Views
2 months ago

GAZETA DIARIO 503

08 Política Foz do

08 Política Foz do Iguaçu, sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018 Fábio Campana O carnaval dos Temer Mordomias como essa só tem no Brasil. Michel Temer resolveu que o melhor para os dias de folia é ficar com a família em lugar sossegado. Viajarão para Base Naval da Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro. O retiro com Marcela e Michelzinho dá para formar um bloco de rua. Junto com eles viajarão seguranças, médicos, enfermeiros, integrantes da comunicação e funcionários da cozinha da Presidência. Quarenta pessoas no total. Acha muito? O número inicial era de 58, mas o presidente achou um exagero e mandou cortar. Tudo é organizado pelo Gabinete de Segurança Institucional, que tem a "competência legal de zelar pela segurança do presidente da República Federativa do Brasil e de seus familiares". Pois, pois, assim é no Brasil, brasileiro, do coqueiro que dá coco e falcatrua. Lula no Paraná O PT incluiu Curitiba, Francisco Beltrão, Quedas do Iguaçu, Laranjeiras do Sul e Pinhão na caravana de Lula pela região sul. Sempre a cote de Requião e Gleisi, a viagem começa no dia 27 de fevereiro em Santana do Livramento (RS) e termina dia 7 de março em Curitiba. A agenda inclui visita ao túmulo do presidente Getúlio Vargas, em São Borja (RS). Lula passará por Francisco Beltrão e Quedas do Iguaçu no dia 5 de março e Laranjeiras do Sul e Pinhão, em 6 de março. Cida quer atrair Ratinho Jr Cida Borghetti (PP) confirmou nesta semana, em Ponta Grossa, em entrevista ao Jornal da Manhã, que é candidata em qualquer cenário e não descartou a hipótese de um acordo com o deputado estadual Ratinho Jr (PSD) já no 1º turno. "Nossas propostas dialogam em muitos aspectos e não descarto que isso (um acordo) aconteça. Se não acontecer em um primeiro turno, pode acontecer num segundo turno quando a disputa se acirra", disse. Acordo possível Não é a primeira vez que Cida cita a possibilidade de um acordo com o deputado Ratinho Jr. Segundo ela, o objetivo é "ampliar a aliança vencedora que garantiu as vitórias em 2010 e 2014". Ratinho Jr faz parte dessa aliança que colocou Beto Richa no comando do Iguaçu no primeiro turno de duas eleições consecutivas. Sinal de alerta "O sinal dado por Porto Alegre é claro: ninguém está acima da lei. É um recado não somente para Lula mas para toda elite política. Se até ele pode ser condenado (e vai ser preso) por que outros não serão? E são centenas envolvidos nas investigações, alguns já processados e muitos condenados em primeira instância. A fila é longa e deve andar esse ano com novas condenações atingindo políticos de diversos partidos políticos. O País tende, portanto, para um caminho muito distinto do italiano. Lá a Operação Mãos Limpas foi logo controlada pelo poder tradicional. Aqui o processo é distinto e está criando as condições para a efetiva construção da República sob bases democráticas stritu sensu". O 'apelo' de Sepúlveda Ao deixar a reunião com Edson Fachin, o ex-presidente do STF Sepúlveda Pertence - agora advogado de Lula - disse a jornalistas que fez um "apelo" para que o relator da Lava Jato na corte tome uma decisão sobre o habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente. "Nós fizemos o apelo dada a velocidade do tribunal do Porto Alegre, está aberto o prazo para os embargos de declaração e consequentemente próximo à queda da suspensão da ordem de prisão." JUSTIÇA Paulo Rocha é condenado a mais 6,2 anos de reclusão pelo crime de peculato Ex-vereador foi acusado de desviar mais de R$ 50 mil do salário pago a um dos assessores parlamentares lotados em seu gabinete em 2013 e 2014 Bruno Soares Reportagem O ex-vereador Paulo Rocha (PMDB) foi condenado pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Foz do Iguaçu a seis anos e dois meses de prisão pela prática do crime de peculato. Tipificada pelo artigo 312 do Código Penal Brasileiro, a transgressão ocorre quando servidores e agentes políticos se apropriam ou desviam dinheiro público durante o exercício de suas funções institucionais. A sentença determinou que o condenado cumpra a pena em regime semiaberto. De acordo com denúncia representada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), o parlamentar, entre junho de 2013 e agosto de 2014, desviou R$ 51.530,22 de salários pagos originalmente a um dos assessores lotados em seu gabinete na Câmara Municipal. O MP-PR acusa que o repasse de parte do salário mensal do assessor era pré-requisito para sua nomeação na Casa de Leis. Além do ex-vereador, o assessor envolvido no esquema, Alexandro Rodrigues Paredes, também foi condenado. Sua pena foi estipulada em cinco anos de prisão, também em regime semiaberto. Aos dois réus também foi imposto o pagamento de multa. O valor não foi informado pela assessoria de comunicação do MP- PR. À imprensa local, os advogados de defesa dos envolvidos afirmaram que irão recorrer da decisão. Justiça Federal No âmbito da Justiça Federal, após a primeira denúncia interposta no bojo da Operação Pecúlio, Paulo Rocha está condenado a quatro anos de reclusão, acrescidos de 13 diasmulta, cada qual arbitrado em um salário mínimo, em regime aberto para ser cumprido por meio de uma hora de trabalho por dia de condenação, mais prestação pecuniária no valor de R$ 30 mil. Esta sentença foi proferida em razão de ser considerado culpado pelo crime de Organização Criminosa, supostamente criada durante a gestão do exprefeito Reni Pereira (PSB). Além dele, outras 26 pessoas também foram condenadas por integrar a suposta organização. O grupo é formado por ex-vereadores, ex-secretários municipais e empresários da região. Na segunda denúncia oferecida pelo MPF à 3ª Vara Federal de Foz do Rocha permaneceu preso de 15 de dezembro a 9 de fevereiro; entre as acusações ele responde por receber propina para apoiar Reni Pereira Iguaçu relativa ao ex-vereador, o político foi denunciado outras 22 vezes, novamente por solicitar para si vantagem indevida durante o exercício da função parlamentar que ocupava. Entretanto as investigações apontam Rocha como um dos beneficiários do esquema denominado pelo MPF de "mensalinho". A prática é descrita como o pagamento mensal de propina ao político para que compusesse a base de apoio de Reni Pereira na Câmara Municipal. Paulo Rocha foi preso preventivamente com outros 11 vereadores em 15 de dezembro passado, durante deflagração da quinta e sexta fases da Operação Pecúlio. Deixou a cadeia em 9 de fevereiro com uso de tornozeleiras eletrônicas. Atualmente ele não faz mais uso do mecanismo em função de decisão arbitrada pelo Superior Tribunal de Justiça. Contudo o político permanece proibido de deixar a cidade, de manter contato com demais réus e tem a obrigação de se apresentar quinzenalmente à Justiça Federal. Em entrevista à imprensa regional, Paulo Rocha nega todas as acusações e garante que irá comprovar sua inocência.

Foz do Iguaçu, sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018 RENOVADO Política 09 PT analisa conjuntura para definir pré-candidatura de Dilto Vitorassi Sigla não decidiu se o sindicalista recém-filiado irá disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados ou na Assembleia do Estado Bruno Soares Reportagem O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) em Foz do Iguaçu analisa a conjuntura política regional para definir se lançará o sindicalista Dilto Vitorassi para disputar uma cadeira da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), ou da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, em Curitiba. A dúvida, conforme explicou o presidente da sigla em âmbito local, Edson Carlos Thomas, demanda cautela tendo em vista as dúvidas que ainda pairam sobre o tabuleiro político de Foz, do Paraná e até mesmo do país. "Uma coisa é certa, Dilto Vitorassi é pré-candidato. Só não podemos definir ainda se a deputado federal ou deputado estadual. O cenário ainda está muito longe de apresentar qualquer definição. Muita coisa está por acontecer, e precisamos agir com a devida cautela", observou o petista. O diretório do PT em Foz foi consolidado por aclamação de chapa única no final do ano passado com o objetivo de reestruturar o partido na cidade. De acordo com Edson, entre as prioridades da legenda está a eleição de um representante local nas eleições majoritárias de outubro deste ano com vista ao fortalecimento rumo à disputa municipal de 2020. "O PT é um partido que sempre teve boa aceitação em Foz do Iguaçu. E é inegável as conquistas trazidas ao município ao longo dos 14 anos de administração petista dos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma. Isto é inegável. Além disso, temos o trabalho consolidado de Jorge Samek à frente de Itaipu, que revolucionou o papel da hidrelétrica não apenas em Foz, mas em todos os municípios lindeiros ao lago. Recusar isso é ir contra os fatos", destacou Edson. Para reforçar sua avaliação, o presidente do PT em Foz pontuou a criação do Parque Tecnológico Itaipu, a consolidação do trade turístico na cidade, sobretudo em torno da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a criação da O presidente do PT em Foz do Iguaçu, Edson Carlos Thomas, diz que o partido terá candidatos nas próximas eleições Universidade Federal da Integração Latino-Americana, a instalação do Instituto Federal do Paraná, entre outras conquistas. "Turismo, educação, criação de renda, assistência social, saúde. Não há como ignorar o cenário de Foz do Iguaçu antes e depois dos governos petistas. Com base neste argumento, que é absolutamente sólido, é que apresentaremos o nome do companheiro Dilto Vitorassi. Precisamos fortalecer a classe trabalhadora de Foz e região. Elegermos pessoas compro- metidas com aqueles que precisam de serviços públicos de qualidade e que buscam oportunidades de crescimento por meio da educação e do trabalho. Está é a base do PT, e acreditamos que desta forma conseguiremos reorganizar o partido", completou. Sobre o cenário nacional, que indica a derrocada do ex-presidente Lula após ser condenado em segunda instância, Edson contemporizou a situação ao argumentar que tudo se trata de um grande movimento para retirar Lula da disputa presidencial. "Uma coisa é fato, eles sabem que se o presidente Lula estiver na disputa, ele irá vencer. E isto é certo porque o povo brasileiro não quer a continuidade deste projeto de país que se encontra em andamento atualmente. Direitos trabalhistas conquistados com muita luta sendo suplantados, reformas ilegítimas que não atendem aos interesses da maior parcela da população, enfim, a absoluta desconstrução de tudo que foi feito com muito trabalho e esforço de milhares de pessoas. O povo não quer que isso continue. Por isso se esforçam para dar um ar legal para algo que não tem legalidade nenhuma. Da mesma forma que foi feito com a cassação da presidente Dilma", avaliou. Além de Edson, a nova executiva petista de Foz é composta por Olírio Rives, vice-presidente; Rejani Cristina Kruczewski, secretária de Organização; Ana Paula Guisso, secretária de Finanças e Planejamento; Ivanir Glória de Campos, secretária de Comunicação; André Roberto Alliana, secretário de Formação; e Sandro dos Santos, secretário de Movimentos Populares. O diretório municipal conta ainda com outros 16 membros, atuantes em vários setores da sociedade local. O PT tem cerca de quatro mil filiados na cidade.