Views
2 weeks ago

edição de 5 de fevereiro de 2018

AgênCiAS “A

AgênCiAS “A Sides é a maior agência pequena do Rio” Cinco anos atrás, Fábio Barreto decidiu se tornar empresário no Rio de Janeiro. Redator por formação, já atuava como diretor de criação em agências cariocas e, cheio de sonhos, fundou a Sides, com o conceito “ambidestra”: capaz de ser, na mesma medida, analógica e digital. Nesta entrevista, Barreto faz um balanço dessa jornada e comenta a dor e a delícia de se manter pequeno. Ele comemora crescimento sólido e clientes como Brittania, Emccamp, Unicarioca e Arcofoods. Segundo Barreto, 2017 foi o melhor ano da Sides, que ele define como “a maior agência pequena do Rio”. CLAUDIA PENTEADO PequenA A agência pequena é uma escolha natural de clientes que exigem agilidade. É uma escolha recorrente de clientes que se sentem pouco prestigiados em agências maiores. E hoje é uma escolha potencializada pelas circunstâncias: a crise fez com que as estruturas de marketing revissem parcerias, processos, prioridades, e isso abriu espaço para que as menores entrassem também no radar de grandes empresas. CuRAdoRiA A comunicação continua como sempre: exigindo como nunca. Nossa parabólica segue captando tendências e atualizações, mas com um volume de conteúdo que aumenta exponencialmente. Por isso, hoje o nosso papel envolve a curadoria: analisar e pinçar o que, de fato, importa para quem importa. Parece simples, mas, no dia a dia repleto de novas possibilidades de investimento e discursos de retorno sempre tentadores, o papel de curador é duro, combativo, questionado, porém insubstituível. uRgênCiA Acho que ser uma agência menor traz um senso de urgência maior. Não temos gordura, não podemos viver de aparência, não temos uma garrafa de oxigênio cheia. Precisamos de um acerto atrás do outro. Precisamos ser mais Uber e menos táxi: atender melhor, entregar melhor e custar melhor para o cliente. AmbideStRA A Sides não precisou se reinventar, não sofreu para rever formatações já estabelecidas. Nós nascemos ambidestros: misturamos inteligências digitais e analógicas desde sempre. Por mais que a agência esteja dividida formalmente por departamentos e possua funções técnicas bem definidas, o DNA do pensamento integrado está disseminado. O que predomina é a busca pela melhor solução. Seja em uma mídia convencional ou uma estratégia online. Aqui pode ser uma coisa de cada vez ou tudo ao mesmo tempo agora. PeRtinênCiA Quando eu era criança e usava o argumento de que “todo mundo” está fazendo-querendo-comprando alguma coisa, minha mãe simplificava: você não é todo mundo. Lembro disso quando percebo esses movimentos. Todo mundo fazendo algo não significa automaticamente que seja bom fazer também. Pertinência é a palavra. É o Graal. Tudo depende do que está sendo exigido e da viabilidade dentro do negócio. Se precisamos montar um departamento novo ou absorver uma expertise diferenciada, nós estudamos a real necessidade e o modo mais inteligente de viabili- Fábio Barreto: “Nossa trajetória foi muito marcada pela efetividade nas prospecções” zar isso. Sem modismos ou imediatismos. eStAbilidAde Nos nossos cinco anos de vida da Sides, com uma governança equilibrada e inteligente, construímos um bem valioso: a estabilidade. Crescemos de forma sólida e constante. Ano após ano. Isso nos capacitou a galgar degraus mais altos e nos motivou a arriscar, ir em frente, mesmo com a tormenta que o mercado enfrentava. Seguimos na contramão e os resultados vieram. Fomos um oásis no meio de uma terra árida. 2018 Este ano, queremos superar 2017, que foi nosso melhor ano. A gente não pode dirigir olhando para o retrovisor, mas, sem dúvida, nossa performance de crescimento ano após ano nos anima para 2018. E como expectativa não ganha jogo, já começamos o ano com o pé fundo no acelerador, contratando novos talentos e participando de três processos de concorrência. RelevânCiA Manteremos nossa relevância entendendo de gente. Tudo continua girando em função disso. As técnicas, os novos canais, as inovações disruptivas, os influenciadores, os apps, as quebras de paradigma… tudo para interpretar, conquistar, atender as pessoas. Falamos de consumidores, players e clientes, mas Divulgação por trás dessas nomenclaturas são pessoas de carne e osso. Com suas inseguranças, seus anseios, suas responsabilidades. Com seus planos, suas limitações, suas chatices. Gente. E precisamos continuar sendo os especialistas em gente. Que sabe contar uma história, falar ao cérebro ou tocar o coração. StoRytelling Hipervalorizou-se o storytel- -ling. De “processo”, ele se transformou em “ferramenta”. Assim, uma antiga forma de expressão ganhou contornos de vanguarda. E o pior: em muitos casos, veio sendo muito malconduzida, com histórias falsas, rasas, e alinhando-se a causas sem um propósito bem definido. Contar boas histórias, entreter e seduzir sempre fez parte do escopo de quem quer preservar a vida nesse negócio. gRAnde PequenA A Sides é hoje a maior agência pequena do Rio. Ou a menor agência grande. Nossa trajetória foi muito marcada pela efetividade nas prospecções. Sempre geramos muitos negócios. Isso ajudou a criar uma base sólida de crescimento e uma imagem positiva no mercado. Temos clientes de todos os portes e segmentos, atuando em todas as plataformas. Esse volume frenético de contas e de projetos exigiu e possibilitou a montagem de um grupo que entrega e, principalmente, que se entrega. 8 5 de fevereiro de 2018 - jornal propmark

AgênciAs DM9DDB quer voltar a fazer história para os clientes com nova gestão Márcio Oliveira, que deixou a Lew'Lara\TBWA no ano passado, assume copresidência ao lado de Paulo Coelho, que traz cultura da empresa Cristiane Marsola Uma agenda única compartilhada pelos novos gestores é a aposta da DM9DDB para colocar a agência novamente nos trilhos, depois das mudanças no comando. No último dia 29, os copresidentes Paulo Coelho, que acumula o cargo de diretor-executivo de criação, e Márcio Oliveira, que deixou a presidência da Lew’Lara\TBWA no fim do ano, assumiram oficialmente a direção da agência. “A nossa agenda é o que fez a DM9 garantir o posto dela como uma das agências mais importantes da história do nosso mercado: trabalho bom na rua, cliente com case famoso e resultado comprovado. Como consequência, agência com resultado comprovado e performando”, afirma Oliveira. “Sair de uma comunicação boa para fazer história é a nossa vontade. Essa agência é casa do sonho grande e o sonho grande é fazer histórias para os clientes”, diz. Como se fizesse parte da equipe há muito tempo, Oliveira já se refere ao trabalho da DM9 em primeira pessoa. “O Dedé Laurentino falou uma vez: ‘o Márcio não veste a camisa da agência, ele a tem tatuada na pele’. E agora eu entendi duas coisas: tatuagem é para sempre, então vou carregar essa lembrança da Lew’Lara carinhosamente comigo, e todo tatuado não aguenta fazer uma só. Estou na segunda”, brinca. A ideia de juntar os dois foi de Nizan Guanaes, que havia voltado para a DM9 em fevereiro do ano passado. “Ele disse que o futuro da DM9 era uma pessoa que tinha a cultura, a paixão, a força da criação da casa, misturada com alguém de olhar novo, com cultura diferente que pudesse fazer o intercâmbio”, afirma Coelho. “A DM9DDB fez seu dever de casa na crise e está pronta para dar novos saltos com a lideran- Márcio Oliveira e Paulo Coelho, os copresidentes da DM9DDB, apostam na parceria e dizem que percebem ter muito em comum ça de Márcio Oliveira e Paulo Coelho. A DM9 está pronta para explorar essas possibilidades”, afirmou Guanaes. Com a chegada dos presidentes, ele passa a atuar no Grupo ABC e no conselho da Tamboré, agência in house do Walmart. O foco dos profissionais à frente da agência, que completa 30 anos em 2019, são trabalho, pessoas e gestão. “Queremos principalmente liderar pelo exemplo. Tem uma característica muito forte em nós dois, que é o poder de realização”, diz Coelho. “Pessoas são a matéria-prima do que a gente faz. Se tirarmos as pessoas daqui, essa agência não é nada. Você não cuidar de gente é ser burro”, completa. Os copresidentes dizem que a parceria tem tudo para dar certo, já que têm muito em comum. “Eu descobri que Nizan achou uma alma gêmea para mim. É impressionante. Parece “EspEramos fazEr uma história longa E linda juntos” que a gente se conhece há dez anos. As coisas estão muito alinhadas. Esperamos fazer uma história longa e linda juntos e devolver a DM9 para o lugar do qual ela nunca deveria ter saído, que é ser uma das agências mais importantes do mundo”, fala Coelho. “A gente não acredita em atalho. É trabalho. Somos muito parecidos”, complementa Oliveira. O executivo conta que o convite para que ele deixasse a Lew’Lara depois de 18 anos, cinco deles na presidência, foi feito pelo próprio Guanaes, profissional que inspirou Oliveira a se tornar publicitário. Ao conhecer o projeto, ele não conse- Divulgação guiu dizer não. “Era impossível não deixar o edredonzinho com ar-condicionado que eu tinha lá e não vir correr essa maratona aqui. Foi uma decisão superdifícil, mas eu tinha completado um ciclo lá e não sabia”, afirma. “A gente tem as mentes, a motivação, as marcas... Nosso bolo só tem ingredientes que são maravilhosos. Tem tudo para dar certo“, completa Oliveira. Outro ponto que fez os olhos de Oliveira brilharem com a proposta, além da empatia quase que imediata com Paulo Coelho, foram os clientes que iria encontrar na agência. “Cheguei num lugar que tem só marca líder de mercado, anunciantes que eu consumo, que eu convivo, que dão aula de marketing e comunicação e com quem tenho muito a aprender. A matéria-prima dessa casa, que são as marcas e as pessoas por trás desses clientes, é fenomenal”, conta. jornal propmark - 5 de fevereiro de 2018 9