Revista Raizes culturais Fevereiro 2018

angelicalmente

Revista de atualidades sobre cultura em geral.

Revista Raízes Culturais 2018

@CopyrightPágina 1


Revista Raízes Culturais 2018

Raízes culturais

Rio de Janeiro – Brasil.

Fundada em 09 de fevereiro de 2018.

Uma revista voltada para a cultura e as atualidades do Brasil e do mundo.

Idealizada na tentativa de divulgar e oferecer uma contribuição aos novos escritores e a arte

em geral.

Presidente-executiva: Andreia Camargo.

Vice-presidente executiva: Rosani Hoelz.

Revisão: Rosani Hoelz.

Diretora geral: Maria Regina F. Santos.

Pesquisadora: Valquíria Albuquerque.

Designer: Marco Tamborim.

Jornalismo: Helena Aguiar.

Todo material de imagens é coletado na internet. Qualquer material que for encontrado com

direitos autorais invadidos, por favor, nos contatem para redimirmos o erro.

@copyright.

@CopyrightPágina 2


Revista Raízes Culturais 2018

Os livros mais vendidos na Amazon: Confira os 10 livros impressos

mais comprados este ano na Amazon Brasil:

1 - Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, por Dale Carnegie.

2 - Edgar Allan Poe - Medo Clássico, por Edgar Allan Poe.

3 - Mitologia Nórdica, por Neil Gaiman.

4 - Sapiens - Uma Breve História da Humanidade, por Yuval

Noah Harari.

5 - Akira - Volume 1, por Katsuhiro Otomo.

6 - Por que Fazemos o que Fazemos?, por Mario Sergio Cortella.

7 - Caixa Harry Potter - Edição Premium Exclusiva Amazon,

por J. K. Rowling.

8 - Superman. Entre a Foice e o Martelo, por Dave Johnson.

9 - Deuses Americanos, por Neil Gaiman.

10 - O Poder do Hábito, por Charles Duhigg.

@CopyrightPágina 3


Revista Raízes Culturais 2018

Patrocinadores:

Mais de cem voduns catalogados.

A venda nas melhores livrarias.

Sua publicidade aqui!

@CopyrightPágina 4


Revista Raízes Culturais 2018

Entrevista com Andreia Camargo.

Escritora eclética, autora de várias obras. Iniciou na literatura aos

quatorzes anos de idade, quando escreveu o seu primeiro livro

infantil. Desde então não parou mais. Seu gênero vai desde o

Policial, Romances leves, Vocabulários, Ficção Científica, Poemas,

Poesias, Religião, etc.

1- Raízes: Qual o livro que mais lhe deu satisfação em escrever?

Andreia Camargo: Cada livro é como um filho! Não existe o

melhor, mas todos me deram uma grande satisfação em escrever.

2- Raízes: Qual o seu último livro?

Andreia Camargo: Geralmente eu escrevo dois ou três livros em

contemporânea. Acabei de escrever Operação Babilônia II -

O Armagedom, O Sopro do Vento e O Mundo Encantado de Lili.

Todos estão sendo revisados pela excelente profissional Rosani

Hoelz . Eu a indico a todos os escritores.

3- Raízes: Pode falar de cada um deles?

@CopyrightPágina 5


Revista Raízes Culturais 2018

Andreia Camargo: Operação Babilônia II faz parte do segundo

livro de uma trilogia. Pretendo escrever o terceiro em breve. Um

livro de espionagem, onde a protagonista é uma sexy espiã

americana, às voltas com grandes criminosos de todo mundo. As

aventuras acontecem em vários países. O livro contém quinhentas e

duas páginas.

O Sopro do Vento é um romance trágico. A história acontece no

século XVIII. O século das luzes na Europa. Narra a trágica página

de nossa história sobre a escravidão e o amor de uma branca com

um jovem escravo negro. Contém 702 páginas.

O Mundo Encantado de Lili, é a história de várias crianças que

vivem em um pequeno orfanato. A protagonista Lili com a sua

imaginação fértil, leva todos a viverem em um mundo do faz de

conta.

4- Raízes: Poderia citar algumas de suas obras?

Andreia Camargo: Tenho várias obras publicadas. Algumas delas

são:

20- O Sopro do Vento

19- Operação Babilônia I Os Arcontes

18- Operação Babilônia II O Armagedom 17- O Mundo Encantado

de Lili

16- Para Onde me Leva o rio II (Humor) 15- Para Onde me Leva o

rio I (Humor) 14- Os Ebós Secretos dos Voduns

13- O Livro dos Deuses Vodun. 12- O Vampiro da Cidade

11- Vocabulário: Fòngbè - Português Colossal

10- Os Sobreviventes

09- Hipnose Coletiva 08- Murmúrios da Vida 07- Murmúrios da

Alma

06- Culinária: Errando se Aprende. 05- Minha Primeira Cartilha

04- A Quinta Dimensão.

@CopyrightPágina 6


Revista Raízes Culturais 2018

03- Candomblé: Pergunta que eu Respondo 02- Poderosas e

Milagrosas Orações

01- Os Oduns e Seus Mistérios.

5- Raízes: Como escritora qual o livro que leu e recomenda aos

seus eleitores?

Andreia Camargo: Eu gosto muito de ler e seria uma grande

injustiça citar nomes nesse universo de grandes escritores. Temos

muitos talentos novos, que estão aparecendo neste momento. E

posso afirmar que existem escritores novos, publicando excelentes

obras, que valem a pena serem lidas.

6- Raízes: Fale de seu último lançamento.

Andreia Camargo: Meu último lançamento foi Operação

Babilônia II O Armagedom, A agente secreta Babilônia está às

voltas com uma grande organização criminosa, que quer patrocinar

a destruição dos governos da Terra, com uma bomba potente,

transportando apenas os criminosos para o Planeta Marte. Após o

fim da destruição, os criminosos retornariam ao Planeta para

dividir o comando da Terra entre eles. Na direção dessa

organização está o maior criminoso de armas, de origem Balcânica,

Dragan.

Tudo irá ter uma grande reviravolta, quando a agente Babilônia

descobrir a verdadeira intenção dos criminosos.

7- Raízes: Qual o seu maior sonho como escritora?

Andreia Camargo: Um grande sonho seria ver um dos meus

livros ser roteiro de filme ou de novela.

8- Raízes: Sabemos que a senhora vive na Europa há mais de vinte

@CopyrightPágina 7


Revista Raízes Culturais 2018

anos. Pretende voltar um dia para o Brasil?

Andreia Camargo: Na vida tudo é incerto. A única certeza que

temos é quando chega a hora de partirmos desse mundo. Não posso

afirmar nada de definitivo. Quem sabe? No futuro tudo poderá

acontecer!

9- Raízes: Se tivesse que escolher entre um dos seus livros para

salvar de uma grande catástrofe, qual escolheria?

Andreia Camargo: Essa pergunta é muito difícil de ser

respondida. Conseguiram me colocar numa situação delicada.

Como havia dito, todos os meus livros são importantes, mas se

tivesse que salvar apenas um de uma grande catástrofe, estaria

entre O livro dos Deuses Vodum, Operação Babilônia, O Sopro do

Vento e Para onde me leva o Rio. Como vocês puderam ver, estaria

numa decisão difícil, não saberia qual livro salvar. Gratidão!

10- Raízes: Onde podem ser encontrados os seus livros?

Andreia Camargo: Em várias livrarias. Basta escrever o meu

nome Andreia Camargo no site da Amazon e vêm todos os meus

trabalhos publicados. (Livro físico e E-book)

11- Raízes: Use esse parágrafo para dizer suas ultimas palavras.

Andreia Camargo: Quero agradecer a todos dessa magnífica

revista, parabenizá-los pelo excelente trabalho, por divulgar meus

livros. Aos meus leitores, a única palavra que tenho a dizer:

Gratidão! Nunca deixem de ler! A leitura é o alimento da alma.

@CopyrightPágina 8


Revista Raízes Culturais 2018

O que o governo anda fazendo contra o trabalho

escravo?

O Governo de Michel Temer publicou, nesta semana,

um conjunto de novas regras que, na prática, dificultam

o combate ao trabalho escravo no país. Uma das

principais mudanças diz, por exemplo, que para que

haja a identificação de trabalho forçado, jornada

exaustiva e condição degradante, é preciso ocorrer a

privação do direito de ir vir, o que no Código Penal não

é obrigatório. A portaria deixa também nas mãos do

ministro do Trabalho - e não mais da equipe técnica- a

inclusão de nomes na chamada "lista suja", que reúne

empresas flagradas com trabalho análogo à escravidão.

As mudanças atendem a uma demanda antiga da

bancada ruralista no Congresso e ocorrem justamente

na semana em que a Comissão de Constituição e

@CopyrightPágina 9


Revista Raízes Culturais 2018

Justiça (CCJ) da Câmara analisou a segunda denúncia

contra o Temer no âmbito da Lava Jato. Em nota, o

Ministério do Trabalho afirmou que a portaria

"aprimora e dá segurança jurídica à atuação do Estado

Brasileiro" no combate ao trabalho escravo.

A medida, no entanto, recebeu uma chuva de críticas.

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério

Público do Trabalho (MPT) recomendaram a

revogação da decisão do Ministério do Trabalho e

afirmaram que a portaria é ilegal, ao condicionar a

caracterização do trabalho escravo contemporâneo à

restrição de liberdade de locomoção da vítima. Em 17

Estados do Brasil, fiscais do trabalho decidiram,

inclusive, parar suas atividades desde quarta-feira em

protesto à portaria. Segundo Carlos Silva, presidente

do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do

Trabalho (Sinait), a maioria das fiscalizações

permanecerão paralisadas até que o ministro revogue

esta "portaria ilegal e absurda", disse ao EL PAÍS.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT)

também se manifestou e declarou que o Brasil deixa de

ser referência no combate ao trabalho escravo e vira

exemplo negativo. O ex-presidente Fernando Henrique

Cardoso (PSDB) e a procuradora-geral da República,

Raquel Dodge, defenderam a revogação imediata do

documento.

@CopyrightPágina 10


Revista Raízes Culturais 2018

Como é hoje: O Art. 149 do Código Penal determina,

desde 1940, que reduzir alguém a condição análoga à de

escravo significa submeter uma pessoa a trabalhos

forçados ou a jornada exaustiva, condições degradantes

de trabalho, restrição de locomoção ou servidão por

dívida. Essa lei foi sendo modificada ao passar dos anos,

com novas regras como quanto ao tráfico de pessoas

(aliciamento, coação, dentre outros).

O que determina nova portaria: Agora a condição

análoga à de escravo significa: obrigar o trabalhador a

realizar tarefas, com o uso de coação e sob ameaça de

punição; impedir que o trabalhador deixe o local de

trabalho em razão de dívida contraída com o

empregador ou preposto; manter segurança armada a

fim de reter o trabalhador em razão da dívida; retenção

de documento pessoal do trabalhador.

As demais variáveis – trabalho forçado, jornada

exaustiva e condições degradantes – presentes no

Código Penal ganharam também um novo limitador.

Elas só podem ocorrer se tiver o cerceamento da

liberdade de expressão ou de mobilidade do

trabalhador.

Só é trabalho forçado “aquele exercido sem o

consentimento por parte do trabalhador e que lhe retire

a possibilidade de expressar sua vontade”. Já jornada

@CopyrightPágina 11


Revista Raízes Culturais 2018

exaustiva se dá com a “submissão do trabalhador,

contra a sua vontade e com privação do direito de ir e

vir”; e condição degradante é aquela caracterizada por

“violação dos direitos fundamentais da pessoa do

trabalhador (...) no cerceamento da liberdade de ir e vir,

seja por meios morais ou físicos, e que impliquem na

privação da sua dignidade”.

Risco embutido: Caso uma pessoa seja submetida a

condições degradantes e jornadas exaustivas, ela não

poderá ser caracterizada mais como um trabalhador

escravo.

Como é hoje: a fiscalização do trabalho escravo leva

em consideração o conjunto de violações, que nem

sempre se apresentavam por completo.

O que determina a nova portaria: A partir de agora,

todas as variáveis que determinam o que é trabalho

escravo tem que estar presentes no momento da

fiscalização. Se, por exemplo, não for identificado

jornada exaustiva, segundo o atual critério, fica

invalidado o trabalho análogo a escravidão.

Créditos: El país.

@CopyrightPágina 12


Revista Raízes Culturais 2018

A dieta vai ajudar a viver mais anos de vida saudável.

Por Renata Demôro

Hábitos saudáveis são capazes de promover uma vida

longa e com saúde, mas você sabe como se alimentam

os povos mais saudáveis do mundo? E quais os hábitos

de pessoas que completam 100 anos cheios de

vitalidade? Durante sete anos, o explorador Dan

Buettner, que escreve para a revista National

Geographic, visitou diferentes regiões do mundo em

busca das respostas para essas e outras perguntas

relacionadas à longevidade.

Produzidas com o apoio de uma equipe de

pesquisadores, suas dicas estão reunidas no livro "The

@CopyrightPágina 13


Revista Raízes Culturais 2018

Blue Zones: Lessons for Living Longer from the

People Who've Lived the Longest" (ainda sem

lançamento previsto no Brasil, mas que poderia ser

traduzido como "As Zonas Azuis: lições para ter uma

vida longa, das pessoas que viveram muito"). A seguir,

confira alguns destaques retirados do best seller, que

você pode começar a colocar em prática ainda hoje:

Veja as dicas clicando AQUI.

Patrocinadores:

A venda nas melhores livrarias.

Sua publicidade aqui!

@CopyrightPágina 14


Revista Raízes Culturais 2018

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º

6.793, DE 2017 (Do Sr. Flavinho) Altera o artigo 208 do

Decreto-Lei nº 2.848 de 7 de dezembro de 1940 - Código

Penal, para ampliar as penas dos crimes contra o sentimento

religioso.

DESPACHO: APENSE-SE À(AO) PL-1804/2015.

APRECIAÇÃO: Proposição Sujeita à Apreciação do

Plenário

PUBLICAÇÃO INICIAL Art. 137, caput - RICD

O Congresso Nacional decreta: Art. 1º O artigo 208 do

decreto-lei nº 2.848 de 7 de dezembro de 1940, passa a

vigorar com as seguintes alterações: “Art. 208 - Escarnecer

de alguém publicamente, por motivo de crença ou função

religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de

culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de

culto religioso: Pena - reclusão, de um a três anos e multa.

§1º Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um

terço, sem prejuízo da correspondente à violência. § 2º A

pena é aumentada de um terço se a ofensa é praticada

@CopyrightPágina 15


Revista Raízes Culturais 2018

mediante a utilização de meios de comunicação.” Art. 2º

Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO Este projeto de lei possui como objetivo

ajustar a pena dos crimes contra o sentimento religioso,

mais precisamente os previstos no artigo 208 do Código

Penal. Atualmente este artigo prevê que o crime de

escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença

ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou

prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou

objeto de culto religioso terá como pena a reclusão, de um

mês a um ano ou multa. Ocorre que tal punição não é

suficiente para desincentivar à prática destas infrações,

tornando a lei inócua e desproporcional à importância do

bem jurídico protegido – o sentimento religioso

independentemente da fé professada. Não se pode negar a

relevância da temática em um país como o Brasil, de

tamanha 3 Coordenação de Comissões Permanentes -

DECOM - P_5741 CONFERE COM O ORIGINAL

AUTENTICADO PL 6793/2017 diversidade religiosa,

ainda que majoritariamente cristã1 . Cumpre destacar que,

no último censo demográfico (ed. 2010), quase 90% da

população brasileira declarou possuir algum tipo de

“filiação” religiosa, isso dá a dimensão de quantas pessoas

são atingidas com a prática deste tipo de crime.

Leia mais aqui.

@CopyrightPágina 16


Revista Raízes Culturais 2018

Top 5 de Fevereiro 2018.

Os cinco livros do mês escolhidos pela revista Raízes

culturais:

1- Operação Babilônia II - autora: Andreia Camargo,

2017.

2- Guerra e Paz, Liev Tolstói, 1869.

3- Cem Anos de Solidão, Gabriel García Márquez,

1967.

4- Jogo Perigoso, Stephen King, 1992

5- O Código Da Vinci, Dan Brown, 2003

@CopyrightPágina 17


Revista Raízes Culturais 2018

Patrocinadores:

Breve nas melhores livrarias.

Sua publicidade aqui.

@CopyrightPágina 18


Revista Raízes Culturais 2018

A menina pobre que viveu em caverna no Brasil e virou escritora de

sucesso na Suécia.

"Christiana, me prometa uma coisa. Aconteça o que acontecer na

sua vida, nunca pare de caminhar", disse certa vez sua mãe,

naqueles tempos miseráveis em que ela se chamava Christiana

Mara Coelho.

Sua primeira casa foi uma caverna no Parque Estadual do Biribiri,

reserva natural próxima à cidade mineira de Diamantina. A segunda,

uma favela de São Paulo. Mas quando ela tinha oito anos de idade,

tudo iria mudar: um dos "pássaros de metal" que ela via voar no céu

de São Paulo a levou para a Suécia, ao lado dos pais adotivos. E ela

passou a se chamar Christina Rickardsson.

A história das duas vidas de Christina se tornou um best-seller na

cena literária da Suécia, com título dedicado às palavras da mãe. Sluta

Aldrig Gå (Nunca Pare de Caminhar) livro de estreia da autora

brasileira que já não fala o português, será lançado no Brasil ainda

neste semestre pela editora Novo Conceito, com tradução de Fernanda

Sarmatz Åkesson.

Leia mais aqui.

@CopyrightPágina 19


Revista Raízes Culturais 2018

Patrocinadores:

A verdade que omitiram a humanidade.

A venda nas melhores livrarias.

Sua publicidade aqui!

@CopyrightPágina 20


Revista Raízes Culturais 2018

De faxineira a juíza, a história de uma mulher pobre e negra no Brasil.

Adriana, com 38 anos, é hoje titular da 1ª Vara Cível e da Vara de

Infância e da Juventude de Quirinópolis, em Goiás. Tem cinco pósgraduações,

estuda Letras nas horas vagas, mas já foi faxineira. Ela

teve que se esforçar muito mais que a maioria dos seus colegas de

aula para vestir a toga. E conseguiu. Hoje conta suas conquistas em

um livro que acabou de lançar, Dez passos para alcançar seus sonhos

– A história real da ex-faxineira que se tornou juíza de direito.

Leia mais aqui.

@CopyrightPágina 21


Revista Raízes Culturais 2018

Patrocinadores:

Livro humorístico.

A venda nas melhores livrarias.

Sua publicidade aqui!

@CopyrightPágina 22

More magazines by this user
Similar magazines