“hora H”? E de onde surgiu a palavra “brigadeiro”? - Ambep

ambep.org.br

“hora H”? E de onde surgiu a palavra “brigadeiro”? - Ambep

ambep

ASSoCIAÇÃo de MANTeNedoReS-BeNeFICIÁRIoS dA PeTRoS

ReVISTA dA

eNTReVISTA

eleições: a hora

da decisão

FIqUe PoR deNTRo

retirada de patrocínio

e separação de massas

ANo 1 | Nº 2 | JULHo/AGoSTo de 2012

Fundada em 14 de outubro de 1981

A Petrobras

ontem e hoje

Diferentes gerações contam o que

mudou na empresa que se transformou

em uma das maiores do mundo

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 1


Você tem todo o direito

de ser feliz.

O Programa de Assistência

Jurídica da AMBEP (Projur) tem

advogados credenciados em

todas as especialidades para

atendimento dos associados em

suas diferentes necessidades

até o acompanhamento de

ações judiciais, auxiliando-os na

busca pelos seus direitos.

Entre em contato com a

Representação mais próxima

projur

programa de assistencia juridica da amBep


6 vida

A AMBEP vem acompanhando com bastante apreensão

o desenrolar dos últimos acontecimentos relacionados

ao Plano Petros de Benefício Definido. Desde

março de 1997, quando o Conselho de Administração

da Petrobras tomou medidas para desvincular os aumentos

das aposentadorias e pensões do aumento do

pessoal da ativa – rompendo, unilateralmente, o contrato

firmado com os participantes – novas ações vêm

sendo tomadas no sentido de acabar com o Plano Petros

BD (Ata CA 1.109, item 7, de 20-03-97, Pauta 30).

Assim, um entendimento entre a Petrobras e a Federação

Única dos Petroleiros (FUP) gerou a reabertura

da repactuação para aqueles que optaram pela mudança

de regime do Plano Petros, o que pode vir a acabar de

vez com o Plano Petros BD. Paralelamente, ficou afetada

a credibilidade dos estudos da Fundação sobre a

segurança dos investimentos, quando veio a público a

aplicação de R$ 80 milhões no Banco Cruzeiro do Sul,

atualmente sob intervenção. Sobre o assunto, a AMBEP

espera mais esclarecimentos da Fundação. Acrescente-

-se a isso as insistentes controvérsias, entre especialistas,

relacionadas com a construção da hidroelétrica de Belo

Monte, na qual também há investimentos da Petros.

Não bastasse, está em estudo a separação de massas

entre os recursos dos repactuantes e não repactuantes

do Plano Petros BD, a qual já é objeto de ação

de mandado de segurança que, por ora, está parado

12 mais

ambep

GAúCHoS eM FeSTA

Representação de Porto

Alegre completa 18 anos e

está com sede nova

editorial

luta em deFesa dos direitos

ativa

CéReBRo TAMBéM

PReCISA Se exeRCITAR

Saiba como cuidar bem da

sua memória

índice

em Brasília. Diversas ações de participantes da Petros

que postulam seus direitos frente às desigualdades de

reajustes entre ativos e aposentados não repactuantes

aguardam decisão do Supremo Tribunal Federal em

uma ação de Repercussão Geral.

Finalmente, em data recente, o Conselho Nacional

de Previdência Complementar resolveu editar uma

nova resolução, tratando da retirada de patrocínio dos

fundos de pensão, cujo texto traz graves proposições,

que facilitam a retirada de patrocínios pelas empresas

que têm fundo de pensão complementar, com evidente

prejuízo para os participantes. Até o momento,

a resolução não foi aprovada, face à manifestação dos

participantes e associações, chegando a mais de 2.400

emendas propostas.

A Diretoria da AMBEP entrou com ação para participar

do grupo formado por Petrobras e pela FUP

para discutir a separação de massas e a reabertura da

repactuação. Também assinou carta enviada ao ministro

da Previdência com críticas e sugestões à nova resolução

do Conselho Nacional de Previdência Complementar

sobre a retirada de patrocínio.

Por todas essas razões, a Diretoria da AMBEP vem

alertar seus associados sobre a necessidade de se unirem

e se manterem atentos para a luta em defesa dos

seus direitos.

A Diretoria

10

capa

PARA A VIdA TodA

As mudanças na Petrobras ao

longo do tempo contadas por

quem fez e faz parte dela

ReVISTA dA

ambep

ÓRGÃo de INFoRMAÇÃo dA AMBeP – ASSoCIAÇÃo

de MANTeNedoReS-BeNeFICIÁRIoS dA PeTRoS

Diretor Responsável: Írio Augusto Paes Leme • AMBEP - Rua Álvaro Alvim, 21 / 6º

e 8º andares, Centro - Rio de Janeiro. Tel.: 3212-3600 - revista@ambep.org.br

• Edição: Monte Castelo Idéias (Av. Rio Branco, 20 / 11º andar - Centro - Rio

de Janeiro - RJ - Tel: (21) 3232-4600 - contato@montecastelo-ideias.com.

br) • Jornalista Responsável • Gisele Macedo (MTb 21435-RJ) • Projeto

Gráfico: Monte Castelo Idéias • Impressão: Ediouro • Distribuição: Realizada

através da EBCT • Tiragem: 34.000 exemplares • Periodicidade: Bimestral •

As matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores.

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 3

LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS


4 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

espaço petrobras

Petrobras é a maior emPresa

da américa Latina

A Petrobras é a líder, pelo terceiro

ano consecutivo, do ranking

das 500 maiores empresas da América

Latina, divulgado pela revista

AmericaEconomia. A lista considerou

o valor de vendas líquidas, em

dólares, das empresas da região no

exercício terminado em dezembro

de 2011.

A companhia brasileira alcançou

o primeiro lugar com um faturamento,

em 2011, de mais de

US$ 130 bilhões. Em segundo

lugar, está a petroleira venezuelana

PDVSA, seguida da mexicana

Pemex. O setor de petróleo e gás

está representado por 39 empre-

REPoRTAGEM ExTRAÍDA DA AGênCIA PETRoBRAs DE noTÍCIAs

sas do ranking e ocupa cinco dos

dez primeiros lugares. A subsidiária

da Petrobras, Petrobras Distribuidora,

é a sexta colocada da

espaço petros

lista, com faturamento superior a

US$ 39 bilhões.

A revista AmericaEconomia,

editada mensalmente, traz a cobertura

do mundo dos negócios

sob a perspectiva latino-americana,

com edições locais para os

mercados brasileiro, peruano,

mexicano, chileno e equatoriano.

O ranking das 500 maiores é formulado

pela unidade de análise e

estudos da publicação, America-

Economia Intelligence. Para a lista

deste ano, a unidade teve como

fontes a consultoria Economatica,

bolsas de valores, órgãos oficiais e

as próprias empresas.

inscrições abertas Para o concurso de contos

Estão abertas até dia 31 de agosto

as inscrições para o XII Concurso de

Contos Petros. Todos os participantes

e assistidos, independentemente

do plano, podem participar. Com a

iniciativa, a Fundação quer incentivar

o gosto pela literatura e a descoberta

de novos talentos. O tema é livre e

cada concorrente poderá inscrever

até três contos, mas apenas um pode

ser classificado.

Os contos deverão ter no máximo

12 mil caracteres – aproximadamente

cinco laudas de computador, em fonte

Arial, corpo 12. No ato de inscrição,

o participante terá de entregar quatro

vias do texto original, com título e indicação

de pseudônimo, acompanhado

de uma ficha técnica com o título

do conto, nome completo do participante,

número da matrícula Petros,

pseudônimo, endereço completo, telefones

comercial, residencial e e-mail.

Os contos podem ser enviados via

e-mail, anexando a ficha de inscrição

e os textos na mesma mensagem, para

concursodecontos@petros.com.br.

Quem optar pela versão impressa

pode entregar pessoalmente ou por

correspondência para a Gerência de

Comunicação e Relações Institucionais

– XII Concurso de Contos

Petros, no endereço: Rua do Ouvidor,

98 – 6º andar, CEP 20040-030,

Centro, Rio de Janeiro/RJ.

Os dez primeiros colocados terão

seus contos publicados em um livro

organizado pela Petros e receberão,

cada um, 50 exemplares da obra.

Além disso, serão contemplados com

uma coleção de mestres da Literatura

Brasileira.

As MATéRIAs PuBLICADAs nEsTE EsPAço são DE ToTAL REsPonsABILIDADE DA GERênCIA DE CoMunICAção E RELAçõEs InsTITuCIonAIs DA PETRos


De todas as incertezas dos associados

da AMBEP, a maior é sobre o

quanto ainda deverão esperar para

ter o resultado dos seus processos

judiciais. Podemos afirmar, com

certeza, que uma das partes sempre

vai querer o andamento lento

do processo judicial. No caso dos

processos contra Petrobras e Petros,

esta vontade não pertence aos seus

aposentados e pensionistas.

Em uma entrevista publicada no

jornal o Globo, de 15 de julho de

2012, o ministro João Orestes Dalazen,

presidente do Tribunal Superior

do Trabalho (TST), quando perguntado

por que as estatais estão no topo

dos devedores na Justiça do Trabalho,

respondeu: “Há uma resistência

injustificada de certos devedores no

cumprimento das sentenças trabalhistas

definitivas, em especial de

algumas estatais, principalmente a

Petrobras. A empresa é uma das que

mais resistem ao pagamento de dívidas

trabalhistas, além de ser uma

das que mais interpõem recursos.

plenária

o ATRASo

doS PRoCeSSoS

JUdICIAIS

Todos estão preocupados com a inércia da Petrobras

em pagar seus créditos. Devemos investir todos os

esforços para que os aposentados, pensionistas e ainda

os ativos tenham solução para seus processos judiciais.

Há execução da Petrobras que se

iniciou em 1980 e ainda tramita na

Justiça. São 660 execuções da estatal

iniciadas há mais de dez anos.

Esses dados indicam que, no fundo,

a União é o seu próprio tormento:

por que uma empresa do porte e

prestígio da Petrobras mantém essa

postura de exacerbado amor à litigiosidade?

Isso vem em detrimento

da própria União, que suporta

todos os encargos de custear uma

máquina pesada como a Justiça do

Trabalho só para dar satisfação ao

crédito. Para não falar na frustração

de um credor que aguarda décadas

para receber de uma empresa estatal

que deveria dar o exemplo”.

Das declarações do presidente

do TST se pode tirar, no mínimo,

uma conclusão: todos, indistintamente,

estão preocupados com a

inércia da Petrobras em pagar seus

créditos. É lógico que talvez possamos

pensar na Petros, mas devemos

ter em mente que a Petros é totalmente

capitaneada pela Petrobras,

MARCeLo dA SILVA

AdVoGAdo dA AMBeP

e disso não se tem dúvidas, portanto,

a Petros fará o que a Petrobras

determinar, daí o engessamento em

que vive a fundação.

Na verdade, não podemos entender

esse posicionamento da Petrobras

que não ajuda em nada, nem

mesmo a ela, que já é vista, como se

notou pela resposta acima, de forma

negativa, uma vez que todos os

magistrados já têm em mente que a

Petrobras de tudo fará para evitar o

pagamento de suas dívidas, mesmo

que judicialmente reconhecidas.

Não podemos nos conformar

com essa situação e devemos investir

todos os esforços para que os

aposentados, pensionistas e ainda

os ativos tenham solução para seus

processos judiciais.

A diretoria da AMBEP está atenta

a todas essas manobras, e fazemos

tudo o que está ao nosso alcance

para tentar eliminar essas atitudes e

fazer com que, finalmente, os processos

cheguem ao final que todos

esperam.

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 5


BANCo de IMAGeNS

6 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

vida ativa

CéReBRo

TAMBéM PReCISA

Se exeRCITAR

Manter uma vida saudável e a cabeça sempre

aberta ao aprendizado diminui as chances de

desenvolver doenças da memória

Recente ou mais antiga, não importa:

a memória é fundamental para

cada ação cotidiana que exercemos.

Ligada a diversos sistemas do cérebro,

é composta por uma complexa

coleta de informações (pelos nossos

sentidos e pela nossa capacidade de

pensar) que permite não apenas desenvolver

tarefas corriqueiras, mas

também acordar diariamente sendo

nós mesmos. Com uma função tão

importante, o mínimo que podemos

fazer é cuidar bem dela.

De acordo com Ricardo Novis,

neurologista da Santa Casa de Mi-

sericórdia, no Rio de Janeiro, muitos

confundem as distrações do dia a

dia com problemas de memória. “A

maioria dos pacientes que chega ao

consultório se queixa de coisas que,

na maioria das vezes, têm mais relação

com o déficit de atenção do que

propriamente um problema mais

grave. É importante que as pessoas

estejam concentradas para poder

absorver informação”, esclarece. E

exemplifica: “Normalmente, o que

acontece com estudantes que reclamam

que não memorizaram nada

é porque eles estavam distraídos na

hora do estudo, prejudicando a retenção

daquele conhecimento”.

As doenças que afetam a memória

costumam aparecer com o avanço

da idade. Por isso, para preservá-la, é

importante seguir a famosa receita

de uma dieta balanceada e uma atividade

física regular, pois uma boa

saúde ao longo dos anos contribui

para retardar o aparecimento de problemas.

Para cuidar da memória, o

médico recomenda manter uma vida

intelectualmente ativa. “O cérebro é

como um músculo, quanto mais ele

é exercitado, melhor. A pessoa que

se mantém interessada no mundo, lê,

trabalha, aumenta a área responsável

pelo aprendizado”, recomenda.

Atualmente, os grandes males

que afetam a memória são a demência

vascular e o Alzheimer. “O maior

fator de risco para o Alzheimer é a

progressão da idade. A partir dos 85

anos, aumentam as probabilidades.

Já a demência vascular é a obstrução

de pequenas artérias no cérebro

que pode causar problemas de memória.

Sendo assim, manter a saúde

mental tem a ver com o que a pessoa

fez por si mesma ao longo da vida”,

afirma. Novis diz ainda que, hoje em

dia, há exames e medicamentos que

podem retardar a progressão do Alzheimer

e por isso um diagnóstico

precoce é fundamental. “É preciso

manter o check-up em dia. No caso

de parentes idosos, é necessário observar

se a pessoa está começando a

ter comportamentos fora do padrão

usual, como usar roupas diferentes,

começar a vender seu patrimônio e

não lembrar o caminho de casa, entre

outros”, diz.


LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS

GUINAdA

eM PRoL

doS

CLIeNTeS

Foco principal da AMBEPTur passa a ser

o atendimento aos associados

Pacotes personalizados, com preços

vantajosos e um bom atendimento.

Após passar por uma reestruturação, a

AMBEPTur volta renovada e com foco

total no bem mais precioso da Associação:

o quadro social. “A empresa que tinha

sociedade com a AMBEP na administração

da agência de turismo saiu, e a

AMBEP Seguros passou a unir as duas

atividades: a corretagem e a agência de

viagens, a qual volta totalmente repaginada”,

explica José Luiz de Sousa Gomes,

presidente da AMBEP Seguros.

beneFícios

A agência ficou alguns anos voltada

para o chamado turismo de

negócios, organizando viagens para

empresas e entidades. Agora, a nova

AMBEPTur estará direcionada para

as necessidades dos ambepianos.

“Além de estarmos com uma equipe

parcialmente nova de atendimento,

temos parcerias com as principais

operadoras de turismo. Nosso objetivo

é oferecer pacotes com preços

vantajosos, como o ambepiano merece,

e o mesmo tratamento já con-

Nosso objetivo é

oferecer pacotes

com preços

vantajosos, como o

associado merece

JoSé LUIz de SoUSA GoMeS

PReSIdeNTe dA AMBeP SeGURoS

solidado pela AMBEP Seguros, que

neste ano comemora 24 anos bem-

-sucedidos”, diz Danielle Gil, gerente

comercial da AMBEPTur.

A empresa também está disponível

para organizar as viagens de todas

as Representações do Brasil. “Dentre

o amplo pacote de benefícios que a

AMBEP oferece está o das viagens,

normalmente organizadas pelas Representações,

realizadas para a socialização

e diversão dos associados

em todo o país. Passaremos a cuidar

dessas viagens em grupo, garantindo

todo o conforto e comodidade, além

do preço, é claro”, completa o presidente

da AMBEP Seguros.

Quem quiser cotar preços e solicitar

orientação para o planejamento da

próxima viagem pode entrar em contato

pelo telefone (21) 2113-1000,

2112-1031, e ainda pelo e-mail

turismo@ambep.com.br. O site da

AMBEPTur está sendo reformulado

e deverá ficar pronto até o fim de

agosto.

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 7


O presidente da Comissão Eleitoral da AMBEP, Francisco de Assis de Oliveira Cruz,

tem pela frente uma missão tão importante como trabalhosa: organizar e acompanhar

o trabalho de apuração das eleições da AMBEP e a apresentação do resultado para o

Conselho Deliberativo. Aposentado da Petrobras em 2000, Cruz trabalhou na área de

Recursos Humanos e já exerceu essa tarefa nas eleições passadas, além de ter contribuído

em diversas ocasiões em comissões internas da Associação. Para ele, a votação é o

momento em que os associados demonstram real interesse pela administração estrutural e

política da AMBEP. “É a hora em que eles expressam sua vontade através dos candidatos

e, por isso, uma oportunidade de dizer o que querem, daí a importância de participar.”

REVISTA DA AMBEP: Estas eleições serão para

quais cargos dentro da AMBEP?

Francisco de Assis de oliveira cruz: As

eleições são realizadas a cada três anos para os cargos

de Presidência e Diretoria, além do Conselho Deliberativo

e do Conselho Fiscal. O Conselho Deliberativo

é formado por oito membros e seus respectivos

suplentes, eleitos por oito colégios eleitorais: Aracaju,

Belo Horizonte, Curitiba, Natal, Rio de Janeiro, São

Paulo, Salvador e Santos. Cada colégio eleitoral responde

pelas cidades a eles vinculadas. Por exemplo:

Natal abrange as cidades de Mossoró, Manaus e São

Luiz, além dela própria. Ou seja, o ambepiano que for

votar deve observar quais são os candidatos do seu colégio

e escolher o seu representante no Conselho Deliberativo.

Já o Conselho Fiscal é composto por três

membros, também com seus respectivos suplentes.

Para esses cargos, a votação vai abranger a totalidade

dos associados. Em outras palavras, o eleitor não precisa

escolher um candidato da sua “área”.

Como funciona o processo eleitoral?

Já foram enviados para todos os associados os chamados

“kits de votação”, contendo todas as instru-

8 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

entrevista

A hora da decisão

ções para o voto e a cédula. Cabe ao associado se

informar na Representação mais próxima sobre seus

candidatos ao Conselho Deliberativo. Com todas as

orientações recebidas e a cédula preenchida, o associado

nos manda de volta o seu voto, via Correios.

A postagem é paga pela AMBEP. O prazo final para

envio é 20 de agosto.

Qual a atribuição da Comissão Eleitoral e

quando os associados saberão o resultado das

eleições?

A apuração será feita ao longo do mês de setembro.

Todos os votos são encaminhados para a Comissão

Eleitoral, que eu presido, e é formada por mais dois

membros: Roberto de Alvim Pinheiro e Maria Cecília

Loureiro Archanjo. Nós somos os responsáveis

por tomar todas as providências cabíveis em relação

ao pleito e divulgar as decisões. Os votos são contabilizados

pelas mesas eleitorais, com membros especialmente

designados para isso. Em outubro, haverá

a Assembleia Ordinária para tratar das eleições e a

apreciação do resultado pelo Conselho Deliberativo.

No dia 15 de outubro será divulgado o resultado, e os

eleitos tomam posse no dia 8 de janeiro de 2013.


LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS

Há algum pré-requisito para participar das

eleições?

É preciso ser associado da AMBEP há seis meses,

a partir da abertura do calendário eleitoral. Podem

votar sócios efetivos (aposentados e pensionistas do

Sistema Petrobras, assistidos da Petros); contribuintes

(empregados em atividade no Sistema Petrobras

ou nas patrocinadoras, assistidos ou não da Petros;

anistiados do Sistema Petrobras; empregados em

atividade e aposentados da Petros que manifestem

seu desejo de continuar sendo associados da AM-

BEP); transitórios (empregados da AMBEP ou de

entidades criadas por ela; aposentados que tenham

manifestado o interesse de continuar sendo associados);

remanescentes (aposentados e pensionistas, ex-

-assistidos da Petros que, por saída da patrocinadora,

Participar das eleições

é se interessar pela

administração política

da AMBEP, uma

oportunidade de os

associados dizerem o

que querem

FRANCISCo de ASSIS

de oLIVeIRA CRUz

PReSIdeNTe dA CoMISSÃo eLeIToRAL dA AMBeP

não tenham mais vínculo com a Fundação); e especiais

(beneficiários de associados falecidos que, até

seis meses depois do óbito do titular, tenham feito

sua inscrição como associados).

Qual a importância de participar das eleições?

As eleições falam sobre a integração da AMBEP,

sobre o que a Associação fará para dar as respostas

que o associado deseja. Participar das eleições é se

interessar pela administração política da AMBEP,

uma oportunidade de os associados dizerem o

que querem, expressando sua vontade pelos votos.

Hoje, dos cerca de 34 mil associados, aproximadamente

15 mil participam. Eu acredito que quanto

mais votos houver, melhor será essa representatividade.

Haverá eleições para o Conselho Deliberativo nos seguintes colégios eleitorais: salvador (salvador e Alagoinhas), Belo

Horizonte (Belo Horizonte, Juiz de Fora, são Mateus e Brasília), Curitiba (Curitiba, são Mateus do sul, Itajaí e Porto Alegre)

e Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Caxias, niterói, Petrópolis, Macaé e Campos).

Para os demais colégios onde foi apresentada somente uma chapa, tanto para a Diretoria como para o Conselho Fiscal,

não haverá votação, pois serão consideradas eleitas as referidas chapas de acordo com o estatuto.

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 9


LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS

Há os que começaram na época

da máquina de escrever, lápis, caneta

e papel; outros viram seu cotidiano

mudar com toda a transformação tecnológica

das últimas décadas, bem

como os que acabaram de iniciar sua

trajetória em uma infraestrutura que

faz jus à responsabilidade da empresa

de ser uma das maiores do mundo.

De sua criação, em 1953, até hoje, a

Petrobras mudou e cresceu, acompanhando

a passagem do tempo e as

inovações – assim como seus empregados.

Entre as gerações de ontem e

10 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

capa

Para a

vida toda

Marcio entrou em maio deste ano, e sandra deve se aposentar no fim de 2013

de hoje, apesar das óbvias diferenças,

há em comum a visão da oportunidade

de crescer pessoal e profissionalmente

e o objetivo de cumprir uma

trajetória de longo prazo na empresa.

De acordo com Mariângela Santos

Mundim, gerente de Planejamento e

Avaliação de Recursos Humanos da

Petrobras (25 anos de companhia),

o tempo médio de casa dos empregados

é de 14,7 anos, com idade média

de 42,5 anos, segundo dados do Relatório

Anual de Recursos Humanos de

2011. Ao longo do tempo, a escolari-

As expectativas dos

novos profissionais

da Petrobras e os

desafios de quem

ajudou a construir a

história da empresa

dade dos trabalhadores acompanhou

a automatização do setor. “A Petrobras

mudou muito nos últimos 30 anos.

No passado, tínhamos uma participação

de empregados com nível médio

muito maior. Com a sofisticação dos

processos, foi-se exigindo mais escolaridade

dos técnicos”, explica.

Hoje, o desafio é acabar com o

‘vale’ existente entre o quadro de

pessoal mais antigo e os recém-contratados.

“Na década de 1990, a Petrobras

fez vários programas de demissão

incentivada e não promoveu

muitos processos seletivos públicos,

o que reduziu o número de empregados.

Temos hoje 55% dos empregados

com menos de dez anos de casa,

e o restante tem mais de 20 anos. A

previsão, com as futuras contratações,

é acabar com esse ‘vale’ em cerca

de 20 anos”, afirma Mariângela.

Quando Hugo Vilardo Aloy entrou

na empresa, em 1963, ainda não

eram realizados concursos. Estagiário

em uma empresa de projetos em

economia, chegou recomendado por

um amigo do Conselho Nacional de

Economia, onde cursava pós-graduação,

para ocupar uma vaga no setor

de importação e câmbio. “Fiz uma


prova de admissão para o cargo de

ajudante administrativo, de nível médio,

mesmo já tendo nível superior.

Naquela época, a Petrobras tinha dez

anos, era uma empresa nova, e eu fiz

parte de uma geração, de certa forma,

pioneira” lembra ele, que se aposentou

em 1993, depois de integrar o

grupo que criou o departamento de

comunicação da Petrobras. “Falávamos

em pesquisa de mercado e marketing

quando ainda nem se pensava

nisso no Brasil, importando livros do

exterior”, conta Aloy.

Com a aposentadoria programada

para o fim de 2013, Sandra Regina

Souto Barcelos, técnica de suprimentos

de Bens e Serviços, está completando

32 anos de empresa e afirma que

as mudanças em sua área foram marcantes.

“Eu fiz o concurso por influência

da minha mãe, que desejava que eu

tivesse uma carreira com estabilidade,

e não havia a quantidade de candidatos

de hoje. A maior mudança que eu

vejo é o reforço no treinamento, pois

há muito investimento da empresa em

palestras e cursos, e as pessoas chegam

mais preparadas. Quando eu entrei,

a gente aprendia com a geração mais

antiga, na prática, mesmo”, compara.

Participante do Programa de Preparação

para a Aposentadoria (PPA), Sandra

tem a sensação de dever cumprido.

“Ofereci para a empresa toda a minha

dedicação e meu trabalho, e foi aqui

que conquistei tudo que tenho e construí

minha família”, comenta.

Empregado do Terminal de Paulínia

(SP), o técnico de operações

Rubens dos Santos Gouveia Júnior

está completando 17 anos de empresa

e deve se aposentar no começo de

2013. “Prestei o concurso no mesmo

ano que meu filho mais novo nasceu

e a minha intenção sempre foi

ficar na empresa até me aposentar.

De lá para cá, testemunhei a enorme

mudança tecnológica da parte operacional.

Quando eu entrei, nada era

muito moderno. Hoje contamos com

equipamentos de ponta”, diz o técnico.

“No meu dia a dia, convivo com

pessoas que entraram antes de mim e

não fizeram um processo seletivo até a

nova geração, que chega cheia de gás e,

muitas vezes, atingem cargos de chefia

mais rápido que os antigos”, descreve.

Desde maio trabalhando na área

de Remuneração e Benefícios em

Recursos Humanos, o administrador

Marcio Coutinho, de 28 anos, diz que

entrou na empresa após passar pelo

mercado e se decepcionar. “A Petrobras

me atraiu pela possibilidade de

crescimento e desenvolvimento. Passei

quatro meses no curso de formação

de novos empregados, um investimento

que não é comum em outros lugares”,

afirma. “Existe no senso comum

o discurso de que a nova geração quer

pular de um emprego para o outro,

mas você sente o esforço da companhia

em reter os novos empregados e

reverter essa tendência”, acredita.

Vindo do mesmo curso de formação

de Marcio, Edson Almeida é

recém-contratado na área de Abastecimento

e vê na companhia a possibilidade

de uma progressão rápida. “Tenho

49 anos e já vim com uma grande

experiência no mercado. Busquei a

Petrobras pelo desejo de voltar ao Rio

de Janeiro, depois de uma longa passagem

pelo Rio Grande do Sul. Quero

aproveitar o tempo que ainda terei de

trabalho para me desenvolver e acho

que a empresa oferece todas as condições

para os mais antigos e os mais

novos. Basta correr atrás”, anima-se.

conheça

a nova e a velha

geração

Edson é recém-contratado

e quer subir rápido

Rubens veio ao Rio participar do

PPA e viu sua área operacional

se modernizar na última década

Hugo participou da criação da

área de comunicação e vestiu a

camisa da empresa no futebol

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 11

LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS

ARqUIVo PeSSoAL


12 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

mais ambep

Gaúchos em festa

comemora 18 anos, cheia de planos

para a nova sede

FoToS: dIVULGAÇÃo/AMBeP PoRTo ALeGRe Representação de Porto Alegre

A sede atual é a mesma desde 1997

o representante-procurador Generoso Pereira

o representante Luiz Carlos xerxenesky e a funcionária

Tatiane Bittencourt da Rocha

A AMBEP de Porto Alegre está chegando à maioridade.

Além do aniversário em setembro, a Representação

tem outros motivos para comemorar: em breve os

associados terão uma sede nova, na qual a AMBEP deverá

expandir os serviços prestados, como o apoio de

uma assistente social. “A nova sede, própria, é a coroação

do nosso trabalho. Lá, teremos mais espaço e conforto

para atender todos com a mesma dedicação de sempre”,

afirmou o representante procurador, Generoso Pereira, à

frente da Representação desde 2007.

A ideia de implantar a AMBEP no Rio Grande do

Sul começou, na verdade, em Curitiba. Pereira, um dos

fundadores da Associação, há 30 anos, lembra que um

grupo, liderado por José Francisco de Oliveira, iniciou

os trabalhos da AMBEP – com Alberto Vianna Crespo

como primeiro então delegado – em uma sala dentro do

Dispale, como na época, em 1994, era chamada a Gerência

Regional da Petrobras Distribuidora na cidade. Ficaram

nesse espaço até 1997, quando se mudaram para o

prédio ao lado e onde permanecem até hoje, enquanto a

sede nova ainda não fica pronta. “A mudança aconteceu

a partir do próprio crescimento da AMBEP. Hoje, em

Porto Alegre, somos 1.360 associados e 13.460 dependentes,

o que nos torna a quinta maior Representação do

país”, afirma Pereira.

A equipe é composta por dois empregados, os colaboradores

José Carlos Souza Correa e Bronilda Carneiro

Hackbart, e pelos representantes Luiz Carlos Xerxenesky,

Marta Landerdahl Lacau, Alvides Constante Puerari e

Marino Buhr, além de Pereira. Apesar de não haver espaço

na sede atual, os eventos são sempre promovidos no auditório

da Casa dos Bancários, que fica próxima, no Centro.

Além do calendário ambepiano, há duas festas marcantes:

a Semana Farroupilha, comemorada em setembro, e a Comenda

do Flare, da qual a AMBEP é uma das principais

patrocinadoras do encontro anual, celebrado em um belo

jantar de gala. Com muito orgulho, tchê!


a cidade

atrações para todos os gostos

Vista aérea de Porto Alegre Fundação Iberê Camargo

Porto Alegre tem uma combinação de atrações

para deixar todos os tipos de turistas satisfeitos. Programação

cultural, passeios na natureza e uma cena

gastronômica consolidada formam um mix que fazem

a estadia valer a pena. Com orgulho das mais de

um milhão de árvores da cidade e do velho rio Guaíba,

que na verdade é um imenso lago, a capital gaúcha

fica ainda mais animada no segundo semestre, quando

são promovidas grandes feiras de teatro, literatura

e artes visuais, as famosas Porto Alegre Em Cena, a

Feira do Livro (que tem mais de 60 anos) e a Bienal

do Mercosul, em anos ímpares.

Com um transporte público eficiente, o visitante

poderá relaxar e aproveitar a paisagem em alguns dos

parques da cidade, sendo o Farroupilha uma ótima

pedida. No Centro, não deixe de visitar o Mercado

Público e o Santander Cultural, duas preciosidades res-

tauradas. O Mercado data do tempo da escravidão. O

imenso quadrado tem quatro entradas e, na encruzilhada

dos caminhos, diz a lenda, repousa a Pedra do Bará,

um orixá que energiza e protege quem circula por ali.

Outras duas atrações imperdíveis são a Casa de Cultura

Mario Quintana, que funciona no espaço do antigo hotel

onde o autor e tradutor morou, e a Fundação Iberê

Camargo, que impressiona pela sua bela arquitetura.

Em qualquer estação do ano, moradores e turistas

disputam o pôr do sol mais concorrido da cidade, na

Avenida Beira-Rio, perto da Usina do Gasômetro. Lá,

a beleza dos reflexos da luz do fim do dia nas águas do

Guaíba não fica a dever a nenhuma praia paradisíaca.

Para se hospedar, a dica é o charmoso bairro de Moinhos

de Vento, que também reúne bons restaurantes.

Quem aprecia a vida noturna também pode ficar na

Cidade Baixa, que tem opções mais descontraídas.

Parque Farroupilha Pôr do sol na Avenida Beira-Rio

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 13

FoToS: dIVULGAÇÃo


O processo de retirada de patrocínio

da Braskem à Petros tem levantado

dúvidas sobre como é o funcionamento

de um plano de previdência

desde a sua criação e sobre a legalidade

do procedimento. A Braskem

entrou, em 2010, com o pedido de retirada

de patrocínio à Superintendência

Nacional de Previdência Complementar

(Previc), órgão do Ministério

da Previdência Social que é responsável

por regular os fundos de pensão, e

aguarda uma decisão.Esta reportagem

visa esclarecer a situação sob o ponto

de vista jurídico.

De acordo com o advogado Marcelo

da Silva, da AMBEP, as patrocinadoras

são obrigadas por lei a garantir

o benefício a todos os participantes

de seus planos e, em caso de retirada

de patrocínio, devem fazer o aporte

financeiro para garantir o pagamento

desses benefícios. “Os valores que

pagarão as suplementações de aposentadorias

e pensões são acumulados

mediante um plano de custeio,

14 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

Fique por dentro

Retirada de

patrocínio e

separação de

massas: entenda

os conceitos

ou seja, uma estratégia que estabelece

esse acúmulo de valores. A patrocinadora

que quiser se retirar do encargo

tem que fazer o aporte necessário

para o fundo de acordo com o plano

de custeio para garantir as obrigações

assumidas na criação do plano de previdência

fechada”, explica.

PLano de custeio

Ao criar um plano de previdência,

as patrocinadoras devem avaliar

quais benefícios pretendem conceder,

as condições dos participantes e fixar

o plano de custeio, financiado por

aportes iniciais e por contribuições,

que normalmente são mensais. Tal

estratégia vale tanto para os planos

na modalidade de benefício definido

quanto para os de contribuição definida.

O plano estabelecido pelas entidades

de previdência privada determina,

de acordo com a Lei Complementar

109/01, artigo 18, “o nível de contribuição

necessário para a constituição

das reservas garantidoras de benefí-

cios, fundos, provisões e a cobertura

de demais despesas”, de acordo com

os critérios fixados pelo órgão regulador

e fiscalizador – a Previc.

É obrigação da patrocinadora

calcular os compromissos do plano

de benefícios, levando em conta as

obrigações futuras para valores de

hoje. Em outras palavras, o cálculo

deverá apresentar os valores a serem

pagos como suplementação de aposentadorias

e pensões futuras em

valores atuais, e esses valores deverão

ser somados aos valores que já

estão sendo pagos. Assim, os valores

de suplementação de aposentadorias

e pensões que serão devidas no

futuro são somados aos que estão

sendo pagos, e avalia-se a capacidade

do fundo de suportar o montante de

pagamentos, comparando-os com as

reservas existentes. “Se, por exemplo,

os participantes de um plano de benefício

definido passam a viver por

mais tempo, é necessária uma previsão

de mais meses de pagamento de


suplementação, além da revisão das

reservas”, explica o advogado.

suPerávit

Apesar de os fundos de pensão não

terem fins lucrativos, as patrocinadoras

são obrigadas a investir o dinheiro

dos participantes para garantir a saúde

financeira do plano. De acordo com

o artigo 20 da LC 109/01, quando

há excedente nos valores necessários

para o custeio do plano de previdência

privada, a administradora do fundo é

obrigada a constituir uma reserva de

contingência de até 25% das reservas

calculadas como necessárias para o

pagamento das obrigações presentes e

futuras. Feita essa reserva, o valor excedente

deverá constituir uma reserva

especial que, caso não seja utilizada

por três exercícios consecutivos, acarretará

na revisão obrigatória do plano

de benefícios, cuja consequência pode

ser a redução das contribuições. “O

problema é que, geralmente, ocorre

uma divisão desses valores entre a patrocinadora

e os participantes que não

está prevista na lei”, diz o advogado.

retirada de Patrocínio

A retirada ocorre quando uma

patrocinadora desiste de continuar

mantendo um plano de benefícios.

“Essa retirada é um direito da patrocinadora,

mas, antes de acontecer, ela

deve cumprir com as obrigações do

plano e honrar os benefícios de todos

os seus participantes. Isso deve ser feito

a partir de um aporte do valor total

obtido, a partir de um cálculo que leve

em conta as obrigações presentes e futuras”,

explica Silva. O advogado lembra,

ainda, que tal aporte não pode

possíveis modiFicações do plano petros

entenda a

seParação de

massas

marceLo da siLva

A separação de massas em previdência

privada fechada significa

a cisão de dois grupos que tinham

a mesma condição e que agora se

encontram em condições diferenciadas.

Por exemplo: quando o

Sistema Petrobras teve algumas

de suas empresas privatizadas, os

participantes que eram empregados

ou ex-empregados dessas

empresas foram “separados” daqueles

que seguiram ligados ao

Sistema Petrobras.

Essa nova separação de massas

pretendida, ao que tudo indica

pelo que se lê nas publicações da

Federação Única dos Petroleiros

(FUP), diz respeito à separação

entre participantes, aposentados

e pensionistas que aderiram à repactuação

e os que não repactuaram.

Essa separação de massas

seria prejudicial ao plano de previdência

fechada Petros? Entendo

que sim, afinal de contas será

realizada uma cisão entre os participantes

sem, no entanto, haver

certeza dos efeitos para o plano.

ser feito com o dinheiro do superávit

obtido pelos investimentos realizados

pelas patrocinadoras. “Como explicado

anteriormente, o superávit tem

destino certo, que é a revisão do pró-

O plano foi criado para se

autossustentar com um número

determinado de participantes,

os quais, dentro da solidariedade,

deveriam ser indivisíveis, sob

pena de se colocar em risco a

saúde financeira do plano. FUP,

Petros e Petrobras informam que

não haverá modificações no Plano

Petros I. Para que separar as

massas, então? Como poderão

ser separados e conviver dentro

do mesmo plano os repactuados

e não repactuados? É legalmente

permitido? Todas essas perguntas

devem ser feitas para as pessoas

que encabeçam tais modificações

e para nós mesmos, a fim de combater

os exageros e prejuízos.

Temos que estar atentos para

barrar qualquer ato prejudicial. A

AMBEP já protocolou uma ação

judicial, na qual requer sua presença

na mesa de negociações das

possíveis alterações. Participantes,

aposentados e pensionistas

devem estar certos de que novos

termos de adesão vão aparecer,

pois Petrobras, Petros e FUP já

aprenderam que somente com a

adesão dos participantes é que as

reformas podem ser consideradas

definitivas e bem mais difíceis de

serem derrubadas.

prio plano de benefícios. Portanto, a

retirada de patrocínio é possível, mas

não com o uso de superávit do fundo

e, sim, com o dinheiro da própria patrocinadora”.

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 15


16 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

gente daqui

o PeRFoRMÁTICo

PRoFeSSoR PIMeNTA

Você sabe por que usamos a

expressão “hora H”? E de onde

surgiu a palavra “brigadeiro”?

Provavelmente não. Mas para essas

e outras perguntas, Reinaldo Pimenta

tem respostas na ponta da língua.

O advogado, que atuou como Assistente de Diretoria

na Petroquisa, é autor de “Casa da Mãe Joana”, seu segundo

livro, uma espécie de dicionário de palavras e expressões

que utilizamos em nosso dia a dia, sem muitas vezes

saber o seu significado, ou de onde vieram.

Reinaldo conta que o projeto surgiu de uma proposta

da editora, e que seu objetivo foi escrever um livro sério,

porém divertido. “Minha ideia foi usar apenas origens

curiosas e divertidas de palavras, frases e marcas. Mas tinha

que ser uma coisa bem-humorada. Muita gente confunde

seriedade com sisudez, o que é uma pena, porque

não existe nada mais sério que o humor. Para mim, rir é

a segunda sensação mais agradável para o ser humano”,

opina.

Sobre os dezessete anos em que trabalhou na Petroquisa,

ele se refere como uma época muito feliz. “Tive a

sorte de conviver com pessoas fantásticas e trabalhar sob

a batuta de profissionais inteligentes e dedicados, como

Henrique Delfim Lisboa, Lélio Martins da Costa e Maurício

de Mello Martins. Deles recebi, além da amizade,

minhas melhores lições de vida”.

A atividade de escritor teve início em 1998, quando

lançou seu primeiro livro, “Português Urgente!”, um manual

que ensina os leitores a usarem a língua portuguesa

de forma correta. Formado em Direito, ele conta que

pouco exerceu a profissão e mostra entusiasmo ao falar da

Reinaldo Pimenta divide seu tempo entre as aulas para

concursos e a dublagem

atividade que, segundo ele, é a sua favorita: a de professor

de português.

Desde 1966, Reinaldo atua na área de educação e já

preparou centenas de estudantes para concursos, além

de ministrar cursos em empresas. “A melhor profissão do

mundo é dar aula para gente interessada. Escrever é um

ato solitário e penoso; o resultado final é um enorme prazer,

mas até lá é muito suor e dedicação”, ressalta.

E para aqueles que acham que Reinaldo Pimenta já

atua em muitas funções, ele apresenta outra faceta. Atualmente,

sua atividade principal é a de dublador. O dono

da voz do Sr. Drummond, na série “Arnold”, exibida pelo

SBT, afirma que, apesar da crítica injusta de algumas pessoas,

a dublagem brasileira é considerada a melhor do

mundo pelas distribuidoras internacionais, inclusive a

Disney. “Já fiz várias personagens em centenas de filmes e

séries de TV, mas continuo aprendendo”, finaliza.

LUIz GUILHeRMe FeRNANdeS


INAUGURAÇÃo

CAMPos (RJ) TEM noVA sEDE

o presidente da AMBEP, Julio

Guedes da Conceição, inaugura a

nova sede de Campos

Comemorando quatro

anos de existência, a

AMBEP Campos inaugurou,

no dia 27 de junho,

sua nova sede. Além do

presidente da AMBEP,

Julio Guedes da Conceição,

do diretor Social e

de Benefício, Carlos da

Conceição de Almeida, e

do conselheiro Walter Villela, participaram da cerimônia

o representante do presidente da Câmara de Vereadores,

Telmo Manhães, o representante-procurador, Carlos

Roberto Soares Monteiro, e associados. A nova sede

fica no Edifício Ninho das Águias, no Centro.

PLANo de SAúde

noVo sIsTEMA MELHoRA sERVIço

O plano de saúde Unimed/Fesp está mudando o sistema

de sua base de dados para melhorar a emissão de

boletos. De acordo com Fábio Chaves, gerente de relacionamento

do IBBCA (entidade que administra o plano), a

mudança vai diminuir erros e atrasos. Os interessados em

aderir ao plano, que oferece preços vantajosos para associados,

devem entrar em contato pelo tel. 0800 022 3974.

Recebi o primeiro número da Revista da AMBEP e gostei

da capa: a Laedja é muito simpática, o fundo da foto é quase

a nossa certidão de nascimento e a opção pela AMBEP, pelo

Ipam e pelo plano unimed/Fesp mostra que “a nova cara da

AMBEP” se parece cada vez mais com a cara que a nossa Associação

tinha quando nasceu. é uma renovação constante

em torno de um mesmo ideal. Gostei do editorial: concordo

inteiramente que “chegou a hora de mostrar que somos capazes

de nos tornarmos múltiplos, abrigando pessoas de todas as

patrocinadoras da Petros”, e que os benefícios oferecidos pela

AMBEP favorecem, em questões essenciais, também os participantes

ativos. é muito importante a divulgação dos seguros de

automóveis e residencial, da assistência funeral, do plano de

saúde e do serviço de indicação de médicos (Ipam) para todos

os participantes e assistidos da Petros. Acredito, também, que a

porta retratos

cartas dos leitores

CoMeMoRAÇÃo

AMBEP CELEBRA AnIVERsÁRIos

Representações

do Norte, Nordeste

e Sudeste estão

em festa: Vitória

(10 anos); São Sebastião

(20 anos);

Natal e Maceió

(25 anos); e Belém

(30 anos) celebraram

suas datas em

A festa dos 20 anos de são sebastião

confraternizações

com muita animação e participação dos associados. O

presidente da AMBEP, Julio Guedes da Conceição, e o

diretor Social e de Benefício, Carlos da Conceição de

Almeida, prestigiaram os eventos.

HoMeNAGeM

DEsPEDIDA Do DR. DAPHnIs

A Diretoria da AMBEP agradece a longa e produtiva

parceria com o Dr. Daphnis Ferreira Souto, que, ao longo

das últimas três décadas, colaborou, de forma intensa,

com artigos sobre os mais diversos temas da área da saúde

no Jornal da AMBEP. Por razões pessoais, o médico não

participará mais da seção dedicada ao assunto nesta revista

e a Direção aproveita o espaço para homenageá-lo.

maior aproximação com a Petros também proporcionará maior

entendimento da nossa previdência e, consequentemente, avaliações

mais realistas e produtivas.

Muito inteligente a reportagem da capa. As histórias de ambepianos

de vários estados montou, sem retoques, o retrato da

nossa Associação. senti falta do “Cantinho da saúde” do Dr.

Daphnis, que nos acompanhava desde o lançamento do Jornal

da AMBEP. (...) A presença do Dr. Daphnis traz a lembrança

de muitos companheiros que lutaram para a consolidação da

Petros e da AMBEP. Ao final de uma leitura agradável (...) a crônica

de Adriano Moreira faz uma saudação à beleza, ao novo

e às sensações que uma manhã de sol pode trazer, assim como

esta nova Revista fez com a gente. Parabéns!

cid rodrigues, RIo de JANeIRo

revista da ambep JULHo/AGoSTo de 2012 17


Quando se procura atrair pessoas

para uma associação, qualquer

que seja, geralmente listam-se

vantagens, quase sempre ganhos financeiros

que os associados poderão

usufruir. Em síntese, trata-se de

uma relação vendedor-comprador.

Mas no caso de associação e associado,

é preciso apreciar de outra

forma. Em vez de avaliar o quanto

se ganha, vamos analisar o quanto

se perde não fazendo parte de um

grupo, grêmio, confraria ou seja lá

qual for o tipo de congraçamento.

Particularmente, vamos ver o que

se perde não sendo da AMBEP. Companheiros

de 20, 30, 40 anos de trabalho,

em convívio diário de camaradagem,

somem, desaparecem de

repente. Quem sabe deles? O que

fazem atualmente? E as suas famílias,

onde estão todos? Éramos tão

amigos. É tudo muito lamentável. Essas

tristes perdas não podem ser medidas

por instrumentos tradicionais.

Não são matéria de contabilidade.

18 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

ponto Final

o qUe Se PeRde NÃo

SeNdo dA AMBeP

JoSé RAMAdIÇA

APoSeNTAdo dA PeTRoBRAS e SÓCIo dA AMBeP

o grande poeta Mario

Quintana disse, com

sua imensa sabedoria:

“A amizade é o amor

que nunca morre”

Nós, que conversamos tanto sobre

o percentual da mistura do álcool

na gasolina, a entrada em atividade

de uma unidade operacional, o

lançamento de um navio, a criação

de subsidiárias, a descoberta de um

campo de óleo e gás, que vibramos

com o sucesso do CENPES e também

sobre o filho do João, da unidade de

destilação, que passou no vestibular

de engenharia, sobre a festa de casamento

da Rosinha da engenharia,

sobre a escalação sempre errada da

seleção de futebol etc. e tal. Essas

histórias não podem ser perdidas.

Essa rotina, acrescida de justas

reivindicações, algumas inconsequentes

mentirinhas, muitos risos

e muita alegria, pode ser revivida

em festas e reuniões da AMBEP, nas

quais todos se divertem e muitos

exibem suas habilidades, dançando

de jeito igualzinho, igualzinho.

Provavelmente tomaram lição na

mesma escola.

São essas alegrias que valem a

vida e que se perdem não sendo da

AMBEP, nem frequentando a nossa

Associação. No caminho, já experimentamos

perdas de vários tipos.

Não podemos nos perder dos amigos.

O grande poeta Mario Quintana

disse, com sua imensa sabedoria:

“A amizade é o amor que

nunca morre”.

Junte-se aos 34 mil ambepianos.

Venha para a AMBEP, traga nossos

amigos, participe, conviva, ria, divirta-se,

abrace, cante, dance, não

deixe a peteca cair. Jamais.

BANCo de IMAGeNS


Seguro Auto SulAmérica: mais facilidades

e planos exclusivos para o associado AMBEP

Pioneira em oferecer seguros para os funcionários do sistema Petrobras, a AMBEP mantém, há 24 anos,

uma parceria sólida com a SulAmérica. Fruto desse relacionamento, o Seguro Auto SulAmérica

possui condições exclusivas para empregados, terceirizados ou contratados do sistema em todo o Brasil.

Sócios da AMBEP e o novo grupo beneficiado da Petros também contam com descontos exclusivos.

O benefício é oferecido a inscritos, participantes e assistidos.

Consulte seu corretor AMBEP e peça uma cotação.

Ligue: (21) 3224-4527

Rota: 814-4527

Ou envie um e-mail: ambeprevista@ambep.com.br

Associação de Mantenedores-Bene�ciário da Petros


Você ama

viajar?

Quer planejar sua viagem de um jeito fácil,

rápido e garantir o melhor preço? A AMBEPTur,

agência de viagens da AMBEP, está pronta para

receber você. Com uma equipe competente

e longa parceria com as melhores operadoras

de turismo, oferecemos ótimos preços e

atendimento de confiança. Venha conferir!

20 JULHo/AGoSTo de 2012 revista da ambep

Fale com um de

nossos operadores:

(21) 2113-1000

ou 2113-1031

ESTAMOS COM PREÇOS E CONDIÇÕES ESPECIAIS DE PAGAMENTO PARA VIAGENS

EM OUTUBRO E NOVEMBRO. INFORME-SE:

Disney 8 noites

27

Saída: de outubro

Buenos Aires

Feriados em

Out e Nov

Porto de

Galinhas

Feriados de

Set, Out e Nov

A partir de

R$

995

Por pessoa

More magazines by this user
Similar magazines