compared with conventional fuels such as gasoline.

Besides producing ethanol, the Abbk plant also

A USINA TEM CAPACIDADE PARA PRODUÇÃO DE 25 MILHÕES

DE GALÕES DE CELULÓSICO, SUFICIENTE PARA REDUZIR A

EMISSÃO DE CO 2

EM 132 MIL TONELADAS POR ANO

Foto: divulgação

21


P R I N C I P A L

A ESPUMA É PRODUZIDA A PARTIR DE

CELULOSE E AMIDO EXTRAÍDOS DE

PAPEL RECICLADO E DESCARTES DE

ALIMENTOS COMO GRÃOS E MILHO

Foto: divulgação

nol. O resultado é um combustível limpo, destinado

ao abastecimento de veículos leves, com

emissões de gases de efeito estufa reduzidas em

até 60%, quando comparado com combustíveis

convencionais como a gasolina.

Além da produção de etanol, a usina da Abbk

também contribui para o abastecimento da rede

de energia da região em está localizada, no Kansas,

com até 21 MW (Megawatts) - energia suficiente

para o autoabastecimento e para fornecer

energia renovável para a comunidade local.

ALTERNATIVA

Na esteira da redução das emissões de gases

nocivos ao meio ambiente, indústrias do Japão

e Coreia do Sul utilizam celulose na produção

de espuma de isolamento, que representa uma

contributes energy to the power grid in the Kansas

region, with up to 21 MW - to provide renewable

energy for the local community, as well as producing

enough energy for self-supply.

ALTERNATIVE

With the purpose of reducing harmful gas emissions

into the environment, companies in Japan and

South Korea use pulp in the production of foam insulation,

which represents a sustainable alternative

to a still used traditionally produced product that

emits Hcfc gas, one of the main greenhouse gases.

The insulation foam is produced from the pulp

and starch extracted from recycled paper and food

wastes like grains and corn. For the transformation

of the raw materials into foam, a water vapor expansion

method is used, without the use of any

22


COM PESQUISAS EM

NANOCRISTAIS DE CELULOSE

DESENVOLVIDAS NO BRASIL,

ENTRAMOS NA ESTEIRA

DE PAÍSES COMO JAPÃO,

CANADÁ, EUA, CHINA,

SUÉCIA E FINLÂNDIA,

QUE VÊM UTILIZANDO A

NANOCELULOSE EM SUAS

INDÚSTRIAS

other type of gas. This process makes the production

completely free of emissions, with end product

performance similar to those produced in the traditional

way, and can be used in industry or building

construction.

Similarly, the use of pulp has expanded from

building construction to large-scale applications,

especially for use in asphaltic paving mixtures. The

material is made from selected recycled paper pellets

and has given rise to the production of about

150 thousand mt per year, more than half for the

road building industry.

The pulp used in the asphaltic mixtures contributes

to increasing the service life of the pavement

and weight and impact resistance, reducing the incidence

of deformities in the asphalt and contributing

to greater safety in vehicle trafficking. For these

benefits, this type of mixture is used in high-traffic

locations of heavy vehicles, such as highways that

make up common cargo transport routes. In Brazil,

starting in 2010 it is being used on a stretch of BR-

277, linking the States of São Paulo and Paraná.

alternativa sustentável para um produto que ainda

é tradicionalmente produzido com emissão

de gás Hcfc, um dos principais gases do efeito

estufa.

A espuma é produzida a partir de celulose e

amido extraídos de papel reciclado e descartes

de alimentos como grãos e milho. Para a transformação

das matérias-primas em espuma, utiliza-

-se um método de expansão de vapor d’água,

sem o uso de qualquer outro tipo de gás. Esse

processo torna a produção totalmente livre de

emissões, com desempenho do produto final similar

àqueles produzidos de modo tradicional,

podendo ser utilizado na indústria ou na construção

civil.

Do mesmo modo, o uso de celulose na construção

civil tem se expandido para aplicações

O USO DE NANOCRISTAIS

DE CELULOSE PRODUZIDOS

A PARTIR DE RESÍDUOS

DE ALGODÃO ESTÃO

SENDO EMPREGADOS NA

FABRICAÇÃO DE TELAS DE

CELULARES, TELEVISÃO E

OUTROS GADGETS

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

23


P R I N C I P A L

de grande escala, com destaque para o uso em

misturas asfálticas de pavimentação. O material

é produzido a partir de pellets de papel reciclado

selecionado e dá origem a cerca de 150 mil t

(toneladas) por ano, mais da metade destinado à

indústria rodoviária.

A celulose utilizada em misturas asfálticas

contribui para o aumento da vida útil da pavimentação

e da resistência a peso e impacto, reduzindo

a incidência de deformações no asfalto

e contribuindo para maior segurança na circulação

de veículos. Por esses benefícios, esse tipo

de mistura é utilizado em locais de alto tráfego

de veículos pesados, como rodovias que compõem

rotas comuns de transporte de cargas. No

Brasil, foi adotado a partir de 2010 na execução

In Brazilian industry, innovations using pulp are

also being incorporated by the Technology Sector.

The use of cellulose nanocrystals produced from

cotton waste is being employed in the manufacture

of screens for mobile phones, TVs and other gadgets.

The material is produced from cotton linter, a

short fiber material that is transformed into cellulose

nanocrystals and used as an additive in screen

finishing. “The nanocrystals can be used in cell phones

and television screens, in fabric finishing, and in

the preparation of biodegradable films, amongst several

other functions,” explains João Paulo Saraiva, a

Research Scientist at Embrapa Algodão

With cellulose nanocrystals research developed

in Brazil, we are following in the wake of countries

PAUL GATENHOLM AO LADO DO

BIOIMPRESSOR 3D DA UNIVERSIDADE

DE TECNOLOGIA DE CHALMERS

Foto: Peter Widing

24


PEQUENA CADEIRA FEITA DE CELULOSE E IMPRESSA

UTILIZANDO O BIOPRINTER 3D NA UNIVERSIDADE DE

TECNOLOGIA DE CHALMERS, NA SUÉCIA

Foto: Peter Widing

de um trecho da BR-277, que liga São Paulo ao

Paraná.

Na indústria brasileira, as inovações no uso da

celulose também vêm sendo incorporadas pelo

setor de tecnologia. O uso de nanocristais de celulose

produzidos a partir de resíduos de algodão

estão sendo empregados na fabricação de telas

de celulares, televisão e outros gadgets.

O material é produzido a partir de línter de

algodão, uma fibra curta que é transformada em

nanocristais de celulose e utilizado como aditivo

no acabamento de telas. “Os nanocristais podem

ser utilizados em telas de celulares e televisão,

no acabamento de peças têxteis, ou no preparo

de filmes biodegradáveis, dentre diversas outras

funções”, explica João Paulo Saraiva, pesquisador

da Embrapa Algodão.

such as Japan, Canada, the United States, China,

Sweden and Finland, which have been using the

cellulose nanocrystals in industrial production.

TEXTURES

The versatility of the way pulp is being explored

innovatively producing materials already being

used in industry, such as packaging and textiles. The

big change in the production of these materials is

within the process itself, that is no longer exclusive

to traditional industry and is being produced more

cheaply and on different scales thanks to the use of

3D printing and prototyping.

Most 3D printers use a light and pliable plastic

filament, with great suppleness when heated, which

makes it ideal for molding during printing and returns

easily to a solid form when cooled. However,

25


P R I N C I P A L

METSA FIBRE, UMA DAS MAIORES PRODUTORAS DE

BIOENERGIA E BIOPRODUTOS DO NORTE EUROPEU,

DESENVOLVEU UMA NOVA FIBRA MAIS RESISTENTE QUE

ALGODÃO E VISCOSE

Foto: Tomi Aho

Com pesquisas em nanocristais de celulose

desenvolvidas no Brasil, entramos na esteira de

países como Japão, Canadá, EUA, China, Suécia

e Finlândia, que vêm utilizando a nanocelulose

em suas indústrias.

TEXTURAS

A versatilidade da celulose está sendo explorada

em modos inovadores de produzir materiais

já explorados na indústria, como embalagens e

têxteis. A grande mudança na produção desses

materiais está no próprio processo, que deixa de

ser exclusivo da indústria tradicional e passa a

ser produzido de modo mais barato e em escalas

diferenciadas graças ao uso de impressão 3D e

prototipagem.

Grande parte das impressoras 3D utiliza um

the use of polymers in the plastic leads to this option

being an unsustainable one. And to overcome this,

the use of pulp comes into play.

Researchers at Chalmers University of Technology,

in Sweden, for the first time succeeded in printing

objects using pulp in 3D bioprinters.

“The combination of the use of pulp with the

rapid technological development of 3D printing ensures

a huge advantage for the environment,” says

Paul Gateholm, Professor of Biopolymetric Technology

at Chalmers and responsible for the research

group dedicated to the use of pulp in 3D printing.

“Pulp is a renewable commodity and completely

biodegradable, and is a material originating from

timber, meaning it retains CO 2

that would usually

end up in the atmosphere.”

The possible outcomes offered by 3D printing

26


filamento de plástico leve e maleável, com grande

maleabilidade quando aquecido, o que torna

ideal para a moldagem durante a impressão

e retorna facilmente para o estado sólido ao ser

resfriado. No entanto, o uso de polímeros que

compõem o plástico torna essa opção pouco

sustentável. E é para suprir essa dificuldade que

surge o uso da celulose.

Pesquisadores da Universidade de Tecnologia

Chalmers, na Suécia, conseguiram pela primeira

vez imprimir objetos a partir de celulose utilizando

bioimpressoras 3D.

“A combinação do uso de celulose com o rápido

desenvolvimento tecnológico da impressão

3D possibilita grandes vantagens para o meio

ambiente”, afirma Paul Gateholm, professor de

tecnologia de biopolímetros na Chalmers e responsável

pelo grupo de pesquisa dedicado ao

uso de celulose em impressões 3D. “A celulose

é uma commodity renovável e completamente

biodegradável, e utilizar um material originário

de madeira significa reter o CO 2

que normalmente

acabaria na atmosfera”.

Os resultados possíveis oferecidos pelas impressões

3D são embalagens otimizadas e tecidos

que podem ser utilizados pela indústria de

saúde.

Os avanços do uso da celulose na indústria

têxtil também vêm recebendo contribuições de

pesquisadores finlandeses, que estudam alternativas

mais simples e sustentáveis para o uso da

celulose na produção de tecidos. Um grupo de

pesquisadores ligados à Metsa Fibre, uma das

maiores produtoras de bioenergia e bioprodutos

do norte europeu, desenvolveram uma nova fibra

mais resistente que algodão e viscose.

A fibra chamada loncell é produzida a partir

de madeira originária de florestas finlandesas,

tornando o produto sustentável e incentivando a

economia local. O novo tecido foi utilizado pela

grife finlandesa Marimekko em sua coleção lançada

em 2014. A incorporação da fibra pela grife

consagrada mundialmente pode representar um

novo passo para indústria têxtil. Uma nova revolução

está a caminho, nos resta acompanhar os

próximos passos.

A CELULOSE UTILIZADA

EM MISTURAS ASFÁLTICAS

CONTRIBUI PARA O

AUMENTO DA VIDA ÚTIL

DA PAVIMENTAÇÃO E DA

RESISTÊNCIA A PESO E

IMPACTO, REDUZINDO

A INCIDÊNCIA DE

DEFORMAÇÕES NO

ASFALTO

are optimized packaging and fabrics that can be

used by the healthcare industry.

The advances in the use of cellulose in the textile

industry have received contributions from Finnish

research scientists, who are studying more simple

and sustainable alternatives for the use of pulp in

the production of fabrics. A group of research scientists

linked to Metsa Fibre, one of the largest producers

of bioenergy and bioproducts in Northern

Europe, has developed a new fiber that is more resistant

than cotton or viscose.

The fiber called Loncell is produced from timber

sourced from Finnish forests, making the product

sustainable and stimulating the local economy. The

new cloth was used by Finnish brand Marimekko in

its 2014 collection. The incorporation of the fiber

by the consecrated worldwide brand represents a

new step for the textile industry. A new revolution

is coming; we can only accompany the next steps.

27


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Evoluir

para crescer

o simples ato de caçar para se alimentar, até a descoberta do fogo,

a evolução tecnológica tem sido uma constante em nossa existência:

cada dia surgem novas necessidades e, por consequência, novas

formas de suprirmos estas necessidades por meio das invenções e

descobertas. Confira abaixo algumas novidades que prometem aper- Dfeiçoar ainda mais a indústria:

Evolve to grow

F

rom the simple act of hunting to feed oneself to the discovery of fire, technological developments

have been a constant in our existence, while new needs arise every day, and as a

result, new ways to meet these needs through inventions and discoveries. Check out some

new features that promise to further refine industry:

28


Plataformas telemáticas

Líder global no fornecimento de tecnologias que

atendem à crescente demanda da cadeia produtiva de

alimentos, eficiência energética, soluções favoráveis ao

clima e infraestrutura moderna, a Danfoss apresentou

novos produtos da plataforma Telematics Solutions durante

a Feimec (Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos).

A Telematics Solutions é uma plataforma robusta e

acessível plug-and-perform que transmite dados para

aumentar a eficiência, estender a vida útil do equipamento

e minimizar o tempo de inatividade das máquinas

de forma geral.

Outra novidade são os conversores de frequência

das linhas VLT e Vacon. Projetado para controlar a velocidade

de motores assíncronos e ímã permanente, em

qualquer linha de produção ou máquina industrial, o

VLT AutomationDrive possibilita ao usuário economizar

energia, aumentar a flexibilidade do sistema e otimizar

processos. Destaque para o VLT Decentral Drive FCD

302 é baseado na plataforma VLT AutomationDrive FC

302.

Ele combina os principais recursos em um gabinete

único, a fim de criar a melhor opção para montagem

direta na máquina. O projeto único simplifica a instalação,

acionamento, operação e manutenção. Sem necessidade

de distribuição de campo, caixas suspensas ou

alimentação CC externa de 24 V.

Telematics

platforms

A global leader in providing technologies that meet

the growing demand of the food productive chain, with

energy efficiency, climate-friendly solutions and modern

infrastructure, Danfoss presented new Telematics

Solutions platforms during the International Machinery

and Equipment Fair (Feimec).

Telematics Solutions is a robust and affordable

“plug-and-perform” platform that transmits data to increase

efficiency, extend equipment life, and minimize

machinery downtime, in general.

Other new devices include the VLT and Vacon frequency

converter lines. Designed to control the speed

of asynchronous and permanent magnet motors, on

any production line or industrial machine, the VLT AutomationDrive

permits the user to save energy, increase

system flexibility and optimize processes. A highlight is

the VLT Decentral Drive FCD 302, based on the VLT

AutomationDrive FC 302 platform.

It combines the key features in a single box, in order

to create the best option for direct mounting on

the machine. The unique design simplifies installation,

activation, operation and maintenance.

Without the need of field

distribution, suspended boxes or

an external 24 V DC power supply.

Foto: divulgação

29


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Sistema de evaporação

A Veolia Water Technologies apresenta

a linha de evaporadores Evaled

para o tratamento de água residual em

indústrias. Os diferentes modelos da

tecnologia são aplicáveis em diversos

mercados e trazem inúmeros benefícios

para o tratamento de efluentes.

A solução reduz o volume de água

tratada, com baixo custo de aplicação,

sendo ideal para a recuperação

de matérias e também indicada para

reciclagem e reúso.

A gama de produtos da linha Evaled

AC tira proveito de água quente

ou do vapor disponível a partir de

plantas de cogeração ou resfriamento.

A utilização do aquecimento de água

existente e o resfriamento fornecem

uma solução de custo eficaz e reduzem

os custos operacionais. A linha

AC está disponível em duas séries que

utilizam tecnologias de transferência

de calor diferentes: Evaled AC-F e o

Evaled AC-R.

A família Evaled se destaca das

demais linhas de evaporadores, pois

possui uma alta flexibilidade de aplicação,

baixo consumo de energia e

confiabilidade. A evaporação através

do vácuo da bomba de calor permite

o controle de formação de espuma e a

separação total de metais, elevando os

padrões em termos de destilados, com

uma redução significante de DQO.

Treated water from an

evaporation system

Veolia Water Technologies presented its line of Evaled evaporators

for industrial waste water treatment. The different technology models

are applicable in various markets and provide numerous benefits for

the treatment of effluents. The solution reduces the volume of treated

water, with a low operating cost, and is ideal for the recovery of materials

and also suitable for water recycling and reuse.

The range of Evaled AC products takes advantage of the hot water

or steam available from cogeneration or cooling plants. The use of existing

water heating or cooling provides a cost effective solution and

reduces operating costs. The AC line is available in two series that use

different heat transfer technologies: Evaled AC-F and Evaled AC-R.

The Evaled family distinguishes itself from other evaporator lines,

because it has an extraordinary application flexibility, low power consumption

and reliability. Evaporation through the heat pump vacuum

allows for foaming control and total metal separation, raising the

standards in terms of distillates, with a significant Chemical Oxygen

Demand reduction.

Foto: divulgação

30


COMUNICAÇÃO

REVISTAS

VÍDEO

WEBSITES

MARKETING

TV

PRODUÇÕES

INTERNET

EVENTOS

PUBLICIDADE

www.jotacom.com.br

contato@jotacom.com.br

+55 (41) 3333-1023


M E R C A D O

DE

OLHO

NO

FUTURO

KLABIN INAUGURA FÁBRICA DE

CELULOSE NO PARANÁ; UNIDADE

PUMA REPRESENTA O MAIOR

INVESTIMENTO DOS 117 ANOS DE

HISTÓRIA DA COMPANHIA

Foto: Klabin

32


33


M E R C A D O

Empresa líder na produção de papéis e

cartões para embalagens, embalagens

de papelão ondulado e sacos industriais,

a Klabin inaugurou no último dia

20 de junho, a fábrica de celulose em

Ortigueira, no Paraná. Pela importância

do empreendimento, estiveram presentes na

solenidade o presidente em exercício da República,

Michel Temer, o governador do Estado do

Paraná, Beto Richa, e a prefeita de Ortigueira,

Lourdes Banach, junto com produtores rurais,

parceiros de negócio e clientes.

“É imprescindível para um país de escala continental,

como o Brasil, ter um setor industrial sólido

e competitivo. A Klabin possui essa visão. É

a base do seu DNA”, afirmou Paulo Galvão, presidente

do Conselho de Administração da Klabin.

Com a fábrica, a Klabin passa a ser uma empresa

de solução em fibras; agora ela é a única

no Brasil a produzir, em uma mesma planta, celulose

branqueada de fibra curta, celulose branqueada

de fibra longa e celulose fluff.

A Unidade Puma é o maior investimento privado

da história do Paraná, com um aporte de

R$ 8,5 bilhões, incluindo infraestrutura e impostos

recuperáveis, com obras executadas em 24

With an eye

on the future

KLABIN INAUGURATES A PULP PLANT IN

THE STATE OF PARANÁ; THE PUMA UNIT

REPRESENTS THE LARGEST INVESTMENT

IN THE COMPANY’S 117-YEAR HISTORY

K

labin is a leader in paper and paperboard

production for packaging, corrugated cardboard

and industrial bags, and on June 20,

the Company inaugurated its new pulp mill

in Ortigueira in Paraná. The importance of

the project ensured the presence at the inaugurating

ceremonies of Michel Temer, the Interim President of

the Republic, Beto Richa, the Governor of the State of

Paraná, and Lourdes Banach, the Mayor of Ortigueira,

along with agricultural producers, business partners and

customers.

“It is imperative for a country of continental scale,

such as Brazil, to have a solid and competitive Industrial

AS OPERAÇÕES DA

NOVA FÁBRICA FORAM

INICIADAS EM MARÇO

DESTE ANO. EM ABRIL,

FOI REALIZADO O

PRIMEIRO EMBARQUE

DE 20 MIL TONELADAS

DE CELULOSE DE FIBRA

CURTA COM DESTINO

À CHINA, SAINDO DO

PORTO DE PARANAGUÁ

Foto: Klabin

34


“A CONJUGAÇÃO

DAQUELES QUE

EMPREGAM E

DAQUELES QUE ESTÃO

EMPREGADOS É A

COMBINAÇÃO DESSAS

DUAS FORÇAS QUE

FAZEM O PAÍS CRESCER”

PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM

EXERCÍCIO, MICHEL TEMER

meses, cumprindo o orçamento previsto. Sua

capacidade produtiva chega a marca de 1,5 milhão

de t (toneladas) de celulose por ano, sendo

1,1 milhão de t de celulose branqueada de fibra

curta (eucalipto) e 400 mil t de celulose branqueada

de fibra longa (pinus), parte convertida em

celulose fluff.

“O Puma é a experiência brasileira de excelência

e ousadia que, esperamos, sirva de exemplo

do país que queremos para nossos filhos e

netos. É o reforço do já mundialmente reconhecido

compromisso com o meio ambiente da Klabin.

É a demonstração que investimentos podem

ser feitos com preocupação social, traduzidos em

dezenas de projetos relacionados à saúde, educação,

moradia e lazer”, resume o diretor Fábio

Schvartsman. “Este projeto é um divisor de águas

para a Klabin, um projeto coringa que permite ao

Brasil escolher pela substituição das importações

e incrementar o PIB (Produto Interno Bruto) em

R$ 1 bilhão”, calcula.

PALAVRA DO PRESIDENTE

Durante a solenidade de inauguração, o presidente

em exercício Michel Temer ressaltou a

importância da iniciativa privada para o crescimento

do país. De acordo com ele, serão esses

investimentos, aliados à força de trabalho, que

farão o Brasil crescer. “Quando falo na iniciativa

privada, falo na conjugação daqueles que empregam

e daqueles que estão empregados. É a

combinação dessas duas forças que fazem o país

Foto: Isac Nóbrega

Sector. Klabin has this vision. It is the basis of its DNA,”

said Paulo Galvão, Chairman of the Board of the Administrative

Council of Klabin.

With the factory, Klabin becomes a fiber solution

company; now it is the only company in Brazil to produce,

in the same plant, short-fiber bleached pulp, long-

-fiber bleached pulp, and fluff pulp.

The Puma Unit is the largest private investment in

the history of the State of Paraná, with an investment

of R$ 8.5 billion, including infrastructure and recoverable

taxes, and built in 24 months, as budgeted. Its production

capacity is scheduled to reach the mark of 1.5

million mt of pulp per year, with 1.1 million mt of bleached

short-fiber pulp (eucalyptus) and 400 thousand

mt of bleached long-fiber pulp (pine), part of which is

converted into fluff pulp.

“Puma is a Brazilian experience in excellence and

courageousness, which, we hope, will serve the Country

that we want for our children and grandchildren. It

strengthens Klabin’s already recognized worldwide commitment

to the environment. It is a demonstration that

investments can be made with social concern, and translated

into dozens of projects related to health, education,

housing and leisure,” says Fabio Schvartsman, Director of

Klabin. “This project is a watershed for Klabin, a project

that allows Brazil to choose for substituting imports and

increasing GDP in R$ 1 billion,” he calculates.

PRESIDENTIAL WORDS

During the inauguration ceremonies, Interim President

Michel Temer stressed the importance of private

DIVERSAS

AUTORIDADES

COMPARECERAM

À SOLENIDADE DE

INAUGURAÇÃO DO

PROJETO PUMA DA

KLABIN

Foto: Klabin

35


M E R C A D O

crescer”. Segundo Temer, a fábrica serve como

referência, pois mostra o potencial de crescimento

do país. “Isto pode ser um exemplo para

o Brasil, porque agora o que mais precisamos é

gerar empregos”.

INOVAR PARA CRESCER

A celulose fluff da Klabin abre ao mercado nacional

a possibilidade de substituir a importação

dessa matéria-prima. Esse tipo de celulose é um

importante insumo para a produção de fraldas e

absorventes descartáveis, entre outros produtos.

As operações da nova fábrica foram iniciadas

em março deste ano. Em abril, foi realizado o

primeiro embarque de 20 mil t de celulose de

fibra curta com destino à China, saindo do Porto

de Paranaguá. Para exportar a produção da

unidade, a Klabin estruturou uma Unidade de

Logística em Paranaguá, que permite a utilização

dos modais ferroviário e rodoviário. A empresa

espera movimentar 1 milhão de toneladas de celulose

por ano - mais de 90% da produção total

da fábrica está vendida.

De acordo com Schvartsman, a Klabin estuda

investir na compra de uma nova máquina de papel

cartão. “Em algum momento isso acontecerá,

mas com o atual momento da economia brasileira

e mundial não temos previsão de quando

construir a máquina”, explicou.

36

SOLENIDADE DE

INAUGURAÇÃO DA

UNIDADE PUMA EM

ORITIGUEIRA (PR); EMPRESA

ESPERA MOVIMENTAR 1

MILHÃO DE TONELADAS

DE CELULOSE POR ANO

Foto: Beto Barata

Foto: Klabin

initiative for the Country’s growth. According to him,

these are the type of investments, combined with the

work force, which will make Brazil grow. “When I speak

of private enterprise, I speak on combining those who

employ with those who are employed. It is the combination

of these two forces that make the Country grow.

According to Interim President Temer, the factory serves

as a reference, because it demonstrates the growth potential

of the Country. “This can be an example for Brazil,

because now, what we most need is to generate more

jobs.”

INNOVATION FOR GROWTH

Klabin’s fluff pulp opens up the domestic market to

the possibility of replacing the import of this raw material.

This type of pulp is an important raw material for the

production of disposable diapers and sanitary napkins,

amongst other products.

The new plant operations were initiated in March

this year. In April, the first shipment of 20 thousand mt

of short-fiber pulp was bound for China, leaving from

the Port of Paranaguá. To export unit production, Klabin

has built up a Logistics Unit in Paranagua, which allows

for the use of rail and road transportation. The Company

hopes to ship 1 million tons of short-fiber pulp per year

- more than 90% of total factory production is already

sold.

According to Klabin Director Schvartsman, Klabin is

studying investing in the purchase of a new paperboard

machine. “At some point it is going to happen, but with

AO LONGO DO PROJETO, PARA DEFINIR

INVESTIMENTOS SOCIAIS, A KLABIN FEZ EM

2012 UM DIAGNÓSTICO NOS MUNICÍPIOS DE

ORTIGUEIRA, IMBAÚ E TELÊMACO BORBA, ÁREA

DE INFLUÊNCIA DIRETA DA NOVA FÁBRICA


A UNIDADE PUMA É O

MAIOR INVESTIMENTO

PRIVADO DA HISTÓRIA

DO PARANÁ, COM

UM APORTE DE R$ 8,5

BILHÕES, INCLUINDO

INFRAESTRUTURA

E IMPOSTOS

RECUPERÁVEIS

Ao longo do projeto, para definir investimentos

sociais, a Klabin fez em 2012 um diagnóstico

nos municípios de Ortigueira, Imbaú e Telêmaco

Borba, área de influência direta da nova fábrica.

Por meio de um amplo processo participativo,

ela desenvolveu o Plano de Ação Socioambiental

do Projeto Puma, plano este composto por

diversas iniciativas nas áreas de saúde, educação,

cultura, lazer, meio ambiente e agricultura familiar.

Já as obras de infraestrutura contemplaram a

pavimentação das estradas da Campina e Minuano,

a melhoria da estrada Estratégica e a construção

de uma nova ponte interligando as margens

esquerda e direita do Rio Tibagi. A Klabin

também construiu um ramal ferroviário de 23,5

km (quilômetros) de extensão ligando a fábrica

à Ferrovia Central do Paraná. A distância média

entre a área florestal e a Unidade Puma é de 72

km.

A operação florestal da Klabin na região de

Telêmaco e Ortigueira é atualmente uma das

maiores do mundo, abastecendo as unidades

Monte Alegre e Puma. Para a nova fábrica, foram

construídos 100 km de linhas de transmissão,

além de possuir as duas maiores turbinas para

geração de energia elétrica já fabricadas em todo

o mundo para a indústria de papel e celulose.

Foto: Klabin

the current situation of the Brazilian and world economy,

we don’t have a forecast as to when the machine will be

built,” he explains.

In 2012, as part of the project, in order to define

social investments, Klabin carried out a diagnosis in the

Municipalities of Ortigueira, Imbaú and Telêmaco Borba,

the area of direct influence of the new factory. Through a

broad participatory process, it developed a Social-Environmental

Action Plan for the Puma project, which consists

of various initiatives in the health, education, culture,

leisure, environment and family agriculture areas.

The infrastructure works contemplate the paving of

the Campina and Minuano roads, improving the strategic

road network and the construction of a new bridge

connecting the left and right margins of the Tibagi River.

Klabin also built a 23.5 km branch line connecting the

factory to the Paraná Ferrovia Central (Railway). The average

distance between the forest area and the Puma Unit

is 72 km.

Klabin’s forestry operation in the Telemaco and Ortigueira

Region is currently one of the largest in the world,

supplying the Monte Alegre and Puma units. For the new

factory, 100 kilometers of transmission lines were built,

as well as having two of the largest power generation

turbines ever built in the world for the pulp and paper

industry.

“É IMPRESCINDÍVEL

PARA UM PAÍS DE

ESCALA CONTINENTAL,

COMO O BRASIL,

TER UM SETOR

INDUSTRIAL SÓLIDO E

COMPETITIVO. A KLABIN

POSSUI ESSA VISÃO. É A

BASE DO SEU DNA”

PAULO GALVÃO,

PRESIDENTE DO CONSELHO DE

ADMINISTRAÇÃO DA KLABIN

37


A R T I G O

Configuração,

reestruturação e

mercado de trabalho

do setor de celulose

e papel no Brasil

Foto: divulgação

38


Configuration,

restructuring and labor

market of the pulp and

paper sector in Brazil

Adriana Estela Sanjuan Montebello

Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP)

39


A R T I G O

RESUMO

A

presente tese analisa a configuração,

a reestruturação e a dinâmica do setor

de celulose e papel no Brasil (em

especial o seu mercado de trabalho),

mostrando que esses processos foram

distintos para as indústrias desse setor,

que são: a indústria de celulose, a indústria de papéis

e a indústria de artefatos de papéis. A tese está

organizada em quatro capítulos, incluindo a Introdução.

O segundo capítulo: Análise do processo de

configuração do setor de celulose e papel no Brasil;

destaca como a conduta das empresas multinacionais,

as políticas públicas e o dinamismo dos mercados

doméstico e externo geram evoluções e dinâmicas

distintas para as indústrias desse setor, desde

sua origem até 2009, e implicaram em suas distintas

inserções na DIT (Divisão Internacional do Trabalho)

ao longo do tempo. Demonstra-se que a configuração

dessas indústrias foi diferenciada nos últimos

50 anos, sendo que a expansão da indústria de

celulose foi para atender o mercado internacional

e as indústrias de papéis e artefatos de papéis são

mais centralizadas em atender o mercado doméstico

em resposta à forma como os países se organizaram

dentro da DIT. O terceiro capítulo: Impactos

da reestruturação do setor de celulose e papel

no Brasil sobre o desempenho de suas indústrias;

usou dados em painel e estimou equações visando

identificar se as variáveis de estrutura e de abertura

comercial tiveram influência sobre o desempenho

das indústrias do setor no período de 1986 a 2007

com base nos dados da PIA - Ibge, da Bracelpa e do

Sistema Alice-Web. Pode-se concluir que a variável

de concentração de mercado (HHI) teve impacto

ABSTRACT

T

he present thesis analyzes the configuration,

the restructuring and the dynamics

of the Pulp and Paper Sector in Brazil

(paying a special attention to its labor

markets), showing that these processes were different

for companies in the Sector: pulp industry,

paper making industry and paper artifacts industry.

This thesis is organized into four chapters, including

the “Introduction”. The second chapter, “Analysis of

the Configuration Process of the Pulp and Paper Sector

in Brazil”, highlights how the conduct of multinational

companies, public policies, and dynamism

of domestic and external markets generate distinct

changes and dynamics for the three industries within

the Pulp and Paper Sector in Brazil, from the

Sector beginning to 2009, and the implications of

the distinct insertions of these industries in the International

Division of Labor (IDL) over time. It is

shown that the configuration of these industries was

different over the last fifty years, pointing out the

expansion of the pulp industry to meet the needs

of the international market, while the paper making

and paper artifacts industries are more focused

on meeting the needs of the domestic market in

response to the way the countries organized themselves

inside IDL. The third chapter, “Trade Liberalization

and Industrial Reorganization Impacts on

the Labor Market for the Pulp and Paper Sector in

Brazil”, used panel data and estimated equations

to determine if the structural and new trade liberalization

variables had an influence on the performance

of Sector industries during the period from

1986 to 2007, based on data from PIA-Ibge, from

Bracelpa and from the Alice-Web System. It can be

40


positivo sobre a medida de desempenho margem

preço-custo; o aumento na taxa de importação tem

relação negativa com a margem preço-custo; e a

origem do capital tem relação positiva com a medida

de desempenho considerada. O quarto artigo:

Impactos da liberalização comercial e da reestruturação

industrial sobre o mercado de trabalho do setor

de celulose e papel no Brasil; analisa a dinâmica

do mercado de trabalho desse setor entre 1996 e

2008 usando dados do Rais (Relatório Anual de Informações).

Verificou-se:

1) Aumento no número de empregados no setor

de celulose e papel nesse período, mas redução

desse número para a indústria de celulose e para a

indústria de papéis;

2) A indústria de celulose emprega proporcionalmente

mais trabalhadores com maior escolaridade

e idade do que a indústria de artefatos de papéis;

3) Os salários pagos na indústria de celulose foram

maiores que nas outras duas indústrias e no setor

de celulose e papel como um todo;

4) Predomínio do uso da mão de obra masculina

e diferencial salarial entre homens e mulheres nas

três indústrias, entretanto, esse diferencial foi menor

na indústria de celulose em 2008;

5) A maioria das variáveis explicativas propostas

para analisar o impacto sobre os salários apresentou

o sinal esperado nas regressões.

As variáveis abertura comercial, proporção de

mulheres em relação aos homens e escolaridade

média dos trabalhadores foram as que apresentaram

melhor significância estatística. As duas primeiras

atuam para reduzir o salário e a última para

aumentá-lo.

concluded that the market concentration variable,

Herfindahl-Hirschman Index (HHI), had a positive

impact on the price-cost margin performance measurement;

the increase in the import rate had a

negative impact on the price-cost margin; and the

origin of the capital had a positive impact on the

performance measurement considered. The fourth

chapter, “Impacts of Trade Liberalization and Industrial

Reorganization on the Labor Market for the

Pulp and Paper Sector in Brazil”, analyses the labor

market dynamics of this Sector between 1996 and

2008 using data from Rais. The main findings are:

1) An increase in the number of employees in

the Pulp and Paper Sector during this period, but

a reduction in the pulp industry and paper making

industry;

2) The pulp industry employs proportionally

more workers with a higher scholarity level and age

than the paper artifacts industry;

3) Salaries paid in the pulp industry were higher

than in the other two industries and in the Pulp and

Paper Sector as a whole;

4) Predominance of the use of a masculine labor

force and salary difference between men and women

in the three industries, however, this difference

was lower in the pulp industry in 2008;

5) The majority of the proposed explicative variables

to analyze the impact on salaries presented

the expected signal in regressions. Trade liberalization,

proportion of women in relation to men, and

worker average scholarity level variables were the

ones that presented better statistic significance. The

first two act to reduce salaries and the third one to

increase salaries.

41


A R T I G O

Figura 1

CADEIA PRODUTIVA DO SETOR DE CELULOSE E PAPEL

(celulose de

integração)

Indústria de

papéis

Indústria de

artefatos de papel

Plantada

FLORESTA

Indústria de

celulose

(celulose de

mercado)

Editoração e

gráfica

Nativa

Mercado

externo

Fonte: elaboração própria

INTRODUÇÃO

Denomina-se setor de celulose e papel o conjunto

formado pelas seguintes indústrias: indústria de

celulose, indústria de papéis e indústria de artefatos

de papéis. O conjunto das três indústrias supracitadas

e mais as florestas, a indústria de editoração

e gráfica e os segmentos distribuidores vinculados

àquelas indústrias constituem a cadeia produtiva da

celulose e papel. A Figura 1 ilustra os componentes

desta cadeia.

A indústria brasileira de celulose compõe-se das

empresas que produzem celulose e pasta de alto

rendimento. Essa polpa pode ser vendida nos mercados

doméstico e externo (e é chamada de celulose

de mercado) ou usada na produção de papel

pela própria empresa que a produz (neste caso, a

INTRODUCTION

The Pulp and Paper Sector is made up of the

following industries: the pulp industry, the paper

making industry and the paper artifact industry. All

the three above-mentioned industries plus forestry,

the publishing and printing industry and the distribution

segments linked to those industries constitute

the pulp and paper productive chain. Figure 1

illustrates the components of this chain.

The Brazilian pulp industry consists of companies

that produce pulp and high yield pulp. This pulp is

sold on the domestic and external markets (market

pulp) or can be used in paper making by the company

that produces it (integration pulp). The paper

making industry comprises companies producing

paper classified as: newsprint, printing and writing

42


polpa é chamada de celulose de integração). Já a

indústria de papéis compreende as empresas produtoras

de papéis classificados em: papéis de imprensa,

de imprimir e escrever, embalagem, sanitários,

cartão e para outros fins. Esses papéis são

vendidos no mercado externo ou no mercado interno,

sendo que parte destes últimos se destina à indústria

de artefatos de papéis (nas quais se inserem

os fabricantes de embalagens de papéis e de outros

artefatos de papéis) ou à indústria de editoração e

gráfica. Vale destacar que algumas empresas líderes

são totalmente verticalizadas (desde a etapa de reflorestamento

até a de fabricação de papéis e de artefatos

de papéis) e as empresas de pequena escala

de operação compram a celulose no mercado para

produzir papéis ou compram papéis para produzir

artefatos de papéis. As empresas integradas para trás

e para frente contam com as vantagens competitivas

na produção de celulose, a qual é proveniente no

Brasil, em maior parte, da madeira de eucalipto.

Segundo os dados da PIA (Pesquisa Industrial

Anual) do Ibge, o valor bruto da produção do setor

de celulose e papel, em 1996, atingiu R$ 33,1 bilhões

(a preços de 2007) e em 2007 este valor foi

de R$ 43,5 bilhões, com as participações, em 1996,

de 14,55%, 29,59% e 55,87% para as indústrias de

celulose, papéis e de artefatos de papéis, respectivamente

no valor bruto da produção. Em 2007, essas

participações foram de 19%, 29,38% e 51,63%,

respectivamente.

A indústria de celulose é menos trabalho intensiva

do que a de papéis e esta última é menos trabalho

intensiva do que a indústria de artefatos de

papéis. Em 2007, segundo os dados do Rais, 7,01%

paper, packaging paper, sanitary tissue, cardboard,

and paper for other purposes. These products are

sold abroad or domestically, being that part of the

latter is intended for the paper artifact industry

(which includes manufacturers of packaging paper

and other paper) and the printing and publishing industry.

It is worth noting that some leading companies

are fully verticalized (from reforestation to the

manufacture of paper and paper artifacts) and that

small scale companies buy market pulp to produce

paper or buy paper to produce paper artifacts. The

integrated companies have competitive advantages

in all areas of pulp production from fibers grown in

Brazil, in most part, eucalyptus fiber.

According to the data from the Ibge Annual

Industrial Research Yearbook (PIA), the gross value

of production of the Pulp and Paper Sector, in

1996, reached R$ 33.1 billion (in 2007 prices), for

a 14.55%, 29.59% and 55.87% share, respectively

for pulp, paper and paper artifacts, and in 2007 this

figure was R$ 43.5 billion, for a 19%, 29.38% and

51.63% share, respectively.

The pulp industry is less “labor intensive” than

for the paper making industry and the latter is less

“labor intensive” than the paper artifacts industry. In

2007, according to the Annual Report of Annual Information

(Rais), 7.01% of employment in the Pulp

and Paper Sector was in the pulp industry, 22.33%

in the paper making industry and 70.67% in the

paper artifacts industry. When comparing these

shares with those of the preceding paragraph, it is

noted that the pulp industry employs relatively less

than the paper industry and paper artifact industry,

considering the gross production value. The balance

43


A R T I G O

do volume de emprego no setor de celulose e papel

foi na indústria de celulose, 22,33% na indústria de

papéis e 70,67% na indústria de artefatos de papel.

Ao comparar essas importâncias com as do parágrafo

anterior, constata-se que a indústria de celulose

emprega, relativamente às indústrias de papéis e

de artefatos de papéis, menos do que gera de valor

bruto de produção. A balança comercial da indústria

de celulose, em 2007, totalizou US$ 2,7 bilhões

de dólares e a da indústria de papéis foi de US$ 616

milhões (dados da Bracelpa).

O setor de celulose e papel foi, nos anos de

1950 a 1989, bastante favorecido por políticas econômicas

brasileiras que o dinamizaram. No entanto,

observa-se que esse setor continuou sua trajetória

ascendente nos anos posteriores em que ocorre o

processo de globalização, por meio da liberalização

do comércio internacional e da consequente interdependência

entre os países e com menor intensidade

de estímulo de políticas econômicas. Isto tem

sido atribuído a fatores de competitividade obtidos

no Brasil e que não puderam ser reproduzidos pelos

demais concorrentes no mercado global. Entre esses

fatores estão o baixo custo de obtenção de madeira

e de energia no Brasil e um parque industrial relativamente

moderno no setor em análise, por se

contar com plantas industriais mais novas do que as

existentes em outros países (em especial na indústria

de celulose).

O eucalipto, principal fonte para a produção de

celulose no país, cresce mais rapidamente no Brasil

e atinge a maturidade para corte em períodos mais

curtos que as espécies florestais do hemisfério norte,

como o pinus. Enquanto uma árvore de pinus

of trade for the pulp industry in 2007 totaled US$

2.7 billion and the paper making industry US$ 616

million (Bracelpa).

In the years 1950 to 1989, the Pulp and Paper

Sector was very much favored by Brazilian economic

policies that stimulated development. However,

it is observed that, in later years, this Sector continued

its upward trajectory due to the globalization

process, through the liberalization of international

trade and the resulting interdependence between

countries and with a lower intensity of stimulation

from economic policies. This has been attributed to

the competitiveness factors obtained in Brazil and

that could not be reproduced by the other competitors

in the global market. Amongst these factors are

the low cost of obtaining fiber and energy in Brazil

and a relatively modern industrial park in the Sector

under study, with mills younger than those existing

in other countries (especially in the pulp industry).

Eucalyptus, the main raw material for pulp production

in the Country, grows more rapidly in Brazil

and reaches harvest maturity in a shorter period

than that from the forest species in the northern

hemisphere, such as pine. While pine in the United

States takes about 25 years to reach its harvest

point, in Brazil eucalyptus takes, on average, seven

years to harvest with economic optimization. It is

worth noting that part of this high productivity in

forest plantations can be explained by the privileged

climatic conditions, which allowed for excellent eucalyptus

blooming in Brazil.

Combined with climatic conditions, technological

development is another factor that has led Brazil

to a significant worldwide prominence in the Pulp

44


nos EUA (Estados Unidos da América) demora cerca

de 25 anos para alcançar o ponto de corte, no Brasil

as árvores de eucalipto levam, em média, sete anos

para o corte com otimização econômica. Destaca-

-se que parte dessa alta produtividade nos plantios

florestais se explica pelas condições edafo climáticas

privilegiadas, as quais permitiram excelente florescimento

do eucalipto no Brasil.

Aliada às condições edafo climáticas, outro fator

que faz do Brasil um país com significativo destaque

no setor de celulose e papel é o desenvolvimento

tecnológico.

Desde a década de 1980, o Brasil investe em

inovações tecnológicas na silvicultura e na indústria

de celulose. Na área florestal, ao longo dos anos,

grandes mudanças nos tipos de inovações tecnológicas

ocorreram (Montebello; Bacha, 2009). O melhoramento

genético tradicional e a produção de

mudas através de sementes foram importantes nos

anos de 1980, sendo substituídos nos períodos seguintes

pelo melhoramento genético via biotecnologia

e pela produção de mudas clonadas. Em relação

à área industrial, as inovações tecnológicas têm se

relacionado fortemente com a silvicultura, caso da

qualidade e preparação da madeira e, além disso,

tem-se destacado nessa área a reorganização industrial,

em que se destacam inovações na formação de

recursos humanos. Assim, foi possível selecionar árvores

mais produtivas e resistentes para a produção

de celulose, o que, certamente, tornou o setor de

celulose e papel um dos pioneiros em pesquisas relacionadas

ao eucalipto, bem como, colocou o país

entre os grandes produtores de celulose no mundo.

Apesar de pouco destacados, os avanços tec-

and Paper Sector.

Since the 1980’s, Brazil has been investing in

technological innovation in the forestry and pulp

industry. In the forestry area, over the years, major

changes have occurred due to all kinds of technological

innovations (Montebello; Bacha, 2009). The

traditional genetic improvement and seedling production

from seeds were important in the 1980’s,

being later replaced in the following periods by genetic

improvement via biotechnology and the production

of cloned seedlings. In relation to the industrial

area, the technological innovations are strongly

related to forestry, in the case of timber quality and

preparation, and in addition, the industrial reorganization

in this area has been important, in which

innovations in human resources training can be highlighted.

Thus, it became possible to select more

productive and resistant trees for pulp production,

which has certainly led to the Pulp and Paper Sector

becoming one of the pioneers in research related to

eucalyptus, as well as putting the Country amongst

the major pulp producers in the world.

Although little highlighted, the technological advances

in planting pine in Brazil are also very large,

ensuring the competitiveness of the long-fiber pulp

produced in the Country. In addition, Brazil is one

of the few countries that has a large stock of land

suitable for agricultural expansion, including the

planting of forests. Another outstanding factor is the

Brazilian model for eucalyptus and pine plantations,

which incorporates good environmental practices

on the part of the pulp and paper companies in the

Country, being recognized internationally with environmental

seals, thus ensuring the entry of these

45


A R T I G O

nológicos também são muito grandes no plantio

de pinus no Brasil, garantindo a competitividade

da celulose de fibra longa produzida no país. Além

disso, o Brasil é um dos poucos países que possui

grande estoque de terras adequadas à expansão da

agropecuária, incluindo o plantio de florestas. Outro

fator de destaque está no modelo brasileiro de

plantações de eucaliptos e pinus, o qual incorpora

boas práticas ambientais por parte das empresas de

celulose e papel no país, sendo reconhecidas internacionalmente

por selos ambientais, garantindo, assim,

a entrada desses produtos em mercados cada

vez mais exigentes.

Há na literatura diversos trabalhos que analisaram

como o Brasil atingiu a competitividade

acima comentada nos últimos anos. De forma geral,

os estudos identificam quais são as vantagens

competitivas e comparativas que levaram o país a

alcançar posição de destaque no mercado global,

por exemplo, Juvenal e Mattos (2002) e Mattos e

Valença (1999); quais foram as principais políticas

públicas de financiamento adotadas para estimular

a implantação e crescimento do setor de celulose e

papel - por exemplo Soto (1992) e Macedo e Valença

(1996) - e estudos sobre a organização industrial

das empresas do setor, tais como Leite (1998),

Fonseca (2003), Lopes (1998), Hilgemberg e Bacha

(2003), Carraza e Bacha (2004), Silva (2002) e Lima

et al. (2006).

Entretanto, pouco foi investigado como as profundas

transformações ocorridas na economia global,

em decorrência do processo de globalização

(que acarretou o acirramento da competição entre

os países em virtude da maior liberalização dos

products in the increasingly demanding markets.

There are various works in the literature that

analyzed how Brazil reached the above mentioned

competitiveness over the last few years. In general,

studies identify the competitive and comparative

advantages that led the Country to achieve a prominent

position in the global market, for example,

Juvenal and Mattos (2002) and Mattos and Valencia

(1999); the main public financing policies adopted

to stimulate the implementation and growth of the

Pulp and Paper Sector e.g. Soto (1992) and Macedo

and Valença (1996); and studies on the industrial

organization of the companies in the Sector, such as

Leite (1998), Fonseca (2003), Lopes (1998), Hilgemberg

and Bacha (2003), Carraza and Bacha (2004),

Silva (2002), and Lima et al. (2006).

However, little has been investigated on the profound

changes that occurred in the global economy,

as a result of the globalization process (which led

to the fierce competition between countries due to

greater market liberalization) and increased economic

and environmental pressures affect differently

the dynamics of the industries that make up the

Pulp and Paper Sector in Brazil and, particularly, its

labor markets.

It must be considered that, within the Pulp and

Paper Sector, there are different segments, and their

structures and performances did not necessarily develop

equally as to the transformations arising within

the new scenario marked by competition on a

global scale. Given this, it is necessary to separately

examine the segments that make up the Pulp and

Paper Sector and assess how they interrelate and

behaved in different ways.

46


Given these considerations, this thesis seeks

to answer the following questions: what were the

changes in the Pulp and Paper Sector in Brazil due

to the globalization process of and the consequent

economic liberalization? How has this process impacted

on the structure and performance of the

Pulp and Paper Sector, highlighting the distinct dynamics

within this Sector? What was the impact of

these changes brought about by competition on a

global scale on the labor markets of the industries

that make up the Pulp and Paper Sector?

In order to clarify these questions and contribute

to the better understanding of the Sector in

question and its planning, the general objective of

this thesis is to analyze the configuration, restructuring

and dynamics of the Pulp and Paper Sector in

Brazil (giving special attention to its labor market),

showing that these processes were distinct between

the industries within this Sector. The specific objectives

are:

1) To analyze the distinct dynamics of the

industries that make up the Pulp and Paper Sector,

from its beginning in Brazil up to 2009, highlighting

the roles of multinational corporation conduct, public

policy and the dynamism of the domestic and

external markets in the configuration of this Sector.

2) To analyze the impact on performance

of the restructuring (caused by the role of multinational

enterprises, government policies, and the

domestic and external market dynamism) and the

trade liberalization of the industries that make up

the Pulp and Paper Sector in Brazil.

3) To analyze changes in the labor market of

the Pulp and Paper Sector due to the above mentiomercados)

e do aumento das pressões econômicas

e ambientais afetaram de maneira distinta a dinâmica

das indústrias que compõem o setor de celulose

e papel no Brasil e, em especial, os seus mercados

de trabalho.

Deve-se considerar que, dentro do setor de celulose

e papel, há segmentos distintos e suas estruturas

e desempenhos não necessariamente tiveram

evoluções iguais diante das transformações surgidas

com o novo cenário marcado pela concorrência em

escala global. Diante disso, faz-se necessário analisar

em separado os segmentos que compõem o

setor de celulose e papel e avaliar como eles se inter-

relacionam e se comportam de modos distintos.

Diante dessas considerações, a presente tese

busca responder às seguintes questões: quais foram

as mudanças ocorridas no setor de celulose e papel

no Brasil com o processo de globalização e a consequente

liberalização das economias? De que forma

esse processo impactou a estrutura e o desempenho

do setor de celulose e papel, destacando as dinâmicas

distintas existentes dentro desse setor? Qual foi

o impacto dessas mudanças trazidas pelo cenário

de competição em escala global sobre os mercados

de trabalho das indústrias que compõem o setor de

celulose e papel?

Com a finalidade de esclarecer essas indagações

e contribuir para o melhor conhecimento do setor

em análise e para seu planejamento, o objetivo geral

desta tese é analisar a configuração, a reestruturação

e a dinâmica do setor de celulose e papel

no Brasil (dando atenção especial ao seu mercado

de trabalho), mostrando que esses processos foram

distintos entre as indústrias desse setor. Os objetivos

47


A R T I G O

específicos são:

1) Analisar as dinâmicas distintas das indústrias

que compõem o setor de celulose e papel

desde sua origem no Brasil até 2009, evidenciando

os papéis da conduta das empresas multinacionais,

das políticas públicas e do dinamismo dos mercados

doméstico e externo na configuração deste setor;

2) Analisar o impacto da reestruturação (causada

pelo papel da conduta das empresas multinacionais,

das políticas governamentais e do dinamismo

dosmercados doméstico e externo) e da

abertura comercial das indústrias que compõem o

setor de celulose e papel no Brasil sobre o desempenho

das mesmas;

3) Analisar as mudanças ocorridas no mercado

de trabalho do setor de celulose e papel devido às

mudanças supracitadas, em especial à liberalização

econômica a partir dos anos de 1990.

A tese está organizada na forma de mais três capítulos

(na forma de artigos) que englobam os objetivos

específicos acima propostos.

O segundo capítulo: Análise do processo de

configuração do setor de celulose e papel no Brasil;

destaca como a conduta das empresas multinacionais,

as políticas públicas brasileiras e o dinamismo

dos mercados doméstico e externo geram evoluções

e dinâmicas distintas da indústria de celulose,

da indústria de papéis e da indústria de artefatos

de papéis no Brasil desde a origem desse setor até

2009.

O terceiro capítulo intitulado: Impactos da reestruturação

do setor de celulose e papel no Brasil

sobre o desempenho de suas indústrias; caracteriza

o setor de celulose e papel no Brasil, identificando e

ned changes, in particular the economic liberalization

starting in the 1990’s.

The thesis is organized in the form of three more

chapters (in the form of articles) that encompass

the specific objectives proposed above. The second

chapter, “Analysis of the Configuration Process of the

Pulp and Paper Sector in Brazil” highlights how the

conduct of multinational corporations, Brazilian public

policies and the dynamism of the domestic and

external markets generated different changes and

dynamics in the pulp industry, paper industry and

paper artifact industry in Brazil, from the beginning

of this Sector up to 2009.

The third chapter, entitled “Impacts of the Restructuring

of the Pulp and Paper Sector in Brazil on

the Performance of Sector Industries”, characterizes

the Pulp and Paper Sector in Brazil, identifying

and estimating, through regression analysis, market

structure and trade liberalization impacts on the

performance of industries within this Sector. The

period of time considered is that of 1986 to 2007.

The fourth chapter, entitled “Trade Liberalization

and Industrial Reorganization Impacts on the Labor

Market for the Pulp and Paper Sector in Brazil”, examines

the dynamics of the Pulp and Paper Sector

labor market during the period from 1996 to 2008

within the international scene created by economic

globalization, which shapes the behavior of industries

of this Sector. An equation of wage determination

is estimated to identify the impacts that trade

liberalization-related variables have on the average

salaries paid in the three industries that make up the

Pulp and Paper Sector in Brazil.

This set of chapters/articles reveals, amongst

48


estimando, por meio de regressões, os impactos da

estrutura de mercado e da liberalização comercial

sobre o desempenho das indústrias desse setor. O

período de tempo considerado é o de 1986 a 2007.

O quarto capítulo, intitulado: Impactos da liberalização

comercial e da reestruturação industrial

sobre o mercado de trabalho do setor de celulose

e papel no Brasil; analisa a dinâmica do mercado

de trabalho do setor de celulose e papel no período

de 1996 a 2008 diante do cenário internacional

criado pela globalização econômica, o qual molda

o comportamento das indústrias desse setor. Estima-

-se uma equação de determinação de salários para

identificar os impactos que as variáveis relacionadas

à abertura comercial têm sobre os salários médios

pagos nas três indústrias que compõem o setor de

celulose e papel no Brasil.

Este conjunto de capítulos-artigos evidencia, entre

outros aspectos, que a abertura comercial moldou

o setor de celulose e papel no Brasil frente às

novas exigências internacionais, via, por exemplo,

novas tecnologias e pressões ambientais. Isso, por

sua vez, refletiu na estrutura e desempenho desse

setor, bem como trouxe reflexos para o mercado de

trabalho desse setor.

*Tese apresentada para obtenção do título de

Doutor em Ciências. Área de concentração: Economia

Aplicada. Versão parcial, para obter a versão

integral entre em contato com Divisão de Biblioteca

e Documentação da Esalq/USP.

other things, that trade liberalization molded the

Pulp and Paper Sector in Brazil when faced with the

new international requirements, e.g. new technologies

and environmental pressures. That, in turn,

reflected on the structure and performance of this

Sector, as well as having reflections on the labor market

within this Sector.

*Ph.D. thesis presented for obtaining the title

of Doctor of Sciences. Concentration Area: Applied

Economics. Partial version, to get the full version please

contact the Esalq/USP - Library and Documentation

Division.

Entre 1996 e 2008,

os salários pagos na

indústria de celulose

foram maiores que

nas outras duas

indústrias e no setor

de celulose e papel

como um todo

49


50

C A S E


NADA SE

PERDE

COGERAÇÃO DE ENERGIA REDUZ

IMPACTO INDUSTRIAL NO AMBIENTE

POR MEIO DA DIMINUIÇÃO DE

DESCARTE E APROVEITA A FONTE

RENOVÁVEL

Fotos: divulgação

Nothing is Lost

ENERGY COGENERATION REDUCES THE

INDUSTRIAL IMPACT ON THE ENVIRONMENT

THROUGH THE REDUCTION OF WASTE

DISPOSAL AND MAKING USE OF A

RENEWABLE SOURCE

51


C A S E

Aadoção de cogeração de energia

por indústrias vem crescendo nos

últimos anos graças a uma combinação

de redução de custos,

sustentabilidade e envolvimento

com as comunidades locais. O

processo se baseia no uso de resíduos produzidos

pelas atividades da fábrica e convertido

em geração de energia. O resultado é uma redução

do impacto industrial no ambiente pela

diminuição de descarte e geração de energia

renovável.

No Canadá, a Fortress Paper, multinacional

especializada na produção de papel e polpa,

opera uma usina de cogeração de energia por

biomassa de celulose. A cogeração é um produto

secundário da fábrica, que é dedicada à produção

de celulose para a indústria têxtil, com

foco em produtos de fibra de viscose voltados,

sobretudo para o mercado chinês.

Com os resíduos resultantes da produção de

celulose, a usina localizada em Thurso se volta

para a cogeração de energia, com capacidade

para até 25 MW (Megawatts). Desses, 18,8 MW

são destinados para a rede pública de energia,

estabelecido em um contrato de 15 anos iniciados

2012. O restante é utilizado no autoabastecimento,

tornando a fábrica autossustentável e

diminuindo o impacto no meio ambiente.

A usina de Thurso aproveita o calor produzido

pelo processamento da polpa e o retém para

a geração de energia térmica. Uma das inovações

na cogeração a base de celulose, também

adotada pela usina de Thurso, é o aproveitamento

de resíduos resultantes do processamento

da polpa, que são queimados para abastecer

as caldeiras que dão origem a energia renovável.

Além de reduzir o despejo de resíduos no

ambiente e reter o calor que seria enviado para

a atmosfera, o processo de cogeração possibilita

o uso da energia gerada pela própria fábrica,

podendo muitas vezes torná-la autossustentável

no consumo de energia e até mesmo contribuir

para o abastecimento da rede pública, como é

o caso da usina de Thurso.

T

he use of cogeneration energy by industries

has grown over recent years due to a combination

of cost reduction, sustainability

and involvement with local communities.

The process is based on the use of waste

generated by industrial activities and converted for

use in power generation. The result is a reduction of

the industrial impact on the environment by reducing

waste and use of renewable energy generation.

In Canada, Fortress Paper, a multinational company

specialized in the production of pulp and paper,

operates a pulp biomass cogeneration power plant.

Energy from cogeneration is a byproduct of the mill,

which is dedicated to the production of pulp for the

textile industry, with a focus on viscose fiber products,

mainly for the Chinese market.

The mill located in Thurso (PQ) uses the waste resulting

from pulp production for energy cogeneration

and has a capacity to generate up to 25 MW. Of this,

18.8 MW is destined for the public power network,

established under a 15-year contract signed in 2012.

The remainder is used for self-supply, making the plant

sustainable and reducing its impact on the environment.

Na esteira da

cogeração de

energia em Três

Lagoas, a Eldorado

Brasil Celulose é

responsável pela

cogeração de 220

MW por ano com sua

unidade inaugurada

em 2013

52


No Canadá, a Fortress Paper,

multinacional especializada

na produção de papel e

polpa, opera uma usina de

cogeração de energia por

biomassa de celulose

Do mesmo modo que a Fortress Paper e sua

usina de Thurso, no Brasil a Fibria Celulose tem

se consolidado como referência no uso de energia

renovável. A empresa dedica-se a monitorar

a eficiência de suas unidades por meio de balanços

energéticos com metas anuais de aumento

da eficiência.

As unidades da Fibria localizadas em Aracruz

(ES) e Três Lagoas (MS) apresentam autossuficiência

energética, isto é, todas suas atividades

são mantidas por energia gerada pelos próprios

polos industriais. Da energia gerada, cerca de

90% é produzida a partir de biomassas, entre

elas a de celulose originária dos resíduos da atividade

industrial.

O volume de energia gerado pelas unidades

da Fibria totalizam cerca de 3 mil Gwh/ano (gigawatt),

volume suficiente para abastecer suas

fábricas e direcionar parte do excedente para a

rede pública, ajudando a tornar mais sustentável

o consumo de energia da região.

Na esteira da cogeração de energia em Três

Lagoas, a Eldorado Brasil Celulose é responsável

pela cogeração de 220 MW por ano com sua

unidade inaugurada em 2013. A expectativa é

The Thurso cogeneration plant takes advantage of

the heat produced by the pulp processing and retains

it for thermal energy generation. One of the innovations

in pulp-based cogeneration, also adopted by the

Thurso mill, is the use of residues resulting from pulp

processing, which are burned as fuel for the boilers

that produce renewable energy.

In addition to reducing waste disposal into the

environment and retaining heat that would be sent

into the atmosphere, the cogeneration process makes

it possible to use the energy generated by the factory

itself, which often makes the factory self-sustaining as

to energy consumption and even contribute to the

supply of the public network, as in the case of the

Thurso mill.

In the same way as Fortress Paper and its Thurso

mill, in Brazil, Fibria Celulose has been consolidated

as a benchmark in the use of renewable energy. The

Company is dedicated to monitoring the efficiency of

its units by using energy balances with annual goals of

increased efficiency.

Fibria units located in Aracruz (ES) and Três Lagoas

(MS) feature energy self-sufficiency, that is, all its activities

are powered by energy generated by the industrial

units. For energy generation, about 90% is produ-

53


C A S E

que sua capacidade de geração aumente para

320 MW em 2017.

Por se basear no aproveitamento do calor resultante

das atividades industriais, a cogeração

é ideal para indústrias baseadas em atividades

que utilizem grandes quantidades de energia

e calor. Do mesmo modo, a energia produzida

nesse processo tende a ser mais adequada para

ced from biomass, including the pulp originating from

industrial activity waste.

The energy volume generated by the Fibria units

totals about of 3 thousand GWh/year, a volume sufficient

to power its mills and leave a surplus to be directed

to the public network, helping to make energy

consumption in the region more sustainable.

In the wake of energy cogeneration in Três Lagoas,

54


sistemas de aquecimento doméstico, tornando-

-o ideal para locais com condições climáticas

que demandam grande uso de aquecimento de

moradias.

“A cogeração costuma ser mais adequada

a locais em que o calor pode ser utilizado. Na

Dinamarca, algumas cidades têm 95% de suas

residências aquecidas por meio da energia re-

Eldorado Brasil Celulose is responsible for the cogeneration

of 220 MW per year as a result of the start-up of

its unit in 2013. The expectation is that the generating

capacity will increase to 320 MW in 2017.

By relying on use of heat resulting from industrial

activities, cogeneration is ideal for industrial-based

activities that use large amounts of energy and heat.

Likewise, the energy produced in this process tends

to be more suitable for domestic heating systems,

making it ideal for locations with climatic conditions

that have large heating needs.

“Cogeneration is usually more suitable for places

where the heat can be used. In Denmark, some cities

have 95 percent of homes heated by energy from cogeneration

plants,” says Chad Wasilenkoff, President

of Fortress Paper. “For industrial plants, cogeneration

works well for operations that use a lot of energy, heat

and steam. But there are also small scale cogeneration

units, intended for home use.”

The benefits of cogeneration are also perceived on

As unidades da Fibria

localizadas em Aracruz (ES) e

Três Lagoas (MS) apresentam

autossuficiência energética,

isto é, todas suas atividades são

mantidas por energia gerada

pelos próprios polos industriais

Venda da energia

produzida pode

representar uma

fonte de receita

fixa para indústria

que sofre com a

sazonalidade de

suas atividades,

equilibrando o lado

financeiro ao mesmo

tempo em que

diminui o impacto

ambiental

55


C A S E

Na esteira da cogeração de energia em Três

Lagoas, a Eldorado Brasil Celulose é responsável

pela cogeração de 220 MW por ano com sua

unidade inaugurada em 2013. A expectativa é

que sua capacidade de geração aumente para

320 MW em 2017

sultante de usinas de cogeração”, afirma Chad

Wasilenkoff, presidente da Fortress Papel. “Para

instalações industriais, a cogeração funciona

bem para operações que usam muita energia,

calor e vapor. Mas também há unidades de cogeração

de pequena escala, voltadas para uso

doméstico.”

Os benefícios da cogeração também são

percebidas no lado financeiro, com usinas mais

eficientes na captura de energia como parte

do processo industrial, o que resulta em polos

industriais mais enxutos e menos custos com

instalações e manutenção de espaço. Entre as

vantagens do uso de cogeração está a diminuição

de custos com energia elétrica e a segurança

contra instabilidades na rede pública, eliminando

o risco de quedas no abastecimento. “A

indústria, quando opta pela cogeração quer ter

principalmente segurança elétrica e vapor”, afirma

Leonardo Calabró, vice-presidente da Cogen

(Associação da Indústria de Cogeração de

Energia).

Do mesmo modo, a venda da energia produzida

pode representar uma fonte de receita

the financial side, with more efficient power plants for

energy capture as part of the manufacturing process,

which result in leaner industrial units and lower costs

as to installation and space maintenance. Amongst

the advantages of cogeneration use is the reduction of

electric energy costs and security against instabilities

of the public network, eliminating the risk of supply

oscillations. “Industry, when it opts for cogeneration,

ensures security, mainly for steam and electrical energy,”

says Leonardo Calabró, Vice President of the Ener-

Com os resíduos

da produção de

celulose, a usina

localizada em

Thursu se volta

para a coogeração

de energia, com

capacidade para até

25 MW

56


fixa para indústria que sofre com a sazonalidade

de suas atividades, equilibrando o lado financeiro

ao mesmo tempo em que diminui o impacto

ambiental.

A redução do impacto ambiental representa

uma das principais vantagens da cogeração baseada

em biomassa de celulose. “Indico investir

em cogeração como uma alternativa mais eficiente

no uso de fontes renováveis, como o gás

natural, por fazer melhor uso de fontes naturais.

E com biomassa, a cogeração pode oferecer

uma fonte de energia mais sustentável para as

próximas gerações”, argumenta Wasilenkoff.

gy Cogeneration Industry Association (Cogen).

Similarly, the sale of excess energy produced can

represent a revenue source for a company that suffers

from a seasonal nature in its activities, balancing

the financial side at the same time reducing the environmental

impact. The reduction of environmental

impacts represents one of the main advantages of

biomass-based cogeneration. “I indicate investing in

cogeneration as a more efficient alternative to natural

gas, using renewable sources, making better use of

natural sources. And with biomass, cogeneration can

offer a more sustainable source of energy for future

generations,” argues Fortress President Wasilenkoff.

“Para instalações industriais, a cogeração

funciona bem para operações que usam

muita energia, calor e vapor”

Chad Wasilenkoff,

presidente da Fortress Papel

57


E N T R E V I S T A

Empreender

para crescer

Managing for growth

Foto: divulgação

Germano Vieira

Diretor Florestal da Eldorado Brasil

Director of Forestry - Eldorado Brasil

Aalta produtividade alcançada pelas florestas

de eucalipto no Brasil é sem igual

no mundo, com isso, a instalação de fábricas

de celulose no país torna-se um

investimento atraente. Em entrevista à

Revista CELULOSE & PAPEL, Germano

Vieira, diretor floresta da Eldorado Brasil, traça um

panorama do mercado nacional e antecipa diversas

tendências para o setor. Confira:

T

he high productivity achieved by eucalyptus

forests in Brazil is without equal

in the world, and with this, investments

in pulp mills have become very attractive.

In an interview with Revista CELULOSE & PAPEL,

Germano Vieira, Director of Forestry for Eldorado

Brasil, outlines an overview of the national market

and anticipates several trends for the Sector. Check

it out:

58


Celulose: Quais são os desafios de gestão de uma

empresa de papel e celulose diante do cenário atual?

Germano: A Eldorado é uma empresa com duas áreas

bem distintas - florestal e industrial - que devem

funcionar em perfeita sinergia. Na área florestal, os

principais desafios estão ligados a manter a competitividade

das florestas, por meio da busca constante de

material genético adequado, que possa ser responsivo

às alterações climáticas previstas nos melhores

estudos de climatologia. Além disso, há um intenso

investimento em mecanização florestal para reduzir

custos de produção, aumentando a produtividade do

nosso trabalhador e melhorando as condições do seu

posto de trabalho.

Celulose: O Brasil pode ser considerado um território

adequado para a indústria de celulose?

Germano: O país é o mais competitivo para fazer

celulose de fibra curta no mundo, e a Eldorado teve

custo bastante competitivo se comparada às demais

do setor. Na área florestal, as grandes vantagens estruturais

ficam por conta da disponibilidade de terra

no centro-oeste brasileiro, das boas condições climáticas

e da existência de tecnologia apropriada.

Celulose: Desde espaço para a produção, até logística

para escoamento, o país consegue comportar

a demanda que tem se instalado? Os investimentos

e a quantidade de florestas são suficientes?

Germano: Sim. O Brasil é um dos poucos países do

mundo capaz de atender ao aumento da demanda

mundial por celulose sem que seja necessário derrubar

nenhuma árvore nativa, realizando o plantio

em áreas antropizadas, ou seja, áreas anteriormente

utilizadas para outros cultivos e pastagens. A empresa

já iniciou o plantio de florestas para atender à essa

demanda maior por celulose. Hoje, parte dos 217

mil hectares de eucalipto já são destinados à segunda

linha.

Celulose: Um Estado que tem atraído inúmeras

empresas do setor é o Mato Grosso do Sul. Qual a

explicação para este movimento?

Germano: O Mato Grosso do Sul tem vocação para

a produção de celulose na região, por ter disponibilidade

de terras e de água, além de boa intensidade

luminosa, bom índice pluviométrico e topografia pla-

Celulose: What are the challenges for managing a pulp

and paper company under the current business scenario?

Germano: Eldorado is a company operating in two distinct

areas - forestry and industrial - that must work in

perfect synergy. In the forestry area, the main challenges

are linked to maintaining forest competitiveness, through

a constant search for suitable genetic material that is

responsive to climate change foreseen in the most comprehensive

climatology studies. In addition, there is the

large investment in forestry mechanization in order to reduce

production costs, improving our worker productivity

and their workplace conditions.

Celulose: Can Brazil be considered a suitable ground

for the pulp industry?

Germano: The Country has become the most competitive

in short-fiber pulp production in the world, and Eldorado

has a competitive cost structure when compared to others

in the Sector. In the forestry area, the major structural advantages

are in the availability of land in Central-Western

Brazil, with a very suitable climate and the existence of

appropriate technology.

Celulose: From the availability of areas for production

to distribution logistics, is the Country succeeding in

handling the demand that is being installed? Are the

investments and size of the forest sufficient?

Germano: Yes. Brazil is one of the few countries in the

world capable of meeting the growing global demand for

pulp without having to fell any native trees, or planting in

areas previously occupied by other human activities, namely,

areas previously used for other crops and pastures.

The Company has already initiated the planting of forests

to meet the demand for fiber. Today, part of the 217 thousand

hectares of eucalyptus is intended for the second

production line.

Celulose: A State that has attracted numerous companies

in the Sector is the State of Mato Grosso do Sul.

What is the explanation for this?

Germano: The Mato Grosso do Sul Region has a vocation

for pulp production, having land and water availability, in

addition to good sunlight, good rainfall and flat topography.

In addition, the State has demonstrated a political

will in favor of this type of enterprise, which makes all

processes easier.

59


E N T R E V I S T A

na. Além disso, o Estado mostra uma vontade política

favorável a este tipo de empreendimento, o que torna

mais fáceis todos os processos.

Celulose: A rotatividade de uma floresta no Brasil

gira em torno de 15 anos. Vale a pena investir no

plantio de árvores, mesmo que os resultados demorem?

Germano: Várias regiões do Brasil conseguem produzir

as melhores florestas do mundo, graças a mais

de 50 anos de desenvolvimento em pesquisa e melhoramento

genético e condições naturais do país,

que resultam na maior produtividade de madeira por

hectare. Uma floresta de eucalipto no Brasil demora

entre seis e sete anos para atingir seu ponto de colheita.

Para abastecer uma fábrica de 1,5 milhão de

toneladas/ano o Brasil precisa de 140 mil hectares,

sendo que na China são necessários 300 mil hectares

e, na Escandinávia, 720 mil hectares.

Celulose: A tecnologia e a mão de obra disponível

no país acompanham o desenvolvimento qualitativo

das florestas?

Germano: Como mencionado anteriormente, o

Brasil detém a melhor tecnologia para produção de

eucalipto no mundo, e, atualmente, seria impossível

atender à demanda das fábricas de outra forma. Na

Eldorado, o investimento em tecnologia e inovação é

prioritário e diversas soluções são desenvolvidas internamente

para melhoria da qualidade da floresta e

redução de custo. Alcançamos um índice de mecanização

de 85% nas atividades florestais, considerado

benchmark no Brasil. Além de utilização de sistemas

modernos de imagens e softwares de gestão, que nos

ajudam a planejar e monitorar todo o nosso ativo florestal.

Celulose: O setor florestal está se beneficiando

dos avanços tecnológicos?

Germano: Ele atravessa uma fase muito interessante;

criou sua base de material genético. Então, ele buscou

na Austrália o principal material genético dele,

que é o eucalipto grande, e também buscou na Indonésia

o eucalipto ouro fino, que são as duas espécies

que mais se adaptam no Brasil. A partir disso criou

um banco de germoplasma, um dos mais importantes

do mundo. Dessa forma a maioria das empresas

possui material genético, uma população-base muito

Celulose: The forest growing cycle in Brazil is around

15 years. Is it worthwhile investing in planting trees,

even though the results are relatively long term?

Germano: Several Regions in Brazil can produce the best

forests in the world, thanks to more than 50 years in research

and genetic improvement as well as the natural conditions

of the Country, resulting in greater fiber productivity

per hectare. A eucalyptus forest in Brazil takes between

six and seven years to reach its harvest point. To supply a

1.5 million tons/year mill, Brazil needs only 140 thousand

hectares, whereby in China, 300 thousand hectares are

needed, and, in Scandinavia, 720 thousand.

Celulose: Have the technology and manpower available

in the Country accompanied the qualitative development

of forests?

Germano: As I mentioned above, Brazil has the best technology

for the production of eucalyptus in the world,

and currently, it would be impossible to meet the demand

of the industrial plants otherwise. At Eldorado, the investment

in technology and innovation is a priority and several

solutions have been, and are being, developed internally

to improve the quality of the forest and reduce costs. We

have achieved a 85% mechanization rate in forestry activities,

considered a benchmark in Brazil. In addition to the

use of modern systems and management software, which

helps us to plan and monitor all our forest assets.

Celulose: Is the Forest Sector taking advantage of these

technological advances?

Germano: The Sector has gone through a very interesting

phase; it created its own genetic material base. For this,

it sought out the main genetic material in Australia, eucalyptus

grande, and also in Indonesia, eucalyptus ouro

fino, which are the two species that adapt well to Brazilian

conditions. From there, a germplasm bank was created,

one of the most important in the world. In this way, most

companies have genetic material, which produced a very

interesting population-base. This has led to a productivity

of an average of 40 to 45 cubic meters per hectare, an

increase from the original 12 cubic meters per hectare,

with some companies reaching 60 cubic meters. This part

is what forest engineering does very well.

Celulose: What are the possibilities that could be exploited

in the future?

Germano: Currently, there is a new turning point in the

Sector, in the area of forest mechanization. Not exactly in

60


interessante. Isso fez com que a nossa produtividade

saísse de 12 m 3 /ha (metros cúbicos por hectares)

para uma média de 40, 45, com algumas empresas

chegando aos 60 m 3 (metros cúbicos). Esta parte a

engenharia florestas fez muito bem.

Celulose: Quais as possibilidades que podem ser

exploradas?

Germano: Atualmente, você tem uma nova virada

no setor, que é a área de mecanização florestal. Não

a área de mecanização de colheita florestal, que vem

sendo mecanizada há muitos anos, mas sim a área

de mecanização da cultura, formação da floresta. Ali

sim estamos aproveitando fortemente toda tecnologia

que está disponível, ou embarcada na agricultura

ou em outros setores, acabamos aproveitando nas

atividades florestais. Isto está dando um resultado

fantástico.

Celulose: Diversos movimentos sociais estão na

luta contra o cultivo da celulose e muitas são as

críticas, principalmente por parte de ambientalistas,

com relação ao reflorestamento. Quais ações

o setor realiza para amenizar os impactos ambientais?

Qual a posição das empresas nesta questão?

Germano: O cultivo do eucalipto está cercado de

muitos mitos, porém hoje existem muitos trabalhos

que desmistificam algumas crenças como: o eucalipto

seca o solo ou o eucalipto estraga o solo. Para

suprir a humanidade de produtos de base florestal

(papel, papel higiênicos, lenços, papel absorventes,

embalagens), precisamos plantar de maneira eficiente,

utilizando a menor quantidade de terra possível.

Para cada hectare plantado de eucalipto, deixamos

de desmatar outros dez hectares de florestas nativas.

Além disso, a cultura captura CO 2

da atmosfera.

Devemos, no entanto, entender que uma cultura

de árvores é diferente de uma floresta nativa, assemelhando-se

a outras culturas de grãos necessárias

para a humanidade. Vale reforçar que todas as florestas

de eucalipto da Eldorado são certificadas, o

que demonstra a qualidade e a competitividade das

operações florestais e o compromisso com práticas

responsáveis, que promova a preservação do meio

ambiente e o desenvolvimento socioeconômico das

comunidades em que está inserida.

the area of forest harvest mechanization, which was mechanized

many years ago, but in the area of planting mechanization,

formation of a forest. There, the technology

that is available to, or being used in, agriculture or other

sectors has ended up being made use of in forestry activities,

with fantastic results.

Celulose: Various social movements are fighting against

cultivation of fiber used in pulp manufacturing and

there is much criticism, especially by environmentalists,

with respect to reforestation. What actions is the

Sector taking to ease environmental impacts? What is

the position of companies as to these issues?

Germano: Eucalyptus cultivation is surrounded by many

myths, but today, there are many studies that have demystified

some of these myths, such as “eucalyptus dries

out the soil” or “eucalyptus spoils the soil”. To supply

forest-based products (paper, sanitary paper, handkerchiefs,

napkins, and packaging) to the market, we need to

plant efficiently, using the least amount of land possible.

For each hectare planted with eucalyptus, ten hectares

of native forests are left standing. In addition, the culture

captures CO 2

from the atmosphere. We must, however,

understand that a planted forest is different from a native

forest, resembling other cultures, such as grains, which are

needed to feed mankind’s needs. It is worthwhile reinforcing

that all the Eldorado eucalyptus forests are certified,

which demonstrates the quality and competitiveness of

forestry operations and the commitment to responsible

practices, promoting environmental conservation and the

socio-economic development of the communities in which

it operates.

Nosso país é o mais competitivo

para fazer celulose de fibra curta

no mundo, e a Eldorado teve custo

bastante competitivo se comparada

às demais do setor

61


C A L E N D Á R I O

JULHO 2016

MERCOFLORA 2016

Período: 14 a 16

Local: Chapecó (SC)

Informações: www.mercoflora.com.br/sobre-a-feira

SETEMBRO 2016

SPECIALTY PAPERS US 2016

Período: 21 a 23

Local: Chicago (EUA)

Informações: www.specialtypaperconference.com

AGOSTO 2016

DIA DE CAMPO FLORESTAL

Período: 17

Local: Botucatu (SP)

Informações: www.diadecampoflorestal.com.br

PAPER ARABIA 2016

Período: 26 a 28

Local: Dubai (EAU)

Informações: www.paperarabia.com/

OUTUBRO 2016

FENASUCRO & AGROCANA

Período: 23 a 26

Local: Sertãozinho (SP)

Informações: www.fenasucro.com.br

LIX CONGRESSO E EXPOSIÇÃO

INTERNACIONAL DE CELULOSE E PAPEL

Período: 25 a 27

Local: São Paulo (SP)

Informações: http://abtcp2016.org.br/

ASPEX BAHIA FLORESTAL 2016

Período: 31 a 2

Local: Eunapólis (BA)

Informações: https://bahiaflorestal.com.br

NOVEMBRO 2016

EUROPEAN PAPER WEEK

Período: 22 a 24

Local: Bruxelas (Bélgica)

Informações: www.cepi.org/EPW/

Acesse:

www.portalreferencia.com.br

More magazines by this user
Similar magazines