Views
1 year ago

PUBLICACAO_GENERO_FINAL

54 Aí foram insultos

54 Aí foram insultos atrás de insultos, e isso verdadeiramente me irritou demais. Eu tenho esse problema de ter dentes grandes; a menina disse coisas terríveis sobre eles. Daí não teve mais jeito, não consegui mais me controlar, perdi a paciência, pulei da cama e gritei a ela que meus dentes me ajudariam a comê-la melhor. Agora entendam isto: nenhum lobo consegue comer uma criança pequena. Isso não existe. Não é verdade. Todo mundo sabe disso. Porém, esta menina louca começou a correr pela casa inteira gritando, eu corri atrás para tentar acalmá-la, porque daquele jeito ela assustaria qualquer um que passasse por ali. Tirei a roupa que sua vovozinha havia emprestado a mim, com isso só piorei a situação. De repente, a porta se abriu bruscamente, um lenhador gigantesco que ouviu os gritos da menina apareceu com uma arma em suas mãos. Quando o vi, me dei conta de que estava em perigo. Tinha uma janela aberta bem próxima a mim, nem pensei duas vezes, saltei por ela e fugi dali. Desde então, todo mundo passou a ter medo de mim. Nunca imaginei que uma menina que se mostrava tão graciosa pudesse causar tamanho estrago na vida de alguém. Nunca mais tive sossego em minha vida. Passo a vida a fugir das pessoas, eu tenho medo delas, e elas de mim. Tentam matar-me a qualquer custo. Não tenho paz em minha própria casa, ou melhor, minha própria floresta. Não pude mais viver feliz depois disso.

55 DINÂMICA DO OPRESSOR/OPRIMIDO Objetivo: Perceber como em nossas relações assumimos “papéis” de opressor/ oprimido. Materiais: Música agitada. Desenvolvimento: 1. O grupo fica em círculo com uma música agitada ao fundo. 2. Iniciar a atividade com uma pessoa indo para o meio do grupo (com expressões corporais que demonstrem alguma “forma” de oprimir). Em seguida, outra pessoa entra para oprimir aquele/a que está no meio – que neste momento se torna oprimido, e assim sucessivamente, até que todos/as tenham sidos opressores/oprimidos. 3. Voltar para reflexão/discussão em grupo. Como se sentiram sendo opressores? E oprimidos? Qual foi mais “fácil”?

Justiça e Educação em Heliópolis e Guarulhos: parceria
Política, Direitos, Violência e Homossexualidade - Núcleo de ...
Trabalhando com Mulheres Jovens: Empoderamento ... - Promundo
DIKE final.indd - APAV
cartilha da CAMTRA
zPwNsW
o_19kpqb0qb4gre0k1n001neqskva.pdf
Amor & Sexo: feminismos, sexualidades e o contra-agendamento da mídia
A questão de gênero nas decisões dos tribunais penais internacionais
O Casal Homossexual - Maria de Fátima Ferreira PREVIEW
Antropologia e sexualidade - Miguel Vale de Almeida.pdf
Cerberus Magazine - Edição Zero
Mulheres
revista
85_85_af_ajd_
Crimes motivados pelo preconceito: 2009
saúde sexual e reprodutiva de mulheres imigrantes africanas e ...
NO CORPO - Inteligência
O Projecto Público no Processo de Arquitectura Paisagista
PREVENÇÃO E ATENÇÃO À VIOLÊNCIA ... - Instituto Avon
DIRETORIA OABSP
Questões de Sexualidade - Institute of Development Studies
Julho/Setembro de 2007 - Ano 4 - Nº 8 - Ministério Público do ...
MULHER, GêNERO - Mulher Democrata
elas por elas- agosto 2009_Elas por elas revista - ive minas
Relatório sobre a Situação da População Mundial 2012
Cartilha Direitos Sexuais MIOLO.indd - BVS Ministério da Saúde
7o5PBA3WC
Revista Saude Bem Estar