Revista ABA Novembro 2017

helemoura

Revista ABA Novembro 2017

enTreViSTa

DaNIeLLe bIbas

Agentes do desenvolvimento

Os anunciantes são importantes agentes de

desenvolvimento da economia. A expressão é de

Danielle Bibas, Vice-Presidente Global de Marcas,

Comunicação e Conteúdo da Avon e integrante

do conselho da ABA. Essa conclusão não é um

exercício retórico, como ela enfatiza, mas a constatação

de que as empresas, quando buscam o

crescimento das suas operações, abrem as portas

para novas posições de trabalho, investimentos

em tecnologia, oportunidades de negócios

e valor de mercado. Nessa conta também entra

a incorporação de causas que ajudam no branding,

mas essencialmente no compromisso que

as marcas passaram a ter na sociedade. Nesta

entrevista, Danielle expõe o pensamento estratégico

da Avon e como os anunciantes podem se

tornar protagonistas em uma era que é marcada

pelo aprendizado dos novos comportamentos

de consumo, pelo empoderamento feminino e

pela quebra de paradigmas mercadológicos. O

Brasil é o maior mercado da Avon. Das seis milhões

de revendedoras da empresa em todo o

mundo, 1,5 milhão está no país. O Brasil divide

com a Inglaterra o status de sede internacional

do conglomerado cujas expertises são a cosmética

e a beleza.

8

Em sua avaliação, qual é o principal papel dos

anunciantes?

Ser um agente do crescimento econômico. Na

verdade, as empresas já exercem esse papel fundamental

na sociedade, mas com um pensamento

voltado para o marketing elas podem ampliar essa

função ao tornar transparentes seu pensamento

estratégico e preocupação com o bem-estar social.

Quando uma marca está nos canais de mídia, ela

está estimulando o consumo e, consequentemente,

a ampliação dos seus parques fabris, contratação

de mão de obra, realização de acordos com prestadores

de serviços terceirizados, encomendas de

estudos mercadológicos e, por exemplo, análises

de comportamento. O anunciante é um agente do

desenvolvimento.

Qual é valor agregado de uma marca presente

na mídia e com departamentos de marketing

bem estruturados?

O aumento da sua percepção no mercado e

também o seu valor no âmbito 360º. Quando o

branding é feito de forma coerente, respeitando a

essência da marca, há ganhos financeiros. Marketing

propicia às marcas o chamado valor intangível

e por isso ele é de extrema importância para as

organizações. O marketing gera lucro, mas, principalmente,

gera valor. No entanto, para ser assim,

não pode ser oportunista. O marketing deve estar

revestido de uma boa consciência para gerar bons

propósitos. Os negócios são a consequência de um

conjunto de atitudes.

Qual é o dever de casa dos anunciantes?

Ontem, hoje e amanhã: ter plena convicção de

que o consumidor é o principal ator do seu negócio

e, portanto, deve ser tratado como o verdadeiro

protagonista. Não importa o que aconteça, o comando

é do consumidor. Nesse momento de grandes

transformações, essa orientação fica cada vez

mais clara. Marcas, produtos e serviços que tratam

o consumidor de forma equivocada não vão assegurar

um lugar no futuro.

Qual é a melhor forma?

Tratar o cliente como uma pessoa e não como

alguém que vai passar pelos caixas dos pontos de

venda para concretizar uma compra. O consumidor

é uma pessoa e um parceiro. Devemos respeitá-lo

para que ele respeite as marcas que consome. Por

More magazines by this user
Similar magazines