Views
3 months ago

leitura (1)

SECTION ENTREVISTA NAME

SECTION ENTREVISTA NAME 4 C.M.: Quais foram as suas maiores influências ao longo do seu percurso profissional? G.R.R.: As minhas influências devem-se ao gosto, ao conceito estético, à investigação e a tudo o que me rodeia, o que me sensibiliza, o mundo que passa por mim a todo o momento, que me toca, a fim de esses momentos se transformarem. C.M.: O que pretende transmitir com a sua obra? G.R.R.: Os meus trabalhos colocam-se perante duas situações: um diálogo e um confronto. Pretendo exigência, desenvolvendo texturas e cores nas suas complementaridades e diferenças, de modo contínuo, sem limites, entre o que se sente no sonho, na vigília e no que nos envolve. C.M.: O que acha do estado da arte atual em Portugal? Valoriza-se cada vez mais a arte nacional, ou o oposto? C.M.: Como surgiu a sua primeira exposição a título individual?dssssssssdddddddddddd ddddddd........................................................ .......................................... G.R.R: A primeira exposição individual foi em 1989 na Galeria Tempo, em Lisboa, onde apresentei uma série de tapeçarias contemporâneas, que, por serem inovadoras à época, o seu diretor, Edgardo Xavier, considerou-as da maior importância no panorama da tapeçaria portuguesa. C.M.: Quais os temas em que mais se debruça na sua arte? G.R.R.: Na minha arte, pretendo, com todos os meus temas, atingir o belo, o poético, o sublime e o transcendente. Em cada fase, procuro a espiritualidade e o encantamento, num jogo que implica a conivência das formas, da luz e da sombra. Janeiro | 2018

5 CONNECTION ENTREVISTA Há muitos artistas nacionais que, após o seu lançamento no mercado estrangeiro, atingem uma grande carreira internacional, com mais facilidade do que a nível nacional. Há muitos artistas nacionais que, após o seu lançamento no mercado estrangeiro, atingem uma grande carreira internacional, com mais facilidade do que a nível nacional. C.M.: Neste momento, tem em exibição a exposição denominada “Memória do Sagrado”, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa. Quer deixar um convite a todos os leitores? Talvez um apelo para este novo ano de 2018. G.R.R.: Meus queridos leitores: apelo a que possam visitar ainda a exposição denominada “Memória do Sagrado”, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, na Rua Barata Salgueiro, em Lisboa, pois vai finalizar no dia 6 de janeiro de 2018. Podem ir à página de Facebook da Sociedade Nacional de Belas-Artes para poderem visualizar um filme sobre a exposição. Depois de finalizar a exposição, podem contactar comigo, pelo e-mail:. ...................................... gracieterosarosa@gmail.com, para visitar o meu ateliê. Que as realizações alcançadas este ano sejam sementes plantadas que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro. Feliz 2018! Graciete Rosa Rosa Janeiro | 2018

“Teremos nova PAC em janeiro de 2014” - Vida Económica
LEITURAS PARA A SEMANA DE ORAÇÃO
Revista Leitura de Bordo Maio de 2014
Parte 1 - Intróito.pdf - Câmara Municipal de Santa Maria da Feira
Círculos de Leitura - Resultados 2010.pdf - Tributo ao Futuro
Jornal Leitura Feliz - NOVEMBRO 2012.pdf - funsai
Weekend 1195 : Plano 56 : 1 : P.gina 1 - Económico
que portugal quer dar à espanha - O Primeiro de Janeiro
Cavaquistas querem que Vítor Gaspar saia - Europa
Missão: Mudar o Mundo! - Mundo Universitário
descarregar PDF - Revista Atlântica de cultura ibero-americanat
por Le Clézio revelado O mundo - Fonoteca Municipal de Lisboa