Aviacao e Mercado - Revista - 5

A350.

Cmte João D'Angelo's

Aeroclube de Pirassununga

Em 14 de abril de 1907 o 14-Bis III realizou seu último voo. Após tentativas frustradas de

estabilizar a aeronave, Santos-Dumont perdeu o controle e bateu contra o chão. Ao invés

de reparar o avião, Santos-Dumont preferiu canibalizar as peças do protótipo para outros

projetos. O motor equipou os projetos 15, 16 e 18, as hélices e as rodas também foram

aproveitadas em outros aparelhos, como o Demoiselle, segunda aeronave mais famosa

projetada e construída pelo conquistador dos céus, Santos Dumont.

sobrevoou o público com os dois braços abertos, fora dos comandos e um com

um lenço em cada mão, acenou e soltou-os em voo e com isso foi muito aplaudido.

Alberto Santos Dumont era descendente de imigrantes, como a maior parte do

povo do Brasil, na época. Era neto de franceses, por parte de pai, e bisneto de portugueses,

por parte de mãe, nasceu em Santos Dumont-MG, sua casa de nascimento foi

transformada em um museu, o Museu Gabangu (www.museudecabangu.com.br),

Réplica do 14-Bis

apresentada em Brasília

Foto Fábio Pozzebom

Atualmente existem muitas réplicas do

14-Bis e elas voam, quando construídas

com base nas plantas originais do

inventor. Uma delas, construída pelo

empresário Alan Calassa em 2004,

esteve presente em Brasília-DF para as

comemorações do centenário do

primeiro voo celebrado em 2006, que

está no Museu do Ar da Força Aérea

Portuguesa. Mas, além das réplicas para

voar, há muitas outras feitas especificamente

para exibição em museus de

vários países e para monumentos em

aéreas públicas.

Em 18 de setembro de 1909, com o

Demoiselle nº 22, aos 36 anos de idade,

Santos Dumont realizou o seu último

voo como piloto, segundo vários de

seus biógrafos. Em Saint Cyr, Paris, ele

Santos Dumont

que abriga centenas de documentos,

imagens e objetos pessoais de Dumont e

uma aérea verde arborizada com lagos e

chafariz construído por ele próprio,

quando retornou da França. Dumont

sempre destacou o seu orgulho de ser

brasileiro e sempre dizia serem dos brasileiros

o seu sucesso e suas conquistas

ímpares para a humanidade. O “Pai da

Aviação”, Alberto Santos Dumont, é um

dos maiores orgulhos nacionais de todos

os tempos. Esse pequeno (tinha menos de

1,60 cm de altura) grande homem de

mente e atitudes brilhantes, ajudou a

estarmos aqui, voando e falando de

aviões, unidos por uma paixão, a aviação,

a final “as coisas são mais belas quando

vistas de cima”, Santos Dumont.

14 Aviação & Mercado Aviação & Mercado 15

More magazines by this user
Similar magazines