Views
6 months ago

Revista Curinga Edição 12

Revista Laboratorial do Curso de Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto.

Para o psicólogo Bruno

Para o psicólogo Bruno Bueno não há a necessidade de controlar o sonho. Ele acredita na necessidade de conservação da saúde mental do ser humano. Segundo ele, por meio da psicoterapia é possível interpretar os sonhos e, a partir deles, tratar sintomas e mostrar novas possibilidades de vida e de realizações ao paciente. “É fazê-lo assumir uma responsabilidade perante suas escolhas e sua autenticidade como ser-no-mundo. É saber usar a criatividade, questionar valores e deixar fluir de maneira mais autêntica seus desejos e fantasias”, conclui. Enquanto algumas pessoas não se lembram de seus sonhos e outras conseguem controlá-los, há ainda as que acreditam que cada sonho traz uma mensagem relevante, mas nem sempre clara. Este é o caso do estudante Bruno Fernandes, 29, ele conta que depois que tomou consciência e desenvolveu mais sua mediunidade a lembrança dos sonhos passou a ser mais frequente, e alguns deles se tornaram premonitórios. “O que me chama mesmo a atenção são pequenos detalhes, pequenas coisas que mais cedo ou mais tarde fazem grande sentido, por mais bobo que pareça aos olhos de terceiros”, diz. Um dos vários sonhos premonitórios que o estudante teve e ainda se lembra com clareza foi com seu avô: “eu tinha 18 anos e meu instrutor de auto escola não me ensinava sobre a embreagem direito, eu simplesmente não conseguia controlar o carro e sonhei que meu falecido avô me explicava como usá-la, inclusive com a teoria por trás da prática. No dia seguinte testei o que havia sonhado... minha carteira tá aqui comigo”, e ele garante não ter lido nem comentado nada com ninguém sobre o assunto antes do exame. Como instinto de defesa, Bruno prefere não contar sobre seus sonhos porque são experiências muito pessoais. Segundo ele, muitas pessoas não acreditam, outras já acreditam tanto que acabam se perdendo no meio das histórias. “São experiências que só eu vivi, não tem como eu mostrar aos outros, a não ser contando, e muitos podem pensar que invento isso para aparecer, mas não é”, diz. O psicólogo Bueno não acredita em premonição, para ele algumas coisas não são percebidas claramente por nós, mas ficam registradas em nosso inconsciente e nos surgem por meio dos sonhos. Quando elas acontecem, determinadas por um contexto mais amplo, acabamos tendo a ideia de premonição. Independentemente do tipo: comum, lúcido, premonitório, os sonhos dizem muito sobre cada um, são um reflexo do que há em nós de mais íntimo, nossos desejos, fantasias e até mesmo aquilo que nos atormenta. Muitas vezes são consequência do que nos acontece no dia a dia. E, em contrapartida, é a forma como interpretamos e reagimos a eles que nos define. O sonho é o resultado de uma conciliação. Dorme-se e, não obstante, vivencia-se a remoção de um desejo. Satisfaz-se um desejo, porém, ao mesmo tempo, continua-se a dormir. Freud

Rua Augusta Magiaecinema Texto: Teka Lindoso Arte: Ana Amélia Maciel Fotos: Divulgação Season One Art & Bar Central Perk, Beco Diagonal, Bar do Moe, Café 80’s, Ten Forward e Big kahuna. Estes nomes podem ser familiares para alguns, pois são lugares frequentados por personagens de certas séries e filmes. Para os fãs, nada mais marcante do que estar em um destes cenários e se sentir como um dos personagens de suas séries favoritas. Além disso, quem não procura um diferencial na hora de abstrair o estresse e viver a realidade tirando os pés do chão, nem que seja por algumas horas? São Paulo. A megalópole que abriga a maior concentração de bares, restaurantes, teatros e palcos de diversidade cultural, tem muitas opções para os que buscam diferentes tipos de entretenimento. Para quem ama a fantástica fábrica do cinema, encontramos um novo cenário na Rua mais badalada da cidade. O Season One Art & Bar foi inaugurado há pouco tempo, um bar que oferece teatro, cinema, decoração temática, petiscos e também aquela cervejinha gelada pra encontrar os amigos. O mundo da fantasia começa com a lúdica Rua Augusta que mantém sua fama do passado como local de boemia e libertinagem. Hoje acrescenta características da modernidade do pólo paulista, juntamente com a diversidade de um ponto de encontro de várias tribos. A fama da Augusta é conhecida por quem nunca esteve nela. Não há local mais certo de que o real possa se juntar à fantasia quanto nesta via de acesso ao centro velho e às luxosas ruas do Jardins na Zona Sul. A ideia de oferecer um local diversificado com vários temas do cinema, veio da vontade em ter algo especial e diferente para os clientes, contam os donos Aldo Dib e Marcus Ribeiro. Com isso, o Season One abre espaço não apenas como o bar de uma série específica, e sim o bar dedicado a todos os seriados, filmes, tribos, gostos e culturas. Inspirado em um estúdio de gravação, o mundo das telinhas aparece no Season One através da decoração e das atrações ofertadas ao público. Holofotes, refletores, estruturas metálicas, camarim e entrada de estúdio compõem o cenário. O responsável pela criatividade é o designer Roger Arruda que elaborou o local com referências de séries e filmes que os donos da casa apreciam. Alguns drinks do cardápio foram buscados nas receitas originais, como a bebida Cosmo in the City, inspirada na personagem Carrie de Sex and the City, além de nomes como Smallville, Arrow e The Flash. Revivendo a excentricidade nas noites paulistanas, o Season One foi pensado para surpreender e fazer com que o cliente se sinta confortável curtindo seu cantinho do cinema. Além das séries que rolam nos monitores e telão, o Bar apresenta o Teatro Seriado em dias determinados. Em capítulos divididos por semana, o espetáculo “Estilhaços”será apresentado no mês de outubro. O enredo se passa num dia 25 de janeiro, aniversário da capital paulista, onde Paulo é um mendigo expulso do Vale do Anhangabaú. Enquanto perambula pelas ruas, torna-se o protagonista do voyeurismo metropolitano, sendo alvo e espectador das dissensões da cidade. A trilha sonora completa a proposta diferencial do Bar. “Rolam trilhas de filmes, novelas, seriados e também algumas doses de rock, eletrônica e música brasileira”, conta Aldo Dib. O mágico universo das artes no entretenimento das noites paulistanas, é uma boa proposta de vivenciar novas experiências culturais. A brincadeira que envolve o cinema, teatro e as séries, aproxima do público o fantástico mundo das celebridades, da sétima arte e do glamour. A mescla do mundo das artes dentro de um bar traz a imaginação como nova opção para a realidade, para se encantar com a Augusta e inovar enriquecendo as alternativas para o lazer. CURINGA | EDIÇÃO 12 35

Revista Curinga Edição 11
Revista Curinga Edição 15
Revista Curinga Edição 08
Revista Curinga Edição 23
Revista Curinga Edição 16
Revista Curinga Edição 25
Revista Curinga Edição 17
Revista Curinga Edição 13
Revista Curinga Edição 21
Revista Curinga Edição 18
Revista Curinga Edição 19
Revista Curinga Edição 20
Revista Curinga Edição 07
Revista Curinga Edição 24
Revista Curinga Edição 00
Revista Curinga Edição 05
Revista Curinga Edição 01
Revista Curinga Edição 06
Revista LiteraLivre 4ª edição
REVISTA BRASILEIRA 58-pantone.vp - Academia Brasileira de Letras
descarregar PDF - Revista Atlântica de cultura ibero-americanat