28.04.2017 Views

revista

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Revista da Associação Comercial

Industrial e de Serviços de Montes Claros

Março 2017 | Ano X | Nº 40 | Montes Claros/MG

Newton Figueiredo assume

presidência da ACI

Nova Diretoria vai atuar até 2020 e conta

com apoio de associados e lideranças

Edilson Torquato,

Newton Figueiredo

e Emílio Parolini

PÁG 10 • 2017 - Um ano

de decisões estratégicas

PÁG 21 • Empresários se

preparam para a 22ª FENICS

PÁG 22 • Rommanel lança catálogo

interativo em Montes Claros

www.acimoc.com.br | 1


2 |Revista da ACI | Outubro de 2016


A Revista ACI é uma publicação bimestral da Associação

Comercial, Industrial e de Serviços de Montes Claros

Rua Carlos Gomes, 110 - Centro

Fone: (38) 2101-3300 - Fax: 2101-3309 - www.acimoc.com.br

DIRETORIA EXECUTIVA DA ACI – 2015/2017

PALAVRA DO PRESIDENTE

A força da confirmação dos componentes

da nossa Diretoria nos

incentivaram a assumir a responsabilidade

de conduzir os destinos

da ACI. Uma “senhora” de quase

70 anos, cuja história atesta a

dedicação a ela conferida pelos

nossos antecessores, desde o idealismo

de Dr. Plínio Ribeiro até o Presidente Edilson Carlos

Torquato, tornando nossa Instituição amadurecida e respeitada

no cenário norte-mineiro.

Para dar continuidade aos trabalhos tão bem conduzidos

pelas gestões anteriores, é necessário ter a consciência que

embora não sejamos uma Instituição Política, a ACI, possui

força representativa expressiva em sua missão de promover

o fortalecimento socioeconômico das nossas empresas e,

consequentemente, gerar emprego, renda e desenvolvimento

regional.

Justamente por conhecermos a força de nossa Instituição

organizada, e o comprometimento de nossa Diretoria, digna

representante de importantes segmentos produtivos, é que

vamos manter real aproximação com as representações

públicas, executivas, civis, militares e políticas. E esperamos

contar com a força e o apoio dos associados, diretores,

imprensa e de todas as instituições parceiras.

Newton Carlos Amaral Figueiredo

Presidente da ACI

Presidente: Dr. Newton Carlos Amaral Figueiredo

Vice-presidente: Leonardo Lima Vasconcelos

Vice-presidente para Assuntos Comerciais: João Paculdino Ferreira

Vice-presidente para Assuntos Industriais: Abílio Carnielli Filho

Vice-presidente para Assuntos de Prestação de Serviços: Maurício Sérgio Sousa e Silva

Vice-presidente para Assuntos de Micro e Pequenas Empresas: Ricardo Alencar Dias

Vice-presidente para Assuntos Econômicos: Marcos Fábio Martins de Oliveira

Vice-presidente para Assuntos Contábeis e Jurídicos: Gislayne Lopes Pinheiro

Vice-presidente para Assuntos de Agronegócio: Ricardo Surerus Pitanguy

Vice-presidente para Assuntos Comunitários: Mônika Pereira de Moura

Vice-presidente para Assuntos de Gestão Ambiental: Paula de Lima Sousa Alcântara

Vice-presidente para Assuntos Administrativos: Aloysio Afonso Rocha Vieira

Vice-presidente para Assuntos de Infraestrutura: Sérgio Luiz Martins de Quadros

Vice-presidente para Assuntos de Filantropia: Antônio Cézar dos Santos

Diretor Social: Fernando Ferreira Deusdará

1º Tesoureiro: Edenilson Durães

2º Tesoureiro: Anderson Torquato de Araújo

Secretário Geral: Thiago Diniz Tolentino

2ª Secretária: Elen Fraporti Mocellin

CONSELHO DIRETOR

Presidente:

José Ildeumar Soares Pereira

Vice-presidente:

Edilson Carlos Torquato

Agnaldo Leite

Antônio Silvério Paculdino

Cácio Xavier Pereira

Carlos Eustáquio Ribeiro de Andrade

Dalton Caldeira Rocha

Ernandes Ferreira da Silva

Esmeraldo Pizarro

Geraldo Matos Guedes

Giovanni Alcici Pinto

João Nilton Castro Martins

José Jacinto Costa Henriques

Henrique Guimarães Sapori

Klenilton Francisco Dias Pires

Leandro Correia de Oliveira

Leandro Ivan Paixão Guedes

Marcelo Ribeiro Miranda

Mariela Carneiro Baptista

Sérgio Luiz da Silva.

CONSELHO FISCAL

Efetivos:

Dennison Caldeira Rocha

Geancarlo Silva Almeida

Renato Antônio Silva Tupinambá

Suplentes:

Rosalvo José Caldeira de Barros

Robson Lopes Garcia

Fernando Martins de Carvalho

DIRETORIA DE FILANTROPIA

Diretora: Mônica Ribeiro Rocha Torquato

Diretor Adjunto: Núria Machio Font Souza

CONSELHO SUPERIOR

Presidente: Jamil Habib Curi

Vice-presidente: Geraldo Eustáquio Andrade Drumond

Conselheiros:

Adauto Marques Batista

Alexandre Pires Ramos

David Willian Crosland Guimarães

Edilson Carlos Torquato

Fernando Ferreira Deusdará

Jaime Crusoé Loures de Macedo Meira

Valdir Veloso Figueiredo

Gerente executivo

Kelington Mendes Mota

Conselho Editorial

Fernando Deusdará, Dr. Newton Carlos Amaral Figueiredo, Kelington Mota

Revista Bimestral

Tiragem:

1.000 exemplares

Redação e edição

Nágila Almeida

JPMG 4607102

(38) 9128 0404

Fotos

Nágila Almeida

Solon Queiroz

Editoria de Arte

Anderson Clayton

(38) 99822.4669/99193.4669

andersonclayton@outlook.com

Produção Gráfica

Dejan Gráfica

Errata: Na edição

39, na matéria da

Rede Voluntariado,

onde está Asilo São

Francisco de Assis,

leia-se Asilo Sagrado

Coração de Jesus.

Fale conosco:

ascom@acimoc.com.br

Publicidade:

ASCOM - Nágila Almeida

ascom@acimoc.com.br

(38) 2101.3314

(38) 99128.0404

4

|Revista da ACI | Outubro de 2016

www.acimoc.com.br | 5


H O M E N A G E M

ACI concede título de sócio

honorário a Antônio Paculdino

Destacados empresários emprestam seu trabalho à

entidade desde a sua fundação

Homens de valor que ajudam a

transformá-la na força viva da

classe empresarial, responsável pelo

desenvolvimento regional. Todo este

esforço conjunto consolidou a entidade

ao longo dos seus 68 anos. Com

essa premissa, no dia 30 de março, o

Conselho Superior concedeu o Título

de Sócio Honorário a Antônio Silvério

Paculdino, grande colaborador da

ACI, bem como da classe empresarial.

A iniciativa partiu dos membros da

diretoria executiva, pautados nos relevantes

serviços prestados pela família

Paculdino a esta comunidade, através

da Associação Comercial. O referido

Título está previsto no Estatuto

da Entidade em seu parágrafo 1º do

artigo 4º, artigo 5º e parágrafo único

do artigo 5º aprovado pela Diretoria

Executiva gestão 2017/2020.

Jamil Habib Curi, Presidente do

Conselho Superior, defendeu a veia

empreendedora de Paculdino, ao

implantar uma indústria, naquela

época, em um lugar de difícil acesso.

Dr. Newton Figueiredo, presidente da

ACI, exaltou o espírito de associativismo

e de seu comprometimento com a

entidade em todos esses anos.

Emocionado, Antônio Paculdino

afirmou que “estava lisonjeado com

a honraria e que se sente orgulhoso

por seu pai, Joao Paculdino Ferreira,

o irmão Alberto e agora seu filho,

João Paculdino, vice-presidente para

Assuntos Comerciais, fazerem parte

Dr. Newton Figueiredo entregando a

placa de homenagem a Antônio

Paculdino, sócio-honorário da ACI

de uma entidade tão importante para

o desenvolvimento de Montes Claros”.

Antônio Paculdino e sua trajetória como

empreendedor no Norte de Minas

Nascido em Montes Claros, na

década de 40, penúltimo dos 9 filhos

de João Paculdino Ferreira e Esther

Alkmim mudou-se ainda criança

para Belo Horizonte onde viveu

até se formar em engenharia elétrica,

pela UFMG, em 1967. Casou-se

com Hermínia Cançado, e tiveram

os filhos: João Paculdino Ferreira,

Virgílio Cançado Paculdino Ferreira

e Fernanda Cançado Ferreira.

Uniu-se aos irmãos Ferreirinha

e Alberto na direção das empresas

Soltec (descaroçamento de algodão

em Montes Claros) e Santa Bárbara

(Fiação e Tecidos em Augusto de

Lima) ambas herdadas do seu pai,

um dos pioneiros da indústria norte

mineira.

Em 1985, foi iniciado o projeto da

Têxtil Paculdino em Montes Claros.

Mesmo diante do cenário totalmente

adverso à indústria Têxtil, e já com a

Membros do Conselho Superior

concederam o título de sócio-honorário

da ACI a Antônio Paculdino

aposentadoria dos irmãos, conduziu

a ampliação da Têxtil Paculdino. Em

1997, a aquisição da Bocaiúva Têxtil e,

em 1999, inaugurou o Águas de Santa

Bárbara Resort Hotel, primeiro investimento

da família fora do setor têxtil.

Em 2006, Antônio continuou à

frente da Têxtil Paculdino, passando

a Soltec e a Santa Bárbara para a família

dos irmãos. As empresas estão em

operação até hoje, gerando emprego

e renda para o Norte de Minas e contribuindo

para o desenvolvimento da

região.

Na ACI, Antônio Paculdino iniciou

no Conselho Fiscal em 1993,

na gestão do Presidente Fernando

Ferreira Deusdará e de 2001/ 2004,

como Presidente do Conselho Diretor.

Atualmente, é membro do Conselho

Diretor.

NÁGILA ALMEIDA

F E D E R A M I N A S

Emílio Parolini é mantido na

presidência da Federaminas

Sua diretoria foi

eleita em 2016

e tomou posse

para o triênio

2017/2019

solenidade de

A posse da diretoria

da Federaminas

foi muito prestigiada

por empresários

de diversos setores

e também por políticos,

representantes

Emílio

Parolini recebeu

Fernando

Deusdará,

representante

da ACI no

evento

de entidades empresariais e de associações

comerciais de Minas Gerais e

de vários Estados brasileiros. O evento

aconteceu no dia 24 de março, no auditório

do Hotel Ouro Minas, em Belo

Horizonte, com a presença de cerca de

300 pessoas.

Emílio Parolini destacou a presença

da Federaminas em todas

as regiões mineiras e falou sobre a

importância do movimento associativista:

“Nossa diretoria tem hoje 55

membros de 52 cidades. Isso mostra

a capilaridade da nossa entidade em

Minas Gerais. Recebemos lideranças

de todas as partes do Estado. Os desafios

que enfrentaremos são resultado

da atual conjuntura econômica, que

obriga a classe empresarial a lutar

mais pelo seu negócio. O movimento

associativista vem para reforçar

essa luta. Proporcionar apoio aos

empresários é papel das associações

comerciais e resultado do associativismo.

A Federaminas realiza ações

em conjunto com outras entidades

do Estado em benefício das micro e

pequenas empresas”.

Fernando Deusdará, ex-presidente

da ACI e atual Diretor Social, representou

a ACI no evento e destaca

que “é de suma importância aproximar

cada vez mais a Federaminas das

associações comerciais do interior.

Que sua representação se fortaleça

com a parceria de serviços e propostas

que ajudem no desenvolvimento

de suas afiliadas. A união das associações

e a participação efetiva da classe

empresarial em Minas Gerais dará

condição de enfrentamento qualquer

dificuldade”.

6

|Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 7


S A Ú D E

Sociedade

abraça Projeto

“Amigos da

Santa Casa”

Em comemoração aos 145 anos da

Santa Casa de Montes Claros, a

instituição lançou no ano passado

o “Projeto Amigos da Santa Casa”

De acordo com o superintendente

do hospital,

Maurício Sérgio Sousa e

Silva, o objetivo da iniciativa

é a reforma e humanização

dos quartos que compõem

o Sistema Único de Saúde

(SUS) na instituição.

“Levar conforto e tratamento

humanizado aos

pacientes sempre foram

alguns dos objetivos principais

da diretoria da Santa

Casa. A reforma dos quartos,

busca viabilizar obras

de melhoria das instalações

dos quartos que compõem

as enfermarias da Santa Casa

de Montes Claros, de forma

a oferecer aos pacientes um

ambiente mais humanizado,

climatizado e bem estruturado,

tornando-os mais aconchegantes

para os pacientes, e

funcionais para o desenvolvimento

do trabalho do corpo

laboral, que muitas vezes permanecem

por longos períodos

internados na instituição”,

diz.

O Projeto “Amigos da

Santa Casa” é realizado através

de apadrinhamento por

parte das empresas da região.

Assim, cada “amigo” (pessoa

física, entidade de classe ou

empresa) poderá apadrinhar

um ou mais quartos de uma

determinada enfermaria.

Até o momento, a instituição

conta com 49 dos 62 quartos

que compõem o SUS, apadrinhados.

O primeiro quarto

humanizado, apadrinhado

pelas Faculdades Pitágoras,

foi entregue à população no

dia 06/10/2016. O último,

que foi acolhido pelo Grupo

Felício, foi inaugurado esse

mês, no dia 09. Além dos

padrinhos citados, a instituição

já inaugurou os quartos

dos padrinhos: Carlos

Humberto, Comercial Matão,

Palimontes, Rotary Norte,

Rotary São Luiz, Rotary Sul

e Triggus.

Atendimento

Referência em atendimentos

médicos de média

e alta complexidade, com

modernos equipamentos e

em processo de ampliação

da estrutura de serviços

médico-hospitalares,

a área de atuação da

Santa Casa compreende

dois milhões de pessoas,

provenientes das regiões

Norte de Minas, Vale do

Jequitinhonha e Mucuri e

ainda do sul da Bahia.

Atualmente, a instituição

conta com 30 leitos

de Centro de Terapia

Intensiva (CTI), adulto e

pediátrico; corpo clínico

especializado com mais

de 400 médicos e aproximadamente

2.000 (dois

mil) colaboradores. Além

disso, o hospital é referência

em alta complexidade

(nefrologia, neurologia/

neurocirurgia, cirurgia

oncológica, queimados e

traumatologia/ortopedia);

gestação de alto risco,

transplantes (rim, córnea,

fígado e futuramente em

medula óssea, que está em

fase de credenciamento).

Com informações da ASCOM/Santa Casa

8

|Revista da ACI | Março de 2017


A R T I G O

2017 - Um ano de

decisões estratégicas

Todo final/início de ano já é praxe

lembrarmos da importância do planejamento

estratégico para nossos negócios

Economista, Consultor, Professor do

Departamento de Economia da Universidade

Estadual de Montes Claros - UNIMONTES.

www.strategconsultoria.com.br

aloysio@strategconsultoria.com.br

Rede

Voluntariado

ganha

parceiro de

peso

REDE VOLUNTARIADO

Sua elaboração para quem ainda não

o possui, sua atualização para aqueles

cuja ferramenta já foi incorporada

ao modelo de gestão e à própria cultura

organizacional vigente. O ano de 2016

terminou deixando uma série de dificuldades

para todas as empresas. Um

ano extremamente difícil.

Iniciamos 2017 cheios de dúvidas,

mas cheios de expectativas positivas

também, com todos querendo acreditar

em um ano de recuperação. Passados

os primeiros meses, os sinais de que a

recuperação de nossa atividade econômica

deu seus primeiros passos se

confirmam entre outros aspectos pela

redução dos juros e pela retomada do

crescimento da atividade industrial.

Diante do cenário que se desenha,

será fundamental a revisão da estratégia

pensada ao final de 2016 que, na

maioria dos negócios, considerou um

cenário de permanência da crise. Com

perspectivas mais positivas, mesmo

mantendo a cautela, é preciso pensar e

agir estrategicamente considerando o

fato de 2017 ser o ano da recuperação. É

preciso então preparar nossos negócios

para este movimento.

Ficam aqui duas sugestões de foco:

produtividade e prospecção de novas

oportunidades de mercado.

Ganhos de produtividade serão

importantes pois demandam movimentos

de otimização dos custos,

melhoria de processos e possibilitam

a geração de melhores resultados econômicos.

Prospecção de novas oportunidades

de mercados dado que com a crise,

vários mercados se retraíram e muitos

dos hábitos de consumo se alteraram.

Com o cenário de recuperação, mercados

tradicionais e novos mercados

voltam a se ativar e quem primeiro os

perceber e mapear, sairá com certeza

na frente.

Nesta direção, a grande sugestão a

ser dada diz respeito às feiras de negócios

que agregarão consumidores e

ofertantes trabalhando em conjunto

em uma só direção: oportunidades de

negócios em um cenário positivista.

Não deixe de acompanhar e participar

deste movimento. Procure dar

atenção pelo menos a uma feira setorial

e uma regional. No Norte de Minas,

nossa principal feira é a FENICS, cujos

preparativos para sua 22ª Edição já

foram iniciados.

Procure se posicionar estrategicamente

entre os melhores este ano!

Excelentes negócios!

No dia 21 de março, a ACI recebeu

a visita de representantes da

LafargeHolcim para uma parceria com

a Rede Voluntariado. Tatiana Seckler,

coordenadora de Responsabilidade

Social e Instituto Holcim e o gerente

da LafargeHolcim, Welington Ruas,

conheceram um pouco mais sobre

as atividades e instituições da Rede,

em Montes Claros. Com um plano de

expandir as ações sociais na multinacional,

eles aplicaram um questionário

para mapear as necessidades e área de

atuação do projeto da ACI.

A reunião contou com a presença

do presidente da Associação

Comercial, Dr. Newton Figueiredo,

do gerente executivo, Kelington

Mota, bem como da presidente da

Rede Voluntariado, Mônica Torquato,

da vice, Núria Souza e da Assistente

Social, Mércia Lucas.

Ficou acertado que, em breve, a

LafargeHolcim dará início ao Projeto

Em Rede, que financia projetos em

países da América Latina, como

Colômbia e Argentina.

10 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 11


C R E D I N O S S O

Cooperativas

aumentam

oferta de

crédito

mesmo na

crise

Em um momento delicado no país, com aperto nos

financiamentos, taxas de juros elevadas e crescimento

da inadimplência, as cooperativas de crédito têm

aumentado os empréstimos a clientes, diferentemente

dos bancos comerciais.

No terceiro trimestre de 2016, o

saldo das operações de crédito

das cooperativas avançou 8,5% na

comparação com o mesmo período de

2015, segundo dados do Banco Central.

Enquanto isso, os bancos viram o volume

de empréstimos recuar 3,4% nesse

mesmo intervalo.

Algumas das explicações para a alta

do crédito cooperativo é que essas instituições

não visam o lucro e cobram

taxas de juros menores do que a média

do mercado.

“O que as diferencia dos bancos é

o modelo societário”, afirma Thiago

Borba, coordenador de crédito da

OCB (Organização das Cooperativas

Brasileiras). “Enquanto entre o cliente

e o banco há uma relação de consumo,

nas cooperativas o elo é mais forte, porque

o cliente é, ao mesmo tempo, dono

do negócio.”

De acordo com Borba, as cooperativas

cobram taxas de juros até 80% mais

baixas na comparação com os bancos.

O lucro da cooperativa, chamado de

“sobra”, é repartido entre os cooperados.

Eventuais prejuízos também têm

que ser rateados.

Empresas

Apesar de as empresas serem minoria

entre os cooperados, no Sicoob,

maior sistema de cooperativas de crédito

do país, houve um avanço de 19% no

crédito a pessoas jurídicas, basicamente

pequenas e médias empresas.

“Como as cooperativas estão mais

próximas à comunidade, é possível

obter informações mais assertivas dos

tomadores para a concessão de crédito”,

afirma Francisco Antônio Peres Corrêa

Machado - Presidente do SICOOB

CREDINOSSO. “A cooperativa conhece

melhor o processo de produção da

empresa e até mesmo seus fornecedores,

que muitas vezes também são associados”.

Entretanto, muitas empresas ainda

desconhecem a possibilidade de se

associar a uma cooperativa e, com isso,

ter acesso a taxas de juros mais baixas.

O crédito cooperativo tem um enorme

potencial de crescimento, sobretudo

com o modelo de livre admissão, em

que não é necessário fazer parte de uma

determinada categoria, como de trabalhadores

e empresários, para se tornar

associado.

De acordo com a OCB, há 1.045 cooperativas

de crédito no país, reunindo

8,9 milhões de associados, sendo 90%

pessoas físicas. Em Montes Claros,

o Sicoob Credinosso atende na Rua

Carlos Gomes e na Avenida Polínio

Ribeiro, 1910, na Vila Ipiranga. Agende

uma visita e conheça as vantagens de

ser um cooperado: (38) 3221-6355.

Produtos para Pessoas Física e Jurídica;

Empréstimo Pessoal;

Empréstimo Consignado;

Financiamento Habitacional;

Consórcios e Seguros.

(38) 2101-3316 | (38) 2101-3300

caixaaqui@acimoc.com.br

12 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 13


S T A R T U P

CODEMC articula evento de

Startups sociais em Montes Claros

Baanko Challenge ajuda a potencializar negócios que

geram impacto social

Atualmente no vocabulário de

jovens e empreendedores os termos

Startup e Negócios de Impacto tem

ganhado força e atenção. Esse público

sempre inconformado com a realidade

do país e em busca de soluções inovadoras

para melhorar a vida das pessoas,

tem visto nesse mercado a oportunidade

de ganhar dinheiro e se sentirem

realizados.

É com esse olhar inovador

que o CODEMC - Conselho de

Desenvolvimento Sustentável de

Montes Claros - articulou a vinda de

um dos maiores programas de startups

sociais do Brasil, o Baanko Challenge.

O evento visa criar alternativas para

os 17 Objetivos de Desenvolvimento

Sustentável da ONU (agenda 2030),

com um modelo de negócios rentável

e escalável.

Em Montes Claros, 429 pessoas se

inscreveram, o maior número de inscritos

em uma primeira edição. “Das

cinco cidades que fizemos anteriormente

- São Paulo, Rio de Janeiro, Belo

Horizonte, Salvador e Val Paraíso - a

edição de Montes Claros foi a que teve

maior número de inscritos para uma

primeira edição. Já tivemos números

maiores, mas em edições subsequentes”,

afirma Paulo Caputo, sócio do Baanko

Challenge.

O primeiro dia acorreu no campus

JK, das Faculdades Santo Agostinho.

Na ocasião os 16, dos 17 projetos inscritos,

foram apresentados pelos seus

criadores. No final da apresentação,

os demais participantes que se inscreveram

puderam integrar as equipes

de cada projeto, formando 16 grupos

com trabalhos distintos. Cada trabalho,

está diretamente relacionado com

um dos Objetivos de Desenvolvimento

Sustentável (ODS) da Organização das

Nações Unidas (ONU). Ao todo 170

pessoas foram selecionadas para participarem

do Baanko Challenge.

Palestras com profissionais, como

Vanessa Narciso, Edenilson Durães e

Paulo Caputo, abordaram temas sobre

como construir um negócio de sucesso

e de impacto. Segundo Paulo, as equipes

trabalharam com metas de curto

prazo, definidas no primeiro dia.

“Com o Baanko Challenge esperamos

conectar uma rede de atores envolvidos

no processo de desenvolvimento

social e econômico de Montes Claros.

Queremos que as pessoas que participarem

conheçam locais, temas e profissionais

que possam potencializar a sua

carreira e suas ideias. É uma construção

coletiva e colaborativa, onde o individuo

progride e a cidade é beneficiada”

comenta Bruno Garcia, assessor do

CODEMC.

O Baanko Challenge Montes Claros é

patrocinado pela ACI, Faculdades Santo

Agostinho, CDL e Laboratórios Santa

Clara e vai premiar os projetos selecionados,

no dia 08 de abril. O resultado

ainda não havia sido divulgado até o

fechamento desta edição da Revista ACI,

dia 31 de março. O evento já acontece

em capitais pelo Brasil e em países como

Chile e Argentina. Outras informações

no site challenge.baanko.com.

A Rede Voluntariado está participando das atividades do

BAANKO Challenge, com o projeto Ajude-nos.org. A equipe conta

com RomSoft, e o objetivo é produzir vídeos de instituições sociais que

necessitam de algum tipo de doação, a fim de divulgar para doadores

em potencial nas redes socias e TV.

Somente em Montes Claros existem 48 instituições regulamentadas.

A maioria delas é desconhecida pela população, que terá a oportunidade

de conhecer cada instituição, sua área de atuação, demandas

e suas atividades. Dessa maneira, a pessoa será capaz de escolher

aquela com a qual mais se identifica para realizar sua doação.

|Revista da ACI | Março de 2017

14


POSSE DIRETORIA

Lideranças

e associados

prestigiam posse

de Diretores e

Conselheiros

Triênio 2017/2020

SOLON QUEIROZ

A Associação Comercial Industrial e de

Serviços de Montes Claros - ACI - escreveu

mais uma página em sua história na noite do

dia 13 de março

Associados, lideranças e sociedade

participaram da solenidade de posse

da diretoria executiva e do conselho diretor,

profissionais de diversas áreas que

emprestam seu trabalho em prol da instituição

e por consequência, a toda classe

empresarial.

A ACI é conhecida por potencializar

projetos e sugerir novas ideias para Montes

Claros, além de realizar a Fenics. Os dirigentes

vão atuar na gestão 2017/2020, sucedendo

ao empresário Edilson Torquato. O

ex-presidente destacou que nos últimos

quatro anos, cada diretor teve um papel

importante e deu força na missão de presidir

a entidade. “Tive a sorte de fazer parte

da ACI, pois renasci a partir do momento

que me dediquei ao associativismo. Que

todos continuem a prestigiar e valorizar as

ações desta entidade, afinal quase 70 anos

de história não são por acaso”.

Legado

Ao fazer um balanço sobre sua

gestão, Torquato destacou o apoio da

imprensa, que sempre divulga as atividades

e dá credibilidade ao trabalho

da diretoria. “De todas as iniciativas

que defendi como presidente, tenho

orgulho de ter deixado um legado para

Montes Claros. O Codemc – Conselho

de Desenvolvimento Sustentável de

Montes Claros já é realidade e está

mostrando sua competência. Tenho

plena consciência da responsabilidade

agora como Secretário Municipal de

Desenvolvimento Econômico, cujo

cargo é graças ao trabalho realizado

na ACI. Dessa forma, posso continuar

contribuindo com a cidade e a região.

Acredito que o outro legado seja a

continuidade dessa gestão com Dr.

Newton Figueiredo. Sua capilaridade

e experiência abrilhantará ainda mais

a história da ACI”.

Geraldo Drumond, representando

o Conselho Superior, composto

por ex-presidentes, pontuou que

“Edilson Torquato, com seu desprendimento

contribuiu muito para a

entidade. A realização da Fenics, que

mesmo sob uma condição adversa,

cumpriu a tarefa de fomentar negócios

e driblar a crise. Em outra esfera,

a instituição reafirma sua estratégia

de sempre se envolver com questões

de maior relevância, defendendo o

empresariado na busca de soluções

para os seus negócios. Newton

Figueiredo, por sua vez, um empresário

moderno, dinâmico e visionário,

certamente bem representará a

classe dos empresários. O Conselho

aposta todas as fichas no sucesso de

sua gestão, sempre bem disposto a

contribuir para seus projetos e ideias”.

Associativismo

O novo presidente da ACI, Newton

Figueiredo, em sua fala, lembrou

sobre a importância de todas as entidades

parceiras, lideranças e bancos

de fomento estarem unidos pelo

desenvolvimento, na busca de recursos

para Montes Claros. “Vale a pena

trabalhar em prol dessa instituição,

diretores de associações e clubes de

serviço prestam trabalho voluntário

e responsável, com o objetivo de dar

segurança a nossas empresas e proteção

a sociedade. O associado tem o

direito de receber nosso apoio e para

isso acontecer é preciso que estejamos

cada vez mais próximos, que conheçam

os diversos benefícios que a ACI

oferece, desde plano de saúde a cursos

e palestras. A instituição só muda

de direção e pessoas, mas a linha de

trabalho nesses cerca de 70 anos é a

mesma, o dever de servir aos associados”.

Parcerias

Emílio Parolini, presidente da

Federaminas, disse que “quando olhamos

para o sucesso e o idealismo desta

entidade destacamos que cada um

desses empossados coloca um tijolo,

ao longo dos anos. A ACI é referência

em todo o Estado graças a gestores

como Edilson Torquato e agora

Newton Figueiredo. A parceria com

a Federaminas deve se estreitar ainda

Newton Figueiredo durante discurso de posse

mais com serviços e projetos, como

a Campanha de Natal, mobilizando

centenas de associados mineiros.

Adauto Marques, presidente da

Fiemg Regional Norte e vice-prefeito

de Montes Claros, foi categórico

ao dizer que “agora é a hora de trabalhar,

unir todas as lideranças e dar

um passo à frente para mudar Montes

Claros. Sozinhos não conseguiremos

a chegar a lugar nenhum, mas juntos

podemos muito mais.”

Dr. Newton Figueiredo é graduado

em Farmácia Bioquímica e é um

dos sócios-fundadores da rede de

Laboratórios Santa Clara. Seu vice é o

empresário Leonardo Vasconcelos. A

chapa única foi eleita em Assembleia

Geral Ordinária, no dia 23 de fevereiro.

Confira todos os membros empossados

no expediente desta publicação.

16 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 17


FOTOS: SOLON QUEIROZ

FOTOS: SOLON QUEIROZ

Membros da Diretoria Executiva, Conselho Diretor e Fiscal empossados

Cléia Paulino, Jacyara Ferreira, Mércia Lucas, Mônica Torquato,

Virgínia Maia, Newton Figueiredo, Kelington Mota, Nágila Almeida e

Lande Nogueira

Conselho Superior - Geraldo Drumond, David Guimarães, Newton

Figueiredo, Fernando Deusdará, Alexandre Ramos, Valdir Veloso,

Adauto Marques e Edilson Torquato

Kelington Mota, Ernandes Ferreira, Fernando

Deusdará e Emílio Parolini

Marcelo Freitas, Anderson Carvalho,

Alessandro e Mateus Maia

Ângela Veloso, Cláudio Oliveira, Paulo

Santiago e Dennison Rocha

Dalton Rocha, José Ildemar, Anderson

Carvalho e Edilson Torquato

Edilson Torquato reforça que continuará a

contribuir para a ACI

Caico Siufi, Newton Figueiredo e

Selma Dias

Geraldo Guedes, Aloysio Vieira, Marco Túlio,

Francisco Peres, Heli Penido e Valdir Veloso

Adauto Marques, presidente da Fiemg Regional

Norte e vice-prefeito de Montes Claros

Empresários associados, lideranças e

imprensa prestigiaram a solenidade

Dalminho, Kenedy, Rose, Pipa, Dr Newton , Norma, Zaid, Rosinha e

Lucílio

Elizena Figueiredo e Mônica Torquato

Sonia, Elizena e Newton, Ieda, Vanuta e Iedinha

Maurício Sérgio, Amália e Geraldo Drumond, e Sérgio Luiz

Dr João Lúcio, Fabrícia, Márcia, Dr Jayme, Sra Elizena, Dr Newton

Figueiredo, Ludmila e Vanessa

Edilson Torquato, David Guimarães, João dos Reis Canela e

Fernando Deusdará

Membros da imprensa, Viviane Carvalho, Danilo Campos, Bia

Andrade, Alana Freitas, Luis Martins e Alessandra Marques

O evento foi prestigiado por associados, diretores, lideranças e

imprensa

18 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 19


F E N I C S 2 0 1 7

Empresários

se preparam

para a 22ª

FENICS

A feira é forte aliada na

captação de clientes e

fortalecimento de marca

Comissão de diretores articulam ações para a Fenics 2017

participação em Feiras deve ser

A bem planejada, a fim de trazer

resultados significativos a curto e médio

prazo. Por isso, a ACI está com o mapa

de estandes aberto para a 22ª FENICS -

Feira Nacional da Indústria Comércio

e de Serviços de Montes Claros, de 14 a

17 de setembro.

Um dos maiores eventos do interior

de Minas, a Fenics ajuda a fortalecer

a imagem e o relacionamento de seu

expositor perante o mercado. “Estamos

com as vendas em aberto desde novembro,

para facilitar a programação do

expositor, com mais prazo para planejar

custos e aumentar o retorno”, comenta

Cléia Paulino, coordenadora da Fenics.

A localização, tamanho, comunicação

visual e o layout do estande, devem

ser pensados cuidadosamente. Júlio

Cesar de Almeida, representante da

franquia Rommanel no Norte de Minas,

se prepara para a sua terceira participação

na Fenics. “A feira é ideal pra

mostrar as novidades desse mercado de

semi-jóias. Estamos com boas expectativas

para essa edição. Um bom estande

dever ser atrativo, facilitar a circulação

dos visitantes e valorizar os produtos

expostos. O quanto antes iniciarmos os

preparativos, teremos melhores resultados”.

Rodrigo Moraleida Brito, diretor

Comercial da Engecred em Belo

Julio

Almeida,

Rodrigo

Brito e

Cléia

Paulino

Horizonte, durante visita a Montes

Claros, fez questão de visitar a ACI e

conhecer o layout da feira e os detalhes

sobre o evento. “Sabemos da importância

de estar num evento grande como a

Fenics. Nosso objetivo é que construtoras

e engenheiros percebam nossa capacidade

de atender e fomentar o setor.

Queremos ampliar a área de atuação

da Engecred e fortalecer sua marca na

região”.

Em 2017, o público foi de cerca de 60

mil pessoas. Segmentos, como a indústria,

comércio, veículos, moda, beleza,

educação, tecnologia, construção civil,

artesanato, saúde, transporte, turismo,

entre outros. O mapa de estandes

teve aumento de 10% na área coberta,

que será de 10 mil m². Expositores

que fecharem contrato neste momento

poderão parcelar o valor em condições

especiais.

O coordenador da Fenics, Kelinton

Mota, dá algumas dicas para o expositor

da Fenics. “A estrutura do estande precisa

estar relacionada aos objetivos em

vista. A forma como a empresa se apresenta

potencializa a geração de negócios,

além de uma equipe bem preparada (de

preferência a de vendas), colocar produtos/serviços

a preços e condições especiais”.

A 22ª Fenics não termina no quarto

dia, ao contrário, continua gerando

negócios por meses e nesse sentido

é necessário organização pré–feira e

pós-feira, realizando contatos e visitas

de forma que o trabalho desenvolvido

e iniciado dentro do estande perdure e

traga resultados efetivos de negócios e

vendas. A ACI destacou uma comissão

especial com diretores que deverão articular

ações e parcerias para esta edição.

Outras informações pelo site www.fenics.com.br

e pelo e-mail fenics@acimoc.

com.br e 38-2101 3300 e 2101 3301.

20 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 21


D E S T A Q U E

Rommanel lança catálogo

interativo em Montes Claros

Rommanel Connect estimula consultoras a usarem

cada vez mais o marketing digital

Equipe Rommanel com a Digital Influencer Lê Turano,

durante lançamento de coleção, em Montes Claros

internet faz parte da rotina da

A maioria dos brasileiros, seja

pelo computador ou pelo smartphone.

Este importante canal de relacionamento

é o foco da campanha

2017 da Rommanel. A distribuidora

de semijóias e folheados lançou o

Catálogo, que vem com QR Code,

em Montes Claros, no Hotel Intercity,

no dia 07 de março. O evento contou

com a presença do staff de vendas

e marketing da Rommanel para um

bate-papo entre as consultoras e a

digital influencer, Letícia Turano,

seguido de desfile com a coleção

2017.

Fabiana Martins, Gerente de

Marketing da Rommanel, explica

que “a marca sentiu a necessidade de

falar com o público digital Milleniuns

(jovens entre 18 e 35 anos). O aplicativo

QR Code serve para baixar

vídeos de nossos produtos no celular,

a partir do código nos catálogos

impresso e digital, disponível no site

da Rommanel. Os vídeos são ferramentas

importantes para conectar

consultoras e clientes e ampliar as

informações sobre as peças”.

22 |Revista da ACI | Março de 2017

Navegar é preciso

Atualmente, a marca possui cerca

de 200 mil consultoras, distribuídas

em cidade de todo o Brasil, através das

empresas distribuidoras. “A Rommanel

sempre foi conhecida pela qualidade de

suas peças. Mas também há uma forte

exigência por novidades. Daí, mantemos

uma equipe focada em pesquisa de mercado,

tendências de moda e personalidades

que nos inspiram na criação das

coleções. São, pelo menos, treze coleções

ao ano, mais de 700 produtos inéditos,

com o desafio de viver e ditar a moda

em acessórios”, conta Fabiana.

As redes socais são os meios favoritos

de comunicação para 81% dos

Milleniuns. Pesquisas mostram ainda

que as redes sociais também são muito

relevantes para 63% da Geração X (36

a 55 anos) e 44% dos Boomers (56 a 65

anos). Por ser a rede social mais utilizada,

o Facebook é o canal mais importante

para os jovens. Porém, para muitas consultoras,

Instagram, Snapchat, Twitter,

YouTube e até o famoso WhatsApp,

ainda não são tão explorados como efetivas

ferramentas de venda.

O evento reuniu consultoras Rommanel de

todo o Norte de Minas

Daí a escolha de Camila Coutinho,

fundadora do blog Garotas Estúpidas,

em 2006, para estrelar esta campanha.

Forte personalidade do mundo digital,

a ideia é despertar as consultoras

para seu próprio poder de influenciar

e gerar negócios. Inclusive, este foi o

tema do bate-papo com a montes-clarense,

Lê Turano. Digital Influencer,

com milhares de seguidores em todo

o Brasil, a publicitária empresta suas

redes sociais para lançar produtos e

vender tendências.

Rede de contatos dá resultado

Durante o evento, as consultoras

tiveram dicas de closes para fotografias

com as peças e de como ganhar mais

cliques e clientes pela internet. Ângela

Maria Cardoso, 45 anos, casada, com

dois filhos, é de Bocaiuva e há 1 ano

revende as peças da Rommanel. Ela

ficou em segundo lugar no ranking

de vendas 2016, no Norte de Minas.

Ângela é professora e lamenta não

ter mais tempo para se dedicar aos

seus clientes. “Consigo ganhar mais

como consultora de semijóias, que

FOTOS: GUTEMBERG BRILHANTE

como professora”. Agora,

ela está mais consciente

do poder das redes sociais

para ampliar contatos pela

internet.

De Salinas, Renata

Mendes, 39, é consultora

há dois anos. “Eu já tinha

experiência em vendas

e apostei tudo na marca.

Quando saio para visitar

meus clientes, só encerro

após esgotar a agenda do dia”, destaca.

Ela está colhendo o resultado de tanta

dedicação, ficou com o primeiro lugar

no ranking de vendas 2016. “Minha

sinceridade e um mix de 500 peças no

mostruário formam uma dupla certeira.

Ser consultora Rommanel não é

bico, é o meu trabalho. Meu marido e

filhos são meus aliados e me ajudam

muito também”, revela.

Outra dica para o sucesso é manter

sua rede de contatos ativa. Laura

Caires, 44, consultora há 2 anos, descreve

uma venda como puro prazer

em ver sua cliente satisfeita. Assim, ela

As consultoras Rommanel em dia de lançamento de catálogo

indica a amiga, que comenta com outra

amiga... Como acontece com os compartilhamentos

de Facebook. “Tenho

uma pequena loja de confecções e agrego

valor ao meu negócio ao oferecer os

acessórios da Rommanel e cosméticos.

As mulheres saem com o look completo”,

fala animada a consultora, 4º lugar

em vendas.

Transformando vidas

Não é à toa que o símbolo da

Rommanel é uma borboleta, representando

a transformação na vida das

pessoas. Com 30 anos de

mercado, a empresa passou

a ser conhecida primeiro

em Minas Gerais, onde possui

5 mil consultoras ativas.

São mulheres que complementam

a renda familiar

com a venda das semijóias

e ajudam a outras mulheres

a melhorar a autoestima.

Como Diretor Comercial

da Rommanel, Marcelo

Augusto acredita que a empresa vai

além de vender. “Nós nos preocupamos

com a saúde dos consumidores,

pois são peças hipoalergênicas.

Ajudamos a cuidar do meio-ambiente

e nos preocupamos com o bem-estar

social. Quando uma consultora

sai de casa para visitar um cliente,

ela conhece mais pessoas e faz novos

amigos. A Rommanel vai além da

geração de emprego e renda; a partir

da beleza, alegria e leveza de suas

peças, proporciona qualidade de vida

para as pessoas. Afinal, estamos todos

conectados”.

www.acimoc.com.br | 23


F I E M G

FIEMG lança programa de

Fiscalização Ambiental Preventiva

na Indústria (FAPI)

Programa reduz riscos quanto à fiscalização ambiental

que será deflagrada pelo governo de Minas

24 |Revista da ACI | Março de 2017

O lançamento do FAPI em Montes Claros aconteceu na

FIEMG Regional Norte, onde há atendimento para orientação

sobre preenchimento do Formulário de Caracterização do

Empreendimento (FCE) e emissão do Formulário de

Orientação Básica (FOB). O balcão funcionará, a princípio

por 90 dias, para atendimento gratuito às empresas.

Montes Claros foi a

primeira cidade do

Estado a receber o Programa

de Fiscalização Ambiental

Preventiva na Indústria

(FAPI), no dia 07 de março.

A ação, fruto da parceria da

FIEMG com a Secretaria de

Estado de Meio Ambiente e

Desenvolvimento Sustentável

(Semad), levou informações

sobre a importância de se obter

a regularização ambiental de

seus empreendimentos aos

empresários da área de abrangência

da FIEMG Regional

Norte. A intenção é reduzir

os riscos ambientais e ampliar

a competitividade do setor

industrial.

Lançado durante o Conselho de

Representantes da FIEMG, em novembro

de 2016, o Programa tem como

público-alvo empresas que exercem

atividades potencialmente poluidoras

ou que utilizam recursos naturais do

estado de Minas Gerais. Inicialmente,

o projeto será realizado em doze regiões

organizadas segundo a regionalização

do Sistema FIEMG, mas levando em

conta a especificidade de cada localidade.

O FAPI terá três etapas definidas. A

primeira será a orientação às empresas,

entre março e maio; seguida pela fase

de fiscalização, que ocorre após 90 dias

de cada fase de orientação (de maio a

agosto), e encerra-se com o monitoramento

dos resultados anteriores, entre

setembro e dezembro de 2017.

Segundo o presidente da FIEMG

Regional Norte, Adauto Marques

Batista, a entidade trabalha para que

o setor produtivo realize os processos

ambientais de forma correta. Além

disso, ele apontou que o diálogo entre

o empresariado e os órgãos públicos

de gestão ambiental está aberto, pois o

tema é de extrema importância para o

desenvolvimento do Estado. “O esforço

da FIEMG é que de não haja apenas a

regularização por partes dos empresários,

mas um trabalho maior de conscientização

referente ao tema”, finalizou

Marques.

O gerente de Meio Ambiente da

FIEMG, Wagner Costa, alertou sobre

ASCOM/FIEMG

a importância da regularização

ambiental. “A ausência

do licenciamento pode

trazer vários danos aos

empreendimentos, como

conflitos com a comunidade

onde estão instalados,

multas ou até mesmo

a suspensão de atividades

da empresa”.

Marcelo Fonseca,

superintendente de

Estratégia em Fiscalização

Ambiental da Semad,

explicou que o FAPI oportuniza

uma ruptura de

paradigma positiva entre

o setor público e o produtivo.

“A intenção é oportunizar

que as empresas se adequem após

receberem os treinamentos e as orientações

em parceria com a FIEMG. O

que precisa ficar claro é que uma boa

ação de fiscalização não é aquela que

aplica vários autos de infração, mas sim

aquela que não encontra nenhuma irregularidade

ambiental. O foco é que haja

uma produção ambientalmente correta

no Estado como um todo,” apontou.

Ele explicou ainda que a empresa

que aderir ao FAPI receberá um selo

indicativo de que aquele empreendimento

já está se adequando à lei. O

selo poderá resultar ainda em um desconto

de 50% no valor da multa, se ela

vier a ser aplicada ao ser identificada

alguma irregularidade ambiental na

empresa.

Banco do Nordeste e FIEMG fomentam

negócios em Encontro Empresarial

O presidente

da FIEMG

Regional Norte,

Adauto Marques

Batista - que é

também vice-prefeito

de Montes

Claros -, participou

de Encontro

Empresarial promovido

pelo Banco

do Nordeste, na

sede da FIEMG, no

dia 30 de março,

em Belo Horizonte.

O objetivo do encontro foi divulgar

as oportunidades disponíveis para as

Programa melhora competitividade e

produtividade de empresas

PCIR beneficia empresas de Montes Claros, Taiobeiras

e Espinosa e pode se estender a outros municípios

empresas no BNB que visam fomentar

o desenvolvimento, apoiando desde o

micro até o grande empreendedor. O

Equipe de Espinosa assistida pelo programa, durante a 21ª

Fenics, em 2016

presidente da Regional Norte, Adauto

Marques, destaca que “o momento

serviu para divulgar as oportunidades

para as empresas mineiras, principalmente

as que estão no Norte de

Minas, região carente de benefícios e

investimentos governamentais”.

Participaram do encontro, além

de dirigentes do BNB, o presidente

do Sistema FIEMG, Olavo Machado

Júnior, o deputado Gil Pereira (PP),

representantes do governo de Minas,

empresários do setor de energia e

fármacos, e o Secretário Municipal

de Desenvolvimento Econômico de

Montes Claros, Edilson Torquato, entre

outros.

FERNANDA GONDIM

Tendo como parceiros os Sindicatos

Patronais da Indústria e o SEBRAE,

um programa da Federação das

Indústrias do Estado de Mias Gerais

(FIEMG), vem ajudando as empresas

a melhorar seus resultados e aumentar

produtividade. O PCIR – Programa de

Competitividade Industrial Regional

está definindo, por meio da Fiemg

Regional Norte e empresários dos setores

de cerâmica vermelha, laticínios e

confecções, as ações a serem realizadas

em 2017.

O programa beneficia empresas

de confecções em Espinosa, onde 19

empresas estão sendo assistidas, 19 em

Taiobeiras e sete em Montes Claros. No

setor de cerâmica, 17 empresas instaladas

no Norte de Minas estão sendo

beneficiadas e, no setor de laticínios,

são dez empresas de produção de queijos

do município de Porteirinha.

Cerca de meio milhão de reais em

ações de consultoria, capacitação de

empregados e empresários das indústrias

desses segmentos, estão sendo

investidos pela FIEMG nas ações que

aconteceram em 2016 e nas que acontecerão

agora

em 2017. O foco

é contribuir com

a melhoria dos

resultados das

empresas através

da redução de

custos, melhoria

dos processos e

da gestão administrativo-financeira

e busca do

aumento da produtividade,

além

de melhores resultados operacionais

com aumento da competitividade da

indústria norte-mineira desses setores.

Outras ações do PCIR permitem a

realização de missões empresariais e

visitas a feiras setoriais do interesse do

empresário.

www.acimoc.com.br | 25


A G E N D A

O Café com Elas é uma das

primeiras ações da gestão

do Dr. Newton Figueiredo

e visa mobilizar a mulher

empreendedora junto a

ACI, com palestras e projetos

específicos para elas.

Neste primeiro evento, no

dia 17 de maio, teremos

um café da manhã, seguido

de uma palestra com a

coaching Vanessa Narciso,

com o tema “A Síndrome

da Supermulher”, conforme

artigo ao lado.

O evento é gratuito e será

das 8H às 10h, no salão do

Automóvel Clube. Venha

fazer parte deste momento

de networking e troca de

ideias com outras mulheres

empreendedoras como

você! Inscreva-se: (38)

2101-3310.

Master Coach de Líderes,

Carreiras e Negócios.

Trainer de programas

de desenvolvimento

comportamental. Profissional

com sólida

formação nas áreas de

desenvolvimento humano,

com certificações

na Brian Tracy Internacional,

Fundação Getúlio

Vargas, Ohio University

(USA) e Behavioral Coaching

Institue (USA)

A Síndrome

da Supermulher

Homens e mulheres

vivem diariamente

a batalha de dar

conta de todas

as atividades e

responsabilidades

assumidas dentro

das 24 horas do dia

Para as mulheres o fardo

parece ainda mais pesado.

Além de fazerem malabarismos

para equilibrar os diversos

papéis que desempenham, a

maioria ainda vive uma batalha

interna gigantesca, em que

predominam a autocobrança, o

stress e a frustração.

É muito comum no universo

feminino, o desenvolvimento da

Síndrome da Supermulher. Essa

expressão deu nome ao livro

The Superwoman Syndrome,

da psicóloga e coach Marjorie

Hansen Shaevitiz.

As mulheres que sofrem

dessa síndrome apresentam as

seguintes características:

▶▶Acreditam que é responsabilidade

sua que todos se sintam felizes e satisfeitos;

▶▶Tem muita dificuldade em dizer

“não” e acabam assumindo mais responsabilidades

e compromissos do

que realmente dariam conta;

▶▶Não tem tempo para cuidar de si e

perdem suas aspirações;

▶▶Embora sejam competentes, não

possuem autoconfiança;

▶▶Tentam resolver os problemas dos

outros, em vez de deixar que as pessoas

se desenvolvam;

▶▶Geralmente encontram-se em

níveis altíssimos de stress, desenvolvem

ansiedade e outros problemas

psicológicos até mais graves.

E não só as mulheres que conciliam

carreiras e famílias estão sujeitas à síndrome.

Mesmo as que não têm filhos,

maridos, ou as que não trabalham

podem apresentar esses sintomas.

As mulheres que se identificaram

com as características que apresentei,

devem confrontar as suas crenças

pessoais, que estão fazendo com que

se sintam responsáveis por tudo e por

todos.

É importante também refletirem

sobre quais são os aspectos da sua vida

que estão sendo deixados de lado, e

quais consequências negativas isso

pode acarretar.

Entender suas motivações, seus

valores e seus objetivos pessoais irá

ajudá-la, assim como buscar o fortalecimento

da autoestima, o autorrespeito

e a autoconfiança.

Nos meus trabalhos de Coaching

com empresárias e executivas, tenho

me deparado diariamente com mulheres

nesta situação. Realizo uma abordagem

que começa pela definição dos

seus objetivos e prioridades, tanto para

sua vida profissional, quanto familiar

e pessoal.

Com estes aspectos bem claros e

definidos, auxilio a cliente na administração

inteligente do seu tempo, com

planejamento de atividades e agenda

bem estruturada e eficiente.

Trabalhamos também os aspectos

estressores e limitantes, e elaboramos

estratégias para lidar com cada um

deles.

Então juntas elaboramos um projeto

de vida familiar, estabelecendo objetivos,

rotinas e atividades compatíveis

com sua estrutura atual.

Ao estruturarmos sua área pessoal,

partimos para sua área profissional.

Identificamos os objetivos profissionais,

desenvolvemos as competências-

-chave para que ela alcance a posição

que deseja e desenhamos o seu plano

de carreira.

Ao final desse trabalho, ela percebe

que ao percorrer o caminho necessário

para atingir seus objetivos, ela está

realmente assumindo o controle da

sua vida e do seu destino.

O mais bonito de tudo isso, é entender

também que algumas de nós

vamos encontrar satisfação na nossa

vida familiar, outras em suas carreiras,

e outras conciliando as duas coisas.

Cada uma de nós possui a capacidade

de definir e percorrer o seu

caminho para a sua realização. Ela é

sua!

26 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 27


A R T I G O

Dispensa do

Empregado Portador

de Doenças Graves e

Estigmatizadas

Arrimado em

preceitos e princípios

constitucionais

em vigor, o Tribunal Superior do Trabalho

publicou em setembro de 2012, a Súmula

443, que veio consolidar um entendimento

jurisprudencial já predominante nos Tribunais

pátrios e no próprio TST, no sentido de

considerar presumidamente discriminatório

o ato de dispensa de trabalhador acometido

por doença grave, que cause estigma ou

preconceito, como é o caso dos pacientes

portadores do vírus HIV.

Nos termos da referida súmula

tem-se que:

DISPENSA DISCRIMINATÓRIA.

PRESUNÇÃO. EMPREGADO

PORTADOR DE DOENÇA

GRAVE. ESTIGMA OU

PRECONCEITO. DIREITO À

REINTEGRAÇÃO. Presumese

discriminatória a despedida

de empregado portador de HIV

ou de doença grave que suscite

estigma ou preconceito. Inválido

o ato empregado tem direito à

reintegração no emprego.

*Especialista em Direito Processual Civil e do Trabalho

pela Universidade Estadual de Montes Claros -

UNIMONTES. Advogada graduada pela Universidade

Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Sócia do

Escritório de Advocacia “Lopes, Aquino & Cambuí

Sociedade de Advogados”. Professora nas cadeiras

de “Direito Empresarial” e “Relações de Trabalho” das

Faculdades Prisma.

E-mail:gislayne@lcpwadvogados.com

Extrai-se, pois que nos casos tratados

especificamente pela Sumula

443/TST, a qual por analogia abrange

também as doenças graves que acometem

os indivíduos, inclusive câncer

e doenças degenerativas, o ato

de dispensa do trabalhador somente

poderia ocorrer de forma motivada,

excepcionando a regra geral estabelecida

pela CLT que preconiza a dispensa

por justa causa.

O assunto veio à baila cercado por

calorosas discussões entre doutrinadores

sobre a coerência da aplicação

da decisão judicial no ambiente laboral,

especialmente quanto ao encargo

do empregador em demonstrar

a legalidade do seu ato rescisório,

mesmo nas despedidas imotivadas,

ainda que, à luz do texto sumular, a

presunção de discriminação seja relativa.

Trouxe ainda consigo divergências

doutrinárias sobre a sua aplicabilidade,

especialmente quanto ao trabalhador

acometido com o vírus HIV,

pois para muitos a “estabilidade de

emprego” advinda com o texto sumular,

fere princípios constitucionais e

o direito postetativo do empregador

em dispensar o empregado de forma

imotivada.

Nesse passo, correntes teóricas

contrárias à aplicação da súmula

443 do TST, sustentam como válida

a dispensa do portador do vírus HIV,

por considerarem sem amparo legal o

pedido de reintegração de tal trabalhador,

por se tratar de simples portador

do vírus, mesmo sendo unânimes

atualmente os entendimentos que a

consideram discriminatória.

O ordenamento jurídico brasileiro

por sua vez, é norteado por princípios

constitucionais de elevado

valor para o Direito, dentre os quais

sempre se destaca a Dignidade da

Pessoa Humana e O Valor Social do

Trabalho – este ultimo pela importância

que detém na cadeia produtiva

do país e ainda porque fundamentam

a República e o Estado Democrático

de Direito, ambos insculpidos na

Constituição Federal/88.

A preocupação em abordar este

assunto reside no fato de que muito

embora publicada ainda no ano de

2012, o empresariado pode desconhecer

o seu teor e potencial danoso

relacionado às dispensas envolvendo

este tipo de trabalhador, em especial

porque ainda que o mesmo seja considerado

apto pela Previdência Social,

a dispensa imotivada, ou seja, sem

justa causa, poderá resultar, acaso

acionada a Justiça do Trabalho, em

reintegração ao trabalho e até condenação

do empregador em indenização

civil por ato discriminatório.

A questão envolvendo dispensas

desta natureza merece uma análise

detida, crítica e bem orientada, com

fim de evitar declaração de sua nulidade

e consequentes prejuízos para

o empregador.

20 ANOS DA CONTREI

EM MONTES CLAROS.

(38) 3224-7461

R. Carbono, 168 | Vila Brasília | Montes Claros/MG

28 |Revista da ACI | Março de 2017

www.acimoc.com.br | 29

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!