História Antiga da Magia

petergaunt

1ª Edição, Editora Real Hogwarts.

1


História Antiga da Magia

História da Magia – 1º Ano– 1ª Edição por Peter Gaunt.

Editora Real Hogwarts.

Índice:

A Origem da Magia — Página 1

I Guerra Bruxa — Página 1

II Guerra Bruxa — Página 2

Guerra Vampírica — Página 2

I Revolta dos Duendes — Página 4

II Revolta dos Duendes — Página 5

III Revolta dos Duendes — Página 6


A Origem da Magia:

Há muitos anos atrás a primeira denúncia de magia foi no Egipto Antigo, há mais

de 5.000 anos, naquela época os feiticeiros eram chamados pelos Faraós (que

eram considerados Deuses) para contar como seria a vida após da morte, pois

os egípcios acreditavam que quando morriam, retornavam para o seu corpo, por

isso eram mumificados e em suas tumbas encontravam-se seus pertences. Os

egípcios tinham noções básicas de Herbologia e Transfiguração, utilizando

plantas das margens do rio Nilo para fabricarem suas Poções e tendo problemas

com a Esfinge, uma Transfiguração que saiu de controle, passando a devorar

pessoas.

A magia como a conhecemos provém da civilização Celta, cuja religião chamavase

Druidismo e era praticada ao ar livre. Tal religião politeísta acreditava no poder

da natureza e que suas divindades se manifestassem nela. Os Celtas também

foram responsáveis por um calendário religioso e astronômico chamado de Roda

do Ano, que estabelecia as principais datas de seus rituais mágicos.

I Guerra Bruxa:

Em 233 d.C os Duendes e Bruxos Finélius protestaram pela pobreza dos

mesmos, os salários máximos chegavam até 100 Nuques por mês, enquanto o

povo Nóbelus, Egípcios e Racitus ganhavam um salário mínimo de 800 Nuques.

Ainda não havia o Galeão nem o Sickle, de modo que a única moeda

independente era o Nuque. Os Anuquéns uniram-se aos Finélius e formaram a

União Branquietal, com tal união, o salário era dividido com os Duendes, facto

que os demais povos discordavam. A União Branquietal acabou por dominar

territorialmente a Inglaterra, os Nóbelus irritaram-se por ter metade das terras

tomadas. Bruxos e Muggles desconheciam a existência um do outro. Egípcios,

Nóbelus e Racitus uniram-se para retomar as terras dos Nóbelus, enquanto os

Branquietais e os Duendes uniram-se por direitos iguais. Os Duelos eram

travados com as Varinhas e as Espadas, não existiam ainda as ditas Maldições

Imperdoáveis ou outros feitiços muito perigosos. A guerra acabou sendo vencida

1


pelos Duendes e pelos Branquietais, durando de 239 à 251, alguns Muggles

chegaram a invadir as terras disputadas, acabando por serem mortos,

confundidos com os adversários.

II Guerra Bruxa:

Entre 845 e 848 d.C os Branquietais guerrearam contra a União Germânica. Os

Racitus uniram-se à União Germânica, fortalecendo-a em silêncio até o final de

844, quando o líder dos Bruxos na época, Kellying Smeetch foi assassinado pela

União Germânica, que invadiu a Inglaterra, chamada então de Branquieta. Os

Egípcios interviram na guerra, iniciando a extinção deles. A União Germânica

invadiu terras da Inglaterra e do Egipto, mas abandonaram o Egipto. A guerra

durou 3 anos, até que Branquietais e a União Germânica uniram-se com outras

uniões menores e menos poderosas, formando a União Bruxa-Europeia. No

meio da guerra foi descoberta a Maldição Imperdoável Cruciatus, quando o

Bruxo Lodo Flew errou o feitiço Kroacius, que actualmentenão existe mais. Ao

fim da guerra os Muggles foram descobertos, mudando para sempre a História

Bruxa.

Guerra Vampírica:

A Guerra Vampírica foi uma guerra que ocorreu em 1210 na antiga Roménia,

mais propriamente no principado da Transilvânia. Esta teve início quando o

imperador da Legião Vampírica, Vladislav Kratescu, acusou uma família de

feiticeiros de ter raptado a sua fonte de alimento para toda a comunidade da

região.

Vladislav era um ser severo, de carácter forte e contrabandista. Raptava

humanos, maioritariamente muggles, armazenando-os em caixas de ferro,

hipnotizando-os para se servir do seu sangue, alimentando a Legião e fazendo

tráfico de sangue na região da Roménia para as demais facções.

2


Após ter sido informado do acontecimento e uma vez preocupado com o bemestar

do seu negócio, ordenou uma emboscada para destruir essa família.

Os Grondelsson eram uma família de origem nórdica, que se havia acomodado

na Transilvânia há várias gerações, depois do tempo das grandes tempestades

polares. O seu lema era «gratidão e humildade», sendo conhecidos na

comunidade mágica do leste europeu por ajudar vários mercadores, pobres e

doentes. Uma linhagem de feiticeiros maioritariamente formados nas artes da

medicina tradicional.

Ao ver tamanha injustiça perante o furto de várias vidas humanas para a

escravidão da Legião, Geir Grondelsson, famoso curandeiro, decide, juntamente

com seu irmão Nicolaj, organizar um salvamento. Reunindo vários populares e

feiticeiros, agindo durante o dia, aproveitam o facto de a legião estar fora numa

viagem de negócios noutra vila, para avançar com o seu plano. Uma vez a

fortaleza da legião estando menos vigiada, foi suficiente para conseguirem

libertar os prisioneiros e eliminar os poucos soldados que estavam de guarda.

Kratescu, ao voltar e aperceber-se do sucedido, rapidamente ordena uma

emboscada para destruir a única família que sabia ser capaz de enfrentá-lo sem

ter medo das consequências. A guerra tinha começado.

Várias vilas e aldeias foram destruídas perante a ira da Legião Vampírica. O caos

tinha-se instalado naquela região. Foram várias as batalhas que se travaram

durante os anos que se seguiram. A mais famosa batalha foi a de Oradea, onde

uma forte tempestade acabou por causar um desabamento de terras,

subterrando a grande frente de batalha. Apenas poucos escaparam, Geir foi um

deles, perdendo assim os seus amigos, familiares e o seu irmão Nicolaj.

A Guerra continuou durante vários anos até que em 1217, numa comitiva de

curandeiros vinda do ocidente e norte europeu, Vaurdan Zwerden, fundador da

Real Hogwarts, excelente mestre de poções e ervas medicinais, tinha como

propósito derrotar a Legião e terminar a guerra de uma vez por todas, podendo

vingar os seus falecidos familiares.

O seu plano era simples, graças aos anos de investigação e prática, Vaurdan

conseguiu construir uma bomba capaz de eliminar qualquer pessoa num raio de

3


quinhentos metros. Ao divergir-se da comitiva e percorrer no encalce da Legião,

Vaurdan descobriu o seu esconderijo e após deixar-se capturar, cometeu o

sacrifício final e destruiu o ninho e todos os seus ocupantes, incluindo Kratescu.

A partir desse momento, a guerra tinha chegado ao fim, e todas as colónias

vampíricas que restaram, foram forçadas a abandonar a Transilvânia e deixar

aquela região em paz.

A Transilvânia levou vários anos até recuperar por completo das perdas

materiais e humanas. Foram construídos dois morais de pedra em homenagem

à família Grondelsson e a Vaurdan Zwerden, morais que continuaram a receber

inúmeras visitas, tornando-se motivo de peregrinação por parte de populares e

demais feiticeiros.

I Revolta dos Duendes:

As Revoltas dos Duendes foram uma série de revoltas contra a discriminação,

preconceito e maus-tratos em relação à sua espécie praticada por Bruxos e

Bruxas. Sendo as mais famosas as passadas durante os Séculos XVII e XVIII,

segundo o Profeta Diário, ainda hoje há grupos subversivos de Duendes

conspirando em segredo contra o Ministério da Magia. Historicamente tais

revoltas foram classificadas como sangrentas e vingativas.

A Primeira Revolta dos Duendes foi um movimento que surgiu em 1287, quando

o Duende Louis Parret se irritou com seu dono, Grilly Bell e fugiu de casa,

motivando muitos Duendes a seguir seu exemplo. Louis Parret convocou todos

os Duendes para uma reunião urgente, e fez eles se darem conta do mal que

seus donos provocavam a eles. A comissão do movimento era composta pelos

Duendes Louis o irritado, Erasmus o Pigmeu, Mariante o Selvagem e Botelho o

Barbudo. Eles espalhavam cartazes contra os maus tratos aos Duendes,

assombravam Muggles e derrubavam famílias dos Bruxos. Os Duendes

alegaram que seus donos os maltratavam, batiam neles e os feriam com um ferro

em brasa nas orelhas com a marca de seu dono. O Ministério bem que tentou

ajudar, fazendo Leis de proteção aos Duendes, milhões de artigos, mas o que

4


eles queriam era que seus donos fossem presos por maus tratos a criaturas

mágicas. Mas o Ministério não tinha porquê prender os homens, já que não

existira uma Lei de Protecção aos Duendes até então. Um dia o Ministério teve

que tomar medidas drásticas. Levou Louis a um falso julgamento, para que seu

dono fosse preso. Mas na verdade estavam levando-o para o local de sua morte,

a Comissão de Eliminação de Criaturas Perigosas, onde o decapitaram. Assim

terminou em 1313 a Primeira Revolta dos Duendes.

II Revolta dos Duendes:

Em 1612, a Segunda Revolta dos Duendes teve como palco o Vilarejo de

Hogsmeade, enquanto o poder Bruxo crescente desenvolvia-se, paralelamente

o poder dos Duendes crescia, até que os dois governos misturaram-se, forçandoos

a trabalharem para uma sociedade civilizada. Naturalmente isto causou

problemas, pois, os Duendes são criaturas orgulhosas e não muito simpáticos,

sendo rebaixados ao nível dos Elfos Domésticos, que eram populares na

comunidade mágica. Inicialmente não muito popular, o movimento não ganhou

força dentre os Bruxos, que refrearam quaisquer protestos e puniam até

injustamente. Lentamente, os protestos tornaram-se mais físicos, resultando

numa guerra civil. Diz-se que o Três Vassouras foi usado de quartel dos Bruxos

na ocasião.

Bruxos e Duendes dividiram-se, ambos buscando formas inovadoras e fáceis de

destruírem-se. Os Bruxos surgiram com o Avada Kedavra, e os Duendes criaram

suas próprias maldições poderosas. Milhares de baixas ocorreram, os danos

ambientais afetaram os mais pobres e oprimidos, até que finalmente os dois

governos entraram em acordo. Diz-se que os Duendes líderes fizeram os demais

cooperarem com os Bruxos devido uma poção de controle mental.

5


III Revolta dos Duendes:

Em 1752, a Terceira Revolta dos Duendes esteve inicialmente favorável aos

Duendes, fazendo com que os Ministros da Magia: Albert Boot e Basil Flack

renunciassem ao cargo por não conseguirem resolvê-las. Quando os Duendes

aliaram-se aos Lobisomens, Hesphaestus Gore foi eleito novo Ministro

conseguiu conter alguns problemas dessa revolta. Historiadores da Magia

sugerem que a recusa de Hesphaestus quanto aos programas de reabilitação

dos Lobisomens contribuiu para mais ataques dos mesmos.

Nesta revolta, Urg, o Impuro foi o Duende mais notável, tendo sido um dos

líderes da revolta, Urg foi capturado pelos Bruxos que queimaram-no no ar, na

presença de outros Duendes, encerrando aquela revolta. Os Duendes

relutantemente aceitaram sua parte na sociedade mágica, elegendo Gringott

como representante deles no Conselho dos Feiticeiros. Gringott e Elfrida Clagg,

a então Chefe do Conselho dos Feiticeiros, trabalharam juntos para que os

Duendes e os Bruxos não guerreassem mais. Gringott fundou o Banco Gringotts,

onde centenas de Duendes passaram a trabalhar, e em 1865 o Ministério deixou

os Duendes com controle total sobre o Gringotts.

As Revoltas do Duendes ocorreram principalmente pela falta de representação

dos mesmos no Conselho dos Feiticeiros, tentativas de escravizar os Duendes

à semelhança dos Elfos Domésticos, negar-lhes o direito de uso da Varinha,

tentativas de controlar o Gringotts e os brutais assassinatos em série de

Duendes pelo Bruxo Yardley Platt.

6


7

More magazines by this user
Similar magazines