Views
4 months ago

apostila-drones-e-vants-160301200926

Drones e VANT’s seus

Drones e VANT’s seus equipamentos de apoio, et cétera. Ao conjunto de todos os componentes que envolvem o voo de uma RPA usamos, portanto, o nome de RPAS (Remotely Piloted Aircraft Systems). Regulamentação De acordo com a legislação brasileira, que acompanha as normas internacionais, VANT é considerado aeronave e, portanto, está sujeito à legislação aeronáutica (AIC nº 21/10). Sendo assim, nenhum VANT civil pode operar no Brasil sem alguma autorização da ANAC e de outros órgãos como DECEA, ANATEL e, em alguns casos, do Ministério da Defesa ou Comando da Aeronáutica. Atualmente, existem no Brasil, existem três documentos oficialmente emitidos que versam especificamente sobre VANT's: 1) AIC nº 21/10, setembro/2010 (DECEA), publicação que tem por finalidade apresentar as informações necessárias para o uso de veículos aéreos não tripulados no espaço aéreo brasileiro, como conceituações de nomeclatura, determinações de responsabilidades e definições de aplicabilidades da lei; 2) Decisão 127, novembro/2011 (ANAC): autorização da ANAC para operação aérea de Aeronave Remotamente Pilotada pelo Departamento de Polícia Federal; 3) Instrução Suplementar 21-002 Revisão A, outubro/2012 (ANAC): Orienta aplicação da seção 21.191 do RBAC 21 (Regulamento Brasileiro de Aviação Civil) para emissão de CAVE (Certificado de Autorização para Voo Experimental) para RPA de uso experimental (pesquisa e desenvolvimento, treinamento de tripulações e pesquisa de mercado) (ANAC, 2012B). Certificação Recapitulando, se o drone não for usado para recreação, ele é um VANT, e, uma vez que é controlado remotamente durante o voo, passa a ser denominado ARP. 32

Drones e VANT’s Então, se você for fazer a filmagem de um casamento, quiser entregar algum produto ou exibir uma faixa de protesto durante uma manifestação, é preciso fazer uma solicitação formal de uso específico para a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). A ICA 53-01/2014, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, tem por finalidade estabelecer os procedimentos para os serviços relacionados ao NOTAM. http://publicacoes.decea.gov.br/?i=publicacao&id=4059 Um modelo de NOTAM de uso geral pode ser visto na IAC 4301 de 21/12/2001. A Circular de Informações Aeronáuticas 53 (também definida AIC 53) regulamenta os ARP's, de forma que determina que o interessado encaminhe uma solicitação de autorização de voo com 15 dias de antecedência (NOTAM), com uma série de informações (características da aeronave, trajeto do voo, capacidade de comunicação etc). Normalmente os VANTs são utilizados em pesquisa. Existem universidades, por exemplo, que utilizam o equipamento para fazer mapeamento de terrenos, pesquisas das condições atmosféricas, pesquisas de tecnológicas de softwares e eletrônicas, dentre outras. Nesses casos, existe uma autorização própria chamada de Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE). Além da autorização de uso do equipamento junto à ANAC, os pilotos precisam pedir liberação de voo aos órgãos regionais do DECEA (Cindacta I, Cindacta II, Cindacta III, Cindacta IV, SRPV-SP), assim como é feito no caso de aeronaves tripuladas. 33

acesse o arquivo PDF
Refletor Led Par 64 - Elo Iluminação Profissional
Download Revista em PDF edição nº- 20 - APCF
Jornal 28 (NOVO!!! Acesse Aqui!!!) - APPEGO
Apostila do OrCad - Faculdade de Engenharia - pucrs
Auditoria Médica - Isaias Levy - I Fórum de Defesa Profissional da ...
Aula 6 - Atribuições Profissionais pela Resolução 1010 - UTFPR
Cascais.pdf
Novo Código Florestal e as implicações no Rio Grande ... - Crea-RS
ENGENHARIA de AGRIMENSURA - Crea-RJ
Laudo Técnico Vicuña - Ibama