01 - In A Heartbeat

samanda

REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

1


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Hilary Storm

Livro Um

2


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Equipe Pegasus Lançamentos

Disponibilidade:

Tradução:

Segunda Tradução:

Revisão Inicial:

Revisão Final:

Leitura Final e Formatação:

Verificação:

3


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

4


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

5


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Sinopse

Eaven Bennett é uma estudante universitária com uma

paixão pela fotografia. Tem grandes esperanças de terminar a

universidade e começar uma nova vida enquanto se afasta de sua

cidade natal com sua melhor amiga, Ivy Adams. Seu último

namorado arruinou qualquer possibilidade dela em confiar outra

vez.

Talon Walker é o obscuro baterista da promissora banda

Rebel Walking. Uma tragédia em seu passado o deixou vazio,

sem o desejo de ter um relacionamento.

Isso até conhecer Eaven.

Em um momento seu coração está cheio de amor, no

seguinte toda sua vida se desmorona. Tudo pode mudar em um

instante. Eaven e Talon podem superar os obstáculos no

caminho e encontrar o amor?

6


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Um

Hoje é o primeiro dia do resto da minha vida. Minha melhor

amiga Ivy e eu deixaremos nossa casa para terminar a

universidade. Seremos companheiras de quarto e será a melhor

época de nossas vidas. Ela vive em nossa casa desde novembro,

durante nosso último ano do Ensino Médio. Meus pais

concordaram em nos ajudar com a universidade se fizéssemos

dois anos de cursos básicos na Universidade Comunitária local.

Agora estamos nos mudando para Springfield, Missouri a fim de

assistir as aulas da Universidade Estadual de Missouri.

A vida em família de Ivy foi tudo, menos estável, e meus pais

a adotaram como filha. Estou muito agradecida por tudo o que

eles têm feito por nós duas, mas estamos prontas para

surpreender o mundo. Ivy e eu estivemos juntas desde o primeiro

dia do sexto ano quando nos conhecemos. Ela teve uma vida dura

e não há nada que eu não faria por ela.

— Amamos vocês garotas! Por favor, se comportem na escola

e fiquem longe de festas. — Mamãe vai sentir saudades. Não

admite, mas sentirá. Meus pais me deram o nome de Eaven e

decidiram escrever como heaven 1 . Tenho certeza de que

reconsiderariam o meu nome agora se tivessem a oportunidade.

Ivy e eu fomos bastante problemáticas nos últimos oito anos, mas

mamãe nos ama. Papai é só papai. Ele segue o fluxo e é bem

tranquilo. Tenho que dizer que não são muitos os pais que

poderiam adotar outra criança quando já têm duas meninas para

criar.

1 Heaven: Significa Céu/Paraíso em inglês, o nome dela foi escrito com essa intenção, mas sem o “h”.

7


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Hoje, meus pais nos ajudaram a mudar tudo para o nosso

apartamento novo. Não tenho certeza do que Ivy e eu faríamos

sem a ajuda deles. Eles estão fazendo todo o possível para nos

ajudar a ter o ensino superior.

Abraçamos mamãe e o papai e nos despedimos, mas sem

fazer nenhuma promessa que sabíamos que não manteríamos.

Vendo eles se afastarem no carro, me dou conta que uma

quantidade de peso, que não sabia que tinha, deixa meus

ombros. Sou livre! Livre para ser eu mesma! Estou tão preparada!

— Eaven, se prepare, vamos a algum clube! — Ivy está pronta

para começar nossa festa.

— Isso, vamos sim! — Digo, cheia de emoção, pensando nas

possibilidades.

Corremos para o nosso apartamento para nos arrumar.

Depois de uma ducha me dou conta que perdi uma chamada do

meu primo Luke. Ele também vai cursar a faculdade aqui. Deixou

uma mensagem dizendo que sua banda, Rebel Walking, vai tocar

em um clube essa noite.

— Ivy, Luke quer que a gente vá essa noite ao Smitty para vêlo

tocar. Está dentro? — Pergunto, esperando que diga que sim,

porque mal posso esperar para vê-lo se apresentar.

— Sim! Vamos encontrar alguns caras com potencial! —

Posso ouvir a malícia em sua voz enquanto desfila com pura

confiança.

— Luke disse que se formos, o ônibus de festa pode nos

trazer de volta. — Grito à Ivy do meu banheiro.

Ivy tem o cabelo castanho escuro, muito bonito que cai por

cima de seus ombros. Tem um corpo curvilíneo que se move

diferente da maioria das garotas que conheço. Sua pele está

sempre impecável e parece ter um bronzeado como se tivesse

8


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

acabado de passar uma semana na praia, não importa a época do

ano. Não é justo que ela seja assim e saiba disso. Eu gostaria de

ter essa autoconfiança. Está usando jeans e saltos e uma

camiseta bem justa. Caralho, eu nunca poderia usar uma

camiseta apertada assim.

— Está preparada? Estou pronta para ir. — Ela me observa e,

imediatamente, um olhar de desgosto aparece em seu rosto —

Hum, o que está usando? Não vai sair com essa blusa. Aqui, use

essa. — Ela me entrega uma de suas camisetas rosa chamativa

que é tão decotada que mostra completamente seus seios.

— Ivy, não posso usar isso. Suas camisetas são muito

pequenas para mim. Além disso, meus seios certamente pulariam

para fora dessa coisa.

— Oh não, não, Ev! Seu ex não está aqui para dizer o que

pode ou não usar. Você vai usar essa camiseta e vai notar a

atenção que receberá durante toda a noite. Agora rápido, os

homens estão esperando.

— Não posso Ivy, essa camiseta é demais para mim ou

deveria dizer de menos?

— VISTA ISSO e saia da mesmice. Você vai desfrutar a vida,

mesmo que eu tenha que arrastar você todo santo dia.

Vesti a blusa. Sei que ela nunca vai renunciar essa questão.

A camiseta faz com que eu me sinta completamente

autoconsciente e não sei se puxo para cima para esconder algo

que o decote está mostrando ou puxo para baixo e cubro a parte

superior dos meus jeans.

— Caramba! Essas duas garotas aqui estão prontas para

dizer olá ao mundo essa noite! — Faço uma carranca por causa

de seus assobios e cantadas de pedreiro idiotas. Ela agarra meu

braço e me dá um puxão pra sair.

9


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Não posso acreditar que esteja fazendo isso. Fui capaz de

viver um pouco em nossa cidade natal, Ridgedale, mas sempre

escondida sob o pretexto de que mamãe ou meu ex nunca me

deixariam fazer certas coisas. Ivy vai adorar me tirar da minha

zona de conforto. Eu também poderia aproveitar, já que ela nunca

vai desistir.

— Como vamos chegar lá?

— Oh Ev, deixa que eu lido com isso. Deve ter alguém no

estacionamento quem podemos pedir uma carona para o clube.

— O quê? Está louca? Não vou com algum maluco.

— Vai ficar tudo bem. O Smitty fica só a três quilômetros

daqui. Alguém ficará mais do que feliz de nos levar, especialmente

quando notar nossos corpos magníficos.

A única pessoa no estacionamento era um cara saindo de

uma lata velha. Aliás, até parecia do tipo muito inteligente, com

uns óculos de grau incríveis. Ivy não perdeu tempo.

— Desculpe, nos faria o favor de nos levar ao Smitty? Minha

amiga Eaven precisa ir porque seu primo é o guitarrista da banda

que vai tocar essa noite. Nós nos arrumamos todas e não temos

como ir.

Em seguida, inclina a cabeça para um lado e junta os lábios

de maneira a aparentarem ser mais cheios. Toca o braço do rapaz

lentamente, deslizando o dedo para cima e para baixo. O pobre

garoto não tem a menor chance. Ela o comerá vivo. Ele gagueja

um pouco e parece muito nervoso devido aos avanços de Ivy.

— Uh, tudo bem.

Ivy então se inclina e dá um beijo na bochecha dele. O

notebook dele quase cai no chão. Posso afirmar de que ela estará

em seus sonhos por muitas noites à frente e, digo literalmente.

10


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

— Taron, termine de se arrumar. Precisamos estar lá em

menos de uma hora. O Smitty 2 não vai aguentar suas besteiras.

Temos sorte que esteja nos deixando tocar no clube.

— Irmão, deixa de ser tão pé no saco. Estarei pronto.

Estou cansado de servir de babá desse estúpido e imbecil.

Podemos ser gêmeos, mas não poderíamos ser mais diferentes

nem se tentássemos. Ele adora ir a festas e ter uma garota

diferente, ou deveria dizer garotaS, cada vez que saímos. Eu não

seria capaz de agir assim. Nossos anos no Ensino Médio não

foram diferentes. Ele viveu ao máximo. Eu gostava de

tranquilidade e ficava com Nicole.

— Cara, o Luke vai estar aqui em pouco tempo com o ônibus.

Holden vai encontrar a gente lá? — Grita Taron do seu quarto.

— Sim, ele vai pegar Lilly e nos vemos lá. — Holden é nosso

irmão mais velho e Lilly é como nossa prima. Crescemos com ela

e os pais dela eram melhores amigos dos nossos. Tirávamos férias

juntos todos os anos. Ela é muito especial para nós, os garotos

Walker. Sinto pena do homem que quiser namorar ela. Terá três

irmãos mais velhos zangados na sua cola. Ela é a baixista da

nossa banda.

Nosso amigo Luke é o guitarrista, Taron canta e anda pelo

palco como se fosse dono do cenário, e eu contribuo com o ritmo

na batera. Adoro tocar bateria. É uma das coisas que faço para

escapar de minha vida e viver pela música. Realmente, posso me

deixar levar.

2 Smitty Tanto o bar quanto o dono do bar tem o mesmo nome.

11


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Luke está aqui Taron, vamos! — Grito enquanto me dirijo

para a porta e o ouço outra porta bater atrás de mim.

— Preciso de tempo para ficar assim tão bonito, irmão.

Deveria tentar algum dia.

Não o lembrei de que as pessoas constantemente nos

confundem à primeira vista. As pessoas que nos conhecem, no

geral, não confundem devido às nossas personalidades diferentes.

— Olá, Luke! Obrigado por levar nossas bundas ao clube!

Tenho a intenção de ficar bêbado e ser seduzido essa noite! — Diz

Taron pulando no ônibus.

— Seduzido o cacete, Taron se deixa seduzir até por uma

caixa de correio. — Luke possui uma RV 3 velha que sempre

usamos quando saímos. Cada vez que a usamos, coisas loucas

acontecem no caminho para casa. Na volta, todos nos revezamos

no volante, à exceção de meu irmão gêmeo. Taron nunca está em

condições de dirigir. Se não está bêbado, sua mente e seu corpo

estão ocupados com outros assuntos.

Chegamos ao clube e nossa mesa está reservada, já que

somos a banda da casa essa noite. Taron pede tequila. Vai ser

uma noite interessante.

Holden e Lilly se unem a nós para uma dose. Luke lembra

que sua prima está a caminho e envia uma mensagem de texto

para ver onde ela está. Ela responde dizendo que está do lado de

fora. Não a conhecemos.

Conhecemos Luke no semestre passado. Estávamos tentando

montar essa banda há tempos. Alguém nos disse que ele era um

guitarrista muito bom e tinha razão.

3 RV = Recreational Veículo, literalmente veículo recreativo, é um híbrido de ônibus e trailer. Tem apenas um eixo, mas todas

as conveniências de um trailer.

12


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Vejo Luke entrando com duas garotas lindas. Ele,

evidentemente, as escondeu de nós.

Eaven

O novo “amigo” de Ivy, Owen nos leva com segurança ao

Smitty. Luke me envia mensagens perguntando onde estamos

assim que chegamos lá. Digo que estamos no fim da fila para

entrar. Ele sai e nos passa na frente de todos. Sussurrou algo ao

guarda de segurança na porta e estávamos liberadas.

— Garotas, esperam conseguir transar hoje vestindo essas

roupas? — Diz Luke enquanto faz uma careta para nós duas.

— Você pode me ter a qualquer hora Luke. — Diz Ivy

enquanto fica animada de paquerar descaradamente com ele. Não

tenho certeza do que faria se os dois ficassem juntos algum dia.

— Vocês dois precisam de um quarto, vou para a pista de

dança. A que horas vocês tocam? — Pergunto, com a esperança

de interromper o que estavam prestes a falar.

— Vou com você, chica, vamos arrasar juntas por aí. Luke,

querido, será que consegue alguns shots 4 ?

— Claro, a banda começa em uma hora, por isso aproveitem

as batidas pop enquanto podem. Somos uma banda de rock puro

e sei que vocês não curtem o estilo, mas antes disso, venham

comigo até nossa mesa. Conseguirão os shots lá e podem

conhecer alguns dos caras.

— Ah sim! Vamos conhecer os caras. Eaven, você está

preparada? — Ivy nem sequer me deixa responder. Agarra meu

braço e me arrasta.

4 Shot: qualquer bebida alcoólica servida em um copo pequeno que deve ser tomada em um só gole.

13


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Luke nos apresenta ao grupo.

— Pessoal, essa é minha prima Eaven e sua melhor amiga,

Ivy. Esses são Taron, Talon e Holden. Taron é nosso vocalista,

Talon é o baterista, e Holden é o irmão mais velho chato.

É óbvio que Taron e Talon são gêmeos. São idênticos exceto

que Taron está sorrindo de modo provocativo, e Talon, tranquilo,

só observando.

Taron fica de pé na hora, se esfregando em Ivy e sussurrando

em seu ouvido. Ivy tem um sorriso bem sensual em seu rosto. Ela

vai me abandonar. Sério?

Ivy se volta para mim e diz:

— Volto logo. Ele quer me mostrar o... Camarim deles.

— Claro que ele quer. — Sorrio e ela sabe que sei o que está

fazendo.

Olho para baixo e vejo que Talon ainda me observa. Está

sentado ali com os braços cruzados e um olhar sério no rosto. Ele

é lindo. Tem o cabelo escuro, que é comprido o suficiente para

passar os dedos através dele. Começo a imaginar como ficaria

todo bagunçado por minhas mãos e me dou conta de como seus

olhos verdes sensuais estão fixos sobre mim. Por que está me

olhando dessa maneira intensa? Nem sequer posso olhar mais em

sua direção, porque é como se ele estivesse sugando todo o

oxigênio do local. Meu coração bate muito rápido e de repente

está extremamente quente ali.

— Pensei que ia dançar, prima. — Luke interrompe meus

pensamentos confusos.

— Não sei. Provavelmente deveria esperar por Ivy. — Digo,

distraída por minha recente reação ao amigo de meu primo.

— Sempre precisa dela para fazer algo divertido, não?

14


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não. Por que raios diz isso? — Ele atrai minha atenção

com esse comentário.

— Porque te conheço Ev, ela é sua muleta. É sua coragem.

Você gosta de rotina, ela a arrasta da sua zona de conforto e te

faz viver um pouco.

Ok, por que essas pessoas que me conhecem tão bem me

incomodam tanto a respeito dessa coisa de viver? Só porque sou

mais reservada e cautelosa, não significa que sou uma idiota que

não sabe como agir.

— Que seja Luke. Você me prometeu shots. Onde diabos

estão?

Lembro que havia decidido viver um pouco. É hora de agir.

— Aqui está, prima. — Diz com um sorriso diabólico.

Ele me paga, é tequila. Não gosto de tequila. Dou uma olhada

em Talon e Holden. Holden está simplesmente interessado,

enquanto Talon ainda está me encara, com esses lindos olhos

verdes e esse maldito rosto sério que está me deixando nervosa.

É, exatamente, só estou nervosa.

Luke me dá uma dose e se diverte comigo, dizendo:

— Seja cuidadosa priminha, sei qual é sua reação à tequila.

Que se foda. Tomo a tequila e agarro a garrafa para tomar

mais. Bem nesse momento minha careta de tequila chega e aperto

os dentes tentando respirar. Cacete, odeio tequila. Como posso

provar que sou corajosa?

O que Ivy faria?

Me deixe pensar.

Ela provavelmente faria body shots 5 .

5 Body shot: é uma forma sexual de tomar doses. No caso da tequila, o limão fica na boca do casal e o sal sobre uma parte

do corpo (estômago, pescoço, peito, etc.). Se lambe o sal, se toma a dose e depois se chupa o limão.

15


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

No momento seguinte me vejo agarrando uma garota que

passava por ali. Pergunto se gostaria de fazer o tal body shot

comigo. Ela concorda rapidamente.

O que estou pensando?

Ah é, agora lembro.

Não pensei, só fiz.

Deito na mesa bem em frente de Talon. A garota levanta

minha blusa um pouco acima de meu umbigo. Pega o limão e

espalha o suco ao redor de meu estômago, joga o sal mais para

baixo, pouco acima do cós do meu jeans.

Põe o limão em minha boca e derrama a tequila ao redor de

meu umbigo.

Estou tão agradecida de deixá-la fazer primeiro, porque

realmente não sei como isso funciona.

Ela começa a lamber o sal de forma extremamente lenta. Não

posso deixar de sentir algo enquanto se aproxima da beira de

meu umbigo.

Depois, bem devagar, lambe toda a tequila. Se certifica de

fazer contato visual comigo frequentemente. Logo se aproxima de

meu rosto com limão. Antes de me dar conta, ela passou limão na

boca e está beijando meus lábios. Levanta seus braços celebrando

enquanto as pessoas próximas começam a torcer.

Merda! Acabo de ser beijada por uma garota.

Luke está rindo de mim, porque ele sabe que estou me

borrando de medo agora. Merda. Talon segue me olhando, é

óbvio. Se estivesse tentando fazer com que parasse de me olhar,

servir de alvo para um body shot provavelmente não era a melhor

escolha.

Por acaso esse homem sorri em algum momento?

Agora é minha vez. Bem, aqui vou eu.

16


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Ela se deita. Ponho o limão em sua boca.

Ela agarra o sal e o sacode em seu decote. Espera, o quê? O

sal vai perto do umbigo, não no decote.

Oh. Meu. Deus.

Ouço Ivy em minha cabeça.

Ev, só faça. Não pense demais.

Olho ao redor e vejo que atraímos bastante gente. Não há

como voltar atrás agora.

Agarro a tequila e derramo ao redor de seu umbigo.

Respiro fundo e vou em frente. Dane-se, certo?

Lambo o decote, quer dizer, o sal.

Então deslizo até seu umbigo para conseguir um resquício da

tequila de uma vez.

Me apresso em pegar o limão só com os dentes. Me

certificando de não tocar os lábios, porque isso seria terrível, já

fizemos isso. A piranha agarra minha cabeça, e claro, quer o

limão de volta. Começa uma batalha de línguas pela maldita

coisa.

Levanto minha cabeça com raiva.

O que está acontecendo?

Dessa vez Talon tem um maldito sorriso no rosto, Luke está

caindo de tanto rir, e nem sequer sei o que passa pela cabeça de

Holden. Há tanta gente assobiando e gritando que não faço outra

coisa a não ser ficar vermelha.

Quando o imbecil do meu primo para de rir, se levanta e

apresenta a garota como sendo Lana. Ao que parece, gosta de

garotas, e ele sabia. Decidiu esperar até depois do show para me

informar. Ele vai ver!

17


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Lana, foi bom te conhecer, quem sabe a gente não saia um

dia desses! — Digo com uma piscada, que os rapazes não podem

ver.

As bocas dos rapazes caem. Olho ao meu redor e admiro o

fato de que fui mesmo capaz de impressioná-los. Bingo! Isso é

exatamente o que eu esperava.

Pergunto a Lana onde é o banheiro para me limpar e deixar

os rapazes na dúvida. Lana me leva até o banheiro e a aviso de

que não gosto de garotas. Peço desculpas por usá-la e me diz que

não tem problema e que se divertiu. Minha nossa, me sinto

melhor! Isso foi loucura.

Talon

Eaven é gostosa pra caralho. Não consigo tirar meus olhos

dela. É tímida e enérgica ao mesmo tempo. Posso dizer que está

fora de sua zona de conforto. Observo enquanto deixa nossa

mesa. Demorei muito para afastar os olhos do balanço daquela

bunda envolta em jeans. Suas pernas pareciam não terminar

nunca.

Percebo que seu cabelo brilha na luz, enquanto tento me

lembrar se era loiro escuro, ou castanho claro. Para ser honesto,

demorei muito para afastar meus olhos de sua camiseta rosa.

Seus peitos preenchem o decote por completo. Quando deixei

meus olhos percorrerem outros pontos, pareceram se deter

quando cheguei a seus olhos. Tem os olhos mais azuis que já vi.

Sei que estávamos deixando os outros desconfortáveis de tanto

que nos olhávamos, parecíamos ter uma conexão inquebrável.

18


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Logo, ela precisou beber tequila. Eu gosto de garotas que

podem se cuidar sozinhas. A maioria das garotas bebe batida de

frutas com vinho ou água com gás. Chamou minha atenção por

muitas razões. Esse truque que fez com as doses de tequila ficará

gravado em minha mente. Merda.

— Luke, por que porra não nos falou de sua prima?

— Preciso lembrá-lo de seu irmão mulherengo?

— Não, acho que não. — Franzi o cenho, porque ele tinha

razão.

— Nem pense nisso, ela é muito inocente para qualquer um

de vocês.

Não falou só para mim. Por que me importo com o que diz?

Espere. Não me importo. É hora de subir no palco. Melhor

encontrar o meu irmão galinha.

Vou para os bastidores e encontro Taron beijando uma loira

peituda.

— Taron, guarde seu pau e suba no palco.

Tiro a camiseta e tomo meu lugar no palco. A primeira

música que vamos tocar é um hardrock. Tenho um solo muito

importante, me concentro para me soltar e dar o melhor de mim,

como sempre faço.

Eaven

Ao sair do banheiro, noto Ivy na pista de dança. Vou até ela

para dançar enquanto podemos.

— Como estava no camarim? — Sinto curiosidade por que

voltou muito cedo.

— Cheio. — Disse frustrada.

19


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— O quê?

— O filho da puta estava comigo e agarrou outra garota que

estava passando. Posso ser uma pervertida, mas não compartilho.

O que andou fazendo? — Posso dizer que ela só quis mudar de

assunto.

— Ah, nada. Só fiz body shot com uma garota tentando

chamar a atenção do irmão gêmeo do seu Don Juan.

— Puta merda! Perdi isso.

— Sim! A garota me beijou e lambi seu decote.

— Estou sem palavras, e tão orgulhosa de você! — diz Ivy.

— É, fiquei puta quando ela me deu um beijo de língua e os

caras riram histericamente de mim. Então fingi que era algo que

eu queria. Isso os calou. Se engasgaram com as próprias línguas.

— Aposto que sim. Queria ter dispensado a pegação com

Taron para ver isso.

— Ao menos teve um orgasmo? — Perguntei sabendo que

provavelmente sim.

— Claro que sim, sabe que sou egoísta e consigo o que quero

antes. Ele terá que conseguir o seu com outra pessoa.

Dançamos como se não tivéssemos nenhuma preocupação no

mundo. Quando percebemos a banda estava subindo ao palco.

Taron deu uma piscadinha para Ivy e ela lhe mostrou o dedo

médio.

Então o notei.

Não está usando camiseta. Por que os bateristas tiram suas

camisetas? Ele é lindo demais. Não consigo tirar meus olhos dele.

Todo o tórax bronzeado e músculos que se flexionam cada vez

que se move. Levantou para ajustar algo nos pratos e vejo que

tem os músculos em “V”, que sempre ouvi falar. Sua calça é justa

20


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

logo abaixo desses músculos e esses parecem estar apontando na

direção em que minha mente só imagina.

Assim que a música começa, me dou conta que ele

rapidamente se perde na música. É como se estivesse sozinho

com a bateria, criando um ritmo para seus próprios

pensamentos.

A banda é muito boa, mas ele me fascina.

Seus olhos estão fechados enquanto toca e posso dizer, agora

mesmo, que há algo muito profundo a respeito desse homem.

— Ev, nunca a tinha visto olhar alguém assim. — Ivy se

coloca junto a meu ouvido para que possa ouvi-la apesar da

música.

Noto que meu coração parece perder uma batida cada vez que

o olho. Tenho dificuldade de respirar, já que parece que todo o

oxigênio foi tirado do ambiente.

Não consigo ficar confortável enquanto ele começa a olhar

fixamente em mim como se tivesse olhando minha alma e senti

como se ele estivesse dentro dela.

De repente, sinto braços me rodeando e me tirando de meu

transe com Talon. É meu primo Asher, irmão do Luke.

— Como está a banda hoje?

— Então Asher, são geniais.

— Luke está arrasando?

— Claro que está. — Certo, eu sou muito horrível? Nem sequer

olhei na direção de meu próprio primo para vê-lo tocar guitarra.

Estou quase certa de que ele fez um solo há pouco, mas não

conseguia tirar os olhos daquela maravilhosa criatura sem

camiseta.

Volto a olhar para Talon. Ele está me olhando outra vez.

Estou focada em seus olhos e não posso olhar para outra coisa. A

21


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

expressão em seu rosto está cheia de dor e a intensidade me

arrepia. Posso senti-lo profundamente dentro de mim de novo.

Como faz isso? A canção termina e ele se retira.

Percebo que uma garota é quem toca baixo. É de parar o

trânsito de tão linda. Luke está arrasando na guitarra como

nunca o vi fazer. Os dois fazem uma grande dupla, enquanto

cobrem o palco e atraem a atenção da multidão.

Depois de uma hora mais ou menos, a banda termina. Taron

pula do palco, agarra três garotas e se dirige para os fundos.

Talon levanta para ajustar algo em sua bateria. Então, é quando

vejo a enorme tatuagem que cobre as suas costas quase por

completo. É um anjo de feições masculinas, com suas enormes e

amplas asas de plumas estendidas através de seus ombros

descendo pela lateral de suas costas. O corpo do anjo está de

joelhos com sua cabeça abaixada e apoiada em seu braço

esquerdo. O anjo parece devastado e derrotado. Meu coração se

rompe enquanto sai pela porta na direita do palco.

Ivy agarra minha mão e se dirige para Luke que está

aproveitando de seu minuto de fama com as garotas.

— Sério Luke, vai contrair alguma doença dessas piranhas.

Nos leve aos bastidores para ver Talon. — Ivy censura meu primo

enquanto espera com impaciência que ele responda. Asher se une

a outra groupie e a apalpa. Percebemos de imediato que meus

primos não vão nos ajudar a chegar onde queremos.

Ivy se dirige para a saída e diz:

— Não é como se fosse um grande show que precisamos de

crachás. Sei para onde temos que ir. Quer ir lá atrás e ver se

podemos encontrá-lo?

Rapidamente digo:

— Sim. — O que a surpreende.

22


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Entramos e Talon está encostado contra a parede do lado de

fora do camarim deles. Está olhando para baixo, mas nos nota

em seguida. Ivy está diante de mim, mas seus olhos se encontram

com meus. Ele ainda tem que falar comigo. Por que estou tão

intrigada com esse homem? Graças a Deus colocou a camiseta.

Não estou certa de que minha resistência aguentaria.

À medida que nos aproximamos, Ivy diz:

— Bom trabalho essa noite, garotos roqueiros!

Seus olhos ainda não deixaram os meus. Ivy se dá conta e sai

de fininho pelo corredor. Fico ali com ele e nosso incômodo

silêncio. Tento romper um pouco o jogo de silêncio que estamos

jogando.

— Você foi incrível essa noite.

Espero.

Nada.

Dado que essa é a primeira vez que ficamos de pé próximos,

me dou conta que provavelmente ele é uns quarenta e cinco

centímetros mais alto que eu. Encaro, esperando que me

responda.

— Não podia tirar meus olhos de você.

Espero.

Nada.

Estou me sentindo um pouco frustrada agora. A intensidade

que irradia dele está me sufocando. Obviamente interpretei mal

esse cara. Nem mesmo tem a decência de falar comigo quando

estou falando com ele.

— É mudo?

Espero.

Sorriso bobo.

Agora estou confusa. Por que ficou me olhando a noite toda?

23


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Por que me olha dessa maneira?

Espero.

Nada.

— Bom, então, suponho, que... Foi um prazer te conhecer. A

gente se vê por aí.

Começo a virar para me afastar e nesse instante ele dá um

passo adiante e aos poucos se aproxima me prendendo contra a

parede atrás de mim. Coloca as mãos, uma em cada lado de meus

quadris, e baixa sua boca na minha. Começa a roçar muito

lentamente seus lábios sobre meus.

Vejo seus olhos escurecerem enquanto me olha fixamente nos

olhos com apenas poucos centímetros nos separando. Solta o ar e

fecha os olhos. Suas mãos deslizam pela lateral do meu corpo e

com delicadeza sustenta minha cabeça com ambas as mãos.

Começa a mover seus polegares lentamente e estou

completamente perdida nesse momento.

Abre sua boca ligeiramente enquanto a ponta da língua

desliza sobre meus lábios de um lado para o outro. Observo seus

movimentos sensuais e espero pacientemente que me beije. Talon

abre os olhos e roça os lábios em minha testa enquanto se afasta

e sai pela porta no final do corredor.

Não posso me mover. Meu corpo está congelado no mesmo

lugar. Levanto os dedos para meus lábios enquanto vejo que Ivy

está me olhando.

— Isso foi quente pra cacete! Meu coração está na boca só de

vê-los. Ev, ele pediu seu telefone?

— Não. Não disse uma palavra. Estou tão confusa. Parece

que se interessa por mim, mas que está indeciso sobre algo. Eu

realmente gostei, Ivy.

— Posso dizer. Obviamente, ele gosta também ou não teria te

atacado assim.

24


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Dois

Essa garota está me afetando. Posso fazer isso? Foda-se. Só

tenho que entrar naquele ônibus. Se Taron parasse de pensar que

o camarim é um motel particular, poderia ter me recomposto lá.

Faz tempo que não me sinto atraído por uma garota dessa forma.

Não consigo nem falar quando estou perto dela. Sinto que ela fará

picadinho da muralha que construí ao meu redor.

Não gosto de me sentir assim. Estava tão acostumado a estar

com a Nicole. Ficamos juntos por quase três anos e meio, mas

nos conhecíamos desde crianças. Terminamos o Ensino Médio

juntos e há dois anos atrás nos mudamos para cá, calouros na

universidade. Éramos inseparáveis. Pensei que a amava. Mas

parece que nem ao menos sabia o que era o amor.

Ela passou por um momento ruim antes de começarmos a

sair. Seus pais se divorciaram de maneira não amigável e ela

começou a tomar remédios para lidar com a dor que isso causava.

Ela nunca diria a seus pais que tomava remédios. Fui capaz de

ajudá-la durante o primeiro ano do Ensino Médio. Estava em sua

casa por tempo suficiente para revistar suas coisas e me

assegurar de que não estivesse tomando remédios de novo. Ela

parecia feliz quando namoramos e o divórcio de seus pais estava

finalizado.

No ano passado quando nos mudamos para cá, nosso

relacionamento ficou ainda mais forte. Inclusive estava

considerando a ideia de ir morar com ela quando terminássemos

o segundo ano na universidade. Ela estava tomando

anticoncepcionais. Agora eu sei que não são 100% efetivos.

25


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Quando soube que estava grávida, não vou mentir, fiquei

assustado. Mas à medida que passavam os dias, me dava conta

de que tínhamos criado uma vida juntos. Foi realmente chocante

o dia que ouvimos os batimentos do coração do bebê. Soube

nesse momento que faria qualquer coisa pelo meu filho. Foi nesse

dia que me dei conta do que era amor. A data de nascimento

deveria ser amanhã.

— O que está fazendo aqui irmão? — Holden disse atrás de

mim.

— Simplesmente tomando um pouco de ar. Onde está todo

mundo? Pensei que iríamos terminar essa noite em casa.

— Já vamos. Espero que esteja preparado, o ônibus vai lotar

essa noite.

É obvio que sim. Tenho que sair daqui. O maldito ar está

sufocante. Estive carregando esse peso desde o dia que perdi

tudo.

— Talon, você está bem? Parece puto com alguma coisa.

— Sim, só tenho que sair desse lugar. Isso aqui me lembra

daquela maldita e terrível noite.

— Vou apressar todo mundo. — Holden sabe que realmente

não quero falar. Estou cansado de pensar. Cansado de me

machucar. Nunca me recuperei.

— Ei. — Ouço uma voz suave atrás de mim. Eaven me

encontrou. Olho para ela — Sinto muito, deveria deixar você

sozinho. Não era minha intenção irritar você. — Ela baixa a

cabeça e começa a se afastar. Irritado? Ela não me deixou

irritado.

Merda. Deve ter visto a expressão em meu rosto e presumido

que foi algo que ela fez.

— Não precisa ir, não estou irritado com você.

26


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Ela se detém e volta a me olhar. Parece que não posso fazer

outra coisa a não ser olhá-la nos olhos. Quero me arrastar para

dentro de sua alma e senti-la. Se pudesse parar essa dor por um

momento seria melhor. Se aproxima de mim, pega a minha mão e

a coloca em seu coração. Fecha os olhos e cobre a minha mão

com as suas. Segura bem contra seu peito. Posso sentir seu

coração pulsando tão rápido quanto o meu. Nem me conhece e

posso dizer que vê minha dor. Encosta seu corpo contra o meu e

ficamos ali.

Eaven

Ele está sofrendo. Só quero livrar ele tudo. Posso sentir meu

coração pulsar rápido. Se me apoiar em seu peito, sentirei os

batimentos de seu coração. Posso senti-lo se enrijecer. Acredito

que não está respirando. Aperto os braços dele um pouco mais e

aconchego meu rosto contra uma de suas mãos. Finalmente ele

solta o ar e inclina sua cabeça sobre a minha. Não dizemos

palavras, mas muito é dito ao mesmo tempo. Ficamos assim até

que escutamos as pessoas saírem do clube. Ele tira suas mãos

das minhas, mas só se move um único passo, para que não haja

toque. Holden está reunindo todos, levando-os para o ônibus.

Vejo Ivy voltar com Holden.

— Provavelmente deveríamos subir antes dos outros. Do

contrário, pode ser que tenha que sentar no colo de alguém. —

Talon me avisa.

Vamos na direção do ônibus. Devo me sentar com ele ou não?

Decido ir primeiro e me sentar antes e ver o que ele faz daí. O

ônibus na verdade é um enorme RV que era dos meus tios. Luke

27


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

usa como veículo da banda, e ao que parece, também é táxi para

os bêbados do clube. Não consigo me ver dirigindo essa coisa.

Vou para os fundos e sento no lado esquerdo da cama. Talon

me segue e senta comigo. Sorri e diz:

— Isso vai ser interessante.

Do que está falando? Luke senta junto de nós, assim como

uma ruiva pequena e linda. Asher entra e senta na mesa com seu

acessório de luxo. O ônibus enche de gente que nunca vi. Ouço

Holden gritar:

— Taron, entre no ônibus antes que deixemos você aqui.

Taron faz sua grande entrada. Se detém metade do caminho e

me olha. Anda até nós e diz:

— Irmãozinho, o que está fazendo?

Talon diz rapidamente:

— Nada.

— Essa cama é minha. Todo mundo sabe.

Talon fica de pé e encara seu irmão e diz:

— Não essa noite.

Holden pega Taron pelo ombro.

— Senta essa bunda. Só vamos pra casa. Pode sentar em

outro lugar.

Ótimo, tinha escolhido me sentar justo na cama do gêmeo

mulherengo. Quantos fluídos corporais de "passeios" prévios estão

a minha volta? Preciso de um banho.

Percebo Ivy na parte da frente do ônibus, bem atrás do

motorista. Taron senta com ela. Me sinto muito mal por deixar

que Ivy tenha que lidar com ele. Não liga de se sacrificar já que

sabe exatamente onde estou e com quem estou. Ela é uma grande

amiga e ótima ajudante. É bom que ela tenha um descanso de

estar sempre resolvendo tudo.

28


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Holden finalmente consegue com que todos se acomodem e

põe o ônibus em movimento. Luke decide que vai ficar de olho em

Talon porque ele se sentou comigo.

— O que está fazendo Luke? — Isto é incômodo, já que Talon

está sentado entre nós e tenho que me apoiar sobre ele para falar

com Luke.

— Por que não senta com Ivy onde é o seu lugar?

— Do que está falando? Posso me sentar onde quiser.

— O que a fez escolher sentar aqui? — Diz Luke enquanto

olha Talon.

— Luke, se controle, não vou brigar com você essa noite. —

Digo, esperando que pare com esse comportamento.

— O caralho que não vai. Vai me escutar. — Luke fala para

mim e posso sentir Talon endurecer.

— Luke, fale comigo em outro momento. Quero aproveitar o

resto da noite. Não quero brigar com você. Por favor, não faça o

papel de irmão mais velho que quer me salvar de mim mesma.

Logo você, que estava dizendo antes que não tenho coragem e

preciso viver um pouco.

Posso ver Luke lutando com algo. Quer me dizer algo, mas se

afasta. Não sei se é porque Talon é seu amigo e está tratando de

decidir o que dizer ou o que está acontecendo com ele.

Talon olha para Luke e diz:

— Não se preocupe. Não vou machucá-la.

Luke franze o cenho e diz:

— Suponho que deveria ficar feliz que não seja Taron aqui.

Teria a arrancado dessa cama, literalmente.

— O fato de que é Taron quem, em geral, senta aqui, me dá

vontade mesmo de remover meu corpo daqui. — Ambos riem de

mim.

29


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Me reclino e aproveito o resto da viagem. Abro a janela para

que o vento sopre em meu rosto e em meu cabelo. Olho e vejo que

Talon está descansando sua cabeça na parede atrás de nós e o

vento está atingindo-o também. É uma brisa fresca perfeita que é

muito refrescante depois dos momentos quentes dessa noite.

Depois de fazer umas duas paradas para deixar algumas

pessoas, chegamos à casa dos Walker. Posso dizer que há alguma

influência feminina na decoração de sua casa. Talon me mostra

as coisas. Têm uma cozinha de tamanho decente com uma ilha

no meio. Há uma pequena mesa ao lado. Sua sala tem uma TV

gigante com grandes alto-falantes de cada lado. Também me dou

conta de que há controles de videogames atirados no chão diante

dele. Há três sofás que recobrem as paredes dessa sala. Percebo

que todo mundo foi para o pátio dos fundos e digo que preciso

encontrar Ivy.

— Provavelmente deveria encontrar Ivy. — Digo, pensando

que a viagem havia terminado.

Talon

— Acho que mostrarei meu quarto mais tarde, então. —

Quero passar mais tempo com você Eaven. É ótimo e estranho

querer passar mais tempo com uma garota. Quero sentir mais de

sua suavidade contra minha pele.

— Vou procurar Ivy primeiro e então adoraria que me

mostrasse seu quarto. — Ela parece nervosa e intrigada ao

mesmo tempo.

30


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Ela provavelmente está lá atrás com todos os outros.

Mostrarei o caminho. — Agarro sua mão na minha e a levo ao

pátio.

— Oh meu Deus, Ev, tem uma Jacuzzi! — Ivy diz à Eaven

quando a vê.

— Você está bem, Ivy? — Eaven pergunta enquanto nos

aproximamos dela.

— Sim. — Responde lentamente. Posso dizer que Ivy tem

curiosidade.

— Vou passar um tempo com o Talon em seu quarto. Estará

bem aqui? — Ivy está sorrindo. Posso dizer que é fã do que quer

que esteja acontecendo.

— Não se atreva a se preocupar comigo! Vá e se divirta.

Estarei muito bem aqui.

— Lamento que ficou presa a Taron no ônibus. — Eaven

parece realmente sentir por sua amiga sentada junto a meu

irmão, com quem, se não recordo mal, Ivy escapuliu no clube. O

que aconteceu?

— Não sinta, me aproveitei de Holden. Deixei Taron em seu

lugar a cada vez que tentou passar dos limites. Conto tudo

amanhã.

— Certo. — Diz Eaven enquanto estende sua mão para mim.

Vamos em direção da casa e Luke me olha. Aceno para dizer que

recebi sua mensagem.

Entramos em meu quarto e fecho a porta. Ela parece um

pouco tímida. Estou tentando me controlar para não rasgar a

roupa dela. Tenho certeza que não demoraria muito para que

visse seus seios. Quero sentir cada centímetro de seu corpo.

— Tem uma bateria no quarto! — Diz Eaven afastando meus

pensamentos selvagens — Terá que me ensinar a tocar algum dia.

31


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Posso dar uma pequena lição agora mesmo, se você quiser.

— Sorrio porque tenho uma visão dela sentada em meu colo

enquanto a guio pelos movimentos.

— Ok.

Sento no tamborete e movo minha perna para que sente. Ela

sorri e aos poucos toma coragem de se sentar. Bem, se ela

passasse a outra perna e sentasse com o rosto de frente para

mim, seria ainda melhor. Aproximo o rosto e inspiro. Droga. Seu

cabelo tem cheiro bom. Ela está me enlouquecendo. Já estou

ficando duro e mal começamos.

— Nossa primeira lição será os com os bumbos 6 . Meu

conjunto tem dois, assim aprenderá a tocar duas vezes mais

rápido. Os pedais no chão controlam as massas que golpeiam

cada um deles. Coloque os pés nos pedais. Pise quando quiser

bater nos tambores. — Ela faz o que digo e o som é desordenado.

E é um caos. Começo a pensar que não será tão sexy quanto eu

imaginei.

— Espera. É o ritmo de toda a banda. Se imagine contando.

— Ela desacelera um, dois golpes.

Tum Tum.

Tum Tum.

Tum Tum. .

Tum Tum.

Tum Tum.

— Soa como a batida de um coração! — fala emocionada.

Congelo.

Tum Tum.

Tum Tum.

Tum Tum.

6 Bumbo é o nome do tambor maior, onde se costumar colocar o logo/nome da banda.

32


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Isso é divertido. Estou sentada em seu colo e finjo tocar

bateria. Fiz de forma que ele me detivesse, porque os sons eram

tão fora de ritmo e agitados. Agora que estou fazendo o som de

um batimento, ele fica duro debaixo de mim. Paro e olho por cima

do ombro e vejo sua dor de novo. O que fiz de errado?

— Desculpe. — Sussurro e franzo a testa.

Ele diz em voz baixa em meu ouvido:

— Não há nada do que se desculpar. Desculpe não ser a

melhor companhia essa noite. É só um momento ruim para mim.

— Pode me ensinar mais outro dia. — Levanto e me viro para

encará-lo. Suas mãos agarram as minhas e ele me puxa para

perto. Envolve os braços ao redor da minha cintura e abraça

minha barriga. Fico ali por um tempo antes de me dar conta de

que tem uma lágrima correndo por seu rosto. Gostaria que

dissesse o que está passando. Estou confusa, mas a única certeza

que tenho é que esse garoto está muito machucado. Se eu puder

fazer algo para aliviar essa dor, então é isso que farei. — Talon?

Vem para cama comigo. — Afasto e tento não deixar que note que

vi sua lágrima. Vou ao outro lado da cama e sento.

Ele apaga a luz e senta do lado da cama mais próximo à

porta. Tiro os sapatos e me arrasto para o lado que ele está. Deito

no travesseiro e o alcanço. Ele se arrasta para perto de mim e põe

a cabeça em meu peito. Desmorona o corpo na cama junto de

mim. Envolve meus quadris com o braço e ficamos ali em

completo silêncio.

33


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Capítulo Três

Talon

7 meses atrás

Taron: Onde está?

Talon: No clube.

Taron: Irmão, sua garota está no rio perto da ponte.

Talon: O quê? Está com ela?

Taron: Não, estava conduzindo por aí e a vi.

Talon: Volte e a encontre, estou indo.

Dirijo como um louco para ponte. Nicole tem estado deprimida

ultimamente. Disse que não podia seguir adiante com a gravidez.

Disse que ter um bebê agora ia arruinar sua vida. Pedi que

reconsiderasse e disse que ia estar ao lado dela. Mas ela não

queria fazer parte disso. Estava tão irritado com ela que não podia

nem olhá-la. Como ia pensar em pôr fim à vida de nosso filho

depois que ouviu e viu o coração pulsando no monitor? Escutamos

aquele som demonstrando que o bebê estava vivo e bem. Como

podia pensar em fazer algo para que esse coração deixasse de

pulsar?

Não faz muito tempo, simplesmente saiu do apartamento,

depois de dizer que faria um aborto. O que está fazendo no rio?

Meus faróis brilham na ponte e vejo que está pendurada na

parte externa do corrimão. Taron está falando com ela e tratando

de pegá-la. Corro para onde Taron está e congelo ao ouvir Nicole

soluçando e falando com o Taron.

— Não posso continuar. Minha vida estará terminada se tiver

um bebê. Nunca serei capaz de terminar a universidade. Já nem

sequer o amo. Me deixe em paz Taron. Me deixe fazer isso.

34


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não vou deixar que faça isso ao meu irmão. Ele te ama e

ama esse bebê.

— Que droga você sabe sobre o amor? — murmura para Taron.

— Só que meu irmão é mais capaz de amar do que eu. E você é

tudo para ele.

— Ele me deixou hoje.

— Tenho certeza de que é só um mal-entendido. — Taron tenta

tranquilizá-la.

— Nicole, o que está fazendo? — pergunto.

— Talon, eu disse que não vou ter esse bebê. Você não me dá

ouvidos e sinto que estou perdendo o controle de minha vida.

— Vou te escutar, só saia da beirada e conversaremos.

Prometo que estarei aqui para tudo. Por favor, Nicole. Por favor,

desça do corrimão.

Taron ainda segura Nicole. Ela está soluçando

incontrolavelmente e não tem as mãos no corrimão. Taron se lança

sobre ela com um abraço de urso e cai de costas na estrada com

ela nos braços. Pego ela em meus braços e a abraço o mais forte

que posso. Levei um susto do caralho e tenho medo de deixá-la

sozinha. Não me abraça de volta. Está de pé ali sem vida em meus

braços.

— Por que veio até aqui? — Sussurro.

— Estou farta, Talon. Odeio minha vida. Não quero mais ficar

com você. Não quero esse bebê e você está me pressionando a

manter ele.

— Vamos falar disso juntos em outro lugar. — Percebo que

Taron se mantém por perto. Ele sempre esteve por perto e agora

que mais preciso, ele continua.

— Não quero falar mais disso, me solte. — Nicole está

zangada. Deixo ela se afastar. Dá um passo para trás e me olha.

Tem um olhar que nunca vi antes — Vou fazer um aborto. Não pode

me deter. Não estou mais apaixonada por você, Talon. — Ela

35


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

vocifera e se afasta de mim. Estou de pé ali e sinto que meu

coração foi arrancado do peito.

— Como pode matar algo que criamos? Como pode esperar que

obedeça você e deixe que faça isso? Não serei capaz de viver

comigo mesmo se não tentar impedi-la.

— Sabia que não me entenderia. Queremos coisas diferentes.

— Isso é novo para mim também, Nicole. A vida é feita de

desafios e vamos aprender a superá-los. Quero nosso bebê. Eu

mesmo criarei ele. Não faça um aborto. Por favor, me escute. Nunca

terá que lidar com ele depois do nascimento. Minha família me

ajudará a criá-lo. Vou dedicar toda a minha vida a fazê-lo feliz.

— Talon, já estou com outra pessoa. — Mal ouço isso e a ira

me consome.

— Do que está falando, Nicole? Com quem mais andou

fodendo?

— Só precisava de uns comprimidos. Ele disse que a única

maneira de conseguir era se fizesse sexo com ele.

Não consigo pensar nesse momento. Estou tão irritado que

minha mente não foca nas palavras que ela diz.

— Quem foi o merda que deu comprimidos, Nicole?

— Seu nome não importa. Só queria os comprimidos para

descobrir o que fazer.

— O que quer dizer com “precisava de comprimidos para

descobrir o que fazer”, Nicole? Esses malditos comprimidos não a

ajudarão a pensar com clareza. Não vai consertar tudo o que está

errado no mundo.

— Não sabe do que está falando. Não é como se eu tivesse

problema com drogas. Eu só queria ser capaz de pensar com

clareza e sentir como se minha vida não estivesse desmoronando.

Não posso acreditar que ela esteja tomando comprimidos

enquanto carrega meu bebê. O que estou dizendo? Ela nem sequer

quer o bebê. É meu?

36


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Esse bebê ao menos é meu? — pergunto.

— Sim.

— Vou te levar para a casa da sua mãe. Precisa de ajuda. Não

posso cuidar de você.

— Está exagerando. Não vou a lugar nenhum com você. —

Nicole me olha com desgosto e começa a andar em direção a seu

carro. Corro para alcançá-la.

— Não terminamos nossa conversa, Nicole! — ela entra no

carro batendo a porta e tranca tudo de imediato. Liga o carro e vai

embora como o diabo fugindo da cruz.

Taron e eu corremos para sua caminhonete e saímos atrás

dela. Não a alcançarmos antes que chegue a Springfield.

— Suponho que está indo para sua casa. Vamos para lá.

Não está quando chegamos ao apartamento dela.

— O que quer que eu faça Talon? — Diz Taron, esperando

pacientemente por minha resposta.

Não sei o que dizer. Não sei o que fazer. Estou perdido

tentando bolar um plano. Aonde iria? Quem é esse homem dando

comprimidos a ela e que exige sexo como pagamento? Nem sei por

onde começar a procurar por alguém assim.

— Acho que esperarei aqui por ela.

— Estou aqui com você, irmão. Queria saber onde está,

inferno.

Esperamos por duas horas até seu carro chegar. Ela avança

no meio-fio com tanta força que os pneus dianteiros quase sobem

na calçada. Corro naquela direção enquanto ela abre a porta do

carro.

— Merda, Nicole. Onde estava? — Tropeça ao sair de seu carro

e segue para o apartamento — Você tomou mais comprimidos? —

Segue caminhando até que chega à porta. Começa a tentar as

37


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

chaves uma a uma, são três tentativas antes de eu arrancar o

chaveiro dela. Abro a porta.

— Só vá embora. Não o quero perto de mim. — diz em uma voz

baixa, arrastando as palavras, apenas capaz de manter os olhos

abertos. Conheço essa voz e esse olhar.

— Taron, liga pro 190! — Grito. Volto a olhar em sua direção e

vejo que vai para o banheiro. Entra e fecha a porta. Corro até lá e

percebo que esta trancada. Parece irônico não conseguir abrir uma

porta e chavear tão rapidamente a do banheiro. Começo a chutar a

porta.

— Abre a porta Nicole.

Não responde.

— ABRE A MALDITA PORTA ANTES QUE EU DERRUBE. —

Ouço um barulho e logo escuto água correndo. Deve estar lavando

as mãos. Estou cansado de esperar e derrubo a porta. É, então,

que vejo o frasco vazio na mesinha que fica ao lado da pia. Nem

mesmo consegue sustentar a si mesma. Não consegue abrir os

olhos. Não posso acreditar que voltamos a isso.

Agarro ela e a direciono para o vaso sanitário, coloco meu dedo

em sua garganta. Engasga, mas não vomita. Continuo tentando.

Merda. Vamos. Ela está desmaiando, ficando inconsciente. Taron

segura seu corpo para mantê-lo firme de modo que eu possa

continuar tentando extrair alguns dos comprimidos. Por fim,

escutamos a ambulância. Continuo tentando até que o paramédico

tirá-la de nós. Não consigo ver enquanto trabalham nela. Saio para

tomar ar.

Taron fica com eles, com ela. Ouço-o dizer aos paramédicos

que ela está grávida. Em seguida, estão a levando para a

ambulância. Taron me manda entrar na caminhonete. É como se

eu não pudesse funcionar sem que ele me diga o que fazer. Vejo a

vida se esvaindo e não posso falar ou pensar. Ele liga para a mãe

38


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

de Nicole e conta o que aconteceu e pede que vá direto ao hospital.

Essas são as coisas que eu deveria pensar, mas não consigo.

Quando chegamos ao hospital, somos obrigados a permanecer

na sala de espera. Me sinto anestesiado. Deveria estar zangado e

gritando com a enfermeira que me deixe ficar com ela, com o meu

bebê. Taron segue perguntando à enfermeira se há notícias da

Nicole, ou se podemos ir até ela. Não me movo de onde estou. Tudo

o que me importa está do outro lado da porta e não consigo sair

dessa cadeira. É como se a vida tivesse sido tirada para fora do

meu corpo e sou só algo quebrado que ocupa espaço. Como pude

falhar tanto com meu filho e não percebi?

O médico finalmente chega e pergunta pela família de Nicole.

Taron diz que sou seu noivo. O médico senta a meu lado e diz que

tiveram que fazer uma lavagem estomacal em Nicole e que ela

finalmente está respondendo. Precisará ir a uma clínica de

reabilitação para ajuda adequada tanto para se livrar do vício

quanto pela tentativa de suicídio. Não digo nenhuma palavra ao

doutor. Meus olhos não se moveram do ponto do piso que estive

olhando durante horas.

— E o bebê? — pergunta Taron ao doutor. Não ouço nada,

assim viro e foco no doutor.

Ele põe sua mão sobre meu ombro e diz:

— Sinto muito, o bebê não sobreviveu.

39


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Quatro

Acordo na cama sozinho. É domingo e o dia que deveria

conhecer minha menina ou menino. Não vai acontecer. Dormi

melhor do que em meses. Normalmente acordo com um pesadelo,

mas ontem à noite dormi tranquilo. Fico imaginando em que

momento Eaven foi embora. Terei que ligar para ela em algum

momento. Nunca mais sairá comigo depois da forma que agi

ontem à noite.

Viro na cama e vejo um bilhete na mesinha.

Talon,

Bom dia, lindo! Eu gostei muito de passar um tempo contigo. Guardei

meu número em seu telefone, assim pode me ligar.

Eaven.

É terrível que eu queira ligar agora? Ela não merece aguentar

toda a minha bagagem e todos os meus demônios. Deveria

poupá-la dos meus problemas e apagar seu número agora

mesmo, mas não me atrevo a isso.

— Está preparado, mano? — Taron chama da porta. Sabe

que dia é hoje. Sabe que vai ser difícil. Passou por todas as

etapas comigo.

— Sim, me dá uns minutos e eu saio. — Me visto e vou à

cozinha. Sinto cheiro de bacon. Suco de laranja e bacon vão dar

pro gasto.

40


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Como foi com Eaven ontem? Ela foi embora escondida

daqui essa manhã. Parecia agitada. Parece que acabou com ela.

— Diz com um sorriso no rosto.

— Fecha a porra dessa boca, Taron. Não estou com humor

para suas merdas essa manhã.

— Oh, não falei nada, só estou feliz de ver que finalmente se

divertiu um pouco. Há meses que está melancólico. Parece gostar

dela de verdade.

— Não sei o que sinto. Só conversamos e passamos um

tempo juntos. Não é como o “estilo de vida de Taron”. — Olho

para Taron e noto que ele sorri.

— Bom, se não quiser ela, tenho certeza que da próxima vez

aquela bunda será minha. — Diz Taron enquanto me lanço para

frente para estrangular seu pescoço de merda.

— Se a tocar, acabo com você e ainda cortarei seu pau.

— Sabia! — Diz Taron rindo de mim — Sabia que você

gostava dela! É tudo o que precisava dizer irmão. Ela é carta fora

do baralho para mim. — Taron sabe o que me afeta. Pode me

deixar puto mais rápido que ninguém. E também é quem esteve

aqui sempre que eu precisei.

De onde saíram esse ciúme e irritação? Normalmente não me

importo com quem ele se envolve. Embora eu não tenha me

interessado por ninguém nos últimos tempos, Taron parece

sempre achar alguém interessante.

Mando uma mensagem para Eaven antes de partir.

Talon: Obrigado pelo apoio ontem à noite.

Eaven: Quando quiser!

Talon: Sério? Que tal essa noite?

Eaven: Claro! A que horas?

Talon: Eu aviso.

41


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven: Ótimo!

Eaven

Estou agindo como uma adolescente tonta da escola. Fico

animada por ele querer me ver novamente essa noite. Não posso

deixar de sorrir, e nem Ivy.

— Está bem, desembucha. O que eu perdi ontem? — Ivy salta

sobre a cama e se senta com as pernas cruzadas enquanto me

olha com impaciência, esperando.

— Conversamos e ele me ensinou a tocar um pouco de

bateria. Adormecemos em sua cama, abraçados. Então acordei e

gravei o meu número no telefone dele e deixei um recado para

que me ligasse.

— Ele tem uma bateria no quarto e ficaram abraçados

durante a noite toda? Isso é tudo o que consigo? Me larga com

um bando de garotos bêbados e cheios de tesão, e tive que me

defender sozinha e isso é tudo? — diz Ivy me olhando.

— Como se não quisesse estar ali com todos os gostosões? —

Lembro ela desse pequeno detalhe.

— Bom, está bem, me pegou. Mas sério, conta mais. — Pede

Ivy.

— Não há muito mais o que contar, na verdade. Ele pareceu

lutar contra algo na própria cabeça, assim não falamos muito. Foi

como se encontrássemos paz só por estarmos ali deitados em

silêncio.

— Não a tocou? — Ivy não costuma estar só deitada ao lado

de um homem em uma cama. Não acredita ser possível.

— Não.

42


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Como aqueles dois podem ser gêmeos? — Pergunta.

— Não tenho certeza, como foi sua noite?

— Bem! Conheci um cara que era gostoso pra cacete! Disse

que me ligaria. Beija incrivelmente bem e sabe o que fazer com as

mãos! — Não quero nem saber o que isso significa, assim não

pergunto.

— Esse gostosão tem nome? — Pergunto.

— Sim! Dylan. — Ivy parece muito entusiasmada com esse

garoto. Tenho que conhecê-lo logo.

Ivy e eu passamos a maior parte do dia desempacotando e

nos preparando para as aulas, que começam amanhã. Dirigimos

pelo campus para nos assegurar de que sabemos onde são todas

as nossas aulas. Vamos à livraria para comprar nossos livros.

Nosso pequeno apartamento parece nu, já que não temos

muitas coisas. Essa tarde decidimos trabalhar na decoração de

maneira que não pareça tão singelo. Ouço meu telefone tocar.

Talon: Tudo certo ainda para essa noite?

Eaven: Sim, se você quiser!

Talon: Posso te pegar agora?

Eaven: Claro!

Talon: Chego aí em minutos.

— Merda, o que visto? Ele estará aqui a qualquer momento e

tenho que tomar banho e me vestir. — Começo a entrar em

pânico e correr pelo meu quarto tentando achar todas as coisas

que preciso. Estão dispersas por causa da mudança. Eu achava

que teria até a noite para me preparar.

— Vai tomar banho. Eu encontro suas roupas. Ele não vai

ligar de esperar enquanto termina de se arrumar. — Ivy tenta me

43


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

acalmar, mas o fato de que escolherá a roupa me preocupa um

pouco.

Vou correndo ao banheiro e tomo o banho mais rápido da

minha vida, me enrolo com a toalha e começo a secar o cabelo.

Meu coração bate mais rápido enquanto começo a pensar em

todas as coisas que tenho que fazer nesse momento para estar

pronta. Ivy abre a porta do banheiro e mostra um vestido e as

botas que escolheu para que eu vista de uma vez sem

reclamações. A campainha toca.

— Eu atendo. Não precisa ter pressa, linda! — Ivy me deixa

para que termine.

Talon

Tive que ligar para Luke para descobrir onde ficava o

apartamento de Eaven. Ele hesitou antes de dar o endereço.

Parece ser muito protetor com a prima. Não o culpo. Sinto o

mesmo por Lilly e nem sequer é minha prima de sangue. Quero

levar Eaven ao lago. Nossos pais atracam o barco deles no porto

esportivo e podemos usar quando quisermos. Fico em paz na

água vendo o pôr-do-sol e depois as estrelas quando o sol

desaparece.

Meus irmãos mantiveram minha mente ocupada até o

momento e estou com vontade de passar o resto do dia com

Eaven. Não quero pensar em meu passado e ela será uma

distração nova.

Ivy abre a porta quando eu chego.

44


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Olá, entre! Ela estará pronta em uns minutos! — Ouço um

secador de cabelo. Suponho que deveria ter dito que íamos ao

lago.

— Ela está vestida?

— Deve estar. Vá até lá se quiser.

Paro na porta de seu quarto. Posso vê-la pela porta do

banheiro vestindo nada mais que uma toalha. Ivy está tentando

me matar? Um cavalheiro daria a volta e fingiria não ter visto

nada. Mas nunca tive a intenção de ser um. Dou uns passos e

posso ver que está frenética secando o cabelo. Segue o jogando de

um lado ao outro e pelo rosto. Seu cabelo é muito bonito. Quero

passar minhas mãos por ele, logo. Congelo quando ela desliga o

secador. Imagino que deveria dizer algo antes que me veja e tenha

um ataque do coração.

— Oi! Está terminando? — Passeio os olhos pelo quarto para

que não se dê conta de que não pude tirar os olhos dela.

— Oh, Meu Deus! Que susto! — Agarra sua toalha e começa

a respirar pesadamente. Para minha surpresa, rapidamente se

calma e começa a pentear o cabelo de novo — Sinto muito.

Deveria ter dito no telefone que precisava de um pouco de tempo

para me preparar.

— Não se preocupe. Posso esperar. — Digo enquanto sento na

borda da cama. Não parece se importar que eu esteja aqui, adoro

vê-la centrada em si mesma no espelho e mexendo sua bundinha

naquela toalha. Olho a parte de baixo com a esperança de que

levante um pouco mais e eu tenha uma vista melhor.

— Aonde vamos? Não sei ao certo o que vestir. — Eaven

interrompe meus pensamentos inadequados enquanto luto com

minha repentina falta de habilidades em barcos a motor.

45


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Ao lago. Meus pais têm um barco e pensei que poderíamos

usá-lo.

— Fico feliz de ter perguntado então, porque ia colocar um

vestido. — Diz enquanto passa um brilho labial. Não consigo tirar

os olhos de seus lábios. Está esfregando os lábios entre si.

Imagino o sabor que eles teriam. Espere, ela disse vestido?

— Pode usar o vestido até o sol se pôr.

Ela olha e sorri.

— Está bem, vou levar algum casaco ou coisa parecida para

vestir quando o sol se for.

Realmente não importa o que vista, sei que gostarei. Anda até

mim e a imagino deixando a toalha cair e então empurrando

minhas costas na cama para subir em cima de mim. Mas não é o

que faz. Pega um vestido que estava na cama próximo de mim e

começa a remexer em uma caixa sobre a mesa.

Não posso aguentar mais. Vou para trás dela e a envolvo com

os braços. Suas costas estão contra meu peito e abaixo para

inalar seu aroma. Sussurro ao seu ouvido:

— Deus, cheira tão bem. — A respiração dela falha e se apoia

em mim — Quero arrancar essa toalha e lamber cada...

Centímetro... Seu. — Sussurro intercaladamente enquanto lambo

e beijo a curvado pescoço. Passa os braços por cima dos meus e

os mantém contra o peito. Sinto que meu autocontrole se desfaz

ainda mais. Beijo seu ombro enquanto ela troca a cabeça de lugar

para me dar melhor acesso. Um pequeno gemido escapa de seus

lábios e estou perto de gozar em minha calça como um menino de

quinze anos.

46


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

O que ele está fazendo? Minha pele formiga em todas as

partes que recebem seu toque. O calor do corpo dele se mescla

com a sensação de formigamento do meu e isso me provoca

arrepios em todo o corpo. Seu toque tem efeito nos meus mamilos

que se contraem e meus seios se apertam a cada respiração. Deve

ser porque estou ofegante e com a respiração pesada por conta de

todas as sensações tomam conta de mim.

Quando sua língua e seus lábios começam a deslizar por meu

ombro me dou conta de que estou começando a ter uma

sobrecarga sensorial. Se eu não parar, ninguém para. Ainda não

nos beijamos. Volto à cabeça para a sua e movo meu braço direito

de seu pescoço para os cabelos e guio seus lábios para os meus.

Ele pausa bem em frente de meu rosto e abre os olhos. Sua

respiração está esquentando meus lábios enquanto apenas nos

olhamos. Posso sentir as paredes que eu tinha erguido

desmoronarem. E posso ver o mesmo em seus olhos.

Ele passa a mão direita sobre meu peito e segue direto até o

quadril, praticamente me deixando de joelhos. Seus dedos

empurram meus quadris para mais perto dele enquanto

pressiona o seu quadril contra minha bunda. Está, sem dúvida,

excitado e pronto. Começamos a nos mover, um contra o outro,

sua frente contra minhas costas. Minha toalha começa a subir

devagar e sinto o jeans contra minha bunda.

— Será melhor eu deixar você se vestir. — Diz, olhando

diretamente a meus olhos. Estou decepcionada e aliviada de que

tenhamos parado. Sabia que tinha que detê-lo, mas não

conseguia evitar. Estou, na realidade, um pouco chateada por

não ter me beijado. Por que isso aconteceu? Estávamos

47


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

praticamente transando, mas beijar minha boca está fora dos

limites?

— Por que não me beija? — Pergunto, decidindo que não terei

meias palavras com esse cara. Se não tiver intenção de que essa

relação vá pra frente, preciso que isso acabe de vez. Posso dizer

que não conseguirei resistir e acabarei me apaixonando para

valer.

Surge um sorriso arrogante em seu rosto.

— É tudo questão de antecipação. Faz com que alguns dos

melhores momentos de nossas vidas sejam ainda melhores.

Quero beijá-la pela primeira vez de uma maneira que nunca

esquecerá. — Ele não percebe que nunca me esquecerei dele no

meu quarto enquanto visto uma toalha pequena?

Não importa, porque o seguirei a qualquer lugar para

conseguir esse beijo. Meu corpo reage a ele como nunca reagiu a

ninguém. Isso será interessante!

48


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Cinco

Me arrasto para fora do quarto e digo que tenho que trocar

algumas coisas de lugar na minha caminhonete. A verdade é que

preciso de ar fresco. A atração que sinto por Eaven é muito

intensa e tenho dificuldades para me recompor. A energia no ar

quando estamos juntos é muito espessa, e sei que ela também

sente. Somos como dois ímãs que se atraem.

Quando ela finalmente sai, percebo as alças do biquíni azulclaro

amarradas no pescoço. Usa o vestido sobre ele e eu gostaria

que não estivesse. Está com o cabelo preso e óculos de sol que

ocultam por completo seus olhos de mim.

Abro a porta do motorista e espero que suba.

— Está sexy com esse vestido.

Olha para baixo e pergunta em voz baixa:

— Onde devo pôr minha bolsa? — Por que olha para baixo

quando faço um elogio? Não sabe que é uma preciosidade?

— Dê isso para mim. Entre aqui. Quero seu corpo

maravilhoso junto ao meu até que a traga de volta. — Ela desliza

e adoro a sensação dela sentada tão perto mim. Que esteja

sentada no meio do banco da frente, ao meu lado me dá a

impressão de que é minha. Percebo como isso me faz feliz. Saímos

da cidade em direção ao lago — Então, está pronta para as aulas

amanhã? — Pergunto, com a esperança de começar uma

conversa para tirar da cabeça a ideia de estacionar no

acostamento da estrada aqui mesmo e me aproveitar dela.

— Tão preparada como poderia estar. Será que vamos ter

alguma aula juntos? — Pergunta.

49


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não sei, mas me envie seu horário para que eu possa

comparar. — Digo, com a esperança de que tenhamos pelo menos

uma aula juntos.

— O lago está longe?

— Não muito. Cerca de cinquenta quilômetros.

Terminamos o trajeto falando de nossas famílias. Falo de

meus pais, que são um grande apoio para nós três garotos. Digo

como minha mãe mima seus meninos e como aparece em casa

com comida do nada. Falo com ela sobre o fato de que meu pai é

dono de uma empresa de investimento e ganha muito dinheiro,

mas sempre deu um jeito para estar lá para todos nós. Somos

uma família muito unida.

Ela me fala de sua irmã mais nova, Avery. Parece ser muito

linda. Posso dizer que tem um lugar especial no coração da

Eaven. Estou surpreso de ouvir que seus pais acolheram Ivy

como se fosse deles. Seus pais parecem com os meus e espero

conhecê-los algum dia.

Paramos na marina e descarregamos a bolsa térmica e as

outras coisas que eu trouxe. Ela me segue pela marina e sou

tomado pelo sentimento de quão natural isso parece. Estamos

realmente confortáveis juntos. Baixo o barco para a água e coloco

as coisas nele. Subo e ela faz o mesmo.

O barco de meu pai é uma lancha de luxo a motor. Podemos

deixar que a água escolha o ritmo e nos leve ou atravesse as

águas em velocidade. Eu prefiro a velocidade. É uma lancha

espaçosa e costumamos lotá-la de gente quando os caras decidem

passar um dia no lago. Posso dizer que Eaven está impressionada

pelo tamanho da embarcação por causa de sua expressão no

rosto.

50


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Ela não hesita em ajudar a empurrar as boias quando saio

para a enseada. É como se tivéssemos feito isso um milhão de

vezes juntos. Peço que ela se segure enquanto acelero através do

lago. O barco passará por algumas ondas e pode ricochetear

sobre algumas delas. Isso me dá uma boa visão de seu peito. Com

certeza, vou correr atrás de algumas dessas ondas quando ela

tirar o vestido.

Encontro um lugar no lago que tem uma grande vista para o

pôr do sol. Desligo o motor e baixo a âncora. É hora de dar um

mergulho, então tiro a camisa e mergulho no lago. Olho de novo

para o barco esperando vê-la hesitar sobre entrar no lago comigo,

bem a tempo para ver seu biquíni azul de tiras antes que pule na

água.

Nunca me senti tão em sintonia com uma garota antes. Não

posso pensar em nenhuma das namoradas de meus amigos ou as

minhas do passado que tivessem saltado sem se preocupar com o

cabelo ou com a maquiagem. Ela nada em minha direção e me

pega desprevenido ao saltar fora da água e empurrar minha

cabeça com as mãos para baixo d’água. Agarro a sua cintura e a

arrasto comigo. Emergimos em uma guerra de água.

Finalmente paramos e a envolvo com os braços. Percebo que

apenas ficamos ali, abraçados e flutuando na água. Seu rosto

com um grande sorriso, e se isso é possível, seus olhos estão

sorrindo também. Posso ver a felicidade por todo o seu rosto. Seu

sorriso me tira o fôlego. Faz muito tempo, que eu consiga

lembrar, que fui feliz assim.

Ela coloca as mãos ao redor do meu pescoço e dá uma olhada

nas tatuagens em meus braços. Meus dois braços têm algumas

plumas de anjo tatuadas neles como se as asas estivessem

voltando ao seu lugar depois de uma luta. Há mais debaixo do

51


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

anjo em minhas costas também. Fiz essa tatuagem depois de

perder minha batalha com Nicole. Me pareceu que os anjos no

céu estavam tão devastados quanto eu ante a perda da vida

inocente que foi arrebatada antes do tempo.

— Eu gosto muito de suas tatuagens. O que querem dizer?

— Representam um momento de meu passado. — Não estou

disposto a ter essa conversa. Espero que entenda isso e me dê o

espaço que preciso até que possa compartilhá-lo com ela — Está

com fome? — Pergunto, sabendo que essa vai ser uma verdadeira

prova de sua personalidade tranquila. Meus irmãos e eu sempre

trazemos salsichas frias, pães e cerveja para o lago. As garotas

costumam torcer os narizes para as salsichas frias.

— Sim. — Nadamos de volta ao barco e a deixo subir

primeiro.

— Minha mãe odeia ficar com a água do lago no corpo, por

isso meu pai improvisou uma mangueira se quiser usar. —

Mostro e me delicio com a água correndo por seu corpo. É uma

mulher muito sexy e decido que é hora desse primeiro beijo —

Sabe, você não fez o body shot da maneira correta ontem à noite

— Digo tentando encontrar um jeito fácil de fazer isso.

— Sério? Há uma maneira incorreta de se fazer um body

shot? — Pergunta enquanto põe suas mãos nos quadris em sinal

de protesto.

— Bom, vamos dizer que há maneiras melhores de fazer body

shots. — Digo esperando que ela se anime a mostrar.

— Parece muito certo do que diz. Acho que será melhor que

me ensine às técnicas corretas do body shot. — Diz fazendo meu

coração parar de bater porque sei que vai ser muito bom. Pego

uma garrafa de Jack Daniels e um copo do compartimento

secreto.

52


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Se ajoelhe aqui. — Levo ela à popa onde fica o

compartimento do motor. É um bom espaço plano acolchoado,

uma elevação na porta do motor. Ela me segue vacilando um

pouco. Nessa posição, percebo como poderia tirar seu biquíni com

rapidez, deixando-a nua para mim.

— Sente sobre suas pernas e recoste um pouco. Vou te dar a

dose na boca, mas não engula.

Eaven

Caralho, isso está mesmo acontecendo? Nem começamos o

body shot e já é mais excitante que ontem à noite. Tenho uma

ideia do que pensa fazer. Sendo assim, procuro em meu cérebro

maneiras de fazer que seja ainda melhor. Ele espera que eu seja

inexperiente e sou. Espero poder canalizar minha deusa do sexo

interna para seguir adiante.

— Simplesmente deixe que goteje lentamente de sua boca

para seu corpo e vou te mostrar um body shot apropriado. —

Sorrio com antecipação enquanto derramo Jack Daniels em

minha boca. Mal abro meus lábios e deixo que comece a escorrer

pelo meu seio. Ele vigia bem de perto enquanto o líquido se

aproxima do meu decote.

Viro a cabeça só um pouco para a direita para alcançar o

topo do meu seio direito e depois volto para a esquerda, o

suficiente para chegar ao seio esquerdo. Noto que todo o líquido

fica detido concentrado no vale entre meus seios, junto ao

biquíni.

Ele agora está de joelhos bem em frente a mim. O ar esfria

minha pele e estou a ponto de explodir com toda a tensão furiosa

53


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

que percorre meu corpo. Agarro a garrafa dele e tomo outro gole.

Dessa vez afasto a alça da parte de cima do biquíni para que o

líquido desça e chegue à parte de baixo.

Decido afastar a parte de baixo do biquíni da pele o suficiente

para um pouco do líquido continue a descer. Seus olhos estão

fixos em meus dedos e no percurso da bebida rumo aos meus

quadris. Solto o tecido e o deixo voltar para o lugar. Ele me olha

com um sorriso no rosto e logo começa a me desbravar.

Sua língua começa onde meus dedos sustentavam o biquíni.

Desliza todo o caminho até meu estômago e para o vale no decote.

Se demora lambendo entre cada seio e no colo. Continua

seguindo o contorno de cada seio. Sua língua segue acima para o

pescoço até que se encontra cara a cara comigo. Lambe o meu

queixo e meus lábios chupando toda a bebida que ainda restava.

Então finalmente me beija. Um beijo como nunca

experimentei. Tão profundo e apaixonado que juro que meus

dedos dos pés começaram a se curvar. Beijo-o lutando por ar,

porque meu coração está pulando fora de meu peito. Talon sabe

como ir profundamente a minha alma. Nunca baixei a guarda tão

rápido. Enfim, desacelera nosso beijo e começa a deslizar suas

mãos por meus braços. Todo meu corpo estremece pelo calor de

seu toque.

— É a garota mais sexy que já vi. Está querendo que eu a

ataque aqui nessa lancha? — Sussurra em meu ouvido.

— Como assim? Só estava aprendendo a forma correta de

fazer um body shot. — Digo dando um sorriso malicioso que o

deixa ver meu lado perverso.

— Acredito que foi você quem me ensinou a forma correta.

Não fiz nada mais que aproveitar a vista. Agora, tudo o que

54


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

consigo pensar é em quão afortunado é Jack Daniels por estar no

seu biquíni. — Diz mordiscando minha orelha.

Eu estava temporariamente louca por fazer isso? Devo ter

enlouquecido. Ele me faz sentir com mais confiança que nunca.

Sabe como fazer uma garota se sentir sexy. Estou saindo do

casulo e preciso dizer que isso é muito divertido.

— Acredito que vou me lavar outra vez. Não há nada como

precisar de três banhos em duas horas.

— Hmmm, gosto que precise tomar banho quando estamos

juntos, você é minha garota suja. — Grunhe e um calafrio

percorre as minhas costas — Vou pegar a comida enquanto toma

a ducha. — Talon rompe nossa conexão e começa a tirar coisas

do isopor.

Depois de me lavar e me secar com uma toalha, decido que o

melhor é pôr meu vestido de novo. Ele me entrega um cachorroquente

e uma cerveja. Não sei ao certo o que achar de salsicha

fria, mas experimento assim mesmo. Na verdade, não é ruim. Não

é algo que farei sempre em casa, mas parece que serve seu

propósito agora.

— O sol vai se pôr logo. Eu adoro vir aqui só para pensar. —

Ele diz.

— É muito tranquilo, fico feliz de me deixar fazer parte.

Terminamos de comer e me inclino para trás para olhar o

horizonte. O sol reflete na água quase formando uma linha da

lancha até a orla. O céu azul começa a ficar mesclado com tons

laranja e amarelo. É impressionante. Ele senta ao meu lado e me

guia para que eu sente entre suas pernas e incline para trás

contra seu peito.

55


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Sentamos assim em silêncio, enquanto o sol baixa por

completo. O som rítmico da água golpeando contra o fundo da

lancha é o único som que ouço.

Recordo da noite anterior e da lição de bateria interrompida.

Quero perguntar a respeito da noite anterior, mas parece que as

palavras ficam engasgadas.

— Carne ou frango? — Pergunto.

— O quê?

— Carne ou frango? Quero conhecer você e pode ser

divertido.

— Carne. — Diz lentamente, quase com medo de onde isso

iria chegar.

— Sua vez de perguntar. — Digo, com a esperança de que ele

entre na brincadeira.

— Cerveja: Budweiser ou Coors? — Pergunta.

— Nenhuma das duas, na verdade. Se eu pudesse escolher

seria de rum com Coca-Cola. Mensagem de texto ou ligação? —

Pergunto rapidamente.

— Geralmente, texto, mas tenho a sensação de que vou

mudar de opinião logo. Chuveiro ou de banheira?

— Ao que parece, chuveiro, mas adoro tomar banhos. Pepsi

ou Coca-Cola?

— Nenhum dos dois. Mas se tivesse que escolher, eu gosto

mais de Coca do que Pepsi. Para debaixo do colchão ou soltos?

— O quê? — Estou confusa.

— Seus lençóis, presos ou soltos.

— Definitivamente soltos. Me sinto sufocada se não puder

deixar uma perna para fora da cama. Republicanos ou

democratas?

56


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Americano. Voto pela pessoa, não pelo partido. Luzes

acesas ou apagadas? — Olho para trás, para ele, confusa de novo

por sua pergunta. Então me dou conta de suas perguntas mais

recentes estão cheias de segundas intenções. Esse jogo eu posso

jogar também.

— Hmm, qualquer um. Noite ou manhã? — Pergunto, e noto

que ele sorri com a pergunta.

— Os dois. Não se esqueça do resto do dia e da tarde

também. Na cama ou fora da cama?

— Depende do que estamos fazendo.

— Eu gosto da forma que disse estamos. — Vira minha

cabeça e nos beijamos de novo. Dessa vez é mais sensual que

apaixonado. Belisca meu lábio inferior e não tinha ideia de que

adorava até agora.

Ainda estamos sentados com minhas costas contra seu peito

e quero aprofundar o beijo, então coloco minhas pernas para o

lado.

Ele começa a passar as mãos pelo meu cabelo que está preso

em um coque desordenado.

— Solte o cabelo. — Sussurra. Faço isso e ele começa a correr

as mãos por todo o comprimento. Normalmente odeio quando

alguém toca meu cabelo, mas ele pode fazer isso quando quiser.

Talon

Meu plano para me distrair está funcionando bem porque

não há nada em minha mente que não seja Eaven. Ela é tudo o

que quero em uma garota. Tem a aparência, a inteligência, a

personalidade e o senso de humor. É alguém com quem poderia

57


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

passar dia após dia e nunca me cansar. É melhor parar de beijála

ou não vou ser capaz de me conter por mais tempo.

Sei que concordou com tudo que propus até agora, mas há

várias coisas que temos que falar antes que eu vá mais longe com

ela. Essa é a parte que não quero reviver, contar para mais

alguém o que aconteceu comigo. Como não consegui manter

minha família a salvo. Como não pude fazer o trabalho mais

importante de um pai. Proteger meu filho.

— Eaven, preciso contar algumas coisas sobre mim. Não sou

essa pessoa feliz, sem preocupações que pareço. Tenho segredos

obscuros e decepções que me perseguem. Você faz com que me

esqueça do meu antigo eu. Estou me sentido mais vivo nas

últimas horas do que me sentia em anos, e por isso quero

agradecer.

Como posso começar essa conversa? Sei que ela não vai

entender o que estou passando, mas sinto que posso falar com

ela. Creio que deva apenas falar.

— Eu deveria me tornar um pai hoje. — Ela fica tensa

quando digo isso. Não deveria ter dito nada. Começo a me

levantar.

— Talon, pode me dizer o que for. Por favor, não tenha medo

de deixar que eu veja você. Não quero nunca que haja mentiras

ou drama entre nós. O que aconteceu? Não fique assim. — Pega

minha mão e me puxa para baixo, para seu lado.

— Minha ex-namorada, Nicole, e eu nos conhecíamos desde

crianças. Ela se tornou viciada em comprimidos no penúltimo

ano do ensino médio. Ajudei em vários momentos difíceis de sua

vida, inclusive tomar medicação para depressão. Depois que

começamos a sair, parecia feliz e realmente não me preocupei

muito a respeito dos comprimidos. Logo que nos mudamos para

58


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

cá, as coisas seguiam bem até que soubemos que estava grávida.

Eu queria ficar com o bebê e ela não. Ela não soube lidar bem

com o estresse e procurou os comprimidos de novo para tentar

lidar com tudo. Certa noite teve uma overdose e o bebê não

sobreviveu. Taron e eu estávamos lá. Presenciamos todo o

sofrimento. Não consegui fazer ela parar. Deveria ter percebido.

Nunca devia ter abandonado ela naquela noite fazendo ela passar

dos limites. — Minha garganta está contraída e não posso dizer

mais nada.

Ela põe seus braços ao redor do meu pescoço e começa a me

consolar. Sussurra:

— Isso é o que significa sua tatuagem. É o anjo derrotado. —

Vê tudo. Sente tudo. Seus olhos estão cheios de compaixão e

angústia.

— Deveria ter notado. Estava tão concentrado no que queria

que não percebi que ela estava se drogando de novo.

— Não pode se culpar pelo que ela fez. Ela precisava de

ajuda. Onde está Nicole agora? — Pergunta em voz baixa.

— Reabilitação... Na realidade não tenho ideia. Deveria estar

lá agora. Não me importa onde está. Não quero voltar a vê-la.

Arrancou meu maldito coração e o fez em pedaços.

— Sinto muito, Talon. Gostaria de poder melhorar as coisas

para você. Tem que entender que não é sua culpa. Você não foi

um fracasso. Se ela já estava decidida você não poderia ter

impedido. Você é uma pessoa maravilhosa e não merece isso. —

Escuto suas palavras. Todo mundo em minha família havia dito

as mesmas coisas de alguma forma ou outra, mas por alguma

razão as palavras significam mais para mim vindo dela. Ela não

me vê como um fracasso. Mas ela vê o meu verdadeiro eu, ou

simplesmente a pessoa que quer que eu seja?

59


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Recostamos e olhamos o céu claro da noite, as estrelas

brilhando. Mostro meu limitado conhecimento sobre algumas das

estrelas e constelações. Ela põe sua cabeça em meu peito e ouve

todas as minhas palavras. O ar da noite é frio e nós dois

começamos a tremer. Vestimos os casacos e decidimos retornar à

marina. Trago ela comigo na cabine e a deixo dirigir por uma

parte da viagem de volta. Trabalhamos juntos para amarrar a

lancha e deixá-la presa no porto esportivo.

À volta para casa foi tranquila e em paz. Não teve o silêncio

incômodo que tive com outras garotas. Sentamos juntos, de mãos

dadas e aproveitamos a viagem de volta até seu apartamento.

Ajudei a pegar sua sacola e bolsa e a acompanhei até a porta.

— Muito obrigada por hoje. Foi uma noite perfeita. — Diz

enquanto me observa.

— Eu que agradeço. Só foi perfeito porque você fez o dia ser

dessa forma. — Chego perto para um último beijo. É muito suave,

muito lento. Não quero me afastar dela. Continuo o beijo por

bastante tempo. É ela quem se separa e vira para entrar.

— Quando posso voltar a te ver? — Pergunto esperando que

diga de manhã quando acordarmos lado a lado.

— Não sei, terá que me ligar de novo. — Dá uma piscada e

então fecha a porta.

60


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Seis

Encosto na porta e reflito sobre a noite. Tudo foi tão perfeito.

Não posso acreditar na história de Talon sobre Nicole. Ele está

extremamente perturbado pelo fato de que não conseguiu salvar

seu bebê. Quem teria pensado que esse baterista tatuado teria

uma peça de seu coração faltando pelo bebê que nunca conheceu.

Isso faz com que eu goste ainda mais dele. Sei que ama com tudo

o que tem.

— Conte para mim e será melhor que não deixe nada de fora.

— Ivy chama minha atenção. Terei que contar tudo, mas deixarei

de fora os detalhes do passado dele. Talon parece uma pessoa

reservada e não quero que ela deixe escapar alguma coisa e que

ele deixe de confiar em mim.

— Certo, primeiramente como Talon chegou ao meu quarto?

Você deveria tê-lo impedido. Sabia que não estava vestida.

— Oh irmãzinha, só estou tentando unir vocês. Ninguém se

machucou. Sabia que estava de toalha.

— Não é esse o caso. Suponho que deveria agradecer, já que

as coisas esquentaram um pouco. Por um minuto acreditei que

íamos rolar nos lençóis.

— Viu? Ivy sabe o que faz! — Sempre diz isso, mas com

certeza houve situações no passado em que isso resultou em

situações duvidosas. Adoro seu jeito despreocupado de ser. Conto

tudo sobre o passeio, mas excluo o passado de Talon. Ficou

muito animada quando contei do body shot que resultou em

nosso primeiro beijo. Ri de quão feliz está por mim.

61


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sei que ele é o cara certo. Encontrou sua alma gêmea.

Posso dizer isso porque você se sente confortável com ele. Pelo

amor de Deus, deixou que ficasse depois de surpreendê-la apenas

de toalha. Isso é tão estranho para você! Estou tão feliz por você!

— Diz, enquanto me abraça forte.

— Bom, certamente relutei um pouco a princípio, mas decidi

ver até onde ia dar. Realmente estou tentando sair da minha

rotina e aproveitar o que o mundo tem a oferecer. Você é a razão

pela qual me sinto confortável fazendo essas coisas. Você me

mostrou o tanto de diversão que eu poderia ter e agora estou me

divertindo de verdade. Só espero que o mundo possa nos aturar

juntas. Sabe que como foi você que me arrastou para o mundo,

você não perderá mais o controle das coisas tantas vezes como de

costume.

— Eu sei, e te amo para sempre por se preocupar comigo.

Essa é a melhor família que uma garota poderia pedir. Posso não

ter uma família de sangue, mas tenho você e isso é muito melhor.

Ivy me faria chorar. Nós nos conhecemos desde o dia em que

tentou me implicar comigo na sexta série. Estou tão contente de

que tenha me assustado tanto naquele dia, foi assim que conheci

minha melhor amiga. Ela era uma valentona e eu a idiota que

resolveu enfrentá-la. Se eu já conhecesse a reputação dela, nunca

teríamos nos tornado amigas.

Não sei dizer o que ela viu em mim daquela vez, mas decidiu

que gostava e me acolheu. Gostava de se meter em brigas com

qualquer um que simplesmente a olhasse de maneira estranha.

Com frequência me pergunto como que não arrancou meus

cabelos pela raiz. Andar comigo a deixou mais tranquila com os

anos. Começou a deixar de estar com os problemas que a

enervavam. Quando esses eram coisas que não poderia controlar.

62


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Iríamos rir muito no dia que contássemos aos nossos filhos

como nos conhecemos.

Eaven

Primeiro dia da sexta série — 6 anos atrás

É minha primeira semana na nova escola. Estou nervosa e

meu estômago está se revirando. Não sou o que você chamaria de

pessoa sociável. Não me importo com o que as pessoas pensam de

mim, somente não quero nenhum drama. A manhã passa sem

problemas. Minhas aulas foram as comuns apresentações chatas

dos professores e as regras que devo obedecer.

Passei o almoço sentada perto de algumas garotas. Dessas

que têm medo de olhar o entorno ou falar com alguém, então só

observo. Há uma mesa com o que são, evidentemente, esportistas e

líderes de torcida no fim do refeitório. O que noto em seguida é um

grupo de garotas que estão falando bobagens sobre as líderes de

torcida, e francamente, de todos ao redor. Acho elas intrigantes.

Pergunto qual das garotas é a líder desse grupo de vadias.

Ao que tudo indica, estou encarando, quando a loira me pega

olhando. Chama atenção do resto do grupo. Decido que terminei

minha comida e vou até o meu armário para me preparar para o

resto das aulas.

Fecho o armário a tempo de ver as três idiotas vindo bem no

meio do corredor. Todo mundo se afasta como o Mar Vermelho

enquanto elas andam em minha direção. Formam um triângulo.

63


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

A alta e morena que é a líder está uns bons passos na minha

frente e as outras duas, logo atrás, uma de cada lado. Começo a

me aproximar, só para estar cara a cara com ela. Encaro a garota.

— O que está olhando? — Digo, enquanto olha nas

profundidades de minha alma.

— Você. Tem algum problema? — Vocifera.

— Você. — Respondo mesmo assustada por dentro. Escuto

suspiros e engasgos pelo do corredor. Não me atrevo a tirar os

olhos dos dela.

— Vou. Acabar. Com. Você. — Diz devagar enquanto palavra

por palavra Meu Deus, meu estômago está revirando. Sinto como

fosse cair morta só pela maneira que ela me olha.

Continuo firme e falo sem desviar os olhos:

— Vá em frente e dê o primeiro soco, mas duvido que dê o

último.

Fica surpresa e seus olhos se estreitam, um lado de sua boca

se curva para cima só um pouco. Não respirei desde que vi o trio

vindo pelo corredor, quase poderia desmaiar por falta de oxigênio e

estou agindo como se pudesse derrubar essa valentona que, ao

parece, é proprietária do corredor e talvez da escola inteira.

Levanta sua mão para as garotas número dois e três que dão um

passo para trás.

Não sei por que, mas diz a elas:

— Vamos ou chegaremos tarde. — Enquanto me contorna, noto

que cada par de olhos no corredor estão voltados para mim. As

pessoas estão ofegando e me apontando, como se tivessem visto a

coisa mais louca de suas vidas.

Assim que obrigo minhas pernas a se mover, são apenas dez

passos até minha sala de aula, um menino me diz:

64


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Será melhor ficar atenta, ela vai te matar. — Meu coração

está saindo do peito. Sinto como se não pudesse respirar. Que

merda faço para terminar o dia?

Graças a Deus, ela me deixou em paz. Na verdade, me

protegeu pelo resto do ano caso precisasse. Começamos uma

grande amizade nesse dia.

65


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Sete

Ivy e eu temos as mesmas aulas já que queremos nos formar

em negócios. Nosso plano é começar um estúdio de fotografia

juntas depois da universidade. Parece que temos talento para ver

beleza através da lente. Tivemos a sorte de conseguir alguns

clientes em casa para álbuns de idosos e até alguns casamentos.

Meus pais transformaram a garagem em um estúdio improvisado

para nos ajudar. Minha paixão é fotografia externa. Ivy gosta de

fotos requintadas de estúdio e todo o glamour envolvido no

processo.

Saímos do apartamento a tempo de tomar um café antes da

nossa primeira aula. Acho que devia ter enviado para Talon o

meu horário ontem de noite, mas não enviei. É provável que nos

esbarremos hoje.

A sala de aula é enorme. Estou acostumada com salas

pequenas como as que tive no ensino médio onde conhecia todos,

ao menos de vista. Essa sala tem o formato de um anfiteatro. O

professor fica na parte inferior com um microfone para que sua

voz possa ser ouvida por todos. Posso ver como seria fácil se

perder nesse ambiente. Sentamos no meio e esperamos a aula

começar.

Vejo o homem de meus sonhos no alto das escadas. Ele está

tentando chegar até nós e logo percebo que o homem de meus

sonhos, na verdade, é o seu gêmeo repugnante. Fantástico.

— Ei, gostosas. Essa cadeira está reservada para alguém em

particular? — Como poderia ter confundido ele com Talon? Por

66


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

que me repugna tanto? Oh, espere, provavelmente porque não

pode manter as calças no lugar e me lembra meu ex-namorado.

— Não, a menos que sua melhor metade esteja chegando. —

Ivy responde de forma agressiva. Ele abaixa e se inclina sobre

mim para falar com Ivy.

— Mulher, não há nada pela metade em mim.

— Vou acreditar em você, galinha. Se continuar assim, essa

merda vai cair por conta de alguma doença repugnante. Então,

no que vai segurar em noites solitárias? — Ivy não tem medo de

dizer as coisas como são.

— Quem diz que tenho noites de solidão? — Taron tenta sair

por cima.

— Com seu pênis podre, terá. — Diz Ivy com um sorriso

afetado como se tivesse dito que o dia está lindo. O professor

começa a aula pondo fim à pequena batalha dos sexos.

Taron inclina perto do meu ouvido.

— Então, meu irmão conseguiu ontem? — Sério? Este homem

sempre está pensando em sexo. Como consegue passar o dia?

— Claro! Talvez da próxima vez você se junte a nós! — Decido

surpreendê-lo de novo. Ele me olha e sorri da mesma maneira

maliciosa que Talon sorri. Merda! O que fiz?

— É uma pena, gostosa. Meu irmãozinho nunca compartilha.

— Graças a Deus! Ok, nota mental, sob nenhuma circunstância

flertar com Taron! Não posso competir com essa experiência —

Gosto de você. Faz meu irmão sorrir. Ele não é feliz há muito

tempo. Espero que o trate bem. Eu não ter que ir atrás de você

para te dar uma lição.

— Eu não gostaria de ser caçada por você. Eu gosto muito

dele, mas não estamos juntos.

67


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Isso é um pequeno detalhe que logo mudará. O sorriso em

seu rosto ontem me fez pensar que tinham feito algo obsceno.

— Por que cada frase vira sexo para você?

— Eu gosto de falar de coisas que são importantes para mim.

— A vida sexual de seu irmão é importante para você?

— Se soubesse pelo que ele passou, entenderia minha

preocupação.

— Ele me contou algumas coisas de seu passado.

— Sério? O que exatamente?

— O significado de sua tatuagem e algumas coisas a respeito

de Nicole. — Digo, esperando que isso não volte para me

assombrar. Ele confiou em mim com essa informação. Mas disse

que Taron esteve ao seu lado durante todo o tempo.

— Isto me diz muita coisa. Ele confia em você. Subestimei

tanto ele. — Ele diz parecendo sério — Talon não compartilha

seus segredos com muita gente. Se ele confia em você, por favor,

respeite isso. — Taron pode ser um imbecil tarado, mas se

preocupa com o irmão. Suas advertências se fazem altas e claras.

Seguimos falando de coisas fúteis até o fim da aula.

Pela primeira vez na vida, vou ter que pedir para Ivy que me

empreste suas anotações. Isso é um desastre. Esses meninos

Walker me fazem abandonar minha amiga toda hora. Não sei o

que pensar sobre o assunto.

Meu telefone solta um bip enquanto saímos da sala.

Luke: Preciso falar com você hoje.

Eaven: Ta. Por quê?

Luke: Comentei na outra noite.

Eaven: Quando e onde?

Luke: Podemos nos encontrar agora?

universidade.

Estou indo pra

68


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven: Tenho aulas em uma hora.

Luke: Eu também. Encontro você fora do saguão em 5

minutos.

— Então, está séria com Talon? — Diz Luke enquanto se

aproxima. Posso dizer que vou ficar brava de verdade com Luke

antes que isso termine. Toda sua atitude é arrogante e me frustra

sem fim.

— Eu gosto dele, Luke. Foi legal comigo até agora.

— Você merece mais, Eaven. Não precisa se misturar com

Talon. Ele tem muita mais experiência e drama do que você

precisa aguentar. Pude ver como ele a controlava na outra noite.

Fazendo o que queria com você.

— Pare Luke. Não pode decidir com quem eu saio. Não está

aqui para ser minha babá e assumir o papel de meus pais e

controlar minha vida. Fala de alguém tentando me controlar? Se

olhe no maldito espelho. Gostei do tempo que passei com ele

ontem, e anteontem também.

— Eu acabo com ele se te ferir.

— Luke. Por que está tão preocupado? Contou para mim

algumas coisas do seu passado e não vi motivos para você estar

tão empenhado em me impedir de vê-lo.

— Por favor, tome cuidado e não se envolva demais. Ele é um

filho de puta e você não é assim, é brilhante e muito jovem para

aguentar essas merdas que ele trará para a sua vida.

— Eu sou da mesma idade que vocês. O fato de que fiquei em

casa os dois primeiros anos de faculdade não faz de você mais

velho do que eu. De novo, não preciso de pais.

69


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sei. Isso é uma merda. Sempre vou manter os idiotas longe

de você. — Diz Luke enquanto passa a mão no cabelo em sinal de

frustração.

— Ah tá. Faltou um idiota. O idiota que fez da vida de Eaven

um inferno ano passado. Ele não era seu amigo? — Ivy me

defende.

— Isso é exatamente o que me preocupa. Brandon é um

imbecil e eu sabia do que era capaz. Inferno. Sabia o que faria a

você antes que você mesma soubesse. Por que acha que ele tem

um olho roxo e um lábio inchado?

— Você sabia? Você sabia e não me disse? Deixou que eu

ficasse com ele? Qual o seu problema, Luke? Não pode esconder

essa merda de mim e logo em seguida me advertir sobre outro. É

muito amável de sua parte manter o código de honra com

Brandon. Vá à merda! Saia da minha frente!

— Eaven, só estou tentando não cometer o mesmo erro outra

vez. Não quero me ver no meio de novo. Eu ando com babacas.

Alguns deles não tratam as garotas muito bem. É por isso que

digo que você merece algo melhor. Merece alguém que a trate

bem. São muito altas as chances de que Talon não a trate como

deve.

— Talvez precise ser mais seletivo com seus amigos.

— Talvez sim. Ouça, sabe que vou estar aqui para você se

precisar. Vou recuar e deixar que escolha o que fazer. Mas se

lembre de escolher com cuidado.

70


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Vou para o saguão para encontrar Taron. Sua primeira aula

deve terminar logo. Sigo pensando na noite anterior e no maldito,

sedutor e quente body shot, de Eaven. Não esperava que ela se

soltasse dessa maneira. Há uma mulher safada dentro daquele

corpo e tenho a intenção de expor essa faceta sempre que

possível.

— O que esta acontecendo, irmão? — Taron me dá um

tapinha nas costas me pegando de surpresa em meus devaneios.

— Nada, e você?

— Só uma aula com uma magnífica mulher. Ela estava

falando de você. Suponho que deixou uma boa impressão ontem

à noite.

— Teve aula com Eaven?

— Sim e com Ivy também.

— Ótimo, a que horas é o ensaio hoje?

— Estava pensando por volta de oito da noite e depois

podemos ir ao Smitty se estiver a fim.

— Sim... Claro... — Digo quando noto Eaven e Ivy lá fora de

pé, encostadas em uma das colunas. Estou indo até ela quando

percebo que Luke está com elas. Eaven parece zangada com algo.

Chego perto bem a tempo de ouvi-la mandando Luke se foder

por não dizer a ela sobre alguém chamado Brandon. Que porra é

essa? Não achei que ela estivesse vendo mais alguém. Estou

realmente fora da jogada. Odeio essa merda. É mais fácil quando

sou só eu contra o mundo. As coisas ficam complicadas quando

deixo alguém se aproximar. Eu deveria saber.

— Então meninas estão me seguindo? Sei que querem meu

corpo para mantê-las aquecidas, mas sério, estivemos juntos há

71


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

pouco tempo. — Taron consegue fazer um momento incômodo ser

pior. Faz da nossa presença conhecimento geral de Luke, Eaven,

e Ivy.

— Em seus sonhos, idiota. — Ivy o golpeia no peito.

Não tinha planejado parar e conversar depois do que ouvi.

Agora estou com raiva por ela ter brincado com minha cabeça e

não tenho vontade alguma de ser educado. Assim continuo

andando.

— Babe, babe. Não seja rancorosa! — Exclama Taron em alto

e bom som para chamar a atenção para si mesmo.

Isso é tudo o que escuto enquanto continuo meu caminho até

a aula. Chega dessa merda. Não preciso de uma mulher para

martelar meus pensamentos. Eu estava bem. Por que tinha que

me conquistar com tanta rapidez?

Faz dois dias que a conheço e bum. Estou todo fodido por

causa dela.

— Talon, espere. — Conheço essa voz. Não paro, mas ela

corre para me alcançar — Qual é seu problema? — Diz até que

agarra meu braço para me deter.

— Eu não tenho um problema.

— Ok, então por que não parou para dizer oi?

— Tenho aula — Digo com aspereza. Essa conversa terminou.

— É muito pedir que seja civilizado?

— Vá à merda com ser civilizado. — a ofendo — Se quiser

alguém civilizado, por que não chama o Brandon?

— Por que fez isso? Como pode dizer uma coisa dessas? —

Lágrimas caem de seus olhos enquanto me dá um tapa e se vira

para se afastar. Estou aturdido. Ela não me deu uma bofetada,

deu?

72


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Fico deprimido pelo resto do dia. Se não fosse pelo ensaio

dessa noite, ficaria enterrado em minha cama e não sairia do meu

quarto.

Estou disposto a me livrar de um pouco do meu estresse no

ensaio e chego cedo à casa de Luke. Ensaiamos em sua casa já

que sua sala é grande o suficiente para acomodar todos nós e os

equipamentos.

— Meu amigo, qual é a porra do seu problema? — Luke me

pergunta.

— Eu não tenho um problema.

— Sei, mas eu tenho. Por que disse aquilo para Eaven? Foi

insensível e idiota.

— Só disse que chamasse Brandon se queria alguém

civilizado. Se esse cara é a pessoa que ela prefere estar, que vá

procurar por ele, então.

— Você é um maldito estúpido. Ela gritava comigo porque

namorou um amigo meu, Brandon, há mais de um ano. Ele a

traiu. Ela tinha acabado de saber que eu sabia sobre isso e não a

avisei. Eu estava advertindo a respeito de você e ela me mandou

pastar.

Merda. Minha mente está tão confusa que tirei conclusões

precipitadas. Ela não está fazendo joguinhos, eu estou. Ela

provavelmente nunca mais vai querer falar comigo de novo.

— Por que a advertiu a meu respeito?

— Não leve para o lado pessoal. Não quero que ela saia ferida

por outro de meus amigos que não a valorize. Não vou aguentar

mais culpa quando mais alguém que conheço a foder e partir seu

coração.

— Já volto.

73


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Que merda eu fiz? Preciso colocar a cabeça nos eixos. Acabei

de mandá-la chamar o ex. Alguém que a enganou como um

desgraçado desalmado. Dirijo o mais rápido que consigo até seu

apartamento só para descobrir que ela não está. Decido então

enviar uma mensagem.

Talon: Sinto muito. Nunca devia ter dito aquilo. Onde está?

Preciso te ver.

Ela não responde. Então eu volto para a casa de Luke.

74


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Oito

Ivy e eu matamos o resto das aulas porque não consigo me

acalmar e ela não é de me deixar chorar sozinha. Como ele pode

dizer aquilo? Não sabia que conhecia Brandon.

Ivy está decidida a me tirar de casa essa noite. Quero chorar

até dormir e recomeçar o dia. Onde que eu errei?

— Um brinde! Dançar a noite toda e esquecer tudo e todos

que nos aborreceram hoje. — Diz Ivy enquanto insiste em nossa

tradição de brindar a cada copo que bebemos juntas.

— Ivy, por favor. Só quero ficar em casa.

— Sem essa, minha amiga. Levante essa bunda e venha

dançar comigo.

Resignada me ponho de pé e me arrumo para sair. Ivy me

traz uma bebida a cada meia hora. Quer que eu afogue todas as

mágoas hoje.

— Vamos nos divertir essa noite! — Ivy está me guia para fora

do apartamento e para dentro do carro. Não estou bêbada, mas,

simplesmente não tenho vontade de ir a lugar algum.

Quando chegamos ao Smitty, ela pede três doses, duas para

mim e uma para si.

— Por que estamos bebendo? — pergunto.

— Essa é por você, essa é por mim, e essa é porque somos

livres! — Brindamos e bebemos. Lanço a segunda dose goela

abaixo no instante em que Ivy me dá um puxão para a pista de

dança. Nem de perto há tantas pessoas hoje como no sábado. Ivy

faz com que eu me sinta melhor. Ela é tão alegre na pista de

75


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

dança. Adoro isso nela. É obvio, ela se move de maneira que os

caras querem o tempo todo ficar perto. Percebo um deles

chegando por trás dela para dançar. Ele sussurra algo em seu

ouvido e ela sorri enquanto gira a cabeça para olhá-lo. Eles

continuam a dança enquanto eu me mexo de forma torpe. Deve

ser por causa da bebida. Decido sentar no bar e esperar a

próxima dança. O garçom traz uma taça e aponta para uma mesa

na ponta cheia de cowboys. Diz que é da parte deles. Tomo um

gole.

Hmmm, rum e coca-cola. Meu favorito.

Ivy logo vem ao meu resgate assim que a música termina. Ela

está muito feliz.

— Quem era o cara sexy? — Pergunto.

— Lembra do Dylan? Bem, é ele. — Ivy olha para ele e dá

uma piscada — De onde tirou esse drink?

— Os caras da ponta me enviaram.

— Sério? Devemos agradecer agora mesmo!

— Claro que não. — Coloquei os pés no chão. Não vou falar

com um grupo de malditos cowboys.

— Por que não? Está sendo grosseira. Eles pagaram a bebida,

deve agradecer corretamente. — Ela está louca. A última coisa

que preciso é de um grupo de caras com quem não posso tratar

dividir meus pensamentos. Começo a sentir os efeitos das doses

que Ivy me deu. Vou acabar fazendo ridículo.

— Muito bem! Vou falar com eles por você. Quem sabe o que

vou dizer? Poderia até dar seu número de telefone. Posso convidálos

pra sair depois do clube. — Essa vadia! Sei que ela faria isso.

Vou atrás dela, como ela sabia que eu faria depois do seu

discurso.

76


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Olá meninos! Minha garota aqui gostaria de agradecer pela

bebida! — Todos na mesa se levantam quando chegamos. Eles

nos cumprimentam com seus chapéus e sorriem. Um deles

chama a garçonete para pedir uma bebida para Ivy e depois nos

guiam para que sentemos com eles. Havia um montão de “sim,

senhora” e “não, senhora” que Ivy estava adorando. À minha

direita está Aiden. Seus olhos azuis brilhantes e sorriso cativante

quase me derretem.

Pede para dançar comigo e, com relutância, aceito. É

diferente dançar com um cara do interior. Parece um pouco rígido

se comparado com a sensualidade envolvente que estou

acostumada. É muito amável e respeitoso com as mãos e gosto

disso. Falamos um pouco e fico sabendo que estuda na mesma

universidade que nós duas e seu apartamento é perto do nosso.

Terminamos a dança e voltamos à mesa, bem a tempo para que

eu veja Talon e seus amigos chegando até a mesa bem ao lado da

mesa dos cowboys. Merda. Isso me deixa sóbria na hora.

Talon me olha enquanto ando e não consigo fazer contato

visual com ele. Ele agarra meu braço e me leva para longe de

Aiden.

Talon inclina a cabeça, se aproxima de meu ouvido e

sussurra.

— Tá me ignorando? — O quê? É louco. Não sei lidar com ele.

— O que? É bipolar? Parei com os joguinhos. — Digo tirando

meu braço de sua garra.

— Liguei para você. Enviei mensagens de texto várias vezes, e

até fui a sua casa agora à noite para me desculpar pelo meu

comportamento de manhã. — Ele estava se desculpando? Freio

minha vontade de me afastar. Nunca um cara se desculpou

comigo.

77


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Por que diria isso? Nem sabia que o conhecia. Dói saber

que me mandaria procurá-lo sabendo o que ele me fez. E não.

Não estou ignorando você. Deixei meu telefone em casa.

— Era sobre isso que queria conversar. Não o conheço nem

sei o que ele fez. Fui um imbecil. Só ouvi parte da conversa com

Luke e presumi que ainda estava saindo com o tal Brandon.

Fiquei tão irado que não consegui ver através da raiva que me

subiu às veias. Pensei de verdade que tínhamos nos conectado e

aí fico sabendo que está saindo com um cara chamado Brandon.

— Está de sacanagem? Não saio com Brandon desde que o

encontrei metendo em outra garota. Há quase um ano.

— Agora eu sei. Lamento tanto por ignorar e não falar com

você. Por favor, me perdoa? — Diz enquanto me abraça. Estamos

tão próximos. Não posso pensar com clareza quando estamos

assim tão perto — Dance comigo — Diz, e espera até que eu

concorde antes de me puxar para a pista de dança. A forma como

me segura é muito diferente de qualquer outro que já tenha feito.

Nossos corpos se tornam um de forma imediata e me segura o

mais perto dele possível. Tudo em volta desaparece e me perco

nele de novo.

— Então, como soube que tinha entendido mal? — Pergunto

tentando acabar com as dúvidas do dia.

— Luke chamou minha atenção no ensaio. Depois que disse

que fiz merda, fiquei louco atrás de você. Tínhamos ensaio essa

noite e não consegui me concentrar em nenhuma música sequer.

Os caras cansaram de mim. Por isso, estou aqui.

Ponho minha mão onde dei uma bofetada no rosto dele.

— Lamento pelo tapa. Não deveria tê-lo acertado.

Ele sorri.

78


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Eu mereci. Na verdade, me pegou de surpresa e a dor que

deixou fez pensar em você o dia inteiro.

— Pensou em mim? Não pensei em você o dia todo. — Digo,

sorrindo e mentindo — Essa era a razão para Ivy me arrastar

para o Smitty e enfiar uma dose atrás da outra na minha boca.

Era um desastre.

— Se somos tão miseráveis separados, talvez devêssemos

oficializar e ficarmos juntos.

— Está me pedindo para ser sua namorada?

— Isso significa uma boa foda 7 ?

— Um... Não. — Digo, e o belisco com força para causar dor.

— Ai! Merda! Estou brincando, Eaven. Você gostaria de ser

minha namorada?

— Sim. Eu adoraria ser sua namorada. — Digo enquanto

pulo de emoção por dentro.

Ele se inclina e me beija. Continuamos nos beijando até que a

música termina. Não tenho nem ideia de quem ainda está por aí e

quem já foi. Ele tem toda minha atenção.

— Então, quem era o palhaço de rodeio?

— Sério? Palhaço de rodeio? Isso é maldoso. Ele se chama

Aiden. Ele foi um cavalheiro que me pagou uma bebida e dançou

comigo antes de você chegar. E tenho certeza que entendeu a

mensagem, de nós estarmos juntos agora.

— Será? — Diz enquanto olha para a mesa com um olhar

meio animalesco.

— Baixa a bola, macho alfa. Não tem motivo para se

preocupar. Eu sou sua, toda sua agora. Enquanto me quiser.

7 Em inglês a Eaven usa “gf” no lugar de girlfriend. Talon, tentando ser engraçadinho (sem sucesso) pergunta se é “Good

Fuck”, uma foda boa.

79


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Ela é tão bonita. Não consigo manter as mãos longe dela

enquanto dançamos. Não quero deixar a pista de dança e lidar

com as duas mesas cheias de gente. Ficamos tão bem quando

esquecemos o resto do mundo. Se esse cowboy barato sequer

olhar na direção dela, acabo com ele. Ele saberá que ela é minha,

se ainda não entendeu.

Adoro a sensação de tê-la contra mim. Quero mantê-la perto

assim a noite toda.

— Venha para casa comigo. — Peço esperando que concorde.

— Não devo.

— Não deve ou não pode?

— Com certeza, não devo, mas acho que posso. — Sorrio de

volta quando ela me olha bem nos olhos — Só quero ir devagar.

Não quero apressar as coisas. Hoje me assustei, e acredito que

devíamos dar um passo para trás e ver se o que temos é mais que

óbvia química sexual. — Murmura. Deve temer que eu não

concorde com ela.

— Isso parece uma boa ideia. Só não me exclua por completo.

Gosto das nossas sessões de beijos. — Deixo minhas mãos caírem

até chegar a sua bunda.

— Por que não vamos ao meu apartamento, então? Podemos

ir agora? — Pergunta.

— Pensei que nunca perguntaria.

— Tenho que encontrar Ivy primeiro.

Vamos à mesa em que Ivy está sentada com Dylan. Ele sai de

vez em quando conosco. Realmente não o conheço tão bem, já

que não fui sociável ultimamente.

— Ivy, estamos indo embora. Vem com a gente? — Eaven

interrompe a conversa entre Ivy e Dylan.

80


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não, vou ficar por aqui mais um pouco. Assim vocês terão

mais privacidade. — Diz e dá uma piscadela.

Entramos na caminhonete e ela pula no assento bem perto de

mim. Ela é minha agora. Isso me deixa muito feliz.

Assim que chegamos ao seu apartamento, percebo que parece

muito cansada. O álcool tem esse efeito em mim também, quando

não bebo o suficiente para conseguir ficar completamente bêbado.

— Vamos. Vou levá-la para cama. — Digo com a intenção

genuína de colocá-la para dormir.

Sorri e murmura algo. Deito na cama por cima dos lençóis

mesmo enquanto ela está no banheiro. Ela sai com uma camiseta

até as coxas sem mangas e de calcinha. Vai ser difícil. Ela deita a

meu lado e a trago para meus braços. Suas costas estão contra

meu peito e seus quadris se moldam aos meus. Chego um pouco

para trás, porque estou ficando duro, com a fricção e o calor entre

nós.

— Estamos realmente juntos? Ou estou sonhando? —

Sussurra.

— Oh, querida, estamos juntos. Estou muito feliz. Lamento

ter tirado conclusões hoje cedo. Não merecia isso. É só que, com

tudo o que me aconteceu antes, imaginei que era muito boa para

ser verdade. Por que algum idiota arruinaria a oportunidade de

estar com você?

— Nós dois tivemos relacionamentos que nos machucaram de

algum jeito. Teremos que trabalhar nossa confiança. — Diz

enquanto gira sua cabeça para me olhar — Confie em mim até

que eu prove não ser digna de confiança, farei o mesmo. — Diz

levando sua boca de encontro a minha. É um beijo profundo até

que o interrompo e beijo sua testa. Ela desvira e descansamos

nos braços um do outro. Em paz.

81


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Nove

A vida é ótima agora. Se não estou saindo com a Ivy, então

estou com Talon. Ele vem fazendo o impossível para que cada dia

juntos seja, de algum jeito, especial.

Nossa relação cresceu nessas últimas três semanas. Estamos

conciliando nosso relacionamento com todo nosso trabalho

escolar e que ainda aproveitamos a faculdade ao mesmo tempo.

Temos uma aula de finanças juntos, às terças e quintas, e fora

isso saímos juntos depois das aulas. Ivy e Dylan estavam se

vendo ao menos uma vez por semana, mas ela ficou sabendo que

ele será transferido no seu trabalho e não parece muito

incomodada com o fato. Sempre falava que não queria nada

exclusivo.

Ivy e eu marcamos para essa semana uma sessão de fotos em

Springfield. Ganhamos bastante dinheiro com as sessões que

tentamos marcar ao menos uma por mês. Às vezes reservamos

algumas sessões familiares, mas essa semana estamos nos

concentrando só em casamentos. Espero que seja grande. Já

tiramos fotos da noiva e do noivo separados para diminuir o

tempo das fotos depois da cerimônia. Convidei Talon para

conhecer minha família.

— Está nervoso por conhecer meus pais? — Pergunto no

caminho. Parece tão bonito vestido para o casamento.

— Deveria estar, anda transando com a filha deles. Sabe que

vão perceber. — Ivy está adorando torturá-lo um pouco antes de

chegarmos.

— Ninguém está transando. — Relembro Ivy.

82


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Lembro uma vez que veio para casa de um encontro e seu

pai estava escondido em uma árvore, completamente vestido com

o uniforme militar. Enquanto apontava o rifle para o pobre

Johnny. Essa merda foi louca!

— Pare de zombar de mim. Isso não aconteceu... Nos últimos

cinco anos. — Digo a última parte esperando que Talon não

entenda — Ele é muito tranquilo e não apontará um rifle para

você. — Noto que Talon engole em seco e me olha de canto — Ele

só fez isso porque sabia do Jake, então sentiu que talvez

precisasse me resgatar de ser violada no carro.

— Acaba de dizer violada? E o nome não era Johnny? —

Pergunta Talon.

— Esse é o nome que Jake deu ao próprio pênis. — Ivy sorri e

vemos Talon ficar nervoso mesmo.

— Seu pai já apontou um rifle para o pênis de um cara e você

o considera tranquilo? O que seria ruim? Não posso conhecer

seus pais. Um olho em mim e provavelmente chamará amigos

para que o ajudem. — Começa a parar o carro.

— O que está fazendo? Eles vão amar você! Quero que os

conheça e também minha irmãzinha. Por favor? — Agarro sua

perna e a aperto para dar segurança.

— Se arrancarem meu Johnson, a culpa é sua. — Diz como

eu fosse deixar isso acontecer. Não se dá conta que amo seu

Johnson tanto quanto ele?

Chegamos ao casamento com tempo suficiente para preparar

a cerimônia. Apresento Talon a minha família e as apresentações

parecem correr sem problemas. Ivy me ajuda a manter a conversa

entre meu pai e Talon. Meu pai parece questioná-lo sobre a

83


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

banda um pouco mais do que eu esperava. Não falamos sobre o

fato de que Talon deveria ser pai.

— Então você e seus colegas fazem ruído na garagem aos fins

de semana?

— Não senhor. Não são meus colegas. Só meu irmão gêmeo,

meu primo e seu sobrinho, Luke, na banda.

— Pai, eu contei a você que a banda do Luke é muito boa.

Deveria vir e escutá-los algum dia. Ficaria impressionado. —

Digo, fazendo meu pai deixar de olhar para Talon com um olhar

crítico em seus olhos.

Avery vem correndo e salta direto nos meus braços.

— Ei, menina linda! Quero que conheça alguém. É um bom

amigo. Seu nome é Talon. — Ela fica tímida e baixa sua cabeça.

Talon põe um dedo sob seu queixo e levanta sua cabeça.

— Ei garotinha. Não seja tímida, não mordo!

Vejo que a noiva está pronta para que tiremos as fotos, então

tiro Avery do meu colo. Olho para Talon tentando decidir onde

sentá-lo quando o vejo ajoelhando para falar com Avery.

— Ei, estou bem. Vá trabalhar. — Diz me dispensando. Não

posso evitar olhar para trás toda hora para vê-lo com minha

família durante a cerimônia. Até agora não parece ocorrer nada

ruim e espero que possamos passar esse dia sem nenhum

problema. Meus pais aprenderão a amar a pessoa por quem me

apaixonei, mas tudo seria mais fácil se gostassem de Talon desde

o começo. Não estou dizendo que estou apaixonada por ele... Mas

posso sentir que estou indo nessa direção.

Depois de terminar com as fotos da recepção vou procurar

Talon. Minha mãe diz que ele está no salão de jogos. Paro na

porta, em silêncio e escuto Avery e Talon. Os dois estão sentados

no meio do chão.

84


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Mas paaaaaai, você disse que podíamos ir lá fora. — Avery

está segurando uma boneca enfrentando o boneco que Talon tem

nas mãos.

— Disse que depois que você limpasse seu quarto, iríamos ao

parque. — Talon fala com uma voz severa.

— Está bem. Agora vamos brincar de cabeleireiro e

maquiador. — Avery se levanta, assim pode alcançar o cabelo

dele. Começa a prendê-lo com um pequeno elástico — Agora fica

quieto. É doloroso ser bonita. — Avery obviamente está imitando

a minha mãe. Sempre dizia isso quando penteava meu cabelo

longo de criança. Cada vez que eu me retorcia de dor, mamãe me

lembrava do quão dolorosa a beleza poderia ser. Ele está

começando a parecer alguém dos anos cinquenta com o cabelo

penteado todo para trás.

— Garotinha, deve ter passado por um montão de dor então,

porque é muito bonita. — Ele sempre me coloca para cima, e

agora não perdeu a oportunidade de ajudar a construir um pouco

a confiança de Avery também.

— Isso! Vou colocar um laço bonito no seu cabelo para

segurá-lo. — Ela está muito orgulhosa de seu novo penteado.

Com certeza conseguirei uma foto desse momento. Será melhor

que eu tire a foto antes que ela comece com a maquiagem,

embora me pergunte se ele deixará que chegue a tanto.

— Ei, diga xis! — Espero que negue e se esconda da câmera,

mas não faz. Agarra Avery em um abraço e posam para a foto.

— O que estão fazendo aqui? — Pergunto imaginando porque

ele aceitou a brincadeira.

— Estávamos entediados e sem disposição para ficar

sentados. — Responde Avery rapidamente.

— Sim, estávamos entediados. — Diz sorrindo.

85


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sinto muito que tenha demorado. Tentei ir depressa.

— Não se desculpe. Estávamos nos conhecendo. Se segure,

garotinha. — Avery passa os braços no pescoço dele enquanto ele

a segura.

— Me leva na garupa! — Ele começa a caminhar para a porta

com ela em suas costas.

— Quer ajeitar o cabelo? — Sei que esqueceu que está

usando um grande laço rosa em um lado da cabeça.

— Está arrumado! Por quê? Está chateada porque o seu não

é tão lindo como o meu? — Diz sorrindo bem quando minha mãe

entra.

— Aí está você! Seu pai está pronto para ir. Vamos Avery. Oh!

Lindo cabelo, Talon.

— Obrigado, senhora. — O sorriso de minha mãe se

transforma em uma carranca.

— Não me chame de senhora. Só chamam as mulheres mais

velhas assim. Eu gosto de pensar que sou jovem e essa palavra

me lembra... Bom só não me chame assim, está bem?

— Quer ir jantar conosco essa noite antes de irmos? Tenho

que voltar e ajudar Ivy com as últimas fotos. O noivo e a noiva

virão logo.

— Parece ótimo! Venha para casa depois de terminar e

discutiremos os detalhes. Senhorita Avery, venha comigo.

— Quero andar na garupa. — Ela começa a choramingar e se

zangar.

— Certo, até o carro. Se segure! — Olho como a balança e

anda em zigue-zague pelo corredor fazendo com que Avery dê

gargalhadas. Minha mãe gira e me dá um joinha. Acredito que

Talon acaba de ganhar as duas garotas mais importantes em

86


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

minha vida. Agora só temos que conseguir a aprovação de meu

pai.

Volto para a recepção a tempo de tirar fotos da noiva e do

noivo se preparando para seguir para a lua de mel. Estou

completamente concentrada no que vejo através da lente quando

sinto um calor contra minhas costas. Sei que não é Talon.

Levanto os olhos para ver que idiota se atreveu a ficar tão perto

de mim e de deparo com Brandon.

— Estive te olhando. Não acha que deveria estar usando algo

um pouco mais apropriado? — Olho para baixo para ver meu

vestido perguntando a que está se referindo. Termina bem em

cima de meus joelhos e o decote acaba em minha clavícula. A

parte de trás é decotada, mas não tão baixo para não usar sutiã.

Não é inapropriado.

— Do que está falando? E não me toque! — Viro de supetão e

me afasto para continuar tirando as fotos. Para meu azar ele

chega mais perto, dessa vez sussurra em minha orelha. Passa a

mão por minha cintura.

— Esse vestido apenas cobre os limites. Deixa todos os

homens querendo tirar uma casquinha. Você não é uma

provocadora, Eaven. Esse vestido pertence a alguém que seja sexy

o bastante para usá-lo. — Suas palavras são um golpe duro. Ele

sempre criticou minha aparência. Caso tentasse parecer bonita,

me desanimava até eu resolver ficar em casa ou me trocasse e

optasse por algo mais conservador. Começo a lembrar de todas as

vezes que ele me fez sentir como se não merecesse ser sua

namorada. Com ele, tudo gira sobre controle e jogos mentais. Se

não fosse por Ivy e sua constante confiança em mim, não teria

nenhuma autoestima.

87


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Deveria ter visto o vestido que usei na semana passada,

imbecil! Costas nuas. Saí sem sutiã e meus mamilos apareceram

sob a roupa o tempo todo. No fim da noite o vestido foi arrancado

junto com minha calcinha fio-dental por um homem que me acha

bem sexy, me comeu contra a parede do quarto enquanto eu

gritava por conta dos quatro orgasmos que me deu antes que

gemesse e chegasse ao próprio orgasmo. Ah é, você não

reconheceria o som de uma mulher gritando por causa de um

orgasmo porque você não sabe fazer isso. Qual é, pense bem. Não

tive quatro orgasmos nem em todo o tempo em que ficamos

juntos. Agora se afaste de mim antes que alguém o afaste. — Noto

que Talon está vindo em minha direção justo quando termino de

enlouquecer. Brandon se afasta devagar quando vê que Talon é

muito maior que ele.

Graças a Deus já não está usando o estúpido laço rosa.

Talon logo substitui Brandon contra as minhas costas, exceto

que agora me derreto quando me apoio nele.

— É tão malditamente sexy quando está confiante. Mal posso

esperar para tirar esse vestido e dar a você exatamente o que

descreveu.

Talon

Foi bom que o maldito Brandon tenha se afastado. Não sei

dizer o que ele disse para minha garota, mas adorei a forma que

ela o pôs em seu devido lugar. É bom que eu saiba dar prazer

para a minha garota várias vezes ou eu teria corrido assustado

pela pressão.

88


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Acredito que vamos nos juntar a seus pais essa noite para o

jantar, mas gostaria que fôssemos fazer algo diferente. Preciso

espairecer depois de ouvir o que ela disse para o tal Brandon.

Talvez devesse ter um “mano a mano” com ele antes de ir, para

liberar um pouco dessa tensão. Mas esse filho da puta deve ter

fugido como o diabo da cruz, porque não o vejo em lugar

nenhum.

Começo a gostar de ver Eaven em ação. Leva seu trabalho a

sério. Ela e Ivy trabalham bem juntas, conseguindo diferentes

ângulos e assegurar de que tudo seja clicado sem problemas.

Chegamos à casa de seus pais pouco depois de tudo

terminar. Sua casa é poucos quilômetros fora da cidade e está

rodeada de terra. As casas mais próximas estavam a alguns

quilômetros seguindo pela estrada.

Depois alguns minutos e de ter podido trocar de roupa,

Eaven me leva ao celeiro. Ela monta em um quadriciclo e me

indica o banco de trás com um tapinha. A reação que tenho não é

normal quando se é convidado a usar um veículo. Ela está tão

sexy nesse momento que por nada no mundo eu negarei o

controle que ela quer. Acelera o motor e sai em uma velocidade

que costumo alcançar somente quando aposto corrida com meus

irmãos. Eu não tenho escolha a não ser agarrar seus quadris e

segurá-la. Só diminui quando chegamos ao riacho e lama voa por

toda parte. Merda, minha garota gosta de levantar a poeira.

Continua ao longo do riacho, e, então, segue até chegar a

uma lagoa. Continua dirigindo até uma pequena doca que fica em

uma parte do lago.

— Esse é meu lugar, onde gosto de encontrar paz. Adoro ficar

no riacho e olhar as estrelas, ou vir aqui e olhar a água. Pertence

89


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

aos meus avós. Passei muito tempo aqui com eles ao longo dos

anos.

Acho tão pacífico e imediatamente nós dois estamos no cais

de mãos dadas. Não posso deixar de desfrutar da privacidade

daqui. Há árvores muito densas rodeando o lago por todos os

lados exceto no caminho que fizemos. A estrada que pegamos tem

menos árvores, mas a visibilidade ainda é difícil devido às rochas

e aos arbustos.

Ela se senta no riacho e sento a seu lado. São instantes antes

que um de nós rompa o silêncio.

— O que Brandon disse hoje? — Pergunto com esperança de

que me conte o que não ouvi.

— Não quero falar dele. — Diz em uma voz monótona que soa

como se não tivesse emoção alguma nisso. Entretanto, sua reação

no casamento diz justo o contrário.

— Ele deve ter dito algo que incomodasse o suficiente para

que você reagisse tão duramente como reagiu. Ei, não fique

brava, eu só quero saber o que devo evitar falar, e o que ele disse

parece ser algo a ser evitado.

— Não é nada demais e vocês dois não são parecidos, então

tenho certeza de que não vai falar nada daquilo.

— Quero deixar isso para lá. — Sigo olhando ela com

curiosidade, me perguntando que merda ele falou.

— Disse que eu tinha que usar algo mais apropriado e que

não sou sexy o bastante para usar aquele vestido. Saber isso faz

você se sentir melhor? — Diz frustrada enquanto as lágrimas se

acumulam em seus olhos.

— É obvio que não, não me sinto melhor. É um babaca. Só

está brincando com sua mente. Você é sexy pra cacete e todo

mundo naquele lugar sabia. — Estou puto e quero jogar tudo

90


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

para o alto e enlouquecer, mas posso ver que ela está bem

magoada com o que o imbecil disse. Ela se fez de forte quando ele

estava perto, mas agora é ele quem ganha à batalha, pois ela

acredita nas palavras que ele disse.

— Não acredita nele, acredita?

— Sei que ele sempre me controlou. Mas não significa que

suas palavras sejam fáceis de assimilar. Gostaria de ter a

confiança que outras mulheres têm, mas não tenho. Estou

trabalhando nisso. — Ouço suas palavras e decido nesse

momento que vou fazer da minha missão pessoal ajudar essa

mulher até que saiba o quão poderosa é por dentro, assim como

por fora.

— Bom, não se empenhe tanto, porque não acredito que

possa ser mais sexy do que já é. Já tenho que tomar banho frio

todos os dias para domar meu pau.

Ela dá um sorriso e decido beijá-la.

Deito ela gentilmente. Me ponho sobre ela e começo a beijar

seu pescoço. Fizemos isso o suficiente para que eu já conheça

alguns de seus lugares especiais. Presto muita atenção a cada

gemido ou grito abafado que faz quando estamos juntos. Faço

questão de me concentrar naqueles pontos exatos até que ela

parece estar tão louca quanto eu. Ela foi muito clara sobre

esperar antes de transar.

Não sei quanto tempo mais vamos aguentar. O único bom de

tudo isso é que descobrimos muito em comum, além de nossa

atração física. Sei que seremos muito compatíveis na cama pela

maneira como reagimos até agora a coisas simples.

— Você acaba comigo. Como é que eu vou parar? Eu quero

você, Ev. — Me esforço para pronunciar as palavras.

— Eu sei, me sinto da mesma maneira, mas não aqui.

91


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Onde? Iremos até lá, agora. — Digo com entusiasmo. Ela

começa a rir de mim. Essa não é realmente a reação que

esperava.

— Muito em breve, prometo. — Diz colocando seu dedo

indicador de leve sobre meus lábios. Deito ao seu lado. Ponho a

cabeça em seu peito. Giro para poder olhar em seu rosto. Posso

ouvir os batimentos de seu coração. Começo a dedilhar seu braço

no mesmo ritmo de seu coração.

— O que está fazendo?

— Escutando seu coração. — Começo a pensar em quanto me

importo com essa garota.

Depois de que passamos a maior parte da tarde nessa

posição, vamos a caminho da casa de seus pais. Insisto em dirigir

dessa vez e aproveito cada segundo de seus braços ao redor da

minha cintura. Nunca estive com uma garota tão sexy como

Eaven. Ela amar o ar livre e não ter medo de se encher lama é

muito atraente.

Paro assim que alcançamos o córrego. Desligo o motor, noto o

som da água e o canto dos pássaros na hora. Os sons que só a

natureza provém enchem meus ouvidos, é como se fôssemos as

duas únicas pessoas no mundo inteiro.

— Vem aqui. — Alcanço sua mão e a puxo para mim. Ela

passa uma perna para o outro lado do quadriciclo de maneira que

o rosto dela fica de frente ao meu. Acaricio o cabelo que tem recai

sobre seu rosto, deixando que meu polegar deslize por suas

bochechas enquanto o faço.

— Ev, você é tão sexy. — Passo o polegar por seus lábios e

aumento a pressão em seu lábio inferior. Ela aumenta meu tesão

com um único movimento rápido da língua umedecendo os lábios

que agora brilham sob a luz do sol.

92


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Agarra minha mão e começa a girar a língua ao redor do meu

polegar. Suas ações são tão sensuais que meus jeans ficam mais

apertados em segundos.

Puxo ela para mim enquanto meus olhos nunca deixam sua

boca suculenta e seus movimentos em meu polegar. Gostaria que

fizesse o mesmo em outros lugares. Tiro meu polegar de sua boca,

deslizo meu dedo indicador pelo pescoço e pelo centro de seus

seios. Ela arqueia em minha direção enquanto continuo o traçado

até seu mamilo que aparece mesmo sob muitas camadas de

roupa. Chega mais perto de mim até que está sentada em meu

colo. Seus quadris começam a fazer círculos em meu colo. Uso

toda a minha força de vontade para não perder o controle.

Ela se lança em minha boca com tal força que quase não

ouço o som de um motor que vem até nós. Afasto ela e então ela

se dá conta de que temos companhia. Começo a olhar ao redor e

não consigo ver nada por causa de todas as árvores que

bloqueiam a vista.

— Papai está vindo. — Diz olhando ao redor. Ela toma a

frente e assume a direção. Eu até ia protestar, mas tê-la a minha

frente é bom para bloquear minha ereção maciça da vista de seu

pai.

— Vocês dois se perderam por aqui? — Diz seu pai, me

olhando todo o tempo.

— Não senhor. Estávamos voltando. — digo, sabendo que

meus nervos não escapam desse homem. Tenho que respeitá-lo.

Ele só está tentando manter a filha a salvo.

— Papai, já sabe que não me perco aqui. — Eaven tenta tirar

sua atenção de mim. Percebo um compartimento para armas na

parte dianteira de seu quadriciclo e faço uma nota mental para

não tocá-la nesses bosques. Só iria me sentir como se um franco-

93


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

atirador me tivesse na mira, ou o meu pênis, todo o tempo.

Descontraído e fácil de lidar é o caralho!

— Eu sei querida. Sua mãe só queria que eu me assegurasse

de que você sabia que era quase a hora de ir. — Seguimos seu pai

para casa. Não posso deixar de me sentir um homem pouco

merecedor de sua filha estando atrás dela enquanto ela dirige.

Vamos de carro ao restaurante para jantar. Seus pais

deixaram Avery com uma babá para que possamos conversar sem

interrupções. Ivy veio conosco também. As três mulheres

conversam. A mãe de Eaven me recorda muito a minha. Ambas

são muito preocupadas com o que se passa na vida dos filhos.

Não de uma forma controladora ou cansativa, mas de apoio. Ela

pergunta a cada um como vão nossas aulas e se Ivy conheceu

alguém especial.

Seu pai se manteve em silêncio. Ao que tudo indica, senta e

assimila tudo a seu redor. Suponho que quando se vive com

quatro garotas, se aprende a só observar e deixar que elas tomem

as rédeas. Percebo que me observa de vez em quando. Sinto que

ainda sou alvo de olhares críticos ou sendo estereotipado na

melhor das hipóteses.

Terminamos o jantar e nos despedimos de seus pais. Sua

mãe me obriga a lhe dar um abraço e faço questão de dar m

aperto de mão em seu pai. Ele responde com certa força. Um

alerta para qualquer má intenção que eu possa vir a ter com sua

filha.

94


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

As semanas passam voando. Meus pais pareceram se

encantar com Talon nesse último fim de semana. Minha mãe

ligou e disse que Avery não parou de perguntar por ele e disse

que queria vir nos ver. Derreteu meu coração ele ter dado tanta

atenção a Avery. Nenhum de meus namorados anteriores deu.

Não via que era um problema para mim até ver como Talon a

tratou. Ele viu que amo minha irmãzinha e tratou a ela e a meus

pais com muito respeito. Essa é a primeira razão pela qual minha

mãe tratou de defender a banda de Talon e o apoiou quando meu

pai ficou um pouco cético.

Passei a maior parte do dia com Ivy, trabalhando, terminando

as edições e tratando as fotos que necessitavam de ajustes antes

de entregarmos aos clientes. Conseguimos com bastante

facilidade já que ambas melhoramos em obter fotografias de

qualidade. Em algumas deixamos em branco e preto, e outras

deixamos as cores mais vivas para mais impacto, mas em geral

todas as fotos ficaram ótimas por si mesmas.

Talon e a banda tocarão no Smitty de novo essa noite. Ivy e

eu iremos e levaremos Macy. Ela é uma garota que conhecemos

no campus na semana passada. É muito linda, uma garota do

interior. Sempre usa botas de cowboy. Essa noite as usa junto de

um vestido. Não vou mentir, ela é muito bonita. Disse que seu

irmão se ofereceu para nos levar ao clube.

— Esse é para você, esse para mim, e esse aqui para todas as

garotas que veremos! — Ivy acerta minha taça com seu brinde. O

rosto de Macy mostra que está chocada enquanto nos espera

pegar nossas coisas e tomamos nossa dose pré-clube.

95


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Macy! Quer uma dose? — Ivy grita e me pergunto nesse

momento quantas doses Ivy tomou enquanto eu estava me

arrumando.

— Não, obrigada! Meu irmão está esperando e nós não

deveríamos deixá-lo esperar por muito tempo.

— Seu irmão é gostoso? Espero que seja gostoso pra cacete!

— Diz Ivy, Macy se encolhe.

— Er... Não tenho certeza do que dizer a respeito de meu

irmão ser gostoso. Terão que decidir isso vocês mesmas.

— Tem que beber ao menos uma dose conosco. Começamos a

pouco uma tradição Macy. Não podemos ir ao clube a menos que

brindemos. — Ivy está decidida a beber outra dose — Encha Ev!

Encho três copos e nós os levantamos, viramos para Ivy e

esperamos para brindar.

— Pelos homens que amamos. Pelos homens que beijamos.

Nossas sinceras desculpas aos homens que sentimos saudades!

Bebam garotas! — Como não brindar por isso? Não estou

realmente certa! É por isso que minha vida nunca é chata. Macy

sorri e inclina sua cabeça para trás. Eu percebo que sou a única

que precisa sugar o ar por entre os dentes quando o álcool faz o

seu caminho por meu corpo. Estamos saindo pela porta, quando

vejo Aiden subir as escadas.

— Boa noite, damas.

Por que seu sotaque do sul soa tão belo?

— Olá, Aiden. — Digo enquanto caminho junto a ele.

— Já estão prontas garotas? — Pergunta. Merda. Me deixe

adivinhar... O irmão de Macy é Aiden e está aqui para nos dar

carona. Creio que deveria ter me informado melhor sobre minha

nova amiga.

96


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sim. Não sabia que vocês eram irmãos. — Olho para Macy

buscando confirmação.

— Diabos, ele é gostoso para caramba! — Ivy diz enquanto

salta sobre suas costas. Também pega seu chapéu preto e o

coloca em sua própria cabeça enquanto lança um braço no ar em

um movimento circular, girando seus quadris. Ela está muito

bêbada. Aiden ergue as sobrancelhas em surpresa e agarra suas

pernas para ajudar a mantê-la erguida. Se apressa em levá-la

pelas escadas e para a caminhonete antes que comece a cantar.

Save a horse, ride a cowboy. Música da dupla country Big & Rich.

Logo percebo que terei que cuidar dela essa noite. Ela odeia

música country, nem por um decreto estaria cantando em voz

alta ou pulando em alguém que mal conhece se estivesse sóbria.

Bem, poderia até pular nele, mas provavelmente não em suas

costas.

— Obrigada pela viagem até aqui, companheiro. — Diz Ivy

enquanto desliza por seu corpo e devolve seu chapéu. Aiden se

volta para ela e diz:

— Quando quiser. — Observo enquanto os dois se colocam

um perto do outro. Eles estão, com certeza, se vendo cara a cara

agora. Ele abre a porta para ela e eles se olham nos olhos,

fixamente, enquanto sentam no banco da frente. Macy e eu

tomamos o de trás.

Chegamos ao Smitty num estalo. Estou muito animada em

ver Talon. Está sentado em sua mesa habitual quando chegamos.

O clube está cheio e todas as mesas estão ocupadas. Recebo um

beijo bastante público logo que me vê. Suas mãos e língua estão

sobre todo meu corpo. Eu adoro que faça com que eu me sinta

como a única garota em todo lugar. Senta em sua cadeira e me

puxa para seu colo.

97


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Taron se apressa e se levanta quando Ivy se aproxima.

— Ivy, precisa de uma cadeira?

— Pode ser. — Diz caminhando para a cadeira vazia. Ele

senta num pulo e põe seus dedos em forma de “V” na boca —

Senta aqui mesmo, querida. Senta e me deixe cuidar de você. —

Ele está balança a língua entre os dedos e a estala de uma

maneira tão inadequada que todo mundo na mesa congela, com

exceção de Ivy.

Ela não se abala. Rebola junto dele. Balança o cabelo e senta

no colo dele. Frente a frente com Taron, uma perna de cada lado.

Ele fica com a maior cara de idiota enquanto ela o enfrenta.

Começa a beijá-lo de língua. Saliva para todo o lado. Então ela se

afasta e diz:

— Você não adora o gosto da porra do Aiden?

Os olhos de Taron se tornam obscuros enquanto a olha nos

olhos, de certo em busca de verdade neles, melhor dizendo, em

busca de um raio de esperança de que ela esteja dessa vez,

brincando. Ela não mostra nenhum sinal de fraqueza, porque ele

se levanta fazendo ela deslizar de seu corpo. Agarra a borda da

mesa e a vira, jogando todas as bebidas no ar. Luke e Holden se

lançam na direção dele, tentando acalmar sua fúria. Eles o levam

para os fundos para que esfrie a cabeça.

Ivy está sorrindo e lambe os lábios como se acabasse de

devorar uma sobremesa. Aiden sussurra algo em seu ouvido e

sorri também.

Todos na mesa desatam a rir de forma ou histérica ou

inquietante pela situação a que Ivy conseguiu nos levar. Deus, eu

a amo! Quem mais pode causar tal caos em menos de um

minuto? A única pessoa que vem a minha mente é o bad boy, o

98


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

próprio Taron. Ambos são os únicos que conheço que têm esse

tipo de comportamento explosivo.

— Cacete, Ivy, isso é uma loucura! Me diga que estava

brincando. — Diz Talon enquanto todo mundo arruma a

desordem.

— Sim, sou louca, e sim, era uma brincadeira.

— É por isso que te amo. Qualquer pessoa que pode

interromper meu irmão quando ele age como um imbecil é amiga

minha.

— Sim ela é bem rápida no gatilho. Eu nunca teria feito algo

assim.

— Poucos poderiam. — Diz Talon, sem deixar de rir enquanto

Smitty se aproxima.

Talon se desculpa com rapidez e acalma as coisas com o dono

do bar. Assegura que não haverá mais interrupções desse tipo

esta noite. Essa é uma grande promessa a fazer.

— Ivy, está louca? — Pergunto a ela.

— Ele estava sendo um imbecil. Mereceu. — Responde

enquanto arrasta Aiden para a pista de dança.

Talon me guia para lá também, e imediatamente nos

conectamos como peças de um quebra-cabeça. Nossos corpos se

movem juntos como um, a cada música que toca. Daqui a pouco,

ele tem que ir para trás do palco e se preparar para a

apresentação. Ele me puxa para um beijo muito apaixonado

antes que me deixe sozinha. Eu adoro a forma como se joga e me

tira o fôlego. Com paixão em cada abraço que damos. Ele olha tão

fundo em meus olhos e não precisa dizer uma única palavra

sobre como se sente a respeito de mim. Posso ver em seus olhos.

Ivy me agarra para dançar depois que Talon se afasta.

Enquanto dançamos Aiden continua agarrado ela. Percebo que

99


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

ele parece menos rígido quando dança com ela. Ela se coloca

atrás dele, forçando-o a estar entre nós duas. Ele aproveita o

momento.

Fizemos isso antes, mas nunca quando uma de nós tinha

estava namorando. É muito divertido dançar fazendo um

sanduíche. Só não estou segura de como Talon se sentirá. Então

me afasto um pouco, Ivy na mesma hora vira para mim.

— Qual problema, Ev? Por que está se afastando?

— Talon terá um ataque se me vir aqui. — Digo esperando

que entenda e me deixe fazer o que acho certo.

— Qual é! Está aqui se divertindo com sua irmã. Não deixe

que um garoto a impeça de fazer o que sempre fizemos. Nós

sempre fizemos isso. Não é como se estivemos a compartilhar um

pênis. Se ele tiver sorte ele é o próximo. Agora dance comigo,

porra.

Ivy é muito persistente quando bebe. Sei que ela não aceita

não como resposta. O fato de que um homem pode influenciar o

meu comportamento a faz ficar furiosa, então continuo dançando

com eles. Aiden voltou para Ivy, assim decido dançar no outro

lado de Ivy. Isso parece acalmá-la já que todos nos movemos

juntos no ritmo da música. Depois que a música termina,

voltamos para a mesa. Há várias cadeiras disponíveis agora que a

banda está se preparando para o show.

Aiden pede uma rodada de cerveja e nós esperamos a banda

subir ao palco. Abro caminho por entre um mundo de garotas até

a frente do palco. Quero ver tudo. Igual à última vez. Talon tira a

camisa. Se é que é possível, aprecio a visão ainda mais agora que

sei que é meu. Sua atitude é completamente diferente desta vez.

Ele segue sendo sério, mas sua energia é menos sombria e não

tem a tristeza desesperada que me intrigou da última vez. Ele tem

100


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

minha atenção por razões completamente diferentes. Tenho

minha câmera dessa vez, tirarei fotos.

Taron ainda está irritado, com uma careta para a plateia.

Luke e Lilly começam a primeira música juntos, tocando seus

instrumentos com ímpeto. Vejo Talon de olhos fechados e em

seguida começa a ritmar a bateria. O ritmo forte se intensifica

cada vez mais com a resposta do público. Os três continuam até

que a multidão enlouquece. É o suficiente para que Taron volte a

mostrar a personalidade carismática de sempre. Começa a

animar a multidão e alguém lança uma calcinha. Taron a recolhe,

a cheira, e então sorri, guardando no bolso.

Não sei se sou eu que estou prestando mais atenção ao resto

do show dessa vez, mas parece que algumas melhoras

importantes com as luzes e o som foram feitas. Eles são muito

bons e as pessoas estão reagindo bem a tudo o que fazem. Hoje

olho para Luke durante seus solos. Estou muito orgulhosa do

meu primo. Esse é seu elemento e as luzes o fazem parecer um

deus do rock. Lilly está jogando fumaça e se emparelha com Luke

a cada música. Sigo tirando fotos de todo o espetáculo.

— Próxima sexta-feira vamos estar na Batalha das Bandas.

Vamos tocar no estádio. Esperamos ver todas vocês lá. — Taron

termina o show saltando do palco e é imediatamente rodeado por

um grupo de garotas. Percebo que a multidão de groupies cresceu

bastante perto do último show. Subo ao palco e tiro fotos da

multidão. Dou especial atenção a Taron e suas garotas. Tiro uma

foto de perfil dele, no calor do momento, em toda sua glória.

Talon caminha diretamente para meus braços. Maldição.

Está suado e sexy como o inferno. Click, preciso ter uma foto

disso.

101


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

— Está mega sexy atrás dessa lente, babe. — Sexy não

começa a descrevê-la. Posso ver paixão quando está atrás da

câmera. É obvio que era a única pessoa para quem eu olhava na

multidão. Meus olhos são atraídos por ela, não importa onde

esteja. Ela ainda está tirando fotos quando a envolvo em meus

braços, suas costas contra meu peito. O DJ começa a tocar de

novo e começamos a nos mover juntos. Estamos no palco, assim

temos uma bela visão de todos nossos amigos e fãs embaixo. Ela

segue tirando fotos até que a música termine. Então decido que

sou egoísta e dou a volta para que me olhe.

— Você vem para casa comigo hoje. — Sussurro ao seu

ouvido — Não é uma pergunta.

— Tenho que me assegurar que Ivy chegue em casa porque

bebeu muito.

— Ok, mas então você é minha. Não acredito que possa

esperar outro dia, Ev. Está me deixando louco demais.

— Sério? Não saberia dizer. — Diz de forma sedutora

enquanto se esfrega em mim. Uma ereção se faz presente.

— Merda. Não faça isso ou comerei sua bunda atrás do bar e

acabamos com isso.

— Promessas. Promessas... — Está me desafiando agora.

— De verdade quer que nossa primeira vez seja em um bar?

— Claro que não. Vou achar Ivy. — Saltamos ao chão e

começamos a caminhar pela da multidão. Encontramos uma Ivy

muito bêbada. Ela começa a dançar com Eaven e logo se

aproxima de mim. Ela se esfrega por todas as minhas costas. Dou

a volta para ver o que esta acontecendo e Eaven agarra meu rosto

102


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

e começa a me beijar terminando com uma mordida no meu lábio

inferior.

É instantâneo, nos unimos como de costume, mas dessa vez

tenho Ivy atrás de mim. Eaven tem seus braços ao redor de mim

com a mão direita em meu bolso traseiro e a câmera na mão

esquerda levantada. Ela tira fotos o tempo todo. Ivy se vira e logo

está nas costas de Eaven e faz o mesmo. Cacete, essa garota é

mesmo incontrolável.

O palhaço de rodeio vem ao resgate e pega Ivy. Ele é um cara

de coragem por se aproximar de nós depois dos olhares que enviei

da última vez que o vi. Eaven se afasta de mim só um pouco já

que agora estamos dançando um tema mais rápido. Ela fecha os

olhos e se perde em si mesma. Vejo aquela paixão de novo. É uma

amante da música. É possível se apaixonar com mais intensidade

por essa garota? Mudou a minha vida sem esforço. Consigo sentir

e viver de novo. Dançamos até que o DJ para a música.

Ivy decide que vai para casa com Macy e Aiden, então

pegamos o carro e vamos para minha casa. Estou cada vez mais

impaciente e não consigo manter minhas mãos longe de Eaven.

Só quero arrancar sua roupa e tomá-la bem aqui na

caminhonete.

Assim que chegamos em casa abro minha porta com uma

perna antes mesmo que o motor esteja desligado. Giro a chave e

agarro sua mão, puxando ela pela porta. Caminha mais devagar

do que quero, portanto me viro para ela e a jogo por cima do

ombro. Começa a gritar, mas continuo, minha mente tem um

único objetivo.

— Me coloque no chão Talon! — Ela está rindo agora e

golpeia a minha bunda enquanto paro para abrir a porta.

103


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Oh querida. Quer mesmo bancar a briguenta? — Pergunto

e ela fica rígida. O suficiente para que eu saiba que está

considerando minha pergunta.

Passo pela porta e pelo corredor até meu quarto. Nem sequer

tenho certeza de que fechamos a porta da frente. Desço ela

quando chego ao quarto e me viro para fechar a porta. Ela

empurra seu corpo contra o meu e me pressiona contra a porta.

Acabo de cara na porta e sinto o calor de seu corpo contra o

meu. Sinto suas mãos se deslizando sobre minhas costas e

dentro da minha camisa, enviando calafrios por todo o meu

corpo. Começo a escutar. Ouço sua respiração rápida, tão rápida

como a minha. Essa porra vai ser rápida. Preciso me controlar.

104


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Dez

Quero isso. Quero tanto ele. Meu coração bate tão rápido e

agora minha respiração está mais ofegante. Preciso recuperar o

controle antes que o ataque como uma lunática. Diminuo meus

movimentos e começo a beijar suas costas, lentamente, enquanto

levanto sua camisa. Fecho os olhos e sinto seu aroma. Cheira a

colônia e suor. Ele está me permitindo explorar seu corpo com os

dedos e beijos, se inclina contra a porta se rendendo ao meu tato.

Contorno seu corpo e me espremo entre ele e a porta. Todo

seu corpo pressiona o meu enquanto nossos olhos se encontram.

Ele está pedindo permissão através do olhar. Respondo com

outro. Deixamos o momento nos levar e começamos a nos beijar.

Beijamos com mais paixão do que nunca. Envolvo meus braços

em seu pescoço e passo meus dedos por seu cabelo. Seu cabelo é

o comprido o bastante para que eu o agarre e puxe. Ele deixa

escapar um pequeno gemido quando o faço.

— Você é tão sexy. — Sussurra em meus lábios. Não estou

certa de por que isso me faz sorrir. Ele faz com que eu me sinta

sexy, como se fosse a única mulher no mundo. Estou ganhando

autoconfiança a cada dia que passo com ele, porque ele é muito

bom em expressar o que sente por mim. Se expressa através dos

olhos e do tato.

Ele tira minha camiseta e a joga pelo quarto. Eu sigo seu

exemplo e arranco a dele também. Minha pele está sensível a

cada toque e suspiro dele. Ele tira meu sutiã e abaixa para

apreciar cada um de meus seios. Ele não se apressa e aproveito

105


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

cada segundo. Quando seus lábios começam a voltar até meu

pescoço, levo as mãos e vou ao seu zíper. Ele se afasta.

— Oh não, não faça isso. Primeiro as damas. — Solto um

grunhido. Ele alcança o botão da minha calça e a abre sem

esforço. Desliza os jeans por meus quadris tirando também as

botas quando se aproxima de meus tornozelos. Estou de pé ali só

de calcinha preta à espera que ele se una a mim. No entanto, não

faz. Está me olhando de perto, como um predador olha sua presa.

Sinto um leve incômodo. Passo os braços em meus seios para me

cobrir um pouco.

— Pare. Abaixe seus malditos braços. Não volte a se cobrir

quando estiver comigo, Eaven. Você é linda. Deve entender isso.

Não sabe o que me faz? — Agarra minha mão e a leva à frente de

suas calças — Sinta como você me deixa.

Está a ponto de estourar suas calças. Deslizo meus dedos

pelo botão e o abro. Pego tanto sua cueca e suas calças e as puxo

até seus joelhos. Ele termina de se livrar delas. Dou um passo

para trás e aproveito a vista. Ele pega a minha mão e me leva

para a cama. Pega uma camisinha e antes de eu perceba está em

minha entrada. Me olhando nos olhos. Levanto meus quadris na

expectativa de que me dê o que quero. Desliza devagar para

permitir que me acostume a ele primeiro. Com facilidade caímos

em um ritmo agradável e descobrimos que somos sexualmente

compatíveis e muito. Espera que eu chegue ao orgasmo antes que

chegue ao dele, o que não leva muito tempo. Passamos por

semanas de preliminares e eu estava mais que preparada e

pronta para ele.

Ele se deixa cair em cima de mim, enrolando suas pernas e

braços nos meus e dormimos ali unidos. Não posso dizer onde ele

começa e onde termino. Estou enrolada nesse homem, literal e

106


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

emocionalmente. É nesse momento que percebo, com convicção,

que me apaixonei. Espero que não parta o meu coração, que dou

mais um pedaço a ele em cada minuto que passa.

Talon

Decido que tenho que me levantar. Provavelmente estou

esmagando ela e tenho que descartar a camisinha. Faço o que

preciso e ponho um short. Me atiro na cama junto dela e puxo os

lençóis que ela tinha levado até o queixo. Ela deixa e a puxo para

meus braços.

— Então... O que te inspirou a ser um baterista? — Ela diz e

rompe o silêncio.

— Foi o amor de meus pais pela música. A música estava

sempre em minha vida. Não era incomum passar uma semana

sem ver televisão em nossa casa, mas sempre tinha música. Meus

pais amavam uma música do Phil Collins chamada In The Air

Tonight e lembro que tocava no volume máximo pela da casa.

Comecei a mexer minhas mãos no ar no ritmo da bateria e meu

pai me comprou uma pouco depois. Escutava a batida da música

e depois repetia na minha bateria, criando meu próprio ritmo.

Depois que meus pais se deram conta de que eu não era ruim, me

colocaram em aulas para aprender a ler partituras.

— Tem um baterista favorito?

— Pergunta difícil. Tem alguns bateristas que eu gosto. Dave

Grohl é foda! Ele era baterista do Nirvana. Depois fundou o Foo

Fighters é o vocalista também. Neil Peart é também outro grande

nome para mim. Ele é o baterista do Rush. John Bonham do Led

107


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Zeppelin e preciso mencionar Joey Jordison do Slipknot. Ele é

bom pra caralho na bateria.

— Você disse que iria me ensinar a tocar. Quando isso vai

acontecer? — pergunta.

Estico o braço e apanho um conjunto de baquetas e o

controle remoto do meu aparelho de música.

— Você terá que escutar a música. Se isolar do mundo e

prestar atenção ao ritmo.

Ela senta ao meu lado na cama e dessa vez deixou o lençol

enrolado ao redor dos seios, preso na parte superior para que não

caia a menos que alguém o retire. À medida que a música começa

entrego as baquetas a ela e me jogo para trás. Está no meio da

cama de frente à cabeceira, agarro um travesseiro o posiciono

diante de seu colo.

— Feche os olhos e escute. Golpeie o travesseiro quando

sentir o ritmo. — Vejo ela enquanto começa a responder. Tem os

olhos fechados, mas tem um pequeno sorriso em seus lábios. Sua

cabeça está inclinada quase como se fosse tímida. Subo o volume

ao nível extremo que costumo pôr para praticar e noto que ela

deixa de sorrir. Começa a mover a cabeça de acordo com o ritmo.

Me ajoelho atrás dela e guio suas mãos para o travesseiro e ela

começa a expressar o que sente. Sua expressão é mais

conservadora que a minha, mas está, sem dúvida, escutando a

música.

Recosto ao seu lado para poder ver seu rosto. Ela é linda pra

caralho. Sempre mantive a música separada da vida amorosa.

Nicole não tinha interesse de verdade em minha música e iniciar

a banda era simplesmente algo que estávamos falando. Não

tínhamos completado o grupo até encontrarmos Luke. Sempre

pratiquei, mas só quando não estava com Nicole.

108


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven parece muito interessada na música. Ela sempre está

fazendo perguntas e me incentivando a praticar com Luke mesmo

que prefira passar o tempo com ela.

À medida que a música chega ao fim, a observo e vejo que

está perdendo algumas batidas.

— Ei, deite de barriga pra baixo e me dê baquetas. Vou fazer

as batidas em suas panturrilhas. Apenas sinta a música. Quero

que sinta o que ouviu. — Sei que vou ter que me conter ao fazer

para não machucá-la.

Ela apoia a cabeça debaixo de um de seus braços e se deita

sobre o estômago. O lençol se retorce e cobre a maior parte de

suas costas, só deixando visível o suficiente de sua bunda para

ver onde começa.

Deixo que a música comece e inicio meu assalto a seus

sentidos. Olho seu rosto e vejo que fechou os olhos. Seu rosto não

traz uma expressão de dor, mas sim concentração em escutar e

sentir ao mesmo tempo. Enquanto a música avança, aumento a

velocidade e a força de cada golpe. Vejo que suas panturrilhas

estão ficando vermelhas, por isso começo a bater na parte

superior de suas pernas.

Outra olhada em seu rosto e a vejo mordendo o lábio inferior.

PORRA! Ela é tão receptiva.

Eaven

Ai. Meu. Deus. Não estou certa de que possa suportar até que

a música acabe. Eu devo me concentrar no ritmo da música e a

única coisa em que consigo pensar é que quero que me toque

mais acima de onde toca. Mais acima e mais forte. É provável que

109


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

eu me esqueça de respirar e desmaie. Ele é rápido demais com as

mãos. Uma velocidade assim não é natural.

Ele move as mãos até minha bunda. O lençol cobre quase

tudo, mas ele golpeia minha pele nua e algumas vezes bate um

pouco mais forte sobre o lençol, movendo-o. Para tempo

suficiente para correr as mãos sobre meu bumbum e desliza o

lençol mais para cima.

Voltando à massagem, batuca de novo, dessa vez sem a

barreira do lençol. Contraio os músculos só para descobrir que

isso faz com que queime ainda mais. Obrigo a mim mesma a

relaxar os músculos de novo e percebo que estou contendo a

respiração.

Agradecida pela música estar quase terminando, consigo

enfim respirar. Estou a um toque de gritar pelo maior orgasmo

que já tive. Ele deve sentir o mesmo, porque se joga na mesma

hora na cama e me puxa para cima dele. Demoro apenas o

suficiente para pegar outra camisinha que ele logo tira de mim.

Luto com o lençol para estar livre e enfim me vejo sentada sobre

ele, pronta para chegar ao êxtase.

Ele me detém durante uns poucos segundos enquanto nos

olhamos fixamente. Sinto meu coração transbordando ainda mais

quando me dou conta do tanto que ele significa para mim. Ele é

um homem magnífico, de corpo e alma.

Chego para trás até que estou em posição. Abaixo sobre seu

pênis. Imediatamente fecho os olhos e jogo a cabeça para trás.

Ele me preenche e me consome

— Abra os olhos, Ev. Quero ver seus olhos quando gozar

comigo dentro de você. — Seu pedido faz com que meu coração

bata mais rápido. Nunca deixei os olhos abertos durante relações

110


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

sexuais. É por instinto que fecho os olhos e me concentro nos

sentimentos. Isso parece cru e profundo.

Faço o que ele me pede. Posso ver que seus olhos escurecem

à medida que nos aproximamos de nossa liberação. Mexo os

quadris e ele põe as duas mãos sobre a minha bunda. Sinto uma

ardência quando me toca e isso me faz inalar bruscamente. Ele

percebe e move as mãos para meus quadris. Estamos passando

pelo que foi o orgasmo mais longo de minha vida. Suas mãos

exploram meus mamilos e puxam os dois ao mesmo tempo. Toda

compreensão me deixou. Não acredito que me controlei para

manter os olhos abertos todo o tempo como ele queria. Ele não

me para, então deixo meu corpo agir de maneira natural. Desabo

cansada em seu peito e o beijo bem acima de seu coração.

— Estou me apaixonando por você, Talon. Cada vez que

estou com você, uma pequena parte do meu coração se enche

mais com o amor que sinto. Você está muito perto de ter o meu

coração por inteiro. Por favor, não o parta. — Sussurro contra seu

peito.

Sei que ele me escuta, porque seu corpo fica tenso com

minhas palavras. Não espero que diga nada. Não preciso de

nenhuma certeza de que ele sente algo profundo por mim. Sei que

sente.

Seria incrível se pudesse gravar esse momento e saber que

vai durar para sempre. Pensei que estava apaixonada antes. Se

me dissessem que eu não sabia o que era o amor, teria lutado até

a morte para afirmar que conheci amor com Brandon.

Infelizmente, o que sinto por Talon há algumas semanas é mais

forte do que já senti por Brandon.

Minha mãe sempre disse que se sabe que é amor com certeza

quando a pessoa sabe que faria qualquer coisa pelo outro, até

111


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

mesmo pôr sua vida em segundo plano. Sei que estaria perdida

sem Talon. Sei que me dói o coração pensar nele sofrendo

qualquer tipo de violência.

Me separo dele e vou até o banheiro. Preciso de uma

chuveirada. Abro toda a água quente e espero. Estou inclinada

contra a parede e sinto seus olhos me encarando antes de sentir

as carícias na pele. Estou envolta em seus braços enquanto me

pega por trás. Dá beijos curtos em meu ombro, o que faz me

retorcer e sorrir.

— Posso me unir a você? — Sussurra em meu ouvido.

— Sempre pode se unir a mim no chuveiro. Não precisa de

convite. — Digo, com vontade de lavar o seu corpo.

Entramos na ducha e pego o sabão. Obrigo ele a dar a se

virar e começo a lavar as suas costas. Sempre admiro sua enorme

tatuagem. Quero fazer uma algum dia. Vou esperar até que

decida a razão perfeita para ter uma. Continuo esfregando sua

pele seguindo para a parte da frente de seu corpo também.

Ele devolve o favor e lava todo meu corpo, prestando atenção

especial às minhas curvas. Ele é um homem que gosta de seios e

bunda.

Nós nos enrolamos nas toalhas e deitamos na cama,

esgotados. Ele me puxa para seus quadris e nos alinhamos em

nossa posição de sempre. Essa posição é como um lar para mim.

Me sinto segura e a salvo quando estou assim com ele.

Acordo na manhã seguinte sozinha na cama. Sinto o cheiro

de café pela casa, já ansiosa me visto ficando apresentável. Vou

para a cozinha e encontro Talon e Holden fazendo o café da

manhã.

112


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Bom dia, linda. Café ou suco de laranja? — Talon se

aproxima e me dá seu habitual bom dia tocando e me beijando

até que meus joelhos ficam fracos.

— Café, por favor. — Digo enquanto inclino minha testa

contra seus lábios e ele termina seu ataque.

— Arrumem um maldito quarto em um hotel! Merda! Como

querem que eu durma com os sons de sexo vibrando pela parede

do meu quarto? Tive que me masturbar três vezes ontem à noite

por ouvir sua garota aí gemendo. — Taron me olha bem nos olhos

e pisca.

Poderia morrer agora. Que me enterrem no pátio dos fundos,

porque vou morrer de vergonha. Não tenho palavras.

— Fecha a porra da boca, idiota. — Talon vem ao meu

resgate. Estou certa de que todo mundo pode ver que me sinto

humilhada. Sento e contemplo o café, com a esperança de sumir.

Meu rosto está quente e sinto como se meu coração estivesse na

garganta enquanto me esforço para engolir o café.

— Calma, irmãozinho. Está tudo bem! — Taron responde

pondo suas mãos em posição de rendição — Estou feliz,

muitíssimo feliz de que seu pau branquelo enfim tirou o atraso.

Agora talvez você não ande mais depressivo pelos cantos.

Talon pode dizer que ainda estou mortificada e começa a

massagear meus ombros, livrando-os da tensão.

— Só está com ciúmes porque não encontrou o que encontrei!

— Diz Talon a seu gêmeo, me fazendo sorrir.

— Esse aí? Nem morto. — Holden finalmente fala.

— Nah! Posso conseguir um sabor diferente a cada noite se

quiser. Por que iria querer baunilha sempre?

113


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Enfim me irrito e decido me defender. Se for ficar aqui com

frequência, terei que aprender a lutar com Taron e seus

comentários grosseiros.

— Bom, agora sei que não nos escutou ontem à noite. Porque

se tivesse, saberia que sou mais que baunilha. Sou um maldito

sundae com calda de chocolate quente, creme batido e a porra de

uma cereja no topo. Garanto que você desejaria um pouco!

Ok, de onde veio isso? Juro que encarnei a Ivy. Saiu antes

que eu pudesse me deter. O rosto de Taron abre em um sorriso de

ponta a ponta enquanto levanta as sobrancelhas para mim. É

necessária muita concentração para manter os olhos focados nele

e a cabeça bem alta.

— Bom, quando põe dessa maneira, acredito que gostaria de

encontrar o que você tem irmãozinho! Ela é decidida pra cacete!

Eu gosto. Podemos se pegar.

— Imbecil, deixe ela em paz, ok! Não preciso que arruíne as

coisas com sua boca suja. — Adverte Talon uma última vez.

Tomamos o café da manhã e me sento. Vejo os três irmãos

interagindo entre eles. Brigam entre si, mas posso dizer que há

uma lealdade que só vem do amor fraternal. Sei o suficiente sobre

Taron para saber que esteve ao lado de Talon durante os seus

dias mais sombrios e por isso tenho que gostar dele. Não só isso,

nunca me meteria no laço que compartilham. Na verdade não

tenho certeza de que estaria à altura se tentasse.

— O que acham de irmos para o lago hoje? — Ouço Holden

perguntar a seus irmãos.

— Vamos! — Taron olha para Talon e espera uma resposta.

Que olha para mim, pedindo a resposta.

— Não me importo se você for. Divirta-se. — Digo, realmente

esperando que se divirta com seus irmãos.

114


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Tenho planos para trabalhar nas fotos da noite anterior.

Quero sair depois deles e fazer um pôster para a banda. Sei que

algumas das minhas fotografias são muito boas e estou

empolgada para mostrar ao Talon.

— Deveria vir conosco. — Talon me surpreende. Imaginava

que ele iria querer estar com os irmãos, para variar.

— Ok, posso levar Ivy? — Todos olham para Taron por

precaução. Ele aperta os lábios medindo as palavras. Nem pensei

em como ele se sentiria sobre a presença de Ivy.

— Tanto faz. Se quiser passar o dia todo com uma piranha,

então a leve! — Taron age com indiferença, mas todo mundo sabe

que as coisas não são assim. Holden e Talon se escangalham de

rir.

— Você só está irritado porque há uma versão feminina sua

por aí e ela o odeia! — diz Holden entre risadas. Taron levanta na

mesma hora e deixa a cozinha.

— Vamos sentar e rir o dia todo ou iremos ao lago? — Grita

do corredor depois que sai.

— Tenho que passar em casa e trocar de roupa. Ligo para Ivy

no caminho, para que se apronte. — Digo a Talon. Ele aceita e

logo pega suas coisas para o dia. Ligo para Ivy que pula de

felicidade com a oportunidade de passar o dia com nós no lago.

115


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Onze

Levo Eaven até em casa e depois vou ao posto de gasolina e à

loja de conveniência. Tenho essa conhecida rotina. Compro

sempre a mesma coisa quando vamos para o lago. Cerveja e

cachorro quente frio. Pego água para as garotas, só para o caso

de não quererem tomar cerveja o dia inteiro. Tenho muita vontade

de ensinar Eaven como esquiar na água. Minha família morou

próxima da água toda a minha vida. Meus irmãos e eu todos

praticávamos o slalom 8 , que se realiza com apenas um esqui.

Taron e eu somos os únicos loucos o suficientemente para

também fazer descalços. Só fazemos quando a água está tão

calma que parece um espelho. À menor ondulação na água eu

sinto como se estivesse voando sobre um buraco.

Ouço o celular tocar. Não reconheço o número. Atendo e

congelo por causa da voz no outro lado da linha.

— Talon. — Sua voz soa nervosa e insegura. Termino a

chamada e jogo meu telefone no painel. Estou enojado. É

estúpida pra caralho para me ligar depois do que fez. Não tenho

nada a dizer e não quero saber nada dela também. Nicole pode

apodrecer no inferno que criou para si mesma.

Estou no estacionamento do apartamento de Eaven, minha

mente rememora os últimos anos de minha vida. Pensava que

Nicole fosse meu futuro. Quando penso em Eaven, percebo que

sou muito mais feliz com a ideia dela em meu futuro do que era

quando me imaginava com Nicole. Nesse momento, decido que

8 Slalom: Um tipo de esqui aquático.

116


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

não permitirei que a ligação de Nicole arruíne meu dia com

Eaven.

Olho pela janela e vejo minha garota, vindo até mim com os

braços cheios de bolsas.

— Só vamos passar um dia fora, mas parece que vai se

mudar. — Brinco.

— A maior parte é de Ivy. Quer ter opções, seja lá o que isso

signifique. Só aceitei e guardei as coisas. — Explica de forma

breve. Ajudo com as bolsas e a abraço. Desfruto enquanto Ivy se

dirige à caminhonete também. Usa uma túnica vermelha e posso

ver o vermelho e laranja das alças do biquíni amarradas ao

pescoço.

— Hoje, vou ensinar a ambas como esquiar na água. — Digo

assim que chegamos à estrada, fora dos limites da cidade.

— Vai mesmo? — Diz Eaven.

— Vai ser divertido. — Ivy parece querer chegar logo.

— Sim. Minha família esquia desde que posso me recordar.

Na verdade, é bem fácil. Só precisa segurar firme e ficar reta no

momento certo quando sair da água. Estarei com você. Holden

conduzirá a lancha.

— Taron pode me ensinar? Talvez ambas possamos aprender

ao mesmo tempo. Tem duas dessas cordas? Para que possamos

tentar ao mesmo tempo?

Sorrio, porque não há como deixar que as duas façam ao

mesmo tempo. Isso seria o caos.

— Teremos que perguntar ao próprio Taron.

O trajeto até o lago passa voando com as duas garotas. Noto

até, que às vezes, terminam as frases uma da outra. Têm

brincadeiras internas e outras coisas que só elas entendem. É

ótimo que tenham uma a outra.

117


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Holden e Taron estão no porto quando chegamos. Estão com

a lancha pronta para sair do cais. Ralamos algumas partes do

corpo ao descer pelo cais, com os braços carregados como se

fizéssemos parte do filme “Férias Frustradas”. Percebo que os

caras estão ficando putos com a quantidade de coisas que as

garotas estão enfiando no compartimento na parte da frente da

lança. O que podemos fazer? Só sorrio e nego.

À medida que nos afastamos da baía, as garotas tiram as

túnicas. Minha boca cai quando a vejo de biquíni. Merda. Não

estou preparado para compartilhar a visão dela com ninguém.

— Cacete! — Diz Taron com os olhos saltando. Entretanto,

percebo que não está olhando para Eaven. Seus olhos estão

plantados em Ivy, no biquíni rosa sexy de Ivy.

Ivy olha para Taron e aperta seus seios juntos.

— Você gosta do que vê? — Ela está gostando da atenção e

brinca com meu irmão. O dia pode ficar interessante.

Assim que chegamos a águas profundas, paramos a lancha.

Taron se comprometeu a ensinar Ivy como esquiar, ao mesmo

tempo, que ensino Eaven. Holden prepara as cordas e os esquis.

As garotas levam um tempo para colocar o protetor solar e Eaven

me passa protetor também. Devemos fazer isso a cada hora. Não

queremos nos queimar.

Todos colocam os coletes salva-vidas e entramos na água.

Então, flutuamos perto do barco enquanto colocamos os esquis

nas garotas. Holden joga uma corda para cada um. A lancha

segue em baixa velocidade mesmo quando a corda é totalmente

puxada.

— Mantenha o quadril abaixado, as pernas dobradas com as

coxas perpendiculares ao tronco até que seja levantada da água.

118


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Aí endireite o corpo. Lembre de manter os joelhos dobrados um

pouco para ajudar com a ondulação das ondas que podem vir. —

Estou sustentando Eaven, enquanto a lancha estica as cordas

pela água até que estejamos preparados.— Quando estiver

preparada, levante o polegar para avisar Holden. Se assegure de

que ambas estejam preparadas.

— Oh, espero conseguir fazer isso. — Diz insegura.

— Está pronta para tentar? — Diz Ivy — Esteja pronta para

cair se precisar.

— Vamos nessa. — Diz Eaven. Noto que um dos esquis flutua

na água. Inclino para alcançá-lo e vejo que as garotas dão sinal

de ok à Holden.

— Cacete! — Grita Taron na minha direção. Olho para cima e

as vejo esquiando, cada uma em um esqui. Taron está com o

outro esqui da Ivy. Não posso fazer outra coisa a não ser rir.

Subestimei elas o tempo todo.

Cada conjunto de esquis tem um suporte atrás. As garotas

sabiam qual deles deixar cair. Definitivamente já tinham feito isso

antes. O único problema é que não pensamos que levantariam ao

mesmo tempo e Holden não tem um observador no barco para

garantir a segurança delas. Holden faz círculos muito rápidos e

as garotas sacodem para um lado e para o outro. À medida que

passam por nós, Eaven vira mais para a esquerda e

intencionalmente se agacha provocando uma rajada d’água que

deixa ambos encharcados. Posso me apaixonar fácil por ela.

Holden faz círculos de novo e enquanto a lancha passa e as

garotas soltam a corda e deslizam em nossa direção. Eaven chega

perto de mim e a agarro na água.

— Isso foi maldade! Deixou que eu acreditasse que não sabia

esquiar. — Digo enquanto a molho. Começa a rir.

119


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Nunca perguntou. Só presumiu que não sabíamos. Não é o

único que passava os verões no lago. — Isso explica porque nosso

primeiro encontro foi tão fácil. Não posso acreditar que nunca

perguntei a ela sobre isso.

Holden dá outra volta e desliga o motor. Fica de pé na parte

de trás da lancha e abaixa sua cabeça e braços em frente das

garotas.

— Boa jogada, senhoritas.

Passamos a maior parte do dia trocando os esquis e

pilotando. Aperto a mão de Eaven quando percebo que estou

olhando para o lugar onde nos beijamos pela primeira vez na

lancha. Sei que está pensando nisso também, porque seu rosto

fica vermelho ao me olhar.

À tarde, ancoramos no meio do lago e nadamos pelo resto do

dia. Mais uma vez, o dia passa mais fácil ao lado de Eaven.

Brincamos uns com os outros sob a água. Quase perdi a cabeça

várias vezes durante o dia.

Taron e Ivy até se comportaram. Acredito que Taron aprendeu

que ela não aguenta as merdas dele. Ambos são extremamente

divertidos e rápidos em nos manter entretidos todo o dia.

Ao fim do dia eu levo as garotas de volta ao apartamento.

Percebo que só tomei duas cervejas o dia todo. Estamos

acostumados a beber o dia todo e não tinha, nem de perto, me

divertido tanto como hoje. Ajudo a levar as bolsas para o

apartamento.

Eaven me agradece pelo dia e me abaixo e a jogo por cima do

ombro. Carrego ela até o quarto e fecho a porta.

— Talon! Sério? É só pedir e conseguirá o que quiser. —

Grita. Não a desço até que me meto no banheiro.

— Sim, bem, assim é mais divertido!

120


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Diz o homem das cavernas! — Diz golpeando meu peito. A

agarro e a sento na bancada. Nossas línguas e mãos se misturam

na mesma hora. Por fim tenho a oportunidade de puxar as cordas

de seu biquíni como quis fazer o dia inteiro. Puxa a túnica para

baixo e deixa cair a parte superior do biquíni no chão. Se esforça

para tirar minha camisa enquanto estou ocupado devorando seu

corpo perfeito.

Desce da bancada e tiramos o restante de nossa roupa

formando uma pilha no chão. Todos os meus pensamentos se

voltam para a mesma coisa. Merda. Não tenho camisinha.

— Amor, temos que parar.

— O quê? Está louco? Por quê? — Diz confusa.

— Não me lembrei de pegar camisinha hoje de manhã.

Estávamos com tanta pressa.

— Estou tomando pílula. — Continua mordiscando meu peito

e estômago.

Faço uma pausa e fico tenso. Na verdade me preocupo muito

por ela. Só não sei se estou pronto para colocar essa parte de

minha vida, mais uma vez, no controle de outra pessoa, depois do

que passei da última vez. Eaven se dá conta no mesmo instante e

me olha. Vou machucá-la com isto.

— Não posso. Se tivesse passado mais tempo, talvez.

— Não se preocupe. Entendo. — Diz olhando nos meus olhos.

Vira e liga o chuveiro. O que estou fazendo? Não posso

manter minhas mãos longe dela. Não há como me segurar, vendoa

no chuveiro, não depois do dia que tivemos.

121


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

— Foda-se! — Talon diz enquanto agarra uma toalha e me

deixa no banheiro, sozinha. O que eu fiz? Posso entender sua

relutância em transar sem camisinha, mas estou mesmo

tomando a pílula. Todos os dias por razões pessoais,

rigorosamente. Ainda não estou pronta para ter filhos.

Ouço a porta do quarto bater. Espero e um nó se forma na

minha garganta. Sei que está frustrado pela situação. Começo a

lavar o cabelo e escuto a porta de novo. Olho através da porta do

chuveiro e posso vê-lo deixar cair a toalha. Desliza a porta

abrindo ela e mostra uma tira inteira de camisinhas.

— Onde encontrou isso? — pergunto desconfiada.

— Ivy. Agora abra espaço para mim.

— Foi pedir isso a Ivy só com essa toalha?

— Sim, sabia que teria algumas, porque ela é a versão

feminina de meu irmão. Se estivesse em casa teria pedido a ele.

— Oh. Meu. Deus. Olhe pra você. Você vai furar a toalha. —

Noto que está muito ereto e preparado.

— Não é como se ela não tivesse visto um parecido. —

Balanço a cabeça. É meio que errado, e ao mesmo tempo, não

posso deixar de agradecer por pensar rápido.

Tomamos uma ducha rápida e antes de me dar conta,

estamos na cama atacando um ao outro. Eu adoro a forma como

somos compatíveis. Ele sabe como me levar ao êxtase, várias

vezes, antes que haja, até mesmo, a necessidade de camisinha.

Todo meu corpo reage a ele. Seu tato, seu aroma... Oh Deus!

O sabor dele, o som de seus gemidos, e em especial a visão dele

consome todos os meus sentidos. Respira em minha pele, nesse

momento, ele é o ar que eu respiro.

122


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Pronto. Amo esse homem, com tudo de mim. Tem meu

coração nas mãos. Pode ser suave e cuidadoso ou pode esmagá-lo

sem a ajuda de ninguém. Uma lágrima solitária cai pela lateral do

meu rosto quando me dou conta da rapidez com que me

apaixonei por ele. O pensamento de que ele possa partir meu

coração para sempre.

Vê minha lágrima, para e a pega com o polegar.

— Oh linda. Por que as lágrimas?

Viro meu rosto para longe e ele me obriga a olhá-lo. Não

posso acabar com o nó em minha garganta para poder falar.

Começo a sentir pânico e a sensação de asfixia me faz chorar

ainda mais.

— Por favor. — Sussurro finalmente. Por favor, o quê? Não

estou certa de por que disse isso. Essa foi a única coisa que

consegui pronunciar. Por favor, saia de mim? Por favor, não me

decepcione? Por favor, me tome agora? Por favor, não me deixe

nunca? Por favor, me ame? Por favor?

Gira em torno de mim e me abraça. Me segura bem apertado

enquanto deixo que meus olhos terminem a liberação. Sei que

está confuso, porque eu mesma também estou. Estou deixando

que o medo de perdê-lo se interponha entre nós, ao invés de

aproveitar a presença dele. Começa a acariciar brandamente

minhas costas tentando acalmar minhas emoções.

— Ev. Não tem que dizer nada. Entendo o que está sentindo.

— Sussurra.

E finalmente adormeço em seus braços.

Acordo na manhã seguinte sozinha. Tenho aulas essa manhã,

mas queria começar a passar para o computador as imagens da

123


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

noite de sábado. Trabalho emoldurando minhas fotos favoritas e

ainda chego a tempo de ir à aula com Ivy.

— A noite foi boa? — Diz Ivy me dando uma piscada quando

entro na cozinha.

— Não usamos nenhuma de suas reservas, se é isso que está

perguntando.

— O quê? Por que não? — Fica horrorizada.

— Porque sou estúpida. As coisas iam muito bem até me dar

conta da força de meus sentimentos por ele. Parecia que tudo

cairia em cima de mim e não conseguia parar de chorar. Desabei.

— O que ele fez? — Ivy se vê pasma.

— Me abraçou.

— Oh Ev, está se apaixonando por ele tão depressa. Do que

tem tanto medo?

— Uh... O óbvio. Tenho medo de que parta meu coração.

— Não seria melhor ter as lembranças de um amor, mesmo

se vierem com dor, do que nunca amar? Prometo que se partir

seu coração em pedaços estarei aqui para ajudar a recolher os

cacos e colá-los de novo. Ev, siga em frente e viva, simples assim.

Vocês são feitos um para o outro.

— Eu o amo, Ivy.

— Sei que ama! Uma melhor amiga sabe dessas coisas. E

também sei que ele te ama!

Posso pegar o que Ivy disse e me fortalecer, tomar a iniciativa

de conversar com Talon. Tenho que pedir desculpas por ontem à

noite. Sei que vai ser difícil, mas tem que ser feito. Decido faltar a

primeira aula e pedir a Ivy que tome notas por mim. Dirijo até

sua casa para acabar logo com isso.

124


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Tento abrir porta e fico animada de estar destrancada. Vou

direto para seu quarto e posso ouvir a água caindo do chuveiro.

Me surpreendo ao ver movimentos em sua cama.

— Quem é você? — Uma estranha mulher está sentada na

cama. Está vestindo uma camiseta bastante reveladora e seu

cabelo está todo bagunçado.

— Quem é você? — Digo nada impressionada com a forma

que me olha.

— Sou Nicole, namorada do Talon. Se estiver aqui atrás de

Taron, está no quarto errado.

Fico encarando ela com incredulidade. Isso não pode estar

acontecendo. Como pôde fazer isso comigo? Como pode sair da

minha cama só para se juntar com outra na dele?

Nicole? Conheço esse nome. Sua ex, ou era isso que eu

acreditava. Deixo sua casa e vou diretamente para meu

apartamento. O deixei no instante em que fechei a porta de sua

casa. Estou um desastre de tantos soluços no momento em que

chego em casa. Tranco e fecho todas as persianas e cortinas.

Quero escuridão. Meu telefone começa a vibrar.

Talon: Bom dia, linda! Sinto muito ter saído ontem à noite.

Eaven: Então por que me deixou?

Talon: Aconteceu uma coisa que eu precisei cuidar.

Sim, com certeza esse algo era seu pênis. Fecho o telefone.

Não posso aguentar mais nada nesse momento.

125


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Doze

Acordei ontem à noite com o Holden me ligando. Quando

respondi, disse que Nicole havia aparecido em nossa casa. Estou

furioso porque não para de me incomodar. Quem ela acha que é?

Renunciou ao direito de estar em minha vida quando fodeu as

coisas.

Dirigi com pressa para casa para encontrar meus irmãos e

Nicole na cozinha.

— O que está fazendo aqui? — Digo com rispidez ao entrar.

— Talon, eu vim até aqui falar com você. — Diz ela num

sussurro, a cabeça baixa.

— Que merda deu em você para vir aqui e dizer que quer me

ver? — Tenho zero de tolerância com ela.

— Sinto muito. — Diz ela em voz tão baixa que quase não a

ouço. Isso é o que veio dizer? Duas palavras? Duas palavras que

não significam nada agora que o mal está feito?

— Muito bem! Agora vá embora.

— Talon, por favor, me escute. — Está me olhando agora,

lágrimas escorrem por seu rosto. Olho para ela e espero que

termine — Podemos ter um pouco de privacidade? — pergunta.

— Não. Pode dizer o que tem a dizer e sair.

— Talon, sinto muito ter estragado tudo. Estou pronta agora.

Amo você e nunca quis fazer mal. — Rio — Por favor, escute.

Preciso de você em minha vida. Quero que resolvamos as coisas

para voltarmos ao que estávamos acostumados a ser.

— Se refere a voltar para o ponto onde você se vendia por

drogas e matava o meu bebê? Ou se refere ao ponto em que

126


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

estava tão drogada que saltaria da porra de uma ponte? — Essas

palavras fazem seus soluços mais fortes — Esse não é um

momento da minha vida onde eu vá permitir que você retorne.

Você e eu terminamos. Quero que vá agora.

— Talon, ela não tem para onde ir essa noite. Vou tirá-la

daqui amanhã de manhã. — Diz Holden, com calma. Tentando

apaziguar meu temperamento.

— Está bem, vou dormir em minha caminhonete. — Digo,

enquanto fecho com força a porta ao sair.

Sento no banco e começo a pensar em tudo o que está

acontecendo em minha vida. Tenho essa namorada maravilhosa

em minha vida agora. Nossa banda está fazendo sucesso e estou

indo bem na faculdade. Mesmo depois que pensei que tudo estava

arruinado, consegui superar a tragédia.

Finalmente fecho os olhos para dormir um pouco e a porta do

passageiro se abre. Nicole entra.

— Vou embora amanhã. Espero que possa ser capaz de me

perdoar. Por favor, entre e dorme. Não posso dormir sabendo que

o forcei a abandonar sua casa.

— Só entre na casa, Nicole. — Ela desliza sobre o banco e

tenta me beijar. Afasto ela — Segui com a vida, Nicole. Você tem

que fazer o mesmo.

— O que quer dizer com “seguiu com a vida”? Tem outra

namorada?

— Sim.

— A ama?

— Sim. — Estou surpreso de quão fácil saiu de minha boca.

— Como pode desistir de mim assim tão fácil?

— Ao que parece desistimos um do outro faz uns oito meses.

— Minhas palavras saem bruscas.

127


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Entendo. Não gosto, mas entendo. — Diz ela, desanimada.

Sentamos ali por um longo tempo. Finalmente as palavras foram

ditas, pus fim ao silêncio e tratei de deixar para trás toda minha

ira.

— Espero de verdade que encontre paz em sua vida. Espero

que encontre alguém que possa fazê-la feliz. — Digo sentindo o

peso sair de meus ombros — Entre e descanse um pouco.

Entrarei daqui a pouco. — Digo esperando que enfim me deixe.

Adormeço na caminhonete e acordo com Taron golpeando

meu para-brisa a caminho da faculdade. Apresso para me

preparar para a aula. Entro em meu quarto e vejo que Nicole

ainda está aqui sentindo como se estivesse em sua casa. Na

minha cama. Espero que aproveite o fato de que está sobre os

lençóis que eu e Eaven usamos na noite de sábado. Mando uma

mensagem a Eaven e desejo um bom dia.

Tomo um banho e me visto rapidamente antes de notar que

Nicole está acordada.

— Vou sair. Meu irmão a levará onde precisar ir. — Digo

saindo do quarto.

— Talon. Sempre o amarei, sabe. Salvou minha vida duas

vezes. Realmente lamento machucá-lo. — Recomeço a andar e

não olho para trás.

Vejo Ivy no saguão sem Eaven. Elas sempre me encontram

aqui antes dessa aula.

— Onde está minha garota? — Pergunto.

Ivy me olha confusa.

— Ela foi para a sua casa essa manhã. Supus que eu

encontraria ambos aqui.

128


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Merda. Está tirando sarro de mim? — Minha cara deve ter

transparecido meus sentimentos porque Ivy também entra em

pânico.

— O que aconteceu Talon? Está me assustando! — Ivy

começa a agarrar o colarinho da minha camiseta.

— Minha ex-namorada estava em minha casa essa manhã.

— E daí? — Pergunta Ivy, puxando o colarinho da camiseta,

apertando mais forte.

— E ela estava dormindo em minha cama. — Ela está

visualmente me estrangulando agora — Merda! Ivy, me solta!

— Idiota. Ela disse essa manhã que deu o primeiro passo

para derrubar os muros entre vocês. E você a trai enquanto a

convenço sobre o quanto perfeitos vocês são juntos. — Ela

começa a se afastar.

— Não a trai.

— Não se preocupe. Vou consertar esse desastre. Sempre

estarei aqui para ajudá-la a recolher os cacos. Estragou uma

coisa boa pra caralho, idiota.

Tento ligar para Eaven, mas cai direto no caixa de

mensagens. Começo a correr para alcançar uma Ivy cheia de

raiva.

— Vai me escutar? Não a trai. Nicole apareceu em minha

casa e conversamos, e isso é tudo.

— Então, Eaven a viu na cama dormindo a seu lado?

— Merda, não! Não estou certo de quando passou por lá.

Poderia estar no banho ou fora de casa. Olhe, pode perguntar a

meus irmãos. Dormi em minha caminhonete ontem à noite. Tudo

isso me deixa puto. — Estou gritando com Ivy e todo esse

desastre nem é sua culpa.

129


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Ok, eu acredito. Será difícil que ela entenda isso se viu

Nicole em sua cama, ainda mais depois do que ela passou com

Brandon no passado.

Ivy finalmente está vendo a verdade. Conto o que se passou

ontem à noite e esta manhã.

— Me deixe ir para casa e ver o que aconteceu. Ligo para

você. — De jeito nenhum vou esperar que me ligue. Dou uma

vantagem, mas sei para onde vou.

Eaven

Choro pelo que parecem horas quando por fim, ouço Ivy

chamar à minha porta.

— Ev, abre!

Caminho até a porta e a abro. Ivy pode ver que estou

devastada. Ela me abraça e me mantém de pé na soleira da porta.

Estou certa que minhas pernas cairiam se ela não me segurasse

tão forte.

— Oh, Ev, o que viu não é nada do que era. — Afasto e a

encaro.

— Como posso interpretar mal uma garota na cama vestindo

quase nada? Como posso interpretar mal quando a garota diz que

é namorada do Talon?

— Bom não sei o que dizer, mas interpretou. — Diz Ivy, ela

passou dos limites agora.

— Sem dúvida deixou minha cama para logo se unir com a

“ex” na cama dele. Meus olhos não mentem. Não vou ser uma

ingênua e estúpida que acredita nas mentiras de seu namorado

infiel.

130


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não estou questionando. Sabe que chutaria sua bunda em

um segundo se pensasse que ele fez mesmo. Dormiu na

caminhonete. Pode perguntar para Holden. Não confunda com as

lembranças de Brandon, Ev. Seja inteligente. Pense nisso. Se

escutar tudo, vai entender o que estou dizendo.

— O que você sabe que não sei?

— Ele saiu daqui porque Holden ligou dizendo que Nicole

tinha aparecido na casa ontem à noite. Voltou para dar o pé na

bunda definitivo, mas soube que ela não tinha lugar para passar

a noite. Ele dormiu na caminhonete porque não suporta ficar

perto dela. Acordou, tomou banho, se arrumou e foi para a aula.

Foi quando me encontrou no saguão, procurando você.

— Isso não explica a vadia seminua em sua cama, Ivy. —

Digo de novo quase sem som.

— Por favor, querida, me escute. — Estremeço quando Talon

entra. Ivy desaparece do quarto. Sei que meu rosto está

devastado pelo choro. Pulo na cama e me viro na direção oposta.

Quero me esconder debaixo dos lençóis. Realmente não estou

pronta para ficar cara a cara com ele.

— Tem que acreditar em mim. Nunca a trairia.

— Eu a vi em sua cama. Ela disse que é sua namorada. O

que quer de mim?

— Quero você. Você é tudo o que quero. Não sei por que ela

disse que é minha namorada. Prometo que está muito longe da

verdade. Mesmo se você nunca mais falar comigo, jamais voltarei

com ela. — Sinto a beirada da cama afundar enquanto ele se

senta — Ainda não sabe como meu coração bate por você? Eaven,

eu te amo. Você é a única garota para mim. Tem que acreditar.

Viro em sua direção e o vejo dizer essas coisas olhando para o

piso e com as mãos no cabelo, frustrado.

131


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Meu coração se aperta ao ouvir dizer que me ama. Quero

acreditar. Quero pular em cima da cama e gritar de emoção, mas

estou esgotada. Deixo que meu cérebro processe tudo o que Ivy

me disse, antes de Talon aparecer. Ela nunca me levaria a

acreditar em mentiras. Essa sou eu saltando do precipício,

voando e esperando que Talon me segure.

— Também te amo, Talon. — Digo em voz baixa, nem sequer

estou certa se foi suficientemente alto para que escutasse. Sei

que escutou, porque ele se vira e se deita na cama junto comigo.

— Por favor, não me assuste assim de novo. — Diz em meu

ouvido. — Tínhamos combinado de falar sempre um com o outro,

lembra?

— Sim. Só que realmente parecia uma situação indiscutível

quando estive lá. Ela é muito convincente.

— Saberá que sua encenação não funcionou. — Tenta me

consolar.

Ficamos ali quase o dia todo. Usamos quase todas as

numerosas camisinhas que Ivy emprestou ontem à noite. Talon

está muito cansado por ter dormido mal na noite passada e

dorme um sono profundo. Durmo um pouco, mas continuo

trabalhando nas imagens que quero usar no pôster. Chega a hora

do jantar e estamos famintos. Decido fazer algo rápido na cozinha

para que possamos ficar em casa mesmo essa noite.

Ivy fica muito feliz de me ver sair do quarto com um sorriso

no rosto.

— Já era hora. — Diz Ivy enquanto toca de lado seu ombro

contra o meu — Estão bem?

— Acho que sim. — Digo, cheia de esperança de que muito

bem.

132


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Bem, supus quando ouvi os gritos... SIM! OH, Deus, SIM!

— Dou um tapa em seu ombro. Que vergonha!

— Escutei alguém me chamar? — Talon aparece bem a tempo

de ouvir Ivy gemendo. Rimos ao mesmo tempo. Deveria realmente

desfrutar disso. Muitas vezes eu e Ivy brincamos dessa maneira.

Ela parecia não se importar.

— O que estava fazendo, escutando do lado de fora da minha

porta como uma pervertida? — Aceno para Ivy.

Ela sorri com malícia.

— Na verdade acabo de chegar em casa e não ouvi nada, mas

peguei você!

Passamos a noite trabalhando na tarefa e colocando em dia

as aulas que perdemos hoje. Talon sai a tempo de ensaiar com a

banda. Decido não acompanhá-lo para poder terminar o meu

projeto.

O pôster é uma coleção de fotografias em diferentes ângulos

de cada um dos membros da banda. Foi muito difícil selecionar a

melhor fotografia de cada um deles. Acrescento Rebel Walking e

cada um de seus nomes enquanto preparo a impressão.

Decido mandar uma foto de Talon para fazer uma impressão

grande. Quero emoldurá-la e o presentear, capturei uma linda

pose dele durante seu solo. As luzes estão apagadas, com exceção

de uma luz atrás dele. Seu contorno está de frente e seus braços

estão levantados com as baquetas descendo para tocar.

Também há uma foto de nós dois dançando que é linda. Tirei

por cima de nossas cabeças enquanto estávamos nos beijando na

pista de dança. Decido fazer uma cópia impressa para mim. Peço

urgência no pedido para que as tenha antes do show na sextafeira.

133


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Ligo para Nicole e digo que seu plano não funcionou. Precisei

deixar uma mensagem já que não respondeu. Tenho certeza de

que notará o nível da minha raiva nela. Ameacei ela para que

continuasse longe de minha família e amigos. Não tenho

nenhuma paciência para essa merda. Ela não vai mais afetar a

minha vida.

A semana passa muito rápida enquanto estamos todos

concentrados na preparação para o show e trabalhamos muito

para nos manter em dia com a faculdade. Estive ensaiando por

horas extras para aperfeiçoar meu solo.

Há um desafio entre eu e outros dois bateristas de bandas

locais. Idealizei tudo com a intenção de chamar atenção para mim

e para nossa banda. Luke, Lilly e Taron trabalharam com

técnicos para aperfeiçoar suas partes. Vamos arrasar essa noite!

Me tranquei no quarto para me preparar. Muita coisa vai

mudar se esse show der certo. Haverá uma multidão lá para

presenciar o que vamos tocar.

Estou com a música a todo volume, praticando meu solo de

novo quando sinto ela perto de mim. Sinto tocar meus ombros e

logo passar seus dedos descendo por minhas costas lentamente.

Parei de tocar e me concentro em seu toque.

— Só quero recolher esse anjo em suas costas e afastar toda

a dor — Diz ela envolvendo com força seus braços ao redor de

minha cintura.

— Não sabe que já faz isso? — Giro em meu banquinho para

olhá-la nos olhos — Estou vivo porque todos os dias enquanto

134


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

você respira me traz mais vida. Antes de conhecê-la, eu só existia.

Tenho me sentido mais vivo com você do que jamais me senti.

Desejo ser alguém digno de você.

— Faz o mesmo por mim. Você me faz tããooo feliz. — Diz ela,

sorrindo, e beija meu peito — Tenho uma surpresa especial para

você! — Ela se levanta rapidamente e se emociona. Espero

enquanto sai de meu quarto e retorna com um grande pacote

embrulhado — Espero que você goste!

Ela me entrega o presente e imediatamente posso sentir que é

emoldurado. Abro e estou assombrado pela minha imagem.

— Caralho! Eu adorei! Merda Ev, é incrível! Não tinha nem

ideia de que era tão boa! Não sei o que dizer, exceto UAU! — A

imagem que capturou é uma loucura. Estou incrível com a

iluminação atrás, no meio de um de meus solos da outra noite.

Com certeza será pendurado na parede agora mesmo.

— Também tenho outro pôster com uma colagem da banda.

Será que Smitty nos deixará pendurá-lo no bar? — Ela segura

outro banner gigante.

— Me deixe ver! — Digo ansioso para ver mais de sua

habilidade fotográfica.

— Que merda! Você tem que fazer mais desses para nós, para

usá-los como publicidade. — Pego ambos os banners e saio para

encontrar Taron.

— Quem fez? — Diz ele admirando os dois.

— Minha garota! — Sinto um orgulho intenso dela nesse

momento.

— Merda, ela vai ter que se reunir conosco um pouco mais!

— Ela quer pendurar esse de todos nós no Smitty. Esse outro

é para meu quarto! — Encontro Eaven de novo. Ela está de pé em

meu quarto com um sorriso de orelha a orelha no rosto.

135


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Estou feliz que você gostou!

— Gostei? Eu amei. É talentosa pra cacete, Ev! Me

surpreende a cada dia com algo novo sobre você. Tem que tirar

mais fotos hoje. Vou fazer algumas coisas bem incríveis hoje e

gostaria que você fotografasse.

— Está em meus planos. — Ela não tem tempo de dizer nada

mais porque me lanço sobre ela. Quero devorá-la agora.

Justo quando acreditava que ela não poderia parecer mais

sexy, me prova o contrário. Levanto ela e ela envolve suas pernas

na minha cintura. Sustento ela ali e ela começa a usar suas mãos

para explorar. Adora pôr seus dedos em meu cabelo e puxar.

Essa merda me deixa louco por dentro. Solto um gemido e me

aproximo da parede perto da bateria.

Pego suas mãos e as levanto por cima da cabeça contra a

parede. Ela ainda está se segurando em mim quando tiro sua

camiseta. Não me dou ao trabalho de tirar seu sutiã, apenas o

abaixo com um puxão de forma que ela fica exposta. A largo

somente por tempo suficiente para baixar minha calça e levantar

sua saia.

Não desperdiço tempo em tirar minha calça jeans que está

caída sobre os meus tornozelos.

Ela não hesitou em pôr seus braços em meu pescoço e voltar

para a posição anterior. Arranco sua calcinha com um simples

movimento. Então estamos unidos em segundos e iniciamos o

melhor sexo contra a parede que já fiz na vida.

Seu seio está roçando contra o meu peito e sinto seus

mamilos duros se esfregando sobre ele. Aperto ela e aproveito a

sensação de todos seus impulsos contra mim.

— É linda para caralho. — Reduzo nosso ritmo e aproximo

seu rosto do meu. Me olha profundamente nos olhos. Ela não

136


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

desvia o olhar. Continuo com um ritmo lento e noto seus olhos

azuis escurecer.

Sei que ela está perto quando morde o lábio inferior e o puxa

para dentro. Passo meus braços por baixo de suas pernas, dentro

de suas coxas. Dou um passo para trás, o suficiente para

conseguir o ângulo correto e permitir que minha próxima

investida seja exatamente onde necessita. Ela levanta as mãos

com confiança de que me ocuparei dela.

Ela começa a gemer com o orgasmo próximo enquanto a levo

cada vez mais às alturas. Ela goza e não posso me deter enquanto

seus gemidos se convertem em gritos de prazer. Ela nunca foi tão

vocal durante o sexo. Vamos ter que repetir essa posição e ver de

que outras maneiras eu posso causar essa reação.

Seus pés acertaram duas vezes os pratos da bateria durante

nossa pequena brincadeira, então acho hilário quando ela golpeia

os pratos de propósito depois que terminamos. Fico ali contra a

parede, meu pau dentro dela enquanto respiramos, lutando por

ar, até que sinto umidade escorrer por minha perna e me lembro

da camisinha. Aquela que não usamos.

— Merda. Sinto muito, Ev. Estava louco e esqueci.

— Eu disse que estou protegida.

Nesse momento noto que estou bem com isso. Amo essa

garota. Não é que eu esteja preparado para ter um filho nesse

momento, mas estou bem com o que a vida possa ter preparado

para nós dois.

— Bom, porque depois dessa experiência, não pretendo

encapá-lo de novo. — Querendo dizer cada palavra — Deus, eu te

amo, babe.

— Te amo também Talon.

137


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Limpamos e nos vestimos antes que eu vá me preparar para o

show. Não sei quanto aos outros, mas eu estou preparado, agora

que me desfiz de qualquer ansiedade que tivesse. Não há nada

como sexo para desfazer qualquer tensão indesejada.

138


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Treze

Aqui vou eu, subindo pelas escadas do meu apartamento sem

calcinha por debaixo da saia. Quem faz isso? Aparentemente, eu

faço. Nunca estive tão agradecida de que não haja ninguém por

perto em toda minha vida.

Talon ficou com o que sobrou dela para “dar sorte”.

Ivy e eu nos arrumamos para essa noite. Planejamos nosso

look depois que fizemos compras essa semana. Estou usando

jeans, sapatos de salto e uma blusa vermelha que tem um decote

enorme na frente. As mangas caem pelos braços e deixam todo o

meu pescoço e a maior parte de meus ombros à mostra. Essa

blusa requer, sem dúvida, um sutiã sem alças.

Ivy está muito atraente em um vestido que mostra as suas

curvas, e é obvio usa saltos de 10 cm para completar o visual. Ela

vai tirar fotos comigo, hoje vamos trabalhar e nos divertir.

Chegamos ao estádio de futebol americano na hora em que as

primeiras bandas estão se preparando. Há três plataformas

diferentes no campo. Uma em cada end zone 9 e outra no centro

do campo virado para o lado dos visitantes. Os fãs podem se

sentar nos degraus ou ficar de pé no campo para conseguir

visualizar as três plataformas ao mesmo tempo. Preciso encontrar

Talon para conseguir ter uma boa visão do palco em que ele

tocará.

Vejo Taron e Luke próximos do palco do meio.

— Olá meninos! Viram Talon? — Eu e Ivy abraçamos Luke.

9 End zone é o nome dado às faixas de pontuação do futebol americano. Corresponde à parte do campo onde se colocam as

traves no futebol tradicional. Uma de cada lado.

139


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Ele está em algum lugar bancando o chefe de alguém. —

Diz Taron apontando para o palco — O quê? Sem carinho

comigo? Ou meu irmão tomou tudo essa tarde? Ouvi dizer que

você é muito boa na cama.

Muito bem, vou lidar com isso melhor do que antes. Decido

só rir, ceder e dar um abraço também. Ainda estou mortificada

por dentro, mas estou trabalhando muito para ignorar. Por que

Ivy e Taron sempre nos escutam? Sério? Percebo Ivy sorrindo

enquanto chega perto de Taron para dar um abraço.

— Ele está focado hoje, prima. Provavelmente deveria ficar

conosco para tudo seja perfeito em sua parte do espetáculo.

— Quando a Rebel Walking vai subir ao palco? — Pergunto

tentando dar sentido para tudo.

— Somos a segunda banda nesse palco aqui. Talon tem um

duelo pouco antes. — Luke me dá mais informação do que

qualquer um até agora.

— Um duelo? Como assim?

— Ele desafiou outros dois bateristas. Eles precisam ser

melhor que os outros na bateria para ganhar. Ele está ansioso.

Organizou tudo junto com os técnicos de iluminação e os outros

bateristas, durante a maior parte da semana. Acho que cada um

ficara em uma plataforma e todos terão um tempo para tocar

sozinhos. Vão se alternar até que todos tenham apresentado a

mesma quantidade de material. Escolherão o ganhador pelo

volume do público. — Luke completa quando vejo Talon

trabalhando atrás do palco. Ele está montando sua bateria.

— Olá, precisa de ajuda?

— Não. Uau... Espere. Talvez sim! — Diz enquanto me olha de

cima abaixo com óbvia apreciação.

— O quê? — Sorrio sabendo que gosta do que vê.

140


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Pode segurar a parte detrás do bumbo para mim? Segure

com as duas mãos.

— Claro. — Ponho minhas mãos atrás da bateria enquanto

ele começa a ajustar algo no outro lado.

— Mais baixo. Mais baixo. Mais baixo. Ok, aí mesmo. — Está

levando muito tempo. Por que estou segurando o topo deste

bumbo? Olho para cima e o vejo ali sentado, olhando o meu

decote.

— Sério? O que há com você?

— Não pode me culpar, pode? Merda, Ev! Está gostosa pra

caralho! — Ele me aperta em um abraço forte que esmaga tudo

entre nós dois.

— Preparado para essa noite?

— Agora estou. — Diz enquanto aperta ainda mais o meu

corpo. Golpeio-o no braço.

— Talon!

— Quero dizer, agora que está aqui para me ver, estou!

— Certo. — Me inclino para beijá-lo. Mesmo de salto alto ele é

mais alto que eu.

— Não, estou entusiasmado. Essa vai ser A NOITE. A Rebel

Walking vai brilhar.

— Estarei assistindo.

— Quero você comigo até que eu precise subir ao palco.

O show começa. Cada banda em ambos os extremos do

campo tocam antes do palco do meio. Paramos no campo e

observamos cada atuação. Eu adoro momentos como esse. Ele

está de pé atrás de mim o mais perto possível como sempre faz.

Luke e Lilly estão conosco. Não sei para onde Ivy foi. Depois que

Beckoning Reality termina seu show no palco central, Talon

desaparece para terminar de preparar as coisas.

141


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Vejo Ivy vindo em minha direção.

— Onde esteve? — pergunto curiosa.

— Mostrando meu amor de groupie!

— Com alguém que eu conheço? — Pergunto, mas ela não

responde. Só me dá uma piscada e troca de assunto com rapidez.

Vou deixar assim por agora. Mais tarde voltamos a esse

assunto.

O locutor finalmente anuncia que em breve haverá uma

apresentação especial após um pequeno intervalo. Me posiciono

para tirar as fotografias. Toda a iluminação principal se apaga

exceto pelo refletor multicolorido que atrai a atenção de todos ao

palco da direita.

— Palmas para Grady Williams! — O locutor arrasta o nome e

grita para multidão que enlouquece. Grady é muito bom mesmo.

Tem ritmo e me pego me mexendo só um pouco conforme ele

arrasa. As luzes se apagam de novo.

— Gente, vamos aplaudir Derek Vaughn! — o anunciador

grita para os fãs. Ivy põe os dedos na boca e assovia com vontade.

— Derek é gostoso pra cacete! Maldição! — Ivy sempre se liga

nesses detalhes.

É talentoso também. Gosto desse garoto também.

— Garotas! Voltem sua atenção para o palco do meio! Para

Talon Walker! — Arrasta mais o nome de Talon do que com os

outros bateristas. As luzes o alcançam e minha boca se

escancara. Ele está de pé atrás de sua bateria e agarra a camiseta

e a tira por sobre sua cabeça e a atira para a multidão. As garotas

vão à loucura. Senta e demonstra suas habilidades fazendo todas

nós garotas babar. As luzes se apagam de novo.

Grady recomeça. Agora um guitarrista uniu-se a ele e, por

talvez um minuto, tocam juntos antes que as luzes se apaguem.

142


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Derek começa e as pessoas ainda fazem barulho por conta da

atuação de Grady. Ele traz uma guitarrista mulher. Ela exala

sedução enquanto anda por todo o palco, tocando. De novo me

pego balançando com a música. Apagam-se as luzes mais uma

vez.

Luke começa a fazer a guitarra rugir e logo ouço Talon

recomeçar. Só agora me lembro de tirar fotos. Não posso deixar

de notar como o público aumenta próximo ao palco onde Talon e

Luke se apresentam. Em seguida as luzes se apagam.

Grady está envolto em fumaça. As luzes multicoloridas se

projetam na fumaça e sua silhueta está arrasando na bateria. Ele

dá tudo de si em cima daquele palco.

O tempo de Derek começa. Fogo se projeta em feixes, um em

cada lado do palco. Ele aparenta ser arrogante quando toca.

Posso dizer que é um desses caras que conseguem garotas num

estalar de dedos. As luzes se apagam bem antes do fogo disparar

uma última vez.

Dessa vez, as luzes não apontam Talon. Meus olhos o estão

procurando. Ele dá um golpe na bateria, na frente do palco e uma

luz azul brilha. Logo uma vermelha se junta, seguida da verde e

logo a de cor laranja acende. As luzes só aparecem quando ele

acerta um dos tambores da bateria. Ele se centra só no azul e o

vermelho em um primeiro momento e só aí me dou conta que um

líquido jorra alto da bateria a cada golpe.

A luz verde e a laranja reacendem, de novo, o líquido voa por

cima de sua cabeça. Ele solta sua fúria sobre todos os elementos

da bateria. Ele está rodeado por uma exibição colorida por todos

os lados. Estou fascinada pela natureza selvagem das cores

misturando-se ao líquido durante todo o tempo em que toca. O

refletor brilha sobre ele durante uns segundos antes que seu

143


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

tempo termine. Ele é está tão encharcado que sei que não sou a

única que quer lambê-lo até que fique seco. Seu cabelo está

empapado. Apagam-se as luzes. Não há dúvida de que ele ganhou

este desafio. O público ruge. Não sei se minhas fotos sairão

legais, já que é difícil tirar fotos com a boca aberta, babando pelo

sujeito.

Só leva uns poucos minutos até que a multidão se cale para

que a banda de Talon comece a tocar. Todas as canções que irão

tocar esta noite são originais. As luzes e os efeitos são muito

melhores dos de qualquer outra banda que está aqui essa noite.

Acrescentaram pirotecnia e fumaça em diferentes músicas. O

público vai à loucura, e todos aproximam da beirada do palco

para prestarem atenção. É mais intenso do que já presenciei. É

evidente que estão em um nível diferente do resto das bandas

presentes.

Trato de compensar a perda de tantas fotos antes e tiro

várias. Percebo Ivy fazendo o mesmo.

Depois que o show termina a multidão rodeia cada um dos

membros. Percebo que Talon é mais receptivo a atenção dos fãs

essa noite do que de costume. Estou tão encantada por eles.

Talon

Isso é uma loucura. Victor Nickel do Wright Records se

aproximou de nós no final do nosso show. Ele nos pediu para

abrir alguns shows grandes que estão para acontecer. Não

podíamos dizer não. É uma grande oportunidade e quem sabe até

onde pode nos levar nos próximos meses. Entraremos em turnê

144


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

depois das provas finais, no inicio de dezembro. A primeira

viagem terá duração de duas semanas.

— Excelente! É isso aí, arrasamos! Temos que celebrar! —

Grita Taron do outro lado do campo. Ele esta tão feliz como eu a

respeito da notícia.

— Vamos nessa!

Encontro Eaven e vamos para o ônibus. Assim que chegamos

ao estacionamento e vemos que não há muita gente por perto,

começo a brincar um pouco e agarro sua bunda. Minha atenção

está toda em Eaven e em ver a parte de dentro de sua camiseta

quando ouço alguém dizer:

— Você foi incrível essa noite, Talon.

Sei quem falou, o que me incomoda ainda mais.

— Que merda você quer, Nicole? — Não posso ver sua cara.

Por fim a vejo saindo das sombras do ônibus.

— Só quero que saiba o quão orgulhosa estou de você.

Mandou muito essa noite e só quero parabenizá-lo.

— Ótimo. Agora suma. — Digo enquanto conduzo Eaven para

dentro do ônibus e fecho a porta atrás de mim.

— Isso é tudo o que vai dizer? — Eaven tem as mãos nos

quadris como se estivesse zangada comigo. Sério?

— Sim. Pedi que me deixasse em paz. Ela não quer entender.

— Está exagerando. Foi uma grande noite e ela só quer ser

parabenizá-lo.

— Não a defenda. Não dou a mínima para o que ela quer de

mim. Já chega. Não sinta pena dela.

— Não sinto. Só que você é tão duro com ela.

— Sim, eu sou. Não fique brava comigo. Quero celebrar essa

noite. Ela não vai evitar que isso aconteça.

— Não estou com raiva, me sinto mal por ela.

145


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não sinta. Ela não merece sua compaixão. — Digo

enquanto em fim todos chegam para voltar para casa.

— Quem está preparado para ver uns paus? — anuncia

Taron.

— Mantenha suas calças, meu irmão. Ninguém quer ver essa

merda. — Digo logo com a esperança de dispersar suas intenções.

— Claro que querem. — Percebo que piscou para Ivy.

O percurso é curto já que todo mundo vai para nossa casa

para celebrar e não fazemos nenhuma parada adicional. Logo que

chegamos à porta, Taron está servindo bebidas.

— Todo mundo pegue uma dose. Temos que brindar. — Grita

Taron pela casa.

Começo a pensar nas palavras de sabedoria que direi no caso

de ter que fazer as honras. Já sabe, aqui está nosso futuro e

merdas assim. Taron interrompe meus pensamentos.

— Uni duni tê. Que essas doses revelem a biscate. — Taron

mal termina e enche os copos. Joga tequila na boca. Os caras

viram as doses meio a contragosto e olhamos para as garotas.

Quando começam a levantar suas doses, fazemos o mesmo. Ivy

agarra a garrafa e serve outra rodada.

— Brindemos pelos homens que tivemos. Alguns eram bons,

alguns eram maus. Alguns correram, outros os seguiram. Mas só

cabe a nós decidir se cuspimos ou engolimos. — Ivy anuncia, com

orgulho, enchendo os copos das garotas. Taron puxa a garrafa da

mão de Ivy para verter uma nova rodada.

— Por todos os beijos que roubei! — Taron diz com um

sorriso um tanto quanto maléfico — E vice-versa! — Acrescenta

pouco antes que todo mundo esvazie seus copos.

146


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Pelo amor e união, cantos escuros e oportunidades. —

Bem, vou brindar a isso. Taron agarra a garrafa e serve outra

rodada.

— Que as garotas com tetas pequenas, nos deixem brincar

com suas bocetinhas. — Como levanto o copo para isso com

minha namorada do meu lado? Ela não tem seios pequenos.

Observo enquanto ela ri e levanta seu copo. Dessa maneira

bebemos por acariciar bocetinhas e por biscates quando meu

irmão está à frente dos brindes. Já bebemos depois de brindes

piores.

— Bem, iremos todos morrer de intoxicação alcoólica. Já

chega por ora. — Eaven agarra a garrafa para impedir o progresso

de nosso retrocesso.

Fico feliz por alguém estar pensando.

— Hora da Jacuzzi! — Taron começa a se despir.

— Não trouxe biquíni. — Eaven me olha em pânico.

— Tudo bem. Tenho camisetas que vocês podem usar, se

quiserem. — Ofereço a Eaven e Ivy.

— Não! Me contento com o que tenho! — Ivy balança as mãos

no ar e logo começa a abrir seu vestido. Eaven impede, com

rapidez, que Ivy se dispa e sussurra algo em seu ouvido. Depois

que Eaven torce e belisca o braço de Ivy, elas se encaminham

para meu quarto. Lilly e Macy vão com elas. Pego minha sunga

antes que me expulsem de lá.

— Será melhor que você, Taron, esteja usando alguma coisa.

— Digo, sabendo que há 50% de chance de Taron estar nu.

— Relaxe. Já coloquei. — Taron assegura a todos. Sento do

lado oposto de meu gêmeo. A jacuzzi é muito grande e comporta

fácil mais de oito pessoas, sobretudo se subirmos uns nos outros.

Está escuro do lado de fora, mas a luz do pátio brilha sobre nós.

147


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Nunca mais acendemos a luz da banheira de hidromassagem.

Isso é um erro não voltarei a cometer.

Luke e alguns dos outros entram também. Holden passa

cerveja para todos e começamos a falar da apresentação incrível

de hoje. Todos nós ficamos ansiosos para fazer a turnê e abrir

para algumas bandas famosas. Continuamos a conversa por mais

três cervejas e começo a me perguntar onde estão as garotas.

Vejo que o segundo andar está com as luzes apagadas. A luz

da lua me permite vê-las enquanto fazem andam em nossa

direção.

— O que aconteceu com a luz? — pergunta Holden.

— Apaguei quando todas as garotas saíram do quarto. — Ivy

fala.

— Ivy, ei! Precisa de um lugar para sentar? — Taron grita.

Merda! Sinto um dejá vu?

— Claro. — Mal consigo ver meu irmão e seus dedos em

forma de “V” se repetirem.

— Guardei seu lugar bem aqui! — Ivy não hesita enquanto

sobe e senta no colo de meu irmão. Ela se vira e agora o encara.

Vai saber o que ele fez.

Percebo que nenhuma das garotas vestiu alguma camiseta.

Tenho a sensação de que Ivy está liderando essa brigada de

mulheres em águas turbulentas. Eaven vem na minha direção, e

sim, ela está se divertindo só de sutiã e calcinha. Sua calcinha

minúscula.

— Porra. — Não tenho certeza de quem saiu essas palavras.

Pode muito bem ter sido de mim.

— Ei! Está tentando me matar? — Sussurrei no ouvido de

Eaven depois que ela sentou em meu colo. Ela responde mexendo

seus quadris o suficiente para me fazer saber que está gostando.

148


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

O que está acontecendo nesse momento? Fiquei preso em

algum sonho esperando que Eaven me tire dele? Estou bem

seguro do que fiz. Eu adoro essa garota e sua melhor amiga

valente de grandes ideias.

— Quem quer outra dose? — Taron pergunta em voz alta

enquanto sai da água.

— Que inferno, Taron! Disse que estava de sunga! — Vejo seu

traseiro mentiroso virado para mim. Isso não é um sonho, é um

pesadelo.

— Entrei como vim ao mundo! — Diz com orgulho. Todo

mundo começa a rir de sua bunda desnuda caminhando nas

pontas dos pés até a casa para pegar a bebida. É bem triste que

ninguém se surpreenda com a nudez pública dele.

— Ivy, como está seu lugar? — Luke brinca.

— Está me oferecendo um lugar, Lukie? — Ivy se aproxima de

Luke que não diz uma palavra. Não há dúvida de que um de

meus companheiros da banda vai pegar Ivy em pouco tempo, se

já não pegaram.

Taron veste uma sunga antes de voltar com Jell-O shots 10 .

— A honra! Se não puder gozar dentro, goze em cima dela! —

Taron diz enquanto levanta sua dose e todos os caras batem em

nossas doses. Estou bem bêbado agora, o que torna o brinde um

tanto engraçado.

Saímos da Jacuzzi e estou disposto a passar algum tempo a

sós com minha garota. Essas pessoas não irão embora tão cedo e

isso pode ser um problema. Envolvo ela em uma toalha gigante e

a levo para minha rede. É uma rede larga e robusta pendurada

entre duas árvores gigantes que tornam essa área mais privada.

10 Jell-O shots são drinks de gelatina. Os jovens americanos colocam algum tipo de bebida alcoólica na mistura da gelatina e

dividem as doses em copos de cafezinho.

149


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Desabo na rede fazendo ela balançar, quase dá uma volta

completa no processo. Ela começa a rir.

— Onde espera que eu sente? — Arrasto meu pé na mesma

hora para frear o balanço.

— Onde quiser!

Ela se aproxima de mim e para. Olha para os outros. Posso

ver os pensamentos fervilhando em sua linda cabeça. Espero com

paciência para ver onde isso vai dar. Ela abre a toalha, deixandome

ver a calcinha e o sutiã. Senta de frente para mim, com a

toalha meio solta. Começa a me beijar.

Mantenho os pés no chão para manter o equilíbrio até que se

acomode. Percorro toda a extensão de suas costas com mãos,

para cima e para baixo e um calafrio corre pelo corpo dela.

— Está com frio?

— Não, é só que quero você, agora. — Ela está beijando e

mordiscando minha orelha enquanto sussurra. Escuto vozes e

entendo que todos se foram para outros lugares e nos deixaram a

sós, para dar um pouco de privacidade.

Sinto a toalha cair sobre minhas pernas. Ela abre o fecho de

seu sutiã e lentamente tira as alças de cada braço. Observo e ela

começa a se esfregar em mim, me pergunto o que fiz para merecêla.

A luz da lua é suficiente para que possa ver tudo. Ela começa

a mover e se agarra em mim. Parece estar pronta e sei que estou

desde o momento em que ela se sentou em meu colo na jacuzzi.

Levanto ela um pouco para que possa retirar os dois últimos

obstáculos em nosso caminho. A calcinha se rasga sem esforço e

minha ereção está implorando para ser libertada.

Ela se posiciona e logo desce com força. Eu não estava

preparado, mas não é por isso que vou me queixar. Estou

150


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

começando a aprender que minha garota gosta de um pouco de

força.

A sensação dela sem camisinha é incompreensível. Ela está

quente e lubrificada de forma natural. Deixo que se mova e

aproveito a visão e as sensações que me proporciona. Seus seios

estão na posição perfeita para que tenham toda a minha atenção

enquanto continua a subir e descer.

Ela se inclina para trás de modo que acerto o ponto G, ela

desliza e fica imóvel. Empurro mais até que sinto seus músculos

contraírem e se espremerem ao redor do meu pau me levando ao

êxtase. Ela cai sobre meu peito e ficamos por muito tempo nessa

mesma posição.

— Posso ouvir seu coração. — Ela começa a tocar meu peito

com seu dedo. Fecho os olhos e sinto o ar soprar sobre nossa

pele. Seu corpo sobre o meu virou minha posição favorita. Poderia

ficar aqui sem precisar de mais nada na vida.

Não passa muito tempo e meu gêmeo está gritando da

cobertura. Ajudo Eaven a sair da rede e a enrolo na toalha.

Recolho sua calcinha e ela esconde seu sutiã na toalha. Levo-a

para casa e nos esgueiramos para conseguir entrar em meu

quarto e trocar de roupa, sem ninguém fazer comentários.

Decidimos nos unir aos outros e festejar. A noite é permeada

de loucuras e as garotas se divertem para valer. Deixo todas

dormirem em meu quarto, estavam muito bêbadas quando fui

checá-las.

151


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Quatorze

Estou com uma ressaca terrível e com dor de cabeça. Ontem,

a noite foi uma noite incrível, mas é certo que exageramos na

bebida. Acordo dormindo junto a Ivy na cama do Talon. Ela se

mexe. Lembro-me de ensinar às garotas como tocar bateria ontem

à noite. Éramos terríveis, mas foi bom. Os garotos foram jogar

videogame e não sei ao certo o que mais fizeram. Também me

lembro de passar tempo com Talon na rede. Adoro o fato de que

sempre cuida de mim. Isso é algo que nunca tive com ninguém.

Não me sinto bem. Faz tempo desde que bebi tanto assim.

Agora recordo por que não faço isso sempre.

Sinto o aroma de café. Ah, preciso de café.

Dou uma olhada para a cama enquanto dou uma volta, vejo

Macy e Lilly esmagadas do outro lado da cama. Como nós quatro

dormimos aqui?

— Café. — Caminho como um zumbi até a cozinha e solto

uns grunhidos. Holden é meu salvador e logo me serve uma

xícara.

— Noite difícil? — É uma pergunta ou está iniciando uma

conversa?

— Sim. — Digo com a esperança de que possa compreender

qualquer outra coisa que diga. Por sorte, ele não diz nada. Nós

sentamos a mesa e prestamos atenção às notícias. Ainda estou

sentada, me sentindo como uma barata tonta quando Talon se

junta a nós. Nem tenho vontade de me levantar para

cumprimentá-lo. Ele se inclina para beijar a minha testa e só me

recosto sobre ele.

152


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Está bem? — Pergunta com coragem.

— Não.

— Precisa de comida. Farei o café da manhã. — Talon começa

a fazer salsichas e ovos. Meu estômago protesta e fico sentada

aqui tentando contê-lo. Não funciona. Por que fiz isso a mim

mesma? NUNCA mais voltarei a beber. Corro para o banheiro e

meu mundo começa a sair dos eixos.

Parece que não terminará nunca. Estou com vontade de

vomitar, mas não sai nada. Talon abre a porta do banheiro e

coloca um pano frio em meu pescoço. Sinto alívio instantâneo e

começo a recuperar certa normalidade.

— Quer que eu segure o seu cabelo? — Pergunta em voz

baixa.

— Não, mas obrigada. — Percebo que me sinto muito melhor,

mas não posso acreditar que estou no chão do banheiro de

alguém abraçando o vaso. Ele deixa que eu termine de me

recompor sozinha.

Volto para onde todos estão e noto que Macy está como eu

estava há uns minutos atrás. Essa será uma manhã longa para

todas nós. Talon tocará essa noite no Smitty e não vou perder.

Consigo tomar o café da manhã e me sinto muito melhor.

Acordo Ivy que tropeça até a cozinha para o café da manhã. Ela

nunca fica doente, mas parece tão zumbi como me sinto.

Voltamos para casa e dormimos a maior parte do dia. Não há

nada como dormir o dia inteiro devido à bebedeira da véspera.

Talon decide ir de picape para o clube e nos pega no

caminho. Optamos pelos brindes tradicionais antes de ir para o

clube já que nossa ânsia por álcool é baixa ou inexistente. Não

tenho intenção de impressionar ninguém em minhas calças jeans

e camiseta. Ivy prefere recuperar a compostura e se veste como a

153


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

deusa que é. Não me importa. Voto por estar confortável hoje.

Talon não parece desagradar da minha aparência e ele é a única

pessoa com quem tenho que me preocupar.

Agarro minha câmera para tirar mais fotografias essa noite.

Estarei ocupada ao editar todas as imagens da noite anterior e as

que eu tirarei dessa vez. Sei que tenho fotos boas de cada um,

mas a iluminação é sempre diferente e não posso deixar passar a

oportunidade de capturar cada um deles em um grande

momento.

Nossa mesa está bem careta essa noite. Todo mundo está

com bebidas energéticas e não álcool. Fico feliz de ver que não

sou a única sentindo os efeitos da noite anterior. Taron chega e

dá vida ao grupo com seu comportamento louco, mesmo sem

estar sob a influência de álcool.

Aiden chega e se junta a Ivy num piscar de olhos. Eu sei que

ela está gostando de ficar com Aiden, mas não posso deixar de

notar a química que tem com Taron quando ele se aproxima. Para

não mencionar o fato de que Aiden não estava no show de ontem,

me chuto mentalmente por não ter falado com ela sobre seu

sumiço antes do show. Tudo estava tão louco ontem à noite, e

hoje me sinto uma merda. Então não dou a mínima para com

quem ela se envolve.

Talon me beija antes de ir se arrumar para a apresentação.

Sorrio enquanto ele se afasta de mim com certa arrogância que

diz muito a respeito da confiança que tem no que está a ponto de

fazer.

Olho para Ivy e vejo o quão feliz seu rosto fica ao falar com

Aiden. Decido começar a tirar algumas fotos, só me dou conta de

que deixei a bateria reserva na caminhonete depois de que Talon

se vai.

154


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Ei, tenho que correr lá fora. Deixei a bateria na picape.

— Vou com você. — Oferece Ivy.

— Não precisa. Vou e volto rápido. — Vou até a porta dos

fundos já que o carro está estacionado mais perto dessa porta.

Olho em volta de forma rápida e não vejo ninguém. Corro até a

caminhonete e aperto o alarme para abrir as portas. Estou

inclinada para dentro da caminhonete quando ouço o ranger de

cascalho atrás de mim. Não sei o porquê, mas tenho um mau

pressentimento, assim ligo para Talon e prendo o telefone no meu

sutiã.

Levanto, dou meia-volta e vejo Nicole me apontando uma

arma. Merda. Finjo que não vejo a arma e bato a porta.

— Nicole! Ei, como vai? — digo e começo a caminhar para a

porta. Deus... Espero que Talon tenha atendido e possa me ouvir

dizendo o nome dela.

— Cala a boca! Se der mais um passo, atiro nesse seu

traseiro.

Congelo. Não posso morrer assim. Há tantas coisas que quero

fazer. Nem sou mãe ainda. Quero envelhecer e mimar meus netos

com amor. Sou inteligente. Levanto as mãos em sinal de rendição.

— O que tem de errado, Nicole? Em que posso ajudar você?

— digo enquanto me movo na direção dela com lentidão.

— O que tem de ERRADO? O que tem de ERRADO? Rouba

meu namorado e tem a ousadia de perguntar o que está errado?

— Ela está irada. Preciso acalmá-la ou é certo que atirará em

mim. Tenho vontade de dizer que não o roubei, que foi ele quem

correu dela. Quero chutar sua bunda. Só há um pequeno

problema. Ela está apontando uma arma para mim.

155


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sinto muito. Não sabia que vocês dois estavam juntos.

Pode ficar com ele se é o que quer. — Digo, com a esperança de

enganar essa garota.

— Você é uma vadia. Ele disse que a ama e você vai embora

ao primeiro sinal de problemas. — Ela parece mais furiosa agora

que eu disse que não o quero mais. Está furiosa.

— Eu gosto dele, mas sei que você o ama. Se quiser que eu

me afaste, eu faço isso.

— Não preciso que se afaste, princesa. Temos uma história

contra a qual você nunca poderá competir. Ele é meu. Você não o

terá. Agora sente sua bunda no meu carro. — Ela me empurra no

chão. Tropeço, mas logo recupero o equilíbrio.

— Fique no banco do motorista e não tente fazer merda

nenhuma, pois eu atiro primeiro e pergunto depois.

Se eu entrar nesse carro, estou acabada. Caminho devagar,

com a esperança de que alguém perceba de que estou fora há

tempos e venha checar. Finjo que a porta está trancada e não

consigo abri-la. Ela parte para cima de mim, dá um puxão na

maçaneta e me golpeia na cabeça com a arma. No mesmo

instante, sinto uma dor aguda na cabeça. Ela me empurra para o

banco e sobe ao meu lado.

— Cadela estúpida. Nem sequer sabe seguir instruções.

Queria que dirigisse. Falei que não brincasse comigo, princesa.

Agora se mexa e coloque o cinto de segurança. — Por que ela está

preocupada com o cinto de segurança, porra? Me inclino para

puxar o cinto de segurança e em segredo pego o telefone de

dentro da camiseta. Deixo o aparelho entre a porta e o banco para

que ela não veja a luz. Ela segue para fora do estacionamento

como uma lunática. Olho o telefone e percebo que ainda está em

uma chamada com Talon.

156


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Nicole, por que está fazendo isso? — Olho e vejo que ela

está dirigindo só com o braço direito, com o outro aponta a arma

para mim.

— Está em meu caminho. Talon nunca me perdoará pelo que

fiz ao nosso bebê, então prefiro tirá-la da vida dele também. Se eu

não puder tê-lo, muito menos você pode. Se não estiver viva, pelo

menos posso falar com ele. Ele não quer ouvir uma palavra do

que tenho que dizer quando você está perto.

Não sei o que dizer. Sei que qualquer coisa que eu diga vai

zangá-la. Tenho que continuar falando assim Talon pode ouvir.

— Lamento por seu bebê. Está me levando para a sua casa?

— Não.

— Vou falar com Talon sobre perdoá-la. Posso dizer até que

são perfeitos juntos e tudo mais. É só voltar para o Smitty que

farei agora mesmo.

— Acha que sou estúpida? Sei o que está fazendo. Cala a

porra da boca! — Percebo que vamos para o rio. À tal ponte que

Talon falou.

— Quer passar pelo rio? — Por favor, que Talon me ouça!

— Pare de se preocupar com essa maldita cabecinha de

princesa. Tenho um plano. Eu falei que se eu não posso tê-lo,

tampouco você pode. Vou passar a eternidade afastando você

dele. — O que quer dizer com a eternidade?

À medida que nos aproximamos da ponte, ela acelera. Está

tão veloz e me dou conta, nesse momento, que está nos levando

em direção ao rio. Morrerei afogada neste carro.

— Mais devagar! Nicole, MAIS DEVAGAR! — Ela segue

aumentando a velocidade. Preciso falar com Talon no telefone.

Não consigo colocá-lo no ouvido antes de começar a gritar.

157


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— TALON, TE AMO! TE AMO TANTO! DIGA A IVY E A MINHA

FAMÍLIA QUE OS AMO MUITO! POR FAVOR, ENCONTRE MEU

CORPO NO RIO! TE AMO! OH DEUS!

Talon

— Não consigo encontrar a Eaven! Ela saiu para pegar a

bateria da câmera e não voltou mais. — Ivy me interrompe no

palco antes de começarmos a primeira música. Ela está histérica

e falando na velocidade da luz. — Deveria ter ido com ela.

Encontrei as chaves no chão e há rastros de pneus perto da sua

picape. ALGUÉM A LEVOU. MEXA SUA BUNDA E ME AJUDE A

ENCONTRÁ-LA! — Estou em estado de choque. Procuro meu

telefone e vejo uma chamada perdida da Eaven. Retorno a

ligação. Vai direto para a caixa de mensagens. Por onde

começaremos a procurá-la?

Corro pela porta dos fundos e, na hora, vejo os rastros de

pneus que Ivy falou. É óbvio que alguém pisou fundo ao sair

deste estacionamento. Quem a teria levado?

— Quem faria uma coisa dessas? Que merda! — Grito de

frustração. Meus irmãos e Luke sobem e Taron começa a dar

ordens.

— Holden, comece perguntando a todo mundo se viram um

veículo estranho ou algo incomum. Providencie para que cada um

vá num carro. Faça questão de que todos tenham meu número de

telefone para o caso de alguém descobrir algo, e pega os números

deles para montar um grupo de mensagens. Luke, ligue para a

polícia para ver se Smitty tem câmeras aqui. Ivy e eu vamos com

Talon procurá-la. Agora todo mundo se mexendo! — Meu gêmeo

158


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

pode ser um saco, mas está de novo aqui me ajudando a passar

pelas profundezas do inferno.

— Dirija mais rápido. Encontre-a. Não posso viver sem ela.

Ela é a única família que tenho. Vou matar o filho da puta que

lhe fizer mal — diz Ivy entre soluços. Quase não posso respirar e,

sem dúvida, não tenho como me assegurar de que tudo dará

certo. Pego meu telefone para ligar de novo, bem a tempo de ver

um aviso de mensagem de voz aparecer. Ponho no viva-voz e

escuto quando meu pior pesadelo se desenrola.

— O que tem de ERRADO? O que tem de ERRADO? Rouba meu

namorado e tem a ousadia de perguntar o que está errado?

— Sinto muito. Não sabia que vocês dois estavam juntos. Pode

ficar com ele se é o que quer!

— É uma vadia. Ele disse que a ama e você vai embora ao

primeiro sinal de problemas.

— Eu gosto dele, mas sei que você o ama. Se quiser que eu me

afaste, eu faço isso.

— Não preciso que se afaste, princesa. Temos uma história

contra a qual você nunca poderá competir. Ele é meu. Você não o

terá. Agora sente sua bunda no meu carro.

— Fique no banco do motorista e não tente fazer merda

nenhuma, pois eu atiro primeiro e pergunto depois.

— Cadela estúpida. Nem sequer sabe seguir instruções. Queria

que dirigisse. Falei que não brincasse comigo, princesa. Agora se

mexa e coloque o cinto de segurança.

— Nicole, por que está fazendo isto?

— Está em meu caminho. Talon nunca me perdoará pelo que

fiz ao nosso bebê, então prefiro tirá-la da vida dele também. Se eu

não puder tê-lo, muito menos você pode. Se você não estiver viva,

159


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

pelo menos posso falar com ele. Ele não quer ouvir uma palavra do

que tenho que dizer quando você está perto.

— Lamento por seu bebê. Está me levando para a sua casa?

— Não.

— Vou falar com Talon sobre perdoá-la. Posso dizer até que

são perfeitos juntos e tudo mais. É só voltar para o Smitty que farei

agora mesmo.

— Acha que sou estúpida? Sei o que está fazendo. Cala a

porra da boca!

— Quer passar pelo rio?

— Pare de se preocupar com essa maldita cabecinha de

princesa. Tenho um plano. Eu falei que se eu não posso tê-lo,

tampouco você pode. Vou passar a eternidade afastando você dele.

— Mais devagar! Nicole, MAIS DEVAGAR!

— TALON, TE AMO! TE AMO TANTO! DIGA A IVY E A MINHA

FAMÍLIA QUE OS AMO MUITO! POR FAVOR, ENCONTRE MEU

CORPO NO RIO! TE AMO! OH DEUS!

Golpeio o painel e xingo de tanta frustração. Não posso

suportar o som de seus gritos de pânico e me sinto impotente

dentro dessa maldita picape. Ivy está gritando com Taron para ir

mais rápido para o rio. Taron já tinha acelerado mais assim que

ouviu Eaven dizer a palavra rio. Ele está falando no telefone com

Holden para que ele avise todos, chame a polícia e uma

ambulância.

160


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Quinze

Parece que leva uma eternidade cair na água. Minha mente

começa a reproduzir momentos de minha vida que significam

muito para mim. Recordo momentos de minha infância, quando

meus pais e eu passávamos muito tempo juntos. Vejo o dia em

que Avery nasceu e quão feliz estava de me tornar uma irmã mais

velha. Vejo muitos momentos com ela ao longo dos anos. Vejo

Talon e o quão feliz tem me feito no pouco tempo que estamos

juntos.

Procuro o cinto de segurança quando estamos suspensas no

ar, com a intenção de tirá-lo assim que cairmos na água. O

impacto me sacode tão forte que levo um tempo para entender o

que está acontecendo. O carro começa a encher de água. Olho

para Nicole e vejo que está inconsciente. Aperto a fivela e tento

abrir a porta. A pressão é tão intensa que não consigo abrir a

porta nem as janelas.

Noto a arma na mão de Nicole, pego ela e jogo no banco

traseiro. Estendo meu braço e solto seu cinto de segurança. O

nível da água está subindo depressa e sei que tenho que agir

rápido para sair, se pretendo sobreviver. Inclino sobre o banco e

começo a chutar a janela. Chuto mais e mais até que finalmente

se quebra. O carro se enche de água. Respiro fundo antes que

minha cabeça submirja.

O carro afunda até o fundo do rio. Saio pela janela e uso

meus braços para agarrar Nicole. Enquanto tento tirá-la do

automóvel, ela agarra minha perna. Começamos a lutar e tudo o

que quero fazer é largá-la, mas não vai me deixar. Continua me

161


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

segurando até que a chuto, e então, enfim me larga. Tento nadar

até a superfície da água antes que a corrente me alcance e

comece a me puxar. Minha cabeça finalmente emerge e busco por

ar. Puxo de forma brusca, numa respiração profunda, sem saber

onde a correnteza está me levando.

Meu corpo bate contra um grande galho de árvore e me

agarro ao redor dele. Estou esgotada fisicamente. Faço de tudo

para manter os olhos abertos, mas a correnteza está me

arrastando cada vez mais rápido. Meu corpo bate contra as

rochas e outros galhos e fica cada vez mais difícil me manter

acordada. Sinto uma dor aguda, na perna esquerda, cada vez que

algo a toca. Não tenho ideia de onde Nicole está e também nem

tenho forças para me preocupar caso ela esteja perto de mim.

De repente o galho fica preso entre duas rochas grandes. A

água passa por mim luto a todo o tempo com a maldita dor que

me aflige. Chego mais perto da rocha mais próxima de terra-firme

e começo a escalar. O musgo dificulta que eu me segure, assim,

luto com as pernas e os braços para me manter firme. Esta rocha

é mais estreita na parte superior, então a abraço e luto para

salvar minha vida.

Estou congelando de frio e meu corpo começa a tremer. Não

estou certa se estou longe de onde caímos e começo a rezar que

Talon tenha pegado a mensagem no telefone. Rezo para que

alguém me encontre logo, qualquer pessoa, exceto Nicole.

Talon

Taron dirige a caminhonete até a beira da água sob a ponte.

É um acesso que conhecemos porque estivemos aqui muitas

162


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

vezes. Saio num pulo da caminhonete e noto que tudo parece

tranquilo demais. Posso escutar o som da água, mas nada mais.

Não vejo nada fora do comum e fico muito frustrado.

— ONDE ELA ESTÁ? TEMOS QUE ENCONTRÁ-LA! — Ivy

começa a gritar ainda mais alto na caminhonete — Eaven! Eaven,

onde você está? — Começa a correr pela margem, gritando. Taron

a segue de perto. Corro para cima da ponte para ver se consigo

ver o carro que teria ido parar dentro d’água.

Começo a enlouquecer quando vejo evidências de que caíram

na água. A polícia e a ambulância aparecem ao mesmo tempo em

que muitos de nossos amigos para ajudar a procurar Eaven. Não

posso dar atenção a todos, pois vou de um lado a outro, sem

resultados. A polícia colocou uma fita na área mais próxima a

ponte.

Olho a água e vejo quão veloz a corrente está. Se ela saiu do

carro, estará rio abaixo. Não consigo pensar nela não

conseguindo escapar do carro neste momento, começo a correr.

Luke me segue. Vejo um galho na água e noto que se move mais

rápido que eu. Assim agarro um galho solto grande o suficiente

para me sustentar e pulo na água.

— Vou entrar. Continue seguindo a margem para ter certeza

de que não a perca. — Digo a Luke. Seguro o galho e o deixo me

guiar rio abaixo.

Merda. Estou batendo em tudo. Em pouco tempo estou cheio

de arranhões. Começo a gritar o nome de Eaven e torço para que

me ouça. Passo por Taron e Ivy, à margem, gritando por ela

também.

Tenho que encontrá-la. É minha garota. A garota que amo

com tudo o que tenho. Ela se tornou meu mundo tão rápido e não

163


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

consigo imaginar viver sem ela. Ela tem que sobreviver. Tenho

que encontrá-la.

— EAVEN! PODE ME OUVIR? POR FAVOR, GRITE SE ME

OUVE! — Merda, não consigo ouvir nada porque a água é muito

ruidosa. Noto duas grandes rochas adiante e decido sair para que

eu possa escutar melhor. Dirijo-me à margem no momento em

que noto a lua clareando sobre uma das rochas. Acredito que

meus olhos estão me enganando, porque parece que alguém está

deitado sobre uma das rochas.

— Eaven! — Noto que sua mão se move. Seu cabelo está

cobrindo seu rosto, assim não consigo vê-la direito. Ela esta

tremendo.

Saio do rio e logo entro de novo sem hesitar. Grito por Taron

na esperança de que me escute. Mergulho na água para chegar

ao outro lado da rocha porque não quero passar dela. Ao me

aproximar vejo um galho grande truncado entre as duas rochas.

Faço uso dele para chegar nela. Ela está tão fria como gelo.

— Oh, Meu Deus, amor! Estou aqui! Achei você! Está ferida

em algum lugar? — digo esperando uma resposta.

— Dói! — Diz com um gemido.

Tenho que nos tirar da água. Taron e Ivy finalmente chegam e

nos veem. Taron fala ao seu telefone e começa a dizer a alguém

onde estamos. Posso dizer que está ferida e vejo suas mãos

começarem a escorregar da rocha coberta de musgo.

— TARON ENCONTRE ALGO! NÃO PODEMOS ESPERAR

MUITO. ELA ESTÁ ESCORREGANDO! — Ele começa a olhar ao

redor procurando por algo para nos ajudar.

Seu braço cai e começa a escorregar da rocha. Agarro sua

camiseta e dou um puxão nela para perto de mim.

164


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Se agarre em mim, querida. Eu seguro você. — Sei que não

temos muito tempo, já que não consigo me segurar com firmeza.

Ponho suas mãos e pernas ao meu redor e de frente pra mim.

Beijo todo o seu rosto no momento que está perto o bastante de

meus lábios. Solto minhas mãos do galho e me viro para que, se

formos atingidos por alguma coisa, que o impacto seja primeiro

em mim.

Na mesma hora, a corrente nos arrasta e estamos flutuando

rio abaixo. Estou a todo instante nos levando para mais para

perto da margem. Posso ouvir Ivy e Taron seguindo nosso

percurso. Finalmente consigo me aproximar da margem e luto

para sair da água. Está debilitada e não tem energia para se

mover, assim, sei que ela está em más condições. Nado rápido

com um braço segurando-a até que Taron chegue até nós para

ajudar. Ela está se queixando de dor quando tiramos seu corpo

da água.

Colocamos ela deitada e começamos a procurar lesões

aparentes. Tem uma grande quantidade de arranhões. Sua perna

parece torta e não sei como por sorte conseguiu se agarrar na

rocha estando assim.

— Querida, pode me ouvir? — Não responde, mas faz um som

de dor e vira sua cabeça para me olhar.

— Oh, Ev, por favor, lute. Não se atreva a me deixar nesse

mundo sozinha! Estamos nisso juntas. Lute, está me ouvindo? —

Ivy agarra seu rosto e força Eaven a olhá-la nos olhos.

Conseguimos um pequeno aceno da cabeça e interpreto como um

bom sinal.

— Nicole. — Sussurra Eaven.

— Sim, sabemos que Nicole fez isso. Não se preocupe com

ela. Eles encontrarão o corpo e nunca mais teremos que nos

165


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

preocupar com ela. — Trato de assegurar que está a salvo, mas o

olhar de medo nos olhos me preocupa e vejo que preciso estar

alerta.

— Nadando. — Diz num sussurro. Sinto minha pele arrepiarse

ao pensar naquela cadela escapando depois de tudo que fez.

— Está tudo bem. Eles a encontrarão. Está a salvo aqui

conosco — diz Ivy. Percebo que ela continua fechando os olhos

como se fosse dormir. Continuamos falando com ela até que os

paramédicos chegam. Não há um caminho transitável neste ponto

tão abaixo do rio, de forma que todos que chegaram tiveram que

vir a pé.

— Estamos em contato com a vítima número dois. Por favor,

aguarde mais informações. — Ouço uma voz dos rádios dizer.

— Vítima número um, falecida. Por favor, tragam o médico

legista.

166


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Capítulo Dezesseis

Acordo com a cabeça latejando como jamais experimentei.

Posso ouvir vozes por perto e quero sentar e dizer a todos que

falem baixo. Tento sentar e parece que não posso obrigar meu

corpo a obedecer a minha mente.

— Está melhorando. Os médicos disseram que não vai

demorar para se despertar. — Posso ouvir minha mãe.

— Só gostaria que fosse logo. Não suporto vê-la assim. —

Deveria saber que Ivy estaria em meu quarto.

— Por que acha que a polícia quer interrogá-la? — Que

inferno. Quem disse isso? Por que iriam querer me interrogar?

— Mãe, estou certo de que só precisam de uma declaração

sobre o que aconteceu, para que possam fechar o caso. — Com

certeza eu conheço essa voz. Talon. Aperto minha mão quando

sinto que alguém a segura.

— Ela acabou de apertar minha mão! Ev, linda! Está

acordada. Não posso esperar para ver seus lindos olhos. —

Começa a acariciar minha mão e meu rosto.

— Dói a minha cabeça. — Digo com a esperança de que

alguém consiga algum medicamento para acabar com isso.

— Acabei de apertar o botão que avisa a enfermeira, veremos

se conseguimos algo. — Minha mãe sempre sabe como cuidar de

mim. A enfermeira entra e fala alguma coisa e começo a dormir

de novo.

— Onde encontraram seu corpo? — Levanto para ouvir

alguém falar com Ivy.

167


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Luke a encontrou perto da margem. Sangrava muito na

cabeça. Não estou certa se que ela morreu na hora ou não. —

Parecia Taron dessa vez.

— Temos muita sorte de que o mesmo não aconteceu com a

Ev. Podia ter sido pior se fosse a cabeça ao invés de uma perna.

— Dessa vez consigo abrir os olhos mais fácil. Há menos dor, mas

tenho certeza de que não vou andar de um lado para o outro tão

cedo. Tento mover as pernas, mas não sei dizer se faço algum

progresso.

Ivy vê que meus olhos estão abertos e começa a falar comigo.

— Olá garota! Decidiu se unir a nós?

— Sim, eu acho. — Formulei toda uma frase. Esse já é um

avanço — O que tem de errado comigo? Eu gostaria que alguém

me dissesse o diagnóstico.

— Uma perna quebrada, uma concussão cerebral e um

montão de arranhões e hematomas. Eles estão tratando possíveis

infecções já que esteve em um rio poluído. Como se sente? — Ivy

nunca enrolou. Sabia que me diria sem rodeios.

— Melhor. Mas com sede. — Olho ao redor e vejo Talon,

ainda a meu lado, segurando a minha mão. Olha para mim com

pena, já sabe como me sinto.

— Olá! Senti saudades! — Diz me olhando nos olhos

enquanto viro para ele.

Aperto sua mão e uma lágrima desce na minha bochecha.

Começo a ficar agitada, emocionada. Me lembro do quanto eu

estava assustada na água. Houve um instante em que pensei que

não viveria para ver outro dia. Não viveria para ver o rosto

daqueles que amo.

— Meu amor, não chore. Está a salvo aqui conosco. — Talon

fala, mas não consigo segurar essa cascata de lágrimas. Meu

168


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

monitor começa a apitar e a enfermeira entra. Injeta algo na

intravenosa e começo a dormir pouco a pouco.

— Talon! Quer ser meu namorado? — Ouço uma voz baixinha

quando acordo e sei que é Avery.

— Gostaria que fosse possível garotinha, mas eu amo a sua

irmã. — ouço-o dizer.

— Vai casar com ela? — Com ela não tem rodeios, vai direto

ao ponto. Abro os olhos para ver sua expressão. Ele tem os olhos

fechados e se inclina em seu ouvido.

— Se ela me aceitar! — Diz bem alto para que escute. Sorrio

ante a ideia de estar para sempre com ele. Ele não sabe que o vi,

assim fecho meus olhos esperando que ninguém me delate. Isso

pode ser o melhor remédio possível. Só me injetem no coração a

esperança de passar, o resto de minha vida, com esse homem e

levantarei meu traseiro daqui e começarei a dançar a valsa nesse

momento.

Certo, não dançarei hoje. Mexo um pouco e não tenho muita

sorte, porque me dói todo o corpo. Talon nota que estou

acordada.

— Olha quem veio visitá-la! — Avery se assusta enquanto

Talon a levanta para aproximá-la de mim. Estou tão mal assim?

— Olá Avery! Senti saudades! Veio me ver? — Sorrio tanto

quanto é possível para que não fique tão aterrorizada.

— Aham. — Balança a cabeça, mas reforça o abraço em

Talon.

— Sua mãe e Ivy acabam de sair para o corredor por um

segundo e voltarão em seguida. — Talon volta a sentar com Avery.

— Como se sente? — pergunta.

— Bem.

169


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Os médicos dizem que o ferimento na cabeça está curando

rápido e se continuarem assim poderemos sair daqui a um ou

dois dias. — Essa notícia me faz muito feliz.

— Dói ao mover as pernas.

— Está bastante machucada. Ficará dolorida por semanas

até que as feridas se curem. Sem falar que tem um gesso pesado

na perna quebrada. Mas estarei com você a cada minuto para me

assegurar que não precise de nada.

Mamãe e Ivy entram com café. O que não daria por uma

xícara de café.

— Chamou a enfermeira quando ela acordou? — Minha mãe

pergunta à Talon quando vê que estou acordada.

— Não, senhora. Desculpe. Estava desfrutando de um minuto

com ela antes que adormeça mais uma vez.

— Talon, se me chamar de senhora de novo, necessitará de

uma cama ao lado da dela. Senhoras são velhas. Não sou uma

senhora. Além disso, salvou a vida de meu bebê. Pode me chamar

de mãe como todos seus amigos próximos têm feito há anos. —

Vejo o rosto de Talon se iluminar com um enorme sorriso e não

posso deixar de amar o fato de que as duas partes da minha vida

se encaixem tão bem juntas. Nunca poderia estar com alguém

que meus pais não pudessem aceitar. Ao mesmo tempo, não

tenho certeza de que meus pais não aceitariam alguém por quem

me apaixonasse.

A porta se abre e Taron entra. Percebo que abraça Ivy por

trás logo depois.

— Não dormi bem ontem à noite. Suponho que estou tão

acostumado a escutar seus gemidos, Eaven. É duro para um cara

dormir sem eles depois que se acostuma a ouvi-los por todas as

170


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

noites. Ouvir... Que porra é essa? — Taron só para de falar

quando Talon o acerta no ombro.

Embaraçoso! Minha mãe age como se não fosse grande coisa

e simplesmente sorri. Sei que há uma longa conversa por vir num

futuro próximo. Já sei a história dos pássaros, das abelhas e a de

não ser uma puta ou uma descarada. Fantástico!

A enfermeira entra e me ajeita para me acomodar melhor na

cama. Decido que não quero o medicamento forte para a dor que

estão me dando até agora. A enfermeira discute o assunto com o

médico e por fim posso permanecer acordada um pouco mais e

desfrutar de minhas visitas.

— Onde está papai? — Pergunto a minha mãe, pensando que

é estranho que não o tenha visto nem ouvido falar dele.

— Esteve aqui. Foi para casa para trabalhar e tomar banho.

Fazemos turnos em casa com a Avery. Ficará aqui esta noite com

você.

Sento para tomar a sopa no almoço e outros líquidos durante

o dia. Na verdade, quero mesmo é comida de verdade! Também

fui forçada a fazer curtas caminhadas e cheguei à conclusão de

que odeio este maldito gesso.

Minha mãe leva Avery para casa e fico com Talon e Ivy me

encarando e ralhando cada vez que penso em me mover. Taron

fica chutando o pé de minha cama e está esparramado em uma

cadeira com o controle remoto da televisão nas mãos. Não ligo.

Sinto-me feliz de ter a oportunidade de estar irritada com esse

sujeito insuportável.

Eles pegam o jantar deles na lanchonete. Suspiro ao pensar

no hambúrguer. A carne é processada, envolta em folhas e em

formato quadrado. Taron não se acanha em esfregar na minha

cara e os obrigo a afastá-la de mim.

171


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Quer que eu vá pegar algo pra você? — oferece Ivy.

— Meu Deus, sim, por favor.

— Eu a levo e assim trazemos algo para os dois. — Informa

Taron e fico muito animada com a possibilidade de ficar a sós

com Talon.

— Deite aqui comigo. — Chego mais para a beirada da cama

dando espaço para ele do meu lado.

Com cuidado me viro para olhá-lo na cama. Tento com todas

minhas forças não fazer uma careta de dor, mas não consigo

esconder o fato de que realmente dói quando me mexo.

— Olá! — Digo enquanto percebo seu cenho franzido.

— Olá. — Toco em seu peito com um dedo, por cima de sua

camisa. Agarra minha mão e leva até sua boca e beija com

suavidade.

— Porra, pensei que tinha perdido você para sempre. Eu me

senti perdido naquele rio. Fiquei subindo e descendo como um

idiota.

— Me encontrou antes de qualquer um. Rezava para que me

encontrasse e isso me deu força suficiente para aguentar até que

você chegasse lá.

— Eu a coloquei nessa confusão para começar. Se nunca

tivesse me conhecido, não estaria aqui, com a dor que está

agora...

— Se nunca tivesse te conhecido, não estaria aqui com você,

sentindo o maior amor que já senti em toda minha vida.

— Devia ter me preocupado mais com a Nicole e nunca

pensei que faria mal. Sou um filho da puta de tão ingênuo.

— Não se culpe pelo comportamento insano dela. Você, não

tinha ideia o que ela faria. Ninguém saberia. — Digo com

frustração. Então me dou conta de que nunca perguntei por ela.

172


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Sei que ouvi alguém dizer que não sobreviveu, mas tenho que

confirmar. Não me atrevo a dizer a palavra morte ou morreu.

— Onde está Nicole? — Digo com um nó na garganta.

Talon

Ela quer saber onde está Nicole. Quero cantar Ding Dong The

Bitch Is Dead 11 , mas creio que vai parecer falta de respeito.

— Não resistiu. Morreu no rio. — Sei que Eaven vai superar

isso. Começa a chorar e me inclino para beijar suas lágrimas —

Não chore por ela. Tentou afastar você de mim. Não vou deixar

que chore uma lágrima por ela.

— Não posso evitar. Não gostei que tivesse terminado assim.

Gostaria de tê-la ajudado.

— Os pais dela passaram por aqui e me disseram que ela foi

diagnosticada como bipolar, e os novos médicos estavam

trabalhando com ela para chegar à dose correta de

medicamentos. Estava recebendo ajuda. Optou por não fazer uso

dessa ajuda.

— Só acredito que se tivesse um amigo para ajudá-la teria

sido diferente.

— Talvez, mas há várias pessoas com transtorno bipolar e

não andam por aí tentando matar alguém. Ela tinha outros

problemas.

— Tentei salvá-la. — Diz entre lágrimas.

— Está brincando? Ela estava tentando matá-la! — Digo

horrorizado que depois de tudo ainda quisesse salvá-la.

11 “Ding Dong the Witch is Dead” é uma canção do filme O Mágico de Oz (1939). O que Talon falou seria mais ou menos

“Ding Dong a vadia esta morta”.

173


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Não podia deixá-la desacordada no fundo do rio. Essa

imagem me perseguiria até o dia de minha morte.

Percebo quão incrível Eaven é nesse momento. Ficou na mira

de uma arma, empunhada pela louca da minha ex-namorada,

ferida na cabeça pela coronha dessa mesma arma, arrastada para

dentro de um rio, escapou de um carro que afundou, tentou

resgatar a pessoa que a feriu, sobreviveu à correnteza do rio que

estava cheio de lixo das últimas chuvas, agarrada a uma rocha

coberta de musgo, uma merda de uma perna quebrada e uma

concussão, e depois de tudo, ainda queria ter sido amiga de

Nicole para ajudá-la com seus problemas de merda.

— Porra, eu te amo! Você é incrível! Sabe disso? Não conheço

ninguém mais que tentaria resgatar a pessoa que tentou matá-la.

Bom, ou você é surpreendente ou uma maldita louca! Amo você

de qualquer maneira! — Me inclino para dar um beijo rápido

quando escuto golpes na porta.

— Ev, olá! Como se sente? — Luke e Lilly entram com flores e

mais balões. Vamos precisar de um caminhão de mudanças para

levar as flores e os balões para casa. Isso é uma loucura.

— Melhor! Como estão meninos? — Eaven deita de costas

para que possa vê-los melhor. Levanto da cama e começo a me

abaixar. Ela me detém e agarra minha mão e sustenta.

— Estaria melhor se estivesse fora daqui e livre de perigo. —

Diz Luke.

— O que quer dizer livre de perigo? Me sinto muito bem e

devo ter alta de manhã. — Responde Eaven ao estranho

comentário de Luke.

— Mas a polícia já interrogou vocês? — pergunta a nós dois.

174


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Começaram, mas ela estava acordada a pouco tempo e não

muito coerente em manter uma conversa. — Começo a ficar um

pouco preocupado com o olhar no rosto de Luke.

— Bom, não estou certo do que está acontecendo, mas corre

o rumor de que estão esperando os resultados da autópsia, para

ver se apresentarão denúncia.

— Denúncia? Contra quem esses babacas vão apresentar a

denúncia? Ela dirigiu a porra do carro até o rio e manteve Ev na

mira de uma pistola.

— Sei, mas o fiscal do distrito é um imbecil e quer apresentar

denúncia devido às feridas na cabeça e abdômen. — Luke está

me irritando neste momento com esta tolice.

— ALGUMA VEZ JÁ OUVIRAM O TERMO LEGÍTIMA

DEFESA? — Grito e saio da cama. Começo a caminhar pelo

quarto já pequeno e sinto que fica cada vez menor. Essa cadela

arruinou minha vida enquanto respirava, e agora continua

arruinando depois de morrer. Não deixarei que façam isso a Ev.

— Ev, alguma vez entrou em contato com a cabeça ou o

abdômen dela? — pergunto com a esperança de que diga não,

para não ser considerada culpada.

— Oh, Meu Deus. Ela me atacou quando tentava tirá-la do

carro. Estava tentando me afundar mais, dei um chute com a

perna livre até que me soltou. Só chutei para que me largasse.

Estava ficando sem ar nos pulmões e foi instintivo. Diga que não

foi isso que a matou. Diga que se afogou no rio!

Tem que estar brincando. De jeito nenhum vão jogar a culpa

nela por isso.

— Vamos chamar um advogado. Ev, não fale com ninguém

sem um advogado. Vou chamar meu pai. Tem um amigo que é

advogado e nos dirá o que fazer.

175


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Ligo para o meu pai e ele diz que virá ao hospital

imediatamente. Ligamos para o pai de Eaven para ver a que

distância que está e descobrimos que já está quase aqui.

Passamos a noite com os nossos pais e Mike, o advogado.

Eaven conta toda sua história. Luke, Taron, Ivy e eu também

dissemos a Mike o que presenciamos.

Mike nos assegura que com a mensagem telefônica gravada

temos provas suficientes de que foi legítima defesa e vamos lutar.

Posso dizer que o pai de Eaven está muito preocupado. Quero ter

certeza de que tudo ficará bem, mas tenho dificuldades de

acreditar que terá um final feliz. Mike decide que devemos ir à

delegacia pela manhã, assim que ela tiver alta. Ele fará os acertos

para a reunião.

Passo a noite, sentado na cadeira, observando Eaven

enquanto dorme. A enfermeira deu algo para ajudá-la a

descansar. Não posso pensar em nada, só na possibilidade de que

seja presa amanhã. Tentou salvar a droga da vida de Nicole,

mesmo depois de ela tentar matá-la e agora pode, talvez, ir presa.

Quanto mais penso nisso, mais irritado fico.

O pai da Eaven está andando pelos corredores enquanto

tenta uma overdose de cafeína, com todo o café que está bebendo.

Esse homem toma muito café.

Ivy e Taron estão dormindo no sofá num canto. É um sofácama,

mas não o abriram. Taron está sentado nele com Ivy no

colo. Suas pernas estão penduradas para fora do braço do sofá e

ele está os braços ao redor dela enquanto suas cabeças estão

reclinadas para trás juntas. Gostaria que fosse Ev e eu.

— Ei você. — Diz em voz baixa — Por que não está dormindo?

— Não consigo dormir — Sussurro.

176


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sobe aqui comigo. Quero que me abrace. — Exige.

Obedeço sem piscar e afundo no colchão. Estou tão cansado.

— Precisa pensar em um banho, na verdade. — Diz enquanto

seu rosto entra em contato com minha camisa.

Aperto ela com mais força.

— Quer que eu levante e tome um banho? — Espero mesmo

que possa aguentar, pelo bem do sono. Não saí desse quarto

desde que a trouxeram para cá. Meu irmão trouxe uma muda de

roupa, mas isso é tudo de higiene pessoal que fiz. No início não

sabia se iria ficar bem. Agora estou sendo um egoísta fedido que

prefere passar tempo com a namorada a tomar um banho. Três

dias, sem dúvida, não é normal para mim, especialmente quando

Eaven está por perto.

— Não! Fique comigo.

A manhã passa com muita rapidez. Não dormia tão bem há

dias. Sei que só consegui dormir por umas três horas, mas porra,

me sinto melhor. Acordo com a sensação de ser observado.

Abro os olhos para ver a desagradável enfermeira velha, que

está de volta ao serviço, e ela está me encarando. A enfermeira

não está impressionada com o fato de que nós dois caibamos na

cama. Ela é quem fez Taron deixar de falar, de maneira

inapropriada, sobre seu pênis sem atenção. Ele estava dando

detalhes do que iria fazer, da próxima vez, que estivesse com uma

garota sexy. Estávamos nós dois no quarto enquanto Eaven

dormia. A enfermeira o agarrou pela orelha e o arrastou para fora

do quarto. Ela não gostou quando ele disse que apreciava garotas

que gostavam de sexo selvagem.

— Você não é o paciente. Caso não se importe, saia da cama

porque está esmagando a minha paciente. — Está zangada pra

177


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

cacete. Sei que é melhor não provocar essa mulher raivosa.

Levanto da cama e no processo sinto o aroma de mim mesmo.

Merda, cheiro mal.

— Querida, terá alta hoje. Talvez queira se levantar e tomar

um banho antes da chegada do médico que vem examiná-la mais

uma vez. — A enfermeira fala toda doce e carinhosa com Eaven —

Você gostaria que esvaziasse o quarto para que possa ter um

pouco de privacidade?

— Não, estou bem. — Eaven responde na hora, já que sou a

única pessoa no quarto nesse momento.

— Precisa de ajuda no chuveiro? — Pergunta a enfermeira

enquanto prepara o banho e repõe os materiais adequados.

— Não, ela está bem! — Digo. Seu sorriso falso cai e direciona

seu olhar assassino em minha direção.

— Quer que escolte você para fora desse hospital? — Uau,

pode assustar e acabar com a ereção de um homem.

— Não, senhora. — Isso parece agradá-la o suficiente para

que saia do quarto.

— Me ajuda com minha perna no banho? — Eaven pergunta.

— Preciso envolvê-la em plástico e pôr uma toalha na parte de

cima para que não molhe.

Ajudo a envolvê-la e a acompanho enquanto vai para o

chuveiro. Há uma cadeira no box para que sente e o chuveirinho

sai por baixo para que possa segurá-lo. Ajudo a tirar sua

camisola e sinto o estômago contrair no mesmo instante, quando

vejo todos os hematomas e arranhões.

— Estarei aqui se por acaso precisar de alguma coisa. — Digo

e beijo sua testa.

Só me usa para segurar a mangueira quando está se

ensaboando e para lavar suas costas.

178


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Eaven

Só tomar uma chuveirada já é exaustivo. Queria Talon

comigo, mas percebi como ficou enojado quando viu meu corpo.

Só quero a normalidade de volta. Quero sentir que a vida

continua e que todos nós vamos superar esta semana infernal.

Estou nervosa sobre ir à delegacia. Sei que tive que fazer o que fiz

para sobreviver. Simplesmente me deixa nervosa ter que ir à

polícia. Eu não gostaria de ir até lá por qualquer razão.

— Está pronta, querida? — Meu pai chama enquanto Talon

ainda está no banho.

— Quase. Espero que o médico chegue logo para poder

terminar com isso. Mamãe vai estar lá?

— Sim, vai deixar Avery com a babá e nos encontrará na

delegacia. — Meu pai não é de falar muito. É um pensador. Posso

dizer que sua mente vai de vento em popa.

— O que está acontecendo, papai?

— Estou pensando em tudo o que aconteceu recentemente.

Estou orgulhoso da pessoa forte que você se tornou. Muito

orgulhoso.

— Obrigada, papai. Não me sinto muito forte nesse momento.

Tenho medo de que alguma coisa ruim aconteça hoje na

delegacia.

— Sua mãe e eu a apoiaremos cem por cento. Vamos lutar

contra tudo o que tentarem acusá-la. Tem uma grande equipe ao

seu lado. — Começa a pensar de novo, preocupado — Me diga,

ama Talon?

179


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Sim, papai. — Respondo curiosa — Por que a pergunta? —

Por quê?

— Só checando, minha menina. Vejo a forma que o olha.

Salvou sua vida, Ev. Sei como estava mal no rio, e Ivy me disse

como esteve perto de cair da rocha. Alegro-me ver que encontrou

alguém que a faça feliz.

— Ele me faz feliz. — Digo quando Talon abre a porta do

banheiro.

— Bom, vou ver se consigo encontrar o médico. — Meu pai

sai do quarto e fico com o aroma fresco de sabão de hospital

entrando no quarto enquanto Talon se aproxima de mim.

— Quem é esse idiota que a faz feliz? Porque vou chutar seu

traseiro.

— Só um cara sexy que tem meu coração! — Está bem, isso

soou muito melhor na minha cabeça do que em voz alta. — Estive

pensando... — Digo rapidamente.

— No quê?

— Eu gostaria de levar para casa as cartas e todos os meus

presentes e pedir às enfermeiras que distribuam as flores e balões

aos pacientes que não têm nenhum. — Digo com a esperança de

que não soe brega.

—Porra, eu te amo. — É sua única resposta.

O médico dá alta com a ordem de ir ver um ortopedista

dentro de duas semanas. Há também outra consulta separada

para minha perna em quatro semanas. Dominei, por sorte, o

caminhar com muletas.

Todos se reúnem na delegacia. Mike nos orienta durante todo

o processo. Falo a verdade sobre o que aconteceu e me fazem

escutar a mensagem de voz. Explico o que pensei durante o

caminho. Fomos até ao rio e vejo que falta parte do gradil então

180


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

explico o que aconteceu. Não sou de muita ajuda no rio, já que

era de noite quando estive aqui e a correnteza me levou rio

abaixo, tão rápido que fiquei desorientada a respeito de minha

localização exata.

Mike termina nossa reunião dizendo, que se tiverem alguma

dúvida, o procurem. Informa que temos a intenção de cooperar

com a investigação, mas que colocará todos os seus recursos para

garantir que eu não seja condenada. Investiguei Mike Wheeler. É

conhecido por ganhar suas causas.

Passado dois dias do acontecido, Mike enfim me liga dizendo

que o delegado decidiu não apresentar queixa contra mim, e que

a evidência demonstra que foi legítima defesa. Informações do

toxicologista mostraram que Nicole tinha altos níveis de

narcóticos e antidepressivos, o que ajudou e muito o meu caso.

Talon e eu estamos tão aliviados e acredito que dormimos

durante as vinte e quatro horas seguidas. Estou em sua casa

porque meu apartamento está um caos.

Recebi várias visitas nos últimos dias me desejando rápida

recuperação. Ivy instruiu os rapazes sobre o que trazer do meu

apartamento. Peço meu notebook e a câmera para poder editar

algumas fotos enquanto estou de repouso forçado na casa de

Talon. É enérgico quando se trata da minha recuperação.

Talon arruma tudo para que Avery passe um dia conosco

também. Ela está tão eufórica. Ele a leva para passear por um

tempo para que eu possa estudar um pouco. Estou trabalhando

muito para conseguir pôr minhas aulas em dia. Estou muito

contente de que Ivy esteja nas mesmas aulas que eu, porque me

ajudou muito. Continuo me concentrando nas apostilas de

estudo, para que possamos revisar tudo com facilidade quando as

provas chegarem.

181


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Após duas semanas, na consulta seguinte, sou liberada para

voltar às aulas. É difícil circular pelo campus com muletas, mas

tenho a ajuda de muita gente cada vez que me movo. O outono se

faz mais presente a cada dia e tenho muita vontade de estar sem

esse gesso e voltar à normalidade.

Talon e eu passamos todas as noites nos braços um do outro.

Tivemos um pouco de intimidade, mas limitada. Meu corpo ainda

está machucado e Talon é muito suave quando está perto de

mim. Esse gesso é um obstáculo por si só. Sinto falta de nossos

momentos juntos, mas sei que vamos entrar no ritmo, de novo,

quando eu estiver completamente curada.

Amo muito quando cuidam de mim, mas quero ser

independente outra vez. Amanhã é meu vigésimo segundo

aniversário e Talon convidou todos para o Smitty's festejar com a

esperança de me animar. Ivy e eu vamos passar o dia juntas para

que possamos sair e ter um dia de garotas.

182


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Talon

Capítulo Dezessete

— Está certo de que está pronto para essa merda? Só a

conhece há alguns meses. — Taron está decidido a me dissuadir

de surpreender Eaven essa noite.

— Sim, estou certo. Nunca estive mais certo de nada na vida.

— Pediu a mão dela ao pai e toda essa merda tradicional?

— Na verdade, sim. Falei com ele no hospital.

— Só pode estar brincando. Ela tem você na coleira.

— Tanto faz! Não estou prendendo você em um compromisso

para toda vida, sendo assim, guarde seus temores para si. Não

deixarei que ela passe nem um dia mais sem saber o que sinto.

Merda, ela poderia ter morrido. Meu irmão, a vida é curta, temos

que vivê-la.

— É o que estou dizendo. Temos que vivê-la!

— Viverei a vida com a garota que amo!

— Está saindo da banda? — Tem todo o direito de questionar

minha lealdade à banda. Não fui aos dois últimos ensaios porque

quis ficar em casa com ela.

— Não. Estou dentro. Tão comprometido como sempre estive.

Só não competiremos mais pelas groupies cheias de amor para

dar.

— Tá. Como se você já tivesse sido páreo para mim.

— Não lembra de que somos gêmeos idênticos?

— Irmão, ser um molenga é o que fez você perder garotas. —

Diz presunçoso.

— Não concordo! Foi por você ser um mulherengo que perdeu

A GAROTA!

183


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Isso nunca aconteceu. Os olhos dela grudaram em você no

segundo em que elas entraram no Smitty na primeira noite.

— Qual é a história entre você e Ivy? — Não é sempre que

compartilhamos detalhes a respeito de garotas, mas ele sabe tudo

sobre meus dois últimos namoros, de modo que acho que é sua

vez de abrir o bico.

— Não há nenhuma história. É só amizade. Gostaria que

fosse uma amizade colorida, mas ela não tem interesse em meu

provável pênis podre. De maneira que somos apenas amigos que

fazem piadas sobre sexo.

— Isso deve ser uma merda!

— Não tem nem ideia. Mas logo eu desvendo Ivy, a senhorita

venenosa 12 . — Percebo como seus dois últimos comentários se

contradizem, mas deixo de lado. Se for para acontecer algo entre

dois, então acontecerá.

Convidei nossos pais para jantar essa noite. Holden e Taron

vêm me ajudar com a churrasqueira e a preparar tudo para a

festa. Optei por um jantar para incluir só a nossos familiares

mais próximos, Avery, pode assim, trazer seu presente de

aniversário para Eaven. É obvio que Ivy também está convidada

já que é praticamente irmã de Eaven. Nossos amigos vão se

apresentar no Smitty por volta das 20h, depois do jantar, então

será o momento de surpreender Eaven.

Meus pais querem vir cedo para poder ajudar. Tenho a

sensação de que mamãe está sentindo saudades já que

ultimamente não aparecemos muito em casa. Meus pais não

chegaram a conhecer Eaven antes do acidente. É obvio que meu

pai passou um bom tempo conosco durante a preparação para o

interrogatório, junto com o advogado.

12 Ivy Poison = hera venenosa. Também usada no nome pra personagem de HQ’S. Taron faz um trocadilho com isso.

184


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Mamãe ficou comigo no hospital por horas assim que Eaven

foi admitida. Acredito que mamãe teve aquele sexto sentido de

mãe e percebeu o quão importante Ev é para mim. Não quis que

nada acabasse mal e que eu tivesse apoio.

É incrível o quanto que uma pessoa pode conseguir através

da força dos entes queridos reunidos durante tempos difíceis.

Nem sempre precisam ser parentes de sangue.

Falei por horas a respeito de nosso namoro para os meus pais

enquanto Eaven esteve no hospital. Não ficaram tão

surpreendidos como eu pensava que ficariam quando contei que

queria pedir que se casasse comigo. Tenho a sensação de que um

de meus irmãos pode tê-los avisado sobre eu estar loucamente

apaixonado por ela.

Claro que me encorajaram a seguir o meu coração, mas

também a ser inteligente quanto a isso. Querem nos ver noivos

por um tempo de forma que possamos ver como os shows afetam

nossa relação. Sei que a maioria das pessoas vai pensar que

estamos apressando as coisas. Também sei que não me importa o

que essa gente pensa. Não quero que volte a duvidar de quão

importante é para mim.

Às vezes é necessário quase perder algo antes que vejamos a

sua importância. Sempre soube que ela era importante, mas não

foi até que estive naquele rio que me dei conta de que minha vida

não é nada sem ela. A vida muda de forma brusca. Casamento

não estava, de forma nenhuma, em meus pensamentos antes de

conhecê-la, e agora, olhe pra mim. Estou planejando fazer a

pergunta mais importante da minha vida.

Espero ansioso que Eaven passe um pouco mais de tempo

conhecendo minha mãe hoje. Será muito bem acolhida em minha

família. Depois de uma vida cheia de meninos, minha mãe enfim

185


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

poderá fazer coisas de meninas e ter conversas que só pode se ter

com garotas. Sei que se darão bem.

— Olá! Fico feliz que puderam vir cedo. Eaven deve estar de

volta logo. — Digo a meus pais, enquanto descarregamos o carro.

Deveria ter previsto que minha mãe não viria sem bandejas e

bandejas de comida — Mamãe, pedi que não trouxesse nada.

— Filho, me conhece melhor que isso. Se houver restos de

comida, comerão nessa casa. Então, está preparado para a

grande noite? Para a grande pergunta? — Minha mãe começa a

perguntar mesmo antes que cheguemos à cozinha — Só estou

emocionada de ter oficialmente outra mulher na família. Não sabe

como uma garota sozinha se sente com toda está testosterona

sufocando ela. Para ser honesta, estava assustada de que se

passariam dez anos antes que recebêssemos alguém novo em

nossa família.

— Mamãe, é especial. Só estou preocupado em chocá-la de

maneira que ela fique sem saber o que falar. Sem dúvidas eu sei

que me ama tanto quanto eu a amo, mas espero que não se

assuste quando eu fizer a pergunta.

— Talvez devesse considerar pedi-la em privado e dar a ela a

oportunidade de responder sem constrangê-lo diante de todos

seus amigos. — Considero o que minha mãe está dizendo e decido

que pode ter alguma razão. Decido não apressar as coisas hoje e

colocá-la sob pressão, forçá-la a dar uma resposta diante de

todos. Estou com o anel e se for o momento correto, eu farei a

proposta. Caso não seja, esperarei até que este apareça.

Escuto portas de carros do lado de fora e saio a tempo de ver

Eaven e Ivy com problemas com as muletas. Encontro com elas

na porta e coloco meus braços ao redor da aniversariante. Solta

um longo suspiro quando toco suas costas.

186


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Está dolorida hoje?

— Não é por minhas feridas. Estou dolorida por causa de

meu presente de aniversário para mim mesma. Encontre comigo

em seu quarto e mostro a você.

— Querida, eu adoraria ir para o quarto com você, mas meus

pais estão aqui.

— Só levará um segundo.

Espero que atravesse a casa e chegue ao meu quarto. Ela

apoia uma das muletas contra a cama e usa a outra para manter

o equilíbrio sobre uma perna. Começa a abaixar sua calça no lado

direito do quadril. Então levanta a parte de trás da camiseta o

bastante para que eu veja. Vejo o que fez e todas as inseguranças

e dúvidas que eu tinha mais cedo desaparecem de imediato.

— Não posso acreditar que fez uma tatuagem! — Aproximo

para ver os detalhes. É o símbolo do infinito, com uma pluma ao

final, exatamente como as do anjo em minhas costas. A silhueta

do oito é contínua com nossos nomes escritos em itálico. O

símbolo chega a seu fim com a pluma. Fez do lado direito de sua

cintura.

Fico de pé para olhá-la nos olhos.

— Eu gosto de nossos nomes para sempre entrelaçados perto

da sua bunda.

Ela me dá um murro de leve no ombro.

— Não é perto da bunda. Coloquei em meu quadril porque

cada vez que deitamos juntos, sinto que estou em casa. Não

importa onde estejamos, se estamos entrelaçados, sinto que estou

exatamente onde devo estar. — O que passa pela minha cabeça é

exatamente o mesmo. Não precisa descrever mais o sentimento.

Agora sei que estamos na mesma página e não tenho nenhum

187


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

temor de que se assuste quando pedir que fiquemos juntos para

sempre.

Eaven

Que dia. Passei a maior parte da manhã e tarde com a Ivy.

Tivemos um dia só de garotas ótimo. Fizemos o cabelo e as

unhas. Estava mesmo necessitada de cuidados femininos depois

das últimas semanas. Terminamos no estúdio de tatuagem, para

que eu enfim pudesse fazer o que já tinha escolhido. Me ocorreu

numa noite dessas quando Talon e eu estávamos aconchegados.

Posso dizer que realmente gostou. Seu rosto se iluminou e nem

imaginava o que eu tinha decidido carregar para sempre em meu

corpo.

Passei um tempinho com a mãe dele. Posso dizer que me

darei bem com ela. Lembra muito a minha mãe, pois é fácil falar

com ela. Assim que minha família chega, Avery e Talon me dão

meu presente. Mergulharam as baquetas de Talon em tinta para

salpicar um pedaço no tecido. Depois o emolduraram. Há tantas

cores e é um presente tão único que ninguém nunca terá igual. É

óbvio que adoro.

Talon trabalhou tanto para se certificar que esse dia fosse

especial. Nossas famílias estão aqui, na mesma casa. Até agora

tudo parece estar fluindo bem e até Taron não causou nenhum

problema ou momentos incômodos com meus pais. Pode ser que

tenha ganhado o seu respeito e não vai tentar me envergonhar.

Foi muito bom ter Ivy aqui o dia todo. Desde que vim para a

casa de Talon, ela me visita todos os dias, mas não é a mesma

188


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

coisa, não como quando dividíamos o apartamento. Temos tantas

coisas para por em dia.

Meus pais partem depois do jantar e vamos ao Smitty para a

segunda rodada de minha festa de aniversário. Os pais de Talon

decidem vir conosco até a hora de ir para casa.

Quando chegamos, me sinto nervosa pela quantidade de

gente que está lá para me ver. Claro que meus primos estão

presentes e também todos os membros da banda. Os cowboys e

Macy também estão aqui. Esse bar está cheio de outras pessoas

que vi por aqui várias vezes, mas nunca soube nem os seus

nomes. Para onde eu me viro há alguém falando da noite em que

caí no rio. Não tinha nem ideia de quantas pessoas saíram para

me procurar. Quase todos me dizem que Holden tinha ligado

pedindo que ajudassem e que depois aguardaram por notícias

minhas quando fui levada para o hospital. Não tinha ideia de que

ele tinha feito tudo isso.

Quando falei com ele a respeito, só sorriu e disse que havia

um montão de gente preocupada comigo naquela noite. Só estava

fazendo o papel de irmão mais velho. Sorrio sabendo que também

me ajudou essa noite. Sabia que Taron tinha se envolvido, mas

não tinha me dado conta de que Holden era tão bom trabalhando

em segundo plano.

Talon ficou junto de mim todo o tempo, até uns minutos

atrás. Creio que a banda irá tocar hoje já que há muitas pessoas

aqui.

Rebel Walking sobe ao palco e começa a tocar, me aproximo

do palco como sempre faço. Essa perna pode me deixar lenta,

mas não me deterá por completo de novo. Percebo que não tirou a

camiseta dessa vez. Deve ser por respeito a seus pais. A banda

toca algumas músicas e Talon aproxima o microfone para falar.

189


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

— Tenho uma música especial que gostaria de tocar esta

noite. Andei ensinando alguém a tocar bateria. Gostaria que

viesse até aqui para nos mostrar seus movimentos.

Imediatamente meu rosto esquenta, ficando vermelho. Está

louco? Sei que sou ruim. Uma coisa é fazer ridículo no quarto com

umas poucas pessoas, mas aqui, em público, com as luzes

brilhando na cara? De maneira nenhuma.

Começo a sacudir a cabeça negando e dando passos para trás

até que noto Ivy.

— Me ajude a sumir daqui. Não posso subir lá.

— Eaven. Querida, venha cá! — Talon fala em alta voz no

microfone. Então me dou conta da luz apontada para mim

enquanto estou parada ali e começo a planejar minha fuga com

uma única perna. Salta para fora do palco e me encontra cara a

cara. — Confia em mim? — Ele pergunta, seu rosto a não mais de

um centímetro do meu.

— Sim. — Sei a resposta sem pensar. Ele pega minhas

muletas e as entrega para Ivy. Então me pega no colo e me

arrasta ao palco. Percebo que todos os outros membros da banda

deixaram o palco e somos os únicos aqui.

Com suavidade me coloca atrás da bateria, sentada no

tamborete para tocar este enorme aparelho.

— É o seguinte, ela andou praticando com um par de

baquetas minhas, então pensei em comprar um par para seu

aniversário. — Ajoelha ao meu lado e pega um par de baquetas

vermelhas. Vejo que até as envolveu em um laço vermelho

estranho. Ainda estou nervosa sabendo que quer que eu toque na

frente de toda essa gente.

Baixo os olhos para poder desatar o laço e vejo que passa por

um anel. Um anel de diamantes, um solitário, de ouro platinado e

190


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

corte quadrado. Olho para ele, confusa, e vejo que ainda está

sobre o joelho, me olhando. Meus olhos se enchem de lágrimas

quando enfim compreendo o que está fazendo.

— Ev, eu a amo tanto. Entrou em minha escuridão e em uma

única batida do coração trouxe luz à minha vida. Mostrou para

mim o que é o amor e como é ser amado de verdade. Não posso

esperar para estar com você em meus braços para sempre...

Sei que é sinal de boa educação esperar até que ele termine

de dizer as palavras bonitas, mas meu estômago se revirando de

alegria. De fato, se não fosse por isso, o empurraria no chão e o

atacaria aqui.

Não posso conter minha emoção por mais tempo enquanto o

agarro pela gola da camiseta e o puxo para um beijo. Por um

instante me esqueci da audiência que temos enquanto me afogo

em sua boca em um beijo que grita SIM.

Fim

191


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

Heaven Sent

LIVRO 02

A química explosiva que esses

dois compartilham acende uma

relação de proporções épicas.

Ele foi apelidado de “o ladrão de

calcinhas”, até que Taron Walker

coloca seus olhos na formosa e cheia

de vida, Ivy Adams.

Ivy geralmente não está

acostumada a suportar homens que

fazem joguinhos, entretanto, há algo

a respeito de Taron que a deixa

intrigada. Taron sairá em turnê com

a Rebel Walking e Ivy será deixada

sozinha para enfrentar sérios

problemas.

Ela vai pedir ajuda a Taron, ou o

afastará? Esses dois podem

encontrar a felicidade nos braços um

do outro, ou destruirão o mundo um

do outro?

No Strings Attached

LIVRO 03

Luke Jacobs, guitarrista da

Rebel Walking, vive a vida de

uma estrela de rock. Cercado por

mulheres, Lucas parece ter tudo.

Quando tudo parece seguir seu

caminho, ele cede à tentação que

sempre esteve bem na frente

dele, mesmo que ainda proibida.

Baixista da banda, Lilly

Taylor, ficou de olho em Luke

por um tempo. No entanto, a

reputação de Luke sempre a

impediu de chegar muito perto.

Como vai mudar seus

mundos quando os dois colidem?

A Rebel Walking será arruinada

ou eles podem superar as

consequências de suas ações?

192


REBEL WALKING 01

IN A HEARTBEAT

193

More magazines by this user
Similar magazines