Views
11 months ago

GAZETA DIARIO 288

08 Geral Fábio Campana

08 Geral Fábio Campana Hora dos crápulas Este grave momento da vida nacional deverá passar à história como aquele em que a irresponsabilidade e o oportunismo prevaleceram sobre o bom senso e sobre o interesse público. Tudo o que se disser agora sobre os desdobramentos do terremoto gerado pela delação do empresário Joesley Batista, em especial no que diz respeito ao presidente Michel Temer, será mera especulação. Mas pode-se afirmar, sem dúvida, que a crise é resultado de um encadeamento de atitudes imprudentes, tomadas em grande parte por gente que julga ter a missão messiânica de purificar a política nacional. A consequência é a instabilidade permanente, que trava a urgente recuperação do País e joga as instituições no torvelinho das incertezas - ambiente propício para aventureiros e salvadores da pátria. A teia da JBS e o poder dos irmãos Joesley e Wesley Batista foram muito além do que foi divulgado até agora. Vão explodir delações que atingem mortalmente, pela ordem, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT), o ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) e o ex-chanceler e ex-presidenciável José Serra (PSDB). Os valores são de tirar o fôlego e surgirão nomes que até aqui vinham passando ilesos. Imunidade completa Nem denúncia criminal, nem tornozeleira eletrônica, nem prisão. A imunidade dos irmãos Batista será completa, segundo o que dizem as fontes próximas dos executivos. E como se já não fosse muito, a dupla poderá continuar no comando de suas empresas. Absurdo Em retribuição a esse perdão, tipo negócio de pai para filho, Joesley combinou entregar as gravações com Michel Temer e Aécio Neves e os negócios ilegais feitos pela companhia (?). A multa, que ainda não é definitiva e pode sofrer alteração, para mais ou para menos, tipo pesquisa do Ibope, é de R$ 250 milhões. Lá também Os Estados Unidos, novo lar dos Batista, também costumam dar imunidade para empresas que se "autodenunciam" e entregam provas, um facilitador que está ajudando muito a JBS nas negociações que estão em curso com as autoridades americanas. Hoje, quase metade da produção global do grupo está nos Estados Unidos. Rocha Loures no Brasil Após curta passagem por Nova York, Rodrigo Rocha Loures voltou ao Brasil. Chegou cedo e se mandou do aeroporto sem falar com a imprensa, mas deu tempo de ouvir alguns gritos de "ladrão", de pessoas que o reconheceram. Seu advogado, Daniel Kignel, também não quis conversa, avisou apenas que primeiro quer conversar com seu cliente e se inteirar dos fatos para depois declarar qualquer coisa. Pela renúncia O deputado Luciano Ducci (PSB) defendeu a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização de eleições diretas, após vir à tona as denúncias de que o presidente pagou mesada para garantir o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha na Operação Lava Jato. "A solução passa por medidas drásticas que terão que ser tomadas pelo Congresso ou pelo TSE. As evidências expostas pela imprensa reforçam que não há mais espaço dentro da sociedade para a política da compra de silêncio ou de votos, por meio do toma lá da cá, tal qual se instaurou nessa gestão, nos últimos meses, para votar a qualquer preço as Reformas Trabalhista e Previdenciária", disse. Em reunião No momento em que a denúncia das gravações dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista foram divulgadas pela página do G1 e minutos depois pela TV Globo, por volta das 19h30, o presidente estava em seu gabinete junto com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, discutindo as possíveis alterações na medida provisória do Refis, quando o secretário da Comunicação, Márcio de Freitas, entrou com celular nas mãos mostrando a notícia. Minutos depois já estavam no gabinete presidencial os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Secretaria do Governo, Antônio Imbassahy, que acompanharam até o final da noite a repercussão da notícia. ENCONTRO Da Assessoria Reportagem Foz do Iguaçu, segunda-feira, 22 de maio de 2017 Foz do Iguaçu sedia debates sobre engenharia e segurança de redes Com inscrições gratuitas, encontro promovido pelo NIC.br acontece nos dias 25 e 26 de maio Foz do Iguaçu receberá especialistas nacionais e internacionais para debates sobre tendências no setor de engenharia e segurança de redes. Promovido pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), o 43º Encontro do Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes (GTER) e o 29º encontro do Grupo de Trabalho em Segurança de Redes (GTS) acontecerá nos dias 25 e 26 de maio, no Bourbon Cataratas Convention Spa Resort. Os interessados devem inscrever-se gratuitamente no sítio do evento, onde também será possível acompanhar a transmissão on-line. O GTER e o GTS são grupos de trabalho criados pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) que se reúnem duas vezes por ano, desde 1994, para discutir e compartilhar informações sobre aplicações e experiências que envolvem o setor de tecnologia de engenharia e segurança de redes no Brasil. Neste primeiro encontro do ano, engenheiros, administradores de redes, analistas de segurança, gestores de TI, estudantes, especialistas e demais interessados na dinâmica de operação e funcionamento da internet no Brasil estarão reunidos em Foz do Iguaçu. Os destaques da programação do GTER, que será realizado no dia 25 de maio, são as palestras sobre Communities BGP e as novas funcionalidades nos servidores de rotas do IX.br; boas práticas e cooperação na luta contra abusos de rede, além da divulgação de novidades sobre os cursos de IPv6 do NIC.br. Já no GTS, em 26 de maio, haverá debates sobre os novos problemas e propostas de solução do combate ao spam em IPv6; segurança em APIs externas de uso mobile; integração de redes de sensores para a segurança pública, entre outros assuntos. Sobre o núcleo O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR - NIC.br é uma entidade civil, de direito privado e sem fins de lucro, que implementa as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet Edição anterior do evento do Grupo de Trabalho na semana da infraestrutura no Brasil. São atividades permanentes do NIC.br coordenar o registro de nomes de domínio - Registro.br estudar, responder e tratar incidentes de segurança no Brasil, estudar e pesquisar tecnologias de redes e operações, produzir indicadores sobre as tecnologias da informação e da comunicação, implementar e operar os Pontos de Troca de Tráfego, viabilizar a participação da comunidade brasileira no desenvolvimento global da Web e subsidiar a formulação de políticas públicas, e abrigar o escritório do W3C no Brasil O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) é responsável por estabelecer diretrizes estratégicas relacionadas ao uso e desenvolvimen- to da Internet no Brasil, coordena e integra todas as iniciativas de serviços de internet no País, promovendo a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados. Com base nos princípios do multissetorialismo e transparência, o CGI.br representa um modelo de governança da internet democrático, elogiado internacionalmente, em que todos os setores da sociedade são partícipes de forma equânime de suas decisões. Uma de suas formulações são os 10 Princípios para a Governança e Uso da Internet (http:// www.cgi.br/principios). A agenda completa do evento pode ser consultada no site http:// gtergts.nic.br/. R

Foz do Iguaçu, segunda-feira, 22 de maio de 2017 SHOW Cidade 09 Vertedouro aberto: espetáculo das águas está de volta à Itaipu Há mais de seis meses não havia vertimento na usina, que mantém a produção em alta DI Itaipu Reportagem Divulgação Fotografia Depois de mais de seis meses fechado ininterruptamente, o vertedouro da hidrelétrica, na fronteira do Brasil com o Paraguai, abriu na madrugada deste domingo, 21. Para a alegria dos turistas, o espetáculo das águas deve continuar até quarta-feira, 24. O vertimento ocorre quando sobra água usada na produção de energia. Mesmo operando com carga máxima e batendo sucessivos recordes de produção, agora, Itaipu está tendo sobra de água, sem prejuízos para a geração. A abertura do vertedouro se deve às chuvas registradas na região do reservatório. O vertimento, por volta das 12h30, era de 1.414 metros cúbicos de água por segundo, o equivalente à vazão média, em período de cheia, das Cataratas do Iguaçu. O atrativo do Rio Iguaçu desagua no Rio Paraná, onde está instalada a usina. O vertedouro serve para escoar a água em excesso que chega ao reservatório durante o período de chuvas. Observar o vertedouro em atividade, entre os meses de dezembro e fevereiro, quando as comportas de aço são abertas durante o período de chuvas. A abertura do vertedouro não atende a um cronograma pré-determinado. Está diretamente ligada ao nível do lago. Quem tem a sorte de acompanhar o escoamento da água pelas três calhas assiste um espetáculo inesquecível. A vazão do vertedouro de Itaipu é Cada calha do vertedouro equivale à vazão de uma Cataratas do Iguaçu Vertedouro da Itaipu aberto visto do Mirante Central, lado brasileiro equivalente a 40 Cataratas do Iguaçu. Esse dilúvio despenca de um tobogã de 30 metros para formar um regurgito de 10 metros e, finalmente, voltar ao leito rochoso do Rio Paraná, a 40 metros de profundidade. Em 2016, o vertedouro ficou aberto ininterruptamente de 22 de fevereiro a 30 de março. Foram 40 dias de abertura sem fechamento. Depois disso, o vertedouro tem sido aberto em várias ocasiões, mas apenas de forma esporádica. A Itaipu opera normalmente na cota 219,70 metros acima do nível do mar. A variação normal oscila entre 218,30 a 220,30 metros. Acima desse valor, geralmente há vertimento. A produção se mantém em alta para um domingo, com geração entre 10 mil e 11 milhões de megawatts. Produção Desde o início do ano, Itaipu já produziu até às 13h deste domingo, 37.896.021 milhões de megawatts-hora (MWh) ante 40.102.198 MWh em 2016, o melhor ano operacional da usina, quando Itaipu superou 100 milhões de MWh e bateu recorde mundial de 103 milhões de MWh. Esse volume atenderia o consumo de eletricidade do Brasil por um mês e do Paraguai, por dois anos e meio. No ano passado, a empresa respondeu por 17% do consumo de energia elétrica do mercado brasileiro e 76% do paraguaio. Turismo na Itaipu Ficou interessado em visitar a usina e ver o vertedouro aberto? Informações e reservas no site do Complexo Turístico I t a i p u (www.turismoitaipu.com.br) ou pelos telefones 0800 645 4645 e +55 45 3529-2892. F