Guia Prático de Compostagem do TST

jomarpereira

Manual e guia prático de compostagem do TST.

Guia prático de compostagem do tst


Olá, eu sou Eisenia andrei e, a partir de agora,

vou acompanhar você ao longo deste guia prático

de compostagem! Aqui você vai aprender algumas

regras básicas para reciclar os resíduos orgânicos e

para manter uma composteira sempre em

atividade. Espero que você goste das informações

e as coloque em prática.

1

1


O que é compostagem?

Compostagem é o nome que se dá ao

processo em que micro-organismos,

como fungos e bactérias, degradam

compostos orgânicos e os

transformam em adubo natural.

Praticar a compostagem, além de

gerar um adubo de alta qualidade,

contribui para a sustentabilidade e a

redução da quantidade de resíduos,

como sobras de alimentos de

residências e restaurantes.

A compostagem realizada com

minhocas é conhecida como

vermicompostagem. Na composteira

do Tribunal Superior do Trabalho (TST),

são utilizadas minhocas vermelhas da

Califórnia, que são mais ágeis do que

outras e possibilitam maior infiltração

de água e ar no solo, melhorando a

qualidade da terra. Além disso, as

minhocas da Califórnia são mais

eficientes na transformação do

composto em húmus, a matéria

orgânica resultante da decomposição.

Uma composteira, com o auxílio das

minhocas, melhora a qualidade do solo

e deixa as plantas mais resistentes e

saudáveis, porque o adubo utilizado

não tem pesticidas nem compostos

químicos.

2


e o que é uma composteira?

Composteira é o nome que se dá para o local ou estrutura própria para o depósito e

decomposição do material orgânico. Elas podem ser dos mais variados tamanhos, o

que possibilita sua instalação em casas e apartamentos. As minhocas e os resíduos

de alimentos são colocados nela para que ocorra a transformação do lixo orgânico

em adubo natural.

3


quais alimentos e resíduos eu posso colocar?

Nem todos os resíduos orgânicos são apropriados para a

compostagem. Alguns alimentos podem retardar o processo de

formação de húmus. Outros são ótimos para nós, minhocas, e de

grande ajuda para a produção do adubo.

Veja algumas dicas do que pode ou não ir para uma composteira!

4


- Frutas (exceto cítricas);

- Verduras;

- Legumes;

- Sementes e Grãos;

!

Pode colocar à vontade:

! Evite colocar:

- Laticínios (todos os derivados do leite);

-Alimentos cozidos ou assados (principalmente os temperados);

- Frutas cítricas (limão, laranja e abacaxi);

- Ervas e flores.

x Não pode colocar:

- Líquidos (bebidas, caldos, iogurtes, sucos);

- Carnes;

- Óleos e gorduras;

- Tempeiros fortes (alho, pimenta, cebola);

- Derivados de trigo (pão, bolo, alimentos assados);

- Sachês de chá (sem etiqueta);

- Borra de café (inclusive o filtro);

- Erva de chimarrão;

- Folhas e Serragens.

PODE COLOCAR MODERADAMENTE

- Cascas de ovos;

- Guardanapos limpos.

- Jornais;

- Papelão;

- Açúcar;

- Fezes de animais;

- Papel higiênico.

5


como acontece?

O processo da compostagem ocorre em três etapas distintas

FASE 1 - A FASE MESOFÍLICA

Durante a primeira fase da

compostagem, fungos e bactérias

começam a metabolizar os nutrientes

encontrados na composteira. É aí que

começa a decomposição do lixo

orgânico e a proliferação das bactérias

e dos fungos presentes. A primeira

fase possui esse nome devido ao fato

de que os organismos presentes são

organismos mesófilos, ou seja, são

ativos em temperatura ambiente. Essa

fase tem duração média de 15 dias.

FASE 2 - A FASE TERMOFÍLICA

A segunda fase é a mais longa,

podendo durar até dois meses. Ela

possui esse nome porque os

organismos que entram em ação são

chamados de termofílicos, que são

capazes de sobreviver a altas

temperaturas. É nessa fase que ocorre

a degradação ativa dos resíduos e a

eliminação de agentes infecciosos,

devido à alta temperatura.

FASE 3 - A FASE DE MATURAÇÃO

A última fase também pode durar até

dois meses. Nela a atividade de fungos

e bactérias diminui gradativamente, e,

6


consequentemente, a temperatura e a

acidez do composto gerado também

caem. Esse período é denominado de

maturação porque a decomposição

dos materiais se completa e o húmus é

gerado. Esse húmus é livre de

toxidades e de agentes que podem

causar alguma doença ou infecção.

O produto gerado pela decomposição

é chamado de composto orgânico e é

rico em nutrientes. Pode-se utilizar

esse composto como adubo em hortas

e jardins, deixando o solo mais

saudável e as plantas mais

resistentes. Para saber se o composto

orgânico já está maturado, é preciso

que ele possua a cor marrom e cheiro

de terra.

IMPORTANTE SABER!

O melhor aspecto do húmus se apresenta

quando ele possui umidade razoável e

coloração escura. Para saber se o húmus

possui umidade adequada, basta colocar

um pouco do material não mão e espremer,

- se formar gotículas de água, o material

está pronto para ser utilizado como

fertilizante!

Outro componente gerado pela

decomposição é o chorume. Ele possui

consistência líquida, cor escura e um cheiro

bastante característico e forte.

Quando formado em aterros sanitários, o

chorume pode ser muito tóxico para o meio

ambiente; entretanto, em uma

compostagem doméstica, é possível

utilizá-lo como biofertilizante. Para isso,

basta diluir o chorume em água em uma

proporção de uma parte de chorume para

cinco a dez partes de água. Após misturar

as duas substâncias, deixe o produto

descansando por dois ou três dias, agitando

a cada 24 horas. Por fim, caso queira, coe a

mistura para retirar as partículas sólidas.

O biofertilizante diluído nas proporções

recomendadas pode ser utilizado

diretamente no solo durante a rega a cada 7

a 10 dias ou pode ser pulverizado sobre as

folhas com um borrifador, com a mesma

frequência (7 a 10 dias), reduzindo, assim,

o surgimento de pragas e repelindo insetos

que destroem a planta.

7


quais as vantagens?

O composto gerado na composteira é um adubo 100% orgânico. Além

disso, o húmus e o chorume são ricos em nutrientes para as plantas, como

fósforo, magnésio, cálcio e potássio.

Outra vantagem é que, ao utilizar um adubo orgânico e de qualidade, a

toxidade e acidez do solo são controladas, ajudando a manter a estrutura

do solo e ao melhor desenvolvimento de plantas e hortaliças.

QUero uma composteira! e agora?

Se você quer ter uma composteira em casa, é interessante saber que

existem dois tipos diferentes para você reciclar o seu resíduo orgânico: a

composteira de chão e a composteira doméstica. A vantagem da

composteira doméstica é a fácil manipulação das minhocas e a retirada do

chorume; já na composteira de chão, o manejo das minhocas é um pouco

mais trabalhoso e não se consegue retirar o chorume.

8


compostagem caseira

Se você não tem espaço suficiente

para montar uma composteira de chão,

e quer fazer uma composteira caseira,

não se preocupe. Aqui vai um manual

com tudo de que você precisa para

montar e manter sua composteira,

bem como para utilizar o adubo

gerado.

MATERIAIS NECESSÁRIOS

- Três caixas de plástico;

- Uma tampa;

- Uma torneira;

- Um pacote de minhocas e substrato;

- Um pacote com composto sólido e

serragem;

- Um pacote de serragem.

instalando a composteira

A composteira deve ficar sempre em

um local protegido do sol e da chuva e

também arejado.

- Na primeira caixa, a caixa coletora de

chorume, instale a torneira para o lado

de fora, colocando um anel de vedação

por dentro e por fora da caixa;

- A segunda caixa, chamada caixa

digestora, deve ser encaixada em cima

da primeira. Faça pequenos furos no

fundo da caixa digestora de modo que

as minhocas possam passar de uma

caixa para a outra e o chorume descer

para a caixa coletora;

- Adicione o composto sólido e a

serragem na segunda caixa;

9


- Faça furinhos no fundo da terceira

caixa (segunda caixa digestora) e

encaixe-a em cima da segunda.

Adicione o substrato e as minhocas e

tampe a caixa.

É HORA DE COMPOSTAR!

Com a composteira pronta para uso,

chegou a hora de adicionar os resíduos

orgânicos!

- Triture os resíduos e coloque-os na

caixa de cima;

- Misture os resíduos depositados na

caixa com matéria vegetal;

- Quando a caixa de cima estiver cheia,

é hora de trocar de lugar com a caixa do

meio e adicionar os resíduos. As

minhocas subirão para a nova caixa e

iniciarão o processo de decomposição.

- Não se esqueça de esvaziar e lavar a

caixa coletora quando for mudar a

posição das caixas digestoras!

- Quando a caixa de cima estiver cheia,

é sinal de que está na hora de trocá-la

de lugar com a caixa do meio. Retire o

adubo presente na caixa do meio e

coloque novamente resíduos orgânicos

para dar início a um novo processo.

- Vale lembrar que, enquanto houver

alimentos na caixa, as minhocas

sobreviverão e manterão a

compostagem em atividade!

Caixa digestora

Caixa digestora

Caixa coletora

10


o que fazer com os compostos?

O resultado da compostagem é a

presença de dois compostos: O

composto sólido e o composto líquido.

Para retirar o composto líquido,

basta abrir a torneira acoplada na caixa

coletora. É importante que esse

composto seja retirado da caixa

periodicamente, a fim de não deixar a

composteira muito úmida e para evitar

que as minhocas caiam na caixa

coletora e se afoguem.

É recomendável que se retire o comcomposto

sólido

Para retirar o composto sólido da

composteira, é preciso colocar a caixa

aberta exposta ao sol. Com a luz, as

minhocas irão se esconder dentro do

adubo. Assim, é possível retirar parte

do húmus, permitindo que cerca de 7

cm do composto fique no fundo da

caixa. Nos próximos dias, basta ir

acrescentando novos resíduos,

sempre os cobrindo com matérias

secas, como palhas, serragens ou

papel.

Caso o composto retirado esteja úmi-

do, basta deixá-lo secar por algumas

horas ao sol, ou por alguns dias na

sombra, até que ele esteja pronto para

ser utilizado.

O húmus pode ser utilizado para

adubar as plantas e melhorar a

qualidade do solo, otimizando a terra

para futuros plantios.

composto líquido

11


posto líquido semanalmente e que ele

seja utilizado como adubo no momento

em que for retirado para não perder os

nutrientes.

Por ser líquido o chorume, as plantas

conseguem absorvê-lo com muita

facilidade. Apesar de ser rico em

nutrientes e um excelente adubo, não é

recomendável que se utilize esse

composto como um adubo diário.

Caso você não tenha como utilizar o

seu composto assim que ele foi retirado

da caixa, você pode armazená-lo em

garrafas, mas evite guardar o chorume

por mais de três meses.

12 12


DÚVIDAS FREQUENTES

Alguns pequenos problemas podem ocorrer com a sua

composteira, como excesso de umidade, minhocas mortas no

chorume e afins. Mas não se preocupe, aqui vão algumas dicas de

como solucionar esses empecilhos e manter a sua composteira ativa!

- Meu chorume está com cheiro

desagradável. E agora?

Se o seu composto líquido está com um

cheiro forte e desagradável, talvez seja

porque algumas minhocas caíram na

caixa coletora e morreram afogadas. Se

essa for a causa, basta retirar o

chorume e lavar a caixa normalmente.

Para que o problema não volte a ocorrer

é necessário retirar o chorume

regularmente.

- Caixa digestora com cheiro

desagradável.

Se a caixa digestora estiver com um

odor desagradável, isso pode ser sinal

de que existem alimentos difíceis de

ser compostados. Nesse caso, basta

retirar os alimentos e não colocar mais

resíduos do tipo na caixa.

Outra causa comum para o mau cheiro é

o possível excesso de umidade ou a

pouca aeração dentro da caixa. Para

resolver esse problema, basta inserir

matéria vegetal seca sobre o conteúdo.

1313


- Minhas minhocas não querem ficar

dentro da composteira. O que devo

fazer?

Se suas minhocas não ficam dentro da

composteira, pode ser que exista

algum elemento estranho, como

resíduos com produtos químicos ou, até

mesmo, outros animais que possam

colocar as minhocas em risco, como

larvas e formigas. Para o primeiro caso,

basta retirar o resíduo da caixa e

mantê-la aberta por algumas horas. Se

o problema for com outros animais,

retire-os da caixa e monitore sua

composteira nos dias seguintes.

Outro fator que também pode fazer

com que as minhocas saiam da

composteira é a exposição demasiada

ao sol ou a uma fonte de calor. Nesse

caso, basta colocar a composteira em

outro local com melhores condições

para suas minhocas.

- Notei que as minhocas só ficam na

parte de cima da caixa. O que pode

ser?

Caso as minhocas estejam amontoadas

na parte de cima da caixa digestora,

pode ser que haja um excesso de

umidade dentro da caixa. Para resolver

o problema, basta inserir matéria

vegetal seca ao colocar novos resíduos

nas caixas e retirar o composto líquido

com mais frequência.

Em tempos de chuva, as minhocas

também migram para a parte de cima

da caixa. Se essa for a causa, não

precisa se preocupar, é apenas uma

reação normal.

- Notei que existem fungos na minha

composteira

Fungos na composteira é sinal de que

alguns alimentos presentes na caixa

digestora criaram bolor. Não há nenhum

14


problema em ter fungos dentro da

composteira, pois eles também são

ótimos agentes para a compostagem.

- Existem insetos na minha composteira.

Aparecerem insetos dentro da

composteira é normal, desde que eles

também sejam agentes decompositores.

Porém, se houver baratas, moscas e

larvas em sua composteira, é sinal de

que algo não vai bem. Nesse caso, pode

ser que o ambiente esteja ácido demais

devido ao excesso de alimentos cítricos.

Outros fatores que causam a incidência

de insetos indesejáveis são uma

decomposição lenta ou alguns alimentos

descobertos. Basta verificar o que está

prejudicando a sua compostagem e

corrigir o problema.

15


Chegamos ao fim do nosso guia! Espero que você

tenha gostado e aproveitado as dicas de

compostagem. Mostre esta cartilha para seus

amigos para que eles também possam conhecer e

colocar em prática essa atitude sustentável!

Obrigado e até a próxima!

EU

COMPOSTAGEM

16


NÚCLEO SOCIOAMBIENTAL


NÚCLEO SOCIOAMBIENTAL - NSA

Tribunal Superior do Trabalho

Setor de Administração Federal Sul - Quadra 8 - Lote 1 - Bloco A

Sala 455 - CEP 70070-943

Telefone: (61) 3043-3548

Similar magazines