Revista Carta Premium - 5a Edicao

revistacartapremium

Quinta edição da revista Carta Premium traz reportagens exclusivas sobre gins premium nacionais, lista de espumantes premiados, mais de 100 opções de receitas de drinques e coquetéis com cachaça, lançamentos de destilados e de cervejas

Acontece

A Cervejaria 3Cariocas foi uma das premiadas

no Mondial de la Bière - Brasil 2017

mais marcantes oferecidos pela casa eram Fullers,

La Trappe, Duchese de Bourgogne, Old Speckeled

Hen, Weihestephaner, Paulaner, Guinness, Trapistes

Rochefort, ou seja, muita coisa importada. As

escolas inglesa, alemã e belga em evidência. Hoje

vejo ascensão e desenvolvimento da escola americana

como uma grande vantagem ao mercado cervejeiro

de modo geral, principalmente por permitir a

inclusão de novos aromas e sabores numa receita.

Observo também as novas tecnologias e as diversas

pesquisas no ramo cervejeiro, para incrementar as

receitas com novos lúpulos, pesquisas por leveduras

especiais, ingredientes diferenciados, adição de

frutas e até mesmo o uso de processos outrora não

muito explorados, como o dry hopping como o grande

diferencial do mercado hoje”.

Ela pontua que a infinidade de sabores provenientes

deste desenvolvimento está atraindo mais apreciadores.

“O mercado está mudando, o consumidor de cervejas

está mudando, pessoas que não bebiam cerveja

anos atrás passaram a experimentar as diversas variações

da bebida, novas oportunidades estão surgindo

para profissionais da área, e acredito que seja apenas

o começo! 2017, por exemplo, foi o ano das tendências

no mercado cervejeiro. As infinitas variações de NE

IPA, a utilização das leveduras Brett e as suas cervejas

com lactose foram as mais marcantes... Os frozen

tops...Teve tanta novidade este ano que fica até difícil

mensurar tudo”.

Com tantas opções, como fica o apreciador?

Ávida por informação e degustação nesse mercado, Juliana

traz as dicas de como escolhe suas opções e de como o ponto

de venda (bar, pub, restaurante, etc) pode melhor explorar

a diversidade em sua carta: “Muitas vezes, antes de ir

a um determinado lugar, já procuro me informar sobre a

carta de bebidas. Também gosto muito de vinhos, vez ou

outra experimento drinques diferentes... Não me incomoda

que, especialmente no âmbito de cervejas, a carta não seja

extensa, desde que haja variedade de estilo e qualidade na

seleção de produtos. Uma carta muito pequena e sem muita

diversificação não é atrativa para o público consumidor

de bebidas artesanais e isso pode fazer com que este consumidor

prefira um outro estabelecimento”.

Além disso, como muitos apreciadores, ela também destaca

o lado “menos resistente” e “mais curioso” do consumidor:

“Eu estou em uma fase de aceitação. Sempre fui defensora

dos estilos mais clássicos e muito bem produzidos. Uma

IPA inglesa sempre conquistou meu coração. No entanto,

comecei a explorar os novos sabores e aromas e hoje eu

gosto de experimentar. Gosto de novidade, aprecio o amargor,

porém gosto do sabor de fruta. Gosto de variar, então

não tem muita regra. Só não gosto de sour, estou tentando

aprender a apreciar, mas não tenho evoluído muito neste

estilo (risos)”.

Análise do Mondial 2017

A respeito do evento no Rio, a publicitária e blogueira elogia

a organização. “Não houve filas na entrada do evento.

Os estandes muito bem planejados, dando visibilidade às

A Yellow Cloud foi

um dos destaques da

Oceânica no Mondial

de La Bière

147

More magazines by this user
Similar magazines