Views
1 week ago

GAZETA DIARIO 504

02 Opinião Foz do

02 Opinião Foz do Iguaçu, 10 a 13 de fevereiro de 2018 ÍNDICE Página 1 até 40 EDITORIAL E COLUNA 2 POLÍTICA 3 POLÍTICA 4 CIDADE 5 BICO DO CORVO 6 CIDADE 7 CAMPANA/GERAL 8 GERAL 9 CIDADE 10 CIDADE 11 CIDADE 12 GERAL 13 NACIONAL 14 NACIONAL 15 NACIONAL 16 COTIDIANO 17 A 24 IMOBILIÁRIO 25 A 32 CLASSIFICADOS 33 CONSTRUTORA PULCINELLI 34 POLÍCIA 35 ESPORTE 36 A 39 CELL SHOP 40 EDITORIAL Sugestão de excursão pós-carnaval Dois grandes eventos marcaram o mundo ontem. A abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul e o pontapé inicial do carnaval 2018 com as transmissões da festa em São Paulo. As duas Coreias desfilaram juntas sob uma bandeira unificada. Pelo menos nos jogos, nenhuma indicação de ameaça no ar. No último dia de trabalho antes do pequeno recesso de carnaval, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, afirmou ontem (9) que o cidadão brasileiro "está cansado de tanta ineficiência" e que essa ineficiência inclui o Poder Judiciário. "Por mais que tentemos — e estamos tentando, com certeza —, temos um débito enorme com a sociedade", disse a ministra durante inauguração do novo presídio de Formosa (GO). Como exemplo, a ministra criticou o sistema penitenciário brasileiro, dizendo que este tem falhado por não dar condições para que os presos cumpram pena com dignidade. De acordo com Cármen Lúcia, isso tem aumentado cada vez mais os problemas do país na área de segurança. "Qualquer um pode errar, e o dever de quem erra é pagar, mas deve-se cumprir pena em condições de dignidade para que volte à sociedade, o que não tem acontecido no sistema penitenciário", declarou. Como uma coisa puxa outra, chamou nossa atenção uma reportagem sobre autoridades de segurança dos EUA que visitaram a Alemanha para conhecer o sistema penitenciário. Uma autoridade alemã lembrou que, no sistema do país deles, as prisões não têm como meta a punição, mas a reabilitação do preso. "A nossa prisão é um reflexo da vida normal lá fora." O sistema brasileiro parece privilegiar a punição do infrator, transformando a vida dele em um purgatório no qual, como punição maior, está a negação de oportunidades de regeneração. Talvez devêssemos, depois do carnaval, promover excursões de nossas autoridades à Alemanha, Suécia, Suíça... para intercambiar algumas ideias sobre o assunto. Eu leio o Gazeta Diário O presidente do Comus, Sadi Buzanelo, é leitor do Gazeta Diário extrapauta RF apreende cigarros, maconha e fuzis em ônibus de turismo Servidores da Receita Federal, em conjunto com policiais do BPFron, realizaram apreensão, nesta quinta-feira (8), de um ônibus carregado com cigarros e drogas, além de dois carros, um roubado e outro com mercadorias. A fiscalização foi na BR-277, próximo a Medianeira. Por volta da 15h, o ônibus de turismo, com placas de Caxias do Sul/RS, foi abordado e conduzido para o posto fiscal Bom Jesus em Medianeira. Estranhamente o veículo era ocupado apenas por três pessoas, sendo uma delas o motorista e duas mulheres. Logo ao iniciar inspeção na parte interna do veículo, foram encontradas diversas caixas de cigarros acondicionadas entre as poltronas que estavam vazias. Diante da situação, os servidores procederam uma busca minuciosa e acabaram encontrando, ocultos no banheiro do coletivo, mais alguns pacotes e sacolas. Estes novos volumes possuíam um cheiro bastante forte e, ao abri-los, revelou-se uma grande quantidade de tabletes de maconha. Em seguida, nova inspeção mostrou que os bagageiros do coletivo também estavam carregados com centenas de pacotes de cigarros. Ao todo havia 58,210 quilos de maconha e aproximadamente 77.500 maços de cigarros. O motorista, um homem de 36 anos, assumiu toda a responsabilidade pela droga e pelos cigarros, dizendo que os demais passageiros não tinham conhecimento dos ilícitos. Afirmou ainda que havia pago R$ 10 mil pela droga e que realizou diversas viagens de táxi, trazendo pequenas quantidades por vez. Segundo ele, toda a ação ocorreu na região da Vila Portes e que levaria os cigarros e a droga para vender em sua cidade, Caxias do Sul/RS. O condutor, as passageiras e a droga foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu para os procedimentos cabíveis. O ônibus e os cigarros foram levados para a alfândega de Foz do Iguaçu. Posteriormente, nesta sexta-feira (9), já na sede da alfândega da RF, durante nova inspeção minuciosa no ônibus, foi encontrado um arsenal de fuzis em um fundo falso próximo ao motor. Utilizou-se do equipamento de escâner no procedimento. Ao todo havia oito fuzis 556, 16 carregadores 556 e cinco carregadores 9mm. O armamento também foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Federal. (AI RF)

Foz do Iguaçu, 10 a 13 de fevereiro de 2018 DISPENSA DE LICITAÇÃO Política 03 Requerimento pede explicações sobre contrato para concurso Vereador Adenildo Kako entrou com pedido sobre dispensa de licitação para empresa realizar concurso Elson Marques Freelancer O concurso oferece 134 vagas em diversos setores, com salários iniciais que vão de R$ 1.014 a R$ 3.584,54 Por meio do requerimento nº 14/2018, o vereador Adenildo Kako (Podemos) entrou com pedido solicitando à prefeitura informações sobre a contratação da Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciências (Fundatec) para a realização de concurso público. Os documentos solicitados referem-se ao processo de dispensa de licitação nº 0001/2018, que resultou no contrato de R$ 1,2 milhão. No requerimento, Kako especifica que "no processo de dispensa de licitação a Fundatec foi escolhida para realizar o concurso público municipal. Não obstante, o que causa estranheza no presente caso é que a licitação foi dispensada, quando existem inúmeras empresas que realizam concurso público". O vereador esclarece: "Não se discute aqui a competência da referida empresa, mas sim o modo pelo qual ela foi escolhida. Ademais, salta aos olhos o montante previsto para a realização do exame, motivo pelo qual requer-se esclarecimentos para evitar possíveis fraudes e superfaturamentos". O requerimento deverá ser incluído na pauta da próxima sessão. Em nota, a prefeitura informou que pelo "menor preço entre as empresas interessadas em participar da realização de certame e pelo histórico de compromisso e confiança, a Fundatec apresentou a melhor proposta para ser a banca examinadora do concurso da prefeitura de Foz do Iguaçu". Acrescentou que "a contratação da Fundatec recebeu o parecer favorável da Procuradoria-Geral do Município e a contratação está de acordo com disposto no Artigo 24, inciso XIII, da Lei n.º 8.666/93. Diversas instituições que realizam concurso público no Brasil foram procuradas pelo Município, porém somente duas demonstraram interesse em participar". Concurso lançado O concurso referente ao processo de dispensa de licitação já foi lançado. As inscrições vão até o dia 28 de fevereiro e são Vereador Adenildo Kako: "Não se discute a competência da empresa, mas sim o modo pelo qual ela foi escolhida" aceitas apenas pela internet no site www.fundatec.org.br. São 134 vagas em diversos setores, com salários iniciais que vão de R$ 1.014 a R$ 3.584,54, e oportunidades para pessoas com ensino fundamental, técnico, médio ou superior. São 29 vagas para emprego público de agentes comunitários de saúde e 105 para outras 28 profissões, entre elas 30 vagas para professor, 15 para auxiliar de enfermagem, seis auxiliar de saúde, seis para cirurgião dentista, cinco para agente fiscal de preceitos, cinco para fiscal de tributos e cinco para enfermeiro. As demais áreas têm entre uma e três vagas para cada função. O edital com todas as informações já está disponível no site da Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciências (Fundatec) e site da Prefeitura de Foz: www.pmfi.pr.gov.br. Taxas de inscrição Para validar a inscrição, o candidato deverá efetuar o pagamento da taxa seguindo as normas do edital. Os valores das taxas de inscrição são: para o nível superior completo, R$ 100; nível técnico completo, R$ 70; nível médio completo, R$ 70; nível fundamental completo, R$ 45. No edital consta que para as pessoas com deficiência é assegurado o direito de inscrição no concurso público, "podendo concorrer a 5% das vagas existentes e das futuras, desde que haja compatibilidade entre as atribuições do cargo pretendido e a deficiência de que forem portadores, conforme disposto no Decreto Federal nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999".