11.10.2017 Views

Yoga Raja Lição 1

Aprenda a relaxar, concentrar e meditar com o Raja-Yoga.

Aprenda a relaxar, concentrar e meditar com o Raja-Yoga.

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Apresentação

Objetivosdocurso

EncontrarsoluçõesdeproblemascomastécnicasdoRaja-Yoga.

Desenvolverospoderespsíquicos.

Aumentaracapacidadedeconcentração.

Manterasaúdefísicaemental.

Fortaleceraforçadevontade.

ConhecertécnicasdeRaja-Yogaparaosucesoprofisional.

Ensinandom elhor

Desdede1986


DIREITOS AUTORAIS

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial, por

qualquer meio ou processo, especialmente por sistemas gráficos, microfílmicos,

fotográficos, reprográficos, fonográficos, videográficos e eletrônicos.

O material textual deste curso está registrado no MINISTÉRIO DA CULTURA

DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Eventuais vídeos, marcas e materiais diversos aqui publicados são pertencentes

aos seus respectivos proprietários.


Voppus Stella Maris

Somos uma instituição filantrópica e cultural registrada em Cartório de Títulos e

Documentos em Campinas, São Paulo, Brasil. Desde 1986 estamos promovendo

cursos, seminário, eventos, simpósios, workshop e campanhas de ajuda

humanitária entre outras.


Curso de Practitioner em Raja-Yoga

LIÇÃO 01 ‐ RAJA‐YOGA E SEUS FUNDAMENTOS

Benefícios do RajaYoga: Autocontrole emocional, Desenvolvimento dos poderes psíquicos,

Manutenção da saúde física e mental, Fortalecimento da vontade e Aumento do poder de

concentração ‐ Exercícios respiratórios para saúde

LIÇÃO 02 ‐ ASHITANGA‐YOGA I

Ashtanga‐Yoga: Yoga em oito partes ‐ Yamas ou refreamentos : Ahimsa, Satya, Asteya,

Brahmacharya e Aparigraha ‐ Niyamas ou observâncias: Saucha, Samtosha, Tapas, Svadhyaya e

Ishvara‐Pranidhana

LIÇÃO 03 ‐ ASHITANGA‐YOGA II

Ásana para o domínio da mente ‐ Pranayama: Domínio do Prana Cósmico por meio da respiração ‐

Pratyahara: Domínio dos sentidos

LIÇÃO 04 ‐ ASHITANGA‐YOGA III

Dharana: Domínio da Concentração ‐ Dhyana: Domínio da Meditação ‐ Samadhi: Iluminação

Interior Profunda ‐ Nirvi‐kalpa‐samadhi ‐ Maha‐samadhi

LIÇÃO 05 ‐ YOGA SUTRAS

Yoga‐Sutras de Patanjali ‐ Samadhi‐Pada ‐ Sadhana‐Pada ‐ Vibhuti‐Pada ‐ Kaivalya‐Pada

LIÇÃO 06 ‐ OS 7 CORPOS

Estrutura Interna do Homem ‐ Corpo Físico ‐ Corpo Vital ‐ Corpo Astral ‐ Corpo Mental ‐ Corpo

Causal ‐ Corpo da Consciência ‐ Corpo do Espírito

LIÇÃO 07 ‐ DOMÍNIO DA MENTE

A Mente Universal ‐ O Pensamento ‐ Correta Conduta do Ser Humano e o Pensamento


LIÇÃO 08 ‐ FORMAS‐ PENSAMENTO

Representações Mentais ‐ Personalidade e Mente ‐ O Silêncio Mental ‐ Mente e Sonhos ‐ Seleção

de Impressões ‐ Saber Viver ‐ Ego e Formas‐Pensamento ‐ Magnitude das Formas‐Pensamento ‐

Higiene Mental ‐ Os Budas e a Mente

LIÇÃO 09 ‐ AS DIVISÕES DA MENTE

Mente Instintiva ‐ Mente Intelectiva ‐ Mente Espiritual

LIÇÃO 10 ‐ A FORÇA MENTAL I

Técnica Yogue Para usar o Subconsciente ‐ Como Lidar com Problemas

LIÇÃO 11 ‐ A FORÇA MENTAL II

Tatwas: vibração do Éter ‐ Horário Tátwico ‐ Propriedades dos Tatwas

LIÇÃO 12 ‐ A FORÇA MENTAL III

Irradiações Mentais ‐ A Glândula Pineal e as Irradiações Mentais ‐ Fatores Indispensáveis para o

Triunfo: Não‐Criticar, Contentamento e Pensamento Positivo ‐ Diversas Frases para Cristalizar

Vibrações Positivas ‐ A Necessidade de Mudar a Forma de Pensar

LIÇÃO 13 ‐ EUS PSICOLÓGICOS

O Homem e Suas Manifestações ‐ O Eu Psicológico ‐ As Sete Cabeças de Legião: Luxúria, Ira,

Orgulho, Preguiça, Cobiça, Inveja e Gula

LIÇÃO 14 ‐ A CONSCIÊNCIA E SEUS ESTADOS

Consciência: Apreensão do Conhecimento Interior ‐ Os Quatro Estados de Consciência ‐

Identificação, Fascinação e Sonho da Consciência ‐ Como Dividir a Atenção Para Lograr o Despertar

da Consciênica

LIÇÃO 15 ‐ OS 5 CENTROS DA MÁQUINA HUMANA

O Equilíbrio dos Centros ‐ Centro Intelectual ‐ Centro Motor ‐ Centro Emocional ‐ Centro instintivo

‐ Centro Sexual


LIÇÃO 16 ‐ O SER INTERIOR PROFUNDO

O Ser ‐ Deus‐Mãe ‐ Os Cinco Aspectos de Deus‐Mãe

LIÇÃO 17 ‐ A COMPREENSÃO DOS SAMSKARAS E SUA DISSOLUÇÃO

Compreensão: Percepção da Realidade de um Fenômeno ‐ Três Exercícios Para a Dissolução do

Ego.


LIÇÃO 01

RAJA YOGA E SEUS

FUNDAMENTOS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

PREZADO ESTUDANTE:

O termo sânscrito "raja" significa real; "yoga" quer dizer união, portanto, Raja-

Yoga é a União Real, verdadeira, que pode conduzir o seu praticante à integração

com seu Deus Interior Profundo.

O Raja-Yoga tem como objetivo o domínio da mente e o desenvolvimento dos

poderes latentes no ser humano, alcançados através do Ashtanga-Yoga (união em

oito etapas), sistema organizado por Patanjali no séc. II a.C.

Neste tipo de Yoga busca-se o fortalecimento da Vontade, tendo como passo

inicial o cultivo da atenção. Pratica-se muitas técnicas de concentração e

meditação, mantrans, além de algumas posturas (ásanas) que, em conjunto, criam

condições internas para o trabalho com o subconsciente. Assim, pouco a pouco,

vai-se melhorando a qualidade do Ser.

O Raja-Yoga foi introduzido por Patanjali, filósofo do século II a.C., através de

sua obra YOGA-SUTRAS. Este sábio não foi o autor do conteúdo desta obra.

Sendo, em sua época, um grande conhecedor do Yoga, compilou e organizou os

ensinamentos tradicionais desta área.

O termo sânscrito "raja" significa real; "yoga" quer dizer união, portanto, Raja-Yoga é a União

Real, verdadeira, que pode conduzir o seu praticante à integração com seu Deus Interior

Profundo.

2 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

PATANJALI E O YOGA-SUTRAS

Nos tempos antigos esse conhecimento era transmitido oralmente, tendo o

enfoque religioso como base. Patanjali teve o mérito de mudar isso, introduzindo

uma dinâmica diferente.

A importância do YOGA-SUTRAS é tão grande que se tornou a base de muitas

escolas. Deve-se a originalidade do trabalho de Patanjali ao seu estilo "científico".

Ele conseguiu formular uma tradição essencialmente prática. No YOGA-SUTRAS

a crença é desprezada, surgindo em seu lugar a dúvida, o questionamento

filosófico, a postura científica que leva à verificação e à experiência. Nesta obra

predomina a objetividade e a técnica, contendo uma ciência - o Yoga - e suas leis.

O Raja-Yoga foi introduzido por Patanjali, filósofo do século II a.C., através de sua obra

YOGA-SUTRAS. Este sábio não foi o autor do conteúdo desta obra. Sendo, em sua época, um

grande conhecedor do Yoga, compilou e organizou os ensinamentos tradicionais desta área.

Sutra significa aforismo. No Brasil, esta obra também é conhecida como

"Aforismos do Yoga". Sutras são frases curtas e objetivas, de profundo significado.

O YOGA-SUTRAS foi escrito em sânscrito e abarca certos pontos enigmáticos

que receberam diversas interpretações no decorrer dos séculos. Mas isso não

diminuiu em nada seu rico conteúdo filosófico e psicológico. É uma obra para ser

estudada com base em reflexões profundas.

http://www.voppus.com.br 3


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

O Yoga-Sutras compõe-se de 195 aforismos, distribuídos em quatro capítulos, a

saber:

1) SAMADHI-PADA (51 sutras): Trata da concentração da mente;

2) SADHANA-PADA (51 sutras): Trata dos meios para se chegar à Auto-

Realização;

3) VIBHUTI-PADA (55 sutras): Refere-se aos poderes latentes no ser humano;

4) KAIVALYA-PADA (34 sutras): Trata do isolamento do Espírito.

O YOGA-SUTRAS tem sido a base do Yoga Clássico. Absorveu grande

influência da doutrina Samkhya, um dos seis sistemas filosóficos da Índia.

O Samkhya baseia-se em dois princípios fundamentais emanados de Brahman,

o Incognoscível, o Absoluto:

a) PURUSHA - princípio do Espírito;

b) PRAKRITI - princípio da matéria.

No Yoga-Sutras Patanjali deixou indicações da forma em que o discípulo pode

desenvolver suas potencialidades latentes, transcendendo a matéria (Prakriti) e

conseguindo a união com seu Real Ser Interior Profundo (Purusha). Esse

aperfeiçoamento de Prakriti e Purusha teria como eixo os três Gunas ou

qualidades da matéria, que são: SATTVA, RAJAS e TAMAS.

SATTVA é o princípio da pureza e relaciona-se ao aperfeiçoamento superior do

Espírito.

RAJAS é o princípio do movimento, da agitação, o esforço desordenado.

TAMAS é o princípio da inércia, da obscuridade. Relaciona-se à ignorância, à

densidade, à impureza, à preguiça e à apatia.

A alma é imortal, eterna, imutável, mas seus

veículos materiais e tudo que os cerca são

transitórios, finitos, portanto ilusórios. A alma,

através de diversas experiências, vai aprendendo

a ver que a vida é ilusória, passageira e que o

real, o Eterno, é aquilo que está além da matéria

e tem natureza espiritual. Assim, inicia um

processo de retorno, de libertação do mundo e

de suas leis. Para isso, necessita conhecer as

disciplinas necessárias à libertação dos grilhões

criados pelo envolvimento com a matéria.

Os ensinamentos contidos no Yoga-Sutras levam à afinidade com o Guna

Sattva, enchendo nossa alma de harmonia, pureza, felicidade e consciência do

Real.

Outra noção básica do Samkhya é a de que o Espírito desce através dos

diversos níveis de densidade material, passando por diversos tipos de

experiências, cujo fim é seu aperfeiçoamento. Depois de muitas vivências, voltaria

4 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

à sua origem divina com suas potencialidades ou consciência totalmente

desenvolvidas.

A alma é imortal, eterna, imutável, mas seus veículos materiais e tudo que os

cerca são transitórios, finitos, portanto ilusórios. A alma, através de diversas

experiências, vai aprendendo a ver que a vida é ilusória, passageira e que o real,

o Eterno, é aquilo que está além da matéria e tem natureza espiritual. Assim, inicia

um processo de retorno, de libertação do mundo e de suas leis. Para isso,

necessita conhecer as disciplinas necessárias à libertação dos grilhões criados

pelo envolvimento com a matéria.

O Raja-Yoga ensina esses procedimentos, que foram didaticamente

organizados em 8 etapas, contidas no Yoga-Sutras, a saber:

1) YAMA (restrições);

2) NIYAMA (observâncias);

3) ÁSANA (postura);

4) PRANAYAMA (controle da energia vital);

5) PRATYAHARA (controle dos sentidos);

6) DHARANA (concentração);

7) DHYANA (meditação);

8) SAMADHI (êxtase).

No decorrer deste curso, especificaremos cada uma destas etapas, acrescida

de exercícios especiais de relaxamento, concentração e meditação, para que você

possa experimentar e evidenciar as bases teóricas que estamos transmitindo-lhe.

O Raja-Yoga é o passo seguinte ao Hatha-Yoga. Destina-se àqueles que

anelam aprofundar-se no caminho que leva à AUTO-REALIZAÇÃO. Esperamos

que você seja um deles.

NOÇÕES GERAIS DE YOGA

Neste item de nossa lição, visamos dar uma abordagem geral do Yoga, antes

de nos adentrarmos no Raja e seus exercícios.

YOGA é um termo sânscrito que significa UNIÃO. Refere-se à união do homem

com o princípio divinal que habita em seu interior.

Possuímos em nosso interior um princípio integrador, chamado na Índia de

ATMAN, nosso Deus Interno. Chegar à realização plena, à auto-realização,

implica desenvolver todas as potencialidades latentes que nos levará,

inevitavelmente, à união com Atman.

http://www.voppus.com.br 5


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

O Yoga tem-se constituído numa rica disciplina que aufere a didática necessária

à transcendência de nossas humanas limitações rumo ao Ser. O caminho da Auto-

Realização tem graus e graus. Como tudo na vida, devemos começar do mais

denso, caminhando para o mais sutil ou elevado.

As raízes históricas do Yoga encontram-se na Índia, há mais de 7.000 anos

atrás. Nesta época não existiam

Possuímos em nosso interior um princípio

integrador, chamado na Índia de ATMAN, nosso

Deus Interno. Chegar à realização plena, à autorealização,

diversos Yogas, havia apenas um,

integral, completo, que abarcava

todas as necessidades humanas

implica desenvolver todas as (desenvolvimento físico, vital,

potencialidades latentes que nos levará, emocional, mental, volitivo,

inevitavelmente, à união com Atman. conscientivo e espiritual). Com o

passar dos tempos, começaram a

haver divisões que foram se

multiplicando através dos séculos.

Podemos classificar essas

diferenças da seguinte forma:

1) YOGA ANTIGO OU INTEGRAL

(+- 5.000 a.C.): Não haviam linhas.

Os deuses conviviam com os

homens. O ensinamento era

passado de forma direta, por

tradição oral.

2) YOGA EM 7 LINHAS (+- 3.000

a.C.): O ensinamento começa a ser

compartido. Evidenciam-se 7

grandes tendências: Hatha-Yoga,

Raja-Yoga, Jnana-Yoga, Bhakti-

Yoga, Karma-Yoga, Mantra-Yoga e

Tantra-Yoga. Contudo, as divisões

não pararam por aí. Muitas outras

linhas foram surgindo, fazendo com

que o ensinamento fosse perdendo

seu objetivo primordial.

3) YOGA CLÁSSICO (+- séc. III

a.C.): É marcado pelo trabalho de

um filósofo, Patanjali, que codificou

o Yoga, reunindo a síntese de todo o conhecimento escrito até aquele momento.

Patanjali escreveu o "Yoga-Sutras" ou "Aforismos do Yoga".

4) YOGA MODERNO ( +- séc. II a.C. aos dias atuais): O que se ensina como

Yoga já não é, nem de longe, o que se buscava nos tempos arcaicos. Muitas

linhas diferentes foram criadas, havendo uma grande dispersão dos princípios

originais. Muitos ensinamentos foram desvirtuados, principalmente aqueles

referentes ao tantrismo.

6 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

AS SETE CLASSES DE YOGA

Baseados em nosso curso "HATHA-YOGA" apresentaremos alguns extratos

modificados, com explicações sobre os 7 ramos do Yoga, como seguem:

Através dos séculos, foram legadas à humanidade muitas técnicas e sistemas

diferentes, todos voltados para o crescimento espiritual.

Na Índia, berço do Yoga, encontram-se plasmados nos livros sagrados muitos

procedimentos que foram classificados de acordo com o tipo de Essência

(Buddhata) a que se destinavam. Esses sistemas estão relacionados aos sete

ramos do Yoga, a saber:

1) Hatha-Yoga

2) Raja-Yoga

3) Mantra-Yoga

4) Karma-Yoga

5) Jnana-Yoga

6) Bhakti-Yoga

7) Tantra-Yoga

1) HATHA-YOGA

HATHA é a junção de dois termos: HA e THA,

que significam, respectivamente, SOL e LUA.

Estes dois astros são usados desde longa data

para representar o binário da criação: positivo e

negativo, afirmação e negação, yin e yang, etc.

Não leva à Auto-Realização, mas tem seu

grande valor para o equilíbrio das energias

mecânica e vital na estrutura psico-física.

Compõe-se de ásanas ou posturas diversas

destinadas à movimentação e equilíbrio das

energias vitais. Além disso, inclui exercícios

respiratórios e de relaxamento que proporcionam vitalidade e bem-estar. É um

sistema excelente para a prevenção do stress, traz saúde, flexibilidade, beleza e

rejuvenescimento.

A finalidade principal do Hatha-Yoga é a HARMONIZAÇÃO E

APERFEIÇOAMENTO PSICO-FÍSICO, CRIANDO AS BASES PARA O

DESENVOLVIMENTO DAS POTENCIALIDADES LATENTES NO SER HUMANO.

http://www.voppus.com.br 7


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

Os objetivos secundários são: manutenção da saúde, rejuvenescimento,

prevenção de problemas na coluna espinhal, emagrecimento, eliminação do

stress, equilíbrio do sistema nervoso, crescente energização física, etc...

No nível psíquico, o praticante do Hatha-

Yoga adquire: bem-estar, autoconfiança,

alegria de viver, serenidade, cabeça fria

ante os obstáculos da vida, tranquilidade

emocional, disposição, otimismo, clareza

mental, e tantos outros valores internos.

Há, também, um progressivo

revigoramento das faculdades internas:

CLARIVIDÊNCIA, INTUIÇÃO, TELEPATIA,

CLARIAUDIÊNCIA, DESDOBRAMENTO

ASTRAL, etc., conseguido pela

combinação dos ÁSANAS (posturas)

com os MANTRANS (sons vocálicos

especiais para desenvolver tais

faculdades), e pelo compromisso de uma

vida pura e casta. Os poderes internos

são sagrados. Consegue-se-os mediante

pureza de coração e prática diária. Essas

faculdades estão relacionadas aos

CHACRAS (discos ou rodas magnéticas

que temos no corpo astral)

Aquele que pratica Yoga há algum tempo evidencia que esses objetivos

tornam-se consequência ou benefícios auferidos.

Com poucas sessões de Hatha-Yoga pode-se notar uma melhoria no estado de

ânimo, controle das emoções mais fortes, fortalecimento da imunidade física,

brilho especial na pele e tantos outros efeitos.

O Hatha-Yoga provoca uma mudança na forma de pensar, levando o praticante

a uma postura otimista em relação à existência. Isto induz a uma consciência mais

profunda, uma vez que passam a circular, por sua estrutura psico-física, energias

mais sutis, mais harmônicas.

Esta classe básica de Yoga - Hatha-Yoga - atua profundamente nos sistemas

NERVOSO e ENDÓCRINO, sendo, portanto, uma eficaz técnica de repouso e

rejuvenescimento.

Não podemos confundir o Hatha-Yoga com ginásticas ou similares ocidentais,

que atuam unicamente sobre o corpo físico. Está comprovada, no nível prático, a

eficiência do Hatha-Yoga sobre o corpo etérico (contraparte vital do corpo físico,

seu duplo), fazendo o PRANA circular equilibradamente nos diversos NADIS

(canais energéticos). Aqueles que lidam com Do-In, Massagem Oriental,

Acupuntura, etc., compreendem muito bem o que afirmamos.

8 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

No nível psíquico, o praticante do Hatha-Yoga adquire: bem-estar,

autoconfiança, alegria de viver, serenidade, cabeça fria ante os obstáculos da

vida, tranquilidade emocional, disposição, otimismo, clareza mental, e tantos

outros valores internos.

Há, também, um progressivo revigoramento das faculdades internas:

CLARIVIDÊNCIA, INTUIÇÃO, TELEPATIA, CLARIAUDIÊNCIA,

DESDOBRAMENTO ASTRAL, etc., conseguido pela combinação dos ÁSANAS

(posturas) com os MANTRANS (sons vocálicos especiais para desenvolver tais

faculdades), e pelo compromisso de uma vida pura e casta. Os poderes internos

são sagrados. Consegue-se-os mediante pureza de coração e prática diária.

Essas faculdades estão relacionadas aos CHACRAS (discos ou rodas magnéticas

que temos no corpo astral).

O Hatha-Yoga é uma ginástica especial, não é violenta. Respeita os limites de

cada um. Sua prática diária mantém o corpo em forma, elimina a flacidez, fortalece

os músculos - inclusive os mais internos -, flexibiliza o corpo, mantém a coluna

sadia, embeleza o físico, aprimora os movimentos tornando-os menos instintivos,

aveluda a voz, melhora a dicção, etc., etc., etc...

2) RAJA-YOGA

Destina-se à união com a divindade através do domínio da mente e do

desenvolvimento dos poderes psíquicos, alcançados através do Ashtanga-Yoga

(união em 8 partes), sistema organizado por Patanjali no século II a.C. Trataremos

desses angas no decorrer deste curso.

O Raja-Yoga é o passo seguinte ao do Hatha-Yoga para aqueles que anelam

aprofundar-se no caminho que leva à Auto-realização.

3) MANTRA-YOGA

Este ramo estuda o som universal, o poder do verbo. Um "mantra" é um som

vocálico capaz de produzir efeitos transcendentais. Assim, através dos tempos

foram divulgados sons especiais para os mais variados fins: desenvolver os

chacras, curar doenças, atrair fortuna, adquirir uma virtude, abrir canais para

outras dimensões, etc...

Os "sons mágicos" dividem-se em: Maha-mantras, Mantras e Bija-mantras. Este

último tipo é o mais importante por relacionar-se aos sons primordiais.

Na Índia é costume repetir um mantra 108 vezes. Este número é sagrado para

os hindus, pois está intimamente associado à criação ou plasmação do Universo.

Cabalisticamente ele pode ser sintetizado assim: 1+0+8= 9 (a nona esfera, o

sexo).

Os mantras têm a propriedade de elevar o nível vibratório dos átomos que

compõem nossa estrutura psico-física, intensificando a concentração da mente,

fazendo com que a consciência, ou Buddhata, seja estimulada. A pronúncia

http://www.voppus.com.br 9


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

regular e constante de um som mágico cristaliza, em quem o pronuncia, seu poder

intrínseco.

O som mais conhecido dentre os mantras é "OM", que sintetiza todos os sons

da orquestração universal. Este poderoso mantra vibra com o Atman, o Deus

Interno Particular de cada um.

4) KARMA-YOGA

De todas as leis cósmicas, a do Karma é a mais conhecida no Ocidente,

contudo é muito mal compreendida. Esta palavra sânscrita significa "ação". A cada

causa corresponde uma consequência. Daí, a Lei do Karma é a lei da ação e

reação. "A cada ação corresponde uma reação igual e contrária", já dizia Newton.

A vida prática nos mostra que cada qual colhe o que planta. A Lei do Karma

não é boa nem má. Apenas equilibra as ações, sejam estas pensamento, palavra

ou obra.

O Karma-Yoga destina-se àquelas pessoas que anelam chegar a um

crescimento espiritual, porém não podem abster-se de estar no mundo,

participando diariamente da "Roda de Samsara" ou "Roda da Vida", cumprindo

suas obrigações para com a família e a sociedade.

Aqui no Ocidente todos nós somos obrigados a ter uma profissão para

sobreviver. Não faz parte de nossa realidade fugir para o campo, morar num

eremitério ou algo parecido. Se queremos melhorar nosso nível de Ser temos de

consegui-lo aqui, em meio ao turbilhão da existência.

Para esse caso específico, o Karma-Yoga "cai como uma luva", pois ensina

justamente a conseguir esse equilíbrio, mostrando-nos a melhor maneira de nos

conduzirmos na vida, a fim de transcendermos os sofrimentos.

O princípio sobre o qual o Karma-Yoga está assentado pode ser resumido

nestas palavras do Bhagavad-Gita: " Trabalhai incessantemente, mas não vos

apegueis ao trabalho". Segundo esse axioma, não devemos nos APEGAR a nada,

10 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

para que não fiquemos enfronhados pelas ilusões da vida. Se assim procedermos

vamos, pouco a pouco, nos libertando do karma.

O não-apego está intimamente associado ao princípio A-HIMSA, que significa

NÃO-VIOLÊNCIA. Recordemos que foi com este procedimento que Gandhi

libertou a Índia.

O importante no Karma-Yoga é aprender a amar aquilo que se faz, mas sem

esperar recompensas. Vale mais a maneira como a ação é realizada, isto é, sua

essência, do que o fim que com ela desejamos alcançar.

Aqui no Ocidente existe um apego muito grande a tudo, do concreto ao

abstrato, por isso o sofrimento também é grande. Quanto maior o apego, maior o

MEDO da perda. O medo é um grande obstáculo para o caminho espiritual, para

se chegar a ser feliz verdadeiramente.

5) JNANA-YOGA

Esta disciplina volta-se para a realização da

Verdade através do conhecimento intuitivofilosófico.

A palavra Jnana traduz-se por

"discernimento". A Jnana-Yoga busca a Realidade

Absoluta, que está acima de toda e qualquer

dualidade.

Para este ramo de Yoga todos os fenômenos

dualistas são ilusórios, pois, tendo como realidade

única o Espírito, tudo o que existe está imbuído da

substância espiritual.

Prega Deus como a Realidade Única, presente

em todas as coisas. Desta forma, o que importa é

conseguir a União ou Yoga da Alma com o

Espírito, libertando-nos do Ego e suas

manifestações subjetivas (imperfeições, limitações,

defeitos, debilidades, etc).

Dissolver a ignorância é fundamental.

Experimentar a Verdade implica adquirir

Sabedoria. Dita ignorância (Avidya) é fruto do

fascínio, ou hipnose, exercido sobre nós, pelo

mundo fenomênico que é ilusório (maya).

Este tipo de Yoga é apropriado àquelas pessoas

intelectualizadas, com fortes tendências filosóficas,

uma vez que buscam a Realização pela via do

Jnana traduz-se por

"discernimento". A Jnana-

Yoga busca a Realidade

Absoluta, que está acima de

toda e qualquer dualidade.

saber. Não se trata aqui do saber cumulativo, meramente mental, pois este está

limitado pela lógica, mas sim da Sabedoria Transcendental, que ultrapassa os

limites do mundo físico tridimensional, abarcando níveis mais sutis, que permitem

uma vivência interna da origem da vida e do homem.

http://www.voppus.com.br 11


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

A Jnana-Yoga possui 7 etapas:

1) Viveka (discernimento): cria condições para o reconhecimento da Realidade

Única, despertando da grande ilusão que é o mundo.

2) Vairagya (renúncia): quanto maior é o discernimento, maior o desinteresse

por aquilo que é transitório.

3) Tapas (austeridade): sem disciplina não se chega a melhorar os níveis de

percepção.

4) Mumuksutva (liberação): desejo de liberdade ante todos os limites que a vida

impõe.

5) Çravana (audição): a atenção deve ser bastante cultivada, dessa forma a

receptividade às mensagens que chegam será maior.

6) Manana (reflexão): análise e reavaliação constante de idéias, conceitos, etc.,

a fim de fortalecer a certeza interior em relação aos princípios seguidos.

7) Mididhyasana (meditação): busca do êxtase através da total "identificação"

com o Ser, Aquilo que é o Real dentro de

nós.

A Jnana-Yoga está intimamente

associada ao Karma-Yoga, uma vez que

o desapego do mundo é reflexo direto do

nível de consciência atingido por um

seguidor desses caminhos.

6) BHAKTI-YOGA

Esta linha de Yoga está baseada na

devoção, ensinando que a suprema união

com Deus se consegue com o cultivo do

Amor. Está destinada àquelas pessoas

altamente religiosas e místicas.

A palavra Bhakti vem de "bhaj", que

quer dizer "devoção". O seguidor do

Bhakti-Yoga vê Deus em todas as coisas,

aceitando todas as manifestações como

reflexo de Seu eterno amor.

Existem muitos graus de adoração a

Deus, desta forma inferimos que todos A palavra Bhakti vem de "bhaj", que

nós somos seguidores do Bhakti. Os quer dizer "devoção". O seguidor do

níveis mais baixos de devoção Bhakti-Yoga vê Deus em todas as

relacionam-se aos ídolos, isto é, as coisas, aceitando todas as

representações de Deus em figuras, manifestações como reflexo de Seu

imagens, monumentos, obras, etc.

eterno amor.

Quanto mais profundo se torna um seguidor desse caminho, mais ele se liberta do

12 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

reflexo exterior da Divindade, não necessitando de ícones ou rituais para

encontrar-se com Deus, pois já o realizou em si mesmo, tendo-se tornado a viva

manifestação Dele.

Tendo em vista esses graus de devotamento, o Bhakti-Yoga divide-se em dois

grandes grupos:

1) GAUNI (etapa preparatória): trabalha no nível concreto, passando a idéia de

Deus como um Ente Pessoal.

2) PARA (etapa avançada): predomina o abstrato, passando-se à adoração de

um Deus Impessoal (Brahama ou Absoluto).

A libertação pelo Bhakti-Yoga passa, necessariamente, pelo desapego a todas

as coisas, ofertando o fruto das ações a Deus, por reconhecer que Ele é a origem

e a essência de tudo.

7) TANTRA-YOGA

O tantrismo está intimamente associado ao sexo. É também conhecido como

Kundalini-Yoga.

Na verdade, os níveis mais profundos de consciência podem ser conseguidos

mediante o despertar da Kundalini. Esta energia é muito especial e se encontra no

Chacra Muladhara, situado no cóccix. Dita energia tem origem em Shiva (o

Espírito Santo) e é a chave magna de todos os poderes.

Na verdade, os níveis mais profundos

de consciência podem ser

conseguidos mediante o despertar da

Kundalini. Esta energia é muito

especial e se encontra no Chacra

Muladhara, situado no cóccix. Dita

energia tem origem em Shiva (o

Espírito Santo) e é a chave magna de

todos os poderes.

http://www.voppus.com.br 13


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

Um trabalho correto com a Kundalini implica adotar a castidade científica como

norma de vida, juntamente com um trabalho sério de auto-purificação. O domínio

das paixões animais é de extrema importância nessa linha de Yoga.

Quando falamos de castidade científica não estamos nos referindo ao

celibatarismo. Existe uma forma de canalizar a energia criadora durante a pratica

sexual visando o desenvolvimento espiritual. Nesta forma especial de lidar com o

ato sexual (Sahaja Maithuna) busca-se a transmutação das energias criadoras.

A prática da "Magia Sexual", ou "Sahaja Maithuna", ou "Arcano AZF", ou "Sexo-

Yoga" se dá entre um homem e uma mulher apenas, em lares legitimamente

constituídos. O adultério é abominável. O adúltero jamais triunfará neste caminho.

O respeito e fidelidade entre homem e mulher é de vital importância para o

desenvolvimento harmonioso da energia sexual, por conseguinte, para a

qualidade do trabalho almejado.

A prática do Sexo-Yoga em grupos nada mais é que orgia camuflada. A

kundalini não desperta em pessoas degeneradas.

Nos tempos antigos, o Kundalini-Yoga destinava-se aos seletos, àqueles que

tivessem alcançado um determinado grau de pureza interior. No mundo ocidental

o Sexo-Yoga é conhecido como Alquimia Sexual. O filósofo e esoterista

contemporâneo que expôs publicamente o Sexo-Yoga em sua forma pura, foi o

insigne Dr. Samael Aun Weor, profundo conhecedor e praticante da Sahaja

Maithuna, escritor de mais de 80 obras a respeito deste e de outros assuntos de

cunho transcendental. Também encontramos referências a este tema, ainda que

de forma indireta, nas obras de Jorge Adoum, Arnold Krumm-Heller, na

experiência da Comunidade Oneida, fundada pelo Dr. John Noyes, etc., etc...

Todos os povos conhecidos têm tradições e conhecimentos do Arcano AZF,

mostrando que essa "chave esotérica" não pertence a nenhum povo em particular,

mas é parte do processo criativo e construtivo do universo.

A Voppus Stella Maris, em seu curso SABER É PODER, trata com detalhes do

Kundalini-Yoga ensinando a técnica para o despertar desta energia sublime.

14 VOPPUS STELLA MARIS


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

RAJAPRAXIS

RAJA-PRAXIS é uma secção onde ensinaremos diversas técnicas de

relaxamento, concentração e meditação, pertinentes à disciplina do Raja-Yoga.

Procure praticar os exercícios aqui expostos de forma ordenada, sem pular

lições, pois os mesmos foram dispostos didaticamente, visando um melhor

aproveitamento físico, psíquico e mental.

Iniciaremos com uma técnica yogue de RELAXAMENTO. Caso você sinta

dificuldades em fazer os exercícios somente com as indicações do Raja-Praxis,

sugerimos que adquira nossas fitas da SÉRIE RELAX, elaboradas especialmente

para proporcionar relaxamento psico-físico.

Como fundo musical para o exercício que segue, escolha uma fita ou Cd de

composições suaves, estilo New Age ou um clássico ameno. A Voppus Stella

Maris possui fitas só com músicas, sem relaxamento dirigido (Séries NATURA e

HIDROSON). Você poderá usá-las, se quiser, pois proporcionam resultados mais

rápidos.

RELAXAMENTO EM UTHITA-SHAVÁSANA

1) Deite-se em decúbito dorsal (barriga para cima);

2) Dobre os joelhos

apoiando a planta dos

pés no chão ( fig. 07 );

3) Coloque as mãos

sobre o abdômen. Os

dedos devem "quase" se

tocarem;

4) Feche os olhos;

5) Concentre-se em

sua respiração, sentindo

o movimento do

diafragma. Não interfira,

apenas sinta o ar entrando e saindo;

6) Procure se desligar do mundo exterior, da hora, dos compromissos;

http://www.voppus.com.br 15


RAJA YOGA : PRATIQUE SOZINHO LIÇÃO 01

7) Nesse instante, só existe você e seu corpo;

8) Sinta-se cada vez mais relaxado, em total paz interior;

9) A consciência de si mesmo vai se fazendo cada vez maior;

10) Permaneça assim pelo tempo que quiser ou até que a fita termine de tocar.

Fraternalmente,

SEU INSTRUTOR DE CLASSE.

16 VOPPUS STELLA MARIS


Curso de Practitioner em Raja-Yoga

AUN WEOR, Samael ‐ OS MISTÉRIOS DO FOGO, Porto Alegre, Ed. Gnose, 1982. INTRODUÇÃO À

GNOSE, São Paulo, Sol Nascente, s.d. MISTÉRIO DO ÁUREO FLORESCER, São Paulo, Sol Nascente,

1990. MATRIMÔNIO PERFEITO, São Paulo, Sol Nascente, s.d. TRATADO DE PSICOLOGIA

REVOLUCIONÁRIA, Belo Horizonte, Ageacac, s.d. REVOLUÇÃO DA DIALÉTICA, Porto Alegre, Ed.

Gnose, s.d. DIALÉTICA DA RAZÃO OBJETIVA, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. FELICIDADE ATRAVÉS DA

MEDITAÇÃO, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL, Porto Alegre, Ed. Gnose,

s.d. KUNDALINI‐YOGA (O LIVRO AMARELO), São Paulo, Sol Nascente, s.d. MEDICINA OCULTA,

Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. A NOITE DOS SÉCULOS, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. GRANDE

REBELIÃO, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. EXORTAÇÕES DE UM AVATARA, Porto Alegre, Ed. Gnose,

s.d. DE LÁBIOS A OUVIDOS, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d. ASTROLOGIA HERMÉTICA, Porto Alegre,

Ed. Gnose, s.d. TAROT Y CABALA, São Paulo, Ed. Sol Nascente, s.d. PROJEÇÕES MENTAIS, Porto

Alegre, Ed. Gnose, s.d.

ADOUM, Jorge (Dr.) AS CHAVES DO REINO INTERNO, São Paulo, Pensamento, s.d. RASGANDO

VELOS, Buenos Aires, Ed. Yo Soy, s.d. A SARSA DE HOREB, Porto Alegre, FEEU, 1987. A MAGIA DO

VERBO, São Paulo, Pensamento, 1985. DO SEXO À DIVINDADE, Minas Gerais, CDOJA, s.d.

AZEVEDO, Murillo N. de INTRODUÇÃO AO TANTRA, São Paulo, Pensamento, 1985. O OLHO DO

FURACÃO, Rio de Janeiro, Ed. Civilização Brasileira, 1973. O CÂNTICO DO SENHOR, São Paulo,

Cultrix, 1981. A ESSÊNCIA DA ALQUIMIA, São Paulo, Pensamento, 1986.

BAILEY, Alice A LUZ DA ALMA, Tomos I e II, Niterói, Fund. Cultural Avatar, 1991. CARTAS SOBRE

MEDITAÇÃO OCULTISTA, São Paulo, Pensamento, 1977.

BAKER, Douglas ANATOMIA ESOTÉRICA, São Paulo, Mercuryo, 1993.

BANOL, F.S. EL RAYO DEL SUPER‐HOMBRE, México, AGEACAC, s.d.

BESANT, A. UM ESTUDO SOBRE O KARMA, São Paulo, Pensamento, 1991. DHARMA, São Paulo,

Pensamento, 1989. KARMA, São Paulo, Pensamento, 1990. INTRODUÇÃO AO YOGA, São Paulo,

Círculo do Livro, s.d.

BONWITT, Ingrid Ramm MUDRAS: AS MÃOS COMO SÍMBOLO DO COSMOS, São Paulo,

Pensamento, 1987.

CHIA, Mantak A ENERGIA CURATIVA ATRAVÉS DO TAO, São Paulo, Pensamento, 1983.

CHILDRESS, D.H. CIDADES PERDIDAS DA CHINA, ÍNDIA E ÁSIA CENTRAL, São Paulo, Siciliano, 1988.

CHOPRA, Deepak (Dr.) A CURA QUÂNTICA, São Paulo, Best Seller, 1989. SAÚDE PERFEITA, São

Paulo, Best Seller, 1990.

EVANS‐WENTZ, W.Y. A IOGA TIBETANA E AS DOUTRINAS SECRETAS, São Paulo, Pensamento, 1958.

FORTUNE, D. AUTO‐DEFESA PSÍQUICA, São Paulo, Pensamento, 1990.

GUPTA, N.K. O YOGA DE SRI AUROBINDO, São Paulo, Shakti, 1991. A MÃE, São Paulo, Shakti, 1991.

HARTMANN, F. LOS ELEMENTALES DE LA NATURALEZA, São Paulo, Raon, 1992.

HENRIQUES, A. Renato YOGA E CONSCIÊNCIA, Porto Alegre, Rigel, 1984.

HUMPHREYS, C. BUDISMO ZEN, São Paulo, Pioneira, 1973.

IYENGAR, B.K.S. A LUZ DA IOGA, São Paulo, Cultrix, 1980.


JINARAJADASA, C. FUNDAMENTOS DE TEOSOFIA, São Paulo, Pensamento, 1991.

KAPP, M.W. LAS GLANDULAS: NUESTROS GUARDIANES INVISIBLES, Tókio (Japão), Tosho Printing

Co., 1967.

KARAGULLA, S. OS CHACRAS E OS CAMPOS DE ENERGIA HUMANOS, São Paulo, Pensamento, 1991.

O DESTINO CRIATIVO DO HOMEM, São Paulo, Palas Atena, 1986.

KILNER, W. A AURA HUMANA, São Paulo, Pensamento, 1989.

KNOPLICH, J. VIVA BEM COM A COLUNA QUE VOCÊ TEM, São Paulo, Ibrasa, 1982.

KRUM‐HELLER, A. ROSA ESOTÉRICA, Buenos Aires, Kier, s.d. DEL INCIENSO A LA OSMOTERAPIA,

Buenos Aires, Kier, s.d. EL TATWAMETRO O LAS VIBRACIONES DEL ETER, Buenos Aires, Kier, s.d.

KUVALAYANANDA (Swami) ÁSANAS, São Paulo, Cultrix, 1976. PRANAYAMA, Bombay (Índia),

Popular Prakashan, 1966.

LANGRE, J. de DO‐IN, São Paulo, Ground, 1983.

LEADBEATER, C.W. O HOMEM VISÍVEL E INVISÍVEL, São Paulo, Pensamento, s.d.

M. (Mestre) DIOSES ATÔMICOS, Buenos Aires, Kier, 1989.

MANN, F. ACUPUNTURA: A ANTIGA ARTE CHINESA DE CURAR, São Paulo, Hemus, 1971.

MERCURIO, R. O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE COLUNA VERTEBRAL, São Paulo, Nobel, 1978.

MIRANDA, C. LAYA YOGA, São Paulo, Ediouro, s.d.

MOTOYAMA, H. TEORIA DOS CHACRAS, São Paulo, Pensamento, 1990.

MURPHET, H. SAI BABA: O HOMEM DOS MILAGRES, Rio de Janeiro, Record, s.d.

NEI JING ‐ livro chinês de Acupuntura ‐ autor desconhecido.

NETSCHER, B. YOGA: O CAMINHO PARA UMA VIDA FELIZ, São Paulo, Ediouro, 1979.

NISHI, K. MEDICINA NISHI, São Paulo, Ibrasa, 1988.

NHI, B. YOGA E PSIQUIATRIA, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1974.

OSTRANDER, S. e SCHROEDER, L. EXPERIÊNCIA PSÍQUICA ALÉM DA CORTINA DE FERRO, São Paulo,

Cultrix, 1970.

PADMANANDA OS AFORISMOS DA YOGA, DE PATANJALI, Rio de Janeiro, Ed. Brand, 1951.

PERCHERON, M. BUDA E O BUDISMO, Rio de Janeiro, Agir, 1954.

PREMANANDA (Swami) LUZ SOBRE KRIYA YOGA, São Paulo, Ícone, 1993.

QUILES, I. FILOSOFIA BUDISTA, Buenos Aires, Ed. Troquel, 1968.

RAMACHARACA (Yogue) RAJA‐YOGA: LIÇÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO MENTAL, São Paulo,

Pensamento, 1977. CIÊNCIA HINDU‐YOGUE DE LA RESPIRACIÓN, Buenos Aires, Kier, s.d. JNANA‐

YOGA: YOGA DA SABEDORIA, São Paulo, Pensamento, 1988. CURSO ADIANTADO DE FILOSOFIA

YOGUE, São Paulo, Pensamento, 1990. 14 LIÇÕES DE FILOSOFIA YOGUE, São Paulo, Pensamento,

1991.

RENOU, L. HINDUÍSMO, Rio de Janeiro, Zahar, 1964.

REYES, E.F. de los ATLAS ANATÔMICO DO CORPO HUMANO, Rio de Janeiro, Ed. Livro Íbero‐

Americano, 1985.

ROHDEN, H. O CAMINHO DA FELICIDADE, São Paulo, Alvorada, s.d. SAI BABA, Sathya TORRIENTE

DE VIRTUD, Buenos Aires, Sathya, 1987. LA SENDA DEL CONOCIMIENTO, Buenos Aires, Errepan,

1990.

ENSEÑANZA DE SRI SATHYASAI BABA, Buenos Aires, Errepan, 1991. DIALOGOS CON SAI BABA,

Buenos Aires, Errepan, 1991. SADHANA: O CAMINHO INTERIOR, Rio de Janeiro, Record, 1989.

SADHU, M. HACIA LA PAZ DEL HOMBRE, Buenos Aires, Fabril Editora, 1962. SHANCARACHARIA

VIVEKACHUDAMANI: O DIADEMA DA SABEDORIA, Porto Alegre, FEEU, 1968.

SIVANANDA (Swami) KUNDALINI‐YOGA, Buenos Aires, Kier, 1986. HATHA‐YOGA, Buenos Aires,

Kier, 1990. TANTRA YOGA‐ NADA YOGA ‐ KRIYA YOGA, Buenos Aires, Kier, 1983. O PODER DO

PENSAMENTO PELA IOGA, São Paulo, Pensamento, s.d. CONCENTRAÇÃO E MEDITAÇÃO, São Paulo,

Pensamento, 1987. A CIÊNCIA DO PRANAYAMA, São Paulo, Pensamento, 1990.


SOUZA FILHO, C. de INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA TIBETANA, Petrópolis, Vozes, 1982.

SVATMARANA HATHAPRATIPIKA, Poona (Índia), K.S.M. Samiti, 1970.

VIVEKANANDA (Swami) LOS YOGAS PRACTICOS, México, Compañia Ed. Continental, 1964.

VIJOYANANDA (Swami) SRI KRISHNA Y UDDHARA, Buenos Aires, Kier, 1965.

VOPPUS STELLA MARIS (Cursos por Correspondência) ‐ "SABER É PODER" ‐ "HATHA‐YOGA:

PRATIQUE SOZINHO"

YOGI, Maharishi M. ‐ MEDITAÇÕES DE MAHARISHI MAHESH YOGI, Rio de Janeiro, Artenova, 1975.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!