Views
1 week ago

Revista Seleções Carnavalescas 2018

Seleções Carnavalescas - Poços de Caldas 2018

“Não se pode falar da

“Não se pode falar da história de Poços de Caldas e do Carnaval sem que a gente comente sobre a família do Décio. Uma memória viva da nossa cidade. Nós, que participamos do Carnaval desde 1970 com a Saci-Pô, vamos buscar as nossas lembranças daquela época até hoje na coleção que a gente tem da revista. A verdadeira rainha do Carnaval hoje a gente pode dizer que é a Rossmaly, com sua revista Seleções Carnavalescas. Conta e canta em verso e prosa a história do nosso Carnaval. Parabéns pelo trabalho e pela dedicação em contar a história na íntegra!”. Marcus Togni (Saci-Pô) “Sempre, desde criança, acompanhei a Seleções Carnavalescas. A publicação do Seu Décio é bem interessante, trazendo as informações, até para o turista, que sempre veio a Poços curtir o Carnaval. A partir dos anos 70, a revista foi mudando, pelo que acompanhei. Agora, é muito legal que está também no Poços Já, tem essa facilidade da internet, mantém a informação sobre quem está aonde, o que está acontecendo, e quem está longe pode acompanhar também. Muito bacana. Parabéns à revista, que está aqui há tanto tempo e mantém a alegria e esse mesmo empenho. Isso é muito importante”. Alexandre de Almeida (Frevo na Fobica) “A revista Seleções, que é bem tradicional, da época dos carnavais de ouro de Poços de Caldas, me dá a sensação de estar vendo aquelas revistas que eu gostava, do passado. Me traz boas recordações”. Gisele Corrêa (GSC Eventos Especiais) 32 Seleções Carnavalescas 2018 • 66 anos

Pra não dizer que não falei das escolas de samba Cassinho da Rocha Editor-geral do Jornal da Cidade e compositor de sambas de enredo premiados das escolas de samba locais Mocidade Independente da Vila e Nostalgia. A ‘Deixa Falar’ foi a primeira escola de samba do Brasil. Fundada em 1928, no Rio de Janeiro, lá se vão, portanto, 90 anos de uma atividade do Reinado de Momo que se espalhou por todo o país. O termo escola de samba surgiu pelo fato de que, na rua Estácio, onde aconteciam os ensaios, havia uma Escola Normal, daí, né?, a terminologia. Mas não se trata da Deixa Falar que queremos falar e, sim, das escolas de samba daqui. Este será o segundo ano em que o Carnaval de Poços de Caldas não contará com os desfiles das agremiações locais na avenida Francisco Salles, a qual também não ostentará a cunhagem momesca de Passarela do Samba. Nada será como antes! Vão faltar as cores da campeoníssima Saci-pô e o som da bateria nota 10 comandada pelo Mestre Bucha; os ritmistas da Acadêmicos do Vila Rica; a cadência da Unidos da Baixada; o som da Acadêmicos de Santa Rita; as alas da Pererê do Amanhã; e a força da comunidade da Cascatinha gerando a energia da Vivaldinos da Vivaldi, a escola da Vila Isabel de Poços. Ainda que a programação oficial compense tais ausências com blocos caricatos, é tempo de a Aesb, a associação que congrega as escolas locais, rever posições, seguir outros caminhos e abrir alas para que os desfiles das escolas de samba voltem para brilhar novamente naquele que foi considerado um dia como o maior Carnaval do interior brasileiro. Seleções Carnavalescas 2018 • 66 anos 33

Estética Carnavalesca e Design sustentável: a incorporação da ...
A arte do efêmero: carnavalescos e mediação cultural no Rio de ...
tiAnA E SuA GRAndE FAmÍliA CARnAVAlESCA páG ... - ABCD Maior
A festa mais popular do Brasil - Portal PUC-Rio Digital - PUC-Rio