A Mulher que amou demais

florinha
  • No tags were found...

Em nome do amor abraçamos dores, beijamos as duvidas, fazemos amor com a ilusão. A dependência afetiva por si só já nos empurra para um precipício de emoções avassaladoras e muitas não olham isso como algo sério e sim como algo simples. Grande engano e erro.
Muitas mulheres esta sem uma direção e você não pode esquecer que ao nosso redor existem pessoas doentes a nos observar. Quanto mais colocarmos nossas vidas na mão desses desequilibrados mais tristeza e solidão viveremos.
Quando você se abandona ninguém mais precisa fazer isso porque nesse momento você dispensa até Deus com uma desculpa nos lábios chamada amor.

Índice Remissivo

Sobre o livro

Direitos Autorais

Agradecimentos

Sobre o Autor

O fim e o ínicio

Meu ideal de homem? Meu Pai

Casei com você pra que?

Meu Novo Eu

Amante sem consentimento

Carol espera por você!

Ele me intitulou como a *Bonequinha* que ele tirava ...

Ele vivia em função do sentimento que eu alimentava ...

A frieza dele era tão grande que logo após meus ...

Peguei a carta, sentei no sofá e a li e estava ...

A mulher que ama demais não percebe mas ela tenta ...

Eu não queria ficar a margem de mim mesma, eu ...

Quando estava dependente não enxergava a verdadeira ...

A vida sempre nos revela surpresas, quando não ...

Recomeçando a viver

Tentar entender as pessoas é confuso demais quando ...

Quem são os que amam demais?

Nem tudo que queremos é bom. Pra que se maltratar ...

O Renascimento da Fênix

Homens que Amam Demais

O que mais nos faz sofrer é a obsessão dos pensamentos

Começamos a questionar se de fato merecemos o ...

2

4

5

6

7

8

11

14

19

23

30

35

40

46

54

62

69

75

80

85

93

97

102

106

110

116

120


A maior dor que senti foi ser deixada para depois, ...

A caminhada começa com o primeiro passo

O amanhã? Deixa para quando você acordar.

O Mundo dá Muitas Voltas...

(Bônus) Para que você nunca esqueça

124

128

131

134

140

3


Sobre o livro

Meus sentimentos quando estava sobre a dependência emocional. A dor

de amar demais e não entender o porque de tanta desvalorização de

minha parte. Apesar de viver tantos relacionamentos fracassados em

momento nenhum achei que estava amando errado, mas sabia que

tinha algo acontecendo e que fugia ao meu controle.

Que esse livro posso lhe ajudar a se compreender, que ele te traga

esperanças e fé.

Flora Dominguez.

4


Copirraite

Autor

[Flora Dominguez]

Editor

[Celso Mariano]

Copirraite © 2015 [Flora Dominguez]

Primeira publicação usando Papyrus, 2013

Este livro pode ser adquirido por todas as pessoas de todos os níveis

sociais e culturais. Para palestras, contate [floradominguezz@gmail.com]

Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, a

editora e os autores não assumem nenhuma responsabilidade por erros

ou omissões, ou por danos resultantes da utilização das informações

aqui contidas.

5


Agradecimentos

Sempre poderemos reescrever nossa história basta desejarmos de todo

coração, mas com certeza você só saberá entender quando ser forte for

sua única opção na vida. Suas escolhas sempre decidirão seu destino.

Agradeço a Deus pelos dias e noites no qual ele me carregou no colo e o

quanto ele acreditou em mim e trouxe anjos para ficarem ao meu lado.

Ao centro kardecista que me orientou, aos médicos que cuidaram e me

aconselharam, a minha família por ter aguentado minhas loucuras

insanas, as minhas filhas por serem meu melhor pedaço e por sempre

acreditarem que eu poderia renascer.

E não poderia esquecer de você meu Anjo que esteve ao meu lado lendo,

relendo e me apoiando em cada linha e por todos os dias nunca

esquecer de dizer que tem orgulho da mulher que sou.

Amo todos vocês.

Flora Dominguez.

6


Sobre o Autor

[Flora Dominguez], terapeuta Holística, 47 anos, aquariana autêntica,

extrovertida, inteligente, sonhadora, guerreira. simpática e muito

observadora, gosto de estar perto de pessoas que me acrescentam

conteúdo. tenho 3 filhas maravilhosas. Amo ler e escrever sobre meus

sentimentos e minhas experiências. Meu lema: Amar a mim mesma em

primeiro lugar sempre e recomeçar sempre que for preciso.

Vivi 41 anos de minha vida tentando ser feliz, mas minha dependência

afetiva me levou por caminhos de homens desequilibrados e sem

personalidade. Minha trajetória foi muito sofrida e humilhante não me

reconhecia mais como mulher. Sempre fui lutadora só que as escolhas

eram erradas que me fizeram buscar amores que nunca foram sinceros.

Não existe uma fórmula mágica, existe muita Fé, muita força para

continuar a jornada de desintoxicar a alma dessa dependência que só no

faz ser menos.

Eu só queria ser feliz e amada, mas amei errado.

7


O fim e o ínicio

Era uma sexta-feira quando conheci Fernando aquele que eu permiti

invadir meus sentimentos mais sinceros, fomos apresentados por Lucas

um amigo em comum. Quando apertei sua mão um frio percorreu

minha espinha e senti a sensação que aquele homem mudaria a minha

vida, eu sempre fui daquelas mulheres que dá ouvido a sua intuição,

mas não quis ouvi-la e comecei uma amizade com aquele homem

aparentemente interessante, eu me perguntava o que fazia um homem

daquele estar sozinho, mal sabia eu que ele era uma bomba atômica,

que num simples toque explodiria minha vida em pedaços, em várias

direções.

Nos tornamos amigos ele falava dos problemas, dos pensamentos, os

sentimentos, e eu ali como uma boa menina ouvindo e aconselhando,

no fundo eu não entendia o porquê de dar tanta atenção para um

homem que ficava o tempo todo só falando de si mesmo e seus

relacionamentos problemáticos com mulheres que saíram em fuga por

não aguentar a relação doentia na qual elas tinham vivido ao lado dele.

Fernando era um homem interessante foi assim que minha mente

reproduziu para mim naquele instante, me levava para jantar quase

todos os dias, éramos só amigos até apresentei para ele uma amiga

minha, mas ela saiu em retirada, ela havia me falado que ele tinha algo

estranho, mas que não sabia o que era eu havia visto o mesmo,

entretanto não quis aceitar que aquele homem estava sozinho, só vinha

em minha mente que todas as mulheres que haviam passado por sua

vida eram loucas de abandoná-lo e com o acréscimo de traí-lo.

Num sábado fomos a uma boate eu estava linda e meus olhos já

fascinados por aquele homem o achou tremendamente irresistível,

amarga ilusão, tínhamos bebido bastante e o beijo rolou e quando abri

os olhos estava no apartamento dele deitada em sua cama e com ele ao

meu lado, levei um susto e ele disse: - Calma Flora, eu nem toquei em

você apenas dormimos juntos, fiquei encantada com aquela atitude, mal

sabia o que me esperava nesse longo caminho, e ele se tornou minha

meta, meus dias, minhas noites, minha vida, meu mundo se chamava

8


Fernando, todas as minhas conversas era ele, eu entendia sua

melancolia, seu mau humor, sua indiferença em relação a sua mãe

adotiva e sua revolta por ter sido abandonado pela mãe biológica ainda

bebê.

Eu era perfeita pra ele, era amiga, terapeuta em horário integral, era sua

tábua de salvação e ainda não havia notado, deixei passar todos os

sinais que indicavam perigo.

Muitas de suas características me irritavam, comportamentos de

grosseria com as pessoas, sua autoridade exagerada, com seu controle

sobre tudo que eu fazia. Eu achava que era questão de tempo que as

pessoas merecem uma chance, realmente eu estava dando chances dele

tomar minha vida e controlar como ele queria, achava que assim estava

ajudando ele a confiar em mim.

Fui ingênua, boazinha, compreensiva? Não, fui apenas uma mulher que

por causa de seu histórico de relações mal sucedidas amou

desesperadamente errado e colocou em alto grau de risco meu bemestar

emocional, minha saúde, minha segurança física, minhas filhas,

minha família, meus valores... Eu achava que amando assim estava

certa, me vi sozinha numa relação doente e não enxergava a saída,

apenas o enxergava e o simples fato de pensar em deixá-lo fazia meu

coração se partir em vários pedaços...

Essa dependência nos faz ser o tempo inteiro bombas relógios, tocou

explodiu, contrariou agride, não fazem o que queremos nos sentimos

desafiadas, uma gota de água às vezes é o bastante para fazermos uma

tempestade com direito a raios, furacões e quando voltamos a razão

vemos o quanto nos destruímos com tanto desamor por nós mesmas.

A vida de quem ama demais é complicada demais senão tiver alguém

quem ajude, somos capazes dos maiores escândalos, das maiores

manipulações, de nos rebaixar mendigando um pouco de carinho e

atenção, amor nem lembramos o que é isso não percebemos que nos

deixamos pelo caminho em nome de uma forma errada de amar.

Tentamos controlar tudo, pegamos no pé, construímos cenas em nossas

mentes que às vezes nem existem, nos perguntamos o tempo todo:

Porque ele não me ama? Na verdade nem temos coragem de ouvir essa

resposta, pode ser duro demais encarar a verdade que muitas vezes

9


sufocamos porque temos uma dependência afetiva. É fácil sermos

conselheiras dos outros e quando precisamos de conselhos saímos

correndo, só aceitamos quando enxergamos que a situação está

insustentável esse é o nosso erro deixar para fazer tudo quando esta

prestes a explodir, será crítico demais para nós e para quem estiver ao

nosso lado suportando tudo que fazemos.

Quantas noites passei sem dormir por querer controlar tudo demais,

marido, filhos e até amizades, ninguém suporta viver perto de pessoas

que querem ser donas da verdade o tempo inteiro, essa é a verdade que

tive que encarar com a dor. Se nesse momento você se encontra

desesperada, chorando, querendo morrer saiba que passei por isso

também, se seus relacionamentos têm históricos de fracassos

sucessivos eu direi que foi assim minha vida durante 41 anos.

É fácil? Não mentirei, não é fácil. Mas é muito pior viver na omissão e na

inércia de viver uma vida dessas. Você verá muitas vezes descrita em

minha história e verá onde amar demais nos leva.

Leia, medite, repense sua vida e renasça.

10


Meu ideal de homem? Meu Pai

Numa sessão de terapia me vi falando: Meu ideal de homem era meu

Pai, pode parecer loucura mas nós idealizamos o homem que

procuramos em nosso Pai. Sofri muito nas relações amorosas por tê-lo

como modelo de homem para minha vida, tenho lembranças de minha

infância de como ele tratava minha mãe. Ah! Sem esquecer que o

comportamento dela na relação com ele era de uma mulher que amou

demais, ela aceitava os espancamentos, as traições, as humilhações...

O meu referencial de homem estava ali diante de mim e o referencial de

como ser mulher estava ali ao meu lado embalando meu berço. Tenho

lembranças de como eles se tratavam desde os meus 4 anos de idade,

eu via meu pai agredindo minha mãe várias vezes, ele dava socos como

se estivesse batendo em um homem, ele puxava seus cabelos, tapas na

cara, eu ficava num canto apavorada chorando quieta e o mais triste era

ver minha mãe toda machucada. Meu Pai era alcoólatra, quando ele

bebia o inferno descia a terra e começava as sessões de pancadas, gritos

e choros... Odiei meu Pai por longos anos, odiava ele por tratar minha

mãe daquele jeito, odiava ele por me maltratar onde ninguém mais

11


poderia, minha alma.

Aos 12 anos comecei a defender minha mãe, pelo menos tentar

defender, não aguentava mais ver tantas cenas de pancadarias, os pais

não sabem o quanto isso faz mal a uma criança, o quanto de terapia

essas crianças terão que fazer para serem um pouco melhores como

pessoas, quantos leões ela terá que matar por minuto para tentar sorrir

futuramente. Eu defendia e apanhava muito, cresci no meio da violência

familiar, me tornei uma garota revoltada e rebelde, fugi cinco vezes da

casa dos meus pais, matei aula durante um mês e como punição meu

pai quebrou meus dois braços, apanhava com a borracha do fogão cheia

de areia, com a fivela do cinto, com cabo de vassoura, a mão ele usava

para dar tapas na cara e puxar meus longos cabelos e não deixava de

falar você é igual sua mãe, ouvi muito essa frase isso me machucava

mais do que as pancadas que ele dava, pois no meu íntimo eu achava

minha mãe fraca e sem atitude.

Não consigo ter muitas lembranças boas de minha infância e de minha

adolescência, mais tem duas que não esqueço, a primeira é meu Pai

levando eu e minhas duas irmãs na piscina e foi muito divertido, a

segunda meus pais e minhas irmãs no carnaval.

Minha irmã mais velha também sofreu muita violência física e um dia

ela disse chorando: Flora para eu ter prazer preciso sentir dor, porque

senão eu não me sinto completa, fiquei tão chocada que a abracei e

chorei junto, eu a entendia, cada uma manifestava de uma maneira a dor

que a infância nos causou. É fato que por ter um histórico tão ruim no

momento mais importante da vida de um ser humano eu teria sérios

problemas em meus relacionamentos futuros, algumas pessoas por

muito menos os têm. Fiz escolhas desesperadamente errada, por ter um

ideal de homem no qual eu vi ferir minha mãe na maioria das vezes sem

motivos.

As mensagens que recebi no tempo mais importante de minha vida foi,

você é fraca sem atitude, você merece sofrer, será punida sempre que

for preciso mesmo que seja por você mesma. E foi assim que construí

no decorrer de minha vida relacionamentos desastrosos, complicados,

violentos, humilhantes, no meu subconsciente estava registrado você

precisa sofrer pra ganhar o amor do homem ideal em sua vida: seu Pai.

Abominava o perfil dele mas eu o amava com meus sentimentos mais

12


sinceros, mais profundos...

Eles me disseram com suas atitudes : Você precisa sofrer, se humilhar

para ganhar amor, pra se conquistar o afeto de alguém você precisa ser

"boazinha". Eu queria sumir da vida deles, não me achava naquela casa ,

me sentia perdida, sem direção, eles me ensinaram que o correto era

brigar ou se calar, não me ensinaram o meio-termo, eles negaram a nós

o poder da comunicação, da flexibilidade, do amor-próprio, do diálogo,

das atitudes, estavam muito ocupados com suas brigas e deixaram suas

sementes sendo geradas num solo seco. Tenho o direito de seguir em

frente, de procurar ajuda, de querer caminhos diferentes, de me amar...

Eu não posso mudar uma pessoa, mas posso mudar a mim mesma

através de minhas escolhas, gritei para esse mundo de ilusões e dores

dentro de mim: Chega, acabou, quero ser feliz e vou ser feliz nem que eu

tenha que andar em cada terapeuta, se preciso for lerei milhares de

livros de autoajuda, conversarei com quantas pessoas for preciso, irei

em quantos grupos de ajuda eu tiver oportunidade, terei Fé em Deus, na

vida e em mim.

13


Casei com você pra que?

Conheci Thiago na igreja que eu frequentava pois eu recepcionava as

pessoas que chegavam pela primeira vez, ele era bonito, forte, um olhar

de cachorrinho abandonado ( homens assim tem táticas especiais para

atrair mulheres que amam demais, pelo olhar), fiquei amiga dele é claro

eu tinha achado ele lindo e fervoroso na fé. Passado três meses de

amizade ele me contou que estava namorando minha amiga Renata, me

deu uma pontada no peito mas ele havia feito a escolha e ela era uma

menina bonita e com a autoestima elevada.

Após um mês Thiago veio me procurar triste dizendo que Renata não lhe

dava a atenção que ele merecia, que ela preferia os amigos à ele, que

fazia de tudo pra chamar a atenção e que ela só dizia que não gostava de

pessoas grudentas, que ela era nova e que não carregaria o peso da

carência dele. Fiquei espantada com tudo que ele havia me contado, eu

com meu jeito compreensivo disse que conversaria com ela pra ouvir o

que tinha à dizer. Assim eu fiz e para minha surpresa ela falou que ele

estava sufocando-a com tanta carência, que ele era dramático, que se

sentia num filme de Romeu e Julieta e que ela não desejava esse tipo de

futuro. Concluindo eles terminaram o namoro, e eu passei a consolar

Thiago.

Passados três meses do término do namoro deles, Thiago se declarou

pra mim dizendo que eu era a mulher que ele sempre havia sonhado, eu

fiquei nas nuvens... Nosso namoro era normal, havia muita paixão entre

14


nós ele era um doce de pessoa, me tratava como uma princesa e sempre

dizia que me amava que não se via longe de mim. Eu o beijei e disse que

eu estava realizada e me sentia abençoada por tê-lo conhecido.

Num sábado a noite Thiago me levou para jantar e me pediu em

casamento, eu fiquei superfeliz chorava e ria ao mesmo tempo, naquele

momento me senti realizada. Esse fato se passou no final de 1988 eu

tinha apenas 18 anos de idade e ele 19 anos, cheios de planos e felizes

por tudo que estava nos acontecendo. Ele me levou ao Rio de Janeiro

para conhecer sua família, sua mãe era uma paraibana com um olhar

que dava medo ela me observava por onde eu ia o tempo inteiro sem

nada falar, eu detestava ficar sozinha com ela. Os irmãos pareciam

normais mas quando fui conhecer o Pai de Thiago pra minha surpresa

ele me perguntou: Tem certeza que quer casar com ele? Eu respondi

sorrindo: Sim, pensava que ele estava brincando. Ele me perguntou

novamente: Tem certeza que quer casar com ele. Eu respondi: Sim, mas

nesse momento senti um frio na barriga. Ele me olhou profundamente

pegou em minhas mãos e disse: Não faça isso você é uma menina

bonita ele vai te fazer sofrer, não gosta de trabalhar e você vai ter que ser

o homem e a mulher da casa, eu me separei da mãe dele pelo fato dela

achar que eu deveria sustentá-lo só por ele ser meu filho e ter condições

financeiras. Fiquei sem graça com tudo que havia ouvido, mas quando

Thiago se aproximou senti que não deveria contar a ele e guardei pra

mim tudo que tinha ouvido do meu futuro sogro. Minha família não

recebeu bem a notícia do meu casamento, meus amigos ficaram

paralisados pois éramos como a água e o vinho, eu simpática e alegre,

ele sério e controlador. Meus pais relutaram pra assinar os papéis do

casamento, disse-lhes: eu quero, quero, quero... Foi feita a minha

vontade.

Meu casamento parecia um velório, todos choravam desesperadamente.

Eu transpirava felicidade.

Na hora dos cumprimentos minha sogra falou bem alto para todos

ouvirem: Se você fizer meu filho infeliz eu venho acertar as contas com

você. Fiquei com vergonha, no dia do meu casamento ouvir aquilo sem

motivos.

Quem casa quer casa, assim diz o ditado. Mas eu fui morar com meus

pais, para minha sorte...

15


Fomos passar a lua de mel no Rio de Janeiro, pois eu não conhecia era

do interior de Minas e nunca havia saído de lá. Fomos ao Pão de Açúcar

e depois paramos pra lanchar. Para minha surpresa enquanto eu

terminei de escolher e virei para o lado não vi Thiago. Olhei ao redor e o

vi sentado com uma bela garota e quase a beijando na boca, eu tive a

sensação de desmaio, o ar me faltou, meus olhos escorriam lágrimas

como um oceano, eu tremia, saí correndo... De repente uma mão

segurou meu braço, era Thiago com um ar feroz gritando e dizendo que

eu era mal educada que aquela era uma amiga. Eu disse: Amiga? Você

estava quase beijando ela na boca e você tem coragem de falar que ela é

sua amiga. Ele numa fúria incontrolável meu deu um tapa na cara tão

forte que parecia que tinha deslocado meu pescoço, eu caí e não

suportei a dor de apanhar com três dias de casada, as lembranças de

meu Pai batendo em minha mãe vieram á tona e eu fiquei ali sem

conseguir me mexer chorando feito aquela criança aos 4 anos de idade,

apavorada e sem direção.

Ele ficou tão apavorado com minha reação que me abraçou e pediu

perdão chorando e eu não conseguia enxergá-lo eu só via meu Pai

dizendo: Você é igual sua mãe.

Chorei muito, me senti fraca e sem atitude, mas segui em frente. Perdoei

Thiago por ele ter perdido o controle e pedi desculpas pelo meu

descontrole. Ficamos bem novamente. Voltamos para a casa de meus

pais e seguimos com nossa vida de casados, muita paixão, muito sexo e

depois de um mês e meio comecei a me sentir mal, muito mal. Fui ao

médico e veio a notícia que eu seria mamãe. Fiquei superfeliz e me senti

estranha ao mesmo tempo, eu apenas tinha 19 anos.

Dei a notícia para meus pais eles ficaram felizes. Quando Thiago ficou

sabendo, ele teve uma reação de desapontamento, ele me disse: Você

não deveria ter feito isso comigo. Eu fiquei espantada, não sabia o que

dizer. No dia que ele recebeu a notícia que seria papai, ele se

transformou... O tapa na cara que ele havia me dado aquele dia, passou

a ser rotina.

As vezes eu acordava no meio da noite com ele parado me olhando

como se quisesse me matar, era macabro aquela cena. Outras vezes

acordava com ele sentado sobre mim gritando e me dando tapas na

cara, como se quisesse me punir por eu estar grávida, era aterrorizante.

16


Eu chorava muito, a cada dia eu sentia algo em mim morrer. Quando

passava com ele na rua e alguém falasse um oi e eu respondesse era um

beliscão que ele me dava.

Os dias foram passando, a tortura era constante... Já não me sentia mais

como ser humano, estava totalmente machucada no meu íntimo e

pensava como será o destino desse pedacinho que está dentro de mim.

Thiago um dia chegou pra mim e disse: Eu casei com você pra quê? Eu

respondi: Como assim?

Ele respondeu: Minhas cuecas estão todas sujas e você não lavou

porque? Fiquei com tanta raiva, que saí correndo peguei suas cuecas,

coloquei no meio do quintal e atirei fogo, e disse: Foi pra isso que você

casou comigo. Ele me olhou com tanto ódio, me pegou no colo me

colocou na janela da casa e ficou falando: Nossa como é alto aqui,

imagine se eu soltar você?! Nesse momento achei que morreria, mas

minha mãe chegou no exato momento que ele estava fazendo isso e ele

me colocou pra dentro. Eu só chorava e tremia. Depois de tudo isso ele

voltava e dizia que me amava e eu tinha que ser mulher na cama mesmo

passando por tudo isso, senão ele me punia. Com isso tive três ameaças

de aborto.

Como eu não tinha atitude de me ajudar, meu corpo passou a responder

ele de forma negativa. Toda vez que ele se aproximava de mim eu ficava

enjoada e vomitava como se dentro de mim um monstro fosse sair, se

ouvisse o nome dele eu me sentia mal e tinha que sair correndo, pra

dormir com ele tinha que tapar minha cabeça se ele me tocasse eu

vomitava.

Um dia ele se cansou de brincar e disse que ia trabalhar no Rio de

Janeiro e não voltou mais, esperei longos meses e nada. Minha

princesinha nasceu, só veio registra-la aos 3 meses tirou uma foto com

ela, olhou pra mim disse: Eu te amo e não voltou mais. Fomos

abandonadas sem explicações.

Não fui atrás, estava cansada demais e tinha minha filha pra cuidar. Um

dia minha filha adoeceu e o que era simples se tornou gigantesco eu

precisava de ajuda financeira e ele tinha condições e obrigações de me

ajudar.

Liguei para ele e relatei o que estava acontecendo, que eu não tinha

17


mais dinheiro pra gastar, que nossa filha estava precisando de ajuda. Ele

apenas disse: Volta pra mim, eu te amo! Eu fiquei revoltada, respondi:

Não quero falar sobre isso agora. Você vai me ajudar? Ele com toda

calma do mundo respondeu: Não. Quero que você vá pro inferno e essa

menina tomara que ela morra.

E minha filha morreu...Nesse dia um pedaço de mim morreu, não me

sentia parte desse mundo, afinal não queria mais fazer parte desse

mundo. Eu perguntava a Deus: Não chega não? Me destrói logo de uma

vez, porque me matar aos poucos? A revolta era grandiosa, o ódio não

cabia em meu ser, era grande demais para eu suportar tamanha dor.

Perguntava pra Deus o que eu faço, pra onde vou, o que devo fazer?

Ouvi uma voz falar: Deixe o tempo passar e aprenda a amar a si mesma.

"A criança que fui chora na estrada. Deixei-a ali quando vim ser quem

sou. Mas hoje, vendo que o que sou é nada, Quero ir buscar quem fui

onde ficou."

18


Meu Novo Eu

Dei um novo rumo pra minha vida, assim eu achava... Acordava,

trabalhava e noitadas todos os dias eu seguia exatamente esses passos.

As bebidas alcoólicas eram minhas companheiras inseparáveis elas me

faziam esquecer o que eu estava sentindo em meu interior. Queria fugir

da dor que sentia por tudo que havia acontecido.

Eu vivia a noite, respirava a noite, dormia pouco e tentava fazer daquele

instante de distanciamento da realidade minha eternidade. Ria, brincava,

beijava todas as bocas que me agradavam ao máximo e depois

descartava como se fossem lixos. Passei a usar a minha beleza a meu

favor, passei de uma mulher tranquila a uma mulher que desafiava os

homens.

Me divertia quando eles falavam que estavam apaixonados por mim, e

respondia: É mesmo? Estou emocionada com seus sentimentos, mas

você não serve pra mim foi coisa de momento. Eu comecei a me divertir

com a dor de cotovelos deles, isso me dava prazer.

Eu colecionei homens apaixonados por mim, quando queria sair

19


pensava em quem poderia me fazer sorrir mais. Minhas colegas diziam

que eu colecionava bobos da corte pra amenizar a minha falta de amorpróprio.

Teve um deles que chegou ao extremo, falou que iria se suicidar se eu

não ficasse com ele seriamente. Que raiva, que nojo daquele ser

insignificante querendo ditar o que eu deveria fazer. Respirei fundo e

calmamente disse: Quando vai ser o óbito? Tenho que comprar um

vestido preto para o dia do seu velório, ele me respondeu: Estou falando

sério Flora eu vou me suicidar se você não me levar a sério.

Eu parei pensei e respondi: Quer alguma ideia para que isso aconteça o

mais rápido possível? Ele se espantou e eu me levantei e disse: Me

aguarde aqui, fui no armário peguei soda cáustica coloquei em suas

mãos e disse comece a se matar eu quero assistir um controlador

maldito como você se estrebuchando na minha frente. Ele saiu e nunca

mais me importunou. Quando meus conhecidos ficaram sabendo que

eu havia feito me chamaram de louca e me perguntaram: Caso ele se

matasse na sua frente o que você faria? Eu respondi: Ele não faria, ele só

é um babaca maldito que usa do drama pra manipular as mulheres que

ele quer, conheço esse tipo e não vou admitir que façam comigo o que

já fizeram. Eu só queria mostrar que não era uma mulher que amava

demais pra mim mesma através dessas atitudes. A dor estava ali viva

com reações adversas.

Essa fase de minha vida foi prolongada. Estava vivendo todas as minhas

dores intensamente fazendo os outros sofrerem, isso me alimentava

mas era somente uma ilusão. Adorava passar a imagem de uma mulher

sensível e depois usá-los assim como eles faziam com várias mulheres.

Não era pra ter prazer pois não ia para cama com nenhum deles, eu

tinha nojo os desprezava por falarem tantas mentiras, vinguei muitas

conhecidas depois de terem sido usadas e abandonadas por algum

deles depois vinha a dor não queria senti-la, mas ela estava ali em cada

ato de vingança.

Com o tempo me olhava no espelho e não me reconhecia mais, eu

detestava olhar em meus olhos eu via a dor que estava ali pra quem

quisesse enxergar. Minha vida passou de tranquila pra intensa demais,

tinha que ser assim pra eu suportar tudo. Fui demitida, não rendia mais

pra firma, as pessoas só prestam quando estão bem, eu ficava revoltada

20


com tanta falta de comunicação dos que me cercavam, elas não queriam

ter trabalho em perguntar e eu passei a não querer ter trabalho pra

responder.

Fui trabalhar em uma boate como garçonete eu já vivia a noite mesmo

pra mim foi maravilhoso naquele instante de minha vida, dormia o dia

inteiro e vivia intensamente a noite como se o dia não fosse mais

chegar. Era fato que o dia me trazia recordações e a noite encobria

minha infelicidade. Meus sentimentos não eram importantes para quem

eu amei porque seria para os desconhecidos? Eu não tinha mais essa

ingenuidade e foi essa maneira que achei de gritar que estava sofrendo.

Chamei a morte várias vezes mas nem ela me quis, ela só quis o que eu

não queria lhe entregar e continuava negando isso a ela através da dor e

da negação que estava ali presente em todos os meus atos. Minha alma

sofria dilacerantes dores mas eu tinha que seguir a vida.

As pessoas vivem mecanicamente e muitas das vezes nos causam

sofrimentos que nos atinge de um jeito que seria melhor levar mil tapas.

Pra mim foi muito difícil chegar a conclusão que mesmo com meus atos

de agressividade com as pessoas era porque eu amava demais, eu

continuava amando demais.

Eu tentava entender muitas das minhas experiências traumáticas, meu

relacionamento afetivo com meu pai que era meu ideal de homem era

um fracasso = com meu marido = morte de minha filha. Aos 20 anos

tinha vivido mais que muitos. As pessoas que eu confiei traíram minha

confiança e me causaram dor e me deixaram ali sozinha pra curar as

feridas. O pior foi chegar a conclusão que eu esqueci de mim o tempo

todo.

Existem pessoas que nos faz esquecer que somos importantes, ela nos

rouba a força, nossas alegrias, nossa confiança, nosso eu. Por amar

demais eu me dei sem limites e sem limites as pessoas se acham no

direito de fazer o querem com nossas vidas e por causa de nossas

dependências afetivas nós autorizamos sem discutir porque temos

medo de perder, medo de ficar só, medo de não sermos amadas e

desejadas. Esse medo nos leva a pedir o que não queremos, nos faz

perder a voz.

Eu estava sendo destruída e o universo estava sofrendo as

21


consequências de minha destruição e isso ficou bem claro quando um

amigo me presenteou com um livro sobre o Amor, eu coloquei fogo na

frente dele e disse chorando: Nunca mais faça isso comigo, nunca mais

me dê um livro dizendo que o amor não faz sofrer, nunca mais me fale

ou escreva essa palavra perto de mim. Ele ficou ali calado me vendo

chorar sem saber o que fazer.

Eu só queria parar de sentir dor e ser feliz.

Eu queria ir em busca de mim mesma, mas precisava de ajuda para me

reencontrar.

22


Amante sem consentimento

Eu estava numa aceleração sem fim nos dias de folga, saia para beber

até não aguentar mais e me sentir anestesiada. O descontrole era

evidente. Não adiantava ninguém falar ou tentar me aconselhar eu

queria sumir do planeta, queria parar de sentir dor. Minha alma chorava

e isso respondia em mim como revolta eu não sabia como fazer e as

pessoas só me deixavam pior com conselhos superficiais, dizendo que a

vida era assim.

Eu já sabia disso tudo, mas ninguém me convencia eu queria que

alguém me falasse o porque, onde, quando, não queria explicações

vazias e sem sentido. Achavam tudo de mim, nem estava aí para o que

falavam, suas opiniões não diminuía e nem aumentava a dor. Dia de

folga, dia de beber, ri falsamente e quem sabe ouvir algum idiota falar

que eu era interessante, assim era Flora nos momentos de dor.

Estava sentada com algumas colegas numa boate quando o garçom veio

perguntar quem era Flora eu respondi de imediato: Eu porque? Ele

respondeu: Aquele Sr. enviou esse petisco. Eu respondi: Obrigada,

mande de volta e diga a ele que não estou com fome. O garçom ficou

sem graça e as garotas que estavam na mesa juntamente comigo

começaram a rir e dizer: Flora você é terrivelmente sincera.

Estava entediada com aquele ambiente. Me levantei para ir ao toalete e

quando voltava senti alguém segurar em meu braço, quando virei era

Augusto um ex namoradinho de adolescência. Fiquei surpresa tinha

anos que não o via e começamos um longo papo. Ele falou, falou e eu

fazia de conta que estava adorando a conversa. Ficamos aquela noite

23


juntos e começamos a ter encontros com mais frequência, ele amava

beber e comecei a achar que ele era a companhia perfeita, não me fazia

perguntas e era divertido.

Ele era loiro, olhos verdes, alto, muito risonho e simpático e não me

incomodava com assuntos que não queria reviver. Passados quatro

meses Augusto começou insinuar que queria ir pra cama comigo, que eu

deixava ele cheio de tesão, que eu era uma mulher charmosa e cheirosa

e para resumir o que ele queria eu falei: Fala logo Augusto que você quer

fazer sexo. Ele sorriu pra mim me agarrou e disse olhando em meus

olhos: Quero fazer sexo com você Flora. Eu respondi: Mas quero que

seja uma noite divertida pra rolar de um jeito sem o peso de fazer

porque você quer. Ele concordou. Como fui tola de abrir minha guarda,

era justamente o que ele estava esperando.

Marcamos a tal noite, coloquei um vestido preto, meias pretas, um salto

bem fino, escovei meus lindos cabelos loiros e fui me divertir. A noite

estava perfeita, dançamos muito, bebemos muito, eu mal conseguia ficar

de pé e depois fomos para o Motel e ali começou mais uma etapa de

humilhações em minha vida. Começamos a nos relacionar como um

casal, comecei a ficar ansiosa para que ele me ligasse para sairmos

juntos, voltei a ter esperanças que eu poderia ter um relacionamento

normal, como fui tola. Depois daquela noite, saímos mais umas três

vezes e ele sumiu. Comecei a me sentir mal e veio a notícia que eu mais

temia, estava grávida. Entrei em desespero, chorava dias e noites sem

parar. Eu me culpava o tempo inteiro por ter sido irresponsável de não

ter usado camisinha com Augusto e agora ele havia sumido.

O que eu faria? Como contaria para minha família que estava grávida.

Não tive solução todos ficaram desconfiados por eu estar me sentindo

tão mal e não achei alternativa contei que estava grávida. Foi um choque

para todos e pra mim um sofrimento. Meus traumas ressuscitaram de

uma forma incontrolável, sonhava que estava esquartejando o bebê,

sonhava que a criança estava engatinhando e quando eu via ela caía,

tentava pegá-la mas não conseguia. Ficava aterrorizada. Me vi sem chão

e Augusto nem dava sinal de vida sumiu sem deixar rastros. A dor do

abandono me deixou um lixo humano. Me sentia tão desolada pelo

mundo que isso começou interferir na minha saúde, adquiri uma

dermatite de contato nas mãos, elas ficaram como se estivessem

24


podres. Nunca tinha visto aquilo meus exames cada momento

acusavam algo que nem o médico que estava fazendo meu pré-natal

entendia. Quando estava com 5 meses e a barriga apontou, caiu a ficha

que estava grávida mesmo entrei em pânico e queria morrer, não queria

sofrer a dor de perder um filho novamente não aguentaria viver esse

trauma que não desejaria para meu pior inimigo.

Saí sem rumo tinha que fazer algo por mim, segurava a barriga e falava:

Me perdoa eu não posso sofrer novamente o que eu sofri, não vou ser

boa mãe pra você com tantas dores dentro de mim e o bebê pulava

como se quisesse me falar algo. Senti fome, parei numa lanchonete e eu

chorava muito, pedi um sanduíche e sentei num canto para ninguém

ficar me olhando chorar, mas um senhor muito educado sentou ao meu

lado e começou a falar: Eu sei o que você está sentindo eu perdi um

filho também e era meu único filho, eu e minha esposa não tivemos a

sorte de ter uma outra criança em nossos braços para amar. Eu fiquei

apavorada. Como aquele senhor sabia que eu havia perdido minha filha?

Olhei todas as pessoas que estavam ali e não vi ninguém conhecido. Ele

parecia que lia meus pensamentos, e falou: Não tente compreender o

que você ainda não tem capacidade de entender, mas você não esta

sozinha. O que era aquilo? Fiquei muda, minha voz sumiu. Pedi a conta e

quando virei pra pegar a bolsa, o senhor havia sumido. Fiquei arrepiada,

fiquei tudo naquele instante. Eu perguntei ao rapaz da lanchonete: Você

conhece quem é aquele senhor que sentou aqui do meu lado? O rapaz

respondeu: Mas não tinha ninguém sentado ao seu lado. Paguei e saí

correndo dali tentando entender o que estava acontecendo. Quando dei

por mim estava de frente a um galpão enorme e fui atraída nem sei

porque, nunca tinha visto aquele lugar. Entrei e sentei é difícil explicar,

mas parecia que alguém estava me guiando e hoje sei que realmente

estava. Quando olhei pra frente uma senhora fazia uma oração, me

lembro como se fosse hoje ela tinha cabelos branquinhos como

algodão, seu semblante era de paz, ao lado dela para meu espanto

estava aquele senhor e ela dizia olhando pra mim: Chegou sua hora

novamente de ser mamãe.

Durante o restante de minha gravidez eu os via em meus sonhos

repetindo a mesma frase: Chegou sua hora novamente de ser mamãe.

Foi quando comecei a admitir que Deus havia mandado anjos para

cuidar de mim e da criança que estava em meu ventre. Os pesadelos

25


com a criança começaram a desaparecer.

Augusto havia sumido mesmo, eu continuei a vida com minhas dores e

recebendo as visitas em meus sonhos daquela senhora que me trazia

paz, dois dias antes de Luz nascer me deu uma sonolência e vi aquela

senhora entrando no meu quarto com uma criança no colo e dizendo:

Trouxe sua filha, olhe pra ela e veja como é linda. Ela era a cópia da

minha filha que havia partido com uma diferença tinha olhos azuis e ela

sorria pra mim. Acordei chorando, fui até minha mãe e disse-lhe: Mãe

vou ter uma menina e ela tem olhos azuis. Minha mãe riu e falou: Flora

você estava sonhando.

Luz nasceu, quando o médico a trouxe e eu a olhei ela estava sorrindo

pra mim e com os olhos abertos e eram azuis.

Foi fácil e difícil ao mesmo tempo ser mãe novamente, eu tinha meus

traumas.

Luana morreu ela tinha dez meses e até Luz completar dez meses eu

levantava de hora em hora para ver se ela estava respirando.

Luz foi minha salvação de parte de minhas dores serem extintas. Ela era

realmente especial, linda e de uma doçura que nunca tinha visto, a casa

que era triste se encheu de alegria.

Trabalhava muito para oferecer a ela tudo de bom. Um dia eu entro

numa loja para comprar alguns biscoitos para Luz e um rapaz veio me

oferecer ajuda e quando me virei era ele, Augusto.

Ele parecia que ia desmaiar e eu disse: Nossa o mundo é pequeno e fui

com tudo pra cima dele, ele ficou apavorado e dizia: Não posso

conversar com você agora, estou trabalhando. Eu vou te procurar e

conversaremos. Eu respondi: Acho bom, pois você sumiu sem explicação

nenhuma e nem me deu tempo de dizer que eu estava grávida. Ele disse:

Grávida? Eu respondi: Sim grávida, é uma menina já está com dois anos

e se chama Luz. Senti que o mundo dele caiu, estava pouco ligando pra

ele. Falei: Augusto espero que você registre Luz em seu nome não a fiz

sozinha, passei meu telefone e fui embora.

Esperei uma semana e nada de Augusto entrar em contato, voltei na loja

ele havia pedido pra ser demitido fiquei revoltada. Conversei com a dona

da loja e ela me deu um telefone de contato.

26


Chegando em casa liguei e um senhor atendeu eu disse: Por gentileza

poderia falar com Augusto? O senhor respondeu: Ele não está no

momento, quer deixar algum recado? Respondi: Sim, diga que Flora ligou

e que preciso conversar com ele. Obrigado. O senhor falou que daria o

recado e esperei dois dias e nada. Liguei durante um mês. Um dia o

telefone toca e uma mulher diz: Por favor eu poderia falar com Flora? Eu

respondo: Pode falar. Ela indagou: Você poderia me dizer o que quer

falar com Augusto? Eu respondi: Não, é só com ele. Ela disse: Pode falar

comigo eu sou Flávia a esposa dele. Meu mundo caiu quando ela disse

isso. Eu respondi: Não tenho nada pra falar com você, pergunte a ele. Ela

perguntou: Você é amante dele? Tem algum filho com ele? Eu respondi:

Não sou amante dele e nunca fui, tenho uma filha com ele. Ela ficou

desesperada no telefone, chorava muito eu me senti mal com aquilo

tudo. Não sabia que ele era casado, foi quando comecei a entender

porque ele fugiu de mim. O odiei por ter me ocultado que era casado,

por me colocar numa situação de puro constrangimento. Ela disse: Flora

quero conversar com você pessoalmente. Poderia ser hoje? Eu respondi:

Tudo bem. Marcamos a hora e nos encontramos.

Nos encontramos e o clima era de revolta, duas mulheres que foram

enganadas por Augusto. Eu relatei a ela como foi nosso relacionamento.

Ela me perguntou se ele havia falado que era casado eu respondi que

não, que ele havia falado que tinha terminado o noivado. Ela chorou

muito pois eles estavam casados a oito anos e tinham uma filha da

mesma idade de Luz. Me senti mal com a situação tinha vontade de

matá-lo por fazer eu viver o papel da amante sem me pedir

consentimento. Meus monstros interiores começaram a ressurgir. Ela

viu minha revolta, viu meu desespero. Fiquei surpresa quando ela me

disse: Vou ajudá-la, não é justo ele fazer isso com você. Ele tinha

compromisso comigo e te enganou. Vou obrigá-lo a registrar sua filha, é

o mínimo que ele pode fazer para consertar tudo que ele fez. A agradeci

pela compreensão se posso dizer assim, mas ela ganhou meu respeito

se fosse outra mulher poderia ficar pensando mil coisas sem ter me

ouvido. E era verdade tudo que ela falou que faria. Ele me procurou

registramos Luz, fez questão de conhecer a filha marcou pra vir pegá-la

pra passear. Luz estava toda feliz que ia passear com o pai e

sinceramente me senti triste por isso, não sabia porque. Arrumei a

minha pequena criança e ela ficou o dia todo esperando e ele não

27


apareceu. Fiquei revoltada, chorei por ser culpada de ter feito minha

filha passar por isso.

Queria sumir. Fui atrás dele. Disse a ele: Seu verme maldito, porque você

prometeu passear com a menina se você sabia que não iria? Porque

faze-la se sentir rejeitada? Eu chorava muito por saber como é a dor da

rejeição. Ele simplesmente disse: A filha é sua eu já fiz o que era pra ser

feito, dei meu nome. Agora se vire. Eu fui ao chão. Me senti um lixo por

fazer minha filha viver aquela humilhação. Cheguei em casa chorando,

fui pro quarto e quando dei por mim Luz estava na minha frente olhando

pra mim e dizendo: Mamãe te amo, não fica triste não. Aí Deus como

doeu ouvir minha pequena falar aquilo. Porque sempre que eu tentava

fazer algo certo e tudo dava errado? Duas semanas depois ele apareceu

na minha casa querendo pegar Luz pra passear. Quando eu ia dizer não

Luz apareceu. Ele foi em direção a ela se abaixou e disse: Vamos passear

com papai Luz? Ela saiu de perto dele, ficou ao meu lado e disse: Não.

Ele tentou novamente e ela disse não e ele nunca mais voltou. Fiquei

surpresa com a reação dela, ela só tinha dois anos, como pode ela ser

tão firme assim? Ela era madura demais pra idade dela.

Cheguei a conclusão que alguém em algum lugar me amava muito, veio

em minha mente aquelas palavras daquela senhora: Chegou sua hora

novamente de ser mamãe. Comecei a acreditar que quando Deus vê que

estamos muito longe de nossos caminhos, ele envia alguém para nos

auxiliar. Mas precisava muito mais que ajuda, precisava do meu querer e

de minhas escolhas para alcançar a cura por amar demais.

O caminho das mulheres que amam demais é cheio de espinhos, pois a

nossa carência é de nós mesmas e dirigimos essa atenção para outras

pessoas por nos amar de menos e não nos sentirmos merecedoras do

AMOR. Em algum instante de nossas vidas, alguém nos fez sentir que

para ser amada precisamos da dor, precisamos ser menos, precisamos

ser opção e não razão. Carregamos o fardo de mulheres boazinhas mas

não somos, as exigências que fazemos a nós é a maneira que fazemos

de nos punir por não admitir que precisamos de ajuda.

Augusto em nenhum momento falou que era casado, ocultou essa parte

importante. Muitos homens fazem isso ocultam suas faces. Mas nós

mulheres que amamos demais não queremos saber por medo de perder

a nossa tábua de salvação ou quando descobrimos damos a desculpa

28


que não conseguimos ficar sem ele. Consagramos ele o anjo encarnado

na terra. Sofremos desesperadamente por um homem que não dá um

pingo de valor. Na verdade ele é um fraco precisando de uma mulher

sem amor-próprio para fazê-lo se sentir homem de verdade.

E nossa carência mais uma vez nos joga ao chão com nossa permissão.

29


Carol espera por você!

Conheci Rubens na igreja que frequentava, ele era observador, sem

beleza física mas eu o achava o homem mais lindo do universo, era

viúvo, tinha dois filhos, sempre estava sozinho e era dez anos mais velho

que eu. Nossas trocas de olhares eram constantes. Ficamos amigos. Um

mês depois noivamos. Foi tudo na velocidade da luz, com dois meses

estávamos morando juntos, assumi ele e os dois filhos.

Foi muito difícil conviver com eles, pois não tinham hábitos de boa

educação e higiene, mas como eu gostava de ser a pessoa dedicada e

maravilhosa ensinava tudo. No final do dia estava um bagaço, eu me

sentia fora do ar, mas quando Rubens chegava e dizia pra mim: Mulher

igual a você não existe. Era uma recarga de energia, recarga para a

mulher que amava demais. O filho mais velho dele quase me

enlouquecia, a menina de três anos evacuava no meio da casa e dizia:

Limpa que você é minha empregada, eu ia nas alturas nunca tinha visto

tamanha falta de educação. Quando minha filha completou um ano eu

engravidei novamente, começou o calvário. Nosso relacionamento

começou a ficar marcado pela violência. Ele me batia, eu revidava.

30


Começava a reclamar ele me esbofeteava e eu fazia o mesmo. Minha

agressividade era cada vez mais evidente. Já fazia questão de provocar

pois não aguentava mais os filhos me fazendo de empregada. Mas eu

tinha que continuar colocando a banca de mulher maravilha não podia

entregar os pontos eu amava demais.

Um dia estava na cozinha fazendo almoço ele veio perguntar onde eu

havia colocado a bíblia dele eu respondi: Procura que você acha, não

tirei nada do lugar. Ele mandou aquele tapa na minha cara eu estava

com cinco meses de gravidez avancei em cima dele quebrava tudo que

via na frente quebrei o som na cabeça dele e foi uma loucura, até que o

filho dele desesperado por já ter assistido várias brigas entre o pai e a

mãe, gritou: Para pai você vai matar ela como fez com minha mãe!!! Eu

levei um choque, ele partiu pra cima do garoto e eu fui defender.

Apanhei mais, me revoltei e passei a mão na faca e dei uma facada nas

costas dele e puxei com todo o meu ódio, mas a faca não perfurou

desceu cortando a pele superficialmente.

Ele gritava: Você enlouqueceu!!! Eu pegava a cara dele com as unhas pra

marcar, mordia até sentir o gosto do sangue em minha boca. Foi um dia

horrível, foi minha primeira crise nervosa na qual eu senti que fosse

morrer, tive vários sintomas ao mesmo tempo, coração acelerado, dor

de barriga, tremores, suava excessivamente, sensação de desmaio,...

Fui ao médico e ele disse que eu precisava me cuidar, que estava grávida

e não podia entrar nesse alto grau de stress por causa do bebê e Rubens

ouvindo tudo com cara de paisagem.

Passados dois meses já com sete meses de gravidez fui ao médico e

quando cheguei em casa ouvi uma voz de mulher, meu coração

acelerou... Quando cheguei dentro de casa estava ele e minha amiga

saindo do banheiro com os cabelos molhados. Sério pensei que fosse

cair ali mesmo, eu gritava tanto que todo meu corpo ficou rígido e não

conseguia me mexer, só gritava.

Era tanta dor no peito que parecia que fosse morrer, quando consegui

me mexer eu sai andando sem direção... Não queria mais ficar vivendo

aquilo, mas eu não podia abandoná-lo eu pensava ele tem dois filhos,

ele isso e aquilo eu não pensava em mim. E tive o segundo colapso

nervoso, fiquei horas chorando e minha família desesperada atrás de

mim, mesmo com isso tudo eu o aceitei de volta. O término do nosso

31


elacionamento se deu quando vi o filho dele e a filha se relacionando

sexualmente um com o outro, já estava com oito meses de gravidez e

mais uma vez passei muito mal, arrumei todas as coisas deles e os

coloquei na rua. Aquela cena foi uma das piores que vi até hoje, me senti

mais que lixo.

Minha pequena Carolina nasceu e eu quase morri, tive uma hemorragia

muito grave, fiquei cinco horas na mesa cirúrgica para conseguirem me

salvar, ouvia tudo que o médico falava mas senti que estava morrendo,

me vi indo embora de meu corpo pra não sofrer mais. O médico gritava

muito com a equipe, ouvia ele chamando Nossa Senhora para me acudir

e ela o ouviu, vi uma mulher com dois filhos no colo e quando ela se

virou era eu mesma e uma voz dizendo: Volta Flora! Reage Flora, sua

filha é linda, ela está te esperando. E eu voltei...

Voltei quando ele disse que minha filha estava me esperando. Não podia

morrer, não podia deixá-las sem minha presença mesmo que eu fosse

fraca diante dos abusos que eu mesma provocava por não saber amar.

Quando o médico veio me ver no quarto ele disse: Você renasceu Flora,

você ia morrer, você tem consciência disso? Eu balancei a cabeça

afirmando que tinha. Ele se despediu de mim e disse: Cuide bem dessa

oportunidade que Deus te deu de renascimento. Eu agradeci pelas

palavras e os cuidados e ele se retirou. Quando trouxeram minha

pequena Carolina eu mal aguentava me sentar, ela ameaçou chorar eu

disse: Minha pequena mamãe está aqui não vou te abandonar. Ela me

olhou, fechou os olhinhos e adormeceu.

Chorava muito por mim, pelas minhas filhas, por ser tão negligente com

meus sentimentos. Eu precisava mudar, precisava de ajuda, precisava

aprender a amar certo. Ultrapassei todos os limites do ser humano por

amar demais. Me desrespeitei como mulher, vi a morte sorte que não

era minha hora.

É mais fácil se entregar a alguém do que a si mesma, é mais fácil cobrar

dos outros, controlar, exigir e depois sair falando: Olha o que eu ganhei

depois de ter oferecido minha vida por você. Mas fui eu que quis fazer e

ainda jogo na cara? Foi eu que permiti um homem invadir minha vida.

Em todos os relacionamentos as pessoas se mostravam como são

realmente, eu não quis aceitar problema meu... Mas quando eu coloco

meu bem-estar em risco, é sinal que tudo está em desequilíbrio.

32


Terminava um relacionamento e não conseguia ficar muito tempo

sozinha o vazio dentro de mim era enorme e com isso estava

colecionando cicatrizes por amar errado. Para me sentir importante

tinha necessidade de me doar integralmente a uma pessoa. Tudo era

com muito excesso, absorvia tanto que eu sufocava as pessoas, exigia

além do que elas poderiam. Sempre me relacionava com homens

problemáticos, homens que me traziam problemas por terem a

autoestima tão lixo quanto a minha, eu os atraia pois era o que se

afinava a minha energia. É fato que eu fazia expectativas enormes em

cima deles, os sonhos eram meus e ninguém pode ser responsável por

eu sonhar o que a mim não foi prometido.

Se eles falassem A eu já estava com o alfabeto inteiro pronto para me

autodestruir. Não precisava de inimigos, o meu maior inimigo era eu

mesma. Pode parecer meio louco mas essa é a verdade sem rodeios.

Como desrespeitamos a nós e aos que estão ao nosso lado, achamos

que eles devem viver colados a nós o dia inteiro, para marcar território

abusamos nas ligações, fazemos tudo o que a pessoa gosta, tomamos

conta de tudo com nossa presença. Gritamos com nossas atitudes que

eles não podem viver sem nós e não nos enxergamos sem eles ao nosso

lado.

Nossas escolhas são baseadas em nosso perfil, amamos os

problemáticos nós trazemos eles para nossas vidas porque temos a

necessidade de sermos valorizadas e enfim salvá-los de sua vida cruel.

Nossa que drama! Sim somos dramáticas senão fossemos não

amaríamos além de nossos limites. Não é normal depender de alguém,

não é normal querer morrer por alguém, não é normal passar por cima

de qualquer pessoa ou lei com a desculpa de que é por amor. O amor

enobrece as criaturas.

Meu amor era uma bomba relógio prestes a explodir quando a situação

perdesse o controle. Tinha a necessidade de ser vista como

supermulher, tinha que me sentir viva para alguém, porque em meu

íntimo já estava morta para mim, precisava que meu parceiro afirmasse

você é uma mulher maravilhosa.

Eu queria tudo do meu jeito e não é assim que a banda toca, queria que

minha música fosse tocada o tempo inteiro. Mas quem aguenta ouvir o

tempo inteiro a mesma música? Ninguém. Uma hora a pessoa vai cansar

33


de tanto ouvir a mesma coisa. Eu era um disco arranhado, era uma

mulher que amava demais por não me amar em primeiro lugar. Eu não

queria sofrer, mas sempre procurava as pessoas erradas para amar.

Afinal quem ama demais se acha sem tempo para ler os currículos dos

candidatos ao seu coração, quero dizer que quando conhecemos alguém

vivemos um faz de conta... Fazemos de conta que somos a mulher

maravilha e não passamos de meninas assustadas tentando ser feliz do

jeito errado.

34


Ele me intitulou como a

*Bonequinha* que ele tirava e

colocava onde ele queria.

Fernando foi minha faculdade com pós-graduação, mestrado, doutorado

e pós-doutorado. Comecei a me relacionar com Fernando aos 33 anos,

foi uma das épocas que mais estive linda fisicamente me cuidava

excessivamente, pesava 52 kg, me vestia muito bem, ele me intitulou em

sua vida como bonequinha.

Meu primeiro dia convivendo com Fernando ele entregou em minhas

mãos materiais de limpeza, eu perguntei: Pra que isso? Ele respondeu: –

Pra você faxinar o apartamento e ele ficar com seu toque. Senti-me a tal,

achando que ele estava me valorizando, fiz exatamente o que ele queria

faxinei tudo e ele ficava do lado observando pra que nenhuma sujeira

ficasse pra trás.

Eu trabalhava das 8:00 hrs da manhã até as 17:00 hrs e quando soltava

do ônibus lá estava Fernando me esperando. Estava superfeliz ao lado

dele e pensei agora achei o homem ideal. Fernando não trabalhava vivia

35


de uma mísera pensão do pai, o apartamento era da mãe dele e como

ele estava sozinho tinha poucas despesas.

Na segunda semana que estávamos juntos Fernando me pediu dinheiro

pra comprar cigarros e eu dei e isso virou rotina, eu passei a sustentar o

vício do cigarro dele e a casa, tudo tem um preço e eu estava pagando

caro, mas nem ligava eu estava feliz por ter um marido que cuidava de

mim. Levei-o para conhecer minha família, ninguém gostou dele eu

achei que eram ciúmes ou implicância mesmo, até porque todas as

pessoas que se aproximavam de mim eles diziam que não prestava.

Deixei-o com minha mãe na sala e fui para o quarto das crianças ficar

um pouco com elas e adormeci, enquanto isso Fernando falava pra

minha mãe que estava ficando caro ele sustentar meu vício do cigarro e

minha mãe respondeu: – Flora nunca nos pediu dinheiro para sustentar

o vício do cigarro ela sempre foi independente muito estranho essa

atitude dela, mas fique tranquilo eu conversarei com minha filha, ele

imediatamente falou: – Não precisa, com o tempo vou ensinando a ela.

Assim que despertei minha mãe me levou ao quarto dela e me contou

tudo que ele havia falado eu fiquei espantada e disse pra minha mãe: –

Quem sustenta o vício dele sou eu, nessas duas semanas que moramos

juntos eu tenho comprado cigarros pra ele todos os dias. Minha mãe me

olhou espantada e disse: – Cuidado Flora esse cara vai te colocar em

apuros quando você

menos perceber, se ele teve coragem de falar uma mentira dessas

comigo, imagine o que ele falará de você pelas suas costas com outras

pessoas.

Comecei a me sentir mal pelo fato de já estar cinco meses com

Fernando e nada de sexo, não aguentava mais pensar o porquê e fui

conversar com ele. — Fernando o que está acontecendo que você não

me procura como mulher? Ele respondeu: — Eu estou de preceitos

bonequinha. Eu perguntei: — Preceitos de que? Ele respondeu: — Um

pedido que fiz ao meu santo e prometi ficar sem fazer sexo por um

período e não vou quebrar o que prometi a ele. Eu respondi: — Você

está certo, prometeu tem que cumprir eu espero meu amor seu preceito

terminar. Quando completou dois meses desse episódio, voltei a cobrar

o sexo. Ele ficou sem saída teve que ir pra cama comigo e para minha

decepção ele não teve ereção nenhuma, fiz tudo pra ajudá-lo a ficar

36


excitado foi tudo em vão.

Pensei comigo mesma, esse homem é gay. Eu estava desesperada com

meus pensamentos e procurei minha mãe e pedi um conselho, ela me

disse: — Pra mim Flora ele é bissexual. Fui ao chão e fiquei me

perguntando: — Será? O sexo com Fernando era uma rotina e eu o

chamei pra conversar,

perguntei a ele se tinha alguma fantasia sexual, se ele não gostava de

fazer posições diferentes, e comecei a dizer do que eu gostava e depois

de me ouvir ele respondeu: — Você é uma depravada, saiu me deixando

ali sem entender nada. Sexo com ele era só papai e mamãe e não podia

abrir a boca e muito menos gemer. Passei de uma mulher fogosa a uma

mulher fria.

Todas as vezes que eu chegava do trabalho ele revistava minha bolsa e

meu celular, se ele visse alguma chamada me fazia detalhar

minunciosamente a conversa e depois de duas horas me perguntava

novamente pra ver se eu caía em contradição. Estava adorando os

ciúmes dele e comecei a chegar à conclusão que tinha achado o homem

de minha vida e que agora eu tinha uma pessoa que se importava

comigo.

Com o tempo Fernando passou a pegar dinheiro em minha bolsa,

quando eu dava falta do dinheiro e ia perguntar, ele dizia:

—Não tenho esse costume de ficar roubando, pensei que você confiasse

em mim. Senti-me culpada e pedi desculpas. Eu mantinha tudo em

ordem e arrumando as gavetas dele, achei calcinhas e achei cheques em

branco com o nome de sua mãe, foi quando eu cheguei à conclusão que

ele tinha o hábito de furtar dinheiro. Fui conversar com ele sobre as

calcinhas e ele me disse que colecionava as roupas íntimas de suas ex,

eu fiquei espantada com aquilo e exigi que ele jogasse aquilo fora, ai ele

respondeu: — Minha bonequinha joga fora você, não preciso mais delas.

Fiquei sem entender nada, se ele não precisava porque elas estavam

guardadas em sua gaveta? Fui descobrindo que ele fazia umas rezas

para que a vida delas se tornasse um inferno, ele as odiava por tê-lo

traído e o abandonado.

Vestia ele, calçava ele, sustentava seu vício, fazia compras pra casa. Eu

era a mulher perfeita, ele falava isso para todos os amigos e eu me

37


sentia valorizada. Eu era completamente cega por ele, respirava

Fernando, exalava Fernando, fazia tudo para agradá-lo, trabalhava feito

louca para não faltar nada pra ele. Fiquei desempregada e ele me

cobrava dia e noite eu arrumar outro trabalho, dizia que eu tinha muitos

compromissos com ele e não poderia ficar esperando o serviço bater a

minha porta. Com o tempo fui descobrindo sobre sua infância, que ele

havia sido abandonado pela mãe biológica e que odiava a mãe adotiva.

Fernando me elegeu como sua mãe e como a bonequinha que ele tirava

e a colocava onde ele queria e era verdade.

Eu fazia tudo por ele, eu amava Fernando desesperadamente, eu

morreria por ele se precisasse.

Dava atenção a ele o tempo inteiro, chegava do serviço cansada e tinha

que ficar ouvindo ele falar sem parar a mesma coisa, quando eu

começava a cochilar ele me sacudia para dar atenção. Entre dez palavras

nove eram mentiras. Ele falava que tinha feito faculdade e nunca entrou

em uma, dizia que tinha carro e até guardava um carnê de 1989 pra

afirmar que era verdade, falava que as mulheres corriam atrás dele e

pelo contrário as mulheres depois que o conhecia além de abandoná-lo

o traia.

Fernando fumava desesperadamente dois maços de cigarro por dia e às

vezes chegava a três, bebia excessivamente e até me fazia passar

vergonha.

Era uma sexta feira e Carol minha filha estava comigo no apartamento e

Fernando nada de chegar, quando deu meia- noite me deitei com minha

filha e fui dormir, quando deu meia- noite e meia Fernando chega com

um amigo, os dois mal conseguiam ficar em pé. Disse-lhe: — Fernando

manda ele embora a Carol está dormindo e não quero acordá-la, ele me

respondeu: — O apartamento é meu e você não manda aqui, eu

respondi: — Mando sim, manda esse ai embora senão vai ter briga e

comecei a tremer, o amigo dele se aproximou de mim e me deu um tapa

na cara. Eu fiquei desesperada e comecei a gritar, peguei a faca na

cozinha e o amigo dele pegou a faca de

minha mão e ameaçou me esfaquear, eu desesperada coloquei minha

filha no colo e sai correndo pela rua descalça, de camisola e com uma

criança embaixo do braço.

38


Telefonei de um orelhão para o 190 e eles me aconselharam a voltar pra

casa e conversar com meu marido e se por acaso ele fizesse algo que

eles mandariam uma viatura. Não podia ficar com uma criança no meio

da rua, voltei pra casa e eles já haviam descido, entrei tranquei a porta e

fiquei lá em cima chorando. Eu os ouvia conversando do apartamento

sobre mim e para meu espanto vi Fernando dizer: — Essa piranha pensa

que manda em meu apartamento, só presta mesmo pra me sustentar e

o amigo apoiava dizendo: — Dá uma surra nela, assim ela aprende que

você é quem manda. Eu fiquei em choque, meu mundo caiu ali naquele

instante e só vinha em minha cabeça você vai me pagar caro por me

usar. Mas era raiva de momento, quando amanheceu Fernando ficou

ajoelhado em meus pés pedindo perdão e eu falava que ia embora, ele

pedia pra eu ficar que não podia viver sem mim… Eu perdoei e fiquei.

Durante um mês Fernando fazia todas as minhas vontades para apagar

aquele dia de minha memória e ele conseguiu por um tempo.

Eu detestava o perfil dele como homem mais fazia tudo por ele, eu

achava que poderia mudá-lo, achava que pelo fato dele ter sido

abandonado pela mãe biológica ele precisava de mais compreensão, eu

era obcecada não via minha vida sem ele, entreguei minha alma para ele

fazer o que quisesse com ela dei carta branca pra acabar comigo, mas

ainda era pouco eu achava que não era o bastante, coloquei minha vida

em risco por ele querer mostrar aos outros o que não era, desci ao

fundo do poço com minha obsessão por ele.

39


Ele vivia em função do

sentimento que eu

alimentava por causa de

minha dependência afetiva.

Eu vivia em função de fazer Fernando feliz ele vivia em função do

sentimento que eu alimentava por causa de minha dependência afetiva.

Ele jogava charme para outras mulheres e depois elas ficavam ligando

pra minha casa querendo falar com ele e ainda perguntavam se eu era a

empregada, eu dizia: — Não, sou esposa. Elas respondiam: — Eu não

sabia, diga a ele que fulana ligou. Ele sempre dava desculpas falando

que as mulheres eram loucas, uma em especial me ligava todos os dias

falando as mesmas coisas e eu dava as mesmas respostas.

Resolvi convidá-la para ir a minha casa e avisei ao Fernando se ela for

louca o bastante pra entrar aqui compre um saco preto que hoje será o

ponto final da vida dela e você terá que despachar o corpo, comecei a

perder o controle sobre mim.

40


Graças a Deus que ela não foi porque, com certeza, naquele instante eu

poderia ter feito um ato insano pelo sofrimento que eu vivia.

Comecei a passar dificuldades financeiras Fernando gastava além do

que podia para viver em restaurantes fazendo pose de rico, enquanto em

sua própria casa ele não colocava um grão de arroz. Comecei a

descuidar de minha aparência pela tristeza interior que sentia, comia

muito para alimentar o vazio que era constante em mim.

Passava uma semana bem e três semanas mal. Fernando não estava

nem ai, chegava em casa nem um beijo, nem uma atitude de carinho,

nem um sorriso. A primeira coisa que ele fazia era dar ordens, eu já

estava cheia de tantas exigências já não aguentava tanto desamor e

comecei a ficar agressiva, comecei a impor minha autoridade de mãe do

marmanjo. Ele estava me destruindo e eu o destruiria, mas não

conseguia deixá-lo ir e nem ele admitia que eu saísse de sua vida.

Éramos dois doentes, dois dependentes. Quando o chamava para

conversarmos sobre a relação, ele dizia que ia melhorar ou falava que eu

estava estressada demais. Ele passou a querer me dominar com aquele

sexo rotineiro, eu brigava e a noite ele fazia sexo com o seguinte recado

cale-se eu sou o macho aqui. Minhas brigas com ele passaram a ser

violentas, eu quebrava todas as louças da cozinha e gritava desesperada:

— Olha bem esses cacos no chão, sou eu, essa é a Flora caída em

pedaços por ser mal amada por você, ele olhou pra mim e disse: —

Minha bonequinha dengosa esta estressada, eu corri na cozinha abri a

gaveta peguei a faca de cortar carne e voltei dizendo: – Vou te mostrar o

quanto a bonequinha está estressada, e voei sobre ele, Fernando saiu

correndo e se trancou no quarto enquanto eu esfaqueava a porta

repetidamente.

Minha família ficou apavorada e não acreditavam como que eu tinha

conseguido dar tantos golpes numa porta a ponto de perfurá-la

profundamente… Nesse dia ele teve muita sorte e eu também, pois

estava disposta a matá-lo, já não suportava mais seu jeito frio. Fui

chamada para trabalhar para uma Empresa na qual eu ganharia muito

bem, tinha meus plantões e ficava muito tempo fora de casa, no

princípio achei que aguentaria ficar sem ele, mas depois começou a ficar

insuportável e eu ligava sempre que tinha uma folga pra ouvir sua voz,

era bem remunerada e ele começou a me dar mais atenção, eu achei

41


que era porque ele me amava, amarga ilusão.

Comecei a viver um tormento no trabalho, um dos motoristas começou

a ficar no meu pé até que um dia tentou me agarrar e me vi lutando com

um homem de 1,90 de altura, saí correndo e me tranquei no quarto dos

funcionários, fiquei sem ar, minha cabeça latejava, coração disparou,

tremia muito, chorava de uma forma incontrolável. Passei a ter medo de

ir trabalhar, por eu não ter cedido o meu colega de trabalho ficou me

perseguindo e me dava altos sustos, cheguei para Fernando e falei: —

Não aguento mais a pressão que Rodrigo está fazendo e contei o que

havia acontecido, ele me disse: – Se comporte como se nada tivesse

acontecido, trate-o bem você é uma mulher inteligente e não pode

perder o trabalho por causa de frescura sua. Pensei que enfartaria de

tanta dor que senti naquele momento, ele não estava preocupado com o

fato e sim com minha fonte geradora de dinheiro. Eu era nada pra

Fernando, fiquei com ódio e jurei que acabaria com ele custe o que

custasse.

Rodrigo não parava de me assediar e fiz reclamação dele com a chefia

de segurança, o mais espantoso foi ouvir que eu teria duas alternativas:

cedia ou então seria perseguida, não acreditei quando eles falaram isso.

Eu respondi: — Pode me demitir, não vou pra cama com porcos que

usam da força ou da autoridade, e fui demitida. Esse trabalho foi à gota

que faltava me gerou um medo constante fiquei onze dias trancada no

apartamento chorando, não queria ver ninguém.

Meu corpo já não aguentava tanta carga de dor interior e falta de amorpróprio

que desmaiei dentro de um Shopping, estava com minha mãe e

minhas filhas.

Quando acordei estava na enfermaria e minha pressão estava um pouco

alterada, a enfermeira me aconselhou a procurar um cardiologista, me

levantei agradeci e sai com minha mãe e as crianças. Dei uns cinquenta

passos e de repente comecei a tremer, meu coração disparou, tive

sensação da morte, suava excessivamente, minha cabeça dava pontadas,

comecei a gritar que estava morrendo e foi a maior correria, pois eu não

conseguia mexer meu corpo. Uma senhora que passava viu meu

desespero e de minha mãe, ligou para o marido que era do corpo de

bombeiros e me levaram para o hospital, fui medicada e depois o

médico veio conversar comigo e disse: — Flora você teve uma crise de

42


ansiedade, sua pressão foi a 19 por 17 procure um cardiologista e tente

não se aborrecer. Meu corpo estava pedindo socorro.

Fui ao cardiologista e não adiantou nada, voltei a me sentir mal e dessa

vez foi pior, Fernando ficou apavorado com a crise que eu tive, pois

quando a crise passava eu ficava com a aparência de um morto-vivo,

pela manhã liguei para o cardiologista e relatei o que havia acontecido,

ele disse que eu precisava de um neurologista e que meu caso era muito

sério, me passou o telefone de um médico recém-chegado na cidade

liguei desesperada e consegui uma vaga.

Minha mãe me levou ao médico, porque não aguentava ir sozinha e

Fernando tirou o corpo fora ele detestava pessoas doentes, mas fiquei

feliz, pois me senti mais protegida, ela de mãos dadas comigo me trouxe

um pouco de alívio. Fui atendida e o médico perguntou tudo nos

mínimos detalhes. Ele me deu o diagnóstico estava com Síndrome do

Pânico, estava doente e a primeira pessoa que pensei foi em Fernando

ele ficaria decepcionado em saber e realmente ficou.

A síndrome do Pânico é um medo constante de tudo, quando estamos

na crise à preocupação nos faz ter mais crises e isso dificulta a vida e as

rotinas diárias. Passei a ficar trancada no apartamento, pois quando

colocava os pés na rua tinha crises horrorosas parecia que ia

enlouquecer ou dar um ataque do coração. Nessa fase fui medicada e

com isso cheguei aos 105 kg, Fernando me desprezava todos passaram a

notar, quem cuidava de mim na época era Carol minha filha mais nova,

ela ficava o tempo todo ao meu lado segurando minhas mãos e me

ajudando, fiquei totalmente dependente das pessoas, com o tempo a

medicação foi fazendo efeito e eu comecei a me sentir um pouco

melhor. Segui tudo que o médico me orientou tomei os remédios e fiz

terapias que foram o ponto chave para minha melhora.

Fernando nem perguntava se eu estava bem, ele não queria ter trabalho

com ninguém e com nada. Minha família me ajudou muito, mãe, filhas,

meu pai também foi a chave pra eu melhorar das crises de pânico, foi

estranho perceber que as pessoas que um dia contribuíram para me

deixar doente eram a minha cura.

Comecei a fazer terapias com um anjo, era assim que eu denominava

minha terapeuta. Ela foi muito mais que uma profissional, pois ela

enxergou minha alma. Conversávamos muito parecia papo de duas

43


velhas amigas, eu amava o dia que ia fazer terapia, através daquele jeito

humano de me tratar ela conseguiu ir onde ninguém havia conseguido

penetrar.

Comecei falando de minha infância e o estresse foi evidente, mas ela

sabia conduzir sem que chegasse a um nível de me fazer reviver a dor do

passado, ela me perguntava: — Como você está se sentindo Flora? Eu

respondia: — Aliviada, precisava contar para alguém que não tivesse

nenhum laço afetivo comigo, ela segurou as minhas mãos e perguntou:

— Se

seu pai estivesse aqui agora o que você gostaria que ele falasse? Eu

respondi: — Eu te amo! Apenas essas três palavras. Ela me olhou com

carinho e perguntou: — Você em algum momento disse isso a ele? Eu

respondi: — Não, ele nunca me deu oportunidade para dizer que eu o

amava. Ela me disse: — Para você entender o porquê terá que enxergar a

sua própria escuridão, assim você entenderá a dele. Fiquei pensativa

naquele dia e por algumas horas Fernando não existiu em meus

pensamentos. Fernando me achou estranha e pela primeira vez o senti

ameaçado, ele me perguntou: — O que você tem Flora? Eu respondi: —

Nada, por quê? Ele falou: — Você está muito quieta estou sentindo que

sua mente não está aqui, ele tinha razão eu não estava ali.

Depois de muito pensar no que minha terapeuta anjo havia falado eu

cheguei à conclusão que tinha que penetrar em minha escuridão para

que a transformação acontecesse em mim e assim eu poderia me livrar

dos meus temores, fracassos, vergonhas e dores, só assim eu

descobriria minha força, meu poder, minha alma…

E foi assim que eu consegui entender que a escuridão do meu pai era de

não conseguir verbalizar o quanto me amava e me queria bem, que ele

errou, mas que ele estava pronto pra seguir em frente comigo me

apoiando para que eu pudesse ser feliz. Naquele dia fui libertada pela

certeza de que meu pai me amava e que ele estaria ali ao meu lado

segurando minha mão bem forte. Eu enxerguei a minha escuridão e

automaticamente enxerguei a escuridão de meu pai. Entendi que

quando criança fiz minhas escolhas vendo o exemplo que tive dentro de

casa percebendo as escolhas que eles fizeram pra suas vidas e achava

que era a maneira certa de viver.

Entendi que as pessoas nos oferecem o que elas tem e que exigimos

44


muitos das pessoas e acabamos refletindo e vivendo exatamente seus

medos, inseguranças, seus fracassos… O que eu fiz a vida toda foi reviver

a história de amor de meus Pais, apesar de odiar como eles viveram um

com o outro.

Tem um texto de Vaclav Havel que explica bem esse sentimento que eu

alimentava em relação ao amor doentio deles: O ódio tem muito em

comum com o amor, principalmente com aquele aspecto auto

transcendente do amor, a fixação sobre os outros, a dependência deles

e, na verdade, a entrega de uma parte da própria identidade a eles…

Aquele que odeia anseia pelo objeto do seu ódio.

45


A frieza dele era tão grande

que logo após meus ataques

de fúria ele agia

normalmente

Comecei a ter melhoras da síndrome do pânico, mas ainda tinha um

caminho pela frente a minha dependência por Fernando continuava

presente em mim. Eu tinha os cabelos longos e precisava mudar pra

mim mesma e resolvi radicalizar, fui na cabeleireira que já me

acompanhava a alguns anos e disse corta tudo, ela não acreditou

quando ouviu isso e me perguntou: Eu ouvi bem Flora? Eu respondi que

sim e repeti mais uma vez: Corta tudo e assim ela fez eu sentia uma

satisfação enorme, eu sabia que Fernando levaria um choque quando

me visse de cabelo curto.

Quando cheguei na rua que morava todos saíram pra me ver passar e

colocavam a mão na boca como se não acreditassem no que estavam

vendo e eu por dentro sorrindo, quando abri a porta do apartamento e

Fernando me viu, ficou petrificado e disse: Bonequinha você

enlouqueceu? Eu respondi: Claro pra conviver com você devo ser louca

mesmo, meu bem acostume-se a sua bonequinha está sendo enterrada

e eu estou sentindo uma satisfação em fazer isso com ela.

Por que me ferir minha bonequinha? Eu amava seus cabelos, respondi:

Amava disse certo, tudo que você amar em mim vou destruir assim eu

fico livre de você dê uma vez por todas. Realmente fui afastando

46


Fernando cada vez mais de mim e começou a minha revolta contra ele,

comecei a acha-lo sem graça, chato, imaturo, sem massa cefálica (burro

mesmo), e comecei a fazer tudo sem ele, achava que mudando a mulher

que chorava pelos cantos para a mulher que tinha prazer em vê-lo mal

ele sairia de minha vida sem eu precisar de falar ou mesmo tomar a

atitude de sair fora.

Fernando começou a me seguir, quando eu estava em um lugar de

repente ele aparecia do nada e comecei a sentir prazer em vê-lo agir

assim, uma vez eu estava num barzinho com umas amigas e Juliana me

chamou num canto e disse: Flora você viu quem esta atrás da árvore

vigiando você? Eu respondi: Não. Quem? Ela falou: Fernando, eu caí na

gargalhada e disse: É um palhaço mesmo, então amiga vamos nos

divertir, puxei Juliana e fomos nos sentar a mesa. Claro que fiz questão

de jogar charme, eu estava totalmente fora de forma, mas era

supersimpática e bonita, as pessoas se sentiam bem ao meu lado e isso

contava muitos pontos ao meu favor. E quando o sanguessuga do

Fernando viu a nossa mesa recheada de homens bonitos ele entrou pra

marcar território e disse: Boa noite! E todos responderam, menos eu.

Não o chamei pra sentar e nem olhei pra sua cara, mas logo a seguir

chegou seu amigo amante, era assim que eu chamava aquele amigo que

vivia atrás dele como uma cadela no cio, eu desconfiava desse apego

deles apesar de nunca ter visto nada entre eles eu sentia que tinha algo

homossexual.

Ronaldo vivia no meu apartamento atrás de Fernando ficavam até as

3:00 hrs da manhã falando sobre extraterrestres, um dia levantei as 4:00

da manhã com um falatório na sala, quem era? O safado do amigo cara

de pau Ronaldo e o óleo de peroba Fernando, fiquei braba, me levantei

da cama e disse abrindo a porta: Ronaldo nesse exato momento tem um

homem na sua cama comendo sua mulher, porque você não corre e vai

cumprir seu papel de macho e deixa o meu em paz. Ele ficou um bom

tempo sem procurar Fernando e eu dei graças a Deus. Fernando quando

veio reclamar eu disse: Calado gigolô, você é muito bem pago então se

coloque em seu lugar de verme e me deixe dormir.

Começou o meu reinado de humilhações ao Fernando fazia ele passar

vergonha em todos os lugares, se eu chegasse os amigos dele saiam

correndo eu gargalhava de prazer em vê-lo com aquela cara de

47


desolado, eu havia prometido que iria destruí-lo pouco a pouco em

gotas pequenas para ele sentir toda a dor que me provocou, eu já não

me reconhecia e estava nem aí para o que os outros falavam.

Uma bela tarde fui para uma reunião e acabei encontrando um outro

amigo dele que eu detestava e ele também tinha horror de mim, era

Paulo. Esse amigo era um aproveitador de mulheres eu tinha nojo dele,

quando ele se aproximou de mim e disse: Flora você está linda! Eu

respondi: Agradeço o elogio falso que vem de sua pessoa, mas

infelizmente não vou dizer o mesmo de você já que eu acho você uma

merda, um coitado, um fraco e eu não suporto gentinha assim como

você então idiota não chegue mais perto de mim com ironias e dei um

empurrão nele.

Tratava todos mal, todos que se aproximavam de Fernando eu espantava

e assim todos foram se afastando dele e eu fui atraindo mais e mais

pessoas pra perto de mim e Fernando começou a notar e querer se

infiltrar em meu meio. Cortei as asas dele rapidinho, toda vez que eu via

ele no meio da mulherada se fazendo de tal eu chegava e desmentia

dizendo assim: Fernando conta a verdade sobre você, diz que você é um

fracasso como pessoa que você acha todas as mulheres umas piranhas

que só servem pra sustentar os homens, minhas amigas queriam passar

com um trator por cima dele de tanta raiva e eu me divertia com tudo

isso. Eu comecei a me alimentar da tristeza de Fernando e ele começou

a ficar mais dependente de mim e não achou outra opção além de ter

que me agradar 24 hrs por dia. Andava colado o tempo todo comigo e eu

comecei a notar o quanto ele era chato e repetitivo em tudo que falava.

Um dia paramos pra beber e deixei de tomar os remédios pra não ter

nenhum efeito devastador em mim, mas antes consultei o médico pra

ver se eu poderia fazer isso, ele falou que se fosse só um dia tudo bem e

fomos para um barzinho.

Adorava aquele barzinho porque era embaixo do meu apartamento e se

eu precisasse de algo era só sair correndo, a noite começou agradável

até que Fernando começou a beber descontroladamente e virou pra

mim e disse: Bonequinha eu tenho que ser sincero com você e passou a

mão em meu rosto, eu estava com um caneco de vinho nas mãos e de

repente ele disse: Eu tenho vontade de pegar esse copo e quebrar na sua

cara, eu rapidamente num instinto de defesa peguei o caneco e quebrei

48


na cara dele e como sempre tive as unhas enormes meti a unha no corte

e puxei pra baixo e foi um escândalo, moral do fato que fomos parar na

delegacia. Os policiais me perguntaram o que tinha acontecido e eu

narrei a história e o policial me perguntou: Quer fazer queixa dele

senhora Flora? Eu respondi: Sim, quero. Fernando disse: Mas ela me

agrediu, eu que tenho que fazer a denúncia.O policial respondeu: O

senhor esta equivocado, a senhora Flora se sentiu ameaçada pelo

senhor, e apenas se defendeu. Ele queria discutir com o policial, até que

o escrivão se manifestou e disse: Já que o senhor quer se colocar no

lugar dela, vamos fazer o seguinte senhora Flora vá para fora com mais

quatro policiais e o senhor tente bater nela na frente de todos nós, assim

encerramos o assunto por aqui só não garanto que o senhor saia daqui

inteiro, ele ficou quieto fiz o B.O, agradeci a atenção dos policiais e fui

para casa dormir os sonhos dos justos. Estava me sentindo realizada

com o mundo de mentiras de Fernando caindo por terra.

Num belo domingo ele veio me falar que era aniversário de sua mãe

adotiva e que iria para um churrasco que estavam fazendo em

comemoração a ela, eu disse tudo bem ele saiu as 9: 00 hrs da manhã e

eu fui visitar minha irmã . As 20: 00 hrs retornei ao apartamento e nada

de Fernando. Eram 21:00 hrs e nada dele chegar, resolvi ligar para a casa

de sua mãe e para meu espanto ele nem tinha ido lá meu sangue ferveu

de ódio, liguei pra ele e nos falamos ouvi uma música no fundo era um

pagode e só tinha um lugar na cidade que tocava aquele tipo de música,

ele foi grosso comigo e ainda desligou o celular para não ter que ficar

atendendo minhas ligações. Eu tomei um banho e disse para Carol: Filha

eu vou buscar o Fernando, e Carol disse: Eu vou junto mamãe.

Fomos em direção ao único lugar que eu conhecia na cidade que tocava

aquele tipo de música. Quando o vi de longe junto com Paulo eu fiquei

com raiva, ódio...Comecei a gritar da porta: Seu cretino, safado,

mentiroso você disse que iria pro aniversário de sua mãe, mas você é

muito pilantra, não aprende a ser gente Fernando! Deixar de ficar com

sua mãe pra ficar com sua amante é muita viadagem sua, então quer

dizer que eu que estou doente tenho que ficar atrás de você, e dei um

chute na mesa que voou picanha e as garrafas de cerveja, ninguém se

mexia as pessoas ficaram perplexas com o escândalo ninguém tinha

uma reação, parecia que eu havia congelado o tempo ou estava

brincando de estátua com as pessoas. Eu disse a ele: Levanta e vamos

49


embora pra casa, ele se levantou e o outro amigo dele ameaçou se

levantar peguei uma garrafa de cerveja quebrei e olhei bem na cara do

amigo dele e disse: Você senta e fica ai, se você vier atrás de mim vou

cortar você todinho com essa garrafa, ele sentou e ficou de cabeça baixa.

Fernando saiu sem falar nada e quando estávamos indo pra casa ele

começou a se explicar, eu disse: Me poupe de sua voz irritante, me

poupe de suas desculpas e vá pro inferno, mas tenho certeza que nem o

diabo vai querer você.

Eu estava descontrolada mas queria fazê-lo sofrer, mas a frieza dele era

tão grande que logo após meus ataques de fúria ele agia normalmente

como se nada estivesse acontecendo, não reclamava nada. Ele tinha

certeza do meu amor, da minha dedicação, mesmo vivendo daquela

maneira comigo a certeza que eu não o deixaria era a força dele.

Fernando queria uma mulher que resolvesse tudo por ele que fosse sua

mãe e eu era essa mulher.

Cada dia que se passava eu sentia uma mudança em mim. Falava tudo

que vinha em minha cabeça não poupava ninguém, o apartamento que

morávamos era da mãe dele e um belo dia chego da rua e para meu

espanto abro a porta e vejo a mãe dele deitada no sofá com o controle

da televisão na mão, eu disse: Oi, como a senhora entrou aqui? Ela

respondeu: Tenho a chave do apartamento ou você esqueceu que ele

me pertence? Eu fui nas nuvens e disse: A senhora é dona do

apartamento é fato, mas não tem direito de entrar aqui sem ser

convidada isso é uma falta de respeito, ela respondeu: Pensei que

Fernando havia te falado sempre fiz isso eu não confio nele, você sabe

que Fernando não é meu filho que é adotivo e sempre me deu trabalho,

eu disse: A senhora não tem vergonha na cara de ficar espalhando por aí

que Fernando não é seu filho? Pra que a senhora o pegou pra criar, para

torturá-lo a vida toda? Ela respondeu: Ele é fruto da traição do meu

marido e como a mãe não o quis o pai de Fernando o trouxe pra mim,

mas claro eu concordei. Eu indignada respondi: Ah!! Agora entendi, fala

pra todos que ele não é seu filho para se vingar de seu falecido a

senhora é muito má. Ela se levantou, caminhou até a mim e disse: E

você Flora é muito negativa por isso está doente, Fernando tem razão

isso tudo é frescura sua. Eu ri e respondi: Sempre tive meus problemas

sim, mas doente só fiquei depois que vim morar aqui nesse circo de

horrores e me envolver nessa família podre.

50


O relacionamento de ódio de Fernando e da mãe era de deixar qualquer

um com nojo, ele chegou e começou a discussão: O que a senhora está

fazendo aqui? Como entrou? Eu não te chamei aqui, a senhora não

respeita ninguém, eram as frases que ele falava pra ela, a mãe dele era

tão fria quanto ele e me espantei em observar que faziam os mesmos

gestos e as respostas eram quase idênticas as que ele me dava no dia a

dia. Era fato que ele fazia comigo tudo que queria fazer com a mãe.

Estava cansada dos dois e gritei: Parem! Saiam daqui e me deixem

sozinha! Saiam ou eu vou jogar os dois lá fora! Ela me olhou e saiu,

Fernando teve a mesma atitude. Fiquei falando pra mim mesma que

realmente eu estava com problemas sérios, aceitar um homem cheio de

neuroses era loucura, um homem que nem me dava atenção, que exigia

meu sangue na relação, que fazia cobranças e quando algo dava errado

ele sempre me culpava.

Fernando não suportava minhas filhas pelo fato delas ficarem agarradas

comigo, ele fazia questão de falar pra Carol: Para de mimimi, larga

minha bonequinha pra ela me dá atenção. Carol respondia: Muito antes

de você chegar na vida dela minha mãe já me pertencia, então eu sou

mais importante e minha mãe não é bonequinha o nome dela é Flora.

Ele queria competir com Carol a minha atenção e era ridículo aquilo

tudo. Quando Carol estava comigo ele colocava leis no apartamento, as

20:00 hrs se não comêssemos no horário ele trancava a cozinha só fazia

isso pra confrontar Carol, eu peguei a chave e disse: O dia que você

colocar comida em casa você dita as regras por enquanto quem manda

sou eu, estamos entendidos? Ele saiu sem dizer nada. Eu não era normal

mesmo, pra que viver desse jeito com alguém? Eu me destruía a cada

dia por estar num relacionamento unilateral, eu tinha que me doar 24

hrs por dia para que tudo funcionasse e não chegava a lugar nenhum.

Fernando se meteu em encrencas feias, ele começou a pegar dinheiro

com conhecidos para depois pagar, mas pagar como? Foi uma avalanche

sobre minha cabeça e as pessoas começaram a vir atrás de mim

exigindo que eu pagasse as dívidas de Fernando, quando eu olhei os

valores não acreditei eram altíssimos, como eu pagaria aquilo tudo?

Com quem e com o que ele gastou isso tudo?

Esperei Fernando chegar e fui ficando perplexa com suas desculpas,

quando eu trabalhava e ficava de plantão vários dias ele pegava dinheiro

51


emprestado e ia para as noitadas, chamava os amigos para um

restaurante e bancava tudo, tinha noite que ele gastava R$ 1.500,00, não

aguentei a pressão das pessoas exigindo que eu pagasse as contas dele

e tive uma crise, comecei a tremer, meu coração palpitou, minha

respiração ficou ofegante, suor excessivo, tonturas, dor no estômago e a

sensação de morte foi evidente, quando dei por mim estava num

hospital não recordava o que tinha acontecido, só sentia muita dor no

peito, a enfermeira viu que eu havia despertado chamou o médico e ele

me disse: Flora você chegou aqui com a pressão muito alta, não

conseguia respirar, com muitos tremores e seu marido nos disse que

você tem síndrome do pânico, então vou conversar muito sério com

você e me orientou: A pessoa portadora dessa síndrome não pode e

nem deve entrar num alto grau de estresse porque isso faz com que sua

recuperação perante a doença seja mais longa do que o previsto, tente

ter uma vida mais saudável. Eu comecei a chorar e respondi: Me dê uma

fórmula para não amar mais esse maldito ou me dê uma fórmula pra

nunca mais existir. O médico me olhou e disse: Flora você tem que

reagir precisa olhar mais pra você, se você não cuidar do seu bem-estar

ninguém fará.

Era fato que eu não precisava passar por nada disso, mas eu continuava

numa relação doente e sempre que eu pensava em deixá-lo eu sofria,

chorava. Queria uma solução e eu não sabia como fazer. Fui para meu

anjo terapeuta, assim que entrei ela percebeu que eu não estava bem.

Eu disse: Anjo a algo dentro de mim que está mudando mas não sei o

que é, não consigo ser mais a mesma e tudo que faço se tornou sem

sentido pra mim, viver ao lado de Fernando já não tem mais o brilho que

se tinha, sinto que algo dentro de mim esta morrendo a cada dia e sinto

que eu estou indo junto.

Sinto desprezo pelo que ele é e pelo que eu permiti ser por amar mais a

ele do que a mim própria. Como se a vida estivesse me falando: Estou

aqui e agora o que você vai fazer? O que faço meu anjo? Estou me

sentindo perdida. Ela sorriu pra mim e disse: A dor de você não viver

como deseja está sendo maior que seu medo de não mudar. Flora você

está caminhando rumo a sua cura e por isso esses sentimentos tão

intensos. Reflita em cada palavra que falou e no que acabei de lhe dizer,

você encontrará as respostas.

52


Dentro de mim algo dizia pra não refletir e meu peito doía e outra parte

de mim dizia: Você precisa mudar, você precisa viver, você quis tanto ser

responsável pelos outros que acabou sendo irresponsável consigo

mesma, mas a escolha é sua.

Comecei a entender que quando a dor de não viver, de não ser feliz for

maior que o medo de perdê-lo, as mudanças começam a acontecer. Não

adiantava eu fechar as cortinas de minha alma ela queria viver e queria

parar com aquele ciclo de sofrimento e era preciso deixá-lo ir pra ser

feliz.

53


Peguei a carta, sentei no sofá

e a li e estava escrito: Perdoa

minha covardia. Adeus.

Acredito que somos guiados por uma força altamente poderosa e ela se

chama Deus em meus momentos de desespero era ele que estava

presente, não era minha melhor amiga, nem mãe, nem pai, nem filhas,

somente Deus foi o meu maior amparo e meu indiscutível amigo de

todos os segundos de meu caminhar. Fico pensando como ele tinha

paciência com a pessoa desequilibrada que eu era, outra pessoa falaria

que estava era louca, talvez ficasse com dó de mim e era exatamente o

que eu mais temia.

A confusão que Fernando criou com suas dívidas chegou ao ponto

máximo, seus credores o colocaram em xeque-mate, paga ou morre. Já

tinha feito o que podia pra ajudá-lo fiquei em dívida com o banco em R$

20.000,00 pra salvar a vida dele e mesmo assim não tinha conseguido

pagar a metade de sua idiotice, todos falavam que eu fui boba em lhe

estender a mão, mas mesmo assim eu quis ajudá-lo porque ele estava

54


acuado demais e fiquei imaginando o drama que ele estava vivendo

naquele momento, não comia mais e só vivia assustado e pra piorar

tinha uma tosse seca que com certeza era de nervoso. Naquele dia

Fernando me olhava profundamente e fiquei espantada com o gesto de

carinho comigo, pela primeira vez ele parecia uma pessoa normal

tínhamos tudo para sermos muito felizes, mas em meu íntimo tinha a

absoluta convicção que não, só que doía demais pensar que essa certeza

era real. Tentei afastar a realidade de perto de mim naquele dia.

Fernando estava estranho e distante, pensei que seria por estar com

tantos problemas. Como fui tola em acreditar num teatro daqueles nem

uma menina de 15 anos acreditaria, mas eu ainda acreditava que

poderia acontecer algum milagre e ele melhorar ou simplesmente me

amar, puro romantismo meu. Era uma quarta feira Fernando trouxe café

na cama pra mim eu fiquei superfeliz achei que seria diferente, tomei

café, me vesti e fui na rua com Fernando, comigo ao lado dele ninguém

chegava perto para cobrá-lo e assim ele se sentia mais seguro. Fomos ao

banco tentar pegar outro empréstimo, mas o banco negou Fernando

abaixou a cabeça e disse:

Estou arruinado! O que farei Flora? Eu respondi: O único jeito é você

enfrentar a todos e se alguém te ameaçar da queixa na delegacia. Ele me

olhou profundamente e me perguntou: Você enfrentaria isso tudo

comigo? Eu respondi: Claro Fernando esqueceu que eu te amo? Ele

disse: Ás vezes você tem o poder de me fazer esquecer. Ele me abraçou

tão forte que senti meu corpo se arrepiar me deu um beijo como nunca

havia me dado e falou: Flora tenho que fazer uma nova tentativa e mais

tarde vou pra casa. Eu perguntei: Quer que eu vá com você? Ele

respondeu: Não, eu vou sozinho. Me abraçou novamente e disse: Você

será eternamente minha bonequinha dengosa. Meu corpo não parava de

ficar arrepiado e senti uma dor no peito vendo a sua imagem sumir na

multidão.

Fui para casa e esperei Fernando chegar, de hora em hora eu olhava o

relógio e nada, anoiteceu e ele não apareceu, a campainha tocou era um

mensageiro com uma carta na mão. Eu fiquei gelada e ele perguntou;

Flora é a senhora? Eu respondi bem baixinho: Sim. Peguei a carta, sentei

no sofá e a li e estava escrito: Perdoa minha covardia. Adeus. Fernando.

Pensei que fosse morrer, me joguei na cama e fiquei encolhida como

55


uma criança sem conseguir me mexer durante horas e adormeci.

Acordei com a campainha tocando, era Ronaldo que vivia atrás de

Fernando, abri a porta e mandei ele entrar, ele me perguntou: Onde esta

Fernando? Fui ao quarto peguei a carta e mostrei. Ele ficou pálido pensei

que o homem cairia ali na minha frente, e disse pra mim: Flora, tenho

que te avisar que Fernando complicou sua vida. Eu perguntei: Complicou

como? Ele respondeu: Pelo que eu li aqui ele fugiu, estou certo? Eu falei:

Ta na cara de quem quiser enxergar que ele deu no pé e daí o que eu

tenho com isso? Ronaldo respondeu: Flora, ele entregou todos os

móveis do apartamento para cobrir as dívidas dele. Eu falei: Você está

louco? Ele respondeu: Não Flora.

Meu mundo foi ao chão, aquele Judas além de fugir entregou tudo que

eu havia ajudado a construir nas mãos não sei de quem. Fernando tirou

tudo de mim com suas irresponsabilidades, voltei para a casa de meus

pais com minhas roupas em sacolas porque até as malas as pessoas

levaram, eu era uma morta viva, não dormia, não comia, só tomava café

e fumava não acreditava que ele tinha feito aquilo tudo comigo e eu

fiquei me perguntando: Valeu eu me sacrificar tanto por um homem que

me traiu dessa forma? Era dor demais, revolta, ódio, vontade de matálo...

Eu me odiava por ser tão imbecil e ainda ter dó dele. Cada dia que

se passava minha raiva aumentava cada vez mais.

Prometi a mim que iria achá-lo, mas agora seria para destruí-lo. Perdi o

trabalho pois escândalo numa cidade pequena faz estragos e o que as

pessoas não sabem elas inventam. Perdi meu sossego. Em qualquer

lugar que eu fosse tinha alguém falando sobre o assunto, eu odiava

aquelas pessoas que faziam isso tinham prazer em ficar repetindo

sempre as mesmas coisas, elas diziam: Coitada foi abandonada pelo

marido, ele ainda a fez perder tudo. Que ódio esse comentário naquela

cidade podre os que me odiavam riam quando eu passava, resolvi não

sair mais de casa era torturante demais aquilo tudo.

Comecei a trabalhar em casa fazendo umas toalhas e meu pai vendia pra

mim, quem nasce pra brilhar, brilha até na escuridão, minhas toalhas

vendiam muito e assim fui juntando dinheiro para ir embora da cidade.

Cheguei para a minha família e disse: Não aguento mais ficar nessa

cidade resolvi que vou refazer minha vida em outro lugar, eles me

abraçaram, choraram, as crianças choraram muito, mas sabiam que eu

56


estava certa tinha que tentar recomeçar minha vida.

Aluguei um quarto pra mim mobiliado juntei minhas roupas e fui

embora daquela maldita cidade e sofri muito, chorei, foram noites

intermináveis de solidão, estava desacreditada das pessoas ninguém me

via sorrir, eu vivia de cara fechada para tudo e para todos. Arrumei uma

ocupação até arrumar um serviço e resolvi ensinar numa igreja perto de

onde eu estava as pessoas da terceira idade a fazer trabalhos manuais,

eu adorava estar perto daquelas senhoras e ao mesmo tempo me sentia

tão só e abandonada. Fui para casa quer dizer fui para o quarto onde eu

morava me deitei e fiquei pensando como minha vida tinha mudado

com a chegada de Fernando, as pessoas tinham razão ele veio para

destruir minha vida e isso não sairia barato pra ele, eu ia achá-lo e

condená-lo ao sofrimento eterno.

Ele teve coragem de ir embora sem falar nada e ainda deixou o único

filho que tinha com a desequilibrada da mãe, afinal ele nem dava muita

atenção para o filho eu que comprava presentes para o menino e dava

pra Fernando o presentear, escolhia as roupas, o chamava para ficar lá

no apartamento com a gente, se fosse deixar por conta dele o menino

ficava sem vê-lo. Pensando bem era difícil que um dia ele viesse a me

amar, quem não ama o próprio filho não ama ninguém.

Fui dar uma volta para conhecer o bairro que eu estava, muito

movimentado todos na calçada ou em barzinhos tomando aquela gelada

e meus pensamentos foram até Fernando, que raiva. Eu na maior merda

e ainda pensava naquele covarde. Entrei numa lan house para me

distrair um pouco e quando abri meu e-mail para minha surpresa tinha

um recado de Fernando, estava escrito assim: Amor me ajuda, estou no

Rio de Janeiro na casa de um amigo, aqui é muito barra pesada e eu

estou com muito medo. Te amo. Maldito e-mail, meu ódio veio a tona e

comecei a falar sozinha: Quero que você morra, por mim você vai mofar

no inferno que criou, você fez sua escolha maldito agora se vire, depois

que eu desabafei eu respondi seu e-mail assim: Meu amor que saudades

estava morrendo de preocupação com você, eu te ajudo querido. Te

amo.

O ódio estava corroendo minha alma essa era a chance de destruí-lo e

eu não perderia, enviei o endereço para ele. Pela manhã alguém bateu

em minha porta e quando abri era o safado, ordinário do Fernando com

57


uma cara horrível de quem estava sofrendo muito, ele me abraçou e

disse: Flora me perdoa por ter te deixado sozinha eu estava

desesperado, fui burro de não ter te falado nada. Fiquei ouvindo aquele

monte de desculpas e respondi: Burro você sempre foi e não quero ficar

ouvindo suas desculpas, o que eu estou fazendo por você faria por

qualquer cachorro na rua.

Tinha algo estranho eu conhecia Fernando ele tinha feito alguma coisa

para estar com aquela aparência de sujo e assustado, eu perguntei:

Fernando quando eu estava em Petrópolis sua mãe me disse que você

estava em Mato Grosso trabalhando, é verdade? Ele respondeu: Sim,

sim. Eu pensei, pensei e perguntei: Se você estava lá e estava

trabalhando porque não mandou um e-mail avisando e dizendo para

falar com os seus credores que você pagaria sua dívida? Ele respondeu:

Estava só quebrando um galho, eu falei: Você quebrando um galho em

Mato Grosso, interessante, finalizei o assunto e fiquei com uma pulga

enorme atrás da orelha. Fui tomar banho e quando voltei Fernando

falava assim em seu celular: Amor não fica assim essa mulher é louca eu

só vim resolver a questão do meu dinheiro com ela, e quando ele se

virou eu estava de frente pra ele escutando tudo.

Comecei a gritar: Louca? Dinheiro? Amor? Com quem você está falando

seu safado? Ele parecia que desmaiaria, peguei o celular de suas mãos e

continuei ouvindo a palhaça falar: Amor essa mulher vai te matar ela é

louca, agora que você me pediu em casamento essa maldita volta, meu

coração disparou e eu respondi: Casar? Ela ficou uns 30 segundos calada

e respondeu: Sua bandida ele é meu e se você fizer alguma coisa com

ele, eu vou atrás de você, eu respondi: Palhaça de circo ele deve estar

por dentro rindo muito de você pelo que conheço do Fernando e não

vou tirar a razão dele, mas dobre a sua língua pra falar de mim não sei o

que ele te contou, mas com certeza é tudo mentiras e desliguei o

telefone.

Olhei dentro dos olhos dele e perguntei: Louca? Dinheiro? Amor?

Casamento? Ele começou a falar: Amor essa mulher pegou em meu pé aí

como eu estava sem saber o que faria eu fiquei com ela uns tempos,

mas não é nada sério eu amo você. Eu olhei pra ele e comecei a rir e

disse: Me ama? Você é repetitivo demais, muda o disco ele está

arranhado. Eu não acreditava no que tinha acabado de ouvir, mas era

58


verdade ele rapidamente arrumou outra e as lágrimas inundavam meus

olhos. Tinha que sair pra respirar ar puro...

Comecei a andar sem destino era a única forma que me acalmava,

chorava muito olhei pro céu e disse: Deus o que o senhor quer que eu

faça? Porque não consigo ficar longe desse homem? Porque me maltrato

tanto? Me ajude, me ampara, me ensine a ser uma pessoa que se

respeita e não tive mais voz pra falar, só chorava... Fiquei ali umas duas

horas e depois voltei pra casa. A sensação de estar ao lado de Fernando

sabendo que ele tinha me traído era de nojo, agora minha ficha tinha

caído que ele era pior que o nada, me fez desprezá-lo cada dia mais. Ele

fazia de tudo para me beijar, para tentar me enganar porque ainda tinha

esperanças de tudo voltar as boas.

Numa quinta feira ele tentou me beijar eu virei a cara e ele me disse:

Flora meu amor, porque você está me evitando? Eu respondi: Não sou

seu amor e nunca fui pare de mentir pra si mesmo, você sempre quis

uma mulher que te sustentasse e que fosse sua mãe, só que em

nenhum momento você me pediu permissão. Entrei nessa merda de

relação com minha alma e com minha honestidade, tenho meus

fantasmas e meus momentos de escuridão, sou agressiva e tenho

respostas para tudo, mas nunca fui desonesta e nunca traí meus

sentimentos. Você Fernando é um fracasso como ser humano, não tem

compaixão nem de você e nunca terá de ninguém, não sabe o que é

amor porque é incapaz de senti-lo. Fique certo que você me usou e que

a vida tirará de você o que mais ama, mas somente depois que você

perder você saberá o que sinto, o que sofro. Boa noite, vou me deitar.

Fernando arrumou um trabalho, vivíamos como dois irmãos e

conseguíamos nos entender muito melhor desse jeito. Não fazíamos

sexo, eu tomei nojo dele e comecei a enxergar que meu sentimento por

ele já não era mais o mesmo, algo ali mudou. Tinha horas que me sentia

estranha como se eu precisasse de mais uma dose de dor chamada

Fernando, é incrível como não nos ligamos que somos viciadas nesses

homens que nos manipulam e nos humilham, temos as mesmas crises

de abstinência de um dependente químico com o diferencial que a

nossa droga é nosso homem. Eu estava bem e de repente meu mundo

caía no chão e eu me sentia só, desamparada...

Foi nesse momento que descobri que eram as crises da droga que se

59


chamava Fernando querendo se manifestar. Quando sentia aquela

sensação que ficaria a mercê daquela dependência eu caminhava e

começava a pedir a Deus que passasse aquela vontade de precisar de

ser massacrada por alguém pra me sentir amada, quando voltava já

estava melhor e eu enxergava que Fernando já não tinha mais o mesmo

significado pra mim e não autorizava ele se aproximar.

Eu desejava a cura, desejava ser feliz mesmo que fosse sozinha, sempre

ouvi falar que felicidade é um estado de espírito então eu tinha direito a

tê-la e eu lutaria para que ela fosse minha companheira em todos os

momentos de minha vida.

Me senti mal, aquela noite eu tive muitos pesadelos sonhei que tirava

um menino de uma casa e que entregava ele nas mãos de um anjo e o

menino era o filho de Fernando, fiquei arrepiada da cabeça aos pés e

contei a ele sobre o sonho e o aconselhei a ligar para o filho, ele ligou e

avisou o menino para ter cuidado com amizades seu filho já estava com

17 anos e sempre foi muito independente diferente do pai que era

altamente dependente, nos dávamos muito bem ele tinha um carinho

muito grande por mim por ter tanta dedicação com seu pai.

Numa quinta feira acordei me sentindo muito mal achei que era a

síndrome do pânico, chorava muito e minha visão ficou embaçada eu via

vultos de pessoas que não conhecia e depois voltava ao normal,

respiração ofegante a minha cabeça latejava muito, minha nuca parecia

que estava imobilizada e cada hora que passava as sensações de

desconforto aumentavam, quando foi as 17 hrs senti um golpe muito

forte no peito, uma pancada na cabeça e minha mão doía muito parecia

que estava sendo arrancada, chorava descontroladamente, Fernando

ficou com medo e quando levantei a cabeça vi seu filho em pé ao lado

dele, quase enfartei, não poderia ser. Em minha mente veio as imagens

do sonho, o menino, o anjo, eu olhei novamente e ele sorriu pra mim e

disse: Flora diz ao meu pai que eu o amo e que ele precisa acordar pra

vida, senão ela vai pega-lo de surpresa e sumiu...

Não falei nada do que tinha visto e ouvido apenas orei a Deus pra me dá

forças, ás 23:00 hrs o celular toca e eu disse a Fernando: Atende é sua

mãe. Ele me perguntou: Como sabe? Eu respondi: Intuição, e era

realmente a mãe passando a notícia que seu filho havia morrido, eu

abaixei a cabeça e fiquei muito triste gostava do menino e sempre

60


aconselhava Fernando a ficar mais tempo com Flavinho, mas entrava por

um ouvido e saia pelo outro. O mal do ser humano é achar que as

pessoas sempre estarão ali é um grande engano, todos nós temos o

nosso tempo de chegada e partida. Ele não teve coragem de ir ao

próprio enterro do filho, acho que não existe coisa pior do que ser como

Fernando era, um fraco.

Apesar de toda a escuridão que as vezes me encontrava eu era mais

inteira do que ele, entendia agora o porque de Fernando me sugar tanto,

de querer uma mulher pra sustentar sua vida. Ele precisava de existir e

somente com alguém ao seu lado sua existência era real.

Meu Deus eu pensava como fui cega de me entregar a uma pessoa que

não existe e ouvi uma voz a falar bem em meu íntimo: A escolha é de

cada alma que floresce sobre a terra e cada um colhe os frutos que

plantou.

61


A mulher que ama demais não

percebe mas ela tenta

controlar o parceiro o

tempo todo.

A vida me dava todos os sinais para ir em frente e minha dependência

me puxava pra trás, Fernando não existia na relação eu era uma

andorinha tentando fazer verão sozinha, o máximo que conseguiria fazer

é morrer congelada. Fernando estava sempre indisponível com seus

sentimentos sempre fora da área de cobertura do meu amor,

desinteressado essa era a verdade que eu não queria enxergar. Nesse

momento ele se encontrava depressivo e ao lado dele a babá perfeita,

queria poder arrancar aquela dor que era evidente nele.

Com 15 dias Fernando voltou para o trabalho, ficava o dia inteiro

sentado num escritório tentando fazer uma venda milionária vivia no

mundo da ilusão, falava que não era qualquer vendedor e se recusava

em fazer vendas pequenas pois dizia que era coisa de gente pobre. Ele

não tinha casa, dinheiro, carro e ainda queria escolher o que ganhar,

recebia um salário-mínimo da pensão do pai e mesmo assim a pose de

rico ele não perdia, mas se abrisse a carteira dele não encontraria nem

um real. Pra que pose?

Ele dizia que estava sofrendo muito pela morte do filho e tenho certeza

que aquela era a única verdade que ele já falou em toda sua vida, suas

62


ebedeiras começaram a ficar constantes se ele ganhasse mil reais ele

gastava cinco mil, era descontrolado e irresponsável. Não estava mais

aguentando carregar tudo sozinha nas costas e começamos a ficar sem

o essencial que era comida e ele não tinha atitude.

Liguei para minha mãe e pedi ajuda, ela disse: Flora até quando você vai

viver essa vida? Até quando vai carregar esse traste, esse homem não

vale a comida que come e você estende mais uma vez a mão para ele

arruinar sua vida de vez. Eu não respondi nada, apenas chorei. Depois de

tudo que ele fez eu não tinha defesa, as pessoas me olhavam como a

mulher de malandro que apanha e ainda fica ali pra apanhar mais.

Minha mãe disse: Flora eu vou mandar o dinheiro pra você fazer

compras e esconde a comida desse vagabundo senão ele come tudo. Eu

respondi: Obrigado mãe eu te amo. Ela falou: Eu também te amo minha

filha, estou orando por você pra Deus tirar esse homem de sua vida

enquanto há tempo.

Passados seis meses da morte do filho Fernando vivia em bebedeiras e

churrascos com amigos e eu vivia mais só do que nunca. Aquela louca

de Mato Grosso resolveu voltar a ligar e dessa vez eu não fui boazinha

não, disse a ela: Sua ordinária para de me atormentar se você quiser

Fernando vem buscar eu te entrego ele de lacinho vermelho, mas antes

compre seu caixão. Ela respondeu: Está me ameaçando? Eu disse: Não,

mas se você tiver algum dinheiro guardado, carro ou seja lá o que for,

Fernando vai ficar com tudo e ainda te jogar num rio e ninguém irá

encontrar seu corpo. Ela desligou o telefone e nunca mais ligou. Não

sabe o bem que ela fez a si própria.

Fernando me convidou para ir a um churrasco com ele e eu acostumada

com as migalhas de seu amor me senti importante, chegando lá eu

percebi que ele só ficava perto de uma mulher e mal me dava atenção e

o deixei de lado, quando ele se virou pra ver onde eu estava todos os

amigos dele estavam sentados comigo na mesa as gargalhadas e ele

não enxergou alternativa se não sentar ao meu lado. Os amigos dele me

adoraram e isso não era bom pra Fernando ele tinha medo que eu

falasse algo para envergonhá-lo.

Eu ficava moderando o quanto ele bebia e resolvi ir embora, estava

entrando a mãe em ação e estava cansada desse papel. Fernando ficou

possesso por ter que ir junto comigo e quando chegamos em casa ele

63


começou a falar e o mandei calar a boca. Fernando veio em minha

direção me puxou pelos cabelos e me jogou em cima da cama. Me enchi

de fúria e comecei a sessão de tortura, primeiramente quebrei um cabo

de vassoura e dei a sessão de pauladas mas linda que ele já deve ter

visto em sua vida, queria fazê-lo sentir dor, bati tanto que ele ficou com

o lado esquerdo cheio de hematomas, ainda era pouco... Delicadamente

e friamente eu peguei em seu rosto e mordi sua cara pra que toda vez

que ele se olhasse no espelho ele lembrasse de toda raiva que ele me

despertou.

Eu mal dormi a noite e ainda estava louca de raiva, ele acordou com o

cão do lado e falou: Flora você teria que dar graças por ter a mim olha só

pra você. Eu respondi: O que tem eu Fernando e dar graças porque? Ele

disse: Você foi bonita, depois que você teve esse ataque de frescura e

começou a tomar esses remédios de louca ficou gorda, é difícil um

homem olhar pre você e sentir desejo.

Eu fiquei descontrolada o mordi no braço com tanto ódio que sangrou,

eu respondi: Seu ladrão maldito, estou a seis anos com você, me

dedicando, me doando numa relação que só me faz sentir menos como

mulher, fiz de tudo pra tentar ser feliz com você! O que você quer mais

Fernando? Você roubou a minha beleza, meus sonhos, minha vida. Ele

simplesmente disse: Você fez porque quis eu não coloquei nenhuma

arma em sua cabeça, e ele estava certo eu fiz porque não me amava e ali

estava o troco por me anular como pessoa.

Novela mexicana cheia de dramas assim era minha vida com Fernando,

a mulher que ama demais não percebe mas ela tenta controlar o

parceiro o tempo todo e fazer dramas é sua arma assim ela consegue

manipular seu homem, seu objeto de desejo. Eu queria controlá-lo como

não conseguia eu me sentia caindo num buraco sem fundo. Com tanta

falta de amor a si mesma ninguém nos suporta nem nós mesmas.

Meu aniversário chegou, Letícia minha vizinha fez um bolo pra mim e um

amigo veio me visitar ficamos a conversar, quando Fernando chegou ele

disse: Boa noite, nossa vocês estão comemorando o que? Letícia

respondeu: O aniversário de Flora, ele sentou ao meu lado e ameaçou

me dá os parabéns e eu disse: Não me dê os parabéns, não quero e sai.

Letícia e Marcos vieram atrás de mim me abraçaram e disseram: Flora

ainda vamos ter notícias que você é feliz e que conseguiu seguir sua vida

64


sem esse cara, eu os abracei chorando e agradeci por tudo.

Resolvi fazer algo diferente por mim, sempre gostei de dançar e achei

uma opção pra distrair minha cabeça, me matriculei na aula de dança de

salão e três vezes por semana eu estava num ambiente com pessoas

bonitas e extrovertidas, comecei a fazer dieta e cinco meses depois já

tinha perdido 42 kg e voltei a chamar muita atenção. Sempre que tinha

um baile eu estava lá me divertindo, Fernando começou a se sentir

incomodado com minha alegria e disse: Flora meu amor você não me dá

mais atenção só fica envolvida com esses bailes, eu respondi: Os

incomodados que se mude eu quero viver, não esqueci o que você falou

Fernando que era difícil de um homem olhar pra mim e sentir desejo,

mas querido sinto lhe decepcionar eu tenho muitos fãs. Lembra quando

você me conheceu? Pois é eu nasci pra brilhar e você pra viver na minha

sombra, mas fique com seu mundinho de bosta e me deixe em paz.

O próximo baile estava marcado e eu tinha meu parceiro de dança que

era lindo, simpático, cheiroso e arrastava um quarteirão por mim e

quando dançávamos juntos só dava nós dois. A próxima música era um

bolero e assim ficamos mais próximos do outro, ele me deixava sem

graça com aquele jeito de me olhar e quando ele me virou eu dei de cara

com Fernando, ele veio em minha direção e disse para meu parceiro:

Com licença mas essa dama tem dono e essa noite ela só dançará

comigo, meu coração acelerou me deu aquele frio na barriga, Antônio

meu parceiro se despediu de mim todo sem graça e foi embora.

Fernando olhou em meus olhos e disse: Flora você está linda, e quando

dei por mim rolou o beijo que depois virou cama e voltou a Flora

dramática e controladora. Que raiva que dava de mim mesma eu jamais

poderia ter deixado Fernando me dominar desse jeito, coloquei tudo a

perder com meu romantismo e as poucos fui deixando a dança de lado

até abandonar por completo, pois Fernando fazia questão de ocupar

meu tempo para eu não ir ás aulas.

Eu estava bonita e chamava muita atenção, Fernando começou a querer

me sabotar levando massas para casa ele sabia que meu ponto fraco

eram massas, eu amava uma pizza e ele fazia questão de levar e ainda

comia na minha frente e dizia: Flora que delícia come um pedacinho, eu

quase babava ali na frente dele não aguentava a tentação e comia .

Comecei a engordar e percebi que ele estava fazendo isso de propósito,

65


toda vez que ele me oferecia eu falava: Não obrigada, e ele desistiu de

ficar sabotando minha dieta.

Um dia arrumando as gavetas encontrei um papel escondido abri pra

ver, era uma folha de pagamento de uma venda que ele havia feito e

estava escrito comissão: R$ 15.000,00 eu não acreditei, esperei Fernando

chegar joguei o papel em cima dele e disse: Quero que você me explique

onde está o dinheiro que você ganhou? Ele respondeu: Flora eu tenho

que investir em mim, tenho que andar em bons lugares comprar roupas

boas. Disse a ele: Sei disso tudo e o que você fez com o dinheiro

Fernando? Ele respondeu: Eu investi num novo negócio que vamos ficar

ricos, eu coloquei a mão na cabeça e respondi a ele: Fernando não faça

isso, você já tem dívidas demais e isso não tá me cheirando coisa boa,

você sempre faz merda e tenho certeza que isso vai trazer problemas.

Ele disse: Flora eu mudei não sou mais aquele homem, e pensei: ele vai

me colocar numa armadilha novamente vou ter que prestar atenção

nesse idiota.

Fernando estava com a vida agitada e eu estava muito desconfiada de

tudo que ele estava fazendo, muitas pessoas ligavam pra ele, comecei a

sentir aqueles arrepios que me avisavam que viria chumbo grosso.

Resolvi viajar para ver minhas filhas e o avisei que ficaria 15 dias com

elas que ele poderia fazer da vida dele o que quisesse e realmente ele

fez.

Como foi bom ver as minhas filhas e ficar com elas, era a hora que eu

me sentia perfeita e sem problemas nenhum, adorava sentar, ver filmes

e dançar com elas, sentir o cheirinho e a vibração de paz que elas

emanavam. Luz e Carol me abraçaram quando eu estava indo embora e

disseram: Eu acredito em você mamãe um dia ainda iremos ficar todas

juntas novamente, eu chorei muito e fui embora.

Cada vez que eu me aproximava de casa me dava um arrepio, eu

destetava sentir isso era sempre sinal que aconteceria algo. Quando

cheguei em casa Fernando estava dormindo e seu celular estava sobre a

mesa, fiquei um tempo com seu celular em minhas mãos, não me

contive e comecei a procurar algo e como diz o ditado: Quem procura

acha e eu achei, não acreditava no que estava vendo as lágrimas

desciam e veio a recordação de minha mãe dizendo: Eu acho que ele é

bissexual.

66


Achei umas fotos de um vizinho negro que era gay no celular dele o cara

estava de bunda pra cima e tinham oito fotos em todos os ângulos. Que

vontade de matar aquele nojento, tirar fotos de um homem, Fernando

era bissexual ou será homossexual enrustido? Será que era por isso que

ele tinha aquela aversão as mulheres? Por isso vivia falando mal das

mulheres que tiravam fotos nuas. Minha cabeça deu um nó, não sabia o

que pensar sentia desprezo por aquela pessoa que não se mostrava

verdadeiramente quem era, fiquei revoltada de ainda permitir que ele

me causasse todos aqueles constrangimentos e humilhações.

Quando Fernando acordou o celular estava ao seu lado e ele se

assustou, pois não contava que eu chegaria tão cedo e pela cara que eu

estava ele concluiu que havia visto as fotos. Nem precisei perguntar, ele

disse: Flora, não é o que você esta pensando. Eu respondi: Fácil não é

mesmo adivinhar o que se passa em minha mente agora? Ele disse: Eu

só tirei as fotos de brincadeira, queria zoar ele. Eu respondi: Quer dizer

Fernando que você sai da sua casa, entra na casa dele e começa a tirar

fotos da bunda dele pra zoar? Você acha mesmo que eu acreditaria

nessa sua história? Fernando tenho o maior desprezo por você e não é

pela sua opção sexual não assumida, você teria meu respeito se nunca

tivesse me escondido que gostava de homem, mas como tudo em sua

vida é uma mentira eu só posso dizer que você pra mim se tornou nada,

virei as costas e o deixei ali e fui respirar ar fresco.

Passados dois meses eu vejo uma discussão de Fernando no telefone

não entendi muito o que estava acontecendo e fiquei na minha, prometi

a mim mesma se ele entrasse em fria novamente quem fugiria seria eu e

depois das últimas revelações estava tão machucada que não enxergava

mais solução em meu relacionamento, mas no meu íntimo ainda existia

a maldita dependência dele.

A vida disse amém para meus pensamentos e medos, Fernando se

envolveu num rolo sem tamanho e minha vida novamente foi virada

pelo avesso. Uma noite acordo com ele me sacudindo e dizendo: Acorda

Flora, faz uma mala que nós vamos embora, eu respondi: Você está

louco? Ah! Fernando o que você fez dessa vez? Quando ele ia se explicar,

eu disse: Não quero saber, não quero e nem devo ser sua mãe você já é

bem grandinho e que se dane você e voltei a me deitar. Fernando ficou

sem saber o que faria comigo e gritou: Estou te avisando se você não

67


quer vir comigo problema seu, mas depois não vem reclamar que deixei

você para trás, dei um salto da cama e veio aquele arrepio novamente e

algo falou em meu íntimo: Você não tem alternativa ou você vai ou

segurará outra confusão, era minha intuição me alertando. Coloquei

algumas roupas na mala e sai com Fernando, ele já havia comprado

passagens para São Paulo e notei que ele já sabia que isso aconteceria,

mais uma vez vejo minha vida transformada por aquele homem egoísta

e sem um pingo de juízo, novamente ele joga no lixo o pouco que

consegui comprar pra tentar recomeçar.

Quando entrei no ônibus pedi a Deus que ele me desse força o bastante

para sair daquela dependência eu não queria mais a presença dele em

minha vida eu estava deixando ele manipular meu destino por causa de

uma carência, se eu tivesse que procurar um médico pra me ajudar eu

faria, mas precisava sair daquele círculo que mais parecia uma

maldição.

Eu sempre achei que tudo tem um porque, nada acontece em nossas

vidas por acaso. Tem começo em algum tempo, em algum lugar. Ouvi

aquela voz em meu íntimo novamente: Não culpe o destino por atitudes

que deveriam ser suas, a vida é uma faca de dois gumes ou você

aprende a conduzi-la ou será ferida constantemente por ela até aprender

todas as lições necessárias para seu amadurecimento.

Eu disse interiormente: Obrigado, mas pega leve comigo eu vou ser boa

aluna, eu prometo.

68


Eu não queria ficar a margem

de mim mesma, eu sabia que

era agora ou nunca.

Sentia medo estava em um lugar que não conhecia e muito distante de

minha família, e agora como agiria? Nossa chegada em São Paulo foi

tensa, o irmão de Fernando veio nos buscar na rodoviária e nos levou

para sua casa, posso dizer que fui bem recebida por ele e sua família.

Quando chegamos na casa a esposa de Roberto estava nos aguardando,

já era 2:00 da manhã e eu me senti incomodada em atrapalhar a rotina

de pessoas na qual eu não tinha laços de amizade, até porque não

gostava que ninguém interferisse ou me incomodasse, Fernando já

esgotava o meu tempo com suas irresponsabilidades.

Verônica e eu havíamos nos estranhado uma vez, então ela fez questão

de dizer assim que cheguei: Flora seja bem-vinda e passado é passado,

sorri e balancei a cabeça afirmando. Estava exausta da viagem, Verônica

e Marcelo já tinham arrumado alguns colchonetes no chão de sua sala e

disseram: Vamos dormir fiquem à vontade e amanhã conversaremos.

Fernando falou bem baixinho em meu ouvido: Flora não podemos falar

nada do ocorrido e muito menos brigar na frente de minha família, eu

respondi: Fique tranquilo vou tentar não queimar sua imagem de pessoa

normal, tomamos banho e fomos dormir.

Aquela noite foi marcada por pesadelos terríveis e quando amanheceu

eu estava supercansada como se tivesse trabalhado a noite inteira,

69


minha mente estava um lixo de tanto estresse. Verônica perguntou à

Fernando: O que vocês vieram fazer em São Paulo? Fernando respondeu:

Cunhada viemos tentar uma chance de emprego, pois no Rio de Janeiro

está complicado demais, ela olhou pra mim e disse: Flora você está tão

quieta, está se sentindo bem? Quando fui responder senti um mal estar,

a vista escureceu e desmaiei.

Quando acordei vi Fernando e Verônica com cara de desesperados,

Verônica disse: Graças a Deus você voltou a si já estava ligando para o

Samu vir te buscar, eu respondi: Estou me sentindo melhor obrigada e

não se preocupe, acho que foi a viagem e toda essa mudança. E

Verônica falou: Flora acho melhor você deitar novamente e se recuperar,

eu respondi: Agradeço sua atenção e cuidados a minha pessoa Verônica,

ela me levou ao segundo andar da casa me deitou na cama de sua filha,

fechou as cortinas e disse: Descanse e não se preocupe, se precisar de

algo estarei lá embaixo e mais uma vez agradeci sua atenção.

Quando despertei já eram 18:00 hrs, estava me sentindo outra pessoa,

arrumei a cama e desci para procurá-los eles estavam na varanda

tomando cerveja e conversando, quando Verônica me viu ela disse: Flora

que bom que despertou já estava preocupada com você, eu respondi:

Obrigada pelos cuidados. Fernando disse: Flora vamos para a casa de

minha mãe, eu não acreditava que ele estava me falando aquilo, e

continuou a falar: Minha mãe alugou um apartamento aqui esta sozinha

e precisando de cuidados, eu pensei comigo mesma: Esse idiota

arrumou um jeito de me fazer trabalhar, eu apenas olhei pra ele,

Verônica me perguntou: Flora você tem alguma coisa contra sua sogra?

Eu respondi: Não. Só acho ela abusada, somente isso. Verônica sorriu e

disse: Abusada, fofoqueira, dramática e manipuladora, não suporto a

mãe deles, Flora não fique triste, estarei aqui pra te ajudar no que for

preciso, eu respondi: Obrigada Verônica, eu estava achando atenção

demais e fiquei desconfiada pois sua fama era de fofoqueira, então eu

falava o básico para não ter problemas.

Antes de irmos para o apartamento de sua mãe eles acharam melhor a

visitarmos pra sentir como seria sua reação, quando ela atendeu a porta

e olhou pra mim disse: Flora como você está bonita emagreceu bastante,

eu agradeci e dei um beijo em seu rosto. Todos começaram a conversar

e minha sogra me perguntou: Flora tenho um quarto aqui que fiz para

70


Fernando, aceita vir morar comigo? Eu respondi que sim e nem poderia

dizer não, Fernando já tinha me reduzido a nada duas vezes e naquele

momento tinha que aceitar. Começamos a conviver, no começo tudo são

flores mas depois vem os espinhos, a mãe de Fernando reclamava o

tempo inteiro e isso me incomodava muito e disse a ela: Porque a

senhora não faz umas atividades pra preencher seu tempo? A senhora ia

se sentir melhor e faria muitos amigos, ela respondeu: Vou pensar no

que você disse, obrigada. Não conseguia gostar da mãe de Fernando ela

tinha uma cara de cascavel e parecia estar sempre pronta para dar o

bote.

Eu me virava de todas as maneiras pra ganhar dinheiro e não rejeitava

nenhum tipo de trabalho, não podia ficar contando com Fernando pois

ele tinha aversão a trabalho, eu fazia tudo dentro da casa e ainda fazia

algumas coisas pra vender. Os dias foram se passando e minha sogra

cada vez mais chata, toda vez que ela saía pra dar uma volta ela achava

que eu tinha obrigação de ir como companhia, tentava fazer o possível

para conviver bem. Passados 2 meses eu já não aguentava mais nem

Fernando e nem a sogra, agora não era só um me sugando eram dois

vampiros consumindo minhas energias, no final do dia estava exausta

de ouvi-los brigando e reclamando um do outro.

Fui visitar Verônica e senti uma forte dor no peito não resisti e desmaiei,

ela ficou desesperada e chamou o Samu e fui levada para o hospital, deu

uma alteração em meu eletrocardiograma e o médico ficou muito

preocupado, me encaminhou para uma unidade do bairro onde estava

morando e comecei a ser acompanhada por dois médicos. A cada dia

era visível meu abatimento e meu emagrecimento, já não dormia a vinte

dias e mal me alimentava, piorava quando a minha sogra e Fernando

começavam a discutir. Passados quatro meses desde que fui ao médico

não conseguia ter melhoras, já tinha emagrecido 20 kg e estava

parecendo como uma morta viva, sentia dores horríveis de cabeça e

quando eu deitava pra dormir tinha pesadelos com Fernando e minha

sogra. Os dias foram se passando, os remédios não faziam efeito e eu já

não conseguia mais me levantar da cama pois se eu desse três passos

meu peito doía e eu caía.

Voltei ao médico novamente e Verônica me acompanhou, já não

aguentava tanta dor no peito, falta de ar e quando a dor era muito forte

71


eu desmaiava, o médico segurou minhas mãos e disse: Flora você está

passando por alguma perda ou situação de estresse? Uma lágrima caiu e

eu balancei a cabeça afirmando que sim. Ele olhou para Verônica e

disse: Flora deverá ser acompanhada por um médico de família no qual

fará visitas periódicas, a senhora procure se informar o mais rápido

possível no bairro que mora, mas ela ficará aqui no hospital durante três

dias e observaremos como ela reagirá. Eu sentia que estava morrendo e

na realidade estava mesmo.

Passados os três dias eu tive uma pequena melhora, mas o médico

achou melhor me mandar pra casa, Verônica disse: Flora vou te levar

para minha casa, tenho certeza que Fernando e minha sogra estão te

matando, é quase impossível não adoecer perto deles por isso não quis

que ela ficasse aqui em minha casa quando veio morar em São Paulo.

Eu dei graças a Deus de ficar longe deles, na realidade todos os

problemas que tive no decorrer de meu relacionamento com Fernando e

no final somando com a sogra foram quase fatais para minha vida,

senão fosse a ajuda de Deus e mais algumas pessoas que me ajudaram

eu teria ido a óbito.

Parece dramático, mas não é.

Quando colocamos nossas vidas a disposição de outras pessoas que

não valorizam o que têm e nem a si mesmo é como caminhar no escuro,

você não conseguirá enxergar o buraco quando ele estiver diante de

você. Meu histórico de desvalorização estava extenso demais e meu

corpo começou a gritar pra mim mesma: Pare ou Morre!

Na casa de Verônica eu comecei a ter pequenas melhoras, consegui

voltar a andar e as dores no peito foram diminuindo, mas mesmo assim

estava fazendo tratamentos médicos e Verônica me aconselhou a cuidar

de minha vida espiritual e disse: Flora eu frequento um centro kardecista

e se eu fosse você procuraria ajuda, porque não é fácil conviver com

pessoas como eles.

Fui ao centro com Verônica, entrei numa sala onde a recepcionista fez

minha ficha com nome, endereço e telefone, depois me encaminharam a

uma segunda sala na qual havia uma pessoa que perguntava o que

estava acontecendo e expliquei a situação, ela me enviou para uma

terceira sala que tinha seis pessoas, me puseram sentada no meio e

72


estenderam suas mãos em minha direção e depois me mandaram sair.

Eu passei por três salas diferentes e no final me deram o diagnóstico

nele dizendo: Doação de energia vital, tratamento de antimagia,

frequentar reuniões para direcionamento e evangelho no lar, com o

tempo fui descobrindo muitas coisas com todos os tratamentos que ao

decorrer de quase dois anos eu fiz nesse lugar abençoado.

Estava sentindo que agora conseguiria ficar livre daquela doença que me

deixava dependente afetivamente por amar demais outras pessoas e

querer controlar a situação para que eu me sentisse amada. Fernando

Pessoa diz sabiamente: "Há um tempo em que é preciso abandonar as

roupas usadas que já têm a forma de nossos corpos e esquecer os

nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o

tempo da travessia... E se não ousarmos fazê-la teremos ficado para

sempre a margem de nós mesmos."

Eu não queria ficar a margem de mim mesma, eu sabia que era agora ou

nunca e tinha total consciência disso, as mulheres que amam demais

podem ser manipuladoras, dramáticas e controladoras, mas uma

qualidade fazemos questão de cultivar sempre a inteligência e por mais

que estejamos no fundo do poço não ficamos isenta dessa qualidade.

O primeiro tratamento no centro espírita kardecista que fiz foi doação de

energia vital, ficavam cinco pessoas em volta de mim me doando suas

energias, poderia comparar como uma transfusão de sangue, sendo que

eles ficavam com suas mãos estendidas para meu coração e dava pra

sentir um calor percorrendo todo meu corpo a sensação é grandiosa e

inexplicável, esse tratamento foi crucial para o meu corpo começar a

reagir e a medicação fazer efeito sobre ele.

Sou eternamente agradecida a Deus e a essas pessoas que durante três

semanas doaram suas energias para mim, elas não me conheciam e

nem tampouco eu as conhecia, elas estavam ali por um propósito de

amor e dedicação a pessoas que como eu naquele momento precisava

de ajuda. Tinha certeza que em algum lugar tinha alguém que me amava

bastante e que esse alguém cuidou de mim mesmo sabendo que em

muitas ocasiões me joguei ao precipício de meus desejos errados de ser

amada.

Estava caminhando rumo a cura de minha alma para reescrever minha

história de amor comigo mesma.

73


74


Quando estava dependente

não enxergava a verdadeira

face que se escondia no *Eu

Te amo* que ele me dizia.

Nascemos livres para amar e não para aprisionar as pessoas, eu já tinha

aprendido essa lição foi muita luta até eu concluir que só se ama

verdadeiramente quando você desapega dessa pessoa e resolvi deixá-lo

ir de minha vida, mas Fernando não queria que eu saísse da sua.

Logo pela manhã chamei Fernando e disse-lhe: Fernando precisamos

conversar, ele respondeu: Sim bonequinha, eu lhe disse: Não me chame

de bonequinha por favor, fui sua boneca e agora não sou mais me

chame de Flora, ele respondeu: Fale Flora, eu disse-lhe: Fernando como

havia conversado com você nosso ciclo terminou e eu vou embora, ele

disse: Flora eu não vou deixar você, onde você for eu irei junto, olhei pra

ele e respondi: Fernando para onde eu vou ninguém quer sua presença e

nem eu, ele olhou pra mim triste e disse: Vamos deixar para falar sobre

esse assunto daqui duas semanas estou com muitos problemas para

resolver com minha mãe e saiu sem deixar eu falar mais nada.

Ele começou a fugir de mim para não conversarmos sobre o fim. Entrei

num grupo que uma amiga havia criado sobre imagens de todos os

tipos e tinha pessoas de todos os lugares do Brasil, eu era muito querida

por todos pois sempre gostei de trocar ideias e com isso fui cativando as

pessoas, quando tinha dois meses de grupo entrou um membro novo e

75


pessoas, quando tinha dois meses de grupo entrou um membro novo e

ele era muito educado começamos a bater altos papos todos os dias e

ficamos amigos, tínhamos muitas coisas em comum, ríamos muito

juntos tudo com naturalidade e um dia ele me perguntou: Flora você tem

namorado? Eu disse: Sou casada, mas é uma situação complicada pois

estou tentando sair de um casamento de oito anos no qual cheguei aos

últimos limites por amar demais, era dependente dele e ele ainda é

dependente de mim e Márcio ficou quieto sem falar uma palavra, eu

perguntei: E você Márcio tem namorada? Ele respondeu: Não, sou

solteiro e trocamos de assunto.

Eu continuava fazendo os tratamentos que já estavam chegando ao final

e estava ótima, só teria que ser acompanhada por um outro médico para

onde eu fosse, ia no centro participar das palestras na qual eles oram,

dão uma mensagem de meia hora do evangelho e no final todos tomam

passe, eu saia daquele local abençoado pisando nas nuvens.

Quantas conquistas em quase dois anos em São Paulo, amo os

paulistanos são pessoas sérias e comprometidas com o que fazem eu

admirava muito isso neles. Fernando evitava de conversar comigo só

falava o básico para eu não ter chances de voltar no assunto, à noite ele

saia não sei com quem e nem procurava saber não me interessava mais

nada sobre ele, eu havia tomado uma decisão e não voltaria atrás, o fato

dele sair e voltar bêbado que me incomodava e muito. Quando estava

dependente de Fernando não enxergava a verdadeira face dele e durante

esse processo de cura que vivi enxerguei tudo. Eu tive a sorte de sempre

gostar de ler muito e isso me ajudou bastante, pois precisava me

autoconhecer e a doença me trouxe tempo para aprender a olhar pra

mim.

Tive muitos professores e o principal foi Deus, aprendi que ele tinha me

criado para ser alguém e não para viver na sombra de outras pessoas,

que tinha uma identidade, que era uma pessoa inteira, responsável pela

minha vida, por minhas escolhas, por meus pensamentos e pelo meu

destino. Todos os que me relacionei me ensinaram lições e vou levá-las

comigo como experiência, mas acima de tudo sem rancor, sem ódio,

sem revolta, como diz o ditado: Quem vive de passado é museu, e eu

não estava disposta a ser museu e viver de lembranças do que fui e sim

do que me tornei.

Aprendi com muitas senhoras de idade que viveram para seus maridos,

76


algumas eram felizes porque não se anularam como pessoas e outras

eram exatamente como eu e estavam se cuidando para se amarem mais,

trocávamos experiências e eu prestava atenção em cada detalhe que

elas falavam. Em São Paulo a minha terapia eram as pessoas e meu

médico que conversava muito sobre bem-estar emocional, aprendi

observando o meio de vida que as pessoas viviam, eu precisava de

informações e tinha que buscá-las não poderia ficar esperando bater em

minha porta.

Não adiantava ninguém falar faz isso que é bom pois eu não estava mais

nessa vibe, eu precisava saber o porque de ser bom. Tinha uma senhora

em especial que era Miss São Paulo da terceira idade, que alegria, que

brilho e ela tinha mais de 70 anos que pessoa linda, em algumas

conversas com ela eu enxerguei que não é a idade que nos faz perder o

brilho, somos nós mesmas.

Fernando vivia se esgueirando de mim ele achava que fazendo isso me

faria esquecer a decisão que havia tomado, um dia ele me chamou pra

comer uma pizza e fomos, estava cheio de mimos comigo, mas nada

adiantava sabia que se tivesse uma recaída seus gestos de amor duraria

no máximo dez dias e depois ele faria minha vida um inferno novamente

e eu estava fora, já estava tendo um caso de amor comigo mesma e não

tinha mais espaço para ficar vivendo dez dias bons e vinte horrorosos.

Fernando tentava de todos os jeitos chamar minha atenção e não

conseguia nada. Chegando em casa ele me puxou pra perto dele, pegou

em meu rosto e disse: Me dá uma chance novamente Flora? Eu sei que

sou louco mas eu te amo, eu respondi: Fernando acredito sim que você

me ame de uma maneira muito louca, mas não é a maneira que eu

mereço e não posso mudar você, quero acima de tudo respeito,

cumplicidade, carinho, entenda assim como eu entendi e se não

conseguir procure um terapeuta ou um amigo cabeça pra você

conversar, não tem mais volta e assim que terminar meu tratamento

sairei de sua vida definitivamente e você da minha. Não quero mais viver

com você, quero viver com meu eu. Ele me olhou com os olhos cheios

de lágrimas e falou: Ok.

Fórmulas mágicas? Não existem.

Por muitos anos de minha vida agradei as pessoas, me anulei, ofereci

minha identidade para ter um pouco de atenção e amor, minha vida não

77


tinha sentido de ser se eu não me sacrificasse por alguém. Por não me

conhecer verdadeiramente abria mão do que eu era para outra ser feliz e

estava tão acostumada a oferecer sem olhar pra mim, achava que era

correto que a vida era assim. O ditado que quem dá recebe era meu

lema só que todo modificado pela minha mente de mulher que amava

demais. Eu não queria ficar só precisava da atenção das pessoas, dei

mais do que me pediram e com isso abri mão do meu tempo, dos meus

sonhos para agradar homens que como eu eram dependentes de

mulheres que amam demais, aproveitadores, sanguessugas que vivem

para conquistar o amor de uma mulher dependente. Mulheres que tem

amor-próprio jamais fariam o que eu fiz, porque se amam e sabem seu

lugar no mundo, e eu já sabia do meu lugar e dançaria conforme a

música do amar a si mesma.

A cura depende exclusivamente de nós mesmas, precisa de muita

vontade e de querer ser feliz com realidade sem fantasiar o príncipe que

nunca foi príncipe e a princesa que nunca existiu, esse mundo romântico

demais só nos faz mal, nascemos e crescemos ouvindo histórias de

amores perfeitos que se preciso for a linda princesa morrerá por ele,

crescemos aprendendo que pra amar precisa de sofrer e é tudo mentira

este tipo de amor, isso de chama doença. Essa dependência nos leva a

conclusão que não merecemos ser felizes e isso também é mentira,

merecemos ser felizes, amadas, respeitadas, por todos e principalmente

por nós.

Ah! Mas o mundo é machista, problema de quem é .... Daqui um tempo

não será mais, tudo um dia tem fim.

Deus me fez para ser feliz e ninguém tem autonomia para passar por

cima dele e da verdade que ele me ensinou, então me dá licença que

passo com a certeza de Deus e não será por cima de mim que alguém

passará. Fui tapete e capacho por muito tempo e depois que conheci o

amor-próprio fui demitida do cargo de tapetinho por derrubar pessoas

quando tentaram me pisar. Aprendi a me amar e me respeitar, assim

como ao meu próximo de uma forma equilibrada e saudável, nem

demais e nem de menos, pois tudo demais enjoa ou faz mal a saúde.

Flora renasceu como uma linda Fênix e estava chegando o dia em que o

médico iria me falar que estava pronta pra viajar e Fernando evitava

qualquer tipo de conversa, ainda tinha esperanças de ter aquela que um

78


dia ele conheceu.

A minha consciência sentia a felicidade porque me via livre de todos

aqueles sentimentos que cultivei tanto tempo e como lição meditava

todos os dias nesse ensinamento de Lao-Tsé: Toma consciência dos teus

pensamentos; pois resultam em palavras. Toma consciência das tuas

palavras; pois resultam em ações. Toma consciência das tuas ações;

pois resultam em hábitos. Toma consciência dos teus hábitos; pois

resultam em caráter. Toma consciência do teu caráter; pois resultará no

teu destino

O meu destino quem escreve sou EU...

79


A vida sempre nos revela

surpresas, quando não

procuramos é que achamos o

que sempre desejamos

Quando me envolvi nesses relacionamentos não imaginava que ficaria

tão estraçalhada por dentro de tanto sofrimento, mas a verdade é que

ficamos com marcas profundas. Depois de tanto sofrer é preciso parar

pra descansar, renovar as forças, mudar para que situações novas

aconteçam, plantar novas mudas de confiança em si mesma.

Escrevi no grupo que fazia parte: Eu mereço ser feliz, sou linda, sou

capaz e sou Filha do criador desse Universo quem dirá que não?

Segundos depois Márcio respondeu: Você realmente é uma pessoa

linda, será muito feliz se souber fazer as escolhas certas e todos tem

direito a felicidade, mas a diferença é que uns lutam até sangrar e outros

desistem no meio do caminho. Ninguém dirá não se você desejar de

todo seu coração, mas lembre-se sempre de dominar seu maior inimigo:

Você mesmo. Realmente ele estava com a razão eu teria que dominar

aquela pessoa que se autodestruía, porque vencer as pessoas é fácil,

mas vencer a si mesma precisa de coragem e determinação.

Márcio quando estava online sempre conversava muito comigo e era

papo de horas, ele parecia eu numa figura masculina e ele havia falado o

mesmo você parece comigo sendo que na versão feminina e ríamos

muito disso tudo. Com o tempo descobrimos que estávamos mais que

80


envolvidos, tínhamos nos apaixonado um pelo outro. E agora o que eu

faria? Pensei, repensei e disse pra mim mesma não vou ficar me

preocupando se tiver que acontecer acontecerá, não vou colocar a

carroça na frente dos bois.

A cada dia eu admirava mais aquele menino anjo e ele a mim. A vida

sempre nos revela surpresas, quando não procuramos é que achamos o

que sempre desejamos. Eu passei a maior parte de minha vida fazendo

escolhas erradas e matando um leão por dia pra tentar ser feliz e eu

estava muito feliz por ter me recuperado e por conversar com uma

pessoa que me fazia um bem enorme.

Todos os dias ele sempre queria saber como eu estava, o que o médico

havia falado, como estava a situação em minha casa, eu até perguntava:

tem certeza que quer saber mesmo? Ele respondia: É claro mulher, e

contava e ele prestava atenção em tudo. Certo dia ele me disse: Flora

você sabe que eu estou apaixonado por você, mas sei que você ainda

tem um caminho a percorrer só quero que saiba se a vida quiser nos

colocar diante um do outro eu estou disposto a seguir segurando suas

mãos. Eu fiquei calada por um tempo, respirei fundo e disse: Se a vida

achar que devemos nos conhecer e seguir juntos também segurarei suas

mãos Márcio.

E deixamos esse assunto de lado, brincávamos, ríamos, trocávamos

ideias um com o outro, ele realmente parecia ser diferente de todos que

havia conhecido. Aos poucos fui perguntando sobre sua família e ele

falava tudo sem fazer rodeios. Eu pensava realmente existe uma

diferença entre as pessoas que falam a verdade, elas não tem medo de

mostrarem quem são e não vivem dando desculpas, enquanto os que

mentem tem desculpa pra tudo. Estava aprendendo uma nova lição.

Trocamos fotos, ele me ligou pra confirmar que eu era a Flora e para que

eu tivesse certeza que ele existia, me passou onde morava, com quem

morava, até os cachorros e gatos de sua casa eu conhecia sem nunca ter

ido lá. Era incrível a diferença da verdade que muitos carregam em suas

vidas para a mentira que muitos fazem questão de viver. Pela primeira

vez em minha vida eu não sentia desespero, nem estava sofrendo pelo

contrário estava feliz só pelo fato de saber tantas coisas e sem ter

pedido pra ele falar. Eu admirava o poder que ele tinha de me fazer

sorrir, ele era mestre nessa arte.

81


Fernando resolveu viajar com sua mãe e fiquei sozinha, que paz, que

tranquilidade eu sentia e só faltava um dia para que o médico me desse

alta para recomeçar minha nova vida. Teria que começar a me despedir

das pessoas que me ajudaram e agradecê-las por tudo que fizeram por

mim, comecei pelo centro que eu frequentava e com muita emoção eu

disse: Quero que todos saibam que tive vários aprendizados aqui e

levarei comigo por onde eu for, farei de tudo para ser feliz com

equilíbrio.

Aprendi com todos vocês que trilhar novos caminhos é preciso quando o

que escolhemos não está direcionado para o bem, que cada pessoa

oferece o que tem, quem planta com certeza colherá, que pra superar

minhas dificuldades terei que lutar sempre e que ninguém poderá fazer

isso por mim, que sou mais forte que imaginava, que meus sonhos não

devem ser deixados pelo caminho por nada e por ninguém, que nasci

pra ser feliz e que isso só depende de mim, o amor-próprio é necessário

e que ele é uma arma poderosa a meu favor, que preciso ter equilíbrio

para me manter de pé, que minha Fé é a arma de combate e que por

mais lutas que eu tenha é preciso cultivá-la, que príncipes e princesas

são histórias que eu ouvia quando era criança e que não fazem parte de

minha realidade, que a cada despertar uma nova oportunidade me será

dada para reescrever uma nova história, que ninguém mudará para me

agradar, mas que posso mudar a mim mesma, que minha mão tem

cinco dedos, mas que eles não são iguais e assim são as pessoas, que

poderei renascer das cinzas sempre que for necessário, que o tempo é

meu amigo precioso que vou precisar ter paciência, que preciso ter um

caso de amor comigo mesma e que nunca devo pensar em me

abandonar, que posso amar sem fazer dele minha prisão e que nunca

devo sufocar essa semente e se um dia eu ver que minha felicidade está

em jogo, que eu saiba deixar a pessoa ir.

Obrigado pela doação de energia, pela reenergização para ficar positiva,

pelas orientações, por me fazer enxergar que estudar é preciso pra

evoluir espiritualmente, pelo carinho, amor, atenção, pelo olhar e

principalmente agradecer a Deus por ter me dado a oportunidade de

cura.

Sentirei saudades de todos vocês, mas um dia nos reencontraremos,

todos me abraçaram chorando foi a cena mais linda que já tinha visto e

82


me senti realizada de enxergar que era capaz de despertar amor, carinho

e atenção sem exigir. Estava livre pra voar.

Estava esperando a hora do médico entrei na sala e me sentei, meu

médico muito brincalhão me perguntou: Como você está Flora? Eu

respondi: Estou ótima, ele olhou pra mim com uma cara estranha e

disse: Não é o que os exames dizem, eu perguntei: Como assim? Meus

exames estão ruins?

Ele respondeu: Flora você está maravilhosa estava brincando com você,

afinal vou perder minha paciente, eu sorri e disse: Queria te agradecer

por cuidar de mim, por ter paciência comigo e por me ensinar que meu

bem-estar tem que ser minha prioridade. Obrigado por ter usado sua

alma para me ajudar a me cuidar e por ter deixado os termos técnicos

de lado. Ele se levantou, me abraçou e disse: Feliz recomeço Flora, eu lhe

dei um beijo no rosto, sorri e saí feliz.

Cheguei em casa, arrumei minhas malas e fiquei esperando por

Fernando, o telefone tocou e quando atendi era Márcio e ele me

perguntou: Como você está querida? Eu respondi: Feliz e sentindo o

cheirinho da liberdade que é uma delícia e comecei a rir, ele disse:

Parabéns Flora você merece, você melhor que ninguém sabe o caminho

que teve que percorrer para hoje sentir essa felicidade, eu respondi:

Realmente, foi muito pó que comi do rastro das pessoas, mas tudo

passa e agora é só ser feliz, ele respondeu: Exatamente, resposta

perfeita.

Fernando chegou depois de uma semana, e assim que ele abriu a porta

eu disse: Fernando já comprei a passagem e minhas malas estão

arrumadas e só esperei você chegar pra te dizer Adeus. Ele me olhou

com os olhos cheios de lágrimas se ajoelhou aos meus pés e disse: Não

me deixe Flora, eu respondi: Você teve várias oportunidades de mudar e

ser feliz comigo, mas a vida é feita de escolhas Fernando e você não

percebeu que as pessoas não são objetos para serem usadas quando

você quer, elas precisam de amor, carinho, respeito, atenção, e você não

soube fazer nada disso. Desejo que você cresça porque a vida nos dá

oportunidades, mas devemos saber aproveitá-la pois não sabemos se

amanhã acordaremos para desfrutar dessa chance. Seja feliz com sua

escolhas Fernando que serei feliz com as escolhas que fiz. Adeus... Ele

não respondeu nada, me despedi da mãe dele e sai para ser feliz de

83


verdade.

Todos os relacionamentos que tive em minha vida foram unilaterais e

não permitiria ser assim novamente. Márcio me ligou e disse: Quer

namorar comigo Flora? Eu respondi: Aceito Márcio e só te peço que

respeite meu tempo. Ele disse: Fique tranquila esperarei o seu tempo e

enquanto isso vamos conversando, o dia que você achar que está

preparada para me conhecer pessoalmente é só dizer, eu respondi:

Obrigada Márcio, direi quando chegar a hora.

Naquele instante eu lembrei de uma frase de Augusto Cury que diz:

Construí amigos, enfrentei derrotas, venci obstáculos, bati à porta da

vida e disse-lhe: Não tenho medo de vivê-la.

E fui adiante sem medo de viver um novo recomeço...

84


Recomeçando a viver

Foram tantos anos sofrendo que recomeçar era como um namoro só

que comigo mesma, eu me olhava no espelho e conseguia me achar

serena, leve e linda, todo meu corpo reagiu imediatamente as

transformações, me sentia como uma borboleta que tinha acabado de

sair do casulo.

Eu fui uma viciada em precisar de outras pessoas, viciada? Sim.

Mulheres que amam demais são viciadas em seus parceiros, só estão

felizes se estiverem bem com ele, a necessidade da pessoa é tão grande

que a dor é real. Dói e dói com muita intensidade e assim fazemos tudo

pelo relacionamento e sempre acaba de uma maneira cruel para todas,

muitas vezes escolhemos homens consideravelmente fracos para que

possamos ter algum controle sobre eles e o pior que enganamos a nós

mesmas pois eles não são os pobres coitados que parece, se aproveitam

que ali tem uma viciada precisando de carinho e atenção e se deixarmos

quase nos levam a loucura. Isso é vida? Não.

Minha desintoxicação de Fernando precisou de muito esforço, como

chorei pra ficar livre dele a sensação que tinha era que estava sendo

85


lançada para todos os lados e que algum momento eu ficaria em

pedaços, sentia que se ficasse sem ele morreria, o vício nos faz pensar

assim mas não é real, não vamos morrer, iremos nos libertar e como

vivemos tanto tempo condicionada a um sentimento que nos faz menos

temos medo de perder a única chance de ser alguém, essa é a verdade.

O que nos faz sentir dor é o medo de ficar sozinha. Sozinha? Sim. Porque

nos sentimos assim e para que o nosso vazio não seja maior vamos em

busca de uma pessoa para preenchê-lo e quebramos a cara, porque

ninguém jamais tapará aquele buraco que existe ali, somos sozinhas

porque nos abandonamos e esse abandono fica cada vez maior quando

trocamos várias vezes de parceiro e assim vamos deixando partículas de

nós em cada caminho e quando chegamos a uma certa distância não

conseguimos reconhecer quem está ali, nos sentimos mais sozinhas e o

desespero toma conta.

Esse Universo é negro, é massacrante, é distante de tudo que pode ser

bom para um ser humano, fomos criadas com era uma vez uma linda

princesa que encontrou um lindo príncipe, nos poupe dessas histórias

que faz o universo da mulher se iludir, porque são contos e nossas vidas

não são contos de fada, nossa realidade é sofrida e nos faz menos como

mulheres. Fiz questão de desmistificar o era uma vez uma linda princesa

que encontrou um lindo príncipe para minhas filhas e as ensinei que a

mulher linda vai encontrar um homem lindo ou não, mas que elas terão

que se amar muito, ser leal primeiramente a elas mesmas, que as

pessoas as vezes mostram o que não são e que existem outras que são,

que amor não é moeda de troca e quando ele se torna é chegada a hora

de repensar, que o respeito a elas mesmas têm que ser obrigatório e

que ninguém terá piedade de seus sentimentos na hora do fim. As criei

dentro da realidade do Universo que vivi para que elas não sofressem a

degradação que sofri por ter me abandonado por tanto tempo.

Com Márcio tudo é tão calmo, sereno e cheio de luz. Nossos papos me

faziam tão bem e ele sempre me incentiva muito e se não incentivasse

convidaria ele pegar a reta e sumir de perto de mim, não viveria mais de

migalhas. Conversamos de uma maneira sadia e a cada dia enxergo que

existem homens com equilíbrio, mas como eu vivia no universo oposto

não atraía eles pelo contrário eu nem olharia para um deles e nem

tampouco eles para mim.

86


Quando estava com Fernando eu falava: Não aguento mais você, vou me

separar...Ficava um, dois, três dias e ele sabia que era tudo encenação,

Fernando fazia tudo no automático já estava acostumado de tanto ouvir

que iria deixá-lo e não fazia nada.. Hoje eu paro pra pensar que é

inacreditável como eu era imatura ao me relacionar o quanto a

dependência nos faz ficar imóveis.

A verdade é que precisamos urgentemente alcançar a independência

para termos uma vida saudável e como eu passei por isso posso dizer: É

maravilhoso quando você olha e visualiza sua vitória. Tive que lutar,

controlar o medo e ter uma base espiritual para que os tratamentos

fizessem efeito e assim o processo de cura ser real, autoconhecimento

de mim mesma foi prioridade para que eu soubesse enxergar meus

limites e não ultrapassá-los. Fugia dos pessimistas, tipo aquelas pessoas

que só vivem reclamando ou dizendo: Oh vida! Eu pedia licença e dava

no pé porque no momento eu precisa de ajuda e não poderia ajudar,

antes de tudo pensava em mim e isso não é egoísmo se chama amorpróprio.

Eu era muito dramática como eu conseguia deixar um grão de

mostarda do tamanho de um elefante, pois é eu fazia um probleminha

virar uma montanha de problemas, não tinha controle sobre mim, era

um vulcão em erupção ao leve toque, estava disposta a explodir em

cima de quem estivesse em meu caminho, hoje olho pra mim e vejo

como mudei sou calma, segura, primeiro olho tudo em vários ângulos

para depois falar.

A viagem inteira de volta ao interior Márcio fez questão de me fazer

companhia pelo telefone e foi legal, rimos muito um com o outro, ele

tem o poder de me fazer sorrir.

Cheguei ao meu novo destino casa de papai e mamãe, de um lado era

maravilhoso de outro me sentia como se estivesse invadindo a

privacidade deles, meus pais me abraçaram muito e choraram bastante,

minhas filhas fizeram uma festa, a companhia para aqueles filmes que

elas sempre gostaram de curtir estava ao lado delas e pra fechar com

chave de ouro dançar High School Musical, via apenas umas 100 vezes e

tentava dançar com elas, depois corria atrás das meninas imitando um

vampiro, rsrsrs....Delícia as gargalhadas, os beijos, o cheirinho delas, era

papos e mais papos pra colocar em dia.

Os dias foram se passando e Márcio continuava a me ligar, nosso

87


namoro era pela internet e pelo telefone eu ainda precisava de um

tempo e ele esperou pacientemente, arrumei um serviço no Rio de

Janeiro e resolvi que já estava na hora, tinha um ano de namoro sem

nunca ter visto ele ao vivo e a cores. Se eu tinha medo? Não. O medo

não tinha mais poder sobre mim.

Minha ida para o Rio de janeiro virou polêmica pois todos eram contra,

que tinha um porque: meu namoro com Márcio. Eu sempre

conversava com Márcio e por incrível que pareça não havia ainda

perguntado sua idade e quando perguntei quase caí da cadeira, ele tinha

19 anos, eu pensei meu Deus o pessoal vai me crucificar por eu estar me

relacionando com uma pessoa bem mais nova, quando contei para

minha família todos ficaram escandalizados, minha mãe falou que ele

usaria e abusaria de mim, meu pai falava que ele era um bandidinho,

minha filha mais velha não era a favor mas não achava certo ficar

fazendo prejulgamento sem conhece-lo e Carol a mais nova me apoiava

e ainda disse para Márcio no telefone: Se você fizer minha mãe sofrer eu

vou atrás de você, ele riu e respondeu: Fique tranquila Carol, eu amo sua

mãe e ela vai ser feliz comigo. Falavam o tempo todo em minha cabeça e

pedi que parassem, explicava que eu não era mais a Flora que fazia vista

grossa pra tudo, que se não fosse o que eu esperava que ia ser amiga

dele e ponto final. Durante um ano de conversa ele se mostrou especial

e eu tinha que conhecer para ver com meus olhos, eu não era rica, não

tinha carro, não era nenhuma pessoa com alta posição numa empresa,

eu disse para minha família: Pessoal fiquem calmos tem duas

alternativas ele pode estar apaixonado por mim ou não, e se eu sentir

algo estranho vou dizer a verdade e cair fora.

Passados quinze dias acertei tudo no novo trabalho, arrumei as malas e

foi aquela choradeira, olhei para minhas filhas e disse: Ainda ficaremos

juntas mamãe terá uma casa só dela e vocês nunca mais vão se separar

de mim. Carol me abraçou e disse: Acredito em você mamãe, Luz falou

que também tinha certeza que eu conseguiria, abracei as minhas

menininhas e sai rumo ao meu recomeço de vida.

Cheguei ao Rio de Janeiro logo pela manhã, faltava dois dias para meu

aniversário de 42 anos e fui para a casa que havia alugado, arrumei tudo

e o meu celular tocou, atendi era Márcio e ele disse: Flora meu amor,

como foi a viagem? Eu respondi: Foi ótima, e começamos a conversar e

88


ele me perguntou: Você está preparada para me conhecer? Eu respondi:

Sim Márcio, respirei fundo e continuei, estou preparada para conhecer

meu menino e comecei a rir e ele também, nosso encontro seria no dia

do meu aniversário combinamos que nos encontraríamos na Rodoviária

e depois iriamos passear num Shopping.

Chegou o dia, frio na barriga, tira roupa põe roupa, olhava o cabelo e não

achava que estava bom, depois de muito custo resolvi ir com um vestido

e rasteirinha porque o RJ estava muito quente e eu não ia aguentar andar

de salto naquele calor e fui ao encontro de Márcio. Cheguei antes do

horário, sou chata com horários e Márcio chegou atrasado eu já estava

virando um pé de planta quando vi um menino com uma mochila nas

costas, óculos escuros e com carinha de bebê passando, eu falei pra

mim é ele, quando ele virou deu aquele sorriso lindo que pensei que

fosse cair dura ali. Ele se aproximou de mim, me olhou nos olhos, eu o

abracei e ele me beijou, pensei que fosse desmaiar e não satisfeito me

pegou e ficava me rodando todo feliz e a rodoviária parou para olhar nós

dois.

Eu fiquei tão emocionada que mal conseguia falar, ele me perguntou:

Flora você está bem? Eu respondi: Sim estou bem, ele disse: Você está

tão quietinha, eu respondi: Estou um pouco nervosa, foi muita emoção,

na verdade acho que estou sonhando e comecei a rir, ele perguntou:

Quer um beliscão? Eu respondi: Sim por favor, ele me deu e soltei um

grito, ele riu e disse: Viu você não está sonhando sou real, olhei pra ele e

sorri novamente.

Paramos o Shopping, as mulheres quando eu passava de mãos dadas

com ele não acreditavam, as mais novinhas ficavam assustadas e as de

minha idade pra cima não paravam de olhar e comentar, eu disse: Se

estamos chamando a atenção sem dá um beijo imagine se a gente se

beijar e ele me puxou pela cintura e me deu aquele beijo de tirar o

fôlego, pegou minhas mãos as beijou e disse: Vamos nos sentar pra

comer uma pizza, eu respondi: Pizza? Poxa você não esqueceu? Ele disse:

Flora tudo que você gosta esta gravado aqui e pegou novamente minhas

mãos as beijou e disse: Você é minha rainha, eu estava vendo ele ali

sabia que era real, mas ficava achando que estava sonhando.

Nos sentamos e ele falou: Tenho um presente pra você, tirou um

saquinho de dentro da mochila e me deu um colar de coração e eu amei,

89


amo corações e depois tirou uma caixinha pequena e colocou na minha

frente e disse: Abra Flora, eu abri e não acreditei eram duas alianças e

ele mandou gravar nossos nomes, a minha tem o nome Márcio e a dele

Flora e a data. Ele olhou pra mim e disse: Lembra que eu havia falado

quando lhe visse te daria uma aliança: Eu respondi: Lembro, ele pegou a

aliança e colocou em meu dedo e eu coloquei a dele e pra selar aquele

beijo cinematográfico que parou a praça de alimentação. Fomos ao

cinema que na realidade eu não vi filme nenhum, nem me lembro o

filme que estava passando, porque beijei o tempo inteiro, rsrsrsrs....

Não acreditava que aquele menino tinha capacidade de me amar tanto,

foram tantos loucos que passarão pela minha vida, enxerguei que

quando nos amamos e cultivamos esse amor-próprio atraímos para

perto de nós os que se afinam a nossa energia.

A minha família não aceitava ele e a dele também não, a diferença de

idade entre nós é de 23 anos eu compreendia eles, minha família achava

que ele abusaria de mim e a dele achava que eu queria apenas um caso

por ser mais velha, todos se enganaram.

Hoje eu estou com 46 anos e Márcio com 23 anos, estamos a quatro

anos morando juntos e nesses anos ele nunca me deixou nem por um

minuto duvidar do amor dele por mim, nunca fui tão respeitada, ele me

chama de minha menina e eu começo a rir e falo: Menina velha que você

quer dizer? Ele me olha sério e diz: Você será eternamente uma menina.

Eu havia dito que ele era mestre em me fazer sorrir e continua com esse

poder.

Flora é amada e respeitada por ela mesma e por Márcio, ele não admite

que ninguém falte o respeito por mim, se eu tivesse visto a idade ou

desse ouvidos a tantas coisas que me falaram eu não estaria com ele

hoje e nem ele estaria comigo, Márcio abriu mão de muitas coisas por

mim e eu também abri mão de muitas coisas por ele, mas tudo em

comum acordo e com os pés no chão. Sou encantada com a maturidade

dele, com a educação, com seu jeito doce de cuidar de mim, todos os

dias ele me levanta com um beijo e tem coragem de dizer que sou a

mulher mais linda que ele já conheceu, eu sempre respondo: Márcio

você está com problemas visuais, rsrsrs, ele diz: Você é uma menina

mesmo sempre fazendo piadas. Temos opiniões diferentes em algumas

coisas ai chamo ele de chato e Márcio me chama de chata e começamos

90


a rir juntos da cara do outro.

Me ajuda em tudo que se possa imaginar, se estou menstruada e com

cólicas ele fica preocupado e se eu esqueço de comprar absorvente ele

corre e compra, se estou com dores de cabeça faz massagem, sempre

esta do meu lado seja quando for, a hora que for... Carinho não falta eu

sempre digo a ele: Você é um poço profundo de carinho, ele olha pra

mim e diz: Esse carinho guardei só pra você, eu olho pra ele e digo:

Obrigada Deus por um presente desse tamanho. Somos inseparáveis e

quero engravidar até meus 50 anos, esse é nosso projeto de vida, mas já

avisei que só engravido se ele casar comigo, rsrsrs....

Acasos não existem, jamais imaginaria conhecer uma pessoa assim se

eu não tivesse me tratado e virado as costas para Fernando, jamais

conheceria Márcio, jamais seria feliz... As nossas escolhas fazem nosso

destino, somos nós que escolhemos se vamos adiante ou se paramos,

somos responsáveis por nossas atitudes sejam boas ou ruins.

Se eu ficasse na vibe de Fernando e dando murro em ponta de faca,

continuaria sendo a mulher que amava demais e não seria a Mulher que

é amada demais. É preciso cuidar de si mesma como eu fiz, não estou

dizendo que terá que seguir os mesmos passos, mas tem que começar

de algum jeito e é pra ontem, ninguém merece viver perturbada,

descontrolada, olhando relógio, roendo as unhas, de mal humor,

olhando celular, ligações sem fim para saber o que ele está fazendo,

olhando carteira, cheirando a roupa, com pensamentos obsessivos., isso

não é vida.

Vá a luta pra seu bem-estar em primeiro lugar, fiquei um ano e 8 meses

em tratamento e depois me preparei um ano para conhecer Márcio e

observando seu jeito de falar, ele nunca mudou seu jeito, até hoje fala da

mesma maneira comigo isso se chama homem maduro e equilibrado.

Pra que pressa? Porque ser imediatista se até hoje nada deu certo para

você? Eu sei que a mulher que ama demais tem pressa, ela precisa,

deseja e tem que ser como ela quer, eu era assim e era infeliz.

Não é válido se menosprezar dizendo que você não consegue, claro que

consegue. Qual a diferença entre eu e você? Eu não vejo nenhuma, mas

o que vai diferenciar é como se luta e o quanto está disposta a lutar. Já

se fez essa pergunta? Se você estiver cansada de ser qualquer coisa na

vida de alguém, se estiver farta de não conseguir se controlar, acredito

91


que conseguirá. Se você tiver a ânsia de ser feliz, acredito que consiga.

Desapega do sujeito e se apegue a você, deixa ele de lado e vá cuidar de

sua vida para ter chances de um novo recomeço.

Eu ouvi muitas criticas quando estava doente mas somente eu poderia

me ajudar, ouvi muitas criticas no meu relacionamento com Márcio, mas

eu já não era a Flora descontrolada e o tempo foi o melhor amigo de

minha vida e hoje somos respeitados por nossas famílias pelo

relacionamento que temos.

Eu tive coragem de fechar a porta e dizer: Adeus dependência e tive

coragem para reabrir as portas de meu coração e dizer: Seja bem-vindo

Amor que multiplica.

A verdade é que temos que ter coragem pra encerrar um capítulo em

nossas vidas, não tem como pular e logo a seguir ir correndo para o

outro capítulo, a vida não é assim. Precisamos ter consciência que deixar

ir é preciso, a vida não é um jogo, não espere que reconheçam o quanto

você é fantástica por sofrer tanto por um homem, ninguém fará isso

somente você é capaz de encerrar esse capítulo e dizer: Cansei de ser

infeliz, quero cuidar de mim e ter chances futuras de ser feliz, essa

decisão não será porque você está com raiva, por orgulho, será porque é

preciso para sua cura e amadurecimento de suas emoções.

Eu aprendi a conhecer o amor, enxerguei que não possuímos as

pessoas, entendi que não estou aqui para ter e sim para ser. Como

Rubens Alves que sabiamente diz: "A alma é uma borboleta... há um

instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande

metamorfose..."

Somente as borboletas sabem dizer o quanto foi importante sua

transformação e que sentiu medo de sair do casulo, mas que valeu a

pena ser livre e que somente elas sabem o significado de beijar uma

flor.

92


Tentar entender as pessoas é

confuso demais quando não

nos entendemos e nem nos

conhecemos.

Tentar entender as pessoas é confuso demais quando não nos

entendemos e nem nos conhecemos, jamais vamos conseguir o próximo

passo sem o autoconhecimento, por isso para que o processo de cura

seja real devemos isso a nós mesmas nos conhecer intimamente.

Conhecer os nossos reais sentimentos e quais os interesses deles.

Interesse? Sim. Todo sentimento gerado parte de algum princípio e é

desse ponto que analisaremos.

Se sentimos raiva devemos parar e pensar o porque? Só que tem um

porém, quando estamos movidas por esse sentimento não conseguimos

raciocinar e muitas vezes nem queremos ter esse trabalho. Se

autoconhecer exige prática, exige disciplina e querer sair da condição de

coitadas e sofredoras do mundo.

Você poderá falar: Mas eu estou sofrendo. Eu sei que está e sei que é

93


eal esse sofrimento, mas te pergunto: Você sabe o porque de tanto

sofrer? Qual é a causa? Onde tudo começou? Se você disser sim, você

saberá que precisa começar a rever sua vida sem ficar prolongando esse

martírio e que na realidade você não aceita a verdade, se você responder

não, é preciso querer ter esse trabalho de ir bem fundo dentro de você

mesma e começar a busca.

No meu caso tudo teve origem na minha infância no qual eu muitas

vezes fui punida sem ter feito nada, no entanto na minha vida amorosa

eu levei essa punição para viver comigo e me puni anos e anos, mas que

aceitei pelo fato de não questionar o porquê de sentir.

Vou explicar melhor, meu pai me batia quando era criança, não sabia o

porquê só sabia que doía e chorava, mas o problema não era comigo e

sim com ele. Muitas das vezes temos sentimentos e reações que não são

nossos, são de lembranças que temos e que muitas vezes queremos

esquecer e na realidade não esquecemos levamos isso as vezes por uma

vida inteira.

Quando você prática o autoconhecimento você começa a querer saber o

porquê de sentir tanta dor, por se sentir tão só, por se desvalorizar tanto,

mas para você compreender tudo isso você precisa mergulhar dentro de

si e fazer uma viagem que muitas das vezes pode não ser agradável mas

que irá te libertar do se sentir sozinha. Eu várias vezes me abandonei e o

fato de ter consciência disso me fazia sentir mal e resolvi fazer um

mergulho dentro de mim, uma viagem no tempo e me vi numa cena

quando eu tinha 5 anos de idade, eu sempre amei coelhos tinha um

casal que deram 12 filhotinhos todos morreram só ficou o casal, depois

de 2 dias morreu o coelho fêmea e ficou o macho, ele foi o único que

restou daquela família, fiquei com dó dele e queria cuidar do coelhinho,

mas meu pai resolveu dar para meu vizinho e chorei, meu pai com raiva

de ouvir meu choro disse: Se você não parar de chorar vou cortar as

duas orelhas do coelho e na mesma hora parei, fiquei triste de pensar

que ele poderia ficar sem as orelhas por minha causa e abri mão do

meu coelho. Deixei passar um tempo e um dia fui a casa de meu vizinho

e soltei o coelho.

Naquele dia me foi ensinado que para se conseguir chegar a algum lugar

precisava abrir mão do que eu tinha para que alguém fosse feliz, que a

chantagem emocional me daria o poder de controlar as pessoas quando

94


eu quisesse, que se não fosse meu não seria de ninguém, foram os

ensinamentos que tive naquele dia que geraram sentimentos de perda,

insegurança, dor, solidão que levei por anos. Muitas vezes esquecemos

desses fatos e quando vamos buscar eles vem a tona, mas esses

sentimentos não eram meus, na realidade eles pertenciam ao meu pai e

no qual eu vivi sem nunca ter percebido o quanto me fizeram mal.

Mensagens que recebemos e esquecemos: Seus sentimentos não são

importantes, abra mão de ser feliz para o outro ser, pode chorar que não

me comovo, você terá que aceitar o que eu quero, chantageando

emocionalmente você consegue tudo das pessoas, seja agressiva, tenha

medo, seja vingativa, do meu jeito é o certo, eu mando você obedece,

você é fraca, maldita hora que você nasceu, você não será feliz, você é

feia,nada do que você faz dá certo, uma infinidade delas e com tantas

mensagens de desprezo e derrota elas vão destruindo e aos poucos

aceitamos que ser assim é normal.

Os nossos sentimentos têm que ser bem avaliados estamos carregando

dores que não são nossas e que não sabemos por falta de

autoconhecimento. "Não somos apenas o que pensamos ser. Somos

mais; somos também o que lembramos e aquilo de que nos

esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que

cometemos, os impulsos a que cedemos, sem querer" (ZWEIG e ABRAMS,

1994, p. 100)

Eu fazia um exercício todos os dias, pegava um papel e uma caneta e

listava todos os meus sentimentos daquele dia, mergulhava dentro de

mim, os buscava e anotava as lembranças que tinha que me geraram

aquele sentimento, tive respostas de todos e assim fui buscando me

conhecer para que eu tivesse um controle sobre todos eles e assim ser

feliz, sem me sentir presa a algo que muitas vezes nem sabia o porquê

de sentir. A melhor forma de cuidar de si é conhecendo você mesma.

Muitas das vezes as pessoas nos fazem sofrer porque dentro delas já

existe um buraco negro de tanto sofrimento e fazemos muitas pessoas

sofrerem por estarmos cheias de tanto quebrar a cara. Vida a dois é um

casando com os fantasmas do outro, senão nos cuidarmos sempre será

uma fracasso atrás do outro por não aguentar tantos assombros.

Se conseguirmos enxergar onde está a origem de nossa dependência,

iremos confrontá-la cara a cara. Posso dizer que o momento mais

95


gratificante de minha vida foi quando eu pude encarar a mim mesma e

ver que muitos de meus medos, inseguranças, dor, solidão, eram parte

de um tempo e que eu só continuaria sentindo se continuasse os

alimentando.

É preciso tempo para se conhecer, para sermos nós mesmas sem

disfarces, as pessoas gostando ou não. O tempo que mais fui amada foi

quando peguei as rédeas de minha vida e fui ser feliz. O tempo que mais

fui respeitada foi quando olhei pra dentro de mim mesma.

Enquanto não houver o comprometimento de olhar pra dentro de si

mesma e dar valor ao tempo que nos ensina, com certeza você colocará

a fase mais importante de sua vida fora.

Enxergamos muitas coisas com nossos olhos e crenças que não vão

passar da esquina, vemos todos os acontecimentos que nos rodeia com

medo, insegurança, solidão, raiva, não enxergamos que por detrás disso

tudo existe algo nos dizendo que é tempo para novas oportunidades,

andamos ou ficamos ali parados vendo o tempo passar. Somos o que

vemos, somos o que pensamos, repetimos muitas das vezes

pensamentos inconscientes de um passado que as vezes teve a origem

numa infância. Quando não queremos nos conhecer e tentar enxergar

que podemos mudar tudo, ficaremos a mercê de nossos sentimentos

confusos e da dependência das pessoas. A vida começará quando

percebermos que devemos ser em vez de ter, só basta querer se

conhecer melhor e sair da zona de conforto que nós mesmas nos

colocamos.

Morgan Scott Peck nos deixa essa reflexão: "A verdade é que os nossos

melhores momentos são mais prováveis de ocorrer quando estamos

nos sentindo profundamente desconfortáveis, infelizes ou insatisfeitos.

Pois é somente em tais momentos que, levados por nosso desconforto,

estamos propensos a sair da nossa rotina e começar a procurar por

direções diferentes ou respostas mais verdadeiras."

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará - Disse o grande

Mestre Jesus.

96


Quem são os que amam

demais?

Vim de um lar desajustado onde brigas, xingamentos, espancamentos,

desrespeitos eram normais, por isso grande parte dos que amam

demais são frutos desses lares desajustados onde o carinho, amor,

atenção, respeito, geralmente não fazem parte de suas vidas. São

verdadeiros estranhos no ninho sem saber na realidade o que está

acontecendo. Crianças que vivem nesses lares são retraídas, tem medo

das pessoas, medo do escuro, tem pesadelos, olhar triste, tem baixo

autoestima, não entendem porque sofrem, se sentem sozinhos, choram

com frequência e quando os pais falam ela sai correndo para agradá-los.

Esse é o perfil de uma criança que vive num lar desajustado, tracei o

perfil de como eu era quando criança. Na infância os que amam demais

não recebem atenção e o lado do amor que seus pais apresentam para

aquela criança é de dor. Cuidado com os lares que apresentam a seus

filhos, quem não tem maturidade para ter filho é melhor se tratar antes

de tê-los, colocar filhos no mundo é fácil, mantê-los saudáveis

emocionalmente e mentalmente é obrigação de quem sonha ter filhos.

97


Geralmente são atenciosos demais especialmente se a pessoa chegar

chorando e falando as mazelas de sua vida, os que amam demais

sentem necessidade em ajudar até a última gota de sangue e quando

não tiver mais sangue ele dá o jeito mas ele faz, a necessidade de

chamar a atenção é uma das características de quem amam demais, eles

aparentemente mostram que não, mas o que eles querem é serem

reconhecidos por sua dedicação e com isso serem amados, muitos se

aproveitam de pessoas nessa condição, eu tive uma amizade que me

pedia tudo, cheguei ao ponto de lavar suas roupas, fazer bolo, cuidar de

sua filha enquanto ela passeava na rua, as pessoas exploram e por um

abraço ela se sente alimentada. Não sabem dizer não, elas até tentam

mas algo dentro delas condena o não e automaticamente são levadas a

falar sim.

Geralmente amam os que as maltrata, as xingam, que usam de violência

física, que as humilham, que não dão atenção e ainda se sentem

culpadas por ter gerado aquele sentimento na pessoa. Ficam se

perguntando o tempo todo: O que eu fiz de errado? E dizem pra si

mesmas: Eu não faço nada certo, eu sempre tenho que fazer algo para

me atrapalhar. Fiz muito isso comigo, as pessoas se aproveitam para nos

causar mais sofrimento e depois jogam na nossa cara que gostamos de

sofrer, não temos consciência total de que só amamos sentindo dor por

amar errado. Não nos sentimos atraídas por pessoas gentis, queremos o

canalha que nos maltrata o bonzinho passa a imagem de uma pessoa

chata e sem graça.

Quem ama demais se vê triste sem ter porquê a tristeza aflora do nada e

dói profundamente no ser e ela associa essa dor por estar sem um

parceiro e começa a caçada ao próximo que machucará novamente seu

coração. Tentará se relacionar para encobrir sua tristeza e só irá mais

uma vez fracassar.

Quem ama demais quando enxerga aquela pessoa inacessível tenta

seduzir de todas as maneiras e ainda fala: Um dia será meu, porque

aquela pessoa lembra algo de sua infância, o pai que a maltratava ou a

mãe que não dava atenção, passa a ser questão de honra conquistar

essa pessoa. Geralmente se envolve com homens casados pois eles

nunca podem estar disponíveis, mas na verdade ela está atrás da dor

que aquela pessoa vai lhe causar, a dor é a droga do bem-estar dos que

98


amam demais, só temos consciência disso quando estamos no processo

de cura e já não aceitamos mais ser dessa forma e viver assim.

Quem ama demais faz tudo para o relacionamento dar certo, se humilha,

chora, da presentes, dinheiro, posição social, implora, tenta suicídio,

aceita as amantes que o marido pode vir a ter, quem ama demais vai as

últimas consequências para mendigar um amor que não existe, que

somente ela idealizou em sua mente. Não quer ficar sozinha, antes mal

acompanhada do que só, ela suporta todas as dores menos ficar só

consigo mesma.

Quem ama demais é uma instituição beneficente 24 horas por dia, não

importa a hora ela está disponível a qualquer momento, se sacrifica para

ajudar aquela pessoa que ela ama errado, eu cheguei ao ponto de

vender minhas roupas e sapatos para ajudar Fernando com suas dívidas

fiz um bazar e vendi todas elas. Tudo jogado fora por causa da

dependência.

Quem ama demais tem dificuldades em perder quem está ao seu lado,

nos calamos em várias situações, fazemos vista grossa para que a

pessoa não fique magoada, temos uma paciência para aguentar

situações desconfortáveis como as bebedeiras, o uso de drogas,

cobranças por dívidas, ela aguenta tudo pacientemente para não

desagradar e nem ficar só. Quem ama demais é uma andorinha

tentando fazer verão sozinha o máximo que conseguirá é ficar congelada

pois amor é construído por duas pessoas.

Quem ama demais acha que mudará o parceiro, pegará toda uma

biblioteca de livros de autoajuda para ler e assim tentar fazer um

milagre, subirá o Monte Everest para fincar uma bandeira para que seu

parceiro possa sentir seu amor e mudar, mas ele não mudará, não

depende de nós e sim de quem está ao nosso lado, as vontades e

desejos nascem com as pessoas e nós não conseguiremos fazer com o

outro o que não conseguimos praticar em nossas vidas.

Que ama demais sonha desesperadamente no relacionamento perfeito,

aquele príncipe encantado sem graça que nos contavam quando éramos

crianças e que ele viria nos buscar e nos amar eternamente, só

esqueceram da parte que o príncipe vira sapo constantemente e que ele

não passa de um conto de fadas que jamais existirá. Ela sonha tanto que

se vê presa numa falsa realidade que ela nem sabe como sair sozinha.

99


Eu vivia fugindo do caos que era meus relacionamentos amorosos até

que um dia a ficha caí e você se vê diante de uma decisão: ou sai ou

acaba com sua existência.

Quem ama demais tem um olhar triste, os olhos são espelhos da alma

que se abandonou e sofrem muito espiritualmente porque perderam a

fé em Deus, em si e na vida. Eu passei por esse processo as pessoas

olhavam pra mim e por mais que eu sorrisse elas enxergavam a tristeza

na minha forma de olhar, não acreditava mais em mim, achava que a

vida era assim e empurra com a barriga, cheguei ao ponto de achar que

Deus havia esquecido minha existência e era somente a tristeza de ser

como eu era que me mostrava esse cenário, minha decadência espiritual

estava descrita em meus olhos.

Quem ama demais atrai pessoas com vícios, violentas, pessoas

desonestas, pessoas cruéis e acreditam que poderão mudá-las através

de sua forma de amar errada e esquecem que para as pessoas

mudarem precisam do querer, são apenas lembranças que tem de um

passado e no qual ela está tendo a oportunidade de reviver nem que

seja se mutilando interiormente.

Quem ama demais são dramáticos adoram um palco para fazer suas

encenações de Romeu e Julieta, fazendo chantagens emocionais com

direito a oscar. Quem ama demais pode chegar as últimas

consequências, se cortar, se arranhar, se morder e até tentar o suicídio

como forma de mostrar o quanto aquele amor dói e o quanto ela quer

chamar a atenção colocando sua saúde física e mental em jogo.

Quem ama demais passa por um processo de autodestruição sem

perceber e quando chega ao limite máximo do sofrimento precisa de

ajuda dos que estão ao seu lado e de ajuda psicológica. Julgar os

sentimentos de que ama demais é como condená-los ao sofrimento

eterno, como estivesse dizendo: Você é um fracassado.

Se você é uma pessoa que ama demais procure ajuda, se você é amigo

ou parente de uma pessoa que ama demais, saiba que ela precisa de

ajuda e não de seus julgamentos, tome cuidado porque o mundo dá

muitas voltas e não sabemos o que nos espera amanhã.

Quem ama demais não é louco seu sofrimento é real, essa pessoa

precisa retomar sua vida através de tratamentos que irão ajudá-la a

100


enxergar que não precisa de sofrer para conquistar o amor de alguém.

São pessoas tristes, almas adoecidas que carregam dores que preferem

esquecer e quem nem por isso as faz ser menos que alguém, são

pessoas com um potencial enorme para serem felizes, mas que ainda no

momento não conseguem enxergar e que na maioria das vezes são

usadas e abusadas de forma inconsequente por pessoas que são tão

doentes quanto elas. Quem ama demais não é isento de inteligência

pelo contrário são pessoas muito capazes e quando tratadas conseguem

alcançar sua felicidade.

Como Carl Gustav Jung sabiamente falou: "Conheça todas as teorias,

domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas

outra alma humana"

101


Nem tudo que queremos é

bom. Pra que se maltratar

tanto?

Quando aceitamos que é preciso mudar para ser livre desse silêncio que

povoa nossas almas já não nos incomodamos mais com tantas pessoas,

percebemos que não precisamos ser aquela mulher perfeitinha,

enxergaremos que não é preciso sermos aceitas por alguém, somente

por nós mesmas, que já está ultrapassado ficar agradando marmanjo

pra ser feliz, que em muitas ocasiões não estaremos certas e muitas

vezes teremos algumas razões, que não é preciso correr para ser feliz e

nem tampouco ficar desesperada para ser amada se não for por nós

mesmas.

Fazer novas escolhas sempre teremos que fazer, a vida é assim,

percorrer novos caminhos e despertar bem lá no fundo aquela que ri,

que brinca, que nem esta aí para o que ele acha ou deixa de achar. O

abrir de olhos me fez ser menos exigente comigo mesma, passei a me

entender melhor e era disso que eu precisava de um encontro com meu

102


verdadeiro EU.

Passamos tanto tempo agradando pessoas, vivendo suas vidas que

ficamos pesadas de tanta carga, pra que fazer isso? Queira ser livre,

queira sorrir, queira amar, mas que seja um amor suave.

Nem tudo que queremos é bom. Pra que se maltratar tanto? Ah não

quer?! Vá embora e me deixe livre para seguir meu caminho, vá embora

e não leve nada de mim porque eu me pertenço. Se doer dentro de você

fale mas com classe, sem gritos, sem choros, sem dramas, se te

incomodou converse, não deu pra ajeitar: Adeus e segue seu caminho,

vá ser feliz em outros lugares com outras pessoas, mas que fique

entendido que você quer ser feliz e não autoriza ninguém roubar você de

si mesma.

Vivemos tanto tempo nos amordaçando, nos punindo por pessoas que

mal sabem falar seus sentimentos, estão obesas de tanto esconderem o

que são, querem ficar assim? Então elas que se danem eu vou procurar

novos caminhos porque essa pessoa não merece o que tenho de bom

pra dar.

Quantas pessoas nos enchem com seus problemas e com suas

amarguras, nos poupe não somos consultório médico e nem tampouco

Madre Teresa de Calcutá, eu já carrego muitas dores e não posso

carregar as suas, então a porta da rua é serventia da casa. Essa é a nova

mulher que precisamos ser, chega dos padrões que nos mostraram e

incentivaram. Muitos continuam incentivando as mulheres a serem

aquelas que dizem somente amém para seus homens, que

pacientemente aguenta tudo, toma seu rumo sujeito porque a mulher

que amava demais esta esgotada de você e de sua imaturidade.

Não devemos autorizar tanta falta de respeito com nós mesmas.

Saiba que tudo na vida passa, as dores vão embora o tempo sempre se

encarrega de fazer essa obra magnífica, as mentiras, as falsidades, os

homens malucos que cruzaram nossos caminhos e muitas outras dores

que está no cantinho de nossa alma vai passar, pode ter certeza e não

custa dá uma forcinha para que ela passe mais rápido. Como? Vivendo

como se hoje fosse seu último dia aqui na Terra, se amando, se achando

linda, se querendo, se desejando, olhando pra dentro de você.

Ah!! Como o tempo é nosso melhor amigo ele leva tantas coisas ruins e

103


nos traz tantas boas, leva pessoas vazias, leva nossas tristezas,

amarguras, revoltas, leva o canalha que não nos merece e traz pessoas

com o interior cheio de luz, felizes, de bem com a vida, traz a paz e a

consciência que sou muito pra não querer me amar. Ah! Como o tempo

merece nossa confiança.

Somos uma multidão de sentimentos e devaneios, mas somos pessoas

que merecemos sorrir com a alma leve, então vamos abrir os armários,

limpar as gavetas, abrir as portas e janelas e deixar a luz entrar e que a

sombra se vá para que assim possamos ser melhores.

Pra dizer a verdade a mulher boazinha sempre é vista como boba, seja

nem muito boa e nem muito ruim, seja equilibrada pra mandar o

espertinho que ficou sabendo que você amava demais seguir o caminho

dele. Ah! Como subestimam nossa inteligência, não somos burras, de

vez em quando eu esquecia de mim, mas seu trouxa isso é passado. Não

gostou lindinho? Engula, não posso fazer nada. Leia aqui: Sem tempo

para idiotas, sejam bem-vindos homens dignos! Fora da área de

cobertura para quem não me dá valor.

Ah! Como tempo nos dá coragem, nos da asas para sermos livres e

então sonhar realidades com os pés no chão, nada de sonhar pessoas

perfeitas elas não existem. Vão te olhar esquisito por ter outro jeito de

levar a vida mais feliz? Vão sim, pois muitos preferem que fiquemos

como sempre fomos porque já não se suportam mais suas asas, já nem

voam de tanta ferrugem por não usarem. Deixe essas pessoas de lado,

bata suas asas e seja feliz com equilibro e se amando sem limites.

Muitas pessoas irão te odiar, mas muitas amarão seu novo jeito e você

exalará um perfume que encantará muitas pessoas por onde passar e

repelirá aqueles que nada tem pra oferecer.

Ah! Como é bom se amar! Caminhar livre e saber a hora de descansar.

Que possamos fazer sempre um pedido ao Universo: Nos livre de

sermos enganadas por nós, por nosso semelhante e nunca nos deixe

esquecer o quanto precisamos de nós mesmas. Só quero ser livre como

um pássaro e nunca deixar as oportunidades de ser feliz passarem. Ter

fé e seguir em frente tendo consciência que o medo foge dos que lutam

por uma causa, então vou a luta por mim, porque se eu ficar esperando

por alguém nunca vencerei pois somente eu posso fazer minha vida

104


andar.

Como o sábio Dalai Lama disse: Se tiveres a impressão de que és

pequeno demais para poder mudar alguma coisa neste mundo, tenta

dormir com um mosquito e verás qual dos dois impede o outro de

dormir.

Que seja assim e assim será...

105


O Renascimento da Fênix

Chega de chorar, reclamar e falar que você não nasceu pra ser feliz, esse

é aquele lado que vai te detonar e te autossabotar, se é negativo é óbvio

que não será bom ficar cultivando-o, então olhe pra si mesma diante do

espelho e diga: Sou linda, o universo conspira a meu favor, mereço ser

feliz, mereço ser amada, respeitada, admirada, desejada por mim e pelas

pessoas que me rodeiam, Deus me ama e confia em mim e com ele tudo

posso, comece seu dia desta maneira e verás o quanto as palavras que

pronunciamos durante nossas vidas têm poder.

Na vida só oferecemos aquilo que temos para dar, se você não se ama é

fato que não amará ninguém, quando nos amamos e nos respeitamos

criamos um sistema de defesa para nosso cérebro, todas vez que

acontecer algo que te coloque para baixo seu cérebro é o primeiro a lhe

mandar um sinal de repulsa a quem esta lhe direcionando. Então é fato

que é preciso desenvolver sua autoestima como forma de defesa contra

os vampiros de energia que vivem de plantão. Vampiros de energia? Sim,

eu os chamo assim pois essas pessoas que vivem falando que não

podemos, que não temos vergonha na cara, pessoas que vivem

106


eclamando, falando desgraça, pessoas fofoqueiras, pessoas que

querem opinar na sua vida sem você pedir, aquele indivíduo que um dia

ousamos chamar de amor, estão categorizadas como vampiros, pessoas

assim não ajudam, se não querem ajudar nos dê o privilégio do seu

silêncio, a opinião dessas pessoas não importa o que me acrescenta é o

que necessito e ponto final.

Quando estava em meu processo de cura tinha um certo receio em ter

recaída, para mim seria como eu estivesse dando uma arma na mão do

cretino para me dá um tiro, mas meu instinto de defesa me alertava e

dizia: STOP e rapidamente eu voltava ao normal. Fiquem alertas, se

resguardem de tudo que te faça mal e lembre-se que tudo na vida

depende da importância que damos, então peça licença e saia de perto,

mas existem aquelas pessoas que precisam insistir para nos colocar na

lama, eu desenvolvi uma técnica e a levo comigo até hoje, é engraçada

mas dá certo eu faço assim, aperto o nariz e digo: Temporariamente

desligada de pessoas sem noção, você vai rir, é bom ter uma dose de

humor, ajuda muito na recuperação faz bem a alma e evita rugas.

Digo para mim todos os dias: Quem não tem capacidade para me amar

não serve pra mim, se eu me amar da forma que mereço ninguém terá

ousadia de querer me amar menos, que não devo ficar perto de pessoas

negativas e nem achar que devo engoli-las porque ela é amiga da coruja

do meu tataravô, que preciso me valorizar e que não dói fazer por mim

de forma ilimitada, que é complicado ficar vivendo de migalhas, que não

sou metade de laranja de ninguém e que odeio laranjas o máximo que

poderia fazer com elas é jogar na ideia do sujeitinho que se aproveitou

de minha boa vontade, que não devo dar oportunidades para quem eu

não pedi conselhos e que se insistirem vou deixá-las falando sozinhas,

que toda vez que eu pensar em mandar uma mensagem de bom dia

para o falecido eu farei o velório de meus esforços e com direito a uma

plaquinha: " Aqui Jaz fez merda".

Que não devo ficar me rotulando como a fracassada e nem deixar que

as pessoas façam isso comigo, que não devo ficar esperando um

milagre, que eu seja cocriadora desse milagre através de meus esforços,

que devo ser eu mesma numa edição atualizada, que ficar sozinha não é

sinônimo de solidão e que antes sozinha do que mal acompanhada por

pessoas sem noção, que cristal quebrado quando tenta se colar não é

107


mais o mesmo, que não sou terapeuta de ninguém e se a pessoa quer

fazer análise que vá procurar um especialista, que tudo que é bom eu

quero, mas se for ruim que volte de onde veio, que não devo me iludir

só porque as pessoas me acharam legal, bonita e agradável, ela pode

estar só fazendo um elogio isso não quer dizer que devo ficar viajando

na maionese achando que a pessoa está interessada em mim.

Que vai ter certos momentos que vou ficar triste, mas isso não significa

que minha recuperação esta dando errado, que tenho que ter paciência

comigo mesmo afinal eu aguentei a bosta da vida que eu tinha por nada,

o que custa me dá uma chance, que existem homens que só vão querer

sexo e que tenho liberdade de dizer sim ou não, mas que eu tenha

consciência que é apenas uma transa uma troca de prazer, mais nada

além disso ficarei esperando, que trocar olhares com um homem não

significa que é meu príncipe encantando, que se meu coração palpitar é

porque meus hormônios estão berrando, que meu corpo quer ser

tocado e que isso é normal e que não devo confundir com paixão, que

tenho tesão e gosto de sexo e se eu não quero me envolver no momento

porque eu estou frágil posso fazer um favor a mim, me masturbando e

chegar a conclusão que se eu mesma posso me dar prazer quer dizer

que homem não é necessidade é opção eu quero ou não, até porque

existem vários vibradores no mercado de todos os tamanhos, cores e

espessuras que eles não vão ficar me dando desculpas tipo: To cansado,

hoje trabalhei demais.

Que na vida eu tenho direitos, que estar sozinha não significa que me

sinto só, que preciso de fazer novas amizades, respirar novos ares, ter

metas e concluí-las, que sou uma graça de pessoa inclusive se eu

aprender a me olhar com respeito, que quando um não quer dois não

brigam, que não preciso me afundar na lama porque um dia eu amei

demais, que preciso cuidar de mim para que eu não caia em novas

armadilhas, que rede social é legal e que não devo ficar me expondo

para qualquer um, que seu eu me tratar como mercadoria ninguém me

dará o valor que mereço, que pra tudo na vida existe solução, que dor

não mata, mas que me fará ser realista e forte, que amigos são aqueles

que mesmo errando estarão sempre ao meu lado, mas que não devo

abusar deles afinal são pessoas como eu, que família muitas vezes irá se

comportar com compaixão e outras vezes irão me menosprezar.

108


Não nasci colada com ninguém então não custa deixar cair minha ficha

que não preciso daquela pessoa pra viver, que drama se fosse bom não

me faria chorar, que chantagem emocional não devo aceitar e nem devo

fazer, que tenho necessidades como qualquer pessoa e que devo ser

madura o bastante para entendê-las, que existe camisinha e se eu não

quero engravidar e ter responsabilidades maiores com uma outra vida

não custa usa-las e lembrar que estarei evitando pegar uma DST, que

meus filhos não merecem passar por humilhações por causa de minhas

escolhas erradas e que tenho que ter consciência que um dia eles irão

me cobrar ou que posso torná-los dependentes por falta de atenção e

amor, que eu não posso ficar me punindo eternamente por ter amado

errado, que não tenho poder para mudar as pessoas e somente elas

poderão ter essa atitude, mas que posso mudar minha forma de pensar

e agir, que devo ser cautelosa com meus sentimentos, que é mentira que

o amor é cego e que se fosse eu não sofreria, que a vida não é um jogo

com cartas marcadas e muito menos novela das oito, que devo ser

humildade o bastante para me perdoar e ser perdoada por mim e pelos

que me cercam, que pensar em si mesma em primeiro lugar não é

egoísmo é amor próprio.

Que tenho direito sim a felicidade, ao amor, ao respeito, a lealdade, o

carinho, os elogios, a admiração, a sorrir, a ser diferente, ao perdão, a

fazer novas escolhas e se eu chegar no final e esquecer de tudo, que

devo voltar quantas vezes for preciso, pensar e repensar até me

convencer que sou apenas uma: Alma Aprendiz e que estou nesse

mundo não é a passeio, estou para fazer a diferença.

Escrevia sempre essa mensagem pra mim e quero que guarde em suas

mentes como forma de carinho: "Eu sou como o sol que morre todos os

dias para renascer no dia seguinte, sou o eterno símbolo da morte e do

renascimento da natureza de todos que querem renascer das cinzas,

minhas lágrimas têm o poder de curar qualquer tipo de doença ou

ferida, serei eternamente o símbolo da força, da liberdade, da

inteligência, da reconstrução, do poder. Sou a Fênix aquela que sempre

renascerá das cinzas e voará além da imensidão dos céus".

Sabiamente Cecília Meireles disse: "Aprendi com as primaveras a deixarme

cortar e a voltar sempre inteira".

Renasça agora e seja feliz...

109


Homens que Amam Demais

Hipocrisia seria dizer que os homens não choram, não sofrem e nem

amam. Amam muitas vezes demais e trocariam tudo pela mulher que

encontrou. Tive vários amigos que choravam, que bebiam até cair para

fugirem de suas dores emocionais por terem sido usados e abusados

em seus sentimentos, tola seria se somente aqui eu escrevesse sobre

mulheres que amam demais e não falasse sobre os homens que amam

demais.

O mal do ser humano muitas vezes é só pensar em si e não enxergar

que o mal que provocamos nos será devolvido, mas com uma

intensidade muito maior. Nós mulheres sofremos, amamos além de

nossos limites e eles também sofrem desse mal, estamos acostumadas

a falar sobre o que nos provoca dor, revolta, humilhação e eles são

muitas vezes rotulados de insensíveis e egoístas e que nem estão aí para

suas mulheres, mas é uma grande hipocrisia dizer que esse universo dos

que amam demais pertence só ao sexo feminino.

Homens que amam demais sofrem muito por amar assim e quando sua

parceira fica realizada de colocá-lo no chão, para fechar com chave de

110


ouro ela acaba com o relacionamento. Nós mulheres choramos na

frente de qualquer estranho, eles não, fomos criadas para demonstrar

nossos sentimentos, eles não, criadas para procriar e eles para garantir o

sustento da família. Cada lado carrega o peso de suas

responsabilidades, mas nem sempre isso é respeitado pelos parceiros

que se unem, fomos criadas para brincar de boneca, usar lacinhos corde-rosa,

sonhar com o sem graça do príncipe encantado. Os homens

foram criados para brincar de carrinho, bolinha de gude, soltar pipa,

brincadeiras de luta... A sociedade hipócrita que vivemos ditam as

normas e nós andamos conforme ela dita e assim esquecemos que a

vida é muito mais que normas, diretrizes, a vida é real.

Queria ver a sociedade viver como muitos de nós vive, não aguentariam

um mês no lugar de muitos que sofrem, choram e se desesperam,

maldita sociedade hipócrita fala-se muito de amor, cadê o respeito as

pessoas? Fala-se muito e nada se faz, quantas pessoas estão se

acabando mentalmente e são poucos os lugares que tem grupos como o

MADA e HADA. Maldita sociedade que esfrega em nossas caras que

temos que ser de um jeito e nem nos dá a chance de sermos melhores,

somos nós que temos que tirar leite de pedra e tentarmos sermos felizes

com o que restou de nossos sentimentos. Com isso a sociedade

aumenta o número de remédios para os futuros depressivos, os futuros

bonecos de uma sociedade mal formada e cruel. Essa sociedade é que

nos mostra que mulher para ser aceita tem quer ser boazinha e que para

o homem ser aceito ele tem quer insensível. Sociedade idiota o mundo

evoluiu e você ficou pra trás, não somos loucos de seguir suas regras

elas não servem pra nós. Já não somos cegos, crescemos e isso a

sociedade esquece porque todos os dias nascem novas vítimas de suas

imposições de merda.

Homens que amam demais são como as mulheres que amam demais,

choram, ficam depressivos, se entregam ao álcool, drogas, se humilham,

perdem sua identidade assim como nós, são bonecos nas mãos de

muitas mulheres que se julgam espertinhas. Quantos homens

dilacerados em seus sentimentos porque a mulher os traiu, mas eles

amam demais e fazem de conta que não sabem porque eles não querem

ficar sem a parceira, não querem viver sem ela assim como as mulheres

que amam demais se tornam fáceis de serem manipuladas por pessoas

sem escrúpulos do mesmo jeito acontece com eles.

111


São traídos, manipulados, usados, humilhados e depois descartados

como lixo, como algumas mulheres podem ser cruéis não é mesmo?

Todas nós sabemos que sim, que temos a capacidade de fazê-los se

sentirem a pior das criaturas. O pior disso tudo é que está sendo criado

um ciclo vicioso de pessoas que se destroem, acabam com o psicológico

dessas pessoas e ainda ficam rindo se achando as "PODEROSAS."

Homens que amam demais fazem tudo para agradar, dão presentes

muitas vezes caros porque a lindona exigiu, compram carros, dão

dinheiro, dão luxo, trabalham pra sustentar aquela que ele ama demais,

se afunda em dívidas enquanto a que se julga a última ou a primeira

bolacha do pacote está no motel com o amante usando a calcinha, a

camisola, os perfumes, o batom que o homem que a ama demais

comprou. Nossa como ela é esperta! Merece o Oscar de a imbecil do

ano, assim como eu sofri por amar demais sei o quanto isso acaba com

o que temos de bom por dentro de nós, mata a nossa confiança no ser

humano, mata nossos sonhos. Quem vai nos reconstruir? Ninguém,

somente nós faremos o que ninguém fará por nós.

Muitas engravidam para usar os filhos e continuarem manipulando

esses homens após a separação, eu penso que criança será essa sendo

criada por um tipo de ser humano desses. É lamentável ver como estão

os valores das pessoas, é verdade que ninguém tem culpa dos lares

desajustados que a maioria dos que amam demais foram criados, mas

fica uma pergunta: Custa sair da relação? Custa respeitar? Custa não dar

esperanças? Infelizmente essas pessoas que manipulam as outras não

tem caráter e nem tampouco pensam nos sentimentos daquela pessoa,

elas só querem sair ganhando a todo custo não importa quem seja, não

importa o drama que aquela pessoa tenha vivido em sua vida a lei dela

se chama: Tirar vantagem.

A grande maioria de minhas amizades são com homens e posso dizer

que vi muitos deles chorarem como bebês por uma mulher desse tipo,

eu mesma em uma época de revolta queria ser como essas pragas mas

não consegui, o máximo que fiz foi beijar até dizer chega não consegui ir

além, por eu na época amar demais foi estranho ser tão fria e distante

dos sentimentos dos outros. Tenho dois amigos que suas histórias

foram tristes e vou contar a que me marcou profundamente.

Andréia era uma amiga de baladas que eu tinha e Sérgio era um amigo

112


de confidências, um dia se conheceram numa festa e foi surpresa pra

mim quando vi que dois amigos meus estavam namorando sem nunca

tê-los apresentado. Sérgio até brincava comigo dizendo: Flora onde você

escondeu essa princesa? Sérgio era noivo e estava para casar, ele falava

que somente era pra ficar e Andréia parecia estar apaixonada por ele, foi

rolando o namoro de repente começou alguns desentendimentos e

Sérgio começou a acusá-la de ficar dando mole para outros caras, ela

dizia pra ele: Sua noiva não sou eu, então se sou curtição você também

é, ela não estava errada. Passados cinco meses Sérgio estava envolvido

com Andréia, chegou perto de mim e disse: Flora eu to obcecado pela

Andréia e meu casamento é mês que vem o que faço? Eu respondi:

Sérgio tudo começou errado, você tem compromisso com uma pessoa e

se envolveu com outra, não foi correto de sua parte agir assim, você tem

duas alternativas termina o noivado ou termina com Andréia. Ele ficou

desolado olhando pra mim e disse: Não consigo ficar sem Andréia ela é

um tesão na cama e temos uma química que nunca tive com mulher

nenhuma não posso perdê-la, mas também não posso deixar minha

noiva na pista pois minha mãe me mataria. Eu respondi: Não tem como

ficar com as duas, uma delas sofrerá e isso não é certo homem, ele

disse: Vou deixar rolar depois vejo o que faço. Deixou rolar demais,

Sérgio se casou e no dia de sua noite de núpcias deixou a esposa para

ficar com Andréia e ele foi ficando cada vez mais obcecado por ela.

Um dia Andréia veio me visitar e disse assim: Sérgio brincou comigo

casou com a outra e me fez de amante, agora ele vai me pagar, eu

respondi: Você aceitou essa condição porque quis Andréia, dá o fora e

deixa ele pra lá isso vai acabar mal, ela disse: Que se dane, vou me

vingar por ele ter feito isso comigo, e Andréia começou a ficar com os

que se diziam amigos de Sérgio e isso foi parar nos ouvidos dele, ele

entrou em desespero, chorava muito, começou a usar drogas, ficou igual

a um mendigo. Fiquei uns 4 meses sem vê-lo, um dia fui ao posto de

saúde e vi um cara todo sujo parecido com ele sentado e fiquei

observando, quando o cara levantou a cabeça eu levei um susto era o

Sérgio, eu disse: Sérgio o que aconteceu com você? Ele respondeu:

Minha vida acabou Flora, maldita hora que conheci Andréia, ela me

humilhou indo pra cama com todos os meus amigos, eu disse: Sérgio

esqueça ela, volta pra sua mulher e vai viver sua vida, ele me olhou e

respondeu: Obrigado Flora, mas esse sofrimento vai acabar eu vou ficar

113


livre dele, saiba que gosto muito de você e saiu. Dois dias se passaram e

chegou a notícia que ele havia se suicidado, eu fiquei em choque.

As pessoas muitas vezes brincam com os sentimentos dos outros, isso é

um ciclo vicioso, Sérgio brincou com os sentimentos da noiva e de

Andréia, ela foi e se vingou e Sérgio não aguentou. Maturidade é preciso,

enquanto houver pessoas que aceitam ser "a outra", esposas que

aceitam seus maridos com amantes, homens que aceitam ser usados

por mulheres pistoleiras, ficará esse ciclo de destruição psicológica e

posso dizer com experiência que tenho de vida que as mulheres

conseguem se recuperar muitos mais rápido que os homens,

geralmente não temos vergonha de falar o que sentimos e eles ficam a

mercê de suas dores e não falam.

Os homens que amam demais são iguais as mulheres que amam

demais, fecham seus ouvidos e olhos a tudo que possa mostrar que seu

relacionamento está em decadência, se ela mente ele acredita, se ela faz

algo errado ele se culpa por isso, eles fazem todas as vontades da

mulher, tem ciúmes da sombra dela, brigam quando seus amigos e

familiares avisam que ele está sendo feito de bobo, ele não quer ficar

sem ela, é totalmente dependente daquela pessoa.

Geralmente são homens que foram agredidos verbalmente por suas

mães ou mesmo sofreram violências quando crianças. Pode acontecer

casos que esse homem ache uma companheira legal e comece uma

perseguição implacável a ela, tipo ficar vigiando, ciúmes descontrolado,

prendê-la dentro de casa, cada tipo de homem escolhe um tipo de

mulher, uns sofrem e fingem não enxergar e outros sofrem tanto que

querem fazer suas companheiras sofrerem a dor que eles sentem em

seu íntimo.

Como falei é um ciclo vicioso onde hoje eu maltrato e amanhã você me

maltrata. Onde vamos chegar com essas ações? O máximo que pode

acontecer é esse homem se entregar para o álcool, drogas e se suicidar

ou até mesmo matar sua companheira.

Século XXI e as pessoas ainda não aprenderam a fórmula do Amor, não

aprenderam a se respeitar e a exigirem respeito, não aprenderam que

precisam cuidar de sua saúde mental, emocional e com isso cada vez

mais cresce o número de pessoas nos consultórios psiquiátricos, em

terapias, em grupos de ajuda, nos hospitais, nos cemitérios. O Pior desse

114


ciclo vicioso é que desses relacionamentos geram-se vidas que serão

exatamente como seus pais e mães, essas vidas serão da mesma forma

jogadas a própria sorte e quem sabe um dia serão pessoas que terão

chance de se curar ou quem sabe serão a continuação daqueles que um

dia falaram Eu te Amo, pensando que essa era a forma correta de amar.

O Amor não é isso que mostram por aí, essa coisa louca que consome

nossas almas. Amor é tudo que corresponde a tranquilidade, paz,

respeito, cumplicidade, segurança e se estamos num relacionamento em

que não temos nada disso é hora de pelo menos ter a dignidade de

sentar, conversar, tentar resgatar o que foi perdido, senão é melhor dizer

Adeus.

Sabiamente Emanuel deixou essa mensagem através do saudoso Chico

Chavier: " Considera as próprias atitudes e, através de criterioso

autoexame, indaga por teu próprio comportamento na área afetiva em

que te comprometeste, na garantia da paz e da segurança emotiva da

companheira ou do companheiro que elegeste para a jornada humana. E

talvez descubras que a causa das perturbações existentes reside em ti

mesmo".

115


O que mais nos faz sofrer é a

obsessão dos pensamentos

O universo dos que amam demais é sacrificante, mas com certeza para

quem convive com eles é ainda pior. Temos que ser sinceros em dizer

que as vezes quem ama demais encontra parceiros legais que são

honestos em seus sentimentos, são fiéis e são amáveis, mas o universo

dos que amam demais foge a qualquer equilíbrio, o que mais nos faz

sofrer é a obsessão dos pensamentos, basta a pessoa ter uma atitude

diferente e lá esta a pessoa pensando que o parceiro ou parceira está o

traindo.

A insegurança que foi passada para essa pessoa em algum momento de

sua vida a faz levar para seus relacionamentos, insegurança que gera

medo, medo gera uma sensação de sufocamento, duas atitudes essa

pessoa terá: Ela fica estática ou agride, na maioria das vezes a segunda

opção é a que mais acontece. Quem ama demais quando se sente

encurralado pelo medo quer colocar pra fora tudo que está sentindo,

mas não consegue pelas palavras e é quando acontece a maioria das

agressões. Falo por experiência própria essa sensação, sentimos que

116


estamos sozinhos e vemos nosso parceiro como alguém que esta a nos

provocar quele sentimento e numa ânsia incontrolável, o pânico é tanto

que agredimos aquela pessoa, não é porque ela merece, mas porque

nossa alma esta gritando que ela está sofrendo e não sabe o que fazer. É

complicado? Sim e muito. Complicado para quem sente e para quem

convive com esse parceiro.

Me recordo muitas vezes de atitudes que tive no momento que sentia

medo, minha reação era de agressividade, mas eu só refletia o que na

minha infância eu vivi que foi medo, muito medo e agressão física, na

mente dos que amam demais existe um mundo paralelo entre a

consciência do presente e a consciência do passado, nós vivemos esses

dois mundos, porque tudo que vivemos no hoje desperta aquela pessoa

do passado.

Pode parecer tudo muito louco, mas não é. Toda pessoa que passou

algum trauma tem por obrigação fazer terapia, ela tem que procurar se

autoconhecer tem que aprender a respeitar seus sentimentos, ela tem

que tentar ser melhor, esse é o melhor caminho a seguir. Imagine a vida

de pertubação que muitas vezes causamos na vida de pessoas que estão

ao nosso lado? Ninguém merece viver com alguém por medo, por pena

isso é fato.

Eu fui muito agressiva, sei que dentro de mim ainda existe esse lado que

se eu não respeitá-lo ele virá a tona, quando sinto que algum

acontecimento vai despertar esse lado eu me afasto e me dou um

tempo, nessa hora estou respeitando aquele lado que pode me fazer

perder o controle, simplesmente estou dizendo para minha

agressividade: Calma estou aqui não vou te deixar só. Pode parecer meio

estranho, mas funciona. Esse é o respeito que dou aos sentimentos que

sinto e que não me fazem bem, eu não os condeno só mostro que os

respeito e que aceito que eles façam parte de mim e automaticamente

eles aceitam o que falo. Hoje eu enxergo que se tivesse agido assim não

teria sofrido nem a metade que sofri, mas tudo tem o seu tempo e chega

uma hora que temos que acordar.

Convivi com Fernando oito anos ele me controlava pelo telefone, me

fazia umas trinta ligações por dia, perguntava onde estava, com quem

estava, o que conversava, eu automaticamente me sentia sufocada, o

medo se manifestava e acordava a agressividade. Fernando controlava e

117


eu agredia, um alimentava a neurose do outro, essa é a verdade e que

nem percebemos as vezes, mas existem aquelas pessoas que fazem de

propósito para ver o outro sofrer. Tem um versículo bíblico que eu

refletia constantemente: O que eu temo me sobrevém, e o que receio me

acontece. (Jó 3: 25). Realmente tudo que minha mente receava, acabava

acontecendo.

O mínimo que quem ama demais pode fazer por si é procurar ajuda,

uma das primeiras atitudes que tive foi olhar para minha vida espiritual,

não importa a religião o que importa é a Fé, somos todos iguais perante

Deus e isso nenhuma religião mudará.

O segundo passo foi fazer terapia, fiz meditação e faço até hoje, fiz novas

amizades, fiz questão de eliminar pessoas negativas de minha vida, lia

muito e leio até hoje, fiz muito artesanato e faço até hoje, quem ama

demais tem uma mente muito acelerada, então a melhor forma de

mantê-la saudável é criando algo e o artesanato me ajuda muito nessa

parte, fiz tratamentos holísticos que me ajudaram bastante e faço até

hoje, eles dão uma sensação de calma interior e traz muito bem-estar.

Com o tempo você enxergará que é gratificante quando conseguimos

nos reconstruir, mas que dá trabalho e ao mesmo tempo é

recompensador, por maior que seja a dor de nossas almas o que nos

fará seguir em frente é a esperança de dias melhores e essa por mais

que digamos não, ela é viva dentro de cada um de nós. Se dê uma

chance hoje, esqueça o amanhã ele ainda não nos pertence, viva um dia

de cada vez e verá que por mais lutas que enfrentamos vale a pena sorrir

e acreditar.

Acredite a dor passa, o sentimento de perda passa, o ódio, a

agressividade, a obsessão, o egoísmo, a tristeza, o medo, as

inseguranças, a vontade de morrer, as críticas, as falsidades, a falta de

amor-próprio, aos revoltas, os dramas...Tudo passa. Se hoje é um dia de

amargura, pare, reflita, pense em Deus e verás que também passará.

Só não pode passar seus segundos, minutos, horas, dias, anos e décadas

sem se amar.

Chico Xavier costumava ter em cima de sua cama uma placa com os

dizeres: ISSO TAMBÉM PASSA! Perguntaram a ele o motivo... Ele disse

que era para que quando estivesse passando por momentos ruins, para

118


se lembrar de que eles iriam embora, que passariam, e que ele estava

vivendo aquilo por algum motivo. Mas a placa também era para lembrálo

de que quando estivesse muito feliz, não deveria deixar tudo para trás

e se deixar levar, porque esses momentos de euforia também

passariam, e momentos difíceis viriam novamente.

Como disse sabiamente Augusto Cury: "Ser feliz é deixar de ser vítima

dos problemas e se tornar um autor da própria história. É saber falar de

si mesmo. É não ter medo dos próprios sentimentos".

Acorda que a vida está de braços abertos esperando por você, por mim,

por todos nós.

119


Começamos a questionar se

de fato merecemos o amor

A vida sempre nos reserva surpresas boas e ruins, mas não devemos

nos sabotar em hipótese nenhuma e sim superar, levantar a cabeça e

seguir adiante, desatar aquele nó na garganta que somente nós

sabemos o que realmente estamos sentindo em nosso íntimo.

Na época em que eu me encontrava dominada por esse sentimento

destrutivo que é a dependência afetiva, quando dizia que iria me separar

de Fernando ninguém acreditava que seria capaz, mas quando tomei a

decisão foi o maior prazer dizer: Doeu, sangrei minha alma, mas

consegui estou livre. Quando ficamos diante de uma encruzilhada de

nossas vidas é preciso tomar uma decisão para que alcancemos a glória

de viver com dignidade.

Começamos a questionar se de fato merecemos o amor, claro que

merecemos, seja qual for sua dependência afetiva ou financeira eu lhe

digo: Você não merece viver de migalhas, você merece o melhor.

Quisera eu ter o poder de colocar isso na mente de todas as mulheres e

120


homens que vivem o drama de amar demais, mas não tenho é um passo

que somente você pode dar.

Naquela época eu desejava muito sair da situação que encontrava, mas

como desejar é pouco eu ficava na relação decadente, porque? Porque

desejar está muito distante de decidir uma situação, eu só desejo, mas

ainda não é real eu não coloquei em prática.

Todos nós seres humanos temos perdas na vida, mas não é por isso que

devemos deixar de caminhar, de sonhar, de seguir novos caminhos. Eu

mesma tive várias perdas em minha vida, a pior pra mim foi a morte de

minha filha, mas Deus sabe de todas as coisas e sei que ela é feliz onde

está e tenho certeza que ela é ainda mais feliz me vendo hoje como

estou. Quando você sentir falta daquela pessoa que você é dependente

pense em seu filho ou filha, se você não tem amor o bastante ainda por

você pra decidir, olhe novamente para eles e pense se eles merecem

viver num mundo onde não habita o amor que da paz, tranquilidade,

esperança, fraternidade, nossos filhos são nossos espelhos de amanhã.

Com o tempo fui enxergando que muitas vezes pegamos carona com o

sofrimento e nos fazemos de vítimas, não que façamos de caso pensado

é porque vivemos tanto tempo uma novela mexicana que amolecemos

diante da vida. Precisamos com urgência conhecer o que temos de

melhor dentro de nós, para vencermos esses pensamentos e vibrações

que nos empurram para um despenhadeiro e que as vezes não tem

volta.

Precisamos de leitura com conteúdo, amor com conteúdo, sempre

seguir com consciência diante da vida e de nossas escolhas pois elas

escrevem nosso destino. Parar com essa inocência de contar a vida para

estranhos, viver com mais malícia não faz mal pra ninguém. Podemos ir

muito longe, podemos alcançar vitórias que nunca imaginamos, mas só

depende de vocês ter disposição pra ir a luta.

O tempo que vivemos sofrendo já é o bastante para abrir nossos olhos e

enxergar que não precisamos mais nos destruir cada segundo. Pra que

nos maltratar tanto? Porque sofrer tanto? Nem nós mesmas saberíamos

responder essa pergunta não é mesmo? Somente um saberia dizer o

porquê de sofrer tanto que é Jesus Cristo, ele sabia de sua missão. E

você sabe a sua?

121


Viva a vida, quantos perdem seus filhos nesse exato momento e é uma

dor que posso dizer incurável mas eles dão o sangue pra superar, olha

pro lado e veja quantos sofrem, dor, frio, fome, doenças incuráveis, a

dependência que aflige a alma dos que amam demais é uma gotinha no

oceano diante disso tudo não é mesmo?

Tantas mulheres são mortas por seus companheiros, nós ouviremos

eles dizerem: Matei por Amor! Ah Meu Deus! Amor? Nunca foi amor, era

apenas uma obsessão, uma doença. Quantos crianças são molestadas

por companheiros que muitas mulheres escolhem e ainda encobrem

seus parceiros e dizem que é Amor? Não é Amor é doença, é obsessão.

Quantos pais deixam de ver seus filhos porque se casaram com uma

mulher que não os suporta e ele aceita calado, sem esboçar um

sentimento para não desagradar a parceira e diz que é Amor. Não é

Amor é doença, é obsessão. Quantas mães abandonam seus lares pra

viver com novos companheiros e deixam seus filhos jogados a própria

sorte e dizem que é Amor? Não é Amor é doença, é obsessão.

Muitos falam de Amor e desconhecem esse sentimento, muitos pregam

o Amor e são incapazes de ter compaixão com aqueles que sofrem. E

assim esta vivendo a humanidade.

Pense nisso tudo e acharás força para viver, pense em cada criança que

hoje chora a perda de uma mãe, porque ela amou demais e não teve

forças para sair daquela relação. Quantos pais entregues aos vícios

porque ele amava demais uma mulher e ela não teve misericórdia, ele

não teve coragem de olhar aqueles olhinhos que ainda precisava de sua

mão para seguir em frente porque só pensou em sua dor.

No momento se não somos capazes de superar a dor por nossa história,

que possamos nos inspirar em alguma para termos força, te garanto que

achará muitas. Devemos ter cuidado pois a dor gera vários sentimentos

principalmente o de autopiedade e de egoismo.

Está na hora de sair dessa situação mais madura, mais humanizada,

nenhum sofrimento invade nossas almas porque ele resolveu se instalar

ali, tudo tem um porque, a vida todos os dias nos mostra sinais por isso

preste bem atenção no que acontece em sua vida. Lute, seja guerreira, vá

a luta eu acredito em você, a sua coragem esta ai dentro, ouça ela e siga

sua caminhada na certeza de dias melhores e com sua consciência

122


tranquila de ter feito o seu melhor.

Como sabiamente falou Friedrich Nietzsche: "O que não provoca minha

morte faz com que eu fique mais forte".

123


A maior dor que senti foi ser

deixada para depois, não por

ele, mas por mim mesma

Quantos anos vividos, revividos, simplesmente por viver?

Quantos anos passamos vivendo e revivendo os momentos que fizeram

nossos relacionamentos? Nós mulheres e alguns homens tentam ao

máximo resgatar algo que ficou perdido no meio do caminho, tentamos

resgatar aquela pessoa que éramos no começo, mas nos deparamos

com uma realidade, não somos mais aquela mocinha ou mocinho

quando começamos a relação, temos marcas que foram produzidas por

anos e anos de sentimentos escondidos, anos de erros que cometemos

em nome do Amor que sentimos.

Erros que cometemos em nossos relacionamentos que mesmo sabendo

que um faz mal ao outro ainda tentamos sustentar, choramos, sofremos,

mas não falamos, ficamos ali como uma criança que foi abandonada.

Quando queremos falar, aquele que dizia nos amar vira as costas e

simplesmente diz: Cansei de nosso relacionamento e quero viver minha

124


vida, o mundo cai, desaba sobre nós, vem o sentimento de vazio e

enxergamos que durante anos e anos vivemos uma mentira que foi

escondida no porão de nossos sentimentos. Somente nessas horas

enxergamos que tudo que foi feito na realidade não existiu.

Quantos casamentos perfeitos, noivados perfeitos, namoros perfeitos,

onde não havia brigas e desabam, mas como? Só conseguimos saber

quando as pessoas dizem que estão insatisfeitas, só sabemos quando

sentamos e indagamos se aquela pessoa esta feliz na relação. Se ela foi

capaz de esconder dentro de si mesma o cansaço de viver esse Amor, é

hora de cair em si e enxergar que dormimos com um estranho, que as

pessoas muitas vezes fingem seus sentimentos, que elas sempre tiveram

uma vida paralela. Ninguém abre mão de relacionamentos estáveis e

felizes porque simplesmente levantou insatisfeito com a vida ou com a

desculpa: Preciso de um tempo para mim, você merece uma pessoa

melhor. Me desculpa, mas meu amor não tem tempo para ser enganado.

Acorda! Fale a verdade, mas como falar se a pessoa passou tanto tempo

escondendo os sentimentos que dizia sentir. Como confiar? As peças

não se encaixam, ficam diante de um quebra- cabeça sem fim.

Quantas vezes dizemos Eu te Amo automaticamente, quantas vezes

choramos e reclamamos com nós mesmas sobre uma atitude que

nossos parceiros fizeram, mas não temos coragem de dizer a ele que

nos magoou, que dentro de nós existe uma ferida e que somente um

remédio poderoso pode curar e se chama dialogo.

Choramos muitas vezes escondido para que ele não perceba nossas

tristezas, inseguranças, medos. Esconder pra que e porque? Não foi a

pessoa que escolhi pra minha vida? Para dividir as alegrias e tristezas?

Foi, mas o medo de perder ou de desagradar tomou conta de mim, é

maior que tudo que imaginava, só não tinha consciência que era maior

que o Amor que sinto por mim. Imediatamente, fazemos de conta que

não pensamos isso e tudo que fica guardado demais um dia vem a tona.

Quantas conversas deixamos para depois. Amor preciso conversar com

você, ele responde: Depois nós conversamos, amanhã dizemos: Amor

quero conversar com você, ele responde: Depois conversaremos, e os

dias vão se passando, meses, anos, aprendemos a nos calar diante do

depois e esquecemos de nos colocar de frente para o depois. Calamos

nossa voz diante de um amor, mas não conseguimos calar essa voz

125


dentro de nós, que insiste em dizer: Está tudo errado não foi isso que

você desejou para sua vida.

Nos aniversários e festas fingimos felicidade, mas somente dentro de

nossos corações sabemos que só estamos disfarçando nossos

sentimentos, o coração não sorri mais, perdeu o encanto, perdeu a

forma, o sentido.

Quantas vezes deitamos ao lado de nossos parceiros e simplesmente

dormimos, nem um beijo de boa noite, nem um carinho, dois corpos

que já não se falam mais, é quando vem as lembranças de como éramos

quentes quando deitávamos com ele e um simples beijo tomava a forma

do sexo que nos levava as nuvens, são só lembranças não é mesmo

coração? Lembranças de um corpo junto ao meu, lembranças nada

mais...

As palavras já estão vazias, as frases não fazem mais sentido de dizer...

Afinal não tem mais sentido falar... Meu coração se encontra em análise

com ele mesmo, sem hora e dia para chegar a qualquer conclusão.

Dizer EU TE AMO, virou questão de sobrevivência e não uma forma de

tentar expressar o quanto é válido amar e ser amada, não sabemos mais

o sentido de dizer essas três palavras e se sabíamos não nos

lembramos, o tempo apagou de nossas mentes, o depois tem esse

poder de deletar o que não julgamos importantes em nosso íntimo.

Nossos relacionamentos são só aparências que sustentam nossas vidas,

estão deixando marcas profundas em nosso SER, estamos ocupadas

demais tentando sobreviver a tanta falta de comprometimento com nós

e com nossos sentimentos que SER virou artigo de luxo.

Depois... Depois... Depois... Um dia alguém terá que decidir e esse

alguém será o que estiver mais insatisfeito no relacionamento, o que

tentamos adiar acontece e ouvimos ele dizer: Adeus!!! Ficamos

desoladas, desorientadas, tristes... Mas deixamos pra depois e o depois

um dia chega, ficamos a mercê de nós mesmas por não termos dado

ouvidos a todos os sinais.

Quando estamos num relacionamento onde vivemos para uma pessoa,

é assim que tudo chega ao fim. A falta de comprometimento conosco

gera muitos sofrimentos... Não mais eu amo, você irá dizer. Ama

mesmo? Questionou seriamente o que é Amar? Não? Então chegou a

126


hora, o depois esta esgotado, encaramos as realidades dos fatos ou

deixamos a oportunidade de SER ir embora.

O que fazer com tanta dor?!!! Se curar é a resposta. Não deixar mais

nada para depois virou questão de honra em minha vida, chega de ficar

para um dia, para um mês, para um ano desconhecido de mim, eu estou

no hoje e é hoje que farei o que tem que ser feito por mim.

A maior dor que senti foi ser deixada para depois, não por ele, mas por

mim mesma. Essa dor que é nossa cura, diante do que era previsível

acontecer, por deixar-me no meio do caminho.

E um dia a vida grita bem alto: Vai pelo amor ou pela dor de perder a

única pessoa que pode lutar: VOCÊ.

127


A caminhada começa com o

primeiro passo

Apesar de toda luta que tive pra ficar livre da dependência emocional,

hoje olho para trás e vejo que as vezes temos que passar certas

dificuldades para aprendermos a caminhar de forma correta na vida.

Eu sou espirita então acredito que existe muitas coisas envolvidas mais

do que possamos imaginar, mas não quero convencer ninguém de nada

queria que soubessem, que vale a pena lutar, seguir em frente de

cabeça erguida, ainda que você se sinta sozinha e sem direção, não

desista.

Olhe para o alto e tenha certeza que Deus estará lhe guiando, tenha Fé

que passará e não subestime a força que há em você.

Eu compreendo que muitos falam que são amigos e depois são os

primeiros a falar que somos loucas, mas cabe a você se distanciar de

pessoas assim e seguir seu caminho, muitos irão falar muitas coisas,

mas saiba que eles são apenas pessoas como você e que um dia eles

entenderão o que ainda não tem capacidade para entender.

128


Muitas vezes eu não tinha ninguém para contar o que estava sentindo,

minhas angústias, meus medos, meus receios, a solidão doía dentro de

mim, mas com o tempo fui enxergando que esse processo de solidão

nos faz ser mais independentes e que por mais que não desejemos estar

sozinhas, acredite é preciso.

O mundo que hoje nos encontramos se vocês notarem verão que as

pessoas estão cada vez mais sozinhas, amargas, distantes, a falta de

amor e respeito ao próximo é gritante e para que não sejamos mais um

nessa lista, temos obrigação de zelar por nosso bem-estar emocional e

psicológico.

Não tenha vergonha de dividir suas dores, suas experiências, só assim

você irá crescer diante da vida, ganhará novos amigos que andarão ao

seu lado e irão sorri por suas novas conquistas.

Saiba que para chegar onde cheguei, tive que arrombar portas e janelas

que em mim eram fechadas e lacradas nem eu mesma ousava ir, era

difícil demais olhar frente a frente quem eu era e não quem eu achava

ser.

Dificuldades são feitas para nos ensinar que temos capacidade, se de

um jeito não dá certo irei tentar de outro, não importa quantas vezes eu

tenha que tentar o que importa é que eu não desista de lutar.

Muitos irão fechar suas portas, mas alguns anjos aparecerão em seus

caminhos como resposta de seu esforço de luta para ficar liberta dessa

dependência.

Saiba que não existem vencedores sem fracassos, todos que hoje

alcançaram suas vitórias em algum momento perderam, passaram por

desafios constantes, mas não perderam a esperança de serem melhores

que era.

Não existem fórmulas fáceis e perfeitas, existe você querendo sair de um

tipo de situação em que você não se sente mais ajustada, para se fazer

um bolo precisa-se de um passo a passo não é mesmo? Não é diferente

com o caminho da cura, precisa de vontade, comprometimento e cabeça

erguida, todos em algum instante de suas vidas fizeram escolhas erradas

e seguiram caminhos que não eram para serem seguidos, em algum

instante alguém se perde, mas com certeza pode se encontrar também.

Em algum momento de nossas vidas vamos chorar, mas que lutemos

129


para sorrir, em outros seremos dependentes de algo ou alguém, mas

que possamos ter humildade para procurar ajuda.

Pode ter certeza que chegará a hora que os dias de tempestade passará.

Mas sempre existirá um novo amanhã para os que confiam e nunca

desistem. Um dia iremos olhar pra trás e enxergar que éramos apenas

uma ave cativa presa numa gaiola e que conseguimos nos libertar por

ter acreditado, com nossas experiências ajudaremos outras que estão na

mesma situação que um dia nos encontramos, mostraremos que temos

bagagem o suficiente de provas superadas e que elas também são

capazes de abrir seus horizontes rumo a felicidade.

A caminhada começa com o primeiro passo, não esqueça!

130


O amanhã? Deixa para

quando você acordar.

Uma linda cerejeira que no Japão é chamada de Sakura e sua lição ao

cair sobre mim , me contou que existia muito mais que uma história

para me ensinar e que eu deveria prestar atenção em todos os sinais

que a vida me transmitia através da natureza.

Diz a lenda que a princesa Konohana Sakuya Hime, teria caído do céu

próxima ao monte Fuji, transformando-se na bela flor, outra crença diz

que ela esta ligada a cultura do arroz, afinal Kura significa "depósito para

guardar arroz", que é o alimento base da culinária japonesa e que como

a flor é considerado uma dádiva.

Quando chega março os japoneses esperam ansiosos pelo Hanami que

quer dizer: "Contemplar as flores" é um costume tradicional da cultura

japonesa e todos esperam por esse evento no qual eles , dançam,

cantam, apreciam as flores e fazem piquenique, a florada leva em média

três dias, todo o Japão fica alerta a previsão do tempo para tentarem

saber o dia correto do despertar da linda e exuberante cerejeira.

131


A flor de cerejeira esta ligada ao código dos samurais, o Bushido que

literalmente quer dizer, "caminho do guerreiro", era o código de conduta

e modo de vida para os Samurais (a classe guerreira do Japão feudal ),

que definia os parâmetros para os Samurais viverem e morrerem com

honra. Viver o presente sem medo era o lema dos guerreiros orientais

que estavam sempre dispostos a morrer por seus mestres.

Um samurai jamais se entregaria e sempre estava disposto a morrer

pela sua honra, de seus antepassados e de seu mestre, um samurai

jamais poderia fugir de uma luta, mesmo que ele estivesse só contra um

exército, eles estavam sempre ligados a justiça e compaixão pelo seu

inimigo mesmo ele estando derrotado ou fraco. Lealdade, etiqueta,

educação e noção de gratidão eram coisas aprendidas por eles.

Guerreiro é aquele que por mais marcas que tenha, procura seu

caminho e quantas de nós esta a procura desse caminho? Guerreiro é

quem tem objetivo mesmo sabendo de suas limitações. Com a

consciência desperta aquele espirito guerreiro, atinge a meta e nele

existe a vontade de vencer seus medos, anseios e limitações.

Cada uma de nós trilha o próprio caminho escolhido, existem vários,

cada uma segue o seu e com consciência de suas melhores habilidades

numa luta. Porém ser guerreiro é superar a si mesmo, ser fiel ao que é

correto e a sua palavra que vale mais que tudo. Esse caminho não é fácil,

é um caminho de luta, devemos ser sinceras e honestas e seguir

avaliando nossas vidas, ser fiel a si mesma esta ligado totalmente a

dignidade, para guerrear precisa muito mais que vontade, precisa do

primeiro passo, precisa de palavra para que custe o que custar

seguiremos em frente sem ficar parando no meio do caminho, pois

acima de tudo minha força interior é explicada pelo meu caráter na

forma de agir comigo e com meu próximo.

O caminho do guerreiro exige conduta em todos os sentidos e ter

preguiça é um mal que só no traz derrotas, não se apoie no futuro não

deixe para amanhã o que pode ser feito hoje, não impeça você de

superar a si mesma, deixar para manhã a sua decisão de ser mais feliz é

aceitar ser derrotada sem ao menos lutar e isso não condiz com o perfil

dos guerreiros.

Não esqueça que o guerreiro tem consciência dos conflitos que terá que

enfrentar, ele vive o presente sem se preocupar, eles sabem que devem

132


ter consideração consigo e com os que o cercam, pois amanhã ele

poderá não vê-los mais, a profundidade de sua alma contempla a

sinceridade de olhar a vida de frente sem fugas.

Aquela pequena flor disse isso tudo pra mim naquele instante: Aproveite

intensamente cada momento, pois o tempo passa rápido e a vida é

curta. As flores representam a efemeridade da vida, mas elas traduzem

que tudo é transitório e que vale a pena passar por essa vida sem medo

de renascer, que assim como elas tem uma duração tão curta que

precisamos levar conosco que o tempo passa rápido.

O amanhã? Deixa para quando você acordar.

Sun Tzu disse sabiamente: Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol,

nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso

você precisa ver o que não está visível.

133


O Mundo dá Muitas Voltas...

Agora é hora de seguir em frente sem mágoas e rancores, não fariam

falta em minhas gavetas é peso demais. Vida que se segue...

Lembranças sempre teremos, mas temos duas opções: Podemos remoêlas

pelo resto da vida e ficar sendo encarada como uma mulher amarga

que não se deu chance ou ter compaixão consigo mesma e ir em frente

sem medo de ser feliz. Hoje olho aquela mulher que um dia amou

demais, mas que se superou e se supera a cada dia. Na hora que

entendemos que merecemos o melhor, deixamos o passado ir embora e

damos boas-vindas ao presente que nos espera de braços abertos.

Enxerguei várias vantagens em ficar livre de ser aquela mulher que

amava demais, como pesava sobre minhas costas ser daquele jeito, mas

só percebi quando fiquei livre pra ser feliz de verdade, a vida me

esperava era fato, sorrir com felicidade é bem mais realista que sorrir

por obrigação, para disfarçar algo que lá dentro tá doendo muito. Me

conscientizei que nesse caminho não adianta forçar ninguém a fazer

nada, que não adianta forças as situações porque a vida segue seu fluxo

e por mais que eu tentasse só adiaria uma situação que um dia teria que

134


acontecer.

A vida nos ensina que para sabermos algo temos que vivenciá-las e que

muitas vezes o que julguei no outro poderá ser o que um dia vivenciarei,

então o julgamento das pessoas que estão ao meu lado não faz mais

diferença em minha vida, nada como um dia após o outro.

Passei a me desejar como nunca havia desejado, desejei o bem a mim e

depois refleti esse bem nas pessoas, quero que esse bem seja infinito

dentro de mim. Como eu amo essa nova mulher cheia de sonhos, como

ela é viva e tem brilho!!!

Tenho certeza que um dia você chegará a conclusão que tudo fazia

sentido, mas somente você que não conseguia enxergar naquele

momento, enquanto esse dia não chegar chore o quanto achar

necessário para extravasar a dor que você sente, mas fique sabendo

nada é por acaso, um dia você rirá de muitas situações em sua vida e se

enxergará como um ser humano em evolução.

Nossas expectativas em cima de pessoas que amamos errado é grande

demais, perdemos detalhes preciosos por querer demais algo que nunca

chegará. Só consegui ser livre disso tudo quando senti dentro de mim

que havia tomado a decisão correta, mesmo sofrendo por um período

tive mais forças para encarar que é preciso deixar ir para que eu

alcançasse a paz que sempre desejei, existem coisas que por mais que

me esforçasse ou chorasse nunca poderiam ser retocadas ou

maquiadas, quanto mais desejei que tudo corresse do meu jeito, mas as

situações favoráveis corriam de mim.

Deus nos ofereceu a vida e devemos por gratidão agradecer essa dádiva,

recebemos todas as armas necessárias para sermos melhor, cabe a nós

lutar para que isso aconteça depende de nós fazê-la boa ou ruim.

Escolhas são necessárias mas as vezes corremos grandes riscos de

segurança emocional quando as fazemos de modo errado ou porque

sempre encaramos que somos donas da verdade, mas na realidade não

somos e temos consciência disso, só estamos manipulando aquela

situação por causa de um amor que não existe. Amar errado nos faz

manipuladoras de um destino cheio de espinhos e somente nós iremos

nos machucar agindo assim.

Hoje minha vida vibra, adquiri novas notas de viver. Sou muito mais que

135


era e pensava ser.

Encarei várias batalhas, desafiei gigantes que faziam morada dentro de

mim, mas fui em frente e venço a cada dia todos eles com paciência e

gratidão por ter tido a chance de me bastar.

Comecei a questionar pessoas que aparecem em minha vida de repente,

sem muitas explicações e passei a observá-las, sem pressa e sem

desespero, afinal gato escaldado tem medo de água fria e tudo que

chega com facilidade demais certamente é sinal de tristeza a longo

prazo, por mais forte que sejamos somos como cristais diante da dor,

um leve toque esfacelamos em milhões de pedaços e depois quem irá

nos juntar além de nós mesmas?

Resolvi deixar pequenas frases para que fique guardada em seus

corações.

Deixe a tristeza de lado, somos lindas quando estamos felizes.

Evite ser ansiosa demais, sempre é bom se resguardar.

Pensar antes de agir sempre será seu companheiro perfeito.

Dê uma chance a vida e a chame para ter um caso de amor com você

mesma.

90% de nossas tristezas estão relacionadas com o que não aprovamos

em nós.

Não vale a pena desistir de si mesma por causa de ninguém.

Errar é humano e serve como lição para não repeti-los, então não se

puna e nem se sabote.

Amar a si mesma é preciso e com urgência.

Nada é por acaso, aprenda a olhar os sinais que a vida todos os dias nos

mostra.

Não somos a dona da verdade e nem de ninguém.

Histórias de príncipes e princesas não fazem parte de nossas vidas.

Expectativas demais traz sofrimento.

Existem pessoas que são honestas com seus sentimentos e outras que

nunca serão.

Nem todos os homens são iguais e nem as mulheres.

136


Nada é fácil nessa vida, então corra atrás de ser feliz.

A melhor pessoa para te fazer feliz, é você mesmo.

Sonhar é preciso, mas que seja de uma forma saudável.

Na vida sempre temos oportunidade pra despertar, basta querer.

Tudo depende de você.

Não vale a pena viver engolindo as pessoas.

Chega de drama é hora de seguir a vida.

Aprenda, você é que faz o milagre acontecer.

Olhar o passado como lição e não como forma de sofrimento eterno.

Deixe ir tudo que te faça sofrer.

O munda dá muitas voltas.

Seja Feliz e lute pela sua felicidade, ninguém fará isso por você.

Não entregue sua vida nas mãos de ninguém.

Tenha Fé, Foco, lute, a vitória é certa.

Viva o hoje sem pensar o que será o amanhã! Ele ainda não nos

pertence.

Crie a felicidade em seu íntimo, essa é a verdadeira.

Deixe o velho e antigo parceiro ir embora, não vale a pena viver com

quem não nos ama.

Meu maior inimigo é aquele que dorme e acorda comigo mesmo: EU.

Então fique de olho!

Não se deixe iludir por falsas promessas, as atitudes falam mais que mil

palavras.

Nunca se esqueça que Deus é seu melhor amigo.

Para finalizar, não esqueça que você pode e deve ser feliz, basta dar o

primeiro passo.

Flora Dominguez viveu caminhos espinhosos por amar demais, mas hoje

é livre e vive um amor baseado no respeito mutuo e é muito feliz ao lado

dessa pessoa e você também será, mas precisa se amar e ter paciência

com você mesma.

137


Termino esse livro com muita satisfação e é para meu marido que

dedico esse texto que escrevi de tudo que aprendi com ele nesses

quatro anos de intenso amor.

Quando eu te encontrei, percebi que não preciso ter a fórmula da beleza,

só preciso ser eu mesma para ser eternamente sua menina. Que terei

fracassos e sucessos, mas que você estará ao meu lado, me apoiando e

dizendo: "Tudo na vida depende de suas escolhas, dos caminhos que

você percorrerá." Que a pessoa que merece minha amizade e meu amor

não me faz sofrer.

Que ainda existem pessoas que enxergam a essência do outro. Que a

verdade é a mola que move minha vida em direção a eternidade de

meus sonhos e que faz todos eles se tornarem realidade.

Que tudo de mais valioso que tenho são os que me apoiam, me amam e

que me enxergam como realmente eu sou e não o dinheiro e o status.

Que posso ser amada além de minha beleza física. Que você ama o

brilho de meus olhos, o carinho dos meus gestos, a suavidade em minha

voz.

Me faz perceber e acreditar que todos os dias resistirei ao tempo sendo

aquela que um dia você escolheu como seu amor, sua companheira, sua

cúmplice, sua amada... Me fez ter a certeza, que antes de nascermos

esperamos alguém, mas que temos que querer imensamente encontrar

essa pessoa e se preparar para aceitá-la, como ela realmente é.

E por fim me ensinou que só preciso: Manter o brilho em meus olhos,

palavras doces em minha boca, gestos carinhosos. Sabedoria o bastante,

para ser amiga, irmã, mãe, companheira, esposa, amante e que todos os

dias devo cultivar a verdadeira beleza que existe em mim através do

Amor que vive em minha alma.

Obrigado por ter me esperado e ter tido a paciência, você me ensinou

uma grande lição: Que existem pessoas verdadeiras e completas e que

nunca fui metade de ninguém senão jamais encontraria você.

Te amo meu doce menino.

Desejo a você que chegou nesse final do livro toda a sorte do mundo.

Tenha força para lutar e não desista de ser feliz. Caminhe dando um

passo de cada vez. A força esta dentro de você, mas você só saberá

enxerga-la quando ela for sua única opção para ter paz. Aprenderá que

138


nem todos os homens são iguais. Se guie pela sua mente e somente

escute e leia o que te acrescente. Nada como o relógio chamado tempo

e paciência para que todas as verdades sejam reveladas.

Um grande beijo.

Flora Dominguez

139


(Bônus)

Para que você nunca esqueça

Não é complicado ser mulher, complicado é entender que ser intensa é

questão de luz interior, não é os gritos que nos farão intensas, nem os

choros compulsivos, ser intensa é um comprometimento com a alma de

ser mais do que já se quis ser.

Ser mulher é muito divertido, qual mulher que não gosta de fazer um

tricô com as amigas? Rir de si mesma é claro e porque não de seus

prováveis inimigos absurdamente reais ou imaginários?

Complicado é uma TPM que nos faz virar monstros e ao mesmo tempo

sermos cristais. Não sejam tão machos para provocar uma mulher nessa

fase, ela poderá fazer você morar na lua só com passagem de ida, se

você nos olhar de forma esquisita, vamos fazer tipo Tati quebra barraco,

o morro vai descer em cima de você. Entendeu que hoje não é um bom

dia para fazer perguntas e nem tampouco começar uma briga? Não faça

isso tenha amor a sua vida e nos deixe viver esse terremoto em nossas

emoções. Apenas tente entender que somos muitas vezes um peixe fora

140


da água por sermos assim. Queria vê pelo menos um dia vocês homens

com TPM, talvez iriam nos entender ou chegar a conclusão que a TPM é

coisa de gente forte.

Nós temos a capacidade de fazer de um limão uma limonada que como

diria minha mãe de lamber os beiços, mas isso é coisa de mulher

guerreira, as cavadoras de leite em pedra, as que brigam por seu espaço

na vida todos os dias, não são todas as mulheres que são assim, mas

posso te afirmar que uma grande parte delas tem essa capacidade de

criação.

Complicado para nós é sermos dependentes do marido, da mãe, do pai,

dos filhos, mulher não nasceu para viver limitada ao mundo de outras

pessoas, já somos uma versão ilimitada e tudo que nos impede, nos

frustra, nos machuca, nos faz ser qualquer coisas menos uma mulher.

Somos um livro de experiências, no prólogo vem avisando: – Vivências

que jamais serão apagadas e com isso aprendemos oferecer tanto

quanto exigimos, somos doces e duras, somos idealistas amamos ter

uma causa para lutar, mas fiquem tranquilos se ela não aparecer nós

inventamos.

Se você achar que as mulheres são complicadas certamente não

merecem estar perto de um ser tão magnifico e enigmático como nós,

somos tantas em uma, vivemos tantas alegrias e tristezas em segundos,

já ganhamos lutas e perdemos, temos a incrível capacidade de estar no

ontem e no amanhã, mas estamos aprendendo a viver o hoje e o agora,

não queremos sofrer pelo que já passou e pelo que ainda não se

concretizou, quantas dúvidas e quantas certezas cercam nossos

corações, quantas nuvens temos que dissipar para que nossos dias

sejam tão claros como um dia ensolarado.

Somos um universo de emoções finitas e infinitas, choramos de alegria ,

sorrimos com tristeza, acreditamos em nós, desacreditamos e logo a

seguir acreditamos novamente, navegarmos no intenso mundo da

bipolaridade, deixamos sonhos e planos pelos caminhos, descemos ao

fundo do poço algumas vezes e ficamos lá temporariamente, e quando

ninguém já não espera mais por nós, ressurgimos das cinzas, sem nós,

sem amigos, só com o amparo de Deus.

Não é complicado ser mulher, complicado é vocês não querer nos

141


entender e pra ser sincera já não fazemos questão que muitos nos

entendam mais, vivemos tantas aventuras e desventuras, somos uma,

somos mil, encenamos tantos papéis nesse palco da vida que você se

cansaria, somos fortes e seremos frágeis faz parte da essência de nós

mulheres, nos perdemos dentro de nós muitas vezes tentando nos

encontrar, captamos emoções, distribuímos e vivemos todas elas com

tanta intensidade como se o mundo estivesse se acabando.

Construímos castelos como meninas, mas quando nos decepcionamos

destruímos todos eles para continuarmos a viver, fomos amadas e mal

amadas, perdoadas e perdoamos, recuperamos nossas vidas,

desvendamos e entendemos coisas que são difíceis de

enxergar.pedimos ajuda, doamos ajuda, doamos nós, sofremos por

amor, choramos por amor, sofremos com o fim. Esperamos, esperamos

e isso nos causa dor, mas mesmo assim esperamos um novo recomeço.

Somos arrogantes para viver, temos dissabores, nos desiludimos, nos

decepcionamos pelas falsas expectativas que construímos, temos a

capacidade de sermos mãe dos outros, de amar o sangue que não corre

em nossas veias, porque amamos com a alma, nessa hora somos mãe

de nós mesmas.

Confiamos no amanhã, aprendemos que devemos esquecer o ontem e

aceita-lo, desbravamos e conquistamos caminhos que muitos em nosso

lugar desistiriam em instantes. Quem disse que uma mulher se cansa

facilmente? Vamos adiante e não descansamos enquanto a bandeira da

vitória não é erguida. O tempo nos ensina tantas lições, passamos a

respeitar fases de um tempo vivido seja alegre ou triste.

Aprendemos a nos amar, viajamos e voltamos no tempo, esse novo

despertar nos traz um novo recomeço, uma nova oportunidade de ser e

agir, não é fácil querer, se deixar moldar, se reconstruir, mas

aprendemos que seguir em frente é preciso, demoramos mais achamos

o que é nosso por direito, nosso lugar dentro de nós e no mundo.

Eu amo ser mulher.

Parabéns a todas que tiveram a honra de ter nascido mulher.

Flora Dominguez

142